A CAOA irá comercializar no Brasil carros de luxo da Exeed. O primeiro a chegar aqui será o TX.

Os objetivos do Grupo Caoa estão bem além somente dos veículos Chery. O proprietário da CAOA, Carlos Alberto de Oliveira Andrade, já confirmou que irá comercializar os veículos da Exeed, uma divisão de luxo da marca chinesa, Chery. O primeiro carro deverá ser o modelo TX, um utilitário compacto de porte médio com motor híbrido e que terá seu lançamento realizado ainda este ano, na China.

Mauro Correia, presidente do grupo em questão, disse que irão lançar uma outra marca que se localiza abaixo do chapéu da marca chinesa Chery, referindo-se a Exeed. Informou que será um nome de muito alto luxo, com qualidade altíssima, tendo força para disputar espaço com BMW e Mercedes, por exemplo. O executivo também se faz entender que este lançamento iria acontecer no próximo ano. Disse também que a empresa já tinha antecipado o interesse na marca Exeed aqui no Brasil, depois de uma peça publicitária realizada com o veículo. Mauro citou também que os novos produtos comercializados pela empresa chinesa motivaram a compra da operação no Brasil.

Até agora, a divisão Exeed não iniciou suas operações de fato. Apenas fez a apresentação do conceito conhecido como TX no Salão do automóvel da cidade de Frankfurt, na Alemanha no ano de 2017 e o modelo LX, considerado um protótipo de um modelo SUV/cupê que se situa uma categoria abaixo do citado TX. É previsto que o Exeed TX estreie na China somente em 2019. O carro já se apresentou em uma versão de produção, assim como alguns sites já mostraram imagens. O carro foi desenvolvido dando foco para o mercado europeu, entretanto a estreia do mesmo lá pelo Velho Continente não deverá ocorrer antes do ano de 2020. Para o Grupo Caoa iniciar as vendas do modelo aqui no mercado brasileiro em 2019, a apresentação deverá acontecer até o segundo semestre.

O conceito TX é um utilitário esportivo com porte de médio para grande, onde possui 4,69 m de comprimento, de largura conta com 1,88 metros, sua altura é de 1,70 m e a distância entre-eixos atinge os 2,71 metros e é produzido sobre uma plataforma nova conhecida como M3X. Irá ser comercializado na China com uma motorização turbo de 1600 cc, com capacidade de produzir 197 cavalos de potência, já no mercado europeu haverá a versão híbrida, que é equipada também com um turbo, mas de 1500 cc e mais um motor elétrico, que combinados conseguem gerar uma potência de 218 cavalos. As duas motorizações fazem uso de um câmbio automatizado com dupla embreagem e sete velocidades, tendo tração em todas as rodas.

Ainda existem muitas coisas a serem decididas quando se trata do Exeed TX aqui no mercado brasileiro. Uma das dúvidas principais é a motorização que vão utilizar. O turbo de 1.6 litros para estar mais barato ou então a opção híbrida para se alinhar mais ao mercado europeu e fazer uso disso como um argumento de comercialização para um modelo SUV? O valor é um dos fatores mais importantes, visto que a empresa terá mais 4 crossovers disponíveis no mercado, sendo o Tiggo 2, o Tiggo 5x, o Tiggo 7 e, por fim, o Tiggo 8. Levando em consideração que o modelo Tiggo 5x, contará com valores flutuando de R$ 70 mil a R$ 90 mil, o modelo Tiggo 7 deverá variar de R$ 100 a R$ 120 mil, e o SUV Tiggo 8 terá um preço um pouco mais elevado que esses. Caso o TX seja posicionado numa categoria acima desses outros citados, seu preço pode atingir com tranquilidade a cifra de R$ 200 mil.

Por Filipe Silva

Exeed TX

Exeed TX


Os próximos meses ainda guardam muita novidade para lançamentos de carros no Brasil.

Apesar da crise em vários setores, muitos brasileiros esperam comprar seu carro zero quilômetro os próximos meses e muitas montadoras já estão preparando os lançamentos para o segundo semestre de 2018. Confira as novidades que estarão sendo oferecidas no mercado automotivo até o final deste ano.

Chevrolet Spin: o modelo passou por uma reestilização para se adaptar aos novos tempos, tentando ficar com um visual mais bonito e sofisticado, dando a impressão que é um modelo luxuoso e de fato ele tem muito a oferecer. O motor é o 'padrão Mercosul' e a versão aventureira Activ está sem aquele estepe exposto, reclamação que vinha sendo feita há muito tempo. A marca que agora pertence a General Motors espera garantir melhores vendas.

Chevrolet Spin 2019

Ka Freestyle: essa versão é inédita e é uma variante do estilo aventureiro, que chega ao mercado nacional custando R$ 67.990. O Ka foi o segundo modelo mais vendido na América Latina no primeiro semestre e a Ford quer ver as vendas aumentando até se aproximar do Onix, mas ainda está longe da primeira colocação. Toda linha do Ford modelo 2019 terá um novo visual e a marca espera alavancar as vendas.

Ford Ka Freestyle

JAC T5: mudou bastante o visual e até resolveu mudar também o nome, agora é T50, contando com muitas novidades. O motor é 1.6 duplo comando variável de válvulas. Por dentro, muito luxo, conforto e a segurança dos passageiros não foram deixados de lado, é um modelo para quem procura por um carro com estilo futurístico e muita potência.

JAC T50

Toyota Yaris: o hatch aos poucos vai ganhando espaço no mercado brasileiro e o consumidor que já adquiriu o seu tem feito muitos elogios. Já está disponível, mas a configuração sedan ainda está chegando em muitas lojas pelo Brasil. É um modelo que vale a pena conferir e claro, dar uma volta para ver como ele se comporta nas irregulares ruas brasileiras.

Toyota Yaris

Polo e Virtus: somente no terceiro trimestre deste ano é que a Volkswagen estará disponibilizando a inédita versão 1.6 MSI automática para esses dois modelos. Quem está pronto para comprar um carro novo deve esperar mais um pouco para antes avaliar estes dois veículos que são bonitos e estão com muitas novidades.

Volks Polo 2019

V60: a Volvo começa a entregar a mais nova versão de sua perua, que tem feito muito sucesso por aqui e passou por uma ligeira transformação, trazendo algumas novidades em sua versão única de acabamento que custa quase R$ 200 mil. É um preço alto para a maioria, mas este é um mercado que vem crescendo no Brasil e os mais exigentes poderão ver que o V60 não tem só preço, é um carro com linhas diferenciadas e que cumpre tudo que promete.

Volov V60

Gol e Voyage: até setembro a Volkswagen deverá apresentar o Gol e o Voyage 1.6 MSI que tem caixa automática convencional com 6 marchas, deixando de lado o antigo sistema automatizado chamado de monoembreagem i-Motion. O consumidor brasileiro já se mostra cansado da falta de novidades nestes dois modelos, mas espera que desta vez eles realmente tragam boas mudanças.

Voks Gol 2019

Audi A7: esse super carro está com uma nova geração e chega entre outubro e novembro no mercado nacional. O sedan-cupê da Audi está com muitas novidades, tecnologia de ponta e grande potência no motor. Deve ser lançado antes mesmo de aparecer no Salão. Esse é um modelo que atende os clientes mais exigentes e dispostos a pagarem mais por um carro neste estilo, que traga um bonito design, acabamento de qualidade no interior e muitas inovações tecnológicas.

Audi A7

Mitsubishi Pajero Sport: a nova geração do SUV é a nova aposta da marca para conquistar uma fatia maior no mercado brasileiro. Foram muitas testes, várias modificações e agora o modelo está pronto para ganhar as ruas, avenida e estradas brasileiras.

Mitsubishi Pajero Sport 2019

Por Russel


Governo lançará um projeto que beneficiará quem deseja comprar carros híbridos e elétricos no Brasil.

O presidente anunciará em breve um programa de incentivo ao setor automobilístico, que incentiva as pessoas a adquirirem carros híbridos e elétricos.

Esse projeto é um dos entraves de negociação sobre o livre comércio entre todo o Mercosul e também a União Europeia.

Porém, uma versão anterior do projeto já foi barrada na hora de sua votação, portanto há uma grande expectativa que dessa vez seja aprovado.

Todas as medidas preventivas foram tomadas para que o projeto dê certo desta vez.

Fazendo assim com que a renúncia dos tributos chegue a 1,5 bilhão de reais no período de quinze anos. Neste montante total estão englobados os impostos sobre todos os veículos híbridos e elétricos, como também de todas suas peças, abaixando de forma muito significativa os impostos sobre o veículo.

A política do programa não consiste em subsídios para os compradores em si, mas tem como foco principal trazer um certo interesse de investidores para que possam trazer para o Brasil essa tecnologia desenvolvendo novos produtos por aqui.

As regras serão praticamente as mesmas para as montadoras nacionais quanto para as internacionais igualando assim a disputa por mercado e encorajando ambas a investir pesado na produção desse tipo de automóveis.

Os créditos chegarão até 30% do valor nos veículos podendo assim abater no Imposto de Renda e na Contribuição Social.

Porém, quem descumprir as normas do projeto terá que desembolsar 20% do valor total de suas vendas, e essa regra serve tanto para as montadoras nacionais quanto para as importadoras.

Esse abatimento pode chegar a 40% se forem investidos nas áreas indicadas pelo governo.

Essa lista se estende a outros tipos de desenvolvimento na área assim como: nanotecnologia, big data, conectividade, motores a biocombustível e inteligência artificial os veículos autônomos.

Portanto, o governo espera que em breve nosso mercado automobilístico esteja completamente desenvolvido tecnologicamente, dando uma experiência de trânsito completamente diferente com a que temos no atual momento em nosso país.

Na parte das vendas, o governo tem desenvolvido um plano econômico também bem sugestivo abaixando o IPI e as alíquotas dos carros elétricos e híbridos.

As taxas variam de acordo com o peso do motor. Chegando a um IPI de até 7%, vale ressaltar que esse valor hoje é de 25%. Como podemos observar essa diferença será bem significativa.

Essa medida do governo também prevê um outro Programa, que regulará e alavancará de forma positiva o mercado de veículos elétricos e híbridos.

Medidas como desenvolvimento de postos de recarga já estão sendo trabalhados em todo país através de empresas privadas.

Até o ano passado o Brasil possuía um registro de aproximadamente três mil veículos elétricos ou híbridos. Portanto, com esses projetos governamentais, a estimativa é que esse número cresça de forma inimaginável até 2020, fazendo que quase toda população brasileira já tenha trocado seus carros por carros desta categoria. Contribuindo de forma totalmente positiva com a preservação do meio ambiente.

Como vimos há pouco tempo a greve dos caminhoneiros que parou o país, pelo motivo do preço de combustível, com certeza esse problema nunca mais existirá em nosso país se o governo conseguir realizar esses projetos com eficiência.

Vamos aguardar as novidades sobre o assunto, pois com certeza é o sonho de todo brasileiro poder carregar seu próprio carro em casa, tendo como custo apenas sua energia elétrica que já tem que ser paga todo mês mesmo.

Realizando viagens sem gastar valores absurdos com combustíveis, essa será uma realidade totalmente diferente com a que estamos acostumados a viver até hoje em nosso país.

Um dos maiores problemas econômicos que enfrentamos nos últimos anos é o valor do combustível, será que esse será o fim dessa luta contra as empresas petroleiras?

Por Ricardo Ferreira Rodrigues

Carro elétrico no Brasil


O veículo poderá chegar ao Brasil entre 8 e 18 de novembro do ano que vem sendo uma das apostas de presença confirmada no Salão do Automóvel em São Paulo.

A Jaguar nos presenteou com seu primogênito carro 100% elétrico (o primeiro da marca), o I-Pace, que chegará aos mercados automobilísticos e promete ser um concorrente forte para o Tesla Model X. As pessoas que deram origem a este carro garantem que ele tem a mesma qualidade e execução de um veículo esportivo, muito semelhante a um SUV, e que inclui em suas características uma tecnologia IA muito atual e procurada nos dias de hoje.

O carro, além de todas as outras qualidades, tem dois motores elétricos (localizado um no eixo da frente e o outro no de trás) que combinados, podem fazer a produção de até 400 CV de potência. Segundo o fabricante do carro ele tem autonomia de 480 km e pode chegar alcançar a velocidade de 0 a 100 km por hora em poucos segundos.

Outra coisa que chamou bastante atenção dos compradores é que além do carro ser automático o câmbio também é, sendo sua tração integral.

Para que os compradores interessados no I-Pace tenham uma ideia da potência que o carro pode chegar, a Jaguar publicou um vídeo onde mostra o novo modelo automobilístico. No vídeo, a marca coloca o carro ao lado de um Tesla Modelo X, e além do Jaguar conseguir ultrapassar o seu adversário com facilidade, ele ganha a disputa.

De acordo com a montadora, com carga de 100 kW, com uma contínua corrente, o veículo pode recuperar 80% da sua carga total em apenas meia hora a quarenta minutos. Com uma de 50 kW, o tempo para que a recarga seja feita seria de 1h e 25 minutos.

E para os curiosos, a bateria dessa máquina é de lítio-íon, com potência de 90 kWh, que está localizada bem abaixo do carro (entre os eixos) o que faz com que o peso seja bem distribuído.

Outra beldade desta máquina está localizada em suas chaves, pois traz uma tecnologia digna de parabéns. Cada chave em si é ligada ao motorista, e tem a capacidade de guardar posições do banco dianteiro, temperatura do ar condicionado, as favoritas estações de rádio do condutor, e fazer o cálculo de autonomia, levando em conta o modo em que cada condutor dirige o I-Pace.

Outra coisa a ser levada em conta sobre o veículo, é que ele é mais baixo e esteticamente mais largo que os outros Pace’s da Jaguar. A parte de cima tem uma leve inclinação, como nos SUVs cupê, e possui traseira reta enaltece a aerodinâmica, o que torna o carro inconfundível e elegante.

Na parte de dentro, se encontra um painel com Touch Pro Duo, onde será exibido todas as informações sobre o veículo, dentre elas, o desempenho do carro, consumo de combustível, além de outras funções do carro, facilitando muito mais o controle para o motorista. Também possui três telas digitais, que lembra fielmente o layout utilizado no Range Rover Velar (outro ótimo veículo).

O veículo poderá chegar ao Brasil entre 8 e 18 de novembro do ano que vem sendo uma das apostas de presença confirmada no salão do automóvel em São Paulo.

Para os amantes de carros interessados nessa belezura, deverá saber que ele foi lançado pelo preço de R$ 283.134, o que é um preço bem salgado, porém, quem adquiri-lo será recompensado pelo seu conforto e tecnologia.

Ele será vendido em quatro diferentes versões na Europa que são elas: S, SE, HSE, e First Edition.

Se quiser ficar por dentro de todas as novidades da Jaguar, e saber mais sobre o I-Pace acesse https://www.jaguarbrasil.com.br/jaguar-range/i-pace/index.html e saiba de tudo! No site você também pode montar seu próprio I-Pace.

Por Gabriel Pierini

Jaguar I-Pace


A tecnologia elétrica e híbrida em carros está ganhando cada vez mais espaço, e no Brasil não é diferente. Há vários modelos disponíveis no mercado e outros novos serão lançados em breve.

O Brasil está vivendo uma fase econômica de fragilidade e abusos de impostos. Os tempos estão mudando e para conseguir manter um padrão de vida razoável, além disso, ter um meio de transporte para suas necessidades está cada vez mais difícil.

Enquanto fazemos este artigo, a fase que estamos passando é a alta dos combustíveis, os bloqueios dos caminhoneiros nas estradas por causa do preço abusivo do diesel e a falta de entendimento entre governo e Petrobras.

Mas afinal, qual será a alternativa para os proprietários de veículos com valores tão altos dos combustíveis?

Neste texto vamos apresentar algumas soluções para este problema, que saber mais? Continue lendo e descubra quais meios você pode encontrar para driblar os gastos com combustíveis aqui no Brasil.

O futuro reserva novas alternativas

O ano de 2017 mostrou um crescimento na indústria de veículos com tecnologia mais avançada e já está na hora de começar a pensar em novos rumos para o transporte. O que o futuro reserva?

Simplesmente o futuro será dos carros híbridos e elétricos. Algumas pessoas não gostam desta alternativa e são céticos em relação a este assunto, acreditam que os combustíveis usados atualmente não serão substituídos por um longo prazo.

Mas os rumos estão direcionando para outros caminhos. O que mais intriga neste caso, é que o caminho que está se revelando é sem volta.

O ecossistema e o bolso das pessoas estão desejando esta mudança o quanto antes. Apesar do atraso que o Brasil está acostumado a direcionar seus projetos tecnológicos, podemos já visualizar acenos de mudança por parte de algumas autoridades e fabricantes para que o futuro seja um pouco melhor para os nossos filhos.

A esperança é que incentivos fiscais sejam realmente colocados em prática neste setor. Os carros híbridos e elétricos já estão disponíveis no Brasil e a seguir vamos listar alguns deles.

Híbridos e Elétricos

Apesar de serem poucos e ainda muito caros, estes modelos já estão disponíveis para venda aqui no Brasil. Para as pessoas que desejam ter um carro híbrido e estar um passo à frente dos demais, além disso, ser ecologicamente correto, encontrar um modelo não é uma tarefa tão fácil.

Como falamos anteriormente, os carros híbridos e elétricos não possuem muito incentivo, porém, o mercado está em uma tendência crescente.

O ano de 2017 foi uma referência muito boa para o setor, devido ao aumento das vendas até novembro 3 vezes maior do que os anos anteriores.

Estes modelos, aos poucos, estão ganhando visibilidade das pessoas, justamente, porque os valores dos combustíveis como gasolina e etanol estão ficando cada vez mais caros e inviabiliza o uso dos veículos no dia a dia.

Incentivo aquece as montadoras

Com a diminuição dos impostos sobre os carros ecológicos, as portas estão abertas para a importação de veículos de outros países e, além disso, os projetos nacionais recebem um novo impulso para sua produção aqui no país.

As montadoras que estão de olho neste novo mercado são Chevrolet, Nissan, Volkswagen, Toyota, Volvo, Renault e Hyundai.

Chevrolet

A Chevrolet está com previsão de trazer para as concessionárias o seu hatch elétrico o Chevrolet Bolt, que por sinal, já foi testado nas ruas brasileiras. Este modelo possui propulsor 100% eletrificado, com um sistema que promove mais autonomia para o veículo.

A montadora informa que o veículo possui 202 cv de potência e ainda não existe um preço determinado, porém, de acordo com os valores de venda dos Estados Unidos que são de US$ 38 mil, a estimativa é que seja vendido por aproximadamente R$ 120 mil aqui no Brasil.

Nissan

A Nissan já visualiza um futuro promissor para este mercado, ela já tem o hatch elétrico mais vendido no mundo. No Brasil já tem algumas unidades rodando cedido para alguns frotistas.

A previsão de desembarque é para 2019 e será apresentado em São Paulo no mês de outubro no Salão dos Automóveis.

O Nissan elétrico tem o nome de Leaf e nos EUA está sendo vendido por US$ 30 mil no Brasil deverá ser negociado a partir de R$ 94 mil

Volkswagen

A Volkswagen já possui o Golf GTI e para o próximo ano o e-Golf com preços acima de R$ 130 mil. O elétrico tem potência de 102 cv. O Golf GT possui motorização híbrida e o e-Golf é totalmente eletrificado.

As montadoras Toyota apresenta o sedan Prius Flex, a Volvo, o XC60 T8, a Renault, o Kwid e os seus elétricos que já estão presentes nas cidades do país que são Twizy e o Zoe.

A Hyundai traz o Ioniq, concorrente direto do Toyota Prius com três motorizações sendo híbrido, 100% elétrica e a plugin com propulsor a gasolina.

A tendência é o mercado dos veículos híbridos e elétricos esquentar o mercado a partir dos próximos anos e, portanto, fique atento a estas marcas de montadoras que citamos, a expectativa para os próximos anos é mais novidades deste setor.

Por Marcio Ferraz

Chevrolet Bolt no Brasil

Nissan Leaf


Renault pode lançar o primeiro carro elétrico popular do Brasil, o Kwid.

O popular carro elétrico fabricado pela Renault, o Kwid, está dando o que falar no mundo inteiro e o nosso Brasil também entrou na roda de conversas sobre o modelo elétrico já que o carro pode vir para o nosso país, ou como diria um dos maiores chefes da Renault para um jornal famoso dos Estados Unidos: "não há motivos para o Brasil não ter o carro elétrico". A Índia já confirmou que receberá o novo modelo da Renault, o qual está sendo testado na China.

Renault Kwid e sua evolução no mercado nacional e internacional

Você já deve conhecer este nome: o Kwid já chegou ao Brasil como um grande lançamento e agora mais uma informação está fazendo com quem já tinha matado a curiosidade em relação ao carro, detenha-a novamente. Tudo isso por conta da versão elétrica do Renault Kwid, que não é considerado apenas um carro, mas o primeiro popular elétrico, ou seja, sem motor a combustão.

Este modelo inovador já está sendo testado na China, o que foi dito em uma entrevista para um famoso jornal dos Estados Unidos, o Automotive News. O executivo da marca falou para o entrevistador que a versão elétrica do modelo Kwid já está em fase de testes, quando foi questionado sobre o comércio da versão elétrica no Brasil, ele respondeu "por que não?".

No Brasil, assim como na China modelos populares fazem mais sucesso

Na mesma entrevista o executivo falou sobre a compra e venda de automóveis elétricos no Brasil, e comparou o país com a China. Carlos Ghosn afirmou que não há gama de compra para carros elétricos como os que são oferecidos aqui no Brasil que possuem o preço muito alto (Nissan Leaf e Renault Fluence), o modelo da Renault Fluence equipado com motor de combustão está até mesmo se preparando para parar de fabricar e vender aqui no Brasil.

Durante a entrevista, o empreendedor falou para o jornal que a aliança de empresas responsável pelo projeto enviou para China um dos maiores e melhores engenheiros da equipe para trabalhar no projeto Kwid EV. O entrevistado comentou que já testou o carro e que é um belo modelo popular, com boa engenharia e um baixo custo surpreendente, ele afirmou que assim que o carro estiver pronto para fabricação estará pronto para também ser comercializado no Brasil, Índia e em países do Oriente Médio.

Quando a Renault irá disponibilizar o Kwid elétrico para compras brasileiras?

Em nota a fabricante disse não tem noção de qualquer data de finalização para o Kwid sem emissão, mas a empresa garante que tem modelos que não possuem motores a combustão prontos para colocar no mercado brasileiro. Os modelos elétricos que serão comercializados pela Renault são: o Twizy, o Master, e o Zoe.

Kwid no Brasil

A Renault está considerando o atual Kwid como o seu carro-chefe no território brasileiro, por ser um carro de preço muito baixo desde a prancheta até os dias de hoje, que já está sendo fabricado. O carro possui uma plataforma de produção compartilhada entre a Renault e a Datsun.

Este modelo teve que ser adaptado para o mercado brasileiro, itens como um reforço de aço e algumas peças também deste material foram acrescentadas para os compradores brasileiros. Cerca de 80% das peças do modelo Kwid do Brasil foram desenvolvidas justamente para o país. Mas, mesmo estando apenas 3 meses rodando na estrada brasileira, os automóveis deste modelo foram convocados para dois recalls na última terça-feira, dia 21 de novembro.

Comente sobre o carro! O que você achou sobre o modelo Kwid elétrico? A equipe quer saber!

Por David Ferreira

Renault Kwid


Modelo será lançado em março de 2018 e trará diversas novidades.

Recentemente, outra novidade foi anunciada por uma das mais famosas companhias automobilísticas do mundo. Um novo BMW, de título X2, tem previsão de lançamento confirmado no Brasil.

Esta marca está entre as que mais atraem consumidores por todo o planeta. Há mais ou menos um ano a empresa automobilística BMW apresentou, no tradicional Salão de São Paulo, o modelo X2 Concept. Bem sucedido. Entretanto, está chegando o momento de conhecer a versão definitiva do novo modelo intitulado SUV-Coupé, produzido pela marca, e que está posicionado entre o X1 e o X3, unido aos modelos X4 e X6, tornando-se, por isso, um elo nessa série quase totalmente inédita, produzida pela BMW. Embora muitos dos flagrantes sejam indicações suficientes de que o novo SUV seja apenas outra versão do padrão X1, o modelo definitivo vai surpreender, evidenciando que o mesmo vai muito além do anterior.

Portanto, o modelo novo, X2, impressiona pela conservação do design estrutural básico do conceito que lhe deu origem, sendo que, nesta mesma linha de produção, o veículo não apresenta o tipo de caimento na parte traseira, muito inclinada, tal como ocorre nas versões X4 e X6. Assim, o novo carro não está tão estreito em seu banco traseiro, sobretudo quando se trata dos mais altos, quanto as suas versões anteriores. Ou seja, na coluna C, a companhia BMW conseguiu homenagear os seus famosos coupés clássicos, já que imprimiu a logomarca da companhia na mesma, do modo como foi apresentado ao público em seu conceito.

De acordo com informações da própria BMW, o novo modelo X2 é um estilo SAC – Sports Activity Coupe. O porta-malas desta versão possui até 470 litros de capacidade. É um carro esportivo e para a família ao mesmo tempo.

A nova concepção no tocante ao design exterior oferece um tipo de estrutura mais atraente e segura, como, por exemplo, na forma dos para-choques e na grade dianteira, a qual foi mantida em seu formato duplo-rim, clássico e tradicional da BMW, porém, agora, reproduzido em tamanho um pouco maior. Na parte traseira estão as duplas lanternas e o aerofólio, elaborados em versão assinada por meio da divisão M, ou seja, a X2 M Sport, atrelados à saída em fase dupla do escapamento, levando em conta que cada uma dessas saídas tem 90 mm. Por conseguinte, a conclusão a que se pode chegar é que o novo veículo se distingue dos outros SUVs desta marca, embora compartilhe com os mesmos uma identidade na sua estrutura básica. Mesmo assim, não se trata de um “mini-X6”.

No que tange às medidas, suas dimensões, o X2 possui 4.360 mm em seu comprimento, 1.824 mm em sua largura e mais 1.526 mm em sua altura. Na distância entre os eixos possui 2.670 mm. São dimensões razoavelmente amplas. As rodas estão munidas de 17″ dentro da linda de pacotes da série, sendo de 19″ e 20″ disponíveis nos pacotes do M Sport.

Entre outros excelentes atributos está a função do seletor do modo de condução e também o sistema da suspensão adaptativa, sendo este último uma função opcional que auxilia na redução da altura em 10 mm. Em geral, os veículos da atualidade necessitam cada vez mais de conforto e segurança combinados com variados modelos e potências.

O novo modelo da BMW, X2, vai estrear para todo o mundo no mês de março de 2018. Nesse interim, a empresa BMW anunciou que o veículo prestes a sair estará equipado com um motor 2.0 turbo movido a gasolina, em 192 CV e 28,5 de KGFM de torque, ou, conforme a mesma companhia, potência de 2.0 turbo-diesel, com 190 ou 231 CV, sempre conectados no câmbio automático, munido de 7 marchas quando utiliza gasolina, e 8 marchas quando estiver funcionando com diesel. Aparelhado com tração integral de xDrive. Embora a empresa automobilística BMW tenha confirmado a estreia do X2 em território brasileiro, para 2018, ainda não há uma data exatamente definida.

Por Paulo Henrique dos Santos

BMW X2

BMW X2


Modelo chega ao país importado pela Direct Imports e custando cerca de R$ 289 mil.

A maior aposta de veículo “verde” da General Motors na América do Norte, o carro elétrico Bolt, da Chevrolet, não irá demorar muito para desembarcar de vez no Brasil.

A Direct Imports, uma importadora independente, trouxe ao país cinco unidades desse novo carro elétrico, o tão esperado Chevrolet Bolt. Os veículos foram trazidos diretamente dos Estados Unidos, tendo sido encomendados por um cliente da importadora e enviados para o estado do Rio de Janeiro. Cada unidade saiu pelo valor de R$ 289 mil, já estando inclusas todas as taxas adicionais de importação e impostos.

Esse modelo elétrico desenvolvido pela General Motors irá competir com outros modelos elétricos do mercado, como é o caso do Model 3, da Tesla.

O Bolt é um carro equipado com um motor elétrico que tem uma potência que equivale a 202 cv e 36,7 kgfm de torque. Esse carro vai de 0 a 100 quilômetros por hora em apenas 7 segundos. Sua bateria é de autonomia 60kW, o que pode garantir 383 quilômetros por carga, uma distância muito considerável.

No mercado dos Estados Unidos da América, o veículo pode ser encontrado pelo valor de US$ 37.495 (o que equivale a cerca de R$ 122 mil). Para o consumidor americano, o valor do modelo elétrico é semelhante ao de um Camaro SS cupê, que possui custo inicial de US$ 37.900.

Atualmente, o único veículo elétrico com importação oficial para o mercado do Brasil é o BMW i3. O valor inicial desse carro é de R$ 159.900, apresentando um motor elétrico cuja potência é igual a 170 cv e autonomia é de 160 quilômetros.

O Chevrolet Bolt tem 202 cavalos de potência, além de 10 airbags, um sistema de aviso anti-colisão, o alerta de pontos cegos e também freio automático para pedestres. Além disso, o veículo possui sistema de distribuição de frenagem e sistema de tração StabiliTrak. O dispositivo OnStar, que é uma plataforma conectada da GM, também consta como equipamento padrão, contudo, não está habilitado para funcionar no Brasil, somente o sistema de som têm ajustes para o país.

A garantia do veículo no Brasil não é coberta pela Chevrolet, porém, a Direct Imports, que possui sede em São Paulo e que tem um sistema de manutenção próprio realizado em parceria com duas oficinas de cidade, estuda essa cobertura.

Iris Gonçalves


Montadora anuncia o encerramento de suas atividades no país.

Não é novidade para ninguém que a crise financeira que começou em 2015 afetou todos os setores da economia e com o segmento de carros não poderia ser diferente. Com as marcas de luxo, o processo foi um pouco mais demorado, mas infelizmente o setor também sofreu grandes quedas nas vendas e desde ano passado, está sentindo os negativos efeitos desse cenário nada animador.

A bola da vez do segmento de veículos luxuosos foi a Aston Martin, que fechou sua única concessionária que ficava na cidade de São Paulo e encerrou de uma vez por todas a importação oficial do imponente e luxuoso modelo para o Brasil.

Presente em terras brasileiras desde 2010, os modelos da montadora são famosos por causa de alguns filmes de James Bond em que os carros apareciam nas cenas. Os modelos mais vistos na televisão pelos amantes da glamorosa marca e que vão deixar saudades eram DB5, Vantage, Vanquish, DB9 e por último, o DB11.

O empresário Sérgio Habib era o representante da Aston Martin no país, além de ser o representante da conhecida marca chinesa JAC MOTORS, que parece ir de vento de polpa nos negócios, pois os carros comercializados são infinitamente mais baratos se comparados com a marca inglesa.

Logo no ano de estreia, a Aston Martin vendeu apenas 18 carros e em 2011 foram 30 modelos emplacados. Já nos anos seguintes, o número de unidades vendidas foram de 13, 12 e 11, respectivamente. Segundo uma recente pesquisa divulgada pela Associação Brasileira da Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores ( Abeifa), a crise financeira foi o maior motivo da grande queda nas vendas em geral. Em 2015 foram vendidos apenas 3 unidades do carro e ano passado, apenas dois carros foram comercializados. Se comparada com montadoras de mesmo nível, como a Ferrari, que vendeu 21 carros somente ano passado, as vendas da Aston Martin foram um tremendo fiasco. Somente a conterrânea Rolls Royce perdeu o páreo para a Aston Martin no Brasil, pois vendeu apenas 1 carro em 2016. No total, foram vendidos apenas 89 modelos da Aston Martin no Brasil, que sai de cena definitivamente sem previsão de retorno.

Rodrigo Souza de Jesus


Modelo deverá ser apresentado esta semana no Salão de São Paulo 2016.

Com a proximidade do Salão do Automóvel de São Paulo, as grandes e renomadas fabricantes de veículos automotores do mundo já estão começando a divulgar as grandes atrações que serão apresentadas no evento a fim de chamar a atenção não só da imprensa nacional com também do maior número de consumidores. E com a Hyundai não ocorre de maneira diferente, haja vista que a empresa já anunciou oficialmente que o seu mais novo SUV, batizado com o nome de Creta, terá o seu lançamento feito na próxima terça-feira, dia 08 de novembro, durante o Salão de São Paulo.

Essa mais nova aposta da Hyundai em ternos de SUV chegará ao mercado nacional equipada om propulsores 1.6 e 2.0. A unidade da empresa escolhida para fazer a produção desse novo modelo foi a filial localizada na cidade de Piracicaba (SP), contudo, a empresa já salientou que a comercialização dessa grande novidade só irá iniciar no início do ano de 2017.

O motor utilizado no Creta contará com o sistema tecnológico de duplo comando variável de válvulas, o qual foi denominado (D-CVVT), o qual tem como principal função fazer a otimização do desempenho do propulsor não só em altas rotações como também em baixas. A versão disponibilizada com o motor 1.6 terá o mesmo propulsor do já conhecido HB20, porém, com o adicional desse novo recurso tecnológico.

Até o presente momento, a fabricante não fez a divulgação dos principais dados técnicos do veículo, tais como potência, torque dentre outros. Contudo, se formos comparar com o HB20, o propulsor 1.6 possui a capacidade de produzir uma potência máxima de 128 cavalos quando abastecido com álcool e de 122 cavalos quando abastecido com gasolina.

Como nesse primeiro momento algumas informações estão sendo mantidas como segredo, a fabricante optou por ainda não demonstrar oficialmente como será o desenho final do modelo que será comercializado aqui no Brasil, fato este que já está gerando bastante especulações.

Mesmo sendo um produto comercializado em âmbito global, a Hyundai garante que o modelo que será comercializado aqui no Brasil possuirá um design totalmente inovador. Em alguns mercados mundiais este modelo é conhecido como ix25, aqui no país o modelo chegará para fazer concorrência direta com alguns modelos renomados e de peso, tais como Jeep Renegade, Honda HR-V, Ford EcoSport, Nissan Kicks, Renault Duster, entre outros.

Maiores detalhes serão divulgados pela marca na estreia do modelo nesta semana no Salão do Automóvel de São Paulo.

Por Adriano Oliveira


Modelos serão fabricados na unidade de São José dos Pinhais (PR) e têm previsão de que as vendas sejam iniciadas em 2017.

De acordo com as informações divulgadas por Carlos Ghosn, o atual presidente do grupo Renault de fato a linha de “produtos” da companhia será implementada por aqui. Segundo as informações da marca francesa com atuação no Brasil os modelos que deverão se unir aos que já se encontram por aqui são o Kwid e o Captur. Nos dois casos as fabricações irão acontecer na unidade da companhia que se encontra situada na cidade de São José dos Pinhais.

E tem mais. De acordo com a própria fabricante além dos dois modelos citados anteriormente também está previsto o Koleos. Até o presente momento a informação é de que este modelo seja importado e que chegará ao mercado brasileiro com a função importante de entrar na briga entre os SUVs de porte maior e mais sofisticados.

Previsão de venda:

A estimativa dada pela marca é de que nos três casos que tratamos aqui o início das vendas comece no ano de 2017.

O que a Renault esperada com tudo isso?

Bom, para início de conversa as investidas da marca com foco em novos lançamentos têm um objetivo bastante claro: Ampliar, ou melhor, alcançar 10% da fatia do mercado. Ao menos é isso que espera Ghosn.

De acordo com os dados oficiais divulgados no momento atual a Renault conta com um percentual de 7,39% de participação. Com uma fatia de 10% vamos encontrar outra famosa, a Hyundai ocupando a quarta posição.

A montadora já informou a data para matar a curiosidade das pessoas. A previsão é de que os três modelos sejam apresentados oficialmente durante a realização do Salão do Automóvel de São Paulo. O evento ocorrerá no mês de novembro de 2016.

Conforme as informações dadas por Ghosn, o desenvolvimento do Kwid que já se encontra em plena venda na Índia e também do Captur tiveram uma “pitadinha” da América Latina já que as áreas de tecnologia e design daqui também participaram do projeto.

O presidente do grupo ainda destaca um ponto interessante nisso tudo. Ele considera que mesmo tendo havido uma queda significativa no mercado brasileiro em 2016 o fato acabou sendo contrabalanceado devido a um desenvolvimento fundamental que ocorreu em diversas regiões tais como na Europa, na África e na Índia.

Ghosn se mantém confiante nesse cenário todo e afirma que é muito provável que a marca consiga fechar o ano de 2016 com recorde nas vendas.

Bom, agora é esperar para ver o que realmente vai acontecer.

Por Denisson Soares

Renault Kwid e Captur


Porsche anuncia que irá assumir oficialmente as suas operações no Brasil. Decisão deve alavancar as vendas da marca no país.

Os proprietários e possíveis futuros compradores de carros de luxo agora podem contar com uma novidade importante no mundo automobilístico no Brasil. Tudo isso porque a Porsche anunciou que terá, ainda nesse ano, uma subsidiária da empresa para ativar seus negócios no país.

A empresa já tinha expressão e presença nacional, porém, era representada desde o ano de 1997 pela Stuttgart, o que muitas vezes não facilitava e não criava um canal direto do consumidor com a marca. Com a novidade, essa relação pode ser estreitada. Essa operação inclui a importação direta dos veículos da marca, além de uma estrutura completa de concessionárias oficiais e serviços de pós-venda.

De acordo com a própria Porsche, o Brasil é o primeiro país em toda a América Latina que receberá uma subsidiária direta da marca. Além do Brasil, a Porsche já tem presença em outros 18 países pelo mundo. Em terras brasileiras, a filial nacional terá sua sede em São Paulo, o maior mercado consumidor de carros de luxo no país.

Apesar desse desembarque da Porsche no Brasil, isso não significa que a Stuttgart será deixada de lado. O acordo é que a empresa será sócia da Porsche tanto no processo de instalação da marca, como na operação da subsidiária. A Stuttgart tem cinco concessionárias no território nacional. Com a novidade esse número deve crescer gradativamente e de forma significativa.

O desempenho da Porsche no Brasil no ano passado (2014) pode ser considerado muito bom para o mercado de luxo, sobretudo se considerarmos que o país não vem passando por uma boa estabilidade econômica. Em 2014, foram comercializadas 751 unidades dos veículos da Porsche no país.

Agora com a nova operação da montadora em território nacional, esse número deve crescer de forma expressiva, já que, além de tudo, o cliente contará com um canal direto de relacionamento com a marca.

Sobre a Porsche:

A Porsche é uma montadora de automóveis esportivos originária da Áustria. A montadora foi fundada no ano de 1931, por Wolfgang Porsche. Atualmente a empresa possui sede na cidade de Stuttgart (na Alemanha), conta com cerca de 17 mil empregados e tem um lucro anual de aproximadamente 2,44 bilhões de euros (valores registrados em 2012). Entre os modelos mais populares da Porsche estão o 911, o 918 Spyder, o Boxster, o Cayman, o Cayenne, o Panamera, entre outros. Para conhecer um pouco mais sobre a Porsche, acesse o site www.porsche.com.

Por Felipe Villares


Recentemente têm sido lançados muitos carros com motor turbo no país. Esses carros combinam eficiência e performance seguindo uma linha que pode ser chamada até de mais ecológica no mercado. Assim sendo faz-se importante conhecer o que há de acessível nesse mercado.

O mercado brasileiro começa com um turbo eficiente: o Fiat Punto T-Jet. O carro conta com um motor de 1.4 litros turbo, capaz de fornecer ao conjunto uma potência de razoáveis 152 cavalos e um torque de 21,1 kgfm. O carro está disponível no mercado brasileiro com valores a partir de R$ 65.330. O valor compensa. O carro é bonito e econômico.

Em segundo lugar podemos citar o Smart Fortwo 1.0 turbo. O carro segue essa linha compacta chinesa e como o próprio nome indica ele é feito para ser ocupado por apenas duas pessoas. O carro conta com uma potência de 84 cavalos e um torque de 12,2 kgfm e está disponível a partir de R$ 69.600. O carro é bem eficiente, porém pelo mesmo valor encontramos produtos de qualidade muito superior.

Em terceiro lugar temos um velho conhecido: Volkswagen Golf. Esse em específico pertence à linha Comfortline e conta com um motor de 1.4 litros TSI. O motor fornece ao automóvel uma potência de até 140 cavalos e um torque de 25,5 kgfm. O carro vem a partir de R$ 73.800. O Golf já tem uma base muito sólida no mercado brasileiro e está constantemente associado há uma boa qualidade no mercado. O carro tem boa resposta nas pistas e conta com um vantajoso e confortável espaço interno.

Em quarto lugar mais um carro da Fiat na linha T-jet. Estamos falando do Fiat Bravo T-Jet. O carro tem conquistado uma posição importante no mercado. Seu motor fornece ao conjunto uma potência de 152 cavalos e um torque de 21,1 kgfm e seus valores variam a partir dos R$ 74.672.

Em quinto lugar temos o francês Peugeot 308 com motor de 1.6 litros da linha Griffe THP. O motor impulsiona o carro com uma potência de 165 cavalos e um torque de 24,5 kgfm e está disponível em terras tupiniquins com valores a partir de R$ 76.990.

Por Nosf

Smart Fortwo Turbo

Volkswagen Golf

Fiat Bravo

Peugeot 308

Fotos: Divulgação


Um dos lançamentos da Toyota em 2015 é justamente a linha 2015 do sedan Camry. A versão reestilizada já se encontra disponível no mercado brasileiro. É importante destacar que esse modelo é importado do Japão. Um dos principais destaques dessa versão é quanto ao pacote visual que foi totalmente atualizado, bem como os novos equipamentos que até esta versão não apareciam no Camry. O preço sugerido do Toyota Camry 2015 é R$ 158.600.

A Toyota é uma das maiores empresas do mundo quando o assunto é a fabricação e comercialização de automóveis. De origem japonesa, essa é uma das maiores empresas em seu ramo de atuação. A Toyota também atua em território brasileiro, por isso, sempre está em busca de novidades para o mercado local, haja vista o mesmo ser bastante grande e muito competitivo.

O Camry 2015 que chega ao Brasil é um pouco diferente da versão norte-americana. No Brasil, o mesmo conta com novidades como, por exemplo, faróis redesenhados, grade com novos filetes, os para-choques possuem entrada de ar mais definidas e as rodas são de liga leve 17 polegadas. Além disso, um dos destaques é o novo desenho das lanternas, a remodelação do para-choque traseiro e o formato dos refletores, ambas as novidades deixaram o design bem mais arrojado.

A parte da cabine também conta com novidades como, por exemplo, o volante com novos comandos, controles de ar-condicionado revisados, quadro de instrumentos com novos grafismos e etc. O automóvel dispõe de uma excelente central de multimídia de sete polegadas que vem acompanhada de leitor de DVD e câmera de ré.

E para quem é fã da parte mecânica dos carros, saiba que o Camry 2015 não apresenta novidades neste aspecto. Foi mantido o motor 3.5 V6 de 277 cavalos de potência e 35,3 kgfm de torque máximo com transmissão automática de seis marchas.

Como já foi citado nesta matéria o automóvel já se encontra disponível para vendas no Brasil e seu preço sugerido é de R$ 158.600.

Por Bruno Henrique

Toyota Camry 2015

Toyota Camry 2015

Toyota Camry 2015

Fotos: Divulgação


O Renault Zoe ainda não tem previsão de ser fabricado no Brasil, mas já pode ser visto passeando em alguns lugares mais restritos onde passa por testes como é o caso do pátio da CPFL.  O veículo vem como a primeira fase do programa de mobilidade elétrica e como tal não emite gases poluentes. O objetivo do programa é muito claro criar os automóveis “verdes” que não degradem o meio ambiente com a mesma intensidade que os veículos movidos à combustão.

Os resultados dos testes tem demonstrado que a utilização de carros elétricos é cerca de 4 vezes mais barata do que o uso de um carro convencional. Estima-se que o valor do quilometro rodado com etanol custa ao motorista aproximadamente R$0,19 enquanto para um carro elétrico o custo de um quilômetro é de apenas R$ 0,05.

O carro tem autonomia de 210 km. O modesto motor elétrico pode fornecer uma potência ao conjunto de 88 cavalos e um torque de 22,4 kgfm e conta com um câmbio de duas marchas (para frente e para trás). O carro tem um bom arranque já que toda a energia do motor está disponível ao conjunto em tempo integral. A velocidade do carro pode atingir os 135 km/h.

O painel altamente tecnológico conta com uma tela  multimídia. É possível inclusive observar o sistema de regeneração das baterias funcionando. Quando o carro acelera forte o consumo de energia aumenta significativamente, quando o carro reduz a velocidade o sistema é regenerado. As baterias de íon-lítio podem ser recarregadas em tomadas de 220V durante aproximadamente nove horas, além é claro dos pontos de recarga “quick charge” que possuem voltagem bem maior. O carro é equilibrado e confortável contando com uma suspensão McPherson na dianteira e um eixo de torção na traseira.

O design não é inovador, mas chama atenção. O carro tem um visual quase futurista com poucas linhas e um formato mais arredondado.

Por Nosf

Renault Zoe

Renault Zoe

Renault Zoe

Fotos: Divulgação


É de conhecimento geral que os países do mundo inteiro vêm buscando alternativas sustentáveis, menos poluentes e de menor custo para serem utilizadas como propulsores de veículos automotores. No Brasil, onde não é diferente, há anos surgiu o etanol (popularmente conhecido álcool combustível), alternativa sustentável para substituir a famosa gasolina (que é derivada do petróleo), contudo, diante das inúmeras pesquisas relacionadas ao assunto, outras fontes de energia estão surgindo pelo mundo e as montadoras de veículos vêm fazendo as suas apostas em qual dessas opções irá revolucionar o mercado automotivo.

No Brasil, a última novidade nesse sentido foi a inserção de veículos movidos a eletricidade. Ter um carro movido à eletricidade é um ótimo negócio, haja vista que o carro elétrico não polui, é mais silencioso que os veículos movidos por outras fontes de energia, mais econômico, tem baixo custo de manutenção mecânica, além de ter impostos reduzidos em alguns estados do país.

Segundo dados da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), no mundo atualmente há cerca de 7 milhões veículos elétricos leves e pesados em circulação, enquanto no Brasil atualmente a frota desse tipo de veículo não passa de 3 mil carros, ou seja, apenas 0,04% do total da frota existente.

O grande atrativo para o consumidor adquirir um veículo elétrico no Brasil é o fator de que para se rodar com um veículo movido à etanol o consumidor gasta em média R$ 0,19 por quilômetro, já com um veículo movido à eletricidade o consumidor gasta apenas a quantia de R$ 0,05 por quilômetro.

No entanto, os obstáculos para os consumidores adquirirem esse tipo de veículo 100% elétrico no país ainda são enormes, porque esses carros tem um preço muito alto, sendo que as opções são bem escassas. Uma opção recém-lançada no mercado brasileiro foi o BMW i3, que custa cerca de R$ 226 mil. O outro obstáculo para aquisição desse tipo de carro é o fator de que no Brasil ainda não há infraestrutura e muito menos logística para que estes veículos sejam recarregados nos grandes centros urbanos.

Por Adriano Oliveira


Land Rover é uma marca inglesa tradicional na produção de SUVs e off-roads. A nova Range Rover Sport, veículo da marca, conta com uma redução de peso de aproximadamente 400 kg, um novo perfil aerodinâmico e um motor capaz de oferecer mais potência ao carro que as versões anteriores. A série Sport é apresentada com três tipos de motores diferentes: 5.0 Litros à gasolina V8; 3.0 litros a gasolina V6 e 3.0 litros a diesel V6. Todas as versões contam com uma caixa de câmbio automática ZF de oito marchas.

As versões brasileiras contam todas com cinco lugares, diferente das versões internacionais que tem espaço para até sete passageiros. O carro vem para concorrer com outros SUVs de luxo que já existem no mercado.

Entre os principais equipamentos de série podemos citar sistema Terrain Response, freios ABS controlados eletronicamente com distribuição eletrônica de força entre os eixos (EBD) e assistência adicional em emergências, controles elestrônicos de tração e estabilidade, assistentes para aclives e declives, rodas de 20 pol, ar-condicionado eletrônico com duas zonas de ajuste, sistema de áudio com potência de 380 watts, navegador e faróis com lâmpadas de xenônio e comutação automática conforme o tráfego em sentido oposto.

O motor conta com paradas e partidas automáticas e no V8 também contamos com um sistema dinâmico e pinças de freio Brembo na frente. A versão HSE conta com outros adicionais importantes que justificam perfeitamente o aumento no valor do carro como teto-solar, assistente de estacionamento sistema de áudio de alta potência, etc.

O carro em si é muito confortável e espaçoso. O conforto faz com que o condutor esqueça a potência do motor que é levado a pisar fundo no acelerador ouvindo assim o típico ronco do SUV. Apesar das formas interiores serem tradicionais dentroda marca isso não deve soar como uma negativa. Na Range Rover a tradição é muito bem vinda e acompanhada da certeza de boa qualidade no acabamento e nos detalhes que farão o carro mais bonito.


Não faz muito tempo se tornou obrigatório, no Brasil, a adoção pelas fabricantes no caso dos modelos vendidos aqui de freios com ABS e airbags frontais. Mas basta uma olhada mais atenta para perceber que mesmo com a evolução em termos de segurança ainda há uma grande diferença entre o “aqui” e o que é comercializado lá fora. Na realidade está mais para um grande abismo nesses termos de diferença.

Um dos exemplos que podemos facilmente citar é um equipamento. A título de curiosidade ele é um dos mais importantes quanto o assunto é evitar acidentes. Estamos tratando aqui do ESP. A sigla na língua inglesa para controle eletrônico de estabilidade.

Em resumo esse item é responsável por fazer o controle de diversas funções no carro. Um dos principais objetivos é evitar que o automóvel saia da pista em uma curva ou que frenagens erradas venham a acontecer dentre diversos outros aspectos. Para se entender melhor a ideia desse equipamento basta encará-lo com uma ajuda que minimiza os erros cometidos pelo motorista.

Não faz muito tempo o ESP só podia ser visto em carros de luxo. Entretanto, de uns tempos para cá esse equipamento passou a ser uma presença constante em modelos bem mais baratos e acessíveis. Entre os exemplos que podemos citar estão o Ford Ka, o VW Fox e o Saveiro.

Mas nem tudo é bom nessa história. Recentemente em uma pesquisa divulgada pela Cesvi (Centro de Experimentação e Segurança Viária), o item ainda é raridade por aqui.

A Cesvi fez uma análise levando em consideração 297 modelos que são oferecidos em terras brasileiras. Esses modelos somam um total de 940 versões.

Dos avaliados apenas um percentual de 47,8% é que contava com o ESP já como item de série. E ainda assim era mais do que visível a predominância do dispositivo nas marcas tidas como premium.

Em termos comparativos no caso dos segmentos uma fatia de 15% (compactos) contava com o aparelho. Em 85% nem sinal dele.

O jeito é aguardar para ver se no futuro a situação tenha uma mudança drástica.

Por Denisson A. Soares

ESP

Foto: Divulgação


A BMW iniciou as vendas no mercado brasileiro de mais dois novos modelos da linha Série 4: o 420i Cabrio e o 428i Gran Coupé. Com isso, além desses dois novos modelos, a família da Série 4 ainda conta com as versões 428i Cabrio, 425i Coupé, M4 Cabrio e M4 Coupé, ampliando o leque de opções aos clientes interessados neste tipo de veículo.

O 420i Cabrio tem preços que partem dos R$ 209.950, enquanto que o 428i Gran Coupé está disponível nas concessionárias da marca alemã por a partir de R$ 223.950.

Mantendo as mesmas características das outras versões da Série 4, o BMW 420i Cabrio dispõe de uma vasta lista de equipamentos de série, além de contar também com o pacote Sport Line que, entre outros itens, adiciona ao carro os bancos com revestimento em couro sintético Sensatec, acabamento em Pearl Dark e detalhes em Pearl Gloss Chrome, volante esportivo multifuncional revestido em couro e com Paddle Shifts integrados, saídas de ar no para-lama dianteiro e rodas de liga leve de 18 polegadas calçados com pneus com tecnologia Run Flat. Para completar, entre outros equipamentos, o modelo cabriolet ainda dispõe de freios ABS com EBD, controle eletrônico de estabilidade e tração, seis airbags, sistema de ar-condicionado digital dual-zone, sensor de estacionamento traseiro, sensor de chuva, faróis bi-xenon, sistema Start&Stop, controle de cruzeiro, sistema de som HiFi, bancos com regulagem elétrica, além da central multimídia que abrange diversas funções, como sistema de navegação via satélite (GPS).

Disponível em duas versões, a Sport (a partir de R$ 223.950) e a M Sport (a partir de R$ 239.950), o BMW 428i Gran Coupé segue a mesma linha de equipamentos de série das outras versões do carro, contando com uma vasta lista de itens de conforto e segurança.

Mecanicamente, ambos vem equipado com o motor quatro cilindros 2.0 TwinPower Turbo com turbo TwinScroll, Valvetronic, duplo comando de válvulas e injeção direta de combustível de alta pressão, contudo, o 420i Cabrio oferece 184 cv potência e torque de 27,5 kgfm, enquanto que o 428i Gran Coupé, por sua vez, foi configurado para entregar 245 cv e torque de 35,6 kgfm.

Dotados de tração traseira, ambos os modelos trazem acoplado ao bloco uma transmissão automática Steptronic com oito velocidades. De acordo com a BMW, a versão 420i Cabrio acelera de 0 a 100 km/h em 8,2 segundos, enquanto o 428i Gran Coupé faz a mesma aceleração em 6 segundos. 

Por Caio Polo

BMW 420i Cabrio

BMW 428i Gran Coup?

Fotos: Divulgação


Já faz um bom tempo que o principal mercado, a “princesinha dos olhos” da Fiat é o Brasil. Afinal de contas, é aqui onde a montadora mantém seu posto de líder absoluta. E esse é um dos principais motivos que levam otimismo para a fabricante e ao mesmo tempo faz com que ela permaneça preparada para não perder seu posto.

Para se ter uma ideia, mesmo que superficial da preocupação da Fiat, é só considerarmos o fato de que para o biênio 2015-2016 já existem lançamentos projetados. Ano que vem uma das marcas que mais vamos ver nesse setor é a Jeep que promete muita coisa e que a título de curiosidade já agora, finalzinho de 2014, faz uso dos números de desempenho da FCA. Ou seja, a Fiat Chrysler fazendo as somas das vendas da Fiat Chrysler, RAM, Dodge e Jeep.

Claro que o principal objetivo disso tudo é fazer com seja ampliada ainda mais a diferença entre suas principais rivais: General Motors, Ford e Volkswagen. Vale ressaltar que todas essas poderosas perderam participação no mercado. Entretanto, a manobra da montadora facilita e muito para a marca se manter com uma relativa folga na ponta com percentual de 21,3% de participação.

Vale chamar a atenção para outra questão: a implantação da nova unidade fabril em Goiana (PE). Por lá, a sua submarca Jeep irá predominar. As obras da fábrica já estão com uma conclusão de 90%. De quebra ainda terá o título, posto e seja lá mais do que for que a montadora quiser chamar de unidade mais avançada do grupo no mundo.

Com isso, fica estampando na cara o desejo da empresa de dar um importante passo para chegar até seu objetivo e se manter líder no nosso mercado.

O que a montadora vê são números. De acordo com alguns levantamentos feitos por ela mesma os dados apontam que em 20 anos o Brasil irá pular de 3,4 milhões de emplacamentos por ano para 7,5 milhões. Mercado crescendo e a Fiat se preparando.

Para tanto a Fiat planeja lançar até o final de 2016, ao menos é isso que os principais sites estão abordando com força, seis novos modelos. Já nos foi apresentado o Jeep Renegade. Entretanto, os outros cinco até o momento são apenas especulações. Dentre eles estariam o sedan Viaggio e os modelos luxuosos da linha Alfa Romeo.

Bom, é esperar para ver o que montadora anda preparando.

Por Denisson Soares

Jeep Renegade 2015

Fiat Viaggio 2015

Fotos: Divulgação


Recentemente a Fiat Chrysler (FCA) decidiu retomar as exportações de seus modelos brasileiros para o México. O fato não é algo aleatório. A companhia basicamente resolveu aproveitar o atual cenário que mostra certa melhora cambial em relação às vendas externas brasileiras e, claro, juntando-se a isso a problemática envolvendo o mercado interno. A notícia foi divulgada na última segunda, 15, pelo próprio presidente da companhia para a América Latina Cledorvino Belini.

Vale destacar um fator interessante: a decisão da montadora de retomar as exportações para o México acontece exatamente após uma “pausa” de três anos. De acordo com as informações que Belini deu aos jornalistas as exportações, ao menos por enquanto, vão envolver a picape Strada e o compacto Palio.

O Executivo lembrou também que em termos de exportações para o México a partir do Brasil no ano de 2010 a companhia conseguiu chegar ao patamar de 15 mil unidades. Já a estimativa para o câmbio do ano que vem é de R$ 2,80 por dólar.

Mais detalhes:

A Fiat Chrysler (FCA) anda em pleno vapor nos preparativos para a abertura de sua segunda fábrica de carros em terras brasileiras. A unidade ficará situada em Goiana no estado de Pernambuco. A expectativa é de que tudo já esteja em perfeito funcionamento em março de 2015. A Fiat também tem sua visão para 2015 esperando um ano de estabilidade no mercado nacional em comparação com  2014. Ressaltando que o ano que vem deve registrar a segunda queda anual em sequencia de vendas no mercado.

Beline também recorda um ponto bastante interessante: O fato de que ninguém andava esperando uma queda tão grande no mercado em 2014. Mas de acordo com ele, mesmo com tantos “contras” o mercado brasileiro continua a ser um grande terreno para se trabalhar.

A expectativa é de que além de uma estabilidade melhor, 2015 também traga em seu segundo semestre um cenário mais agradável devido aos ajustes econômicos que estão por vir. Mas fica a lembrança que essa parte é por conta do governo e da equipe escolhida por ele para trabalhar na área.

Por Denisson Soares

Fiat Palio

Fiat Strada

Fotos: Divulgação


No início desta semana, a Fiat anunciou que vai retomar as suas exportações do Brasil diretamente para o mercado do México, isso a partir de 2015.

As informações foram dadas pelo presidente da Fiat Chrysler Automobiles (FCA), Cledorvino Belini, para a a agência Reuters.

A negociação se dá depois de três anos sem qualquer tipo de exportação. Isso se deve a melhoria cambial para as exportações e também as dificuldades sobre o mercado interno.

Segundo Belini, entre os veículos que serão vendiso para o mercado do México, estão a picape Strada e o Palio.

A Fiat é um dos maiores fabricantes de automóveis de todo o mundo, sendo que a sua sede fica em Turim, na Itália.

A Fiat Automobiles S.p.A teve a sua formação em janeiro de 2007, momento em que a Fiat fez a reorganização dos seus negócios automotivos.

O primeiro Fiat produzido foi no ano de 1899.

fiat-brasil-mexico


O Chevrolet Camaro é um carro que ganhou muita visibilidade no Brasil nos últimos anos. É um Muscle de luxo que concorre diretamente com o Dodge Challenger e o Ford Mustang.

O carro é um esportivo lindo, com linhas tradicionalmente agressivas e aerodinâmicas e potência para piloto nenhum botar defeito. Recentemente algumas músicas falando do carro aumentaram sua popularidade no Brasil e ocupa o primeiro lugar no mercado de esportivos do território nacional. Em 2014 foram emplacadas 382 unidades do Camaro, muito a frente dos outros esportivos como a BMW Z4 e a Mercedes SLK que emplacaram 168 unidades cada. Agora a GM trouxe uma novidade: uma versão inédita no país, conversível com valor de R$ 239.900. A versão promete expandir ainda mais o mercado já dominado pelo carro no país. A Chevrolet já afirmou que espera vender pelo menos 100 unidades nesse primeiro ano em terras tupiniquins.

A versão não sofreu grandes mudanças significativas em relação ao Chevrolet Camaro originalmente vendido aqui a partir de 2010. A principal diferença como já foi dito está no teto conversível. A nova capota de lona foi desenvolvida em parceria com a Corvette, marca conhecida pelo grande sucesso no mundo dos esportivos. A capota é recolhida eletricamente, mas precisa ser destravada por uma alça que fica acima do espelho retrovisor. O método soa um pouco antiquado para a modernidade do carro, exige certa força e um pouco de habilidade, sendo difícil de usar nas primeiras vezes. A capota é recolhida e guardada no porta-malas junto com o vidro traseiro. Não é possível recolher a capota em trânsito e nem colocá-la de volta, uma trava de segurança só permite que o mecanismo seja ativado com o câmbio na posição “P”.

O motor é um Small Block de 6.2 litros V8, capaz de gerar ao carro uma potência de 406 cavalos. A versão nacional será exclusivamente com câmbio automático de seis velocidades o que é um pecado para os amantes da velocidade.

Por Nosf

Chevrolet Camaro convers?vel

Chevrolet Camaro convers?vel

Chevrolet Camaro convers?vel

Chevrolet Camaro convers?vel

Chevrolet Camaro convers?vel

Fotos: Divulgação

 


A Mercedes-Benz, famosa montadora alemã, mostra ao mundo o seu mais novo lançamento: O Mercedes C 250, que é a concorrente direta do BMW 328i. O fato de os dois carros começarem a ser produzidos no Brasil já chama a atenção de muitas pessoas que sonham em ter um carrão executivo de luxo alemão, mesmo que ele seja fabricado no Brasil. Devido ao fato de ser montado por aqui, as taxas de impostos tendem a diminuir e o veículo, consequentemente, passa a ter um preço mais acessível ao comprador brasileiro. São dois carros incríveis que dão show em desempenho, luxo, esportividade, beleza e design.

Contudo, nessa matéria, procuraremos nos ater nos detalhes do C 250 que é, por enquanto, o modelo mais caro dos sedans de entrada da Mercedes-Benz no Brasil.

O C 250 possui um motor 2.0 turbo com 211 cv de potência máxima e câmbio automático de sete marchas. O design é arrojado.

O carro na cor branca surpreende por sua beleza. Ele não se limita a um sedan esportivo de luxo com grandes proporções de tamanho. É mais do que isso, um veículo com grande tecnologia.

O carro possui grande potência no motor. Em apenas 6,9 segundos conseguiu atingir a marca de 100Km/h.

Além disso, a dirigibilidade está melhor. O carro possui um setup de comando do motor. Além disso, o câmbio pode ser ajustado para melhor se ajustar ao modo de dirigir do motorista.

Uma das novidades da Mercedes C 250 é a direção elétrica variável que muda o número de voltas do volante conforme a velocidade que o carro possui na hora das curvas.

Apesar do motorzão o C 250 não decepcionará o comprador na hora do consumo. O ciclo na cidade é de 10,2 Km/l e na estrada é de 14,3 Km/l. Os valores são bons, haja vista o tamanho do veículo e potência do motor.

O carro impressiona nos mais variados aspectos.

Por Daniel Alves

Mercedes-Benz C 250

Mercedes-Benz C 250

Mercedes-Benz C 250

Fotos: Divulgação


Tradicionalmente oferecido para a linha “200”, como ocorreu no 206 e 207, a Peugeot lançou no mercado brasileiro a nova edição limitada Quiksilver para o 308. Resultado da parceria entre a marca francesa de automóveis e a fabricante australiana que produz roupas, acessórios e equipamentos para praticantes de surf, skate, esqui e snowboard, a configuração especial vem com o motor 1.6 e tem como diferenciais o apelo esportivo, além de alguns detalhes de acabamento e visuais exclusivos. A versão Quiksilver terá apenas 600 unidades, com preço sugerido de R$ 63.190.

Entre os detalhes que deixam a edição limitada diferenciada estão o retrovisor externo na cor preta, o volante revestido em couro com base achatada, logotipo da Quiksilver presente nas portas, na tampa do porta-malas, nos tapetes e nos bancos, além de ter a carroceria pintada exclusivamente na cor Branco Banquise. Com relação aos equipamentos de série, entre outros, o 308 Quiksilver vem com airbag duplo, freios ABS com EBD, teto panorâmico de vidro, sistema de ar-condicionado digital dual-zone, sistema de som com conexão Bluetooth faróis com máscara negra, luzes diurnas de posição compostas por LEDs e rodas de liga leve de 17 polegadas escurecidas.

Baseado na versão Active 1.6, o Peugeot 308 Quiksilver traz sob o capô o motor 1.6 16V com tecnologia FlexStart, que dispensa o uso de tanquinho para partidas a frio, capaz de entregar até 122 cv de potência e torque de 16,4 kgfm. Trabalhando em conjunto com o bloco 1.6 está um câmbio manual com cinco marchas. A adoção do propulsor 1.6 16V de 122 cv ao invés do bloco 2.0 com 151 cv ou do 1.6 THP de 165 cv pode ter sido feita para não deixar a edição limitada absurdamente cara, que afugentaria o público alvo do carro: os jovens. Portanto, mesmo não sendo o motor mais potente disponível para o hatchback, o bloco é suficiente para deixar o carro divertido e interessante.

Além do hatchback médio, o 208 também irá ganhar a série Quiksilver em breve, trazendo alguns equipamentos e detalhes estéticos diferenciados para atrair o público jovem e deixar o carro ainda mais divertido, assim como foi feito com o 308.

Por Caio Polo

Peugeot 308 Quiksilver

Peugeot 308 Quiksilver

Peugeot 308 Quiksilver

Fotos: Divulgação


A Peugeot aposta no seu mais novo lançamento no mercado brasileiro, o Peugeot 2008, para tentar reverter sua queda em vendas, que se verifica nos últimos 4 anos no mercado nacional. Apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo, ocorrido entre os dias 31 de outubro e 9 de novembro de 2014, a versão nacional do crossover começa a ser produzida em Porto Real (RJ), e terá a missão de recuperar a marca Peugeot no mercado nacional.

O modelo apresenta novidades, como o motor 1.6 THP flex de 173 cv, o mesmo do Citroen C4 Lounge. O modelo será equipado com câmbio manual de 6 marchas e opção de câmbio automático. Não foram divulgadas estimativas de preço, o que ocorrerá no lançamento do veículo previsto para o início do ano que vem.

O Peugeot 2008 será fabricado na mesma plataforma do hatch 208, terá 4,15 metros de comprimento, 1,74 metro de largura, 1,55 metro de altura e 2,53 metros entre-eixos. Além da mesma plataforma o SUV divide com o hatch o interior, que ainda não foi apresentado pela Peugeot. No entanto ela informou que o 2008 será equipado com volante menor, e painel de instrumentos acima da direção, evitando que o motorista não precise desviar sua atenção na estrada, como acontece com o hatch 208.

O Brasil deverá ser o terceiro país a produzir o Peugeot 2008, atrás apenas da França e da China. Lançado há um ano e meio na Europa, o modelo já ultrapassou as 200 mil unidades vendidas. Mas as expectativas no mercado brasileiro não são das mais animadoras, porque além das estrelas já conhecidas como o Ford EcoSport e o Renault Duster, outras ainda estão por vir depois de agitar o Salão do Automóvel de São Paulo, como o Jeep Renegade, Honda H-RV, JAV T5 e T6 entre outros. A Nissan também exibiu um novo veículo conceito, para entrar neste tão disputado mercado.

A Peugeot vem amargando quedas contínuas de vendas no mercado brasileiro desde 2010, quando vendeu 81 mil veículos, o que correspondia a 3% do mercado brasileiro, e desde então vem caindo ano após ano. Naquele ano ainda, era a 7ª maior emplacadora de veículos, e neste ano está na 11ª posição com 28,6 mil veículos vendidos, o que corresponde a 1,8% de participação.

Por Russel Hernandes

Peugeot 2008

Peugeot 2008

Peugeot 2008

Peugeot 2008

Fotos: Divulgação


O mercado automobilístico brasileiro é bastante disputado, haja vista o grande número de consumidores no Brasil. Vale ressaltar que muitas montadoras já estão instaladas no país, seja atuando apenas na comercialização ou até mesmo na montagem aqui no Brasil. Por esses e outros motivos esse ramo é bastante badalado em todo o território nacional. Dessa forma, o consumidor pode acompanhar vários lançamentos e atualizações de linhas completas todos os anos.

 E para aqueles que estão em busca de novidades no mercado, saibam que após a apresentação pública do CrossFox 2015 no Salão do Automóvel a Volkswagen lançou o mesmo comercialmente. Este modelo já se encontra à venda nas concessionárias da montadora em todo o país. Os preços começam a partir de R$ 57.990 com o automóvel equipado com câmbio manual e varia até R$ 61.180 com a versão com transmissão automatizada i-Motion. Além disso, vale destacar que este compacto também vem acompanhado das atualizações que foram sofridas pelo Fox e SpaceFox.

E dentre as principais mudanças no CrossFox 2015, as mesmas são aquelas presentes no Fox e podemos destacar: faróis redesenhados, lanternas com novo formato e para-choques remodelados. Mas além das novidades já conhecidas pelo público, o CrossFox 2015 também conta com exclusividades como, por exemplo, a moldura plástica nas caixas de roda que dão um reforço ainda maior para o design aventureiro desse automóvel. Outras novidades exclusivas são: retrovisores com pintura prateada, faróis auxiliares com tripla função (dispõe de luz de conversão estática, luz de neblina e de longo alcance), rack de teto além do conhecido estepe na tampa do porta-malas.

O grande destaque da parte mecânica é o novo motor: trata-se de um motor 1.6 MSI 16V. Para você que curte velocidade, saiba que esse motor possui nada menos que 120 cavalos de potência a 5.750 rpm quando o mesmo é abastecido com etanol e 110 cavalos na mesma rotação citada quando abastecido com gasolina. Como citado no início desta matéria existe duas opções de câmbio: manual de seis marchas ou automatizado i-Motion.

Por Bruno Henrique

Volkswagen CrossFox 2015

Volkswagen CrossFox 2015

Volkswagen CrossFox 2015

Fotos: Divulgação


O mercado automobilístico brasileiro é extremamente concorrido, haja vista o grande número de montadoras que atuam no mercado nacional, seja na montagem e venda ou até mesmo apenas com as vendas. E devido a essa grande concorrência que as marcas sempre estão em busca de algo novo para seus clientes, dessa forma, é possível acompanhar o lançamento de novas linhas, bem como modelos sendo atualizados e etc.

E se você é apaixonado por carros e gosta muito de velocidade e esportividade em seu automóvel, saiba que a Mini anunciou recente a chegada do Mini Cooper S em edição limitada com câmbio manual. Vale destacar que este é um dos automóveis mais procurados no mundo. O mesmo dispõe de um design bastante arrojado e muito moderno, o que chama a atenção de muitas pessoas. Até então o automóvel só tinha sido disponibilizado pela montadora na versão de transmissão automática.

Vale ressaltar que esta é uma série limitada de apenas 100 unidades que chegam ao mercado brasileiro. E caso esteja interessado neste automóvel, saiba que o mesmo conta com os seguintes itens de série: ar-condicionado automático de duas zonas com regulagem independente para motorista e passageiro, sistema multimídia com tela de 6,5 polegadas, volante em couro e acompanhado de controle, rodas de 17 polegadas, lanternas e faróis de milha em LED além de teto em cor contrastante.

E para aqueles que amam a parte mecânica dos automóveis, saibam que o Mini Cooper S série limitada com câmbio manual vem equipado com motor 2.0 TwinTurbo de 192 cavalos de potência além de 28,6 kgfm de torque, ambos também fazem parte da versão automática. Segundo os fabricantes o automóvel pode ir de 0 a 100 km/h em apenas 6,8 segundos, o mesmo dispõe de aceleração máxima de 235 km/h.

Logo abaixo é possível conferir os preços dessa versão, incluindo a versão automática:

– Mini Cooper 1.5 ( automático): R$ 89.950;

– Mini Cooper S 2.0 (manual): R$ 99.950;

– Mini Cooper S 2.0 (automático): R$ 107.950;

– Mini Cooper S 2.0 TOP (automático): R$ 129.950.

Por Bruno Henrique

Mini Cooper S

Mini Cooper S

Mini Cooper S

Fotos: Divulgação


Foi-se o tempo em que as pessoas se satisfaziam em ter veículos que tinham apenas um objetivo: transporte. Hoje, o público alvo está cada vez mais exigente no quesito, economia, autonomia, design, conforto, segurança.

Esse público está cada vez mais apaixonado pelas verdadeiras máquinas que as marcas têm produzido. Quem é que não gosta de andar em um carro seguro, que tem airbag, freios com ABS? Quem é que não gosta de conforto, como ar condicionado, massageador no banco, retrovisores com rebatimento automático de luz alta? Quem é que não gosta de um design exclusivo, detalhes cromados, acabamentos diferenciados? Sentir-se exclusivo e especial, isso foi atingido pelos compradores de automóveis!

E ainda mais, quem não gostaria de tudo isso em um preço que esteja dentro das nossas reais possibilidades? Até mesmo marcas mais populares como Fiat, Volks não resistiram aos encantos de um luxo daqui, um mimo dali. Por mais que as fiscalizações exijam que os carros se adaptem, todos aos itens de segurança que já devem vir de série, e se tornam obrigatórios aos veículos, muitas concessionárias já entenderam que, o que brasileiro quer realmente é conforto e segurança.

Marcas consagradas como veículos de luxo, Citroen, Peugeot, já são adquiridas por diversos consumidores que já entendem que não é somente luxo, e sim conforto!

E para quem era fã da marca Audi e sentiu que ela deu uma dispersada, há rumores de que em 2015 ela alavanque suas vendas no Brasil em 25%, aumentando o número de lojas e investindo agressivamente em marketing.

Não discordaremos que os carros da marca Audi são lindos e apaixonantes, agora só resta saber se eles irão tornar acessível o poder de compra para um maior número de consumidores. Estamos aguardando ansiosamente os lançamentos! E vamos torcer para que a nova linha de veículos não venha só de arrasar no modelo, mas que adaptem os preços às reais necessidades do povo brasileiro.

Por Luciana Viturino

Carros seguros e confort?veis

Foto: Divulgação


Você já se perguntou como está o mercado automobilístico no Brasil? Já verificou como estão as concessionárias que trabalham com vendas de carros novos e seminovos? Foi-se o tempo em que as pessoas se satisfaziam em ter veículos que tinham apenas um objetivo: transporte. Hoje os usuários de todas as marcas estão cada vez mais exigentes nos quesitos economia, autonomia, design, conforto, etc.

Esse público está cada vez mais apaixonado pelas verdadeiras máquinas que as marcas têm produzido. Até mesmo marcas mais populares como Fiat, Volks não resistiram aos encantos de um luxo daqui, um mimo dali. Por mais que as fiscalizações exijam que os carros se adaptem a todos aos itens de segurança que já devem vir de série e se tornam obrigatórios aos veículos, muitas concessionárias já entenderam que, o que o brasileiro quer realmente é conforto.

Marcas consagradas como veículos de luxo, Citroen, Peugeot, já são adquiridas por diversos consumidores que já entendem que não é somente luxo, e sim, conforto! Como é bom ter um carro e não precisar ficar horas a fio no trânsito para se deslocar ao trabalho ou então, ter de voltar da casa de parentes ou amigos, mais cedo nos finais de semana pelo fato de não possuir um carro.

Desta forma, quem era fã da marca Audi e sentiu que ela deu uma dispersada, há rumores de que em 2015 ela alavanque suas vendas no Brasil em 25%, aumentando o número de lojas e investindo agressivamente em marketing.

Não discordaremos que os carros da marca Audi são lindos a apaixonantes, agora só resta saber se eles irão acessibilizar o poder de compra para uma maior parte de consumidores. E o ronco do motor? Aquele barulhinho que faz os olhos brilharem e o coração acelerar? É simplesmente maravilhoso para quem gosta do mundo sob quatro rodas. Por isso, estamos aguardando ansiosamente os lançamentos para o próximo ano, os quais prometem ser o maior sucesso no mundo automobilístico!

Por Luciana Viturino

Audi A3 Sedan

Foto: Divulgação


Pode-se dizer que em comparação com as suas principais rivais diretas como a Mercedes, a Land Rover e a Audi, a BMW tem tido certa vantagem no que diz respeito à categoria de montadoras que possuem unidades fabris em território brasileiro. A marca de origem alemã tem novidades em sua linha de produção. Na última segunda-feira, dia 10 de novembro, a marca terminou a montagem do seu modelo de número dois a ser produzido no Brasil. Estamos tratando aqui do X1.

O novo crossover nacional da BMW teve sua primeira unidade produzida na fábrica da empresa situada na cidade de Araquari, em Santa Cantarina.

Vale lembrar de que a unidade brasileira da montadora não é velha. Ela foi inaugurada somente há algumas semanas. O estreante da fábrica foi o sedan Série 3 que chega ao mercado com motor flex.

De acordo com as informações da montadora a referida unidade tem uma capacidade para garantir a produção de até 32 mil carros ao ano. Além dos modelos que apontamos acima ainda existe a informação de que a unidade ainda servirá para a fabricação do Mini Countryman e  do SUV X3. Ainda segundo os planejamentos feitos pela marca a unidade deverá estar operando totalmente até o final do próximo ano. Época em que a área de soldagem e de pintura deverá ser concluída.

Seguindo o exemplo do 320i, o modelo X1 também terá um motor ActiveFlex. O bloco em questão combina o turbo com a vantagem de se usar a gasolina ou o etanol. No caso do mercado nacional (ou das versões nacionais) a informação é de que deverão aparecer as seguintes: X1sDrive20i GP Teto, X1sDrive20i GP e X1sDrive20i. O motor 2.0 litros tem potencial para gerar 184 cavalos fazendo uso dos dois tipos de combustível. Além disso, ainda há o sistema Start-Stop (transmissão automática de oito velocidades).

Outro fato interessante, mas que, até o momento são rumores, é de que ainda deverão ser fabricados aqui os modelos com tração dianteira. Os inéditos que tiveram sua origem basicamente na minivan Active Tourer.

Por Denisson Soares

BMW X1

BMW X1

BMW X1

Fotos: Divulgação


Não faz muito tempo que a Dodge Journey fez a estreia oficial da série limitada Crossroad e agora tem mais uma novidade no mercado. Trata-se de mais uma opção que está sendo colocada no mercado brasileiro.

O crossover que deverá aparecer por aqui já pôde ser conferido de perto por quem esteve presente durante a realização do Salão de Automóvel. Estamos falando da versão batizada de R/T AWD (all-wheel-drive). Como o próprio nome em inglês sugere a diferenciação está basicamente na presença da tração nas quatro rodas.

E para quem se interessou pelo modelo fica o aviso: não vai ser preciso esperar muito para ter o seu. Ele já se encontra disponível nas concessionárias. Pelo bem da verdade o que o consumidor vai precisar é de uma boa conta bancária já que o carro sai pelo valor de R$129.900.

De acordo com as informações divulgadas até o momento o citado sistema de tração presente no Journey terá um funcionamento sob demanda. Isso quer dizer que o torque será direcionado para as rodas dianteiras apenas em condições normais. Isso tudo com o claro objetivo de garantir uma economia de combustível maior. No caso de haver perda de aderência a força então (ou também) é enviada para as rodas traseiras.

Outro ponto que é interessante destacar é o fato de que ele é diferente de muitos outros modelos no que diz respeito à tração AWD. Ele não conta com botões ou comandos em seu interior. O funcionamento se dá inteiramente através de uma operação automática.

Já no que toca a parte de motorização do Journey a informação é de que o modelo será equipado com o bloco Pentastar V6 de 3.6 litros. Esse aí tem capacidade para gerar 280 cavalos de potência. São 6.350 rpm e 34,9 kgfm de torque a 4.350 giros. O motor é acoplado ainda a um câmbio automático de seis velocidades.

A lista de equipamentos presente no modelo é um pouco “esticada”. Destacamos dentre os diversos itens os seguintes: sistema de entretenimento traseiro com tela LCD de 9 polegadas, central multimídia Uconnect com tela de 8,4 polegadas, assento de elevação embutidos na segunda fileira, navegador GPS integrado, teto solar e ar-condicionado automático com três zonas.

Por Denisson Soares

Dodge Journey R/T AWD

Dodge Journey R/T AWD

Fotos: Divulgação


O Volkswagen Up! não conseguiu atingir o sucesso esperado pela VW, pois as vendas não foram boas se lembrarmos que estamos falando de um dos principais lançamentos da VW no Brasil, desde o lançamento do Fusca!

Mas a VW já está tomando medidas para reverter esta situação e resolveu aderir à moda dos modelos "aventureiros" que estão dominando o mercado e no Salão de São Paulo apresentou ao público o seu novo Cross Up!, bem ao estilo off-road para tentar melhorar as vendas, conquistando o público brasileiro que está cada vez mais interessado nesse estilo.

Até o final deste mês de novembro, o Cross Up! já estará à venda nas concessionárias pelo preço médio de R$ 38 mil para o modelo com câmbio manual e R$ 41 mil para o modelo com câmbio automatizado I-Motion.

Apesar do modelo ser novo para os brasileiros, na Europa já está circulando desde março do ano passado. Aqui, o modelo contará com vidros dianteiros elétricos, direção elétrica, travas elétricas nas quatro portas, sensor de estacionamento atrás, alertas para quando não estiver usando o cinto de segurança, limpador e desembaçador traseiro, frenagem de emergência, luz de seta integrada, retrovisores com ajuste elétrico, os faróis veem com máscara escurecida, rodas de liga leve 15", faróis de neblina e muito mais.

E tudo isso não é por menos, a Volkswagen resolveu dar prioridade ao Up! e quer de fato, ver o modelo melhorando e muito, suas vendas no mercado nacional de automóveis.

Mas quem quiser mais que isso terá que pagar pelos adicionais, entre eles: volante e as alavancas de câmbio e do freio de mão com um lindo revestimento em couro sintético, rodas com design exclusivo, preparação para som, ar quente e tem os detalhes que deixaram o visual ainda mais no estilo de aventureiro como o para-choque mais fino, contornos cromados nos faróis de neblina, rack de teto, entre outros.

A partir do final de novembro, o mercado nacional ganha mais uma opção entre os veículos aventureiros, resta saber se o Up! finalmente conseguirá conquistar o consumidor brasileiro!

Por Russel

VW Cross Up

VW Cross Up

VW Cross Up

Fotos: Divulgação


Aproveitando todo o prestígio e movimento de público do Salão do Automóvel de São Paulo, a Mitsubishi lançou oficialmente seu sedan Lancer produzido em território brasileiro.

Com fabricação sediada em Catalão – GO, o Lancer nacionalizado traz alguns detalhes diferenciados em relação ao modelo importado do Japão, como novas opções de cores e um preço levemente inferior, deixando-o mais competitivo. Anteriormente com configurações que partiam dos R$ 67.990, agora o Mitsubishi Lancer 2015 tem versões com preços a partir de R$ 66.490.

Esteticamente o Lancer fabricado no Brasil não sofreu grandes alterações, acrescentando apenas alguns detalhes diferenciados em relação ao modelo japonês. Sendo assim, as novidades do sedan produzido em Catalão ficam por conta das novas rodas de liga leve de 18 polegadas com inédito desenho, novo detalhe no para-choque dianteiro nas configurações com preços mais elevados, novo ajuste de suspensão para oferecer melhor dirigibilidade em rodovias e cidades brasileiras, além de um pacote antirruído para aumentar o conforto dos ocupantes da cabine do veículo.

No interior, a marca japonesa ampliou a oferta de equipamentos de série, com destaque para a nova central multimídia com tela touchscreen de 7 polegadas, que abrange diversas funções do veículo, como sistema de som, reprodutor de DVDs, bússola e até indicador de aceleração lateral.

Sob o capô, o Mitsubishi Lancer 2015 mantém o mesmo motor já oferecido anteriormente. Portanto, o carro vem equipado com bloco quatro cilindros 2.0 MIVEC 16V DOHC a gasolina, capaz de entregar 160 cv de potência e torque de 20,1 kgfm. Trabalhando em conjunto com o propulsor, dependendo da versão escolhia, o modelo pode trazer câmbio manual de cinco marchas ou uma transmissão automática CVT com sistema de trocas sequenciais que simula seis velocidades. A tração é sempre dianteira, com exceção da versão GT AWD, que conta com as opções de tração dianteira 4×2 (2WD), tração 4×4 com distribuição eletrônica automática ao eixo traseiro conforme necessidade (4WD On-Demand), ou ainda tração 4×4 em tempo integral (4WD Lock).

Como dito anteriormente, a nacionalização deixa o sedan mais competitivo em um dos segmentos mais disputados no mercado brasileiro onde a liderança é controlada pelo Toyota Corolla. Com a produção local, a Mitsubishi terá maior liberdade e facilidade para adequar o modelo aos interesses do público brasileiro.

Abaixo, versões e preços do Mitsubishi Lancer 2015:

– 2.0 CVT – R$ 72.490,00;

– 2.0 MT – R$ 66.490,00;

– 2.0 GT – R$ 83.990,00;

– 2.0 GT AWD – R$ 97.490,00.

Por Caio Polo

Mitsubishi Lancer 2015

Foto: Divulgação


Os fãs brasileiros do Discovery Sport podem ficar felizes: foi confirmado na última quarta-feira (29/10) que a produção do automóvel, sinônimo de Land Rover para o público tupiniquim, será fabricado no Brasil, a partir de 2016. A decisão aponta uma tendência cada vez mais frequente dos modelos importados. O modelo, que será fabricado em Itatiaia, no Rio de Janeiro, é um dos grandes destaques do Salão do Automóvel deste ano, evento que ocorre em São Paulo. 

Segundo Terry Will, presidente da Jaguar Land Rover aqui na América Latina, a escolha do modelo foi definida por conta da paixão dos brasileiros pelo Discovery Sport. Além disso, o automóvel casa perfeitamente com o dia a dia dos brasileiros, que procuram por um auto eficaz tanto em estradas aventureiras quanto na cidade grande. Ainda segundo Terry, os brasileiros optam por modelos SUV mais compactos, porém, que tragam consigo toda a versatilidade dos modelos Sport. Aliás, é interessante lembrar que os modelos do segmento SUV são os que mais fazem sucesso entre os modelos premium. 

Apesar da fabricação nacional, a Jaguar Land Rover não aposta em uma queda de preços, quando comparado ao valor praticado nos modelos importados. De acordo com a fabricante, reduzir o valor do nacional seria desrespeitoso com o público que adquiriu o modelo importado. Além disso, resultaria em uma queda no valor da revenda, ponto extremamente importante para a Land Rover. O preço médio de venda para o modelo será de R$ 180 mil

Dentre as principais características (mais atraentes!) do Discovery Land Rover, podem se destacar o câmbio automático com 9 marchas, o motor 2.0 turbo a gasolina (com 240 cv) e o motor 2.2 turbodiesel (190cv). As especificações técnicas seguem a mesma linha utilizada na produção do Range Rover Evoke, o que também acontece para o valor de comercialização.

Os modelos comercializados em 2015 ainda serão importados. A substituição pelos modelos nacionais será realizada apenas em maio de 2016.  

Por Tati M.

Land Rover Discovery Sport

Foto: Divulgação


O mercado automobilístico brasileiro é um dos mais concorridos de todo o planeta, haja vista o grande número de consumidores que o mesmo possui. Por esse e outros motivos é possível encontrar um grande número de empresas do ramo automobilístico instaladas em diversas regiões do país. É importante destacar a grande concorrência do mercado brasileiro, o que acaba exigindo novos lançamentos e disputas acirradas entre as empresas.

Dentre as empresas que atuam no Brasil, podemos destacar a Fiat, que é uma empresa italiana de grande sucesso em todo o mundo. Essa é uma das marcas mais procuradas no Brasil, pois a mesma faz bastante sucesso principalmente na categoria de carros populares. E se você está em busca de lançamentos, saiba que a Fiat anunciou recentemente a série especial do Fiat Strada, trata-se do Strada Hard Working.

Caso não saiba, o Fiat Strada é nada menos que o comercial leve mais vendido de todo o país. Após ultrapassar 1 milhão de vendas em todo o país, a Fiat resolveu anunciar o lançamento da versão Hard Working. O grande objetivo da empresa italiana é justamente quanto a oferecer uma versão mais robusta, mais arrojada, visando assim o público que utiliza o automóvel no trabalho. Um detalhe importante é que o lançamento foi disponibilizado em versões de cabine curta, estendida e dupla.

Um dos pontos interessantes do lançamento é quanto aos conteúdos exclusivos que esta série especial trás. Um ótimo exemplo são os faróis de máscara negra que deixam o design do automóvel ainda mais arrojado e com um tom esportivo. Além disso, também faz parte das novidades: rodas em aço com pintura escura (liga leve de 15” para a versão de cabine dupla) que são calçadas com pneus de uso misto.

A lista de itens de série desse lançamento é bastante ampla e conta com: ar-condicionado, para-brisas degradê, direção hidráulica; travas e vidros elétricos dianteiros com one touch e antiesmagamento, volante com regulagem de altura, faróis de neblina, predisposição para rádio com dois alto-falantes e antena, dentre outros itens.

Logo abaixo é possível conferir os preços das respectivas versões:

–       Strada Hard Working CC: R$ 42.770;

–       Strada Hard Working CE: R$ 46.060;

–       Strada Hard Working CD: R$ 51.190;

–       Strada Hard Working CD (com rodas de liga leve): R$ 51.690.

Por Bruno Henrique

Fiat Strada Hard Working

Fiat Strada Hard Working

Fiat Strada Hard Working

Fotos: Divulgação


Depois de lançar o novo sedan compacto 530 no mercado brasileiro, a Lifan Motors parece estar disposta a investir ainda mais no Brasil. A prova disso é que, além do crossover esportivo X60, carro chinês mais comercializado no mercado nacional, a fabricante chinesa irá apresentar ao público brasileiro durante o Salão do Automóvel de São Paulo seu mais novo utilitário esportivo, o X50.

Em nota oficial, a Lifan Motors confirmou que o modelo estará no evento automotivo de São Paulo, além de afirmar que o novo Lifan X50 será lançado no Brasil em 2015. Contudo, ainda não foi estipulada uma data exata para a chegada nem o preço sugerido do utilitário compacto. Levando em conta que o X60 é vendido por a partir de R$ 55.990, estimasse que o X50 chegue na faixa entre R$ 45 mil e R$ 50 mil.

Esteticamente, o X50 tem um visual moderno e apresenta linhas bem definidas, contando dianteira com ampla entrada de ar e conjunto óptico semelhante ao sedan 530, linha de cintura elevada e vinco sutil na lateral, além dos belos formatos das lanternas traseiras.

Compartilhando a plataforma com o sedan Lifan 530, o X50 possui 4,10 metros de comprimento, 1,72 metros de largura, 1,54 metros de altura e distância entre-eixos de 2,55 metros. Portanto, o X50 tem comprimento e distância entre-eixo menor que o Renault Duster (4,315 metros e 2,673 metros, respectivamente,), no entanto, tem apenas o comprimento menor quando comparado a do Ford EcoSport, que possui 4,241 metros e distância entre-eixos de 2,521 metros.  

Vendido em outros mercados com os motores 1.3 16V de 93 cv ou com o bloco 1.5 16V que entrega 102 cv, ainda não se qual será a opção que a Lifan irá disponibilizar no Brasil. A expectativa é que o utilitário X50 conte com a segunda opção de propulsor, que é utilizada pelo sedan 530 no mercado brasileiro.  

Por Caio Polo

Lifan X50

Lifan X50

Lifan X50

Fotos: Divulgação


Desde que o novo Ka chegou às concessionárias brasileiras já se passou pouco mais de um mês. Em apenas 30 dias o modelo conseguiu atingir mais de 7 mil unidades vendidas. Entretanto, tem novidade na área: a Ford, ao que parece, não quer deixar o consumidor brasileiro esperando muito, isso porque a companhia já começou a comercializar o novo Ka+, o sedan em sua versão inédita do compacto da nova geração.

Para a versão “familiar” da linha a Ford disponibilizou o modelo nas variações (em termos de acabamento) SE, SEL e SE Plus. Os preços do carro começam a partir de R$ 37.890.

Resumidamente é possível perceber que o novo Ford Ka + segue basicamente a mesma linha adotada pelo novo Ka. A principal mudança, além de ser a mais óbvia, fica a cargo do porta-malas do modelo que é relativamente maior. E tem um detalhe: ele conta ainda com abertura elétrica.

De acordo com as informações divulgadas pela montadora, essa “parte” do carro possui a capacidade de levar cerca de 445 litros.

No que diz respeito à motorização as informações são as seguintes: o modelo conta com duas opções. Uma é o motor 1.0 12V TiVCT com potência para até 85 cv. A outra é o bloco 1.5 16V Sigma, mais potente, pode gerar até 110 cv. Nos dois casos o câmbio é manual e conta com cinco marchas.

Equipamentos:

Já entre os equipamentos há algumas variações de uma versão para outra. A SE, por exemplo, conta com sistema de som MyConnection com Bluetooth, direção elétrica, ar-condicionado, controle de frenagem em curvas, freios ABS com EBD e airbags frontais dentre diversos outros itens. Já o Ka + SEL tem controle eletrônico de estabilidade e também de tração, alarme volumétrico, assistente de partida em rampa dentre outros.

Voltando ao novo Ford Ka uma novidade trazida pela companhia é a disponibilização para as vendas da versão com um motor 1.5. Neste caso, os preços, conforme a versão, irão variar entre R$ 40.390 e R$ 44.990.

Por Denisson Soares

Ford Ka+

Ford Ka+

Fotos: Divulgação


Em um evento realizado pela Volkswagen, a marca alemã apresentou uma prévia do que estará exposto no Salão do Automóvel de São Paulo. Entre eles, a fabricante revelou o novo Jetta que será nacionalizado a partir de 2015, trazendo alterações na parte interna e mudanças estéticas pontuais, tudo para deixar o modelo mais competitivo no segmento.   

Esteticamente, a Volkswagen promoveu modificações pontuais para deixar o Jetta mais próximo do sedan grande Passat. Entre elas, a dianteira agora conta com desenho mais reto e linhas bem definidas, nova grade dianteira com três filetes cromados, nova entrada de ar inferior e conjunto óptico com luzes diurnas de posição integradas e compostas por LEDs, com formato semelhante ao “irmão maior”. Os faróis bi-xenôn com lavador integrado continuarão a ser oferecidos opcionalmente.

Na traseira, a proximidade com o Passat também é percebida, principalmente pelo novo formato das lanternas traseiras e pela disposição das luzes. Além disso, houve  uma sutil modificação na parte inferior do para-choque, modificando também o tamanho e a posição dos refletores traseiros e do emblema da versão, que agora deixa de apresentar o “2.0 TSI”, ficando apenas o “TSI”.

No interior, as modificações promovidas pela Volks foram apenas para deixar o modelo atual, seguindo as características vistas na nova geração do Golf e que foi adotado por todos os recém-lançamentos da marca alemã. Sendo assim, o Jetta trará novo volante multifuncional, o mesmo usado no Golf, mas com controles do piloto automático presente em alavanca, painel de instrumentos com tela LCD centralizada e colorida (assim como na versão GTI do Golf) e acabamento do painel com material emborrachado. A fabricante não modificou a central multimídia do Jetta, sendo esta inferior à encontrada no novo Volkswagen Golf.  

Mecanicamente, a marca alemã também não promoveu nenhuma modificação e, a princípio, o Jetta nacionalizado não receberá o novo motor 1.4 TSI de 140 cv e torque de 25,5 kgfm nas versões de entrada, mantendo o antigo bloco 2.0 8V Flex que é capaz de entregar até 120 cv 18,4 kgfm de torque. A versão topo de linha mantém o também conhecido propulsor 2.0 TSI de 211 cv e torque de 28,6 kgfm, sempre trabalhando em conjunto com a transmissão automática DSG com função Tiptronic de seis velocidades.

Cotado para ter sua fabricação nacionalizada a partir do primeiro semestre de 2015, a produção na unidade fabril de São Bernardo do Campo – SP irá complementar a atual importação do Jetta vinda do México, para atender a demanda do sedan no Brasil, deixando-o mais competitivo. 

Por Caio Polo

Volkswagen Jetta 2015

Volkswagen Jetta 2015

Fotos: Divulgação


É do México que a montadora de automóveis Volkswagen decidiu importar o seu novo Golf. Ao menos a informação é essa enquanto a companhia não termina sua linha de montagem aqui no Brasil. E para quem acha que o modelo sendo importado do México deverá ficar mais barato pode ir de uma vez esquecendo essa ideia. O carro que era importando da Alemanha além da troca de país de origem também tem um detalhe não muito agradável: ficou levemente mais caro.

O novo Golf mexicano já se encontra disponível nas concessionárias da marca alemã. O carro sai pelo preço inicial de R$ 67.690. Na versão que teve o aumento (praticamente todas), a Comfortline, recebeu o acréscimo foi de R$ 200.

Já em se tratando do modelo intermediário da montadora, o Highline, os preços subiram em R$ 400. Agora quem quiser ter o seu vai ter que desembolsar R$ 74.930.

E por último ainda temos a versão esportiva GTI. Neste caso o aumento no preço foi de R$ 480. Isso acaba fazendo com que o carro saia pela cifra de R$ 101.470.

Falamos do aumento dos preços. Pois bem, geralmente quando isso ocorre é porque o modelo foi melhorado em algum ponto. Nesse caso a coisa vai para o lado bem oposto. Ou seja, alguns equipamentos acabaram sendo descartados do Golf. Para exemplificar melhor essa fase temos, por exemplo, o freio de estacionamento eletrônico que foi embora dando lugar ao sistema convencional, aquele mesmo com alavanca.

Outro ponto que pode ser citado é o chamado sistema FLA, que se trata de um auxiliar na questão de luz para farol alto. O sistema em questão desativava o farol alto quando o carro atingia velocidades que viessem a ser superiores a 60 km. No lugar dele o consumidor vai encontrar o DLA que é apenas um assistente de luz dinâmica.

Continuando na linha de exemplos o Auto Hold – sistema de partida – foi deixado de lado para dar lugar para o Hill Start Assist. Este último apenas ajuda a segurar o veículo em ladeiras. Já o primeiro também dava uma ajuda em locais planos.

Dá para continuar a lista de “perdas”. Mas como ainda é uma dúvida sobre o que a montadora espera com essas atitudes o jeito é aguardar para ver se o Golf “ficará bem na foto”.

Por Denisson Soares

Volkswagen Golf

Volkswagen Golf

Volkswagen Golf

Fotos: Divulgação


O novo Porsche Cayenne chegará ao Brasil no próximo ano, em 2015, e promete bastante som para agradar todos os fãs. Basta imaginar uma guitarra. Imaginou? É assim que a nova linha da Porsche pretende reestilizar o  SUV da marca. O Cayenne tem a mesma versatilidade de um instrumento musical, passando por vários gêneros e tons, agradando os mais variados gostos e estilos e idades. A apresentação do novo modelo deverá acontecer no Salão de São Paulo, e os preços, embora ainda não sejam oficiais devem variar de R$ 360 mil a R$ 680 mil, na versão Turbo.

O Cayenne é responsável por 50% das vendas da marca, a versão tem câmbio automático com oito marchas. O estilo é bastante esportivo, com faróis bixenônio e quatro pontos de LEDs de iluminação diurna. No interior no veículo, o volante tem desenho exclusivo, e segundo os analistas, os bancos ficaram mais confortáveis. Mais afinados poderíamos dizer, pronto para superar a marca de venda de seu antecessor, que colocou mais de 300 mil unidades nas ruas no mundo todo.

O carro é bastante ágil e estável, permitindo grandes velocidades. As suspensões são independentes e por isso garantem muito equilíbrio para a carroceria sem fazer com que perca a potência. Se o condutor quiser testar o veículo nas saídas das curvas, a parte traseira do carro irá mostrar controle de estabilidade impedindo grandes deslizes. Porém, a direção hidráulica não agradou a todos. Ela trava e pode atrapalhar a direção em situações de serra.

No Brasil, o modelo atual é bem consumista, o veículo faz apenas 5,5 quilômetros por litro. A expectativa é de um melhor desempenho do novo modelo. Na opção offroad o veículo está aprovado, já que os obstáculos são facilmente vencidos, sem perder o conforto pelo desnível das pistas. O Cayenne tem quase 2,90 metros de entre-eixos e acomoda até cinco adultos confortavelmente.

Por Vivian Schetini

 

Porsche Cayenne 2015

Porsche Cayenne 2015

Fotos: Divulgação


Dono do posto de melhor esportivo brasileiro entre os anos de 2007 e 2011, o Civic SI deixou muitos entusiastas e fãs do carro abandonados após a Honda parar de fabricá-lo por aqui. Contudo, a marca japonesa decidiu voltar a oferecer o modelo SI para o mercado brasileiro.

Importado do Canadá e apenas na versão coupé com duas portas, o novo Civic SI chega com motor mais potente, visual renovado e mais agressivo. Sem o preço revelado oficialmente pela Honda, o novo Civic SI será lançado no Salão do Automóvel de São Paulo, com preço especulado entre R$ 110 mil e R$ 115 mil.

Visualmente, o novo Honda Civic SI traz o mesmo desenho da versão oferecida nos Estados Unidos, já que o modelo agora vem importado do Canadá. Portanto, na dianteira do carro o esportivo é mais agressivo que a versão convencional devido ao para-choque diferenciado com amplas entradas de ar inferiores e vincos mais expressivos, aos faróis com um formato um pouco diferente e aos faróis de neblinas maiores. Na traseira, além do para-choque diferenciado com defletores de ar integrado, as lanternas traseiras são o grande diferencial do modelo, sendo maiores e mais harmônicas com o desenho do carro.

Para ampliar a esportividade do coupé, a marca nipônica equipou o SI com saias, rodas de liga leve de 18 polegadas calçadas com pneus 225/40 e aerofólio traseiro.

Na cabine, a esportividade é realçada pela Honda com a utilização de dois tons no revestimento dos bancos do tipo concha, na pedaleira esportiva de alumínio, bem como no acabamento diferenciado na manopla, na base do câmbio, na alavanca do freio de mão, nas saídas de ar e na maçaneta e apoiador das portas. Além disso, o Civic SI ainda conta com moldura do console central e das saídas de ar do motorista que imitam fibra de carbono e volante multifuncional revestido em couro com costura contrastante em vermelho e logo “SI” na base.

Quanto aos equipamentos de série, cabe destaque aos airbags frontais e do tipo cortina, controle eletrônico de tração e estabilidade, freios ABS, ar-condicionado digital, partida por botão e central multimídia com tela touchscreen que abrange diversas funções, como sistema de navegação via satélite (GPS) e áudio.

No entanto, se antes os fãs já se empolgavam com o Civic SI anterior que vinha com um bloco 2.0 i-VTEC 16V aspirado com 192 cv e torque de 19,2 kgfm, a nova geração vem ainda mais apimentada. Equipado com um motor quatro cilindros 2.4 i-VTEC 16V aspirado, o coupé esportivo da Honda é capaz de entregar 206 cv e torque de 23,9 kgfm. Trabalhando em conjunto com um câmbio manual de seis marchas, o modelo conta com tração dianteira auxiliada de um diferencial autoblocante que distribui de forma mais efetiva a força advinda do propulsor.

Assim como na geração anterior, que entregava sua potência e torque máximo a 7.800 e 6.100 rpm, respectivamente, o motor 2.4 aspirado manterá a disposição de trabalhar em altas rotações, embora a potência total agora é gerada a 7 mil rpm e o torque máximo já está disponível a 4.400 rpm.

Como dito anteriormente, o novo Civic SI será lançado oficialmente no Salão do Automóvel, tendo como meta a preparação do terreno para a chegada da nova geração do superesportivo NSX, que também estará presente no Salão de São Paulo. 

Honda Civic SI

Honda Civic SI

Fotos: Divulgação


A Brabus, preparadora de alta performance de modelos da Mercedes-Benz, está apostando forte no Brasil. Depois de lançar algumas versões preparadas do Classe C (C18 e C20) e uma para o CLS 63, agora a preparadora aposta no clássico SUV Classe G para o mercado brasileiro. Com preço sugerido de US$ 359 mil, cerca de R$ 860 mil, o G63 Brabus estará disponível apenas sob encomenda, que pode ser efetuada na Strasse, importadora oficial da preparadora no Brasil.

Se a venda da versão convencional do Classe G também é efetuada no Brasil apenas sob encomenda nas concessionárias da marca alemã, apenas na configuração esportiva topo de linha AMG, pela bagatela de US$ 316.500 (aproximadamente R$ 760 mil), a versão preparada pela Brabus também não seria diferente.

Visualmente, a versão Brabus do Classe G traz de diferencial detalhes cromados no para-choque dianteiro com luzes de posição em LED, para-choque traseiro diferenciado, porta-estepe com acabamento em cromo e logo da Brabus, além das rodas de liga leve com desenho diferenciado, que podem ser de 20 ou 23 polegadas.

A cabine mantém o mesmo nível de acabamento interno, diferenciando apenas no revestimento do couro que conta mais detalhes em laranja que a versão AMG, tudo para aumentar a esportividade do clássico crossover. A cor diferenciada é utilizada para revestir a parte inferior do painel, o console central, as portas, as colunas e a parte onde fica a empunhadura do volante esportivo multifuncional, que apresenta o resto do acabamento em fibra de carbono.

Mecanicamente o G63 Brabus conta com o mesmo motor 5.5 V8 Biturbo da versão AMG, mas ao invés de possuir 544 cv de potência e 77,5 kgfm de torque, o SUV preparado entrega 620 cv e brutais 97,9 kgfm de torque. Segundo a Brabus, o G63 preparado acelera de 0 a 100 km/h em 5,1 segundos, com velocidade máxima de 210 km/h, limitada eletronicamente.

A Brabus ainda afirma que é possível encomendar versões ainda mais potentes, sempre respeitando o limite máximo de 700 cv de potência. 

Por Caio Polo

Mercedes-Benz G63 Brabus

Mercedes-Benz G63 Brabus

Mercedes-Benz G63 Brabus

Fotos: Divulgação


A Volvo divulgou recentemente que do número total de 1.927 unidades do modelo XC90 First Edition apenas 11 unidades foram reservadas por compradores do mercado brasileiro.

A versão citada acima trata-se uma edição especial que tem como principal objetivo comemorar o lançamento da nova linha do utilitário. De quebra, ele ainda provoca a lembrança do ano em que fábrica sueca foi fundada. As informações das unidades vendidas só foram divulgadas na segunda metade de setembro. Entretanto, as vendas do carro começaram no início do mês, mais precisamente no dia 03. De acordo com informações da própria montadora em um período de apenas 47 horas, todas as unidades citadas foram vendidas.

Se fizermos as contas isso resultaria em cerca de sete veículos vendidos a cada minuto.

Essa série especial traz integrada os motores Drive-E. Há a opção de gasolina ou diesel. Mas esse ponto varia conforme o mercado em que veículo for comercializado.

No nosso caso, a versão que será vendida por aqui será T6 AWD. O motor é um 2.0 turbo de 320 cv e 41 kgfm. O bloco é ligado a uma transmissão Geartronic que conta com oito velocidades.

Com relação ao T6 tem muita gente fazendo confusão (em relação ao nome). Mas é esse mesmo. A questão a ser compreendida neste caso é que até pouco tempo atrás, o termo era usado para especificar os motores que tinham seis cilindros. Agora está sendo usado para indicar os propulsores que tem sua potencia superior a 300 cv.

O carro também conta com um pacote de segurança que vem de série. Dentre as “coisas” que estão presentes nele podemos citar o sistema de frenagem automática em cruzamentos e o pacote de proteção para saídas não intencionais da pista.

Outro detalhe que vale chamar a atenção é que a partir de agora todos os sistemas de frenagem automática, tanto para o uso durante o dia quanto para a noite, que tem como função evitar colisões com pedestres, ciclistas e até o carro da frente também são de série.

Os 11 reservados para o Brasil devem chegar aqui no ano que vem. De qualquer forma é um carro para poucos já que o seu preço final é nada mais nada menos do que R$ 397.700.

Por Denisson Soares

Volvo XC90 First Edition

Volvo XC90 First Edition

Volvo XC90 First Edition

Fotos: Divulgação


No último dia 15 de setembro a Mercedes-Benz promoveu o lançamento oficial do Mercedes-Benz GLA no mercado de automóveis brasileiro. A princípio a informação é de que o modelo SUV só vai começar a ser vendido no mês de outubro. Inicialmente será importado. Os preços ficam entre as cifras de R$132,9 mil e R$152,9 mil. Serão disponibilizadas no mercado três versões.

A marca, para o lançamento oficial, escolheu o local onde ficará situada a futura fábrica da Mercedes, na cidade de Iracemápolis, em São Paulo. A previsão é de que a partir de 2016 o GLA já possa ser produzido nessa unidade.

Quase que completamente com foco urbano o utilitário esportivo da Mercedes chega ao país como jipe inspirado na plataforma do Classe A. Como citamos serão três versões disponibilizadas. Entretanto, nenhuma delas conta com a opção 4×4. Mas em contrapartida e para compensar é bastante longa a lista de equipamentos para o conforto e ajuda ao motorista.

No que diz respeito à motorização do GLA a informação é de que os interessados terão à sua disposição somente o motor turbo de 1.6 litro. O bloco tem potencial para entregar 156 cavalos de potência. O motor é integrado a uma transmissão automática que traz dupla embreagem além de sete velocidades.

Segundo as informações divulgadas pela marca, seguindo essas configurações, o carro consegue ir de 0 a 100 km/h em 8,8 segundos. Limitada eletronicamente a velocidade máxima é de 215 km/h.

Além disso, ainda há a presença do sistema start/stop que já vem de série. O sistema permite uma economia de combustível ao desligar o motor em paradas.

Mesmo com o anúncio oficial feito em setembro o Mercedes-Benz GLA já era aguardado por aqui. Isso porque sua chegada foi anunciada no mês de janeiro, época em que também foi mostrado ao público.

As três versões que estão por aqui serão as seguintes: GLA 200 Advance, a mais básica de todas; GLA 200 Vision, custando R$17 mil a mais do que a versão anterior não apresenta diferenciações significativas e a GLA 200 Vision Black Edition, que por sua vez, também não tem tanta diferença em relação as outras sendo basicamente uma edição especial.

Por Denisson Soares

Mercedes-Benz GLA

Mercedes-Benz GLA

Mercedes-Benz GLA

Fotos: Divulgação


A Mitsubishi lançou no mercado brasileiro uma nova série especial para a Pajero TR4: a O’Neill. Com visual inspirado no Surf, a Pajero TR4 O’Neill estará disponível nas concessionárias da marca japonesa a partir de outubro, com preço sugerido de R$ 82.990.

A parceria feita entre a Mitsubishi e a marca de roupas e artigos esportivos norte-americana O’Neill rendeu uma série limitada para a Pajero TR4, que terá apenas 600 unidades vendidas no mercado brasileiro e estará disponível em duas opções de cores: Verde Floresta e Prata Cool.

O principal destaque da nova Pajero TR4 O’Neill fica por conta de algumas novidades visuais, como o grafismo com o logotipo da marca de roupas nas portas dianteiras, no capô e nos vidros traseiros, novo suporte do personalizada, moldura da grade dianteira na cor prata e novas rodas de liga leve de 17 polegadas com acabamento grafite.

Quanto aos itens de série, a TR4 possui, entre outros, airbag duplo, freios ABS com EBD, chassi monobloco reforçado, sistema RISE de absorção de impactos em caso de eventual colisão, banco do motorista com ajuste de altura e sistema de entretenimento com tela touchscreen, leitor de CD, DVD e MP3, entrada USB e conexão Bluetooth.

Além disso, a versão limitada da TR4 ganhou bancos com revestimento em neoprene e grafismo O’Neill, plaqueta de identificação com numeração no painel com assinatura do fundador da grife, Jack O’Neill e rack de teto com travessas com espuma protetora para transportar as pranchas de surf sem que estas sejam danificadas. Por fim, os proprietários da edição especial da TR4 ainda ganham um exclusivo chaveiro da O’Neill.

Mecanicamente não houve alterações e, portanto, a TR4 O’Neill vem equipada com motor 2.0 16V Flex que entrega até 140 cv e torque de 22 kgfm. Dotada de tração integral 4×4 e transmissão automática, o modelo traz sistema de tração Super Select 4WD-i com quatro modos: 2H (4×2), 4H (4×4), 4HLc (4×4 bloqueado) e 4LLc (4×4 bloqueado e com reduzida). 

Por Caio Polo

Mitsubishi Pajero TR4 O'Neill

Mitsubishi Pajero TR4 O'Neill

Mitsubishi Pajero TR4 O'Neill

Fotos: Divulgação


Como já vinha sendo divulgado em diversos sites especializados no setor a Lifan não terá apenas o X60 como seu representante oficial no mercado de crossovers compactos no país. De acordo com informações que foram divulgadas pela própria assessoria de imprensa da montadora chinesa, um dos modelos escolhidos para ser um dos destaques da fabricante durante a realização do Salão de São Paulo é o X50. O evento acontecerá neste ano entre os meses de outubro e novembro.

Como já é sugerido no próprio nome do carro, o modelo chegará ao mercado sim, mas em uma posição abaixo do atual e já conhecido esportivo-utilitário da marca, o X60.

O novo modelo da Lifan, já esteve passando por diversos testes no Brasil e segundo as informações divulgadas até o momento já está em fase de ser homologado.

O X50 faz uso da mesma plataforma que serve para o sedã 530. Este por sua vez é mais uma novidade da montadora para o mercado de automóveis nacional. Está previsto para chegar na segunda metade do mês de outubro.

Com relação ao motor do carro temos a informação de que ele será movido por propulsor 1.5 de 16 V. E destacando o fato de que conta com duplo comando de válvulas. Segundo a fabricante o bloco tem potencial para desenvolver 103 cv de potência e 13,5 kgfm de torque. O câmbio será mesmo um manual de cinco velocidades.

No que diz respeito aos equipamentos que chegam com X50 não há muita diferença dos que já estão presentes nos modelos chineses que se encontram à venda. Ou seja, o modelo conta com volante multifuncional, trio elétrico, ar-condicionado, direção elétrica, freios ABS e airbags frontais entre outras coisas.

Oficialmente nenhuma informação foi divulgada sobre qual seria a data exata de lançamento do modelo do mercado brasileiro. De qualquer forma, especula-se que ele deva começar a ser vendido ainda no primeiro semestre de 2015. Os preços devem ficar entre R$ 40 mil e R$ 45 mil.

Por Denisson Soares

Lifan X50

Lifan X50

Lifan X50

Fotos: Divulgação


A Audi não para de expandir sua linha de produtos no Brasil. Após divulgar sua expressiva alta nas vendas no mercado brasileiro, a marca alemã lançou a nova geração do A3 Cabriolet. Disponível em versão única e com uma vasta lista de equipamentos de série, o A3 conversível chega para explorar uma variante na qual seus concorrentes compatriotas não tem nenhuma opção. Com estreia pública marcada para o Salão do Automóvel de São Paulo, em outubro, o A3 Cabriolet será vendido com preço sugerido de R$ 159.800.

Com 4,42 metros de comprimento e distância entre-eixos de 2,60 metros, o A3 Cabriolet utiliza a nova plataforma modular MQB, que é compartilhada com outros carros da Audi e do Grupo Volkswagen. Devido sua nova arquitetura, o conversível é maior e mais espaçoso que o modelo anterior. Além disso, devido à nova plataforma, mas, principalmente, ao uso de materiais mais leves, como o capô feito em alumínio, o carro está cerca de 50 quilogramas mais leve que a versão anterior, com um total de 1.430 kg.

Entre tantos itens de conforto e segurança, cabe destaque para o sistema Start&Stop, o sistema de recuperação de energia da frenagem para alimentar os recursos elétricos do veículo, sistema de entretenimento, volante multifuncional com revestimento em curo, o sistema Audi Drive Select, sistema de proteção ativo de capotamento e o teto retrátil, que leva em aproximadamente 18 segundos para fechar ou abrir, efetuando sua tarefa em velocidades de até 50 km/h.  

Mecanicamente, o Audi A3 Cabriolet vem equipado com motor 1.8 Turbo FSI capaz de entregar 180 e torque de 25,5 kgfm. Trabalhando em conjunto com o bloco Turbo está a transmissão automática S-Tronic com dupla embreagem e sete velocidades. Com esse conjunto mecânico, de acordo com a Audi, o carro acelera de 0 a 100 km/h em 7,8 segundos, com velocidade máxima de 242 km/h.

Por Caio Polo

Audi A3 Cabriolet

Audi A3 Cabriolet

Audi A3 Cabriolet

Fotos: Divulgação


A BMW lançou no dia 10 de setembro seu primeiro carro elétrico no mercado brasileiro: o i3. Com um lote reduzido de apenas 120 veículos, a marca alemã aposta na praticidade e no dinamismo do i3, que chega nas versões Rex Entry, vendida por R$ 225.950, e Rex Full, oferecida por R$ 235.950. Devido à quantidade inicial limitada de exemplares no Brasil, a BMW criou um hotsite específico para o modelo, onde também os interessados podem fazer um pré-cadastro para poder adquirir o modelo elétrico da BMW.

A maior diferença entre as duas versões fica restrita apenas aos equipamentos de série. Entre tantos outros, a versão de entrada do i3 traz de destaque os faróis em LED, teto solar e as rodas de liga leve de19 polegadas, enquanto que a configuração Rex Full dispõe de sensores de estacionamento, câmera de segurança para manobras em marcha ré, rodas de liga leve de 20 polegadas e o sistema Stop&Go, que freia o carro sozinho ao detectar um obstáculo.

Um grande diferencial do novo BMW i3 é o fato de contar com a célula de passageiros feita totalmente em fibra de carbono, sendo a primeira a ser produzida em série, e o módulo Drive, em alumínio. Com isso, a BMW consegue obter uma ampla redução de peso, já que o carbono é cerca de 50% mais leve que o aço e 30% que o alumínio, conseguindo compensar o peso adicional devido ao acréscimo das baterias de íons de lítio. Além disso, o carbono também é um material mais adaptável a características específicas, o que acarreta em um aumento na segurança oferecido aos passageiros.

As baterias de íons de lítio que alimentam o i3 estão localizadas na parte central do carro e garantem uma autonomia entre 130 e 160 quilômetros. Contudo, essa autonomia pode ser ampliada até 20 e 40 quilômetros caso o condutor opte pelos modos de condução ECO PRO e ECO PRO+, respectivamente. No Brasil, para que o modelo tenha sua autonomia ampliada para cerca de 300 km, às versões trazem um extensor. Este extensor é um motor de dois cilindros de 34 cv, abastecido a gasolina, que entrega energia suficiente para recarregar as baterias.

Com apenas 1.315 quilogramas, o BMW i3 vem equipado com motor elétrico de 125 kW de potência (170 cv), que gera um torque de 25,5 kgfm. Com essa configuração, o compacto elétrico acelera de 0 a 100 km/h em 7,9 segundos, com velocidade máxima de 150 km/h.

BMW i3

BMW i3

BMW i3

Fotos: Divulgação


Com alta de 59% nas vendas, a Audi do Brasil divulgou no dia 9 de setembro o encerramento referente ao mês de agosto em relação ao mesmo período de 2013. Registrando 1.172 unidades vendidas no mercado brasileiro, a marca alemã registrou alta de 11% em comparação ao mês de julho, o que demonstra que as suas vendas continuam aquecidas no Brasil em 2014.

Segundo o Presidente e CEO da Audi do Brasil, Jörg Hofmann, a marca vem registrando neste ano um ótimo desempenho em suas vendas, seguindo uma tendência que a marca vem apresentando no âmbito global. Além disso, de acordo com Hofmann, a Audi comemora os 20 anos de Brasil oferecendo aos consumidores modelos de classe global, com oportunidades interessantes de compra, que reflete nos índices de vendas da marca alemã.

Entre janeiro e agosto de 2014, a Audi emplacou 8.449 unidades no mercado brasileiro, que representa um aumento de 110% no volume de vendas em comparação ao mesmo período de 2013.

Contudo, o excelente desempenho da fabricante alemã no Brasil pode ser explicado também pela sua política de renovação de sua linha e pelo lançamento de novos modelos para o mercado brasileiro, aumentando a diversidade de seu portfólio. Entre os carros que chegaram ao Brasil, cabe destaque para a versão sedan do Audi A3, com duas opções de motorização (1.4 TFSI e 1.8 TFSI), o esportivo S3 Sportback, que também faz parte da família A3 e o SUV esportivo RS Q3. Além desses modelos, a marca alemã também lançou o exclusivo A1 Kult e o sedan-coupé RS7 Sportback equipado com motor 4.0 V8 Biturbo FSI de 560 cv.

Mesmo com o excelente desempenho apresentado, a intenção da Audi é crescer ainda mais no Brasil, principalmente após o segundo semestre de 2015, quando a fabricante dará início a produção de veículos em sua nova unidade fabril no Estado do Paraná. Com investimento de R$ 500 milhões, a fábrica será responsável pela produção do A3 Sedan e do SUV Q3.

Por fim, a marca, que hoje conta com 32 concessionárias no Brasil, tem como meta expandir, até 2017, para 60 lojas. 

Por Caio Polo

Audi

Foto: Divulgação


A Jeep lançou oficialmente para o mercado brasileiro a nova geração do utilitário esportivo Cherokee. O SUV, que vem importado dos Estados Unidos e será uma das estrelas no estande da FCA durante o Salão do Automóvel de São Paulo em outubro, chega ao Brasil apenas na versão Limited, com preço sugerido de R$ 174.900. Posteriormente, a Jeep passará a oferecer também as versões Longitude e a Trailhawk.

Sendo um dos primeiros e, sem dúvida, um dos mais importantes lançamentos do Grupo Chrysler após a fusão com a Fiat, a nova geração do Jeep Cherokee conta com um visual mais moderno, mas mantém alguns detalhes do modelo que era vendido por aqui. As novidades ficam por conta da nova lanterna traseira, mais compacta e com aspecto mais atual, novos para-choques e, principalmente, um novo conjunto óptico frontal, mais estreito e que invade a lateral e o capô do modelo, dividindo opiniões dos fãs da Cherokee. Os para-lamas com formas mais retas e as tradicionais grade frontal foram mantidas, sendo que esta também invade o capô.

Com relação aos equipamentos de série, a versão Limited conta com bancos com revestimento em couro, bancos dianteiros com aquecimento, banco do motorista com regulagem elétrica e função memória, ignição por botão, faróis de xenônio, sensor crepuscular, de chuva e crepuscular, direção elétrica, volante multifuncional revestido em couro, teto panorâmico, retrovisores rebatíveis e abertura e fechamento elétrico da tampa do porta-malas, rodas de liga leve de 18 polegadas, além do sistema de entretenimento UConnect com tela touchscreen de 8,4 polegadas que abrange diversas funções, como o sistema de navegação via satélite (GPS), comando por voz, sistema de som e conexão Bluetooth.

Mecanicamente, o novo Jeep Cherokee vem equipado com motor Pentastar 3.2 V6, capaz de gerar 275 cv e torque de 32,3 kgfm. Dotado de tração 4×4, o utilitário traz associado ao bloco V6 uma transmissão automática de nove velocidades. 

Por Caio Polo

Jeep Cherokee 2015

Jeep Cherokee 2015

Jeep Cherokee 2015

Fotos: Divulgação


A Volkswagen passa a oferecer para seis modelos vendidos no Brasil o pacote esportivo R-Line. Voltado para a gama de produtos importados, o pacote pode ser implementado no Fusca, Passat, Passat Variant, CC, Tiguan e Touareg. A marca alemã ainda não revelou os preços para acrescer o pacote R-Line aos veículos citados.

O kit esportivo R-Line acrescenta aos modelos novas rodas de liga leve, volante esportivo, para-choques diferenciados, saias laterais, spoilers, entre outros itens de aparência, sem deixar de respeitar as características visuais de cada carro.

Para a linha Fusca, por exemplo, o pacote incrementa o veículo com para-choques exclusivos, soleiras na cor da carroceria, “Body Color” e frisos cromados e rodas de liga leve de 18 polegadas com desenho “Twister” calçadas com pneus 235/45 R18. Na cabine, o Fusca passa a trazer painel com design R-Line, manopla do câmbio em couro e com detalhes em aço escovado, bancos com revestimento em couro Vienna preto, apoios lombares para os assentos dianteiros, encosto de cabeça dianteiro com logo R-Line e novo volante multifuncional.

Na linha Passat e no CC, as modificações visuais ficam por conta do para-choque frontal redesenhado e com entrada de ar inferior ampliada, soleiras com inscrição R-Line, pacote aerodinâmico e rodas de liga leve de 18 polegadas. No interior desses três modelos, os diferenciais são o volante multifuncional com revestimento em couro e logo R-Line nos bancos.

Para o SUV compacto Tiguan, o pacote esportivo acrescenta ao modelo para-choque dianteiro com novas entradas de ar, molduras nos para-lamas, pacote aerodinâmico, rodas de liga leve de 19 polegadas dotada de um desenho exclusivo e suspensões rebaixadas. Internamente, o modelo com o kit traz detalhes de acabamento em alumínio, teto preto, bancos dianteiros com logo R-Line e volante multifuncional exclusivo.

No utilitário maior Touareg, por sua vez, as alterações são ainda mais expressivas. O carro com o kit R-Line conta com apliques cromados nas portas, pacote aerodinâmico, soleiras das portas em aço inox e inscrição R-Line, além das rodas de liga leve de 20 polegadas com desenho “Mallory” calçadas com pneus 275/45 R20. Por dentro, o SUV da marca alemã vem com bancos revestidos em couro e com aquecimento, pedais esportivos em aço inox, alavanca do câmbio com acabamento em alumínio e revestido em couro, volante esportivo multifuncional com logo em alusão ao pacote na base, bem como encostos de cabeça dos bancos com logotipo R-Line.

Por Caio Polo

Touareg R-Line

Fusca R-Line

Fotos: Divulgação


A versão topo de linha CLA 200 First Edition foi lançada aqui no Brasil em janeiro deste ano. Passados sete meses após o lançamento do modelo de ponta a Mercedes-Benz CLA agora chega ao mercado com novidades. O CLA será disponibilizado nas concessionárias em três novas configurações. A novidade no mercado nacional foi anunciada no início do mês.

Os novos modelos de carros apresentados trouxeram um aspecto muito bom: deixaram o preço do sedan como o mais barato da Mercedes. Para ser ter ideia da situação, o preço inicial agora passa a ser no valor de R$127.900. Por outro lado acabou ficando mais pesado na versão topo de linha já que sai pelo valor de R$187.900. Além disso, ainda há uma edição especial com um valor meio que fazendo a função de ponte com seus R$150.200.

Já que comentamos um pouco dos preços vamos conhecer algumas configurações das novidades.

Bom, em primeiro lugar o modelo escolhido (ou feito, como preferirem) para ser o básico da linha foi o CLA Urban. Ele vai chegar às concessionárias equipado com um motor 1.6 litro turbo. Também tem injeção direta de gasolina. No que diz respeito à potência o modelo consegue desenvolver 156 cavalos com 25,5 kgfm de torque e 5.300 rpm. As rotações ficam entre 1.250 e 4.000.

Tudo isso que foi citado é acoplado ao câmbio 7G DTC que conta com sete velocidades além de dupla embreagem.

Esse cupê consegue ir de 0 a 100 km/h em 8,5 segundos. A velocidade máxima que é  eletronicamente limitada chega a 230 km/h.

Além dessa versão “simplista” ainda vamos ter o CLA 200 Vision que sai das lojas por R$149.900. Temos também o CLA 250 Sport que entre as principais novidades apresentadas está o seu motor 2.0 turbo.

A versão Sport consegue entregar 211 cv de potência. O carro ainda conta, entre diversas outras coisas e itens de série com tração nas quatro rodas 4MATIC.

Enfim, são carros que agradam muita gente pelo que são. Mas que acabam desanimando até porque grande parte das pessoas não tem uma conta bancária do tipo “muito bem, obrigado”.

Por Denisson Soares

Mercedes-Benz CLA Urban

Mercedes-Benz CLA 200 Vision

Mercedes-Benz CLA 250 Sport

Fotos: Divulgação

 


A Volkswagen, em comunicado enviado à rede de concessionários, confirmou que o novo Golf oferecido no mercado brasileiro passará a ser importado do México, deixando de vir da Alemanha. Ainda não foi confirmado pela marca alemã se pela alteração da origem do modelo haverá alguma mudança nos preços.

De acordo com a Volkswagen, a alteração deverá ocorrer até o fim deste ano e não trará nenhuma alteração estética ou mecânica, nem tampouco alterações nas configurações de acabamento oferecidas atualmente: Comfortline, Highline e GTI. Contudo, a lista de equipamentos de série passará por mudanças significativas com a retirada de alguns itens, como o freio de estacionamento eletrônico, que será substituindo pela tradicional alavanca; o sistema de partida em aclives Auto Hold, que será substituindo pelo Hill Assist, sistema mais simples; perda do assistente de luz dinâmico (DLA), que dará lugar ao assistente de luz para farol alto (FLA); substituição do piloto automático situado no volante para uma haste, além da troca do sistema de som Dynaudio na versão GTI por um sistema mais simples.

A substituição do país de origem que o Golf é importado ocorreu, de acordo com a marca alemã, devido à alta procura pelo hatchback por aqui, fazendo com que os estoques e o ritmo de importação da Alemanha não sejam suficiente para atender a demanda brasileira, acarretando em filas de espera indesejáveis pelos consumidores. Outro ponto que favoreceu a troca é o fato do Brasil manter um acordo comercial com o México.

Como dito anteriormente, a troca do país de origem do Volkswagen Golf não irá alterar as opções de motorização. Sendo assim, os modelos vindos do México serão equipados com o motor 1.4 TSI capaz de entregar 140 cv e torque de 25,5 kgfm, ou com o bloco 2.0 TSI de 220 cv e torque de 35,7 kgfm. Trabalhando em conjunto com o propulsor 1.4 pode estar o câmbio manual de seis marchas ou a transmissão automática DSG com sete velocidades, enquanto que o modelo 2.0 GTI vem sempre com a transmissão automática de seis velocidades. 

Por Caio Polo

Volkswagen Golf

Volkswagen Golf

Volkswagen Golf

Fotos: Divulgação


Com lançamento previsto para setembro, a Kia já colocou à disposição dos interessados a pré-reserva da versão atualizada do Soul. Denominado como New Kia Soul, o modelo passou por melhorias, contando com detalhes mais refinados e mais modernos que o anterior. O New Soul chega ao mercado brasileiro com preços a partir de R$ 88.900.

Esteticamente, o New Soul possui o mesmo visual da versão vendida na Europa, faróis dianteiros com novo formato e com luzes diurnas de posição em LED integrado, grade frontal levemente reduzida, entrada de ar inferior com sutil formato trapezoidal, novo espelho retrovisor externo, novas lanternas traseiras e novo para-choque traseiro com luzes de neblina em formato redondo e posicionado na parte inferior, além do acabamento em preto brilhante na parte inferior do para-choque, em torno das lanternas e na tampa do porta-malas.

Além do visual modernizado, feito sob nova plataforma, outro ponto que sofreu alterações foi suas dimensões, com ampliação de 2 e 1,5 centímetros no comprimento e largura, respectivamente, o que garante uma leve melhoria no quesito espaço para os ocupantes.

Toda a alteração que a Kia propôs ao modelo foi para que o New Soul seja posicionado entre os compactos premium da Classe I, como os modelos da família MINI e o Audi A1, o que justifica a expressiva elevação do preço e também o aumento da lista de itens de série.

Disponível em duas variações da versão EX, a versão de entrada será oferecido por R$ 88.900, enquanto que o modelo mais caro sairá por R$ 92.900. Desde a versão mais básica conta com uma lista bem completa, com destaque para os oitos airbags, sistema de ar condicionado digital, novo volante multifuncional, o mesmo do Optima, direção elétrica, bancos com revestimento em couro, porta-luvas refrigerado, sensor crepuscular, sistema de partida Keyless, pilota automático, sistema de entretenimento com tela de LCD touchscreen de 4,3 polegadas, além das rodas de liga leve de 18 polegadas.

Outro ponto que a Kia  aposta para o modelo são as possibilidades de combinações de cores, já que a carroceria e o teto podem ser pintados em cores diferentes.

Mecanicamente, o New Kia Soul mantém o motor 1.6 16V Flex, com comando variável de válvula e injeção eletrônica sequencial de combustível, capaz de entregar até 128 cv e torque de 16,5 kgfm. O carro mantém também a transmissão automática de seis velocidades.

Por Caio Polo

New Kia Soul

New Kia Soul

New Kia Soul

New Kia Soul

Fotos: Divulgação


A Hyundai Motor Brasil não tem muito do que reclamar de sua fama. Isso segundo o estudo Voss Brasil (Vehicle Ownership Satisfaction Study), que foi realizado recentemente pela J.D. Power, empresa com atuação no setor de serviços de informação. A pesquisa feita entre os meses de março e junho de 2014 aponta que os donos de carros da família HB20 são que os que mais satisfação apresentam no país. E um detalhe, o patamar é dos bons, ficando inclusive na frente de velhas conhecidas no que diz respeito à satisfação do cliente como a Toyota e a Honda.

Indo direto para aos números em uma escala de 0 a 1000, o setor brasileiro da Hyundai (que não inclui os modelos que são importados nem os fabricados em Anápolis) obteve 788 pontos. Com isso a marca ficou em primeiro lugar pela primeira vez.

A Toyota teve que se contentar com a segunda posição, a Honda com a terceira e a Jac Motors com a quarta.

A pesquisa feita leva em consideração alguns pontos fundamentais como qualidade/confiabilidade do veículo, design, desempenho, conforto e recursos do automóvel, experiência pós-venda, seguro e manutenção/conserto e consumo de combustível.

A premiação também considera os modelos mais vendidos no país. Foram analisados 85 modelos distribuídos em quatro categorias: hatch compacto superior, sedan compacto, hatch compacto de entrada e hatch subcompacto. Nesse ponto quem acabou ganhando foi o Volkswagen Gol G4 em primeiro lugar seguido pelo Hyundai HB20, Renault Logan e Ford New Fiesta.

Dentre diversos outros aspectos levantados pela pesquisa vamos encontrar os que dizem respeito às concessionárias. De acordo com o estudo 10% dos veículos não foram entregues pelas mesmas na data marcada. E não é só isso, também 10% dos clientes nem sequer receberam uma data e horário para a entrega do carro.

Já entre aqueles clientes que fazem a manutenção na rede a fatia de 28% disseram que voltariam ao local para a realização de novos serviços.

Por Denisson Soares

Hyundai

Hyundai HB20

Hyundai HB20

Fotos: Divulgação


A Fenabrave colocou à disposição os números relacionados às vendas do segmento dos sedans médios premium no Brasil. Responsável pelo emplacamento de 1.209 carros, a categoria registrou uma leve alta de 2,28% em relação a junho, mas sofreu com a baixa do setor, caindo 9,44% em comparação ao mesmo período do ano passado.

Mantendo a primeira colocação e a boa distância em relação aos seus dois maiores concorrentes (Audi A3 Sedan e Mercedes Classe C), o BMW Série 3 representa 46,24% das vendas no mês de julho, mais que a soma das vendas de seus dois concorrentes citados e do Audi A4 (4º colocado na categoria). Emplacando 559 unidades, o sedan da BMW teve alta de 15,26% em relação ao mês passado e decréscimo de 13,06% na variação 2013/2014.

Ganhando uma posição, o Audi A3 Sedan, que chegou ao mercado brasileiro há pouco tempo, garantiu a segunda colocação comercializando 223 veículos. Com isso, o modelo garante a alta de 43,87% em comparação ao mês de junho. Vale lembrar que o A3 Sedan não era vendido no mesmo período de 2013.

Ainda em sua geração anterior, já que o Classe C acaba de ganhar a nova geração no Brasil, o sedan da Mercedes-Benz perdeu a segunda colocação para o A3 e ficou em terceiro lugar na categoria. Vendendo 166 carros, o sedan teve queda de 29,96% na variação junho/julho, e a pior queda entre os sedans premium, recuo de 61,12%. Com a adoção da nova geração do Mercedes Classe C, é possível que a disputa três primeiros colocados fique mais acirrada.

Fechando a lista dos cinco carros mais vendidos no segmento está o Audi A4, que mantém a quarta colocação com 96 carros vendidos, bem como o Mercedes-Benz CLA, que emplacou 89 veículos.  Audi A5 (60), Volvo S60 (10) e Lexus IS250 (6) obtêm a sexta, sétima e oitava colocação, respectivamente.

Por Caio Polo

BMW S?rie 3

1º lugar

Audi A3 Sedan

2º lugar

Mercedes-Benz Classe C

3º lugar

Fotos: Divulgação


A Fenabrave divulgou os índices relacionados às vendas do segmento das picapes médias e grandes no Brasil. A categoria concluiu no mês de julho foram emplacadas 15.116 unidades, alta de 16,99% em comparação ao mês passado e, seguindo o que se viu na maioria do mercado automotivo brasileiro, registrou queda em relação ao mesmo período de 2013 (-8,58%).

Mantendo a liderança da categoria, a Chevrolet S10 conseguiu vender 4.471 veículos no mês de julho, um avanço de 9,64% na variação junho/julho, mas uma baixa de 8,08% em relação ao ano passado. Com esse desempenho, a picape da Chevrolet viu sua vantagem sobre a segunda colocada, Hilux, diminuir de quase 800 emplacamentos para pouco mais de 440 unidades.

A Toyota Hilux teve um bom índice de vendas em julho. Vendendo quase 800 veículos a mais que o mês de julho, a caminhonete da marca japonesa reduziu a vantagem da primeira colocada, manteve a segunda colocação com folga e ainda registrou altas em relação ao mês e ano passado, (+24,67% e +5,36%, respectivamente).

Assim como a Hilux, a Ford Ranger também obteve índices positivos, com alta de 31,65% e 14,48% na variação junho/julho e 2013/2014, respectivamente. Emplacando 2.325 unidades, a Ranger manteve a terceira colocação e ampliou de forma substancial a diferença entre a quarta colocada, passando de quase 200 veículos para mais de 600 carros de diferença.

Mantendo-se no pódio, a Ford Ranger emplacou 2.325 unidades e ultrapassou a barreira das duas mil unidades mensais pela terceira vez em 2014 graças ao maior avanço registrado entre as líderes (+31,6%).

Na quarta colocação, a Mitsubishi manteve a posição do mês passado e foi responsável por comercializar 1.710 unidades, alta de 11,33% em comparação a junho e queda de 11,86% no mesmo período do ano anterior.

Fechando a lista dos cinco mais vendidos, a Volkswagen Amarok também ficou estagnada no ranking da categoria. Com 1.432 modelos emplacados, a picape da marca alemã cresceu 7,51% quando comparado com o mês passado, mas sofreu queda de 34,10% na variação 2013/2014.

Completando os dez mais vendidos na categoria estão a Nissan Frontier (924) em 6º, Lifan Foison (75) em 7º, Rely Pick-up (72) em 8º, Hafei Ruiyi (27) em 9º e o Mahindra HW KC532 (25) em 10º lugar. 

Por Caio Polo

Chevrolet S10

1º lugar

Toyota Hilux

2º lugar

Ford Ranger

3º lugar

Fotos: Divulgação


A Dodge lançará até o fim deste mês no mercado brasileiro a edição especial Crossroad do Journey. O SUV, em sua versão limitada, tem um apelo mais esportivo e traz alguns itens estéticos exclusivos. O Dodge Journey Crossroad terá no Brasil apenas 140 unidades, com preço sugerido de R$ 137.900.

Visualmente, o utilitário da Dodge em sua versão especial conta com grade frontal pintada na cor preta, para-choque dianteiro e traseiro dotado de uma espécie de quebra-mato e saias laterais, ambas na cor prateada, máscaras negras nas lanternas e nos faróis, rack de teto, além das rodas de liga leve de 19 polegadas com desenho diferenciado e pintadas de preto.

No interior, o diferencial do crossover esportivo fica por conta do novo revestimento dos bancos em couro preto e com costura contrastante em cinza, bem como os detalhes em grafite no painel.

No quesito itens de série, o Journey Crossroad segue o mesmo padrão do topo de linha R/T. Portanto, o carro vem equipado com seis airbags com dez pontos de proteção, freios ABS com EBD, controle eletrônico de tração e estabilidade, ar condicionado com três zonas de atuação, bancos dianteiros elétricos e com sistema de aquecimento, assentos de elevação embutidos na segunda fileira, computador de bordo programável com bússola digital, sistema de acesso ao veículo e partida keyless, teto solar elétrico, sistema de entretenimento traseiro com tela de LCD de 10 polegadas e com leitor de DVD, além do sistema multimídia Uconnect situada no console central, dotada de tela touchscreen de 8,4 polegadas que abrange diversas funções do veículo, como o sistema de navegação via satélite (GPS) integrado, Bluetooth, comando de voz e o sistema de som premium com seis alto-falantes, subwoofer e amplificador.

Sob o capô, o Journey Crossroad conta com o já conhecido motor Pentastar 3.6 V6, capaz de entregar 280 cv e torque de 34,8 kgfm. Dotado de tração dianteira, trabalhando em conjunto com o bloco V6 está uma transmissão automática de seis velocidades, com opção de trocas pelo comando sequencial AutoStick na manopla do câmbio. 

Por Caio Polo

Dodge Journey Crossroad

Dodge Journey Crossroad

Dodge Journey Crossroad

Dodge Journey Crossroad

Fotos: Divulgação


A Fenabrave divulgou os índices de vendas no Brasil da categoria hatches médios emjulho de 2014. Embora haja o registro de um crescimento de 15,05% em relação ao mês de junho, vendendo um total de 5.870 carros, em comparação com o mesmo período do ano passado a categoria registrou uma queda de 16,51%, seguindo o que a tendência dos outros seguimentos do setor automobilístico brasileiro.

Ampliando de forma avassaladora a liderança, o Ford Focus foi responsável por vender 2.260 unidades no mês de julho, alta de 58,26% e 8,08% na variação junho/julho e 2013/2014, respectivamente. Com isso, o modelo da Ford ficou quase mil unidades a frente do Volkswagen Golf, segundo colocado, com 1.311 carros emplacados, queda de 1,94% em relação ao mês passado e alta de 63,47% em comparação a 2013, quando ainda era vendida a geração anterior.

Na terceira colocação, o Chevrolet Cruze Sport6 (Hatch) teve queda de 13,03% e 43,07% em comparação ao mês e ano passado, respectivamente. Com 961 veículos vendidos, o modelo da Chevrolet teve o pior desempenho desde o mês de maio de 2012, quando estreou no Brasil e emplacou 1.041 unidades.

Longe de oferecer risco aos três primeiros colocados, mas subindo uma posição no ranking, o Fiat Bravo fechou o mês de julho em quarto lugar, com 432 carros comercializados. Apesar da baixa de 42,09% na variação 2013/2014,o carro da marca italiana  registrou alta de 13,39% em relação ao mês de junho.

Completando a lista dos cinco mais vendidos, o Hyundai i30 foi o modelo obteve a maior alta em relação ao ano passado (69,92%). Emplacando 418 carros, o i30 ainda teve alta de 10,58% na variação mensal.  

Perdendo duas posições em relação a junho, o Peugeot 308 teve seu pior desempenho desde o mês de fevereiro de 2012, quando foi lançado no Brasil e vendeu 207 unidades. Registrando 405 carros vendidos, o modelo teve que da de 3,57% e 66,17% quando comparado ao mês passado e a 2013, respectivamente.  

Fechando a lista dos 10 carros mais vendidos da categoria, o Citroën C4 (54) aparece em 7º lugar, o Subaru Impreza (25) em 8º, o Nissan Tiida (3) em 9º e o Chevrolet Astra (1) em 10º.

Por Caio Polo

Ford Focus

Foto: Divulgação


Na última quinta-feira, 14/08, a presidente-executiva da GM, Mary Teresa Barra, logo após participar de uma reunião com a presidente Dilma Rousseff no Palácio do Planalto, informou que a companhia estará realizando no Brasil nos próximos cinco anos investimentos que chegam ao valor de R$ 6,5 bilhões.

De acordo com Teresa a montadora deixou claro para a presidente o quão importante é o mercado brasileiro para a GM.

De fato a companhia nos últimos tempos tem gastado um pouco no Brasil. A última empreitada colocou R$ 5,7 bilhões para serem investidos até 2013.

Mary Teresa Barra não deu detalhes sucintos de como esse dinheiro todo será gasto por aqui. Entretanto, pôde destacar que a maior parte dessa verba será direcionada para o custo de instalações e também para o desenvolvimento de novas tecnologias. De acordo com informações da própria General Motors a expectativa é de que seja investido R$ 1 bilhão por ano.

A CEO fez questão destacar que o mercado brasileiro é “extremamente importante”. Também não deixou os desafios que serão encontrados por aqui a curto e longo prazo de lado fazendo questão de ressaltar o fato de que a empresa já está presente aqui há 90 anos e que vai continuar.

Novidades:

No meio dos investimentos que deverão ser feitos pela GM no Brasil um novo modelo de carro compacto deve surgir. As informações que circulam em sites especializados no setor sugerem um veículo com preço abaixo dos R$ 30 mil. Mas isso é mais do que um rumor. No mês de março deste ano o Presidente Dan Ammann revelou a novidade durante uma visita que fez ao país.

Quando “soltou” a novidade Dan não deu detalhes sobre quando isso deveria realmente acontecer. A mesma coisa aconteceu com a CEO. Neste último caso a representante da GM afirmou que em breve serão divulgadas novas informações sobre como os investimentos serão feitos e quais as novidades que poderão ser aguardadas pelo mercado.

Por Denisson Soares

General Motors

Foto: Divulgação


A Fenabrave divulgou os números das vendas do mês de julho na categoria dos sedans pequenos. Com 41.001 carros emplacados, o segmento teve um crescimento de 10,7% em relação ao mês de junho, mas uma variação negativa quando comparado ao mesmo período em relação ao ano passado, com queda de 8,28%.

Liderando o segmento, o Fiat Siena viu o segundo colocado, o Chevrolet Prisma, aproximar-se. Com 8.949 unidades emplacadas, o sedan da marca italiana vendeu 501 unidades a mais que o Prisma (8.498). O Siena teve um crescimento de 4,73% em comparação com o mês anterior e uma queda de 17,4% quando comparado ao mesmo período do ano passado, enquanto que o sedan da Chevrolet apresentou uma alta de 17,72% na variação junho/julho e um crescimento de 38,58% em relação a 2013.

Em terceiro lugar está o Volkswagen Voyage, que com 7.181 unidades vendidas praticamente não sofreu alterações em seus índices de emplacamentos. O modelo da marca alemã apresentou uma variação de +3,28% e -0,58% em relação ao mês passado e a 2013, respectivamente.

Na quarta colocação e com uma diferença considerável entre os líderes da categoria está o Hyundai HB20S. Com 5.334 unidades, o sedan da fabricante sul-coreana teve seu melhor desempenho no ano, obtendo uma alta de 10,62% em relação ao mês de junho e variação positiva de 27,46% em comparação ao mesmo período do ano passado.

Completando o top 5 da categoria, o Chevrolet Classic ficou em quinto lugar com 5.051 unidades emplacadas. Melhor resultado desde o mês de janeiro, onde o modelo teve 5.293 unidades vendidas, o veterano sedan pequeno cresceu 6,9% na variação junho/julho, mas registrou a maior queda do segmento na comparação 2013/2014: -53,96%.

Em sexto lugar, o Renault Logan registrou um de seus melhores desempenhos desde o lançamento em 2007, com 4.304 unidades vendidas, alta de 21,58% em relação a julho e um excelente crescimento de 95,6% em comparação ao ano passado.

Fechando o segmento, o Ford Fiesta Sedan, que dará o seu lugar na unidade fabril de Camaçari – BA para a nova geração do Ka, emplacou 1.684 modelos, alta de 37,02% na variação junho/julho e queda de 46,68% em relação ao ano passado.

Fiat Siena 2014

Foto: Divulgação


A Mercedes-Benz lançou no mercado brasileiro a nova geração do Classe C, o modelo mais vendido da fabricante alemã. Importado da Alemanha, o modelo que a partir do ano que vem será nacionalizado pela nova unidade fabril da Mercedes no Brasil, chega com visual totalmente renovado, mais moderno e com quatro opções de acabamento. O novo Mercedes Classe C 2015 têm preços a partir de R$ 138.900.

A nova geração do Classe C passou por reformulações e ficou 9,5 centímetros mais longo, 4 centímetros mais largo e com 8 centímetros a mais na distância entre-eixos do que a geração passada. Portanto, o modelo agora possui 4,686 metros de comprimento, 1,810 metros de largura e distância entre-eixos de 2,840 metros, o que garantiu ao sedan premium oferecer um maior espaço interno aos ocupantes.

Outro ponto na carroceria que passou por mudanças foi o peso, já que agora o novo Classe C possui 50% de sua carroceria feito em alumínio, enquanto a geração anterior utilizava menos de 10%, o que refletiu em uma redução de 60 quilogramas.  

Esteticamente, o sedan alemão está mais moderno, refinado e atraente, seguindo as novas características de design que a Mercedes adotou em seus novos carros.

Oferecido em quatro versões (C180 Avantgarde, C180 Exclusive, C200 Avantgarde e C250 Sport), desde a versão de entrada o carro conta com uma vasta lista de equipamentos de série. Saindo por R$ 138.900, o modelo traz, entre outros itens, sete airbags com airbag de joelho, ar condicionado, bancos com revestimento em couro sintético, painel com acabamento em alumínio, senhor e aviso de perda de pressão dos pneus, sensor de chuva, faróis Full LED, função Start&Stop, rodas de liga leve de 17 polegadas, sistema de condução Agility Select com cinco modos de condução, além do sistema de entretenimento com tela de 7 polegadas que abrange diversas funções, como o GPS, e que ainda possui touchpad no console.

Ainda pelo valor de R$ 138.900, a Mercedes oferece o C180 Exclusive com o mesmo motor e itens de série, mas com a diferença do acabamento do painel, que é feito em madeira e que conta com um relógio analógico.

Tanto o C180 Avantgarde como o C180 Exclusive são equipados com motor 1.6 Turbo, capaz de entregar 156 cv e torque de 25,49 kgfm.

Por R$ 148.900, a fabricante alemã disponibiliza o C200 Avantgarde. O modelo possui todos os itens da versão anterior, acrescido de sistema de frenagem de emergência (Adaptative Brake Lights), sistema de estacionamento automático, ajuste de lombar elétrico, retrovisores externos com rebatimento automático e teto solar com acionamento elétrico.

Sob o capô está um bloco 2.0 que gera 184 cv e torque de 30,59 kgfm.

Por fim, a versão mais potente e com o visual mais esportivo é o C250 Sport, vendido por R$ 189.900. O grande diferencial do modelo, além do motor, é a adoção do pacote visual da AMG, que acresce ao modelo entradas de ar mais amplas, rodas de liga leve de 18 polegadas, suspensão esportiva rebaixada, saídas dupla de escape, difusor de ar traseiro, discos de freios perfurados e com pinças pintadas na cor cinza e faróis Full LED com sistema ILS (Inteligent Light System). Para completar, o pacote ainda adiciona ao carro os bancos esportivos com revestimento em couro natural com a opção do couro na cor vermelha, ajustes elétricos para os bancos dianteiros, pedais esportivos em alumínio, painel em madeira com textura natural, volante multifuncional esportivo com revestimento em couro e base achatada, bem como o sistema de entretenimento Comando Online com tela de 8,4 polegadas.

Para mover o Mercedes C250 Sport, a montadora alemã equipou o sedan com o motor 2.0 que entrega 211 cv e torque de 35,69 kgfm. Em todas as versões, trabalhando em conjunto com os propulsores, está a transmissão automática 7G-Tronic Plus de sete velocidades.

Por Caio Polo

Mercedes-Benz Classe C 2015

Foto: Divulgação


A Seleção Brasileira de Futebol conta com uma nova patrocinadora: a Chevrolet. A montadora assinou um contrato de cinco anos para que a marca seja exposta no calção de treino e também nos agasalhos de atletas do time masculino e feminino A Chevrolet também contará com placas publicitárias e logo no ônibus do Brasil.

A marca vai substituir uma de suas grandes rivais no mercado automotivo, que é a Volkswagen. No contrato firmado com a Chevrolet, ela deverá aparecer durante importantes eventos esportivos do Brasil, que atuará nos Jogos Olímpicos de 2016 e Copa do Mundo de 2018.

O novo patrocínio poderá ser visto no amistoso entre Brasil e Colômbia, que acontecerá nos Estados Unidos, no dia 05 de setembro.

A seleção brasileira não será a primeira a ter a Chevrolet como patrocinadora. A empresa está investindo muito no futebol nos últimos anos. A marca está apoiando atualmente o Brasileirão das Séries A e B, os campeonatos estaduais, além das seleções do Brasil e futsal e beach soccer.

No âmbito internacional, a Chevrolet está estampando a marca nos uniformes da seleção masculina e feminina dos EUA. Ela também apoia times ingleses como o Manchester United FC e o Liverpool, que são dois dos maiores clubes de todo o mundo.

chevrolet


A Audi continua aumentando sua linha de produtos no mercado brasileiro e agora, a marca alemã lança no Brasil a versão “S” do sedan A3. Importada da Alemanha, a versão esportiva S3 conta com visual mais esportivo que a configuração convencional do sedan, lista de equipamentos de série mais recheada e motor mais potente. O Audi S3 Sedan chega com preço sugerido de R$ 207.980.

Com um centímetro a mais de comprimento e 2,5 centímetros mais baixo que a versão tradicional do Audi A3 Sedan, o S3 apresenta-se com visual mais esportivo, com destaque para o para-choque levemente remodelado e com entradas de ar um pouco maiores, faróis com conjunto óptico mais moderno, grade dianteira, soleiras nas portas, molduras das janelas e retrovisores em alumínio, rodas de liga leve de 18 polegadas com desenho exclusivo, difusor de ar traseiro e duas saídas duplas de escape.

No interior, a esportividade é acentuada com a adoção dos pedais em alumínio, grafismo diferenciado no painel de instrumentos, bancos com revestimento em couro e costura contrastante, acabamento diferenciado na manopla de câmbio, além do volante multifuncional esportivo revestido em couro e com base achatada.

A lista de série do novo Audi S3 Sedan conta, entre outros, com banco do motorista com ajuste elétrico, retrovisores interno eletrocrômico, sistema de ar condicionado digital dual-zone, controle de cruzeiro, faróis bi-xênon, sensor de estacionamento, além do sistema de entretenimento com tela touchscreen de sete polegadas que emerge eletronicamente do painel e que abrange diversas funções do veículo, como o sistema de navegação via satélite.

Opcionalmente, a fabricante alemã oferece o Multimedia Interface (MMI) Touch, que acresce ao modelo leitor de DVD, sistema de som com capacidade de armazenamento para 40 GB e Touch Pad.

Mecanicamente, o Audi S3 Sedan vem equipado com o motor 2.0 Turbo FSI com injeção direta de combustível, capaz de entregar 280 cv e torque de 38,75 kgfm. Trabalhando em conjunto com o bloco turbo está a transmissão automática S Tronic com dupla embreagem e seis marchas.

Dotado do sistema Audi Drive Select e tração integral Quattro, o S3 Sedan acelera de 0 a 100 km/h em 4,9 segundos, com velocidade máxima de 250 km/h, limitada eletronicamente. 

Por Caio Polo

Audi S3 Sedan

Foto: Divulgação


A montadora sul-coreana SsangYong está tendo um mês de agosto interessante e agitado em nosso país. Primeiro ela (a montadora) que não é muito conhecida e popular por aqui fez o lançamento do Korando que apresentou uma renovada no visual. Agora a fabricante está se preparando para lançar por aqui o novo Rexton W. Pelo bem da verdade vale ressaltar que esse modelo já estava disponível lá fora há dois anos. Para quem não se lembra ele inclusive foi um dos atrativos do Salão de Automóvel de 2012. Entretanto, sua estreia por aqui tem um “ar” de novidade: O utilitário esportivo que conta com sete lugares ainda recebeu diversas mudanças no design e alguns retoques no acabamento interno.

A parte frontal da carroceria é a “região” onde as mudanças mais significativas foram feitas. O SsangYong Rexton W agora conta com novos faróis, para-choque e grade que, de certa forma, deram ao carro uma cara mais moderna.

Além disso, temos também as rodas feitas em liga leve, o para-choque traseiro que também é novo e as lanternas em LED.

Como dito anteriormente a parte interior também teve sua vez na renovação do modelo. A principal novidade nesse ponto está a cargo dos materiais que agora são de melhor qualidade e também a presença de novos equipamentos tal como o sistema multimídia (renovado também).

O SsangYong Rexton W na sua parte de motorização chega ao mercado brasileiro equipado com um motor de 2.7 litros turbodiesel. O propulsor tem capacidade de desenvolver 161 cavalos de potência e 34,6 kgfm de torque. O bloco é associado a uma transmissão automática, a E-Tronic que tem cinco velocidades e também tração 4×4.

De acordo com Districar, a marca importadora oficial dos carros da SsangYong os preços em relação a nova linha do SUV ainda não foram definidos. Mas que mesmo assim, quem quiser reservar seu modelo já pode fazer o pedido nas concessionárias.

Por Denisson Soares

Ssangyong Rexton W

Foto: Divulgação


A Ford anunciou o fim da produção do veterano Fiesta Rocam. Com a chegada da nova geração do Ka hatch e do Ka+ (versão sedan) como carros de entrada da marca no Brasil, a fabricante estadunidense apenas confirmou algo que já era esperado há algum tempo. Com a nova geração do Ka, a Ford necessitava abrir espaço na unidade fabril de Camaçari – BA e o fim da produção do Fiesta Rocam era iminente.

Marcando presença há 12 anos no mercado brasileiro, o Fiesta Rocam deixa de ser produzido na fábrica da Ford no estado da Bahia com números expressivos. Com mais de 1 milhão de unidades fabricadas, o modelo termina seu ciclo com bons números.

Desenvolvimento na Europa, o modelo chegou ao Brasil em 2002 depois de passar por algumas adaptações para atender os padrões brasileiros da época. O Fiesta ainda teve um papel importante na Ford sendo um dos primeiros carros da marca a contar com a tecnologia bicombustível por aqui.

Comercializado no mercado brasileiro nas carrocerias hatchback e sedan, o Fiesta Rocam teve ao longo de seus 12 anos, versões diferenciadas. Entre elas enquadra-se a versão Trail, que contava com alguns detalhes e equipamentos para deixar o carro com espirito aventureiro. Outra versão que despertou relativo interesse, principalmente dos jovens, foi a configuração equipada com motor 1.0 Zetec Rocam 16V Supercharged de 95 cv, que tinha a missão de concorrer contra o Volkswagen Gol 1.0 Turbo com 112 cv.

Ao longo de sua trajetória no Brasil, o Fiesta Rocam sofreu apenas duas reestilizações e poderia vir equipado, entre 2002 e 2006, com o motor 1.0 aspirado e o motor 1.0 Supercharged. Posteriormente, a Ford retirou o bloco dotado com o compressor e manteve o motor 1.0 juntamente com um propulsor 1.6.

Diferentemente do que se viu na geração anterior no Brasil, o Fiesta Rocam não deu origem a uma nova geração da picape compacta Courrier, contudo foi base para o desenvolvimento da EcoSport, que foi, e ainda é, um dos maiores lançamentos e grande sucesso da montadora, sendo líder da categoria que até então não havia expressão por aqui.

Por Caio Polo

Ford Fiesta Rocam

Foto: Divulgação


Em março deste ano o Jeep Renegade foi apresentado no Salão de Genebra. Desenvolvido após a união da americana Chrysler e da italiana Fiat, em 2009, o automóvel é o primeiro desenvolvido integralmente com planos para se tornar um carro global.

O automóvel será lançado primeiro na Europa e depois seguirá para os EUA e Brasil.  Já poderemos vê-lo no Salão do Automóvel em São Paulo, no mês de outubro. Em meados de 2015, o Renegade será produzido no Brasil, na fábrica da Fiat em Goiana, interior de Pernambuco.

O modelo fabricado no Brasil sofrerá algumas alterações de estilo e conteúdo em relação à versão original. Essa medida adotada para o Renegade tem como objetivo amenizar seus valores para se encaixar em todas as faixas de preço do segmento no mercado nacional. Entende-se que haverá alternativas a todos os modelos do mercado, concorrendo com as versões básicas do Renault Duster até as mais completas da linha Ford EcoSport.  

O Renegade é menor que o Honda Vezel e tem um porte parecido ao do EcoSport, que deverá ser seu principal concorrente no Brasil. No mercado americano já é possível saber que haverá duas versões de acabamento, a Trail Hawk e a Latitude. Também haverá alternativas em relação aos motores como o 1.4 Turbo Multiair e o potente 2.4 Tiger Shark.

O Renegade americano terá sistema de tração 4×4, rodas de aro 16 e 17, teto solar panorâmico, bancos traseiros bi e tripartidos, além de câmbio com nove marchas automáticas. No Brasil o automóvel deverá ter especificações mais modestas, com transmissão 4×2, câmbio manual de cinco marcas e motor 1.8 E.torQ flex. Mesmo sem um posicionamento definido da FCA para o modelo, os valores devem girar em torno de R$ 60 mil e R$ 70 mil.  

Ainda não há impressões ao volante do Renegade. Em São Paulo ele deverá fazer sua estreia mundial para a imprensa.

Por William Nascimento

Jeep Renegade

Foto: Divulgação


O primeiro semestre deste ano não apresentou números agradáveis para o Brasil no que diz respeito à venda de veículos. Isso é tão significativo que vale destacar o fato de que o país agora ocupa a 5° posição no ranking mundial em vendas de veículos.

Os números se referem apenas ao primeiro semestre deste ano e foram divulgados pela Jato Dynamics, empresa de consultoria especializada no setor automotivo.

Ao se fazer uma comparação com o mesmo período de 2013 é observado uma queda de 7,3%. Outro detalhe é que o Brasil já perdeu posto para Alemanha que conseguiu um crescimento de 2,7%.

A China como não poderia deixar de ser continua absoluta na liderança. O país até que mostrou uma variação positiva na faixa dos 9,2% em relação ao primeiro semestre de 2014. Logo atrás dela, está os Estados Unidos que continua a ocupar o segundo lugar. O país apresentou uma alta nas vendas dos veículos chegando a 4,2%. Depois dele temos em vista o Japão que além de manter sua 3° colocação ainda demonstra que o setor está sendo recuperado e isso inclui uma alta de 10,7% referente ao acumulado até o mês de junho.

Quais marcas lideram?

Já entre as marcas que ocuparam o topo no primeiro semestre de 2014 temos a Toyota que acabou por fechar o período com uma alta de 1,74% se comparado ao mesmo espaço de tempo do ano anterior. Em segundo lugar está a Volkswagen que apresentou um crescimento de 2,51%.

O terceiro lugar da lista é ocupado pela Ford com 2,14% de carros comercializados no primeiro semestre comparando com 2013.

No meio das tradicionais, aquelas que sempre estão na lista volta e meia uma marca acaba se destacando. Dessa vez foi a Nissan. A companhia conseguiu apresentar um crescimento na casa dos 7% referente às vendas de janeiro a junho de 2014 comparando com 2013.

Por Denisson Soares

Vendas de carros

Foto: Divulgação


Para os menos avisados o BMW 320i Active Flex é o primeiro modelo de carro que conta com um motor turbo flexível do mundo. E tem mais, ele é exclusivo para o mercado brasileiro. Conforme o informado o modelo deverá ainda ser produzido em um futuro bem próximo na unidade fabril da marca alemã que está sendo concluída na cidade de Araquari/SC.

Entretanto, mal chegou e o sedan já desperta alguns comentário negativos. De acordo com uma reportagem veiculada na revista Quatro Rodas do mês de agosto, o modelo anda arrancando de alguns proprietários algumas reclamações. De acordo com a matéria geralmente dois pontos estão sendo apontados pelos donos: o sistema StartStop que não funciona quando o carro usa etanol e o sistema de alerta de revisões.

Um dono do 320i Active Flex em um dos relatos feitos chama a atenção para o fato de que o sistema de alerta para revisões estava originalmente programado para 12.000 km (para a primeira parada de manutenção), entretanto, após rodados 880 km, o computador de bordo já mostrava uma manutenção para 9.000 km. E a coisa não fica só aí. Com 5.000 km rodados, o sistema aponta que uma revisão deve ser em 6.800 km.

Há diversos relatos envolvendo esse tipo de problema. Inclusive no fórum BMW Brasil existem depoimentos do tipo.

Entretanto, não é uma questão restrita apenas ao modelo. Segundo informações de sites especializados no setor além da Série 3, a Série 1 também estaria apresentando o mesmo tipo de problema e isso também com a questão do StarStop. Conforme as informações o dispositivo de desligamento automático do motor não funciona se a mistura for de 30% ou mais de etanol.

A BMW por sua vez, através de seus especialistas informaram que o StartStop não é ativado com o etanol para que danos sejam evitados ao sistema de lubrificação do motor. A explicação é de que o etanol contém água e isso poderia acabar por contribuir para o comprometimento, durabilidade e funcionamento do motor. O StarStop funciona sim. Mas com menos de 30% de etanol.

Já no caso do sistema de alerta a marca informou que ele funciona de acordo com jeito de condução de cada dono. Isso porque o sistema Key Reader que está presente na chave faz uma avaliação automática sobre as condições de uso do veículo e consequentemente acaba determinando qual seria a quilometragem mais adequada para seja feita uma revisão.

Por Denisson Soares

BMW 320i Active Flex

Foto: Divulgação


Chamada pelo nome de batismo de 458 Speciale, a nova edição da Ferrari 458 Itália já chegou a terras nacionais. E isso há pouco tempo, no meio do ano. A importadora oficial da marca italiana aqui no Brasil, a Via Italia, na época trouxe para cá apenas dois exemplares do novo modelo. O que pode perfeitamente ser justificado pelo preço que um dos carros mais desejados do mundo tem: cada uma delas custa R$ 2,3 milhões. Muita gente precisaria ganhar na loteria para conseguir uma.

Oficialmente o carro foi apresentado ao público ainda no ano passado. A apresentação aconteceu durante a realização do Salão Internacional de Frankfurt.

O modelo esportivo que tem o motor V8 4.5 da 458 “original” teve o bloco praticamente retrabalhado com um único intuito: O de fazer com que o mesmo fosse capaz de gerar 605 cavalos de potência a 9.000 rpm e com torque de 54,9 kgfm.

Dentre as principais alterações técnicas feitas o modelo recebeu ainda dutos de admissão feitos de fibra de carbono além de ter tido a taxa de compressão aumentada.

Mais mudanças:

Além das alterações no que diz respeito à parte mecânica, a montadora ainda conseguiu reduzir o peso do veículo em cerca de 90 kg. Isso acabou por contribuir para que o superesportivo pudesse apresentar um desempenho ainda mais perturbador (no bom sentido da palavra claro). De acordo com as informações que foram divulgadas pela marca, a 458 Speciale, para ir de 0 até os 100 km gasta apenas 3 segundos. Já em relação à velocidade máxima divulgada a informação é de que ela pode atingir os 325 km/h.

O mais interessante, é que o carro apesar de custar uma fortuna, de acordo com informações divulgadas em sites especializados, os clientes, nesses casos, preferem pagar o carro à vista. Para os simples mortais isso é algo difícil de se pensar.

Por Denisson Soares

Ferrari 458  Speciale

Foto: Divulgação


No início desta semana a BMW decidiu anunciar para o mercado nacional a chegada do novo Série 2. O anúncio foi bem-vindo, mas tem um porém: o cupê só será visto por aqui em sua versão mais esportiva batizada de M235i. O modelo tem um preço sugerido para poucos bolsos. Saí da loja por nada mais nada menos do que R$ 229.950.

De acordo com informações que foram divulgadas pela BMW até o final deste ano não há previsão para o lançamento no mercado nacional de algum modelo que seja mais “simples”.

Mas voltando a novidade que acaba de chegar o M235i traz um motor de 3.0 litros biturbo. O bloco tem potencial para desenvolver 330 cavalos. Para quem é fã de velocidade o carro vai de 0 a 100 km/h em 4,8 segundos, isso com o uso do controle de largada, as informações são da própria fabricante.

O propulsor do M235i trabalha junto com uma transmissão automática que conta com oito velocidades. Eletronicamente a velocidade máxima é limitada a “apenas” 250 km/h.

Esse modelo recém-chegado ao mercado nacional traz consigo algumas curiosidades. Por exemplo, ele é basicamente uma derivação do Série 1 Coupé que nem sequer existe mais. Além disso, no modelo foram acrescentadas certas características estéticas que agregam ainda mais  valor a parte esportiva conceitual.

Para reforçar esse exemplo temos as rodas de 18 polegadas que são da linha M, o spoiler na parte de trás e também o volante que conta com a opção de troca de marchas por aletas, que são as conhecidas “borboletas”.

A parte interior do carro também merece seu destaque. Ele é todo revestido em couro apresentando quatro diferentes tonalidades. E tem mais, o M235i já vem com sistema de navegação multimídia, ar condicionado digital, teto solar e bancos dianteiros elétricos.

No mais o automóvel ainda traz os faróis bixenônio, controle de estabilização e também de tração, assistente de farol alto, seis airbags e função start-stop.

Por Denisson Soares

BMW S?rie 2

Foto: Divulgação


A Dodge passa a oferecer no mercado brasileiro uma nova configuração do utilitário esportivo Journey: a R/T dotada de tração integral. Oferecida anteriormente apenas com tração dianteira, a nova versão do Journey R/T com tração integral é R$ 5 mil mais cara que a versão R/T com tração dianteira e chega ao Brasil com preço sugerido de R$ 129.900.

Visualmente, o utilitário esportivo não possui nenhuma alteração estética em relação às versões SXT (R$ 112.900) e R/T (R$ 121.900).

Com relação aos equipamentos de série, o Dodge Journey R/T com tração integral traz entre os principais itens o sistema de som com seis alto-falantes com subwoofer, teto solar elétrico, bancos com revestimento em couro, bancos dianteiros aquecidos, ar condicionado digital com três zonas, rodas de liga leve de 19 polegadas, sistema de entretenimento traseiro com tela de LCD de 10 polegadas e sistema multimídia UConnect com touchscreen de 8,4 polegadas que abrange diversas funções como o sistema de navegação via satélite, conexão Bluetooth, comando de voz e que ainda exibe as imagens da câmera de segurança para manobras em marcha ré.

No quesito segurança, assim como o modelo R/T com tração dianteira, o Journey R/T com tração integral dispõe de freios a disco nas quatro rodas com ABS, controle eletrônico de tração e de estabilidade, sistema de frenagem de emergência, bancos infantis integrados para a segunda fileira de assentos, além dos airbags dianteiros de múltiplos estágios, airbags suplementareis nos bancos dianteiros, airbags laterais e do tipo cortina dianteiros e traseiros.

Mecanicamente não houve mudanças e, portanto, o Journey R/T com tração integral vem com o motor Pentastar 3.6 V6 com 280 cv e torque de 34,9 kgfm, que trabalha em conjunto com uma transmissão automática de seis velocidades.

Com previsão de entrega das primeiras unidades para o mês de outubro, as concessionárias da Dodge já aceitam reservas para quem se interessar pelo Jourrney R/T com tração integral. 

Por Caio Polo

Dodge Journey R/T

Foto: Divulgação


O segmento dos carros premium obteve bons índices de vendas e avanço nesse primeiro semestre em comparação ao ano passado e pensando nisso, a Audi trará mais uma novidade em seu portfólio na família A3.

A nova geração do A3 Cabriolet já está presente no site oficial da Audi no Brasil entre os modelos da marca alemã. Com entrega das primeiras unidades prevista para agosto, os interessados já podem realizar a reserva do A3 Cabriolet em algumas concessionárias da Audi.

Explorando um nicho que atualmente não haverá concorrentes de seus maiores rivais, Mercedes-Benz e BMW, o Audi A3 Cabriolet chegará, inicialmente, com motor 1.8 TFSI com injeção direta de combustível e 180 cv, associado à transmissão automática S Tronic com dupla embreagem e sete velocidades, igual ao que é oferecido em algumas versões do A3 Sedan. Nessa configuração, o novo Audi A3 Cabriolet já está disponível nas lojas da marca alemã por R$ 169 mil.

Esteticamente, a versão conversível mantém praticamente tudo igual em relação à versão convencional, com diferença apenas nos para-choques dianteiros trazem entradas de ar da parte inferior maior. O acabamento interno e a lista de equipamentos de série segue o mesmo padrão da versão convencional sedan.

Visando atender um público ainda maior, em 2015 a Audi pretende importar a versão Attraction do A3 Cabriolet dotada do motor 1.4 TFSI de 122 cv, que será mais em conta que o modelo equipado com o bloco 1.8 TFSI.

Apenas para comparar, o Peugeot 308 Cabriolet, oferecido por R$ 147.890 e o Peugeot RCZ, vendido pela marca francesa por R$ 150.390, ambos equipados com o motor 1.6 16V THP (Turbo High Pressure) de 165 cv, bem como o MINI Cooper S Cabrio e do MINI Cooper S Roadster, ambos com bloco de 184 cv, seriam algumas opções conversíveis em uma faixa de preço semelhante. 

Por Caio Polo

Audi A3 Cabriolet

Foto: Divulgação


A Fiat lançou nos últimos dias no mercado brasileiro a série especial Itália para o sedan compacto Grand Siena. Disponível há algum tempo em outros carros da Fiat, como o Uno, Palio, Punto e Idea, a edição Itália possui a lista de equipamentos mais completa entre os seus diferenciais. O Grand Siena Itália tem preço sugerido de R$ 49.450.

No visual, o Grand Siena Itália não muda muito em relação ao modelo convencional, trazendo os faróis máscara cinza metalizado e o logotipo “Itália” em alusão a versão nos para-lamas dianteiros entre as novidades estéticas.

Embora não traga muitos itens de design, o Grand Siena Itália se destaca pela lista de equipamentos mais recheada. Baseado na configuração de acabamento Essence, a edição Itália do sedan compacto vem com volante multifuncional revestido em couro, retrovisores externos elétricos e com função Tilt Down (inclina o espelho quando o motorista engata a marcha ré), vidros dianteiros e traseiros com acionamento elétrico, além do Rádio Connect com leitor de CD, MP3/WMA, entrada USB, função Audio Streaming e conexão via Bluetooth.

Como a edição limitada é baseada na configuração Essence, se o interessado optar em comprar o Grand Siena convencional, oferecido por R$ 46.150, e aderir ao carro o sistema de som com conectividade Bluetooth e retrovisor com função Tilt Down (Kit Evolution 2 – R$ 1.801), o volante com comandos do som e revestido em couro (R$ 437) e os vidros traseiros elétricos (R$ 548), o modelo com os opcionais sairia por R$ 48.936, mais barato que a versão Itália, que só teria a mais o logotipo em alusão a edição.

O Grand Siena Itália ainda conta com os demais itens da versão Essence, como os freios ABS com EBD, airbag duplo, direção hidráulica, ar condicionado, computador de bordo, trava automática das portas a 20 km/h, faróis de neblina, rodas de liga leve de 16 polegadas, entre outros.

Sob o capô, não há nenhuma novidade e o modelo vem com motor 1.6 16V E.TorQ, capaz de entregar até 117 cv e torque de 16,8 kgfm, quando abastecido com etanol. 

Por Caio Polo

Fiat Grand Siena It?lia

Foto: Divulgação


A Fenabrave divulgou os números das vendas da categoria SUVs médios (Classe II) no Brasil. Tentando fugir das quedas do setor automobilístico, puxado principalmente pela alta do ix35, Rav4, Freemont, Forester, Defender e Scorpio, a Classe II dos utilitários esportivos  registrou um crescimento de 8,5% em comparação ao ano passado e uma queda ínfima de 0,27% em relação ao mês de maio. O segmento emplacou 5.631 unidades em junho contra 5.646 veículos vendidos em maio.

Com uma vantagem de 415 unidades em relação ao segundo colocado, o Hyundai ix35 mantém a liderança em junho emplacando 1.333 unidades. Com um recuo de 6,39% na variação maio/junho, o SUV da marca sul-coreana teve uma alta de 82,85% em relação a 2013.

Mantendo o segundo lugar do segmento, mas com uma queda de 7,46% na variação maio/junho e baixa de 11,05% em relação ao ano passado, o Mitsubishi ASX vendeu 918 unidades e viu o Honda CR-V se aproximar muito da segunda colocação. Emplacando 859 veículos, o CR-V  teve alta de 58,2% em relação ao mês de maio, ganhando duas posições em junho, e obteve uma variação negativa de 19,11% em comparação ao ano passado.

Em quarto colocado, o Rav4 emplacou 858 unidades, com alta de 6,72% e 71,26% quando comparado ao mês de maio e o mesmo período de 2013, respectivamente.

Completando o top 5 do segmento está o Kia Sportage, com 764 emplacamentos e queda de 10.85% na variação maio/junho e baixa de 12,88% em relação ao ano passado.

Fechando a lista dos dez mais vendidos estão o Suzuki Grand Vitara (7º), com 201 unidades, Chevrolet Captiva (8º), com 149 veículos emplacados, o Subaru Forester (9º), com alta de 269,23% em relação ao ano de 2013 e 48 veículos emplacados e o Peugeot 3008 (10º), com 40 modelos comercializados.

Por fim, outros dois modelos que puxaram o segmento do SUVs Médios (Classe II) para cima em comparação ao ano passado foi o Mahindra Scorpio (12º) com alta de pouco mais de 23% e o Lando Rover Defender (17º), registrando alta de 100% e vendendo 4 unidades em junho. 

Por Caio Polo

Hyundai ix35

Foto: Divulgação


A Fenabrave divulgou os números das vendas da categoria sedans grandes no Brasil. Seguindo o que se viu nos outros segmentos, os índices de vendas do segmento tiveram uma queda quase generalizada, com exceção de alguns modelos que obtiveram registros positivos.

No geral, o segmento foi responsável pela venda de 1.239 unidades no mês de junho, uma variação negativa de 2,5% e uma queda de praticamente 13% em comparação ao mês passado, onde foram registradas 1.420 unidades emplacadas.

Liderando com muita facilidade o segmento, o Ford Fusion, que representa 77% da participação de mercado, emplacou 954 unidades. Embora esse número de carros vendidos seja 4% e 9,74% a menos que o ano passado e o mês de maio, respectivamente, os índices negativos devem-se mais à crise do setor automobilístico do que um concorrente que esteja ameaçando suas vendas.

Em segundo lugar está o Hyundai Azera, que teve uma queda ínfima de 1,42% na variação maio/junho e queda de 30% em relação ao ano passado. Com 139 unidades emplacadas em junho, o modelo representa 11% da participação de mercado e está longe de ameaçar as vendas do líder Ford Fusion.

Registrando seu pior desempenho desde maio de 2011, o Volkswagen Passat teve um recuo expressivo, tanto na variação maio/junho quanto na variação 2013/2014, com quedas de 44,58% e 45%, respectivamente. Devido a essa queda, o modelo da marca alemã viu o Nissan Altima, que registrou seu pior desempenho desde que foi lançado no Brasil e teve uma baixa de pouco mais de 18% em relação ao mês de maio, vender 26 unidades e ficar na quarta colocação. Vale lembrar que o Altima não era vendido em junho de 2013 e, por isso, não há registro da variação de um ano para o outro.

Fechando o top cinco do segmento, está o Honda Accord com 21 unidades emplacadas em junho. Chegando muito perto do Altima, com uma diferença de apenas 5 carros, o Accord registrou a maior evolução do período, com uma incrível alta de 2.000% em relação ao ano passado. Quando comparado ao mês anterior, o sedan grande da Honda recuou 19,2%.

Fechando o top dez de vendas do segmento estão o Toyota Camry (6º) com 14 unidades, Kia Optima (7º) com 11 carros emplacados e teve uma variação positiva de 83,33% maio/junho, Kia Cadenza (8º) com 10 unidades, Chrysler 300C (9º) com 8 veículos e Chevrolet Malibu (10º), que registrou 6 modelos vendidos.

O Peugeot 508 teve as piores variações maio/junho e 2013/2014 do segmento, com queda de 89,47% e 92%, respectivamente. Vendendo apenas 2 unidades, o sedan francês dividiu a última colocação com o Subaru Legacy.

Por Caio Polo

Ford Fusion 2014

Foto: Divulgação


A Hyundai inaugurou na quinta-feira, dia 15 de julho, a primeira concessionária no Brasil que segue o novo conceito global de identidade. Com um layout completamente reformulado e sofisticado, a Hyundai tenta ratificar a imagem da marca com a nova identidade de concessionárias, que mescla o equilíbrio entre a natureza, cultura e tecnologia.

De acordo com William Lee, Presidente da Hyundai Motor Brasil, as características que estão por trás de todas as ações da marca sul-coreana baseiam-se nas necessidades e interesses dos clientes e são aplicadas nos produtos, no atendimento e agora, nas concessionárias da Hyundai. Além disso, Lee ainda afirmou que o projeto global de identidade visual é completo e reforça a reputação de alta qualidade que a fabricante sul-coreana detém, agregando ainda mais valor para a marca Hyundai.

Além de adotar um visual bastante moderno e harmônico, a nova identidade das concessionárias da marca tenta proporcionar maior fluidez à operação das lojas da Hyundai, com ambientes dotados de recepção, showroom, atendimento, salas privativas de vendas, área de exposição de acessórios da marca, área de entregas de veículos, espaço planejado de serviços para veículos Hyundai, área de descanso e espera, área de entretenimento para as crianças e lounge.

Enquanto as concessionárias da Hyundai que comercializam com exclusividade a linha HB20 passam a adotar pórtico de entrada e toda a fachada da loja em tom suave de cobre, as lojas que vendem os demais carros da marca sul-coreana contaram com a entrada na cor prata.

As concessionárias da CAOA situadas em São Paulo nas Avenidas Sumaré e Ibirapuera, ambas responsáveis por vender os modelos importados e produzidos na fábrica de Anápolis – GO, já adotaram a nova identidade visual da Hyundai.

A primeira loja da Hyundai a apresentar a nova identidade é a HMB Sinal, situada no centro de Diadema – SP, mas já há outras concessionárias que trazem o novo visual, como a loja Ago, localizada na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.  

Por Caio Polo

Concession?ria da Hyundai

Foto: Divulgação


A Ford resolveu inovar o modelo que chegou ao Brasil em meados da década de 90, o Ka. Conhecido por seu aspecto de carro pequeno,  o modelo ganha agora uma nova geração.

Essa nova geração do conhecido Ford Ka, terá configurações tanto como hatch quanto sedan, ambas terão quatro portas e cinco lugares (contra quatro da versão anterior).

Utilizando a mesma plataforma que o Fiesta e EcoSport (porém, os entre-eixos estão encurtados quando comparado aos outros carros citados), o novo Ka  será produzido em Camaçari, na Bahia.

Equipado com um inédito motor de 1.0 com três cilindros e um 1.5 com quatro (inspirado do New Fiesta), ambos flex, o carro se destaca como um dos modelos que valem a pena esperar para o segundo semestre. Além disso, o carro vem equipado de um propulsor estreante, derivado do EcoBoost 1.0, entretanto sem o turbo.

Com um design diferente, mais robusto e sofisticado, a Ford acredita no sucesso de seu novo veículo e chegou até a ampliar sua fábrica na Bahia. Novos faróis e rodas de liga leve dão um ar esportivo para o sedan.

Seu interior teve inspiração do Novo Fiesta, tem um espaço considerável e vem com uma quantidade considerável de tecnologia como itens de série (como por exemplo, GPS e sistema multimídia em que é possível ouvir CD, rádio e acessar músicas e fotos por Bluetooth diretamente do celular). É possível ter opcionais de bancos de couro e transmissão automática. O volante é multifuncional e possibilita ao condutor a troca de faixas ou estações do rádio e atender chamadas do telefone.

O veículo vem com airbags frontais e freios ABS a disco nas quatro rodas e seu porta-malas tem capacidade de 500 litros.

O nome da nova versão do sedan será “Ka+” e tanto a versão hatch quanto a sedan estará nas concessionárias no início de agosto

Especula-se que o carro custará entre R$ 25.000 na versão de entrada do hatch 1.0 e R$ 41.000 no sedan 1.5 completo.

Por Mariana Caetano

Novo Ford Ka


Mesmo com os sucessivos recuos do mercado brasileiro automotivo, a Chery do Brasil não acompanha a tendência de mercado, seguindo um caminho contrário à queda do setor automobilístico local. Obtendo no primeiro semestre de 2014 um crescimento de 74,3% em relação ao mesmo período do ano passado, a marca chinesa segue firme com a política para abocanhar cada vez mais o mercado do Brasil.

Os maiores responsáveis pelo aumento das vendas da Chery no Brasil foram o compacto urbano QQ e o hatchback Celer, ficando praticamente empatados no número de vendas neste primeiro semestre. Com um acumulado de 4.365 unidades, a marca chinesa está em 19º lugar entre as montadoras no Brasil, representando 0,28% do mercado. A Chery ficou cerca de 500 unidades emplacadas abaixo da JAC Motors (17ª) a fabricante chinesa mais bem colocada no mercado automotivo brasileiro.

Dois modelos que serão produzidos no Brasil, o compacto QQ e o hatchback Celer, quase empatados com 1.411 e 1.402 unidades vendidas, respectivamente, foram os principais responsáveis para a Chery emplacar 4.365 veículos no acumulado deste semestre. Com aumento de 74,3% em comparação com o ano passado, outro que teve boa participação foi o utilitário esportivo compacto Tiggo, com 1.119 unidades emplacadas.

Embora a Chery tenha conseguido excelente desempenho no setor, a marca chinesa almeja um crescimento ainda maior. Investindo US$ 530 milhões, a Chery está construindo uma unidade fabril na região do Vale do Paraíba, que já está com 85% das obras concluídas. Com um milhão de metros quadrados, a cidade de Jacareí – SP foi escolhida pela marca asiática pela proximidade com um grande mercado consumidor.

Com capacidade para produzir 150 mil carros por ano, a nova planta fabril terá também uma unidade de produção de motores. Com inauguração prevista para o fim de agosto, a fábrica será responsável por nacionalizar os modelos QQ e Celer.

Por Caio Polo

Chery Celer

Foto: Divulgação


A Strasse, importadora responsável por trazer a Brabus ao Brasil, parece que se empolgou com o mercado brasileiro e trouxe uma outra preparadora alemã de carros esportivos: a Oettinger. A nova preparadora germânica chega ao mercado brasileiro trazendo o Golf GTI Oettinger na bagagem que traz, nada mais nada menos, que 290 cv de potência. O carro da Volks preparado pela Oettinger pode ser encontrado na Automiami, em São Paulo, bem como na Original Veículos, em São José dos Campos – SP.

As alterações do Golf GTI customizados pela Oettinger não são apenas mecânicos. A preparadora coloca à disposição três opções de modificações em pacotes definidos especialmente para o Brasil. O modelo têm preços que variam entre R$ 139 mil e R$ 179 mil, sendo que este último conta com todos os kits aerodinâmicos instalados.

Caso o comprador opte por adquirir os kits aerodinâmicos individualmente, a Oettinger oferece por R$ 13.500 um kit que acresce ao carro preparado um spoiler dianteiro, grade dianteira e aerofólio traseiro, tudo para aumentar a downforce do veículo e deixá-lo mais estável. Por mais R$ 13.500, a preparadora alemã oferece um sistema de exaustão com difusor traseiro. Por fim, ainda está a disposição um kit para substituir as rodas originais do Golf GTI por rodas de liga leve de 19 polegadas calçadas com pneus 235/35, acrescendo R$ 26.900 ao preço final do carro.

Independente de o cliente adquirir todos os kits ou apenas um kit, o Golf GTI preparado pela Oettinger vem equipado com o motor 2.0 Turbo capaz de entregar 290 cv e torque de 44,8 kgfm. Deixando de lado os 220 cv e torque de 35,7 kgfm oferecidos de fábrica pela Volkswagen, o modelo modificado pela Oettinger acelera de 0 a 100 km/h em 5,9 segundos, com velocidade máxima de 256 km/h.

A Oettinger oferece garantia de dois anos ou 60 mil quilômetros. As opções de cores para os modelos preparados são as mesmas do Golf GTI disponível nas concessionárias da Volkswagen no Brasil. 

Por Caio Polo

Volkswagen Golf GTI Oettinger

Foto: Divulgação


A tão aguardada versão esportiva do Audi A3 Sedan já tem data marcada para começar a ser vendida aqui no Brasil. Quem estava ansioso não vai precisar esperar muito já que o início das vendas está prevista para o mês de julho.

O S3 Sedan chega ao mercado com um motor 2.0 de quatro cilindros turbo. A capacidade é para 300 cavalos de potência. O bloco possui integração com uma transmissão automática de seis marchas. O preço do estreante é um pouco salgado para os bolsos dos menos avisados. A estimativa é de que comece por R$ 206.800.

Para fazer uma comparação basta pegarmos o A3 Sedan 1.8 que é o mais caro e custa R$ 133.200. A diferença salta aos olhos: são R$ 73.600 e 120 cv. Se fossemos compará-lo com S3 Sportback que tem um conjunto mecânico praticamente idêntico, mas com um porta-malas com um espaço maior seria R$ 1.300 (em relação à versão hatch).

De qualquer forma o motor vem com uma potência maior e alguns ajustes com relação à suspensão e freios também foram feitos. Se a questão é a prova de aceleração de 0 a 100 km/h o S3 Sedan atinge seu objetivo em apenas 4,9 segundos. Já a velocidade máxima do modelo é de 250 km/h. Isso segundo informações da própria fabricante.

No que diz respeito à estética do carro, também temos novidades. A grade, os para-choques e as rodas receberam uma pincelada de um desenho mais esportivo. Já os retrovisores tiveram uma capa de alumínio para sua cobertura.

Na parte de trás do carro vamos encontrar um spoiler que é um equipamento aerodinâmico bem na tampa do porta-malas. O interior também teve sua vez ganhando bancos com padrão diferenciado e com a inscrição S3 gravada neles. Além disso, também está presente do conta-giros e no volante de base reta.

Sem duvida alguma é um carro que chama a atenção não apenas pela potência que apresenta, mas também pela estética. Afinal de contas tem que ser bonito por dentro e por fora.

Por Denisson Soares

Audi A3 Sedan

Foto: Divulgação


Para quem pretende comprar seu Renault Sandero, é bom esperar mais alguns dias. A previsão é de seja lançada a nova geração no dia 1º de julho, durante os jogos da Copa do Mundo, sendo uma aposta da montadora.

O modelo hatchback é o mais vendido pela montadora de carros francesa. O carro já é famoso em países da Europa e vem ganhando força no mercado brasileiro.

Ele chegará ao mercado oferecendo duas opções de motor (1.0 e 1.6) com o câmbio automático e manual, dispõe de variação esportiva e  tem baixo custo de manutenção se comparar com a média dos valores gastos no Brasil.

O valor inicial do Sandero começa em R$ 30.500,00 na versão 1.0 e vai até R$ 52.500,00 na sua versão mais completa, com câmbio automático. A plataforma é a mesma utilizada no Renault Duster.

O trem-de-força do novo Sandero, lançado na Europa no final de 2012, no Salão de Paris não muda. A traseira do carro vem lembrando muito o Gol da Volks. A dianteira do carro não vem com traços modernos como a grande maioria dos carros que estão sendo lançados. O modelo abusa das linhas retas, o que faz com que o hatch lembre a SUV Duster. Com lanternas traseiras quadradas, ele ganha o reforço no visual mais robusto. Também recebeu uma melhora no isolamento acústico. Os retrovisores e maçanetas ganham muito mais capricho e chamam mais a atenção do público.

Uma das novidades que ele apresenta são os acessórios internos, que não existiam em modelos anteriores. O carro vem com kit multimídia com LCD touchscreen, que permite a conectividade com aparelhos de celular e iPods, outra novidade são os sensores de ré.

No geral, temos um carro bem superior ao antecessor do compacto francês que promete movimentar o mercado automobilístico.

Renault Sandero 2015

Foto: Divulgação


Há algum tempo diversos sites especializados no setor automobilístico já comentavam coisa ou outra a respeito do novo Troller T4. Pois a espera acabou e as especulações puderam ser confirmadas ou não conforme o caso.

Há poucos dias a Troller decidiu anunciar a nova geração de seu jipe T4. Pertencente à Ford a marca brasileira também divulgou as informações técnicas do novo modelo bem como alguns detalhes sobre os equipamentos. As informações dizem que o modelo deverá chegar às lojas entre o final do mês de julho e o início do mês de agosto. Mesmo com a novidade e demais detalhes anunciados a empresa ainda não revelou exatamente quais serão os preços.

De qualquer maneira a única certeza de que se tem até o momento é de que a nova geração terá um aumento no preço. As especulações ficam entre 12% e 15%. Atualmente o T4 é vendido pela cifra de R$ 96.844. Contudo, os novos modelos deverão ser comercializados lá pela faixa dos R$ 110 mil. A fabricação do novo jipe será na planta da montadora localizada no Ceará, em Horizonte.

Um detalhe é que para quem esperava mais de uma versão pode ir esquecendo. O novo jipe terá apenas uma que será equipada por um motor movido a diesel. O bloco contará com cinco cilindros de 3.2 litros além da transmissão manual de seis marchas.

Com relação à potência do modelo da T4 a informação é de que terá 200 cavalos. Já o torque será de 47,9 kgfm. Uma curiosidade a respeito do conjunto motor câmbio é que o mesmo é originário da picape Ranger.

Em termos comparativos a versão anterior conta também com um motor diesel 3.2. Entretanto, são 4 cilindros que geram 165 cavalos. Para ambos os casos a tração 4×4 está presente com os modos nas quatro rodas reduzida, tração nas quatro rodas ou tração em duas rodas.

Por Denisson Soares

Novo Troller T4 no Brasil

Foto: Divulgação


A fábrica da BMW em Santa Catarina ainda não foi inaugurada, porém, a empresa fez a divulgação que vai chegar ao Brasil para revenda a 3ª geração do Mini Cooper.

O principal objetivo da marca ao trazer esse novo modelo ao Brasil, que é o seu automóvel mais famoso que existe em todo o mundo, é fazer com ele seja um dos mais comercializados dos últimos tempos, e abaixo vai ser possível ter acesso uma breve descrição de todas as alterações que o Mini Cooper teve.

De acordo com os dados repassados pelos seus fabricantes, o modelo Cooper One tem o motor de 1.2 TwinPower Turbo, sendo ele apenas gasolina de 3 cilindros, chegando a alcançar 102 cavalos de potência, sendo sempre com a transmissão automática de seis velocidades, o que chega a 195 km/h.

Além desses fatores que já citamos até aqui, o Mini Cooper ainda oferece comandos multifuncionais no volante que é de couro, ignição por botão, direção hidráulica, ajustes de altura para os bancos dianteiros, ar condicionado automático e digital, suspensão adaptativa, sensor de chuva, piloto automático com função de frenagem, faróis e luz traseira de neblina, controle de estabilidade, seis airbags (laterais, frontais e de cortina) mais rodas de liga leve aro 16.

Já a versão Cooper possui o motor de 1.5 TwinPower Turbo, somente a gasolina e também de 3 cilindros que alcança 136 cavalos e velocidade de 210 km/h.

O modelo Cooper S Exclusive tem o motor 2.0 2.0l TwinPower Turbo, gasolina, 4 cilindros e chega a 192 cavalos, e a velocidade máxima de 233 km/h.

Existe a estimativa que chegarão ao país cerca de 2.800 carros nas três versões do hatch e na versão cupê do Countryman, e esse veículo vai estar nas lojas do Brasil a partir do mês de novembro de 2014, e o valor que vai ser cobrado vai variar de R$ 89.950 ao valor de R$ 124.950.

Por Josiane Fernandes de Jesus

Mini Cooper 3? gera??o

Foto: Divulgação


A Lifan Motors inicia no mercado brasileiro a sua participação no segmento de veículos urbanos de carga, os chamados VUCs, lançando o mini truck Foison. O mini caminhão chega às concessionárias da marca chinesa em julho, com preços a partir de R$ 34.990.

O Lifan Foison vem equipado com motor 1.3 a gasolina, capaz de gerar 84 cv e torque de 11,3 kgfm. Antes de ser oferecido por aqui, o VUC da marca chinesa passou por diversos testes e foi submetido a diversos usos cotidianos do veículo na realidade brasileira.

Segundo o Diretor de Marketing da Lifan Motors, Luiz Augusto Zanini, o Foison é o único modelo que representa de forma correta o mini truck, reunindo o melhor da categoria de veículos urbanos de carga, associado à economia do motor de menor cilindrada.

Zanini ainda completou afirmando que a Lifan Motors terá um grande empenho para oferecer o melhor serviço pós-venda aos seus consumidores.

A fabricante chinesa testou o Foison por mais de seis meses em diversas condições de carga, clima e de piso para definir a tabela ideal de manutenção e quais as intervenções as equipes mecânicas das concessionárias deverão promover periodicamente, tudo para que o proprietário do veículo mantenha o Foison sempre nas melhores condições para a utilização.

Contando com uma caçamba de aço com 2,800 metros de comprimento, 1,520 metros de largura e 33,5 centímetros de altura, o Foison tem a capacidade de carga de até 800 quilogramas. Com essa capacidade de carga, o mini truck fica bem posicionado no segmento dos VUCs.

Disponível apenas com carroceria cabine simples, o Lifan Foision é montado na fábrica da marca chinesa situada no Uruguai e estará disponível nas concessionárias da marca em julho nas cores branca e prata. A versão de entrada tem preço sugerido de R$ 34.990, enquanto que a configuração com sistema de ar condicionado e direção eletro-assistida sai por R$ 37.990. A Lifan Motors oferece garantia de dois anos ou 40 mil km para o novo Foison.

Por Caio Polo

Lifan Foison

Foto: Divulgação


Tanto a Honda quanto a Toyota já informaram que estão satisfeitas com os resultados de suas vendas. Mas um detalhe interessante é que as duas montadoras estão planejando lançar novos modelos no Brasil. O mais importante é que deverão ser fabricados por aqui mesmo. De acordo com informações que circulam na rede, em sites especializados no setor, o que essas montadoras pretendem é aproveitar melhor a capacidade de produção que ambas terão de extra com as unidades fabris de Sorocaba e Itirapina.

No que diz respeito a Honda, a companhia não esconde muito sobre o que anda planejando fazer. Já sabemos, porém, que a empresa lançará no mês de setembro deste ano a sua nova geração do sedan City. Para o mês de outubro está prevista a importação do Civic Si cupê que virá do Canadá. Também está previsto no cronograma da montadora uma apresentação do primeiro SUV compacto, o Vezel, mesmo antes do lançamento.

No caso da Toyota as coisas não ficam muito em uma situação diferente. A maior companhia do mundo já anunciou que está ampliando sua presença no país com o Etios. Entretanto, nesse caso vale chamar a atenção para um ponto interessante. O carro teve uma melhora relativa nas vendas, mas em termos gerais não está de acordo com a importância que a marca Toyota agrega hoje em dia. Para se ter uma ideia um pouco mais abrangente desse aspecto é só olharmos o fato de que a fábrica de Sorocaba foi projetada para possibilitar uma produção de 400 mil veículos ao ano. Mas no momento atual ainda não conseguiu chegar as 100 mil unidades.

Juntando tudo é fácil concluir que a Toyota precisa rever algumas coisas já que parece não estar nada contente com sua faixa de venda de pouco mais do que 10 mil veículos por mês. O objetivo logicamente seria algo bem mais do que isso.

Por Denisson Soares

Novo Honda City

Novo Honda City

Foto: Divulgação


Prestes a chegar ao mercado brasileiro, a Peugeot lançou na Colômbia o crossover compacto 2008. Importado da Europa, o utilitário compacto chegou ao mercado colombiano em duas versões de acabamento, uma única opção de motor e duas possibilidades de câmbio. Com preços que variam entre 52.990.000 e 58.990.000 pesos (cerca de R$ 62.700 e R$ 69.900), a expectativa da marca francesa no país vizinho é ganhar mercado no segmento que por lá conta com Ford EcoSport, Chevrolet Tracker e Nissan Juke.

Esteticamente, o Peugeot 2008 possui as características mais atuais da marca francesa, contando com um visual moderno, atraente e harmônico. Na cabine, além do bom acabamento interno, o layout do painel de instrumentos e console central segue o mesmo padrão moderno e “clean” do novo 208.

Por lá, o utilitário compacto da marca francesa vem de série com airbags frontais e laterais, freios ABS com EBD, controle eletrônico de estabilidade, direção com assistência elétrica, ar condicionado automático, controle de velocidade, assistente de partida em aclives, faróis de neblina, luzes diurnas de posição compostas por LEDs, rack de teto e rodas de liga leve. Para completar a boa lista de equipamentos, o modelo ainda traz sistema de som com entrada USB e volante multifuncional, bem como kit de iluminação interna composta por LEDs, o que deixa o interior mais requintado.

Mecanicamente, o modelo é oferecido na Colômbia apenas com o motor 1.6 VTi a gasolina, capaz de entregar 120 cv. Trabalhando em conjunto com o bloco 1.6 pode estar um câmbio manual de cinco marchas ou uma transmissão automática com quatro velocidades.

No Brasil:

O lançamento do Peugeot 2008 para o mercado brasileiro deverá ocorrer no ano que vem com a produção do utilitário concentrada na unidade fabril da PSA Peugeot-Citroën de Porto Real – RJ. Por aqui, é provável que o SUV compacto da Peugeot traga mais opções de motores e configurações de acabamento para competir no segmento.

O 2008, que chegará ao Brasil para disputar com o novo EcoSport, Duster, Tracker e ASX, será apresentado ao público brasileiro durante o Salão do Automóvel de São Paulo, que será realizado em outubro. 

Por Caio Polo

Peugeot 2008

Foto: Divulgação


O veículo Veloster, desde que foi lançado no Brasil no ano de 2011, sempre foi alvo de desejo de muitos consumidores brasileiros e entre alguns esse carro foi considerado até como sonho de consumo por ser um modelo totalmente diferente dos tipos de carros comercializados na indústria automobilística nacional.

No total, segundo a Federação dos Distribuidores de Veículos (Fenabrave), de setembro de 2011 até o mês de maio de 2014, foram vendidas no país 13.321 unidades do Veloster.

Esse veículo, quando lançado, teve uma grande procura nas concessionárias chegando até mesmo a ter fila de espera em algumas, depois de passado alguns meses as vendas seguiram em ritmo razoável, porém em uma linha decrescente, por esse motivo a montadora do veículo, a Hyundai/Caoa, resolveu interromper a importação desse carro para o Brasil por tempo indeterminado.

Após todo esse histórico, a montadora do veículo já está com uma nova proposta para tentar reemplacar o Veloster como um veículo a ser novamente desejado pelo consumidor brasileiro. Nessa nova proposta, já foram observadas em algumas estradas brasileiras em testes a nova aposta da montadora que está na iminência de ser lançada aqui no Brasil, o Veloster Turbo. Esse novo modelo do Veloster, agora turbo, vem para desmistificar a fama que a primeira versão do veículo ganhou aqui no país, devido ao fato de ser comercializado com o motor 1.6 de 128 cv do Hyundai HB20, sendo chamado vulgarmente por alguns consumidores de “lentoster”.

Esse Veloster Turbo que está em teste nas estradas do país, só é comercializado, por enquanto, nos Estados Unidos, mas deverá ser lançado em breve aqui no Brasil. Algumas pessoas já tiveram a oportunidade de conhecer esse modelo e descrever algumas mudanças significativas, as quais podem levantar a popularidade do veículo. No interior, quase não há diferença, no painel há uma central multimídia sensível ao toque de alta definição de sete polegadas.

Com relação ao motor, que é o grande atrativo, esse possui um propulsor de 1.6 GDI (injeção direta de gasolina) turbo, que rende 204 cv de potência e um torque de 27 kgfm inteiramente disponível aos 1750 rpm. Esse motor permite ao carro que ele consiga atingir 100 km/h em apenas 7 segundos. Portanto, a Hyundai lançará esse modelo em breve aqui no Brasil com intuito que ele seja um fenômeno de vendas.

Hyundai Veloster Turbo

Foto: Divulgação


De acordo com os relatórios apresentados pela Jato Dynamics, empresa de consultoria especializada no segmento automobilístico, o Brasil agora ocupa o 5º lugar no pódio dos países considerados como os melhores mercados automobilísticos no mundo. Os relatórios apresentados pela consultoria tomam como base o mês de abril.   

O Brasil anteriormente ocupava o 4º lugar, e sua queda foi confirmada em virtude de retração de 11,7% nas vendas do país e o 4º lugar passou a ser ocupado pela Alemanha.

A quantidade de carros vendidos pelos europeus somam 1.050.849 e o Brasil apresentou o total de 1.054.133 vendas. Mesmo estando à frente dos europeus no acumulado, o Brasil caminhou às costas dos europeus durante o mês de abril e teve 279.753 carros vendidos em disputa com 291.831 vendidos pela Alemanha.   

Como nos outros anos, a liderança ficou nas mãos dos chineses que teve crescimento de 5,1% quando comparada com o mesmo período no ano passado e com 1,69 milhão de veículos vendidos em abril, e com acumulado de 6,8 milhões  de vendas no ano.   

O 2º lugar é ocupado pelo Tio Sam, os Estados Unidos tiveram crescimento de 7,9% e venda de mais de 1,3 milhão de automóveis.

No país do sol nascente – Japão – a queda foi de 5,3% e o país fica na 3ª posição, com crescimento de 15,5% no quadrimestre.   

A Jato Dynamics apresentou também o ranking de vendas por montadoras, e neste critério, a Volkswagen assumiu o topo do pódio com 510.785 veículos vendidos, o 2º lugar foi ocupado pela Toyota com 504.109 vendas em abril. Considerando o acumulado anual, entretanto, a Toyota ocupa o 1º lugar com resultado de vendas de 2,09 milhões de veículos, a Volkswagen teve 1,97 milhão de vendas no acumulado.   O 3º lugar de vendas das montadoras foi para a Ford, o 4º lugar ficou sob responsabilidade da Chevrolet que veio seguida de Hyundai, Honda, Nissan, Kia e Fiat e o 10º lugar foi da Wuling, montadora chinesa que teve crescimento de 24,65% nas vendas entre abril de 2013 e 2014. 

Por Jaime Pargan

Vendas de carros

Foto: Divulgação


Na última semana, os governos do Brasil e da Argentina firmaram a prorrogação do acordo sobre a Política Automotiva Comum, em Buenos Aires. Com isso, o acordo passa a vigorar de 1º de julho de 2014 a 30 de junho de 2015.

A assinatura da prorrogação do acordo determina a retomada do sistema “Flex” na proporção de 1,5, ou seja, para cada US$ 1,5 exportado, o Brasil tem que importar US$ 1. Com isso, caso o Brasil ultrapasse essa proporção pré-determinada, a operação é taxada em 35% do valor.

Por exemplo, se o Brasil importar US$ 1 bilhão em carros e autopeças, o país poderá exportar, no máximo, US$ 1,5 bilhão sem que haja qualquer tarifa de importação. O acordo que vigorava anteriormente estipulava que, para cada US$ 100 vendidos pela Argentina ao mercado brasileiro em autopeças e veículos, o Brasil poderia vender US$ 195 ao mercado argentino sem que houvesse taxas de importação.

“O fato de o documento ter sido chancelado pelas presidentas Dilma Rousseff e Cristina Kirchner garante força política e é um passo importante para o setor dos dois países. Com isso, Brasil e Argentina agora figuraram entre os principais produtores com mercados fortes e laços estratégicos. Este é mais um passo para uma medida mais ambiciosa a partir de 2015″, afirmou Mauro Borges, Ministro do Desenvolvimento do Brasil, de acordo com o site governamental “Portal Brasil”.

O documento, que foi Assinado entre o Ministro brasileiro e os titulares da Fazenda e do Desenvolvimento da Argentina Axel Kicillof e Débora Giorgi, respectivamente, prevê ainda que haja um planejamento de uma política industrial comum para o setor de autopeças, aplicação de normas técnicas comuns e elevação dos níveis de segurança dos carros fabricados nos dois países.

Outro ponto que ficou determinado é que os setores produtivos (Anfavea e Sindipeças, no Brasil, e Adefa, Afac e ADIMRA, na Argentina) comprometam-se a manter a participação mínima nos respectivos mercados de veículos nas seguintes proporções: 11% de automóveis argentinos no mercado brasileiro e 44,3% de veículos brasileiros na Argentina.

Por Caio Polo

Acordo Brasil e Argentina

Foto: Divulgação


O carro Camaro, que é considerado uma lenda no setor automobilístico e um modelo de grande sucesso no Brasil, principalmente, devido ter sido alvo até mesmo de uma música sertaneja, representa um sonho de consumo de muitos brasileiros. Nesse contexto, a General Motors anunciou a chegada da versão conversível do Camaro no Brasil.

Essa nova versão do veículo sairá com o preço de R$ 239.000, o que representará para o consumidor um gasto de aproximadamente R$ 18 mil a mais do que a variante cupê.

Esse modelo inovador estará disponível apenas em quatro cores, o Preto Global, Branco Summit, Amarelo Lemon e Cinza Ashen.

A principal atração do Camaro conversível é a capota Twillfast, concebida em parceria com a fabricante da capota do Corvette. O funcionamento da capota será bem simples, bastando apenas tocar em um botão para que, em vinte segundos, os vidros se abaixem e a capota se dobre em forma de “z”. Essa peça é feita de lona e revestida em espuma, além de ser equipada com vidro traseiro térmico, que tem como função manter o nível de ruído e as dimensões internas próximas às do cupê, lembrando ainda que a capota é totalmente rebatível.

O Camaro, quanto à mecânica não traz nenhuma novidade, uma vez que ele foi equipado com transmissão do tipo automática contendo seis velocidades com um motor capaz de gerar 406 cavalos e 56,7 kgfm de torque. O carro também contará com reforços estruturais na dianteira e na traseira, o que fornece a esse modelo maior rigidez e equilíbrio. Outro atrativo é o duplo controle de tração e de estabilidade. Portanto, o Camaro na versão conversível é uma ótima oportunidade para quem deseja adquirir um modelo totalmente inovador e exclusivo para passear nas ruas dos grandes centros urbanos, a fim de impressionar e chamar a atenção de todas as pessoas que visualizarem esse belíssimo veículo nas ruas.

Por Adriano Oliveira

Chevrolet Camaro Convers?vel


A Porshe não é destacada por seu desempenho em vendas, pois, o seu objetivo não é primordialmente gerar um constante volume de vendas, mas focar em nichos específicos integrados ao mercado. Esse aspecto pode ser evidenciado através da produção restrita de carros, produzidos para públicos diferentes. São apresentados modelos distintos para que os mesmos correspondam expectativas diversificadas.

A linha que a Porshe apresenta é composta pelos modelos 911, Boxster, Cayman, Panamera e Cayenne. Os alemães estão integrando ao mercado nacional dois carros primordiais que são designados como 918 Syder e 911 Targa. Além disso, para o ano de 2014, a marca acaba de expor ao Brasil o seu segundo SUV, o Macan.

O veículo será vendido no Brasil em duas versões. A primeira versão, que corresponde ao modelo Macan S, tem o valor mínimo de R$ 399.000, provido com motor V6 biturbo de 3.0 litros, e 340 cavalos. O seu sistema conta com a inovação de dupla embreagem e terá em funcionamento proporcionando maior desempenho ao carro, sete marchas. A velocidade de 100 km/h pode ser alcançada em 5,4 segundos e tem como velocidade máxima 254 km/h.

A outra versão produzida, e nomeada como Macan Turbo, é considerada bem mais potente e tem o valor inicial de R$ 499.000. O seu motor V6 biturbo de 3.6 litros e 400 cavalos tem o desempenho de atingir 100 km/h em 4,8 segundos e a sua velocidade máxima pode chegar até 266 km/h.

O mais novo complemento da produção é feito na fábrica de Leipzig, localizada na Alemanha. O local citado, também foi utilizado para a fabricação do Cayenne, Panamera, e o 918 Spyder. O investimento realizado pela Porshe totalizou-se em R$ 500 milhões para que 50.000 unidades fossem produzidas anualmente.

A palavra Macan traz o significado de Tigre. O nome utilizado para contemplar o carro se deu pela relação à velocidade que o mesmo pode proporcionar àqueles que decidirem fazer a sua aquisição.

Por Lorena de Oliveira

Porsche Macan S e Macan Turbo

Foto: Divulgação


Foi anunciado pela empresa BMW o novo esportivo híbrido i8, que será vendido em breve no Brasil. A data de chegada ainda não está definida, porém, é um veículo que garante ao condutor bastante velocidade, além da alta performance que possui.

Diante disso, é importante destacar que ele é o primeiro veículo “híbrido plug-in” da fabricante e será comercializado na Europa e nos Estados Unidos a partir deste mês de junho. O modelo combina motorização a combustão e elétrica.

A novidade do motor a combustão é que será o TwinPower Turbo 1.5 a gasolina, de três cilindros e injeção direta, que consegue gerar potência máxima de 231 cv e torque máximo de 32,6 kgfm. Com isso, a parte elétrica é alimentada por bateria de íons de lítio instalada na parte central embaixo do assoalho, a qual desenvolve potência máxima de 131 cv e torque de 25,5 kgfm.

A fabricante do veículo afirma que além da resposta gerada pelos motores elétricos, a potência do carro também pode ser produzida até o limite de giros, graças ao design especial que permite que o motor elétrico continue a fornecer torque em altas rotações. O resultado obtido de um carro desse porte foi 362 cv e 6,1 kgmf de torque, de acordo com os dados elencados pelo fabricante.

Ressalte-se que é um carro bem potente e consegue acelerar de 0 a 100 km/h no tempo mínimo de 4,4 segundos, com um consumo de combustível de 47 km/l. Assim, o motor elétrico impulsiona o veículo sozinho por 37 km de distância, a uma velocidade máxima de 120 km/h. Por fim, o motorista tem a opção de escolher diferentes modos de condução, como: Comfort, Sport, Eco Pro, na modalidade híbrido; e Comfort e Eco Pro, se estiver no modo elétrico. Indubitavelmente, a chegada do BMW i8 ao mercado será um marco para a indústria automotiva, uma vez que ele é o único veículo no mundo que alia esportividade com as preocupações da sociedade moderna. 

Por Luciana Viturino

BMW i8

Foto: Divulgação


Chega ao Brasil em três novas versões o Jaguar F-Type Coupé, designado como um esportivo inglês que terá o valor mínimo de R$ 426,3 mil. A versão mais completa e avançada do carro apresenta um V8 de 550 cv, e consegue alcançar até 300 km/h.

Um dos carros considerado mais bonito do mundo tinha a denominação de Jaguar E-Type. Representando também a linha de um clássico esportivo foi criado pela montadora inglesa entre o período de 1961 a 1974. Após sua produção, a marca foi destinada a várias empresas, mas nenhuma desenvolveu outro esportivo como este.

No ano de 2008, houve uma grande mudança em relação à representação da marca, pois a Ford vendeu a Jaguar para a indiana Tata Motors.

A Tata Motors lançou no mercado o carro avaliado como o mais barato do mundo, o Nano, e ficou conhecida pela produção inovadora. Ao se tornar responsável pela marca Jaguar, decidiu investir na atuação do veículo, propiciando as clientes novamente uma classe mais esportiva da marca.

O modelo F-Type foi lançado em agosto de 2013 na versão conversível, a para o ano de 2014 foi contemplado com a versão cupê que está disponibilizada em três diferentes modelos.

Dois modelos têm em sua composição motor V6, de 340 ou 380 cavalos, a outra versão apresenta um V8 de 550 cavalos, analisada como algo inédito. Em relação ao V8 do Cabrio, o cupê oferece uma potência elevada de 55 cavalos.

Os valores variam, porém, como citado anteriormente o inicial se implica em R$ 426,3 mil, que corresponde à versão V6. Na V6 S, com 380 cv o valor é totalizado em R$ 497,7 mil. E na V8 R chega aos R$ 662 mil.

A experiência de conduzir o novo modelo V8 foi comparada à sensação de que o condutor do veículo estará próximo do efeito de estar dirigindo um carro de corrida, respectivamente pela velocidade que pode ser alcançada.  

Por Lorena de Oliveira

Jaguar F-Type Coupe

Foto: Divulgação


Se você é uma dessas pessoas que gostam de van, isso mesmo, aquele automóvel bastante espaçoso que pode levar toda a família para um passeio, saiba que uma grande indicação fica por conta do JAC T8. Caso você ainda não o conheça, o JAC T8 é uma van fabricada pela Jac Motors e é o seu primeiro modelo comercial vendido no Brasil.

É importante destacar que o JAC T8 é o primeiro modelo equipado com motor turbo da Jac Motors no Brasil. A van está equipada com quatro cilindros 2.0 acompanhado de compressor que rende 175 cavalos e tem 26,5 kgfm de torque. O câmbio, por sua vez, é manual de seis marchas. Vale ressaltar que van não é o grande sucesso no mercado brasileiro, porém, o JAC T8 promete agradar bastante os clientes brasileiros.

O modelo possui um design bastante arrojado e vem acompanhado de muita tecnologia. O volante, por exemplo, possui ajuste de altura e é revestido em couro além de trazer comandos do sistema de som. A van dispõe de um ótimo sistema de som, conexão USB, Bluetooth além de suportar cartão SD.

Além disso, é importante destacar o ar condicionado automático, controle independente de temperatura para passageiros da frente e dos bancos traseiros. Os assentos são revestidos em couro e, a partir da segunda fileira, são totalmente removíveis, ou seja, é muita praticidade para as diversas situações.

Caso esteja interessado em adquirir a van depois de ficar por dentro de tudo que a mesma pode lhe oferecer, saiba que ainda existe outra boa notícia: a JAC T8 está com desconto promocional em seu preço sugerido. Isso mesmo, a van estará custando R$ 94.990 até o final do mês de junho. É importante deixar claro que é um desconto muito bom, haja vista o preço sugerido de lançamento ter sido R$ 114.990. Por isso, vá o quanto antes à concessionária mais próxima para adquirir o seu JAC T8.

Por Bruno Henrique

JAC T8

Foto: Divulgação


A Mercedes-Benz apresentou o Mercedes Challenge realizado no circuito de Interlagos, em São Paulo, para revelar o CLA 45 AMG para o mercado brasileiro. Dotado de um motor 2.0 Turbo, a versão apimentada do sedan-coupé chega ao Brasil com preço sugerido de R$ 289.900.

Dispondo de um visual atraente e muito esportivo, o CLA 45 AMG conta com uma boa lista de equipamentos de série, com destaque para os bancos com revestimento em couro preto e costuras vermelhas, bancos dianteiros com ajuste elétrico, sistema de ar condicionado digital dual zone, volante esportivo com base reta e revestimento em camurça, sistema Park Assit, sistema de entretenimento com GPS integrado, teto solar panorâmico, entre outros.

Além disso, o carro ainda traz faróis bi-xenon com função de curva e facho alto automático, sistema Start&Stop, pinças de freios pintadas na cor vermelha e rodas de liga leve de 19 polegadas. Opcionalmente, a Mercedes disponibiliza apenas complementos estéticos, como um bodykit mais agressivo e spoiler traseiro.

Mecanicamente, o CLA 45 AMG vem equipado com motor quatro cilindros 2.0 Turbo, com 1,8 bar de pressão, capaz de entregar 360 cv e 45,9 kgfm de torque. Dotado de tração integral 4Matic, o modelo traz acoplado ao bloco Turbo uma transmissão automatizada com dupla embreagem e sete velocidades. A tração integral 4Matic, que em condições normais utiliza apenas a tração dianteira, pode ter a divisão de até 50% da força para o eixo traseiro.

Por fim, um dos destaques para aumentar a esportividade do modelo é o sistema de escape Performance, que faz parte do “Pacote Brasil”. Com esse sistema de escape, o som do motor turbo, em baixas rotações, é enviado para apenas uma das saídas traseiras, garantindo um ronco mais abafado e suave para não incomodar durante o uso do veículo em trechos urbanos ou em viagens. Contudo, caso o condutor acelere de modo acentuado, o som do bloco quatro cilindros Turbo é emitido nas duas saídas de escape, proporcionando maior esportividade na condução.

Por Caio Polo

Mercedes-Benz CLA 45 AMG

Foto: Divulgação


A Citroën lançou no mercado brasileiro a linha 2015 do C3. Entre as novidades do modelo está a adoção de novas versões do C3 para ampliar a atuação do carro no Brasil

Com mais de 300 mil unidades vendidas no Brasil, o C3 passa a ganhar novas configurações com o motor 1.5, inclusive uma versão dotada de transmissão automática. Contudo, a marca francesa tira da gama de produtos a versão 1.6 com câmbio manual.

A configuração Origine 1.5 traz de série, como destaque, airbag duplo, freios ABS com EBD, direção elétrica, ar condicionado, computador de bordo, travamento das portas à distância pelas chaves e rodas de 15 polegadas calçadas com pneus 195/60.

A versão Attraction 1.5 conta com os mesmo itens da configuração anterior, acrescida de luz diurna de posição composta por LEDs, espelhos retrovisores e vidros com acionamento elétrico, sistema de som com controle satélite na coluna de direção, conexão via Bluetooth e entradas auxiliar e USB, faróis de neblina e rodas de liga leve de 15 polegadas.

O modelo da Citroën, em sua versão Tendance 1.5 vem equipado com os mesmo equipamentos da versão anterior e adiciona o para-brisa Zenith.

A versão topo de linha do C3 equipado com motor 1.5 é a Exclusive, que dispõe de todos os itens anteriores e acresce ainda ar condicionado automático, sensor de chuva e sensor crepuscular, espelho retrovisor interno eletrocrômico com guia de luz em LED, alarme ultrassom, sensor de estacionamento traseiro, bancos dianteiros com apoia-braços, além das rodas de liga leve de 16 polegadas.

Já o modelo dotado com motor 1.6 Flex, o Citroën C3 pode ser oferecido na configuração Tendance  ou a topo de linha Exclusive. A primeira configuração traz câmbio automático de quatro velocidades com opções de trocas sequências através dos Paddle Shift, vidro elétrico com função One Touch para o motorista e todos os outros equipamentos da versão Tendance 1.5 Flex.

A Exclusive, por sua vez, traz os mesmo itens da versão Exclusive com motor 1.5, acrescido de câmbio automático, piloto automático, espelhos retrovisores externos e maçanetas cromadas. Vale lembrar que essa configuração só está disponível com a transmissão automática.

A marca francesa destaca que, embora tenha ocorrido o realinhamento das versões e itens de série, a Citroën foi a fabricante que menos reajustou os preços. Apenas como exemplo, a versão Tendance 1.5 Flex teve um aumento de R$ 330 em seu preço final.

Abaixo, versões e preços da linha 2015 do Citroën C3:

– Origine 1.5 Flex – R$ 40.990;

– Attraction 1.5 Flex – R$ 43.990;

– Tendance 1.5 Flex– R$ 45.490;

– Exclusive 1.5 Flex – R$ 48.990;

– Tendance 1.6 Flex – R$ 49.990;

– Exclusive 1.6 Flex – R$ 55.490.

Por Caio Polo

Citroen C3 2015

Foto: Divulgação


A concorrência que o mercado automobilístico proporciona entre as várias marcas que atuam no Brasil facilita a vida daqueles que pretendem adquirir o seu automóvel. Vale ressaltar que um grande número de empresas já estão instaladas no país, dessa forma, a variedade de modelos e linhas bem como de preços é muito grande.

Dentre as marcas que atuam no mercado brasileiro, um grande destaque fica por conta da Peugeot, marca francesa de sucesso mundial. São vários os modelos da marca em circulação no Brasil, desde os populares até mesmo aos chamados carros de luxo.

Caso você esteja em busca de lançamentos, saiba que a Peugeot anunciou recentemente o lançamento único do Peugeot 3008 2015. Como já foi citado, essa é uma versão única e promete fazer bastante sucesso no mercado brasileiro. Mais informações a respeito do automóvel você pode encontrar na continuação desta matéria.

O Peugeot 3008 2015 é justamente o primeiro veículo da marca francesa a ser lançado no Brasil com as novas características de design. O mesmo vem acompanhado de muitos itens tecnológicos, conforto, segurança além de muitas outras atrações. O carro está disponível apenas na versão Griffe THP e seu preço sugerido é de R$ 99.990.

É importante destacar que o automóvel dispõe de motor 1.6 THP que é capaz de desenvolver 165 cv de potência e 24,5 kgfm de torque, o mesmo é acoplado ao câmbio automático de seis marchas. Um dos grandes destaques é o seu design, principalmente a sua dianteira, que possui novos faróis com luz diurna de LED, para-choque redesenhado com nova grade, suporte de placa, difusor de ar e nova moldura dos faróis de neblina.

Além disso, o 3008 2015 disponibiliza pacote com diversos equipamentos eletrônicos de série como, por exemplo, freio elétrico de estacionamento, assistente ao arranque em rampas, controle dinâmico de estabilidade, distribuidor eletrônico de frenagem, assistente de frenagem de urgência e assistente antiderrapagem.

Por Bruno Henrique

Peugeot 3008 2015

Foto: Divulgação


A Audi está lançando uma série limitada para o A1 no Brasil. Denominada de Kult e com apenas 100 unidades, a versão especial do compacto da marca alemã perdeu alguns equipamentos de série, mas em compensação chega ao mercado brasileiro por R$ 79.900, preço tabelado muito inferior à versão de entrada Attraction (R$ 91.700).

Utilizando como base a configuração Attraction, a série especial Kult, que ficará disponível por tempo limitado entre o portfólio da Audi, deixa de oferecer alguns itens, ou ainda passará a contar com alguns componentes mais básicos e sem muita sofisticação para tornar o preço mais acessível. Como exemplos dessa “simplicidade” estão o sistema de ar condicionado manual, substituindo o automático, e a adoção de um rádio com leitor de CD e entrada auxiliar no lugar do sistema de navegação requintado.

Mesmo com essa redução na lista de equipamentos de série, o A1 Kult ainda traz airbags frontais, laterais e do tipo cortina, freios ABS com EBD, assistente de partidas em aclives, controle eletrônico de estabilidade, faróis bi-xenon com ajuste automático de altura, além das já tradicionais luzes diurnas de posição compostas por LEDs.

Caso o cliente queira acrescentar alguns equipamentos ao A1 Kult, a Audi oferece o pacote Conforto, que acresce faróis de neblina, sensor de estacionamento traseiro, piloto automático, apoio do braço dianteiro, entre outros itens. Caso o consumidor queira um pacote mais completo, a marca alemã disponibilizou o pacote Conforto e Tecnologia que adiciona os itens já citados acrescido do sistema de ar condicionado automático, sensores de chuva e crepuscular, retrovisor interno com antiofuscamento, Audi Music Interface, conexão via Bluetooth, além do volante multifuncional esportivo que conta com Paddle Shifts para efetuar as trocas de marchas sequenciais.

Sob o capô, a configuração limitada do Audi A1 mantém o mesmo motor 1.4 TFSI de 122 cv da configuração Attraction. Trabalhando em conjunto com o bloco Turbo está uma transmissão S-Tronic com dupla embreagem e sete velocidades, com a opção de trocas de marchas sequencial. 

Por Caio Polo

Audi A1 Kult

Foto: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: