Redução no IPI de Carros Elétricos e Híbridos


A partir de Novembro Carros Elétricos e Híbridos devem ficar mais baratos.

Na última sexta-feira (dia 06 de Julho de 2018) finalmente foi publicada as alíquotas e suas respectivas faixas de redução de preço para veículos elétricos e híbridos a serem vendidos no mercado nacional, a principal novidade é que a redução será baseada em dois critérios principais, a eficiência energética e o peso, exemplificamos elas abaixo:

Carros Híbridos com índice de eficiência energética igual ou menor a 1,10 Mj/km

  • Pesando até 1.400 kg: alíquota de 9%
  • Pesando na faixa de 1.401 kg até 1.700 kg: alíquota de 10%
  • Com peso superior a 1.701 kg: alíquota de 11%

Carros Híbridos com índice de eficiência energética entre 1,11 Mj/km e 1,68 Mj/Km

  • Pesando até 1.400 kg: alíquota de 12%
  • Pesando na faixa de 1.401 kg até 1.700 kg: alíquota de 13%
  • Com peso superior a 1.701 kg: alíquota de 15%

Carros Híbridos com índice de eficiência energética acima de 1,68 Mj/Km

  • Pesando até 1.400 kg: alíquota de 17%
  • Pesando na faixa de 1.401 kg até 1.700 kg: alíquota de 19%
  • Com peso superior a 1.701 kg: alíquota de 20%

Carros Híbridos com índice de eficiência energética acima de 1,68 Mj/Km

  • Pesando até 1.400 kg: alíquota de 17%
  • Pesando na faixa de 1.401 kg até 1.700 kg: alíquota de 19%
  • Com peso superior a 1.701 kg: alíquota de 20%

Carros Elétricos com índice de eficiência energética igual ou menor que 0,66 Mj/Km

  • Pesando até 1.400 kg: alíquota de 7%
  • Pesando na faixa de 1.401 kg até 1.700 kg: alíquota de 8%
  • Com peso superior a 1.701 kg: alíquota de 9%

Carros Elétricos com índice de eficiência energética entre 0,67 Mj/km e 1,35 Mj/Km

  • Pesando até 1.400 kg: alíquota de 10%
  • Pesando na faixa de 1.401 kg até 1.700 kg: alíquota de 12%
  • Com peso superior a 1.701 kg: alíquota de 14%

Carros Elétricos com índice de eficiência energética acima de 1,35 Mj/Km

  • Pesando até 1.400 kg: alíquota de 14%
  • Pesando na faixa de 1.401 kg até 1.700 kg: alíquota de 16%
  • Com peso superior a 1.701 kg: alíquota de 18%

(Futuros) Híbridos Flex também podem entrar na conta

O governo também sinalizou descontos de até 2% no IPI para Carros Híbridos com motorização que aceita tanto etanol como gasolina, isto significa uma redução de imposto de 7% a 18%, dependendo sempre do seu índice de eficiência energética e peso. Por enquanto a única montadora com projetos e interesses nesta área é a Toyota, que já anunciou estar fazendo testes com o seu modelo híbrido Prius, gerando uma versão flexível (Prius Flex), porém, não existe informação oficial quando ou se efetivamente o veículo será lançado.

Os preços tendem a ser reduzidos a partir de Novembro, o mercado costuma reagir positivamente a este tipo de incentivo, porém, a quantidade de modelos e suas versões para o mercado ainda é uma incógnita, o governo respondeu a uma necessidade primária de oferecer regras mais claras com políticas de incentivos e reduções de impostos desde que a indústria obedeça determinadas regras, agora cabe ao mercado responder com os seus interesses e produtos.

A título de informação, atualmente o mercado conta com pouquíssimas opções para venda, dentre elas a mais popular é o Toyota Prius, um carro híbrido com preço em torno de R$ 126 mil, que acumula vendas até o mês de Junho de 2018 de 1.472 unidades ou em média 245 carro ao mês, quer dizer um volume muito baixo e com certeza aquém da demanda de consumidores interessados neste tipo de produto.

A BMW também oferece o BMW i3, trazendo sua nova geração por pouco mais de R$ 200 mil, com maior autonomia devendo baixar seu preço final, uma vez se enquadrando nas faixas propostas.

Apesar da aparente escassez a curtíssimo prazo, as montadoras nacionais e importadores prometem movimentar este cenário ainda este ano, a Volkswagen promete trazer o Golf GTE e a Nissan também confirmou seu elétrico, o Nissan Leaf, o carro elétrico mais vendido no mundo.

Tudo isto somado ao novo conjunto de regras positivas anunciadas pela Rota 2030 e que deve finalmente fazer deslanchar todo mercado automotivo.

Autor: Carlos B.


IRPF 2018 – Como Declarar Carro, Moto e Caminhão


Saiba aqui como fazer a declaração do seu carro no Imposto de Renda 2018.

Até o dia 30 do mês do abril. Esta é a data final que a Receita Federal determinou para que os contribuintes que têm a obrigação de declarar o Imposto de Renda de Pessoa Física, possam realizar suas declarações sem o risco de pagarem multas. Porém, muitas pessoas possuem muitas dúvidas sobre alguns pontos da declaração que deve ser feita ao Fisco, já que algumas mudanças ocorreram neste ano.

Entre as mudanças nas declarações de dados do IRPF de 2018 está a forma de declarar bens como carros. Se esta é a sua dúvida, continue lendo este artigo e saiba como declarar o carro que você comprou ou vendeu no ano de 2017.

Para declarar carros, caminhões e motos é preciso procurar pela aba de “Bens e Direitos”, que possui o código “21”, que tem a seguinte descrição: “ Veículo automotor terrestre: caminhão, automóvel, moto, etc.". Feito isto, procure pelo campo “Discriminação” e coloque todos os dados do veículo, como o modelo, marca, ano de fabricação, número da placa e etc. Outro dado importante que não pode ser esquecido é a data em que o veículo foi comprado, inclusive os dados do seu vendedor, como nome, CPF, CNPJ e até mesmo a forma em que foi pago.

Depois de preencher todos os dados você vai encontrar um campo descrito como "Situação em 31/12/2016 (R$)" e outro como "Situação em 31/12/2017 (R$)". Neles você irá informar o quanto você pagou pelo carro no ano indicado.

No campo “Dívidas e Ônus” não é preciso informar nada. Somente no campo "Discriminação" que você deve informar se o veículo foi financiado.

Caso o carro tenha sido comprado em outros anos e já estiver pago, é só colocar a soma total paga pelo veículo. Clicando na opção repetir, o sistema vai copiar o valor informado no ano passado.

Este ano a Receita Federal pede que outros dados sejam incluídos, como o nº do Renavam ou o nº de seu registro.

Muitas pessoas estão em dúvida se devem informar valores de gastos que tiveram com seus veículos ao longo do ano de 2017. A resposta é não. A não ser que o carro tenha passado por uma benfeitoria que o valorize no mercado.

Em casos em que o declarante teve seu veículo roubado ou a sua perda total, na mesma aba “Bens e Direitos”, no campo “Discriminação” é preciso informar o que se passou com o veículo, assim como o valor que a seguradora pagou em caso de indenização. Também é importante informar os dados da seguradora, como CNPJ e nome. O campo "Situação em 31/12/2017 (R$)" deve ser deixado em branco.

Quem é isento e comprou um carro em 2017 não precisa realizar a declaração, a não ser que o valor do carro em questão seja maior que R$300.000, pois sendo assim será obrigado declarar.

Já para aqueles que venderam um carro no ano passado, é preciso ir na aba descrita como "Bens e Direitos", na "Discriminação", informar que o veículo foi vendido, colocando dados como data da venda, os dados de quem comprou, como CPF ou CNPJ, além claro do valor.

Se o carro tiver sido comprado por financiamento, os passos são os mesmo, só que será informado o valor pago até a data do dia 31/12 2017. O valor restante das parcelas ainda não pagas não precisa ser informado.

Para quem está pagando um consórcio, o certo é informar a soma total paga no ano de 2017 na aba “Bens e Direitos” e para isso use o código 95 relativo a “Consórcio não contemplado".

Agora, se você é casado e os dois fazem declarações separadas e o carro for dos dois, neste caso apenas um irá fazer a declaração do valor do veículo.

Enfim, embora pareça complicado a declaração e veículos, na realidade ela não é. Basta se informar um pouco mais e preencher todos os dados com atenção, para que tudo saia da da forma correta, sem chances de aborrecimentos futuros.

Sirlene Montes


IPVA – Consulta, Valor e Como Pagar Atrasado


Confira aqui todos os detalhes sobre o IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores).

O início de cada ano tem para as pessoas que possuem qualquer tipo de automóvel movido a motor um gasto adicional relacionado com o pagamento vinculado ao imposto conhecido de forma básica como IPVA.

Em decorrência dos diversos detalhes que devem ser considerados para o cumprimento adequado deste dever enquanto contribuinte, serão abordados a seguir alguns pontos básicos quanto a este assunto delimitado.

Conceitos essenciais sobre funcionamento IPVA

De forma conceitual, o IPVA é a sigla utilizada para Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores, sendo devido por todas as pessoas ou empresas que possuem qualquer espécie de veículo como motos, carros, caminhões, caminhonetes, vans e outros.

Ao se considerar o valor do IPVA, seu pagamento varia de um estado para o outro, consistindo na incidência média de 2% a 4% sobre o valor de venda para cada veículo analisado, de acordo com o mercado automotivo do ano considerando, neste caso, a chamada Tabela PRICE.

O pagamento do valor determinado por cada estado brasileiro para o IPVA ocorre uma vez a cada ano pelo proprietário ou responsável de cada veículo que roda no território nacional.

Consultas ao valor do IPVA

Em virtude do fato de que tanto o valor de venda dos veículos quanto a alíquota cobrada por cada estado varia de um ano para o outro, é preciso consultar o valor que deve ser pago no ano vigente.

Para isso é preciso acessar o site do Detran específico de determinado estado, de posse do número referente ao documento do veículo que será cobrado o imposto para identificar o novo valor.

Em geral, existem situações de veículos que permitem descontos importantes neste montante a ser pago, como os seguintes:

· Redução de 1% da alíquota relacionada ao IPVA em São Paulo para veículos que usam como combustível gás natural veicular.

· Alíquota de 3,5% na Bahia para aqueles automóveis que utilizam diesel como combustível, a qual é 1% maior do que a praticada para os outros veículos.

· Em Goiás os automóveis que possuem motor de 1.0 litros pagam apenas 2,5% como alíquota relacionada ao IPVA.

Como realizar pagamento do IPVA

Quando se considera o pagamento do IPVA, estados como Santa Catarina, Espírito Santo e Sergipe tem as menores taxas, ao contrário de outras localidades como São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, que praticam a alíquota máxima nesta modalidade de imposto.

O período de pagamento desta obrigação é sempre nos primeiros meses de cada ano, com modalidade à vista, a qual geralmente apresenta descontos, ou de forma dividida em algumas parcelas.

Para conseguir pagar o IPVA de seu veículo basta ir em qualquer agência bancária ou correspondente deste tipo de estabelecimento com o número do RENAVAM respectivo para que seja feita a quitação de maneira única ou fracionada.

Existe ainda a alternativa de efetuar este pagamento de maneira online, utilizando os sistemas de internet banking dos diferentes bancos presentes no país, facilitando este processo.

Atividades necessárias quanto ao IPVA atrasado

O atraso no pagamento delimitado para o IPVA de determinado ano impede os proprietários de determinado veículo de pedirem o seu licenciamento, o qual, por sua vez, pode demandar multa e apreensão do bem considerado.

Nesta situação, caso este tipo de imposto de seu veículo esteja atrasado, você pode ir a uma agência bancária com o número de RENAVAM, pagando o valor inicial acrescidos de juros e correção monetária de acordo com o tempo de atraso.

Caso haja valores que superam um ano para pagamento do IPVA, é preciso antes ir na unidade do Detran mais próxima de sua cidade para uma negociação antes do devido pagamento bancário.

Conclusão

Assim, através das informações apresentadas neste artigo, sobre o processo de funcionamento do IPVA, ficou mais claro a sua dinâmica básica que deve ser seguida para quem possui um automóvel e precisa manter suas obrigações quanto a ele devidamente atualizadas.

Ana Camila Neves Morais


Valor do Seguro DPVAT 2017 – Tabela de Valores


Confira aqui o valor cobrado pelo Seguro DPVAT no ano de 2017.

Os valores do DPVAT, o seguro obrigatório, para o ano de 2017 serão reduzidos. Nesta quarta-feira, dia 21 de dezembro, foram publicados os valores no Diário Oficial. Quem possui carro, menos picape, irá pagar R$ 63,69. Já as motocicletas terão o valor de R$ 180,65. O custo ainda pode ser quitado em até três parcelas.

Segundo a Susep, a Superintendência de Seguros Privado, a redução nos valores de 37% aconteceu devido à quantidade de indenizações que foram pagas desde o ano de 2014, ou seja, diminuíram, inclusive em casos de invalidez.

Será cobrada ainda uma taxa para todas as categorias de R$ 4,15, para que seja emitido o seguro para os que optarem pelo pagamento em parcela única. Já para parcelamento do DPVAT a taxa a ser paga será de R$ 9,63.

Haverá também cobrança de IOF, o imposto sobre operações financeiras.

Confira a tabela do DPVAT 2017 (desconsiderando imposto e taxa):

– Motocicletas: era de R$ 286,75 e passou para R$ 180,65

– Automóveis: era de R$ 101,10 e passou para R$ 63,69

– Micro-ônibus e ônibus sem lotação de até 10 passageiros ou cobrança de frete, com cobrança de frete: R$ 152,67

– Ônibus e micro-ônibus com lotação de mais de 10 passageiros e cobrança de frete: R$ 246,23

– Ciclomotores com até 50 cc: era de R$ 130 e passou para R$ 81,90

– Caminhões e caminhonetes: era de R$ 105,81 e passou para R$ 66,66

O que é o seguro obrigatório DPVAT

O seguro Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestre – DPVAT cobre casos de invalidez permanente, despesas com assistências médica, morte ou assistências por lesões de gravidade menor causadas que sejam causadas por acidentes de trânsito no Brasil.

O seguro é obrigatório e recolhido anualmente para todos que possuem veículos automotores.

O vencimento do mesmo ocorre junto com o IPVA e o pagamento é necessário para o condutor licenciar seu veículo para o ano.

As vítimas e em caso de morte, seus herdeiros possuem um prazo de três anos depois do acidente para realizar a requisição do seguro. Informações sobre o DPVAT podem ser adquiridas através do telefone 0800-022-1204.

FILIPE R SILVA


IPVA atrasado poderá ser Negociado no RJ


Secretaria da Fazenda do RJ pode retirar multa e juros para quem negociar o pagamento do imposto atrasado.

A partir de quarta-feira (1º), já está disponível junto à Secretaria da Fazenda do Rio de Janeiro, a possibilidade de perdão de débitos do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) aos proprietários de veículos que ainda possuem inadimplência em multas e no atraso do imposto.

Para obter a regularização dos tributos, o programa “Recupera Rio de Janeiro” propõe que o proprietário veicular deve quitar suas pendências de forma integral ainda neste ano, para que tenha anistia plena de seus tributos, à vista ou parcelada. É possível ainda que o cidadão com situação irregular parcele seus tributos em até 12 vezes, sendo que o pagamento da última cota permite a regularização plena do veículo.

Segundo a Secretaria Estadual da Fazendo do Rio de Janeiro, estima-se que o programa “Recupera Rio de Janeiro” possa arrecadar uma alíquota de aproximadamente 380 milhões de reais em tributos em atraso, referentes ao período entre 2011 e 2015, incluindo os valores referentes a multas e juros. Diante da complicada situação econômica vivida pelo país ao longo desses últimos anos, inúmeros contribuintes deixaram de quitar seus débitos. Com essa crescente dificuldade da população em quitar seus tributos, o Governo do Estado do Rio de Janeiro abre esta oportunidade para que condutores possam regularizar seus débitos e ficar em dia com suas cotas do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).

Para aderir ao programa e para maiores informações, os condutores caracterizados por Pessoa Física devem acessar ao site da Secretaria Estadual da Fazenda do Rio de Janeiro (www.fazenda.rj.gov.br) e dar entrada à modalidade, disponível até o dia 31/10/2016.

Já na modalidade de Pessoa Jurídica, o interessado deve procurar uma Unidade da Secretaria da Fazenda de Atendimento, que será disponibilizada nos próximos dias pela Secretaria. O acesso é fácil e automaticamente o contribuinte seleciona a forma na qual deseja quitar seus tributos.

Trata-se de uma boa oportunidade para o cidadão que ainda possui débitos com o IPVA. O parcelamento das multas e juros permite um pagamento flexível, onde a renda mensal não será comprometida. É uma grande oportunidade para os contribuintes regularizarem sua situação junto à Secretaria da Fazenda. É importante ressaltar que a data é até o dia 30/10/2016.

Renan Pereira


IPVA BA 2016 – Como Pagar, Descontos e Parcelamento


Confira aqui mais informações sobre o pagamento do IPVA 2016 na Bahia.

Começo de ano é a hora ideal para colocar todas as contas na ponta do lápis e não deixar nada irregular. Um dos impostos que preocupa muitos contribuintes é o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores).

Em 2015, a Secretaria da Fazenda da Bahia divulgou a tabela de pagamento do IPVA 2016 e os contribuintes tiveram uma surpresa: Proprietários de automóveis pagarão cerca de 3% a menos do imposto este ano. A redução varia conforme o tipo de automóvel e em média representou 2,8% para motos, 2,7% para caminhões, 2,5% para ônibus e 2,8% para micro-ônibus.

O pagamento do IPVA é obrigatório e requer que todos os proprietários de veículos em circulação quitem esta obrigação. Ficam isentos do IPVA 2016 veículos com baixa cilindrada ou isento por idade.

Confira no post como não perder os prazos do pagamento do IPVA BA 2016!

Consulta IPVA BA 2016:

É importante não perder os prazos e não deixar passar a oportunidade de realizar o parcelamento. Existe também a possibilidade de pagar à vista e por isso acompanhar os prazos se torna importante, uma vez que é com base nas datas estabelecidas que você garante o desconto.

O IPVA BA 2016 é cobrado uma vez no ano e atualmente pode ser realizado o pagamento em até três vezes sem juros, o que torna tudo mais acessível e facilitado.

A Guia de Recolhimento do IPVA já pode ser emitido pela internet, o que economiza tempo, além do proprietário do veículo poder se manter informado a respeito dos prazos de pagamentos.

O DETRAN da Bahia disponibiliza no site www.sefaz.ba.gov.br um calendário com todas as informações sobre o pagamento do IPVA 2016, a tabela é composta pela definição dos prazos de pagamento de acordo com o final da placa de cada veículo.

O pagamento do IPVA BA 2016 poderá ser efetuado em cota única com desconto de 10% até o dia 05/02/2016 ou em até 3 cotas, sem a incidência de desconto. É importante ressaltar que o pagamento deve ser efetuado dentro do prazo de vencimento, caso contrário, o contribuinte ainda pagará multas se ficar com seu veículo circulando irregularmente.

Gostou do post? Compartilhe conosco sua opinião!

Por Carla Geremias


DPVAT 2016 – Valor e Como Pagar


Confira aqui mais informações sobre o pagamento do DPVAT 2016.

Com o início do ano, as pessoas já ficam preocupadas com a obrigatoriedade de pagar os mais variados impostos estipulados pelo poder público. Um dos impostos que não fogem desta lista é o Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT).

O valor do seguro DVAT neste ano de 2016 não sofrerá nenhum reajuste, sendo que o valor cobrado será de R$ 105,65 para automóveis, R$ 292,01 para motocicletas, R$ 110,38 para caminhões e caminhonetes, R$ 396,49 para os ônibus e micro-ônibus com cobrança de frete e lotação de mais de 10 passageiros e R$ 247,42 para os ônibus e micro-ônibus sem cobrança de frete ou com lotação de até 10 passageiros com cobrança de frete.

A grande novidade ficou por conta dos ciclomotores de até 50 cilindradas, os quais terão que pagar o seguro, tendo em vista que foi criada uma nova categoria que contempla os ciclomotores de até 50 cilindradas, o valor do seguro para as conhecidas “cinquentinhas” ficou inferior ao valor cobrado pelas motocicletas de maior porte e ficou fixado em R$ 134,66.

O pagamento do seguro DPVAT é feito anualmente e é obrigatório para todos os proprietários de veículos automotores, a data do seu vencimento é junto com a data do vencimento do IPVA, o pagamento do DPVAT é um dos requisitos exigidos pelo poder público para que os proprietários de veículos obtenham o licenciamento anual dos seus veículos.

O seguro DPVAT é muito importante, pois ele ampara os cidadãos nos casos de morte, invalidez permanente ou até mesmo com as despesas oriundas de assistências médicas e suplementares por lesões menos graves causadas por acidentes de trânsito em todo território nacional.

No caso de acidente com vítimas fatais, o seguro possui um teto máximo de R$ 13.500. Para as pessoas que sofrerem lesões permanentes, o valor do benefício pode chegar até os R$ 13.500 e para cobrir despesas de reembolso médico hospitalar o valor pode chegar a R$ 2.700.

O prazo para o requerimento do seguro no caso de morte é de 3 anos após o acidente, para maiores esclarecimentos sobre as questões envolvendo o seguro DPVAT é disponibilizado o seguinte telefone: 0800 022 1204.

Por Adriano Oliveira


Carros com motor 1.0 terão aumento no IPI para 41% em Julho de 2014


Em dezembro, o governo editou o decreto 8.168 no Diário Oficial da União. Tal medida confirma o aumento das alíquotas do imposto sobre os Produtos Industriais (IPI), incidente nos automóveis a partir deste mês de janeiro de 2014, conforme foi previsto por Guido Mantega, ministro da Fazenda.

De acordo com a tabela do decreto, a alíquota para os veículos com até 1 mil cilindradas (1.0) passa a ficar em 33% no dia 01 de janeiro. Essa alíquota permanece até o dia 30 de junho de 2014.

No dia 01 de julho de 2014, o IPI sobre os automóveis 1.0 fica em 37%, número que volta ao patamar anterior aos incentivos do governo para o segmento. Naquela época, a alíquota do IPI para os carros populares chegou a ser de 7%. O Diário Oficial da União aponta que a alíquota voltará a ser de 7% em janeiro de 2018.

Os carros de 1.0 a 1.5 cilindradas passam a ter alíquota do IPI de 39% no dia 01 de janeiro a 30 de junho de 2014. No dia 01 de julho, a alíquota aumenta para 41% e vale até o dia 31 de dezembro de 2017.

IPI.

Ford F-150 em Detroit

A Ford vai mostrar sua nova caminhonete F-150 2015 em algumas semanas, no Salão do Automóvel de Detroit 2014. A informação foi divulgada pelo site Bloomberg.

Segundo a publicação, algumas fontes próximas da marca afirmam que o modelo chega com um visual do conceito Atlas (foto). O F150 também chegaria com painéis de alumínio na sua carroceria.

Isso faria, provavelmente, que a F-150 ficasse 340 kg mais leve. O propulsor do modelo deverá ser o EcoBoost de 2.7 l, que foi desenvolvido recentemente, o qual será acoplado a uma transmissão automática de 10 velocidades.

Outra novidade também pode ser uma nova tecnologia híbrida disponível no modelo para permitir que a Ford atenda os padrões rigorosos de economia de combustível dos Estados Unidos.

Os boatos dão conta que a montadora já começou a fazer os protótipos e inicia a produção do modelo de ano 2015 no segundo semestre do ano que vem.