Challenger, Camaro e Mustang enfrentam testes de colisão


Esportivos que deveriam apresentar mais segurança não se saem bem nos testes

Os testes de colisão foram feitos pela IIHS a organização é independente e financiada por seguradoras.

Para quem acreditava que os chamados “muscle cars” se dariam bem nos testes teve suas surpresas. Além do desapontamento eles nem sequer conseguiram o título de veículos seguros. As informações são do IIHS. De acordo com o órgão para ser classificado como seguro o carro precisa passar pelos testes de colisão frontal em velocidade reduzida e moderada, na contenção de cabeça nos bancos, na resistência do teto e no impacto lateral. No mais ainda precisa contar com sistemas básicos de segurança para a prevenção de acidentes.

Dentre os analisados o Mustang foi o que mais se aproximou dos requisitos exigidos. O que faltou foi uma nota melhor para o teste de colisão parcial reduzida. No teste apenas 25% da frente do carro é atingida simulando uma batida com uma árvore ou poste.

No mesmo quesito o modelo da Ford obteve a classificação de aceitável.

O Camaro por sua vez também chegou apenas a nota de ser aceitável no caso da resistência do teto. Mas pecou em outros aspectos tais como as tecnologias básicas para a prevenção de acidentes. Em contrapartida ela foi o único bem avaliado na colisão simulada com uma batida em poste.

De todos, o Challenger foi o que teve pior desempenho. A nota obtida no teste de colisão frontal nem sequer é digna de nota. Para se ter Ideia da situação para que o boneco usado nos testes pudesse ser retirado foi preciso desparafusar as pernas dele. Mesmo assim, duas classificações “aceitáveis” foram conquistadas pelo modelo na parte de contenção das cabeças e bancos e do teto.

De fato havia a expectativa de que modelos mais potentes fossem melhores nesses pontos uma vez que são construídos para atingirem grandes velocidades. As versões que foram analisadas pelo IHSS eram todas equipadas com motores V8.

Dado o fato de que carros esportivos apresentam um alto número de acidentes. É de extrema importância que eles ofereçam aos condutores o máximo de segurança possível de acordo com Adrian Lund, presidente do IIHS.

O instituo ainda ressaltou que não costuma fazer testes com modelos esportivos até porque eles representam uma fatia menor do mercado. Mas que a decisão de avaliar esses modelos foi motivada pelo fato de que os esportivos geram mais gastos para as seguradoras.

Por Denisson Soares


Ranger 2017 é três estrelas no Latin NCAP


Não vai demorar muito para que logo esteja presente nas ruas do Brasil, oficialmente a informação que se tem é de que a estreia nas concessionárias da picape média Ford Ranger deverá acontecer entre março e abril. Os preços iniciais vão partir dos R$99.500. Mas esse não é o tema principal de nosso artigo. Hoje vamos falar sobre os resultados conseguidos pelo modelo nos testes do Latin NCAP (programa de segurança viária para América Latina e Caribe). Mas logo de cara podemos adiantar que a já conhecida picape conseguiu um desempenho mediano na primeira bateria de testes (7° fase).

Mas porque tantos comentários sobre o teste. Bom, isso pode ser explicado pelo fato de que estes são os primeiros resultados obtidos desde que houve a modificação em que as novas normas de avaliação começaram a serem usadas. Esse fato acabou por dificultar para que os carros conseguissem alcançar as notas mais altas que no caso eram quatro e cinco estrelas. Um dos detalhes é que a partir de agora para participar dos testes o item de controle eletrônico de estabilidade precisa estar presente obrigatoriamente.

Então vamos aos pontos que foram analisados.

Em primeiro lugar algo que chamou a atenção foi a “derrapada” da picape justamente porque o modelo usado não dispunha do controle de estabilidade na versão que foi usada nos testes. Outro fator que comprometeu as notas foi a reprovação no teste de colisão contra poste.

Vale chamar a atenção para o fato de que a Ranger usada foi a versão de cabine dupla que é comercializada apenas fora do país. E elas, claro, não contavam com o dispositivo. Já no Brasil, a fabricante informa que o sistema está presente de série em todas as versões.

Pelo sim ou pelo não o fato é de que a falta do sistema acabou fazendo com que a picape não conseguisse ultrapassar as três estrelas para o caso da análise para adulto e de quatro para a análise de crianças.

 

A principal rival da Ranger, a Hilux, alcançou as cinco estrelas com toda pompa possível. Mas aqui tem um, porém, essas cinco só foram possíveis quando o critério antigo ainda era usado.

Por Denisson Soares


Lista dos Carros Mais Seguros do Brasil segundo Testes da Latin NCAP


Confira aqui a lista com os carros mais seguros vendidos no Brasil segundo os testes realizados pela Latin NCAP.

O Latin NCAP, que verifica a segurança de veículos da América Latina e do Caribe, fez mais de 50 observações com veículos que são vendidos em muitos países pelo mundo. Nesta matéria você vai encontrar uma lista com os carros que são vendidos no Brasil dos mais seguros para os menos. O ranking aponta o preço e as notas que foram dadas para a segurança para os adultos e crianças.

Os 05 carros mais seguros do Brasil:

  • VW Golf com preço de R$ 76.790: Nota de 16,56 e cinco estrelas para adultos. Nota de 44,3 e cinco estrelas para crianças.
  • Honda HR-V com preço de R$ 73.700: Nota de 16,70 e cinco estrelas para adultos. Nota 43,30 e cinco estrelas para crianças.
  • Jeep Renegade com preço de R$ 68.900: Nota 16,12 e cinco estrelas para adultos. Nota 43,54 e cinco estrelas para crianças.
  • Honda City com preço de R$ 55.300: Nota 16,08 e cinco estrelas para adultos. Nota 41,81 e quatro estrelas para crianças.
  • Honda Fit com preço de R$ 52.700: Nota 16,26 e cinco estrelas para adultos. Nota 39,48 e quatro estrelas para crianças.

* Os testes foram feitos com colisões frontais com uma velocidade de 64 km/h.

Nos modelos que foram testados pelo Latin NCAP e mencionados nesta matérias, os veículos compactos e aqueles com preços menores (ou de entrada) são os menos seguros para os seus ocupantes. O ranking feito pela empresa de segurança faz os testes apenas com os automóveis que são disponibilizados pelas montadoras na sua linha de produtos novos.

Depois que aconteceu o fato de airbags frontais e os freios ABS serem obrigatórios, nenhum carro levou zero estrela, segundo os dados do Latin NCAP.

Quais foram os carros menos seguros?

O primeiro lugar ficou com o JAC J3. O modelo levou a nota de 3,50 e uma estrela para adultos. Para crianças a nota foi 13,03 e duas estrelas. Depois aparecem o Nissan March (02 estrelas para adultos e uma para crianças), Volkswagen Gol (03 estrelas para adultos e 02 para crianças), Chevrolet Onix (03 estrelas para adultos e 02 para crianças) e o Citroën C3 (04 estrelas para adultos e 02 para crianças).