Carros elétricos: mercado de lítio permanecerá aquecido


O mercado de lítio pretende aquecer mais ainda o fornecimento de energia para grandes montadoras como a Tesla Motors (fabricante da linha Model S) e a Nissan (fabricante do Leaf), a fim de cobrir a necessidade de expansão de veículos elétricos no mundo. O lítio é considerado um agente químico de extrema importância, e é usado para armazenar energia em tablets e em alguns smartphones que possuem baterias de íon de lítio, por isso, os ganhos que ele pode trazer para o mercado de carros elétricos são grandes.

Desde que houve essa descoberta, o preço do carbonato de lítio subiu 47% a mais em relação à estabilidade em que estava no último ano. Esse aumento tem a ver com a demanda de carros elétricos e veículos considerados leves em alguns países, nos quais têm a previsão de gerar 221 bilhões de dólares entre o período de 2015 e 2024. De acordo com informações à esse respeito, a China já cogita a possibilidade de ter 5 milhões de carros elétricos pelas ruas até o ano de 2020, conforme as estratégias de mudar o mercado automobilístico do país, apresentadas pelo presidente Xi Jinping.

Grandes montadoras como a Renault e a Nissan já declararam que o comércio de carros elétricos foi um dos mais altos no ano passado. A Audi também pretende entrar nesse mercado, fabricando seu primeiro modelo SUV elétrico no ano de 2018. Provavelmente no futuro, a onda será de carros, bicicletas, motocicletas, ônibus e caminhões totalmente elétricos, e para atender toda essa demanda, haverá um grande mercado de abastecimento elétrico significativo também. Já vemos isso acontecer, porém, numa velocidade um pouco menor do que o esperado, pois depende muito da economia de um país e de fatores sustentáveis.

A única coisa que poderia impedir um país de avançar na tecnologia em relação ao fornecimento de energia elétrica para veículos é a falta de produção de matéria-prima necessária para isso, e num ritmo acelerado para atender um mercado em crescimento acelerado. Enquanto isso, por conta de não ter uma grande procura por carros elétricos de um modo geral ainda, o valor tabelado do carbonato de lítio permanecerá alto até o ano que vem, devido à baixa demanda no mercado e pouca oferta.


Hyundai HB20 1.0 Turbo – previsão para o Brasil


O HB20 deve ganhar uma versão esportiva com motor de três cilindros 1.0 Flex com turbo e injeção direta de combustível. A expectativa é que o carro chegue ao mercado ainda este ano. Além disso, o carro deve ter potência elevada para 120 cv – a atual é de 80 cv.

O carro foi equiparado ao Kia cee’d GT line e na configuração europeia ele consegue desenvolver 120 cavalos a 6000 rpm, além de 17,5 mKgf de torque entre 1500 e 4100 rpm, gerando 10 a 15% menos de combustível e também emitindo menos quantidade de CO2.

O novo HB20 conta com tecnologias modernas como, por exemplo, a presença de injetores perfurados a laser, em forma de pirâmide, que tem a finalidade de espalhar melhor a mistura entre o combustível e o ar dentro das câmeras de combustão.

Ainda não se sabe quando o carro vai ser lançado no País, mas a expectativa é que o carro ajude a marca a melhorar o rendimento energético da sua linha como um todo. A nova motorização vai estar presente em todas as versões do HB20: hatch, sedã e aventureiro.

Além disso, o HB20 2016 é considerado sucesso de vendas, sendo o terceiro automóvel de passeio vendido no Brasil. O modelo produzido pela sul coreana tem design atraente e muito atrevido, o que agradou muito ao público. Entre as mudanças no novo modelo deste ano, destacam-se a dianteira que foi redesenhada com a inclusão da grade hexagonal, para-choque com a porção inferior revisada, além das molduras dos faróis de neblina.

Outro detalhe exclusivo é os faróis da versão Premium 1.6, que conta com LED’S de iluminação diurna e luz principal feita em projetor. As outras versões do carro têm parábola simples. Além disso, a mecânica do HB20 2016 ganhou outras novidades como a presença do câmbio com 6 marchas, que consegue reduzir de uma só vez os níveis de consumo de combustível usado na estrada e do ruído na cabine. A nova versão 2016 também tem central de multimídia bluemedia com GPS e tela sensível ao toque de 7 polegadas, que pode ser conectado ao smartphone oferecendo entretenimento, diversão e muita comodidade para o motorista. 


Os dez carros com menor desvalorização em 2014


Onix, Palio, Golf, Gol e New Fiesta lideram a lista

O Onix, da Chevrolet, lidera a lista dos automóveis que menos perderam valor em 2014. A desvalorização do Onix foi de 8,5% após um ano de uso. A informação foi divulgada no Prêmio Maior Valor de Revenda, da Agência AutoInforme. O ranking já existe há dez anos, no entanto essa foi a primeira vez em que os veículos foram premiados.

A lista apresenta os veículos que menos desvalorizam em 2014 após um ano de uso. O prêmio é baseado em um estudo de depreciação de veículos realizado pela agência AutoInforme. Os veículos foram analisados em 15 categorias diferentes e, para chegar ao valor da depreciação de cada veículo, foi levado em consideração o valor dos veículos em novembro de 2013, quando novos, e em novembro de 2014, quando eles já tinham um ano de uso. O preço utilizado no estudo foi o preço praticado no mercado e não o preço de tabela do veículo.

Para o estudo foram utilizados cem modelos de veículos, sendo que os que tiveram grandes modificações nos modelos foram excluídos da lista para não comprometer os resultados. A depreciação depende da procura pelo veículo, pois quanto menos procurado menor o valor de mercado. Com isso se conclui que os primeiros da lista são os mais procurados e consequentemente os mais fáceis de serem revendidos.

Esse ranking servirá de subsídio para o comprador de veículos novos, pois ao fazer a escolha de um determinado veículo, irá prever qual sua desvalorização na hora da troca do veículo após um ano.

Os dez carros que menos perderam valor em 2014 foram:

1º Chevrolet Onix – 8,5% de desvalorização;

2º Fiat Novo Palio – 9,4% de desvalorização;

3 º Volkswagen Golf – 10,3% de desvalorização;

4 º Volkswagen Gol – 10,5% de desvalorização;

5 º Ford New Fiesta – 10,8% de desvalorização;

6 º Fiat Palio Fire – 10,9% de desvalorização;

7 º Ford EcoSport – 11,1% de desvalorização;

8 º Fiat Strada – 11,2% de desvalorização;

9 º Fiat Uno – 11,3% de desvalorização;

10 º Volkswagen Fox – 11,5% de desvalorização.

Os campeões por categoria foram:

Entrada – Fiat Palio Fire – 10,9% de desvalorização;

Hatch – Chevrolet Onix – 8,5% de desvalorização;

Monovolume – Honda Fit – 11,7% de desvalorização;

Sedan pequeno – HB20S – 11,6% de desvalorização;

Utilitário esportivo – Ford EcoSport – 11,1% de desvalorização;

Utilitário esportivo grande – Honda CRV – 11,9% de desvalorização;

Picape pequena – Fiat Strada – 11,2% de desvalorização;

Minivan – Chevrolet Spin – 12,7 % de desvalorização;

Hatch médio – Volkswagen Golf – 10,3% de desvalorização;

Sedan médio – Toyota Corolla – 12,7% de desvalorização;

Hatch premium – Fiat 500 – 12,4% de desvalorização;

Picape média – Toyota Hilux – 13,2% de desvalorização;

Perua – Fiat Weekend – 13,8% de desvalorização;

Comercial – Renault Master – 10,7% de desvalorização;

Sedan grande – Ford Fusion – 13,1% de desvalorização.


Ford Ka+ e Fiesta Sedan são tirados do catálogo da marca


Recentemente a marca Ford retirou de maneira discreta do seu catálogo de vendas duas versões de seus utilitários. Uma das versões é do modelo Ka+ e a outra versão é do Fiesta Sedan que anteriormente estavam sendo vendidas no Brasil. A exclusão consistiu na série SEL 1.0 do veículo em versão mais simples e também na série 1.6 Titanium com transmissão manual do compacto premium.

O motivo provável desta eliminação das duas versões, foi devido o Ka+ ter um preço levemente diferente em relação à versão SE 1.5. Quanto ao Fiesta Sedan, a principal causa foi o baixo número de vendas através da versão Titanium com transmissão manual. Devido a isto a montadora preferiu enfatizar a versão Titanium com câmbio Powershift. Com este ajuste os outros veículos da marca ficarão em evidência no mercado.

No modelo Ka+ a qualidade e a economia na parte de motorização são de causar admiração. O motor é 1.5 Sigma capaz de gerar 110 cavalos de potência, chegando a se destacar com nota A nos testes do Compet/Inmetro. O motor do Fiesta Sedan é 1.6 TiVCT capaz de gerar 128 cavalos de potência apresentando uma excelente desenvoltura com nota A no Conpet/Inmetro.

No requisito de segurança do Ka+ oferece dois airbags dianteiros para o motorista e o passageiro, freios ABS com controle de frenagem em curvas (CBC) e distribuição eletrônica de frenagem (EBD). Outros equipamentos integrados no veículo são: Assistência de Partida em Rampas (HLA) para melhor auxiliar o motorista e também Controle Eletrônico de Estabilidade e Tração.

O modelo Fiesta Sedan também está voltado para o requisito de segurança e neste sentido apresenta sete airbags, sendo eles: dois dianteiros, 3 laterais, 2 cortinas e 1 joelho. Outros equipamentos oferecidos no veículo são: controle automático de velocidade, sensor de estacionamento traseiro e Assistente de Partida em Rampa – HLA. Os dois modelos possuem uma excelente qualidade e sofisticação em seu visual exterior, os quais foram desenvolvidos com a tecnologia da marca Ford. 

Felipe Couto de Oliveira


BMW, Audi, Nissan e Renault deixam de vender carros na Rússia


A BMW, Audi, Jaguar Land Rover, GM, Renault e Nissan, são algumas das montadoras que não estão mais enviando modelos novos para a Rússia em função da crise que fez com que a moeda local perdesse o equivalente a 50% do seu valor durante esse ano.

Essa é uma notícia ruim, pois significa que as montadoras estão perdendo dinheiro. De acordo com o presidente da aliança Renault-Nissan, Carlos Ghosn, a Nissan deixou de enviar alguns modelos, mas irá honrar todos os pedidos que foram realizados até o momento. Ainda segundo ele, não estão aceitando novos pedidos até que a situação econômica do país esteja controlada.

A maioria dos fabricantes já elevou os preços dos carros na Rússia, principalmente os modelos que contam com mais componentes importados. A GM é uma das montadoras que só cumpriu os contratos que já estavam fechados e parou de mandar novas unidades no dia 16 de dezembro. A divisão européia da GM divulgou uma nota dizendo que considerando a volatilidade do rublo (moeda Russa) a venda de veículos aos distribuidores está temporariamente suspensa.

Em nota, a Audi afirmou que deve elevar os preços e que está adiando as entregas. Já á BMW divulgou que está direcionando a produção para outros mercados.

A crise da moeda russa começou pela queda acentuada nos preços do petróleo, que até então era a principal fonte de recursos de Moscou. Além disso, as sanções ocidentais impostas pela atuação no governo russo na Ucrânia também fez com que a economia encolhesse. Se no setor de automóveis, esse encolhimento representa 13% nas vendas de janeiro a outubro se comparado ao ano passado. Com a crise, a Grã Bretanha já ultrapassou a Rússia no ranking de venda de carros, sendo o 8º país. Já o Brasil permanece na quinta colocação.


Carros mais vendidos no Brasil – janeiro de 2014


Estamos no mês de fevereiro e, por conta disso, é preciso traçar um paralelo de como foi o mercado de automóveis no mês de janeiro. A partir desse parâmetro, com efeito, os especialistas podem saber o que tem de ser melhorado para atrair ainda mais o público brasileiro.  Seja como for, vale registrar e dizer que o setor de vendas de carros teve uma queda de mais de 10% no cenário nacional, fato este que preocupa, mas não assusta as principais marcas do mundo que, devido aos grandes eventos de 2014, acreditam que as vendas ainda vão ter seu grande boom nesse período.  Pois bem, em relação aos veículos mais vendidos no mês de janeiro, vale destacar a força da Fiat que, por sua vez, conseguiu vender 20,73% dos carros no mercado nacional. Outras marcas que se destacaram foram a VW e GM com 19,68% e 19,32%, respectivamente. As demais marcas esperam mudar essa situação e já estão planejando novas ações de marketing para atingir ainda mais clientes e interessados em seus automóveis. O Gol, por seu turno, ainda é o carro mais comprado no Brasil devido a seu preço e seu fácil acesso. As cinco marcas mais vendidas com suas respectivas porcentagens foram as citadas a seguir:

1º FIAT 63.051 21,03%
2º VW 55.232 18,42%
3º GM 53.888 17,98%
4º FORD 29.377 9,80%
5º RENAULT 21.710 7,24%

Já os cinco automóveis mais comprados no começo de 2014 foram os seguintes:

1º VW /GOL 21.671
2º FIAT /UNO 13.629
3º FORD /FIESTA 13.179
4º FIAT /PALIO 12.603
5º FIAT /SIENA 11.415

Seja lá como for, muita coisa ainda deve ocorrer nos próximos meses do ano, de modo que essa disputa deve ficar ainda mais acirrada. O Brasil sempre foi conhecido por sua paixão por carros, de forma que uma melhoria na economia pode melhorar as coisas. Agora é esperar para ver como o grande público vai agir. 


Nova marca – Fiat Chrysler Automobiles (FCA)


O grupo Fiat concluiu a compra das ações da americana Chrysler e agora irá formar um novo grupo e uma nova marca. A negociação foi ultimada no fim de janeiro e na última quarta-feira (29) o Conselho de Administração da italiana Fiat aprovou a formação da Fiat Chrysler Automobiles (FCA).

Até o mês passado as duas empresas usavam suas marcas em separado. Com a conclusão definitiva da compra, a empresa FCA apresentou seu novo logotipo. A sede principal da Fiat Chrysler Automobiles está registrada na Holanda, mas o domicílio fiscal se encontra na Inglaterra. As ações estarão apostas nas bolsas de Milão e Nova York, cidades-sede da Fiat e Chrysler, respectivamente.

Animado, o presidente da Fiat, John Elkann divulgou uma nota falando sobre a nova empresa. “A FCA nos permite enfrentar o futuro com um renovado sentido de propósito e vigor”. A criação do novo grupo irá fazer frente as outras marcas automotivas, segundo a FCA.

Resumo

A Fiat Chrysler Automobiles é agora um grupo de 16 marcas comerciais com 77 centros de pesquisa e design. Com mais de 200 mil funcionários, o grupo atua em 140 mercados em todo o mundo. E não é só a Chrysler e a Fiat que fazem parte desta nova empresa. Além delas têm a Jeep, Lancia, Ram Trucks, Dodge, Alfa Romeo, Fiat Profissional, SRT e Abarth e claro, as suntuosas Ferrari e Maserati. Também compõe a nova marca FCA, a Magneti Marelli, Comau, Mopar e Teksid, empresas de suplementos e componentes.

Novo logotipo

A nova marca da empresa Fiat Chrysler Automobiles foi criada pela agência italiana de design RobilantAssociati, com a intenção de expor uma marca com identidade única. A sigla foi escolhida com propósito de facilitar a pronúncia nas línguas italiana e inglesa.

Com todos os detalhes que só um bom design pode oferecer, as letras e suas formas são guiadas pela essência que possui um automóvel. Segundo a FCA, o ‘F’, com seus ângulos retos, simboliza concretude e solidez, a ‘C’, derivado de um círculo, representa rodas e movimento. O ‘A’ derivado de um triângulo, indica a energia e um estado perene de evolução.


Balanço do Mercado Automobilístico 2013


Mudanças estão cada vez mais inevitáveis no mundo dos automóveis e 2013 não foi diferente.

Muitas coisas acontecerão: novidades chegaram ao mercado,alguns modelos abandonaram, houve mudanças no mercado de carros de luxo e possibilidades no mercado de populares.

Então, que tal fazermos um balanço no giro que este mercado deu no ultimo ano e quem sabe entendermos – ou pelo menos imaginar – o que pode estar por vir em 2014. Veja agora, as mudanças mais significativas de 2013.

Mercado de Luxo

As grande empresas, consideradas como as preferidas dos modelos de luxo, como a Mercedes, BMW, Land Rover apresentaram alta redução de preços em seus modelos em 2013, o que consequentemente aumentou o numero de vendas do segmento.

Baixa no Mercado Fiat e VW

As marcas que mais produzem os carros ditos “populares” no Brasil, como a Fiat e VolksWagen tiveram redução em sua fatia de mercado. A Fiat terminou 2013 com 21,3% e a Volks com 18,6%,redução considerável se comparado a 2012 onde as empresas findaram o ano com participação de 23,6% 3 21,4% respectivamente.

Lançamentos

Todas as marcas buscaram sua evidencia em 2013 por meio de novos lançamentos.

Entre os novos modelos que vimos chegar nas concessionárias estão: Nissan Sentra com produção de 964 unidades/mês, VW Golf, produção de 1.970/mês, Renault Logan produção de 1.895 unidades/mês, C.Traker produção de 790 unidades/mês.

Despedidas de 2013

Alguns modelos abandonaram o cenário automobilístico em 2013, deixando saudades aos seus apreciadores. Entres os modelos que se foram em 2013 estão:

  • Ford Courier: a Pick-up teve seu lançamento em 1997 e saiu discretamente de cena em 2013, como resultado de suas baixas vendas.
  • Citroen C4 Pallas e C5: O C4 Pallas saiu de cena para dar espaço ao C4 Lounge. Já o C5 cedeu espaço a linha DS.
  • Fiat Mille, Kombi VW, G4 VW: Ambos os modelos sairam de linha em virtude de seu projeto mecânico que impedia a instalação de Airbag e ABS.


Toyota não aposta em veículos totalmente elétricos


Os veículos completamente elétricos já são uma realidade e empresas como a Tesla, que se especializaram em proporcionar o mesmo conforto e qualidade encontrados em veículos movidos à combustíveis comuns. No entanto, empresas como a Toyota ainda preferem apostar as suas fichas em veículos híbridos e nas células de hidrogênio ao invés da eletricidade como já faz o Model S, da Tesla.

Segundo o CEO da montadora japonesa, Takeshy Ushiyamada é necessário melhorar o estudo e as tecnologias utilizadas nas baterias atuais para torná-las viáveis na utilização com veículos. Ainda de acordo com o executivo, eles não apostam em veículos totalmente elétricos porque não acreditam que realmente exista um mercado para esse tipo de veículo atualmente.

Apesar disso, a Toyota tem investido na Tesla e acredita que os veículos híbridos são a melhor solução no momento. Recentemente, a empresa do Vale do Silício divulgou um balanço positivo pela primeira vez em 10 anos, o que mostra a aceitação de veículos totalmente elétricos.

Segundo Ushiyamada, o Prius é o veículo mais importante da Toyota para esse futuro. A empresa ainda diz que  planeja vender veículos movidos à células de hidrogênio por cerca de U$ 50.000 até o final de 2015. Esse tipo de célula gera energia elétrica através do hidrogênio e libera apenas água como subproduto, gerando uma série de benefícios ao meio ambiente.

Por Ebenézer Carvalho


China e Toyota na liderança no mercado de automóveis em março


O mês de março apontou que a China manteve a sua liderança para os maiores mercados mundiais do mês de março, mesmo com o seu crescimento sendo de 2,3% em comparação ao mesmo período do ano passado.

No caso do Brasil, o país está em sétimo no ranking e teve uma queda no mês e também no acumulado. Para os Estados Unidos, que estão na segunda posição, a alta foi de 12,7%. O Japão apresentou um crescimento bem considerável de 72,2% e fica com a terceira posição.

Ainda no mês de março, a Grã-Bretanha ficou com o quarto lugar devido a política pública de incentivo a troca de placas de automóveis antigos por modelos mais novos. No ranking ainda encontramos a Alemanha, em quinto, e a Índia, na sexta colocação.

Os pontos negativos do ranking foram alguns mercados europeus, como a Itália, França e Espanha, que tiveram queda acentuada.

Para as montadoras, a Toyota continua com a liderança de vendas com um crescimento de 30,6%. Na segunda posição aparece a Volkswagen, com aumento de 11,3%, seguida por Ford (-2,7%), Nissan (19,7%) e Chevrolet (9,1%).

A única montadora que teve queda foi a Fiat, devido a crise na Europa.


Bentley – Carros de Luxo – Abastecimento exclusivo de Etanol


A Bentley, marca de automóveis de luxo que pertence ao grupo Volkswagem, trará a partir deste mês de setembro ao Brasil, modelos que podem ser abastecidos com 100% de etanol.  Trata-se de algo muito comum dentro do segmento de carros populares, mas que ainda não havia chegado no grupo dos carros de luxo.

Toninho Abdalla, sócio da importadora oficial da Bentley no país, a British Cars do Brasil, não revelou números, mas disse que as vendas da marca utilizada pela rainha da Inglaterra estão ótimas no território brasileiro. 

Os veículos da Bentley possuem valores entre R$1 milhão e R$1,5 milhão e de acordo com Abdalla, o consumidores brasileiros da marca são específicos, que buscam a qualidade da mesma e as diversas opções de cores e combinações internas de seus automóveis.

Por Elizabeth Preático

Fonte: G1


Produção brasileira de carros sobe mas vendas caem


Um dos expoentes medidores da economia é o segmento de automóveis, participante direto do crescimento brasileiro nos últimos meses até março, quando o governo brasileiro decidiu isentar o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) a vários modelos de carros.

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) revelou em 8 de junho, terça-feira, expansão na produção brasileira de veículos, com alta de 6,6% em maio sobre abril, ou 309,6 mil unidades confeccionadas. Em relação ao quinto mês de 2009, indica a entidade, o crescimento foi de quase 15% no volume produzido pelas montadoras.

No acumulado entre janeiro e o mês passado são mais de 1,4 milhão de unidades produzidas, 20,7% a mais ante o período igual do ano passado. Embora essa constatação tenha cunho positivo, as vendas em maio abrangeram 251,1 mil veículos, baixa de 9,6% em relação a abril, mas acima em 1,7% sobre o mesmo mês de 2009.

Segundo a agência de notícias Reuters, a própria Anfavea já aguardava uma queda nas vendas devido à retirada da desoneração do IPI em março último, o que ocasionou compras antecipadas por parte dos consumidores.

Fonte: Reuters.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Tabela Fipe – preço de carros usados ainda caindo


Se o preço do carro novo sobe, o do usado acaba subindo, certo? Bom, é de se esperar, mas parece que o mercado não reagiu tão rápido assim.

Prova disso é que mesmo após o fim da isenção e o subsequente desconto do IPI sobre carros novos, a tabela Fipe de preços médios de carros ainda continua mostrando queda do preço do carro usado. Pesquisando o preço de vários carros usados de ano/modelo escolhidos aleatoriamente,é possível constatar que, em relação a janeiro deste ano, data em que ainda vigorava desconto no IPI, o preço do carro usado agora é mais baixo que naquela época para a grande maioria dos modelos.

Os números não parecem favorecer carros mais novos ou mais velhos nem de segmentos diferentes. Exemplo disso é que carros de diferentes segmentos e idades como S10 Pick-Up 2.4 2004 (código Fipe 004205-6), Strada Trekking 1.4 Cabine Estendida 2006 (001233-5) e Palio 1.0 Economy 4p 2010 (001267-0) são dos poucos que apresentaram valorização (verificada inclusive nos meses de abril e maio em relação a janeiro para estes modelos).

Por outro lado, não é difícil de encontrar modelos desvalorizados. De fato, quase todos apresentaram desvalorização. Alguns casos até chamam a atenção: o Vectra Elite 2.0 Automático 2008 baixou de R$ 52.664,00 em janeiro para R$ 50.269,00 em junho, uma queda de quase 5%. O Gol Power 1.6 2010 é outro que sofreu desvalorização severa, baixando de R$ 36.037,00 em janeiro para R$ 34.781,00 agora. Só de maio para junho, o carro perdeu R$ 500,00 em valor, pois valia R$ 35.281,00. A desvalorização acumulada no ano, para este modelo, é de quase 4%.

Vamos ver nos próximos meses se a Fipe registra aumento no preço de carros usados, algo que seria de se esperar já que os modelos novos estão mais caros. Parte desse fenômeno talvez seja o fato de que o preço dos carros não subiu muito com o fim do IPI, ficando abaixo da inflação.


Venda de veículos cai quase 10% em Maio


Já era esperado que fosse assim. Em Abril as vendas de automóveis no Brasil caíram (21,45%), e em Maio também (9,7%). A culpa é do fim da redução do IPI. É que no primeiro trimestre a procura foi muito maior porque os consumidores queriam aproveitar o imposto em baixa. Agora é natural que as coisas voltem ao normal.

Embora se esperasse que as vendas não caíssem tanto, não há motivo para alarde, nem há com o que se preocupar. A previsão é que a partir do segundo semestre as coisas melhorem e as vendas voltem a subir. Há ainda que se destaque a Copa do Mundo, pois o evento esportivo atrapalha a venda de veículos.

Mesmo assim, as vendas aumentaram quase 15 por cento de janeiro a maio, quando comparadas com o mesmo período do ano passado (embora o mês de maio tenha apresentado melhora de apenas 1,64% em relação ao mesmo mês de 2009). Mesmo que outros fabricantes tenham se aproximado, Fiat, Volks, GM e Ford ainda lideram o panorama de vendas.

Mais no Diário do Grande ABC.

Por Maximiliano da Rosa


Produção e venda de veículos em janeiro de 2010


Janeiro é tipicamente um mês fraco para vendas de veículos. E este não foi diferente. Foram 213,3 mil veículos licenciados, contra 293 mil em dezembro, uma queda de 27,2%.

Entre os veículos leves nacionais (entre os quais estão os carros), a queda foi maior, de 28,1%. O licenciamento foi de 158.925 unidades, contra 221.310 em dezembro de 2009. Entre os importados, a queda foi de 24,3%, de 56.505 para 42.776.

A produção, no entanto, se manteve estável: 240.519 veículos em dezembro contra 234.332 em janeiro. Os veículos leves representaram 226.540 e 219.743, respectivamente.

Veja as estatísticas aqui.


Carros mais vendidos do Brasil em 2009 segundo a Fenabrave


2009 começou macabro e acabou terminando bem, com 3.009.482 novos carros e comerciais leves vendidos, um aumento de 12,66% em relação a 2008 (só em dezembro o crescimento foi de 51,12%). No entanto, nem tudo são flores para a indústria automobilística, já que, no geral, a venda de veículos (incluindo caminhões, ônibus, motos, tratores e outros) caiu 0,13% em relação a 2008. A previsão é de aumento em todos os setores para 2010.

Confira os modelos mais vendidos, segundo a Fenabrave:

  1. VW Gol – 303.051
  2. Fiat Palio – 203.736
  3. Fiat Mille – 168.499
  4. Chevrolet Celta – 139.420
  5. Chevrolet Corsa – 138.010
  6. VW Fox/Crossfox – 129.199
  7. Fiat Siena – 116.058
  8. Fiat Strada – 89.968
  9. Ford Fiesta – 73.017
  10. Toyota Corolla – 54.599

Abeiva – venda de veículos importados sobe 4,5% em agosto de 2009


As vendas de veículos importados apresentaram crescimento de mais de 4% no mês de agosto em relação ao mês anterior. Foram 140 unidades vendidas a mais do que em julho, fechando o mês com um saldo de 3.211 carros comercializados. Apesar do aumento, o setor ainda revela queda de 9,2% nas vendas em relação ao mesmo período do ano passado.

A análise, apurada pela Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores (Abeiva), revela ainda que agosto apresentou uma pequena queda de 0,26% no total de veículos emplacados pelas importadoras associadas em comparação com agosto de 2008.

Nas vendas para concessionárias também foi registrado aumento em relação a julho, atingindo o índice de crescimento de 21,62%. O número de vendas no atacado, apesar de continuar em baixa com relação ao ano passado, chegou a 3.859 mil unidades.


As 50 picapes e utilitários mais vendidos do Brasil em agosto de 2009


Entre picapes e utilitários a Fiat Strada continua liderando com folga, vendendo mais que o dobro que o segundo colocado, a Chevrolet S10. O fato da S10 ainda ser a segunda colocada até revela, talvez, uma ineficiência no nicho de picapes leves que, embora tenham um público admirador grande com poder aquisitivo para comprá-las, encontram um mercado mal servidor com versões desatualizadas.

Mas isso está mudando. Como a Fiat mostrou com a Strada, é só investir que o público compra. A VW também já percebeu isso e, por este motivo, lançou a nova Saveiro com versões para o trabalho e mais esportivas. Isso deve mudar a configuração da tabela nos próximos meses.

Veja o ranking das picapes e utilitários mais vendidos em agosto de 2009

  1. Fiat Strada – 7413
  2. Chevrolet S10 – 3562
  3. Ford Ecosport – 3292
  4. VW Saveiro – 3109
  5. Chevrolet Montana – 3106
  6. Hyundai Tucson – 2621
  7. VW Kombi – 2459
  8. Toyota Hilux – 2216
  9. Fiat Fiorino – 1718
  10. Mitsubishi L200 – 1322
  11. Mitsubishi Pajero – 1058
  12. Hyundai HR – 1044
  13. Chevrolet Captiva – 899
  14. Fiat Ducato – 710
  15. Ford Ranger – 687
  16. Hyundai Santa Fé – 684
  17. Ford Courier – 634
  18. Nissan Frontier – 627
  19. Kia Sportage – 575
  20. Toyota Hilux SW4 – 482
  21. Kia K2500 – 389
  22. Suzuki Grand Vitara – 252
  23. Peugeot Boxer – 233
  24. Renault Master – 230
  25. Mercedes-Benz Sprinter – 211
  26. Iveco Daily 3514 – 201
  27. Land Rover Freelander – 175
  28. Hyundai Veracruz – 155
  29. Ford Edge – 151
  30. Ford F250 – 147
  31. Kia Sorento – 145
  32. Mitsubishi Outlander – 141
  33. Fiat Dobló – 137
  34. Volvo XC60 – 104
  35. Troler T4 – 103
  36. Citroen Jumper – 88
  37. Mercebes-Benz Sprint 311 – 87
  38. Honda CRV – 85
  39. Kia Mohave – 70
  40. Dodge RAM – 69
  41. Ford Transit – 69
  42. Ssangyong Actyon – 66
  43. Subaru Forester – 64
  44. Jeep Cherokee – 63
  45. Hafei Mini – 58
  46. Land Rover Range Rover – 58
  47. Chevrolet Blazer – 57
  48. Hafei Minivan – 57
  49. Mahindra Scorpio – 56
  50. Toyota Land Cruise – 55

Fonte: Fenabrave


Os 50 automóveis mais vendidos do Brasil em agosto de 2009


Mesmo com queda de 9,54% em relação a julho, o mercado parece estar voltando a uma situação normal, pré crise. Não houve grandes mudanças entre os 10 primeiros lugares, que continuam ocupados por carros populares, mais baratos.

Aparentemente, os lançamentos dos modelos 2010, tanto os que já aconteceram quanto os que estão por vir, estão causando um impacto no mercado. Note-se a queda do VW Fox, que será reestilizado em breve, de cerca de 20%; e o aumento das vendas do Astra, que subiram nada menos que 55% de um mês para outro.

  1. VW Gol – 25355
  2. Fiat Palio – 17182
  3. Fiat Uno – 13964
  4. Chevrolet Celta – 12781
  5. Chevrolet Corsa Sedan – 12741
  6. VW Fox/Crossfox – 10798
  7. Fiat Siena – 10689
  8. VW Voyage – 7989
  9. Ford Ka – 7888
  10. Chevrolet Prisma – 5233
  11. Honda Fit – 4629
  12. Ford Fiesta – 4625
  13. Renault Sandero – 4522
  14. Toyota Corolla – 3670
  15. Honda Civic – 3386
  16. VW Space Fox – 3030
  17. Chevrolet Astra – 2793
  18. Chevrolet Meriva – 2730
  19. Fiat Palio Weekend – 2716
  20. Renault Logan – 2595
  21. Fiat Idea – 2567
  22. Chevrolet Corsa – 2548
  23. Honda City – 2538
  24. Ford Fiesta Sedan – 2532
  25. Citroen C3 – 2177
  26. Peugeot 207 – 2122
  27. Fiat Punto – 1948
  28. VW Golf – 1851
  29. Chevrolet Vectra – 1839
  30. Peugeot 207 Sedan – 1558
  31. Citroen C4 Pallas – 1462
  32. Fiat Linea – 1342
  33. Ford Focus – 1294
  34. VW Polo Sedan – 1176
  35. Hyundai i30 – 1079
  36. Renault Clio – 1038
  37. VW Polo – 1018
  38. Chevrolet Vectra Hatch (GT/GTX) – 982
  39. Fiat Stilo – 885
  40. Ford Fusion – 756
  41. Citroen C4 – 739
  42. Chevrolet Zafira – 735
  43. Renault Symbol – 704
  44. Peugeot 307 – 696
  45. Nissan Livina – 622
  46. Hyundai Azera – 619
  47. Fiat Dobló – 571
  48. Ford Focus Sedan – 543
  49. VW Parati – 531
  50. Citroen Xsara Picasso – 492

Fonte: Fenabrave


Os 10 carros fora de linha mais vendidos de 2009 – ranking


Entre os carros mais vendidos do Brasil, nota-se nitidamente o vigor do Fusca, que é o 3° carro mais vendido do Brasil, englobando novos e usados, e do Escort, que é o 4°. Monza e Chevette também não fazem feio, estão entre os 10 mais vendidos do Brasil.
Veja o ranking, em unidades:
  1. VW Fusca – 106.907
  2. Ford Escort – 81.398
  3. Chevrolet Monza – 64.804
  4. Chevrolet Chevette – 52.906
  5. Chevrolet Kadett – 41.255
  6. Ford Pampa – 20.186
  7. Ford Del Rey – 19.230
  8. Fiat Tempra – 16.961
  9. Ford F-1000 – 16.199
  10. Chevrolet D-20 – 15.288

Fonte: G1


Carros mais vendidos do Brasil – julho de 2009


É começo de mês e, como não poderia deixar de ser, sai a lista dos carros mais vendidos no Brasil do mês anterior. Neste mês, o Gol continua disparado na liderença, com quase 10 mil carros a mais vendidos que o Palio, cerca de 1/3 a mais. Só que a Fiat tem o Mille, o 3° colocado. Palio e Mille juntos superam o Gol.

Entre os sedans pequenos, a liderença é mesmo da forte dupla Corsa Sedan/Classic, com mais de 3 mil unidades sobre o segundo colocado, o Siena. Problema para a Volkswagen, que aparece com seu Voyage em 3° no segmento, mas ainda assim bem na frente do Prisma.

Um destaque positivo é o Hyundai i30. Custando acima de R$ 50 mil, o carro recém lançado não é barato. Mas seu grande número de equipamentos atrai, e fez o carro passar das mil unidades vendidas, não muito longe do já veterano Astra, que tem versões hatch e sedan. Vamos ver se a redução de preço da linha 2010 do carro da Chevrolet ajuda o Astra a ganhar um pouco mais de terreno.

Confira a lista

  1. VW Gol – 27.507
  2. Fiat Palio – 18.652
  3. Fiat Mille – 16.173
  4. Chevrolet Corsa Sedan/Classic – 14.752
  5. Chevrolet Celta – 14.606
  6. Fiat Siena – 11.457
  7. VW Fox – 10.688
  8. VW Voyage – 8.559
  9. Ford Ka – 7.502
  10. Chevrolet Prisma – 5.691
  11. Ford Fiesta – 5.560
  12. Renault Sandero – 4.667
  13. Toyota Corolla – 4.555
  14. Honda Civic – 4.275
  15. Honda Fit – 4.138
  16. Chevrolet Meriva – 3.550
  17. Renault Logan – 3.433
  18. Fiat Palio Weekend – 3.367
  19. Ford Fiesta Sedan – 3.225
  20. Citröen C3 – 3.035
  21. Peugeot 207 – 3.033
  22. VW SpaceFox – 2.966
  23. Chevrolet Corsa – 2.914
  24. Fiat Idea – 2.582
  25. VW CrossFox – 2.550
  26. Fiat Punto – 2.298
  27. VW Golf – 2.184
  28. Peugeot 207 Sedan – 2.144
  29. Chevrolet Vectra – 2.055
  30. Chevrolet Astra – 1.796
  31. Fiat Linea – 1.487
  32. VW Polo Sedan – 1.415
  33. VW Polo – 1.414
  34. Hyundai i30 – 1.320
  35. Ford Focus – 1.306
  36. Citröen C4 hatch – 1.155
  37. Citröen C4 Pallas – 1.111
  38. Fiat Stilo – 1.104
  39. Chevrolet Vectra GT – 983
  40. Ford Focus Sedan – 810
  41. Ford Fusion – 799
  42. Chevrolet Zafira – 794
  43. Renault Symbol – 786
  44. Hyundai Azera – 774
  45. Renault Clio – 740
  46. Peugeot 207 SW – 712
  47. Renault Megane – 707
  48. Fiat Doblo – 703
  49. Peugeot 307 – 653
  50. VW Parati – 643

Carros Flex já são 90% dos modelos vendidos no país. Gasolina é combustível alternativo


Dados divulgados hoje pela Anfavea revelam que 89,8% dos veículos novos vendidos no Brasil no mês de junho são flex. E isso num mês de produção recorde. Foram nada menos que 260.208 unidades flex.

No 1° semestre de 2009, para se ter uma ideia, os Flex representaram 88,3% das vendas, ante 87,2% no mesmo período de 2008.

Embora controversos, os modelos Flex caíram no gosto do público, pela economia de combustível proporcionada. O baixo preço do álcool também foi grande atrativo, combustível que já representa 50% das vendas no país, transformando a velha gasolina em combustível alternativo.


Tata Nano, o carro mais barato do mundo, encalha nas vendas


Os indianos da Tata estão com as barbas de molho. O carro mais barato do mundo, o Tata Nano, simplesmente está com as vendas encalhadas. E foi logo a versão mais básica que não vendeu bem.

Não se entenda que foram poucas as unidades do Nano comercializadas, porém. O carro passou de 200 mil unidades vendidas. Mas equipamentos de luxo como ar condicionado, portacopos e outros itens “de luxo” fizeram uma grande diferença, mesmo que isso represente um aumento de até 40% em relação ao preço base de US$ 2,600.

Isso fez com o lucro líquido da Tata cair 50,7% em 1 ano, o que levou à revisão das estratégias de marketing da empresa, que ainda não anunciou o que fazer com as unidades encalhadas. Imagino que o carro tem apelo suficiente para passar por bom e barato, mas que a versão despojada foi básica demais até mesmo para um mercado como o indiano, acostumado a produtos baratos.


Auto Informe – tabela de preços de carros usados e novos, inflação do carro, etc


Além da tabela Fipe, uma dica para quem está comprando carros usados ou novos é consultar o site da Agência Auto Informe. O site traz umas tabelas bastante práticas para ver preços de carros. Na busca dos usados, por exemplo, você digita um modelo de carro e tem todas as cotações de preços para todas as versões, de vários anos para trás.

Além disso, o site traz uma seção denominada “Preço de Verdade” (não aparece no site, você pode ver as listagens de 2007,  2008 e 2009 clicando nos links desta página), que mostra o preço real, com ágio ou deságio, praticado pelas concessionárias, que costuma ser sempre diferente do preço de tabela da montadora; e uma seção denominada “Inflação do Carro” (2007, 2008 e 2009), que dão uma ideia sobre o aumento dos gastos relacionados à manutenção veicular.

Vale a visita: http://www.autoinforme.com.br/


Venda de carros usados tem pequeno aumento em março, segundo Assovesp/Sindiauto


A Assovesp/Sindiauto divulgou sua análise de mercado de carros usados para o mês de março. Houve um grande aumento nas vendas de carros financiados, mas a queda nas vendas à vista levou a um pequeno crescimento do mercado em geral, em comparação com fevereiro, um mês de 28 dias. Confira alguns números importantes:

Carros

  • Aumento de 3,35% nas vendas em relação a fevereiro
  • 77,8% dos negócios foram com carros populares (aumento de 1,54% em relação a fevereiro)
  • Financiamentos foram 73% das vendas, contra 66% em fevereiro
  • Desvalorização de 1,18% em média
    • Carros Flex +0,15%
    • Álcool -1,44%
    • Populares -1,64%
    • Importados -2,07%

Motos

  • Aumento de 0,86% nas vendas em relação a fevereiro
  • 58% das vendas foram financiadas, contra 64% em fevereiro
  • Desvalorização média de 2,14%

Caminhões

  • Aumento de 3,45% nas vendas
  • 53% dos negócios financiados, contra 56% em fevereiro
  • Desvalorização média de 0,99%

China ultrapassa EUA e é o maior mercado de carros do mundo


Após incentivos fiscais e subsídios do governo chinês, por três meses consecutivos a China bateu os EUA em venda de carros, tendo ultrapassado, em março, a incrível marca de 1 milhão de automóveis vendidos por mês. Tudo isso enquanto em terras americanas a indústria amarga uma queda de cerca de 40% nas vendas.

Com isso, os EUA fecharam o primeiro trimestre com apenas 2,2 milhões de carros vendidos, muito abaixo dos números que se costumavam ver naquele país. Já os chineses devem chegar perto das 3 milhões de unidades vendidas.

No entanto, o faturamento da indústria americana ainda é, certamente, maior. Em sua maioria, os carros chineses são simples, de menor custo. E a indústria local, focada nesses modelos, domina mais de 90% do mercado. Já nos EUA os mais vendidos são picapes e SUVs, normalmente acima de US$ 20,000.


Os 20 carros mais baratos do Brasil segundo a Tabela Fipe – março/2009


Confira quais são os 20 carros mais baratos do Brasil, no mês de março de 2009, de acordo com a Tabela Fipe (preços dos modelos mais básicos):

1º Effa Motors M100 – R$ 21.395,00

2º Fiat Mille – R$ 23.196,00

3º Chevrolet Celta – R$ 24.710,00

4º Fiat Palio Economy – R$ 25.643,00

5º Chevrolet Classic – R$ 26.010,00

6º VW Gol City Trend – R$ 26.458,00

7º Renault Clio – R$ 26.894,00

8º Ford Ka – R$ 27.418,00

9º Chevrolet Corsa Hatch – R$ 28.353,00

10º Peugeot 206 – R$ 29.279,00

11º Novo Gol – R$ 29.316,00

12º Renault Logan – R$ 29.426,00

13º Ford Courier – R$ 29.466,00

14º VW Fox – R$ 30.043,00

15º Chevrolet Prisma – R$ 30.148,00

16º Fiat Siena – R$ 30.324,00

17º Ford Fiesta – R$ 30.541,00

18º Renault Sandero – R$ 30.662,00

19º Chevrolet Montana – R$ 31.257,00

20º VW Voyage – R$ 31.277,00

Fonte: Invertia


Vendas de veículos usados tem pequena queda em fevereiro de 2009 – números


Abaixo, um pequeno resumo dos números divulgados pela Assovesp/Sindiauto, do estado de São Paulo, sobre o mercado de veículos usados (carros, motos e caminhões), no mês de fevereiro. Para ler a análise completa das entidades, clique aqui.

Carros

  • Vendas: 135.196 unidades comercializadas em fevereiro, contra 136.312 em janeiro. Queda de 0,82%
  • Carros populares: 79,2% dos negócios, aumento de 4,24% em comparação com janeiro
  • Desvalorização média: -2,19%
    • Populares: -1,26%
    • Importados: -2,75%
    • Álcool: -2,75%
    • Flex: -3,45%

Motos

  • Vendas: 7.217 unidades em fevereiro, contra 7.212 em janeiro. Aumento de 0,07%
  • Desvalorização média: -1,24%

Caminhões

  • Vendas: 3.220 unidades em fevereiro contra 3.182 em janeiro. Aumento de 1,19%
  • Desvalorização média: -1,31%

Assovesp/Sindiauto – estatísticas de vendas de carros, motos e caminhões usados em SP


Um bom lugar para se acompanhar como está, especificamente, o mercado de carros usados no estado de São Paulo, é o site conjunto da Assovesp (Associação dos Revendedores de Veículos Automotores no Estado de São Paulo) e da Sindiauto (Sindicato de Comércio Varejista de Veículos Usados do Estado de São Paulo). O endereço é http://www.assovesp.com.br/.

Todo começo de mês o site publica análises de  mercado, obtidos com os dados de suas revendas associadas, sempre comparando com o mês anterior.

E a análise é bem completa. Além de fazer comparações de vendas, ainda são reportados números como desvalorização média dos modelos, estatísticas de vendas por segmento (popular, flex, etc), dados como mercado de crédito e financiamento de veículos usados, além de traçar tendências de mercado.


Vendas de carros crescem 15,56% nos primeiros 15 dias de fevereiro


A lei da oferta e procura é algo que funciona sempre, em qualquer mercado de massa, como o de carros. Quando baixam os preços, é normal que a demanda aumente e foi exatamente isso que aconteceu no Brasil. Com a queda abrupta do preço dos carros, as vendas de automóveis novos cresceram respeitáveis 15,56% quando comparadas a janeiro (um mês que já foi melhor que dezembro, aliás).

Em comparação com fevereiro de 2008, o aumento também foi muito bom, de 7,4%.

De fato, o Brasil está passando muito bem pela crise. Os mercados dos EUA, Europa e Japão estão todos em queda, reflexo da perda do PIB daqueles países, que está com crescimento negativo até.