Virtus e Polo, da Volkswagen, são desenvolvidos em versões especiais para pessoas com deficiência (PcD).

Diversas montadoras ao redor do mundo estão se organizando para que consigam atender aos mais variados públicos de consumidores dos seus modelos, inclusive o público portador de necessidades especiais, conhecidos pela sigla PCD. Este público em específico possui o direito, o qual é dado pelo Governo Federal, para que possam adquirir veículos zero km isentos de impostos, tanto do tributo federal IPI, como do ICMS, que é estadual, com versões específicas dos modelos disponíveis pelas marcas. Sendo assim, agora chegou a vez do Virtus e do Polo receberem configurações destinadas a tal público. Para ambos os modelos, o valor que são encontrados nas concessionárias é de R$ 69.990.

Os dois veículos têm como base o catálogo melhor equipado da configuração MSI da VW. Entretanto o motor de cada um não é igual. O modelo que possui carroceria hatch conta com um propulsor turbo de 1.0 litros, que possui a capacidade de gerar uma potência de 128 cavalos, por outro lado a carroceria sedã já vem dotado com um motor de 1600 cc, aspirado e que consegue produzir uma potência de até 120 cavalos. Em ambos os casos a transmissão é automática e com seis velocidades.

Pacote de itens novos nas versões do Virtus e do Polo

De série, a lista de itens desta respectiva dupla é bem robusta. Ambos contam com ar-condicionado, direção elétrica, vidros elétricos em suas quatro portas, computador de bordo e travas elétricas, o que é tratado pela marca como praticamente elementos básicos e indispensáveis. Entretanto ainda existem mais coisas nessa lista. Ainda se pode citar os para-sóis iluminados tanto para o motorista quanto para o passageiro, chave do tipo canivete e com controle remoto, retrovisores elétricos, regulagem para a altura do banco do condutor e suporte para celular em seu painel equipado com uma porta USB.

A central multimídia dos modelos possui um display que é sensível ao toque com tamanho de 6,5 polegadas, além de uma aplicação que realiza a conexão com smartphones, sejam eles Android ou Apple. Também existem controles de tração e de estabilidade, além de um assistente para partidas quando os veículos estiverem em rampas.

As rodas dos modelos são as responsáveis por dar um toque bem despojado aos carros. Mesmo que elas não tenham nada em liga leve, elas são confeccionadas em aço mesmo. Entretanto diversas outras montadoras economizam neste elemento quando se trata de veículos em versões PCD. Ainda existe um outro detalhe, o consumidor que se enquadra como PCD e deseja adquirir um dos modelos só poderá escolher entre as cores branca, vermelha e preta, sendo todas elas sólidas.

De acordo com informações da montadora alemã, as vendas de ambos os modelos irão iniciar no mês de fevereiro do ano que vem.

É recente o flerte da montadora com o público PCD

A montadora germânica Volkswagen está entre as últimas empresas de grande volume que acabou acordando e se ligou para o segmento de carros PCD. A marca, até o ano de 2018, quase não possuía produtos adequados, que tinham transmissão automática e que estivessem na faixa abaixo do valor que é considerado o teto legal, dos R$ 70 mil, exigência necessária para que se tenha a isenção do tributo estadual do ICMS. Caso o veículo esteja acima do valor mencionado, o cliente poderá apenas requerer desconto do tributo federal, IPI.

Hoje em dia, a empresa conta outras versões que também se encontram aptas a serem comercializadas com o desconto de ambos os tributos, são elas o Virtus, o Polo, o Fox e os já antigos de mercado Voyage e Gol, todos equipados com transmissão automática.

Por Filipe Silva

Volks Polo PcD

Volks Virtus PcD

aaa

Modelo foi apresentado no Salão de Genebra e irá integrar a gama de veículos da Volkswagen no Brasil.

Durante a apresentação oficial da Volkswagen no Salão de Genebra, dia 07 de março, a montadora alemã fez um grande anúncio e pegou muita gente de surpresa: a marca está preparando uma grande novidade para o mercado brasileiro. O mais novo sedan da marca alemã que irá integrar o mercado brasileiro se chamará Virtus. A apresentação foi feita por Herbert Diess, presidente do conselho de administração da Volkswagen. O que ficou evidente é que o Virtus não deverá ser uma adaptação de um sedan já disponível em outro mercado e sim algo totalmente novo.

Muito pouco foi divulgado sobre esta grande novidade da marca alemã para o mercado brasileiro. Por isso, já começam as especulações em relação ao lançamento aqui destacado. As poucas imagens oficiais divulgadas mostram que o automóvel deverá ser construído com a mesma plataforma do Golf, conhecida como MQB. A diferença é que o Virtus deve apresentar uma versão mais encurtada dessa plataforma, também conhecida como MQB A1 e que fará parte do Polo europeu e brasileiro.

Detalhes em relação à motorização que irá compor o Volkswagen Virtus ou até mesmo sobre preços quando comparados com aqueles que já são vendidos no Brasil, não foram divulgados pela empresa alemã. Porém, sabe-se que a Volkswagen tem um projeto bastante antigo que visa desenvolver um sedan para colocá-lo no mercado numa faixa de preço entre o Voyage e o Jetta atuais.

Segundo destaca Herman Heiss, diretor-geral de carros da Volkswagen, esse é o primeiro projeto da plataforma MBQ direito ao Brasil. O principal objetivo é voltar a ganhar força no mercado brasileiro, haja vista a busca por sedans estar crescendo cada vez mais.

Vale ressaltar que a MQB, atual plataforma do Golf, é uma das grandes apostas da Volkswagen. Saiba que a mesma dará origem a, no mínimo, outros dois automóveis. O principal destaque ficará com o novo Gol, haja vista que o mesmo deverá passar por mudança no tamanho em sua próxima geração.

Além disso, a montadora alemã também deve desenvolver uma picape com base na plataforma MQB. O principal objetivo, neste caso, é competir diretamente com as boas vendas registradas pela Fiat Toro. Além disso, pelo menos um SUV também deve cegar ao mercado brasileiro com base nesta plataforma.

Por Bruno Henrique

Volkswagen Virtus

aaa



CONTINUE NAVEGANDO: