BMW anuncia novidades para os próximos anos


Entre os investimentos da empresa está o lançamento de um modelo autônomo

A grande e renomada empresa fabricante de veículos automotores BMW anunciou oficialmente nesta última quinta-feira, dia 12 de maio de 2016, que irá trabalhar a todo vapor na produção de um veículo automotor autônomo, ou seja, que dispensa a presença de um condutor. Segundo as estimativas da empresa este veículo irá chegar ao mercado no ano de 2021. Para se ter uma noção do quanto os planos da fabricante já estão bem avançados este veículo já possui até mesmo nome e se chamará i NEXT e será movido por um propulsor elétrico, daí o “i” como inicial do nome, designação esta que é dada aos veículos da marca com este tipo de propulsão.

Atualmente, a gama de elétricos da BMW conta com dois veículos, sendo estes o híbrido i8 e o compacto i3, modelos estes que têm o motor elétrico trabalhando em conjunto com o motor a combustão, mas os planos da empresa é que esta gama ganhe novos componentes a partir do ano de 2018.

No último mês de março, a fabricante apresentou um novo conceito autônomo, o qual foi batizado com o nome de Vision Next 100, fato este que indica que tendências para o próximo centenário da empresa.

Além da submarca “i”, a BMW irá oferecer novas versões híbridas, as quais serão denominadas “plug-in”, ou seja, modelos em que as baterias podem ser recarregadas até mesmo em tomadas, esse veículo será disponibilizado nas versões dos veículos Série 2, Série 7, Série 3 e X5.

O momento na BMW é de muitas especulações, pois não só o público apaixonado pela marca como também os especialistas do ramo automobilístico já estão prevendo que várias novidades estão para chegar, tanto que já foi confirmado pela empresa lançamento em breve de um novo modelo na categoria de luxo, contudo sem dar maiores detalhes a respeito do modelo.

O CEO da fabricante antecipou ainda que a família dos SUVs ganhará mais um membro que será o X7, mas essa novidade só chegará ao mercado no ano de 2018. Outra novidade é o fato de a Rolls-Royce, marca que pertence ao grupo, também irá lançar um novo modelo, o qual está em fase de projeto e este projeto foi batizado com o nome de Cullinan.

Por Adriano Oliveira


FCA e Google se unem em parceria para desenvolvimento de carros autônomos


No início deste mês a FCA e o Google decidiram anunciar a mais nova parceria com o objetivo principal de desenvolver e testar novas tecnologias de condução autônoma de veículos produzidos pelo grupo Fiat Chrysler Automobiles. De acordo com as informações divulgadas até o momento a previsão é que a produção inicial seja de 100 unidades da minivan híbrida Chrysler Pacifica que, por sua vez, receberá os sistemas do Google.

Tecnicamente o projeto em si já chama a atenção. Afinal é a primeira vez que a gigante da tecnologia se junta com alguma montadora tradicional com o objetivo de dar mais amplitude aos estudos. Antes disso, o projeto que envolvia a criação de um carro autônomo pelo Google vinha sendo levado adiante em testes feitos em protótipos que a própria empresa fabricava ou então com modelos SUVs da Lexus. Ainda assim não havia nenhuma espécie de contrato oficial.

Sergio Marchionne, CEO do FCA destacou que a oportunidade de trabalhar em parceria com o Google significa uma grande chance para que as duas companhias impulsionem o ritmo de inovação no setor automobilístico. Em comunicado ele ainda acrescentou que a parceira será produtiva para os dois lados e que será fundamental para gerar impactos positivos e benefícios para os consumidores nessa área.

Sobre o projeto em si a informação que se tem é que tanto engenheiros da FCA quanto do Google passem a trabalhar juntos com a finalidade de avançar nos estudos nesse sentido.

A parceria também deve provocar uma certa agilidade nos testes. Já para este ano há a previsão de que as unidades adaptadas do Pacífica sejam testadas na Califórnia em um campo fechado. A próxima etapa ( e depois de melhorado) será testar o carro em vias públicas a exemplo do que o Google já fez com outros carros.

O Google, por sua vez, manifestou-se a respeito da parceira dizendo que a oportunidade irá tornar mais rápido todos os esforços para a criação de um carro que seja completamente autônomo.

De acordo com informações da FCA as 100 minivans praticamente irão mais do que dobrar a atual frota que a empresa possui.

Já fazem dois anos que o Google deixou de lado as especulações e passou para a ação na criação de carros autônomos. Dos primórdios até o hoje a companhia já evoluiu muito nesse sentido levando seus protótipos para cidades controladas e vias públicas.

Por Denisson Soares


Uber pretende investir em frota de carros autônomos


Uber pretende usar veículos autônomos.

O Uber, que oferece o serviço de transporte urbano que ficou famoso recentemente, tem sondado diversas organizações do segmento de automóveis, segundo empresas deste setor, pois pretende realizar um grande pedido de veículos autônomos, sim, aqueles que se deslocam sem a necessidade de um motorista.

A empresa (Uber), que soma déficits, conseguiria fazer grandes economias ao cortar gastos com motoristas, ao iniciar o uso de veículos autônomos. Mercedes-Benz, Audi e as fornecedoras de componentes Continental e Bosch estão realizando projetos para carros semi-autônomos e autônomos.

Recentemente, uma publicação da Manager Magazin informou que o Uber realizou um pedido de no mínimo 100 mil sedans S-Class, da montadora Mercedes.

Já uma outra fonte do setor automobilístico informou que nenhum pedido foi feito diante da montadora alemã. Nem o Uber e nem a Mercedes quiseram dar informações sobre o boato.

Empresários da indústria de automóveis contam que possuem um certo receio em manter acordos com companhias de tecnologia relativamente novas, pois podem ameaçar seus modelos de negócios, os quais se baseiam em venda e manufatura de veículos.

Os carros autônomos até um tempo atrás eram considerados um sonho longe de ser conquistado, mas com a busca por novas tecnologias e diversos novos investidores no setor, como a gigante Google, o projeto acabou se tornando viável e alcançando novas dimensões.

Veículos completamente autônomos não deverão ser disponibilizados até o ano de 2025 ou então 2030, devido à necessidade de adequações legislativas.

As montadoras também passaram a investir nessa tecnologia, pois cresce o medo de perder a corrida para empresas de tecnologia, e já até pensam em possuir a própria frota de carros autônomos.

O presidente da montadora BMW, disse que a geração atual está passando do hardware para os serviços e software. Com isso a empresa informou que se concentrará em carros autônomos e também elétricos.

O maior impedimento de viabilizar a ideia até o momento é o fato de não possuir um responsável no momento de um possível acidente. Este é o motivo que a legislação de todos os países exige um motorista presente fisicamente.

Porém, isso está bem perto de mudar. No mês de fevereiro, o governo dos Estados Unidos permitiu que o Google realizasse teste com carros sem motoristas.

Por Filipe Silva

Uber

Foto: Divulgação