Calendário de Pagamento do IPVA 2019


O calendário de vencimentos do IPVA 2019 já está disponível para consulta.

O DETRAN já começou a divulgar as datas para o pagamento do IPVA 2019, que deve ser pago a partir de janeiro em todo território nacional.

O IPVA é o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores, criado através do RENAVAM, que é o Registro Nacional de Veículos Automotores no site estadual do DETRAN.

Nesse próximo ano haverá um desconto de 3% no valor do IPVA 2019 caso o proprietário do veículo queira quitar o valor de forma única já no primeiro mês do ano. Caso o pagamento seja feito em 3 parcelas, entre janeiro, fevereiro e março, de acordo com o final das placas, o pagamento perde o desconto.

Para proprietários de motos, vans e ônibus o pagamento do seguro obrigatório DPVAT deve ser feito junto ao IPVA 2019, podendo ser pago de forma integral com a primeira parcela ou também dividido em 3 vezes.

Qual o valor do IPVA 2019?

O valor do imposto varia de acordo com cada veículo. Por exemplo, veículos a gasolina ou modelos que sejam flex, o valor do IPVA costuma ser de 4% do valor venal do veículo. A tabela para pagamento pode ser consultada através do Site da Secretaria da Fazenda de cada estado.

Onde posso fazer o pagamento do IPVA do meu veículo?

O pagamento do IPVA 2019 pode ser feito através da internet, em caixas lotéricas, ou caixas eletrônicos de bancos que são credenciados com o Detran. No site da Secretaria da Fazenda www.fazenda.sp.gov.br, é possível encontrar o registro do seu veículo. Basta ter o código do Renavan e a consulta pode ser feita, assim como o pagamento.

Se você ainda não tiver acesso à internet banking do seu banco, também há a opção de imprimir o boleto e fazer o pagamento por vias tradicionais em caixas eletrônicos ou na boca do caixa de qualquer agência conveniada.

Se eu não pagar o IPVA 2019?

O proprietário que não fizer o pagamento do valor do IPVA na data do vencimento, fica sujeito a multa de 0,33% ao dia com juros de mora. Se o condutor deixar exceder ainda o prazo de 60 dias, o percentual da multa vai para 20% sobre o valor do imposto. Depois disso o nome é inscrito em dívida ativa, e a multa chega aos 100% do valor do IPVA 2019, além da inclusão do nome do condutor mediante protesto.

É válido ressaltar ainda, que o não pagamento do IPVA 2019, não dá o direito de licenciamento do veículo, que pode acarretar em apreensão do mesmo, que é considerado multa gravíssima, e leva a perda de 7 pontos da Carteira Nacional de Habilitação.

Tabela de pagamento para o IPVA 2019

O calendário de vencimentos do IPVA 2019 para carros, motos, caminhonetes, ônibus e similares, é feito a partir do número final de cada placa.

Primeira parcela do IPVA

Final de placa 1: 11/01

Final de placa 2: 12/01

Final de placa 3: 13/01

Final de placa 4: 14/01

Final de placa 5: 15/01

Final de placa 6: 18/01

Final de placa 7: 19/01

Final de placa 8: 20/01

Final de placa 9: 21/01

Final de placa 0: 22/01

Segunda Parcela do IPVA

Final de placa 1: 11/02

Final de placa 2: 12/02

Final de placa 3: 15/02

Final de placa 4: 16/02

Final de placa 5: 17/02

Final de placa 6: 18/02

Final de placa 7: 19/02

Final de placa 8: 22/02

Final de placa 9: 23/02

Final de placa 0: 24/02

Terceira Parcela do IPVA

Final de placa 1: 11/03

Final de placa 2: 14/03

Final de placa 3: 15/03

Final de placa 4: 16/03

Final de placa 5: 17/03

Final de placa 6: 18/03

Final de placa 7: 21/03

Final de placa 8: 22/03

Final de placa 9: 23/03

Final de placa 0: 24/03

Para consultar o site da Secretaria da Fazenda (internet.sefaz.es.gov.br) a partir de Janeiro.

Por Susan NogArt

IPVA 2019


Novo padrão de placas começa a ser usado no Brasil


Rio de Janeiro começou a utilizar o novo padrão de placas do Mercosul.

Os proprietários de carros sabem que ao comprarem um automóvel precisam ficar atentos a diferentes questões envolvendo o mundo automobilístico. Uma vez que as montadoras, os órgãos estaduais e federais sempre realizam mudanças em diferentes normas para que os veículos possam circular livremente pelas ruas do país. E para que o motorista não tenha a sua habilitação comprometida é necessário que ele sempre fique atento a qualquer notícia. E o mais novo deste universo é a respeito de um novo padrão para as placas dos carros brasileiros seguindo o formato usado em veículos que circulam na região do Mercosul. Saiba agora todas as informações a respeito dessa mudança.

As primeiras informações a respeito das placas usadas no Mercosul que vão ser usadas em território nacional

O primeiro ponto que precisa ser explicado é que as placas que estão sendo mencionadas neste texto são as placas de identificação dos veículos. Isso parece meio óbvio. Mas, mesmo assim é preciso deixar todos os pontos esclarecidos. A ideia de unificação ou padronização das placas dos carros que circulam pelo Mercosul acontece há alguns anos. Em alguns países dessa região isso já acontece.

Entretanto, em território nacional, essa iniciativa algumas vezes parecia que de fato iria ser adotada e em outros momentos não. Mas, na data de 11 de setembro de 2018, ficou acordado que o Brasil passará a usar as placas com o mesmo design e com as mesmas informações das placas usadas no Mercosul. O responsável por divulgar essa notícia foi o Departamento Estadual de Trânsito do estado do Rio de Janeiro, o DETRAN/RJ. Como foi o órgão fluminense o responsável pelo anúncio, a medida vai ser adotada inicialmente nos carros que possuem a placa do Rio de Janeiro. Segundo algumas informações do DETRAN/RJ, o custo para essa mudança será de R$ 219,35. Esse é o preço atual para que um motorista emplaque o seu carro no Rio de Janeiro.

Um ponto importante para os motoristas de placas cariocas, é que o objeto vai ser mudado inicialmente para os veículos novos ou carros que tiveram a placar estragada, por algum motivo e precisam colocar uma nova identificação. Ou ainda em caso de venda do veículo ou outras situações em que o carro vai ser retirado do estado, por exemplo. Os donos de automóveis mais antigos podem adotar a nova placa, basta pagar as taxas dessa alteração. Para que assim, ele esteja em dia com todos os requisitos do seu veículo.

Como será a nova placa, as informações que ela vai trazer?

No Brasil, hoje em dia, se tem diferentes placas, e elas são representadas por diferentes cores. Pois, essas tonalidades significam que aquele automóvel está encaixado em algum grupo particular. Por exemplo, os carros que contam a placa com o fundo preto, correspondem a veículos antigos, com algumas décadas de uso, de colecionadores. Os com a predominância cinza na placa são automóveis comuns usados pelos motoristas e assim se tem mais variantes.

Com essa nova lei de padronização, a ideia é que todas as placas tenham de fundo a cor branca e uma faixa azul na parte superior. O que vai determinar se o veículo é particular ou de colecionador é a cor das letras que também será a mesma usada nas bordas das placas. Assim, com essas novas regras, as cores foram divididas para atender as seguintes categorias:

– Preto: particular, carro utilizado para os motoristas em geral.

– Violeta: colecionador.

– Vermelho: comercial.

– Laranja: diplomático.

– Verde: especial.

– Azul: oficial.

Além disso, as placas vão conter as já tradicionais três letras. E ao invés dos quatro números, nesta nova placa vai se ter um número, uma letra e mais dois números. Além disso, nela vão estar presente diferentes símbolos e marcas que ajudarão a verificar sua autenticidade. Os exemplos de alguns símbolos são: marca d’água, domicílio de registro (UF-município), faixa holográfico e outros. Por fim, uma informação importante é que ainda não se tem uma data estimada para que os outros estados adotem essa nova exigência quanto às placas, isso deve acontecer de forma gradual.

Para mais informações acesse: http://www.detran.rj.gov.br.

Por Isabela Castro

Placa Mercosul


CRLVe – Documento do carro na versão digital


O CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo) também será disponibilizado de maneira digital para todos os usuários até a data limite de 31 de dezembro de 2018.

No dia 27 de Agosto de 2018 o Ministério das Cidades apresentou mais uma nova tecnologia com o intuito de integrar e agilizar a portabilidade de documentos dos automóveis, o CRLVe. Com isso, o Contran (Conselho Nacional de Trânsito) determinou para todos os Detrans em território nacional que o nosso velho conhecido CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo) também seja disponibilizado de maneira digital para todos seus usuários até a data limite de 31 de Dezembro de 2018.

A novidade acompanha a já presente CNHe (Carteira Nacional de Habilitação Eletrônica), o primeiro Detran a disponibilizar a tecnologia é do Distrito Federal e a expectativa é que os demais passem a adotar o novo meio eletrônico nos próximos meses.

Além da facilidade e portabilidade do uso do documento, destaca-se também a segurança e a veracidade das informações contidas nele através da tecnologia do QR Code, permitindo a checagem imediata do documento por fontes fiscalizadoras.

O acesso pode ser feito pelo próprio aplicativo da CNHe (Carteira Digital da Habilitação), se o usuário não tiver seu app atualizado, ele pode fazer o download através das novas versões disponibilizados tanto na App Store como também no Google Play.

O cadastro para visualização do documento é simples bastando informar o número do Renavam inscrito no documento e seu código de segurança.

Para aqueles que desejam obter uma cópia de segurança, existe a possibilidade de fazer download do documento em formato PDF com sua assinatura digital (necessitando também de um certificado digital para isto). Esta cópia funciona da mesma maneira que uma cópia autenticada e tem a vantagem de não requerer uma conexão de Internet para seu uso e visualização.

Principais Vantagens da CRLVe

Interessou-se pelo novo documento? Abaixo selecionamos algumas informações adicionais que podem lhe ser úteis sobre esta nova tecnologia:

1. Qual é custo do novo documento?

Isso dependerá da determinação de cada Detran em seu respectivo estado, não existe uma regra ou preço mínimo, mesmo que a disponibilização da CRLVe seja gratuita, qualquer usuário irá continuar pagando todas as taxas normais para o licenciamento do veículo.

2. Adotar o CRLVe traz quais benefícios?

O principal dele é a agilidade na fiscalização de todas as autoridades no país, atestando a autenticidade do documento pelo sistema QR Code e a possibilidade de resguardar o documento físico em local seguro, protegido de furtos e perdas.

3. Alguma coisa irá mudar no licenciamento do veículo?

Nos custos e taxas nada mudam, porém para obter o documento digital é necessário quitar todos os débitos relacionados ao veículo que irá licenciar, da mesma forma que o licenciamento convencional para obter o documento físico.

4. E quem possui mais de um veículo?

O aplicativo disponibilizado para leitura e visualização do CRLVe permite a inscrição de várias CRLVe(s) relacionadas a outros veículos, para isto é sempre importante informar os códigos Renavam e os códigos de segurança de cada veículo no ato do cadastro.

5. O CRLVe irá mostra o histórico do veículo ou do motorista?

Nesta primeira versão não. O CRLVe digital só esta apresentando o ano em que o veículo foi licenciado, porém nada impede que versões futuras possibilitem cruzar dados e informar qualquer tipo de irregularidade com o veículo ou mesmo o proprietário.

6. O CRLVe só funciona pela Internet?

Não, o acesso é requerido em um primeiro momento para uso do aplicativo e identificação do documento, depois desta etapa ele fica armazenado no dispositivo que foi utilizado para o cadastro, possibilitando sua visualização sem uma conexão de internet.

7. Qualquer pessoa pode obter o CRLVe?

Nesta primeira versão não, o CRLVe está diretamente atrelado ao número de celular, informado pelo usuário no momento do cadastro, porém o Governo promete disponibilizar uma futura versão aonde diversos usuários podem compartilhar um mesmo documento digital.

Por Carlos B.

CRLVe


Carros com Menor Desvalorização de Mercado


Confira os modelos de carros com menor desvalorização de mercado no Brasil.

A aquisição de veículos de segunda mão é muito intensa no Brasil, movimentando muito dinheiro e investimento. Entretanto, é fato que os carros zerados assim que saem das concessionárias perdem valor. Deste modo, os melhores veículos a se investir as economias serão aqueles que menos desvalorizam no País. Recentemente foi publicado um estudo estatístico, encomendado à Agência Autoinforme, baseado na cotação chamada Molicar, o qual tornou clara uma relação dos modelos mais vendidos no Brasil, e que, por conseguinte, possuem muito mais liquidez.

Automóveis considerados como “best-sellers” possuem maior credibilidade no mercado de usados, tornando-se excelentes oportunidades para os consumidores de seminovos. Outro estudo revelou 132 modelos muito vendidos e com grande desvalorização no mercado de segunda mão, de 24 marcas, que sofreram depreciação devido a uma série de fatores do mercado atual.

Uma pequena relação de seminovos mais recomendáveis, com menor desvalorização segue abaixo. Nem todos os veículos desse rol puderam ser elencados, porém, os modelos que compõem a lista a seguir estão entre os melhores.

1 – o Honda HR-V, com depreciação de apenas 8,8%. Trata-se de um SUV compacto e entre os mais vendidos do País. Possui excelente desempenho, dado que a companhia japonesa o equipou com um motor de tipo 1.8 e desempenho de 140 CV.

2 – o Jeep Compass, com depreciação de apenas 9,1%. Lidera o segmento dos utilitários, ocupando uma posição privilegiada entre os carros mais populares, aparelhado com um motor tipo 2.0 e desempenho de 166 CV.

3 – o Chevrolet Onix, com depreciação de apenas 9,2%. Líder total, ocupando a terceira colocação de um Hatch de entrada na Chevrolet. Equipado com um motor de 1.0 e desempenho de 80 CV.

4 – o Fiat Toro; o Nissan Kicks; o Toyota Corolla e o Volkswagen Up!. Com depreciação de apenas 9,3%. São quatro modelos que empatam em termos de valorização e comércio. Algumas versões dos veículos acima descritos estão disponíveis por valores que variam entre 79.400 e 29.200 mil reais.

5 – o Honda Fit, com depreciação de apenas 9,7%. Aparelhado com um motor de 1.5 e desempenho de 116 CV.

6 – o Hyundai HB20S, com depreciação de apenas 10,2%. Equipado com motor de tipo 1.0 (1.6 litro), portando a garantia de fábrica por um prazo de cinco anos.

7 – o Honda City, com depreciação de apenas 10,3%. Equipado com um motor de tipo 1.5 litro e desempenho de 116 CV.

8 – o Renault Duster Oroch, com depreciação de apenas 10,4%. Este não está entre os mais vendidos, porém, está entre os mais consistentes. Sua qualidade e desempenho garantem bom lucro na revenda. Está aparelhado com um motor de tipo 1.6, com opção de 2.0, conforme a versão.

9 – o Honda Civic e o Toyota Etios, com depreciação de apenas 10,5%. Estão entre os modelos mais atraentes e vendidos das companhias japonesas; muito consistentes e econômicos. O Honda Civic possui, em sua linha, versões equipadas com motor de tipo 2.0 e desempenho de até 155 CV e motor de tipo 1.5 turbo, com desempenho de até 173 CV. O Toyota Etios está aparelhado com um motor do tipo 1.3 e desempenho de 98 CV. Os preços giram em torno de 36.200 mil reais na rede de Seminovos Unidas.

10 – o Toyota Etios Sedan, com depreciação de apenas 10,6%. Seu valor chega a 41.700 mil reais na rede Seminovos Unidas. Equipado com um motor de 1.5 e desempenho de 107 CV.

Todos os valores anunciados neste artigo podem sofrer alterações, portanto, é muito importante manter-se atualizado sobre cada modelo, versão, ano, rodagem e demais especificações.

Por Paulo Henrique dos Santos

Honda HR-V


SUVs Mais Econômicos do Brasil em 2018


Confira os 5 SUVs com câmbio manual mais econômicos do Brasil no ano de 2018.

O mercado de SUVs está bombando não só no mundo como no Brasil. Montadoras lançam cada vez mais produtos e versões para todos os gostos e bolsos, segmentos antes tradicionais como sedans médios tendem a diminuir, outros até sumir, como o de peruas (station-wagon), tudo isso graças ao porte, segurança e custo-benefício mais atraente proporcionado pelos SUVs.

De uns tempos para cá, as opções se diversificaram bastante, isto se deve não só ao gosto do consumidor entendido claramente pelos fabricantes como também pelas novas opções de modelos. Até então montadoras antes tradicionais aos seus nichos, por uma questão de sobrevivência e também inovação precisaram se adaptar a nova realidade.

Esta grande variedade de carros se traduz também nos preços e condições de pagamento, beneficiando claramente o consumidor que pode pesquisar muito para tomar uma boa decisão de compra em um mercado cada vez mais competitivo.

Os mais econômicos em consumo

Porém, não basta somente fazer uma boa compra, seja ela compatível com o seu bolso ou gosto, é preciso também pensar no custo de manutenção futura do veículo e principalmente no consumo de combustível diário e mensal, veículos mais econômicos tendem a ser mais eficientes, tanto pela tecnologia embarcada como também pela proposta oferecida na compra.

O portal de notícias IG em sua página específica voltada a notícias de Carros, enumerou os cinco SUVs mais econômicos do mercado com base nos dados publicados e coletados no Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia).

Para democratizar e nivelar a lista, foram escolhidos somente SUVs com câmbio manual de categorias compactas. Vamos à lista e aos comentários abaixo:

Primeiro Colocado: Ford EcoSport, versão Freestyle com motor 1.5. Média de 12,35 quilômetros por litro, tendo gasolina como combustível.

Isto se deve ao eficiente motor de três cilindros com 137 cavalos de potência, que ainda consegue consumir na média de 11,6 quilômetros por litros de gasolina na cidade.

A Ford oferece a EcoSport inicialmente por R$ 76.690,00.

Ford Ecosport Freestyle

Segundo Colocado: Nissan Kicks com motor 1.6. Média de 12,05 quilômetros por litro, tendo gasolina como combustível.

O Kicks se tornou um sucesso de mercado graças aos seus atributos, dentre eles a economia de combustível, por pouco não foi o campeão da lista, oferecido a partir dos R$ 73.190,00, ele também não decepciona na cidade com a média de 11,1 quilômetros por litros, rodando sempre a gasolina.

Nissan Kicks 1.6

Terceiro Colocado: JAC T40 com motor 1.5. Média de 11,9 quilômetros por litro, tendo gasolina como combustível.

O T40, importado pela JAC é menor que seus concorrentes diretos e também mais barato, partindo dos R$ 59.990,00, mesmo assim não faz feio com seu motor 1.5 flexível rendendo até 127 cavalos de potência, uma ótima escolha ressaltando a evolução da mecânica e produção dos automóveis chineses.

JAC T40 1.5

Quarto colocado: Peugeot 2008 com motor 1.6 THP. Média de 11,5 quilômetros por litro, tendo gasolina como combustível.

A Peugeot oferece o SUV 2008 com motor turbo de 1.6, com excelentes 173 cavalos de potência, domados por um câmbio manual de seis marchas, apesar de estar posicionado no final da lista, sua dirigibilidade e principalmente potência equilibram e compensam bastante seu conjunto como um todo.

Peugeot 2008 1.6

Quinto e último colocado: Honda HR-V com motor 1.8 na versão LX. Média de 11,25 quilômetros por litro, tendo gasolina como combustível.

Mesmo com um motor de arquitetura antiga, o Honda HR-V conseguiu desbancar outros modelos com proposta mais modernas com Hyundai Creta e Chery Tiggo, mérito para os seus 139 cavalos de potência disponibilizados e um torque de 17,4 kgfm, fazendo muito sucesso ainda entre muitos consumidores.

Honda HR-V 1.8

Agora é comparar e escolher o que mais cabe no seu bolso e nas suas necessidades de locomoção.

Por C. B.


Capacidade de Carga dos Pneus


Os pneus são itens muito importantes, sendo necessário considerar a capacidade de carga, a adequação ao veículo, as dimensões, a velocidade limite e a qualidade do material para manter a segurança do veículo.

Um dos itens mais importantes para a segurança de um veículo, e também um dos mais negligenciados, são os pneus. Por apresentarem preços altos no mercado, a maioria dos consumidores acaba por levar o tipo de pneu mais barato, um fator que auxilia a diminuir a segurança do veículo.

Portanto, antes de adquirir um pneu, é necessário considerar a capacidade de carga, a adequação ao veículo, as dimensões, a velocidade limite e, especialmente, a qualidade do material. Além de tudo isso, é necessário também observar o estado do pneu depois do uso.

Limite de velocidade do pneu com carga máxima

Uma das coisas que as pessoas não prestam muita atenção em um pneu é o seu limite de velocidade, que, geralmente, está indicado no próprio pneu por uma letra, variando de J a Y. Porém, é preciso ressaltar que algumas letras inscritas no pneu não se referem à velocidade, como, por exemplo, a letra “R”, que se refere ao radial.

Para ficar por dentro do assunto, veja abaixo a tabela dos limites de velocidade, com carga máxima, para cada tipo de pneu:

  • Pneu J: limite de 100 km/h;
  • Pneu K: limite de 110 km/h;
  • Pneu L: limite de 120 km/h;
  • Pneu M: limite de 130 km/h;
  • Pneu N: limite de 140 km/h;
  • Pneu P: limite de 150 km/h;
  • Pneu Q: limite de 160 km/h;
  • Pneu R: limite de 170 km/h;
  • Pneu S: limite de 180 km/h;
  • Pneu T: limite de 190 km/h;
  • Pneu H: limite de 210 km/h;
  • Pneu V: limite de 240 km/h;
  • Pneu W: limite de 270 km/h;
  • Pneu Y: limite de 300 km/h.

Limite de carga de pneus

Assim como os pneus têm limite de velocidade, eles também possuem um número de carga máxima suportada. Essa tabela tem extensão que vai além da que se encontra abaixo, mas as capacidades mais comuns, principalmente, em carros, vistas nos pneus se encontram nesta tabela.

Veja a seguir o limite da capacidade de cargas de cada pneu:

  • Pneu tipo 70: limite de 335 kg;
  • Pneu tipo 71: limite de 345 kg;
  • Pneu tipo 72: limite de 355 kg;
  • Pneu tipo 73: limite de 365 kg;
  • Pneu tipo 74: limite de 375 kg;
  • Pneu tipo 75: limite de 387 kg;
  • Pneu tipo 76: limite de 400 kg;
  • Pneu tipo 77: limite de 412 kg;
  • Pneu tipo 78: limite de 425 kg;
  • Pneu tipo 79: limite de 437 kg;
  • Pneu tipo 80: limite de 450 kg;
  • Pneu tipo 81: limite de 462 kg;
  • Pneu tipo 82: limite de 475 kg;
  • Pneu tipo 83: limite de 487 kg;
  • Pneu tipo 84: limite de 500 kg;
  • Pneu tipo 85: limite de 515 kg;
  • Pneu tipo 86: limite de 530 kg;
  • Pneu tipo 87: limite de 545 kg;
  • Pneu tipo 88: limite de 560 kg;
  • Pneu tipo 89: limite de 580 kg;
  • Pneu tipo 90: limite de 600 kg;
  • Pneu tipo 91: limite de 615 kg;
  • Pneu tipo 92: limite de 630 kg;
  • Pneu tipo 93: limite de 650 kg;
  • Pneu tipo 94: limite de 670 kg;
  • Pneu tipo 95: limite de 690 kg;
  • Pneu tipo 96: limite de 710 kg;
  • Pneu tipo 97: limite de 730 kg;
  • Pneu tipo 98: limite de 750 kg;
  • Pneu tipo 99: limite de 775 kg;
  • Pneu tipo 100: limite de 800 kg.

Para caminhões e ônibus, a carga limite do pneu pode variar entre 800 kg e 10.900 kg. Dessa forma, é preciso ter conhecimento de qual pneu é adequado para uso no seu tipo de veículo. Além disso, é extremamente recomendado que a velocidade limite do pneu não seja ultrapassada, mesmo que a carga não esteja completa, além de que não se deve carregar peso acima do que o pneu do veículo diz suportar.

Por Aurenivia Alves Pereira

Pneus


Alienação Fiduciária – Como retirar a expressão do documento do veículo


O processo de retirada do termo ocorre após o órgão credor comunicar o fato ao órgão de trânsito em que o veículo foi registrado, no caso seria o Detran que atua no âmbito estadual.

É bastante comum pessoas comprarem carros financiados e em algum momento decidirem vendê-los. Contudo a questão do financiamento deixa muitas dúvidas tanto para quem compra quanto para quem vende, pois nestes casos entramos em um ponto denominado “alienação fiduciária”.

Para quem desconhece o termo, ele consta nos documentos de veículos que são financiados. Assim, quando você analisar o documento de um carro e verificar que no campo das observações consta o termo “alienação Fiduciária” isso significa que o carro ainda não está totalmente pago e, por isso, não poder ser vendido ou comprado.

Até aí tudo bem, essa observação no documento é na verdade um alerta para que o carro não seja negociado e no meio dessa negociação eventuais problemas possam surgir e complicar a vida tanto de quem compra quanto de quem vende.

Mas o problema maior está no fato de que muitas vezes o veículo é totalmente pago, contudo em seu documento ainda fica constando o termo de alienação, o que pode atrapalhar em caso de venda ou compra.

Em termos legais, a descrição no documento indica a existência de um contrato firmado entre um consumidor ou pessoa física e uma entidade de financiamento, o que significa que ainda há o débito que os vincula, não sendo o carro totalmente do comprador até que toda a dívida seja paga.

Segundo informações do Denatran, que é o Departamento Nacional de Trânsito o termo se refere a uma transferência que é feita por um indivíduo devedor para um órgão ou instituição credora cuja propriedade é resolúvel e que dá o direito de posse de caráter indireta do carro, como garantia do débito, em que se resolve como direito do comprador o adimplemento da obrigação, que nada mais é que o pagamento do débito de forma garantida.

Muitas pessoas se perguntam o porquê no documento do carro o termo aparece. Mas a resposta está no fato de que se trata de um alerta sobre uma restrição administrativa existente que quando disposta no documento objetiva levar ao impedimento de uma possível transferência entre proprietários, até que o carro esteja totalmente quitado e assim podendo ser transferido sem maiores problemas. Afinal, um carro que não é totalmente de uma pessoa, por não estar totalmente quitado não pode ser passado para terceiros, pois assim de quem ficaria a responsabilidade de seu pagamento?

Mas quando o financiamento termina, o Denatran informa que automaticamente o termo deveria ser retirado do documento do seu então proprietário.

O processo de retirada do termo ocorre após o órgão credor comunicar o fato ao órgão de trânsito em que o veículo foi registrado, no caso seria o Detran que atua no âmbito estadual. Assim, o Detran no prazo de 10 dias úteis tem a obrigação de retirar o termo da documentação em questão. Porém, o que deveria acontecer de forma automática e eletrônica, na maioria das vezes, não ocorre.

Há casos em que pessoas que quitaram seus veículos há mais de cinco anos e que não tiveram o termo retirado do campo de observações de seus documentos, o que gera muitos contratempos, principalmente quando desejam fazer a transferência de seus veículos.

Se este for o seu caso você precisa fazer a solicitação da emissão de um novo CRV, que é o Certificado de Registro de Veículo e também solicitar o CRLV, que é o Certificado de Registro de Licenciamento do Veículo. Mas para que estes certificados sejam concedidos pelo órgão é preciso que o veículo não possua nenhuma pendência, como IPVA, seguro e etc.

E para fazer a solicitação o proprietário do veículo terá que pagar pelos certificados e o valor é diferentemente de estado para estado, uma vez que os Detrans são independentes nesse sentido de valores e tabelas.

Esse processo, no entanto, é diferente em cada Estado do país, já que é de responsabilidade dos Detrans. O valor também não é tabelado.

Nesse sentido, se você já quitou o financiamento do seu veículo e ainda consta no documento o termo “alienação fiduciária”, procure o Detran onde seu veículo é registrado e solicite os certificados citados acima.

Por Sirlene Montes

Alienação fiduciária


Carros perdem o marcador de temperatura


Saiba por que os novos modelos de carros estão perdendo os marcadores de temperatura.

Eis que surge uma dúvida acerca do marcador de temperatura de água: por que os modelos mais recentes não o possuem? Para cortar gastos? Se não, então qual é o motivo?

Atualmente, é muito raro ver um automóvel cuja manutenção esteja nos conformes, ter um motor super aquecido. Faz pelo menos duas décadas que os fabricantes de carros solucionaram essa questão de temperatura, usando-se do sistema de arrefecimento ou adicionando aditivo ao fluido que faz circulação entre o bloco do motor e pelo radiador. Sob a ótica das montadoras, essas soluções foram tão eficientes e eficazes, que não existe mais a necessidade de utilizar-se dos marcadores de temperatura.

Esses termômetros analógicos estão quase extintos, hoje em dia, no máximo, o que pode-se encontrar é um digital em alguma parte do computador de bordo. A tendência é que tanto um quanto o outro por uma luz espia, que por sua vez, simboliza um custo muito menor do que qualquer termômetro gradual.

Contudo, ainda há um termômetro responsável pela medição da temperatura do líquido do arrefecimento. Esse sinalizador pode ser mais significativo que um ponteiro indicativo chegando na faixa vermelha, em outras palavras, quando a luz se acender, será porque o motor está muito quente. Na prática, talvez esse aviso não seja muito eficaz, já que, no Ford Ka, por exemplo, a luz espia acendeu de forma retardada, no teste de longa duração. Isto é, quando a luz acendeu, não tinha mais nada a se fazer, pois já saia vapor d’água através do vão do capô.

É importante ressaltar que os termômetros analógicos também não demonstram a temperatura real: o ponteiro só se move para sinalizar algo, no caso de ocorrer alguma anomalia no sistema de arrefecimento. Mesmo que a temperatura esteja em 80º ou 95º, o ponteiro se manterá em 90º, e para evitar que motoristas procurem as montadoras sem um real motivo.

Por fim, concluímos que ao medidor de temperatura restará uma opção nos veículos que possuírem computador de bordo e, afinal, tudo bem, os avanços são sempre bem-vindos já que ninguém deseja voltar a andar de charrete, não é assim?

Por Carolina B.

Marcador de temperatura


Renault Clio 2017 – Novidades e Características


A montadora focou em alguns pontos bem específicos como economia, modernidade e design.

Ao projetar o novo Clio 2017 a Renault ao que parece focou em alguns pontos bem específicos como economia, modernidade e design. Já se ela acertou nas suas escolhas é uma opinião a ser formada por cada um. De qualquer forma vejamos alguns detalhes para que você tenha uma ideia mais ampla sobre este lançamento.

A Renault já ficou famosa em muitos momentos dado o visual, às vezes, único, para seus carros. O Renault Clio 2017 até que foi bem trabalhado nesse aspecto. Em linhas gerais (no design) entre as principais mudanças que vamos encontrar na novidade estão as alterações no capô do veículo e a grade frontal.

Na traseira do veículo as lanternas foram redesenhadas. Destaque para os vincos na tampa do porta-malas do Clio 2017. A presença de uma máscara negra nos faróis do carro e a presença de novos filetes cromados parecem ter agradado aquela gama de consumidores da marca que cobravam uma aparência mais marcante no carro.

Economia:

A montadora incrementou ao carro um indicador de troca de marcha. Também vamos ter um conta giros com zona demarcada para economia de combustível, o Econômetro.

Segurança:

Nesse ponto a Renault está disponibilizando para o Clio 2017 o Brake light; presença de barra de proteção nas portas traseiras e dianteiras; dois apoios de cabeça traseiros com regulagem de altura; apoios de cabeça dianteiros com regulagem de altura; cinto traseiro retrátil, desembaçador para o vidro traseiro; freios ABS; aribags duplos e travas de segurança para as portas traseiras.

A economia e a segurança de fato tiveram uma atenção espacial por parte da montadora. O Inmetro deu para o Clio 2017 a classificação A. De acordo com as informações da página da fabricante ele faz na estrada 14,3 km por litro.

Além disso, ainda temos o Eco Drive. Trata-se de um sistema inteligente que indica ao condutor qual é o momento certo para fazer a troca de marcha. O Eco Drive ainda considera o jeito do motorista.

Entre os outros itens que ainda temos o ar-condicionado de série, kit elétrico, kit music com cd-player, MP3, rádio e 2 alto-falantes.

Na lista de acessórios temos o banco traseiro rebatível, direção hidráulica, limpador de vidro traseiro, iluminação interna central dianteira, computador de bordo com oito funções.

Por fim, temos o motor 1.0 de 16V Hi-Power, bicombustível, 16 válvulas e 4 cilindros em linha.

O Renault Clio 2017 Expression 1.0 sai por R$33.990,00.

Por Denisson Soares

Renault Clio 2017


Jeep Compass 2017 – Características e Novidades


Modelo está previsto para ser lançado em breve e será produzido em Pernambuco.

Com o lançamento previsto para outubro de 2016, muitos detalhes ainda são um mistério para o novo Jeep Compass 2017. O que pode afirmar é que o Compass será produzido no estado de Pernambuco, na cidade de Goiana.

O valor é outro mistério, mas acompanhando a média de preços dos seus principais concorrentes, o Compass poderá custar de R$ 100 mil a R$ 130 mil. Se a "Jeep" quiser ganhar da concorrência, este preço tende a diminuir, mas se este carro tiver um diferencial em relação aos rivais, então um valor maior pode ser anunciado.

Seguindo a mesma lógica quanto ao padrão de comparação, o Compass, por ser um SUV de porte médio, deve ficar com aproximadamente 4,5 metros de comprimento, 1,8 metros de largura e 1,7 metros de altura. Honda CR-V, Kia Sportage e Hyundai ix35 são exemplos de SUV na mesma categoria.

Na parte visual do carro, algumas fotos foram divulgadas, mas os detalhes foram "escondidos" com adesivos. Aumentando ainda mais a curiosidade.

O segredo quando as versões e os motores, já foram anunciados por alguns sites na internet. Com isso, 3 (três) versões foram mencionadas, a "Sport", a "Longitude" e a "Trailhawk". O combustível do Compass seria em diesel, semelhante ao Renegade de 2.0 litros turbodiesel, com 170 cavalos e torque máximo de 35,7 kgfm, ou na versão flex 2.0 litros 16V Tigershark, com 159 cavalos de potência a 6.200 rpm na gasolina e 164 cavalos a 6.000 rpm com álcool.

Outra coisa que foi desvendada, foi a parte da transmissão, que deverá seguir a ficha técnica do Renegade, com o câmbio de 9 marchas automático. Uma versão mais completa com tração integral 4X4 também é esperada.

A "Jeep" fazia parte do Grupo Chrysler e não tinha muita confiança aqui no Brasil. Agora ela está sendo apoiada pela Fiat e essa credibilidade pode fazer a diferença no mercado automobilístico nacional.

O Jeep Renegade está sendo um sucesso de vendas e o seu "irmão" mais novo, o Compass, está vindo para se tornar o carro SUV mais desejado pelo consumidor, uma vez que as duas marcas estão cada vez mais abrindo pontos de vendas.

Por Fernando Dias

Jeep Compass 2017

Jeep Compass 2017

Fotos: Divulgação


Novo Volkswagen Golf Variant será vendido nos EUA


As características do Volkswagen Golf Variant Alltrack são totalmente direcionadas para o estilo aventureiro que a montadora optou por acoplar ao modelo.

Deve chegar no início de outubro às concessionárias norte-americanas a nova versão do Volkswagen Golf Variant. A versão aventureira do modelo, batizada de Alltrack, traz mudanças externas e internas, e promete conquistar uma fatia do mercado no segmento dos veículos station wagon nos Estados Unidos.

As características do Volkswagen Golf Variant Alltrack são totalmente direcionadas para o estilo aventureiro que a montadora alemã optou por acoplar ao modelo. A versão oferece motorização potente, que oferece 173 cavalos de potência por meio de um motor 1.8 litro TSI, além de câmbio automatizado com seis marchas e embreagem dupla. A perua aventureira da Volkswagen vem com tração integral 4Motion de fábrica e com 15 milímetros a mais de altura em relação às demais versões do carro.

Externamente, o modelo ganhou novos para-choques, novas molduras nas caixas de roda e saias laterais exclusivas, que ajudam a incorporar o estilo aventureiro ao carro. A montadora também oferece nesta versão o modo OffRoad de condução, responsável por modificar o funcionamento dos freios ABS e do acelerador do carro quando o modo é selecionado pelo condutor e está em funcionamento.

No mercado dos Estados Unidos o station wagon será comercializado em três versões diferentes. A versão básica, no entanto, oferecerá ao consumidor um pacote recheado de equipamentos e itens de fábrica, como sistema de alerta de colisão frontal, piloto automático adaptativo, frenagem automática em caso de emergência, sistema de estacionamento automático, luzes diurnas em LED e a central multimídia Composition Media.

Por lá, a versão inicial do Volkswagen Golf Variant Alltrack será vendida por US$ 26.950, e deve concorrer com outros modelos de outras marcas, como o Subaru Outback e o Subaru XV. Ainda no segmento dos station wagon, o Alltrack deve enfrentar também os modelos V90, da Volvo, o A4 allroad Quattro, da Audi, e o E-Class Wagon, da Mercedes-Benz – embora a maioria deles seja comercializada por preço superior ao valor praticado pela Volkswagen para a sua nova versão aventureira do Golf.

A Volkswagen não informou se tem intenção de lançar a versão Alltrack no mercado brasileiro. Por enquanto, os consumidores por aqui poderão conhecer de perto somente a versão principal Volkswagen Golf Variant 2017, que chega às lojas com motor 1.4 litro flex, com 150 cavalos de potência.

Por André Barbirato

Volkswagen Golf Variant nos EUA

Foto: Divulgação


Dicas para comprar um Carro Usado


Saiba o que analisar na hora de comprar um carro usado.

Uma opção mais barata para ter um carro é comprar um usado. Mas como adquirir um bom carro, com um preço melhor ainda? Pesquisando, pechinchando e analisando os detalhes.

A tabela FIPE costuma ser uma ótima opção para pesquisa e desconfie logo de início quando o preço anunciado estiver muito abaixo da tabela, cerca de 5%. "Quando a esmola é de mais o santo desconfia". Pode ser difícil, mas o pagamento total do veículo e à vista pode ser uma vantagem econômica na hora da compra.

Comprar o mesmo carro em agências ou de donos particulares também tem um fator relevante na hora da negociação. Uma pessoa particular pode vender o mesmo carro por um preço abaixo de um anunciado numa agência. O Código de Defesa do Consumidor obriga, somente, uma pessoa jurídica a dar 3 meses de garantia no produto adquirido e essas lojas tem aluguel para pagar, funcionários e encargos. Uma pessoa física não tem nada disso e o preço, por isso, pode ser mais em conta.

Finalizando a parte de valores, não deixe de pesquisar na internet ou até em outras cidades. Os preços variam muito de uma região para a outra e cada centavo economizado faz a diferença.

No caso de comprar um carro de uma pessoa física (particular), escolha um lugar, durante o dia, com muito movimento de pessoas e sempre vá com alguém, nunca sozinho. Além de testemunhar a negociação, esta pessoa pode ser um mecânico e irá analisar melhor as condições do veículo antes da confirmação de compra e venda.

Motor e câmbio são coisas fundamentais na hora da compra, faça um teste com o carro. Dando uma volta em alguns quarteirões podem mostrar o desempenho e estabilidade do carro, além de barulhinhos escondidos que só se repara quando está andando.

Analisando a parte externa do carro, como lataria e pneus, podemos notar defeitos que num futuro próximo será necessário arrumar. Para isso, uma caidinha no valor final do veículo pode acontecer.

Na parte interna podemos detectar a verdadeira idade do veículo. Um carro com uma quilometragem baixa não terá muito desgaste nos pedais e bancos. Uma preocupação quanto a isso, é com aquele carro que colocou, por exemplo, ar-condicionado em uma loja. Itens de série costumam ter garantias e ter uma assistência técnica mais barata e fácil de achar.

Uma outra coisa interessante é verificar o estado interno do porta-malas e capô. Ferrugem de baixo dos tapetes podem indicar infiltrações e algumas vezes, os parafusos de cores diferentes do para-choque ou aqueles que ligam a carroceria ao monobloco podem indicar uma troca provocada por batida, dianteira ou traseira.

E no que diz respeito ao documento, faça uma pesquisa antes de fechar o negócio. Verifique a situação do mesmo em algum lugar especializado nisso, como um despachante por exemplo. A numeração do chassis é algo crucial para isso.

Como dica final fica a seguinte, quem está vendendo quer ter um lucro maior e quem está comprando quer economizar!

Por Fernando Dias

Comprar carro


GNV – Alternativa de combustível para veículos


A instalação do Gás Natural Veicular compensa a partir do 4º mês de uso do sistema para quem utiliza bastante o veículo. Já quem utiliza pouco, o prazo para retorno é de 30 meses.

Qualquer piloto de plantão sabe e já não é mais novidade que o GNV, Gás Natural Veicular, é um combustível bem mais em conta que o etanol e a gasolina, mas será que essa economia ao encher o tanque compensa o valor gasto com a conversão e preparação do motor do seu carro? De acordo com alguns especialistas da área, esse valor é compensado a partir do quarto mês de uso deste sistema.

Quatro meses é o tempo médio para retornar do investimento realizado para instalar gás natural, isso para veículos que rodam mais de oito mil quilômetros ao mês. Isso é para pessoas que utilizam muito o veículo, como empresas, agora para os rodam cerca de mil quilômetros ao mês, como uma pessoa comum, o prazo para retorno é de aproximadamente 30 meses, ou seja, dois anos e meio.

Essa pesquisa, realizada pela Companhia de Gás de São Paulo, Comgás, deixa claro que a conversão para GNV é muito mais vantajosa para quem utiliza o carro por altas quilometragens. Quanto mais se anda, mais rápido será o retorno do investimento realizado.

O uso deste combustível e sistema, também pode ser bom para as pessoas que trafegam bastante para ir até o trabalho diariamente, como aqueles que trabalham em uma cidade diferente da que residem. Tal equipamento pode ser útil também para aqueles que trocam de carro frequentemente, pois o mesmo pode ser transferido de um carro para outro, sendo assim, os instrumentos não irão ser vendidos juntamente com o veículo.

Outro ponto muito interessante do GNV é o fato do combustível ser menos poluente que outros, contribuindo assim com o meio ambiente. O gás veicular tem uma emissão de gases poluentes 20% a menos que a gasolina e 15% a menos que o etanol.

Isso acontece devido ao Gás Natural Veicular ter uma queima muito mais completa que seus concorrentes, etanol e gasolina, onde sua combustão ocorre com excesso de ar, dessa forma, libera mais água do que gás carbônico.

O gás também é mais seguro, já que possui uma faixa de inflamabilidade bem menor, além de ser mais leve que o ar, diminuindo assim o risco de incêndios e explosões.

Como instalar o gás natural?

Para fazer uso do gás natural veicular em seu carro é necessário que você instale um kit GNV, porém a oficina deve ser homologada pelo INMETRO. O Certificado de Homologação de Montagem do kit é fornecido apenas pelas empresas credenciadas. Através deste certificado é atestado que todas as normas técnicas estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) foram cumpridas, permitindo desta forma, que o veículo seja legalizado junto ao departamento de trânsito.

É necessário também, realizar uma inspeção na parte mecânica do veículo antes de instalar o gás natural, averiguando problemas, que deverão ser solucionados, caso preciso.

Agora basta você analisar seu perfil de uso do seu veículo e ver se de fato é vantajoso para você o uso do GNV.

Por Filipe da Silva

GNV

Foto: Divulgação


Caixa dá condições especiais para financiamento de veículos


Salão Auto Caixa é realizado entre os dias 5 e 7 de novembro. As taxas de juros são reduzidas a 1,19% ao mês e os financiamentos podem ser de até 90% do valor do veículo com prazo de 60 meses para pagar.

O Salão Auto Caixa abrirá sua 8ª edição este ano entre os dias 5 e 7 de novembro.

É uma boa oportunidade para quem, mesmo em tempos de crise, quer se aventurar em uma aquisição de automóvel ou moto, podendo aproveitar condições especiais oferecidas pela Caixa Econômica Federal.

A linha de financiamento é destinada somente para pessoa física e oferece veículos nacionais ou importados, novos ou usados com taxas de juros reduzidas a 1,19% sem nenhuma cobrança de taxa adicional ao mês podendo financiar até 90% do valor do veículo com prazo de 60 meses para pagar. Como todo financiamento, é permitido amortização do saldo devedor a qualquer tempo, conforme disponibilidade e interesse do consumidor.

Para mais informações sobre o Salão Auto Caixa, acesse o endereço eletrônico: www.salaoautocaixa.com.br. Neste link, também é possível fazer simulação, informando categoria, tipo, marca, modelo, ano, valor do veículo, dentre outras informações. A simulação dará uma noção de quanto ficará as parcelas, considerando valor da entrada, valor a financiar, dando também oportunidade de escolher a data do vencimento das prestações.

Mais informações também podem ser adquiridas presencialmente. O cliente pode dirigir-se diretamente até uma agência da Caixa Econômica Federal mais próxima e verificar quais as documentações necessárias para dar entrada no processo, pode fazer simulações, fazer consultas sem compromisso e tirar todas as dúvidas sobre o financiamento.

O financiamento é realizado dentro das concessionárias. O cliente interessado pelo financiamento pode dirigir-se até a concessionária de sua escolha e lá encontrará um funcionário habilitado da Caixa, que irá conduzir todo o processo.

A Caixa promete uma transação fácil sem muita burocracia, na qual será exigido apenas documentações básica como RG, CPF e comprovante de renda e de residência, após realização do cadastro e da aprovação dos dados do cliente, nada impedirá que ele saia da concessionária já de porte de seu veículo escolhido.

Um diferencial este ano, é que os consumidores poderão curtir o carnaval de carro novo, sem se preocupar com o pagamento da primeira parcela. Isso porque terão um incentivo de fazer o pagamento da primeira parcela somente após a folia.

Por Lilian de Oliveira

Salão Auto Caixa


Volkswagen é a maior montadora mundial em vendas de veículos


Montadora registrou 9,9 milhões de veículos leves vendidos no ano passado, e tornou-se líder no ranking de maior montadora do mundo em vendas.

O Grupo Volkswagen tornou-se líder no ranking de maior montadora do mundo em vendas, conforme dados divulgados no primeiro semestre deste ano. É a primeira vez que a montadora aparece nessa posição, superando a Toyota, que era a líder até então. 

O Grupo Volkswagen teve suas vendas duplicadas no último ano – isso representou um lucro triplicado. As informações foram divulgadas pela consultoria especializada na indústria automobilística, a Focus2Move.  Segundo os dados divulgados, a montadora alemã vendeu 9,9 milhões de veículos leves, incluindo as várias marcas: Audi, Porsche, Skoda e Seat.

Apesar de serem dados preliminares, pode-se dizer que não apontariam nessa direção se não fossem reais e assim que confirmados, antecipam um objetivo do grupo, que era de ser a maior montadora mundial em 2018. Os dados contabilizados pela consultoria foram baseados em 110 mercados, que apontaram que as vendas globais chegaram a 86,5 milhões de veículos – 2,5 mi a mais do que em 2013.

Pela primeira vez o ranking global de vendas é liderado por uma empresa europeia, desde a Segunda Guerra. A posição era da General Motors, que é americana, até ser superada pela Toyota, em 2009.

O Brasil não acompanhou essa tendência da marca, pois no país o ano de 2014 para a Volkswagen foi ruim, com o Gol deixando de ser o carro mais vendido por aqui (dados a serem ainda confirmados). Os dados deste ano, contabilizados entre janeiro e junho apontam para o mesmo cenário, enquanto a montadora japonesa diz ter vendido 5,02 milhões (1,5% a menos do que o mesmo período no ano passado), a montadora alemã contabiliza 5,04 milhões. 

A Volkswagen vem em um processo de aumento de sua escala sob a administração do presidente-executivo Martin Winterkorn, que está no cargo há 8 anos. Esse aumento de escala é impulsionado pela adição de marcas e de fábricas e também de vendas ampliadas no mercado chinês.

Por Elia Macedo

Volkswagen

Foto: Divulgação


Dicas para economizar combustível


Um transporte público ineficiente para atender a toda população. Esta é sem dúvida uma das causas que mais contribuem para que milhões de brasileiros sejam obrigados a colocar todos os dias seus carros nas ruas e avenidas de todo o país para se deslocarem até o trabalho, levar e buscar seus filhos na escola e realizar outras atividades diárias.

Mas com o alto valor dos combustíveis nas bombas, está ficando cada vez mais difícil para os brasileiros conseguirem encher o tanque de combustível de seus carros. E para você e muitas outras pessoas que não têm outra opção senão utilizar seu carro no dia a dia, aqui vão 10 dicas simples que podem te ajudar a entrar menos nos postos de combustíveis para abastecer.

1.       Calibragem dos pneus: Andar por aí com os pneus do carro murchos ou com a calibragem errada, faz com que haja um atrito maior do pneu com o solo, ocasionando um consumo maior de combustível e também um desgaste maior dos pneus. A calibragem deve ser feita regularmente a cada 15 dias e de acordo com o especificado pelo fabricante do veículo.

2.       Manter alinhamento em dia: Um carro desalinhado acaba consumindo mais, pois nestas condições há um aumento da resistência dos pneus contra o solo, o que ainda acaba dificultando a dirigibilidade. O ideal é realizar um alinhamento a cada 10.000 km rodados.

3.       Uso do ar-condicionado: Este pode ser considerado um dos grandes vilões da atualidade para o alto consumo de combustível dos carros. Caso o clima da cidade onde você esteja se encontre mais ameno e o trajeto ao qual você for fazer não seja muito longo, experimente desligar o ar e abrir as janelas. Você vai notar uma diferença no consumo de combustível do seu carro. Já se você estiver transitando por estradas ou em vias expressas onde a velocidade é maior, a dica é inversa, feche as janelas. Nesta situação, os vidros fechados contribuem para diminuir a resistência do ar com o veículo.

4.       Excesso de peso: Esta equação é simples, pois quanto mais peso o carro estiver carregando, maior será o esforço do motor para fazer com que o carro se movimente e com isto, seu consumo vai às alturas.  Verifique no porta-malas e no interior do seu carro o que você anda carregando todos dos dias desnecessariamente e pare de queimar combustível atoa.

5.       Controle o acelerador: Procure não acelerar de forma brusca e desnecessária. Uma aceleração tranquila e gradativa ajuda a diminuir o consumo de combustível, além de contribuir para a vida útil do motor do seu carro. Ah, e quem nunca deu aquela última acelerada antes de desligar o carro? Pois é, sabe para que ela serve? Para nada, apenas para gastar mais combustível. Portanto, este é mais um hábito a ser deixado de lado para o bem do seu bolso.

6.        Esquentar o motor do carro: Hoje isto não é mais necessário. Os motores dos carros com injeção eletrônica são aquecidos automaticamente por este sistema. Há apenas uma recomendação para os carros novos com menos de 1.000 quilômetros rodados, que é apenas ligar o carro, esperar alguns poucos minutos e aí sim começar a andar. Nos carros novos que já atingiram esta quilometragem, basta ligá-los e seguir viagem.

7.       Troca de marchas: Você já teve a impressão que o motor do seu carro está literalmente gritando ou mais popularmente dizendo, “esgoelando”? Pois é, ele está tentando te alertar que está consumindo mais combustível que o necessário e que está na hora de você fazer a troca de marcha. Procure não esticar demais as trocas de marchas e também mantenha a rotação do motor sempre mais baixa. E lembre-se, marchas fortes são para subidas íngremes e também podem ser usadas como freio motor nas descidas. Agindo assim você consegue frear o carro e ainda economiza combustível, pois a injeção eletrônica identifica que não é preciso acelerar durante a descida e interrompe o envio de combustível para o motor. A famosa banguela deve ser evitada, pois além de uma ação perigosa, ela não contribui em nada para a economia de combustível, já que mesmo em ponto morto, o motor continua trabalhando.

8.       Evite o excesso de acessórios: Não vá fazer do seu carro uma árvore de natal, um trio elétrico ou um carro alegórico com vários acessórios. Qualquer alteração que você faça nas características originais do veículo pode provocar uma resistência maior ao ar e juntamente com esta resistência, vem o aumento do consumo de combustível.

9.       Reduza a velocidade: Você não é um piloto de Fórmula 1 ou da Indy, então não há necessidade de sair por aí em alta velocidade, ziguezagueando entre os carros,  colocando a sua vida e a de outros motoristas em risco. Além de perigoso e arriscado, você só vai aumentar seu consumo de combustível e diminuir a vida útil do seu carro. Se você gosta de velocidade e quer correr, vá para um kartódromo. Lá você vai poder fazer isso em uma pista própria, com orientação e segurança.

10.   Visite seu mecânico: Não se esqueça de visitar regularmente o seu mecânico para fazer uma revisão no seu carro. O desgaste natural de algumas peças, um motor desregulado, filtros de ar e velas sujas, podem contribuir para um aumento no consumo de combustível do seu carro. Portanto, siga as instruções do manual do veículo e não deixe seu carro sem as revisões necessárias.

Por André F.C.

Economizar combust?vel


FSO Polonez – História e características do antigo carro


Em 1978 a FSO assumiu um projeto próprio que daria origem ao Polonez. O carro era um hatchback médio com cinco portas que contava com faróis circulares e o para-choques acompanhando o desenho do carro. O carro contava com bom espaço interno, bancos dianteiros reclináveis, volante com altura ajustável e um painel que lembrava muito no que diz respeito aos instrumentos presentes nos antigos Fiat.

O carro contava com um motor de 1.3 litros com potência de 65 cavalos capaz de ir de 0 a 100 km/h em 22 segundos ou de 1.5 litros com potência de 74 cavalos e que faria 0 a 100 km/h em 17,5 segundos. O carro possuía tração traseira fornecida pelo câmbio manual de quatro marchas. Uma versão mais potente foi produzida para atender especialmente a grandes oficiais do governo. Essa versão chamada 2000 contava com um motor 2.0 litros da Fiat capaz de gerar ao conjunto 110 cavalos de potência.

Durante a Guerra Fria, o mercado do leste europeu se moveu de maneira muito diferente do mercado ocidental. Ao contrário da lógica consumista, com produtos com prazo de validade curto para estimular o consumo, a Europa oriental produzia automóveis duradouros com projetos que durariam décadas. O mercado não era muito concorrido e não havia tanta necessidade de evolução técnica. Nessa geração e com essa ideia ocorreu a produção do FSO Polonez, que atuou na Polônia de 1978 até 2002. A Fabryka Samochodów Osobowych (FSO), em português “fábrica de automóveis de passageiros”, foi fundada em 1951 quando começou a produzir o Warszawa. O Syrena foi produzido em 1957, sendo um dos modelos mais populares da empresa.

Em 1965 a FSO realizou um acordo com a Fiat para produzir carros licenciados pela marca italiana. O primeiro modelo a ser produzido na época foi o 125p que era uma combinação do Fiat 125 com o motor dos antigos 1300 e 1500. O carro parou de ser fabricado em 1991 e teve mais de 1,4 milhões de unidades vendidas. Essa parceria teve grande importância no desenvolvimento do Polonez, que conta com claras linhas de inspiração nos antigos Fiat.

Por Nosf

FSO Polonez

Foto: Divulgação


Fiat faz investimentos no Brasil e quer manter a liderança no país


Já faz um bom tempo que o principal mercado, a “princesinha dos olhos” da Fiat é o Brasil. Afinal de contas, é aqui onde a montadora mantém seu posto de líder absoluta. E esse é um dos principais motivos que levam otimismo para a fabricante e ao mesmo tempo faz com que ela permaneça preparada para não perder seu posto.

Para se ter uma ideia, mesmo que superficial da preocupação da Fiat, é só considerarmos o fato de que para o biênio 2015-2016 já existem lançamentos projetados. Ano que vem uma das marcas que mais vamos ver nesse setor é a Jeep que promete muita coisa e que a título de curiosidade já agora, finalzinho de 2014, faz uso dos números de desempenho da FCA. Ou seja, a Fiat Chrysler fazendo as somas das vendas da Fiat Chrysler, RAM, Dodge e Jeep.

Claro que o principal objetivo disso tudo é fazer com seja ampliada ainda mais a diferença entre suas principais rivais: General Motors, Ford e Volkswagen. Vale ressaltar que todas essas poderosas perderam participação no mercado. Entretanto, a manobra da montadora facilita e muito para a marca se manter com uma relativa folga na ponta com percentual de 21,3% de participação.

Vale chamar a atenção para outra questão: a implantação da nova unidade fabril em Goiana (PE). Por lá, a sua submarca Jeep irá predominar. As obras da fábrica já estão com uma conclusão de 90%. De quebra ainda terá o título, posto e seja lá mais do que for que a montadora quiser chamar de unidade mais avançada do grupo no mundo.

Com isso, fica estampando na cara o desejo da empresa de dar um importante passo para chegar até seu objetivo e se manter líder no nosso mercado.

O que a montadora vê são números. De acordo com alguns levantamentos feitos por ela mesma os dados apontam que em 20 anos o Brasil irá pular de 3,4 milhões de emplacamentos por ano para 7,5 milhões. Mercado crescendo e a Fiat se preparando.

Para tanto a Fiat planeja lançar até o final de 2016, ao menos é isso que os principais sites estão abordando com força, seis novos modelos. Já nos foi apresentado o Jeep Renegade. Entretanto, os outros cinco até o momento são apenas especulações. Dentre eles estariam o sedan Viaggio e os modelos luxuosos da linha Alfa Romeo.

Bom, é esperar para ver o que montadora anda preparando.

Por Denisson Soares

Jeep Renegade 2015

Fiat Viaggio 2015

Fotos: Divulgação


IPVA RS 2015 está liberado para consulta


Para o contribuinte que deseja realizar o pagamento do Imposto de Propriedade sobre Veículos (IPVA) do Estado do Rio Grande do Sul pode consultar sua guia do IPVA RS 2015 pela internet e para facilitar o procedimento da referida emissão. Esse recurso foi disponibilizado através do site da Secretaria da Fazenda, sem nenhum custo para a impressão do serviço. Por esse motivo que é importante esclarecer ao contribuinte como fazer e como funciona também. Atualmente, os cidadãos preferem uma forma mais prática e rápida; até mesmo pela facilidade do acesso à internet, alguns dispensam o atendimento presencial, por que sabem que pelo site conseguem resolver muitas coisas e evitam o tumulto na fila dos bancos e casas lotéricas.

Então para a realização do pagamento do IPVA 2015 RS o contribuinte pode acessar o site www.sefaz.rs.gov.br e seguir as orientações solicitadas. Um procedimento bastante simples de ser efetuado. O site da Secretaria da fazenda também disponibiliza outros serviços que facilitam demais o dia a dia; então aproveite bastante esses recursos, entre outros. Hoje em dia temos tantos serviços bons que fica até difícil saber usar todos, ou até saber da existência de todos, mas é no dia a dia que vamos descobrindo.

O valor do IPVA RS 2015 é conforme o ano do veiculo, mas ao emitir o documento no site constará essa informação, por isso não deixe de conferir para saber mais detalhes.

No Estado do Rio Grande do Sul é concedido desconto de 3% para os proprietários de veículos que optam pelo pagamento total. É importante o pagamento do imposto para que o proprietário ou condutor do veículo não passe por situações desagradáveis com a lei de ter o veículo removido e ter que arcar com as despesas para resgatar o veículo de volta. Além do mais, ao retirar o veículo do pátio de apreensão o documento deve estar em dia.

Por Railson Tomás de Araújo Lopes

IPVA


Hyundai i30 foi reestilizado na Europa e traz grandes novidades


A Hyundai apresenta mais três novidades e são elas: o i30 e o i40 reestilizados e o compacto i20 com duas portas.

O i30 será oferecido no mercado europeu em 2015, na versão hatch com duas ou quartos portas e perua, sendo na versão turbo como o padrão de linha. As principais renovações foram aplicadas nos motores, transmissão, mais equipamentos e uma estética no visual remodelado com grade frontal e novas rodas.

No exterior, este veículo virá com duas opções de motores a diesel, sendo 1.6 de 110 cv ou 136 cv e duas opções de motores a gasolina (1.4 de 100 cv ou 1.6 de 120 cv), além da opção 1.6 turbo de 186 cv. Entre as mudanças ocorridas no modelo 1.4, destaca a substituição do  motor e a diminuição do peso deste em 14 quilos. Também, a introdução do câmbio automatizado de dupla embreagem e sete marchas que compõe a versão 1.6 a diesel e gasolina.

Estas mudanças foram importantes, no que tange a economia de combustível e vale ressaltar, também, os pneus de baixa resistência aos rolamentos. Diferente da versão turbo, que foca o desempenho do carro; oferece 28% mais potência e 38% mais torque; alcança de 0 a 100 km/hora em oito segundos, atingindo uma velocidade máxima de 119 km/hora, além de suspensão esportiva de rodas na numeração aro 18.

Estas versões do i30 para o mercado brasileiro, ainda não têm expectativas de apresentação. A última reestilização do modelo apresentada no Brasil foi em fevereiro deste ano, quando lançaram a motorização 1.8. Por isso, espera-se que a novidade chegue apenas no segundo semestre do ano que vem, ou seja, em 2015. Quanto ao i20 e ao i40, há poucas chances de eles virem para o mercado brasileiro. O grupo responsável pela importação dos modelos da Hyundai para o Brasil se chama Caoa.

Por Railson Tomás de Araújo Lopes

Hyundai i30

Hyundai i30

Hyundai i30

Fotos: Divulgação


CNH e documentos de veículos receberão novos dispositivos de segurança


A Carteira Nacional de Habilitação (CNH) será modificada a partir do mês de julho de 2015. Tal mudança contará com 28 dispositivos de segurança no intuito de evitar adulteração e falsificação, sendo que a atual tem somente 20 dispositivos. No momento da renovação ou expedição deste documento, após a data prevista para exposição dos dispositivos é que os motoristas receberão o documento atualizado, ou seja, o motorista pode esperar a renovação para que tal mudança seja contemplada na CNH.

Dentre as mudanças destaca um número maior do dispositivo de segurança da atual; código cifrado com informações criptografadas que poderá ser lido por agentes de trânsito através de aplicativos em celulares. A documentação dos veículos também terá mudanças e serão implementados mais 17 itens de segurança no Certificado de Registro de Veículo (CRV) e Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) para evitar fraudes e falsificação no pagamento de licenciamento e imposto de propriedade de veículo automotor.

A estética do documento não terá muita alteração e não haverá aumento de custo acerca destas mudanças para os condutores e proprietários dos veículos, conforme consta o Departamento Nacional de Trânsito (DENATRAN); acrescentando ainda que, a Carteira Nacional de Habilitação, por exemplo, não passa por nenhuma modificação há oito anos e que estas medidas impedirão que ocorram crimes como a falsificação e adulteração.  

Dentre as fraudes, as mais comuns são: clonagens de veículos, evasão fiscal, fraudes contra seguradoras. De forma geral, evita-se que esta fraude aconteça, pois os infratores não conseguirão gerar os códigos de segurança que estarão compostos nos novos documentos.  

A mudança na CNH, contou com a participação durante uma reunião ocorrida entre os órgãos da Polícia Federal, Departamento Nacional de Trânsito, Conselho Nacional de Trânsito e Departamento de Trânsito dos estados. É necessário que todo documento pessoal adquira dispositivos de segurança no intuito de combater infratores dessas práticas delituosas.

Por Railson Tomás de Araújo Lopes

CNH


Peugeot 308 Quiksilver – Nova edição limitada lançada no Brasil


Tradicionalmente oferecido para a linha “200”, como ocorreu no 206 e 207, a Peugeot lançou no mercado brasileiro a nova edição limitada Quiksilver para o 308. Resultado da parceria entre a marca francesa de automóveis e a fabricante australiana que produz roupas, acessórios e equipamentos para praticantes de surf, skate, esqui e snowboard, a configuração especial vem com o motor 1.6 e tem como diferenciais o apelo esportivo, além de alguns detalhes de acabamento e visuais exclusivos. A versão Quiksilver terá apenas 600 unidades, com preço sugerido de R$ 63.190.

Entre os detalhes que deixam a edição limitada diferenciada estão o retrovisor externo na cor preta, o volante revestido em couro com base achatada, logotipo da Quiksilver presente nas portas, na tampa do porta-malas, nos tapetes e nos bancos, além de ter a carroceria pintada exclusivamente na cor Branco Banquise. Com relação aos equipamentos de série, entre outros, o 308 Quiksilver vem com airbag duplo, freios ABS com EBD, teto panorâmico de vidro, sistema de ar-condicionado digital dual-zone, sistema de som com conexão Bluetooth faróis com máscara negra, luzes diurnas de posição compostas por LEDs e rodas de liga leve de 17 polegadas escurecidas.

Baseado na versão Active 1.6, o Peugeot 308 Quiksilver traz sob o capô o motor 1.6 16V com tecnologia FlexStart, que dispensa o uso de tanquinho para partidas a frio, capaz de entregar até 122 cv de potência e torque de 16,4 kgfm. Trabalhando em conjunto com o bloco 1.6 está um câmbio manual com cinco marchas. A adoção do propulsor 1.6 16V de 122 cv ao invés do bloco 2.0 com 151 cv ou do 1.6 THP de 165 cv pode ter sido feita para não deixar a edição limitada absurdamente cara, que afugentaria o público alvo do carro: os jovens. Portanto, mesmo não sendo o motor mais potente disponível para o hatchback, o bloco é suficiente para deixar o carro divertido e interessante.

Além do hatchback médio, o 208 também irá ganhar a série Quiksilver em breve, trazendo alguns equipamentos e detalhes estéticos diferenciados para atrair o público jovem e deixar o carro ainda mais divertido, assim como foi feito com o 308.

Por Caio Polo

Peugeot 308 Quiksilver

Peugeot 308 Quiksilver

Peugeot 308 Quiksilver

Fotos: Divulgação


Fiat Palio liderou as vendas de carros em novembro de 2014


Comprar um carro, hoje em dia, não é uma tarefa nada fácil. Meses de procura, pesquisas, corre-corre em feirões, concessionárias e lojas. O comprador, literalmente, sua a camisa para conseguir um veículo que o agrade e que caiba em seu orçamento.

No mês de novembro, o italiano Palio, da montadora FIAT liderou o mercado de vendas e deixou um dos seus maiores concorrente para trás, o Gol. Falando nisso, na lista triple, o Gol não aparece nem em segundo lugar, é apenas o terceiro colocado, haja vista perder em vendas para o Onix da Chevrolet, veículo que vem ganhando espaço no mercado brasileiro.

O Palio fechou o mês com 15.399 unidades, seguido logo após pelo Ônix, com 14.484, segundo o site Vrum.com. O Gol, antigo líder do segmento fechou as vendas do mês com 12.024 unidades colocadas na rua para os consumidores.

No mesmo mês do ano passado, o Gol, carro mais vendido no Brasil em 2013, venceu com folga seus adversários. A Volks chegou a vender 20.360 unidades do modelo que foi seguido pelo FIAT Palio com apenas 15.851 unidades adquiridas.

Não é de se admirar, haja vista a Volks estar perdendo um pouco do seu público consumidor. A marca vem tentando colocar características pouco flexíveis aos seus veículos. Como exemplo, pode-se citar a “frente universal” que, agora, está presente em todos os carros da marca. Poxa, não é possível agradar a gregos e troianos. O mercado possui pessoas dos mais variados gostos e tipos. Não há condições de se fabricar todos os carros de uma marca com a mesma aparência. Além do mais, muitas pessoas reclamam que, com o passar do tempo, os carros da Volks apresentam barulhos muito desagradáveis. Em contrapartida, os carros da FIAT se apresentam mais “duros na queda”.

É preciso que a Volks repense seu conceito de mercado e público, pois as quedas já estão visíveis e essa grande empresa pode ficar para trás.

Por Daniel Alves

Fiat Palio 2014

Chevrolet Onix 2014

VW Gol 2014

Fotos: Divulgação


Dicas para economizar combustível


Com os preços dos derivados do petróleo cada dia mais altos e, também do etanol, faz-se necessário que sejam criados meios de economia ou pelo menos siga algumas dicas antes de sair por aí dirigindo de qualquer maneira.

Para isso, seguem 8 dicas para auxiliar os motoristas na economia de combustível e, consequentemente, de dinheiro:

1 – Alinhamento:

A suspensão e a direção devem estar alinhadas. O desalinhamento aumenta a resistência da rodagem. Em consequência, o carro utilizará mais força do motor o que faz gastar mais. O alinhamento deve ser feito a cada 10.000 Km ou quando você acerta aquele buracão em cheio.

2 – Ar condicionado:

Se o tempo está ameno, para que o uso do ar? Abra as janelas e sinta a brisa. O uso do ar condicionado aumenta em 2% o consumo médio do veículo.

3 – Peso morto:

Evite ficar carregando materiais desnecessários no porta-malas. Ele é necessário para carregar materiais úteis e não toda a sua mudança.

4 – Acelere uniformemente:

Evite acelerações muito altas. Deixe as marchas mais fortes para serem usadas em aclives fortes. Procure acelerar de maneira uniforme.

5 – Não esquente:

Os carros de antigamente precisavam que o motor aquecesse antes de você sair dirigindo. Atualmente, a maioria dos veículos possui injeção eletrônica e não mais precisam disso. Procure ligar o seu veículo apenas quando for sair com ele.

6 – Mantenha as revisões atualizadas:

Quando bem revisado, consequentemente o carro tende a manter todos os seus acessórios em bom funcionamento. Isso irá ajudar na economia de combustível.

7 – Calibragem:

Quando bem calibrados, os pneus tendem a melhorar a rodagem. Consequentemente, o carro empregará menos força para se movimentar. Sendo assim, a economia de combustível será auxiliada.

8 – Trocas de marchas:

Existem pessoas que se sentem em um veículo de corrida em plena cidade. Troque marchas apenas quando necessário. Além disso, procure manter rotações baixas. Não espere o veículo “esgoelar” para empregar a marcha subsequente.

Utilizando essas dicas, o motorista conseguirá economizar combustível e gastará menos ao final do mês.

Por Daniel Alves

Combust?vel

Foto: Divulgação


Peugeot 2008 será produzido no Brasil


A Peugeot aposta no seu mais novo lançamento no mercado brasileiro, o Peugeot 2008, para tentar reverter sua queda em vendas, que se verifica nos últimos 4 anos no mercado nacional. Apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo, ocorrido entre os dias 31 de outubro e 9 de novembro de 2014, a versão nacional do crossover começa a ser produzida em Porto Real (RJ), e terá a missão de recuperar a marca Peugeot no mercado nacional.

O modelo apresenta novidades, como o motor 1.6 THP flex de 173 cv, o mesmo do Citroen C4 Lounge. O modelo será equipado com câmbio manual de 6 marchas e opção de câmbio automático. Não foram divulgadas estimativas de preço, o que ocorrerá no lançamento do veículo previsto para o início do ano que vem.

O Peugeot 2008 será fabricado na mesma plataforma do hatch 208, terá 4,15 metros de comprimento, 1,74 metro de largura, 1,55 metro de altura e 2,53 metros entre-eixos. Além da mesma plataforma o SUV divide com o hatch o interior, que ainda não foi apresentado pela Peugeot. No entanto ela informou que o 2008 será equipado com volante menor, e painel de instrumentos acima da direção, evitando que o motorista não precise desviar sua atenção na estrada, como acontece com o hatch 208.

O Brasil deverá ser o terceiro país a produzir o Peugeot 2008, atrás apenas da França e da China. Lançado há um ano e meio na Europa, o modelo já ultrapassou as 200 mil unidades vendidas. Mas as expectativas no mercado brasileiro não são das mais animadoras, porque além das estrelas já conhecidas como o Ford EcoSport e o Renault Duster, outras ainda estão por vir depois de agitar o Salão do Automóvel de São Paulo, como o Jeep Renegade, Honda H-RV, JAV T5 e T6 entre outros. A Nissan também exibiu um novo veículo conceito, para entrar neste tão disputado mercado.

A Peugeot vem amargando quedas contínuas de vendas no mercado brasileiro desde 2010, quando vendeu 81 mil veículos, o que correspondia a 3% do mercado brasileiro, e desde então vem caindo ano após ano. Naquele ano ainda, era a 7ª maior emplacadora de veículos, e neste ano está na 11ª posição com 28,6 mil veículos vendidos, o que corresponde a 1,8% de participação.

Por Russel Hernandes

Peugeot 2008

Peugeot 2008

Peugeot 2008

Peugeot 2008

Fotos: Divulgação


Novo Audi TT Crossover está previsto para ser lançado em 2015


Todos os carros da linha Audi são modelos “Top de Linha” em todo mundo. E quando começa a surgir novidades para o mercado automobilístico, já é motivo de interesse de muitos para saber qual estilo esportivo será lançado. E neste momento, a previsão é de um incrível Audi TT no estilo Crossover, uma rica informação que já foi pronunciado por um representante da marca fabricante.

Este terceiro modelo da linha TT está previsto para o próximo ano de 2015, mas ainda está em fase final de projeto. Todas as características do Crossover parecem muito com o seu “irmão” TT Offroad, que já foi divulgado este ano no Salão de Pequim.

Segundo Ulrich Hackenberg, chefe de produção e desenvolvimento dos carros da marca Audi, que compradores alemães já estão apresentando interesse em fazer negócios comerciais com o modelo TT Offroad. A equipe que faz o controle de todos os testes de fabricação revelou aspectos positivos sobre o veículo, como também acreditam que o estilo moderno do carro vai fazer sucesso no mercado. Imaginem o Crossover!

O TT Offroad apresenta um moderno tipo de motorização 2.0 híbrido, como também ainda vem com TFSI de quatro cilindros e 38,75 mkgf de torque. De acordo com a Audi, o veículo proporciona mais autonomia e economia, pois dispõe de dois motores elétricos que permitem uma potencia de até 407 cv.

A fabricante Audi pertence ao grupo da Volkswagen, todos os carros da linha Volks e em especial a Audi tem marca de grande importância no Brasil. Todos os veículos ganham a preferência e domínio no mercado automobilístico. E mesmo que o preço não seja tão acessível para todos, mas os clientes reconhecem que os carros são de alto padrão de luxo, tecnologia e qualidade. Por isso vale a pena o investimento, levando muitos motoristas e colecionadores aderirem ao poder de sedução dos incríveis modelos já disponíveis no mercado.

Investir no Brasil é sempre produtivo para a marca, pois em 2013 foi registrada uma venda de 35%. Em 2014, a linha continua destacando no comercio automobilístico, como também espera alcançar um número de até 30 mil carros ao ano até 2020.

Por isso, não é novidade que o Audi TT Offroad vai ser um grande sucesso de vendas, como também muitas pessoas já devem estar preparando a imaginação sobre o novo estilo Crossover que em breve sairá do papel, garantindo presença em um Showroom.

Por Jaqueline Mendes

Audi TT Crossover

Audi TT Crossover

Audi TT Crossover

Fotos: Divulgação


Volkswagen Golf R Variant – Características do novo modelo


A Volkswagen apresentou oficialmente o novo Golf R Variant, a versão wagon do novo Golf. O modelo, que basicamente é a configuração station wagon do Golf R, une a praticidade e dinâmica de uma perua com a esportividade e desempenho da versão “R” do hatchback médio. Com isso, a Volks produz em série, pela primeira vez em sua história, uma station wagon com a configuração topo de linha do modelo Golf.

Esteticamente, o novo Volkswagen Golf R Variant dispõe do mesmo design das versões convencionais da perua, contudo, diferencia-se por detalhes e acabamentos exclusivos. Na dianteira, a versão “R” da station traz faróis bi-xenon com luzes diurnas de posição em LED integrada, detalhe cromado e emblema “R” na grade dianteira, além de para-choque levemente modificado, com o chamado R design, que é mais agressivo e conta com entrada de ar inferior ampliada. Na lateral, o destaque fica por conta das belas rodas de liga leve de 19 polegadas com desenho exclusivo para às versões “R”. Por fim, a traseira também dispõe de para-choque com o chamado R design, que possui um difusor de ar integrado na cor preto brilhante, duas saídas duplas de escape com ponteiras cromadas, lanternas traseiras e iluminação da placa do carro em LED e novos refletores traseiros.

Na cabine a marca alemã também realçou a esportividade da perua, equipando o modelo com bancos esportivos revestidos em Alcantara com logotipo “R” nos encostos dos bancos e costuras contrastantes na cor cinza cristal, volante multifuncional esportivo com base achatada e revestido em couro, pedaleiras esportivas em alumínio, painel de instrumentos com ponteiros e iluminação em azul, entre outros detalhes. Para completar, a station esportiva traz todos os equipamentos do Golf R hatchback, com destaque para o controle eletrônico de estabilidade e tração, o sistema de modos de direção (Driving Profile Selector), que vem com os modos Normal, Eco, Individual e Race, além do ar-condicionado automático e o sistema de entretenimento com tela touchscreen posicionada no console central.

Opcionalmente, a fabricante alemã ainda oferece um pacote com diferentes combinações de couro Napa Carbon para efetuar o acabamento de superfícies específicas do interior do carro.

Mecanicamente, o Volkswagen Golf R Variant vem com o mesmo bloco quatro cilindros do Golf R, ou seja, um motor 2.0 TSI a gasolina capaz de entregar 300 cv e torque de 38,75 kgfm. Dotado de tração integral 4Motion, trabalhando em conjunto ao propulsor está uma transmissão automática DSG com dupla embreagem e seis velocidades. Com esse conjunto mecânico, a perua esportiva acelera de 0 a 100 km/h em apenas 5,1 segundos, com velocidade máxima de 250 km/h, limitada eletronicamente. Segundo a Volkswagen, o Golf R Variante tem autonomia média de 14,29 km/L e emissão de 163 g/km de CO2.

Sem revelar o preço, o novo Volkswagen Golf R Variante terá suas vendas iniciadas a partir do primeiro semestre de 2015, com entrega das primeiras unidades previstas para julho. 

Por Caio Polo

Volkswagen Golf R Variant

Volkswagen Golf R Variant

Volkswagen Golf R Variant

Fotos: Divulgação


Suzuki Jimny ganhará novas atualizações e será lançado em 2017


A Suzuki é uma empresa japonesa com mais de 100 anos de história e é conhecida por apresentar aos consumidores inovação e qualidade. Nos últimos 40 anos a Suzuki investiu em pesquisa e desenvolvimento para carros 4×4, surpreendendo o mercado na época.

O Suzuki Jimny é fabricado desde 1998 sem muitas alterações (fabricado inclusive em terras tupiniquins) e é, portanto, um dos jipes mais antigos do mercado. O carro, diferente dos 4×4 atuais, é um modelo característico off-road. Os utilitários compactos da atualidade seguem mais um estilo crossover, aproximando-se muito mais de carros de passeio do que de off-roads propriamente ditos. Essas mudanças no mercado deixaram o Suzuki Jimny ultrapassado e, de certa forma, estagnado no tempo. Para se manter vivo no mercado o carro pede severas alterações. Por isso a Suzuki está correndo contra o tempo para lançar o novíssimo Jimny em 2017.

Como é de se esperar o novo Jimny, deve sofrer uma evolução que o integre aos padrões automobilísticos atuais. Segundo a marca mesmo com as mudanças que estão previstas, o condutor ainda saberá que está no Jimny. A promessa é que o Jimny se desenvolva sem se tornar um crossover urbano, mantendo as raízes nos padrões off-road. Haverá uma modernização no sistema de suspensão (antes muito duro), que agora propiciará mais conforto sobre o asfalto e manterá o esquema com 4×4 reduzida. Como não poderia deixar de ser, o carro irá ganhar componentes controlados eletronicamente que darão assistência ao condutor tanto na direção em asfalto quanto fora dele. Um exemplo? O controle de velocidade em descidas.

O carro promete manter o design, com jeitão de brinquedo do Suzuki Jimny original. O lançamento internacional está previsto para o ano de 2017, porém não se sabe ainda se o Jimny receberá uma nova versão nacional no mesmo período. A empresa prometeu mais notícias e detalhes da novidade no ano que vem.

Por Nosf

Suzuki Jimny nova gera??o

Suzuki Jimny nova gera??o

Fotos: Divulgação


Reação da Ford no mundo automobilístico


A Ford, até os anos 90, era uma referência no mercado nacional, com alguns dos carros mais desejados pelos consumidores. Antes disso sempre teve carros que faziam sucesso nas telas do cinema. Carros grandes, imponentes, que se destacavam por onde passavam. Ficavam à frente da Volkswagen, não em vendas, mas em conforto. Eram veículos espaçosos, com mais itens opcionais que a maioria. Quem não se lembra do DelRey? Das imponentes C10 e posteriormente as D20?

Mas veio a globalização. Toyota, Honda, Peugeot, Renault, entre outros desembarcaram aqui. A Ford foi perdendo espaço cada vez mais, tanto no mercado global quanto no mercado brasileiro. Hoje temos muitas opções de marcas e modelos, para todos os gostos e bolsos. A Ford demorou a entender isso. E olha que foi a pioneira na fabricação de carros em série. Suas fábricas foram modelos de gestão por décadas e décadas. Seu fundador, Henry Ford, tido como um dos mais brilhantes de sua época. Aos sucessores coube manter e inovar, coisas que não aconteceram. A empresa estagnou. Demorou a entender a Toyota, onde as linhas de produção eram mais eficientes, os custos diminuíam e podiam assim reduzir valores ou colocar cada vez mais itens de série nos veículos. Hoje a Toyota é modelo de fábrica de veículos e faz carros bons e desejados. Corolla. Hilux. São apenas alguns modelos de sucesso da marca.

É hora da Ford de se reinventar. Tem mostrado alguns avanços nos modelos mais recentes. Tanto em design quanto em apetrechos tecnológicos. A Ford Ranger tem feito sucesso depois de ter ficado como o patinho feio do grupo de caminhonetes. O Novo Fiesta ficou elegante e imponente, digno de receber o emblema da Ford. Até o Ka, que nunca teve atrativo nenhum, voltou mais estilizado e atraente. O Ford Fusion consegue se apresentar como um executivo de alto padrão.

É isso mesmo Ford. É hora de se reinventar. Antes que seja tarde demais e hoje tudo acontece muito rápido.

Por Luciana Viturino

Ford Ranger 2015

Ford New Fiesta 2015

Ford Ka 2015

Fotos: Divulgação


Novidades e lançamentos dos concorrentes da Mercedes-Benz


Passam-se os anos. A Mercedes-Benz continua uma lenda. Dá status a quem possui uma. Aquela estrela brilha e irradia glamour. Aos apaixonados por carros, não existe um que não pare ao brilho de uma estrela na ponta daquele cobiçado carro. O mercado evoluiu muito. Muitas marcas novas surgiram e com elas inovações tecnológicas, proporcionando mais conforto e segurança. Marcas japonesas, coreanas e americanas. Com certeza vemos opções mais completas de carros com valores muito inferiores aos das novas Mercedes.

O Salão do Automóvel deste ano apresentou novidades que deixavam os visitantes fascinados. Marcas como a Toyota levaram ao salão lançamentos como Prius 2015. O Hyundai Genesis 2015 não ficou atrás em inovação e design. Renault e Peugeot não fizeram feio com seus cobiçados Fluence e 208, respectivamente.

A tradicional Volkswagen levou um carro diferente e imponente que deixou de boca aberta os mais afoitos por novidades: o GTI Roadster Concept. Design inovador com aerofólio traseiro típico das linhas GTI desde a década de 80. Aerofólios ainda chamam atenção e fazem parte dos modelos esportivos. A Citroen levou para o salão o que também tinha de melhor: C4 Lounge com rodas 19”. Faz bonito onde passa e deixa bem qualquer estilo de motorista. A Fiat continua investimento em modelos clássicos e apresentou projetos de como seria o Fiat 600 – sucessor do atual Fiat 500 e parente próximo do Fiat 147. Vamos ver o que vai surgir. Já avisou também que Fiat e Ferrari irão se separar, para que cada empresa tenha mais atenção e possa apresentar cada vez melhores novidades ao mercado.

A Honda também não fez feio. Apresentou o

que é abastecido com nitrogênio, para fazer frente ao Toyota Mirai, outro apresentado que também se locomove com o mesmo combustível.

E muita novidade foi apresentada em 2014 e em 2015 muito mais coisas está por vir. Muitos carros com preços inferiores tentarão fazer frente à velha Mercedes. Mas quem liga? Aquela estrela seduz! 

Por Luciana Viturino

Toyota Prius 2015

Volkswagen GTI Roadster Concept

Honda FCV Concept

Fotos: Divulgação


Consumidores brasileiros procuram conforto e segurança em carros


Foi-se o tempo em que as pessoas se satisfaziam em ter veículos que tinham apenas um objetivo: transporte. Hoje, o público alvo está cada vez mais exigente no quesito, economia, autonomia, design, conforto, segurança.

Esse público está cada vez mais apaixonado pelas verdadeiras máquinas que as marcas têm produzido. Quem é que não gosta de andar em um carro seguro, que tem airbag, freios com ABS? Quem é que não gosta de conforto, como ar condicionado, massageador no banco, retrovisores com rebatimento automático de luz alta? Quem é que não gosta de um design exclusivo, detalhes cromados, acabamentos diferenciados? Sentir-se exclusivo e especial, isso foi atingido pelos compradores de automóveis!

E ainda mais, quem não gostaria de tudo isso em um preço que esteja dentro das nossas reais possibilidades? Até mesmo marcas mais populares como Fiat, Volks não resistiram aos encantos de um luxo daqui, um mimo dali. Por mais que as fiscalizações exijam que os carros se adaptem, todos aos itens de segurança que já devem vir de série, e se tornam obrigatórios aos veículos, muitas concessionárias já entenderam que, o que brasileiro quer realmente é conforto e segurança.

Marcas consagradas como veículos de luxo, Citroen, Peugeot, já são adquiridas por diversos consumidores que já entendem que não é somente luxo, e sim conforto!

E para quem era fã da marca Audi e sentiu que ela deu uma dispersada, há rumores de que em 2015 ela alavanque suas vendas no Brasil em 25%, aumentando o número de lojas e investindo agressivamente em marketing.

Não discordaremos que os carros da marca Audi são lindos e apaixonantes, agora só resta saber se eles irão tornar acessível o poder de compra para um maior número de consumidores. Estamos aguardando ansiosamente os lançamentos! E vamos torcer para que a nova linha de veículos não venha só de arrasar no modelo, mas que adaptem os preços às reais necessidades do povo brasileiro.

Por Luciana Viturino

Carros seguros e confort?veis

Foto: Divulgação


Ford Mustang Shelby GT350 – Nova geração será apresentada no Salão de Los Angeles


A Ford, após longo tempo de ausência de mercado, resgatou o clássico Shelby GT350 para dar ainda mais força à sexta geração do Mustang. Revelado oficialmente antes do Salão de Los Angeles, que tem início no dia 21 de novembro, o novo Mustang Shelby GT350 é a aposta da Ford para brigar diretamente com o rival Chevrolet Camaro Z/28, além de outros Muscle Cars que é vendido no mercado norte-americano.

Visualmente, o Ford Mustang Shleby GT350 conta com o mesmo visual da nova geração do Muscle Car, mas se diferencia pela adoção de um para-choque levemente redesenhado na parte inferior, novo capô, novo para-lamas dianteiro com saída de ar, para-choque traseiro com difusor de ar integrado, duas saídas duplas de escape e modesto e charmoso spoiler traseiro na tampa do porta-malas.

Para completar, o novo Shelby GT350 vem com rodas de liga leve de 19 polegadas calçadas com pneus Michelin Pilot Super Sport, amortecedores MagneRide e freios Brembo com pinças de seis pistões e discos com 394 milímetros na dianteira e discos de 380 milímetros e pinças com quatro pistões na traseira.

No interior, a Ford também caprichou na esportividade, principalmente pela adoção dos bancos esportivos Recaro e novo volante esportivo multifuncional com base achatada. Outro ponto interessante foi o fato da Ford reduzir substancialmente os detalhes de acabamento em cromo, para evitar que o brilho do sol distraia o condutor.

Além disso, o modelo ainda conta com uma vasta lista de equipamentos de série de conforto e segurança, com destaque para o sistema de condução com cinco modos que modificam o comportamento dos freios ABS com EBD, do peso da direção, do controle eletrônico de tração e estabilidade, da configuração de escape, do mapeamento do acelerador e do tuning MagneRide.

Mecanicamente, o novo Ford Mustang Shelby GT350 vem equipado com motor aspirado 5.2 V8 capaz de entregar 500 cv e torque de 55,3 kgfm. Apostando na alta rotação do motor, diferentemente do último Shelby, o GT500, que contava com um bloco V8 Supercharger de notáveis 671 cv de potência, o propulsor do GT350 tornou-se o mais potente de aspiração natural já fabricado pela marca estadunidense. A aposta no motor aspirado tem um motivo claro: a Ford queria um Mustang que fosse apto, tanto para as pistas de corridas quanto para o uso nas ruas.

Dotado de tração traseira e diferencial Torsen de deslizamento limitado, o motor V8 aspirado trabalha em conjunto com um câmbio manual de seis marchas. Para dar maior segurança aos ocupantes, a Ford reduziu a altura de rodagem do carro e promoveu um enrijecimento do chassi em comparação a versão convencional do Mustang, através da utilização de fibra de carbono. 

Por Caio Polo

Ford Mustang Shelby GT350

Ford Mustang Shelby GT350

Ford Mustang Shelby GT350

Fotos: Divulgação


Fiat 500 Abarth será lançado no Brasil


A FIAT (Fabbrica Italiana Automobili Torino) é uma conhecida e popular montadora de veículos italiana. No Brasil a empresa merece destaque no que diz respeito ao mercado de carros populares, tendo veículos de sua marca constantemente colocados entre os mais vendidos dos meses ou do ano. Atualmente, por exemplo, temos o Palio Fire, estrelando como carro mais vendido do mês de outubro no Brasil. É uma marca de tradição, com mais de 100 anos de história. Há poucos anos atrás foi lançado o FIAT 500, um Hatch que segue bem as linhas de tendência do atual mercado de automóveis compactos.

Aparentemente a Fiat está em busca agora de mudar as caras do 500, dando a ele um visual mais esportivo e um motor turbo, ressuscitando a famosa linha Abarth da Fiat no Brasil. A linha Abarth é conhecida exatamente por isso: dar cara e coração novos e muito mais agressivos aos veículos tradicionais da marca. A linha sempre está ligada a motores potentes e novas linhas de design para os carros. O novíssimo Fiat 500 Abarth começa a ser vendido já no ano de 2014 e conta com um motor de 1.4 litros turbo a gasolina capaz de gerar até 167 cavalos de potência para o Hatch. Apesar de o preço da novidade ainda não estar definido, acredita-se que o valor seja algo em torno de R$ 80 mil.

Apesar do novo kit visual ser mais imponente ele ainda falha em transmitir a força do que está abaixo do capô. É difícil tirar a cara de bonzinho do compacto. As modificações, entretanto, são bem-vindas. Entre as principais podemos destacar o aumento do para-choque dianteiro, as rodas exclusivas de liga leve em 16 polegadas, e a dupla saída de escape cromada que deixa os sons do motor mais graves. Os retrovisores vêm com uma cor que contrasta com a cor original do carro. 

O carro é capaz de chegar de 0 a 100 km/h em apenas 6,9 segundos e tem velocidade máxima de 214 km/h.

Por Nosf

Fiat 500 Abarth

Fiat 500 Abarth

Fiat 500 Abarth

Fotos: Divulgação


Mercado automobilístico se adapta aos consumidores brasileiros


Você já se perguntou como está o mercado automobilístico no Brasil? Já verificou como estão as concessionárias que trabalham com vendas de carros novos e seminovos? Foi-se o tempo em que as pessoas se satisfaziam em ter veículos que tinham apenas um objetivo: transporte. Hoje os usuários de todas as marcas estão cada vez mais exigentes nos quesitos economia, autonomia, design, conforto, etc.

Esse público está cada vez mais apaixonado pelas verdadeiras máquinas que as marcas têm produzido. Até mesmo marcas mais populares como Fiat, Volks não resistiram aos encantos de um luxo daqui, um mimo dali. Por mais que as fiscalizações exijam que os carros se adaptem a todos aos itens de segurança que já devem vir de série e se tornam obrigatórios aos veículos, muitas concessionárias já entenderam que, o que o brasileiro quer realmente é conforto.

Marcas consagradas como veículos de luxo, Citroen, Peugeot, já são adquiridas por diversos consumidores que já entendem que não é somente luxo, e sim, conforto! Como é bom ter um carro e não precisar ficar horas a fio no trânsito para se deslocar ao trabalho ou então, ter de voltar da casa de parentes ou amigos, mais cedo nos finais de semana pelo fato de não possuir um carro.

Desta forma, quem era fã da marca Audi e sentiu que ela deu uma dispersada, há rumores de que em 2015 ela alavanque suas vendas no Brasil em 25%, aumentando o número de lojas e investindo agressivamente em marketing.

Não discordaremos que os carros da marca Audi são lindos a apaixonantes, agora só resta saber se eles irão acessibilizar o poder de compra para uma maior parte de consumidores. E o ronco do motor? Aquele barulhinho que faz os olhos brilharem e o coração acelerar? É simplesmente maravilhoso para quem gosta do mundo sob quatro rodas. Por isso, estamos aguardando ansiosamente os lançamentos para o próximo ano, os quais prometem ser o maior sucesso no mundo automobilístico!

Por Luciana Viturino

Audi A3 Sedan

Foto: Divulgação


Audi A1 2015 reestilizado traz novidades na parte mecânica


Impulsionada pelos bons resultados que vem obtendo, a Audi não para de apresentar novidades. Dessa vez, após a divulgar a reestilização do SUV Q3 há alguns dias, a marca alemã apresentou seu compacto A1 na versão 2015.

A primeira renovação do compacto da Audi, que foi lançado em 2010, trouxe mais modificações técnicas e de desempenho, tendo em vista que o modelo contará com uma nova gama de motores, do que estéticas. A principal novidade fica por conta do novo motor três cilindros da Audi. 

Esteticamente, por ter um visual moderno e que carrega as características dos atuais carros da montadora, não houve grandes modificações. Além da grade levemente alterada, o Audi A1 2015 conta com para-choques remodelados com vinco mais expressivos, faróis dianteiros mais modernos e com linhas mais retas, novos faróis de neblina e nova disposição das lanternas traseiras.

Se na parte externa as modificações foram muito singelas, no interior as mudanças foram ainda mais sutis. Além de novas opções de personalização da cabine, o grande destaque fica por conta para a nova versão da central de entretenimento MMI com tela retrátil. 

Todavia, as maiores novidades do Audi A1 reestilizado está mesmo no quesito mecânico. A marca alemã promoveu melhorias na dirigibilidade do veículo, com a adoção de um novo sistema de direção eletromecânica, além da nova suspensão adaptativa, equipamento oferecido opcionalmente pela Audi. Segundo a fabricante, com esses ajustes o rodar do A1 ficou mais confortável e firme, quando comparado à versão anterior do carro. 

Já a gama de motores ganhou duas inéditas opções: os novos motores três cilindros 1.0 TFSI a gasolina e o 1.4 TDI a diesel. Além dos já conhecidos propulsores a gasolina que passaram por melhorias (1.4 TSI, que deixa de entregar 122 cv para oferecer 125 cv de potência e que ainda possui uma configuração de 150 cv, bem como o 1.8 TFSI com 192 cv, que anteriormente entregava 182 cv), agora o Audi A1 pode ser equipado com o novo bloco três cilindros turbo 1.0, que é capaz de gerar 95 cv, com autonomia de 23,2 km/L de gasolina e emissão de 99g/km de CO2.

Voltado mais para o mercado europeu, além da opção 1.6 TDI com 116 cv, a novidade para os motores a diesel fica por conta do novo propulsor três cilindros 1.4 TSI com 90 cv de potência, autonomia média de 29,4 km/L de diesel e emissão de 89g/km de CO2 

Por Caio Polo

Audi A1 2015

Audi A1 2015

Audi A1 2015

Fotos: Divulgação


3ª geração do Mini Cooper foi lançada no Brasil


Mini Coopers são os queridinhos das mulheres e, apesar da aparência "bonitinha", podem ser ferozes quando colocados à prova.

São hatchs pequeninos que, no Brasil, ganharam recentemente sua terceira geração. O espaço interno como é de se esperar não é dos maiores. O carro é para apenas quatro pessoas, sendo que nenhuma delas pode ser maior que 1,80m sobre risco de ter que ficar encurvado dentro do carro. A terceira geração ganhou ainda um aumento no tamanho do porta-malas que serve bem para, por exemplo, carregar suas compras do supermercado, mas nem pensar em carregar malas e malas de viagem.

A terceira geração do feroz inglês em miniatura conta com um motor de três cilindros 1.5 litros turbo, capaz de gerar 136 cv com torque surpreendente. O veículo já vem com um câmbio automático de seis marchas inteligente que realiza trocas praticamente imperceptíveis e o tornam bem ligeiro. O carro ainda permite três modos selecionáveis de condução que otimizam o consumo de combustível e a performance do carro dependendo da necessidade do condutor. Independente do tamanho o carro é bem confortável, com design interno muito bonito e cheio de detalhes que à primeira vista chamam atenção por si só.

No Salão de Essen, na Alemanha, a marca prometeu apresentar novos e variados kits de personalização para o Mini Cooper. O kit John Cooper Works Pro carrega um visual e acessórios mais esportivos, claramente inspirados em modelos de corrida. Conta com difusores de ar traseiros, retrovisores personalizados e um número 37 pintado na capota, em referência ao campeonato mundial de rali.

Já o kit Vivid Green combina verde e preto apostando em uma personalização mais seletiva. A versão conta com, entre outros, soleiras das portas iluminadas e cadeirinhas especiais para crianças. Até mesmo os tapetes são altamente personalizáveis dentro das opções fornecidas. Outros destaques que merecem atenção são os bagageiros personalizáveis e as rodas de tamanhos variados.

Por Nosf

Mini Cooper John Cooper Works Pro

Mini Cooper com kits personalizados

Fotos: Divulgação


Carros clássicos são bons investimentos a longo prazo


É sonho de todo e qualquer amante de veículos ter um carro clássico. São lindos, com detalhes especiais e únicos, têm características históricas e foram os pilares conceituais de todas as gerações automobilísticas que vieram no futuro.

Infelizmente o desejo de muitos é de acesso de poucos. Os automóveis ditos clássicos são avaliados em milhões de reais, dólares, euros. Mas vale lembrar que se esses fossem carros comuns, não teriam a mesma graça e se fossem de fácil acesso, jamais seriam objetos de desejo. 

Recentemente houve um grande boom nesse seleto mercado de carros clássicos e valiosos. Os valores desses produtos (quase artesanais nos seus mínimos detalhes) sofreram uma ascensão impressionante nos últimos tempos e estão batendo recordes e recordes em vários leilões especiais ao redor do mundo todo. Muitas pessoas têm levado a aquisição desses produtos como investimento a longo prazo. Esses clássicos nunca perderão valor, muito pelo contrário, o tempo só irá agregar valor a essas belas máquinas.

Carros das marcas Ferrari, Mercedes-Benz, Porsche, Bentley e até mesmo carros raros da Ford estão entre os principais produtos nessas negociações. A valorização nesse setor no último ano foi de impressionantes 28%, sendo que nos últimos dez anos a valorização acumulada foi de 456%.

No topo da lista de valores está nada mais nada menos do que a Ferrari 250 GTO Berlinetta 1962 com valor de aproximadamente R$ 98 milhões. Entre os veículos mais caros estão aqueles que já foram utilizados em corridas ou mesmo nas telonas do cinema.

Dos cem carros mais caros do mundo temos 72 nos EUA, 12 no Reino Unido, 8 na Itália, 4 na França, 3 em Mônaco e 1 na Alemanha.

Entre outros carros de altíssimos valores podemos citar a Mercedes-Benz W196, o Ford GT40 usado para o clássico "Le Mans" e o Bugatti Royale Kellner Coupe 1931.

Por Nosf

Ferrari 250 GTO Berlinetta 1962

Mercedes-Benz W196

Ford GT40

Bugatti Royale Kellner Coupe 1931

Fotos: Divulgação


Saiba se trocar de veículo é sempre vantajoso


Trocar o veículo é sempre vantajoso?

Quando alguém tem um carro, também passa pela vontade de estar trocando de veículo pelo menos uma vez por ano. E adquirir um produto mais novo oferece mais tranquilidade e conforto ao proprietário.

Quando o motorista troca de carro, sendo um modelo mais novo e pouco rodado, as chances de ter menos despesa é maior. Porém é preciso ter cautela para realizar este negócio; o interessado em adquirir um produto novo precisa analisar muito as condições econômicas para não ficar endividado e sem necessidade.

Ao trocar por um modelo novo, os itens de acréscimo deixa o valor bem mais alto. Ocorrem casos de compra que o carro antigo com estilo seminovo e com todos os acessórios, completo, foi substituído por um veículo novo, sem os mesmos acessórios.

Há casos de pessoas que estão alegando que adquirir um carro novo não está tão fácil como antes. E agora, a necessidade de manter o carro antigo por mais um ano está sendo constante. Até pelo fato da crise de inflação no país, não está possibilitando muitas oportunidades para ficar trocando por um mais moderno e personalizado.

Às vezes, o carro pode passar por revisões regulares, pois assim evita aborrecimentos, e permite esperar por mais um tempo e  também facilita na hora certa de vender, principalmente quando está em boas condições de uso.

Ao comprar um veículo novo e pedir a inclusão de opcionais pode sair mais caro. E ao comprar um carro seminovo, muitas vezes esses equipamentos pelo fato de estarem usados, já não são tão valorizados pelo novo comprador.

É importante lembrar o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) pode aumentar ou diminuir na proporção do preço do carro. E ainda tem o valor do seguro que altera, mas dentro da avaliação feita para casos de troca de peças em colisões e outras despesas que são contratadas.

Cada motorista deve fazer o cálculo certo quando vale ou não a troca por outro veículo novo ou seminovo. Observando todos os critérios como os custos de manutenção, a necessidade de uso constante ou não, em especial aqueles casos que necessitam rodar muito.

Entretanto, acredita-se ser a época de permanecer com o carro usado até verificar as condições que o país vai ficar nos próximos meses. E caso a troca seja urgente pela necessidade de uso e segurança, é preciso cautela na aquisição do novo produto.

Por Jaqueline Mendes

Trocar de carro

Foto: Divulgação


Citroen C4 Cactus será lançado no mercado europeu em 2015


A estimativa é de que em junho do próximo ano já chegue ao mercado europeu o novo Citroën C4 Cactus. A princípio o preço será de 13.950 euros (o equivalente a R$ 45 mil na cotação do dia). Já em relação ao Brasil, o que se sabe é que a direção da marca pretende trazê-lo o mais rápido possível, contudo, ainda não há previsão de datas.

O crossover C4 Cactus foi apresentado no Salão de Frankfurt, no ano passado. A mistura de minivan, sedan e SUV, chamou a atenção de todos por conta do interior inovador. O assento da frente é uma peça única, como um sofá confortável, que abraça todos os passageiros. A porta também é destaque, devido ao acabamento acolchoado.

O detalhe das portas, uma espécie de almofada, é para protegê-la de arranhões e impactos leves. Dessa forma, o dono não terá que gastar dinheiro com pequenos reparos, já que o material utilizado é resistente e durável.

Em Genebra foi exibida a versão Adventure, com bagageiro no teto. O modelo é feito em Madri, na Espanha. Segundo a direção o C4 Cactus visa valores mais acessíveis, com design jovem e tecnologia simplificada. Sendo assim, o airbag vem acoplado ao teto, oferecendo mais espaço para os passageiros da frente.

É de praxe que durante o ano, em demais apresentações das empresas, novos detalhes e conceitos apareçam nos modelos. Mas, na última exibição do carro, em outubro, a montadora afirmou que manteria todos os aspectos já apresentados.

Além disso, o porta-malas comporta até 358 litros de bagagens. A Citroën diz que ele é feito sobre a plataforma EMP2 (sigla para plataforma modular eficiente).

O C4 Cactus também está ambientalmente correto, com uso de materiais reciclados e motores mais eficientes. 

No Brasil ele poderá ser vendido com 1.6 THP com injeção direta e 165 cavalos de potência ou 1.2 turbo de três cilindros com 132 cavalos de potência.

Por Camila Caetano

Citroen C4 Cactus

Citroen C4 Cactus

Citroen C4 Cactus

Fotos: Divulgação


Dicas de como pilotar motos em curvas


Quem tem moto sabe o quanto é prático e rápido o deslocamento, principalmente nas grandes cidades grandes. Porém, é preciso ter muito cuidado, principalmente nas curvas onde o risco de queda é ainda maior.

Quando estamos no trânsito, seja nas ruas, avenidas, ou estradas, precisamos ficar atentos a vários detalhes, seja com outras motos mais próximas, ou carros que estão à nossa frente ou atrás, além de objetos que se encontram jogados na via, risco de pedestres atravessarem em nossa frente, além de ter mais atenção ainda com crianças e animais que podem tomar uma atitude inesperada e colocar nossa segurança em risco e também a deles.

E quando a moto está em uma curva aí é que devemos tomar cuidado e considerarmos uma série de fatores, como a posição do corpo sobre a moto e também o do garupa, caso estejamos transportando outra pessoa conosco, além do piso, velocidade, etc.

Mas além de todos estes cuidados, há outros detalhes que poucos sabem, mas fazem toda a diferença durante uma curva de moto. O contra-esterço é um destes detalhes. Esterço significa o movimento que fazemos com o guidão da moto para executar a curva e o "contra" é porque durante uma curva, precisamos fazer um pequeno movimento inverso com o guidão, ou seja, se a curva é para a direita, o movimento é para a esquerda. Muita gente não sabe, mas faz corretamente por instinto, outros não fazem certo e o resultado pode ser desastroso.

Outro detalhe importante é saber para onde olhar, pois a tendência é que a moto vá na  direção em que o piloto está fixando o olhar! Assim, se você está fazendo uma curva com sua moto não deverá nunca, olhar para a lateral da pista, mas sim, para a faixa central ou de preferência, para o meio da pista.
Se você começar a perder o controle da moto em uma curva e olhar para a lateral, aí o risco de você sair da pista será ainda maior!

E ao se aproximar de uma curva, vá ao máximo para a esquerda da pista e siga reto de forma a passar à direita da pista e continue para atingir a esquerda da pista novamente, desta forma a moto não vai acompanhar toda a curva e a estabilidade será maior!

E nunca use o freio dianteiro, muito menos o traseiro em uma curva! O ideal é reduzir a marcha antes de entrar na curva para que o próprio motor da moto sirva de redutor de velocidade.

Por Russel

Moto em curva

Foto: Divulgação


Ranking de vendas de carros sedans pequenos em setembro de 2014


A Fenabrave apresentou os números de vendas do mês de setembro na categoria dos sedans pequenos. Com 39.090 carros comercializados, o segmento apresentou alta de 8,97% em comparação ao mês de agosto e um recuo de 1,49% em relação ao mesmo período do ano passado. Assim como foi visto em outros meses, o Fiat Siena continua líder absoluto da categoria dos sedans pequenos, com uma margem de quase 1.200 unidades sobre o segundo colocado.

Obtendo seu melhor índice de vendas desde janeiro deste ano, o Fiat Siena manteve a liderança do segmento emplacando 9.518 carros, alta de 12,39% na variação setembro/agosto, mas uma forte queda de 24,72% quando comparado ao mesmo período de 2013. A distância sobre o segundo colocado continua diminuindo a cada mês, embora o Siena ainda mantenha uma margem tranquila, que no mês de setembro foi de quase 1.200 carros.

Ganhando a segunda colocação neste mês, o Chevrolet Prisma registrou seu melhor resultado desde quando foi lançado no mercado brasileiro. Vendendo 8.353 carros, o sedan pequeno da GM cresceu 24,36% e 54,91% na variação setembro/agosto e 2014/2013, respectivamente. Com isso, o Prisma ficou quase 3 mil carros a frente do terceiro colocado, o Volkswagen Voyage, que emplacou 5.565 unidades e teve queda de 18,68% e 19,57% em relação ao mês de agosto e de 2013, respectivamente.

Para o quarto lugar, a disputa foi muito acirrada, sendo que o Chevrolet Classic acabou levando a melhor sobre o Hyundai HB20S. Enquanto o veterano sedan da GM garantiu a quarta posição emplacando 5.143 unidades (+25,90% setembro/agosto e -7,95% 2014/2013), o modelo da Hyundai ficou em quinto lugar vendendo 5.137 veículos, seis carros a menos que o Classic, o que representa uma alta de 11,84% e 31,35% em relação a agosto e 2013, respectivamente.  

Embora esteja na sexta colocação, o Renault Logan registrou seu melhor índice de vendas desde o seu lançamento no Brasil em 2007. Com 4.937 unidades emplacadas, o novo Logan vem ganhando mercado, com alta de 22,60% em comparação ao mês passado, ao qual já era comercializado o novo modelo, e um crescimento impressionante de 94,91% em relação ao mesmo período do ano passado, o que demonstra a força da nova geração do sedan.

Fechando a lista da categoria em sétimo colocado, o Ford Fiesta Sedan, na versão Rocam, foi responsável por emplacar 437 carros, forte queda de 61,70% e 83,78% em relação ao mês e ano passado, respectivamente. 

Por Caio Polo

Fiat Siena

Chevrolet Prisma

Volkswagen Voyage

Fotos: Divulgação

 


Ranking de vendas de carros hatches médios em setembro de 2014


A Fenabrave divulgou os números de vendas na categoria dos hatches médios no mês de setembro. Com um modesto crescimento de 0,43% em relação ao mês de agosto e uma queda de 13,30% quando comparado ao mesmo período do ano passado, o segmento foi responsável pela comercialização de 5.598 carros, sendo que o Ford Focus manteve a liderança do segmento, mas com uma disputa mais acirrada com o Chevrolet Cruze e o Volkswagen Golf.

Diferentemente do que se viu no mês de agosto, o qual o Ford Focus emplacou 2.218 carros e quase obteve uma vantagem de 1.000 unidades sobre o segundo colocado (VW Golf), a liderança no mês de setembro foi garantida pelo hatch da Ford com uma diferença muito menor.

Com 1.580 carros emplacados, queda de 28,76% e 7,66% em comparação a variação setembro/agosto e 2014/2013, respectivamente, o Focus teve 150 unidades emplacadas a mais que o segundo colocado, o Chevrolet Cruze. O modelo da Chevrolet, que ficou em terceiro colocado nos últimos três meses, foi responsável por comercializar 1.430 unidades, alta de 58,01% em relação ao mês de agosto e recuo de 18,98% quando comparado ao mesmo período do ano passado.

Sem perder seus rivais de vista, o Volkswagen Golf ficou na terceira colocação do segmento, sendo responsável pela venda de 1.371 veículos. Obtendo um leve avanço de 0,88% em relação a agosto, o modelo da Volks teve um aumento expressivo em relação ao mesmo período do ano passado, alta de 85,02%.

Crescendo 29,63% na variação setembro/agosto, o Peugeot 308 abocanhou a quarta colocação, deixando para trás o Hyundai i30. Com 455 unidades vendidas (-47,52% em relação ao ano passado), o hatchback médio francês ficou a frente do modelo sul-coreano por 30 unidades, já que o i30 emplacou 425 (+8,14% setembro/agosto e +14,56% 2014/2013).

Em queda tanto em relação ao mês de agosto quanto em comparação ao ano passado, o Fiat Bravo ficou na sexta colocação com 294 unidades vendidas, sendo seu pior desempenho desde quando começou a ser vendido no Brasil, em dezembro de 2010. Com quase 4 anos de vida no mercado e obtendo vendas muito aquém do esperado, talvez esteja na hora da Fiat pensar em um facelift para deixar o modelo mais competitivo.

Completando a lista dos carros que obtiveram vendas na categoria, em 7º está o Citroën C4, com 24 unidades emplacadas, em 8º o Subaru Impreza, responsável por emplacar 15 carros, e em 9º lugar o Nissan Tiida, com 4 unidades comercializadas

Por Caio Polo

Ford Focus 2014

Chevrolet Cruze

Volks Golf

Fotos: Divulgação


Citroen DS3 está à venda no Brasil em 3 versões


A Citroën lançou no mercado brasileiro o novo DS3, com algumas novidades para deixar o modelo ainda mais competitivo no segmento premium. Com alterações visuais pontuais e um acréscimo interessante de equipamentos de série, o hatchback premium da marca francesa deixa de ser vendido em versão única e passa a ser oferecido em três versões, com  preços que partem dos R$ 79.900.

Visualmente a Citroën promoveu modestas alterações, já que o design do carro continua moderno e atual. Portanto, a marca francesa adicionou ao hot hatch os faróis Full LED com disposição diferenciada das luzes, novas rodas de liga leve de 17 polegadas, lanternas traseiras com efeito 3D, além de nova combinação de cores.

Na cabine, as novidades ficam por conta da adoção de um sistema de som com subwoofer e do novo sistema multimídia com tela touchscreen de 7 polegadas, que abrange diversas funções, como o sistema de navegação via satélite (GPS) e que também exibe imagem da câmera de segurança para manobras em marcha ré.

Deixando de ser vendido em versão única (R$ 86.990), a marca francesa optou por disponibilizar ao mercado três configurações do novo DS3, o que deverá ampliar as vendas do modelo. Com um pacote de equipamentos de entrada modificado, a versão mais simples sai agora por R$ 79.900, contando com freios ABS e ESP, seis airbags, ar-condicionado automático e digital, lanternas em LED com efeito 3D, faróis diurnos de posição em LED, faróis de neblina, limitador de velocidades e rodas de liga leve de 17 polegadas com acabamento diamantado.

A versão intermediária (Pack Confort – R$ 85.890) dispõe dos mesmos itens, acrescido de sensor de estacionamento traseiro, acendimento automático dos faróis, sensor de chuva, retrovisor interno eletrocrômico, retrovisores externos rebatíveis e com acabamento cromado, apoia braço central dianteiro e central multimídia com tela touchscreen de 7 polegdas com sistema de navegação via satélite (GPS), conexão via Bluetooth, e sistema de som com leitor de MP3 e entradas auxiliares.

A configuração topo de linha do renovado DS3 (Pack Confort + Pack Technologie – R$ 89.880) conta com todos os equipamentos já citados e mais a câmera de segurança para manobras em marcha ré com exibição da imagem na central multimídia, rodas diamantadas com pintura em preto, som Hi-Fi com subwoofer e faróis Full LED bi-xênon com piscas deslizantes. Opcionalmente, a marca francesa oferece os bancos com revestimento em couro (Pack Couro) por um acréscimo de R$ 2.900 ao preço final do carro.

Mecanicamente, o Citroën DS3 mantém o motor 1.6 16V THP (Turbo High Pressure) de 165 cv e torque de 24,5 kgfm, que trabalha em conjunto com o câmbio manual de seis marchas. Contudo, a fabricante francesa agora equipa o modelo com sistema de frenagem de emergência com monitor de tráfego à frente, que atua no carro em velocidade de até 30 km/h caso haja risco de colisão, garantindo maior segurança ao condutor e aos ocupantes do veículo. 

Por Caio Polo

Citroen DS3

Citroen DS3

Citroen DS3

Fotos: Divulgação


Peugeot 308 Roland Garros – Nova série limitada terá 250 unidades disponíveis no Brasil


A Peugeot relançou no mercado brasileiro a edição Roland Garros para o hatchback médio 308. Limitada em apenas 250 unidades, assim como na série oferecida em 2013, o modelo especial baseado na versão topo de linha Griffe THP, é inspirado em um dos torneios de tênis mais tradicionais do mundo e conta com alguns detalhes exclusivos. O novo 308 Roland Garros tem preço sugerido de R$ 79.900.  

Visualmente, o modelo conta com faróis com máscara negra, retrovisores externos cromados, logotipo nas portas dianteiras em alusão à série especial e rodas de liga leve de 17 polegadas com desenho diferenciado e acabamento diamantado. No interior, a edição limitada do Peugeot 308 se diferencia pelos bancos com revestimento em couro branco e o carpete com logotipo do torneio de tênis.

Quanto aos equipamentos de série, entre outros, a edição limitada do hatch médio da Peugeot vem com freios ABS com repartidor eletrônico de frenagem (REF) e auxílio a frenagem de emergência (AFU), controle eletrônico de estabilidade e tração, seis airbags (frontais, laterais e do tipo cortina), ar-condicionado digital dual-zone, volante esportivo multifuncional revestido em couro, sensor de estacionamento traseiro, luzes diurnas de posição em LED, faróis de neblina e teto de vidro panorâmico.

Completa a lista o sistema de navegação WIP Nav com tela de 7 polegadas retrátil que abrange diversas funções do veículo, como o sistema de navegação via satélite (GPS), sistema de som com quatro alto-falantes e dois tweeters integrados ao painel, leitor de CD e MP3 e conexão via Bluetooth.

Mecanicamente o Peugeot 308 Roland Garros vem equipado com o já conhecido motor 1.6 16V THP (Turbo High Pressure), capaz de entregar 165 cv e torque de 24,5 kgfm. Trabalhando em conjunto com o bloco Turbo está uma transmissão automática de seis velocidades, com opção de trocas de marchas sequenciais através da manopla do câmbio. 

Por Caio Polo

Peugeot 308 Roland Garros

Peugeot 308 Roland Garros

Peugeot 308 Roland Garros

Fotos: Divulgação


Andar com o carro na reserva pode acarretar sérios problemas


Se você é um daqueles motoristas que só andam na reserva de combustível seja por distração ou por achar que assim pode beneficiar seu carro com a troca integral de combustível sempre, cuidado! Andar sempre na reserva pode ser um mau negócio.

Manter o tanque de combustível constantemente na reserva pode causar diversos e sérios problemas a literalmente deixar o condutor a pé, não pela falta de combustível, mas pelos problemas acarretados pela prática.

A quantidade de combustível que fica na reserva varia bastante de um carro para outro dependendo do modelo, fabricante e versão. Em geral é pouco, em torno de 1 a 5 litros. E engana-se quem pensa que é um tanque extra, essa quantidade é a mínima de litros considerada pelas montadoras para acender o aviso de pouco combustível e assim "solicitar" que o motorista abasteça.

Se o condutor ficar parado na via sem gasolina, além de acarretar prejuízos pelo estrago que isso pode gerar no veículo, ainda tem a multa de trânsito, que pode chegar a R$ 85,13, e mais quatro pontos na Carteira de Habilitação, independente da distância do posto mais próximo.

Outros danos que nem sempre pensamos quando deixamos isso acontecer estão associados à bomba de combustível que também sofre com a constante falta de combustível, já que o líquido do combustível é um meio de resfriamento. Se o tanque estiver vazio, a bomba não consegue líquido suficiente para resfriar o motor e evitar o superaquecimento.

Além disso, a baixa de combustível constante no tanque pode levar muitas impurezas para a bomba, a sujeira fica depositada no fundo do tanque, no momento de utilizar o combustível, a sujeira vem junto e pode seguir para o motor, e aí, nesse momento, o prejuízo pode ser enorme.

Portanto evite andar na reserva, uma vez ou outra tudo bem, mas constantemente pode ser um mau negócio.

Por Vivian Schetini

Tanque na reserva

Foto: Divulgação


Teto solar interfere no consumo de combustível dos veículos


Teto solaré uma opção que agrada bastante os amantes de carros e natureza, dirigir sentindo o vento, a brisa, ou sob a luz do luar parece romântico, mas esconde alguns gastos a mais. Claro que o charme pode valorizar o veículo, afinal é um charme conquistado por poucos, nem todos têm o opcional, e nem todos os modelos oferecem o teto solar como adicional.

E não estamos falando apenas no valor no ato da compra do veículo que pagamos pelo item fora de série, estamos falando de combustível. Isso mesmo o teto solar pode acarretar no aumento do consumo de combustível. Não existem cálculos exatos que comprovem o fato, que indiquem o peso exato no bolso, mas ninguém tem dúvidas que o conforto terá seu preço.

Mas podemos explicar o fato através da estabilidade do veículo. O teto solar diminui a performance do carro. Mesmo o veículo sem teto solar quando trafega de vidros abertos tende a ter um menor rendimento, o teto solar seria uma quinta janela com acesso do vendo e bloqueio de velocidade do veículo.

Com o teto aberto a massa que se acumula por cima da carroceria será sempre maior e, por isso acontece a diminuição da aerodinâmica do carro, assim o gasto com combustível aumenta proporcionalmente ao uso do teto solar.

De acordo com algumas pesquisas de consumo, a partir de 80 quilômetros por hora o carro tende a gastar menos combustível se estiver com a aerodinâmica em perfeito estado, para conseguir isso basta fechar todos os vidros, inclusive o teto solar, mesmo com o ar condicionado ligado o custo benefício pela aerodinâmica do carro vale a pena e economiza.

Mas às vezes vale a pena gastar um pouco mais e curtir os benefícios e sensações de um teto solar. Apenas não podemos esquecer de contabilizar isso quando analisarmos os preços de um carro com teto solar ou não.

Por Vivian Schetini

Teto solar

Foto: Divulgação


Confira os itens que você pode revisar em seu carro


Vai pegar estrada? Então fique atento, a revisão geral do veículo, troca de óleo, balanceamento, alinhamento e vários outros itens devem estar em dia e em perfeito estado de funcionamento. Mas alguns itens nós podemos verificar de maneira fácil e rápida.

É muito importante verificar tudo aquilo que pode colocar sua segurança em risco. E não se esqueça que garantir a sua segurança, de certa forma, também é garantir a segurança dos outros condutores.

Verifique os itens de emergência. Se o macaco está no carro, se está funcionando, verifique também a presença do triângulo de sinalização e da chave de roda no veículo. Em momentos difíceis eles podem ser fundamentais e podem preservar a vida e talvez até outros acidentes. O freio de mão também pode ser verificado pelo condutor, basta puxá-lo com dois ou no máximo três cliques o carro deve ficar totalmente imóvel. Caso contrário procure um mecânico para regulá-lo, isso significa que o freio traseiro pode estar com problemas ou que a lona está gasta ou o tambor gasto.

O volante, às vezes um pouco esquecido, também deve ser observado, principalmente quando o trajeto a ser percorrido for mais longo. O ideal é que não haja trepidações no volante, se houver pode ser falha no balanceamento, se estiver puxando para um dos lados, já pode ser problemas no alinhamento.

Nesses casos somente o mecânico poderá ajudá-lo, mas é fundamental que regularize a situação antes de seguir viagem.

E se a chuva cair? Conferiu as palhetas? As partes de borracha devem estar inteiras e macias, sem ressecamentos ou cortes.

Calibre os cinco pneus, isso mesmo cinco, muitas vezes esquecemos o estepe, mas é de suma importância mantê-lo pronto para uso, já que nunca sabemos quando vamos usá-lo.

Verifique também o nível de água do reservatório, o nível de óleo, e a iluminação de todo veículo, todas as luzes deve estar funcionando corretamente para sua segurança e para segurança dos outros motoristas na via, ver e ser visto é fundamental, verifique faróis alto e baixo, a luz de freio, a ré, o alerta, a iluminação traseira.

Por Vivian Schetini

Itens de emerg?ncia dos carros

Foto: Divulgação


Dicas de manutenção do óleo do seu veículo


Fim de anochegando e muitas famílias estão se preparando para viagens. Na lista de prioridades devem estar o destino, o hotel,  o checking list das bagagens, mas nada disso será importante sem a revisão do carro. A revisão do veículo precisa ser o primeiro item lembrado, pois é fundamental para a segurança de toda sua família, além de garantir uma viagem prazerosa e tranquila.

Mas na revisão também temos alguns itens prioritários no momento da revisão. O óleo é um dos itens de maior importância para o bom funcionamento  do carro, ele garante a lubrificação de todos os outros itens, principalmente do motor.

Veja algumas dicas sobre o óleo do seu veículo: a troca deve ser realizada sempre respeitando o período estipulado pelo fabricante do veículo, essa informação pode ser facilmente encontrada no manual do proprietário, onde também pode ser verificado o tipo de óleo, quantos litros do mesmo, e outras recomendações específicas de cada modelo. A troca pode ser por quilometragem rodada ou por tempo, o que chegar primeiro deverá ditar a regra. Assim evitamos que o óleo esteja sujo ou velho, mas velho não significa escuro, ou preto. Se estiver escuro significa apenas que está lubrificando corretamente.

Mas nem sempre é preciso trocar, às vezes basta completar o nível de óleo. À medida que o carro é usado é natural que esse nível baixe, então a melhor opção é completar até que chegue o momento certo de trocá-lo. Para verificar, o nível, mantenha o carro parado pelo menos dez minutos para que o motor esfrie e a medição possa ser feita de forma correta, basta completar quando o nível estiver abaixo do mínimo caso contrário não há necessidade. Já para trocá-lo o melhor é que motor esteja quente, assim o fluido fica mais fino e mais fácil de sair. O filtro de óleo também deve ser trocado no mesmo prazo.

Por Vivian Schetini

Troca de ?leo

Foto: Divulgação


Ford Ranger 2015 – Características do novo modelo


O lançamento da linha picape Ranger para 2015 já está sendo divulgada pela Ford. O veículo apresenta uma nova versão no modelo XL 2.2 Diesel 4X4 com Cabine e Chassi, um modelo prático e útil para atender frotistas que necessitam colocar implementos no lugar da caçamba. 

O modelo ainda oferece mais vantagens na versão XLS, pois vem com piloto automático e faróis de neblina. No modelo XLT, que possui câmbio manual e os bancos totalmente revestidos de couro. E para as duas versões disponibiliza o porta-objetos na parte de baixo do banco traseiro e tapetes com fabricação de borracha. Ainda apresenta fechaduras que acompanham as chaves que ficam na porta da caçamba. 

O carro vem com um estilo mais moderno e sofisticado, pois os equipamentos são mais novos. Porém, a Ford apresenta alterações nos planos de revisão para as novas versões desta série. A fabricante diminuiu o número de revisões, que era de 6 e agora passou para 4 atendimentos no prazo de 36 meses de garantia. Sendo que a primeira revisão acontece no período de 6 meses e a segunda avaliação entre os 12 meses. Quanto às outras duas, elas podem ser agendadas quando se aproximar dos 24 meses ou 20.000 km e aos 36 meses com 30.000 km. 

O novo Ford Ranger oferece também mais um item de segurança e conforto, o sistema de conexão SYNC. Este equipamento dispõe um importante recurso de assistente emergencial, ou seja, quando um smartphone estiver conectado ao sistema, ocorre uma ligação automática para o número de socorro do local, isso caso necessite, em uma situação de colisão grave. E com este mesmo sistema é permitido ainda acessar outros aplicativos do telefone pelos botões no volante ou pelo comando de voz. 

Portanto, as concessionárias já estão se preparando para receber o novo modelo da Ford para atender os interessados.

Quem já está pesquisando as últimas informações, já pode se preparar para comprar logo, pois em breve o produto estará disponível. 

Por Jaqueline Mendes 

Ford Ranger 2015

Ford Ranger 2015

Ford Ranger 2015

Fotos: Divulgação


Má utilização da embreagem pode prejudicar precocemente o veículo


Vários motoristas possuem alguns hábitos ruins e um deles é deixar o pé na embreagem.

De acordo com especialistas da área, segurar o carro em uma ladeira, por exemplo, apenas na embreagem pode causar um desgaste precoce na estrutura.

Dirigir com o pé no pedal da embreagem prejudica muito seu veículo, pode parecer uma daquelas bobagens que escutamos por aí, mas não é. Uma falha na embreagem pode causar um desgaste cedo e deixar o motorista na mão, sem conseguir engatar uma marcha, o carro não desenvolve e pode não funcionar. Além disso, é bom lembrar que um problema na caixa de marcha representa um grande problema no bolso também, já que o concerto pode ficar bem caro.

De acordo com Edilsn Caldas, que é supervisor técnico de Automotiva do SENAI do Rio de Janeiro, dirigir um carro sem retirar o pé da embreagem a pressiona desnecessariamente e afasta o platô do disco, em consequência há uma perda do material, devido ao lixamento que acontece na peça. O desgaste dessa forma, ocasiona um superaquecimento do sistema e logo a quebra do mesmo. E isso pode acontecer mais rápido do que o motorista pode imaginar, com cinco ou dez mil quilômetros rodados a peça pode quebrar devido ao mau uso. Segundo o especialista a vida útil dessa peça deve ser em torno de 70 mil a 80 mil quilômetros, e não cinco ou dez se mal utilizado.

A perda pode ser percebida até mesmo com o carro parado, no momento que a primeira marcha não engatar corretamente. Uma boa dica para perceber que algo está errado é o pedal pesado o que cria dificuldade no engate.

Mas o pior ainda nem é o orçamento gerado, o risco de acidente, embora baixo, existe com o carro parado. A única solução é trocar toda a peça. As montadoras recomendam substituir o kit que contém o platô, o disco e o rolamento. O desgaste de uma das peças força o uso das demais e consequentemente o desgaste de todo o sistema.

Por Vivian Schetini

P? na embreagem

Foto: Divulgação