Segurança para crianças nos carros – Cadeirinhas ideias para cada idade


Conheça as cadeirinhas certas de crianças para usar no carro de acordo com a idade e o peso.

A cadeirinha de segurança no carro é um item essencial, e muitas pessoas acabam deixando ela de lado. Com esse costume, muitos adultos não têm ideia que estão colocando em risco a vida de suas crianças. No dia a dia acontecem muitos acidentes no trânsito, por isso a cadeirinha não deve ser ignorada nem em pequenos trajetos. Existem no mercado diversos modelos de cadeirinhas, que são indicadas para diferentes idades. Veja abaixo um pouco mais sobre esse item de segurança tão importante.

Escolha uma cadeirinha de boa qualidade

Uma das primeiras preocupações quando se decide comprar uma cadeirinha de segurança para o carro, é optar pelos modelos de qualidade. Nesse momento não se pode pensar em economizar, pois estamos falando da segurança de uma criança. O ideal é fazer uma pesquisa bem elaborada e optar pelas marcas que realmente fabricam as cadeirinhas de acordo com as normas, mesmo que seu valor seja um pouco acima da média.

Cadeirinha para os bebês mais novinhos

Essa cadeirinha é conhecida como bebê conforto, e é muito útil para transportar o bebê de um local para o outro com muita facilidade. Por ser uma cadeirinha usada desde os primeiros dias de vida, ela deve ter uma qualidade acima da média, pois ela vai receber um bebê frágil, que precisa de uma cadeirinha bem confortável e ao mesmo tempo segura. Na hora de comprar essa cadeira, observe o limite de quilos máximo que ela pode receber. E analise toda a estrutura da cadeirinha, principalmente os cintos que mantêm o bebê preso dentro do carro. Vale lembrar que essa cadeirinha vai durar no máximo até 1 ano de vida, depois é preciso mudar de cadeira.

Poltrona reversível para as crianças maiores

Esse tipo de cadeira é muito usado por pais, pois além de manter o seu bebê / criança bem confortável, essa poltrona deixa a criança muito segurança nos principais trajetos de carro. Geralmente suportam até 25 kg e isso significa que essa poltrona vai ser usada por muito tempo. Nesse caso a escolha dessa cadeira deve ser feita com muita cautela, justamente por ser um investimento de segurança de longo prazo. O fator negativo dessa cadeira, é que ela normalmente toma muito espaço no carro, o que pode incomodar a muitos pais, porém, essa é a única forma de manter seu filho seguro dentro do carro em movimento. Então vale a pena.

Modelo de assento de elevação para crianças maiores

O assento de elevação é o último estágio desse item de segurança para crianças. Ele é mais simples e nem por isso deixa de ser seguro. Ele funciona como um banquinho que serve para deixar a criança em uma posição mais alta dentro do carro, e tem cinto de três pontas que já tem no carro. No mercado existem modelos com ou sem encosto, e para saber qual modelo ideal, é preciso apenas verificar se o carro onde o assento vai ser colocado tem encosto para a cabeça. Se não tiver, é preciso comprar o modelo que tenha esse encosto, de acordo com a norma de segurança.

Esse tipo de poltrona é indicado para crianças que tenham de 4 anos para cima. O limite máximo é 10 anos, porém, a lei exige o uso desse acento para crianças com até 7 anos. Vale ressaltar que quanto mais a criança estiver segura, menor é a chance de a mesma ter muitos problemas em caso de acidentes com o carro.

Se você ainda não tem uma cadeirinha em seu carro, procure o modelo ideal de acordo com a idade e peso da criança. Assim você fica com a consciência tranquila e não terá problemas caso seu carro seja parado em alguma blitz.

Por Cristiane Amaral

Cadeirinha de bebê para carros


Carros Mais Seguros do Brasil


Programa de Avaliação de Veículos Novos para a América Latina e Caribe avaliou e chegou a uma lista dos carros mais seguros no Brasil. Confira.

Durante a escolha de um carro para a compra, muitos são os atributos levados em conta para chegar naquela que é a melhor opção. Alguns priorizam conforto, outros estética, outros a marca. Porém, uma fatia de pessoas se esquece da importância de decidir e avaliar a segurança.

Pensando nisso, em um teste de colisão realizado recentemente pela Latin NCap, chamado de Programa de Avaliação de Veículos Novos para a América Latina e Caribe, chegou-se a uma lista dos cinco carros mais seguros no Brasil. Antes de mais nada, é fundamental fazer saber que, desde o ano passado, o sistema de avaliação ficou ainda mais rigoroso para obtenção de nota máxima, com valores mais altos em quesitos como proteção de adultos.

Porém, para esse ranking, ainda levou-se em conta também o método antigo de avaliação. Sendo assim, nós iremos listar os cinco modelos mais seguros, conforme o teste. Ainda, daremos uma breve descrição sobre os carros e os quesitos importantes levantados.

1. Novo Golf (Volkswagen)

Com fabricação em São José dos Pinhais, o Novo Golf possui 7 airbags (um no joelho do motorista, dois laterais, duplo frontal e dois de cortina). Além disso, ele foi o primeiro a receber a nota máxima nos rigorosos novos protocolos de avaliação.

Em sua sétima geração, o Golf vem também com controles de estabilidade e de tração, bem como sistema Multicollision Brake, que freia o carro após esse detectar uma colisão, diminuindo assim os danos. No opcional, traz o controle de cruzeiro adaptativo, o ACC, que acelera e freia de forma automática. O preço é a partir de R$ 74.990.

Golf

2. Honda HR-V (Honda)

Um dos líderes de venda entre os utilitários esportivos, o Honda HR-V possui controles de estabilidade e de tração, airbags laterais (em versões topo) e sistema de ESS, que aciona o pisca alerta ao pisar fortemente no pedal do freio. Seguindo o Golf, traz de série um assistente de partida em subida.

Nos critérios de proteção para adultos, o HR-V foi ligeiramente superior ao Golf, trazendo menos danos aos bonecos utilizados no teste. Porém, na pontuação das crianças, foi mais baixa. O preço do crossover parte de R$ 79.900.

Honda HR-V

3. Hilux (Toyota)

Fabricada na Argentina, a Hilux ganhou o melhor resultado em proteção para crianças devido aos sistemas de retenção infantil (SRI). No teste, a unidade trazia três airbags, cinto com três pontos para todos os ocupantes e também ancoragens Isofix.

Com cinco estrelas no quesito de cuidado a adultos e a crianças, a picape é a mais segura do país. O preço parte de R$ 112.150.

Toyota Hilux

4. Renegade (Jeep)

Com avaliação cinco estrelas, o Jeep Renegade vem com controles para estabilidade e de tração, bem como assistente de partida em rampa. Além disso, há controle de descida na versão vendida a diesel.

Um dos diferenciais do modelo é o “Panic Brake Assist”, que funciona pressionando o freio ao máximo nas rodas, em caso de emergência. Isso ocorre mesmo que o motorista não tenha pisado forte no pedal.

Na proteção ao motorista, o Renegade funcionou bem. Porém, no quesito infantil, teve uma leve derrapagem, reduzindo a sua média. Os preços partem de R$ 80.790.

Renegade 2018

5. City (Honda)

O Honda City vem com airbags laterais e com cortina na versão de topo. Auxilia na segurança a presença de um sensor de ré com uma câmera multivisão.

A proteção aos adultos foi considerada boa, observando apenas alguns danos ao acompanhante. Os preços partem de R$ 60.900.

Honda City

Ocupando as demais posições dos dez mais bem colocados em segurança, estão: Toyota Corolla, Honda Fit, Volkswagen Up!, Ford Focus Hatch e Volkswagen Jetta.

Você concorda com o ranking? Dê a sua opinião!

Por Kellen Kunz


Pane no Carro – O Que Fazer


Saiba aqui o que fazer caso aconteça uma pane no seu carro.

Ao comprar um carro, pensamos em diversos fatores, como comodidade, mobilidade, rapidez, segurança, etc. Ninguém imagina que irá passar por algum tipo de problema, pois acredita estar seguro dentro do seu veículo. Contudo, existem situações que fogem ao controle e quando menos se espera pode surgiu uma grande dor de cabeça, ocasionada pela falha em um dos sistemas do automóvel.

Quando este tipo de problema acontece, a pessoa se vê diante de um grande dilema, tomar algumas decisões pode ser primordiais para manter o bem estar físico e emocional do condutor e, caso esteja acompanhado, dos demais passageiros.

3 ATITUDES DIANTE DA QUEBRA DO CARRO

É normal encontrarmos nas vias motoristas de todas as classes sociais passando por algum problema com seu veículo. Anormal são os procedimentos tomados pela maioria, que deixa de observar regras simples para manter a segurando deles e dos demais veículos que trafegam no mesmo caminho.

1. DEIXE O CARRO NO LUGAR MAIS SEGURO

O mais comum, quando se observa problemas como este, é ver que os condutores não tiveram a menor preocupação com a segurança dos demais motoristas. A maioria deixa o carro em qualquer lugar, muitas vezes parado na pista. Contudo, o melhor lugar para deixar o carro é no acostamento. Aliás, além de ser a calçada do pedestre, é o local destinado, justamente, para este tipo de problema.

É aqui que normalmente surge a pergunta: Se o carro parar no meio da rua, como posso levá-lo para o canto se não está funcionando? A resposta é simples: “Solicite ajuda para realizar a manobra!”.

2. NÃO ESQUEÇA A SINALIZAÇÃO

Esta é ainda mais comum do que a anterior. Na grande maioria dos casos, os condutores que precisam parar por causa de algum problema no veículo, não fazem a sinalização corretamente. Eles se esquecem que existe uma regulamentação constando no Código de Trânsito Brasileiro, onde é descrito que a responsabilidade por sinalizar em casos de problemas com o carro é do condutor do automóvel.

Vale lembrar que ao deixar de sinalizar o motorista está cometendo uma infração grave, sujeita a perda de sete pontos na carteira e ao pagamento de multa. A falta de sinalização também pode causar outros acidentes, prejudicando ainda mais a situação do infrator.

Para fazer a sinalização, o dono do veículo ou um dos passageiros deve pegar o triangulo, que é item obrigado, segundo o código de trânsito, e colocá-lo a aproximadamente 110 passos de distância do automóvel. Está distância pode ser aumentada em caso de sinistro dentro de uma curva ou se as condições do tempo não permitirem uma boa visibilidade para os demais motoristas.

Outra medida importante a ser tomada, em relação à sinalização, é colocar objetos como galhos ou outros materiais entre o carro e o triângulo, para chamar ainda mais a atenção dos motoristas e permitir manobras que evitem novos acidentes.

Detalhe, o dono do veículo também é responsável pela retirada dos objetos utilizados para fazer a sinalização. Após resolver o problema, deve retirar o triangulo, os galhos e/ou outros materiais que tenha colocado na pista. O não cumprimento desta etapa também acarretará ao proprietário sanções legais (infração grave, perda de sete pontos na carteira e pagamento de multa.

3. PEÇA AJUDA PROFISSIONAL

O povo brasileiro é de uma cordialidade fora do normal, além de ser perito em quase tudo. Em momentos como este sempre aparece alguém dizendo saber resolver o problema alheio. Entretanto, para não piorar a situação, a melhor alternativa é agradecer a disponibilidade e solicitar os serviços de um profissional gabaritado.

Em caso de possuir seguro do carro ou garantia da fábrica, ligue e solicite o envio de um mecânico ou reboque. Normalmente, eles já possuem, inclusive, carro reserva para ser utilizado pelo cliente enquanto o carro está no conserto.

Porém, não tendo seguro ou para carros mais antigos, a melhor coisa a ser feita é solicitar os serviços de um Mecânico particular de sua confiança e o serviço de reboque, caso seja necessário remover o veículo.

Sempre opte pelos serviços de um profissional, até porque, o código de trânsito brasileiro determina que não deve ser utilizado um veículo comum para realizar o reboque de outro automóvel. Este tipo de atividade é caracterizado como infração média e incide na parda de quatro pontos, além de multa.

A melhor coisa a ser feita em uma situação em que o seu carro quebra no meio do caminho é procurar manter a calma, respirar bem fundo e tomar as atitudes relacionadas acima. Além de ser o mais acertado, evitará muitas dores de cabeça no futuro.

JUANITO TEIXEIRA CARVALHO


Como Transportar Cachorro no Carro Sem Infringir a Lei


Confira aqui como levar o seu animal de estimação em segurança dentro do carro e sem cometer infrações.

Transportar seu animal de estimação no carro pode transformar-se em um transtorno se o motorista não tomar algumas medidas necessárias para deixar o peludo confortável e seguro. O Brasil é o segundo país em criação de cães, gatos e aves, sendo que já conquistou o terceiro lugar em faturamento com esse mercado tão generoso.

Contudo, alguns motoristas ainda insistem em levar os pets soltos, sem a menor segurança e às vezes, na janela com a cabeça para fora curtindo a vida. Tudo isso pode ser muito engraçado, mas o que a maioria não sabe é que está infringindo uma regra do código nacional de trânsito, que pode lhe custar 5 pontos na CNH, além de pagar R$ 120.

É provável que pouca gente conheça uma lei apelidada de “Lei da Cadeirinha”. Regulamentada pelo código de trânsito brasileiro em 2010, ela estabelece como o seu animal de estimação deve ser transportado dentro do carro. A cadeirinha é parecida àquelas usadas por crianças.

O transporte do animal no carro exige alguns cuidados que devem ser seguidos para que você ande de acordo com a lei, por exemplo:

– O uso de bolsas

– Caixas Plásticas, próprias para transporte e com forro de naylon para deixa-lo confortável.

– Coleira peitoral e prendê-lo no cinto de segurança, sempre no banco de trás.

Todos esses cuidados vão evitar, além do que já foi explicado acima, que seu pet, na hora de uma freiada brusca ou até mesmo uma colisão, seja projetado para frente ou até mesmo para fora do carro, sofrendo assim sérios danos de saúde.

No caso de animais de grande porte, o condutor deverá retirar a tampa traseira, no caso de veículo grande, fixar bem firme a caixa para que não solte em caso de freada brusca. Tudo deve ser feito para que seu animal sofra o mínimo impacto.

Enjoos e vômitos

Muitos pets acompanham seus donos em viagens mais longas, principalmente nas férias da família, eles adoram, pode apostar. Porém, alguns estão enfrentando o desafio pela primeira vez e podem sofrer com a “naupatia”, enjoos e ânsias de vômitos que acometem os peludos na hora dos solavancos na estrada.

Melhor se precaver antes de viagens longas com seu pet para não passar perrengue na estrada. Leve-o para uma consulta, assim saberá se ele está em forma para curtir e não atrapalhar seu passeio.

Segundo a veterinária Gislaine Mattos, do Centro Veterinário Pet Center Marginal/Petz, no Paecambu, São Paulo, todo esse movimento do carro costuma afetar os canais internos do ouvido, responsável pelo equilíbrio do pet.

Por isso, cuidado principalmente com filhotes, são os que mais sofrem com percursos distantes. Eles ainda não estão acostumados com movimentos bruscos, o organismo ainda está se estabilizando, por isso as náuseas. Porém, existem remédios que vão ajudar seu peludo a viajar mais tranquilo, explica a médica, nunca se deve recorrer a remédios caseiros.

Animais de mais idade passam pelo mesmo transtorno que pode estar associado a lembranças de episódios ocorridos na infância, em caso de animais que sofreram de enjoos quando filhotes. Assim sendo, eles podem ficar ansiosos e estressados, chegando a passar mal.

A profissional recomenda que o tutor deve acostumar seu animal a passeios curtos de carro, interrompendo de vez em quando para ele caminhar um pouco. Isso vai ajuda-lo a associar a viagem a passeios agradáveis.

Outra recomendação importante: não se deve alimentar o pet antes de qualquer viagem, pois com o estômago cheio ele ficará mais apto à náusea e vômito. Portanto, somente o médico poderá receitar o remédio certo para que seu animal de estimação possa acompanha-lo nas viagens e não sofrer nenhum transtorno.

Por Ruth Galvão


Sistema Isofix Obrigatório no Brasil


Sistema de fixação das cadeirinhas de criança nos carros passaá a ser obrigatória a partir de 2018.

A cada ano que passa os automóveis estão ficando mais modernos e com mais equipamentos. Tanto na parte externa, como em seu interior, os itens de série recebem modificações que oferecem ao motorista e seus ocupantes mais conforto e segurança. E por falar em segurança, os automóveis modernos a cada ano vêm equipados com um maior número de airbags, até mesmo nas laterais é possível encontrá-los, para que a integridade dos ocupantes seja mantida em casos de colisões.

Nesse sentido, observamos realmente uma preocupação em relação a segurança nos automóveis, principalmente quando nos referimos às crianças que estão sempre a bordo de nossos veículos.

Desse modo, no Brasil, a partir do ano de 2018, o uso de sistemas para fixação Isoflix e Latch, cujo padrão será o mesmo que o norte-americano, será de uso obrigatório. Essa determinação que está prevista para entrar em vigor ano que vem surge em concordância com a resolução nº518 do Conselho Nacional de Trânsito, o conhecido Contran.

De acordo com a determinação emitida pelo órgão de trânsito, os automóveis com zero quilômetro de rodagem a partir do dia 29 do mês de janeiro do ano de 2018 já devem ter como itens de série, os pontos de ancoragem.

A determinação serve para picapes que possuem cabine dupla e os automóveis classificados como SUVs.

A princípio, por uma questão de viabilidade, a nova medida será válida somente para automóveis novos, os novos projetos. Contudo, a estimativa do Contran é de que até o ano de 2020 essa determinação passe a valer para todos os automóveis que sejam comercializados no Brasil.

O motivo o qual levou o órgão de trânsito brasileiro a adotar como obrigatório nos automóveis novos do Brasil, um sistema que é usado já na Europa, se deve ao fato de que esse sistema seja o mais seguro do mundo, naquilo que é indicado, que a fixação de assentos e cadeirinhas.

O sistema Isoflix é mais eficaz, pois ele é conectado diretamente na estrutura do automóvel, através de dois ganchos que são colocados na base dos assentos laterais do carro.

Atualmente no Brasil é lei transportar as crianças em cadeirinhas, contudo, elas são fixadas nos cintos de segurança, o que em caso de uma colisão mais severa pode acontecer que a cadeira se solte, ocasionando riscos à vida das crianças.

Sirlene Montes


Extintor ABC pode voltar a ser Obrigatório nos Carros


Comissão de Viação e Transportes aprova retorno da obrigatoriedade do equipamento.

No ano de 2015 uma decisão tornou o uso dos extintores tipo ABC (que em muitos casos chegaram a custar R$150,00) apenas facultativo nos veículos, porém, hoje está sendo alvo de questionamento por parte dos deputados.

Praticamente dois anos depois da polêmica envolvendo a obrigatoriedade ou não da utilização dos extintores, a Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados aprovou mais uma vez que os extintores retornem com item obrigatório aos automóveis.

A corrida pela compra em 2015

Em outubro de 2015 os extintores tipo ABC se tornariam de uso obrigatório, o que na época ocasionou uma “grande corrida” pela compra dos equipamentos de segurança, os quais inclusive não atenderam totalmente à demanda em vários locais.

Com o aumento considerável nas vendas, a escassez e a obrigatoriedade, alguns comerciantes elevaram o preço dos extintores, os quais chegaram a custar R$150,00, várias vezes mais do que um preço sensato pelo produto.

Resolução que facultou o Uso

Pouco antes da data em que entraria em vigor a obrigatoriedade da utilização dos extintores ABC nos veículos, saiu a Resolução de número 556 / 15 do Contran, a qual passou a tornar a utilização apenas facultativa, não obrigatória, e isso apenas duas semanas antes de vigorar a anterior lei e após milhares de brasileiros terem adquirido o extintor, muitas vezes a preços exorbitantes.

Justificativa

A justificativa do Contran para a Resolução de número 556 / 15, que surpreendeu a todos, foi que estava considerando um estudo que durou 90 dias, pelo qual constatou-se a pequena incidência de incêndios, se comparada ao volume total de acidentes com os veículos.

Outra consideração, ainda que tardia, foi que a utilização do extintor por pessoas sem preparo para tal poderia incorrer em bem maior risco para os motoristas do que o próprio incêndio.

Projeto de lei 3404 / 15

Um novo texto para do Projeto de lei 3404 / 15 está questionando a justificativa do Contran.

Segundo o Deputado Moses Rodrigues (PMDB-CE), não seria plausível que o órgão de um momento para o outro tenha entendido que o extintor não seria mais item de segurança no veículo e tenha decidido facultar seu uso, deixando assim vulneráveis os ocupantes em caso de incêndio.

O projeto ainda precisará ser analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, antes de sua votação pelo plenário.

Por Silvano Andriotti


Chevrolet Onix recebe Nota Zero em Teste de Colisão


Resultado do teste fez com que Proteste pedisse o fim das vendas do veículo.

Ao fabricar um carro as montadoras sabem de todos os procedimentos que devem adotar para que o veículo ofereça segurança para os passageiros. Mas além das fabricantes, existem outras instituições responsáveis por realizar outros testes para avaliar se um automóvel está dentro dos padrões de segurança ou não. E uma dessas instituições é o Programa de Avaliação de Carros Novos para América Latina e o Caribe, a Latin NCAP, que recentemente avaliou o modelo Onix fabricado pela Chevrolet. Segundo as provas, o modelo não atendeu a todos os requisitos necessários para ser utilizado com toda cautela necessária.

Figurando entre a lista dos mais vendidos no país, desde o seu lançamento em 2015, o Onix é um carro muito apreciado pelo consumidor brasileiro, pelo seu design inovador e o bom preço no mercado. Entretanto, as provas de segurança realizada pela Latin NCAP comprovaram que o modelo não está apto para oferecer toda a segurança para os passageiros e devido a isso, o órgão entrou em contato com o PROTESTE, entidade responsável por zelar pelos direitos do consumidor, para que o modelo não esteja mais em oferta no mercado.

O teste divulgado no dia 11 de maio de 2017 afirmou que caso o motorista tenha uma colisão lateral ele não oferece nenhuma segurança para os adultos e uma segurança nota três para as crianças. Dessa forma, as vítimas estão mais expostas e os acidentes poderiam ter consequências sérias. A Latin NCAP realiza esses tipos de testes há alguns anos e os consumidores que quiserem saber sobre as provas realizadas em diferentes veículos podem acessar o site da organização, através deste link: http://www.latinncap.com/po, para saber mais informações sobre os mais variados modelos.

O procedimento mais comum é que as montadoras, quando notificadas, realizem mais testes para identificar os erros e ressarcir de alguma forma o consumidor. Aliás, os donos de veículos sempre devem ficar atentos a este tipo de notícia. As manchetes que falam de testes de carros são fontes de informações necessárias, pois assim, ao comprarem um carro, os consumidores podem escolher algum que apresenta menores falhas ou então, caso possua um veículo com problemas, como é o caso do Onix, possa leva-lo para o conserto, para que não tenha nenhum acontecimento desastroso, causando problemas sérios. É imprescindível sempre ficar alerta para este tipo de notícia. Aos donos do Onix, agora resta esperar qual decisão será tomada pela Chevrolet e assim que divulgada, leve na concessionária mais próxima da montadora.

Isabela Castro.


Volkswagen Golf é o Carro Mais Seguro Produzido no Brasil


Modelo ganhou 5 estrelas nos testes de impacto da Latin NCap.

No dia 15 de março foram divulgados os resultados, pela Latin NCap, dos testes de impacto de 2017. A notícia boa é que ambos os modelos testados, o Seat Ateca e o VW Golf de sétima geração, receberam cinco estrelas no quesito proteção tanto para crianças como para adultos.

O Golf, em 2014 havia atingido a nota máxima no modelo mexicano e agora repetiu o feito tendo regras ainda mais rigorosas. Fabricado na cidade de São José dos Pinhais – PR, ele alcança o posto de veículo mais seguro fabricado no Brasil.

O Ateca e o Golf foram os primeiros a conseguir cinco estrelas entre todos os modelos avaliados. Os dois receberam o prêmio Latin NCAP Advanced Awards por contarem com sistemas de prevenção de acidentes.

O Golf foi testado em sua versão brasileira e recebeu, no quesito impacto frontal, a nota "boa". Teve boa proteção para o peito do condutor e do acompanhante. Destacando o airbag de joelhos também. E no impacto lateral, protegeu bem todas as regiões.

O hatch ainda ganhou um prêmio pelo sistema de monitoramento frontal, o Front Assist, que monitora a distância do tráfego a sua frente. Em momentos críticos, o sistema condiciona os freios e faz a emissão de sinais sonoros e visuais.

Já o modelo Seat Ateca, que foi lançado a pouco no México e na Europa, ganhou dois prêmios, sendo um pelo sistema AEB como item opcional e outro pela proteção para pedestres. Aqui na América Latina o veículo conta com controle de estabilidade, proteção para pedestres e sete airbags.

Os testes do Latin NCAP possuem uma análise para impacto frontal, realizado a 64 km horários contra uma barreira descentrada deformável (40%), um impacto lateral, atingindo uma barreira deformável, a qual é montada em cima de um trenó e por último um impacto lateral atingindo um poste, sendo lançado a 29 km/h lateralmente contra um poste.

Através da análise do comportamento dinâmico da retenção infantil, conhecido com as cadeirinhas de criança, é dada a classificação para proteção infantil, a qual é analisada nos testes lateral e frontal, contando também a segurança e a facilidade ao instalar.

FILIPE R SILVA


Controle de Estabilidade (ESP) -O Que é, Como Funciona e Lista de Carros com ESP


Saiba aqui o que é e como funciona o Controle de Estabilidade (ESP) nos Carros.

Quando se está dirigindo um carro, uma das principais precauções para evitar acidentes é utilizar o cinto de segurança. Mas os avanços tecnológicos têm permitido a criação de outros recursos para combater esse tipo de problema. Um dos maiores destaques no segmento é o Controle de Estabilidade, que surgiu da expressão em inglês “Electronic Stability Program” (ESP). Devido a sua importância, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) determinou que a partir de 2020 deverá ser obrigatório em todos os carros novos.

Como o Controle de Estabilidade funciona

O Controle de Estabilidade é capaz de impedir a perda de controle do automóvel, principalmente em casos de capotamento. Isso geralmente acontece quando o motorista precisa frear rapidamente e não consegue manter a direção. Dessa forma, o ESP funcionará de modo a reduzir a tração do motor, aplicando freio em uma das rodas para manter a estabilidade do veículo. Isso acontece porque o sistema capta essas informações por meio de vários sensores instalados nas rodas, eixo longitudinal e caixa de direção.

Carros populares que já têm ESP

Embora no Brasil o Controle de Estabilidade ainda esteja em fase de inclusão, já é possível encontrá-lo em alguns automóveis. Ao contrário do que se pensa, ele não está presente somente em veículos de maior preço ou que sejam top de linha. Como prova disso, confira a seguir 7 carros com ESP, produzidos no país e com preço abaixo de R$60.000,00.

  • 1. Renault Logan Expression 1.6, à venda por aproximadamente R$58.300.
  • 2. Fiat 500 Cult 1.4, à venda por aproximadamente R$57.000.
  • 3. Ford Fiesta Hatch SE Style 1.6, à venda por aproximadamente R$56.000.
  • 4. Smart Fortwo Coupé 1.0, à venda por aproximadamente R$56.000.
  • 5. Renault Sandero Expression 1.6, à venda por aproximadamente R$55.400.
  • 6. Fiat Uno Way 1.3 Dualogic, à venda por aproximadamente R$53.000.
  • 7. Ford Ka SEL 1.0, à venda por aproximadamente R$50.600.

Então, quem está comprando um veículo novo e busca maior segurança pode contar com essas opções na categoria popular. Porém, vale informar que não é possível comprar um ESP separadamente e instalá-lo, pois isso é feito ainda durante o processo de montagem. Assim, cada fabricante tem o costume de desenvolver o seu próprio dispositivo.

Gostou dessa tecnologia? Você a considera um item indispensável para sua segurança?

Camilla Silva


Seguro de Carro Popular e Tradicional – Diferenças e Qual é Melhor?


Confira aqui um comparativo e descubra qual tipo de seguro de carro é melhor.

Muitas dúvidas surgem por parte dos motoristas, na hora de contratar um seguro para o carro, seja pela cobertura, ressarcimento, atendimento e principalmente, o preço. Desde ano passado o consumidor brasileiro tem duas opções de contratações de seguro, que é o seguro auto popular (que é uma opção mais barata oferecida para coberturas de carros mais velhos, mas que ainda se encontra disponível nas cidades de Rio de Janeiro e São Paulo e somente por algumas poucas seguradoras.

Somente duas empresas de seguro oferecem o produto, que são as seguradoras Azul (do grupo Porto Seguro) e a Tokio Marine. Com valores em média 26% menor do que o seguro tradicional, o que era um atrativo para proprietários de carros com mais de 15 anos de uso. Para se contratar um seguro é preciso levar em consideração diversos fatores como idade, sexo, estado civil, endereço onde o carro pernoita, constância de uso do carro, entre outros. Por exemplo, para um seguro de um automóvel GOL, o valor do seguro tradicional, dependendo do perfil, ficaria em R$ 1.816,86 e já nos seguro auto popular, o valor já sairia por R$ 1.266,59, ou seja, quase 30% a mais de economia. O preço do prêmio do seguro é que pode variar pois ambas as formas de contratação tem características diferentes em relação a cobertura, indenizações, franquia, serviços 24 horas e forma de pagamento, dependendo do escolha do cliente.

O seguro popular tem mais restrições do que o seguro tradicional, como por exemplo, uma idade mínima para os carros e o preço da franquia em caso de acidentes chega a ser 30% maior do que a outra modalidade. O motorista deve ter mais cuidado para não se envolver em acidentes de trânsito e caso isso aconteça, o tipo de contratação feita não ficaria vantajosa. Outra diferença entre o seguro auto popular e o tradicional é que sobre o valor da indenização, que vai de 80 a 90% da tabela fipe do seguro popular, contra 100% e alguns casos, até 110% da mesma tabela no caso do seguro tradicional. Vale a pena pensar com muito cuidado na hora de contratação desses dois tipos de seguro para não sair no prejuízo e ter muita dor de cabeça, caso aconteça algum sinistro.

Rodrigo Souza de Jesus


Prazo de Validade do Pneu Estepe do Carro


Mesmo em bom estado, pneu estepe tem prazo de validade. Saiba aqui se já está na hora de trocar o estepe de seu carro.

Tem muito automóvel rodando por aí com o pneu estepe vencido e seus proprietários nem se dão conta disso. Na verdade, isso acontece somente pelo fato de o estepe nunca ter sido usado, dessa forma muitas pessoas pensam que ele se encontra em boas condições e por isso não há problema algum. Porém, o problema não está no fato de o estepe ter sido ou não usado, mas sim, existe problema quando ele tem o prazo de validade vencido, o que pode causar risco de acidentes quando usado.

É muito comum na venda de automóveis usados, o vendedor apresentar o estepe original do carro como uma vantagem para o comprador. Na realidade oferecer o estepe original do veículo pode ser uma vantagem sim, contanto que ele não tenha mais de cinco anos de rodagem. Pois um pneu sobressalente é mais que um item, ele é muito importante.

Todo pneu possui um tempo estipulado chamado de vida útil e ainda que esse pneu nunca tenha sido utilizado, se o tempo de validade estipulado pelo fabricante passar, o seu uso não é aconselhável.

Geralmente as fabricantes de pneu, baseadas em diversos testes, estipulam o prazo de cinco anos e é recomendando como medida de segurança que após esse tempo, usado ou não, o pneu seja descartado.

Um pneu fica gasto não só pelo seu uso, que o coloca em contato com o solo e assim com o tempo ele se degrada pelo uso, mas mesmo estando parado no porta-malas ou na traseira do carro. Muitos fatores contribuem para esse desgaste, sendo eles a temperatura, umidade, luz do sol e outros fatores, que resultam em rachaduras, ressecamento, endurecimento, características que ao olhar nem são tão evidentes, mas comprometem o bom funcionamento do pneu, podendo ocasionar na sua ruptura, gerando acidentes de diversas gravidades.

Os pneus vêm da fábrica com uma inscrição na parte lateral, que se caracteriza por quatro números, que significam a semana (dois primeiros números) e o ano em que foi fabricado (dois últimos números).

Diante disso o recomendado é que os condutores verifiquem essa inscrição em seus pneus sobressalentes e em caso de já se passarem cinco anos, eles sejam descartados e substituídos, pois nunca se sabe quando eles serão necessários.

Sirlene Montes


Dirigir de Ressaca pode ser mais perigoso que Dirigir Alcoolizado


Pesquisa da Ford revela que dirigir de ressaca pode ser mais perigoso que dirigir alcoolizado.

Que dirigir alcoolizado é perigoso, todos sabemos. Não são poucas as campanhas em todo mundo a respeito dos efeitos da bebida para aqueles que em seguida se aventuram ao volante. Só que, segundo estudo feito na Alemanha, dirigir de ressaca é tão perigoso quanto dirigir depois de beber.

No papel, as leis brasileiras com relação a dirigir alcoolizado são duras. Envolvem uma multa de R$ 2.934,70, além da suspensão da licença para dirigir e apreensão do veículo. O álcool altera os reflexos de forma perigosa, praticamente tirando o motorista da realidade. As estatísticas são alarmantes. Se pegarmos os dados de qualquer ano, teremos números de fato alarmantes. No geral, mais de 20% dos acidentes rodoviários envolvem o estado de embriaguez.

Isso ocorre porque o fígado, órgão responsável por metabolizar o álcool ingerido, não consegue dar conta do trabalho se a ingestão for muito grande. Ou seja, uma parte é metabolizada pelo órgão e o restante circula na corrente sanguínea, causando os efeitos da embriaguez. Se a quantidade de álcool for muito grande, pode ocorrer coma alcoólico, uma vez que o organismo não consegue enviar a quantidade suficiente de oxigênio ao cérebro.

O estudo alemão a que estamos nos referindo dá conta de que também o estado pós-embriaguez (popular ressaca) é igualmente perigoso para o motorista. Isso porque o organismo sofre com a sonolência, letargia, falta de concentração que podem ocasionar acidentes nas estradas.

A Ford alemã encomendou o estudo ao Instituto Meyer-Hentschel, que usou nos voluntários uma espécie de traje de cerca de 17 quilos capaz de analisar os efeitos da ressaca ao simular a tontura, fadiga, falta de concentração e latejamento na cabeça dos voluntários. O experimento pode ser acompanhado através do vídeo abaixo:

O “traje da ressaca” é composto por boné, fones de ouvido, colete, óculos e pesos aplicados nos pulsos e tornozelos. O estudo da Ford poderá mudar o conceito das peças publicitárias relacionadas ao problema da direção alcoolizada em todo mundo e jogar por terra a ideia de que apenas o estado de embriaguez é responsável pelos acidentes envolvendo a condução de veículos, além de conscientizar os festeiros de que é preciso estar totalmente restabelecido da bebedeira para encarar de novo a direção.

Dan Dias


Azul pode lançar Seguro de Carro Popular


Novo tipo de seguro pode ser até 30% mais barato.

A Azul Seguros, empresa que faz parte do grupo da Porto Seguro, vai sair na frente das concorrentes e lançar ainda em dezembro, no mercado de São Paulo e Região Metropolitana, um seguro para carros até 30% mais barato.

Azul inova e vai oferecer seguro para carros 30% mais barato

O seguro Azul Auto Popular, vai atender veículos com valor de até 60 mil reais, com cinco anos de fabricação ou mais. A intenção da seguradora é trazer para sua carteira de clientes o público que encontra dificuldade em adquirir um seguro para auto, devido ao orçamento restrito.

A principal razão do valor do Azul Auto Popular ter seu valor reduzido em até 30% é a utilização de peças usadas, provenientes de carros envolvidos em sinistros. A utilização de tais peças se tornou possível depois que a Susep (Superintendência de Seguros Privados) recentemente decidiu autorizar as seguradoras a utilizar peças de desmontagem em consertos e manutenção dos carros segurados pela Azul.

De acordo com a decisão da Susep, as peças deveram ser adquiridas em empresas de desmontagens previamente credenciadas.

Outra novidade que o seguro Azul Auto Popular traz é que será permitido a utilização de peças de reposição novas, mas não originais, porém, todas similares as oferecidas pelos fabricantes dos veículos.

O serviço poderá ser realizado em oficinas credenciadas ou em uma outra indicada pelo cliente. As peças serão fornecidas pela empresa do mesmo grupo, Renova Ecopeças, que já possui larga experiência neste segmento.

  • Vale ressaltar que para manutenção dos itens de segurança serão utilizadas peças novas, como por exemplo, pneus, freios, suspensão, amortecedores, entre outros.
  • No momento da contração do seguro, o cliente será informado sobre a utilização de peças usadas e novas não originais, onde poderá sanar todas as suas dúvidas.

Como funcionará a cobertura do seguro Azul Auto Popular?

Para garantir 30% a menos no valor do seguro, este serviço oferecerá uma proteção um pouco menor do que os seguros convencionais.

O seguro garantirá a cobertura básica padrão nos casos de furto, roubo e colisão. A indenização no caso de furto do veículo pode variar entre 80% a 90% do valor do bem. Também haverá garantida a assistência 24 horas e guincho para até 100 km.

O seguro ainda vai garantir as coberturas de Responsabilidade Civil Facultativa (RCF), com indenização de até R$ 25 mil reais e opcional por danos morais.

O seguro Azul Auto Popular não contempla alguns serviços, como por exemplo, carro extra, troca de vidros, equipamentos, acessórios, entre outros.

Fabiana Batista Santos


Suspensão da Exigência de Cadeirinhas em Veículos Escolares


Contran anuncia no Diário Oficial da União a suspensão da exigência das cadeirinhas em veículos escolares.

Foi suspenso a obrigatoriedade de uso da cadeirinha para o transporte de crianças de idade até 7 anos, nos veículos que trabalham com transporte escolar. A resolução parte do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) e teve sua publicação na última quinta-feira, em uma edição do "Diário Oficial da União".

Segundo o Contran a decisão de suspender o uso obrigatório das cadeirinhas pode ser justificado mediante as muitas dificuldades econômicas, técnicas e sociais para promover a adaptação de todos os veículos que atuam como transporte escolar. Além disso, o mercado brasileiro não oferece um número suficiente de cadeirinhas que trazem o cinto de segurança sub-abdominal, que é o exigido pelo órgão. Diante de tantas barreiras, fica muito difícil fiscalizar e punir empresas e motoristas que não seguem as regras.

Até agora, os motoristas de transportes escolares procuram cumprir com as exigências do Contran, que tiveram início no mês de julho de 2015, cuja previsão era de que a partir do mês de fevereiro deste ano, todos os veículos já estivessem trafegando com as cadeirinhas adaptadas. A lei possuía validade para os estados de Bahia, Alagoas, Minas Gerias, Amazonas, Ceará, São Paulo, Paraná, Distrito Federal e Santa Catarina.

Desde o anúncio da obrigatoriedade das cadeirinhas, no ano passado, muitos motoristas que oferecem esse tipo de transporte realizaram muitos protestos contra a implantação da exigência. A maioria dos motoristas alegava que as cadeirinhas não eram práticas, pois muitos realizavam diversas viagens transportando crianças e que variam o seu número e idade, o que levava muito tempo colocando e retirando as cadeiras, entre outros contratempos.

Diante de tantas manifestações, o Órgão achou por bem estender a data para adaptação, prorrogando para janeiro do ano que vem. Mas nem chegou janeiro e a obrigatoriedade foi suspensa, sem nem haver qualquer tipo de fiscalização.

Não se sabe se em 2017 a exigência voltará a vigorar nesses estados ou em todo país, talvez ela precise ser repensada considerando todas as questões expostas pelos motoristas.

Mas o que se sabe é que o uso da cadeirinha é algo muito importante, pois já está comprovado por estudiosos de segurança em veículos que a cadeirinha pode evitar a morte e diversas sequelas nas crianças em casos de acidentes.

O Contran desobriga o uso dessas cadeirinhas somente em veículo de transporte escolar, sendo que em carros particulares a cadeirinha não pode ser dispensada.

Sirlene Montes


Lista dos Carros Mais Roubados no Brasil em 2016


Confira aqui uma lista com os principais carros roubados no Brasil em 2016.

Quais os carros que mais são roubados no território brasileiro?

Nessa lista vamos mostrar os carros que mais foram visados pelos assaltantes no período de janeiro a julho de 2016. Se seguir o ritmo de como as coisas estão indo, será o mesmo indíce no segundo semestre.

10º lugar: Em décmo lugar fica o Fiat Uno, por ser um carro muito comum e com alto número de vendas, vira alvo para os assaltantes

09º lugar: Na nona colocação ficam os modelos HB20 da Hyundai, a empresa coreana com seus carros bem desenhandos e potentes, chamam bastante a atenção de ladrões.

08º lugar: Na posição número 08, temos o Volkswagen Golf Confortline.

07º lugar: Na sétima colocação temos o carro mais vendido nos últimos anos, Fiat Palio1.0, popular mais vendido nos anos anteriores, tirando o reinado do Volkswagen Gol, assim como o Fiat Uno, o grande número de unidades da rua facilia o grande números de furtos.

06º lugar: Em sexta fica o Volkswagen Gol, parece que o Fiat Palio e o Gol não estão brigando só pelo status de mais vendido.

05º lugar: Na quinta colocação temos o Fiat Palio (acima de 1.0), mas agora as versões com mais potência.

04º lugar: Em quarto lugar temos o primeiro sedan da lista, o Fiat Siena (1.0).

03º lugar: Volkswagen Voyage ficou em terceiro, nosso segundo sedan da lista é o Voyage e toda a sua incrível remodelação deixaram os assaltantes de olho no modelo.

02º lugar: E o Fiat Siena volta na segunda colocação, mas os modelos acima de 1.0, o que o torna o carro mais visado no geral.

01º lugar: Em primeríssimo lugar vem o Fiat Palio Weekend, com um visual diferenciado para os modelos, virou alvo dos ladrões de carro.

Vimos nesta lista que conforme mais o carro é vendido, mas visado ele fica. O que não quer dizer que os carros mais caros e diferenciados não serão roubados, ainda mais na situação em que o país se encontra. Vimos que a Fiat e a Volks lideram essa lista.

Essas informações vocês encontram através de um estudo feito pela Susep (Superintendência de seguros privados).

Esta lista foi feita através do Índice de Veículos Roubados (IVR) e é o percentual que se faz entre os carros protegidos por seguros divididos pelos furtos e roubos constatados no sinistros encaminhados para as seguradoras.

JEFFERSON BRANDAO DA COSTA SILVA


Preço Médio do Seguro de Carro no Rio Grande do Norte


Veja aqui o preço médio do seguro de carro no estado do Rio Grande do Norte.

Comprar um carro ficou mais fácil e simples, porém, ao comprar o carro o consumidor deve levar em conta alguns fatores como o custo benefício, beleza, preço, modelo e ano. Mas sabemos que além desses fatores o consumidor deve se preocupar também com um fator primordial que é a sua segurança e da sua família. Segundo pesquisas do DPVAT, que é a gestora do seguro obrigatório, estudos apontam que o índice de acidentes no Brasil ultrapassa a casa dos 67 milhões. Sendo assim entra a função do seguro de automóveis, que é de cobrir certos acidentes. O seguro do automóvel serve para o condutor reduzir prejuízos causados por acidentes como roubo ou furto.

O valor da apólice depende de cada cobertura, o segurado deve levar em consideração para o que é destinado a cobertura. Por exemplo, no caso do risco a cobertura pode proteger casos como roubo, furto, colisão e alagamento. Além de oferecer assistência 24 horas para resolver casos como guincho e chaveiro. O segurado pode também escolher uma cobertura que proteja outras pessoas como a cobertura de terceiros.

O segurado é indenizado conforme o limite do valor contratado. E o valor médio de cada apólice varia por cada capital do país. No caso do Rio Grande do Norte, o preço médio do seguro de automóvel varia dependendo do modelo de cada carro. Conforme segue a abaixo:

  • Chevrolet Onix LS 1.10 (Valor do seguro do automóvel R$ 1.621,00)
  • Hyundai HB20 1.0 Comfort (Valor do seguro do automóvel R$ 1.700,00)
  • Volkswagem Gol Tremdline 1.0 (Valor do seguro do automóvel R$ 1.562,00)
  • Ford Ka 1.0 (Valor do seguro do automóvel R$ 1.356,00)
  • Toyota Corolla GLI 1.8 (Valor do seguro do automóvel R$ 2.831,00)
  • Chevrolet Prisma 1.0 LT (Valor do seguro do automóvel R$ 1.666,00)

Cabe destacar que o segurado deve levar em consideração que cada seguradora oferece uma linha em relação ao benefícios e valores. É importante também antes de contratar o serviço verificar se o profissional e a seguradora tem registro na SUSEP, que é o orgão responsável pela fiscalização das seguradoras. Verificar se a seguradora esta regularizada mediante o decreto de lei nº73/66.

Gisele Alves de Brito 


Qual a diferença entre Launch Control e Controle de Tração?


Saiba aqui a diferença entre Launch Control e Controle de Tração.

Launch control significa controle de lançamento e controle de tração vem do termo traction control. Há semelhança entre eles, são feitos para controlar um sistema de um veículo, porém, também há algumas diferenças que podem ser vistas abaixo.

O launch control, que foi desenvolvido para a arrancada, ou seja, desenvolvimento de velocidade, é um controlador que tem a função de chegar a uma maior velocidade em menos tempo sem desperdício e sem perder aderência.

Isso funciona da seguinte forma, um sistema computadorizado identifica a aceleração e ajusta o RPM para estar compatível com a velocidade e a marcha engrenada no veículo. Mesmo que o condutor deste veículo pressione o pedal de aceleração até o final, a aceleração vai ser compatível com a rotação do motor. Outra funcionalidade deste sistema é quando o condutor acelera muito o carro sem soltar a embreagem totalmente, uma aceleração precisa é ajustada por este controlador.

Algumas precauções são necessárias para prolongar a vida útil deste sistema, como não utilizar com o motor ainda frio e várias vezes com curtos períodos de tempo.

O controle de tração, também chamado de traction control system (TCS), é um controlador que identifica a roda que está com perda de tração e alivia o torque na mesma, evitando que uma ou mais rodas fiquem girando em falso.

Quem nunca viu uma "Perua Kombi" passando numa valeta e acabar ficando parada com as rodas no ar? Se este sistema de controle de tração estivesse instalado naquele veículo, não teria que empurrar para tirar o carro daquela situação ou até mesmo fazendo uma prática muito perigosa, a de colocar pessoas sobre o para-choque para fazer peso no lado da roda suspensa.

Uma rua de cascalho solto e lugares com neve e gelo, são outros exemplos que podemos encontrar veículos com perda de tração. Mas o TCS monitora a velocidade da rotação das rodas através de sensores e ajusta a tração do veículo com um modulador hidráulico, semelhante aos existentes no sistema de freio ABS.

Com a implementação da tecnologia na parte mecânica dos carros, a arrancada e a tração são dois exemplos, de vários, que foram melhorados com o passar dos anos.

Por: Fernando Dias


Holden Colorado 2017 ganha 5 Estrelas em Teste de Segurança


Picape da General Motors recebe nota máxima em teste de segurança da ANCAP.

Seguindo a tendência de que as recém lançadas caminhonetes ficam a cada dia que passa mais seguras, a mais nova picape a ser apresentada, a Holden Colorado em sua linha 2017, a qual tem um visual e uma plataforma compartilhada com a Chevrolet, modelo S10 comercializada aqui no mercado brasileiro, chegou a bater níveis bem altos quando o assunto é segurança para os pedestres e também para seus ocupantes.

A nova Holden Colorado 2017 foi testada pelo Australasian New Car Assessment Program, conhecido pela sigla ANCAP, que é um órgão avaliador de veículos comercializados no mercado australiano, o modelo teve um bom progresso em seu visual, também foi atribuída de boas notas ao ser testada com impacto de frente, que foi combinado também com a maior nota no quesito impacto lateral e até mesmo no tão temido teste do poste, o que fez com que o utilitário garantisse a maior classificação, atingindo a marca de 5 (cinco) estrelas.

O CEO, presidente executivo da ANCAP, James Goodwin, disse que em todos os modelos e marcas são muito comuns se realizar atualizações de meia-vida com a finalidade estética, porém, Goodwin se sente feliz por poder ver que a montadora Holden realizou diversas melhorias em segurança no meio deste ciclo em seu principal modelo utilitário. Ainda completou que neste modelo o elemento que mais se destacou na avaliação realizada pelo órgão é a pontuação atingida ao se tratar da proteção de pedestres, entrando com muita facilidade na faixa de ‘Bom’. Este é um grande crescimento para os carros deste tipo, onde de forma histórica é visto resultados muito baixos, que chegam a ser péssimos.

O modelo é bem equipado ao falar sobre os seus itens de segurança, a nova picape Colorado linha 2017 fabricada pela Holden, uma montadora da marca General Motors, conta com 7 (sete) airbags de série, sem falar nos cintos de segurança que vem com pré-tensionadores, lâmpadas diurnas em LED, acendimento automático dos faróis, controle de rolagem, assistente de velocidade, controle de estabilidade, entre diversos outros equipamentos oferecidos diretamente de fábrica.

FILIPE R SILVA


Carros da Volkswagen podem ser vulneráveis a Hackers


Vulnerabilidade ocorre devido a falhas no sistema Keyless.

Com os avanços que estamos tendo no setor, a cada lançamento temos carros cada vez mais equipados com uma diversidade de componentes eletrônicos e novas tecnologias. Se por um lado eles ajudam a deixar tudo mais fácil, mais confortável e mais conectado, por outro deixam os veículos mais fáceis de serem alvos de ataques de hackers.

Um dos fatos que provam isso é um caso que ocorreu recentemente nos EUA com modelos Jeep que foram furtados por uma quadrilha formada basicamente de hackers. No ano passado também tivemos a invasão no sistema Uconnect em modelos pertencentes a FCA (Fiat Chrysler Automobiles).

A novidade divulgada recentemente, e que não é nada agradável, saiu de um grupo de pesquisadores da Universidade de Birmingham, na Inglaterra. De acordo com eles, foi identificada uma vulnerabilidade que pode atingir mais de 100 milhões de veículos da Volks que foram produzidos desde o ano de 1995.

De acordo com informações veiculadas no site Autoblog, os ladrões poderão usar uma espécie de transmissor para poderem interceptar o sinal da chave keyless do veículo. Sendo assim, eles poderiam muito bem retransmitir o sinal destravar as portas e por fim, ligar o carro.

Já o site Wired chama a atenção afirmando que a vulnerabilidade encontrada prejudica os modelos da Volkswagen com uma “idade” de até 20 anos (obviamente que os fabricados no exterior). Os modelos mais novos, como a sétima geração do Golf, também não escapam da lista dos criminosos.

Nesses termos, para que o hacker possa invadir o carro basta que ele conte com o sistema keyless. Ainda assim, a tarefa de conseguir interceptar o sinal não é nada fácil, mesmo considerando o fato de que os ladrões usam um equipamento relativamente simples e bem viável para a aquisição.

De qualquer maneira, para colocar tudo em prática ele precisa estar no máximo a 100m de distância do dono (uma vez que é este que provavelmente está com a chave do carro no bolso). Há um certo exercício de paciência, já que o criminoso precisa esperar até que o dono do carro pressione o botão da chave para poder captar o sinal.

Além dos modelos recentes que se mostram vulneráveis, os pesquisadores ainda encontraram problemas na criptografia de uma chave mais antiga usada em modelos da Nissan, Alfa Romeo e Mitsubishi.

Diversas outras montadoras também mostraram que apresentam problemas em seus sistemas keyless.

Ao que parece nada mesmo é 100% seguro.

Por Denisson Soares


Carros da Audi poderão se Conectar com Semáforos


Nova tecnologia da montadora promete informar aos motoristas o tempo que falta para o sinal abrir.

Você já imaginou se seu carro informasse exatamente quanto tempo falta para o sinal abrir. Pois bem, isso está bem próximo de ser realidade e graças a um projeto da Audi. A montadora alemã anunciou recentemente o lançamento de uma tecnologia que tem como principal finalidade permitir a comunicação entre os veículos da marca e os semáforos nos Estados Unidos. De acordo com a própria idealizadora do projeto, esse deve se tornar o primeiro uso comercial da tecnologia no setor do automobilismo.

Conforme as informações divulgadas até o momento pela Audi America, que por sua vez tem a Volkswagen como dona, alguns dos veículos Q7, bem como do A4 que foram montados a partir do dia primeiro de junho deste ano, já deverão contar com a nova tecnologia.

A tecnologia para a comunicação com os sinais de trânsito foi batizada de "V-to-I". Basicamente ela permite que seja feita uma troca de informações entre os semáforos e outros equipamentos. Essas informações podem ser sobre segurança ou qualquer outra coisa que seja de utilidade para o condutor. O detalhe é que os dados chegam ao veículo pela nuvem.

Com relação as possíveis aplicações da nova tecnologia, que por sinal ainda continua sendo testada em diversos locais do mundo tanto por montadoras quanto por empresas de transporte, deve ajudar a diminuir um pouco o congestionamento nas estradas, além de evitar possíveis colisões.

O sistema que foi apresentado pela Audi possibilita que o veículo exiba para o condutor uma contagem regressiva antes que a luz do sinal passe do vermelho para o verde. Com isso, ele irá saber com exatidão quanto tempo tem. Sendo assim, aquela ansiedade na espera que muitos motoristas têm vai até diminuir. Bom, isso de acordo com o gerente-geral da setor dedicado ao projeto, o Sr. Pom Malhotra.

E tem mais. A contagem regressiva pode aparecer também no painel de controle no caso do veículo concluir que não será possível passar antes que o sinal fique vermelho. O condutor com essa informação a mais pode começar frear o carro e evitar algum tipo de acidente.

Enquanto aguarda a luz vermelha ficar verde, a tela de informações vai desaparecer. Assim, o condutor do carro é forçado a ficar atento ao cruzamento e analisar por si mesmo se é seguro ou não ir em frente.

O fato é que tecnologias desse tipo tem sido testadas por muita gente já faz algum tempo. Mas até agora ainda não temos um sistema que já esteja em pleno funcionamento. Talvez este seja o primeiro. Vamos aguardar para ver.

Por Denisson Soares


Tipos de cintos de segurança


Há cintos de segurança de 2, 3, 4, 5 e 6 pontos.

O cinto de segurança veicular é um componente indispensável e obrigatório nos automóveis de uma forma geral. Seu uso é simples e sua ação consiste em reter o corpo preso por ele em situações de colisão de qualquer natureza. Prioritariamente, sua função é a de proteger os ocupantes do veículo, de modo a diminuir as consequências causadas pelos acidentes, ou até mesmo evitá-los. O item de segurança considerado como um equipamento de ação passiva, impede, via de regra, que o ocupante se choque contra o volante, o painel o para-brisa do carro em caso de acidente, ou que até mesmo seja lançado para fora do veículo ou que projete seu corpo para cima de outro ocupante, por exemplo.

Estatísticas internacionais de segurança no trânsito comprovam e revelam que o uso do cinto de segurança reduz em até trinta por cento a quantidade de vítimas fatais em casos de acidentes. No caso de sequelas significativas de mesma procedência, como é o caso de vítimas que sobrevivem aos acidentes, mas com traumatismos e perda de visão, a redução alcança sessenta por cento.

Mas, quais são os tipos de cintos de segurança existentes? Há diferença entre eles? A saber: o cinto de segurança com dois pontos, por exemplo, já se encontrava nos bancos traseiros e dianteiros dos carros populares dos anos 80. Sua função é a de proteger a cintura, de modo que o corpo se mova apenas para frente em caso de colisões ou na ocasião de freadas mais bruscas. Todavia, o cinto de dois pontos tem os seus “poréns”: podem causar a chamada “síndrome dos cintos de segurança” que remete à possibilidade de problemas sérios nas vértebras lombares e estudos atuais o consideram como antiquados e inviáveis.

O que nos leva à evolução do modelo para o cinto de segurança de três pontos, de modo que, nos Estados Unidos, desde o ano de 2007, os carros que são vendidos têm o cinto de segurança como item obrigatório de proteção em sua composição. O cinto de segurança de três pontos são três arranjos em formato de Y que protegem o corpo em movimento nas regiões do tórax, da pélvis e dos ombros.

O caso dos cintos de segurança de quatro, cinco e seis pontos também existem. Os de cinco pontos são mais encontrados em assentos para crianças e em carros de corrida. Consiste em sobrepor a correia entre as pernas e proteger duplamente os ombros do usuário. O cinto de quatro pontos é parecido, mas não tem a tira entre as pernas, diferente do de seis pontos que conta com dois cintos na mesma região.

Por Flávia Alves Figueirêdo Souza

Cinto de segurança


Recall mundial da Takata já passa de 63 milhões de Airbags


Na última quarta-feira o National Traffic Highway Safety Administration (NHTSA, órgão norte-americano que regulamenta o setor de transportes) decidiu ampliar a quantidade de airbags que foram fabricados pela empresa japonesa Takata e que precisam ser trocados por motivos de segurança. De acordo com o comunicado divulgado a estimativa da agência é que algo em torno de 35 milhões e 40 milhões de airbags deverão ser incluídos naquele que até o momento já era tido como o maior recall da história.

Antes do comunicado a Takata teria que fazer a substituição de 28,8 milhões de airbags. Agora os números poderão oscilar entre 63,8 milhões e 68,8 milhões de unidades.

Mesmo assim, os carros que foram afetados pelo problema não foram listados para a divulgação.

Esse número absurdo de airbags está sendo considerado perigoso devido ao fato de terem sido feitos de nitrato de amônia e para completar não possuem a aplicação de um produto químico responsável por diminuir o teor de umidade na bolsa de segurança. De acordo com as informações dadas pelo NHTSA as alterações na temperatura externa bem como a exposição à umidade do ar podem acarretar o rompimento do módulo responsável por inflar o airbag. O problema pode acontecer principalmente em modelos de carros mais antigos. Caso o rompimento aconteça os passageiros poderão ser atingidos por estilhaços de metal.

Nos Estados Unidos as autoridades afirmaram que os defeitos apresentados nos airbags da empresa japonesa já foram responsáveis pela morte de dez pessoas sendo que mais de 100 acabaram feridas.

O megarecall será efetuado em cinco fases. A informação é de que os trabalhos comecem já este mês e sigam até o mês de dezembro de 2019.

Além deste ser o maior recall da história o NHTSA ressalta que tem como objetivo reparar 100% dos carros prejudicados. Para isso a ajuda não deverá vir apenas da empresa japonesa como também das montadoras e da população em geral.

Mesmo atingindo tantos carros ao redor do mundo este megarecall pode não estar próximo do fim como se tem pensado. O órgão segue ainda realizando estudos nos dispositivos feitos com nitrato de amônia e um produto químico para controle da umidade para a verificação se é de fato seguro ou não os processos que estão sendo adotados.

Por Denisson Soares


Chevrolet Malibu ganha Novo Sistema de Segurança Anti-Adolescentes


Novo sistema irá alertar quando o motorista exceder o limite de velocidade, além de bloquear o sistema de som e avisar sobre o não uso do cinto de segurança.

A tecnologia pode ser uma aliada para a segurança no automóvel. Reunindo criatividade e inovação, a Chevrolet lançou o sistema “anti-adolescentes” na versão 2016 do carro Malibu. A ferramenta tem como finalidade proteger e tentar diminuir a quantidade de acidentes que são provocados por pessoas mais jovens.

O sistema de segurança é uma configuração chamada de Teen Driver e que ao ser acionado alerta os motoristas quando eles excedem um limite de velocidade, que é maior do que foi pré-determinado. Além disso, a ferramenta bloqueia o sistema de som e central de multimídia enquanto o motorista e os passageiros não colocarem o cinto de segurança. Entre outras novidades, o sistema ativa vários recursos de segurança como, por exemplo, controle de tração, gerando um relatório.

Entre outras novidades anunciadas pela Chevrolet, a marca apresentou a sua nova linha de carros: Spin, que chega com um acabamento novo, além de mudança na mecânica e conveniência. Devido à isso, as versões LT e LTZ tiveram boas modificações.

Todas as configurações receberam a cor preta nos revestimentos internos. Além disso, novos itens de conforto foram adicionados, como o acionamento dos vidros na chave e também a transmissão automática de segunda geração, com trocas de marchas 50% mais rápidas, o que fornece mais agilidade.

A cobertura dos bancos também foi modificada, sendo remodelada e ganhando cor mais escura. Além disso, o novo design interno do veículo facilita a limpeza. A pessoa pode escolher o carro com a opção para 5 ou 7 lugares, além de 710 litros para bagagem, ou seja, ideal para toda a família.

O Spin completo conta com vários recursos para oferecer conforto, como por exemplo, ar condicionado, direção hidráulica, freios ABS com EBD, airbag duplo, alarme, além de conjunto elétrico de vidros e travas. Não bastasse isso, as novas versões do carro, LTZ e LT, ainda contam com quadro de instrumento com acabamento novo.

Em relação às mudanças externas, a versão LT ganhou faróis com máscara negra e lentes transparentes, além de volante multifuncional revestido em couro. A versão LTZ manteve os faróis com superfície escurecida e com lentes transparentes, também.

O que achou das novidades da Chevrolet? Compartilhe a sua opinião!

Por Babi


Acordo pode tornar Frenagem Autônoma item de série nos EUA


Governo Americano firma acordo com 20 montadoras para que elas disponibilizem frenagem autônoma em todos os carros até o ano de 2022.

Na última quinta-feira (dia 17) o governo dos Estados Unidos conseguiu fechar um acordo que envolve ao todo 20 montadoras. O citado acordo tem um único objetivo: fazer com que a tecnologia batizada de frenagem autônoma já esteja completamente disponível em todos os carros até o ano de 2022. Para se ter ideia da importância do fato, basta destacar que com a medida cerca de 28 mil acidentes possam ser evitados.

O acordo anunciado em parceria com as montadoras de carros é mais um item presente em um pacote de medidas divulgado pelo governo norte-americano no início deste ano. A finalidade principal é motivar a adoção das mais variadas tecnologias autônomas para automóveis que vierem a ser vendidos por lá durante os próximos dez anos.

Segundo as informações divulgadas a respeito da medida, a previsão é que todos os veículos novos lançados a partir da data do dia 1° de setembro de 2022 já contem com um pacote de tecnologias contendo itens de série para evitar acidentes. Inicialmente tem-se falado que esse pacote deverá contar com uma variedade de equipamentos como lasers, câmeras e radares que sejam capazes de detectar quando existe um risco iminente de ocorrer um acidente com outros carros.

Tecnicamente o sistema como um todo teria a função principal de alertar o condutor para que este tenha tempo de evitar uma possível colisão. A parte interessante disso tudo é que se caso o motorista por qualquer motivo que seja não conseguir efetuar os procedimentos que evitem o acidente na velocidade exigida, o próprio automóvel tomará as medidas para  acionar os freios automaticamente.

Como citamos no início desse artigo, ao todo estão participando do projeto 20 montadoras. Elas, de acordo com o governo americano, representam uma fatia de 99% do mercado de lá. As participantes são as seguintes: Volvo, Volkswagen, Toyota, Tesla Motors, Subaru, Porshe, Nissan, Mitsubishi Motors, Mercedes-Benz, Mazda, Maserati, Kia, Land Rover, Jaguar, Hyundai, Honda, General Motors, Ford, FCA US LLC, BMW e Audi.

O NHTSA (National Highway Traffic Safety Administration) prevê que com a medida focando em 2022 o processo de redução de acidentes será acelerado em cerca de três anos. Além disso, o órgão que também é responsável pelas questões que envolvem o trânsito nos EUA irá fiscalizar se de fato as montadoras estão investindo e implementando essas tecnologias.

Por Denisson Soares


Seguro do Carro Cobre Danos por Alagamentos?


Até os planos mais básicos são obrigados a cobrir danos causados por enchentes. Empresas podem negar cobertura para motoristas que contribuírem para os danos no veículo.

As chuvas fazem estragos no Brasil inteiro e os alagamentos causam dores de cabeça para as pessoas. Quem é dono de um automóvel e acaba em uma enchente pode até ter perda total do veículo. Porém, você tem seguro e ainda se questiona: o seguro cobre danos causados por enchentes?

Sim, o seguro cobre. A sua apólice cobrirá qualquer que seja o tipo de despesa que a enchente causar em seu carro. Foi no ano de 2004 que a Susep, órgão que faz a fiscalização das operações de seguro e apontou que os planos básicos também devem cobrir problemas com a submersão parcial ou total do carro em água doce (incluindo se o mesmo estiver estacionado no subsolo). Isso quer dizer que, mesmo que a garagem é favorável para que o veículo seja coberto pela água, a seguradora deverá cobrir o estrago.

Normalmente, quando a água se localiza abaixo do painel do veículo, a reparação do mesmo pode ser feita, não sendo necessário trocar o modelo por um novo. No entanto, caso a água fique para cima do painel, a chance é grande de que o carro tenha que ser trocado por um novo. Uma curiosidade: a perda total de um carro acontece quando 75% do automóvel fica prejudicado.

Um fato importante é o laudo técnico. Caso o mesmo aponte que o motorista possa ter contribuído para que o carro ficasse submerso na água, o seguro não vai precisar se responsabilizar em pagar o conserto do veículo.

Exemplo: a pessoa vê o local alagado, mas passa por lá mesmo, pois está com pressa para chegar ao trabalho e o carro é pego pela água. O laudo pode apontar que você teve grande culpa pelo acontecido e os danos não serão pagos pelo seguro.

Dica:

A melhor coisa a se fazer é ter um seguro com plano básico, no mínimo. Você terá cobertura contra assalto, incêndio e colisões, além da proteção também contra problemas causados pelas enchentes.

Há muitos sites na internet onde você pode fazer simulações para contratar um seguro. Os valores são diferenciados e você o faz de acordo com o seu bolso.  É melhor prevenir do que remediar!


Contran aprova Obrigatoriedade do Controle de Estabilidade em Veículos


Resolução foi aprovada em uma reunião no final do ano passado e deverá ter duas etapas de aplicação.

A cada ano que se passa o consumidor brasileiro fica mais exigente e tem buscado conquistar produtos com muito mais qualidade. E no setor automobilístico não é diferente, haja vista que os consumidores têm exigido cada vez mais tecnologias e itens de segurança que existem em outros mercados internacionais e que não são tidos aqui como itens indispensáveis e obrigatórios de segurança.

Sendo que foi nessa perspectiva que na reunião do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), realizada no dia 16 de dezembro de 2015, aprovou a obrigatoriedade da presença do controle de estabilidade para os veículos novos a partir do ano de 2020. Esta nova resolução será publicada no Diário Oficial, sendo que a sua aplicação ocorrerá em duas etapas distintas.

A primeira etapa da aplicação dessa resolução começará a vigorar no ano de 2020 e tornará obrigatório o ESP em todos os veículos novos ou que forem amplamente reestilizados e que passarem por homologação a partir da data de vigor dessa resolução. Já a segunda etapa ocorrerá após 2022, momento em que o componente passará a ser obrigatório em todos os modelos produzidos, incluídos os veículos fabricados antes da entrada da lei em vigor.

No começo desta semana, o Latin NCAP e a Associação Proteste, entidades que representam e lutam pelos direitos dos consumidores, fizeram o envio de um ofício ao Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), afim de que  o prazo mencionado para aplicação dessa resolução diminuísse, ou seja, que o controle eletrônico de estabilidade passasse a se tornar obrigatório a partir do ano de 2017.

Já a Associação de Engenharia Automotiva (AEA) afirma que para cumprir essa exigência seria necessário um prazo entre 5 e 7 anos para que o sistema de estabilidade esteja presente em todos os veículos automotores leves do país.

Independente do tempo que vai entrar em vigor essa medida, essa é uma conquista muito grande do consumidor brasileiro, haja vista que o conjunto de sistemas de segurança ativa de um veículo automotor é composto pelo controle de tração, freios ABS e o programa eletrônico de estabilidade (ESC), componentes estes que em conjunto conseguem atuar na correção da trajetória de um automóvel em situações adversas ou até mesmo de emergência.

Por Adriano Oliveira


Lista dos Carros Mais Seguros do Brasil segundo Testes da Latin NCAP


Confira aqui a lista com os carros mais seguros vendidos no Brasil segundo os testes realizados pela Latin NCAP.

O Latin NCAP, que verifica a segurança de veículos da América Latina e do Caribe, fez mais de 50 observações com veículos que são vendidos em muitos países pelo mundo. Nesta matéria você vai encontrar uma lista com os carros que são vendidos no Brasil dos mais seguros para os menos. O ranking aponta o preço e as notas que foram dadas para a segurança para os adultos e crianças.

Os 05 carros mais seguros do Brasil:

  • VW Golf com preço de R$ 76.790: Nota de 16,56 e cinco estrelas para adultos. Nota de 44,3 e cinco estrelas para crianças.
  • Honda HR-V com preço de R$ 73.700: Nota de 16,70 e cinco estrelas para adultos. Nota 43,30 e cinco estrelas para crianças.
  • Jeep Renegade com preço de R$ 68.900: Nota 16,12 e cinco estrelas para adultos. Nota 43,54 e cinco estrelas para crianças.
  • Honda City com preço de R$ 55.300: Nota 16,08 e cinco estrelas para adultos. Nota 41,81 e quatro estrelas para crianças.
  • Honda Fit com preço de R$ 52.700: Nota 16,26 e cinco estrelas para adultos. Nota 39,48 e quatro estrelas para crianças.

* Os testes foram feitos com colisões frontais com uma velocidade de 64 km/h.

Nos modelos que foram testados pelo Latin NCAP e mencionados nesta matérias, os veículos compactos e aqueles com preços menores (ou de entrada) são os menos seguros para os seus ocupantes. O ranking feito pela empresa de segurança faz os testes apenas com os automóveis que são disponibilizados pelas montadoras na sua linha de produtos novos.

Depois que aconteceu o fato de airbags frontais e os freios ABS serem obrigatórios, nenhum carro levou zero estrela, segundo os dados do Latin NCAP.

Quais foram os carros menos seguros?

O primeiro lugar ficou com o JAC J3. O modelo levou a nota de 3,50 e uma estrela para adultos. Para crianças a nota foi 13,03 e duas estrelas. Depois aparecem o Nissan March (02 estrelas para adultos e uma para crianças), Volkswagen Gol (03 estrelas para adultos e 02 para crianças), Chevrolet Onix (03 estrelas para adultos e 02 para crianças) e o Citroën C3 (04 estrelas para adultos e 02 para crianças).


Novas Tecnologias podem Aposentar o Pneu Estepe


Novas tecnologias prometem aposentar o pneu estepe e aumentar o espaço interno do carro.

Algumas tecnologias estão próximas de fazer com que o pneu estepe não exista mais. O intuito das fabricantes de veículos é, com a inexistência desta roda em automóveis de passeios, haveria uma diminuição do peso e de consumo. Os modelos também poderiam ter um melhor aproveitamento do espaço no porta-malas.

As tecnologias:

– Compact Spares:

São pneus temporários que são feitos apenas para a função. Os produtos vão prejudicar o conjunto todo, caso os mesmos tenham a sua utilização feita de modo regular. Eles também não contam com uma durabilidade boa e não rodam com velocidade maior que 80 km/h.

– Kit de Reparo:

Ele vai apresentar um selante líquido e um compressor. Alguns modelos que são importados já contam com o kit, mas o mesmo pode ser encontrado em lojas do ramo.

– Pneu Seal:

O produto tem uma película interna com um selante que vai vedar de maneira automática o furo no pneu.

– Run-Flat:

Ele é o mais utilizado pelas fabricantes de carros que aposentam o estepe. O produto vai poder rodar totalmente vazio com velocidade e distância que são determinadas previamente. O pneu pode andar com uma velocidade máxima de 80km/h e um trajeto de até 200 km. O Run-Flat conta com um reforço de borracha mais rígida que se encontra nas suas laterais. Isso vai fazer com que o mesmo se apoie no reforço se acontecer uma perda completa de pressão. Esse produto pode rodar com furos que podem chegar a mais de 5 milímetros, coisa que os selantes não conseguem.

O Run-Flat, porém, é mais caro e, como é mais rígido, o conforto não é igual aos dos pneus tradicionais.

Quando se há a “aposentadoria” do estepe, o meio ambiente também agradece, uma vez que não se tem um peso extra e o consumo de combustível é reduzido. Isso faz com que a emissão de poluentes também seja menor. O que deve acontecer? Ainda vai demorar algum tempo para que os estepes saiam por completo dos automóveis.


Melhores Carros para levar Crianças – Dicas de Modelos


Confira aqui algumas dicas dos melhores modelos de carro para levar crianças.

Criança no carro é preocupação para os pais. Acomodar as crianças e ainda todos os pertences e bagagens que demanda esta locomoção no carro são um desafio. Todas as coisas do bebê, os pertences da mamãe, os brinquedos do filho mais velho… Sim, precisamos de espaço!

Quando se trata de transportar crianças o espaço é a necessidade fundamental. É preciso saber escolher o automóvel ideal, com espaço interno e porta-malas que atenda todas as necessidades da família.

Prestar atenção aos detalhes técnicos é somente uma das boas dicas para se adquirir o automóvel ideal para levar todos e tudo com conforto e sem preocupações. Para saber se o carro tem espaço interno, deve-se prestar atenção à distância entre os eixos das rodas, denominados distância entre-eixos. Verificar o porta-malas é fundamental, a litragem do porta-malas deve ser sempre questionada antes da decisão de compra.

Algumas pessoas relatam que após tornarem-se pais resolveram trocar de carro, justamente por não conseguir mais comportar todos os pertences e mais os seus filhos no automóvel. Sendo assim, os casais que já possuem filhos ou desejam ter filhos em curto prazo já devem ir se atentando para esta preocupação.

Dentre as opções do mercado, verificamos o HATCH COMPACTO, que atende ao casal com apenas um filho e oferece preços mais suaves, entre R$ 30 mil e R$ 50 mil, com destaque para o Renault Sandero, que do seguimento é o que possui maior espaço interno e porta-malas.

O HATCH MÉDIO possui modelos com distância entre-eixos ideal para família com dois e/ou três filhos, com preços que vão de R$ 60 mil a R$ 80 mil, como por exemplo o Chevrolet Cruze.

O SEDÃ COMPACTO supre as necessidades de quem tem até três filhos, o Chevrolet Cobalt é um belo exemplar e possui o maior porta-malas da categoria.

Já o SEDÃ MÉDIO também atende a família com dois ou três filhos e traz itens de conforto e tecnologia. A variação de preço é de R$ 70 mil a R$ 80 mil. O destaque desta categoria vai para o Peugeot 408.

Já o SUV COMPACTO é para quem tem dois ou três filhos. O carro possui carroceria alta e o destaque vai para o chinês JAC T6, que oferece o maior porta-malas da categoria e custa R$ 70 mil.

Já entre os GRANDALHÕES, o Fiat Doblò acomoda uma família de três ou mais filhos, possui compartimento de bagagem que chama atenção e custa até R$ 100 mil.

LILIAN JEANE SANTOS DE OLIVEIRA


Uso de Farol Baixo na Estrada será Obrigatório de Dia


Projeto de Lei Nº5070/13 já foi aprovado e agora passará por uma revisão no Senado Federal.

Você usa farol aceso durante o dia ao dirigir pelas estradas? Saiba que agora essa será mais uma obrigatoriedade de trânsito. Um projeto de lei elaborado pelo deputado Rubens Bueno, do PPS do Paraná, propõe que o uso do farol baixo durante o dia passe a ser obrigatório nas rodovias brasileiras.

O projeto de lei de número 5070/13 já passou pela Câmara e está indo para a revisão do Senado Federal. Se aprovado, ele poderá alterar o Código de Trânsito Brasileiro. Por isso, ainda não há uma data certa para que a nova medida entre em vigor.

Atualmente o uso do farol baixo durante o dia só é obrigatório em locais com iluminação artificial, como passagens subterrâneas ou túneis.

Quem descumprir a nova norma terá anotada uma infração média, com pena de quatro pontos na Carteira de Habilitação e multa no valor de R$ 85,13. Nas rodovias e pequenas estradas, já havia a recomendação do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) para o uso do farol baixo, mas como a orientação não era uma obrigação efetiva, menos de 5% dos motoristas a cumpriam, segundo o deputado Rubens Bueno, autor do projeto de lei.

Antes, a obrigatoriedade dos faróis durante o dia era só em casos de neblina, onde há baixa visibilidade do motorista. Nesses casos, o descumprimento da norma do uso dos faróis pode colocar diversas vidas em perigo, incluindo a sua.

Mas durante o dia, em ambientes bem iluminados, até o momento, não se conhece nenhuma situação de risco em que os faróis sejam necessários. A medida com certeza dividirá opiniões dos motoristas, mas se ela entrar em vigor, o melhor a fazer é seguir à risca as recomendações previstas em lei e no Código Brasileiro de Trânsito, sob o risco de perder alguns pontos importantes na certeira e ainda levar uma multa.

Por Patrícia Generoso


Fiat pode lançar Chave com Bafômetro em 2016


Chave deverá chegar ao mercado no próximo ano e poderá ser vendida como um acessório para os veículos.

Já imaginou um carro que avise quando o motorista está embriagado e o proíba de dar a partida no veículo? Pois a Fiat apostou nessa inovação e o primeiro carro com essa funcionalidade está previsto para chegar ao mercado no próximo ano.

A tecnologia será chamada de Fiat Safe Key e faz parte de um projeto de conscientização do motorista quanto ao risco de misturar bebida e direção. Segundo a montadora, em alguns casos não basta somente investir em campanhas. É preciso fazer com que as pessoas pensem duas vezes antes de beber e pegar no volante. A empresa acredita que pode fazer algo no sentido de fornecer a possibilidade da proibição da direção para pessoas embriagadas. A declaração foi feita por Fred Saldanha, diretor responsável pela criação da agência Isobar. A agência foi a responsável pelo desenvolvimento da campanha conscientizadora  e pela encomenda da chave.

Funcionamento:

A chave possui um tipo de mini bafômetro acoplado, que leva em torno de 1 segundo para acusar a presença de álcool no sangue do motorista. Se for encontrado algum vestígio de álcool no sangue do motorista, uma luz vermelha acenderá e a chave, que é do tipo canivete, não aparece para que o motorista dê a partida no veículo. Caso o teste dê negativo para a ingestão de álcool, a chave aparece normalmente e o motorista pode conduzir seu carro sem problemas.

E as funcionalidades da chave são ainda mais interessantes: assim que o bafômetro registra que o motorista ingeriu álcool, um sinal é enviado automaticamente para o celular do motorista, que se conectará com um aplicativo de táxis ou enviará um SMS para algum contato já registrado previamente, que poderá auxiliar o motorista na sua volta para casa.

Segundo a montadora, um dos maiores desafios foi reduzir o tempo de processamento do bafômetro convencional para adaptá-lo ao modelo da chave. Como a resposta independe da quantidade de álcool ingerida pelo motorista, o que faz com que o exame seja um pouco mais demorado, a resposta caiu para somente um segundo.

O desenvolvimento da chave durou 8 meses e encontra-se atualmente em fase de pré-produção. Nesta fase são escolhidos os materiais usados na confecção dos modelos. A previsão é de que a Safe Key seja lançada oficialmente em 2016.

O preço do acessório e a forma como a chave será disponibilizada para os clientes ainda não foram confirmados. A desenvolvedora trabalha para que a chave tenha valor bem próximo do que os modelos tradicionais de chave, para popularizar seu uso.

A ideia da montadora é que a chave possa ser comercializada não só para os novos modelos, mas também para os carros que já estão em circulação, como um acessório adicional.

Por Patrícia Generoso


Cinto de Segurança no Banco Traseiro – Qual a Importância


Uso do cinto de segurança no banco traseiro é obrigatório e pode evitar tragédias.

As últimas notícias badaladas da internet, acerca da morte do cantor Cristiano Araújo e sua namorada, trouxeram novamente à tona uma preocupação que deveria ser constante no nosso dia a dia: o uso do cinto de segurança no banco traseiro.

Os especialistas em trânsito afirmam o que todos já imaginávamos, andar no banco traseiro é mais seguro que andar no banco da frente, mas se o passageiro estiver sem o cinto, o risco é redobrado: além de colocar sua própria vida em risco, ele estará colocando a vida do motorista e do carona da frente também em perigo.

O que acontece é que quando ocorre um impacto, os passageiros do banco de trás são projetados com força para o banco da frente, podendo machucar gravemente e até matar os ocupantes do banco dianteiro. Além disso, dependendo do impacto há o risco dos ocupantes do banco traseiro serem lançados para fora do veículo, o que na maioria das vezes provoca a morte certa.

A Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) realizou uma pesquisa em que mostra que o uso de cinto de segurança no banco da frente pode reduzir o risco de morte em até 45% e o seu uso no banco de trás reduz o risco em até 75%.

O problema é que a maioria dos brasileiros não possui o hábito de usar o cinto quando estão no banco de trás. Segundo o IBGE, 79,4% dos usuários usam regularmente o cinto quando viajam no banco da frente, mas esse número cai para 50% quando o passageiro está no banco de trás.

É importante criar um hábito do uso do cinto também no banco de trás, com fiscalização mais acirrada nas blitz pela cidade, para que acidentes fatais pela falta do uso no banco traseiro, como o que vitimou o cantor Cristiano Araújo e sua namorada, cada dia mais sejam eliminados das estatísticas de trânsito. O uso do cinto de segurança também no banco traseiro é indispensável para a segurança de todos os integrantes do veículo.

Por Patrícia Generoso


Renault Clio perde estrelas no Teste de Segurança Latin NCAP


Latin NCAP retira três estrelas do Teste de Segurança do Renault Clio devido ao veículo não possuir airbag em seu modelo básico na Colômbia.

O veículo Renault Clio perdeu três estrelas no quesito segurança e com esta perda de estrelas o carro ficou com o conceito zero estrela no quesito proteção para adultos. Essa mensuração foi feita pelo Programa de Avaliação de Carros Novos da América Latina e Caribe (Latin NCAP).

Essa medida foi tomada após o os membros deste programa terem feito a constatação de que o veículo Renault Clio que é comercializado na Colômbia não possui sequer airbags na sua versão mais básica.

Aqui no Brasil não temos mais este tipo de problema, uma vez que o Governo Federal já resolveu o assunto com a publicação de uma legislação em que prevê o airbag como um item de segurança obrigatório e que deve vir de fábrica em todos os veículos comercializados no país.

Essa notícia para os consumidores brasileiros não terá muito impacto, mas o que irá mudar é fato de que a empresa, mesmo aqui no Brasil, não poderá mais fazer anúncios constando que o Clio é um veículo que obteve as três estrelas nas avaliações do Latin NCAP.

Essa não foi a primeira vez que o Clio obteve nota zero estrela, no ano de 2013 ele também obteve este mesmo conceito, pois lançou uma versão sem nenhum airbag para os ocupantes. Todavia, após a divulgação dos testes de colisão, a Renault, fabricante do Clio, se comprometeu a realizar modificações nos veículos que seriam comercializados, fazendo a inserção de airbags para os motoristas e seus acompanhantes na parte da frente, na época a empresa divulgou que este seria o padrão para os veículos comercializados na América Latina, sendo que por este motivo o veículo foi novamente avaliado pelo Latin NCAP e conseguiu reaver as suas três estrelas.

Agora, do mesmo modo como foi feito no ano de 2013, a Renault, após tomar conhecimento do rebaixamento que foi feito com relação ao modelo do Clio que estava sendo comercializado na Colômbia sem airbags, a empresa, através de uma nota oficial, se comprometeu a fazer a inclusão dos airbags de motoristas e acompanhante, a partir do mês de fevereiro do ano de 2016.

O certo é que, por enquanto, até a regularização desta situação desagradável, o Renault Clio ficará com a classificação zero estrelas no quesito proteção dos ocupantes adultos em toda a América Latina.

Por Adriano Oliveira


Quais os carros menos visados em assaltos no Brasil?


Confira também algumas dicas para evitar problemas de roubos de veículos. Verificar onde você estaciona na rua e itens de segurança são algumas das pedidas para o seu possante.

Quando você tem um carro, cuidar dele, principalmente contra roubos é uma preocupação daquelas bem chatas. Nunca se sabe quando pode acontecer algo. Alguns carros tem menor risco de serem furtados, devido a menor visão que tem frente aos bandidos.

O Centro de Experimentação e Segurança Viária (CESVI Brasil) fez um índice de furto para caross e esse apontamento destacou o Nissan Sentra e o Chevrolet Cruze LTZ como os dois carros com menor chance de serem roubados dentre todos os modelos em foco na pesquisa.

O índice feito por essa empresa tenta levar em consideração certos pontos que os carros podem trazer, como é o fato de chaves codificadas, alarmes, vidros da lateral laminados, entre outros detalhes.

Os dois carros citados, da Chevrolet e Nissan, tiveram uma nota de 4,5 de um total de 5 estrelas. Isso é um bom apontamento para quem já compra o carro novo pensando na segurança. Hoje em dia as ruas estão bem perigosas e não se pode deixar por menos.

Acessando o site da CESVI – http://www.cesvibrasil.com.br/site.aspx/comparativo-de-veiculos – você poderá fazer um comparativo de veículos nesta questão de segurança e procurar alguns modelos para verificar como ele estão neste quesito.

Quer dicas para evitar dores de cabeça com furtos? Então, aqui vai!

Vou sair para balada ou qualquer outro lugar: qual local melhor para estacionar?

Sempre a melhor opção é você achar algum lugar fechado para deixar o seu carro. Sei que isso as vezes custa caro, mas é o melhor. Quando deixar o seu carro na rua, não o faça em lugares em que a iluminação seja fraca e que não passe muitas pessoas pelo local.

Verifique se o automóvel está sempre bem trancado se o mesmo estiver na rua. É meio senso comum, mas muitas pessoas esquecem. Em estacionamentos, se for deixar a chave com manobristas, verifique a confiabilidade do local. Sempre é bom estar de olho aberto. Muitas empresas de estacionamento não se responsabilizam por furtos de coisas deixadas no carro, ou seja, não deixe nada.

Se você não conhecer bem o estabelecimento que deixou o carro, evite dizer quanto tempo você vai demorar para voltar.

Sai do carro e deixei o meu celular dentro, pois não vou usá-lo.

Erro grave das pessoas deixar algo de valor dentro do veículo quando o mesmo está na rua. Isso vai atrair a atenção de algum mal intencionado que estiver por perto. Mesmo algo que você pense que não tem perigo, como aqueles suportes para os GPSs, podem fazer com que assaltantes abram o seu veículo em busca de algo.

Sempre que fizer compras, coloque diretamente no porta-malas. Se você, por exemplo, está na rua, e vai guardar depois as coisas atrás no carro, isso pode gerar uma evidência para que alguém lhe assalte neste meio tempo.

Outras coisas como cartões de débito e crédito, correspondências e boletos de banco também não são uma boa ideia deixar dentro do seu carro. Os mesmos poderão ser utilizados por bandidos em um eventual assalto para que possam acessar as suas contas. Documento do carro e CNH, a mesma coisa. Se o carro for levado com tais documentos dentro, vai facilitar a vida dos bandidos na hora de repassar o seu veículo para frente.

Meu carro é cheio de adesivos

Alguns deles podem passar informações importantes sobre você. Aqueles de família onde aparece o homem a mulher e filhos, os bandidos podem utilizar como maneira de impressionar a pessoa num falso sequestro, por exemplo. As vezes você quer mostrar seu time do coração, mas passar por um local onde há torcedores de outras equipes, podem ocasionar até uma depredação do seu veículo. Cuidado com quais adesivos coloca em seu carro.

Equipamentos de seguranças para o carro

É sempre bom ter consigo correntes para colocar no seu carro, trancas e até as modernas chaves que impedem que o carro ligue ou desliga o motor depois de um certo tempo. Isso ajuda muito em alguns casos.

Com um custo mais elevado, estão itens como bloqueadores de veículos. O bloqueador vai interromper a ignição ou a bomba de combustível. Localizadores e rastreadores de carros também são uma mão na roda no momento que acontece algo complicado como é um assalto.  Esses dois últimos vão lhe certificar onde seu carro roubado está.

Semáforos e entradas de garagens

Quando você parar em algum semáforo pela noite, principalmente, fique a uma certa distância do carro da frente para pode mover seu veículo em caso de algum movimento estranho de alguém.

Em caso de garagens, você vai sempre ter que observar ao seu redor quando estiver próximo de entrar na mesma. Se possível, dê uma volta na quadra para verificar algo de estranho. Quando você abre o portão e alguém lhe surpreende, é muito difícil conseguir ter alguma reação positiva. 


Novo Chevrolet Malibu ganha Sistema que vigia Adolescentes


Novo sistema Teen Driver promete monitorar adolescentes no Chevrolet Malibu.

Uma notícia vai deixar muitos pais contentes com essa tecnologia, não se trata de telefones e tablets e sim de um sistema integrado em um carro.

Na última sexta-feira, dia 20 de março, a Chevrolet deu continuidade à divulgação da nova geração do Malibu e apresentou um sistema batizado de “Teen Driver”, que  estará presente no novo sedã médio/grande.

O sistema em questão será de grande auxílio aos pais que quiserem ter uma idéia de qual o estilo de condução que vem sendo adotado pelos seus filhos.

Como o próprio nome indica, o recurso vai permitir que os pais possam obter dados a respeito da condução de um adolescente no Chevrolet Malibu, tais como a distância percorrida, velocidade máxima atingida, avisos de excesso de velocidade emitidos, acionamento de controle de estabilidade e freios ABS, alertas de colisão (se equipados), entre outros.

O sistema será capaz de silenciar o rádio até que os cintos sejam afivelados, além de definir um nível máximo para o sistema de som, criar avisos sonoros e visuais caso a velocidade máxima estabelecida de 65 a 120 km/h seja  ultrapassada, poderá ativar automaticamente o recurso de segurança (como alerta de colisão), entre outros.

De acordo com a montadora, o adolescente não poderá desativar diversos itens de segurança, como controle de estabilidade, sensores de estacionamento, alerta de tráfego traseiro, alerta de colisão dianteira, luzes diurnas de LED, acendimento automático de faróis, controle de tração, etc.

O Teen Drive poderá ser habilitado no menu de configurações do sistema MyLink e pode registrar o chaveiro que será dado ao adolescente.

Essa novidade vai estar disponível como item de série para a versão Premier do Chevrolet Malibu e como opcional nos modelos LT.

A estreia dessa belezura está marcada para o início de abril de 2016, no Salão de Nova Iorque, com suas vendas previstas para serem iniciadas no final de 2015.

ANDRE ESCOBAR


Pneus vendidos no Brasil terão Etiqueta do Inmetro


Inmetro dará início ao Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE). Através dele os pneus vendidos no país deverão ter etiquetas informativas.

A partir do mês de outubro de 2016, todos os pneus comercializados aqui no Brasil, sejam eles fabricados aqui no país ou não, terão que ter uma etiqueta, esta etiqueta terá a finalidade de mostrar aos consumidores três critérios de eficiência, sendo estes: aderência ao solo molhado, ruído externo, bem como resistência ao rolamento, quesito este que influência diretamente no consumo de combustível dos veículos automotores.

Essa medida foi oficializada através da portaria de número 544/12 do Inmetro, essa portaria dará início ao Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE), o qual tem a finalidade principal de repassar informações aos consumidores a respeito de desempenho dos pneus, considerando atributos notáveis, tais como, segurança, eficiência energética e impacto ambiental, fatores estes que com certeza irão fazer a diferença no momento em que os consumidores forem fazer a aquisição de novos pneus para os seus veículos e auxiliará para que estes tomem decisões mais acertadas e não fiquem se orientando somente por marcas mais conhecidas no mercado ou até mesmo por preços mais baixos.

Uma notícia importante para os consumidores é que estes critérios terão uma graduação mínima e se porventura o pneu apresentar índices abaixo dos toleráveis, automaticamente este não poderá ser comercializado aqui no Brasil, ou seja, com essa medida o governo brasileiro, através do Inmetro, está repassando a responsabilidade dos pneus vendidos aqui no país para os importadores, revendedores, distribuidores e aos fabricantes de pneus, o que assegurará que todos os pneus que sejam ofertados sejam de qualidade comprovada.

Para que as empresas se adequem a essas mudanças, foi estipulado um calendário que tem como prazo inicial o mês de outubro do ano de 2016, para que todos os fabricantes de pneus nacionais e importados etiquetem os seus produtos, respeitando os limites mínimos. A segunda data prevista no calendário é no mês de abril de 2017, para que todos os pneus vendidos pelos fabricantes ou importados já possuam etiquetagem, assim como os pneus do estoque desses fabricantes. Por fim, a última etapa está prevista para ocorrer no mês de abril de 2018, período em que serão contemplados todos os pneus comercializados no mercado nacional, assim como os pneus do estoque das revendas.

Por Adriano Oliveira


Extintor ABC para Carro – Novo Prazo para Obrigatoriedade


Governo amplia Prazo para Obrigatoriedade do Novo Extintor para Carros.

Após toda a polêmica causada devido o anúncio da obrigatoriedade que os condutores de veículos automotores teriam de realizar a troca dos extintores para o modelo ABC, bem como após o adiamento dessa medida no início do ano de 2015, foi informado pelo Ministério das Cidades que o prazo de cobrança para que sejam confeccionadas as multas deve ser novamente aumentado por mais 90 dias. O pedido desse aumento de prazo para que os proprietários adquiram os extintores do tipo ABC já foi feito pelo Ministro Gilberto Kassab ao Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

Conforme as informações repassadas pelo Ministério, essa dilatação do prazo para a aquisição desses extintores ocorrerá por meio de uma nova resolução que será publicada pelo Contran em que o último prazo estabelecido pelo órgão será novamente revogado, a previsão para o início da fiscalização a cerca destes novos extintores estava prevista para que começasse a ocorrer no dia 1º de abril, mas depois dessa nova proposta de revogação o novo prazo ainda não foi definido.

O principal motivo que fez com que o poder executivo legislativo brasileiro tomasse essa decisão foi a grande dificuldade que a maioria dos proprietários de veículos encontrou para achar o item, pois na maioria das lojas o produto estava totalmente esgotado e sem previsão para a chegada.

O certo é que quando a fiscalização e a medida administrativa relativa à troca desses extintores estiverem valendo efetivamente, quem não tiver feito a substituição do extintor pelo modelo ABC receberá uma multa no valor de R$ 127,69 e perderá 05 pontos na carteira de habilitação, além da retenção do veículo até que a regularização seja feita.

A decisão que determina a troca dos extintores foi tomada pelo Governo devido ao fato da constatação de que o extintor do modelo ABC tem a capacidade de combater incêndio em uma maior variedade de materiais, tais como líquidos inflamáveis e até mesmo equipamentos elétricos, madeiras e tecidos, que são materiais comuns e facilmente encontrados no interior dos veículos.

Tipos de Extintor:

No Brasil, temos atualmente 5 tipos de extintor: o Extintor de Água Pressurizada Classe A (para incêndios envolvendo papel, tecidos, madeiras e fibras), o Extintor de Pó Químico Classe BC (para incêndios com materias como óleo, graxa, gasolina, tinta ou gás de cozinha), o Extintor de Pó Químico Classe ABC (para incêndios com materias como óleo, gasolina, gás de cozinha, tinta, graxa, equipamentos elétricos, papel e madeira), Extintor de Espuma Mecânica Classe A e B (para incêndios com papel, tecidos, madeiras, fibras, óleo, gasolina, graxa, tinta e gás de cozinha) e Extintor de Gás Carbônico Classe B e C (para incêndios com óleo, gasolina, graxa, tinta, gás de cozinha e equipamentos elétricos energizados).

Por Adriano Oliveira


Cinto de três pontos e encosto de cabeça serão itens obrigatórios em 2020


O cinto de segurança de três pontos, retráteis e encosto de cabeça para todos os passageiros dos veículos automotores produzidos no Brasil. Estes agora também serão itens de segurança obrigatórios instalados na frota dos carros novos do país. Mas isto, somente a partir de 2020. É o que determina a Resolução 518 do Contran – Conselho Nacional de Trânsito, que foi publicada no último dia 02 de fevereiro.

De acordo com as regras estabelecidas na Resolução 518, uma reivindicação antiga da sociedade e que já foi alvo de vários estudos passa a valer. Agora, as montadoras de automóveis do país serão obrigadas a instalarem o encosto de cabeça e o cinto de segurança de três pontos também para o ocupante do acento central, do banco de trás dos veículos novos. Além disto, os cintos de segurança passarão a ser retráteis para todos os ocupantes do banco traseiro, o que irá proporcionar maior facilidade na hora da regulagem, mais segurança e mais conforto para os passageiros. Já a instalação do apoio de cabeça será feita com o objetivo de proteger o pescoço e a coluna cervical dos passageiros em caso de colisão na parte traseira dos veículos.

Outro assunto abordado na Resolução 518 do Contran, é a exigência da instalação dos dispositivos de fixação das cadeirinhas para transporte de crianças no banco traseiro dos carros, o Isofix ou o Latch. Mas apesar desta exigência, quem irá escolher qual dos dois sistemas será utilizado serão as próprias montadoras, que ainda poderão escolher se irão instalar o sistema em um ou mais assentos do banco traseiro, já que a resolução estabelece que em pelo menos um ponto do assento, o dispositivo seja instalado.

O sistema de ancoragem Isofix já é utilizado nos carros fabricados na Europa e o sistema Latch é utilizado nos Estados Unidos. Os dois são de fácil fixação no banco traseiro e bem mais seguros do que a forma utilizada hoje pelos brasileiros, que prendem a cadeirinha com o cinto de segurança. Com este novo sistema, a cadeirinha passa a ficar presa na carroceria do carro, protegendo a criança de possíveis choques.

Carros esportivos e conversíveis não se enquadram nas novas regras do Contran, assim como os caminhões, caminhonetes e motorhomes que poderão ter o cinto de segurança subabdominal no banco dianteiro intermediário. Já em relação aos bancos traseiros destes veículos, não será obrigatório o uso do cinto de três pontos.

A indústria automotiva terá prazo até 2018 para se enquadrar nesta nova Resolução do Contran, que passa a valer para os novos projetos de veículos que serão fabricados no país. Já em 2020, o cumprimento desta resolução passa a ser obrigatório para toda a frota de carros novos, nacionais e importados.

 André F.C.


Jaguar Land Rover está desenvolvendo detector de motos e bicicletas para automóveis


Imagine um automóvel que seja capaz de alertar ao condutor sobre uma situação que possa representar perigo. Isso mesmo, como se fosse uma situação instintiva exclusiva dos seres vivos, desenvolvida ao longo de milhares de anos, com o objetivo de proteger a vida e a integridade física. Com um projeto ousado e inovador, a Jaguar Land Rover está desenvolvendo um sistema de segurança que emite alerta ao motorista de proximidade de bicicletas e motocicletas, ou similares.

Veículos como motos e bicicletas, por serem muito ágeis e por suas características e dimensões, exigem maior atenção os condutores de automóveis, tendo em vista que aqueles veículos tem maior facilidade de locomoção e muito facilmente ficam fora da visão dos motoristas, nos pontos cegos dos carros. Portanto, para oferecer maior conforto e segurança aos seus clientes, a Jaguar Land Rover está testando o sistema dotado de uma serie de sensores capazes de perceberem a proximidade das motocicletas e bicicletas. Uma vez identificada essa proximidade, o sistema, além de emitir avisos com ruídos de advertência, também acionará um dispositivo que causará vibração nos pedais e puxadores das portas, com o objetivo de alertar o condutor sobre um potencial risco de colisão.

Os automóveis portadores deste sistema de alerta terão em seu interior mecanismos de iluminação no painel que ascendem e mudam sua cor, conforme a bicicleta ou motocicleta se aproxima ou se afasta do automóvel. Com isso, o motorista terá condições de saber o que se passa à sua volta e realizar uma direção defensiva com maior segurança.

O sistema também será capaz de emitir um áudio de alerta de aproximação. O mais interessante é que esse áudio será emitido do alto-falante que estiver mais próximo de onde o veículo identificado se aproximar, para que o motorista tenha condições de perceber por onde a bicicleta ou motocicleta está se aproximando de seu automóvel, que pode representar um perigo eventual.

O sistema também ajudará o motorista, caso ele esteja distraído, na seguinte situação: se um ciclista ou pedestre que estiver atravessando a rua, os sensores do sistema irá identificar a movimentação e avisará o motorista através de um sinal de luz no painel. Caso o motorista distraído tente avançar pressionando o acelerador, o pedal do acelerador vibrará, indicando a situação de perigo. Outra situação bastante útil desse sistema inovador é que quando houver alguma bicicleta ou motocicleta se aproximando do automóvel estacionado, o próprio sistema irá evitar que as portas sejam abertas até que o perigo se afaste.

Por Allan Carlos Marques

Jaguar Land Rover


ESP – Controle eletrônico de estabilidade é raridade em carros no Brasil


Não faz muito tempo se tornou obrigatório, no Brasil, a adoção pelas fabricantes no caso dos modelos vendidos aqui de freios com ABS e airbags frontais. Mas basta uma olhada mais atenta para perceber que mesmo com a evolução em termos de segurança ainda há uma grande diferença entre o “aqui” e o que é comercializado lá fora. Na realidade está mais para um grande abismo nesses termos de diferença.

Um dos exemplos que podemos facilmente citar é um equipamento. A título de curiosidade ele é um dos mais importantes quanto o assunto é evitar acidentes. Estamos tratando aqui do ESP. A sigla na língua inglesa para controle eletrônico de estabilidade.

Em resumo esse item é responsável por fazer o controle de diversas funções no carro. Um dos principais objetivos é evitar que o automóvel saia da pista em uma curva ou que frenagens erradas venham a acontecer dentre diversos outros aspectos. Para se entender melhor a ideia desse equipamento basta encará-lo com uma ajuda que minimiza os erros cometidos pelo motorista.

Não faz muito tempo o ESP só podia ser visto em carros de luxo. Entretanto, de uns tempos para cá esse equipamento passou a ser uma presença constante em modelos bem mais baratos e acessíveis. Entre os exemplos que podemos citar estão o Ford Ka, o VW Fox e o Saveiro.

Mas nem tudo é bom nessa história. Recentemente em uma pesquisa divulgada pela Cesvi (Centro de Experimentação e Segurança Viária), o item ainda é raridade por aqui.

A Cesvi fez uma análise levando em consideração 297 modelos que são oferecidos em terras brasileiras. Esses modelos somam um total de 940 versões.

Dos avaliados apenas um percentual de 47,8% é que contava com o ESP já como item de série. E ainda assim era mais do que visível a predominância do dispositivo nas marcas tidas como premium.

Em termos comparativos no caso dos segmentos uma fatia de 15% (compactos) contava com o aparelho. Em 85% nem sinal dele.

O jeito é aguardar para ver se no futuro a situação tenha uma mudança drástica.

Por Denisson A. Soares

ESP

Foto: Divulgação


CNH e documentos de veículos receberão novos dispositivos de segurança


A Carteira Nacional de Habilitação (CNH) será modificada a partir do mês de julho de 2015. Tal mudança contará com 28 dispositivos de segurança no intuito de evitar adulteração e falsificação, sendo que a atual tem somente 20 dispositivos. No momento da renovação ou expedição deste documento, após a data prevista para exposição dos dispositivos é que os motoristas receberão o documento atualizado, ou seja, o motorista pode esperar a renovação para que tal mudança seja contemplada na CNH.

Dentre as mudanças destaca um número maior do dispositivo de segurança da atual; código cifrado com informações criptografadas que poderá ser lido por agentes de trânsito através de aplicativos em celulares. A documentação dos veículos também terá mudanças e serão implementados mais 17 itens de segurança no Certificado de Registro de Veículo (CRV) e Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) para evitar fraudes e falsificação no pagamento de licenciamento e imposto de propriedade de veículo automotor.

A estética do documento não terá muita alteração e não haverá aumento de custo acerca destas mudanças para os condutores e proprietários dos veículos, conforme consta o Departamento Nacional de Trânsito (DENATRAN); acrescentando ainda que, a Carteira Nacional de Habilitação, por exemplo, não passa por nenhuma modificação há oito anos e que estas medidas impedirão que ocorram crimes como a falsificação e adulteração.  

Dentre as fraudes, as mais comuns são: clonagens de veículos, evasão fiscal, fraudes contra seguradoras. De forma geral, evita-se que esta fraude aconteça, pois os infratores não conseguirão gerar os códigos de segurança que estarão compostos nos novos documentos.  

A mudança na CNH, contou com a participação durante uma reunião ocorrida entre os órgãos da Polícia Federal, Departamento Nacional de Trânsito, Conselho Nacional de Trânsito e Departamento de Trânsito dos estados. É necessário que todo documento pessoal adquira dispositivos de segurança no intuito de combater infratores dessas práticas delituosas.

Por Railson Tomás de Araújo Lopes

CNH


Mercedes-Benz GLA conquistou nota máxima no Euro NCAP


O Mercedes-Benz GLA pode mesmo “se achar”. Recentemente foi divulgado os resultados obtidos pelo modelo nos testes do Euro NCAP que, para quem não conhece, trata-se do órgão que é responsável por efetuar as avaliações em termos de segurança dos veículos que são comercializados no mercado europeu. Vale destacar que os modelos que passam pelo teste não são submetidos a apenas um ponto, mas sim a diversos aspectos que envolvem segurança. Ou seja, uma verdadeira bateria de exames, só que para carros.

Como citamos entre os modelos avaliados lá estava ele, o GLA da Mercedes. O modelo de entrada do seguimento dos crossovers da marca. E para a alegria geral ele conseguiu atingir o nível cinco estrelas. Isso quer dizer a nota máxima que pode ser atribuída a um veículo analisado.

Modelo testado:

O escolhido para ser testado pela NCAP foi a versão 200 CDI Urban 4×2 LHD. Indo ao que interessa, que são os números obtidos pelo modelo vejamos o que foi apresentado:

– No quesito de proteção para adultos ele atingiu 96%, para proteção infantil o índice apresentado foi de 88% e para pedestres de 67%.

– Nos pontos que dizem respeito à segurança tais como o sistema de frenagem automática e controle eletrônico de estabilidade (ESP) o carro conseguiu registrar a pontuação de 70%.

Nos testes feitos com GLA também estiveram presentes outros modelos. Entretanto, nenhum deles é comercializado em terras brasileiras. Dentre outros modelos avaliados estão o Renault Twingo, Peugeot Partner, Citroën Berlingo, Toyota Aygo, Nissan e-NV200dentre diversos outros. A média de pontuação desses modelos ficou entre quatro e três estrelas.

A nova versão do GLA será comercializada por aqui em breve. Alguns sites especializados no setor sugerem que já nas próximas semanas ele deverá aparecer. Detalhe: ele será uma das principais atrações da marca durante a realização do Salão de Automóvel de São Paulo que acontece no mês de outubro deste ano.

Os preços do modelo não foram divulgados. Entretanto, estima-se que o valor deva ficar na faixa dos R$ 150 mil.

Por Denisson Soares

Mercedes-Benz GLA

Mercedes-Benz GLA - Teste no Euro NCAP

Fotos: Divulgação


Ford anunciou sua nova tecnologia de cinto de segurança inflável


Recentemente a Ford anunciou na imprensa que decidiu licenciar a sua tecnologia desenvolvida para o cinto de segurança inflável. Com isso, qualquer outra empresa que quiser (o que inclui nessa categoria suas concorrentes do setor automotivo) poderão usar a nova tecnologia.

De acordo com as informações divulgadas pela própria montadora, essa atitude tem como principal objetivo impulsionar a adoção do sistema que, de fato, contribui para que a segurança dos passageiros nos automóveis seja melhorada. Isso porque a tecnologia usada no cinto reduz as possíveis lesões que possam ser causadas pelo mesmo no caso da ocorrência de alguma colisão.

Conforme a Ford, os cintos infláveis licenciados pela montadora, têm o mesmo funcionamento dos cintos convencionais. A diferença fica na vantagem de que o dispositivo se abre tanto no tronco quanto no ombro dos passageiros, o que ajuda na distribuição das forças de impacto em uma área que poderá chegar até ser cinco vezes maior do que a distribuição dos cintos comuns.

Com a distribuição da pressão em uma área relativamente maior induz a uma redução do impacto sobre o peito. Outro ponto é que a tecnologia também ajuda no controle dos movimentos da cabeça e do pescoço.

No momento atual, o dispositivo está sendo disponibilizado para os passageiros laterais dos bancos de trás, porém, por enquanto, apenas nos modelos Fusion, Ford Explorer, Flex e também na picape F-150 bem como nos modelos Lincoln MKT e MKZ.

Outro detalhe é que a tecnologia também poderá ser usada em outros tipos de meios de transporte tais como barcos, aviões, helicópteros e até mesmo em uso militar. Além do cinto inflável a companhia também colocou a disposição de interessados o licenciamento de algumas outras tecnologias patenteadas. Como exemplo temos o sistema anticapotamento, o sistema de aviso do uso do cinto de segurança e também o de alerta de nível de atenção do motorista.

Se você quiser conhecer mais sobre essa tecnologia confira o vídeo divulgado pela montadora abaixo:

Por Denisson Soares


Câmera de ré deverá ser item obrigatório de segurança nos EUA até 2018


A Administração de Segurança e Tráfego norte-americana (NHTSA) determinou nesta segunda-feira (31) que até 1º de maio de 2018 todos os veículos zero quilômetro, incluindo ônibus, pequenos caminhões e picapes dos Estados Unidos terão que ter a câmera de ré como item obrigatório de segurança. Segundo a instituição, o componente pode evitar cerca de 70 mortes por ano e economizar cerca de US$ 400 milhões, o que poderia ser quase R$ 1 milhão, em custos de tratamentos e indenizações.

Os carros zero quilômetro dos Estados Unidos já possuem outros itens de segurança, como o controle de estabilidade, aviso de mudança de faixa involuntária e aviso de colisão frontal iminente. Agora o novo componente obrigatório é a câmera de ré. Esta medida também vai aumentar o grau mínimo necessário para que o veículo consiga obter cinco estrelas no Programa de Avaliação de Carros Novos (NCAP) do país.

Os itens que somente agora foram colocados como obrigatórios pela legislação brasileira, que é o caso dos freios ABS e airbag duplo frontal, nem são citados pela organização, já que esses componentes são, há bastante tempo, obrigatórios por sua obviedade nos Estados Unidos.

Ainda há associações que defendem crianças vítimas de atropelamentos criticando que a medida chega atrasada. A obrigatoriedade já era para ter entrado em vigor há alguns anos, mas, por causa do lobby de fabricantes e revendedores, a lei só entra em vigor este ano. As marcas divulgam que o custo será alto para adaptarem os carros até 2018 e que esse custo será repassado para os consumidores. A média, segundo as montadoras, é que o gasto será entre US$ 700 milhões e US$ 1,6 bilhão.

Contudo, a divulgação dos custos não insensibiliza os dados apontados pelas associações. Cálculos do próprio país americano mostram que 210 pessoas morrem e 15 mil ficam feridas anualmente por carros que estão dando ré e não enxergam quem está passando atrás. A maioria são crianças e idosos.

E os custos não serão tão afetantes assim. Mais de 70% dos americanos já adquirem carros novos com a câmera de ré instalada, ou seja, as marcas vão precisar fazer upgrade em menos de 30% dos carros até 2018.

E o preço de uma câmera de ré individualmente também não assusta o consumidor americano. Uma câmera de ré pode custar nos Estados Unidos até US$ 45 para carros que já têm tela no console central. E mesmo podendo ser um pouco mais caras, o equipamento pode reduzir em 1/3 o total de mortes a cada ano, o que não vale o preço da vida.  

Por Carolina Miranda

C?mera de r? ser? obrigat?ria nos EUA

Fonte: Divulgação


Mercedes-Benz Classe M ganhou prêmio máximo de segurança


O Instituto Americano para Segurança nas Estradas – IIHS decidiu premiar o Mercedes-Benz Classe M com o prêmio “Top Safety Pcik +”. Este é o primeiro modelo da montadora a receber esse prêmio do Instituto.

Anteriormente, no ano de 2012, o utilitário esportivo premium da montadora tinha ganhado cinco estrelas no testes realizados pelo U.S. NCAP e pelo EuroNCAP. Em 2013 a Mercedes fez algumas alterações na estrutura do modelo para que a proteção do SUV fosse reforçada levando em consideração os resultados referentes aos testes de colisão frontal que foram implantados pelo IIHS desde o último ano.

Mercedes-Benz Classe M

Foto: Divulgação

O Prof. Dr. Eng. Rodolfo Schöneburg, chefe dos setores de Segurança e Funções de Veículos da Mercedes-Benz Automóveis, disse que ele e sua equipe estão bastante satisfeitos com o prêmio recebido. Até pudera, raramente algum veículo consegue ganhar três prêmios internacionais no quesito de segurança.

As mudanças feitas no SUV fazem com que ocorra uma replicação em caso de uma colisão de um canto de dianteiro com algum outro veículo ou obstáculo com árvores, postes e muros.

O Mercedes-Benz Classe M traz um conjunto que pode ser de até nove airbags. Além disso, também há um sensor de rolamento que já vem de série. O dispositivo é capaz de identificar quando uma capotagem poderia ocorrer e acionar os airbags de cortina. O sistema de segurança do carro ainda conta com o Brake Assist System (BAS – Sistema de Assistência à Frenagem) que também é de série. Este nada mais é que um sistema de detecção de sonolência. Ele acaba alertando o condutor para a perda de pressão nos pneus, entre outras coisas.

Por Denisson Soares


Euro NCAP – Resultado dos testes de segurança


A nova edição do Euro NCAP publicou o resultado referente à bateria de testes da prova. Três veículos dos 5 que foram avaliados no crash test tiveram a ótima classificação de 5 estrelas. Um deles foi o novo Toyota Corolla, produzido para o mercado de autos da Europa. O veículo apresentou a maior pontuação no que se refere à proteção dos ocupantes adultos dentro do automóvel com 94 pontos percentuais de segurança.

Ao contrário da versão do mercado americano, a décima primeira geração do veículo comercializado no continente europeu deve ter adaptação para ser vendido no Brasil brevemente e terá diferencias nos elementos do exterior, como a parte da frente com maior sofisticação, faróis mais retilíneos e grades cromadas.

Fora o modelo Corolla, o recentemente lançado Lexus IS recebeu também a máxima nota, da mesma forma que o novo Mazda 6. Já o Opel Adam e o Mitsubishi Mirage tiveram quatro estrelas na prova, resultado tido como seguro de acordo com os padrões da companhia. Segundo informações da empresa, "isso reflete os investimentos em segurança que a empresa faz a nos em seus modelos".

Por Marcelo Araújo


Rastreador e Bloqueador de Carros – Informações


Ultimamente andamos alarmados com a quantidade de roubos e sequestros em todo o Brasil. Para nos sentirmos mais protegidos, temos o seguro total contra roubos de veículos, porém, o seguro tem um preço alto e nem todos podem pagar. Felizmente, a tecnologia nos presenteou com acessórios que permitem reforçar a segurança do veículo sem precisar de muito dinheiro. Investir em equipamentos antifurto tem sido uma ótima maneira de não perder o carro para criminosos e ajudar a encontrar parentes que tenham sido vítimas de sequestro relâmpago. Os principais dispositivos são o rastreador e o bloqueador.

O rastreador permite que o proprietário do carro receba informações sobre os lugares que o veiculo percorreu, tudo pela internet e pelo celular. Em caso de roubo, o dono do carro consegue descobrir onde o veiculo está e pode informar imediatamente para a polícia. Além disso, o proprietário pode escolher alguém da família ou outra pessoa de confiança para receber informações de emergência pelo celular, caso ele seja vítima de sequestro.

Já o bloqueador é mais simples. A central de atendimento recebe a ligação do proprietário e imediatamente ativa um dispositivo que bloqueia o motor de partida do carro, fazendo com que o veículo pare durante o roubo.

Os dois itens podem ser comprados a partir de R$ 300,00, sem mensalidades. O que compensa bastante para quem está acostumado a pagar parcelas altíssimas de seguro.

Fique ligado!

Não facilite para o azar. Algumas dicas são importantes para não ter seu carro roubado ou furtado. Não há nada mais incômodo do que a sensação de perda de um bem que lutamos tanto para comprar. Por isso, não deixe objetos dentro do veiculo e esconda a frente do som para não chamar a atenção de criminosos. Não passe muito tempo dentro do carro parado em locais de pouca iluminação e guarde sempre os documentos do veículo consigo.

Por Nathalia Henderson


Chevrolet Celta 2014 – Modelo com novos equipamentos de segurança


Está chegando o novo Celta 2014 da Chevrolet e vem com os freios ABS, airbag duplo e todos os novos equipamentos de segurança que serão obrigatórios a partir de 2014.

De acordo com a legislação de segurança veicular brasileira, o novo Celta 2014 será vendido com a geração 9.0 do sistema de freio ABS, com uma tecnologia que trava as rodas para que o motorista possa controlar o carro mesmo quando frear bruscamente.

O Celta também vem com aro cromado na frente em todas as versões, tem a opção de 2 ou 4 portas com ar condicionado e adesivo na coluna central. Ambas as opções vêm com um motor 1.0 flex de 78 cv de potência e o toque de 9,7 kgfm com etanol e 77 cv de potência e torque de 9,5 kgfm com gasolina.

Na parte interna o Celta 2014 vem com novo volante com três raios, porta-objetos com porta-copos no meio dos bancos dianteiros e uma acomodação para airbag frontal.

O valor está entre R$ 25.390 a R$ 31.490 e a outra novidade é nova cor, o cinza sand.

Por Mariana Rodrigues


Honda lança Novo Sistema Contra Colisões – City-Brake Active System


A Honda acaba de revelar que desenvolveu uma tecnologia nova que promete ajudar a prevenir acidentes nas ruas das grandes cidades. Batizado de City-Brake Active System, a tecnologia já está pronta para ser implantada nos carros da companhia e trabalha somente em velocidades menores que 28 km/h. O objetivo do recurso é evitar as colisões no trânsito pesado das grandes cidades, pois é exatamente neste momento que o motorista está mais distraído e pode vir a bater na traseira do carro que está na frente.

O sistema é capaz de identificar qualquer risco iminente de batidas graças aos seus sensores, que são capazes de monitorar a distância entre um veículo e outro, além de avaliar em tempo real dados sobre o comportamento dinâmico do automóvel, como a rotação do motor, velocidade, aceleração e índice de frenagem.

A tecnologia possui ferramentas para prevenir que em um estacionamento ou em uma fila de pedágio, um aumento súbito na velocidade do veículo cause algum acidente.

O City-Brake Active System funciona na faixa que vai da imobilidade aos 9 km/h. Quando o motorista pisa muito fundo no acelerador e tem algum carro a menos de quatro metros na sua frente, o sistema emite alertas sonoros e visuais, e como último recurso ele consegue reduzir a potência do motor para poder diminuir a aceleração e evitar a batida no automóvel.

Por Felipe Santos Bonfim


Volvo apresentará novos sistemas de segurança


A montadora Volvo estará apresentando em Genebra, na Suíça, dois inéditos sistemas de segurança que serão os primeiros a evitar colisões entre automóveis, segundo a fabricante.  

O primeiro é um novo sistema de "faróis adaptativos", que têm foco apenas em áreas mais escuras ao detectar veículo na estrada, isso graças aos sensores especiais. Nesse sistema, com a própria câmera de bordo padrão da Volvo, o dispositivo detecta um outro automóvel na contramão e passa as informações a um módulo eletrônico central que por sua vez aciona palhetas metalizadas na lente do farol, tudo isso para iluminar apenas as áreas ao redor do outro automóvel que vem no sentido contrário, este sistema funciona mesmo com o farol alto ativo.  

Este sistema foi criado com a ideia de o ofuscamento ser evitado ao máximo possível, com isso o condutor visualiza outros campos da estrada. O sistema tem uma precisão de 1,5º e funciona depois de alcançar uma velocidade acima de 15 km/h.  

O segundo sistema desenvolvido pela Volvo e que vai ser apresentado no evento suíço não teve seus detalhes revelados.

A nova tecnologia vai começar a ser introduzida nos modelos S60 e V60.      

Por André Barbosa


Segurança dos carros brasileiros está muito abaixo dos padrões


Provas realizadas pelo Latin NCAP (Programa de Avaliação de Carros Novos da América Latina), em conjunto com a Proteste, mostraram que os carros comercializados na América Latina, especificamente no Brasil, estão com um atraso de vinte anos em relação aos veículos produzidos e vendidos nos Estados Unidos e na Europa. Além disso, o resultado demonstra que a segurança dos automotores brasileiros está muito abaixo dos padrões.

De acordo com informações da Latin NCAP/Proteste, neste teste, é muito difícil que um carro da Europa apresente desempenho inferior a quatro estrelas, de uma totalidade de 5 que são possíveis. Isso demonstra a inferioridade dos veículos da América Latina, que tiveram 7 modelos avaliados (6 comercializados no mercado brasileiro) e ficaram abaixo de 4 estrelas.

Mas isso não é uma novidade, pois, nos dois anos anteriores do teste (2010, 2011), os resultados também foram ruins. Mesmo assim, ainda houve um fator positivo, pois, na fase três da avaliação, a NCAP/Proteste conseguiu detectar “progresso” para os veículos latino-americanos.

Na versão de 2011 da avaliação, 4 modelos ganharam apenas uma estrela e, segundo a empresa de testes, alguns apresentavam possibilidade de lesões fatais para os ocupantes do carro.

Por Marcelo Araújo


Nissan – Tecnologia inova no quesito segurança


Não raro, os motoristas passam por incidentes no trânsito, como por exemplo pequenas batidas e arranhões causados pelos estacionamentos em pequenos espaços, saídas da garagem e assim por diante.

Em outubro, a montadora Nissan anunciou uma provável solução para esse problema. Trata-se do recém-criado programa de segurança que evita que situações como essa ocorram no cotidiano.

Essas colisões acontecem comumente porque o condutor pisa no acelerador acidentalmente e o novo dispositivo da Nissan surge com a finalidade de identificar exatamente o momento em que o carro vai estacionar, então aciona funcionalidades que impedem a batida.

A novidade será oficialmente lançada junto com o novo Elgrand, no final de 2012. A expectativa é que o novo dispositivo diminua consideravelmente o número de acidentes frutos de acelerações pequenas e involuntárias causadas por distração, imperícia ou engano de pisar no acelerador, quando na verdade, o objetivo é pisar no freio.

A tecnologia utilizada só é possível devido a junção de quatro câmeras e um sinal de ultrassom que detecta a presença de obstáculos, como parede e outro carro no trajeto. Se encontrado o obstáculo, o veículo desacelera automaticamente e freia mesmo antes da batida acontecer.

Por Larissa Mendes de Oliveira


Volvo V40 apresenta Airbag para Pedestres e Freios Inteligentes


A Volvo sempre se mostrou muito preocupada com a segurança em seus veículos. Por isso, a marca está sempre procurando novas tecnologias que possam trazer uma melhor segurança para o motorista, mas sem deixar de lado o pedestre, que no caso de uma colisão se encontra bem menos amparado.

Atualmente a Volvo está apresentando no Salão de Genebra alguns modelos exclusivos.

Um dos destaques do stand da marca é o V40. Os principais diferenciais do veículo são o airbag para pedestres e o sistema de freios inteligente.

No sistema de freios, o carro tem um scanner na sua dianteira que capta todos os movimentos humanos, quando acontece de uma pessoa atravessar o caminho, automaticamente o veículo freia. Esse sistema já é utilizado por alguns veículos para que não haja uma batida na traseira, mas para pedestres isso é considerado uma inovação.

No caso do airbag, sua forma de funcionamento é mais complexa, porém engenheiros da marca fizeram todos os testes e confirmaram que realmente funciona. Quando a pessoa chega a ser atropelada, a parte superior do seu corpo sofre o efeito chicote, onde sua cabeça e membros superiores batem com muita força na parte superior do capô, nesse mesmo local foi implantado um airbag que é acionado assim que acontece a colisão.

Por Matheus Nogueira Camargo


Rastreador com Seguro – Informações


Uma novidade tem sido bastante comentada no setor de autos. Trata-se do Sistema de Rastreamento com Seguro. Além de se configurar como uma super modernização em termos tecnológicos, o rastreador oferece várias vantagens ao seu usuário, pois protege o carro e oferece segurança ao motorista. Como se não bastasse, gera economia ao tornar os preços dos seguros mais acessíveis, uma vez que minimiza os riscos da seguradora e respectivamente os seus custos.

O funcionamento do Rastreador com Seguro é muito simples. Depois de devidamente instalado, o automóvel poderá facilmente ser encontrado pela seguradora em caso de roubo, independente do lugar em que o veículo esteja (se a cobertura for ampla). Para o sistema ser acionado, é necessário que o usuário comunique sobre o roubo por telefone.

Feito isso, o rastreador instalado no carro passa a emitir sinais, apontando a localização exata do automóvel. Imediatamente a seguradora passa a monitorar e fazer o rastreamento do carro. Caso o motorista também esteja em perigo, além de assegurar o patrimônio, a seguradora prestará socorro ao usuário através de auxílio emergencial.

A boa notícia é que algumas seguradoras já oferecem o serviço gratuitamente, especialmente se o automóvel chama a atenção de ladrões.

Se você preferir pode instalar o aparelho de forma autônoma e comunicar a seguradora sobre a presença do rastreador. Mas não se esqueça de perguntar se a empresa oferece monitoramento e se cobre a sua área. Por fim, não se esqueça de estabelecer tudo que se refere a isso em contrato.

Por Larissa Mendes de Oliveira


Hackers podem Invadir o Sistema Eletrônico dos Veículos


Um problema que sempre preocupou os usuários de computador agora também começa a assombrar os proprietários de modernos veículos, carregados de tecnologia digital, controles eletrônicos e equipamentos que podem ser acionados à distância. É que uma pesquisa realizada pela empresa McAfee, especializada em soluções de segurança para a área de informática, revelou que os sistemas eletrônicos, que cada vez mais aparecem nos veículos, podem ser invadidos por qualquer pessoa que tenha acesso físico a eles.

Itens como os sistemas de entretenimento, bancos elétricos, GPS, travas, freios elétricos, controle de cruzeiro, controles eletrônicos de estabilidade e tração são alguns dos que podem ser manipulados por terceiros, segundo a empresa, que afirma que as ameaças não param por ai. Veículos que utilizam sistemas de partida e destravamento remotos, por exemplo, podem ser manipulados por pessoas mal intencionadas que consigam acessar o sistema, criando situações de risco para o proprietário.

Há ainda a possibilidade de rastreamento do automóvel, permitindo monitorar a rotina do motorista, os locais por onde ele trafega diariamente, e até mesmo o roubo de dados pessoais através do Bluetooth, utilizado para fazer ligações via telefone celular em alguns carros.

Para se evitar estas ações, algumas empresas já estão desenvolvendo soluções juntamente com as fabricantes de automóveis, que tranquilizam os motoristas quanto a possíveis ataques virtuais.

Por André Gonçalves


Driver Alert Ford – Sistema de Alerta de Sono ao Volante


Para tentar diminuir a incidência de acidentes causados pelo sono ao volante, a Ford lançou o “Driver Alert”, sistema que analisa o comportamento do veículo e, dependendo da situação, emite um som alertando ao condutor de que algo está errado.

O dispositivo utiliza uma câmera, instalada na traseira do retrovisor, que identifica as faixas da pista em que o veículo estiver trafegando. As informações são transmitidas ao computador de bordo do carro, que traça a posição ideal entre as faixas. Se a diferença entre a posição ideal e a momentânea for grande, uma mensagem aparece no painel de instrumentos, e é soado um alarme, de 10 segundos. Caso os alertas sejam ignorados, o sistema então dispara um novo alarme, com intensidade mais forte, que só poderá ser desligado quando o motorista acionar um botão.

De acordo com a Ford, o sistema é capaz de reconhecer quando o veículo está apenas mudando de faixa ou realizando uma ultrapassagem, não sendo acionado nestas situações. Além disso, caso queira, o motorista pode desativá-lo antes de iniciar a viagem.

O Driver Alert já está disponível nos modelos S-MAX, Focus, Galaxy e Mondeo, vendidos na Europa. A Ford pretende disponibilizá-lo em outros países em breve.

Fonte: Ford

Por André Gonçalves


TRW Automotive cria Novo Airbag de Teto


Um novo tipo de airbag poderá estar disponível no mercado automobilístico em breve. Trata-se de um airbag de teto, que vem sendo desenvolvido pela empresa TRW Automotive, há aproximadamente dois anos.

Segundo a companhia, o novo sistema, que é instalado no teto do veículo, teve um excelente desempenho de retenção de impactos, diminuindo os riscos de lesões nos ocupantes. Além disso, ele contribui para uma melhor utilização do espaço interno do carro, pois não necessita de um compartimento específico para ser guardado.

Os airbags frontais convencionais são instalados, em sua maioria, no painel de instrumentos dos veículos ou nos volantes, tomando conta de um espaço que poderia ser de outros equipamentos. Com a novidade, este espaço poderia ser utilizado de outra forma, já que uma única bolsa de ar, instalada no teto, serviria para proteger os passageiros e o motorista. Por isso mesmo, a TRW informa que o novo dispositivo é mais barato que os tradicionais e é compatível com uma boa parte das carrocerias atuais.

A empresa revelou também ser parceira de uma montadora europeia no desenvolvimento do projeto.

A previsão é de que a nova tecnologia esteja disponível a partir de 2014.

Fonte: Inside Line

Por André Gonçalves


Hyundai Azera – Modelos 2011 – Segurança e Economia


Para quem é fã da montadora Hyundai já estão em suas concessionárias os novos modelos do sedã Azera versão 2011 que foi repaginado e agora além de mais bonito está mais potente e mais consciente no que tange ao controle de combustível.

Uma das principais inovações é justamente um display inovador no quadro de instrumentos que indica, através de uma luz verde quando o carro está sendo dirigido de maneira que o faz economizar combustível. Além disso, em sua nova estética a reestilização de itens como parachoques, grade dianteira e até das ponteiras de escapamento lhe dão aspecto moderno e elegante.

O motor V6 também sofreu melhorias chegando agora a 265CV de potência e vem acoplado com câmbio automático sequencial shiftronic de seis velocidades. Além de velocidade e potência, o modelo está mais estável e seguro. A suspensão foi modificada para absorver melhor as irregularidades do piso, o que trás maior estabilidade e dirigibilidade ao veículo. No item segurança o modelo também vem forte, contando com dez airbags e freios ABS a disco nas quatro rodas, possuindo também sistema de distribuição eletrônica de frenagem (EBD).

Conforme assessoria de imprensa da marca, este modelo versão 2011 do Azera inicia seu preço a partir de R$ 90 mil. De acordo com a sua faixa de mercado é justo para um carro que oferece boa potência, tem preocupações com a economia de combustível e busca dar segurança e estabilidade ao motorista.

Por Mauro Câmara

Fonte: ICarros


Cadeirinhas para Crianças – Cuidado com tamanho inapropriado


Os pais precisam cuidar um detalhe quanto à exigência dos dispositivos de retenção: há um tipo para cada idade. E a resolução do Contran não leva em conta apenas a idade da criança, mas também o peso e a altura. Por isso atente para isso: o motorista pode levar uma multa se a criança estiver numa cadeirinha incompatível com o seu peso e altura mesmo que esteja dentro da faixa etária correta.

Na verdade, tudo é uma questão de interpretação da lei. Digamos que uma criança acabou de fazer 4 anos, idade em que a cadeirinha deve ser substituída pelo assento de elevação. Como é uma fase de transição, não significa que a lei será aplicada rigorosamente.

Outro exemplo: após sete anos e meio, a lei dispensa o uso do assento de elevação. Mas a criança deve ter no mínimo 1,45 cm de altura para que fique na posição e possa ser protegida corretamente com o uso do cinto de segurança.

Por Maximiliano da Rosa


Dicas para dirigir em região de Alagamento


As chuvas no início do mês na Região Sudeste, e principalmente no Rio de Janeiro, tem consequências graves. Uma das cenas mais comuns na cidade, são os carros abandonados no meio das ruas e avenidas, que não conseguiram atravessar a área alagada e acabaram engolidos pela enxurrada.

Porém, seguindo algumas dicas simples, é possível vencer esses obstáculos e passar com segurança por uma região alagada. Em primeiro lugar é preciso manter a calma. Depois engate a primeira marcha e não tente mudar até atravessar a área de alagamento, pois se o fizer, a água da chuva pode entrar pelo escapamento, apagando o  motor.

Para tentar ao máximo evitar que isso aconteça, mantenha-se acelerando e procure controlar a velocidade pressionando a embreagem. Mas atenção: caso o escapamento esteja coberto pela água, e você ouça o som de bolhas, evite acelerar.

Se houver um obstáculo, ou tiver que parar o veículo, não tire o pé da embreagem, passe para o ponto morto, e use os freios com muito cuidado, mantendo o carro em aceleração. Se seguir essas recomendações a chance de chegar em casa sem maiores problemas é bem grande.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: G1


Incêndio no Tata Nano – Segurança questionada


O carro mais barato do mundo é indiano e tem muitos fãs, pelo fácil acesso e pelo preço de praticamente uma motocicleta.

Mas esta semana um sinal de alerta acendeu para estes veículos, isto porque um novo incêndio aconteceu com o Nano: é o quarto acidente similar, mas a montadora prefere analisar como incidentes isolados e não fruto de problemas generalizados do modelo.

A noticia afeta a credibilidade da marca Tata, que já prepara algumas alterações para a entrada no mercado europeu.

Em tempo: o carro custa algo em torno de US$ 2.500,00, pouco menos de R$ 5.000,00. Ainda não há previsão de chegada ao mercado Brasileiro.

Por José Alberi Fortes Junior


Aniversário de 50 anos do cinto de segurança de três pontos


A inovação criada pelo engenheiro Nils Bohlin – o cinto de segurança de três pontos – completa 50 anos de existência. Graças à criação do engenheiro da Volvo, muitas vidas são salvas até hoje em acidentes de transito.

Estima-se que o cinto de segurança de três pontos seja responsável por diminuir  nada menos que menos 45% o risco de morte em acidentes. E com tanta importância que o cinto de três pontos tem e a segurança que proporciona, foi decidido pela Volvo que, há cinquenta anos quando produzido, o uso do instrumento fosse liberado para qualquer montadora pois tornara-se equipamento obrigatório nos carros.

Apesar de ser de uso obrigatório, muitos motoristas costumam negligenciar o cinto de segurança. Mas desta forma estão privando-se de um artifício para assegurar a sua vida e integridade física durante  o deslocamento com seus veículos. Criado em 1959, o cinto de segurança de três pontos completa aniversário de 50 anos.


Onde está a segurança no automobilismo? Felipe Massa e seu grave acidente na Hungria


Nos últimos tempos, o automobilismo mundial aumentou sua preocupação com a segurança. Milhares de dólares foram investidos para tornar um esporte naturalmente perigoso em algo apenas bonito.

Em parte, a tentativa deu certo. A criação de uma “célula de sobrevivência” evitou dezenas de mortes de pilotos de monopostos. Por mais que o carro sofra danos, o piloto fica praticamente intacto.

Só que em menos de uma semana o automobilismo retrocedeu. E não foi por falta de segurança dentro dos carros, mas por fatores externos: leia-se outros carros.

Primeiro foi Henry Surtees. O promissor piloto de Fórmula 2 morreu após ser atingido pelo pneu de outro carro durante uma prova. O capacete foi insuficiente para evitar o óbito depois daquele impacto.

No sábado (25), Felipe Massa, piloto da Ferrari, deu um susto nos treinos oficiais para o GP da Hungria de Fórmula 1. Uma peça soltou-se do carro de Rubens Barrichello, da Brawn GP e atingiu o capacete de Massa, fazendo o brasileiro perder a consciência e colidir seu carro. Felizmente, Massa passa bem, porém, não se sabe se voltará a correr.

Fica a pergunta: depois de tanto investimento, onde foi parar a segurança no automibilismo?

Nossos votos de recuperação rápida para o Felipe.

felipe-massa-hungria