Novo Mitsubishi EX Concept é apresentado no Salão de Tóquio 2015


Carro autônomo e elétrico deve substituir o ASX no próximo ano.

Ainda não colocado no mercado, mas já exposto como protótipo no Salão do Automóvel de Tóquio, o Mitsubishi EX Concept traz grandes mudanças promovidas pela montadora japonesa. A 44ª edição do Tokyo Motor Show recebeu o que deve ser o modelo da Mitsubishi ASX a partir do próximo ano. O veículo manterá a sua essência SUV, porém, passará a ser elétrico e ter estilo inspirado em shooting brakes. O desenho é baseado em carros que são peruas montadas sobre esportivos de duas portas. Além disso, terá comandos independentes da ação do condutor. As alterações formam o conceito EX apresentado pela marca.

A maior mudança da atualidade para o lançamento de 2016 é sem dúvida a troca do motor tradicional a base de gasolina pelo totalmente elétrico. Entre as poucas informações até então divulgadas pela montadora, foi feito o esclarecimento de que a tração será totalmente feita por dois propulsores elétricos, equivalentes a 95CV de força cada. As baterias, localizadas na parte inferior do veículo, garantem autonomia de até 400 quilômetros. Na comparação com o modelo atual, a autonomia em distância não se faz um diferencial, porém, a energia é muito mais limpa e barata, além de renovável.

Ainda não se sabe se o sistema de condução autônomo do EX dirigirá o carro por um período de tempo estimado pelo computador de bordo ou se apenas será um sistema de segurança. No momento, tais sistemas já são consolidados em realizar frenagem por percepção de perigo de batida. Mas apresentações de direção própria por parte do veículo por longos espaços de tempo já foram exibidas. A Mitsubishi não revelou mais detalhes sobre a função.

Em relação à ASX que roda hoje, o interior apresentado mostrou um design futurista e limpo, com pouco espaço de painel de uso. Os botões diminuíram bastante enquanto as telas e comandos touchscreen aumentaram na mesma proporção.

Bruno Klein


Novo Nissan IDS – Lançamento no Salão de Tóquio 2015


Novo veículo autônomo e elétrico surpreende os visitantes do Salão de Tóquio 2015.

Autonomia. Esta é a palavra que mais tem aparecido no noticiário de tecnologia. E não seria diferente no setor automotivo. Na última quarta-feira, 28, a Nissan fez cair queixos no Salão do Automóvel de Tóquio. A empresa japonesa lançou o IDS, que na verdade é muito mais que um carro, é um conceito. O IDS é um veículo autônomo e totalmente elétrico.

Ao entrar no carro, o motorista tem a opção de recolher o volante e rodar sem dirigir e sem se preocupar, é claro. Caso o usuário prefira um passeio calmo, que permite observar as paisagens, isso será possível. E se estiver com pressa, o carro também será capaz de buscar atalhos e andar com mais velocidade. Em outras palavras, o veículo é guiado de acordo com o perfil de seu dono.

Se o piloto for humano, a inteligência artificial continua atenta. Por meio de sensores, o veículo é capaz de detectar perigos e realizar manobras evasivas diante de uma situação perigosa, como óleo na pista ou um veículo descontrolado à frente.

Com toda essa tecnologia, a Nissan não podia deixar de pensar em uma das características principais quando o assunto é facilitar a nossa vida: conforto. O painel pode ser transformado em uma central multimídia, que atende por meio de toques ou gestos e é capaz de reproduzir vídeos, fotos e músicas. As quatro poltronas, como se não bastasse, também podem se inclinar para o interior do carro, criando um ambiente que lembra uma sala de estar.

Tudo isso revestido em fibra de carbono, que não cuida bem só de quem está dentro. O IDS também possui a tecnologia Piloted Park (que permite ao veículo ser controlado por smartphone ou tablet) e o Intention Indicator (que faz com que uma faixa de luzes de LED esteja presente ao longo do carro e que brilhe quando um pedestre passe). Tecnologia, conforto e segurança que sacudiram o setor automotivo.

Vinícius Oliveira


Novo Honda FCV Clarity – Apresentação no Salão de Tóquio 2015


Novo carro será lançado no Japão em março de 2016. Estados Unidos e Europa também podem receber o carro em breve.

O incrível Salão de Tóquio trouxe para o mundo muitas novidades tecnocientíficas que irão redimensionar o Universo dos Automóveis. No evento, tem-se destacado modelos que liberam água ao invés de gases poluentes, com uma recarga rápida e mais autônomo e ainda salientam que o hidrogênio poderá ser o combustível do futuro. Dentre as marcas, a Honda e a Toyota foram as empresas que sairam na frente nesta corrida automobilística.

O monstruoso Clarity Fuel Cell, da empresa Honda, começará a ser comercializado em território japonês em março de 2016, inicialmente para empresas e governos, por cerca de duzentos e quarenta e seis mil reais. De acordo com a Honda, o Clarity terá uma incrível potência para andar até setecentos quilômetros com uma carga.

Os Estados Unidos da América e o Continente Europeu serão também mercados consumidores onde será possível comprar o novo modelo de células de combustível de hidrogénio. No entanto, a Honda salientou que os compradores desses mercados terão que esperar até 2017 para poderem adquirir o monstro futurístico FCV Clarity.

O FCV Clarity é impulsionado por um motor elétrico. A estrutura das células de combustível foi reduzida em 33%, que permite ao FCV Clarity ser o primeiro modelo de hidrogênio em que o motor e as células de combustível estão colocados na área do propulsor. De acordo com a Honda, o novo modelo permite uma autonomia de 700km e pode ser reabastecido de hidrogénio em poucos minutos. O modelo japonês ainda permite produzir eletricidade às residências, como uma fonte de geração de emergência.

Para que a tecnologia de hidrogêneo possa se desenvolver, é necessário sedimentar infra-estruturas de carregamento. Recentemente, a Honda abriu uma estação de produção de hidrogênio que opera a energia solar e consegue produzir 20 toneladas do elemento por ano. Esta estrutura será o ponto de partida da criação de uma infraestrutura no Reino Unido para o desenvolvimento deste tipo de carro e que está inserido no programa governamental UKH2Mobility.

Felipe Pancheri Colpani