Dicas de Como Conseguir Descontos em Concessionárias


Os impostos irão encarecer mais os carros em 2015 e qualquer desconto é uma boa ideia para quem deseja começar o ano de modelo novo. Algumas situações ajudam ao consumidor, que pode solicitar valores mais atrativos na hora de negociar com a concessionária. O ideal é não ter pressa e não ceder a pressão imposta pelo vendedor, que muitas vezes, consegue levar o cliente no “papo”.

É importante ter tranquilidade, tanto na escolha do modelo que mais interessou quanto a concessionária e as condições de compra. Visite mais de uma loja, converse com o gerente, mas cuidado para não ser influenciado, principalmente se for leigo no assunto. Pesquise direito sobre o modelo, as condições de compra e não faça a compra por impulso. É importante também tomar ciência das taxas, juros (caso for financiar) e também sobre a concessionária, para verificar se ela tem boa índole.

Os modelos mais vendidos podem ser até o que passam maior credibilidade, contudo, são os que as concessionárias estão dispostas a oferecer menores descontos. Se a compra será realizada com base nos valores, fuja do top 10 para conseguir um preço mais interessante. Se aquele que mais interessa for um deles, negocie bastante. Tente fechar o negócio no fim do mês, pois os vendedores estão mais flexíveis nessa época, sobretudo se as vendas durante o decorrer do mês não foram satisfatórias.

Se você quer transparência na compra, o ideal é que seja sincero e transparente com o vendedor. Afinal, ele também é uma pessoa e pode não ser amigável com os clientes que exigem demais. Geralmente são esses que acabam pagando mais, principalmente se não forem educados com as pessoas. Seja sempre cortês e sincero, afirmando quanto pode (ou deseja) pagar, sempre prezando pelo bom senso. Lembre-se também que existem limites que o vendedor pode oferecer e ele nem sempre está disposto a chegar até ele.

Foto: Renato Araújo / ABr

Ana Rosa Martins Rocha


Dicas e Cuidados na Hora de Comprar um Carro Usado


Quem vai comprar um carro usado deve se atentar há alguns itens para evitar dores de cabeça. Inicialmente o futuro proprietário deve se atentar a documentação do veículo, verificando se o DUT está em branco e se o vendedor ou loja é confiável. O ideal consultar o Detran para saber se o automóvel está com alguma pendência, como IPVA, DPVAT ou multas não pagas. Se possível peça o laudo técnico da perícia do carro, que pode ser disponibilizado pelas revendas.

Atente-se também a mecânica do veículo e para isso é importante levar um mecânico de confiança para avaliar as condições do carro. Além disso, é importante pedir o manual do carro para verificar se todas as revisões foram feitas. O interessado ainda pode solicitar o laudo técnico para saber se o veículo sofreu algum sinistro. O cliente deve se atentar as diferenças no tom da pintura, que podem indicar batidas. Vale lembrar que Código de Defesa do Consumidor prevê que as concessionárias ofereçam pelo menos três meses de garantia para problemas nas marchas e no propulsor.

A quilometragem também deve ser avaliada, pois a partir dela é possível avaliar se o modelo apresenta muito desgaste. Se ficar na dúvida se o marcador está correto, observe se a manopla do câmbio, pedais ou o volante estão desgastados, que podem provar se a quilometragem foi alterada.

Faça um test-drive com o veículo para saber se a aparência condiz com o desempenho do carro pretendido. Vale analisar o tamanho do porta-malas, checar se os itens de série funcionam e olhar atentamente as condições de pneus e rodas. Caso o modelo tenha sido descontinuado, veja se há disponibilidade de peças e o valor para contratar o seguro.

Se for comprar de terceiros, a atenção deve ser maior para evitar dores de cabeças que vão além de comprar um carro que não atente as suas necessidades. 

Ana Rosa Martins Rocha