Carros Elétricos – Mitos e Verdades


Confira aqui as principais verdades e mentiras sobre os carros elétricos.

Se você costuma acompanhar as principais tendências do setor automobilístico, provavelmente já ouviu ou leu algo a respeito dos carros elétricos.

Nos últimos anos eles têm surgido com uma frequência cada vez maior em sites especializados, e isso faz com que muitas dúvidas e mitos comecem a surgir.

Para sanar algumas delas, preparamos esse post com alguns dos principais mitos sobre os carros elétricos. Confira e fique por dentro do tema!

São ruins de dirigir

Alguns motoristas dizem que os carros elétricos são ruins ou chatos de dirigir apenas por falta de hábito. Veja bem, quem é amante dos motores a combustão e do ronco característico deles vai sentir falta, pois os elétricos são silenciosos.

Porém, basta pisar no acelerador que esse mito é deixado de lado: apesar de não ter o tão popular ronco, são bem mais potentes que seus concorrentes!

Dão choque quando enfrentam enchentes

Como são carros elétricos esse mito até tem sua razão de ser, mas a realidade é que isso não passa de pura ilusão. As baterias desses modelos são tecnológicas e desenvolvidas para suportar situações de risco, como é o caso de uma enchente.

A bateria não dura e vicia

A bateria de um carro elétrico tem uma durabilidade média de 10 anos. Com uma carga completa, o motorista consegue uma autonomia de até 200 km de acordo com o modelo e a marca do carro. Convenhamos, para a maior parte das pessoas isso é suficiente para um dia inteiro.

Um ponto interessante sobre as baterias de carros elétricos é que elas podem ser carregadas com qualquer percentual de carga. Isso significa que ela não vicia, mesmo que esteja completamente descarregada.

Consome muita energia elétrica

É um ponto complicado, mas ainda assim, se enquadra como um mito dos carros elétricos. Primeiro que é preciso avaliar isso de acordo com a infraestrutura da cidade e do país. Mas nas cidades que contam com carros elétricos e uma boa estrutura, as análises feitas concluíram que eles consomem a mesma energia gasta por ar-condicionado de tamanho médio.

Outras estimativas apontam que o carro elétrico que consumisse cerca de 180 kWh mensalmente, teria um gasto de somente R$0,05 por cada quilômetro rodado.

As baterias explodem facilmente

Graças as evoluções tecnológicas isso não corre o risco de acontecer. As baterias dos carros elétricos já saem de fábrica com um chip de controle. Ele é o responsável por controlar a saída e a entrada de carga. Com isso, não é possível que elas explodam do nada, como já vimos acontecer no passado com aparelhos como smartphones topo de linha.

Todas as baterias são iguais

Mais do que falso! Apesar de algumas características como tempo de aceleração e potência serem semelhantes entre uma bateria e outra, o fato é que são bem diferentes. Por exemplo, a BMW usa um motor híbrido no modelo i3, já a Nissan prefere um motor síncrono com imãs permanentes, enquanto que a Tesla e Renault preferem motores assíncronos e sem imãs.

Autonomia dos elétricos é insuficiente

Já citamos superficialmente a questão da autonomia dos carros elétricos anteriormente. Esses modelos se destacam por oferecer autonomia para 300 km e, não se pode esquecer, que a maior parte de viagens realizadas não ultrapassam os 150 km. Ou seja, dependendo do caso, é possível ir e voltar do destino sem precisar de uma única recarga!

Quando se fala sobre carros elétricos, as pessoas imaginam algo ainda muito distante e de um mundo bem futurista. A realidade é que eles já estão presentes na vida de muitas pessoas. Além disso, a cada dia cresce o número de montadoras que investem nesse segmento e isso sem contar com as companhias de tecnologia como o Google, que também trabalham em projetos nesse sentido.

Gostou de conhecer um pouco mais sobre a tendência e os mitos envolvendo os carros elétricos? Aproveite e assine nossa newsletter para não perder as principais novidades do setor automobilístico!

Por Denisson Soares


JAC iEV 40 – Carro Elétrico Produzido no Brasil


O carro elétrico brasileiro rapidamente se diferenciará dos demais carros da concorrência. Isso se dará por diversos fatores, sendo eles relacionados ao seu desempenho e ao baixo consumo que oferece, bem como a sua ampla lista de equipamentos.

Quem gosta de carros já deve conhecer, nem que seja por imagens e comentários, os carros elétricos. Afinal, os carros elétricos são a grande promessa do setor automobilístico para o futuro. Pois bem, se você nunca teve a oportunidade de ver de perto um carro elétrico, pois eles são fabricados fora do país, chegou a sua hora de poder conferir tudo de pertinho. É que o Brasil já tem um carro elétrico. Ou melhor, um carro elétrico produzido no Brasil. Estamos falando do iEV 40, uma grande aposta da marca JAC Motors do Brasil.

O carro elétrico da JAC já teve sua pré-venda iniciada no dia 25 do mês de janeiro e o seu lançamento já foi realizado no Salão do Automóvel 2019.

Inicialmente podemos dizer que o carro elétrico brasileiro será equipado com uma bateria com uma capacidade máxima de energia de 40 kWh. A JAC Motors do Brasil possui um grande histórico de qualidade tecnológica e é essa mesma tecnologia que estará presente no novo modelo da marca.

Trata-se de um carro com 100% de propulsão elétrica, com uma autonomia de até 300 km, podendo acelerar de 0 km até 100 km por hora em um período de 11 segundos. O carro elétrico vem equipado com todos os itens presentes nos outros SUV's e ainda contará com bancos com revestimento em couro e um kit multimídia com tela de LCD de 8 polegadas, freios regenerativos, câmera 360 graus, i-pedal, alerta de som para pedestres, além de outros itens que são exclusivos do modelo.

Esse modelo foi trazido da China para produção no Brasil, sendo para os brasileiros uma grande novidade, o que é diferente na China, pois lá mais da metade da frota de todos os modelos é com motores elétricos. Somente o JAC iEV 40 vendeu mais de 40 mil unidades no ano de 2018.

Para ser comercializado no Brasil o Grupo SHC, que é representante da marca JAC Motors do Brasil, fez a escolha entre várias configurações de capacidade da carga de bateria e de equipamentos, buscando pela mais equipada, mais completa e de autonomia maior.

O preço anunciado inicialmente foi de R$ 139.990 para a pré-venda. Porém, esse valor já foi alterado por duas vezes em decorrência das taxas cambiais, custando agora um valor acrescido de uns R$ 13 mil. Os primeiros carros já estão sendo entregues aos consumidores e quem se arrepender da compra pode pedir o valor investido inicialmente de volta.

O carro elétrico brasileiro rapidamente se diferenciará dos demais carros da concorrência. Isso se dará por diversos fatores, sendo eles relacionados ao seu desempenho e ao baixo consumo que oferece, bem como a sua ampla lista de equipamentos, entre eles o destaque que fica por conta de um sistema de propulsão 100% elétrico, além de ser muito econômico e silencioso que oferece a grande vantagem de não emitir gases que poluem o meio ambiente e que precisa apenas de 8 horas de carga em uma tomada de 220 volts.

O modelo elétrico além de todas essas vantagens ainda irá exibir recursos de vanguarda que servem para tornar mais fácil a vida do seu usuário. Ele conta com um exclusivo aplicativo para smartphone que possibilita ao condutor a verificação do quantitativo da bateria, situação para recarga e durante o carregamento, autonomia e um interessante sistema para rastreamento e telemetria com o diagnóstico realizado a distância. Com esse dispositivo é possível o controle elétrico também dos vidros, a abertura de suas portas e acionar o ar condicionado, ou seja, é como se tivesse o controle total do carro nas suas mãos.

Nesse sentido, as ruas e estradas do Brasil a partir de agora já poderão contar com os carros elétricos que começaram a ser produzidos no Brasil.

Por Sirlene

JAC iEV 40


Caoa Chery Tiggo 5X 2019 – Lançamento, Especificações


Novo modelo é um SUV sofisticado e com equipamentos e tecnologia de ponta.

O que vem à cabeça da maioria das pessoas quando lembram ou veem coisas da China? Acertou quem se lembrou de “Xing-ling”. Se você é daqueles que acredita que produtos chineses não são bons, pense de novo, pois o Caoa Chery Tiggo 5X chegou para quebrar todos os preconceitos, apresentando um SUV sofisticado e com equipamentos e tecnologia de ponta.

Segurança

Naturalmente, uma das principais preocupações ao se adquirir um carro é em relação à segurança que o veículo proporciona ao condutor e aos passageiros, sobretudo se transportarem crianças. Mas, não se preocupe, pois Caoa Chery Tiggo 5X está muito bem equipado:

  • airbags frontais tanto para o para motorista quanto para o passageiro;
  • as quatro rodas contam com freio a disco e com ABS e EBD;
  • equipamento de controle de estabilidade eletrônico e de tração;
  • supervisão da pressão dos pneus;
  • alarme periférico contra furtos.

Conforto

Se você quer um veículo confortável, com certeza o Caoa Chery Tiggo 5X pode te oferecer um bom custo-benefício, pois o veículo vem equipado com ar-condicionado, cintos de segurança completos, volante que ajusta a altura, sistema de piloto automático, as quatro portas contam com vidros elétricos.

Além disso, a partida do motor se dá por meio de um botão, as portas podem ser travadas à distância e o destravamento pode ser feito sem o uso de chaves. O banco do motorista pode ser ajustado de seis maneiras diferentes e muito mais!

Tecnologia

O automóvel vem com o que há de melhor em questão de tecnologia:

  • computador de bordo;
  • direção elétrica;
  • sistema multimídia;
  • Android e Apple CarPlay;
  • Bluetooth;
  • câmera para monitorar a marcha ré;
  • sistema de som munidos com seis autofalantes;
  • sistema automático de ar-condicionado;
  • sistema de controle de cruzeiro;
  • acendimento automático e ajuste elétrico de altura dos faróis.

Consumo

  • Etanol: O veículo faz 6,7 km/l em vias urbanas e 8 km/l em vias rurais. A emissão de CO2 é nula;
  • Gasolina: Nesse caso, o carro chega a 9,8 km/l nas vias urbanas e 11,7 km/l em vias rurais. No entanto, a emissão de CO2 aumenta para 126 gramas por quilômetro.

Design e dimensões

O único problema do veículo, na verdade, está em seu porta-malas, que dá um espaço de apenas 340 litros. No entanto, em relação ao espaço e conforto para os motoristas e passageiros, o SUV não peca pelo espaço:

  • Comprimento: 4,338 m;
  • Largura: 1,830 m;
  • Altura: 1,645 m;
  • Distância entre-eixos: 2,630 m.

Quanto ao design, podemos dizer que é um SUV com visual com mais personalidade do que os outros carros da mesma categoria. Os materiais são de qualidade superior até mesmo às marcas com tradição no mercado: Os bancos, alavanca de câmbio e as laterais de porta são revestidos em couro, por exemplo.

Motor e desempenho

Quanto ao motor, pode-se dizer que também tem o que há de melhor em tecnologia, assim como o restante do automóvel: motor turbo flex que possui quatro cilindros; o bloco e cabeçote são construídos em alumínio e, por fim, tanto o duplo comando de válvulas quanto o coletor de admissão são variáveis.

Abastecido com gasolina, o Tiggo 5X 2019 alcança 147 cavalos de potência. Já com etanol, temos um leve aumento: 150 cavalos. Seja qual for o combustível escolhido, é possível chegar ao torque é de 21,4 kgfm.

De acordo com a fabricante, o veículo chega de 0 a 100 km/h em 11 segundos e sua velocidade máxima é de 180 km/h.

Se o seu desejo é um SUV compacto, Caoa Chery Tiggo 5X é uma excelente opção em relação ao custo-benefício. O valor estimado para venda é de R$ 86.990, aumentando um pouco caso o condutor queira tirar da garagem um carro já avaliado.

Por Jéssica Lima Cochete

Caoa Chery Tiggo 5X

Caoa Chery Tiggo 5X


JAC iEV 40 – Lançamento no Brasil, Características


Primeiro carro elétrico da JAC Motors será lançado no Brasil com preços a partir de R$ 139.990.

A JAC Motors está lançando seu primeiro modelo de carro elétrico, o JAC iEV 40. Com propulsão 100% elétrica, importado da China e com preços anunciado a partir de R$ 139.990,00.

A pré-venda já foi iniciada no Brasil e, com isso, os primeiros carros devem chegar ao país, por volta de julho deste ano. Segundo a marca, o JAC iEV 40 tem autonomia de 300 km pela bateria carregada completamente de 40 kWh. Para saber essas e outras novidades do modelo e suas características, continue lendo.

Autonomia

Tudo que as pessoas mais querem saber a respeito de um veículo elétrico, é sobre a sua autonomia. Segundo a própria JAC, quando o veículo é carregado em uma tomada de 220 volts, o período para ter a carga completada é de 8 horas. E isso significa que o motorista deverá pagar em torno de R$ 14,00 a R$ 18,00 de energia elétrica, dependendo do local onde mora.

Essa relação de autonomia que o JAC iEV 40 entrega, assim como o valor gasto para carregar a bateria, teria seu custo reduzido em seis vezes menos por quilômetro rodado. Ou seja, além da vantagem de não poluir o meio ambiente, os veículos elétricos também são mais econômicos.

Com o lançamento do modelo elétrico no Brasil, a JAC alega que irá oferecer também, um equipamento de carregamento mais rápido, capaz de carregar 80% da bateria, em apenas uma hora. O que torna o veículo ainda mais eficiente para quem precisa dele com mais rapidez.

Características

Além da potente bateria, o JAC iEV 40 também terá recursos bastante interessantes, como os freios regenerativos, que são capazes de recuperar a energia capturada nas frenagens, e o converter em eletricidade, para abastecer o veículo, o que acaba aumentando ainda mais a sua autonomia instantânea.

Será possível encontrar alertas sonoros para pedestres também nesse modelo, que servem para anunciar, a presença do carro nas ruas. Se tornando um adereço essencial para os cuidados especiais de deficientes visuais e auditivos.

E o i-pedal que serve para que o motorista consiga intensificar a ação do freio, podendo ser regulado de forma individual para cada condutor, tanto para a opção do modo ECO, onde o motorista quase não precisa usar o pedal de freio, e toda vez que tira o pé do acelerador o carro reduz a velocidade de forma instantânea. Isso acaba poupando os freios e consequentemente triplicando a vida útil dos discos e pastilhas.

O interior do JAV iEV 40

O design interno é dos mais modernos, com central multimídia e tela de 8 polegadas, sistema completo de câmeras que permite a visão de 360° por todo o veículo, bancos de couro, além de outros recursos que já possuem em um carro completo.

Concorrência

De todos os elétricos que estão sendo anunciados, nenhum deles ainda está disponível em lojas no país. Mas boa parte deles já possui a concorrência formada. A Chevrolet foi a primeira a anunciar seu primeiro carro elétrico, o Bolt no Salão do Automóvel de 2018, com preço estimado de R$ 175.000,00, seguido do Leaf da Nissan, que terá preço a partir de R$ 178.400,00.

Com isso a Renault não ficou de fora, e anunciou o Zoe, que também já está com a pré-venda ativa no Brasil, e tem o preço bem próximo do JAC iEV 40, beirando os R$ 149.990,00. E para o ano de 2019, também são esperados os modelos elétricos da Audi e-tron, e o EV, da Kia Soul. A Hyundai também está prometendo trazer o modelo Ioniq para o Brasil, mas ainda não há data confirmada oficial para o lançamento.

Por Susan Nogart

JAC iEV 40

JAC iEV 40


Volvo XC40 2020 – Primeiro Carro Elétrico da Marca


Modelo ira estrear na Europa no próximo ano e ainda não possui previsão de lançamento no Brasil.

Uma nova estreia no mundo automobilístico está sacudindo a mídia há algum tempo. Uma das gigantes europeias, entre as maiores indústrias automobilísticas, está prestes a lançar nova versão de um de seus modelos.

A companhia Volvo consiste em uma cooperativa de origem sueca, fundada no ano de 1927, a partir de uma grande empreendimento de engenheiros, no município de Gotemburgo. O termo Volvo, em latim, expressa o seguinte: Eu Rodo ou, por uma analogia, Eu Guio.

Esta grande companhia conquistou um privilegiado patamar na produção de veículos comerciais, tornando-se uma empresa de destaque mundial, entre uma das maiores indústrias automotivas no ramo de frotas de caminhões em todo o mundo. Embora seja uma das líderes no ramo, a empresa atua em outros segmentos, que estão sendo regidos pelas subsidiárias mais recentes.

Entre as ramificações da Volvo estão as seguintes: a Volvo Camiões (ou caminhões) e a subsidiária Autocarros (que produz ônibus); a Volvo Equipamentos de Construção; a Volvo Penta; a Volvo Aero e a subsidiária Volvo Serviços Financeiros. Esta multinacional também é a proprietária da grande empresa Mack Trucks.

Direto ao ponto:

Embora ainda sem uma data oficial de estreia confirmada, a companhia Volvo está prestes a fazer revelar a nova versão, de tipo 100% elétrica, do modelo XC40, que será apresentado ao consumidor, no máximo, até o fim deste mesmo ano de 2019.

Desde a sua pré-estreia ele foi considerado, oficialmente, como o Carro Premium do Ano, em 2018. Trata-se de um veículo configurado como o modelo inicial desta empresa a ser produzido em uma versão totalmente elétrica.

Este mesmo lançamento consiste em uma bem elaborada estratégia, empreendida pelos gestores, de modo a colocar a Volvo na frente da competição, no sentido de gerar um número de vendas, em termos de veículos elétricos, que resultem em, pelo menos, metade das vendas da multinacional até o ano de 2025.

Este novo modelo, o XC40, está sendo produzido por meio da chamada plataforma CMA, ou Compact Modular Architecture, a qual foi projetada a partir de uma parceria com a cooperativa chinesa intitulada Geely, que a utilizava para a produção da versão que está no mercado, atualmente. Ou seja, se trata de parceria com uma companhia chinesa, a grande empresa sueca pretende produzir em massa.

Desde o mês anterior que a empresa Volvo fez divulgar que o modelo XC40 será suplementado, ou seja, ele vai ser vazado, também, em uma outra versão, que funcionará por meio de um sistema de propulsão tipo híbrida.

Entre os primeiros modelos que serão suplementados com essa novidade, está a versão T5 Twin Engine, sendo que na sequência o próximo agraciado será o modelo T4 Twin Engine.

Sobre a comercialização deste veículo no Brasil, seguem as informações:

Até o momento, não foram divulgadas quaisquer informações sobre a sua comercialização em território brasileiro. No Brasil temos os seguintes modelos: o XC60, XC90 e o S90, que constituem as poucas versões de veículos híbridos, produzidos pela Volvo, em circulação pelo nosso mercado. Mesmo assim, os especialistas estão otimistas.

Atualmente, existe uma previsão para a chegada, no Brasil, a partir do mês de agosto, do modelo S60, o qual será devidamente integrado a esse time de potência. Os tipos SUVs híbridos, de origem sueca, estarão sendo comercializados a partir de valores entre 300 mil e 510 mil reais.

De acordo com os gestores da Volvo, o New XC40, elétrico, está programado para começar a rodar pelas ruas europeias no ano de 2020. Entretanto, ainda não há informação alguma sobre a estreia deste SUV elétrico em território nacional.

Paulo Henrique dos Santos


Carros Elétricos no Brasil 2019 – Modelos e Preços


Confira aqui a lista de carros elétricos que são vendidos no Brasil atualmente e os seus preços.

Não é de hoje que a tecnologia dos carros elétricos vem atraindo e chamando cada vez mais atenção dos consumidores. O que antes tínhamos apenas a opção de um modelo e de categoria, agora são cinco. Isso sem confundir os carros elétricos no Brasil, com os híbridos.

A BMW lançou o i3, que era um dos únicos a representar a categoria, é também o mais caro dentre todos eles, mas chegou o momento de novos modelos também serem lançados. Durante o evento do Salão de São Paulo, muita novidade foi mostrada, mas nenhuma se mostrou de fato acessível. O problema não é apenas no Brasil, por ser um tipo de carro caro no mundo inteiro, mas pela importação e os impostos.

A popularização

Contudo, a popularização dos carros elétricos no Brasil está para acontecer, embora os preços sejam altos. Para você conhecer todos os modelos que chegarão ao mercado em breve, e os seus preços, fizemos uma lista com todos os eles para que você conheça o que está por vir dentro do mercado automobilístico.

Renault Zoe

Embora as vendas desse modelo ainda não terem sido regularizadas, ele já era vendido na Europa e agora será oferecido no Brasil. Um dos carros elétricos mais baratos, já possui pré-venda no site da empresa, tanto para São Paulo quanto para Curitiba. A Renault também informou que em novembro já pretende estar vendendo em outras cidades.

O diferencial desse carro é que ele exige uma instalação para seu carregamento em casa. Mas essa também deve se tornar uma exigência para outros veículos elétricos. Esse equipamento custa por volta de R$ 5.130,00, enquanto que o carro custa R$ 149.990,00.

Jac iEV40

Apresentado no início desse ano de 2019, o modelo foi o último lançamento do Brasil, com parceria de desenvolvimento da Volkswagen na China. O modelo já tem pré-venda liberada no site da Jac, com previsão de vendas nas concessionárias em julho deste ano.

Na lista de carros Elétricos no Brasil ele é o mais barato, custando o valor aproximado de R$ 139.990,00. Possui garantia de 5 anos, incluindo as baterias.

Chevrolet Bolt

Aderindo também a moda dos carros elétricos no Brasil, o Bolt é o modelo da Chevrolet, que pretende concorrer de frente com o modelo da Nissan. O motorista possuirá um pedal com sistema de freio, ao tirar o pé do acelerador, o carro freia. Com isso, o controle do veículo fica apenas em um único pedal, quando este modo estiver ativo.

Durante o seu lançamento, o valor sugerido foi de R$ 175.00,00, porém, o modelo ainda não se encontra em pré-venda, mas deve chegar às lojas ainda esse ano. A marca também mostra que em tempos de carros recarregáveis, o Bolt disponibiliza uma autonomia de 40 km, se carregado por 1 hora em uma tomada de 220 volts.

Nissan Leaf

O modelo mais vendido em todo o mundo, é o mais antigo da categoria. Pioneiro, lançado em 2010, demorou a chegar no Brasil. O novo modelo já está em pré-venda no site da Nissan, e sua comercialização no país deve começar por volta de novembro.

O sistema de pedal é o mesmo do Bolt, uma tecnologia criada pela Nissan, com frenagem regenerativa, controlada pelo pé do condutor. Com valor estipulado de R$ 178.400,00.

BMW i3

Sendo o primeiro modelo a ser vendido para os brasileiros, o BMW i3 é o mais caro da categoria e representou os carros elétricos sozinho no país por muito tempo. Quando quiser carregar o veículo é preciso uma tomada doméstica de 220 volts, ou comprar o carregador da marca, que acelera o processo em menos tempo.

O preço oferecido no mercado é de R$ 199.950,00 para o modelo Rex, R$ 211.950,00 para o Rex Connected e R$ 239.950,00 para o Rex Full. Todos são vendidos apenas sob encomenda e possuem um diferencial da marca, que é um extensor de autonomia, como forma de motor a gasolina. Esse extensor possui a função de alimentar o motor elétrico, gerando energia sozinho, podendo rodar até 85 km a mais.

Por: Susan Nogart


Citroen C4 Elétrico – Lançamento, Características


Citroen pretende lançar em breve o modelo elétrico do C4.

Desde o ano de 2018, um novo lançamento está chamando a atenção de especialistas no segmento de automóveis.

Dado que houve significativo crescimento na produção de modelos SUVs e de modelos crossovers, esta tendência também moveu a gigante francesa Citroën, que produziu o novo modelo C4. Este veículo foi oficialmente lançado em quase todos os centros de comércio ou concessionárias, logo após a estreia oficial do modelo C4 Cactus.

Entretanto, os especialistas lançaram novos dados que abrangem algo inédito no segmento, ou seja, a companhia fez alterar a sua estratégia de modo que o modelo C4 será produzido, paralelamente, em nova geração, cujo processo de construção se dá sobre a nova plataforma dita CMP.

Este mesmo modelo estreou dentro da linha de competitividade no mercado dos veículos compactos, e, para surpresa de muitos, o mesmo modelo ganhou uma versão elétrica, de modo a fazer frente ao novo Volkswagen I.D.

Todas estas notícias saíram, oficialmente, no site britânico especializado intitulado Auto Express, cuja matéria publicou diversas entrevistas diretas com todos os executivos do grande Grupo PSA. Alguns destes representantes concederam entrevistas, ao longo do evento anual no Salão de Paris, declarando que este novo C4 tornou-se a prioridade neste momento, da companhia. Este segmento tem muita força no mercado competitivo.

Um dos grandes empresários, que ocupa cargo de vice-presidente de engenharia do Grupo PSA, divulgou, na ocasião, a chegada do modelo elétrico do new Citroën C4. Tratava-se de um importante programa para este segmento C, inteiramente baseado na já citada plataforma CMP, para a nova geração do Citroën C4. Além desta notícia, foi divulgada a companhia está trabalhando em novo projeto, que consiste em uma versão elétrica do C4, utilizando a base de tipo e-CMP.

Um dos engenheiros da empresa deixou bem claro que este modelo pode acomodar até 60 kWh. Está munido de um tipo de bateria de porte padrão, o novo Hatch estará capacitado para entregar uma autonomia de até 350 km, utilizando a carga ao longo de todo este percurso. Esta ficha técnica, em termos de velocidade, do ponto de vista da PSA, constitui o verdadeiro ideal que poderá atender a quase todas as necessidades dos clientes da companhia, contando com valores mais acessíveis e que não trarão prejuízos para a companhia.

Este aperfeiçoamento foi proporcionado pela PSA que já havia anunciado a capacidade de a plataforma e-CMP comportar modelos de baterias com potência até 50 kWh. Entretanto, dado que o modelo C4 consiste em um carro munido de Entre Eixos de maior extensão, o mesmo seria mais bem equipado de baterias de maior força e durabilidade.

Assim, este novo modelo Citroën C4 se mantém firme no mercado, neste início de 2019, sendo comercializado munido de motor a combustão. Outros líderes da companhia explicam que desde que foi lançado no mercado, ele está dando um bom retorno, o que justifica, portanto, a tendência de a multinacional decidir pela produção de uma versão elétrica do mesmo, embora sejam mantidos todos os modelos equivalentes, movidos a gasolina e também a diesel. Modelo robusto, compacto, popular e acessível ao consumidor geral.

Sobre a companhia:

A Citroën consiste em uma das maiores empresas no ramo de automóveis, de origem francesa. A sua matriz está localizada na grande Paris, ou seja, em um dos grandes centros do mundo. No princípio, tratava-se, apenas, de uma espécie de fabricante atrelada a projetos relativamente mais simples, mas, o modelo de automóvel da Citroën assombrou o mundo, no ano de 1935, portanto em sua estrutura o inovador dispositivo Traction Avant.

Por Paulo Henrique dos Santos

Citroen C4 elétrico


Estudos são realizados para que o custo dos Carros Elétricos seja mais baixo


Diversas iniciativas em andamento visam encontrar alternativas que possam diminuir o custo dos carros elétricos.

Se dependesse apenas de seus custos de rodagem e de manutenção, seria muito fácil convencer todos os consumidores a realizar a troca de seus carros a gasolina para os modelos elétricos.

Afinal, poder rodar com eletricidade será muito mais barato e a manutenção de seus carros elétricos será bem mais simples e muito menos frequente.

Um dos principais obstáculos em toda a disseminação desses elétricos, porém, está em seu custo para compra desses carros, sendo que, além deles trazerem as tecnologias relativamente novas, esses elétricos usam alguns componentes que dependem dos materiais raros e que, portanto, são muito caros.

Neste momento os fabricantes e as universidades em todo o mundo estão investindo milhões de dólares e muitas horas de estudos para poder pesquisar novos materiais que possam custar menos e que sejam tão eficientes aos que são usados até agora.

Aqui reunimos as três iniciativas que já estão em andamento. Essa primeira é da montadora japonesa Toyota, que já está desenvolvendo uns ímãs que usam outros metais alternativos para substituir os raros que são usados em sua produção.

Outra muito importante é da Universidade em Córdoba, na Espanha, que construiu um tipo de bateria do material de grafeno, muito mais barata e mais eficiente do que as utilizadas no momento, de lítio.

E a terceira é de uma universidade norte-americana, a Universidade na Califórnia Riverside, que realizou a troca da cara platina que é empregada nas células do combustível pelo o módico cobalto.

O foco dessa pesquisa realizada pela Universidade na Califórnia são as células para o combustível, que ainda infelizmente são muito caras em comparação com as outras tecnologias para propulsão elétrica.

Só para termos uma ideia na diferença de seus valores, nos Estados Unidos, um modelo elétrico puro Tesla Modelo 3 está custando hoje US$ 35.000, e um elétrico sendo fuel-cell, como o modelo Toyota Mirai, sai em média US$ 57.500.

Os norte-americanos estão desenvolvendo uma tecnologia para baratear substancialmente o seu custo nas células ao substituir essa platina que é usada no seu catalisador pelo cobalto, material que está custando cerca de mais ou menos 100 vezes menos.

Essa platina tem sido aplicada em todos os catalisadores das células, além dela ser rara e cara, possui outro problema que é na sua perda de propriedades ao passar do tempo.

Ao contrário se fosse de cobalto, que é muito abundante e pode degradar muito mais lentamente.

Essa troca da platina pelo cobalto ainda não foi uma operação muito simples de substituição.

Esse catalisador fabricado pelos americanos é feito com nanofibras de carbono, as quais o material do cobalto fica depositado, na sua produção ele requer um processo muito sofisticado para poder conseguir uma membrana na mesma eficiência da platina.

Assim como em caso das baterias em grafeno, essa Universidade da Califórnia não está sozinha nessa busca de outras alternativas à platina.

Nos Estados Unidos e outros países tal como a Coreia do Sul, existem já outros centros que estão pesquisando e caminhando para essa nova direção, usando até outros materiais, como o grafeno e o óxido de cobalto.

Mas sem dúvidas, os californianos parecem estar mais perto de conseguirem viabilizar o seu dispositivo comercialmente.

Apontado também como uma alternativa ao lítio que é usado nas baterias, o material grafeno que é uma das formas mais cristalinas do carbono, talvez hoje seja o material que está sendo mais pesquisado nessa área da mobilidade, no mundo todo.

Um dos trabalhos que estão bem adiantados no sentido está sendo desenvolvido pela a Universidade de Córdoba com associação de algumas empresas espanholas, entre elas está a Graphenano que está fornecendo o grafeno na sua forma de polímero e outra muito importante é a Grabat Energy que é responsável pela produção dessas baterias.

De acordo com alguns pesquisadores, esse grafeno substitui com muitas vantagens o lítio, e já estaria no seu limite do rendimento para as baterias. Segundo eles, essas baterias feitas de grafeno terão uma maior densidade em energética, com menor tempo para sua recarga, e sua vida útil seria mais longa, com um preço bem menor, na comparação entre as baterias de lítio.

Baseado nos números, esse projeto dos espanhóis está prevendo uma densidade ao torno de um total de 600 Wh/kg em relação a 140 até 160 Wh/kg dessas baterias em lítio, o que permitiria a um carro poder rodar até 1.000 km em uma única carga, baseando em um Tesla S, que, por exemplo, possui uma autonomia de até 400 km.

Além disso, seu tempo de recarga é cinco vezes ainda mais rápido; a sua vida útil é de duas vezes maior e o seu preço final é de 77% a menos. Já existem hoje duas fábricas de automóveis alemãs que estão interessadas em fazer a instalação dessas baterias nos seus carros.

Já o objetivo da montadora da Toyota é poder substituir o neodímio, que é um dos materiais que são mais utilizados em toda fabricação dos ímãs para os motores elétricos.

Esse neodímio desempenha um papel muito importante na manutenção de todo magnetismo e na sua resistência ao calor.

Mas, como os outros metais que são de terras raras, ele também ocorre em minérios e apresentam apenas pequenas quantidades nesse tipo de material na sua composição, o que faz com que a demanda e o tratamento para um grande volume desse minério e sua retirada em pequenas quantidades dos elementos.

E, além desse fator, o neodímio ele é um metal muito difícil de separar dos seus demais compostos do mesmo grupo.

Esse ímã desenvolvido pela montadora da Toyota não dispensa o uso do neodímio, mas ela utiliza somente uma pequena fração uma cerca de 50% em sua quantidade aplicada dos seus ímãs até agora.

Por Ricardo Ferreira Rodrigues

Carros elétricos


Chevrolet Bolt EV – Lançamento no Brasil


Modelo 100% elétrico deverá ser lançado no Brasil até 2019.

O uso de carros elétricos aqui no Brasil ainda está vivendo um estágio experimental. Mas com certeza não estamos longe do dia em que serão vistos com muita frequência nas ruas dos nossos centros urbanos.

Apesar de algumas dificuldades já conhecidas, sendo um dos principais os seus custos elevados e também a falta de uma infraestrutura adequada, o lançamento do modelo da Chevrolet intitulado como Bolt EV, um modelo 100% elétrico, que dará um grande impulso nesse sentido. No momento, a GM está trabalhando nos preparativos para o lançamento do carro por aqui no Brasil, e deve ocorrer até no máximo em 2019.

Essa unidade já aparece nas fotos de uma das empresas que trouxe para algumas avaliações. A GM global está baseando sua estratégia do futuro nesses três pilares: a eletricidade, a conectividade e o compartilhamento, e sua filial brasileira já está seguindo à risca suas diretrizes.

O Bolt já foi lançado nos Estados Unidos no início desse ano de 2017 e tem planos ousados já para o Brasil, recentemente o seu presidente da empresa GM Mercosul, o senhor Carlos Zarlenga, declarou que de forma alguma não se surpreenderia em ver o Bolt sendo produzido no Brasil ainda nos próximos dez anos se tudo ocorrer como planejado.

Também não custa lembrar, pois a marca é pioneira em ofertar centrais de multimídia nos seus segmentos de entrada para o país e iniciará ainda neste ano a sua operação comercial para compartilhamento de seus veículos com a Maven.

Ela foi criada em janeiro do ano de 2016, nos EUA, a empresa Maven atua por aqui desde junho do ano de 2016, o Brasil segue sendo o primeiro lugar ao qual a empresa se instalou longe do seu país-sede.

O Bolt EV é ainda apenas uma parte mais visível dos novos planos da GM para ocupar as estradas com carros elétricos no Brasil.

Lá nos EUA, o Bolt em seu formato básico custa na faixa de US$ 37.500, e pode até ser alugado pelo valor de US$ 8/hora. Baseado nesses valores e também considerando a taxa de câmbio, os custos de transporte, as margens e os impostos, poderíamos calcular que ele estaria custando hoje por aqui cerca de R$ 250.000.

Mas há uma grande expectativa em relação ao seu valor, pois com as mudanças no conteúdo e dos impostos, já que o governo promete abaixar os valores dos impostos para os carros híbridos e elétricos o seu preço pode cair muito ainda até chegar no comércio nacional.

O novo Chevrolet Bolt EV Cabine é para comportar até 5 pessoas.

A escassez dos pontos para recarga ainda é um sério problema. Porém, o motorista pode conseguir administrar essa situação abastecendo seu veículo em casa. Nos EUA, o novo Bolt traz um carregador pessoal para conexão através de tomada industrial com 240 volt/32 ampere que de acordo declarado pela fábrica, ele carrega no período de uma hora energia suficiente para percorrer 40 km.

E há um kit opcional para carga rápida para corrente contínua que pode permitir o abastecimento necessário para conseguir rodar 144 km em até 30 minutos. O Bolt possui baterias de lítio com uma capacidade de até 60 kWh. São ao todo 288 células agrupadas de três conjuntos que são instalados sob o seu piso da cabine. O seu motor e a sua tração são dianteiros.

O Bolt possui duas telas. A menor, é de 8 polegadas, e fica em frente o volante e, além de velocidade e de outras informações do seu computador de bordo, ele traz um indicador para a quantidade da carga nas suas baterias e a sua autonomia e estimativa de alcances mínimo/máximo, para as condições de uso.

O modelo Chevrolet Bolt EV além de mostrar a velocidade, o painel também mostra autonomia, o consumo instantâneo e as luzes dos seus sistemas de segurança.

Já a maior, possuindo 10,2 polegadas, abriga uma central multimídia com sistema de som, GPS além de ar-condicionado e também um aplicativo com seu histórico do consumo desde seu último carregamento, com as informações até de como a sua energia foi consumida em relação a função de rodagem, a climatização da cabine, além de uso de acessórios e com refrigeração da sua bateria.

Por Ricardo Ferreira Rodrigues

Chevrolet Bolt EV

Chevrolet Bolt EV


BMW iX3 – Lançamento do SUV Elétrico


BMW apresentou o SUV elétrico iX3 que deverá ser exportado para o mundo todo em 2020.

Toda estreia de um novo automóvel torna-se um evento de grande popularidade e sucesso comercial. Recentemente a companhia BMW obteve grande destaque na última edição do evento anual do Salão de Pequim. Foi apresentado ao mercado internacional o SUV elétrico de título iX3, o qual não tardará em aterrissar nos solos dos variados mercados em todo o mundo, dentro desta versão de produção.

Isso é um fato consumado, já que houve a confirmação anunciada nesta mesma semana pela própria montadora, a BMW, a respeito do local de fabricação deste modelo e sobre a data exata em que essa novidade será comercializada, inicialmente, em todas as concessionárias. De acordo com o que foi estabelecido oficialmente, este modelo utilitário será produzido somente sob a planta de fabricação na indústria chinesa localizada em Shenyang. Esta será a fonte de produção do iX3, de onde será exportado para o mundo inteiro a partir do ano de 2020.

Em sua integridade, todo o processo de produção será realizado em perfeita parceria com a famosa Joint Venture local da BMW Brilliance Automotive, a qual, também, participou na produção de até dois terços de todos os automóveis da BMW, entre os mais vendidos em território chinês no ano passado, 2017. A indústria BBA chega a montar cerca de sete modelos distintos dessa marca em toda a China, a qual possui três unidades fabris, das quais, duas delas produzem somente automóveis e uma apenas os motores; esta última montadora possui uma ala específica destinada à produção das baterias para os carros elétricos.

Entretanto, a respeito do próprio automóvel, o iX3, é muito importante informar que o seu protótipo, já apresentado no início deste mesmo ano, estava munido de motor elétrico, cuja potência chega a 270 CV e de uma bateria potencializada com 70 kWh com capacidade, no sentido de registrar uma marca que chegue até aos 400 quilômetros em autonomia, em termos de ciclo WLTP. A companhia deixou claro, em uma nota oficial, que este automóvel pode, em uma estação de recarga rápida, ser reabastecido em até 30 minutos, ou seja, recarga rápida, no sentido de alcançar a carga máxima de seu dispositivo.

A companhia BMW confirmou a comercialização deste modelo a partir do ano de 2020, configurando o início oficial de sua produção, ou seja, do modelo SUV elétrico BMW iX3. Esta versão deriva diretamente do modelo X3, a qual começará a ser produzida na China e destinada ao seu mercado local, como também à exportação, por meio da já citada Joint Venture entre a empresa alemã e a própria montadora chinesa Brilliance, a qual, no ano passado, tornou-se a única responsável pela produção de dois terços dos modelos da BMW comercializados pelo território do país asiático, como já foi citado.

Entre outros atributos ele possui, além da potência de 270 CV, que apresenta desempenho razoavelmente superior aos 252 CV de força do X3, xDrive30i X Line, e de sua autonomia de até 400 quilômetros, a vantagem de ser o primeiro SUV integralmente elétrico da BMW. Esta companhia tem conseguido surpreender seus clientes, estabelecendo equivalência com a concorrência.

Assim, a partir do ano de 2020, qualquer modelo da BMW poderá ser produzido de modo eletrificado. Outra notícia confirmada pelos especialistas de plantão é a de que a empresa realizou o patenteamento de todas as suas nomenclaturas, em termos de produção.

Trata-se, portanto, de uma antevisão do futuro automobilístico, que tende ser mais “ecologicamente correto”, por assim dizer, garantindo, também, maior economia em muitos sentidos. O que está se operando, de fato, é uma verdadeira revolução tecnológica invadindo o universo automobilístico. As notícias ainda são poucas a respeito dessa nova estreia, mas, vale pena conferir.

Por Paulo Henrique dos Santos

BMW iX3

BMW iX3

BMW iX3


Redução no IPI de Carros Elétricos e Híbridos


A partir de Novembro Carros Elétricos e Híbridos devem ficar mais baratos.

Na última sexta-feira (dia 06 de Julho de 2018) finalmente foi publicada as alíquotas e suas respectivas faixas de redução de preço para veículos elétricos e híbridos a serem vendidos no mercado nacional, a principal novidade é que a redução será baseada em dois critérios principais, a eficiência energética e o peso, exemplificamos elas abaixo:

Carros Híbridos com índice de eficiência energética igual ou menor a 1,10 Mj/km

  • Pesando até 1.400 kg: alíquota de 9%
  • Pesando na faixa de 1.401 kg até 1.700 kg: alíquota de 10%
  • Com peso superior a 1.701 kg: alíquota de 11%

Carros Híbridos com índice de eficiência energética entre 1,11 Mj/km e 1,68 Mj/Km

  • Pesando até 1.400 kg: alíquota de 12%
  • Pesando na faixa de 1.401 kg até 1.700 kg: alíquota de 13%
  • Com peso superior a 1.701 kg: alíquota de 15%

Carros Híbridos com índice de eficiência energética acima de 1,68 Mj/Km

  • Pesando até 1.400 kg: alíquota de 17%
  • Pesando na faixa de 1.401 kg até 1.700 kg: alíquota de 19%
  • Com peso superior a 1.701 kg: alíquota de 20%

Carros Híbridos com índice de eficiência energética acima de 1,68 Mj/Km

  • Pesando até 1.400 kg: alíquota de 17%
  • Pesando na faixa de 1.401 kg até 1.700 kg: alíquota de 19%
  • Com peso superior a 1.701 kg: alíquota de 20%

Carros Elétricos com índice de eficiência energética igual ou menor que 0,66 Mj/Km

  • Pesando até 1.400 kg: alíquota de 7%
  • Pesando na faixa de 1.401 kg até 1.700 kg: alíquota de 8%
  • Com peso superior a 1.701 kg: alíquota de 9%

Carros Elétricos com índice de eficiência energética entre 0,67 Mj/km e 1,35 Mj/Km

  • Pesando até 1.400 kg: alíquota de 10%
  • Pesando na faixa de 1.401 kg até 1.700 kg: alíquota de 12%
  • Com peso superior a 1.701 kg: alíquota de 14%

Carros Elétricos com índice de eficiência energética acima de 1,35 Mj/Km

  • Pesando até 1.400 kg: alíquota de 14%
  • Pesando na faixa de 1.401 kg até 1.700 kg: alíquota de 16%
  • Com peso superior a 1.701 kg: alíquota de 18%

(Futuros) Híbridos Flex também podem entrar na conta

O governo também sinalizou descontos de até 2% no IPI para Carros Híbridos com motorização que aceita tanto etanol como gasolina, isto significa uma redução de imposto de 7% a 18%, dependendo sempre do seu índice de eficiência energética e peso. Por enquanto a única montadora com projetos e interesses nesta área é a Toyota, que já anunciou estar fazendo testes com o seu modelo híbrido Prius, gerando uma versão flexível (Prius Flex), porém, não existe informação oficial quando ou se efetivamente o veículo será lançado.

Os preços tendem a ser reduzidos a partir de Novembro, o mercado costuma reagir positivamente a este tipo de incentivo, porém, a quantidade de modelos e suas versões para o mercado ainda é uma incógnita, o governo respondeu a uma necessidade primária de oferecer regras mais claras com políticas de incentivos e reduções de impostos desde que a indústria obedeça determinadas regras, agora cabe ao mercado responder com os seus interesses e produtos.

A título de informação, atualmente o mercado conta com pouquíssimas opções para venda, dentre elas a mais popular é o Toyota Prius, um carro híbrido com preço em torno de R$ 126 mil, que acumula vendas até o mês de Junho de 2018 de 1.472 unidades ou em média 245 carro ao mês, quer dizer um volume muito baixo e com certeza aquém da demanda de consumidores interessados neste tipo de produto.

A BMW também oferece o BMW i3, trazendo sua nova geração por pouco mais de R$ 200 mil, com maior autonomia devendo baixar seu preço final, uma vez se enquadrando nas faixas propostas.

Apesar da aparente escassez a curtíssimo prazo, as montadoras nacionais e importadores prometem movimentar este cenário ainda este ano, a Volkswagen promete trazer o Golf GTE e a Nissan também confirmou seu elétrico, o Nissan Leaf, o carro elétrico mais vendido no mundo.

Tudo isto somado ao novo conjunto de regras positivas anunciadas pela Rota 2030 e que deve finalmente fazer deslanchar todo mercado automotivo.

Autor: Carlos B.


Volkswagen e-Golf – Características, Especificações


Carro elétrico Volkswagen e-Golf tem um grande desempenho e se mostra muito econômico.

Antes de falar sobre o carro, é necessário citar a importância de um carro elétrico no cenário nacional, já que atualmente se temos são muito poucos e não são nacionais também. Primeiramente dizendo qual a importância é bom saber o quanto este carro mudará o cenário de automóveis, tanto na parte de desempenho veicular quanto na montagem bem diferente na parte do motor, isso pode ser uma provável supervenda de novos veículos e com toda essa nova tecnologia consequentemente a atração de novos compradores pode ser maior, ainda mais para aqueles que visam à ajuda do meio ambiente.

Além das características físicas do carro, deve-se saber também qual a contribuição dos mesmos para o meio ambiente, ao não usar combustível como, por exemplo, álcool, gasolina ou diesel, o carro não estará liberando poluição na atmosfera, um superuso de carros desses tipos muito provavelmente aumentará nossa qualidade de vida e tornará o cenário mundial mais sustentável e adepto cada vez mais para os seres vivos que nele vivem, mas para isso devemos esperar que as empresas lancem esses modelos que em sua maioria estão na fase de testes, mas graças a algumas grandes como a Volkswagen podemos ter grandes notícias que é o caso do e-Golf, abaixo veja as características do carro.

Características

De primeira mão o que ajuda muito no e-Golf é sua autonomia, na cidade é um ótimo carro com um grande desempenho e se mostra claramente muito econômico.

Pensando agora em relação à sua velocidade, como possui as baterias atuais lítio-íon de 38,5 kWh, sua velocidade pode chegar a 200 km/h, isso é bem surpreendente para um elétrico e consequentemente uma notícia muito chamativa para o público comprador.

Para carregá-lo em estações próprias, pode ser adquirido 80% de carga em apenas uma hora, ou seja, um carga rápida e eficiente. Agora para quem deseja fazer o carregamento em tomadas normais, para ter o carregamento na mesma proporção, dura cerca de 6 horas.

Design

Na questão de design, como segue o exemplo do Golf normal, não muda muito, isso por que ele é diferente, mas não em parte estética, o que muda de mais chamativo é sua linha na parte frontal que no e-Golf é azul.

Parte tecnológica

Na parte interna, na maioria dos atuais produzidos, pode-se notar um display para a interação condutor x veículo, e no Golf não seria diferente, sendo um display de 8 polegadas que tem algumas compatibilidades com plataformas famosas como Apple CarPlay e o Android Auto. Sabendo disso é possível que possam ser conectados smartphones com este veículo para que se faça o uso de algumas coisas que sejam necessárias e fiquem facilitadas no carro.

Outra coisa que facilitará esta interação é o Car-Net e também e-Remote, onde é possível ajustar algumas coisas no carro e receber algumas informações como, por exemplo, a climatização geral do carro, e também saber o nível de bateria, ficando mais fácil para saber quando deverá carregá-lo e o quanto tem atualmente.

Outra coisa opcional que pode ser adquirida é o "Sistema de assistência ao condutor", o mesmo proporciona algumas informações para quem conduz, como os lugares que possuem congestionamento, assistência para estacionar e isso é uma grande facilidade para o condutor.

Preços

Apesar de todas essas informações que já foram cedidas, o preço real ainda não foi divulgado, mas é esperado que seja em breve, apesar disso ainda podem ser esperados alguns valores, já que ele já é comercializado em alguns lugares do mundo, por exemplo, nos EUA, e lá sai pelo preço de US$ 30,5 mil e fazendo a conversão para a moeda brasileira espera-se o preço de em média R$ 100.000,00.

Por Gustavo Martins

Volkswagen e-Golf

Volkswagen e-Golf


Nissan Leaf – Características, Vendas no Brasil


Carro elétrico Nissan Leaf será vendido no Brasil em breve.

A Nissan lançará no Brasil seu modelo chamado Leaf, ele já é o carro elétrico mais vendido em todo mundo. Esse modelo fará parte da nova estratégia que a marca adotará para o país, que irá incluir os modelos híbridos.

Esse carro deve ser apresentado para todo o país durante a feira do Salão do Automóvel em São Paulo ainda neste ano de 2018, com início de suas vendas previsto para o começo do ano de 2019. Essa confirmação foi feita ainda na feira de Tóquio, que está aberta ao público até o dia 5 de novembro.

O Leaf está já na sua segunda geração e algumas unidades de sua versão anterior já circulam pelas cidades entre São Paulo e o Rio de Janeiro, mas ainda só como táxis ou até mesmo carros de polícia que foram cedidos pela montadora Nissan em um certo período de testes.

Esse modelo atual está sendo vendido em três versões e podem trazer baterias com uma autonomia de 320 quilômetros. Seu motor elétrico gera até 150 cv em potência.

De acordo com seu presidente da Nissan na América Latina, ainda é um pouco cedo para definir um preço para o Leaf no Brasil. Porém seu bom desempenho de vendas no mundo todo se deve aos seus valores praticados, que estão na faixa de R$ 95 mil com incentivos fiscais na América, mas para o Brasil não se espera um valor abaixo de R$ 120 mil.

O desenho está muito alinhado aos modelos de carros da Nissan, não tanto futurista quanto o seu modelo anterior do Leaf. As suas dimensões são também similares às da perua de um porte médio, porém seu desenho remeta a mais de um modelo hatch.

As suas rodas são grandes, possuindo 17 polegadas e seus pneus são mais largos do que já foram vistos nos carros elétricos.

Há também um bom espaço em seu banco traseiro, onde todos os ocupantes podem viajar com seus joelhos em uma posição alta, similar ao espaço das picapes médias. Isso pode ocorrer devido à posição das baterias, que estão instaladas sobre o assoalho.

Tanto seus assentos dianteiros como traseiros também podem ser equipados também com um sistema inovador de aquecimento. Porém o uso dessa tecnologia diminuirá significativamente a sua autonomia da bateria.

O seu espelho retrovisor parece ter dobrado de tamanho, em contraste com um volante pequeno, bem parecido ao do SUV modelo compacto o Nissan Kicks.

Colocada bem no centro do painel, sua central de multimídia traz um trivial para os dias de hoje: uma tela sensível ao toque, um sistema de navegação através de GPS, seu áudio com Bluetooth e também recepção do sinal de TV digital, porém só funciona se o carro estiver parado.

Já o seu quadro principal dos instrumentos não é 100% digital: seu velocímetro ainda mantém seu tradicional ponteiro, dando um leve toque dos anos 1990 a um certo contraste a um carro modernoso.

Outro detalhe muito importante que remete ao seu passado não muito distante é um tocador de CDs, esse item que está sendo abandonado em muitos projetos recentes na parte de sonorização automotiva.

As suas forrações são bem claras nas versões, com couro e algumas partes imitando camurça. Os modelos mais baratos contam com um acabamento em um tecido preto.

A sua parte da frente pode acomodar o seu motor e também os tantos cabos por onde passam a energia. Há também suas tubulações de um sistema de ar-condicionado.

Possuindo 435 litros, seu porta-malas é bem curto e, porém, muito profundo.

O câmbio é um redondo, mas não há muito o que fazer. Carros elétricos não têm escalonamento de suas marchas, sua força é jogada para suas rodas de uma forma imediata.

Um botão pode acionar seu sistema e-Pedal, que funciona como um sistema de freio do carro assim que seu motorista tirar o pé do seu acelerador.

Com certeza será uma ótima opção de comprar para aqueles que procuram economia nos combustíveis de seus carros.

Não deixe de procurar uma concessionária Nissan para saber mais informações sobre o veículo.

Por Ricardo Ferreira Rodrigues

Nissan Leaf

Nissan Leaf


Kia Soul EV – Características do Carro Elétrico


Modelo inteiramente movido à energia elétrica está prestes a ser comercializado no Brasil.

Na atualidade a tecnologia a o direito ambiental andam de mãos dadas. A evolução tecnológica tende para um futuro em que os veículos ao redor de todo o mundo se moverão dentro de um grande padrão de sustentabilidade, no qual os tipos variados de combustíveis serão oriundos de fontes de energia completamente alternativas. Esta situação está em sua fase embrionária, no momento, porém, já é um fato.

Portanto, todo esse processo de evolução que visa criar veículos mais ambientalmente corretos e, por conseguinte, melhores, já é uma realidade também em território brasileiro. O surgimento de modelos de carros elétricos e híbridos começa a florescer por aqui. Conscientes disso, muitas companhias estão firmando novos projetos dentro desta linha ambientalmente correta, em conformidade com as novas leis. Entre as montadoras, a Kia deu um passo adiante, uma espécie de vanguarda, e já está fazendo estrear, previamente, no mercado nacional, o seu novo modelo, o Kia Soul EV, o qual é inteiramente movido à energia elétrica e prestes a ser comercializado no Brasil.

Possuir um veículo movido à energia elétrica, ou mesmo híbrido, garante uma pequena série de vantagens, sobretudo no que tange à cobrança de impostos regulares, os quais são frequentes em diversos municípios brasileiros, desde o ano de 2015. Os carros cuja propulsão é elétrica ou mesmos movidos com hidrogênio estão sendo agraciados com a isenção do pagamento do IPI, ou Imposto Por Importação, o qual somava em torno de 35% a mais. Deste modo, o consumidor deste tipo de automóvel torna-se um beneficiado tanto na aquisição, quanto na venda dos importados.

O modelo da Kia está dentro deste esquema. Esta nova versão para o Kia Soul, que é um modelo muito conhecido e vendido no mercado nacional, ou seja, o EV possui alguns significativos diferenciais em termos de sustentabilidade, os quais são capazes de garantir que o carro circule sem agredir o meio ambiente.

Dentro de todas as mudanças operadas, também foi realizada uma repaginação no design deste modelo, no sentido de valorizar sua estreia no mundo automobilístico. Além de ser movido à energia elétrica ele está equipado da seguinte maneira: suas grades da parte dianteira estão com novo estilo, já que, agora, esse carro não necessita mais de refrigeração; tanto nas suas rodas quanto em seu interior houve uma nova elaboração estrutural, com um design mais atual e atraente; são diversos atributos tecnológicos em destaque, o que certamente vai satisfazer os clientes da companhia, já que se trata da aquisição do primeiro carro importado, munido de um grande diferencial: o de ser um automóvel cujo combustível é mais eficiente e, por assim dizer, quase abstrato, rodando com 100% de energia elétrica. Sua emissão de poluentes tende a ser quase zero.

Outra grande vantagem é que os veículos elétricos não produzem barulho quando funcionam; porém, ao reduzir a sua velocidade, o modelo Kia Soul-EV lança um alerta imediato aos pedestres diante de sua proximidade, o que garante muito mais segurança a todos.

Com relação à recarga deste carro, trata-se de uma das especificações mais bem desenvolvidas pelas companhias deste tipo de veículo, nestes últimos tempos. Todo consumidor precisa ser informado de que o modelo Kia Soul-EV tem necessidade de até 24 horas de conexão com uma fonte de 120 v, no sentido de realizar uma recarga completa e segura. No que tange a uma fonte de potência 240 v, serão necessárias, mais ou menos, cinco horas de conexão. Embora os especialistas afirmem que é possível render até 80% da sua capacidade com uma recarga de apenas 33 minutos.

A estreia do Kia Soul EV ainda não tem uma data precisa de comércio no Brasil, entretanto, os especialistas calculam que o compacto elétrico possa valer até 100 mil reais. Vale a pena conferir.

Por Paulo Henrique dos Santos

Kia Soul EV

Kia Soul EV


BMW i3 2018 – Especificações, Novidades


Novo carro elétrico BMW i3 será comercializado em breve no mercado brasileiro.

Tem muita gente por aí curiosa para saber tudo sobre o BMW i3, o carro elétrico que em breve chegará ao mercado brasileiro. Enquanto ele não chega, confira todas as novidades sobre o novo lançamento alemão na continuação deste artigo.

Como todos já sabem, este é o primeiro veículo equipado com motor elétrico que será produzido em uma larga escala pela fabricante alemã.

Para tentar agradar a todo tipo de consumidor, o BMW i chega com um design mais futurista, ideal para quem gosta de tecnologia e que sabe que no futuro este tipo de carro é que será utilizado.

O carro foi planejado para oferecer muita eficiência, conforto e dinamismo. Com um design sustentável, em seu interior encontramos muitos materiais sustentáveis, tudo recebendo um acabamento de excelência. As partes que são de plástico receberam 25% de materiais recicláveis e renováveis. Os bancos são revestidos com tecidos feitos com fibras recicladas. Também há partes feitas com madeiras que foram captadas de maneira sustentável.

O novo BMW i3 possui propulsor elétrico que oferece uma potência de 170 cavalos de potência, com capacidade máxima de torque de 24,5 kgfm. Com tração traseira e câmbio automático CVT, a bateria oferece uma autonomia que vai de 130 km a 160 km, podendo chegar até 200 km quando os modos de condução forem acionados pelo motorista, auxiliando para economizar energia.

A energia cinética que é dissipada na frenagem também é reaproveitada pelo carro, atuando na regeneração da carga.

As versões que chegarão ao nosso mercado contarão com um tanque de combustível com capacidade para nove litros. Já o motor que é movido a gasolina é de 38 cv. Este motor é usado para o carregamento da bateria atuando como um gerador, o que aumenta a autonomia até cerca de 300 km.

Como pontos positivos podemos dizer que trata-se de um carro muito bem equipado e estiloso. Já como pontos negativos temos um espaço interno um pouco pequeno e a autonomia que poderia ser melhor.

Conheça abaixo os itens de série que compõem o Novo BMW 2018:

– Sistema para controle de aplicativos;

– Rodas traseiras eletromatrizes;

– Aplicativos integrados;

– Sistema para recuperação de energia;

– Memória Interna/HD;

– Tela de 10,2" que oferece multi-funções;

– Plug-in;

– Luzes laterais, traseiras e diurnas em LED médios;

– Botação para partida;

– Limitador de velocidade;

– Assistente de estacionamento na traseira e completo;

– Conexão USB e entrada auxiliar;

– Alerta para caso de saída da rota;

– Luz automática de emergência;

– Sensor de colisão com as luzes dos freio ativas, monitoramento do condutor, ativação em caso de velocidade baixa;

– Controle de freio para curvas (CBC);

– Freio eletrônico de estacionamento;

– MP3;

– Controle de estabilidade;

– Freios assistidos;

– Preparação para isofix;

– Vidros na coloração verde;

– Vidros da dianteira elétricos;

– Indicador da pressão do pneu;

– Cartão ou chave inteligente;

– Sensor de chuva com limpador de para-brisa;

– Escurecimento automático no retrovisor interno;

– Bancos revestidos em couro;

– Bancos individuais na parte dianteira;

– Ar-condicionado;

– Volante ajustável;

– Entre outros.

Como podemos observar a lista com os itens que compõem as versões deste lançamento é realmente muito interessante e deixam o veículo ainda mais completo.

Gostou do Novo BMW i3 2018? Veja abaixo as versões que serão vendidas em nosso mercado nacional e seus respectivos valores:

– Novo BMW i3 0.6 Hybrid – Rex automatic 2018 : Saindo por R$ 154.799,00;

– Novo BMW i3 0.6 Hybrid – Rex automatic 2018 : Saindo por R$ 168.906,00.

Diante de tantas novidades de um carro elétrico que já faz algum tempo que é aguardado, com certeza o investimento é válido. Afinal, estamos falando do "carro do futuro" que com certeza irá conquistar muitos admiradores.

Por isso, não deixe de conferir de perto essas duas versões e escolha aquela que mais tenha a ver com o seu perfil.

Por Sirlene Montes

BMW i3 2018

BMW i3 2018

BMW i3 2018

BMW i3 2018


Regulamentação Mínima para Recarga de Veículos Elétricos no Brasil


A nova regulamentação autoriza qualquer empreendedor a fornecer energia para veículos elétricos ou mesmo híbridos do tipo plug-in através de postos de recargas.

Após 14 meses de muitas discussões com um total de 34 integrantes que participaram de reuniões públicas e técnicas envolvendo vários setores e companhias interessadas da área, a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) anunciou no dia 19 de Junho de 2018 as regras para uma regulamentação mínima de recarga de veículos elétricos em todo território nacional.

Como vai funcionar?

Por enquanto, o que foi decidido e publicado é simples e visa iniciar e estimular um novo mercado de recarga, além de estimular uma nova forma de operação e comércio deste tipo de energia no país.

A nova regulamentação autoriza qualquer empreendedor a fornecer energia para veículos elétricos ou mesmo híbridos do tipo plug-in através de postos de recargas. Os empreendedores também terão liberdade de decidir se irão cobrar ou não, aplicando seus valores de forma livre.

A Aneel justifica esta liberdade e regras iniciais simples com o intuito de desenvolver um mercado potencial para os donos de veículos deste tipo, desta forma na prática qualquer estabelecimento pode se beneficiar e desenvolver sua própria estrutura.

Shopping centers, postos de combustíveis, postos de apoio nas estradas, postos rodoviários e até distribuidoras têm esta liberdade usando suas próprias estruturas, a regra de instalação para novos negócios funciona da mesma forma quando um novo imóvel solicita uma nova ligação de energia, ele é o responsável por pagar a distribuidora por sua energia consumida e repassar esta energia aos seus consumidores da maneira que lhe convier melhor.

Também foi permitido que concessionárias locais possam entrar no negócio, desde que seja através de novas empresas ou novas filiais criadas por elas.

Um dos aspectos interessantes desta nova regulamentação é possibilitar aos interessados um preenchimento de um formulário que estará disponível no site da própria Aneel (http://www.aneel.gov.br) prometido até a data de 15 de Outubro de 2018 para cadastro de qualquer tipo de posto de recarga, seja residencial ou pública, com isto a Agência quer mapear o mercado identificando onde estão concentrados os principais pontos e de quais tipos são, permitindo decisões futuras muito mais precisas.

O mercado hoje já tem 119 pontos deste tipo

Até então o mercado nacional já contava com um total de 119 pontos de recarga para estes tipos de veículos espalhados em diversos locais no país, nenhum deles efetivamente cobram pela recarga, porém existem casos de pontos em shopping centers que cobram pelo serviço de estacionamento na vaga.

Com as novas regras, o consumidor e o próprio mercado terão maior transparência para decidir e saber o quanto pode ser cobrado ou o quanto pode valer o serviço de recarga.

Destes 119 pontos destacamos algumas iniciativas em áreas da cidade de Fortaleza e um projeto de recarga de veículos em rodovias paranaenses, a BMW também prometeu instalar um total de seis pontos de recarga na Rodovia Presidente Dutra que liga Rio de Janeiro a São Paulo, porém o projeto ainda se encontra em fase de implementação sem data para sua inauguração.

A Rota 2030 precisar sair!

Uma regulamentação mínima para recarga já foi publicada, porém o que falta realmente é uma regulamentação oficial para todos os veículos eletrificados que já existem no país ou possam ser importados e trazidos através da indústria para cá, para isso a prometida Rota 2030 (conjunto de regras para o setor automobilístico a ser publicada pelo governo) precisa sair.

Esta é a expectativa de todo setor automotivo e a esperança de todo mercado consumidor nacional, afinal com regras claras, metas palpáveis, incentivos e objetivos a serem alcançados por parte das empresas, investimentos podem ser feitos, projetos devem ser desengavetados e novos compromissos podem ser assumidos.

Em um cenário aonde existe certa previsibilidade e principalmente preparo para o desenvolvimento de um importante mercado nacional a médio e longo prazo é o que todos (indústria, governo e consumidores) almejam.

Por Carlos B.

Recarga carro elétrico


Porsche Taycan – Primeiro carro elétrico da montadora


O modelo começará a ser produzido em 2019 e será o primeiro carro totalmente elétrico da montadora.

Em qualquer indústria é necessário ter desenvolvimento de tecnologia de ponta para levar os melhores produtos para os consumidores e essa máxima é muito aplicada à indústria automobilística. Nos últimos anos, as empresas têm desenvolvido diferentes acessórios e recursos que tornam os carros mais modernos. E uma das últimas novidades no setor de automóveis foi divulgada pela Porsche. A montadora europeia vai produzir a partir do próximo ano o Porsche Taycan. De acordo com a fabricante, este carro vai ser totalmente elétrico. Confira agora mais informações sobre as características deste automóvel.

Os primeiros dados sobre o Porsche Taycan

A Porsche é uma montadora de carro com sede na Alemanha. A empresa tem como característica fundamental fabricar carros de luxo. A cada novo lançamento, os seus veículos aparecem na lista dos melhores carros neste segmento em específico. A grande novidade da Porsche vai ser colocar no mercado um carro sofisticado e totalmente elétrico. A expectativa inicial dava conta que o carro seria vendido apenas em 2020. Entretanto, segundo as últimas informações o Taycan deve chegar às lojas internacionais em 2019.

O que é um veículo elétrico e seus benefícios

Um carro elétrico é um veículo que não é abastecido e sim recarregado. Ou seja, em vez de se usar combustíveis para que o automóvel possa percorrer normalmente, é usada a energia elétrica. É necessário ligar o veículo em uma tomada para que ele tenha bateria para circular normalmente.

Existem inúmeras vantagens de um carro elétrico e a primeira delas é que este carro contribui para a não poluição do meio ambiente. Pois, os carros movidos a combustível expelem diferentes substâncias poluentes o que agride o planeta como um todo.

Neste veículo em específico, é possível rodar cerca de 500 km com sua bateria. Caso o motorista precise parar e recarregar, com quatro minutos na tomada o Taycan consegue rodar mais 100 km.

Sobre o design do primeiro carro elétrico da Porsche

Seguindo a estética que vem adotando há muitos anos, a Porsche desenvolveu o Taycan com o estilo esportivo. O modelo de quatro portas tem um ar futurista, graças a diferentes elementos do seu visual. Como por exemplo, a sua parte frontal que conta com um capô com duas linhas criando diferentes superfícies. Além disso, os faróis do Taycan possuem estruturas grandes o que deixa o veículo imponente. O para-choque é menor com uma grade mais rebaixada.

Já os pneus acompanham o desenho da estrutura dos faróis deixando-os, assim, maiores. O carro em si é um modelo rebaixado o que é comum no mundo dos veículos de luxo. Outro detalhe que chama atenção é a maçaneta das portas. Esqueça aqueles modelos maiores e para “fora”. Neste Porsche, a maçaneta é pequena e é um objeto quase imperceptível.

A parte de trás do Taycan conta com uma grande horizontal onde está escrito o nome da marca e também onde ficam disponibilizados os faróis de trás. O carro como um todo possui linhas mais arredondadas. A parte de trás representa bem essas curvas mais acentuadas. Não se tem informações precisas sobre a capacidade do bagageiro do veículo. Mas, pelas fotos observou-se que o veículo conta com um espaço interno suficiente para guardar alguns itens.

O interior deste automóvel

A parte interior do Taycan chama muita atenção. Todo o interior do veículo é de couro. Os bancos lembram cadeiras com design mais moderno. Visto que, os bancos possuem duas estruturas para acomodar melhores o motorista e os passageiros. Essas estruturas são especiais, sendo uma para o pescoço e outra para o restante do tronco. É como se os bancos “abraçassem” os corpos dos ocupantes.

O espaço entre motorista e o ocupante da frente conta com uma estrutura para separar. Nesta estrutura, se têm uma tela touchscreen para se dar partidas em diferentes funções do veículo. O painel do motorista tem um volante multifuncional para controlar diversos recursos do modelo. Ainda no painel, esqueça o porta-luvas aparente o que se tem é uma tela onde são apresentadas algumas informações sobre como está o veículo naquele momento. Todas as informações do painel são apresentadas de uma forma muito mais interativa com cores e símbolos fáceis de serem compreendidos.

A respeito do motor, preço e vendas no mercado nacional do Taycan

Este modelo conta com dois motores, ambos elétricos e 600 cavalos de potência. Devido a essa combinação, o Taycan consegue atingir 100 km/h abaixo de 4 segundos. Em relação ao preço, a estimativa que ele tenha um custo de 90 a 100 mil euros. No Brasil, o veículo deve ser vendido a partir de 2020.

Por Isabela Castro

Porsche Taycan

Porsche Taycan


Programa do Governo visa abater impostos de carros elétricos e híbridos


Governo lançará um projeto que beneficiará quem deseja comprar carros híbridos e elétricos no Brasil.

O presidente anunciará em breve um programa de incentivo ao setor automobilístico, que incentiva as pessoas a adquirirem carros híbridos e elétricos.

Esse projeto é um dos entraves de negociação sobre o livre comércio entre todo o Mercosul e também a União Europeia.

Porém, uma versão anterior do projeto já foi barrada na hora de sua votação, portanto há uma grande expectativa que dessa vez seja aprovado.

Todas as medidas preventivas foram tomadas para que o projeto dê certo desta vez.

Fazendo assim com que a renúncia dos tributos chegue a 1,5 bilhão de reais no período de quinze anos. Neste montante total estão englobados os impostos sobre todos os veículos híbridos e elétricos, como também de todas suas peças, abaixando de forma muito significativa os impostos sobre o veículo.

A política do programa não consiste em subsídios para os compradores em si, mas tem como foco principal trazer um certo interesse de investidores para que possam trazer para o Brasil essa tecnologia desenvolvendo novos produtos por aqui.

As regras serão praticamente as mesmas para as montadoras nacionais quanto para as internacionais igualando assim a disputa por mercado e encorajando ambas a investir pesado na produção desse tipo de automóveis.

Os créditos chegarão até 30% do valor nos veículos podendo assim abater no Imposto de Renda e na Contribuição Social.

Porém, quem descumprir as normas do projeto terá que desembolsar 20% do valor total de suas vendas, e essa regra serve tanto para as montadoras nacionais quanto para as importadoras.

Esse abatimento pode chegar a 40% se forem investidos nas áreas indicadas pelo governo.

Essa lista se estende a outros tipos de desenvolvimento na área assim como: nanotecnologia, big data, conectividade, motores a biocombustível e inteligência artificial os veículos autônomos.

Portanto, o governo espera que em breve nosso mercado automobilístico esteja completamente desenvolvido tecnologicamente, dando uma experiência de trânsito completamente diferente com a que temos no atual momento em nosso país.

Na parte das vendas, o governo tem desenvolvido um plano econômico também bem sugestivo abaixando o IPI e as alíquotas dos carros elétricos e híbridos.

As taxas variam de acordo com o peso do motor. Chegando a um IPI de até 7%, vale ressaltar que esse valor hoje é de 25%. Como podemos observar essa diferença será bem significativa.

Essa medida do governo também prevê um outro Programa, que regulará e alavancará de forma positiva o mercado de veículos elétricos e híbridos.

Medidas como desenvolvimento de postos de recarga já estão sendo trabalhados em todo país através de empresas privadas.

Até o ano passado o Brasil possuía um registro de aproximadamente três mil veículos elétricos ou híbridos. Portanto, com esses projetos governamentais, a estimativa é que esse número cresça de forma inimaginável até 2020, fazendo que quase toda população brasileira já tenha trocado seus carros por carros desta categoria. Contribuindo de forma totalmente positiva com a preservação do meio ambiente.

Como vimos há pouco tempo a greve dos caminhoneiros que parou o país, pelo motivo do preço de combustível, com certeza esse problema nunca mais existirá em nosso país se o governo conseguir realizar esses projetos com eficiência.

Vamos aguardar as novidades sobre o assunto, pois com certeza é o sonho de todo brasileiro poder carregar seu próprio carro em casa, tendo como custo apenas sua energia elétrica que já tem que ser paga todo mês mesmo.

Realizando viagens sem gastar valores absurdos com combustíveis, essa será uma realidade totalmente diferente com a que estamos acostumados a viver até hoje em nosso país.

Um dos maiores problemas econômicos que enfrentamos nos últimos anos é o valor do combustível, será que esse será o fim dessa luta contra as empresas petroleiras?

Por Ricardo Ferreira Rodrigues

Carro elétrico no Brasil


Chevrolet Bolt – Lançamento no Brasil em 2018


Chevrolet indicou que o carro elétrico Bolt deverá ser lançado no Brasil ainda em 2018.

A Chevrolet tem uma boa notícia para quem está na espera do Bolt, um dos carros elétricos mais elogiados dos últimos meses, é que o veículo em breve poderá ser lançado no Brasil, porém, ainda há uma série de pendências que precisam ser resolvidas. A General Motors tem grande interesse em disponibilizar este carro elétrico no mercado brasileiro ainda em 2018 e apesar de oficialmente não ser citado nenhum nome, o Bolt é apontado como a opção mais provável.

O modelo tem rodado nos Estados Unidos, mas com uma pequena autonomia e assim acabou se tornando um grande dependente da gasolina, este modelo até já foi apresentado no Salão do Automóvel há cerca de dois anos, mas desde então, muitas mudanças foram feitas e alguns avanços puderam ser conquistados. A intenção da empresa seria colocar o modelo aqui no Brasil para ser testado pela imprensa especializada, assim seria possível ter uma posição melhor, ao saber destes consumidores o que eles acham do novo produto, já que é um automóvel totalmente elétrico.

Nos últimos três anos, a GM até que apresentou algumas novidades para o mercado, mas em 2018 ainda está devendo algo realmente surpreendente, se bem que teve o Chevrolet Equinox que conseguiu boa aceitação no mercado nacional, mesmo assim falta algo inovador. A General Motors continua liderança as vendas no mercado brasileiro, com o Onix dando um show por todo o Brasil, pois o modelo conquistou o consumidor nacional e o modelo continua em alta. As vendas do Onix é quase que o dobro do segundo colocado e isto mostra o sucesso que ele tem feito.

Mas o Bolt faz parte de uma linha que tem crescido muito e que não tem mais volta, pois o mercado mundial continua investindo pesado em veículos elétricos e em muitos países há vários carros assim pelas ruas. A intenção da GM é conseguir ter ao menos duas dezenas de modelos elétricos nos próximos cinco anos, sendo dois crossovers.

Fazer com que o Chevrolet Bolt conquiste o brasileiro não será uma tarefa fácil, mas a GM já traçou algumas metas, por exemplo, implantando um serviço de compartilhamento. O consumidor utiliza um aplicativo e com isso passa a conhecer melhor o veículo. Para causar impacto, poderá ser feito um único lançamento, com o serviço de compartilhamento sendo disponibilizado e o Bolt sendo apresentado ao mercado nacional.

Porém, não há como fugir da realidade, ou seja, a intenção da empresa é realmente vender o Bolt para o consumidor brasileiro e o preço seria um grande obstáculo. Nos Estados Unidos, o valor da minivan elétrica chega a US$ 37.500.

A questão da recarga é outro problema a ser enfrentado no Brasil, pois o modelo tem autonomia de 383 km, ou seja, pode rodar tranquilamente pelas cidades, mas uma viagem um pouco mais distante já complicaria tudo e até nos centros urbanos, praticamente não há pontos de recarga.

Até hoje no Brasil, quando se fala em carro elétrico, logo vem à mente algum modelo experimental, mas a GM está empenhada em mudar isso, fazendo com que o consumidor acredite que esta é uma realidade. Carlos Zarlenga, presidente da GM Mercosul, deu uma entrevista no Salão de Detroit e admitiu o grande interesse da empresa em ter o Bolt no mercado brasileiro e isto é um projeto para breve.

A GM quer sair na frente e ser líder neste mercado em todo Mercosul, inclusive no Brasil e acredita que o Bolt é a melhor opção hoje. O motor elétrico deste modelo gera 200 cv e 36,8 mkgf de torque. As baterias são de íons de lítio de 60 kWh e totalmente recarregadas percorrem 383 km.

O consumidor brasileiro torce para que o Bolt e outros modelos elétricos realmente sejam oferecidos, mas com um preço que vá de encontro com a realidade do país.

Por Russel

Chevrolet Bolt


Volkswagen Golf GTE e e-Golf – Lançamentos no Brasil


Novas gerações do híbrido Golf GTE e do elétrico e-Golf serão lançadas no Brasil em breve.

A indústria automobilística tem como uma de suas principais características se reinventar com a intenção de sempre agradar a um número maior de consumidores e com isso consegue vender mais carros. As marcas que fazem parte deste setor sempre tentam trazer inovações com cada lançamento. E um anúncio da Volkswagen realizado no final de 2017 representa justamente toda essa inovação. A empresa divulgou que em 2018 lançaria dois novos modelos no Brasil: Volkswagen Golf GTE e o e-Golf. O primeiro se trata de um veículo híbrido e o segundo de um carro elétrico. Confira agora todas as informações sobre esses novos lançamentos da marca alemã.

O anúncio da empresa para trazer estes novos modelos para o país

O brasileiro é um dos povos mais apaixonados por carro, hoje no país se tem uma infinidade de marcas que possuem fábricas ou que exportam seus veículos para serem vendidos pelo território nacional. Devido a este fato e sabendo que a economia nacional voltou a melhorar, a empresa decidiu que em 2018, o Volkswagen Golf GTE e o e-Golf seriam comercializados no país. Com a intenção de oferecer aos consumidores duas novas possibilidades mais sustentáveis e com um bom custo-benefício.

Informações sobre o Volkswagen Golf GTE e também as vantagens de um carro híbrido

O Golf GTE é um modelo esportivo de quatro portas. Com linhas modernas, o GTE possui uma frente com mais detalhes, como as linhas do capô. Além disso, em seu para-choque se tem linhas nas extremidades que foram um pedaço de um quadrado. Os faróis deste modelo também estão mais potentes. Pois, agora possuem luzes de LED. Tanto na parte dianteira quanto na traseira.

Por dentro, o GTE foi reformulado. O seu painel agora é revestido com um material mais resistente. Os bancos também estão com novos tecidos e novas posições para reclinação. Já o motorista ganhou um painel mais interativo, com cores mais vivas e mais high-tech. No painel do conduto, é exibido o desenho do carro e dependo da função que é acionada, ela é representada pelo desenho.

O Volkswagen Golf GTE ainda conta com dois motores, um de 102 cavalos (versão elétrica) e outro de 150. Ele tem seis marchas. Este modelo consegue atingir o 100 km em menos de 8 segundos. Ele possui o recurso “plug-in”, ou seja, ele pode ser recarregado com o uso de uma tomada. No caso do uso da bateria, você consegue rodar 50 km. Além disso, para recarregá-lo é necessário um pouco mais de 03 horas.

Existem muitas vantagens de se possuir um carro híbrido, sobretudo, pela liberdade que este veículo proporciona ao dono. Em caso de crises de combustível, como falta ou elevação do preço, o fato de se ter como carregar o automóvel é muito interessante. Além disso, se tem uma diminuição de poluentes no meio ambiente. Por fim, também é um veículo valorizado, na hora de revender talvez o preço não caísse tanto e o dono tenha um lucro maior em comparação à venda de veículos tradicionais.

Dados sobre o e-Golf e as vantagens de um carro elétrico

O e-Golf é muito semelhante ao Volkswagen Golf GTE. Tanto na parte externa e na parte interna. Entretanto, em relação ao design consegue se notar duas diferenças. A primeira é o para-choque enquanto o Golf GTE possui aquela faixa com grandes que lembram “escama de peixes”. O e-Golf não tem um desenho tão acentuado. O para-choque é mais clean, assim podemos dizer. A outra diferença é na parte de trás do automóvel, o Golf GTE parece ter uma traseira mais saliente, enquanto o e-Golf parece contar com uma traseira mais reta.

O e-Golf é um carro totalmente elétrico. O seu motor é de 136 cavalos. Ele consegue rodar cerca de 300 km com a sua bateria recarregada. E o carro demora por volta de seis horas para ser recarregado. O e-Golf demora menos de 10 segundo para atingir o pico dos 100 km.

Sobre a venda e preços

Ainda não se tem informações sobre o começo das vendas e também os valores de cada um dos veículos para mais informações: https://www.vw.com.br/pt.html.

Por Isabela Castro

Volkswagen e-Golf

Volkswagen Golf GTE


Nissan Leaf – Carro Elétrico será lançado no Brasil em 2019


Modelo elétrico da Nissan será lançado no Brasil em 2019 e não custaria menos que R$ 200 mil.

O preço dos combustíveis e a guerra dos caminhoneiros com o governo está levando a população a buscar alternativas para conseguir manter um meio de transporte mais acessível.

As montadoras de veículos já estão projetando o ano de 2019 um mercado aquecido para os modelos híbridos e 100% eletrificados.

A Nissan projetou esta tendência, está na frente de muitas montadoras e lidera o ranking com o carro elétrico mais vendido no mundo, o Nissan Leaf. A expectativa é que este modelo chegue em solo brasileiro a partir de 2019.

Leaf no Salão do Automóvel

Segundo informações do presidente da Nissan da América Latina, José Luis Valls, o Nissan Leaf deverá ser apresentado no Salão do Automóvel em São Paulo no mês de outubro.

Se você tem intenção de conhecer o modelo elétrico, fique atento porque a oportunidade será no segundo semestre. Agora se pesquisou e conhece bem este veículo e deseja comprar para você, as vendas começam no início de 2019.

No Brasil existem algumas unidades do Leaf circulando pelas cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro. Os veículos foram cedidos pela Nissan para testes por um período determinado para serem usados como veículos de polícia ou taxi.

Nissan Leaf hoje

O Nissan Leaf está sendo vendido apenas em outros países e a previsão para chegar ao Brasil é apenas no ano que vem. No entanto, é possível ter uma base com o modelo atualmente comercializado no exterior.

Atualmente, o Nissan Leaf é fabricado em três versões com baterias que proporcionam uma autonomia de até 320 quilômetros. A potência do motor elétrico equivale a 150cv.

Porque é o carro elétrico mais vendido no mundo?

O excelente desempenho de vendas em outros países se dá justamente por conta dos valores que são praticados em todo mundo. O carro elétrico nos Estados Unidos é vendido por aproximadamente US$ 38 mil que poderia custar no Brasil não menos que R$ 120 mil. Os países buscam através de incentivos fiscais fazer com que os preços fiquem com valores mais acessíveis e com isso o aumento das vendas.

No mercado nacional não se espera que os veículos com motor elétrico custem menos que R$ 120 mil, justamente pela alta taxa do IPI. A projeção a partir deste valor que citamos é contando com incentivos fiscais do governo.

Na atual situação com IPI acima dos 10%, o Nissan Leaf não custaria menos que R$ 200 mil. O governo não aponta sinais de incentivos, porém, com a pressão que vem sofrendo com a alta dos combustíveis e crises entre setores de transporte, a tendência é rever a alíquota para no máximo 7%, conforme informa o presidente da Nissan.

Mais detalhes do Nissan Leaf

A Nissan já antecipou que a garantia das baterias do carro elétrico serão de 8 anos. No entanto não divulgou preços e versões para 2019. A nova geração do Leaf será competitiva e projeta liderança no mercado brasileiro.

A próxima geração do Nissan Leaf é a segunda e surge com duas baterias de 40 kWh e 60 kWh podendo rodar até 240 e 320 quilômetros de autonomia.

O design do Leaf não é tão futurista quanto esperam dos carros elétricos. O desenho que a Nissan apresenta acompanha os modelos dos demais que a montadora tem produzido.

O porte do Leaf é de uma Perua médio, no entanto, o seu desenho é de um hatch. Os pneus são mais largos acoplados em rodas de 17 polegadas, o tamanho é grande em comparação aos modelos elétricos.

O espaço interno é muito bom, a distância entre bancos dianteiros e traseiros promovem conforto para os ocupantes. Os assentos podem ser equipados com aquecimento elétrico, porém, o uso dessa ferramenta diminui a autonomia da bateria do motor.

Os espelhos retrovisores são maiores, aparentando ter o dobro do tamanho dos tradicionais, para criar um contraste de tamanhos, o volante é pequeno, igual ao volante do Kicks, chamado de SUV compacto aqui no Brasil.

Tecnologia embarcada

A central multimídia do Nissan Leaf acompanha os modelos tradicionais com tela sensível ao toque, Bluetooth, GPS, além de recepção de sinal de TV, que por medida de segurança a TV só funciona se o carro estiver parado.

O quadro do painel de instrumentos não é totalmente digital, ainda conta com alguns detalhes mais tradicionais como velocímetro com ponteiros.

O porta-malas tem um volume de 435 litros de capacidade para as bagagens, curto, porém profundo. As bagagens maiores precisam ser bem organizadas para caber.

O sistema de transmissão é um câmbio com seletor de forma arredondada. O condutor não tem muita opção de escolha de direção, sendo para frente ou trás.

O ano de 2019 promete ser ecologicamente correto para o setor automobilístico? Não sei, vamos aguardar, esperamos que incentivos ajudem a popularizar estes modelos, bem como valores acessíveis a todos os proprietários de veículos.

Por Marcio Ferraz

Nissan Leaf


Carros Elétricos e Híbridos no Brasil


A tecnologia elétrica e híbrida em carros está ganhando cada vez mais espaço, e no Brasil não é diferente. Há vários modelos disponíveis no mercado e outros novos serão lançados em breve.

O Brasil está vivendo uma fase econômica de fragilidade e abusos de impostos. Os tempos estão mudando e para conseguir manter um padrão de vida razoável, além disso, ter um meio de transporte para suas necessidades está cada vez mais difícil.

Enquanto fazemos este artigo, a fase que estamos passando é a alta dos combustíveis, os bloqueios dos caminhoneiros nas estradas por causa do preço abusivo do diesel e a falta de entendimento entre governo e Petrobras.

Mas afinal, qual será a alternativa para os proprietários de veículos com valores tão altos dos combustíveis?

Neste texto vamos apresentar algumas soluções para este problema, que saber mais? Continue lendo e descubra quais meios você pode encontrar para driblar os gastos com combustíveis aqui no Brasil.

O futuro reserva novas alternativas

O ano de 2017 mostrou um crescimento na indústria de veículos com tecnologia mais avançada e já está na hora de começar a pensar em novos rumos para o transporte. O que o futuro reserva?

Simplesmente o futuro será dos carros híbridos e elétricos. Algumas pessoas não gostam desta alternativa e são céticos em relação a este assunto, acreditam que os combustíveis usados atualmente não serão substituídos por um longo prazo.

Mas os rumos estão direcionando para outros caminhos. O que mais intriga neste caso, é que o caminho que está se revelando é sem volta.

O ecossistema e o bolso das pessoas estão desejando esta mudança o quanto antes. Apesar do atraso que o Brasil está acostumado a direcionar seus projetos tecnológicos, podemos já visualizar acenos de mudança por parte de algumas autoridades e fabricantes para que o futuro seja um pouco melhor para os nossos filhos.

A esperança é que incentivos fiscais sejam realmente colocados em prática neste setor. Os carros híbridos e elétricos já estão disponíveis no Brasil e a seguir vamos listar alguns deles.

Híbridos e Elétricos

Apesar de serem poucos e ainda muito caros, estes modelos já estão disponíveis para venda aqui no Brasil. Para as pessoas que desejam ter um carro híbrido e estar um passo à frente dos demais, além disso, ser ecologicamente correto, encontrar um modelo não é uma tarefa tão fácil.

Como falamos anteriormente, os carros híbridos e elétricos não possuem muito incentivo, porém, o mercado está em uma tendência crescente.

O ano de 2017 foi uma referência muito boa para o setor, devido ao aumento das vendas até novembro 3 vezes maior do que os anos anteriores.

Estes modelos, aos poucos, estão ganhando visibilidade das pessoas, justamente, porque os valores dos combustíveis como gasolina e etanol estão ficando cada vez mais caros e inviabiliza o uso dos veículos no dia a dia.

Incentivo aquece as montadoras

Com a diminuição dos impostos sobre os carros ecológicos, as portas estão abertas para a importação de veículos de outros países e, além disso, os projetos nacionais recebem um novo impulso para sua produção aqui no país.

As montadoras que estão de olho neste novo mercado são Chevrolet, Nissan, Volkswagen, Toyota, Volvo, Renault e Hyundai.

Chevrolet

A Chevrolet está com previsão de trazer para as concessionárias o seu hatch elétrico o Chevrolet Bolt, que por sinal, já foi testado nas ruas brasileiras. Este modelo possui propulsor 100% eletrificado, com um sistema que promove mais autonomia para o veículo.

A montadora informa que o veículo possui 202 cv de potência e ainda não existe um preço determinado, porém, de acordo com os valores de venda dos Estados Unidos que são de US$ 38 mil, a estimativa é que seja vendido por aproximadamente R$ 120 mil aqui no Brasil.

Nissan

A Nissan já visualiza um futuro promissor para este mercado, ela já tem o hatch elétrico mais vendido no mundo. No Brasil já tem algumas unidades rodando cedido para alguns frotistas.

A previsão de desembarque é para 2019 e será apresentado em São Paulo no mês de outubro no Salão dos Automóveis.

O Nissan elétrico tem o nome de Leaf e nos EUA está sendo vendido por US$ 30 mil no Brasil deverá ser negociado a partir de R$ 94 mil

Volkswagen

A Volkswagen já possui o Golf GTI e para o próximo ano o e-Golf com preços acima de R$ 130 mil. O elétrico tem potência de 102 cv. O Golf GT possui motorização híbrida e o e-Golf é totalmente eletrificado.

As montadoras Toyota apresenta o sedan Prius Flex, a Volvo, o XC60 T8, a Renault, o Kwid e os seus elétricos que já estão presentes nas cidades do país que são Twizy e o Zoe.

A Hyundai traz o Ioniq, concorrente direto do Toyota Prius com três motorizações sendo híbrido, 100% elétrica e a plugin com propulsor a gasolina.

A tendência é o mercado dos veículos híbridos e elétricos esquentar o mercado a partir dos próximos anos e, portanto, fique atento a estas marcas de montadoras que citamos, a expectativa para os próximos anos é mais novidades deste setor.

Por Marcio Ferraz

Chevrolet Bolt no Brasil

Nissan Leaf


Chevrolet Bolt Elétrico chega ao Brasil


Modelo chega ao país importado pela Direct Imports e custando cerca de R$ 289 mil.

A maior aposta de veículo “verde” da General Motors na América do Norte, o carro elétrico Bolt, da Chevrolet, não irá demorar muito para desembarcar de vez no Brasil.

A Direct Imports, uma importadora independente, trouxe ao país cinco unidades desse novo carro elétrico, o tão esperado Chevrolet Bolt. Os veículos foram trazidos diretamente dos Estados Unidos, tendo sido encomendados por um cliente da importadora e enviados para o estado do Rio de Janeiro. Cada unidade saiu pelo valor de R$ 289 mil, já estando inclusas todas as taxas adicionais de importação e impostos.

Esse modelo elétrico desenvolvido pela General Motors irá competir com outros modelos elétricos do mercado, como é o caso do Model 3, da Tesla.

O Bolt é um carro equipado com um motor elétrico que tem uma potência que equivale a 202 cv e 36,7 kgfm de torque. Esse carro vai de 0 a 100 quilômetros por hora em apenas 7 segundos. Sua bateria é de autonomia 60kW, o que pode garantir 383 quilômetros por carga, uma distância muito considerável.

No mercado dos Estados Unidos da América, o veículo pode ser encontrado pelo valor de US$ 37.495 (o que equivale a cerca de R$ 122 mil). Para o consumidor americano, o valor do modelo elétrico é semelhante ao de um Camaro SS cupê, que possui custo inicial de US$ 37.900.

Atualmente, o único veículo elétrico com importação oficial para o mercado do Brasil é o BMW i3. O valor inicial desse carro é de R$ 159.900, apresentando um motor elétrico cuja potência é igual a 170 cv e autonomia é de 160 quilômetros.

O Chevrolet Bolt tem 202 cavalos de potência, além de 10 airbags, um sistema de aviso anti-colisão, o alerta de pontos cegos e também freio automático para pedestres. Além disso, o veículo possui sistema de distribuição de frenagem e sistema de tração StabiliTrak. O dispositivo OnStar, que é uma plataforma conectada da GM, também consta como equipamento padrão, contudo, não está habilitado para funcionar no Brasil, somente o sistema de som têm ajustes para o país.

A garantia do veículo no Brasil não é coberta pela Chevrolet, porém, a Direct Imports, que possui sede em São Paulo e que tem um sistema de manutenção próprio realizado em parceria com duas oficinas de cidade, estuda essa cobertura.

Iris Gonçalves


Carros elétricos: mercado de lítio permanecerá aquecido


O mercado de lítio pretende aquecer mais ainda o fornecimento de energia para grandes montadoras como a Tesla Motors (fabricante da linha Model S) e a Nissan (fabricante do Leaf), a fim de cobrir a necessidade de expansão de veículos elétricos no mundo. O lítio é considerado um agente químico de extrema importância, e é usado para armazenar energia em tablets e em alguns smartphones que possuem baterias de íon de lítio, por isso, os ganhos que ele pode trazer para o mercado de carros elétricos são grandes.

Desde que houve essa descoberta, o preço do carbonato de lítio subiu 47% a mais em relação à estabilidade em que estava no último ano. Esse aumento tem a ver com a demanda de carros elétricos e veículos considerados leves em alguns países, nos quais têm a previsão de gerar 221 bilhões de dólares entre o período de 2015 e 2024. De acordo com informações à esse respeito, a China já cogita a possibilidade de ter 5 milhões de carros elétricos pelas ruas até o ano de 2020, conforme as estratégias de mudar o mercado automobilístico do país, apresentadas pelo presidente Xi Jinping.

Grandes montadoras como a Renault e a Nissan já declararam que o comércio de carros elétricos foi um dos mais altos no ano passado. A Audi também pretende entrar nesse mercado, fabricando seu primeiro modelo SUV elétrico no ano de 2018. Provavelmente no futuro, a onda será de carros, bicicletas, motocicletas, ônibus e caminhões totalmente elétricos, e para atender toda essa demanda, haverá um grande mercado de abastecimento elétrico significativo também. Já vemos isso acontecer, porém, numa velocidade um pouco menor do que o esperado, pois depende muito da economia de um país e de fatores sustentáveis.

A única coisa que poderia impedir um país de avançar na tecnologia em relação ao fornecimento de energia elétrica para veículos é a falta de produção de matéria-prima necessária para isso, e num ritmo acelerado para atender um mercado em crescimento acelerado. Enquanto isso, por conta de não ter uma grande procura por carros elétricos de um modo geral ainda, o valor tabelado do carbonato de lítio permanecerá alto até o ano que vem, devido à baixa demanda no mercado e pouca oferta.


Nissan Leaf será Fabricado no Rio de Janeiro


Montadora inicia a importação do modelo para o Brasil e espera fabricá-lo no Brasil em até cinco anos.

Parece mesmo que os carros elétricos estão chegando de vez ao Brasil. Depois de o governo federal ter decidido reduzir as taxas para carros elétricos e híbridos, chegou a hora de dar mais um passo na diminuição do custo desses veículos. A Nissan confirmou o início das importações do Leaf, seu modelo elétrico e pretende fabricá-lo no Brasil em até cinco anos.

No ano que vem, o carro japonês fará parte da linha da montadora, tendo como principal vantagem a versão atualizada da autonomia: o modelo anterior suportava apenas 150 km, enquanto o novo, lançado recentemente no Salão de Tóquio, chega a 270km com apenas uma carga. Além do ganho na bateria, o elétrico apresentado no Japão recebeu ainda um novo modelo de freio dianteiro de emergência, que evita colisões, além de um sensor que avisa mudanças inesperadas de faixa, o Lane Departure Warning.

Mas mesmo com a diminuição do custo da importação e produção, ainda existem alguns desafios pela frente antes de os carros elétricos entrarem de vez nas ruas: é o abastecimento. Para fugir deste problema, a Nissan já tem um acordo assinado com a BR Distribuidora, da Petrobras, no qual exige a instalação dos chamados quick chargers ou estações de carga rápida em cada posto de combustível da marca.

Outro desafio pela frente será o treinamento dos próprio funcionários envolvidos no processo de montagem do carro. Como a tecnologia do Nissan Leaf é muito diferente daquela aplicada em motores de combustão, os profissionais terão de se acostumar e se adaptar aos novos conceitos. “O primeiro Leaf produzido aqui deve sair da fábrica de Resende (RJ) em 2017, porém, a nacionalização total será só em 2020”, disse o diretor de comunicação da empresa, João Veloso Jr., em entrevista à Quatro Rodas.

Até lá, fica a espera e a expectativa para que esses modelos tomem as ruas e ajudem a cuidar não só do meio ambiente, mas também da economia.

Vinícius Oliveira


Volvo pretende lançar o 1º carro totalmente elétrico


Até 2019 a Volvo pretende lançar o primeiro carro totalmente elétrico, capaz de fazer 480 km usando apenas uma carga.

A realidade automobilística deve mudar com o avanço da tecnologia. A Volvo anunciou que até 2019 deve lançar o primeiro carro totalmente elétrico. Atualmente, já existem alguns modelos que contam com combustível e eletricidade, que são chamados híbridos.

Informações oficiais sobre o novo veículo ainda não foram divulgadas, mas há rumores que ele virá para competir com o modelo do Tesla Model S. Além disso, a expectativa é que tenha a capacidade de fazer 480 km usando apenas uma carga elétrica, e o design deve ser parecido com o Volvo S60.

Além disso, até 2017 a Volvo tem a pretensão de colocar no mercado versões híbridas de todos os carros e também apresentar a série 40, que é composta por carros menores e também elétricos.

Entre outras novidades da Volvo, é que foi lançada no País a linha 2015 dos seguintes modelos: S60, V60 e XC60. Todos os modelos contam com itens que fazem parte da série do sistema de entretenimento Sensus Connect, Sensus Navigation, entre outros.

O sensus Conect tem a capacidade de fazer conectividade com recursos como Bluetooth e também apps Tuneln. Outra novidade que os modelos apresentam é a presença do sistema conhecido como Volvo On Call, que conta com dois novos recursos. Uma das funções permite que o motorista possa ligar e desligar o carro de forma remota usando o smartphone, e a outra é o acionamento do ar condicionado, em que a pessoa pode regular a temperatura de forma fácil e rápida pelo celular. Desta forma, os carros contam com tecnologia e recursos para facilitar e otimizar o dia a dia.

Para as versões do carro T6 e também XC60 T5 R design a Volvo divulgou no Brasil o Sensus Navigation, em que o GPS usa mapas de forma tridimensional com informações de tráfego real. Além disso, o recurso ainda pode colocar destinos e pontos de interesse por meio da conectividade com o smartphone. 

Por Babi

Carro elétrico da Volvo

Foto: Divulgação


Youxia X – Novo Carro Elétrico com Motor de 348 cv


Novo veículo é capaz de atingir 100 km/h em 5,6 segundos e sua bateria possui uma autonomia de até 460 km.

A empresa chinesa Youxia pretende produzir no segundo semestre do ano que vem, um carro elétrico com uma potência muito grande. As informações são do site CarNewsChina.

O nome do carro é apenas X. Ele vai ser fabricado com um motor elétrico com uma potência de nada menos que 348 cavalos e torque de 44,87 kgfm. A alimentação do propulsor pode ser feita por três baterias distintas, que são de 40, 60 ou 85 kWh.

A aceleração do sedã X da Youxia fica de 0 a 100 km/h em apenas 5,6 segundos. A autonomia das baterias, de acordo com a capacidade de cada uma, fica entre 220 km e 460 km. Uma das novidades (um tanto quanto diferente) é que o para-choque do modelo X contará com telas que vão fazer a exibição da logo da Youxia e outros tipos de informações.

O modelo também contará com luzes dianteiras e traseiras em LED. A tampa do porta-malas conta com um spoiler, que dá um ar esportivo para o X. Internamente, o modelo da Youxia terá uma tela touchscreen de 17,3 polegadas localizada no centro do painel. O sistema de mídia do carro terá como base o Android. Ele vai contar com wi-fi, controle remoto para várias funções do automóvel e televisão.

Segundo a Youxia, o X terá uma central que possibilita configurar o carro para que fique “semelhante” a outros modelos esportivos, como é o caso da Ferrari 488 GTB, o Jaguar F-Type, entre outros carros.

A montadora, porém, ainda não informou qual será o preço de mercado do carro elétrico X.

Carros e ônibus elétricos fabricados em São Paulo:

A empresa BYD está com uma proposta para a produção de veículos com motores elétricos em São Paulo. O intuito, primeiramente, é na fabricação dos modelos K9 (voltado para o transporte coletivo)
e o E6.

O E6 conta com uma autonomia de 300 km e já é vendido em outros países. Ele é muito utilizado ao redor do mundo por taxistas. Porém, o governo brasileiro ainda não conta com incentivos para os carros com motor elétrico. O IPI para esse tipo de mercado hoje é de 25%, nada perto dos 3% para os veículos populares.


Volkswagen e-Golf Limited Edition – Lançamento nos EUA


A Volkswagen irá comercializar nos Estados Unidos o e-Golf Limited Edition, modelo que irá se tratar da versão de entrada do Golf elétrico. O e-Golf Limited possuiu o valor diminuído em US$ 2.000 e substituiu as rodas de liga-leve por rodas de aço de 16 polegadas e os faróis não se tratam mais de LED. Somado a isso, o acabamento interno teve a perda do couro nos bancos, que neste momento são de tecido. O modelo tem o valor de US$ 33.450.

O e-Golf Limited Edition permaneceu com o motor elétrico de 115 cv de potência e 27 mkgf de torque instantâneo. O modelo pode percorrer 133,5 km até que a bateria de 24,2 kWh necessite de recarga.

A Volkswagen também divulgou o conceito Sport Coupé GTE no Salão de Genebra. O modelo possui um novo estilo de visual da empresa, tendo como fator principal a grade dianteira, que tem o objetivo como continuação dos faróis. De acordo com a companhia, o modelo faz antecipação do sucessor do Passat CC e será uma base para a nova identidade de design da empresa nos próximos sedãs.

O conceito possui o seu capô alongado e o teto é mais inclinado. O veículo está sendo projetado com base na plataforma modular MQB, usada pelo Volkswagen Golf e pelo Audi A3. A velocidade máxima do GTE é de 250 km/h, atingidas devido o conjunto mecânico possuir um motor V6 TSO a gasolina e dois motores elétricos, com uma potência total de 380 cv. O modelo possibilita acelerar de 0 a 100 km/h em 5,2 segundos.

O GTE possui para-choque traseiro com escape duplo e rodas de liga leve de 21 polegadas. O interior tem teto solar panorâmico e espaço qualificado para as pernas, por causa da distância entre-eixos de 3,02m. O painel de instrumentos é mostrado em um visor de 12,3 polegadas e o console central possui a tela de 10,1 polegadas, que também está presente no banco traseiro.

Sobre a Volkswagen:

A Volkswagen é uma montadora de automóveis alemã que foi fundada no dia 28 de maio de 1937. Seu fundador foi Ferdinand Porsche. O Grupo Volkswagen é atualmente a maior fabricante de automóveis da Europa. O Grupo também é dono das marcas Audi, Bentley, Bugatti, Ducati, Lamborghini, Seat, Porsche, Skoda, MAN, Volkswagen Caminhões e Scania. A sede da empresa fica na cidade de Wolfsburg, na Alemanha. A empresa tem um faturamento anual de aproximadamente 159 bilhões de euros. Entre os carros produzidos pela empresa estão: Golf, Voyage, Saveiro, Fox, Polo, Bora, Passat, Touareg, Tiguan, Gol, Jetta, Amarok, Up, entre outros.

Felipe Couto de Oliveira


Renault Zoe faz parte do Programa de Mobilidade Elétrica no Brasil


O Renault Zoe ainda não tem previsão de ser fabricado no Brasil, mas já pode ser visto passeando em alguns lugares mais restritos onde passa por testes como é o caso do pátio da CPFL.  O veículo vem como a primeira fase do programa de mobilidade elétrica e como tal não emite gases poluentes. O objetivo do programa é muito claro criar os automóveis “verdes” que não degradem o meio ambiente com a mesma intensidade que os veículos movidos à combustão.

Os resultados dos testes tem demonstrado que a utilização de carros elétricos é cerca de 4 vezes mais barata do que o uso de um carro convencional. Estima-se que o valor do quilometro rodado com etanol custa ao motorista aproximadamente R$0,19 enquanto para um carro elétrico o custo de um quilômetro é de apenas R$ 0,05.

O carro tem autonomia de 210 km. O modesto motor elétrico pode fornecer uma potência ao conjunto de 88 cavalos e um torque de 22,4 kgfm e conta com um câmbio de duas marchas (para frente e para trás). O carro tem um bom arranque já que toda a energia do motor está disponível ao conjunto em tempo integral. A velocidade do carro pode atingir os 135 km/h.

O painel altamente tecnológico conta com uma tela  multimídia. É possível inclusive observar o sistema de regeneração das baterias funcionando. Quando o carro acelera forte o consumo de energia aumenta significativamente, quando o carro reduz a velocidade o sistema é regenerado. As baterias de íon-lítio podem ser recarregadas em tomadas de 220V durante aproximadamente nove horas, além é claro dos pontos de recarga “quick charge” que possuem voltagem bem maior. O carro é equilibrado e confortável contando com uma suspensão McPherson na dianteira e um eixo de torção na traseira.

O design não é inovador, mas chama atenção. O carro tem um visual quase futurista com poucas linhas e um formato mais arredondado.

Por Nosf

Renault Zoe

Renault Zoe

Renault Zoe

Fotos: Divulgação


Sistema de compartilhamento de carros elétricos será testado em Recife (PE)


A solução empregada por alguns países desenvolvidos para diminuição de gases poluentes chegará ao Brasil, ainda este ano, mais exatamente em Recife. Conhecido internacionalmente como carsharing, que se constitui num sistema de compartilhamento de carros elétricos por meio do aluguel do veículo, o consumidor pode utilizar o automóvel.

Esse tipo de serviço tem como objetivos a redução da emissão de poluentes, assim como a diminuição de veículos nas ruas, sendo muitas vezes uma alternativa ao transporte individual, mais cômoda e utilizada somente no seu essencial.

Em Recife, o usuário poderá utilizar o serviço valendo-se de um aplicativo em seu telefone. Cabe destacar que o presente carro, segundo informações da internet, leva 6 horas para ser carregado e consegue andar 120 quilômetros de distância com essa carga. O funcionamento do sistema é parecido com o já conhecido compartilhamento de bicicletas, onde se paga um veículo num terminal e devolve em outro.

Segundo informações do site G1, nesse momento de implantação, somente 20 pessoas poderão utilizar o sistema, pois é uma fase de teste. Também, nessa fase inicial, haverá somente três carros e três estações disponíveis no município.

Para utilizar o carro, o usuário deverá acessar o aplicativo, Porto Levee, acessar a opção carsharing, e o mesmo abrirá as informações das estações disponíveis, e assim escolher a estação que deseja, verificando a disponibilidade do veículo, e também deverá apontar, nesse momento, qual a estação de destino.

O projeto instalado em Recife tem financiamento do Ministério da Ciência e Tecnologia e também da Serttel com custo estimado de R$ 500.000,00, utilizados no desenvolvimento do mesmo.

Para ser um usuário, o cidadão deverá necessariamente ser maior de 18 anos, possuir CNH, cartão de crédito e celular com plataforma que permita a instalação do aplicativo. Neste entrecho, cumpre-nos lembrar que o carro elétrico é considerado um automóvel e, portanto, está sujeito a legislação de trânsito, onde as infrações podem geral multas ao condutor.

Para mais informações acesse www.portoleve.org.

Por Thiago José Fernandes

Carros el?tricos compartilhados

Carros el?tricos compartilhados

Fotos: Divulgação


Novo Tesla Model S com 2 motores elétricos


Com o pensamento no futuro, empresas tendem a criar veículos tecnológicos diminuindo o consumo e emissão de monóxido de carbono, hidrocarbonetos e óxidos de nitrogênio ao meio ambiente, fazendo com que os veículos híbridos, se tornem os carros do futuro. Com essa visão a montadora Tesla demonstrou estar um passo à frente de suas concorrentes com a criação do modelo Tesla S P85D.

A Tesla está se preparando para mudar o mundo dos carros, seu CEO e fundador, Elon Musk, anuncia a criação do Tesla Model S, que poderá vir com dois motores elétricos, um motor posicionado na frente do carro, e ou outro na traseira, que fornece ao veículo uma tração 4×4, os dois motores do carro dão ao veículo uma potência que fará com que o este vá de 0 a 97 km/h em apenas 3,2 segundos.  No mercado de carros híbridos a novidade era a combinação de motor elétrico com motor a gasolina do modelo Volt da Chevrolet, lançado em janeiro de 2015 no salão de Detroit. O Tesla poderá ser comparado aos carros esportivos como, por exemplo, a Ferrari F12 Berlinetta lançada recentemente que faz de 0 a 100 km/h em 3,1 segundos.

Além da inovação dos motores duplos, o Tesla virá com um diferenciado sistema de piloto automático, que estará presente em todos os modelos da montadora. O sistema é capaz de compreender o ambiente externo do veiculo, como também auxiliar no desvio de obstáculos e outros carros.

Segundo a empresa o lançamento está previsto para o mês de dezembro nos Estados Unidos. Assim como a Chevrolet, a Tesla não possui venda de carros híbridos fora de seu país de origem. O primeiro modelo Tesla S P85D, será lançado por 120 mil dólares, ele será diferente das próximas versões, este modelo terá mais potência e inovação do que os próximos. Haverá outros modelos, mas todos serão mais básicos e o lançamento está previsto para o mês de fevereiro.

Por Igor Teixeira

Tesla Model S

Tesla Model S

Tesla Model S

Fotos: Divulgação


Nissan e-NV200 – Nova van comercial elétrica será lançada


O setor automobilístico conta com mais uma novidade: a Nissan vai lançar o seu segundo carro elétrico. Desta forma, a montadora japonesa vai continuar desenvolvendo a tecnologia, uma vez que ela lançou o primeiro carro elétrico em 2010. Na época, a Nissan desenvolveu para o mercado o Leaf, que é um carro compacto e tem crescido de forma gradual nas vendas.

O objetivo da montadora japonesa é lançar para o mercado quatro carros elétricos até o mês de março de 2017, e ela já apresentou um modelo para o mercado, e está trabalhando no segundo, que vai ser uma van comercial e vai receber o nome de e-NV200. As vendas do novo carro elétrico estão previstas para iniciarem no mês de junho na Europa, e no Japão em outubro.

A meta inicial era uma venda de 1,5 milhão de carros elétricos até o final do mês de março no ano de 2017, tanto para a montadora japonesa quanto para a aliada Renault, que é francesa. Porém, os consumidores encontram-se divididos pela autonomia que o carro proporciona, e pelas poucas estações de carregamento que existe, o que representa uma desvantagem. Por estes fatores, a meta foi adiada para dois a três anos.

Além disso, a Nissan e a Renault concretizaram apenas a venda de um décimo da meta, o que representa um quantitativo de 150 mil veículos elétricos, apenas. Parte desta proporção está incluído o carro elétrico fabricado pela Nissan.

O novo carro projetado da montadora Japonesa, o e-NV200, foi desenvolvido com a finalidade para ter autonomia em um percurso de até 190 km e usando uma carga de bateria, de acordo com os padrões japoneses.

Qual o preço estimado do e-NV200? Na França, o preço inicial de tabela é de 20.610 euros, o que equivale a 28.100 dólares. Mas, com os subsídios do governo, o preço vai cair para 14.310 euros. Mas, no Japão, o carro elétrico deve começar com aproximadamente 3,9 milhões de ienes, o que representa 38.100 dólares, excluindo os subsídios.

O que você acha do carro elétrico para o Brasil? 

Por Babi

Nissan e-NV200

Foto: Divulgação


Carros elétricos – Preservação do meio ambiente


A necessidade de se alterar as formas de execução em prol de diminuir os impactos ambientais é uma necessidade urgente que alcançou as mais diversas áreas, inclusive a automobilística.

Sustentabilidadeé a palavra do século e traz consigo a ideia de que é possível desenvolver novas técnicas de ações sem trazer prejuízos ambientais que muitas vezes são irreversíveis, é nessa ideia que apareceram os “carros sustentáveis”, ou simplesmente carros elétricos.

O carro elétrico é silencioso, não polui e gasta muito menos que um carro movido a combustível, pode ser considerado a invenção do milênio já que um dos maiores fatores para a poluição atmosférica são justamente os gases que são expelidos por automóveis que são movidos a combustíveis como gasolina.

O carro elétrico já é uma realidade no mercado internacional, são aproximadamente 4,5 milhões de veículos circulando pelas ruas de cidades como, Londres ou Nova York, cerca de 95% desses carros são automóveis híbridos que têm um sistema de combustão em conjunto ao gerador elétrico, os carros totalmente elétricos representam os 5% restantes que são um total de 200.000 veículos em todo o mundo.

Os países que largaram na frente dessa corrida tecnológica e são grandes investidores, são: Japão, Estados Unidos e Inglaterra. O Brasil está totalmente fora da disputa, são aproximadamente 70 carros elétricos emplacados, todos importados e na maioria dos casos são usados a serviço de empresas específicas, isso se deve à quantidade absurda de impostos que são despejados sobre esses carros no Brasil que fazem com que o preço médio unitário esteja em cerca de R$ 200 mil.

A principal diferença de um carro convencional movido a gasolina e um carro elétrico é justamente a colaboração que um carro elétrico tem para com a natureza, não emitindo absolutamente nenhum poluente à camada de ozônio.

Sem dúvida, o carro elétrico é o carro do futuro, e no Brasil é necessário que se mudem as leis de impostos para que o consumidor se sinta motivado a usar um carro elétrico colaborando com a sustentabilidade ambiental.

Por Paulo Victor Bragança

Carros el?tricos

Foto: Divulgação


Conheça o e-Golf, carro elétrico do modelo Golf


A fabricação de carros elétricos não é só atraente economicamente falando, como também coloca uma marca com mais credibilidade por pensar no ecológico. A Volkswagen parece querer aliar o seu tradicional modelo esportivo Golf com essa nova modalidade de carros ecologicamente corretos. O carro já conquista a Alemanha – que teve o seu lançamento em fevereiro – e deve ganhar em pouco tempo outros países da Europa.

O e-Golf, que é o carro elétrico do modelo, ganhou alguns toques diferentes no exterior, como a inserção da cor azul em detalhe da grande dianteira, com o símbolo “e” dando o diferencial do carro e mostrando que é elétrico.

O carro não é o pioneiro do segmento de carros elétricos, não é o que traz mais tecnologia e nem o mais atraente no quesito preço: ele está saindo na Alemanha por 34 mil euros, o que seria em torno de R$ 103.700.

O que está atraindo os consumidores a comprarem o carro é por ser o modelo Golf. A bateria é um íon-lítio de 24,2 kWh capaz de rodar cerca de 190 quilômetros com carga completa, chegando a 115 cavalos de potência.

O carro possui três opções de direção, que dá uma eficiência maior do combustível: a normal, a Eco e Eco +. Quando o motorista escolhe a forma mais econômica do automóvel, a forma Eco +, a velocidade máxima é reduzida de 140 km/h para 90 km/h, assim a bateria do carro dura mais algumas horas.

O veículo vem com seis airbags, um sistema antibloqueio de frenagem de colisão múltipla, detecção de cansaço do motorista, indicador de pressão dos pneus, direção progressiva, faróis e lanternas em leds e controle climático automático. Além de uma tela multimídia de 8 polegadas.

A parte externa do carro não difere de um Golf “normal”. O e-Golf pode atingir 60 km/h em 4,2 segundos, o que é uma boa média. Depois dos 80 km/h, ele demonstra ser que é realmente um carro elétrico. Nessa velocidade ele faz de 0 a 100 km/h em 10,4 segundos, o que prova de depois dos 60 km/h o automóvel perde seu impulso por ser elétrico. 

Por Carolina Miranda

Foto: divulgação


Falta de incentivo para aquisição de carros elétricos no Brasil


Alguns países já demonstram interesse em aumentar a frota de carros elétricos, a fim de diminuir a necessidade de utilizar combustíveis fósseis. O que levou as montadoras a investirem mais no setor nos últimos anos. Contudo o Brasil ainda está muito atrás apresentando inclusive políticas de incentivo à gasolina e etanol. Os números são bem desanimadores apesar de muitos esforços: no mundo são mais de 340 mil veículos movidos a eletricidade, enquanto no Brasil são apenas 70.

Levando em consideração que o Brasil é uma das maiores economias do mundo e que aqui a energia elétrica produzida é em sua maioria limpa, é uma incoerência muito grande estarmos tão atrasados quanto ao uso de carros elétricos. Isso ocorre principalmente pela falta de incentivos do Estado, já que os modelos são mais caros. Em países como Noruega, foram adotadas medidas em que o proprietário de um veículo elétrico pode utilizar o corredor exclusivo de ônibus, não paga pedágio nem estacionamento em diversos estabelecimentos, além da isenção de impostos.

Na China, o governo isenta a cobrança de US$ 15 mil em impostos na compra de um carro elétrico, provando que o mercado de elétricos deve ser incentivado já que não é um processo que ocorre de maneira espontânea. A parceria entre montadoras e Estado também pode ser um pilar para a implementação em massa dos veículos menos poluentes.

Outras medidas que devem ser tomadas referem-se à estrutura para a recarga das baterias. Os veículos 100% elétricos têm uma eficiência menor, contudo são uma ótima alternativa para distâncias curtas, na área urbana. O investimento na tecnologia deve ser maior, sobretudo para um uso mais eficiente da bateria e menor tempo de recarga. São poucos os postos de recarga, porém os usuários podem usar a energia convencional de suas casas. Há modelos que precisam de 20 minutos para carregar 80% da capacidade. 

Por Robson Quirino de Moraes

Carros eletricos no Brasil

Foto: Divulgação


Mini pretende lançar novos modelos híbridos e elétricos


A companhia MINI adiantou diversos detalhes de seus novos modelos há apenas algumas semanas para a apresentação de sua próxima geração de veículos. A motorização deverá ser no formato tricilíndrico, com 1.5 litro turbo e motores de quatro cilindros turbo de 2.0 que já pertencem ao conjunto de motores modulares da BMW, além de uma plataforma com tração dianteira, conhecida como UKL.

De acordo com Peter Schwarzenbauer, diretor da marca, os planos da MINI, que pertence ao Grupo BMW,  são para 10 novos modelos do compacto, incluindo variantes elétricas e híbridas do tipo Plug-In. Ainda segundo ele, uma boa parte dos automóveis deve ser produzida na Holanda, na planta da NedCar, assim que a fábrica de Oxford atingir a sua capacidade limite de 240.000 veículos por ano.

MINI Vision Concept

MINI Vision Concept

Foto: Divulgação

Se tudo der certo para a companhia, os novos modelos devem estar disponíveis na Europa e EUA já no segundo trimestre do ano que vem. EM 18 de novembro deve ocorrer um evento na fábrica de Oxford para revelar a nova geração de compactos da empresa.

Os modelos elétricos e híbridos ajudam a compor a visão de que os modelos MINI sempre foram os mais baratos e econômicos da Inglaterra. Com os lançamentos a empresa pretende emplacar de vez a ideia de que é cada vez menos dependente de combustíveis convencionais como a gasolina e o diesel.

Por Ebenézer Carvalho


Toyota não aposta em veículos totalmente elétricos


Os veículos completamente elétricos já são uma realidade e empresas como a Tesla, que se especializaram em proporcionar o mesmo conforto e qualidade encontrados em veículos movidos à combustíveis comuns. No entanto, empresas como a Toyota ainda preferem apostar as suas fichas em veículos híbridos e nas células de hidrogênio ao invés da eletricidade como já faz o Model S, da Tesla.

Segundo o CEO da montadora japonesa, Takeshy Ushiyamada é necessário melhorar o estudo e as tecnologias utilizadas nas baterias atuais para torná-las viáveis na utilização com veículos. Ainda de acordo com o executivo, eles não apostam em veículos totalmente elétricos porque não acreditam que realmente exista um mercado para esse tipo de veículo atualmente.

Apesar disso, a Toyota tem investido na Tesla e acredita que os veículos híbridos são a melhor solução no momento. Recentemente, a empresa do Vale do Silício divulgou um balanço positivo pela primeira vez em 10 anos, o que mostra a aceitação de veículos totalmente elétricos.

Segundo Ushiyamada, o Prius é o veículo mais importante da Toyota para esse futuro. A empresa ainda diz que  planeja vender veículos movidos à células de hidrogênio por cerca de U$ 50.000 até o final de 2015. Esse tipo de célula gera energia elétrica através do hidrogênio e libera apenas água como subproduto, gerando uma série de benefícios ao meio ambiente.

Por Ebenézer Carvalho


Renault oferecerá 1 hora de recarga gratuita diariamente para carros elétricos na França


Começando a partir do final do mês de setembro (30/09), a marca francesa Renault irá oferecer uma vantagem aos proprietários de veículos elétricos da França.

A empresa irá dar de forma gratuita 1 hora de carga  diariamente aos donos de modelos do tipo elétrico – sem importar se o carro for da Renault ou não. No total irão ser 875 postos para rápida recarga divididos entre 372 concessionárias autorizadas pela francesa em todo a nação. De acordo com especificações técnicas publicadas no portal da montadora, é possível fazer a recarga de até 80% da bateria em cerca de uma hora.

O real intuito da empresa Renault é mostrar a potencialidade da infraestrutura da companhia na hora da recarga e possibilitar alternativas no que se refere às estações privadas – pegando como exemplo o trabalho e a casa dos franceses. Isso irá ser evidenciado, também, com uma viagem a ser feita por 2 modelos Zoe entre as cidades de Paris e Rochelle, localizada na região costeira da França. Os dois automóveis elétricos Irão rodar 477 quilômetros, fazendo as recargas necessárias em 3 postos da companhia durante o percurso.

Por Marcelo Araújo


Aumento na Venda de Carros Elétricos na Europa


Os carros elétricos já somam vendas substanciais em vários países da Europa. Pouco mais de 4,7 mil modelos foram vendidos na França no primeiro semestre do ano. Parece pouco, contudo, é uma ótima oportunidade para as montadoras, que somam prejuízos significativos nos últimos anos.

No mesmo período de 2012, o número de veículos elétricos vendidos na França era de 2,27 mil, que representa menos da metade dos números de 2013. O aumento nas vendas é algo surpreendente, tendo em vista que os valores cobrados pelos modelos elétricos são salgados para o padrão europeu. Eles podem variar entre € 13,7 mil e € 27,9 mil.

Entre as montadoras mais atuantes está a Renault-Nissan, que já vendeu mais de 100 mil carros elétricos desde 2010. 61% do mercado é europeu e o restante asiático, onde é comercializado o Nissan Leaf. Lá, o modelo compete com o Mitsubishi i-Miev.

Outras montadoras prometem fazer concorrência com o modelo da Renault. Em julho, a BMW anunciou o lançamento o i3, o primeiro híbrido da montadora alemã. O veículo tem uma autonomia que varia entre 130 e 160 quilômetros e será vendido por € 27,9 mil

Por Robson Quirino de Moraes


Supercharger – Nova maneira de recarregar baterias de carros elétricos da Tesla


Há pouco tempo, a Tesla Motors apresentou uma novidade bastante interessante no ramo de carros elétricos. A empresa vem desenvolvendo uma nova rede de supercarregadores para a bateria dos seus veículos elétricos, que recebeu o nome de Supercharger.

A tecnologia foi desenvolvida em estações de recarga de bateria, que permitem que os carros Tesla tenham suas baterias recarregadas em uma velocidade muito maior do que o comum. Isso é devido, principalmente, ao novo conector que a empresa desenvolveu, que permite transferir energia em uma velocidade até quatro vezes maior.

Com a utilização dos Superchargers, os automóveis da Tesla tem recarga de 50% da bateria em apenas 30 minutos, o que permite que o carro ande 240 km sem precisar recarregar novamente no meio do percurso. Atualmente, os carros com conectores tradicionais só conseguem andar 26 km com uma recarga de 30 minutos.

Outra informação interessante é que o Supercharger utiliza energia solar para gerar a eletricidade para as cargas nas baterias, o que reduz o consumo nas redes elétricas. E também, conforme o CEO da Tesla, essa nova rede desenvolvida pode colaborar com a aceitação dos carros elétricos no mercado.

Até então, seis pontos de recarga Supercharger já foram construídos nos EUA, mas a intenção é que a rede seja expandida para a Ásia e para a Europa até o final deste ano e 100 pontos de recarga sejam construídos até 2015.

Por Guilherme Marcon


Combo – Novo sistema de abastecimento de carros elétricos


O mercado de automóveis está cada vez mais variado nas possibilidades e opções disponíveis aos consumidores sendo que a grande tendência do momento são os carros elétricos, que consistem em veículos que são movidos a energia elétrica diminuindo, assim, a emissão de gases e da consequente poluição do meio ambiente, além de serem mais econômicos para os seus proprietários.

Para os motoristas que possuem ou desejam adquirir carros movidos a eletricidade a SAE (Sociedade de Engenheiros Automotivos – entidade composta por Engenheiros especializados em automóveis do mundo todo) aprovou normas internacionais para o carregamento de baterias em carros elétricos ou híbridos.

O sistema nomeado como Combo, criado em parceria com mais de 100 fabricantes de automóveis, seus acessórios e com empresas que fornecem energia elétrica, consiste em um novo padrão que muda o tempo de abastecimento dos veículos elétricos de oito horas para apenas 20 minutos.

A partir da sua aprovação, este sistema obrigatório contará com descargas de 500 volts e já estará disponível no início de 2013 no Spark EV, modelo da montadora General Motors.

Por Ana Camila Neves Morais


Toyota iQ EV – Carro Elétrico


O mês de setembro apresentou inúmeras novidades para o setor automotivo. Além das tradicionais feiras que ocorrem em diversos países, as marcas estão apresentando novos modelos e conceitos para o mercado. Entre essas empresas está a Toyota, que revelou um veículo completamente elétrico chamado de iQ EV.

O auto deriva de uma versão anterior que tem o mesmo nome, mas esta atualização é um pouco maior, apresentando 3,12 m. Porém, a companhia japonesa não informou se o modelo será comercializado. Em relação ao automóvel de antes, o novo iQ EV conta com mudanças no design, aperfeiçoamento no sistema aerodinâmico, entre outros aspectos.

O iQ EV tem entradas de ar menores na parte da frente, sendo que as peças que cobrem as rodas são específicas. Fora isso, o veículo apresenta carenagem na parte baixa da carroceria. A movimentação do iQ EV ocorre com bateria de íons (lítio) que localiza-se sobre o assoalho com proteção de uma estrutura fabricada em aço ultra resistente. De acordo com a marca japonesa, isso não afeta em nada o espaço dos passageiros e nem das bagagens.

Ainda em relação à versão anterior, o veículo está mais pesado e seu desempenho está semelhante ao de um carro compacto 1.0, chegando de zero a cem quilômetros em 14 s.

Por Marcelo Araújo


Nissan TeRRA – Lançamento no Salão de Paris


O Salão de Paris, que será realizado no final de setembro, tem chamado atenção da mídia em escala global pela quantidade de novidades e a presença das maiores marcas do segmento de veículos.

Entre as empresas que estarão presentes, uma das que se destaca é a Nissan, que recentemente revelou alguns detalhes do TeRRA, utilitário esportivo conceito que fará sua estreia mundial no evento francês.

O veículo foi feito com o objetivo de colaborar com o meio ambiente e, por isso, funciona com eletricidade da seguinte forma: o TeRRA é impulsionado pela força de sua motorização elétrica com células de combustível que funcionam juntamente com baterias de íon-lítio no propulsor.

Além disso, o conceito da Nissan apresenta elementos conhecidos no segmento dos SUVs: janelas estreitas nas laterais, colunas finas, alta linha de cintura e pneus largos. Alimentando as rodas da frente o automóvel apresenta sistema propulsor à base de energia elétrica, assim como o presente no Nissan LEAF.

O Nissan TeRRA tem rodas traseiras com motor elétrico que teve sua base nos 3 protótipos do Pivo e, sem a necessidade de túnel acomodando a transmissão, o tipo de piso presente na cabine é o liso.

Apesar da inovação, a empresa não revelou se fará ou não planos para fabricação em larga escala e comercialização do TeRRA.

Por Marcelo Araújo


Carro Ecológico – Brasil deve entrar para esse time em 2014


As regras acerca do índice de emissão de gases poluentes no meio ambiente são expressivamente mais rígidas na Europa do que na América do Sul. O controle dos órgãos responsáveis também é mais presente. Nesse sentido, as empresas têm investido cada vez mais em automóveis híbridos e elétricos, a fim aumentar a produção de carros ecológicos no continente Europeu.

Mesmo situado na América do Sul, o  Brasil poderá integrar esse time a partir do ano de 2014, uma vez que a BMW confirmou as vendas do i3, seu modelo compacto.

Em 2015, a montadora prevê também a chegada do i8. Desse modo, o mercado brasileiro de autos receberá dois grandes investimentos, que apesar do alto valor, se configurarão como excelentes opções de sustentabilidade sobre quatro rodas.

O principal diferencial do i3 reside nas modernas baterias de íons de lítio. Através delas, o carro terá autonomia de 160 km, antes de parar para recarregá-lo por aproximadamente 6 horas.

O i8, por sua vez, é um modelo diesel-elétrico (híbrido) e atinge 100 km/h em menos de 5 segundos. A alta performance não impede que o automóvel seja bastante econômico, pois consome 33 km/l de combustível.

Por Larissa Mendes de Oliveira


El Lada – Lançamento do Novo Carro Elétrico na Rússia


No ano de 1990, diversos modelos de carros da fabricante Lada chegaram ao Brasil, logo que o nosso mercado foi aberto a importações. Porém, sete anos depois, em 1997, as vendas da marca Lada foram suspensas no nosso país.

Mesmo assim, a fabricante russa continuou suas operações no exterior, onde tem se saído relativamente bem. Atualmente, a empresa anunciou o seu primeiro modelo de carro elétrico, que trata-se de uma versão com motor totalmente elétrico do hatch Kalina e chama-se El Lada.

Conforme a Lada, o seu novo El Lada (que foi destaque no Salão de Moscou no dia 29 de agosto) possui um conjunto de baterias de íon lítio na parte traseira, que faz com que o carro possa andar até 150 quilômetros sem precisar de recarga. O carro demora no máximo oito horas para ser recarregado, processo que pode ser feito em tomadas trifásicas. A velocidade máxima que o El Lada atinge é de 130 km/h.

Entretanto, tendo em vista que a montadora seja russa, o novo veículo será vendido no mercado russo, logicamente, mas primeiramente apenas para taxistas de Stavropol, em uma versão para testes. O primeiro lote do El Lada chegará ao mercado russo no último trimestre deste ano, custando cerca de R$ 67.615 cada modelo.

Por Guilherme Marcon


Novos Carros Ecológicos da Suzuki – Salão de Tóquio


Outra montadora que vai apresentar a sua nova linha de carros ecológicos no Salão de Tóquio é a Suzuki. Serão 3 novidades, em versões conceituais, carregadas de tecnologia e com design diferenciado, que podem estar nas ruas em um futuro próximo.

O Q-Concept parece ter sido inspirado no Renault Twizy, possuindo um design bastante semelhante ao compacto francês, que chega às lojas no final do ano. Ele tem 2,5m de comprimento e 1,30m de largura, e a cabine tem capacidade para duas pessoas. O propulsor elétrico deverá ter uma autonomia de aproximadamente 50 km, e a velocidade máxima é de 60 km/h.

Já o Suzuki Regina é a base para o novo compacto global da marca e se destaca pela utilização de materiais leves em sua construção (o que lhe dá um peso de 750 kg) e pelo motor bastante econômico e com baixas emissões de poluente. Segundo os dados oficiais, o propulsor dispõe de um consumo médio de 32 km/l e emite 70 g/km de CO2.

Por sua vez, o Swift EV Hybrid Concept é o que está mais perto de ser produzido, segundo especulações. A versão alternativa do compacto japonês vai rodar entre 20 km e 30 km se utilizado apenas o bloco elétrico, e trará outras mudanças em relação ao Swift convencional, como o renovado conjunto óptico, as novas rodas e um novo painel de instrumentos.

Os detalhes completos de cada modelo serão conhecidos em dezembro.

Fonte: World Car Fans

Por André Gonçalves


Renault pode lançar Carros Elétricos no Brasil


A Renault é uma das marcas que mais tem investido em veículos elétricos atualmente. Apesar das vendas destes carros se concentrarem na Europa, a montadora francesa tem planos de expandir as vendas para 38 países, entre eles o Brasil.

A gama Z.E (Zero Emissions) da montadora francesa, que se refere aos carros que não emitem poluição, era composta por três integrantes: o utilitário compacto Kangoo Z.E; o sedã de porte médio Fluence Z.E e o sedã compacto Zoé Z.E. Agora, a linha ecológica ganha um novo integrante, o Twizy Z.E, um pequeno veículo urbano, com capacidade para duas pessoas, que vai custar o equivalente a pouco mais de R$ 11.000 (com subsídios do governo).

Durante o lançamento do Twizy, a Renault colocou no ar um hotsite, www.renault-ze.com, que mostra os quatro modelos elétricos. O interessante é que a página tem diversas opções de idiomas, entre eles o nosso português, o que aumentou bastante as especulações em torno da vinda da linha Z.E para o Brasil. Há na página, inclusive, um contador regressivo para o lançamento, que parece programado para abril de 2012.

A filial brasileira da Renault não comentou nada sobre a possível vinda dos modelos elétricos para o Brasil.

Por André Gonçalves


Nissan Leaf 2011 – Novo Carro Elétrico


A Nissan lançou essa semana oficialmente o seu mais novo modelo elétrico, o Nissan Leaf.

O carro possui um design arrojado e é uma das apostas da montadora para o próximo ano.

O modelo possui um motor elétrico com uma potência de 80kw o que seria equivalente a 111cv,com velocidade máxima de até 145km/h.

Por fora o carro esbanja curvas muito bem traçadas,e a ausência de um radiador ajudou e muito nos novos traços,mas para quem acha que a novidade fica apenas pelo seu exterior, o interior do veículo também é um "show" a parte.O interior tem seus acabamentos todo feito em couro e camurça,além de privilegiar o conforto.

Para carregar as baterias o proprietário terá 2 opções.Na primeira a carga normal feita em uma tomada convencional 220v esse processo demora cerca de 8,5 horas,ou em carga rápida em postos próprios para isso,já nesse processo o proprietário reduziria esse tempo para apenas 35min para ter 78% de capacidade das baterias.

O preço do Nissan Leaf é de 3.6 milhões de Íenes algo em torno de US$44.990.

Por: Ewerton Cruz


Eike Batista – Projeto para fabricação de Veículos Elétricos no Brasil


O homem mais rico do Brasil, Eike Batista, está sempre envolvido, obviamente, em negócios concernentes a uma das maiores riquezas do ponto de vista comercial, o petróleo. Procurando expandir horizontes e mostrando-se um empresário nato, anunciou na última quarta-feira, 15 de setembro, a edificação de uma fábrica designada à construção de veículos elétricos de origem nacional.

A previsão para a frota começar a circular pelas ruas brasileiras é 2014, ano em que o país será sede da 20ª edição da Copa do Mundo. Com custo inicial estimado em R$ 1,72 bilhão, contará, possivelmente, com financiamento proveniente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O empresário acredita que 100 mil veículos contemplarão a produção inicial, movidos, como a modalidade sugere, por baterias elétricas advindas de tecnologias da Europa e do Japão. Segundo Eike em reportagem emitida pelo portal R7, em uma década o país consumirá 8 milhões de carros por ano, quantidade que possibilita novas oportunidades de trabalho e maior espaço à indústria brasileira.

Mesmo em outras palavras, Eiki indica que em média o brasileiro gasta R$ 200 mensais no abastecimento de seu veículo por meio dos tradicionais combustíveis. Com os carros elétricos o custo será de R$ 20, ou seja, uma tendência irreversível aos próximos anos.

O local especialmente almejado ao intento será, provavelmente, do lado do Super Porto do Açu, no norte fluminense.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Venturi Buckeye Bullet 2.5 bate Recorde de Velocidade para Carro Elétrico


Todo mundo sabe que o carro esportivo mais rápido do mundo é o Bugatti Veyron com seus mais de 1000 cv. Mas a Bugatti não é a única a tentar estabelecer novos recordes de velocidade. Um exemplo é a Universidade de Ohio, que acaba de superar a marca de 394 km/h para um veículo elétrico. Aliás, o recorde não só foi superado como acabou pulverizado.

O novo recorde é de 515 km/h atingido pelo Venturi Buckeye Bullet 2.5 no deserto de sal de Utah. O recorde anterior já durava mais de 10 anos quando o White Lightning atingiu a marca de 394 Km/h. Para alcançar o feito o Venturi Buckeye Bullet utilizou baterias que fornecem cerca 600 kWh.

A nova marca deve ser publicada na próxima edição do Guiness Book.

Por Maximiliano da Rosa