Riscos de se Dirigir o Carro com Pouca Gasolina


Veja aqui quais são os principais perigos de se dirigir o carro com pouca gasolina.

Quando você está rodando pelas ruas e observa que o seu tanque está com sinal de combustível baixo, menos de 1/4 , por exemplo, o que você faz?

Segundo uma pesquisa feita pela empresa inglesa de seguros LV (Liverpool Victoria), são mais de 820 mil pessoas todos os anos que simplesmente ignoram a luz que avisa que o combustível está na reserva e isso pode acarretar na quebra do automóvel pela falta da gasolina.

Deste estudo, um quarto de todos os motoristas apontaram que acreditam que conseguem rodar ao menos mais 65 quilômetros quando a luz da reserva ascende ou pisca. Do total dos entrevistados, dois milhões admitem que dirigem com a luz de reserva acessa com o pensamento de guardar alguma grana antes de encher o tanque.

Mas os motoristas devem ficar atentos com os problemas que a falta de gasolina pode acarretar no automóvel. Quando o carro está com somente um quarto do tanque completo, a direção hidráulica e os freios poderão ser prejudicados sem o funcionamento perfeito. E não precisa nem citar que esses itens são essenciais.

As pessoas necessitam entender que o medidor de combustível não é para ser tido como um instrumento altamente preciso. Em carros mais modernos em termos de tecnologia, a medição é feita através de um flutuador, como aquelas encontradas na caixa d’água. Com isso, quando um motorista está, por exemplo, subindo uma ladeira, o nível de combustível poderá ser distinto do que rodar em uma pista plana.

Outro ponto importante é que a distância que você pode percorrer quando a luz da reserva acende é distinta em cada modelo. A melhor dica é chegar até o posto mais perto e abastecer o carro. Quando força o tanque com pouco combustível, esse fator poderá prejudicar muito o motor, o que sairá bem mais caro posteriormente em uma oficina mecânica.

Quando acaba gasolina e você abastece com um pouco de combustível, o suficiente apenas para chegar em um posto, o motorista ainda poderá ficar na rua, uma vez que pode ter entrado ar no sistema e a gasolina não vai conseguir passar do tanque e chegar até o motor. Se isso ocorrer, algum mecânico terá que fazer o processo chamado de “sangrar” o sistema.

Dicas:

  • Quando estiver com pouca gasolina, a velocidade deve ser mantida entre os 60 km/h até 80 km/h.
  • Evite aceleradas ou freadas mais bruscas.
  • Opte por manter uma marcha em que o propulsor rode por volta dos 2.000 até 3.000 rpm.
  • Não deixe o veículo em ponto morto, uma vez que a economia não será grande.
  • Só desligue o carro para economizar combustível se o mesmo ficar parado por mais de um minuto.

Cuidados para ter com os pneus de seu carro


É bastante comum entre os brasileiros o costume de viajar de carro até países que fazem fronteira com o Brasil, como é caso do Paraguai e do Uruguai, em especial para comprarem produtos. Claro que a situação tem seus atrativos como os preços na maior parte das vezes serem baixos. Porém, é bom ter atenção. Nem tudo que é comprado fora do país pode ser trazido ou usado legalmente por aqui. Entre esses produtos “proibidos” estão os pneus.

Nos últimos tempos a fiscalização sobre esses produtos tem se tornado cada vez mais rigorosa. E de acordo com a situação em que a pessoa for parada ela poderá levar multas e até ter o seu veículo preso.

Se você não quer correr riscos e quer saber como cuidar melhor dos seus pneus confira algumas orientações:

– Alinhamento e Balanceamento: O balanceamento e o alinhamento dos pneus são tão importantes quanto a pressão dos mesmos. Manter o conjunto em perfeito estado permitirá ao condutor garantir uma maior vida útil aos pneus além de ter um comportamento melhor na dinâmica do carro.

– Pressão: Tem gente que desconsidera isso, mas o ideal mesmo é andar com a pressão de inflação que foi recomendada pelo fabricante. Isso vai garantir um bom desempenho dos pneus. Claro que isso influencia como um todo. Por exemplo, o aumento da segurança nas frenagens e o desgaste regular. Isso de quebra ainda aumenta a vida útil do pneu.

– Desgaste: É importante que o condutor sempre verifique se a banda de rolagem está se desgastando de forma irregular. Um dos principais motivos para a ocorrência irregular é justamente o fato de que a suspensão e o balanceamento do conjunto roda-pneu-válvula não estarem corretos.

– Válvulas: Durante as inspeções para manutenção preventiva as válvulas geralmente são esquecidas. Mas elas também sofrem com o tempo e precisam de atenção. Uma boa dica é reparar se elas estão com uma aparência estranha, riscada ou “craquelada” na superfície ou ainda se apresentam algum tipo de rachadura. Caso algum problema seja identificado é recomendado a troca imediata lembrando que problemas com a válvula podem acarretar perda súbita de pressão.

Por Denisson Soares


Carro na Reserva de Combustível – Riscos e Cuidados


Confira aqui os principais riscos de se dirigir com o tanque do carro na reserva.

Você já se perguntou se deve andar com o seu carro na reserva de combustível? Bom, vamos listar alguns pontos na matéria que dão conta que isso não é um bom negócio na maioria das vezes.

Um estudo feito na Inglaterra e publicado no Daily Mail aponta que em todos os anos mais de 820 mil pessoas não dão a atenção devida para a luz que avisa que o seu carro está na reserva e o mesmo quebra pela falta de combustível. A pesquisa foi realizada pela empresa de seguros Liverpool Victoria.

Foi um quarto dos motoristas que responderam à pesquisa que pensam que podam rodar, pelo menos, mais 65 km quando observa que está ligada a luz de reserva. O seu carro pode acabar tendo um problema mais sério do que apenas acabar com o combustível no meio do caminho.

Quando o veículo está com somente um quarto do tanque com combustível, o carro poderá ter problemas nos freios e também na direção. Eles podem não funcionar corretamente. São itens importantes que salvam muitas vidas em problemas de trânsito.

Os motoristas devem estar cientes que o medidor de combustível de seus veículos não são tão precisos assim. Na maioria dos carros, inclusive naqueles mais modernos, a medição é realizada por um flutuador, da mesma forma como acontece com as caixas d’água. Um exemplo é: quando o veículo está subindo em uma ladeira o nível pode ser distinto quando se está em um plano de pista.

Outro ponto importante é que a distância que pode ser percorrida com a gasolina na reserva varia de modelo em modelo. A melhor dica para evitar os problemas é abastecer o quanto antes. Para esse problema, vale a frase que o barato sai caro. Se você ficar por muito tempo sem o combustível necessário, pode entrar ar no sistema e mesmo abastecendo um pouco, o carro poderá ficar parado. Com isso, você deverá chamar um mecânico e “sangrar” o sistema.

Está com pouca gasolina?

Primeiro de tudo, não se deve dirigir com menos de um quarto de tanque. Quando se está com pouca gasolina, o melhor é manter a velocidade do veículo entre 60 a 80 km/h. O motorista não pode fazer movimentos bruscos com freadas ou acelerações.  Ele deverá tentar deixar que o motor fique com 2 mil a 3 mil rpm


Utilização da tecnologia para acompanhar o trânsito


Vários aplicativos e sites que acompanham o trânsito em tempo real são ótimas alternativas para os motoristas que não querem pegar congestionamentos.

Se você é motorista no Brasil, deve estar acostumado com o trânsito lento das grandes capitais, principalmente nos horários considerados de rush. Mas a tecnologia é cada vez mais aliada dos motoristas quando se fala em controle do tráfego.

Atualmente, existem aplicativos e sites que acompanham o trânsito em tempo real, seja por câmeras ou com o auxílio de satélites, fazendo com que o motorista possa escolher a melhor opção para seu trajeto, ou quando isso não for possível, deixar o motorista preparado psicologicamente para o tempo que perderá no trânsito.

Alguns aplicativos que são amigos do motorista no controle do trânsito são:

Google Maps: É possível ver em tempo real como o trânsito está. Para isso basta digitar uma rota no campo de pesquisa e ir em “mostrar trânsito”. O site realiza uma pesquisa via satélite que mostra o fluxo do trânsito no percurso. As cores variam de verde, para o trânsito livre, até o vermelho escuro para grandes congestionamentos.

Waze: Aplicativo para celular, que funciona como uma “rede social”. Além de funcionar como o Google Maps, onde o fluxo do trânsito é mostrado em tempo real, é possível contar com informações em tempo real de outros motoristas que estejam na mesma via que você e que alertam sobre acidentes, blitz policiais, buracos e obstáculos na pista, dentre outros. O aplicativo já é uma verdadeira febre entre os motoristas.

Mapas da Apple: Os mapas disponíveis pela empresa em seus celulares começaram a contar com uma nova função: mostram informações sobre o trânsito em algumas capitais brasileiras, além de calcular com maior precisão o tempo de uma rota traçada pelo motorista. A Apple também atualizou as imagens de satélite de seu s mapas para uma melhor funcionalidade de seus aplicativos.

Câmeras online: Quem deseja ter uma noção visual do trânsito, ou não confia nos aplicativos para celular pode contar com o serviço de câmeras online. As câmeras estão instaladas nas principais ias das capitais brasileiras e as monitoram 24 horas por dia podendo ser acessadas a qualquer momento pelo motorista.

Todos concordam que uma das coisas mais desagradáveis é ser pego de surpresa por um congestionamento. Alguns motoristas nesse caso adiam sua volta para casa seja estendendo sua estadia no trabalho e adiantando alguns serviços, seja em algum lazer, os conhecidos “Happy Hours”. O importante é dar a opção ao motorista para escapar ou evitar a perda de tempo em seu dia a dia.

Por Patrícia Generoso

Google Maps

Foto: Divulgação


Transferência do Carro – Como Fazer e Documentos Necessários


Transferir o carro para um novo dono é uma tarefa bastante simples, porém, meio burocrática. Confira aqui todos os passos para você realizar a transferência de um veículo.

Existem basicamente três tipos de transferência de propriedade de veículos:

  1. Veículos provenientes de outros países;
  2. Veículos de outros estados;
  3. Veículos do mesmo município.

A transferência mais simples obviamente é a realizada dentro de um mesmo município, quando o endereço do comprador e do vendedor está localizado na mesma cidade.

Basicamente os documentos necessários para a transferência são:

  • Original e cópia da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou de algum documento pessoal com foto (RG, Reservista);
  • Original e cópia do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) do novo proprietário do veículo;
  • Original e cópia do comprovante de endereço;
  • Original e cópia do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV);
  • Original do Certificado de Registro de Veículo (CRV) do proprietário anterior, preenchido em nome do comprador e com firma reconhecida;
  • Original e cópia do comprovante de pagamento da Taxa de Emissão do novo CRV (pagável com antecedência em agências bancárias) e comprovante de quitação de eventuais débitos, como IPVA, licenciamento e multas;
  • Decalque legível do chassi e do motor;
  • Formulário RENAVAM preenchido em duas (2) vias.

Para a transferência de propriedade de veículo entre municípios do Estado de São Paulo ou até mesmo de outro estado para o estado de São Paulo, os documentos exigidos são os mesmos, mudando apenas os procedimentos a serem tomados como o pagamento da taxa de emplacamento e lacração e a troca da placa em uma unidade do Detran.

Para verificar se há alguma pendência quanto às taxas e multas, o proprietário pode pesquisar pela internet ou dirigir-se a uma unidade de trânsito do Detran no seu município.

Na maioria dos municípios do país, é exigida a vistoria de identificação veicular, devendo o proprietário levar o veículo a um dos locais indicados pela unidade de atendimento ou então comparecendo em uma Empresa Credenciada de Vistoria.

Os decalques de chassi e motor serão extraídos pelo próprio agente vistoriador do Detran do estado em que está sendo realizada a transferência, exceto nos casos de difícil acesso à numeração do motor, quando o respectivo decalque poderá ser apresentado pelo proprietário ou substituído por um laudo de vistoria de ECV, na maioria das vezes identificado como Laudo Fotográfico e expedido pela própria Empresa Credenciada de Vistoria.

Os sites dos respectivos órgãos de competência para transferência de propriedade veicular (Detran) indicam as documentações necessárias, links para pesquisa de pendências e locais para vistoria e lacração. Na impossibilidade de acesso às pesquisas pela internet, Postos de Atendimento como Atende Fácil e Poupa Tempo ou até mesmo Delegacias podem direcionar o motorista a como proceder, além de obviamente utilizar-se de Despachantes Credenciados pelo órgão local para tal finalidade.

O custo do serviço é composto pela taxa de transferência e eventuais débitos pendentes, sendo que estes valores deverão ser pagos em um dos bancos conveniados, com o CPF (pessoa física) ou CNPJ (pessoa jurídica), para recolher a taxa e com o documento do veículo para obtenção do número do Renavam.

Francisco Sanches de Aguiar


Dicas e cuidados para comprar carros em leilões


Leilão de automóveis é sempre bom, pois o custo do carro é menor que o de tabela. Porém, alguns cuidados devem ser tomados no momento de sua compra.

Nos leilões de carros você pode encontrar veículos de 30% até 60% de custo menor que está na tabela de preços (variando muito). 5% do valor fica para o leiloeiro. Antigamente esse tipo de leilão tinha como público principal as empresas, mas agora as pessoas comuns estão muito mais presentes atrás de bons veículos e preços.

Agora, aproximadamente 20% dos arremates em leilões são feitos por pessoas físicas. Os leilões são feitos na Receita Federal, no Detran da região ou em seguradoras. Nesta matéria vamos dar algumas dicas e cuidados que você deve ter quando participar de leilões de carros.

O pagamento e custos

Primeiramente, a pessoa que fará a compra deverá ter o dinheiro em mãos para a compra, pois a mesma é à vista. Fique muito atento no que você vai pagar, pois o cliente não deverá pagar por outro tipo de serviço como é o caso de taxas de reboque, diárias de depósito e outros débitos que o dono anterior contava.  O custo que você vai arcar no momento do arremate, já servirá para que a organizadora quite qualquer dívida que exista.

Um custo que você deverá sim considerar é de reparos que o carro deverá ter (caso necessário). Como você não pode ligar o automóvel antes que aconteça o leilão, é bom você ter uma boa noção do carro em questão para perceber detalhes do mesmo. Leve, se possível, um mecânico que seja de sua confiança para o evento para que possa lhe dar algumas dicas. Se o consumidor compra o carro e ele vem com problemas, isso pode encarecer demais e tirando o benefício de ter um preço mais barato que o de tabela.

Ah, um smartphone pode lhe ajudar na busca por informações do carro e dívidas do mesmo para não ter dor de cabeça depois.

O que eu deve analisar a olho nu?

Como é um carro usado, é bom prestar atenção nos detalhes. Verifique bem a pintura, os seus pneus, os vidros, acessórios, chassi e a lataria. Faça anotações de tudo isso, pois, por vezes, no dia do leilão, alguns eventos não deixam ver o veículo.

Sinistros e seguro do carro

Sinistros são veículos que tiveram alguma colisão com a famosa perda total, ou então, foram recuperados de furtos ou roubos. Tais coisas não podem ser dados como justificativa de seguradoras para que elas façam o seguro do seu carro. Isso, com base no artigo 39 IX do CDC, é uma prática abusiva da empresa.  

Para que a empresa se recuse a fazer o seu serviço de seguro do carro, ela necessita verificar uma vistoria técnica. Com o carro recusado no processo, ela vai ter que apresentar por qual motivo (plausível) que ocorreu essa negativa. O valor também que você vai pagar pelo seguro não deve ser desproporcional somente pelo fato que o carro é de leilão.

Leilão de seguradoras não é bom negócio?

Especialistas recomendam menos esse tipo de vento. Isso acontece devido ao fato que pode acontecer a venda de veículos já sofreram algum problema muito grave do que o habitual ou já foram colididos em outra oportunidade.

A boa pedida é de leilões de financeiras e outras grandes empresas

Quando você participa de leilões de financeiras, o risco é bem menor. O motivo? A maioria dos carros ali são apreendidos quando falta pagamento do mesmo. Quando o leilão é de grandes empresas, isso acontece devido ao fato que elas vão renovar as suas frotas. As empresas fazem isso para poupar dinheiro em termos de manutenção e tentar evitar que os veículos desvalorizem demais. Obviamente que não se pode garantir 100% um bom negócio, mas o risco, como citamos, é menor.

Editais de leilão

Quando você chega no leilão, normalmente você pode conferir um edital com várias informações sobre o veículo e a sua procedência. Histórico dele é bom dar uma conferida, se possível.

Preciso de auxílio de despachante?

Ele é bom para aqueles que não querem trabalho para cuidar de toda a burocracia em cima do negócio. Faça um planejamento e resolva por si só o trabalho de pendência burocráticas. Muitos leiloeiros e outras pessoas do local podem lhe empurrar um despachante, mas isso não é necessário. 


Quais os carros menos visados em assaltos no Brasil?


Confira também algumas dicas para evitar problemas de roubos de veículos. Verificar onde você estaciona na rua e itens de segurança são algumas das pedidas para o seu possante.

Quando você tem um carro, cuidar dele, principalmente contra roubos é uma preocupação daquelas bem chatas. Nunca se sabe quando pode acontecer algo. Alguns carros tem menor risco de serem furtados, devido a menor visão que tem frente aos bandidos.

O Centro de Experimentação e Segurança Viária (CESVI Brasil) fez um índice de furto para caross e esse apontamento destacou o Nissan Sentra e o Chevrolet Cruze LTZ como os dois carros com menor chance de serem roubados dentre todos os modelos em foco na pesquisa.

O índice feito por essa empresa tenta levar em consideração certos pontos que os carros podem trazer, como é o fato de chaves codificadas, alarmes, vidros da lateral laminados, entre outros detalhes.

Os dois carros citados, da Chevrolet e Nissan, tiveram uma nota de 4,5 de um total de 5 estrelas. Isso é um bom apontamento para quem já compra o carro novo pensando na segurança. Hoje em dia as ruas estão bem perigosas e não se pode deixar por menos.

Acessando o site da CESVI – http://www.cesvibrasil.com.br/site.aspx/comparativo-de-veiculos – você poderá fazer um comparativo de veículos nesta questão de segurança e procurar alguns modelos para verificar como ele estão neste quesito.

Quer dicas para evitar dores de cabeça com furtos? Então, aqui vai!

Vou sair para balada ou qualquer outro lugar: qual local melhor para estacionar?

Sempre a melhor opção é você achar algum lugar fechado para deixar o seu carro. Sei que isso as vezes custa caro, mas é o melhor. Quando deixar o seu carro na rua, não o faça em lugares em que a iluminação seja fraca e que não passe muitas pessoas pelo local.

Verifique se o automóvel está sempre bem trancado se o mesmo estiver na rua. É meio senso comum, mas muitas pessoas esquecem. Em estacionamentos, se for deixar a chave com manobristas, verifique a confiabilidade do local. Sempre é bom estar de olho aberto. Muitas empresas de estacionamento não se responsabilizam por furtos de coisas deixadas no carro, ou seja, não deixe nada.

Se você não conhecer bem o estabelecimento que deixou o carro, evite dizer quanto tempo você vai demorar para voltar.

Sai do carro e deixei o meu celular dentro, pois não vou usá-lo.

Erro grave das pessoas deixar algo de valor dentro do veículo quando o mesmo está na rua. Isso vai atrair a atenção de algum mal intencionado que estiver por perto. Mesmo algo que você pense que não tem perigo, como aqueles suportes para os GPSs, podem fazer com que assaltantes abram o seu veículo em busca de algo.

Sempre que fizer compras, coloque diretamente no porta-malas. Se você, por exemplo, está na rua, e vai guardar depois as coisas atrás no carro, isso pode gerar uma evidência para que alguém lhe assalte neste meio tempo.

Outras coisas como cartões de débito e crédito, correspondências e boletos de banco também não são uma boa ideia deixar dentro do seu carro. Os mesmos poderão ser utilizados por bandidos em um eventual assalto para que possam acessar as suas contas. Documento do carro e CNH, a mesma coisa. Se o carro for levado com tais documentos dentro, vai facilitar a vida dos bandidos na hora de repassar o seu veículo para frente.

Meu carro é cheio de adesivos

Alguns deles podem passar informações importantes sobre você. Aqueles de família onde aparece o homem a mulher e filhos, os bandidos podem utilizar como maneira de impressionar a pessoa num falso sequestro, por exemplo. As vezes você quer mostrar seu time do coração, mas passar por um local onde há torcedores de outras equipes, podem ocasionar até uma depredação do seu veículo. Cuidado com quais adesivos coloca em seu carro.

Equipamentos de seguranças para o carro

É sempre bom ter consigo correntes para colocar no seu carro, trancas e até as modernas chaves que impedem que o carro ligue ou desliga o motor depois de um certo tempo. Isso ajuda muito em alguns casos.

Com um custo mais elevado, estão itens como bloqueadores de veículos. O bloqueador vai interromper a ignição ou a bomba de combustível. Localizadores e rastreadores de carros também são uma mão na roda no momento que acontece algo complicado como é um assalto.  Esses dois últimos vão lhe certificar onde seu carro roubado está.

Semáforos e entradas de garagens

Quando você parar em algum semáforo pela noite, principalmente, fique a uma certa distância do carro da frente para pode mover seu veículo em caso de algum movimento estranho de alguém.

Em caso de garagens, você vai sempre ter que observar ao seu redor quando estiver próximo de entrar na mesma. Se possível, dê uma volta na quadra para verificar algo de estranho. Quando você abre o portão e alguém lhe surpreende, é muito difícil conseguir ter alguma reação positiva. 


Manutenção dos Pneus – Dicas e Cuidados


Fazer a manutenção correta dos pneus é extremamente importante. Confira aqui algumas dicas e cuidados que você deve ter para evitar surpresas.

Conservar e realizar a manutenção dos carros requer muito cuidado, mas o que muitos motoristas acabam se esquecendo de dar atenção é com relação aos pneus. Este item, apesar de ser importantíssimo, acaba não tendo o cuidado merecido e coloca em risco a segurança do motorista e de seus passageiros. Para que isso não ocorra, é preciso que os motoristas tomem uma série de cuidados, confira abaixo quais são eles e o que você deve fazer para circular com o seu carro com segurança:

A primeira coisa que os motoristas devem ficar atentos é com relação à calibração dos pneus. É muito importante que os pneus do carro estejam com os níveis de pressão adequados, para que o comportamento do veículo não seja afetado. Vale lembrar que os pneus com pressão muito baixa podem fazer com que seu carro consuma mais combustível para rodar. Por isso, o ideal é que os motoristas calibrem os pneus do carro com a pressão indicada no manual do proprietário a cada 15 dias. 

Outro cuidado que os motoristas precisam ter é com relação ao alinhamento dos pneus. Quando os pneus estão desalinhados, os pneumáticos acabam se desgastando irregularmente, o que pode comprometer em até 50% a vida útil dos pneus, além de afetar os sistemas de direção e suspensão. O indicado é que o motorista faça o alinhamento dos pneus a cada revisão. O motorista também pode fazer um teste para saber se seu carro precisa fazer o alinhamento, para isso basta observar se seu carro pende mais para um lado do que para o outro ao estar em uma reta. Outra maneira é observar se há diferença no desgaste dos pneus.

Uma dica super importante para os motoristas é fazer o rodízio dos pneus periodicamente. Como a maioria dos carros possui tração dianteira ou traseira, os pneus localizados na área de tração acabam se desgastando mais rapidamente do que os outros. Para que os pneus se desgastem de maneira igual, é preciso fazer o rodízio, isso estende a vida útil dos pneus e também evita que o carro escape nas curvas ou frenagens. Vale lembrar que o indicado é que o motorista faça o rodízio dos pneus a cada revisão.

Maneira Correta de Fazer o Rodízio dos Pneus.

O estepe também merece uma atenção especial dos motoristas. Apesar de ele ficar esquecido no carro, nunca se sabe quando será preciso usa-lo, por isso é importante que ele esteja em perfeitas condições de uso sempre. Para que isso aconteça é preciso que os motoristas sempre se lembrem de calibrar o estepe a cada 15 dias. 

Se você é daquelas pessoas que gostam de trocar os pneus originais do carro por outros com aros maiores cuidado! Apesar de esta prática ser bastante comum entre os motoristas, saiba que essa alteração pode afetar na conservação dos pneumáticos, com isso o veículo pode perder torque, além de gastar mais combustível já que aumenta o atrito com o solo. Vale lembrar que esta mudança também afeta na velocidade indicada no painel, que pode ter alterações e aumenta o risco do motorista tomar uma multa por excesso de velocidade.

Nos últimos anos, os pneus remoldados começaram a fazer sucesso com os motoristas. Estes pneus são feitos a partir da carcaça de pneus usados e geralmente custam mais barato do que os novos. Porém, o que pode parecer uma economia na realidade pode acarretar em uma tremenda dor de cabeça. Já que os pneumáticos são projetados para ter uma determinada duração, quando eles são remoldados acabam estendendo este tempo, o que afeta a sua estrutura interna e aumenta a possibilidade de que o pneu rompa ou simplesmente se exploda.

Hoje em dia algumas lojas também oferecem os chamados pneus seminovos, que em tese tiveram menos tempo de uso e estão em melhor estado de conservação. Apesar desse discurso bonito, a utilização destes pneus não é recomendada, uma vez que é difícil diferenciar os pneus bons dos que estão em mau estado de conservação.

Por fim, os motoristas também precisam ficar atentos ao momento certo para fazer a troca dos pneus. Muitas pessoas deixam para trocar os pneus apenas quando eles estão realmente "carecas", porém, o indicado é que esta troca seja feita bem antes, seguindo os indicadores de desgaste dos pneus. Para quem não sabe onde estes indicadores ficam, eles podem ser localizados por meio por meio de triângulos ou pela sigla TWI nas laterais. Ao olhar para os sulcos do pneu na direção indicada, o motorista poderá enxergar pequenas lombadas. Se estas marcações aparecerem, já está na hora do motorista fazer a troca do pneu.

Indicador de Desgaste do Pneu.


Dicas de Como Saber se o Carro já foi Batido


Confira aqui algumas dicas para saber se o carro que você está pensando em comprar já foi batido.

Na hora de comprar um carro usado, é preciso muita cautela, principalmente para descobrir se o veículo já foi ou não batido. Para muitos, esta parece ser uma missão quase impossível, mas com estas dicas abaixo você vai ver que é fácil descobrir se o carro já sofreu alguma colisão.

O primeiro cuidado que você deve ter é de analisar o carro totalmente seco. Se for um dia de chuva e o carro estiver todo molhado, as gotas de água poderão esconder várias imperfeições na lataria e na pintura também. Se for o caso do carro estar molhado, então é bom secá-lo primeiro.

Com o carro já seco, procure por imperfeições na lataria, verifique se há ondulações na chapa ou desalinhamento das portas. Fique de frente para o automóvel, se afaste um pouco e mantendo esta distância você poderá vê-lo por inteiro e fazer uma boa análise. Tente descobrir se um lado está diferente do outro e procure nesta hora, deixar de lado a observação da cor ou beleza do modelo, fique focado nos detalhes, procurando por ondulações ou partes diferentes.

Outra ótima dica para lhe ajudar nesta verificação é encostar seu rosto no para-lama do veículo, assim você poderá analisar a lateral com mais facilidade. Realmente pode parece estranho para quem te ver fazendo isso, mas não se importe, porque está é uma excelente forma de descobrir imperfeições na lataria do carro.

Para descobrir se o carro teve alguma batida dianteira, abra o capô do veículo e analise as "paredes" por dentro. Neste local, a pintura não pode estar novinha, pois isso é sinal que foi pintado recentemente, ou seja, teve uma batida frontal.

Verifique também os parafusos internos que ajudam a fixar o painel da grade, pois eles deverão estar na mesma cor do veículo.

Utilize seu dedo para medir o espaço entre o capô e o pára-lamas e caso perceba diferenças é sinal que este capô já foi retirado ou então, que o para-lama já foi substituído.

Fique atento também aos faróis e lanternas, pois se não forem os originais, é porque foram substituídos e isso é feito quando o veículo já foi batido.

Procure também por marcas de tinta na grade dianteira ou nos faróis e lanternas, pois algumas oficinas não tiram estas peças para pintar e um sinal de tinta pode indicar que já teve uma batida.

Foto: Marco Antônio Teixeira / Agência O Globo

Por Russel


Diferença de um carro aspirado e um turbo alimentado?


Confira aqui tudo o que você precisa saber sobre modelos de carro aspirados e com turbo alimentado.

Quando lemos alguma matéria a respeito de veículos, é muito comum deparamos com as designações: motor tubo alimentado ou motor aspirado. Contudo, nem todas as pessoas sabem quais são as diferenças básicas que existem entre um modelo e outro, foi pensando nisso será breve explicação a respeito deste assunto a seguir.

 Primeiramente vamos falar sobre o motor turbo, em que princípio básico do seu funcionamento é o aproveitamento dos gases oriundos da saída do escapamento do motor para que assim seja feito o giro de um eixo que possui uma hélice na sua outra extremidade a qual tem a função de comprimir o ar advindo da atmosfera e mandar para a entrada de saída de ar do motor, para que dessa maneira o carro não necessite mais aspirar o ar, porque quando o motor é acelerado é gerada uma pressão nos cilindros oriunda da turbina o que os deixa cheio de ar e combustível consequentemente aumentando a potência do motor, ou seja, o aumento de potência nos carros turbinados está diretamente ligado com a pressão que é gerada pela turbina.

Para quem deseja dobrar a potência do motor do seu carro, turbina-lo é uma das maneiras mais baratas para conseguir esse objetivo, uma vez que basta fazer a instalação de um kit turbo.Já o motor aspirado é aquele que não é sobre alimentado por turbinas ou compressores do tipo mecânico, ou seja, é o sistema no qual o próprio motor faz todo o trabalho de puxar a mistura ar/combustível para os cilindros. Para conseguir aumentar a potência nesse tipo de motor o método mais utilizado é a realização do aumento da cilindrada do motor, o que é um processo muito mais caro do que o de turbinar, por isso fica limitado apenas para competidores devido o seu custo benefício ou aos carros de alto padrão que já vêm com este tipo de sistema de fábrica.

Então, basicamente estas são as diferenças, esperamos que as principais curiosidades a respeito do assunto foram sanadas através desta explicação pelo menos para saber discernir um tipo de motor do outro.  

Por Adriano Oliveira


Como economizar com as despesas de seu carro?


Quer saber como gastar menos na manutenção e outros itens do seu carro? Confira essa matéria!

Cada vez mais os brasileiros se preocupam em economizar e como o carro costuma dar muitas despesas, é bom sabermos que há diversas formas de você economizar com as despesas do veículo. Os gastos com um carro popular podem ultrapassar o valor de R$ 10 mil por ano, se somarmos o valor do IPVA, seguro, oficina, estacionamento, entre outros gastos. Mas com estas 5 dicas abaixo você vai descobrir que é possível economizar muito mais do que você imagina, confira!

A economia começa na hora da compra, adquirindo um veículo que gaste menos combustível. Um carro na Categoria A, significa que você terá um automóvel que consome menos combustível e entre os modelos que gastam menos estão o Volkswagen Up!, o Ford Ka, o Clio da Renault e também o Fiat Uno.

Comprando um destes modelos você estará muito bem servido, tendo um carro bom, que atende perfeitamente a grande maioria dos brasileiros e que consome pouco. Se o modelo for "Flex", melhor ainda, porque assim você terá opção de escolher entre Gasolina ou Etanol na hora de abastecer, optando pelo que estiver com o valor mais em conta.

O seguro é importantíssimo, mas custa caro. Se o motorista for mais jovem, aí que o seguro vai ter um preço mais elevado ainda. O interessante nesta hora é buscar serviços alternativos, como o do site www.bemmaisseguro.com que oferece seguro sem análise do perfil do contratante. O seguro é contra roubo e furto, tendo um preço bem mais em conta e podendo ser adquirido até mesmo pela internet. No site você encontrará coberturas adicionais, podendo adicioná-las de acordo com suas necessidades.

Outro cuidado a ser tomado no dia a dia é com a escolha do estacionamento. Guardar seu carro no primeiro estacionamento que encontrar poderá lhe custar caro, por isto é bom ficar sempre atento a estes estabelecimentos, sabendo onde se encontram os mais baratos.
Para facilitar seu trabalho, há vários aplicativos no mercado, como o "ParAli", disponível tanto parra o sistema operacional Android como também o iOS. Você pode baixá-lo do endereço: www.parali.com.br/home

A compra de peças é responsável por boa parte do gasto que temos com os carros, por isto, use de todos os recursos para comprar peças, inclusive fazendo pesquisas na internet, onde é possível encontrar preços bem mais baixos. Claro que é preciso tomar todos os cuidados para realizar compras pela internet, mas há ótimas lojas virtuais oferecendo grandes descontos, por isto pesquise sempre antes de comprar peças, nas lojas físicas e nas virtuais também.

E por fim, verifique se em sua cidade há opção de solicitar a Nota Fiscal para obter benefícios como a dedução no IPVA. A Nota Fiscal Paulista é um bom exemplo, pois o consumidor só precisa solicitar a nota fiscal na hora da compra para depois obter um desconto no imposto, lembrando que neste caso é preciso que o veículo esteja em nome da pessoa que solicitar a nota fiscal.

Por Russel


Quais os principais problemas da suspensão de um carro?


Confira aqui o que você precisa saber para quando tiver um problema no carro relacionado a suspensão.

Quando falamos de manutenção em um veículo automotores, a maioria dos proprietários deste tipo de veículo tem muito receio quando o problema do carro é oriundo da suspensão, uma vez que grande parte deles sabe que esse tipo de serviço fica caro.

O modo mais simples de se evitar problemas na suspensão de um veículo é não exceder o peso de carga máxima permitido que é diferente para cada modelo e categoria de veículo, bem como a forma com que o condutor dirige o seu veículo, uma dica muito válida é não passar muito rápido por cima de lombadas e buracos, haja vista que no caso deste último o aconselhável realmente, se possível, é desviar deles.

Contudo, se porventura você estiver em dúvida a respeito da suspensão a melhor forma de identificar os problemas são os ruídos emitidos e as vibrações excessivas em pisos irregulares, além do excesso de oscilação sentida pelo condutor ao entrar em curvas ou desvios.

Os principais problemas que podem ser encontrados em um veículo são: elos ou espirais das molas amassados ou batidos, quebra da mola e pintura da mola descascando.

Caso os elos ou os esperais das molas estejam amassados ou batidos o veículo terá perdfa estabilidade, serão ouvidas batidas secas oriundas da suspensão, além do desgaste prematuro dos pneus, amortecedores, coxins, batentes e outros componentes que também compõem a suspensão, isso acontece, normalmente, quando a mola da suspensão perde parte da sua ação, assim defletindo de modo a bater os seus próprios elos.

já quebra da mola que é um dos problemas mais graves que podem existir ocorre a ruptura de um dos elos da mola, fator este que provoca de modo imediato um desnivelamento da altura do veículo e pode ocasionar, possivelmente, a perda de controle do veículo e consequentemente um acidente bastante grave.

Se os elos ou espirais das molas estiverem com a pintura descascando, ao olhá-los você verá sinais de ferrugem, o que destrói aos poucos o tratamento dado ao aço e propicia para que haja o surgimento de microtrincas e consequentemente a quebra dessas peças.

Por Adriano Oliveira


Dicas – Qual o óleo correto para utilizar no meu carro?


Confira aqui algumas dicas para você não ter mais dúvidas sobre qual óleo usar em seu veículo.

Muitas pessoas sabem que ter um carro requer um pouco de atenção a alguns aspectos mais do que a outros. Mesmo assim, muita gente prejudica a performance do automóvel por lidar com pontos fundamentais um pouco despreocupadamente. Existem diversos cuidados que devemos tomar com o carro, mas por outro lado a grande parte pode gerar certa dúvida na cabeça do dono do veículo. Um deles, por exemplo, diz respeito sobre qual seria o óleo correto para se usar no carro.

Nesse ponto vamos encontrar três questões fundamentais:

Qual o óleo que se deve usar;

Qual a quantidade correta e;

Qual é mesmo a função.

A falta de conhecimento sobre esses pontos abordados pode levar o proprietário a ter que lidar com situações que poderiam facilmente serem evitadas.

O uso de um óleo lubrificante que por acaso esteja fora das especificações estabelecidas pelo fabricante do carro pode ocasionar além de um aumento de consumo no combustível o desgaste prematuro do motor. Consequentemente isso leva a uma vida útil mais reduzida.

O principal objetivo do óleo de motor é obviamente lubrificar as partes que são móveis. Desta maneira o atrito pode ser evitado. Outra função é que ele faz a troca de calor com as paredes dos cilindros. Isso ajuda no sistema de arrefecimento do motor. Por fim, o óleo ainda tem a função de dispersar os resíduos de forma que estes não cheguem a desgastar e prejudicar o motor.

E então voltamos a questão do início: Qual o melhor óleo para usar?

Isso vai depender de três pontos básicos:

– Especificação SAE.

– Especificação API.

– Padrão e norma da montadora.

Quando o proprietário do carro sabe esses três aspectos dificilmente ele irá errar no momento de escolher o óleo para o motor. Mas aí surge outra dúvida: Como é que a pessoa vai ter conhecimento dessas informações? Simples. Basta dar uma olhada no manual de proprietário do carro.

As coisas tem manual de instruções e isso é um bom ponto a favor. Então no lugar de sair perguntando ao “cara” do posto ou da oficina, procure no manual e tenha certeza de qual informação é a correta.

Todas as informações contidas no manual vão estar no frasco de óleo lubrificante. Aí é só dar uma boa olhada no rótulo. Vale lembrar que dependendo do fabricante essas informações podem ser facilmente encontradas. Em outros casos uma atenção as “letrinhas” vai ser exigida.

De qualquer forma o que fica claro é que não existe segredo nessa questão. Basta o proprietário ter um tempinho para ler o manual e pesquisar os rótulos dos produtos.

Por Denisson Soares


Confira dicas simples para economia de gasolina no carro


Economizar combustível sempre é bom. Nesta matéria você confere algumas dicas fáceis para conseguir salvar uma boa grana no bolso.

Nunca o brasileiro teve tanto interesse em economizar combustível como agora. Com a alta dos combustíveis e a expectativa de que novos aumentos virão por aí, os brasileiros estão adotando atitudes relativamente simples, mas que a médio e longo prazo podem garantir uma ótima economia, então confira estas 8 dicas simples, mas que certamente o ajudarão a economizar combustível.

O alinhamento do veículo deveria ser uma obrigação para todos, mas poucos se lembram deste detalhe. Se a suspensão e a direção estão desalinhadas, além do seu veículo gastar a rodagem dos pneus mais rapidamente, também fará com que o veículo gaste mais combustível. Faça o alinhamento da suspensão/direção a cada 10 mil km, mas se você anda em estradas com muitos buracos ou se na sua cidade as ruas não estão regulares, este alinhamento deve ser feito antes.

Assim como o alinhamento, a calibragem dos pneus deve estar em dia, porém, a calibragem deve ser feita em um período muito menor, pelo menos semanalmente. Deixando de calibrar os pneus, o veículo vai consumir mais combustível e terá um desgaste maior e mais rápido nos pneus. Então procure ter o hábito de toda semana, passar no posto e calibrar os pneus, lembrando que, a calibragem deve ser feita com os pneus frios, então, saia de casa e vá direto ao posto fazer a calibragem.

O ar-condicionado é outro vilão, pois ele chega a fazer o veículo gastar até 2% a mais de combustível. Quando transitar pela cidade, o ideal é que você ande com as janelas do carro abertas. O ar condicionado é indicado somente para as estradas, pois em velocidade maior, os vidros abertos farão com que o veículo acabe gastando mais combustível. Então a dica é simples: janelas abertas na cidade, ar-condicionado nas estradas.

Quanto mais pesado o veículo estiver, mais combustível irá consumir. Ficar carregando peso extra é um erro grave, pois você ficará gastando combustível à toa. Verifique se há algum peso no porta-malas do seu veículo, que possa ser retirado e quando for viajar, verifique se realmente é preciso levar tudo que foi separado.

No dia a dia, as pessoas gastam uma quantidade enorme de combustível, simplesmente pelo fato de não acelerarem uniformemente. Quando você acelera o veículo de forma uniforme, o gasto de combustível é bem menor. Preste atenção como você acelera e procure mudar os seus hábitos, acelerando o veículo sempre de forma uniforme para reduzir o consumo do combustível e até diminuir o desgaste no motor.

Antigamente quando ligávamos o carro pela manhã, era preciso aguardar um tempo até o motor "esquentar". Mas hoje em dia isto acabou, quando você ligar o carro, basta esperar uns 30 segundos e pronto, já pode dar a partida, sem a menor necessidade de ficar acelerando mais forte ou aguardando mais tempo.

Mantenha a manutenção preventiva em dia, pois isto ajuda a economizar combustível e também um gasto maior com outros problemas que poderiam surgir. Para se ter uma ideia, um filtro de ar sujo pode aumentar o consumo de combustível em até 10%. Procure um mecânico de sua confiança e faça uma revisão completa do veículo.

Saber trocar de marcha na hora certa é outra forma de economizar combustível e evitar o desgaste desnecessário de várias peças no veículo. Tem motorista que acelera muito, antes de trocar de marcha e isto só serve para gastar mais combustível.
E tem outro detalhe importante, andar com o veículo na "banguela" só faz aumentar o consumo de combustível e o desgaste do freio.

Com estas dicas simples, você estará economizando combustível, pneus e irá prolongar a vida útil de vários itens no seu veículo, basta ficar atento para começar a ter as atitudes certas na hora de dirigir e de cuidar do veículo.

Por Russel


Conheça os SUVs favoritos dos brasileiros


Confira nesta matéria os principais modelos SUVs que estão na preferência dos motoristas do Brasil.

Este artigo foi produzido pela equipe Ituran Rastreadores, especialmente para o Carro Bonito.

Motor potente e amplo espaço interno, esses são os principais motivos que levaram milhares de brasileiros a investirem em um SUV no ano passado; os utilitários esportivos chamam atenção também pelo bom desempenho, tanto na cidade quanto na estrada. Apesar de ter um custo maior na compra e manutenção (quando comparado com um modelo compacto, por exemplo), o SUV já conquistou um público cativo e se você está pensando em se juntar a essa família, confira os modelos mais populares no Brasil, segundo dados da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores).

1° lugar: Ford EcoSport – 54.263 unidades

Destacando-se pela potência do seu motor (Sigma 1.6 Flex 16V ou Duratec 2.0 Flex 16V), o EcoSport da Ford é considerado um verdadeiro guerreiro das cidades. A segurança fica por conta do sistema Advance Trac, com freios ABS, Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC), Controle de Tração e Assistente de Partida em Rampas (HLA).

2° lugar: Renault Duster – 48.866 unidades

Espaço interno e conforto são os pontos mais chamativos do Renault Duster. Com motor 1.6 Flex 16V, esse veículo mostra que não está para brincadeiras quando o assunto é potência. Em sua versão 4×4, o Duster é capaz de encarar os terrenos mais adversos.

3° lugar: Hyundai Tucson – 18.176 unidades

O design imponente do Hyundai Tucson conquistou mais de 18 mil compradores em 2014, que destacam também o custo-benefício e o amplo espaço interno como diferenciais desse SUV. O motor 2.0 16V Dual CVVT e o porta-malas com capacidade para até 1.679 litros (rebatido) fecham o pacote.

4° lugar: Hyundai ix35 – 15.315 unidades

Fazendo companhia ao Tucson, temos o ix35, também da Hyundai. Com motor flex 2.0 178cv, o ix35 é considerado um carro moderno e arrojada, que se destaca também pelo amplo espaço interno.

5° lugar: Mitsubishi Pajero TR4 – 14.747 unidades

Disponível em versões 4×4 e 4×2, o TR4 conta com um motor 2.0 16V e ótimo espaço interno. Apesar de ter conquistado mais de 100 mil motoristas desde 2002 (quando começou a ser produzido no Brasil), o Pajero TR4 deixará de ser fabricado em território nacional em 2015.

Existem opções de SUV para todos os gostos e bolsos! Qual vai ser o seu?

Imagens: Divulgação.


Seguro de Carros – Dicas de como baixar o preço?


Confira nesta matéria boas dicas para você conseguir reduzir o seguro de seu automóvel e conseguir o melhor preço.

Ao comprar um automóvel, as pessoas pensam na economia que farão: menos dinheiro para ônibus, menos tempos desperdiçado no trânsito, mais condições de trabalho (caso utilize o veículo para esse fim). Sem dúvida, muitos são os benefícios de possuir um carro, no entanto, o cenârio não é só de contenção de custos. Ao comprar um veículo, a pessoa deverá estar ciente que terá gastos diferentes, terá de pagar manutenção, combustível e o seguro do carro. Sobre este último assunto, há quem creia ser desnecessário e um gasto atoa, contudo, isso não é verdade, pois contar com esse serviço pode ajudar muito caso aconteça um acidente ou seu carro seja roubado.

Os preços dos seguros de carros hoje em dia, dependem dos locais onde o motorista anda e do modelo do veículo, sendo assim, o serviço poderá custar bem caro. O ponto principal na hora de calcular o preço dos seguros é verificar qual é o risco que o veículo corre. 

A dica principal na hora de contratar uma seguradora, é averiguar bem os preços entre as empresas e também certificar-se da idoneidade do seguro. Lembre-se: desconfie do que for muito barato, pois pode lhe trazer transtornos na hora de requerer compensação por um sinistro.

Algumas outras dicas que podem ser bem aproveitadas sobre esta questão são: deixe o carro na garagem o maior tempo possível, evitando que ele fique exposto por muito tempo. Caso motoristas jovens dirijam o veículo, tente diminuir o tempo de uso, assim, terá menos chances que a seguradora alegue que o sinistro aconteceu porque um motorista inexperiente estava ao volante. Coloque alguns equipamentos no carro como rastreadores, o uso desses dispositivos diminui os custos com o seguro.

Não escolha um plano barato demais, meça bem as suas possibilidades econômicas e contrate um plano que seja eficiênte, porém que esteja no seu alcance.

Nesta busca por seguros bons e baratos, não se esqueça de que você pode ser peça fundamnetal para o valor do serviço. Isto é, seja um excelengte motorista e evite ter registro de acidente em seu nome. Se a sua familia possui um veículo e usa-o somente para saídas eventuais, não precisa de um seguro exorbitante, contrate um plano básico que vá de encontro às suas necessidades. Modifique o valor do seguro de acordo aos riscos.

Quando for contratar um plano de seguro, não passe nenhuma informação incorreta, seja o mais honesto possível, qualquer dado que não possa ser constatado pode levar à perda do direito à indenização.

Texto de Melina Menezes


Seguro – Preço para carros mais vendidos varia até 350%


Uma pesquisa feita aponta cotações para 10 modelos de automóveis que são comercializados em 5 capitais brasileiras.

O cálculo do seguro de veículo possui várias variáveis, onde pode-se citar o perfil do motorista, lugar de moradia e dados de criminalidade. Devido a isto, o prêmio (preço pago pelo proprietário) para o veículo idêntico e perfil para ser superior em três vezes de uma cidade para outra.

Uma pesquisa, realizada em fevereiro por duas plataformas na internet, Bidu e Minuto Seguros, apresenta cotações para 10 veículos entre os mais comercializados recentemente em 5 capitais do Brasil. O Ford Ka teve a variação mais elevada de valores entre preços mínimos e máximos, sendo de R$ 650 no Rio de Janeiro e R$ 2.936 em Salvador, sendo uma variação de aproximadamente 350%.

O levantamento alcançou um valor médio em cada cidade, em relação a prêmios de 4 seguradoras distintas, tendo o de menor e o maior preço verificado. Totalizando, mais de 10 empresas foram verificadas. O perfil usado para as cotações completas, no momento preciso, tratou-se um homem, com 30 anos, casado, que utiliza o carro para o trabalho e percorre aproximadamente 15 km diariamente, com lugar de estacionamento em casa e no trabalho.

De forma geral, as picapes mais comercializadas do Brasil tratam-se dos modelos mais caros para as pessoas que desejam fazer seguro. A Fiat Strada possuiu o prêmio médio mais elevado em 3 capitais, sendo 2 delas para o Volkswagen Saveiro. A média de valores para seguro das picapes mais comercializadas no Brasil estiveram entre R$ 3 mil e R$ 4,1 mil.

Os preços mais elevados também possuem relações com os valores das picapes, que iniciam em R$ 40 mil, onde as outras podem ser verificadas por preços menores, desde R$ 26.990 pelo Fiat Palio Fire.

O Ford Novo Ka possui o menor prêmio em 4 cidades, tendo uma média de R$ 1.288 a R$ 1.923, próximo de 4% do preço do veículo. O modelo foi ultrapassado somente em São Paulo, pelo Chevrolet Onix, com R$ 1.745.

Dicas para baixar o seguro do carro

Se você puder, deixe o menos possível o seu carro exposto a riscos, com isso, menor será o valor do seguro. Quando há a possibilidade de deixar o veículo na garagem ou em estacionamento fechado, as chances de roubos são reduzidas. Quando a pessoa conta com uma garagem em casa, isso pode reduzir o seu preço do seguro em até 25%.

Outra dica é fazer com que os motoristas mais jovens sejam condutores mais eventuais. O fato de ser inexperiente no trânsito traz maior disposição para riscos e isso pesa no preço dos seguro. O fator acontece para pessoas com idades entre 18 a 25 anos.

Caso o jovem utilize pouco o carro, o aconselhável é que ele seja um condutor eventual, fazendo o uso de até 15% do tempo total, não precisando fazer um seguro em seu nome. Em um caso de sinistro, caso a empresa de seguros apontar que o condutor principal era o jovem e não os seus pais, a família poderá perder o direito de indenização.

Um ponto importante também é contar com equipamentos de segurança no carro, como os contra roubo, rastreadores, o que facilita no processo de localizar o veículo, diminuindo o risco da seguradora. Com isso, o valor do seguro poderá chegar a ter um desconto de até 20%. 

Felipe Couto de Oliveira


Dicas – Qual a melhor maneira de financiar um carro?


A aquisição de um veículo está entre os principais sonhos de uma pessoa, todas as responsabilidades financeiras que acompanham este sonho acabam dificultando sua concretização. A escolha do melhor seguro e os gastos com a manutenção fazem pensar que comprar não chega a ser o maior problema, mas afinal, você sabe qual a melhor maneira de financiar um veículo? Existem três opções para te ajudar na escolha que pode te ajudar a poupar e evitar possíveis dores de cabeça, o financiamento, o consórcio e o leasing.

O financiamento pelo banco funciona como uma linha de crédito para comprar um veículo novo ou usado e pode financiar até 100% do valor ou não dependendo da aprovação do banco e da sua necessidade. As taxas cobradas são a partir de 1,50% ao mês e o  prazo pode ser de até 5 anos. Cada concessionária tem sua parceria com um ou mais bancos específicos, mas isto não impede o comprador de solicitar a opção de outro banco. Em geral, a proposta pode ser feita através da internet, comparecendo a uma agência ou na própria concessionária. A desvantagem são os juros de atraso cobrados pelo banco, com direito a busca e apreensão do automóvel de acordo com o tempo.

O consórcio é um grupo de pessoas físicas e/ou jurídicas que se unem para a aquisição de um bem, este não possui taxa de adesão. Em alguns casos as parcelas que são fixas podem ser menores que as parccelas de um financiamento pelo banco. A garantia desta opção, é da própria administradora onde realizou o contrato junto ao Banco Central que é o órgão fiscalizador. As taxas variam de uma administradora para outra, porém, o que realmente é cobrado no valor das parcelas é uma taxa de administração e de fundo de reservas, no caso de desistência por exemplo, há também uma taxa de alienação se o valor total não estiver pago. Uma desvantagem, é que o consumidor não tem acesso ao carro imediatamente, é necessário ser sorteado ou dar um lance durante o pagamento.

Já o leasing, trata-se de um aluguel de veículo com a opção de compra, o chamado arrendamento mercantil. A vantagem é que o mesmo é contratado com a ausência da taxa de IOF, também menor que a taxa do CDC de um financiamento feito pelo banco. A decisão de compra pode ser a qualquer momento do contrato ou o contratante pode devolver o veículo no final do período informado. Uma desvantagem, é a liquidação das parcelas que só pode ocorrer no 24º mês, diferente das outras opções citadas. 

Em qualquer uma das opções, esteja ciente dos gastos pré definidos de um carro e suas condições financeiras durante o prazo. Aproveite as dicas e verifique as opções na hora da compra.

Maria Salete Zanirato


Dicas de Como Dirigir na Chuva, com Neblina e à Noite


Com as estações do ano todas alteradas e com chuvas que nem sempre vem naquelas estações nas quais já estávamos acostumados, os motoristas devem estar preparados para enfrentar todas e quaisquer tipo de adversidade climática ao volante, principalmente, no período noturno, quando a visibilidade dos condutores fica muito prejudicada. Pensando nesses problemas vividos por inúmeros motoristas, foi desenvolvida pelo Centro de Experimentação e Segurança Viária (CESVI), uma cartilha contendo as principais dicas de como dirigir com segurança na chuva ou com neblina no período noturno. Então, pensando na segurança, vamos repassar as principais dicas contidas nesse manual.

Primeiramente, na chuva os motoristas devem ter bastante cautela, haja vista que a realização de manobras fica mais complicadas devido à diminuição do atrito que as rodas do veículo tem com o asfalto. Outra dica muito importante é que os motoristas aumentem significativamente a distância de segurança entre um veículo e outro, uma vez que com o solo molhado e com a possível presença de resíduos de óleos deixados pelos veículos na pista, a frenagem tende a necessitar de um espaço muito maior, principalmente se for necessário imobilizar o veículo de forma repentina. Em casos de possas d’água muito grandes ou alagamentos, evite-os, pois a água pode comprometer o funcionamento de todo o conjunto do motor do veículo. Outra dica relevante é que se a chuva estiver muito forte, o condutor deve trafegar com os faróis baixos para serem visualizados com maior facilidade.

Outro problema muito crítico é a neblina. Caso o motorista depare com uma região de neblina, uma das principais e mais importantes regras é que ele não faça a utilização do farol alto, mas sim do farol baixo, mesmo durante o dia. Se existente no veículo os faróis de neblina, o condutor deverá liga-lo. Como a neblina prejudica muito a visibilidade, as ultrapassagens devem ser evitadas a não ser que o condutor tenha a total certeza da manobra que está realizando.

O certo é que em clima adverso a atenção e os cuidados devem ser redobrados, pois a incidência de acidente aumenta de forma significativa.

Por Adriano Oliveira


Volkswagen oferece Curso Gratuito de Mecânica para Mulheres


Para quem é do sexo feminino e gosta ou tem vontade de aprender coisas relacionadas ao maravilhoso mundo automobilístico ou até mesmo da mecânica e manutenção de veículos automotores. A montadora alemã Volkswagen está ofertando gratuitamente um curso de mecânica exclusivo para mulheres em 110 concessionárias da empresa distribuídas por todo o país.

O curso iniciará no dia 14 de março de 2015, às 10 horas. Apesar de ser gratuito, as oportunidades oferecidas não são poucas, pois ao todo serão distribuídas mais de 2,8 mil vagas para as candidatas de todo o Brasil.

Se você gostou dessa nobre oportunidade e deseja efetuar a sua inscrição, saiba que você poderá preencher a ficha através do portal eletrônico da Volkswagen, que é o www.vwbr.com.br, até a data limite do dia 27 de fevereiro do ano de 2015, onde também pode ser visualizada a lista completa das concessionárias participantes dessa iniciativa.

Para a efetivação da inscrição, basta apenas preencher a ficha de participação no site citado acima, com os seguintes dados: nome completo, CPF, e-mail, telefone de contato e realizar a seleção do estado no qual você deseja se inscrever.

Esse curso foi idealizado pela montadora a fim de comemorar o Dia Internacional da Mulher. O curso foi batizado com o nome de “Mecânica Interativa para Mulheres”.

A grade curricular desse curso será composta por explanações a respeito dos seguintes assuntos: funcionamento de um automóvel e o esclarecimento a respeito dos principais mitos e verdades dos veículos em geral, tais como, a velha fala de que os veículos devem estar engrenados ao descer uma ladeira, o que realmente é uma verdade e não um mito como muitos pensam e dizem por aí. Em tempo, os organizadores dessa iniciativa solicitam que as candidatas inscritas cheguem aos locais onde realizaram os seus cursos com uma antecedência de no mínimo 30 minutos.

Os inscritos receberão no início do curso um kit que conterá um caderno, um lápis, uma borracha e uma apostila, que tem como tema base as dicas práticas e úteis para o dia a dia das motoristas.

Foto: Pedro Danthas

Por Adriano Oliveira


Cuidados e Dicas de Como Limpar o Capacete


O número de motos nas ruas continua aumentando, tanto pela agilidade deste meio de transporte como também pela economia de combustível, mas os motoqueiros na grande maioria das vezes esquece de um detalhe muito importante, que é a limpeza adequada do capacete!

O capacete sujo pode acumular um grande número de germes, ácaros, bactérias e pode até mesmo vir a causar um câncer nas vias aéreas por gerar microtoxinas, por isso, é tão importante ficar atento à limpeza!

O capacete deve passar por uma limpeza mais profunda a cada 60 dias no período de calor e a cada 30 dias no período de frio.

A parte externa é mais fácil de ser limpa, pois com água e sabão neutro você pode limpar o casco e até passar aquela cera protetora, que passamos na lataria do carro, pois ajudará a proteger o capacete.

Já a viseira precisa de um cuidado extra, pois ela deve ser retirada e lavada em água corrente. Não utilize sabão ou esponja para limpar sua viseira, pois isso poderá danificá-la, principalmente se ela possuir antiembaçante, anti-raios UV, entre outros protetores.

Depois de lavada, a viseira deverá secar à sombra, naturalmente.

Por dentro, o capacete requer uma limpeza mais cuidadosa. As partes que podem ser removidas, deverão ser retiradas para que assim a limpeza possa ser feita de forma correta. Veja se o seu capacete permite a retirada do forro, da viseira e até mesmo da narigueira.

Lave cada parte separadamente, utilizando água morna, shampoo infantil ou sabão de coco. Você pode utilizar uma escova para ajudar na limpeza, desde que seja com cerdas bem macias.

A secagem deve ser feita naturalmente, à sombra, em local ventilado.

A limpeza feita em casa nem sempre garante uma total eficiência, por isso, sempre que possível você poderá optar pela higienização feita com ozônio. Este serviço é prestado por empresas especializadas e o produto é natural, não deixando nenhum odor ou resíduo em seu capacete.

O indicado é que a higienização seja feita pelo menos a cada 2 meses.

Por Russel


Dicas e Cuidados para Comprar Moto Usada ou Seminova


Você que está pensando em comprar uma moto seminova ou usada, já parou para pensar quais são os requisitos fundamentais para se viabilizar um bom negócio? E quais são os cuidados que você dever tomar para que não haja prejuízos futuros em relação a moto que você vai comprar?

Primeiramente, motos seminovas são classificadas por especialistas como motos com até dois anos de uso ou motos que tenham quilometragem máxima de 25 mil quilômetros rodados. Então, se você que está pensando em adquirir um moto seminova, observe essas dicas, pois muitos vendedores oferecem motos acima de dois anos de uso e com quilometragem maior que 25 mil quilômetros, fazendo propaganda enganosa e dizendo que a moto é seminova.

Outro fator primordial é verificar a documentação da moto, hoje em dia existem empresas especializadas em prestar serviço de vistoria, que são capazes de fornecer laudos detalhados sobre a procedência da motocicleta, relatando se a documentação está em ordem ou se a motocicleta já foi fruto de sinistro, se é um produto adquirido em leilão e até se a moto já sofreu acidente com classificação de perda total.

Agora se você tiver dúvidas em relação ao estado da moto ou em relação a quilometragem indicada, observe alguns detalhes como:

O estado da manopla, que se tiver com aspecto visual muito desgastado indica que a moto já foi bastante usada.

A pedaleira, observe o estado da pedaleira pois ela pode te indicar um uso muito acima do que a quilometragem mostrada no painel.

Olhe os estados dos pneus, pois se eles estiverem “carecas” indicam que a moto já rodou muito acima de 25 mil quilômetros e se houver diferenças de um lado ao outro, pode ser que a moto já tenha participado de eventos de corrida.

Olhe o estado das cabeças dos parafusos, pois eles indicam se a moto já teve suas carenagens e pneus trocados ou se já passaram muitas vezes na oficina para manutenção.

Então fique atento as dicas acima para fazer um bom negócio, lembre-se, se você for comprar uma moto usada de uma pessoa física, procure um amigo ou parente, pois dessa forma você poderá saber da procedência da moto, agora se você quer comprar de uma pessoa jurídica exija o seu direito de garantia, pois todas as concessionárias tem o dever de te oferecer uma garantia mínima de três meses.

Foto: G1

Por Rodrigo da Silva Monteiro


Dicas de Como Conseguir Descontos em Concessionárias


Os impostos irão encarecer mais os carros em 2015 e qualquer desconto é uma boa ideia para quem deseja começar o ano de modelo novo. Algumas situações ajudam ao consumidor, que pode solicitar valores mais atrativos na hora de negociar com a concessionária. O ideal é não ter pressa e não ceder a pressão imposta pelo vendedor, que muitas vezes, consegue levar o cliente no “papo”.

É importante ter tranquilidade, tanto na escolha do modelo que mais interessou quanto a concessionária e as condições de compra. Visite mais de uma loja, converse com o gerente, mas cuidado para não ser influenciado, principalmente se for leigo no assunto. Pesquise direito sobre o modelo, as condições de compra e não faça a compra por impulso. É importante também tomar ciência das taxas, juros (caso for financiar) e também sobre a concessionária, para verificar se ela tem boa índole.

Os modelos mais vendidos podem ser até o que passam maior credibilidade, contudo, são os que as concessionárias estão dispostas a oferecer menores descontos. Se a compra será realizada com base nos valores, fuja do top 10 para conseguir um preço mais interessante. Se aquele que mais interessa for um deles, negocie bastante. Tente fechar o negócio no fim do mês, pois os vendedores estão mais flexíveis nessa época, sobretudo se as vendas durante o decorrer do mês não foram satisfatórias.

Se você quer transparência na compra, o ideal é que seja sincero e transparente com o vendedor. Afinal, ele também é uma pessoa e pode não ser amigável com os clientes que exigem demais. Geralmente são esses que acabam pagando mais, principalmente se não forem educados com as pessoas. Seja sempre cortês e sincero, afirmando quanto pode (ou deseja) pagar, sempre prezando pelo bom senso. Lembre-se também que existem limites que o vendedor pode oferecer e ele nem sempre está disposto a chegar até ele.

Foto: Renato Araújo / ABr

Ana Rosa Martins Rocha


Dicas e Cuidados na Hora de Comprar um Carro Usado


Quem vai comprar um carro usado deve se atentar há alguns itens para evitar dores de cabeça. Inicialmente o futuro proprietário deve se atentar a documentação do veículo, verificando se o DUT está em branco e se o vendedor ou loja é confiável. O ideal consultar o Detran para saber se o automóvel está com alguma pendência, como IPVA, DPVAT ou multas não pagas. Se possível peça o laudo técnico da perícia do carro, que pode ser disponibilizado pelas revendas.

Atente-se também a mecânica do veículo e para isso é importante levar um mecânico de confiança para avaliar as condições do carro. Além disso, é importante pedir o manual do carro para verificar se todas as revisões foram feitas. O interessado ainda pode solicitar o laudo técnico para saber se o veículo sofreu algum sinistro. O cliente deve se atentar as diferenças no tom da pintura, que podem indicar batidas. Vale lembrar que Código de Defesa do Consumidor prevê que as concessionárias ofereçam pelo menos três meses de garantia para problemas nas marchas e no propulsor.

A quilometragem também deve ser avaliada, pois a partir dela é possível avaliar se o modelo apresenta muito desgaste. Se ficar na dúvida se o marcador está correto, observe se a manopla do câmbio, pedais ou o volante estão desgastados, que podem provar se a quilometragem foi alterada.

Faça um test-drive com o veículo para saber se a aparência condiz com o desempenho do carro pretendido. Vale analisar o tamanho do porta-malas, checar se os itens de série funcionam e olhar atentamente as condições de pneus e rodas. Caso o modelo tenha sido descontinuado, veja se há disponibilidade de peças e o valor para contratar o seguro.

Se for comprar de terceiros, a atenção deve ser maior para evitar dores de cabeças que vão além de comprar um carro que não atente as suas necessidades. 

Ana Rosa Martins Rocha


Manutenção do Carro – Dicas e Cuidados com os Quebra-Galhos


Carro é uma coisa que necessita de manutenção constante, mas tem épocas que o dinheiro está curto e muitos brasileiros apelam para gambiarras para poder continuar rodando com o carro sem gastar dinheiro. O famoso “jeitinho brasileiro” pode colocar a sua vida em risco, confira quais são os 5 quebra-galhos que você nunca deve fazer em seu carro:

– Desenhar o Pneu Careca:

A faca de corte é utilizada por alguns borracheiros para fazer novos riscos em pneus carecas e depois comercializados como “meia vida”. Pode parecer uma economia, mas esses riscos reduzem a resistência do pneu e pode colocar a vida dos ocupantes do carro em risco. Se quiser economizar, prefira comprar pneus que duram menos de qualidade inferior.

– Usar Martelo para Desamassar Roda:

Ao desamassar a roda o material perde a resistência e com o tempo volta a se deformar, podendo até dobrar ao meio. O melhor é comprar uma roda nova.

– Água Fria no Reservatório:

Se um carro consome muita água é sinal que está com vazamento, por isso você deve procurar um mecânico. Colocar água fria nunca é uma boa opção, pois o choque térmico pode empenar ou até mesmo trincar o cabeçote.

– Tirar a Válvula Termostática:

Quando a válvula termostática não funciona direito o carro desenvolve problemas de superaquecimento, por isso muitos motoristas tiram a válvula e não colocam outra no lugar. Aparentemente o problema está resolvido, mas se o seu veículo trabalha frio, com o tempo as peças do motor irão se desgastar de forma prematura. Em outras palavras, deixar seu carro sem a válvula é como reduzir 50% da vida do motor.

– Peças de Desmanche:

Você não tem como saber se o seu carro irá reagir bem a uma peça usada, além disso, é um reparo temporário.

Dificilmente um mecânico saberá avaliar o real estado de conservação da peça usada, principalmente se for um conjunto como caixa de direção, motor ou câmbio. As peças de desmanche só são boas opções quando se trata de itens mais simples como lanternas, maçanetas, bancos e faróis, ou seja, itens que não comprometem a segurança dos ocupantes do carro.

Por Jéssica Posenato