Cartão de Estacionamento para Idosos em São Paulo – Como solicitar


Quem quiser adquirir o Cartão de Estacionamento para Idosos deve seguir alguns passos.

O cartão para estacionamento de idosos, criado no ano de 2010, pela Prefeitura de São Paulo tem como objetivo garantir uma autorização especial para que os idosos possam estacionar seus veículos em locais específicos. As pessoas que possuem mais de sessenta anos, que dirigem ou são passageiras, podem solicitar este cartão.

Para solicitar este benefício as pessoas devem seguir este passo a passo:

1º Acessar o site do Sistema Unificado de Autorizações Especiais SUAE e fazer um cadastro como Requerente, marque a opção pessoa física.

2º Registrar os dados como usuário, iniciando com o registro do cadastro de pessoa física (CPF). Criar uma senha, lembrando que a senha tem que ser formada por no mínimo quatro caracteres e no máximo oito, é recomendável a utilizar letras e números e evitar datas de alguma ocasião especial, como datas de nascimento. Prestar atenção também se ao digitar a senha, as letras estão maiúsculas ou minúsculas, estes dados serão computados.

3º Pedir um requerimento na categoria Idoso, somente nesta categoria se terá acesso ao cartão. Lembrando que existem condições especiais, para este pedido, como: ter mais de sessenta anos e residir no município de São Paulo.

4º Fazer uma cópia dos seguintes documentos: uma cópia de um documento que apresenta o número do CPF (como RG, CNH ou outros). Comprovante de residência, que prove que o requerente more em São Paulo, a cópia apresentada tem que ter sido emitida no máximo um mês antes do requerimento. Após a obtenção destas cópias, o solicitante deverá encaminhar o requerimento impresso e assinado por ele, junto as cópias, para a Caixa Postal 11.400 – CEP 05422-970. Caso o solicitante prefira, ele pode ir até a sede do DSV – Autorizações Especiais, que fica na Rua Sumidouro, número 740, bairro Pinheiros, próximo à Estação Pinheiros da linha 4, amarela do metrô. O funcionamento do DSV é de segunda a sexta-feira, no horário das oito da manhã até às cinco horas da tarde, o órgão pede o prazo máximo de quinze dias, para análise e aprovação da carteira. As pessoas que possuem algum tipo de deficiência, como auditiva ou de visão, devem comparecer pessoalmente à sede da DSV para fazer a solicitação. Lembrando que estas informações descritas acima, são para pessoas que vão fazer o requerimento pela primeira vez.

Para acompanhar a situação do pedido do cartão, o solicitante pode verificar o sistema. Basta acessar: www3.prefeitura.sp.gov.br/st1656_internet/PaginasPublicas/Home.aspx e acompanhar o status do pedido. Já as solicitações feitas pelos Correios, se o pedido for sinalizado como “deferido” o requerente deve aguardar, pois o cartão será enviado pelos Correios.

Este benefício tem algumas vantagens e exigências. O cartão é válido em todo o território nacional, validade de cinco anos, poderá ser usado em qualquer veículo, independente se o requerente for motorista ou passageiro, o cartão também será válido em vagas de estacionamentos de shopping center, bancos, supermercados dentre outro. Já as exigências são: em caso de roubo é preciso fazer um Boletim de Ocorrência em alguma delegacia, o cartão só poderá ser utilizado pelo titular e só os originais serão aceitos. Para mais informações entre em contato com a Prefeitura de São Paulo pelo telefone (11) 3030 2422 ou envie um e-mail para dsvaeidoso@prefeitura.sp.gov.br.

Por Isabela Castro

 

Cartão de Estacionamento do Idoso


IPVA SP 2016 – Calendário de Pagamento e Tabela dos Valores Venais


Governo de São Paulo divulga Calendário e Valores Venais dos Veículos para o IPVA 2016.

Foi divulgada pelo Governo do Estado de São Paulo, no último dia 28 de novembro, a tabela com os valores venais dos veículos para que os proprietários de veículos automotores possam realizar o cálculo relativo ao Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). O governo estadual disponibilizou o endereço eletrônico www.imprensaoficial.com.br para que os motoristas possam fazer as consultas, sendo que para realiza-las é necessária a utilização de dados que constam no documento do respectivo veículo a ser consultado.

O imposto neste ano de 2016, no estado de São Paulo, terá uma média de redução de 3,3% e a cobrança do imposto iniciará no dia 11 de janeiro e segue conforme o calendário definido pelo governo.

Segundo dados obtidos pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), dados estes obtidos através dos valores de mercado referentes ao mês de setembro de 2015, foi constatado um decréscimo nos preços de comercializações de caminhões usados, que representam recuo de 3,76%, já os automóveis e os utilitários também tiveram reduções, sendo que respectivamente foi verificado um recuo de 3,4% e 3,28%.

Como já há definição do calendário, os contribuintes que quiserem quitar o imposto em cota única no mês de janeiro poderão fazê-lo com desconto de 3%. Já aqueles que preferirem poderão fazer o parcelamento do tributo em até três parcelas, sendo que estas terão vencimento nos meses de janeiro, fevereiro e março, conforme o número do final da placa de cada veículo.

Os contribuintes que não puderem quitar o valor integral do imposto no mês de janeiro irão ter a opção de quitá-lo integramente também no mês de fevereiro, contudo, sem o desconto de 3%.

A taxa relativa ao seguro obrigatório DPVAT deve ser paga integralmente junto com a primeira parcela do IPVA ou junto com a cota única. Vale salientar que o parcelamento do seguro obrigatório só será disponibilizado para os proprietários de motos e similares, vans, ônibus e micro-ônibus, sendo que do mesmo modo as parcelas deverão ser recolhidas conforme o calendário de vencimento do IPVA.

Veja abaixo a tabela com o calendário de pagamento do IPVA 2016 para o estado de São Paulo:

Por Adriano Oliveira


Fiscalização das Motos será Intensificada em São Paulo


Radares pistola começarão a multar motociclistas que trafegam pelas pistas expressas e também quem ultrapassa o limite de velocidade.

Os motociclistas devem ficar atentos, a partir do dia 10 de Setembro a fiscalização das motos será intensificada nas marginais Tietê e Pinheiros, a informação já foi confirmada pela Prefeitura de São Paulo.

Como funcionará?

De acordo com as informações divulgadas, a fiscalização será feita através dos radares pistola, que serão manuseados por agentes da CET e pelos GCM (Guardas Civis Metropolitanos).

Os radares pistola tinham o objetivo de multar o motociclista que trafegava pela pista expressa da Marginal, agora ele irá fiscalizar também a velocidade das motos.

A mudança pretende corrigir a falha dos radares atualmente instalados, pouco mais da metade deles é capaz de identificar a placa traseira das motos, o que acaba dificultando a aplicação da penalidade e deixando muitos motociclistas impunes.

Os agentes já estão em treinamento para aprender a operar manualmente os medidores portáteis que ainda estão em fase de testes.

Inicialmente, a operação irá contar com 10 equipamentos e terá foco nos motociclistas que estiverem acima do novo limite de velocidade estabelecido. A pretensão é de que os radares pistola sejam utilizados em 35 pontos nas vias Marginais e Pinheiros.

Segundo o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, a implantação da medida “visa também proteger a vida do motociclista, que é a segunda maior vítima do trânsito de São Paulo".

Após a redução da velocidade nas Marginais, a CET divulgou que houve uma baixa no número de acidentes em comparação ao mesmo período de 2014, as mudanças de velocidade são parte do Programa de Proteção à Vida, criado pela Prefeitura de São Paulo, que pretende aumentar a segurança para usuários e incentivar o melhor compartilhamento do espaço urbano, regulamentando a velocidade de aproximadamente 50 km/h como limite oficial em praticamente todas as avenidas e principais corredores da cidade de São Paulo.

A medida começará a valer nesta semana, na quinta-feira, dia 10.

 Por Beatriz Duarte


Novos Padrões de Velocidade para as Vias de São Paulo


Novos limites de velocidade já estão valendo para as Marginais Pinheiros e Tietê. Nos próximos meses a Prefeitura deverá alterar o limite de velocidade de outras vias da Capital Paulista.

A Prefeitura de São Paulo deverá anunciar em breve novos padrões de velocidade para o Corredor Norte-Sul, que engloba as Avenidas Tiradentes, Santos Dumont, 23 de Maio, Prestes Maia, Moreira Guimarães, Rubem Berta, entre outras. Isso faz parte de um projeto que vai reduzir os limites de velocidade de algumas das vias da capital paulista.

No mês de setembro, segundo o jornal Estado de São Paulo, trechos deste corredor contarão com a velocidade máxima em 60 km/h (para locais que não haja faixas exclusivas de ônibus instaladas). Caso as faixas de ônibus estiverem presentes, o limite para os veículos nestes trajetos será de 50 km/h.

No dia 20 de julho entraram em vigor os limites novos vinculados para as marginais Pinheiros e Tietê. Agora, as pistas contam com a velocidade máxima em 70 km/h (expressas) e 50 km/h (locais). Para o dia 03 de agosto deve entrar em vigor o limite de velocidade de 50 km/h para as avenidas Aricanduva e Jacu-Pêssego. Anteriormente, o limite para esses trechos era de 60 km/h.

Foto: Luiz Guarnieri/AE

Rapidinhas do Carro Bonito

No dia 21 de julho foi lançada pela Ford a nova versão da F-150 para a linha 2016: a Limited. As vendas são apenas para os Estados Unidos. O anúncio aponta que essa nova versão contará com novos itens com o intuito de fornecer melhor conforto e luxo para os clientes da marca.

Entre as novidades estão o sistema de som com dez alto-falantes da marca Sony. Ele atua junto com a central de informações e entretenimento, a qual conta com o sistema Sync 3 da Ford.

O modelo será vendido no mercado norte-americano com um motor EcoBoost 3.5 V6, com uma potência total de 365 cavalos e torque de 58,08 kgmf. A capacidade de reboque do modelo é de 4.581 kg. A F-150 2016 contará com um câmbio automático de seis velocidades.

A previsão é que as vendas do modelo sejam iniciadas nos últimos meses deste ano de 2015 nos Estados Unidos.


SP pode aplicar Multa para Quem Lavar o Carro com Água Tratada


Em meio à crise hídrica que toma conta do Estado de São Paulo, o governo local, em conjunto com os governos municipais, vem tomando várias medidas que visam conter a crise. A Câmara Municipal de São Paulo, por exemplo, aprovou na última quarta-feira (4) o projeto de lei 529/2014. Esse projeto tem como objetivo uma multa de R$ 1.000 para aqueles que forem pegos utilizando água tratada (própria para o consumo) para lavar calçadas ou carros.

O projeto de lei já foi aprovado em sua primeira votação, porém, precisa da aprovação em plenário em segunda votação para que possa entrar em vigor.

Apesar da aprovação, muitos vereadores se mostraram insatisfeitos e constrangidos em aprovar uma multa. Por isso, é esperado que o texto seja amenizado nas discussões da próxima semana. Dessa forma, é possível que o valor da multa seja reduzido ou até mesmo excluído do texto.

Segundo o presidente da Câmara Municipal de São Paulo, Antônio Donato, após a aprovação na primeira votação o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, deverá enviar sugestões que poderão ser anexadas ao texto.

O projeto de lei é resultado de uma CPI elaborada pela Sabesp com o objetivo de conter a crise que se espalha por todo o Estado de São Paulo. O projeto de lei 529/2014 tem por objetivo a multa de R$ 1.000 para quem for pego lavando seu carro ou calçada com água tratada. Vale ressaltar que, segundo o texto, a cada reincidência o valor da multa deve dobrar. O texto também destaca que em municípios que utilizam água de poço ou reúso, o cidadão deverá comprovar a origem da água.

No entanto, é esperado que o valor de R$ 1.000 na primeira infração seja amenizado. O grande motivo disso é a proposta que deve ser enviada pelo prefeito de São Paulo.

"A proposta do prefeito é que não se multe imediatamente, mas que na primeira infração se dê uma advertência por escrito acompanhada de material educativo. Essa lei tem de ser educativa. Depois numa segunda infração multa-se em R$ 250 e numa terceira em R$ 400, em uma quarta R$ 750 e em uma quinta R$ 1 mil.", destacou Arselino Tatto, líder do governo.

Por Bruno Henrique