Recall do Porsche Cayenne no Brasil – Problema no Freio


Modelos convocados foram fabricados entre 2010 e 2016.

A montadora alemã Porsche realizou um anúncio para informar seus clientes sobre o recall do modelo Porsche Cayenne, os quais foram produzidos entre os anos de 2010 e 2016, em todo território brasileiro, por um possível defeito encontrado no sistema de freio do veículo.

A empresa fabricante informou que há a possibilidade da presilha que suporta o mancal dos pedais escapar, liberando desta forma o pedal de freio.

Conforme o pronunciamento feito pela Porshe, os modelos que estão com o referido defeito foram confeccionados entre o dia 15 de janeiro de 2010 e 11 de janeiro deste ano (2016).

Os chassis que se enquadram nesse recall iniciam no BLA00152 e vão até o GLA94712.

Os proprietários dos veículos que possuem tais numerações de chassis terão de agendar em uma concessionária Porsche de sua escolha a verificação dos veículos e, caso seja necessário, deverá ser feita a instalação de uma nova presilha de retenção, lembrando que por se tratar de um recall o reparo deve ser realizado de forma gratuita, caso isso não aconteça, o cliente deverá efetuar uma denúncia no Procon.

A companhia ainda informou por meio deste comunicado que é bem provável que a presilha do mancal dos pedais acaba se desprendendo da posição de trava, sendo um resultado dos processos realizados por um fornecedor de pré-montagem.   

Caso o pino de apoio esteja montado em somente um dos lados, o pedal de freio terá seu acionamento prejudicado, tornando assim ineficiente o sistema de freio e como consequência aumentando o risco de acidentes com danos materiais e físicos tanto para os ocupantes do veículo como para terceiros.

Para os consumidores da marca a Porsche disponibiliza alguns meios para adquirir mais informações e sanar algumas dúvidas. O contato pode ser realizado através do e-mail infobrasil@porsche.com.br ou então do telefone 0800 729 1911 (Ligação Gratuita).

O proprietário poderá também realizar o agendamento para o reparo diretamente nas concessionárias da montadora, através dos telefones: (21) 2494-3309 – Rio de Janeiro (RJ), (11) 5644-6700 – São Paulo (SP), (41) 333-3113 – Curitiba (PR); (81) 3312-0950 – Ribeirão Preto (SP), (61) 3222-8000 – Recife (PE), (51) 3083-6100 – Porto Alegre (RS) e (16) 3965-7000 – Brasília (DF).

FILIPE R SILVA


Recall do Porsche Macan no Brasil


Veículo é chamado para recall devido a uma falha no sistema de combustível.

Nessa sexta-feira, dia 30 de outubro, a Porsche convocou várias unidades do seu modelo Macan (modelos S e Turbo) para um recall devido a uma falha no sistema de combustível. A falha consiste no vazamento de combustível de baixa pressão dentro do motor e só afeta motores movidos a gasolina. O problema será resolvido com a substituição de um conduto do sistema. Ao todo são 58.881 veículos do Macan afetados pelo problema em todo o mundo, sendo que no Brasil são 462 unidades que deverão comparecer ao recall.

O Porsche Macan é o segundo SUV da marca no Brasil depois do Cayenne e foi um dos responsáveis pelo aumento do número de unidades vendidas da Porsche no país. Em 2014, antes de seu lançamento, já existia uma fila de espera de três meses para comprar o carro cujo preço vai de R$ 399.000,00 (na versão S) a R$ 499.000 (na versão Turbo). A marca ainda prevê o lançamento de mais um modelo do Macan (o Macan GTS) no Brasil em 2016, o que deve incrementar ainda mais as vendas.

O recall do Macan é o segundo recall da Porsche em 2015, o primeiro foi em maio, quando o 918 Spyder apresentou problemas na direção elétrica e teve as três unidades no Brasil chamadas para recall. Segundo a Revista Auto Esporte, 2015 é o ano com mais recalls da história do país, com mais de 2 milhões de veículos convocados para recall, um aumento de 56% em relação ao ano anterior.

As concessionárias da Porsche devem avisar diretamente os proprietários do Macan para que possam agendar visitas nas autorizadas da marca para o reparo. Segundo a Porsche, o reparo, que é gratuito, demora aproximadamente 1 hora para ser realizado e deve ser feito assim que possível para evitar maiores danos ao veículos e possíveis riscos ao motorista e passageiros. 

Por Gizele Gavazzi