Calendário de Pagamento do IPVA 2019


O calendário de vencimentos do IPVA 2019 já está disponível para consulta.

O DETRAN já começou a divulgar as datas para o pagamento do IPVA 2019, que deve ser pago a partir de janeiro em todo território nacional.

O IPVA é o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores, criado através do RENAVAM, que é o Registro Nacional de Veículos Automotores no site estadual do DETRAN.

Nesse próximo ano haverá um desconto de 3% no valor do IPVA 2019 caso o proprietário do veículo queira quitar o valor de forma única já no primeiro mês do ano. Caso o pagamento seja feito em 3 parcelas, entre janeiro, fevereiro e março, de acordo com o final das placas, o pagamento perde o desconto.

Para proprietários de motos, vans e ônibus o pagamento do seguro obrigatório DPVAT deve ser feito junto ao IPVA 2019, podendo ser pago de forma integral com a primeira parcela ou também dividido em 3 vezes.

Qual o valor do IPVA 2019?

O valor do imposto varia de acordo com cada veículo. Por exemplo, veículos a gasolina ou modelos que sejam flex, o valor do IPVA costuma ser de 4% do valor venal do veículo. A tabela para pagamento pode ser consultada através do Site da Secretaria da Fazenda de cada estado.

Onde posso fazer o pagamento do IPVA do meu veículo?

O pagamento do IPVA 2019 pode ser feito através da internet, em caixas lotéricas, ou caixas eletrônicos de bancos que são credenciados com o Detran. No site da Secretaria da Fazenda www.fazenda.sp.gov.br, é possível encontrar o registro do seu veículo. Basta ter o código do Renavan e a consulta pode ser feita, assim como o pagamento.

Se você ainda não tiver acesso à internet banking do seu banco, também há a opção de imprimir o boleto e fazer o pagamento por vias tradicionais em caixas eletrônicos ou na boca do caixa de qualquer agência conveniada.

Se eu não pagar o IPVA 2019?

O proprietário que não fizer o pagamento do valor do IPVA na data do vencimento, fica sujeito a multa de 0,33% ao dia com juros de mora. Se o condutor deixar exceder ainda o prazo de 60 dias, o percentual da multa vai para 20% sobre o valor do imposto. Depois disso o nome é inscrito em dívida ativa, e a multa chega aos 100% do valor do IPVA 2019, além da inclusão do nome do condutor mediante protesto.

É válido ressaltar ainda, que o não pagamento do IPVA 2019, não dá o direito de licenciamento do veículo, que pode acarretar em apreensão do mesmo, que é considerado multa gravíssima, e leva a perda de 7 pontos da Carteira Nacional de Habilitação.

Tabela de pagamento para o IPVA 2019

O calendário de vencimentos do IPVA 2019 para carros, motos, caminhonetes, ônibus e similares, é feito a partir do número final de cada placa.

Primeira parcela do IPVA

Final de placa 1: 11/01

Final de placa 2: 12/01

Final de placa 3: 13/01

Final de placa 4: 14/01

Final de placa 5: 15/01

Final de placa 6: 18/01

Final de placa 7: 19/01

Final de placa 8: 20/01

Final de placa 9: 21/01

Final de placa 0: 22/01

Segunda Parcela do IPVA

Final de placa 1: 11/02

Final de placa 2: 12/02

Final de placa 3: 15/02

Final de placa 4: 16/02

Final de placa 5: 17/02

Final de placa 6: 18/02

Final de placa 7: 19/02

Final de placa 8: 22/02

Final de placa 9: 23/02

Final de placa 0: 24/02

Terceira Parcela do IPVA

Final de placa 1: 11/03

Final de placa 2: 14/03

Final de placa 3: 15/03

Final de placa 4: 16/03

Final de placa 5: 17/03

Final de placa 6: 18/03

Final de placa 7: 21/03

Final de placa 8: 22/03

Final de placa 9: 23/03

Final de placa 0: 24/03

Para consultar o site da Secretaria da Fazenda (internet.sefaz.es.gov.br) a partir de Janeiro.

Por Susan NogArt

IPVA 2019


Novo padrão de placas começa a ser usado no Brasil


Rio de Janeiro começou a utilizar o novo padrão de placas do Mercosul.

Os proprietários de carros sabem que ao comprarem um automóvel precisam ficar atentos a diferentes questões envolvendo o mundo automobilístico. Uma vez que as montadoras, os órgãos estaduais e federais sempre realizam mudanças em diferentes normas para que os veículos possam circular livremente pelas ruas do país. E para que o motorista não tenha a sua habilitação comprometida é necessário que ele sempre fique atento a qualquer notícia. E o mais novo deste universo é a respeito de um novo padrão para as placas dos carros brasileiros seguindo o formato usado em veículos que circulam na região do Mercosul. Saiba agora todas as informações a respeito dessa mudança.

As primeiras informações a respeito das placas usadas no Mercosul que vão ser usadas em território nacional

O primeiro ponto que precisa ser explicado é que as placas que estão sendo mencionadas neste texto são as placas de identificação dos veículos. Isso parece meio óbvio. Mas, mesmo assim é preciso deixar todos os pontos esclarecidos. A ideia de unificação ou padronização das placas dos carros que circulam pelo Mercosul acontece há alguns anos. Em alguns países dessa região isso já acontece.

Entretanto, em território nacional, essa iniciativa algumas vezes parecia que de fato iria ser adotada e em outros momentos não. Mas, na data de 11 de setembro de 2018, ficou acordado que o Brasil passará a usar as placas com o mesmo design e com as mesmas informações das placas usadas no Mercosul. O responsável por divulgar essa notícia foi o Departamento Estadual de Trânsito do estado do Rio de Janeiro, o DETRAN/RJ. Como foi o órgão fluminense o responsável pelo anúncio, a medida vai ser adotada inicialmente nos carros que possuem a placa do Rio de Janeiro. Segundo algumas informações do DETRAN/RJ, o custo para essa mudança será de R$ 219,35. Esse é o preço atual para que um motorista emplaque o seu carro no Rio de Janeiro.

Um ponto importante para os motoristas de placas cariocas, é que o objeto vai ser mudado inicialmente para os veículos novos ou carros que tiveram a placar estragada, por algum motivo e precisam colocar uma nova identificação. Ou ainda em caso de venda do veículo ou outras situações em que o carro vai ser retirado do estado, por exemplo. Os donos de automóveis mais antigos podem adotar a nova placa, basta pagar as taxas dessa alteração. Para que assim, ele esteja em dia com todos os requisitos do seu veículo.

Como será a nova placa, as informações que ela vai trazer?

No Brasil, hoje em dia, se tem diferentes placas, e elas são representadas por diferentes cores. Pois, essas tonalidades significam que aquele automóvel está encaixado em algum grupo particular. Por exemplo, os carros que contam a placa com o fundo preto, correspondem a veículos antigos, com algumas décadas de uso, de colecionadores. Os com a predominância cinza na placa são automóveis comuns usados pelos motoristas e assim se tem mais variantes.

Com essa nova lei de padronização, a ideia é que todas as placas tenham de fundo a cor branca e uma faixa azul na parte superior. O que vai determinar se o veículo é particular ou de colecionador é a cor das letras que também será a mesma usada nas bordas das placas. Assim, com essas novas regras, as cores foram divididas para atender as seguintes categorias:

– Preto: particular, carro utilizado para os motoristas em geral.

– Violeta: colecionador.

– Vermelho: comercial.

– Laranja: diplomático.

– Verde: especial.

– Azul: oficial.

Além disso, as placas vão conter as já tradicionais três letras. E ao invés dos quatro números, nesta nova placa vai se ter um número, uma letra e mais dois números. Além disso, nela vão estar presente diferentes símbolos e marcas que ajudarão a verificar sua autenticidade. Os exemplos de alguns símbolos são: marca d’água, domicílio de registro (UF-município), faixa holográfico e outros. Por fim, uma informação importante é que ainda não se tem uma data estimada para que os outros estados adotem essa nova exigência quanto às placas, isso deve acontecer de forma gradual.

Para mais informações acesse: http://www.detran.rj.gov.br.

Por Isabela Castro

Placa Mercosul


CRLVe – Documento do carro na versão digital


O CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo) também será disponibilizado de maneira digital para todos os usuários até a data limite de 31 de dezembro de 2018.

No dia 27 de Agosto de 2018 o Ministério das Cidades apresentou mais uma nova tecnologia com o intuito de integrar e agilizar a portabilidade de documentos dos automóveis, o CRLVe. Com isso, o Contran (Conselho Nacional de Trânsito) determinou para todos os Detrans em território nacional que o nosso velho conhecido CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo) também seja disponibilizado de maneira digital para todos seus usuários até a data limite de 31 de Dezembro de 2018.

A novidade acompanha a já presente CNHe (Carteira Nacional de Habilitação Eletrônica), o primeiro Detran a disponibilizar a tecnologia é do Distrito Federal e a expectativa é que os demais passem a adotar o novo meio eletrônico nos próximos meses.

Além da facilidade e portabilidade do uso do documento, destaca-se também a segurança e a veracidade das informações contidas nele através da tecnologia do QR Code, permitindo a checagem imediata do documento por fontes fiscalizadoras.

O acesso pode ser feito pelo próprio aplicativo da CNHe (Carteira Digital da Habilitação), se o usuário não tiver seu app atualizado, ele pode fazer o download através das novas versões disponibilizados tanto na App Store como também no Google Play.

O cadastro para visualização do documento é simples bastando informar o número do Renavam inscrito no documento e seu código de segurança.

Para aqueles que desejam obter uma cópia de segurança, existe a possibilidade de fazer download do documento em formato PDF com sua assinatura digital (necessitando também de um certificado digital para isto). Esta cópia funciona da mesma maneira que uma cópia autenticada e tem a vantagem de não requerer uma conexão de Internet para seu uso e visualização.

Principais Vantagens da CRLVe

Interessou-se pelo novo documento? Abaixo selecionamos algumas informações adicionais que podem lhe ser úteis sobre esta nova tecnologia:

1. Qual é custo do novo documento?

Isso dependerá da determinação de cada Detran em seu respectivo estado, não existe uma regra ou preço mínimo, mesmo que a disponibilização da CRLVe seja gratuita, qualquer usuário irá continuar pagando todas as taxas normais para o licenciamento do veículo.

2. Adotar o CRLVe traz quais benefícios?

O principal dele é a agilidade na fiscalização de todas as autoridades no país, atestando a autenticidade do documento pelo sistema QR Code e a possibilidade de resguardar o documento físico em local seguro, protegido de furtos e perdas.

3. Alguma coisa irá mudar no licenciamento do veículo?

Nos custos e taxas nada mudam, porém para obter o documento digital é necessário quitar todos os débitos relacionados ao veículo que irá licenciar, da mesma forma que o licenciamento convencional para obter o documento físico.

4. E quem possui mais de um veículo?

O aplicativo disponibilizado para leitura e visualização do CRLVe permite a inscrição de várias CRLVe(s) relacionadas a outros veículos, para isto é sempre importante informar os códigos Renavam e os códigos de segurança de cada veículo no ato do cadastro.

5. O CRLVe irá mostra o histórico do veículo ou do motorista?

Nesta primeira versão não. O CRLVe digital só esta apresentando o ano em que o veículo foi licenciado, porém nada impede que versões futuras possibilitem cruzar dados e informar qualquer tipo de irregularidade com o veículo ou mesmo o proprietário.

6. O CRLVe só funciona pela Internet?

Não, o acesso é requerido em um primeiro momento para uso do aplicativo e identificação do documento, depois desta etapa ele fica armazenado no dispositivo que foi utilizado para o cadastro, possibilitando sua visualização sem uma conexão de internet.

7. Qualquer pessoa pode obter o CRLVe?

Nesta primeira versão não, o CRLVe está diretamente atrelado ao número de celular, informado pelo usuário no momento do cadastro, porém o Governo promete disponibilizar uma futura versão aonde diversos usuários podem compartilhar um mesmo documento digital.

Por Carlos B.

CRLVe


Carros com Menor Desvalorização de Mercado


Confira os modelos de carros com menor desvalorização de mercado no Brasil.

A aquisição de veículos de segunda mão é muito intensa no Brasil, movimentando muito dinheiro e investimento. Entretanto, é fato que os carros zerados assim que saem das concessionárias perdem valor. Deste modo, os melhores veículos a se investir as economias serão aqueles que menos desvalorizam no País. Recentemente foi publicado um estudo estatístico, encomendado à Agência Autoinforme, baseado na cotação chamada Molicar, o qual tornou clara uma relação dos modelos mais vendidos no Brasil, e que, por conseguinte, possuem muito mais liquidez.

Automóveis considerados como “best-sellers” possuem maior credibilidade no mercado de usados, tornando-se excelentes oportunidades para os consumidores de seminovos. Outro estudo revelou 132 modelos muito vendidos e com grande desvalorização no mercado de segunda mão, de 24 marcas, que sofreram depreciação devido a uma série de fatores do mercado atual.

Uma pequena relação de seminovos mais recomendáveis, com menor desvalorização segue abaixo. Nem todos os veículos desse rol puderam ser elencados, porém, os modelos que compõem a lista a seguir estão entre os melhores.

1 – o Honda HR-V, com depreciação de apenas 8,8%. Trata-se de um SUV compacto e entre os mais vendidos do País. Possui excelente desempenho, dado que a companhia japonesa o equipou com um motor de tipo 1.8 e desempenho de 140 CV.

2 – o Jeep Compass, com depreciação de apenas 9,1%. Lidera o segmento dos utilitários, ocupando uma posição privilegiada entre os carros mais populares, aparelhado com um motor tipo 2.0 e desempenho de 166 CV.

3 – o Chevrolet Onix, com depreciação de apenas 9,2%. Líder total, ocupando a terceira colocação de um Hatch de entrada na Chevrolet. Equipado com um motor de 1.0 e desempenho de 80 CV.

4 – o Fiat Toro; o Nissan Kicks; o Toyota Corolla e o Volkswagen Up!. Com depreciação de apenas 9,3%. São quatro modelos que empatam em termos de valorização e comércio. Algumas versões dos veículos acima descritos estão disponíveis por valores que variam entre 79.400 e 29.200 mil reais.

5 – o Honda Fit, com depreciação de apenas 9,7%. Aparelhado com um motor de 1.5 e desempenho de 116 CV.

6 – o Hyundai HB20S, com depreciação de apenas 10,2%. Equipado com motor de tipo 1.0 (1.6 litro), portando a garantia de fábrica por um prazo de cinco anos.

7 – o Honda City, com depreciação de apenas 10,3%. Equipado com um motor de tipo 1.5 litro e desempenho de 116 CV.

8 – o Renault Duster Oroch, com depreciação de apenas 10,4%. Este não está entre os mais vendidos, porém, está entre os mais consistentes. Sua qualidade e desempenho garantem bom lucro na revenda. Está aparelhado com um motor de tipo 1.6, com opção de 2.0, conforme a versão.

9 – o Honda Civic e o Toyota Etios, com depreciação de apenas 10,5%. Estão entre os modelos mais atraentes e vendidos das companhias japonesas; muito consistentes e econômicos. O Honda Civic possui, em sua linha, versões equipadas com motor de tipo 2.0 e desempenho de até 155 CV e motor de tipo 1.5 turbo, com desempenho de até 173 CV. O Toyota Etios está aparelhado com um motor do tipo 1.3 e desempenho de 98 CV. Os preços giram em torno de 36.200 mil reais na rede de Seminovos Unidas.

10 – o Toyota Etios Sedan, com depreciação de apenas 10,6%. Seu valor chega a 41.700 mil reais na rede Seminovos Unidas. Equipado com um motor de 1.5 e desempenho de 107 CV.

Todos os valores anunciados neste artigo podem sofrer alterações, portanto, é muito importante manter-se atualizado sobre cada modelo, versão, ano, rodagem e demais especificações.

Por Paulo Henrique dos Santos

Honda HR-V


SUVs Mais Econômicos do Brasil em 2018


Confira os 5 SUVs com câmbio manual mais econômicos do Brasil no ano de 2018.

O mercado de SUVs está bombando não só no mundo como no Brasil. Montadoras lançam cada vez mais produtos e versões para todos os gostos e bolsos, segmentos antes tradicionais como sedans médios tendem a diminuir, outros até sumir, como o de peruas (station-wagon), tudo isso graças ao porte, segurança e custo-benefício mais atraente proporcionado pelos SUVs.

De uns tempos para cá, as opções se diversificaram bastante, isto se deve não só ao gosto do consumidor entendido claramente pelos fabricantes como também pelas novas opções de modelos. Até então montadoras antes tradicionais aos seus nichos, por uma questão de sobrevivência e também inovação precisaram se adaptar a nova realidade.

Esta grande variedade de carros se traduz também nos preços e condições de pagamento, beneficiando claramente o consumidor que pode pesquisar muito para tomar uma boa decisão de compra em um mercado cada vez mais competitivo.

Os mais econômicos em consumo

Porém, não basta somente fazer uma boa compra, seja ela compatível com o seu bolso ou gosto, é preciso também pensar no custo de manutenção futura do veículo e principalmente no consumo de combustível diário e mensal, veículos mais econômicos tendem a ser mais eficientes, tanto pela tecnologia embarcada como também pela proposta oferecida na compra.

O portal de notícias IG em sua página específica voltada a notícias de Carros, enumerou os cinco SUVs mais econômicos do mercado com base nos dados publicados e coletados no Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia).

Para democratizar e nivelar a lista, foram escolhidos somente SUVs com câmbio manual de categorias compactas. Vamos à lista e aos comentários abaixo:

Primeiro Colocado: Ford EcoSport, versão Freestyle com motor 1.5. Média de 12,35 quilômetros por litro, tendo gasolina como combustível.

Isto se deve ao eficiente motor de três cilindros com 137 cavalos de potência, que ainda consegue consumir na média de 11,6 quilômetros por litros de gasolina na cidade.

A Ford oferece a EcoSport inicialmente por R$ 76.690,00.

Ford Ecosport Freestyle

Segundo Colocado: Nissan Kicks com motor 1.6. Média de 12,05 quilômetros por litro, tendo gasolina como combustível.

O Kicks se tornou um sucesso de mercado graças aos seus atributos, dentre eles a economia de combustível, por pouco não foi o campeão da lista, oferecido a partir dos R$ 73.190,00, ele também não decepciona na cidade com a média de 11,1 quilômetros por litros, rodando sempre a gasolina.

Nissan Kicks 1.6

Terceiro Colocado: JAC T40 com motor 1.5. Média de 11,9 quilômetros por litro, tendo gasolina como combustível.

O T40, importado pela JAC é menor que seus concorrentes diretos e também mais barato, partindo dos R$ 59.990,00, mesmo assim não faz feio com seu motor 1.5 flexível rendendo até 127 cavalos de potência, uma ótima escolha ressaltando a evolução da mecânica e produção dos automóveis chineses.

JAC T40 1.5

Quarto colocado: Peugeot 2008 com motor 1.6 THP. Média de 11,5 quilômetros por litro, tendo gasolina como combustível.

A Peugeot oferece o SUV 2008 com motor turbo de 1.6, com excelentes 173 cavalos de potência, domados por um câmbio manual de seis marchas, apesar de estar posicionado no final da lista, sua dirigibilidade e principalmente potência equilibram e compensam bastante seu conjunto como um todo.

Peugeot 2008 1.6

Quinto e último colocado: Honda HR-V com motor 1.8 na versão LX. Média de 11,25 quilômetros por litro, tendo gasolina como combustível.

Mesmo com um motor de arquitetura antiga, o Honda HR-V conseguiu desbancar outros modelos com proposta mais modernas com Hyundai Creta e Chery Tiggo, mérito para os seus 139 cavalos de potência disponibilizados e um torque de 17,4 kgfm, fazendo muito sucesso ainda entre muitos consumidores.

Honda HR-V 1.8

Agora é comparar e escolher o que mais cabe no seu bolso e nas suas necessidades de locomoção.

Por C. B.


Capacidade de Carga dos Pneus


Os pneus são itens muito importantes, sendo necessário considerar a capacidade de carga, a adequação ao veículo, as dimensões, a velocidade limite e a qualidade do material para manter a segurança do veículo.

Um dos itens mais importantes para a segurança de um veículo, e também um dos mais negligenciados, são os pneus. Por apresentarem preços altos no mercado, a maioria dos consumidores acaba por levar o tipo de pneu mais barato, um fator que auxilia a diminuir a segurança do veículo.

Portanto, antes de adquirir um pneu, é necessário considerar a capacidade de carga, a adequação ao veículo, as dimensões, a velocidade limite e, especialmente, a qualidade do material. Além de tudo isso, é necessário também observar o estado do pneu depois do uso.

Limite de velocidade do pneu com carga máxima

Uma das coisas que as pessoas não prestam muita atenção em um pneu é o seu limite de velocidade, que, geralmente, está indicado no próprio pneu por uma letra, variando de J a Y. Porém, é preciso ressaltar que algumas letras inscritas no pneu não se referem à velocidade, como, por exemplo, a letra “R”, que se refere ao radial.

Para ficar por dentro do assunto, veja abaixo a tabela dos limites de velocidade, com carga máxima, para cada tipo de pneu:

  • Pneu J: limite de 100 km/h;
  • Pneu K: limite de 110 km/h;
  • Pneu L: limite de 120 km/h;
  • Pneu M: limite de 130 km/h;
  • Pneu N: limite de 140 km/h;
  • Pneu P: limite de 150 km/h;
  • Pneu Q: limite de 160 km/h;
  • Pneu R: limite de 170 km/h;
  • Pneu S: limite de 180 km/h;
  • Pneu T: limite de 190 km/h;
  • Pneu H: limite de 210 km/h;
  • Pneu V: limite de 240 km/h;
  • Pneu W: limite de 270 km/h;
  • Pneu Y: limite de 300 km/h.

Limite de carga de pneus

Assim como os pneus têm limite de velocidade, eles também possuem um número de carga máxima suportada. Essa tabela tem extensão que vai além da que se encontra abaixo, mas as capacidades mais comuns, principalmente, em carros, vistas nos pneus se encontram nesta tabela.

Veja a seguir o limite da capacidade de cargas de cada pneu:

  • Pneu tipo 70: limite de 335 kg;
  • Pneu tipo 71: limite de 345 kg;
  • Pneu tipo 72: limite de 355 kg;
  • Pneu tipo 73: limite de 365 kg;
  • Pneu tipo 74: limite de 375 kg;
  • Pneu tipo 75: limite de 387 kg;
  • Pneu tipo 76: limite de 400 kg;
  • Pneu tipo 77: limite de 412 kg;
  • Pneu tipo 78: limite de 425 kg;
  • Pneu tipo 79: limite de 437 kg;
  • Pneu tipo 80: limite de 450 kg;
  • Pneu tipo 81: limite de 462 kg;
  • Pneu tipo 82: limite de 475 kg;
  • Pneu tipo 83: limite de 487 kg;
  • Pneu tipo 84: limite de 500 kg;
  • Pneu tipo 85: limite de 515 kg;
  • Pneu tipo 86: limite de 530 kg;
  • Pneu tipo 87: limite de 545 kg;
  • Pneu tipo 88: limite de 560 kg;
  • Pneu tipo 89: limite de 580 kg;
  • Pneu tipo 90: limite de 600 kg;
  • Pneu tipo 91: limite de 615 kg;
  • Pneu tipo 92: limite de 630 kg;
  • Pneu tipo 93: limite de 650 kg;
  • Pneu tipo 94: limite de 670 kg;
  • Pneu tipo 95: limite de 690 kg;
  • Pneu tipo 96: limite de 710 kg;
  • Pneu tipo 97: limite de 730 kg;
  • Pneu tipo 98: limite de 750 kg;
  • Pneu tipo 99: limite de 775 kg;
  • Pneu tipo 100: limite de 800 kg.

Para caminhões e ônibus, a carga limite do pneu pode variar entre 800 kg e 10.900 kg. Dessa forma, é preciso ter conhecimento de qual pneu é adequado para uso no seu tipo de veículo. Além disso, é extremamente recomendado que a velocidade limite do pneu não seja ultrapassada, mesmo que a carga não esteja completa, além de que não se deve carregar peso acima do que o pneu do veículo diz suportar.

Por Aurenivia Alves Pereira

Pneus


Alienação Fiduciária – Como retirar a expressão do documento do veículo


O processo de retirada do termo ocorre após o órgão credor comunicar o fato ao órgão de trânsito em que o veículo foi registrado, no caso seria o Detran que atua no âmbito estadual.

É bastante comum pessoas comprarem carros financiados e em algum momento decidirem vendê-los. Contudo a questão do financiamento deixa muitas dúvidas tanto para quem compra quanto para quem vende, pois nestes casos entramos em um ponto denominado “alienação fiduciária”.

Para quem desconhece o termo, ele consta nos documentos de veículos que são financiados. Assim, quando você analisar o documento de um carro e verificar que no campo das observações consta o termo “alienação Fiduciária” isso significa que o carro ainda não está totalmente pago e, por isso, não poder ser vendido ou comprado.

Até aí tudo bem, essa observação no documento é na verdade um alerta para que o carro não seja negociado e no meio dessa negociação eventuais problemas possam surgir e complicar a vida tanto de quem compra quanto de quem vende.

Mas o problema maior está no fato de que muitas vezes o veículo é totalmente pago, contudo em seu documento ainda fica constando o termo de alienação, o que pode atrapalhar em caso de venda ou compra.

Em termos legais, a descrição no documento indica a existência de um contrato firmado entre um consumidor ou pessoa física e uma entidade de financiamento, o que significa que ainda há o débito que os vincula, não sendo o carro totalmente do comprador até que toda a dívida seja paga.

Segundo informações do Denatran, que é o Departamento Nacional de Trânsito o termo se refere a uma transferência que é feita por um indivíduo devedor para um órgão ou instituição credora cuja propriedade é resolúvel e que dá o direito de posse de caráter indireta do carro, como garantia do débito, em que se resolve como direito do comprador o adimplemento da obrigação, que nada mais é que o pagamento do débito de forma garantida.

Muitas pessoas se perguntam o porquê no documento do carro o termo aparece. Mas a resposta está no fato de que se trata de um alerta sobre uma restrição administrativa existente que quando disposta no documento objetiva levar ao impedimento de uma possível transferência entre proprietários, até que o carro esteja totalmente quitado e assim podendo ser transferido sem maiores problemas. Afinal, um carro que não é totalmente de uma pessoa, por não estar totalmente quitado não pode ser passado para terceiros, pois assim de quem ficaria a responsabilidade de seu pagamento?

Mas quando o financiamento termina, o Denatran informa que automaticamente o termo deveria ser retirado do documento do seu então proprietário.

O processo de retirada do termo ocorre após o órgão credor comunicar o fato ao órgão de trânsito em que o veículo foi registrado, no caso seria o Detran que atua no âmbito estadual. Assim, o Detran no prazo de 10 dias úteis tem a obrigação de retirar o termo da documentação em questão. Porém, o que deveria acontecer de forma automática e eletrônica, na maioria das vezes, não ocorre.

Há casos em que pessoas que quitaram seus veículos há mais de cinco anos e que não tiveram o termo retirado do campo de observações de seus documentos, o que gera muitos contratempos, principalmente quando desejam fazer a transferência de seus veículos.

Se este for o seu caso você precisa fazer a solicitação da emissão de um novo CRV, que é o Certificado de Registro de Veículo e também solicitar o CRLV, que é o Certificado de Registro de Licenciamento do Veículo. Mas para que estes certificados sejam concedidos pelo órgão é preciso que o veículo não possua nenhuma pendência, como IPVA, seguro e etc.

E para fazer a solicitação o proprietário do veículo terá que pagar pelos certificados e o valor é diferentemente de estado para estado, uma vez que os Detrans são independentes nesse sentido de valores e tabelas.

Esse processo, no entanto, é diferente em cada Estado do país, já que é de responsabilidade dos Detrans. O valor também não é tabelado.

Nesse sentido, se você já quitou o financiamento do seu veículo e ainda consta no documento o termo “alienação fiduciária”, procure o Detran onde seu veículo é registrado e solicite os certificados citados acima.

Por Sirlene Montes

Alienação fiduciária


Carros perdem o marcador de temperatura


Saiba por que os novos modelos de carros estão perdendo os marcadores de temperatura.

Eis que surge uma dúvida acerca do marcador de temperatura de água: por que os modelos mais recentes não o possuem? Para cortar gastos? Se não, então qual é o motivo?

Atualmente, é muito raro ver um automóvel cuja manutenção esteja nos conformes, ter um motor super aquecido. Faz pelo menos duas décadas que os fabricantes de carros solucionaram essa questão de temperatura, usando-se do sistema de arrefecimento ou adicionando aditivo ao fluido que faz circulação entre o bloco do motor e pelo radiador. Sob a ótica das montadoras, essas soluções foram tão eficientes e eficazes, que não existe mais a necessidade de utilizar-se dos marcadores de temperatura.

Esses termômetros analógicos estão quase extintos, hoje em dia, no máximo, o que pode-se encontrar é um digital em alguma parte do computador de bordo. A tendência é que tanto um quanto o outro por uma luz espia, que por sua vez, simboliza um custo muito menor do que qualquer termômetro gradual.

Contudo, ainda há um termômetro responsável pela medição da temperatura do líquido do arrefecimento. Esse sinalizador pode ser mais significativo que um ponteiro indicativo chegando na faixa vermelha, em outras palavras, quando a luz se acender, será porque o motor está muito quente. Na prática, talvez esse aviso não seja muito eficaz, já que, no Ford Ka, por exemplo, a luz espia acendeu de forma retardada, no teste de longa duração. Isto é, quando a luz acendeu, não tinha mais nada a se fazer, pois já saia vapor d’água através do vão do capô.

É importante ressaltar que os termômetros analógicos também não demonstram a temperatura real: o ponteiro só se move para sinalizar algo, no caso de ocorrer alguma anomalia no sistema de arrefecimento. Mesmo que a temperatura esteja em 80º ou 95º, o ponteiro se manterá em 90º, e para evitar que motoristas procurem as montadoras sem um real motivo.

Por fim, concluímos que ao medidor de temperatura restará uma opção nos veículos que possuírem computador de bordo e, afinal, tudo bem, os avanços são sempre bem-vindos já que ninguém deseja voltar a andar de charrete, não é assim?

Por Carolina B.

Marcador de temperatura


Renault Clio 2017 – Novidades e Características


A montadora focou em alguns pontos bem específicos como economia, modernidade e design.

Ao projetar o novo Clio 2017 a Renault ao que parece focou em alguns pontos bem específicos como economia, modernidade e design. Já se ela acertou nas suas escolhas é uma opinião a ser formada por cada um. De qualquer forma vejamos alguns detalhes para que você tenha uma ideia mais ampla sobre este lançamento.

A Renault já ficou famosa em muitos momentos dado o visual, às vezes, único, para seus carros. O Renault Clio 2017 até que foi bem trabalhado nesse aspecto. Em linhas gerais (no design) entre as principais mudanças que vamos encontrar na novidade estão as alterações no capô do veículo e a grade frontal.

Na traseira do veículo as lanternas foram redesenhadas. Destaque para os vincos na tampa do porta-malas do Clio 2017. A presença de uma máscara negra nos faróis do carro e a presença de novos filetes cromados parecem ter agradado aquela gama de consumidores da marca que cobravam uma aparência mais marcante no carro.

Economia:

A montadora incrementou ao carro um indicador de troca de marcha. Também vamos ter um conta giros com zona demarcada para economia de combustível, o Econômetro.

Segurança:

Nesse ponto a Renault está disponibilizando para o Clio 2017 o Brake light; presença de barra de proteção nas portas traseiras e dianteiras; dois apoios de cabeça traseiros com regulagem de altura; apoios de cabeça dianteiros com regulagem de altura; cinto traseiro retrátil, desembaçador para o vidro traseiro; freios ABS; aribags duplos e travas de segurança para as portas traseiras.

A economia e a segurança de fato tiveram uma atenção espacial por parte da montadora. O Inmetro deu para o Clio 2017 a classificação A. De acordo com as informações da página da fabricante ele faz na estrada 14,3 km por litro.

Além disso, ainda temos o Eco Drive. Trata-se de um sistema inteligente que indica ao condutor qual é o momento certo para fazer a troca de marcha. O Eco Drive ainda considera o jeito do motorista.

Entre os outros itens que ainda temos o ar-condicionado de série, kit elétrico, kit music com cd-player, MP3, rádio e 2 alto-falantes.

Na lista de acessórios temos o banco traseiro rebatível, direção hidráulica, limpador de vidro traseiro, iluminação interna central dianteira, computador de bordo com oito funções.

Por fim, temos o motor 1.0 de 16V Hi-Power, bicombustível, 16 válvulas e 4 cilindros em linha.

O Renault Clio 2017 Expression 1.0 sai por R$33.990,00.

Por Denisson Soares

Renault Clio 2017


Jeep Compass 2017 – Características e Novidades


Modelo está previsto para ser lançado em breve e será produzido em Pernambuco.

Com o lançamento previsto para outubro de 2016, muitos detalhes ainda são um mistério para o novo Jeep Compass 2017. O que pode afirmar é que o Compass será produzido no estado de Pernambuco, na cidade de Goiana.

O valor é outro mistério, mas acompanhando a média de preços dos seus principais concorrentes, o Compass poderá custar de R$ 100 mil a R$ 130 mil. Se a "Jeep" quiser ganhar da concorrência, este preço tende a diminuir, mas se este carro tiver um diferencial em relação aos rivais, então um valor maior pode ser anunciado.

Seguindo a mesma lógica quanto ao padrão de comparação, o Compass, por ser um SUV de porte médio, deve ficar com aproximadamente 4,5 metros de comprimento, 1,8 metros de largura e 1,7 metros de altura. Honda CR-V, Kia Sportage e Hyundai ix35 são exemplos de SUV na mesma categoria.

Na parte visual do carro, algumas fotos foram divulgadas, mas os detalhes foram "escondidos" com adesivos. Aumentando ainda mais a curiosidade.

O segredo quando as versões e os motores, já foram anunciados por alguns sites na internet. Com isso, 3 (três) versões foram mencionadas, a "Sport", a "Longitude" e a "Trailhawk". O combustível do Compass seria em diesel, semelhante ao Renegade de 2.0 litros turbodiesel, com 170 cavalos e torque máximo de 35,7 kgfm, ou na versão flex 2.0 litros 16V Tigershark, com 159 cavalos de potência a 6.200 rpm na gasolina e 164 cavalos a 6.000 rpm com álcool.

Outra coisa que foi desvendada, foi a parte da transmissão, que deverá seguir a ficha técnica do Renegade, com o câmbio de 9 marchas automático. Uma versão mais completa com tração integral 4X4 também é esperada.

A "Jeep" fazia parte do Grupo Chrysler e não tinha muita confiança aqui no Brasil. Agora ela está sendo apoiada pela Fiat e essa credibilidade pode fazer a diferença no mercado automobilístico nacional.

O Jeep Renegade está sendo um sucesso de vendas e o seu "irmão" mais novo, o Compass, está vindo para se tornar o carro SUV mais desejado pelo consumidor, uma vez que as duas marcas estão cada vez mais abrindo pontos de vendas.

Por Fernando Dias

Jeep Compass 2017

Jeep Compass 2017

Fotos: Divulgação


Novo Volkswagen Golf Variant será vendido nos EUA


As características do Volkswagen Golf Variant Alltrack são totalmente direcionadas para o estilo aventureiro que a montadora optou por acoplar ao modelo.

Deve chegar no início de outubro às concessionárias norte-americanas a nova versão do Volkswagen Golf Variant. A versão aventureira do modelo, batizada de Alltrack, traz mudanças externas e internas, e promete conquistar uma fatia do mercado no segmento dos veículos station wagon nos Estados Unidos.

As características do Volkswagen Golf Variant Alltrack são totalmente direcionadas para o estilo aventureiro que a montadora alemã optou por acoplar ao modelo. A versão oferece motorização potente, que oferece 173 cavalos de potência por meio de um motor 1.8 litro TSI, além de câmbio automatizado com seis marchas e embreagem dupla. A perua aventureira da Volkswagen vem com tração integral 4Motion de fábrica e com 15 milímetros a mais de altura em relação às demais versões do carro.

Externamente, o modelo ganhou novos para-choques, novas molduras nas caixas de roda e saias laterais exclusivas, que ajudam a incorporar o estilo aventureiro ao carro. A montadora também oferece nesta versão o modo OffRoad de condução, responsável por modificar o funcionamento dos freios ABS e do acelerador do carro quando o modo é selecionado pelo condutor e está em funcionamento.

No mercado dos Estados Unidos o station wagon será comercializado em três versões diferentes. A versão básica, no entanto, oferecerá ao consumidor um pacote recheado de equipamentos e itens de fábrica, como sistema de alerta de colisão frontal, piloto automático adaptativo, frenagem automática em caso de emergência, sistema de estacionamento automático, luzes diurnas em LED e a central multimídia Composition Media.

Por lá, a versão inicial do Volkswagen Golf Variant Alltrack será vendida por US$ 26.950, e deve concorrer com outros modelos de outras marcas, como o Subaru Outback e o Subaru XV. Ainda no segmento dos station wagon, o Alltrack deve enfrentar também os modelos V90, da Volvo, o A4 allroad Quattro, da Audi, e o E-Class Wagon, da Mercedes-Benz – embora a maioria deles seja comercializada por preço superior ao valor praticado pela Volkswagen para a sua nova versão aventureira do Golf.

A Volkswagen não informou se tem intenção de lançar a versão Alltrack no mercado brasileiro. Por enquanto, os consumidores por aqui poderão conhecer de perto somente a versão principal Volkswagen Golf Variant 2017, que chega às lojas com motor 1.4 litro flex, com 150 cavalos de potência.

Por André Barbirato

Volkswagen Golf Variant nos EUA

Foto: Divulgação


Dicas para comprar um Carro Usado


Saiba o que analisar na hora de comprar um carro usado.

Uma opção mais barata para ter um carro é comprar um usado. Mas como adquirir um bom carro, com um preço melhor ainda? Pesquisando, pechinchando e analisando os detalhes.

A tabela FIPE costuma ser uma ótima opção para pesquisa e desconfie logo de início quando o preço anunciado estiver muito abaixo da tabela, cerca de 5%. "Quando a esmola é de mais o santo desconfia". Pode ser difícil, mas o pagamento total do veículo e à vista pode ser uma vantagem econômica na hora da compra.

Comprar o mesmo carro em agências ou de donos particulares também tem um fator relevante na hora da negociação. Uma pessoa particular pode vender o mesmo carro por um preço abaixo de um anunciado numa agência. O Código de Defesa do Consumidor obriga, somente, uma pessoa jurídica a dar 3 meses de garantia no produto adquirido e essas lojas tem aluguel para pagar, funcionários e encargos. Uma pessoa física não tem nada disso e o preço, por isso, pode ser mais em conta.

Finalizando a parte de valores, não deixe de pesquisar na internet ou até em outras cidades. Os preços variam muito de uma região para a outra e cada centavo economizado faz a diferença.

No caso de comprar um carro de uma pessoa física (particular), escolha um lugar, durante o dia, com muito movimento de pessoas e sempre vá com alguém, nunca sozinho. Além de testemunhar a negociação, esta pessoa pode ser um mecânico e irá analisar melhor as condições do veículo antes da confirmação de compra e venda.

Motor e câmbio são coisas fundamentais na hora da compra, faça um teste com o carro. Dando uma volta em alguns quarteirões podem mostrar o desempenho e estabilidade do carro, além de barulhinhos escondidos que só se repara quando está andando.

Analisando a parte externa do carro, como lataria e pneus, podemos notar defeitos que num futuro próximo será necessário arrumar. Para isso, uma caidinha no valor final do veículo pode acontecer.

Na parte interna podemos detectar a verdadeira idade do veículo. Um carro com uma quilometragem baixa não terá muito desgaste nos pedais e bancos. Uma preocupação quanto a isso, é com aquele carro que colocou, por exemplo, ar-condicionado em uma loja. Itens de série costumam ter garantias e ter uma assistência técnica mais barata e fácil de achar.

Uma outra coisa interessante é verificar o estado interno do porta-malas e capô. Ferrugem de baixo dos tapetes podem indicar infiltrações e algumas vezes, os parafusos de cores diferentes do para-choque ou aqueles que ligam a carroceria ao monobloco podem indicar uma troca provocada por batida, dianteira ou traseira.

E no que diz respeito ao documento, faça uma pesquisa antes de fechar o negócio. Verifique a situação do mesmo em algum lugar especializado nisso, como um despachante por exemplo. A numeração do chassis é algo crucial para isso.

Como dica final fica a seguinte, quem está vendendo quer ter um lucro maior e quem está comprando quer economizar!

Por Fernando Dias

Comprar carro


GNV – Alternativa de combustível para veículos


A instalação do Gás Natural Veicular compensa a partir do 4º mês de uso do sistema para quem utiliza bastante o veículo. Já quem utiliza pouco, o prazo para retorno é de 30 meses.

Qualquer piloto de plantão sabe e já não é mais novidade que o GNV, Gás Natural Veicular, é um combustível bem mais em conta que o etanol e a gasolina, mas será que essa economia ao encher o tanque compensa o valor gasto com a conversão e preparação do motor do seu carro? De acordo com alguns especialistas da área, esse valor é compensado a partir do quarto mês de uso deste sistema.

Quatro meses é o tempo médio para retornar do investimento realizado para instalar gás natural, isso para veículos que rodam mais de oito mil quilômetros ao mês. Isso é para pessoas que utilizam muito o veículo, como empresas, agora para os rodam cerca de mil quilômetros ao mês, como uma pessoa comum, o prazo para retorno é de aproximadamente 30 meses, ou seja, dois anos e meio.

Essa pesquisa, realizada pela Companhia de Gás de São Paulo, Comgás, deixa claro que a conversão para GNV é muito mais vantajosa para quem utiliza o carro por altas quilometragens. Quanto mais se anda, mais rápido será o retorno do investimento realizado.

O uso deste combustível e sistema, também pode ser bom para as pessoas que trafegam bastante para ir até o trabalho diariamente, como aqueles que trabalham em uma cidade diferente da que residem. Tal equipamento pode ser útil também para aqueles que trocam de carro frequentemente, pois o mesmo pode ser transferido de um carro para outro, sendo assim, os instrumentos não irão ser vendidos juntamente com o veículo.

Outro ponto muito interessante do GNV é o fato do combustível ser menos poluente que outros, contribuindo assim com o meio ambiente. O gás veicular tem uma emissão de gases poluentes 20% a menos que a gasolina e 15% a menos que o etanol.

Isso acontece devido ao Gás Natural Veicular ter uma queima muito mais completa que seus concorrentes, etanol e gasolina, onde sua combustão ocorre com excesso de ar, dessa forma, libera mais água do que gás carbônico.

O gás também é mais seguro, já que possui uma faixa de inflamabilidade bem menor, além de ser mais leve que o ar, diminuindo assim o risco de incêndios e explosões.

Como instalar o gás natural?

Para fazer uso do gás natural veicular em seu carro é necessário que você instale um kit GNV, porém a oficina deve ser homologada pelo INMETRO. O Certificado de Homologação de Montagem do kit é fornecido apenas pelas empresas credenciadas. Através deste certificado é atestado que todas as normas técnicas estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) foram cumpridas, permitindo desta forma, que o veículo seja legalizado junto ao departamento de trânsito.

É necessário também, realizar uma inspeção na parte mecânica do veículo antes de instalar o gás natural, averiguando problemas, que deverão ser solucionados, caso preciso.

Agora basta você analisar seu perfil de uso do seu veículo e ver se de fato é vantajoso para você o uso do GNV.

Por Filipe da Silva

GNV

Foto: Divulgação


Caixa dá condições especiais para financiamento de veículos


Salão Auto Caixa é realizado entre os dias 5 e 7 de novembro. As taxas de juros são reduzidas a 1,19% ao mês e os financiamentos podem ser de até 90% do valor do veículo com prazo de 60 meses para pagar.

O Salão Auto Caixa abrirá sua 8ª edição este ano entre os dias 5 e 7 de novembro.

É uma boa oportunidade para quem, mesmo em tempos de crise, quer se aventurar em uma aquisição de automóvel ou moto, podendo aproveitar condições especiais oferecidas pela Caixa Econômica Federal.

A linha de financiamento é destinada somente para pessoa física e oferece veículos nacionais ou importados, novos ou usados com taxas de juros reduzidas a 1,19% sem nenhuma cobrança de taxa adicional ao mês podendo financiar até 90% do valor do veículo com prazo de 60 meses para pagar. Como todo financiamento, é permitido amortização do saldo devedor a qualquer tempo, conforme disponibilidade e interesse do consumidor.

Para mais informações sobre o Salão Auto Caixa, acesse o endereço eletrônico: www.salaoautocaixa.com.br. Neste link, também é possível fazer simulação, informando categoria, tipo, marca, modelo, ano, valor do veículo, dentre outras informações. A simulação dará uma noção de quanto ficará as parcelas, considerando valor da entrada, valor a financiar, dando também oportunidade de escolher a data do vencimento das prestações.

Mais informações também podem ser adquiridas presencialmente. O cliente pode dirigir-se diretamente até uma agência da Caixa Econômica Federal mais próxima e verificar quais as documentações necessárias para dar entrada no processo, pode fazer simulações, fazer consultas sem compromisso e tirar todas as dúvidas sobre o financiamento.

O financiamento é realizado dentro das concessionárias. O cliente interessado pelo financiamento pode dirigir-se até a concessionária de sua escolha e lá encontrará um funcionário habilitado da Caixa, que irá conduzir todo o processo.

A Caixa promete uma transação fácil sem muita burocracia, na qual será exigido apenas documentações básica como RG, CPF e comprovante de renda e de residência, após realização do cadastro e da aprovação dos dados do cliente, nada impedirá que ele saia da concessionária já de porte de seu veículo escolhido.

Um diferencial este ano, é que os consumidores poderão curtir o carnaval de carro novo, sem se preocupar com o pagamento da primeira parcela. Isso porque terão um incentivo de fazer o pagamento da primeira parcela somente após a folia.

Por Lilian de Oliveira

Salão Auto Caixa


Volkswagen é a maior montadora mundial em vendas de veículos


Montadora registrou 9,9 milhões de veículos leves vendidos no ano passado, e tornou-se líder no ranking de maior montadora do mundo em vendas.

O Grupo Volkswagen tornou-se líder no ranking de maior montadora do mundo em vendas, conforme dados divulgados no primeiro semestre deste ano. É a primeira vez que a montadora aparece nessa posição, superando a Toyota, que era a líder até então. 

O Grupo Volkswagen teve suas vendas duplicadas no último ano – isso representou um lucro triplicado. As informações foram divulgadas pela consultoria especializada na indústria automobilística, a Focus2Move.  Segundo os dados divulgados, a montadora alemã vendeu 9,9 milhões de veículos leves, incluindo as várias marcas: Audi, Porsche, Skoda e Seat.

Apesar de serem dados preliminares, pode-se dizer que não apontariam nessa direção se não fossem reais e assim que confirmados, antecipam um objetivo do grupo, que era de ser a maior montadora mundial em 2018. Os dados contabilizados pela consultoria foram baseados em 110 mercados, que apontaram que as vendas globais chegaram a 86,5 milhões de veículos – 2,5 mi a mais do que em 2013.

Pela primeira vez o ranking global de vendas é liderado por uma empresa europeia, desde a Segunda Guerra. A posição era da General Motors, que é americana, até ser superada pela Toyota, em 2009.

O Brasil não acompanhou essa tendência da marca, pois no país o ano de 2014 para a Volkswagen foi ruim, com o Gol deixando de ser o carro mais vendido por aqui (dados a serem ainda confirmados). Os dados deste ano, contabilizados entre janeiro e junho apontam para o mesmo cenário, enquanto a montadora japonesa diz ter vendido 5,02 milhões (1,5% a menos do que o mesmo período no ano passado), a montadora alemã contabiliza 5,04 milhões. 

A Volkswagen vem em um processo de aumento de sua escala sob a administração do presidente-executivo Martin Winterkorn, que está no cargo há 8 anos. Esse aumento de escala é impulsionado pela adição de marcas e de fábricas e também de vendas ampliadas no mercado chinês.

Por Elia Macedo

Volkswagen

Foto: Divulgação


Dicas para economizar combustível


Um transporte público ineficiente para atender a toda população. Esta é sem dúvida uma das causas que mais contribuem para que milhões de brasileiros sejam obrigados a colocar todos os dias seus carros nas ruas e avenidas de todo o país para se deslocarem até o trabalho, levar e buscar seus filhos na escola e realizar outras atividades diárias.

Mas com o alto valor dos combustíveis nas bombas, está ficando cada vez mais difícil para os brasileiros conseguirem encher o tanque de combustível de seus carros. E para você e muitas outras pessoas que não têm outra opção senão utilizar seu carro no dia a dia, aqui vão 10 dicas simples que podem te ajudar a entrar menos nos postos de combustíveis para abastecer.

1.       Calibragem dos pneus: Andar por aí com os pneus do carro murchos ou com a calibragem errada, faz com que haja um atrito maior do pneu com o solo, ocasionando um consumo maior de combustível e também um desgaste maior dos pneus. A calibragem deve ser feita regularmente a cada 15 dias e de acordo com o especificado pelo fabricante do veículo.

2.       Manter alinhamento em dia: Um carro desalinhado acaba consumindo mais, pois nestas condições há um aumento da resistência dos pneus contra o solo, o que ainda acaba dificultando a dirigibilidade. O ideal é realizar um alinhamento a cada 10.000 km rodados.

3.       Uso do ar-condicionado: Este pode ser considerado um dos grandes vilões da atualidade para o alto consumo de combustível dos carros. Caso o clima da cidade onde você esteja se encontre mais ameno e o trajeto ao qual você for fazer não seja muito longo, experimente desligar o ar e abrir as janelas. Você vai notar uma diferença no consumo de combustível do seu carro. Já se você estiver transitando por estradas ou em vias expressas onde a velocidade é maior, a dica é inversa, feche as janelas. Nesta situação, os vidros fechados contribuem para diminuir a resistência do ar com o veículo.

4.       Excesso de peso: Esta equação é simples, pois quanto mais peso o carro estiver carregando, maior será o esforço do motor para fazer com que o carro se movimente e com isto, seu consumo vai às alturas.  Verifique no porta-malas e no interior do seu carro o que você anda carregando todos dos dias desnecessariamente e pare de queimar combustível atoa.

5.       Controle o acelerador: Procure não acelerar de forma brusca e desnecessária. Uma aceleração tranquila e gradativa ajuda a diminuir o consumo de combustível, além de contribuir para a vida útil do motor do seu carro. Ah, e quem nunca deu aquela última acelerada antes de desligar o carro? Pois é, sabe para que ela serve? Para nada, apenas para gastar mais combustível. Portanto, este é mais um hábito a ser deixado de lado para o bem do seu bolso.

6.        Esquentar o motor do carro: Hoje isto não é mais necessário. Os motores dos carros com injeção eletrônica são aquecidos automaticamente por este sistema. Há apenas uma recomendação para os carros novos com menos de 1.000 quilômetros rodados, que é apenas ligar o carro, esperar alguns poucos minutos e aí sim começar a andar. Nos carros novos que já atingiram esta quilometragem, basta ligá-los e seguir viagem.

7.       Troca de marchas: Você já teve a impressão que o motor do seu carro está literalmente gritando ou mais popularmente dizendo, “esgoelando”? Pois é, ele está tentando te alertar que está consumindo mais combustível que o necessário e que está na hora de você fazer a troca de marcha. Procure não esticar demais as trocas de marchas e também mantenha a rotação do motor sempre mais baixa. E lembre-se, marchas fortes são para subidas íngremes e também podem ser usadas como freio motor nas descidas. Agindo assim você consegue frear o carro e ainda economiza combustível, pois a injeção eletrônica identifica que não é preciso acelerar durante a descida e interrompe o envio de combustível para o motor. A famosa banguela deve ser evitada, pois além de uma ação perigosa, ela não contribui em nada para a economia de combustível, já que mesmo em ponto morto, o motor continua trabalhando.

8.       Evite o excesso de acessórios: Não vá fazer do seu carro uma árvore de natal, um trio elétrico ou um carro alegórico com vários acessórios. Qualquer alteração que você faça nas características originais do veículo pode provocar uma resistência maior ao ar e juntamente com esta resistência, vem o aumento do consumo de combustível.

9.       Reduza a velocidade: Você não é um piloto de Fórmula 1 ou da Indy, então não há necessidade de sair por aí em alta velocidade, ziguezagueando entre os carros,  colocando a sua vida e a de outros motoristas em risco. Além de perigoso e arriscado, você só vai aumentar seu consumo de combustível e diminuir a vida útil do seu carro. Se você gosta de velocidade e quer correr, vá para um kartódromo. Lá você vai poder fazer isso em uma pista própria, com orientação e segurança.

10.   Visite seu mecânico: Não se esqueça de visitar regularmente o seu mecânico para fazer uma revisão no seu carro. O desgaste natural de algumas peças, um motor desregulado, filtros de ar e velas sujas, podem contribuir para um aumento no consumo de combustível do seu carro. Portanto, siga as instruções do manual do veículo e não deixe seu carro sem as revisões necessárias.

Por André F.C.

Economizar combust?vel


FSO Polonez – História e características do antigo carro


Em 1978 a FSO assumiu um projeto próprio que daria origem ao Polonez. O carro era um hatchback médio com cinco portas que contava com faróis circulares e o para-choques acompanhando o desenho do carro. O carro contava com bom espaço interno, bancos dianteiros reclináveis, volante com altura ajustável e um painel que lembrava muito no que diz respeito aos instrumentos presentes nos antigos Fiat.

O carro contava com um motor de 1.3 litros com potência de 65 cavalos capaz de ir de 0 a 100 km/h em 22 segundos ou de 1.5 litros com potência de 74 cavalos e que faria 0 a 100 km/h em 17,5 segundos. O carro possuía tração traseira fornecida pelo câmbio manual de quatro marchas. Uma versão mais potente foi produzida para atender especialmente a grandes oficiais do governo. Essa versão chamada 2000 contava com um motor 2.0 litros da Fiat capaz de gerar ao conjunto 110 cavalos de potência.

Durante a Guerra Fria, o mercado do leste europeu se moveu de maneira muito diferente do mercado ocidental. Ao contrário da lógica consumista, com produtos com prazo de validade curto para estimular o consumo, a Europa oriental produzia automóveis duradouros com projetos que durariam décadas. O mercado não era muito concorrido e não havia tanta necessidade de evolução técnica. Nessa geração e com essa ideia ocorreu a produção do FSO Polonez, que atuou na Polônia de 1978 até 2002. A Fabryka Samochodów Osobowych (FSO), em português “fábrica de automóveis de passageiros”, foi fundada em 1951 quando começou a produzir o Warszawa. O Syrena foi produzido em 1957, sendo um dos modelos mais populares da empresa.

Em 1965 a FSO realizou um acordo com a Fiat para produzir carros licenciados pela marca italiana. O primeiro modelo a ser produzido na época foi o 125p que era uma combinação do Fiat 125 com o motor dos antigos 1300 e 1500. O carro parou de ser fabricado em 1991 e teve mais de 1,4 milhões de unidades vendidas. Essa parceria teve grande importância no desenvolvimento do Polonez, que conta com claras linhas de inspiração nos antigos Fiat.

Por Nosf

FSO Polonez

Foto: Divulgação


Fiat faz investimentos no Brasil e quer manter a liderança no país


Já faz um bom tempo que o principal mercado, a “princesinha dos olhos” da Fiat é o Brasil. Afinal de contas, é aqui onde a montadora mantém seu posto de líder absoluta. E esse é um dos principais motivos que levam otimismo para a fabricante e ao mesmo tempo faz com que ela permaneça preparada para não perder seu posto.

Para se ter uma ideia, mesmo que superficial da preocupação da Fiat, é só considerarmos o fato de que para o biênio 2015-2016 já existem lançamentos projetados. Ano que vem uma das marcas que mais vamos ver nesse setor é a Jeep que promete muita coisa e que a título de curiosidade já agora, finalzinho de 2014, faz uso dos números de desempenho da FCA. Ou seja, a Fiat Chrysler fazendo as somas das vendas da Fiat Chrysler, RAM, Dodge e Jeep.

Claro que o principal objetivo disso tudo é fazer com seja ampliada ainda mais a diferença entre suas principais rivais: General Motors, Ford e Volkswagen. Vale ressaltar que todas essas poderosas perderam participação no mercado. Entretanto, a manobra da montadora facilita e muito para a marca se manter com uma relativa folga na ponta com percentual de 21,3% de participação.

Vale chamar a atenção para outra questão: a implantação da nova unidade fabril em Goiana (PE). Por lá, a sua submarca Jeep irá predominar. As obras da fábrica já estão com uma conclusão de 90%. De quebra ainda terá o título, posto e seja lá mais do que for que a montadora quiser chamar de unidade mais avançada do grupo no mundo.

Com isso, fica estampando na cara o desejo da empresa de dar um importante passo para chegar até seu objetivo e se manter líder no nosso mercado.

O que a montadora vê são números. De acordo com alguns levantamentos feitos por ela mesma os dados apontam que em 20 anos o Brasil irá pular de 3,4 milhões de emplacamentos por ano para 7,5 milhões. Mercado crescendo e a Fiat se preparando.

Para tanto a Fiat planeja lançar até o final de 2016, ao menos é isso que os principais sites estão abordando com força, seis novos modelos. Já nos foi apresentado o Jeep Renegade. Entretanto, os outros cinco até o momento são apenas especulações. Dentre eles estariam o sedan Viaggio e os modelos luxuosos da linha Alfa Romeo.

Bom, é esperar para ver o que montadora anda preparando.

Por Denisson Soares

Jeep Renegade 2015

Fiat Viaggio 2015

Fotos: Divulgação


IPVA RS 2015 está liberado para consulta


Para o contribuinte que deseja realizar o pagamento do Imposto de Propriedade sobre Veículos (IPVA) do Estado do Rio Grande do Sul pode consultar sua guia do IPVA RS 2015 pela internet e para facilitar o procedimento da referida emissão. Esse recurso foi disponibilizado através do site da Secretaria da Fazenda, sem nenhum custo para a impressão do serviço. Por esse motivo que é importante esclarecer ao contribuinte como fazer e como funciona também. Atualmente, os cidadãos preferem uma forma mais prática e rápida; até mesmo pela facilidade do acesso à internet, alguns dispensam o atendimento presencial, por que sabem que pelo site conseguem resolver muitas coisas e evitam o tumulto na fila dos bancos e casas lotéricas.

Então para a realização do pagamento do IPVA 2015 RS o contribuinte pode acessar o site www.sefaz.rs.gov.br e seguir as orientações solicitadas. Um procedimento bastante simples de ser efetuado. O site da Secretaria da fazenda também disponibiliza outros serviços que facilitam demais o dia a dia; então aproveite bastante esses recursos, entre outros. Hoje em dia temos tantos serviços bons que fica até difícil saber usar todos, ou até saber da existência de todos, mas é no dia a dia que vamos descobrindo.

O valor do IPVA RS 2015 é conforme o ano do veiculo, mas ao emitir o documento no site constará essa informação, por isso não deixe de conferir para saber mais detalhes.

No Estado do Rio Grande do Sul é concedido desconto de 3% para os proprietários de veículos que optam pelo pagamento total. É importante o pagamento do imposto para que o proprietário ou condutor do veículo não passe por situações desagradáveis com a lei de ter o veículo removido e ter que arcar com as despesas para resgatar o veículo de volta. Além do mais, ao retirar o veículo do pátio de apreensão o documento deve estar em dia.

Por Railson Tomás de Araújo Lopes

IPVA


Hyundai i30 foi reestilizado na Europa e traz grandes novidades


A Hyundai apresenta mais três novidades e são elas: o i30 e o i40 reestilizados e o compacto i20 com duas portas.

O i30 será oferecido no mercado europeu em 2015, na versão hatch com duas ou quartos portas e perua, sendo na versão turbo como o padrão de linha. As principais renovações foram aplicadas nos motores, transmissão, mais equipamentos e uma estética no visual remodelado com grade frontal e novas rodas.

No exterior, este veículo virá com duas opções de motores a diesel, sendo 1.6 de 110 cv ou 136 cv e duas opções de motores a gasolina (1.4 de 100 cv ou 1.6 de 120 cv), além da opção 1.6 turbo de 186 cv. Entre as mudanças ocorridas no modelo 1.4, destaca a substituição do  motor e a diminuição do peso deste em 14 quilos. Também, a introdução do câmbio automatizado de dupla embreagem e sete marchas que compõe a versão 1.6 a diesel e gasolina.

Estas mudanças foram importantes, no que tange a economia de combustível e vale ressaltar, também, os pneus de baixa resistência aos rolamentos. Diferente da versão turbo, que foca o desempenho do carro; oferece 28% mais potência e 38% mais torque; alcança de 0 a 100 km/hora em oito segundos, atingindo uma velocidade máxima de 119 km/hora, além de suspensão esportiva de rodas na numeração aro 18.

Estas versões do i30 para o mercado brasileiro, ainda não têm expectativas de apresentação. A última reestilização do modelo apresentada no Brasil foi em fevereiro deste ano, quando lançaram a motorização 1.8. Por isso, espera-se que a novidade chegue apenas no segundo semestre do ano que vem, ou seja, em 2015. Quanto ao i20 e ao i40, há poucas chances de eles virem para o mercado brasileiro. O grupo responsável pela importação dos modelos da Hyundai para o Brasil se chama Caoa.

Por Railson Tomás de Araújo Lopes

Hyundai i30

Hyundai i30

Hyundai i30

Fotos: Divulgação


CNH e documentos de veículos receberão novos dispositivos de segurança


A Carteira Nacional de Habilitação (CNH) será modificada a partir do mês de julho de 2015. Tal mudança contará com 28 dispositivos de segurança no intuito de evitar adulteração e falsificação, sendo que a atual tem somente 20 dispositivos. No momento da renovação ou expedição deste documento, após a data prevista para exposição dos dispositivos é que os motoristas receberão o documento atualizado, ou seja, o motorista pode esperar a renovação para que tal mudança seja contemplada na CNH.

Dentre as mudanças destaca um número maior do dispositivo de segurança da atual; código cifrado com informações criptografadas que poderá ser lido por agentes de trânsito através de aplicativos em celulares. A documentação dos veículos também terá mudanças e serão implementados mais 17 itens de segurança no Certificado de Registro de Veículo (CRV) e Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) para evitar fraudes e falsificação no pagamento de licenciamento e imposto de propriedade de veículo automotor.

A estética do documento não terá muita alteração e não haverá aumento de custo acerca destas mudanças para os condutores e proprietários dos veículos, conforme consta o Departamento Nacional de Trânsito (DENATRAN); acrescentando ainda que, a Carteira Nacional de Habilitação, por exemplo, não passa por nenhuma modificação há oito anos e que estas medidas impedirão que ocorram crimes como a falsificação e adulteração.  

Dentre as fraudes, as mais comuns são: clonagens de veículos, evasão fiscal, fraudes contra seguradoras. De forma geral, evita-se que esta fraude aconteça, pois os infratores não conseguirão gerar os códigos de segurança que estarão compostos nos novos documentos.  

A mudança na CNH, contou com a participação durante uma reunião ocorrida entre os órgãos da Polícia Federal, Departamento Nacional de Trânsito, Conselho Nacional de Trânsito e Departamento de Trânsito dos estados. É necessário que todo documento pessoal adquira dispositivos de segurança no intuito de combater infratores dessas práticas delituosas.

Por Railson Tomás de Araújo Lopes

CNH


Peugeot 308 Quiksilver – Nova edição limitada lançada no Brasil


Tradicionalmente oferecido para a linha “200”, como ocorreu no 206 e 207, a Peugeot lançou no mercado brasileiro a nova edição limitada Quiksilver para o 308. Resultado da parceria entre a marca francesa de automóveis e a fabricante australiana que produz roupas, acessórios e equipamentos para praticantes de surf, skate, esqui e snowboard, a configuração especial vem com o motor 1.6 e tem como diferenciais o apelo esportivo, além de alguns detalhes de acabamento e visuais exclusivos. A versão Quiksilver terá apenas 600 unidades, com preço sugerido de R$ 63.190.

Entre os detalhes que deixam a edição limitada diferenciada estão o retrovisor externo na cor preta, o volante revestido em couro com base achatada, logotipo da Quiksilver presente nas portas, na tampa do porta-malas, nos tapetes e nos bancos, além de ter a carroceria pintada exclusivamente na cor Branco Banquise. Com relação aos equipamentos de série, entre outros, o 308 Quiksilver vem com airbag duplo, freios ABS com EBD, teto panorâmico de vidro, sistema de ar-condicionado digital dual-zone, sistema de som com conexão Bluetooth faróis com máscara negra, luzes diurnas de posição compostas por LEDs e rodas de liga leve de 17 polegadas escurecidas.

Baseado na versão Active 1.6, o Peugeot 308 Quiksilver traz sob o capô o motor 1.6 16V com tecnologia FlexStart, que dispensa o uso de tanquinho para partidas a frio, capaz de entregar até 122 cv de potência e torque de 16,4 kgfm. Trabalhando em conjunto com o bloco 1.6 está um câmbio manual com cinco marchas. A adoção do propulsor 1.6 16V de 122 cv ao invés do bloco 2.0 com 151 cv ou do 1.6 THP de 165 cv pode ter sido feita para não deixar a edição limitada absurdamente cara, que afugentaria o público alvo do carro: os jovens. Portanto, mesmo não sendo o motor mais potente disponível para o hatchback, o bloco é suficiente para deixar o carro divertido e interessante.

Além do hatchback médio, o 208 também irá ganhar a série Quiksilver em breve, trazendo alguns equipamentos e detalhes estéticos diferenciados para atrair o público jovem e deixar o carro ainda mais divertido, assim como foi feito com o 308.

Por Caio Polo

Peugeot 308 Quiksilver

Peugeot 308 Quiksilver

Peugeot 308 Quiksilver

Fotos: Divulgação


Fiat Palio liderou as vendas de carros em novembro de 2014


Comprar um carro, hoje em dia, não é uma tarefa nada fácil. Meses de procura, pesquisas, corre-corre em feirões, concessionárias e lojas. O comprador, literalmente, sua a camisa para conseguir um veículo que o agrade e que caiba em seu orçamento.

No mês de novembro, o italiano Palio, da montadora FIAT liderou o mercado de vendas e deixou um dos seus maiores concorrente para trás, o Gol. Falando nisso, na lista triple, o Gol não aparece nem em segundo lugar, é apenas o terceiro colocado, haja vista perder em vendas para o Onix da Chevrolet, veículo que vem ganhando espaço no mercado brasileiro.

O Palio fechou o mês com 15.399 unidades, seguido logo após pelo Ônix, com 14.484, segundo o site Vrum.com. O Gol, antigo líder do segmento fechou as vendas do mês com 12.024 unidades colocadas na rua para os consumidores.

No mesmo mês do ano passado, o Gol, carro mais vendido no Brasil em 2013, venceu com folga seus adversários. A Volks chegou a vender 20.360 unidades do modelo que foi seguido pelo FIAT Palio com apenas 15.851 unidades adquiridas.

Não é de se admirar, haja vista a Volks estar perdendo um pouco do seu público consumidor. A marca vem tentando colocar características pouco flexíveis aos seus veículos. Como exemplo, pode-se citar a “frente universal” que, agora, está presente em todos os carros da marca. Poxa, não é possível agradar a gregos e troianos. O mercado possui pessoas dos mais variados gostos e tipos. Não há condições de se fabricar todos os carros de uma marca com a mesma aparência. Além do mais, muitas pessoas reclamam que, com o passar do tempo, os carros da Volks apresentam barulhos muito desagradáveis. Em contrapartida, os carros da FIAT se apresentam mais “duros na queda”.

É preciso que a Volks repense seu conceito de mercado e público, pois as quedas já estão visíveis e essa grande empresa pode ficar para trás.

Por Daniel Alves

Fiat Palio 2014

Chevrolet Onix 2014

VW Gol 2014

Fotos: Divulgação


Dicas para economizar combustível


Com os preços dos derivados do petróleo cada dia mais altos e, também do etanol, faz-se necessário que sejam criados meios de economia ou pelo menos siga algumas dicas antes de sair por aí dirigindo de qualquer maneira.

Para isso, seguem 8 dicas para auxiliar os motoristas na economia de combustível e, consequentemente, de dinheiro:

1 – Alinhamento:

A suspensão e a direção devem estar alinhadas. O desalinhamento aumenta a resistência da rodagem. Em consequência, o carro utilizará mais força do motor o que faz gastar mais. O alinhamento deve ser feito a cada 10.000 Km ou quando você acerta aquele buracão em cheio.

2 – Ar condicionado:

Se o tempo está ameno, para que o uso do ar? Abra as janelas e sinta a brisa. O uso do ar condicionado aumenta em 2% o consumo médio do veículo.

3 – Peso morto:

Evite ficar carregando materiais desnecessários no porta-malas. Ele é necessário para carregar materiais úteis e não toda a sua mudança.

4 – Acelere uniformemente:

Evite acelerações muito altas. Deixe as marchas mais fortes para serem usadas em aclives fortes. Procure acelerar de maneira uniforme.

5 – Não esquente:

Os carros de antigamente precisavam que o motor aquecesse antes de você sair dirigindo. Atualmente, a maioria dos veículos possui injeção eletrônica e não mais precisam disso. Procure ligar o seu veículo apenas quando for sair com ele.

6 – Mantenha as revisões atualizadas:

Quando bem revisado, consequentemente o carro tende a manter todos os seus acessórios em bom funcionamento. Isso irá ajudar na economia de combustível.

7 – Calibragem:

Quando bem calibrados, os pneus tendem a melhorar a rodagem. Consequentemente, o carro empregará menos força para se movimentar. Sendo assim, a economia de combustível será auxiliada.

8 – Trocas de marchas:

Existem pessoas que se sentem em um veículo de corrida em plena cidade. Troque marchas apenas quando necessário. Além disso, procure manter rotações baixas. Não espere o veículo “esgoelar” para empregar a marcha subsequente.

Utilizando essas dicas, o motorista conseguirá economizar combustível e gastará menos ao final do mês.

Por Daniel Alves

Combust?vel

Foto: Divulgação


Peugeot 2008 será produzido no Brasil


A Peugeot aposta no seu mais novo lançamento no mercado brasileiro, o Peugeot 2008, para tentar reverter sua queda em vendas, que se verifica nos últimos 4 anos no mercado nacional. Apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo, ocorrido entre os dias 31 de outubro e 9 de novembro de 2014, a versão nacional do crossover começa a ser produzida em Porto Real (RJ), e terá a missão de recuperar a marca Peugeot no mercado nacional.

O modelo apresenta novidades, como o motor 1.6 THP flex de 173 cv, o mesmo do Citroen C4 Lounge. O modelo será equipado com câmbio manual de 6 marchas e opção de câmbio automático. Não foram divulgadas estimativas de preço, o que ocorrerá no lançamento do veículo previsto para o início do ano que vem.

O Peugeot 2008 será fabricado na mesma plataforma do hatch 208, terá 4,15 metros de comprimento, 1,74 metro de largura, 1,55 metro de altura e 2,53 metros entre-eixos. Além da mesma plataforma o SUV divide com o hatch o interior, que ainda não foi apresentado pela Peugeot. No entanto ela informou que o 2008 será equipado com volante menor, e painel de instrumentos acima da direção, evitando que o motorista não precise desviar sua atenção na estrada, como acontece com o hatch 208.

O Brasil deverá ser o terceiro país a produzir o Peugeot 2008, atrás apenas da França e da China. Lançado há um ano e meio na Europa, o modelo já ultrapassou as 200 mil unidades vendidas. Mas as expectativas no mercado brasileiro não são das mais animadoras, porque além das estrelas já conhecidas como o Ford EcoSport e o Renault Duster, outras ainda estão por vir depois de agitar o Salão do Automóvel de São Paulo, como o Jeep Renegade, Honda H-RV, JAV T5 e T6 entre outros. A Nissan também exibiu um novo veículo conceito, para entrar neste tão disputado mercado.

A Peugeot vem amargando quedas contínuas de vendas no mercado brasileiro desde 2010, quando vendeu 81 mil veículos, o que correspondia a 3% do mercado brasileiro, e desde então vem caindo ano após ano. Naquele ano ainda, era a 7ª maior emplacadora de veículos, e neste ano está na 11ª posição com 28,6 mil veículos vendidos, o que corresponde a 1,8% de participação.

Por Russel Hernandes

Peugeot 2008

Peugeot 2008

Peugeot 2008

Peugeot 2008

Fotos: Divulgação


Novo Audi TT Crossover está previsto para ser lançado em 2015


Todos os carros da linha Audi são modelos “Top de Linha” em todo mundo. E quando começa a surgir novidades para o mercado automobilístico, já é motivo de interesse de muitos para saber qual estilo esportivo será lançado. E neste momento, a previsão é de um incrível Audi TT no estilo Crossover, uma rica informação que já foi pronunciado por um representante da marca fabricante.

Este terceiro modelo da linha TT está previsto para o próximo ano de 2015, mas ainda está em fase final de projeto. Todas as características do Crossover parecem muito com o seu “irmão” TT Offroad, que já foi divulgado este ano no Salão de Pequim.

Segundo Ulrich Hackenberg, chefe de produção e desenvolvimento dos carros da marca Audi, que compradores alemães já estão apresentando interesse em fazer negócios comerciais com o modelo TT Offroad. A equipe que faz o controle de todos os testes de fabricação revelou aspectos positivos sobre o veículo, como também acreditam que o estilo moderno do carro vai fazer sucesso no mercado. Imaginem o Crossover!

O TT Offroad apresenta um moderno tipo de motorização 2.0 híbrido, como também ainda vem com TFSI de quatro cilindros e 38,75 mkgf de torque. De acordo com a Audi, o veículo proporciona mais autonomia e economia, pois dispõe de dois motores elétricos que permitem uma potencia de até 407 cv.

A fabricante Audi pertence ao grupo da Volkswagen, todos os carros da linha Volks e em especial a Audi tem marca de grande importância no Brasil. Todos os veículos ganham a preferência e domínio no mercado automobilístico. E mesmo que o preço não seja tão acessível para todos, mas os clientes reconhecem que os carros são de alto padrão de luxo, tecnologia e qualidade. Por isso vale a pena o investimento, levando muitos motoristas e colecionadores aderirem ao poder de sedução dos incríveis modelos já disponíveis no mercado.

Investir no Brasil é sempre produtivo para a marca, pois em 2013 foi registrada uma venda de 35%. Em 2014, a linha continua destacando no comercio automobilístico, como também espera alcançar um número de até 30 mil carros ao ano até 2020.

Por isso, não é novidade que o Audi TT Offroad vai ser um grande sucesso de vendas, como também muitas pessoas já devem estar preparando a imaginação sobre o novo estilo Crossover que em breve sairá do papel, garantindo presença em um Showroom.

Por Jaqueline Mendes

Audi TT Crossover

Audi TT Crossover

Audi TT Crossover

Fotos: Divulgação


Volkswagen Golf R Variant – Características do novo modelo


A Volkswagen apresentou oficialmente o novo Golf R Variant, a versão wagon do novo Golf. O modelo, que basicamente é a configuração station wagon do Golf R, une a praticidade e dinâmica de uma perua com a esportividade e desempenho da versão “R” do hatchback médio. Com isso, a Volks produz em série, pela primeira vez em sua história, uma station wagon com a configuração topo de linha do modelo Golf.

Esteticamente, o novo Volkswagen Golf R Variant dispõe do mesmo design das versões convencionais da perua, contudo, diferencia-se por detalhes e acabamentos exclusivos. Na dianteira, a versão “R” da station traz faróis bi-xenon com luzes diurnas de posição em LED integrada, detalhe cromado e emblema “R” na grade dianteira, além de para-choque levemente modificado, com o chamado R design, que é mais agressivo e conta com entrada de ar inferior ampliada. Na lateral, o destaque fica por conta das belas rodas de liga leve de 19 polegadas com desenho exclusivo para às versões “R”. Por fim, a traseira também dispõe de para-choque com o chamado R design, que possui um difusor de ar integrado na cor preto brilhante, duas saídas duplas de escape com ponteiras cromadas, lanternas traseiras e iluminação da placa do carro em LED e novos refletores traseiros.

Na cabine a marca alemã também realçou a esportividade da perua, equipando o modelo com bancos esportivos revestidos em Alcantara com logotipo “R” nos encostos dos bancos e costuras contrastantes na cor cinza cristal, volante multifuncional esportivo com base achatada e revestido em couro, pedaleiras esportivas em alumínio, painel de instrumentos com ponteiros e iluminação em azul, entre outros detalhes. Para completar, a station esportiva traz todos os equipamentos do Golf R hatchback, com destaque para o controle eletrônico de estabilidade e tração, o sistema de modos de direção (Driving Profile Selector), que vem com os modos Normal, Eco, Individual e Race, além do ar-condicionado automático e o sistema de entretenimento com tela touchscreen posicionada no console central.

Opcionalmente, a fabricante alemã ainda oferece um pacote com diferentes combinações de couro Napa Carbon para efetuar o acabamento de superfícies específicas do interior do carro.

Mecanicamente, o Volkswagen Golf R Variant vem com o mesmo bloco quatro cilindros do Golf R, ou seja, um motor 2.0 TSI a gasolina capaz de entregar 300 cv e torque de 38,75 kgfm. Dotado de tração integral 4Motion, trabalhando em conjunto ao propulsor está uma transmissão automática DSG com dupla embreagem e seis velocidades. Com esse conjunto mecânico, a perua esportiva acelera de 0 a 100 km/h em apenas 5,1 segundos, com velocidade máxima de 250 km/h, limitada eletronicamente. Segundo a Volkswagen, o Golf R Variante tem autonomia média de 14,29 km/L e emissão de 163 g/km de CO2.

Sem revelar o preço, o novo Volkswagen Golf R Variante terá suas vendas iniciadas a partir do primeiro semestre de 2015, com entrega das primeiras unidades previstas para julho. 

Por Caio Polo

Volkswagen Golf R Variant

Volkswagen Golf R Variant

Volkswagen Golf R Variant

Fotos: Divulgação


Suzuki Jimny ganhará novas atualizações e será lançado em 2017


A Suzuki é uma empresa japonesa com mais de 100 anos de história e é conhecida por apresentar aos consumidores inovação e qualidade. Nos últimos 40 anos a Suzuki investiu em pesquisa e desenvolvimento para carros 4×4, surpreendendo o mercado na época.

O Suzuki Jimny é fabricado desde 1998 sem muitas alterações (fabricado inclusive em terras tupiniquins) e é, portanto, um dos jipes mais antigos do mercado. O carro, diferente dos 4×4 atuais, é um modelo característico off-road. Os utilitários compactos da atualidade seguem mais um estilo crossover, aproximando-se muito mais de carros de passeio do que de off-roads propriamente ditos. Essas mudanças no mercado deixaram o Suzuki Jimny ultrapassado e, de certa forma, estagnado no tempo. Para se manter vivo no mercado o carro pede severas alterações. Por isso a Suzuki está correndo contra o tempo para lançar o novíssimo Jimny em 2017.

Como é de se esperar o novo Jimny, deve sofrer uma evolução que o integre aos padrões automobilísticos atuais. Segundo a marca mesmo com as mudanças que estão previstas, o condutor ainda saberá que está no Jimny. A promessa é que o Jimny se desenvolva sem se tornar um crossover urbano, mantendo as raízes nos padrões off-road. Haverá uma modernização no sistema de suspensão (antes muito duro), que agora propiciará mais conforto sobre o asfalto e manterá o esquema com 4×4 reduzida. Como não poderia deixar de ser, o carro irá ganhar componentes controlados eletronicamente que darão assistência ao condutor tanto na direção em asfalto quanto fora dele. Um exemplo? O controle de velocidade em descidas.

O carro promete manter o design, com jeitão de brinquedo do Suzuki Jimny original. O lançamento internacional está previsto para o ano de 2017, porém não se sabe ainda se o Jimny receberá uma nova versão nacional no mesmo período. A empresa prometeu mais notícias e detalhes da novidade no ano que vem.

Por Nosf

Suzuki Jimny nova gera??o

Suzuki Jimny nova gera??o

Fotos: Divulgação


Reação da Ford no mundo automobilístico


A Ford, até os anos 90, era uma referência no mercado nacional, com alguns dos carros mais desejados pelos consumidores. Antes disso sempre teve carros que faziam sucesso nas telas do cinema. Carros grandes, imponentes, que se destacavam por onde passavam. Ficavam à frente da Volkswagen, não em vendas, mas em conforto. Eram veículos espaçosos, com mais itens opcionais que a maioria. Quem não se lembra do DelRey? Das imponentes C10 e posteriormente as D20?

Mas veio a globalização. Toyota, Honda, Peugeot, Renault, entre outros desembarcaram aqui. A Ford foi perdendo espaço cada vez mais, tanto no mercado global quanto no mercado brasileiro. Hoje temos muitas opções de marcas e modelos, para todos os gostos e bolsos. A Ford demorou a entender isso. E olha que foi a pioneira na fabricação de carros em série. Suas fábricas foram modelos de gestão por décadas e décadas. Seu fundador, Henry Ford, tido como um dos mais brilhantes de sua época. Aos sucessores coube manter e inovar, coisas que não aconteceram. A empresa estagnou. Demorou a entender a Toyota, onde as linhas de produção eram mais eficientes, os custos diminuíam e podiam assim reduzir valores ou colocar cada vez mais itens de série nos veículos. Hoje a Toyota é modelo de fábrica de veículos e faz carros bons e desejados. Corolla. Hilux. São apenas alguns modelos de sucesso da marca.

É hora da Ford de se reinventar. Tem mostrado alguns avanços nos modelos mais recentes. Tanto em design quanto em apetrechos tecnológicos. A Ford Ranger tem feito sucesso depois de ter ficado como o patinho feio do grupo de caminhonetes. O Novo Fiesta ficou elegante e imponente, digno de receber o emblema da Ford. Até o Ka, que nunca teve atrativo nenhum, voltou mais estilizado e atraente. O Ford Fusion consegue se apresentar como um executivo de alto padrão.

É isso mesmo Ford. É hora de se reinventar. Antes que seja tarde demais e hoje tudo acontece muito rápido.

Por Luciana Viturino

Ford Ranger 2015

Ford New Fiesta 2015

Ford Ka 2015

Fotos: Divulgação


Novidades e lançamentos dos concorrentes da Mercedes-Benz


Passam-se os anos. A Mercedes-Benz continua uma lenda. Dá status a quem possui uma. Aquela estrela brilha e irradia glamour. Aos apaixonados por carros, não existe um que não pare ao brilho de uma estrela na ponta daquele cobiçado carro. O mercado evoluiu muito. Muitas marcas novas surgiram e com elas inovações tecnológicas, proporcionando mais conforto e segurança. Marcas japonesas, coreanas e americanas. Com certeza vemos opções mais completas de carros com valores muito inferiores aos das novas Mercedes.

O Salão do Automóvel deste ano apresentou novidades que deixavam os visitantes fascinados. Marcas como a Toyota levaram ao salão lançamentos como Prius 2015. O Hyundai Genesis 2015 não ficou atrás em inovação e design. Renault e Peugeot não fizeram feio com seus cobiçados Fluence e 208, respectivamente.

A tradicional Volkswagen levou um carro diferente e imponente que deixou de boca aberta os mais afoitos por novidades: o GTI Roadster Concept. Design inovador com aerofólio traseiro típico das linhas GTI desde a década de 80. Aerofólios ainda chamam atenção e fazem parte dos modelos esportivos. A Citroen levou para o salão o que também tinha de melhor: C4 Lounge com rodas 19”. Faz bonito onde passa e deixa bem qualquer estilo de motorista. A Fiat continua investimento em modelos clássicos e apresentou projetos de como seria o Fiat 600 – sucessor do atual Fiat 500 e parente próximo do Fiat 147. Vamos ver o que vai surgir. Já avisou também que Fiat e Ferrari irão se separar, para que cada empresa tenha mais atenção e possa apresentar cada vez melhores novidades ao mercado.

A Honda também não fez feio. Apresentou o

que é abastecido com nitrogênio, para fazer frente ao Toyota Mirai, outro apresentado que também se locomove com o mesmo combustível.

E muita novidade foi apresentada em 2014 e em 2015 muito mais coisas está por vir. Muitos carros com preços inferiores tentarão fazer frente à velha Mercedes. Mas quem liga? Aquela estrela seduz! 

Por Luciana Viturino

Toyota Prius 2015

Volkswagen GTI Roadster Concept

Honda FCV Concept

Fotos: Divulgação


Consumidores brasileiros procuram conforto e segurança em carros


Foi-se o tempo em que as pessoas se satisfaziam em ter veículos que tinham apenas um objetivo: transporte. Hoje, o público alvo está cada vez mais exigente no quesito, economia, autonomia, design, conforto, segurança.

Esse público está cada vez mais apaixonado pelas verdadeiras máquinas que as marcas têm produzido. Quem é que não gosta de andar em um carro seguro, que tem airbag, freios com ABS? Quem é que não gosta de conforto, como ar condicionado, massageador no banco, retrovisores com rebatimento automático de luz alta? Quem é que não gosta de um design exclusivo, detalhes cromados, acabamentos diferenciados? Sentir-se exclusivo e especial, isso foi atingido pelos compradores de automóveis!

E ainda mais, quem não gostaria de tudo isso em um preço que esteja dentro das nossas reais possibilidades? Até mesmo marcas mais populares como Fiat, Volks não resistiram aos encantos de um luxo daqui, um mimo dali. Por mais que as fiscalizações exijam que os carros se adaptem, todos aos itens de segurança que já devem vir de série, e se tornam obrigatórios aos veículos, muitas concessionárias já entenderam que, o que brasileiro quer realmente é conforto e segurança.

Marcas consagradas como veículos de luxo, Citroen, Peugeot, já são adquiridas por diversos consumidores que já entendem que não é somente luxo, e sim conforto!

E para quem era fã da marca Audi e sentiu que ela deu uma dispersada, há rumores de que em 2015 ela alavanque suas vendas no Brasil em 25%, aumentando o número de lojas e investindo agressivamente em marketing.

Não discordaremos que os carros da marca Audi são lindos e apaixonantes, agora só resta saber se eles irão tornar acessível o poder de compra para um maior número de consumidores. Estamos aguardando ansiosamente os lançamentos! E vamos torcer para que a nova linha de veículos não venha só de arrasar no modelo, mas que adaptem os preços às reais necessidades do povo brasileiro.

Por Luciana Viturino

Carros seguros e confort?veis

Foto: Divulgação


Ford Mustang Shelby GT350 – Nova geração será apresentada no Salão de Los Angeles


A Ford, após longo tempo de ausência de mercado, resgatou o clássico Shelby GT350 para dar ainda mais força à sexta geração do Mustang. Revelado oficialmente antes do Salão de Los Angeles, que tem início no dia 21 de novembro, o novo Mustang Shelby GT350 é a aposta da Ford para brigar diretamente com o rival Chevrolet Camaro Z/28, além de outros Muscle Cars que é vendido no mercado norte-americano.

Visualmente, o Ford Mustang Shleby GT350 conta com o mesmo visual da nova geração do Muscle Car, mas se diferencia pela adoção de um para-choque levemente redesenhado na parte inferior, novo capô, novo para-lamas dianteiro com saída de ar, para-choque traseiro com difusor de ar integrado, duas saídas duplas de escape e modesto e charmoso spoiler traseiro na tampa do porta-malas.

Para completar, o novo Shelby GT350 vem com rodas de liga leve de 19 polegadas calçadas com pneus Michelin Pilot Super Sport, amortecedores MagneRide e freios Brembo com pinças de seis pistões e discos com 394 milímetros na dianteira e discos de 380 milímetros e pinças com quatro pistões na traseira.

No interior, a Ford também caprichou na esportividade, principalmente pela adoção dos bancos esportivos Recaro e novo volante esportivo multifuncional com base achatada. Outro ponto interessante foi o fato da Ford reduzir substancialmente os detalhes de acabamento em cromo, para evitar que o brilho do sol distraia o condutor.

Além disso, o modelo ainda conta com uma vasta lista de equipamentos de série de conforto e segurança, com destaque para o sistema de condução com cinco modos que modificam o comportamento dos freios ABS com EBD, do peso da direção, do controle eletrônico de tração e estabilidade, da configuração de escape, do mapeamento do acelerador e do tuning MagneRide.

Mecanicamente, o novo Ford Mustang Shelby GT350 vem equipado com motor aspirado 5.2 V8 capaz de entregar 500 cv e torque de 55,3 kgfm. Apostando na alta rotação do motor, diferentemente do último Shelby, o GT500, que contava com um bloco V8 Supercharger de notáveis 671 cv de potência, o propulsor do GT350 tornou-se o mais potente de aspiração natural já fabricado pela marca estadunidense. A aposta no motor aspirado tem um motivo claro: a Ford queria um Mustang que fosse apto, tanto para as pistas de corridas quanto para o uso nas ruas.

Dotado de tração traseira e diferencial Torsen de deslizamento limitado, o motor V8 aspirado trabalha em conjunto com um câmbio manual de seis marchas. Para dar maior segurança aos ocupantes, a Ford reduziu a altura de rodagem do carro e promoveu um enrijecimento do chassi em comparação a versão convencional do Mustang, através da utilização de fibra de carbono. 

Por Caio Polo

Ford Mustang Shelby GT350

Ford Mustang Shelby GT350

Ford Mustang Shelby GT350

Fotos: Divulgação


Fiat 500 Abarth será lançado no Brasil


A FIAT (Fabbrica Italiana Automobili Torino) é uma conhecida e popular montadora de veículos italiana. No Brasil a empresa merece destaque no que diz respeito ao mercado de carros populares, tendo veículos de sua marca constantemente colocados entre os mais vendidos dos meses ou do ano. Atualmente, por exemplo, temos o Palio Fire, estrelando como carro mais vendido do mês de outubro no Brasil. É uma marca de tradição, com mais de 100 anos de história. Há poucos anos atrás foi lançado o FIAT 500, um Hatch que segue bem as linhas de tendência do atual mercado de automóveis compactos.

Aparentemente a Fiat está em busca agora de mudar as caras do 500, dando a ele um visual mais esportivo e um motor turbo, ressuscitando a famosa linha Abarth da Fiat no Brasil. A linha Abarth é conhecida exatamente por isso: dar cara e coração novos e muito mais agressivos aos veículos tradicionais da marca. A linha sempre está ligada a motores potentes e novas linhas de design para os carros. O novíssimo Fiat 500 Abarth começa a ser vendido já no ano de 2014 e conta com um motor de 1.4 litros turbo a gasolina capaz de gerar até 167 cavalos de potência para o Hatch. Apesar de o preço da novidade ainda não estar definido, acredita-se que o valor seja algo em torno de R$ 80 mil.

Apesar do novo kit visual ser mais imponente ele ainda falha em transmitir a força do que está abaixo do capô. É difícil tirar a cara de bonzinho do compacto. As modificações, entretanto, são bem-vindas. Entre as principais podemos destacar o aumento do para-choque dianteiro, as rodas exclusivas de liga leve em 16 polegadas, e a dupla saída de escape cromada que deixa os sons do motor mais graves. Os retrovisores vêm com uma cor que contrasta com a cor original do carro. 

O carro é capaz de chegar de 0 a 100 km/h em apenas 6,9 segundos e tem velocidade máxima de 214 km/h.

Por Nosf

Fiat 500 Abarth

Fiat 500 Abarth

Fiat 500 Abarth

Fotos: Divulgação


Mercado automobilístico se adapta aos consumidores brasileiros


Você já se perguntou como está o mercado automobilístico no Brasil? Já verificou como estão as concessionárias que trabalham com vendas de carros novos e seminovos? Foi-se o tempo em que as pessoas se satisfaziam em ter veículos que tinham apenas um objetivo: transporte. Hoje os usuários de todas as marcas estão cada vez mais exigentes nos quesitos economia, autonomia, design, conforto, etc.

Esse público está cada vez mais apaixonado pelas verdadeiras máquinas que as marcas têm produzido. Até mesmo marcas mais populares como Fiat, Volks não resistiram aos encantos de um luxo daqui, um mimo dali. Por mais que as fiscalizações exijam que os carros se adaptem a todos aos itens de segurança que já devem vir de série e se tornam obrigatórios aos veículos, muitas concessionárias já entenderam que, o que o brasileiro quer realmente é conforto.

Marcas consagradas como veículos de luxo, Citroen, Peugeot, já são adquiridas por diversos consumidores que já entendem que não é somente luxo, e sim, conforto! Como é bom ter um carro e não precisar ficar horas a fio no trânsito para se deslocar ao trabalho ou então, ter de voltar da casa de parentes ou amigos, mais cedo nos finais de semana pelo fato de não possuir um carro.

Desta forma, quem era fã da marca Audi e sentiu que ela deu uma dispersada, há rumores de que em 2015 ela alavanque suas vendas no Brasil em 25%, aumentando o número de lojas e investindo agressivamente em marketing.

Não discordaremos que os carros da marca Audi são lindos a apaixonantes, agora só resta saber se eles irão acessibilizar o poder de compra para uma maior parte de consumidores. E o ronco do motor? Aquele barulhinho que faz os olhos brilharem e o coração acelerar? É simplesmente maravilhoso para quem gosta do mundo sob quatro rodas. Por isso, estamos aguardando ansiosamente os lançamentos para o próximo ano, os quais prometem ser o maior sucesso no mundo automobilístico!

Por Luciana Viturino

Audi A3 Sedan

Foto: Divulgação


Audi A1 2015 reestilizado traz novidades na parte mecânica


Impulsionada pelos bons resultados que vem obtendo, a Audi não para de apresentar novidades. Dessa vez, após a divulgar a reestilização do SUV Q3 há alguns dias, a marca alemã apresentou seu compacto A1 na versão 2015.

A primeira renovação do compacto da Audi, que foi lançado em 2010, trouxe mais modificações técnicas e de desempenho, tendo em vista que o modelo contará com uma nova gama de motores, do que estéticas. A principal novidade fica por conta do novo motor três cilindros da Audi. 

Esteticamente, por ter um visual moderno e que carrega as características dos atuais carros da montadora, não houve grandes modificações. Além da grade levemente alterada, o Audi A1 2015 conta com para-choques remodelados com vinco mais expressivos, faróis dianteiros mais modernos e com linhas mais retas, novos faróis de neblina e nova disposição das lanternas traseiras.

Se na parte externa as modificações foram muito singelas, no interior as mudanças foram ainda mais sutis. Além de novas opções de personalização da cabine, o grande destaque fica por conta para a nova versão da central de entretenimento MMI com tela retrátil. 

Todavia, as maiores novidades do Audi A1 reestilizado está mesmo no quesito mecânico. A marca alemã promoveu melhorias na dirigibilidade do veículo, com a adoção de um novo sistema de direção eletromecânica, além da nova suspensão adaptativa, equipamento oferecido opcionalmente pela Audi. Segundo a fabricante, com esses ajustes o rodar do A1 ficou mais confortável e firme, quando comparado à versão anterior do carro. 

Já a gama de motores ganhou duas inéditas opções: os novos motores três cilindros 1.0 TFSI a gasolina e o 1.4 TDI a diesel. Além dos já conhecidos propulsores a gasolina que passaram por melhorias (1.4 TSI, que deixa de entregar 122 cv para oferecer 125 cv de potência e que ainda possui uma configuração de 150 cv, bem como o 1.8 TFSI com 192 cv, que anteriormente entregava 182 cv), agora o Audi A1 pode ser equipado com o novo bloco três cilindros turbo 1.0, que é capaz de gerar 95 cv, com autonomia de 23,2 km/L de gasolina e emissão de 99g/km de CO2.

Voltado mais para o mercado europeu, além da opção 1.6 TDI com 116 cv, a novidade para os motores a diesel fica por conta do novo propulsor três cilindros 1.4 TSI com 90 cv de potência, autonomia média de 29,4 km/L de diesel e emissão de 89g/km de CO2 

Por Caio Polo

Audi A1 2015

Audi A1 2015

Audi A1 2015

Fotos: Divulgação


3ª geração do Mini Cooper foi lançada no Brasil


Mini Coopers são os queridinhos das mulheres e, apesar da aparência "bonitinha", podem ser ferozes quando colocados à prova.

São hatchs pequeninos que, no Brasil, ganharam recentemente sua terceira geração. O espaço interno como é de se esperar não é dos maiores. O carro é para apenas quatro pessoas, sendo que nenhuma delas pode ser maior que 1,80m sobre risco de ter que ficar encurvado dentro do carro. A terceira geração ganhou ainda um aumento no tamanho do porta-malas que serve bem para, por exemplo, carregar suas compras do supermercado, mas nem pensar em carregar malas e malas de viagem.

A terceira geração do feroz inglês em miniatura conta com um motor de três cilindros 1.5 litros turbo, capaz de gerar 136 cv com torque surpreendente. O veículo já vem com um câmbio automático de seis marchas inteligente que realiza trocas praticamente imperceptíveis e o tornam bem ligeiro. O carro ainda permite três modos selecionáveis de condução que otimizam o consumo de combustível e a performance do carro dependendo da necessidade do condutor. Independente do tamanho o carro é bem confortável, com design interno muito bonito e cheio de detalhes que à primeira vista chamam atenção por si só.

No Salão de Essen, na Alemanha, a marca prometeu apresentar novos e variados kits de personalização para o Mini Cooper. O kit John Cooper Works Pro carrega um visual e acessórios mais esportivos, claramente inspirados em modelos de corrida. Conta com difusores de ar traseiros, retrovisores personalizados e um número 37 pintado na capota, em referência ao campeonato mundial de rali.

Já o kit Vivid Green combina verde e preto apostando em uma personalização mais seletiva. A versão conta com, entre outros, soleiras das portas iluminadas e cadeirinhas especiais para crianças. Até mesmo os tapetes são altamente personalizáveis dentro das opções fornecidas. Outros destaques que merecem atenção são os bagageiros personalizáveis e as rodas de tamanhos variados.

Por Nosf

Mini Cooper John Cooper Works Pro

Mini Cooper com kits personalizados

Fotos: Divulgação


Carros clássicos são bons investimentos a longo prazo


É sonho de todo e qualquer amante de veículos ter um carro clássico. São lindos, com detalhes especiais e únicos, têm características históricas e foram os pilares conceituais de todas as gerações automobilísticas que vieram no futuro.

Infelizmente o desejo de muitos é de acesso de poucos. Os automóveis ditos clássicos são avaliados em milhões de reais, dólares, euros. Mas vale lembrar que se esses fossem carros comuns, não teriam a mesma graça e se fossem de fácil acesso, jamais seriam objetos de desejo. 

Recentemente houve um grande boom nesse seleto mercado de carros clássicos e valiosos. Os valores desses produtos (quase artesanais nos seus mínimos detalhes) sofreram uma ascensão impressionante nos últimos tempos e estão batendo recordes e recordes em vários leilões especiais ao redor do mundo todo. Muitas pessoas têm levado a aquisição desses produtos como investimento a longo prazo. Esses clássicos nunca perderão valor, muito pelo contrário, o tempo só irá agregar valor a essas belas máquinas.

Carros das marcas Ferrari, Mercedes-Benz, Porsche, Bentley e até mesmo carros raros da Ford estão entre os principais produtos nessas negociações. A valorização nesse setor no último ano foi de impressionantes 28%, sendo que nos últimos dez anos a valorização acumulada foi de 456%.

No topo da lista de valores está nada mais nada menos do que a Ferrari 250 GTO Berlinetta 1962 com valor de aproximadamente R$ 98 milhões. Entre os veículos mais caros estão aqueles que já foram utilizados em corridas ou mesmo nas telonas do cinema.

Dos cem carros mais caros do mundo temos 72 nos EUA, 12 no Reino Unido, 8 na Itália, 4 na França, 3 em Mônaco e 1 na Alemanha.

Entre outros carros de altíssimos valores podemos citar a Mercedes-Benz W196, o Ford GT40 usado para o clássico "Le Mans" e o Bugatti Royale Kellner Coupe 1931.

Por Nosf

Ferrari 250 GTO Berlinetta 1962

Mercedes-Benz W196

Ford GT40

Bugatti Royale Kellner Coupe 1931

Fotos: Divulgação


Saiba se trocar de veículo é sempre vantajoso


Trocar o veículo é sempre vantajoso?

Quando alguém tem um carro, também passa pela vontade de estar trocando de veículo pelo menos uma vez por ano. E adquirir um produto mais novo oferece mais tranquilidade e conforto ao proprietário.

Quando o motorista troca de carro, sendo um modelo mais novo e pouco rodado, as chances de ter menos despesa é maior. Porém é preciso ter cautela para realizar este negócio; o interessado em adquirir um produto novo precisa analisar muito as condições econômicas para não ficar endividado e sem necessidade.

Ao trocar por um modelo novo, os itens de acréscimo deixa o valor bem mais alto. Ocorrem casos de compra que o carro antigo com estilo seminovo e com todos os acessórios, completo, foi substituído por um veículo novo, sem os mesmos acessórios.

Há casos de pessoas que estão alegando que adquirir um carro novo não está tão fácil como antes. E agora, a necessidade de manter o carro antigo por mais um ano está sendo constante. Até pelo fato da crise de inflação no país, não está possibilitando muitas oportunidades para ficar trocando por um mais moderno e personalizado.

Às vezes, o carro pode passar por revisões regulares, pois assim evita aborrecimentos, e permite esperar por mais um tempo e  também facilita na hora certa de vender, principalmente quando está em boas condições de uso.

Ao comprar um veículo novo e pedir a inclusão de opcionais pode sair mais caro. E ao comprar um carro seminovo, muitas vezes esses equipamentos pelo fato de estarem usados, já não são tão valorizados pelo novo comprador.

É importante lembrar o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) pode aumentar ou diminuir na proporção do preço do carro. E ainda tem o valor do seguro que altera, mas dentro da avaliação feita para casos de troca de peças em colisões e outras despesas que são contratadas.

Cada motorista deve fazer o cálculo certo quando vale ou não a troca por outro veículo novo ou seminovo. Observando todos os critérios como os custos de manutenção, a necessidade de uso constante ou não, em especial aqueles casos que necessitam rodar muito.

Entretanto, acredita-se ser a época de permanecer com o carro usado até verificar as condições que o país vai ficar nos próximos meses. E caso a troca seja urgente pela necessidade de uso e segurança, é preciso cautela na aquisição do novo produto.

Por Jaqueline Mendes

Trocar de carro

Foto: Divulgação


Citroen C4 Cactus será lançado no mercado europeu em 2015


A estimativa é de que em junho do próximo ano já chegue ao mercado europeu o novo Citroën C4 Cactus. A princípio o preço será de 13.950 euros (o equivalente a R$ 45 mil na cotação do dia). Já em relação ao Brasil, o que se sabe é que a direção da marca pretende trazê-lo o mais rápido possível, contudo, ainda não há previsão de datas.

O crossover C4 Cactus foi apresentado no Salão de Frankfurt, no ano passado. A mistura de minivan, sedan e SUV, chamou a atenção de todos por conta do interior inovador. O assento da frente é uma peça única, como um sofá confortável, que abraça todos os passageiros. A porta também é destaque, devido ao acabamento acolchoado.

O detalhe das portas, uma espécie de almofada, é para protegê-la de arranhões e impactos leves. Dessa forma, o dono não terá que gastar dinheiro com pequenos reparos, já que o material utilizado é resistente e durável.

Em Genebra foi exibida a versão Adventure, com bagageiro no teto. O modelo é feito em Madri, na Espanha. Segundo a direção o C4 Cactus visa valores mais acessíveis, com design jovem e tecnologia simplificada. Sendo assim, o airbag vem acoplado ao teto, oferecendo mais espaço para os passageiros da frente.

É de praxe que durante o ano, em demais apresentações das empresas, novos detalhes e conceitos apareçam nos modelos. Mas, na última exibição do carro, em outubro, a montadora afirmou que manteria todos os aspectos já apresentados.

Além disso, o porta-malas comporta até 358 litros de bagagens. A Citroën diz que ele é feito sobre a plataforma EMP2 (sigla para plataforma modular eficiente).

O C4 Cactus também está ambientalmente correto, com uso de materiais reciclados e motores mais eficientes. 

No Brasil ele poderá ser vendido com 1.6 THP com injeção direta e 165 cavalos de potência ou 1.2 turbo de três cilindros com 132 cavalos de potência.

Por Camila Caetano

Citroen C4 Cactus

Citroen C4 Cactus

Citroen C4 Cactus

Fotos: Divulgação


Dicas de como pilotar motos em curvas


Quem tem moto sabe o quanto é prático e rápido o deslocamento, principalmente nas grandes cidades grandes. Porém, é preciso ter muito cuidado, principalmente nas curvas onde o risco de queda é ainda maior.

Quando estamos no trânsito, seja nas ruas, avenidas, ou estradas, precisamos ficar atentos a vários detalhes, seja com outras motos mais próximas, ou carros que estão à nossa frente ou atrás, além de objetos que se encontram jogados na via, risco de pedestres atravessarem em nossa frente, além de ter mais atenção ainda com crianças e animais que podem tomar uma atitude inesperada e colocar nossa segurança em risco e também a deles.

E quando a moto está em uma curva aí é que devemos tomar cuidado e considerarmos uma série de fatores, como a posição do corpo sobre a moto e também o do garupa, caso estejamos transportando outra pessoa conosco, além do piso, velocidade, etc.

Mas além de todos estes cuidados, há outros detalhes que poucos sabem, mas fazem toda a diferença durante uma curva de moto. O contra-esterço é um destes detalhes. Esterço significa o movimento que fazemos com o guidão da moto para executar a curva e o "contra" é porque durante uma curva, precisamos fazer um pequeno movimento inverso com o guidão, ou seja, se a curva é para a direita, o movimento é para a esquerda. Muita gente não sabe, mas faz corretamente por instinto, outros não fazem certo e o resultado pode ser desastroso.

Outro detalhe importante é saber para onde olhar, pois a tendência é que a moto vá na  direção em que o piloto está fixando o olhar! Assim, se você está fazendo uma curva com sua moto não deverá nunca, olhar para a lateral da pista, mas sim, para a faixa central ou de preferência, para o meio da pista.
Se você começar a perder o controle da moto em uma curva e olhar para a lateral, aí o risco de você sair da pista será ainda maior!

E ao se aproximar de uma curva, vá ao máximo para a esquerda da pista e siga reto de forma a passar à direita da pista e continue para atingir a esquerda da pista novamente, desta forma a moto não vai acompanhar toda a curva e a estabilidade será maior!

E nunca use o freio dianteiro, muito menos o traseiro em uma curva! O ideal é reduzir a marcha antes de entrar na curva para que o próprio motor da moto sirva de redutor de velocidade.

Por Russel

Moto em curva

Foto: Divulgação


Ranking de vendas de carros sedans pequenos em setembro de 2014


A Fenabrave apresentou os números de vendas do mês de setembro na categoria dos sedans pequenos. Com 39.090 carros comercializados, o segmento apresentou alta de 8,97% em comparação ao mês de agosto e um recuo de 1,49% em relação ao mesmo período do ano passado. Assim como foi visto em outros meses, o Fiat Siena continua líder absoluto da categoria dos sedans pequenos, com uma margem de quase 1.200 unidades sobre o segundo colocado.

Obtendo seu melhor índice de vendas desde janeiro deste ano, o Fiat Siena manteve a liderança do segmento emplacando 9.518 carros, alta de 12,39% na variação setembro/agosto, mas uma forte queda de 24,72% quando comparado ao mesmo período de 2013. A distância sobre o segundo colocado continua diminuindo a cada mês, embora o Siena ainda mantenha uma margem tranquila, que no mês de setembro foi de quase 1.200 carros.

Ganhando a segunda colocação neste mês, o Chevrolet Prisma registrou seu melhor resultado desde quando foi lançado no mercado brasileiro. Vendendo 8.353 carros, o sedan pequeno da GM cresceu 24,36% e 54,91% na variação setembro/agosto e 2014/2013, respectivamente. Com isso, o Prisma ficou quase 3 mil carros a frente do terceiro colocado, o Volkswagen Voyage, que emplacou 5.565 unidades e teve queda de 18,68% e 19,57% em relação ao mês de agosto e de 2013, respectivamente.

Para o quarto lugar, a disputa foi muito acirrada, sendo que o Chevrolet Classic acabou levando a melhor sobre o Hyundai HB20S. Enquanto o veterano sedan da GM garantiu a quarta posição emplacando 5.143 unidades (+25,90% setembro/agosto e -7,95% 2014/2013), o modelo da Hyundai ficou em quinto lugar vendendo 5.137 veículos, seis carros a menos que o Classic, o que representa uma alta de 11,84% e 31,35% em relação a agosto e 2013, respectivamente.  

Embora esteja na sexta colocação, o Renault Logan registrou seu melhor índice de vendas desde o seu lançamento no Brasil em 2007. Com 4.937 unidades emplacadas, o novo Logan vem ganhando mercado, com alta de 22,60% em comparação ao mês passado, ao qual já era comercializado o novo modelo, e um crescimento impressionante de 94,91% em relação ao mesmo período do ano passado, o que demonstra a força da nova geração do sedan.

Fechando a lista da categoria em sétimo colocado, o Ford Fiesta Sedan, na versão Rocam, foi responsável por emplacar 437 carros, forte queda de 61,70% e 83,78% em relação ao mês e ano passado, respectivamente. 

Por Caio Polo

Fiat Siena

Chevrolet Prisma

Volkswagen Voyage

Fotos: Divulgação

 


Ranking de vendas de carros hatches médios em setembro de 2014


A Fenabrave divulgou os números de vendas na categoria dos hatches médios no mês de setembro. Com um modesto crescimento de 0,43% em relação ao mês de agosto e uma queda de 13,30% quando comparado ao mesmo período do ano passado, o segmento foi responsável pela comercialização de 5.598 carros, sendo que o Ford Focus manteve a liderança do segmento, mas com uma disputa mais acirrada com o Chevrolet Cruze e o Volkswagen Golf.

Diferentemente do que se viu no mês de agosto, o qual o Ford Focus emplacou 2.218 carros e quase obteve uma vantagem de 1.000 unidades sobre o segundo colocado (VW Golf), a liderança no mês de setembro foi garantida pelo hatch da Ford com uma diferença muito menor.

Com 1.580 carros emplacados, queda de 28,76% e 7,66% em comparação a variação setembro/agosto e 2014/2013, respectivamente, o Focus teve 150 unidades emplacadas a mais que o segundo colocado, o Chevrolet Cruze. O modelo da Chevrolet, que ficou em terceiro colocado nos últimos três meses, foi responsável por comercializar 1.430 unidades, alta de 58,01% em relação ao mês de agosto e recuo de 18,98% quando comparado ao mesmo período do ano passado.

Sem perder seus rivais de vista, o Volkswagen Golf ficou na terceira colocação do segmento, sendo responsável pela venda de 1.371 veículos. Obtendo um leve avanço de 0,88% em relação a agosto, o modelo da Volks teve um aumento expressivo em relação ao mesmo período do ano passado, alta de 85,02%.

Crescendo 29,63% na variação setembro/agosto, o Peugeot 308 abocanhou a quarta colocação, deixando para trás o Hyundai i30. Com 455 unidades vendidas (-47,52% em relação ao ano passado), o hatchback médio francês ficou a frente do modelo sul-coreano por 30 unidades, já que o i30 emplacou 425 (+8,14% setembro/agosto e +14,56% 2014/2013).

Em queda tanto em relação ao mês de agosto quanto em comparação ao ano passado, o Fiat Bravo ficou na sexta colocação com 294 unidades vendidas, sendo seu pior desempenho desde quando começou a ser vendido no Brasil, em dezembro de 2010. Com quase 4 anos de vida no mercado e obtendo vendas muito aquém do esperado, talvez esteja na hora da Fiat pensar em um facelift para deixar o modelo mais competitivo.

Completando a lista dos carros que obtiveram vendas na categoria, em 7º está o Citroën C4, com 24 unidades emplacadas, em 8º o Subaru Impreza, responsável por emplacar 15 carros, e em 9º lugar o Nissan Tiida, com 4 unidades comercializadas

Por Caio Polo

Ford Focus 2014

Chevrolet Cruze

Volks Golf

Fotos: Divulgação


Citroen DS3 está à venda no Brasil em 3 versões


A Citroën lançou no mercado brasileiro o novo DS3, com algumas novidades para deixar o modelo ainda mais competitivo no segmento premium. Com alterações visuais pontuais e um acréscimo interessante de equipamentos de série, o hatchback premium da marca francesa deixa de ser vendido em versão única e passa a ser oferecido em três versões, com  preços que partem dos R$ 79.900.

Visualmente a Citroën promoveu modestas alterações, já que o design do carro continua moderno e atual. Portanto, a marca francesa adicionou ao hot hatch os faróis Full LED com disposição diferenciada das luzes, novas rodas de liga leve de 17 polegadas, lanternas traseiras com efeito 3D, além de nova combinação de cores.

Na cabine, as novidades ficam por conta da adoção de um sistema de som com subwoofer e do novo sistema multimídia com tela touchscreen de 7 polegadas, que abrange diversas funções, como o sistema de navegação via satélite (GPS) e que também exibe imagem da câmera de segurança para manobras em marcha ré.

Deixando de ser vendido em versão única (R$ 86.990), a marca francesa optou por disponibilizar ao mercado três configurações do novo DS3, o que deverá ampliar as vendas do modelo. Com um pacote de equipamentos de entrada modificado, a versão mais simples sai agora por R$ 79.900, contando com freios ABS e ESP, seis airbags, ar-condicionado automático e digital, lanternas em LED com efeito 3D, faróis diurnos de posição em LED, faróis de neblina, limitador de velocidades e rodas de liga leve de 17 polegadas com acabamento diamantado.

A versão intermediária (Pack Confort – R$ 85.890) dispõe dos mesmos itens, acrescido de sensor de estacionamento traseiro, acendimento automático dos faróis, sensor de chuva, retrovisor interno eletrocrômico, retrovisores externos rebatíveis e com acabamento cromado, apoia braço central dianteiro e central multimídia com tela touchscreen de 7 polegdas com sistema de navegação via satélite (GPS), conexão via Bluetooth, e sistema de som com leitor de MP3 e entradas auxiliares.

A configuração topo de linha do renovado DS3 (Pack Confort + Pack Technologie – R$ 89.880) conta com todos os equipamentos já citados e mais a câmera de segurança para manobras em marcha ré com exibição da imagem na central multimídia, rodas diamantadas com pintura em preto, som Hi-Fi com subwoofer e faróis Full LED bi-xênon com piscas deslizantes. Opcionalmente, a marca francesa oferece os bancos com revestimento em couro (Pack Couro) por um acréscimo de R$ 2.900 ao preço final do carro.

Mecanicamente, o Citroën DS3 mantém o motor 1.6 16V THP (Turbo High Pressure) de 165 cv e torque de 24,5 kgfm, que trabalha em conjunto com o câmbio manual de seis marchas. Contudo, a fabricante francesa agora equipa o modelo com sistema de frenagem de emergência com monitor de tráfego à frente, que atua no carro em velocidade de até 30 km/h caso haja risco de colisão, garantindo maior segurança ao condutor e aos ocupantes do veículo. 

Por Caio Polo

Citroen DS3

Citroen DS3

Citroen DS3

Fotos: Divulgação


Peugeot 308 Roland Garros – Nova série limitada terá 250 unidades disponíveis no Brasil


A Peugeot relançou no mercado brasileiro a edição Roland Garros para o hatchback médio 308. Limitada em apenas 250 unidades, assim como na série oferecida em 2013, o modelo especial baseado na versão topo de linha Griffe THP, é inspirado em um dos torneios de tênis mais tradicionais do mundo e conta com alguns detalhes exclusivos. O novo 308 Roland Garros tem preço sugerido de R$ 79.900.  

Visualmente, o modelo conta com faróis com máscara negra, retrovisores externos cromados, logotipo nas portas dianteiras em alusão à série especial e rodas de liga leve de 17 polegadas com desenho diferenciado e acabamento diamantado. No interior, a edição limitada do Peugeot 308 se diferencia pelos bancos com revestimento em couro branco e o carpete com logotipo do torneio de tênis.

Quanto aos equipamentos de série, entre outros, a edição limitada do hatch médio da Peugeot vem com freios ABS com repartidor eletrônico de frenagem (REF) e auxílio a frenagem de emergência (AFU), controle eletrônico de estabilidade e tração, seis airbags (frontais, laterais e do tipo cortina), ar-condicionado digital dual-zone, volante esportivo multifuncional revestido em couro, sensor de estacionamento traseiro, luzes diurnas de posição em LED, faróis de neblina e teto de vidro panorâmico.

Completa a lista o sistema de navegação WIP Nav com tela de 7 polegadas retrátil que abrange diversas funções do veículo, como o sistema de navegação via satélite (GPS), sistema de som com quatro alto-falantes e dois tweeters integrados ao painel, leitor de CD e MP3 e conexão via Bluetooth.

Mecanicamente o Peugeot 308 Roland Garros vem equipado com o já conhecido motor 1.6 16V THP (Turbo High Pressure), capaz de entregar 165 cv e torque de 24,5 kgfm. Trabalhando em conjunto com o bloco Turbo está uma transmissão automática de seis velocidades, com opção de trocas de marchas sequenciais através da manopla do câmbio. 

Por Caio Polo

Peugeot 308 Roland Garros

Peugeot 308 Roland Garros

Peugeot 308 Roland Garros

Fotos: Divulgação


Andar com o carro na reserva pode acarretar sérios problemas


Se você é um daqueles motoristas que só andam na reserva de combustível seja por distração ou por achar que assim pode beneficiar seu carro com a troca integral de combustível sempre, cuidado! Andar sempre na reserva pode ser um mau negócio.

Manter o tanque de combustível constantemente na reserva pode causar diversos e sérios problemas a literalmente deixar o condutor a pé, não pela falta de combustível, mas pelos problemas acarretados pela prática.

A quantidade de combustível que fica na reserva varia bastante de um carro para outro dependendo do modelo, fabricante e versão. Em geral é pouco, em torno de 1 a 5 litros. E engana-se quem pensa que é um tanque extra, essa quantidade é a mínima de litros considerada pelas montadoras para acender o aviso de pouco combustível e assim "solicitar" que o motorista abasteça.

Se o condutor ficar parado na via sem gasolina, além de acarretar prejuízos pelo estrago que isso pode gerar no veículo, ainda tem a multa de trânsito, que pode chegar a R$ 85,13, e mais quatro pontos na Carteira de Habilitação, independente da distância do posto mais próximo.

Outros danos que nem sempre pensamos quando deixamos isso acontecer estão associados à bomba de combustível que também sofre com a constante falta de combustível, já que o líquido do combustível é um meio de resfriamento. Se o tanque estiver vazio, a bomba não consegue líquido suficiente para resfriar o motor e evitar o superaquecimento.

Além disso, a baixa de combustível constante no tanque pode levar muitas impurezas para a bomba, a sujeira fica depositada no fundo do tanque, no momento de utilizar o combustível, a sujeira vem junto e pode seguir para o motor, e aí, nesse momento, o prejuízo pode ser enorme.

Portanto evite andar na reserva, uma vez ou outra tudo bem, mas constantemente pode ser um mau negócio.

Por Vivian Schetini

Tanque na reserva

Foto: Divulgação


Teto solar interfere no consumo de combustível dos veículos


Teto solaré uma opção que agrada bastante os amantes de carros e natureza, dirigir sentindo o vento, a brisa, ou sob a luz do luar parece romântico, mas esconde alguns gastos a mais. Claro que o charme pode valorizar o veículo, afinal é um charme conquistado por poucos, nem todos têm o opcional, e nem todos os modelos oferecem o teto solar como adicional.

E não estamos falando apenas no valor no ato da compra do veículo que pagamos pelo item fora de série, estamos falando de combustível. Isso mesmo o teto solar pode acarretar no aumento do consumo de combustível. Não existem cálculos exatos que comprovem o fato, que indiquem o peso exato no bolso, mas ninguém tem dúvidas que o conforto terá seu preço.

Mas podemos explicar o fato através da estabilidade do veículo. O teto solar diminui a performance do carro. Mesmo o veículo sem teto solar quando trafega de vidros abertos tende a ter um menor rendimento, o teto solar seria uma quinta janela com acesso do vendo e bloqueio de velocidade do veículo.

Com o teto aberto a massa que se acumula por cima da carroceria será sempre maior e, por isso acontece a diminuição da aerodinâmica do carro, assim o gasto com combustível aumenta proporcionalmente ao uso do teto solar.

De acordo com algumas pesquisas de consumo, a partir de 80 quilômetros por hora o carro tende a gastar menos combustível se estiver com a aerodinâmica em perfeito estado, para conseguir isso basta fechar todos os vidros, inclusive o teto solar, mesmo com o ar condicionado ligado o custo benefício pela aerodinâmica do carro vale a pena e economiza.

Mas às vezes vale a pena gastar um pouco mais e curtir os benefícios e sensações de um teto solar. Apenas não podemos esquecer de contabilizar isso quando analisarmos os preços de um carro com teto solar ou não.

Por Vivian Schetini

Teto solar

Foto: Divulgação


Confira os itens que você pode revisar em seu carro


Vai pegar estrada? Então fique atento, a revisão geral do veículo, troca de óleo, balanceamento, alinhamento e vários outros itens devem estar em dia e em perfeito estado de funcionamento. Mas alguns itens nós podemos verificar de maneira fácil e rápida.

É muito importante verificar tudo aquilo que pode colocar sua segurança em risco. E não se esqueça que garantir a sua segurança, de certa forma, também é garantir a segurança dos outros condutores.

Verifique os itens de emergência. Se o macaco está no carro, se está funcionando, verifique também a presença do triângulo de sinalização e da chave de roda no veículo. Em momentos difíceis eles podem ser fundamentais e podem preservar a vida e talvez até outros acidentes. O freio de mão também pode ser verificado pelo condutor, basta puxá-lo com dois ou no máximo três cliques o carro deve ficar totalmente imóvel. Caso contrário procure um mecânico para regulá-lo, isso significa que o freio traseiro pode estar com problemas ou que a lona está gasta ou o tambor gasto.

O volante, às vezes um pouco esquecido, também deve ser observado, principalmente quando o trajeto a ser percorrido for mais longo. O ideal é que não haja trepidações no volante, se houver pode ser falha no balanceamento, se estiver puxando para um dos lados, já pode ser problemas no alinhamento.

Nesses casos somente o mecânico poderá ajudá-lo, mas é fundamental que regularize a situação antes de seguir viagem.

E se a chuva cair? Conferiu as palhetas? As partes de borracha devem estar inteiras e macias, sem ressecamentos ou cortes.

Calibre os cinco pneus, isso mesmo cinco, muitas vezes esquecemos o estepe, mas é de suma importância mantê-lo pronto para uso, já que nunca sabemos quando vamos usá-lo.

Verifique também o nível de água do reservatório, o nível de óleo, e a iluminação de todo veículo, todas as luzes deve estar funcionando corretamente para sua segurança e para segurança dos outros motoristas na via, ver e ser visto é fundamental, verifique faróis alto e baixo, a luz de freio, a ré, o alerta, a iluminação traseira.

Por Vivian Schetini

Itens de emerg?ncia dos carros

Foto: Divulgação


Dicas de manutenção do óleo do seu veículo


Fim de anochegando e muitas famílias estão se preparando para viagens. Na lista de prioridades devem estar o destino, o hotel,  o checking list das bagagens, mas nada disso será importante sem a revisão do carro. A revisão do veículo precisa ser o primeiro item lembrado, pois é fundamental para a segurança de toda sua família, além de garantir uma viagem prazerosa e tranquila.

Mas na revisão também temos alguns itens prioritários no momento da revisão. O óleo é um dos itens de maior importância para o bom funcionamento  do carro, ele garante a lubrificação de todos os outros itens, principalmente do motor.

Veja algumas dicas sobre o óleo do seu veículo: a troca deve ser realizada sempre respeitando o período estipulado pelo fabricante do veículo, essa informação pode ser facilmente encontrada no manual do proprietário, onde também pode ser verificado o tipo de óleo, quantos litros do mesmo, e outras recomendações específicas de cada modelo. A troca pode ser por quilometragem rodada ou por tempo, o que chegar primeiro deverá ditar a regra. Assim evitamos que o óleo esteja sujo ou velho, mas velho não significa escuro, ou preto. Se estiver escuro significa apenas que está lubrificando corretamente.

Mas nem sempre é preciso trocar, às vezes basta completar o nível de óleo. À medida que o carro é usado é natural que esse nível baixe, então a melhor opção é completar até que chegue o momento certo de trocá-lo. Para verificar, o nível, mantenha o carro parado pelo menos dez minutos para que o motor esfrie e a medição possa ser feita de forma correta, basta completar quando o nível estiver abaixo do mínimo caso contrário não há necessidade. Já para trocá-lo o melhor é que motor esteja quente, assim o fluido fica mais fino e mais fácil de sair. O filtro de óleo também deve ser trocado no mesmo prazo.

Por Vivian Schetini

Troca de ?leo

Foto: Divulgação


Ford Ranger 2015 – Características do novo modelo


O lançamento da linha picape Ranger para 2015 já está sendo divulgada pela Ford. O veículo apresenta uma nova versão no modelo XL 2.2 Diesel 4X4 com Cabine e Chassi, um modelo prático e útil para atender frotistas que necessitam colocar implementos no lugar da caçamba. 

O modelo ainda oferece mais vantagens na versão XLS, pois vem com piloto automático e faróis de neblina. No modelo XLT, que possui câmbio manual e os bancos totalmente revestidos de couro. E para as duas versões disponibiliza o porta-objetos na parte de baixo do banco traseiro e tapetes com fabricação de borracha. Ainda apresenta fechaduras que acompanham as chaves que ficam na porta da caçamba. 

O carro vem com um estilo mais moderno e sofisticado, pois os equipamentos são mais novos. Porém, a Ford apresenta alterações nos planos de revisão para as novas versões desta série. A fabricante diminuiu o número de revisões, que era de 6 e agora passou para 4 atendimentos no prazo de 36 meses de garantia. Sendo que a primeira revisão acontece no período de 6 meses e a segunda avaliação entre os 12 meses. Quanto às outras duas, elas podem ser agendadas quando se aproximar dos 24 meses ou 20.000 km e aos 36 meses com 30.000 km. 

O novo Ford Ranger oferece também mais um item de segurança e conforto, o sistema de conexão SYNC. Este equipamento dispõe um importante recurso de assistente emergencial, ou seja, quando um smartphone estiver conectado ao sistema, ocorre uma ligação automática para o número de socorro do local, isso caso necessite, em uma situação de colisão grave. E com este mesmo sistema é permitido ainda acessar outros aplicativos do telefone pelos botões no volante ou pelo comando de voz. 

Portanto, as concessionárias já estão se preparando para receber o novo modelo da Ford para atender os interessados.

Quem já está pesquisando as últimas informações, já pode se preparar para comprar logo, pois em breve o produto estará disponível. 

Por Jaqueline Mendes 

Ford Ranger 2015

Ford Ranger 2015

Ford Ranger 2015

Fotos: Divulgação


Má utilização da embreagem pode prejudicar precocemente o veículo


Vários motoristas possuem alguns hábitos ruins e um deles é deixar o pé na embreagem.

De acordo com especialistas da área, segurar o carro em uma ladeira, por exemplo, apenas na embreagem pode causar um desgaste precoce na estrutura.

Dirigir com o pé no pedal da embreagem prejudica muito seu veículo, pode parecer uma daquelas bobagens que escutamos por aí, mas não é. Uma falha na embreagem pode causar um desgaste cedo e deixar o motorista na mão, sem conseguir engatar uma marcha, o carro não desenvolve e pode não funcionar. Além disso, é bom lembrar que um problema na caixa de marcha representa um grande problema no bolso também, já que o concerto pode ficar bem caro.

De acordo com Edilsn Caldas, que é supervisor técnico de Automotiva do SENAI do Rio de Janeiro, dirigir um carro sem retirar o pé da embreagem a pressiona desnecessariamente e afasta o platô do disco, em consequência há uma perda do material, devido ao lixamento que acontece na peça. O desgaste dessa forma, ocasiona um superaquecimento do sistema e logo a quebra do mesmo. E isso pode acontecer mais rápido do que o motorista pode imaginar, com cinco ou dez mil quilômetros rodados a peça pode quebrar devido ao mau uso. Segundo o especialista a vida útil dessa peça deve ser em torno de 70 mil a 80 mil quilômetros, e não cinco ou dez se mal utilizado.

A perda pode ser percebida até mesmo com o carro parado, no momento que a primeira marcha não engatar corretamente. Uma boa dica para perceber que algo está errado é o pedal pesado o que cria dificuldade no engate.

Mas o pior ainda nem é o orçamento gerado, o risco de acidente, embora baixo, existe com o carro parado. A única solução é trocar toda a peça. As montadoras recomendam substituir o kit que contém o platô, o disco e o rolamento. O desgaste de uma das peças força o uso das demais e consequentemente o desgaste de todo o sistema.

Por Vivian Schetini

P? na embreagem

Foto: Divulgação


Hot Rods e Street Rods – Carros antigos modificados ganham maior potência e charme


Hot Rods, que traduzindo significa "Biela Quente", são carros fabricados entre as décadas 20 e 40 que atualmente trazem charme às ruas após passarem por muitas modificações.

São carros para exposições, corridas e são os mais queridos entre os colecionadores. Os hot rods também fazem grande participação no cinema e em jogos de videogame.

Pela maioria dos carros serem de tração traseira, a mais comum modificação são rodas traseiras mais largas, muitos também optam por modificarem a pintura com detalhes de chamas, muitas vezes feitos por aerografia e “pinstriping”, e a modificação mais atraente são os motores potentes, em sua maioria V8.

Simplificando, Hot Rod trata-se de um hobby onde a carroceria de um carro antigo recebe uma mecânica moderna, tornando-o mais potente e charmoso.

Os Hot Rods foram os primeiros carros modificados. Muitas vezes são retirados os para-lamas, para-choques e acessórios, tendo como "primo" os Street Rods, que são praticamente os Hot Rods de terno.

Os Street Rods recebem peças e acessórios originais e contam com uma pintura e acabamento especial. Não chamam tanta atenção quanto os hot, já que as modificações são em massa em sua mecânica, mas não deixam de se destacar onde passam. Os proprietários dos Street também têm grande preferência por motor V8, ou seja, os Street são discretos e potentes.

Tanto o Hot quanto o Street recebem muitos detalhes cromados, tanto na parte externa quanto na mecânica. 

A NHRA é a associação dos hot rods, que cuida da regulamentação das modificações e dos eventos nos Estados Unidos.

O hobby pode ser facilmente encontrado nos Estados Unidos, Austrália, África, Europa e Ásia, não tem grande aparecimento no Brasil, já que a divulgação do hobby não é tão forte e é até mesmo, visto de forma errada pela maioria da população. A fim de uma maior liberdade, os adeptos do hobby tentaram um evento de grande porte no Brasil, porém pela falta de conhecimento da população sobre o assunto, o evento acabou não acontecendo e sendo remarcado.

Atualmente os praticantes das modificações automobilísticas têm tido um maior espaço e compreensão no Brasil, graças a divulgação do hobby pela internet e por programas de TV.

Hot Rods

Street Rods

Fotos: Divulgação


Salão do Automóvel de São Paulo deverá receber 500 veículos na edição 2014


A Reed Exhibitions Alcantara Machado empresa que está por trás da organização do Salão do Automóvel de São Paulo informou recentemente em uma coletiva realizada para a imprensa em geral que, ao que sugerem as expectativas, a edição deste ano deverá receber algo em torno dos 500 veículos. Deste total cerca de 150 deverão ser lançamentos. A organização informa ainda que espera para o evento um público de 750 mil visitantes.

O Salão do Automóvel de São Paulo acontece entre os dias 30 de outubro e 9 de novembro de 2014.

Ainda segundo as informações divulgadas pela organização da feira a previsão é de que estejam presentes 84 expositores que deverão representar 11 países. Tudo, claro, relacionado à indústria de automóveis. E para quem pensa que o salão se restringe apenas a exposição de modelos está profundamente enganado. Além das marcas de carros exibidas, estarão presentes sistemistas e fabricantes dos mais variados produtos ligados ao setor.

Um ponto que vale a pena destacar é o fato de que a Reed deu sua palavra de que irá melhorar o sistema de refrigeração dentro do Anhembi que, para quem conhece às vezes chega a ser demais o calor. Aliás, este é um dos pontos onde há mais reclamações em se tratando do evento.

Uma curiosidade a parte é o fato de que este Salão do Automóvel de São Paulo deverá ser o que mais irá receber mulheres. Espera-se que 200 mil marquem presença.

As entradas para o evento estão sendo comercializadas por lotes. Os quatro primeiros já foram completamente esgotados. Entretanto, a organização informa que a partir do dia 29 deste mês mais uma remessa será disponibilizada. Então é bom ficar atento. Os preços variam de acordo com o dia da semana ou a forma como o público vai para o evento. Dá para conseguir desconto para caravanas e até meia-entrada para grupos.

Por Denisson Soares

Sal?o do Autom?vel de S?o Paulo

Foto: Divulgação


Mitsubishi irá produzir nova picape média e Lancer nacionalizado


A Mitsubishi divulgou um comunicado nesta semana a respeito da parceria feita com a Fiat-Chrysler para a produção de uma nova picape média e aproveitou também para confirmar a produção nacional do sedan Lancer.

O acordo firmado entre a Mitsubishi e a Fiat-Chrysler trata-se do desenvolvimento de uma caminhonete média utilizando a plataforma da próxima L200 Triton. Com isso, surgiram especulações sobre uma possível descontinuação no mercado nacional da picape da marca japonesa em prol do modelo desenvolvido pela marca italiana, que será um produto exclusivo da Fiat. No entanto, a Mitsubishi deixou claro que manterá a produção da linha de picapes L200 Triton, bem como suas futuras atualizações, em sua unidade fabril situada em Catalão – GO.

Aproveitando o comunicado sobre a parceria firmada entre as marcas, a Mitsubishi confirmou que o sedan Lancer terá sua produção nacionalizada ainda no ano de 2014. Vale lembrar que a fabricante havia prometido anteriormente a nacionalização do sedan para 2013.

Para atender a produção do Lancer, a montadora nipônica já está preparando as linhas de montagem da unidade de produção de Catalão – GO, que atualmente é responsável pela fabricação da picape L200, dos SUVs Pajero Dakar e Pajero Sport, bem como do crossover compacto ASX.  

Com a produção local do Lancer, embora não haja nenhuma confirmação por parte da Mitsubishi, é possível que o sedan sofra alguma alteração no seu preço, tudo para deixar o carro ainda mais competitivo no segmento dos sedans médios.

Vendido em versões que partem dos R$ 67.990, o modelo nacionalizado deverá manter a opção de motorização atual, ou seja, o sedan continuará a ser equipado com motor 2.0 16V MIVEC abastecido a gasolina, capaz de entregar 160 cv e torque de 20,1 kgfm. Associado ao bloco o modelo pode trazer um câmbio manual de cinco marchas ou transmissão automática do tipo CVT com trocas sequenciais que simula seis velocidades.

Por Caio Polo

Mitsubishi Lancer

Mitsubishi Lancer

Fotos: Divulgação


Brasil está em 5º lugar no ranking mundial de vendas de veículos


O primeiro semestre deste ano não apresentou números agradáveis para o Brasil no que diz respeito à venda de veículos. Isso é tão significativo que vale destacar o fato de que o país agora ocupa a 5° posição no ranking mundial em vendas de veículos.

Os números se referem apenas ao primeiro semestre deste ano e foram divulgados pela Jato Dynamics, empresa de consultoria especializada no setor automotivo.

Ao se fazer uma comparação com o mesmo período de 2013 é observado uma queda de 7,3%. Outro detalhe é que o Brasil já perdeu posto para Alemanha que conseguiu um crescimento de 2,7%.

A China como não poderia deixar de ser continua absoluta na liderança. O país até que mostrou uma variação positiva na faixa dos 9,2% em relação ao primeiro semestre de 2014. Logo atrás dela, está os Estados Unidos que continua a ocupar o segundo lugar. O país apresentou uma alta nas vendas dos veículos chegando a 4,2%. Depois dele temos em vista o Japão que além de manter sua 3° colocação ainda demonstra que o setor está sendo recuperado e isso inclui uma alta de 10,7% referente ao acumulado até o mês de junho.

Quais marcas lideram?

Já entre as marcas que ocuparam o topo no primeiro semestre de 2014 temos a Toyota que acabou por fechar o período com uma alta de 1,74% se comparado ao mesmo espaço de tempo do ano anterior. Em segundo lugar está a Volkswagen que apresentou um crescimento de 2,51%.

O terceiro lugar da lista é ocupado pela Ford com 2,14% de carros comercializados no primeiro semestre comparando com 2013.

No meio das tradicionais, aquelas que sempre estão na lista volta e meia uma marca acaba se destacando. Dessa vez foi a Nissan. A companhia conseguiu apresentar um crescimento na casa dos 7% referente às vendas de janeiro a junho de 2014 comparando com 2013.

Por Denisson Soares

Vendas de carros

Foto: Divulgação


Lista dos 50 carros indicados à premiação de veículos automotores nos EUA


A North American Car and Truck/Utility of the Year, tradicional premiação de veículos automotores nos Estados Unidos, revelou a lista de candidatos deste ano. Com mais de 50 carros na lista, sendo que poucos modelos são oferecidos no mercado brasileiro, a premiação será revelada alguns dias depois do resultado do vencedor do Car of the Year 2015 no mercado europeu.

Os carros vencedores em sua categoria (Car e Truck/Utility) serão anunciados no mês de janeiro de 2015, durante o evento North American Car of the Year realizado na cidade de Detroit, Estados Unidos.

O concurso estadunidense que elege o carro do ano conta com sessenta jurados, um aumento de dez jurados em comparação ao ano passado. O corpo de jurados terá a missão de testar todos os veículos que compõem a lista de indicados e organizar ranking para selecionar alguns modelos para uma segunda lista, sendo esta mais curta. Posteriormente, os carros classificados serão novamente analisados numa segunda bateria de testes para que os jurados classifiquem apenas três veículos de cada categoria.

A lista possui carros de diversos segmentos, tanto premium quanto mais acessível no mercado norte-americano. No ano passado, o Cadillac ATS foi o vencedor na categoria Car of the Year, enquanto que a Ram 1500 levou o prêmio Truck of the Year.

Abaixo, confira a lista de indicados para concorrer ao prêmio:

Carros:

– Acura TLX;
– Alfa Romeo 4C;
– Audi A3;
– BMW M3;
– BMW M4;
– BMW i3;
– BMW i8;
– Cadillac ATS Coupe & V;
– Chrysler 200;
– Dodge Challenger;
– Dodge Charger;
– Ford Mustang;
– Honda Fit;
– Hyundai Genesis Sedan;
– Hyundai Sonata;
– Jaguar F-Type Coupé;
– Kia K900;
– Lexus RC;
– Maserati Ghibli;
– Mercedes-Benz B-Class Electric;
– Mercedes-Benz C-Class;
– Mercedes-Benz S-Class Coupé;
– Subaru Legacy;
– Subaru WRX / WRX STi;
– Toyota Camry;
– Toyota Yaris;
– Volkswagen Golf / GTI;
– Volvo V60.

Utilitários:

– Audi Q3;
– BMW X4;
– Cadillac Escalade;
– Chevrolet Colorado;
– Chevrolet Suburban;
– Chevrolet Tahoe;
– Chevrolet Trax;
– Ford Edge;
– Ford Expedition;
– Ford F-150;
– Ford F-Series HD;
– Ford Transit Connect;
– GMC Canyon;
– GMC Yukon;
– GMC Yukon XL;
– Honda HR-V;
– Jeep Renegade;
– Kia Sedona;
– Kia Soul EV;
– Lexus NX;
– Lincoln MKC;
– Lincoln Navigator;
– Mercedes-Benz GLA-Class;
– Nissan Murano;
– Porsche Macan;
– Ram Promaster City;
– Subaru Outback;
– Volvo XC60;
– Volvo XC90.

Por Caio Polo


Produção de veículos automotivos no Brasil apresentou queda em julho de 2014


A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), divulgou nesta quarta-feira, 6 de agosto, os registros de vendas do mercado automotivo brasileiro no mês de julho.

Embora com o aumento de 17% na produção em relação ao mês de junho, o mês de julho sofreu um duro golpe e teve seu pior desempenho desde o ano de 2006, quando a indústria automotiva brasileira produziu 202,9 mil veículos. Com 252,6 mil carros fabricados, o sétimo mês do calendário de 2014 registrou uma queda expressiva de 20,5%, quando comparado ao mês de julho de 2013, responsável pela produção de 317,9 mil unidades.

Em comparação ao mês de junho, no qual houve a produção de 215,9 mil veículos, julho conseguiu produzir 17% a mais, contudo, além de registrar uma queda acentuada em relação ao ano passado (-20,5%), no acumulado dos sete primeiros meses do ano de 2014 a indústria também recua 17,4%, com 1,82 milhão de veículos produzidos. No mesmo período do ano de 2013, o setor já havia fabricado 2,2 milhões de carros.

Além nas quedas das vendas de veículos, o principal vilão da indústria automotiva brasileira está sendo a Argentina. Devido à crise vivida no país vizinho, responsável por absorver 75% dos veículos exportados pelo Brasil, as exportações de carros feitos por aqui sofreram uma queda acentuada.

Entre janeiro e julho deste ano foram exportados 204 mil veículos, uma queda de 35% em comparação ao mesmo período do ano passado, que registrava a exportação de 316 mil veículos.

Para Luiz Moan, Presidente da Anfavea, houve um clima de pessimismo exagerado no período que antecedeu a Copa do Mundo no Brasil e que, de alguma forma, isso acabou afetando os consumidores. Moan ainda afirmou que, de acordo com os históricos dos anos anteriores, o segundo semestre apresentará números melhores que o primeiro.

Ainda de acordo com o Presidente da Anfavea, há uma expectativa de melhoras para o setor, já que no mês de julho houve elevação 294,8 mil carros registrados, elevação de 11,8% em relação ao mês de junho. Entretanto, quando comparado com o ano passado, o número de carros licenciados caiu 13,9%.

Por fim, com o maior número de dias úteis no segundo semestre e com a queda na inadimplência, o que retomaria a liberação de crédito pelas instituições financeiras deve dar ânimo ao setor automotivo.  

Por Caio Polo

Produ??o de ve?culos

Foto: Divulgação


BMW Série 2 M235i – Nova versão cupê esportiva será lançada no Brasil


No início desta semana a BMW decidiu anunciar para o mercado nacional a chegada do novo Série 2. O anúncio foi bem-vindo, mas tem um porém: o cupê só será visto por aqui em sua versão mais esportiva batizada de M235i. O modelo tem um preço sugerido para poucos bolsos. Saí da loja por nada mais nada menos do que R$ 229.950.

De acordo com informações que foram divulgadas pela BMW até o final deste ano não há previsão para o lançamento no mercado nacional de algum modelo que seja mais “simples”.

Mas voltando a novidade que acaba de chegar o M235i traz um motor de 3.0 litros biturbo. O bloco tem potencial para desenvolver 330 cavalos. Para quem é fã de velocidade o carro vai de 0 a 100 km/h em 4,8 segundos, isso com o uso do controle de largada, as informações são da própria fabricante.

O propulsor do M235i trabalha junto com uma transmissão automática que conta com oito velocidades. Eletronicamente a velocidade máxima é limitada a “apenas” 250 km/h.

Esse modelo recém-chegado ao mercado nacional traz consigo algumas curiosidades. Por exemplo, ele é basicamente uma derivação do Série 1 Coupé que nem sequer existe mais. Além disso, no modelo foram acrescentadas certas características estéticas que agregam ainda mais  valor a parte esportiva conceitual.

Para reforçar esse exemplo temos as rodas de 18 polegadas que são da linha M, o spoiler na parte de trás e também o volante que conta com a opção de troca de marchas por aletas, que são as conhecidas “borboletas”.

A parte interior do carro também merece seu destaque. Ele é todo revestido em couro apresentando quatro diferentes tonalidades. E tem mais, o M235i já vem com sistema de navegação multimídia, ar condicionado digital, teto solar e bancos dianteiros elétricos.

No mais o automóvel ainda traz os faróis bixenônio, controle de estabilização e também de tração, assistente de farol alto, seis airbags e função start-stop.

Por Denisson Soares

BMW S?rie 2

Foto: Divulgação


Projeto de carros autônomos preocupa o FBI


A ideia não é nova é já faz um bom tempo que as montadoras de veículos têm investido cada vez mais em projetos que envolvam o desenvolvimento de carros autônomos. Ainda não se tem um modelo que seja completamente seguro. Diversos anúncios já foram feitos, até mesmo por empresas que não são do ramo automobilístico, como é o caso do Google. Mas tudo ainda está em uma fase de testes, descobertas e, claro, de adaptação às leis nacionais e padrões internacional sobre como seria a utilização desses veículos.

Esses carros autônomos que em um futuro (próximo ou não) terão a função de dar mais comodidade a quem usa veículos já preocupam muitas autoridades antes mesmos de saírem da linha de produção “de modelo de um carro só”. Como exemplo, temos o FBI, a polícia federal dos Estados Unidos. Esse tipo de tecnologia tem despertado a preocupação de autoridades do órgão.

Recentemente um relatório foi obtido com exclusividade pelo jornal britânico The Guardian. No tal relatório, secreto por sinal, são apontados itens que  mostram que o  órgão de investigação anda preocupado com a tecnologia que envolve os carros autônomos. De acordo com o documento carros que dispensam motoristas para andar poderiam se constituir numa nova modalidade e estratégia de crime. Ou seja, o FBI teme que criminosos possam usar esses veículos para escaparem da polícia.

Na análise levantada pelo FBI uma informação chega a ser interessante. De acordo com o documento com carros desse tipo nas ruas uma nova forma de lei deveria começar a ser trabalhada. O relatório destaca o fato de que a autonomia dos carros deixaria mais eficiente a mobilidade das pessoas. Porém, junto com ela também seriam abertas mais portas para usos impróprios como, por exemplo, usar técnicas para transformar esses veículos em armas mais letais do que de fato os carros de hoje em dia são.

Em certo ponto do relatório o FBI destaca que o criminoso poderia fazer coisas que não poderia fazer em modelo de carro atual. Hoje ele tem que olhar para onde vai, manter as mãos no volante em uma fuga e por aí vai. Em um carro autônomo em uma eventual perseguição ele estaria completamente livre para olhar, mirar e atirar sem se preocupar em provocar uma batida o seguir reto em uma curva.

Esse assunto ainda vai dar muito que falar!

Por Denisson Soares

Carro aut?nomo

Foto: Divulgação


Mini Countryman e Paceman linha 2015 serão lançados na Europa


De acordo com as informações divulgadas a partir do final do mês de julho, a Mini estará disponibilizando para sua rede lojas da Europa a linha 2015 do cupê Paceman e também do crossover Countryman. Os novos modelos deverão primeiramente aparecer nos Estados Unidos e depois por aqui, durante a realização do Salão de Automóveis de São Paulo. O evento acontece entre os meses de outubro e novembro de 2014.

Os dois modelos ganharam algumas pequenas novidades em relação ao visual, ao acabamento interno além de equipamentos de série e um motor um pouco mais potente.

Tanto no MINI Countryman quanto no Paceman foi agregada a nova grade que conta com friso cromado na dianteira, e também há a presença de faróis de neblina em LEDs, faróis revisados, novas rodas de liga leve além de três opções de cores para a carroceria: Verde Jungle, Cinza Midnight e Azul Starlight.

No interior desses utilitários esportivos agora também tem as saídas de ar que contam com novo isolamento acústico e detalhes cromados, isso, com o objetivo de diminuir o ruído dentro do carro.

No caso do painel de instrumentos também foram feitas algumas modificações.

Indo direto para uma das partes mais importantes em relação a carros, temos agora o Countryman e o Paceman com seis cavalos de potência a mais no caso da versão Cooper S. A presença de um propulsor de 1.6 litro turbo com quatro cilindros permite que seja possível desenvolver 190 cv e 24,5 kgfm de torque. Em outras palavras isso é capaz de fazer com que os dois modelos possam ir de 0 a 100 km/h em 7,5, sendo que a velocidade máxima chega a 217 km/h. Já o JWC traz um motor 1.6 de 218 cv com tração ALL4 que por sinal está disponível para todos os modelos como item opcional. De qualquer maneira a transmissão sempre será de seis velocidades, tanto manual quanto eletrônico.

Por Denisson Soares

 

Mini Paceman e Countryman 2015

Foto: Divulgação


Toyota e Honda pretendem lançar novos modelos no Brasil


Tanto a Honda quanto a Toyota já informaram que estão satisfeitas com os resultados de suas vendas. Mas um detalhe interessante é que as duas montadoras estão planejando lançar novos modelos no Brasil. O mais importante é que deverão ser fabricados por aqui mesmo. De acordo com informações que circulam na rede, em sites especializados no setor, o que essas montadoras pretendem é aproveitar melhor a capacidade de produção que ambas terão de extra com as unidades fabris de Sorocaba e Itirapina.

No que diz respeito a Honda, a companhia não esconde muito sobre o que anda planejando fazer. Já sabemos, porém, que a empresa lançará no mês de setembro deste ano a sua nova geração do sedan City. Para o mês de outubro está prevista a importação do Civic Si cupê que virá do Canadá. Também está previsto no cronograma da montadora uma apresentação do primeiro SUV compacto, o Vezel, mesmo antes do lançamento.

No caso da Toyota as coisas não ficam muito em uma situação diferente. A maior companhia do mundo já anunciou que está ampliando sua presença no país com o Etios. Entretanto, nesse caso vale chamar a atenção para um ponto interessante. O carro teve uma melhora relativa nas vendas, mas em termos gerais não está de acordo com a importância que a marca Toyota agrega hoje em dia. Para se ter uma ideia um pouco mais abrangente desse aspecto é só olharmos o fato de que a fábrica de Sorocaba foi projetada para possibilitar uma produção de 400 mil veículos ao ano. Mas no momento atual ainda não conseguiu chegar as 100 mil unidades.

Juntando tudo é fácil concluir que a Toyota precisa rever algumas coisas já que parece não estar nada contente com sua faixa de venda de pouco mais do que 10 mil veículos por mês. O objetivo logicamente seria algo bem mais do que isso.

Por Denisson Soares

Novo Honda City

Novo Honda City

Foto: Divulgação


Toyota Etios Platinum – Série especial sofisticada


De fato não restam dúvidas de que o Toyota Etios tem procurado, de certa maneira, agradar aos gostos de seus clientes, mesmo sem ter o apelo estético típico de seus rivais. De qualquer maneira, o modelo traz um bom conjunto mecânico e, claro, ainda agrega a confiabilidade da marca Toyota. Mesmo assim, o visual não deixa de passar despercebido. Isso que estamos dizendo cai perfeitamente para a série especial Platinum, que a marca lançou no mercado na semana passada. Em poucas palavras o modelo tem com objetivo ser o “tipo Etios mais sofisticado”.

O Etios Platinum é por sua vez baseado na versão XLS que por sinal, é a mais cara da linha. O modelo tem bancos com detalhes em couro, as rodas que apresentam desenhos exclusivos são de aro 15 polegadas. Além disso, ainda há o friso cromado na tampa do porta-malas dentre outros diversos aspectos. A série Platinum também conta com sensor de estacionamento traseiro.

O Etios Platinum já se encontra disponível nas concessionárias da fabricante desde o último dia 18. Já falando sobre os preços dos modelos a informação é de que Etios Platinum, em sua versão hatch vai custar aos bolsos dos clientes R$ 47.090. Já para a versão sedan o aumento no preço não é tão grande saindo pelo valor de R$ 49.790. Nos dois modelos foi usado um motor 1.5 flex de 97 cv a etanol. As versões serão colocadas à disposição dos interessados nas cores preto e prata.

A princípio a Toyota planejava ter uma abrangência de público maior para seu lançamento, época em que o modelo foi disponibilizado aos consumidores pelo preço de R$ 30.000. Mas como podemos perceber a estratégia para as vendas parece ter mudado neste ano quando a montadora, sabe-se lá porque, decidiu fazer do Etios um carro mais caro, porém mais equipado.

A série Platinum parece ter vindo com esse propósito, ou seja, tornar ainda mais fixa a imagem de um produto com características superiores ao compacto, que a título de curiosidade vai exatamente para o outro lado das rivais não contando com um motor 1.0. Se caso tivesse, ele poderia entrar sem nenhum problema na “turma dos populares”.

Por Denisson Soares

Toyota Etios Platinum

Foto: Divulgação


Rumores sobre usar gravadores em carros autodirigíveis


As questões envolvendo os carros autodirigíveis nem sequer tomaram uma forma bem definida e já começam a surgir polêmicas e ideias para algo que ainda nem sequer tomou um rumo certo. A mais recente notícia que gerou muitos comentários foi a fato de que algumas montadoras alemãs estão pensando em usar gravadores nos automóveis autodirigíveis. Esses gravadores seriam algo do tipo, ou bem parecido com as caixas pretas usadas nos aviões.

Logo de cara a ideia já causou uma certa polêmica até porque existe a preocupação com a vigilância na Alemanha. Mas também tem o outro lado da moeda. Talvez essa seja uma ótima oportunidade para permitir que a tecnologia consiga subir mais um degrau.

Entre as montadoras que desenvolvem projetos com carros autônomos ou semi-autônomos juntamente com o Google e GOOG.O estão a Mercedes-Benz com o DAIGn.DE e a BMW com BMW.DE.

Mesmo com tantos debates já é possível encontrar alguns itens no mercado como o estacionamento assistido. Mas o fato de que questões jurídicas continuam a prejudicar a implantação de outras diversas tecnologias como, por exemplo, ultrapassagens automáticas em auto-estradas não há como negar. Já no que diz respeito aos carros totalmente autônomos a coisa deve demorar muito mais. Até agora eles não passam de protótipos.

Voltando ao gravador de dados que, como dissemos, é bem parecido com aqueles usados nas aeronaves, tem um ponto interessante de ser observado (de acordo com quem quer implantar o sistema é claro): caso seja futuramente possível a instalação desses dispositivos nos carros algumas questões poderiam ser resolvidas com uma maior facilidade. Um exemplo seria o caso de dar tanto às fabricantes quanto às seguradoras informações claras e reais sobre quem seria o provável responsável no caso de algum carro se envolver em um acidente.

De qualquer forma a questão não tem previsão de se chegar a um termo comum e vem sendo debatida sobre a direção autônoma da Alemanha (por meio de um grupo formado de funcionários do governo) que, claro, não quer de jeito nenhum perder sua vantagem no que diz respeito ao setor de fabricação de carros.

Por Denisson Soares


Volkswagen Beetle Dune – Novidades e características do novo modelo


Revelado ao público em janeiro deste ano durante a realização do Salão de Detroit, o conceito VW Beetle Dune está prestes a ganhar uma versão de produção e ser visto nas ruas. De acordo com a revista alemã “Auto Bild”, os executivos da Volkswagen decidiram sobre a fabricação em série da configuração Dune para o Beetle e aguardam apenas alguns ajustes para confirmar a novidade.

Seguindo a tendência que vem agradando ao público, o carro-conceito é uma versão com espírito aventureira do novo Fusca. O que chama atenção no veículo, além de alguns detalhes estéticos diferenciados da versão convencional, fica por conta da pintura amarela na carroceria, semelhante à cor do conceito homônimo que foi apresentado no Salão de Los Angeles no ano de 2000.

Baseado na configuração R-Line do Volkswagen Beetle convencional, o Beetle Dune Concept possui, além da pintura em tom de amarelo, detalhes que deixam o carro com visual aventureiro, como os apliques de plástico nas caixas de rodas, na parte inferior da lateral, na moldura dos faróis de neblina e na parte inferior do para-choque traseiro. Além disso, para reforçar o espírito aventureiro do Beetle Dune, o carro traz estribos laterais, uma espécie de quebra-mato na parte dianteira e traseira na mesma cor dos estribos laterais, teto solar, aerofólio, suspensão elevada e rodas de liga leve com desenho inédito.

No interior, a versão aventureira possui a mesmas características e acabamento da versão convencional, mantendo inclusive os belos indicadores de temperatura do óleo, cronômetro e pressão do turbo posicionado na parte superior do painel. Contudo, o que chama atenção é o volante multifuncional com base achatada, as portas e o painel que trazem acabamento no mesmo tom de amarelo da carroceria. Por fim, o modelo ainda conta com inscrições em alusão a versão aventureira no painel e nas portas. 

Dotado apenas de tração dianteira, o que decepciona um pouco pelo fato do carro ter o espírito aventureiro, o VW Beetle Dune vem equipado com o já conhecido motor 2.0 TSI de 210 cv, que trabalha em conjunto com a transmissão DSG de seis velocidades.

Por Caio Polo

Volkswagen Beetle Dune

Foto: Divulgação


Acordo automotivo entre Brasil e Argentina foi prorrogado


Na última semana, os governos do Brasil e da Argentina firmaram a prorrogação do acordo sobre a Política Automotiva Comum, em Buenos Aires. Com isso, o acordo passa a vigorar de 1º de julho de 2014 a 30 de junho de 2015.

A assinatura da prorrogação do acordo determina a retomada do sistema “Flex” na proporção de 1,5, ou seja, para cada US$ 1,5 exportado, o Brasil tem que importar US$ 1. Com isso, caso o Brasil ultrapasse essa proporção pré-determinada, a operação é taxada em 35% do valor.

Por exemplo, se o Brasil importar US$ 1 bilhão em carros e autopeças, o país poderá exportar, no máximo, US$ 1,5 bilhão sem que haja qualquer tarifa de importação. O acordo que vigorava anteriormente estipulava que, para cada US$ 100 vendidos pela Argentina ao mercado brasileiro em autopeças e veículos, o Brasil poderia vender US$ 195 ao mercado argentino sem que houvesse taxas de importação.

“O fato de o documento ter sido chancelado pelas presidentas Dilma Rousseff e Cristina Kirchner garante força política e é um passo importante para o setor dos dois países. Com isso, Brasil e Argentina agora figuraram entre os principais produtores com mercados fortes e laços estratégicos. Este é mais um passo para uma medida mais ambiciosa a partir de 2015″, afirmou Mauro Borges, Ministro do Desenvolvimento do Brasil, de acordo com o site governamental “Portal Brasil”.

O documento, que foi Assinado entre o Ministro brasileiro e os titulares da Fazenda e do Desenvolvimento da Argentina Axel Kicillof e Débora Giorgi, respectivamente, prevê ainda que haja um planejamento de uma política industrial comum para o setor de autopeças, aplicação de normas técnicas comuns e elevação dos níveis de segurança dos carros fabricados nos dois países.

Outro ponto que ficou determinado é que os setores produtivos (Anfavea e Sindipeças, no Brasil, e Adefa, Afac e ADIMRA, na Argentina) comprometam-se a manter a participação mínima nos respectivos mercados de veículos nas seguintes proporções: 11% de automóveis argentinos no mercado brasileiro e 44,3% de veículos brasileiros na Argentina.

Por Caio Polo

Acordo Brasil e Argentina

Foto: Divulgação


Novo sistema de rastreamento e bloqueio do funcionamento de carros em caso de roubo


No Brasil, anualmente, em média o número de veículos roubados / furtados superou os 470 mil de acordo com a Confederação Nacional das Seguradoras de Veículos somente no ano de 2013. Nessa perspectiva, resguardar-se para que o seu automóvel não faça parte dessa triste estatística e acabe indo para o desmanche em ferros-velhos é primordial investir em alguns equipamentos de segurança embarcados no seu veículo automotor, pois alguns adventos ajudam o proprietário a se proteger dos ladrões, sendo que um dos mais inovadores e recentes no mercado brasileiro, o sistema de rastreamento e bloqueio de funcionamento do veículo via aparelhos celulares.

Um dos mais eficientes do mercado são os produtos da fabricante LocatorOne, que possuem instalação rápida, de no máximo uma hora, e de funcionamento bem simples.

O sistema de funcionamento dele é por meio de um chip de comunicação que é colocado entre o automóvel e o sistema, que também pode ser habilitado em qualquer smartphone. No veículo é colocado um microfone oculto, a fim de se escutar tudo o que se passa dentro do habitáculo do carro. Após o veículo ser roubado ou furtado, basta o cliente telefonar diretamente para o sistema, que não há atendentes como intermediários, digitar a senha previamente cadastrada e confirmar o bloqueio do veículo mediante o corte gradativo da alimentação de combustível, sendo que em média os cidadãos infratores são surpreendidos de 60 a 90 segundos após o bloqueio do veículo, pois muitas das vezes estes tentam ficar insistindo em fazer o veículo funcionar novamente até mesmo no tranco o que não ocorre.

No caso de furto, se o automóvel estiver estacionado e uma pessoa tentar forçar a entrada para ligar o veículo, uma sirene bastante estridente é acionada e o próprio sistema instalado no veículo se encarrega de ligar, automaticamente, para o proprietário do carro cientificando-o do fato.

Por Adriano Oliveira

Bloqueador para carro

Foto: Divulgação


Volkswagen Golf alcançou alto desemprenho nos testes do IIHS e tem informações sobre sua 8ª geração


O Volkswagen Golf, tanto nas versões convencionais quanto a esportiva GTI, passou por diversas provas de colisão, inclusive por um dos testes mais temidos pelas montadoras de veículos, recebendo o título Top Safety Plus, alta premiação concedida pelo IIHS (Insurance Institute for Highway Safety), entidade autônoma de segurança automotiva e viária criada pelas seguradoras nos Estados Unidos.

Segundo a instituição estadunidense, o hatchback atingiu desempenho acima da média nos testes e recebeu a classificação “bom” na maioria das provas.

No teste “small overlap”, o mais temido pela maioria das fabricantes, que consiste na colisão de quina contra um obstáculo pequeno a 64 km/h, não foi problema para o novo Golf. De acordo com o IIHS, a deformação sofrida pela carroceria não foi significativa, mantendo a área ocupada pelo motorista com medidas satisfatórias. O “dummie” utilizado no teste de colisão de quina manteve-se sólido, concluindo que o ocupante do habitáculo do veículo teria baixo risco de sofrer lesões com a batida.  

Favoreceram o veículo, além da estrutura desenvolvida pela Volkswagen, a utilização do sistema de alerta de colisão como item de série ou opcional.

Próxima geração do Golf:

A sétima geração do Golf mal foi lançada no Brasil e ainda nem teve sua nacionalização realizada, algo que está previsto para 2015, mas já surgem notícias sobre a oitava geração do hatchback da Volkswagen. Segundo a publicação francesa “Auto Plus”, a marca alemã já desenvolve a próxima geração do Golf, com estreia adiantada em um ano, para 2018.

A pretensão da Volkswagen é manter o Golf como uma referência no segmento, adotando novidades e inovações antes que os seus principais concorrentes.

Segundo a mídia francesa citada, há dois projetos estéticos sendo estudados: um mais tradicional e um mais arrojado. O primeiro projeto, que é o mais cotado para entrar em produção, possui grandes semelhanças com a geração atual, mas com mudanças pontuais que o deixa mais agressivo, como um novo conjunto óptico mais estreito, grade dianteira afinalada ao estilo do Scirocco, capô mais baixo, formando um ângulo mais aberto com as colunas dianteiras e novas lanternas traseiras.

No segundo projeto, por sua vez, as maiores diferenças ficam por conta dos faróis dianteiros, muito mais estreitos e ao estilo do Volkswagen XL1 e do Golf GTI Vision Concept. Além disso, o modelo ainda conta com retrovisores substituídos por câmeras, área envidraçada menor e coluna traseira que sobressai a linha das portas, integrando uma tomada de ar no para-lama.

Outra alteração na próxima geração fica por conta da plataforma modular MQB, utilizada para produzir a atual geração, que sofrerá uma modernização utilizará maciçamente o alumínio em sua estrutura, fazendo com que o modelo perca pelo menos 50 quilogramas em sua massa total.

Na mecânica, as novidades, de acordo com a publicação francesa, serão a adoção do motor três cilindros 1.0 TSI com versões de 90 cv e 110 cv de potência, além de um novo bloco a diesel 1.4 TDI para atender o mercado europeu.

Por fim, a oitava geração do Volkswagen Golf terá uma configuração coupé com quatro portas, um integrante inédito na sua linha para competir diretamente com o Mercedes-Benz CLA.

Por Caio Polo

Volkswagen Golf VIII gera??o

Foto: Divulgação


Volkswagen Golf perde a liderança de vendas para o Chevrolet Cruze


Entre os hatches médios mais vendidos nos últimos tempos estava o Golf da Volkswagen. No entanto, ele perdeu muitas vendas, e seu rival Chevrolet Cruze o ultrapassou, juntamente com Ford Focus que mantém a liderança. Desta forma, vamos abordar nesta matéria quais os fatores que o levaram a cair em número de vendas.

Até o mês de abril, o veículo mantinha a vice-liderança, porém, a partir de então foi para o terceiro lugar no segmento dos mais vendidos. O relatório foi divulgado pela associação de revendedores Fenabrave, o qual emplacou 1.394 unidades no último mês. Do total, tivemos 110 unidades a menos no mês anterior.

O principal aspecto que diminuiu as vendas foram as novidades do Chevrolet Cruze, uma vez que conseguiu vender pouco mais de 1.724 unidades e entrou para a lista de acumulados do ano. Entre os meses de janeiro e maio o Cruze conseguiu emplacar 8.095 unidades contra 7.993 da Volkswagen. Todavia, o que tornou a Chevrolet a campeã em vendas no país foi o fato de oferecer grandes descontos nas vendas, o que a torna ainda mais atraente entre o público alvo.

Em contrapartida o Focus, considerado o líder na categoria, foi o que mais vendeu durante o período citado, pois emplacou 1.666 unidades. Diante disso, a empresa está tendo pouca folga, pois é uma disputa acirrada se comparada com a Chevrolet. No acumulado, a marca Ford se destaca com 1.344 unidades face ao modelo da GM.

Para subir no ranking, o Focus está negociando este mês com taxa zero de juros para os financiamentos. Cabe ressaltar que, a posição do Golf não é nada confortável para a Volkswagen, uma vez que o veículo veio para tomar a liderança da categoria. No entanto, a expectativa é que essa situação se inverta no próximo ano, com preços menores, ao ser feito na fábrica de São José dos Pinhais, no Paraná. 

Por Luciana Viturino

Chevrolet Cruze

Foto: Divulgação


Propaganda do novo Mercedes-Benz GLA tem Mario Bros como personagem


Foi lançado no Japão um vídeo promocional que traz o consagrado personagem dos games, Mario Bros, dirigindo o novo SUV da Mercedes-Benz. A parceria feita entre a montadora e a Nintendo também chegou até o game Mario Kart 8.

Recentemente a Mercedes-Benz do Japão resolveu usar a fama de um  dos personagens mais famosos e queridos do mundo dos games para fazer uma propaganda de um novo modelo de carro. A montadora de origem alemã “contratou” ninguém menos que o consagrado encanador Mario Bros. O personagem estrela a campanha da fabricante de automóveis no lançamento de seu modelo no país do sol nascente, o GLA.

Entretanto, não é só isso. A parceria entre a montadora de automóveis e a Nitendo, criadora do Mario, já havia se tornado pública muito antes disso, para ser mais exato bem na época em que companhia japonesa fabricante de games disponibilizou em uma versão virtual o game Mario Kart 8 com o GLA, o novo SUV da marca alemã.

No vídeo promocional, que tem uma duração de um pouco mais do que 30 segundos, o encanador Mario Bros pilota seu GLA virtual nos cenários do jogo desenvolvido em 8-bit. Ah! Claro que superando os obstáculos costumeiros. Porém, em uma segunda parte e dirigindo o veículo real, um homem caracterizado ao melhor estilo Mario Bros se diverte enquanto está atrás do volante do utilitário.

O vídeo apesar de ter sido lançando há pouco tempo parece ter  caído tanto no gosto dos fãs do encanador quanto dos consumidores da marca já que conta com um número que ultrapassa as 790 mil visualizações.

Outro detalhe é o fato de que no hotsite oficial do modelo o carro ainda é todo “enfeitado” seguindo as linhas do tema do jogo.

Voltando a “vida real”, no caso do Brasil, a montadora planeja lançar o GLA ainda no segundo semestre do ano de 2014. A previsão é de que a novidade seja uma das principais atrações da Mercedes durante a realização do Salão do Automóvel de São Paulo que ocorrerá entre os meses de outubro e novembro deste ano.

Veja abaixo como ficou o vídeo da campanha:

Por Denisson Soares


Evolução dos carros no mercado automobilístico


No inicio do século XXI já não era comum ver carros antigos circulando nas grandes cidades e o mercado automobilístico se revolucionou, a partir da segunda década as montadoras retiraram alguns modelos de sua linha de produção e substituíram alguns por outros mais modernos.

O mercado consumidor clamava por essas mudanças, pois as necessidades de hoje não são as mesmas do passado, exigindo mais praticidade e versatilidade.

Muitos carros fizeram parte da história dos brasileiros e se despedir não foi fácil, como ocorreu com o modelo Kombi e o Gol G4 da Volkswagen que teve suas últimas versões fabricadas em 2013.

A despedida da Kombi foi lamentável, pois foi um dos primeiros carros da montadora produzido Brasil e esteve presente fortemente nos cenários de evolução do país.

Assim como o Mille, Fiorino e Courier que sairam de linha devido as suas incapacidades de evolução tecnológica.

Outras montadoras substituíram modelos, como na Chevrolet que onde a Meriva e Zafira saíram para dar lugar a nova minivan com o nome de Spin, o modelo Vectra GT se despediu para a entrada do Cruze Sport 6, e o Corsa que já teve várias versões deu lugar ao novo compacto chamado Onix.

Na Ford a despedida foi com o Fusion sendo um dos sedans médio-grandes mais vendidos do Brasil.

Uma grande evolução ocorreu na Volkswagen, onde foi fabricado um modelo compacto com preço a partir de R$ 26.000,00, é um dos caros mais econômicos a preço popular com versões automatizada (diferencial na categoria dos compactos) é o mais potente da categoria com motor 1.0 EA211, 3 cilindros Total Flex, 75/82 cv gasolina/etanol e melhor consumo com classificação A pelo INMETRO. É exatamente a resposta as necessidades que os novos condutores questionam no cotidiano da vida moderna. O nome dele é Up!, que segundo a montadora é o carro mundial da Volkswagen, desenhado por um brasileiro, que traz um novo conceito de design, que se apresenta em nas versões Take Up!, Move Up!, High Up! e Black, White, Red Up!.

Por Vanessa Ribeiro

Volks Up!

Foto: Divulgação


Dicas para reduzir o valor do seguro do carro


O seguro do carro, em alguns casos, pode extrapolar o seu orçamento. Mesmo assim, não é uma boa ideia não o fazer. Existem algumas formas de conseguir um bom desconto junto à seguradora e manter o seu carro protegido.

O seguro do carro é uma forma de proteção de seu investimento. Então tente de diversas formas baixar o valor e deixar a família protegida. Afinal, melhor prevenir do que remediar.

Seja um ótimo motorista:

Essa é a melhor forma de passar segurança ao segurador. Se tiver uma carteira perfeita, sem perder pontos ou receber muitas multas, isso pode ser convertido em ótimos descontos na hora de contratar um seguro. Sem deixar de mencionar que é a melhor forma de proteger sua vida sem depender do seguro. Encare uma vida perfeita no trânsito como uma busca de um bônus junto à seguradora.

Carro na garagem:

A seguradora precisa entender que dar um desconto no seguro será vantajoso para todos os lados. Isso só será possível se você mostrar que protege seu carro com se deve. Uma das formas é ter uma garagem em casa ou mostrar que ele está guardado em um estacionamento fechado. Assim ficará claro que os riscos de roubos e furtos são quase zero. A forma perfeita de manter o carro intacto e reduzir o valor de seu seguro em até 25%. Um desconto formidável, não acha?

Seguro na mão dos mais velhos:

Não é uma forma de burlar, mas se entender que condutores de 18 a 25 anos, sem experiência no trânsito, têm mais chances de se envolverem no trânsito. Então não deixe o carro da família na mão de um condutor jovem. Pelo menos, não por mais de 15% do tempo. O tempo não pode ser superior porque, se for à seguradora pode suspender à indenização.

Equipamentos de segurança:

Mais uma vez: carro seguro é igual a seguro mais barato. Se o carro tiver, por exemplo, um rastreador, aumenta as chances de localização do veículo, mesmo que seja furtado ou roubado. Portanto, a seguradora vai dar um bom desconto. Em casos de risco, a própria seguradora pode instalar os itens. Procure se informar dos itens de segurança do carro logo na compra. Depois ele fica bem mais caro. Com tanta proteção é possível que consiga desconto de até 20%.

Por Douglas Lima dos Anjos

Seguro do carro

Foto: Divulgação


Mitsubishi Outlander – Evolução dos carros


Quem nunca sonhou com os carros voadores do clássico desenho “Os Jetsons”, a família futurista da Hanna Barbera,  que lançavam a ideia que os anos 2000 seriam o ápice da tecnologia, as casas no céu e os veículos sendo naves domésticas. Até  o filme “Blade Runner”, dos anos 80, também brinca com essa ideia. Mas e na realidade? Finalmente chegamos nos anos 2000. Estamos em 2014 e os carros não evoluíram? Na verdade eles ainda não podem voar, mas já existem veículos com tecnologias bem avançadas e eles estão à venda no mercado.

Um exemplo é a terceira geração da Mitsubishi Outlander, que está completamente remodelada, com uma nova plataforma e chega ao Brasil em três versões: Outlander 2.0, Outlander GT V6  e GT V6 full Technology Pack.

O carro tem duas opções de motor: 2.0 de 16V com potência de 160 cv e o 3.0 V6 de 240 cv. Na primeira opção o câmbio é CVT; na segunda o câmbio tem transmissão automática de seis marchas com opção de troca sequencial (borboleta no volante) e tração 4×4 que pode ser usada em três modos: eco (4X2), auto (4X4 inteligente) e lock (4X4 permanente).

O carro tem de série nove airbags, freios ABS com EBD (distribuição de força de frenagem), controle de tração e de estabilidade, ar condicionado digital, direção elétrica, faróis de LED e de neblina, destravamento das portas e partida do motor sem chave. Sim, finalmente depois de quase 2 séculos o carro não precisa mais da chave para dar a partida (nisso superamos os Jetsons, que ainda possuíam uma chave para a ignição). Há também coluna de direção com ajustes de altura e profundidade, bancos de couro com ajustes elétricos, teto solar e sistema de som multimídia.

A partir da versão V6 GT 4×4 o carro ganha faróis bi-xenon, piloto automático (que funciona em baixas velocidades), sensores de chuva e crepuscular, câmera de ré, GPS e terceira fileira de bancos.

No topo de linha V6 GT 4×4 Full Technology Pack, destaque para o sistema que freia o carro automaticamente (um sistema que pode salvar a vida do motorista), ele evita colisões em baixas velocidades. Assim que detecta a colisão ele freia sem o comando de quem está no volante.

O carro conta também com o sistema de assistência para partidas em rampa: mesmo sem acionar o pedal do freio, o carro fica parado por três segundos, permitindo que o motorista faça a arrancada ou a manobra de estacionamento sem riscos.

Por Rafael da Silva

Mitsubishi Outlander

Foto: Divulgação


JAC T8 – Nova van lançada no Brasil


Se você é uma dessas pessoas que gostam de van, isso mesmo, aquele automóvel bastante espaçoso que pode levar toda a família para um passeio, saiba que uma grande indicação fica por conta do JAC T8. Caso você ainda não o conheça, o JAC T8 é uma van fabricada pela Jac Motors e é o seu primeiro modelo comercial vendido no Brasil.

É importante destacar que o JAC T8 é o primeiro modelo equipado com motor turbo da Jac Motors no Brasil. A van está equipada com quatro cilindros 2.0 acompanhado de compressor que rende 175 cavalos e tem 26,5 kgfm de torque. O câmbio, por sua vez, é manual de seis marchas. Vale ressaltar que van não é o grande sucesso no mercado brasileiro, porém, o JAC T8 promete agradar bastante os clientes brasileiros.

O modelo possui um design bastante arrojado e vem acompanhado de muita tecnologia. O volante, por exemplo, possui ajuste de altura e é revestido em couro além de trazer comandos do sistema de som. A van dispõe de um ótimo sistema de som, conexão USB, Bluetooth além de suportar cartão SD.

Além disso, é importante destacar o ar condicionado automático, controle independente de temperatura para passageiros da frente e dos bancos traseiros. Os assentos são revestidos em couro e, a partir da segunda fileira, são totalmente removíveis, ou seja, é muita praticidade para as diversas situações.

Caso esteja interessado em adquirir a van depois de ficar por dentro de tudo que a mesma pode lhe oferecer, saiba que ainda existe outra boa notícia: a JAC T8 está com desconto promocional em seu preço sugerido. Isso mesmo, a van estará custando R$ 94.990 até o final do mês de junho. É importante deixar claro que é um desconto muito bom, haja vista o preço sugerido de lançamento ter sido R$ 114.990. Por isso, vá o quanto antes à concessionária mais próxima para adquirir o seu JAC T8.

Por Bruno Henrique

JAC T8

Foto: Divulgação


Mercedes-Benz CLA 45 AMG será vendido no Brasil


A Mercedes-Benz apresentou o Mercedes Challenge realizado no circuito de Interlagos, em São Paulo, para revelar o CLA 45 AMG para o mercado brasileiro. Dotado de um motor 2.0 Turbo, a versão apimentada do sedan-coupé chega ao Brasil com preço sugerido de R$ 289.900.

Dispondo de um visual atraente e muito esportivo, o CLA 45 AMG conta com uma boa lista de equipamentos de série, com destaque para os bancos com revestimento em couro preto e costuras vermelhas, bancos dianteiros com ajuste elétrico, sistema de ar condicionado digital dual zone, volante esportivo com base reta e revestimento em camurça, sistema Park Assit, sistema de entretenimento com GPS integrado, teto solar panorâmico, entre outros.

Além disso, o carro ainda traz faróis bi-xenon com função de curva e facho alto automático, sistema Start&Stop, pinças de freios pintadas na cor vermelha e rodas de liga leve de 19 polegadas. Opcionalmente, a Mercedes disponibiliza apenas complementos estéticos, como um bodykit mais agressivo e spoiler traseiro.

Mecanicamente, o CLA 45 AMG vem equipado com motor quatro cilindros 2.0 Turbo, com 1,8 bar de pressão, capaz de entregar 360 cv e 45,9 kgfm de torque. Dotado de tração integral 4Matic, o modelo traz acoplado ao bloco Turbo uma transmissão automatizada com dupla embreagem e sete velocidades. A tração integral 4Matic, que em condições normais utiliza apenas a tração dianteira, pode ter a divisão de até 50% da força para o eixo traseiro.

Por fim, um dos destaques para aumentar a esportividade do modelo é o sistema de escape Performance, que faz parte do “Pacote Brasil”. Com esse sistema de escape, o som do motor turbo, em baixas rotações, é enviado para apenas uma das saídas traseiras, garantindo um ronco mais abafado e suave para não incomodar durante o uso do veículo em trechos urbanos ou em viagens. Contudo, caso o condutor acelere de modo acentuado, o som do bloco quatro cilindros Turbo é emitido nas duas saídas de escape, proporcionando maior esportividade na condução.

Por Caio Polo

Mercedes-Benz CLA 45 AMG

Foto: Divulgação


Novo Lexus NX – Preços e características


A Lexus anunciou os novos preços para o novo NX, os valores iniciarão a partir de 29.495 e 42.995 libras, o equivalente a R$ 88.485,00 e R$ 129.985,00, respectivamente. Os fabricantes japoneses são os mais presentes no mercado SV mid-size, que atualmente é dominado pelo Audi Q5 e BMWX3. O NX da Lexus chegará em eventos automobilísticos a partir de outubro, mas já tem lista para encomendas aberta.

Para o lançamento apenas o NX300h será oferecido equipado com um motor híbrido a gasolina 2.5 e motor elétrico, caso o comprador escolha o modelo de tração integral, um motor elétrico adicional será montado para trabalhar a alimentação das rodas traseiras. A Lexus ainda afirma que o carro conseguirá gerar economia em 54.3mpg e 120g/km em emissão de CO2.

O NX será o primeiro modelo da marca com o novo motor a gasolina de 235bhp 2.0 turbo. A Lexus também oferecerá cinco opções de acabamento que serão S, SE, Luxo, F Esporte e Premier que apresentarão kits contendo rodas de liga-leve de 17 polegadas, faróis de LED , controle de temperatura dual-zone , rádio DAB , display mídia com controlador de toque remoto e um sistema de áudio com oito alto-falantes.

Os modelos SE vêm com AWD instalado como item padrão, juntamente com rodas maiores de 18 polegadas, assim como limpadores de automóveis, bancos aquecidos e trilhos integrados. Já o modelo Premier vem com vidros escurecidos, sensores de estacionamento e faróis de nevoeiro LED.

Os modelos F Esporte contam com rodas de18 polegadas,suspensão e amortecedores, coluna de direção devidamente ajustada eletricamente e carregador de smartphones sem fio.

Os itens de navegação estão disponíveis como item opcional em todos os modelos S, SE, Premier e modelos F Esporte, com o mais sofisticado sistema Lexus Premium para navegação.

Os preços para aquisição dos itens opcionais devem ser verificados individualmente no ato da compra. 

Por Jaime Pargan

Novo Lexus NX

Foto: Divulgação


Novo Volkswagen Passat será revelado em breve


A Volkswagen informou mais detalhes sobre a tecnologia que irá apoiar o novo Passat. A tecnologia deverá ser totalmente revelada em 3 de julho deste ano, e será vista oficialmente nos carros da marca apenas no Salão Automóvel de Paris, em outubro.

O novo Passat que irá compor a oitava geração do automóvel, poderá perder 85 kg se comparado ao modelo atual, assim como o novo recurso BiTurbo 237bhp TDI e plug-in híbridos e a motorizações também demonstrarão melhor desempenho que o antecessor.

O Passat é considerado o modelo de carro mais vendido da VW e já atingiu mais de 23 milhões de vendas desde 1973, superando até mesmo o Fusca. Segundo Heinz-Jakob Neuser, membro do conselho da VW o Passat será uma "nova referência dentro de seu segmento".

Ao contrário do que é comum com diversos lançamentos de diversas marcas, ainda não foram divulgadas fotos oficiais que mostrem o exterior do carro, mas de acordo com alguns esboços mostrados o carro terá uma forte semelhança com o modelo Golf.

A diminuição do peso do automóvel se dá em virtude  do uso de aços de alta resistência que formam vácuo no corpo do automóvel. O comprimento total é dois milímetros mais curto, a distância entre eixos se torna mais longa e os bancos traseiros recebem mais 33 milímetros de espaço. O porta-malas agora tem capacidade de 650 litros, ou seja, 47 litros a mais que seu antecessor.

É sob seu capô que o carro traz sua grande novidade;  a introdução de um novo motor 2.0 BiTurbo 2.0 com 500Nm de torque, além de que o carro ostenta um câmbio DSG de sete velocidades, redefinido para lidar com 500Nm de torque.

O carro também conta com uma versão híbrida plug-in que usa o mesmo powertrain modular do Golf GTE. Outro critério digno de nota é a economia de combustível e as emissões de CO2 de 188mpg e 35g/km.

Por Jaime Pargan

VW Passat 2015

Foto: Divulgação


Volvo lançou nova linha 60 T5 e novos motores e câmbio de 8 velocidades


Para aqueles que são clientes da marca Volvo, empresa sueca fabricante de automóveis, saibam que a mesma anunciou recentemente o lançamento da linha 60 T5 recheada de novidades. Vale ressaltar que a marca apresentou a nova linha de motores e um novo câmbio de oito velocidades para os modelos S60, V60 e XC60. Para mais detalhes a respeito do lançamento, basta continuar lendo esta matéria.

A grande novidade no motor promete agradar aqueles que gostam de velocidade e economia ao mesmo tempo. Saiba que o novo motor 2.0 turbo é 23 kg mais leve e compacto que o seu antecessor, além disso, o mesmo ainda possui mais potência e torque já que dispõe de 245 cv a 5.500 rpm e 35,7 mkgf de torque. Além disso, a economia está totalmente garantida, pois o modelo é 27% mais econômico, podendo fazer 11.1 km/l na estrada e até 8 km/l na cidade.

É importante destacar a função Eco+, que por sua vez pode melhorar em até 5% a economia de combustível. Tudo isso é possível, pois essa função aperfeiçoa os momentos de troca de marcha bem como as respostas do acelerador. Ainda convém destacar a economia de energia cinética, já que a transmissão é desacoplada em velocidades acima dos 65 km/h em condições aonde o motorista não venha a utilizar o acelerador.

Além de muita economia os modelos da linha 60 T5 dispõem de um design impecável, assim como os demais modelos da Volvo. Além disso, alta tecnologia também faz parte do automóvel. Abaixo você pode conferir os preços sugeridos de cada versão disponível:

– S60 T5 Drive-E R-Design: R$ 157.950;

– S60 T6 R-Design: R$ 205.950;

– V60 T5 Drive-E R-Design: R$ 162.950;

– V60 T6 R-Design: R$ 209.950;

– XC60 T5 Drive-E Dynamic: R$ 162.950;

– XC60 T5 Drive-E R-Design: R$ 193.950;

– XC60 T6 Top: R$ 224.950;

– XC60 T6 R-Design: R$ 249.950.

Por Bruno Henrique

Volvo linha 60 T5

Foto: Divulgação


Lexus CT 200h 2014 – Características do novo carro de luxo


O mercado automobilístico mundial possui uma concorrência imensa, isso devido ao grande número de marcas que atuam no mesmo ramo. São várias as marcas, modelos, linhas e inovações que as fabricantes buscam com a finalidade de conseguir mais vendas e clientes. No Brasil, não é diferente são várias marcas atuando em território nacional e entre elas a Lexus, uma divisão premium da Toyota.

Caso ainda não a conheça, saiba que a Lexus é justamente uma divisão top de linha da Toyota, que é responsável pela fabricação de automóveis de luxo para comercialização em diversas partes do mundo. É importante destacar que recentemente a Lexus anunciou o lançamento do CT 200h 2014, híbrido de luxo acompanhado de novidades.

Uma das grandes novidades no hatch ecológico é justamente a versão inédita de entrada. O automóvel teve seu visual levemente atualizado, ou seja, não sofreu muitas mudanças em seu design. Além disso, algumas mudanças no acabamento interno também foram realizadas.

Em relação à parte externa do automóvel, vale destacar que as principais novidades giram em torno dos novos para-choques dianteiro e o traseiro, faróis e luzes diurnas de LED, frisos cromados adicionais, rodas de liga leve 16 polegadas que foram redesenhadas e antena tipo “shark fin”.

Como já foi citado anteriormente, o CT 200h 2014 possui a inédita versão de entrada, que é justamente a ECO, onde seu preço sugerido é de R$ 134 mil, já a versão top de linha que se chama Luxury possui preço sugerido de R$ 154 mil. A variação de preço é resultado de alguns itens complementares como, por exemplo: teto solar elétrico, bancos revestidos em couro e com ajustes elétricos na dianteira dentre outros.

A parte mecânica do automóvel é formada por dois motores, onde um é elétrico e um é convencional a combustão. No entanto, ambos geram nada menos que uma potência conjunta de 136 cavalos e garantem até 19 km/l de consumo em ciclo urbano, segundo informa a fabricante. O câmbio, por sua vez, é do tipo CVT.

Por Bruno Henrique

Lexus CT 200h 2014

Foto: Divulgação


Rolls-Royce Phantom Waterspeed Collection – Características da nova edição especial


A Rolls-Royce revelou uma edição especial baseada no Phantom Drophead Coupe, criado para comemorar os recordes mundiais de velocidade na água estabelecidas pelo Sir Malcolm Campbell, o carro receberá o nome de Phantom Waterspeed Collection.

Visto no início deste ano em uma série de esboços, ele é chamado de a Coleção Waterspeed que contará com uma produção limitada de apenas 35 modelos. O carro foi personalizado com uma gama de estilo e engenharia com recursos sob medida utilizados na tentativa de superar os recordes de velocidade estabelecidos. Devido à sua gama limitada, o carro estará à venda por preços mais aquecidos que ainda não foram oficializados pela Rolls-Royce.

O carro será vendido na cor azul Maggiore, como uma referência  ao lago onde em 1937 Campbell atingiu seu primeiro recorde. No interior o Rolls-Royce apresenta ainda mais detalhes nesta cor, como o volante de dois tons distintos e também o painel de instrumentos, o couro cinza é usado em todo o interior.

Um fato interessante é que pela primeira vez se vê na historia da Rolls-Royce um produto com esquema de pintura em que a mesma cor usada na lataria estende-se ao compartimento do motor, o acabamento azul elétrico também foi incorporado nas ligas das rodas do carro para criar um efeito contrastante e moderno.

Outro aspecto digno de nota é que com a coleção Aviador mostrada em 2012, o interior do porta-luvas tem sido usado para enfatizar ainda mais as conexões históricas da Rolls-Royce que no caso deste lançamento teve o interior do porta-luvas bordados à mão detalhando os recordes alcançado por Campbell, no Lago Maggiore , Lago Hallwil e Coniston Water.

A parte mecânica do Waterspeed permanece com o mesmo motor  6,75 litros que recebe destaque no padrão Drophead Coupe, oferecendo 453bhp e 720nm de torque o que permite ao carro desempenhar de  0-62mph em 5,8 segundos em velocidade máxima de 149 mph.

Por Jaime Pargan

Rolls-Royce Phantom Waterspeed Collection

Foto: Divulgação


Renault Fluence GT Line – Modificações e novidades do novo modelo


Tentando dar um fôlego ao Fluence para competir no segmento dos sedans médios no Brasil, a Renault passa a oferecer mais uma opção de acabamento ao modelo. Baseado na configuração Dynamique e contando com o mesmo kit visual “esportivo” do Fluence GT entre as principais novidades, a série GT Line chega com preços a partir de R$ 78.990.

Esteticamente, o Fluence GT Line traz na parte frontal de spoiler integrado ao para-choque, situado logo abaixo da entrada de ar inferior e faróis de neblina dotados de molduras cromadas. A lateral dispõe de saias laterais e rodas de cinco raios de 17 polegadas feitas em liga leve, além de retrovisores na cor da carroceria e maçanetas em cromado fosco. A parte traseira, por sua vez, o Fluence GT Line vem com um aerofólio discreto na tampa do porta-malas, para-choque traseiro com spoiler, saídas de escape envolvido pelo extrator de ar na cor preta e inscrição GT Line em alusão à série limitada.

A cabine do sedan conta com acabamento na cor cinza escura com alguns detalhes em cromado e preto brilhante. Entre os itens de série o modelo vem com o já conhecido painel digital, chave-cartão “Hands Free”, direção elétrica, freios ABS com EBD, quatro airbags, volante multifuncional com regulador e limitador de velocidades, sistema de ar condicionado dual zone e sistema de som 3D da Arkamys.

Sob o capô, o Renault Fluence GT Line vem equipado com motor 2.0 16V Hi-Flex, capaz de gerar 140 cv e torque de 19.9 kgfm com gasolina ou 143 cv e torque de 20,3 kgfm, quando abastecido com etanol. Associado ao bloco 2.0 está uma transmissão CVT X-Tronic. De acordo com a Renault, com esse conjunto mecânico o Fluence GT Line acelera de 0 a 100 Km/h em 10,1 segundos, com velocidade máxima de 195 km/h.

Vale lembrar que as versões esportivas da Renault se dividem em três níveis. O GT Line oferece apenas modificações estéticas; o GT vem com alterações estéticas e mecânicas, como é o caso do Fluence GT que vem com o kit estético e o motor turbo de 180 cv. Além disso, a Renault ainda tem o nível RS, que é o ponto máximo de alterações realizadas pela marca, como ocorre no Megane RS, contudo, não há veículos desse nível oferecidos no Brasil.

Por Caio Polo

Renault Fluence GT Line

Foto: Divulgação


Manutenção dos pneus – Dicas e orientações


Para manter o carro em boas condições e adequado para uso, uma boa manutenção do veículo é essencial. Dentre os itens importantes, os pneus devem ser tratados com cuidado, pois são eles que oferecem a resposta tanto para a aceleração quanto para frear.

Descuidar de detalhes básicos pode resultar em maior risco de acidentes, além de trazer prejuízos ao proprietário. Andar com o veículo sem que ele esteja corretamente mantido, pode ser considerada infração de trânsito e resultar em multa.

Para evitar qualquer problema, algumas dicas podem ajudar. Para começar, lembre-se que a cada 5 mil km rodados você deve fazer uma inspeção nos pneus. Se ocorrer algum evento especial entre esse período, a inspeção deve ser feita imediatamente.

No caso de pneus de carga, quando é realizada a troca dos pneus com câmara, deve-se trocar junto à própria câmara para que as dimensões originais sejam mantidas. Há também os pneus de passeio que devem ser tratados diferentemente. Neles, as válvulas devem ser trocadas sempre que o pneu for trocado.

Não menos importante do que os demais pneus que falamos é o estepe. Você se preocupa com ele? O estepe sempre precisa estar em perfeitas condições, afinal, é ele que será o substituto, caso haja algum imprevisto com os demais. Ele deve ser o melhor pneu que seu carro tem.

Há também casos especiais nos quais a preparação do carro é para a viagem. Se esse é o seu caso, verifique se os pneus não estão carecas. Quando você notar que a profundidade de sulco chegou a 1,6mm, você já pode considerar o pneu como “quase careca”, ou seja, a segurança já estará comprometida. Não viaje com ele assim porque ele pode estar instável, o que colocará sua integridade física em risco. 

Gostou das dicas? Cuide do seu carro e garanta a sua segurança e a segurança da sua família! 

Por Milena Godoy

Pneus

Foto: Divulgação


Novos carros que estarão à venda em 2015


2015 já está se preparando para ser um ano vintage no que diz respeito a  lançamentos de carros novos. Pensando nisso, listamos os melhores carros novos para o próximo ano.

As montadoras trabalham a todo vapor, e o mercado espera ansioso para saber quais serão os melhores carros que irão à venda em 2015. Destaques óbvios incluem o Jaguar XE que chega com um novo desafiante executivo compacto da marca britânica, há também o novo Volvo XC90, um carro que promete intensificar a luta nas  as vendas de SUV’s  Premium.

Mas não para por aí, há também o mais recente Jazz da Honda que finalmente deve chegar, há um novo Mazda 2 supermini e Audi R8 desencadeando um novo supercarro.

Ao que vemos, 2015 tem todas as características de um ano que vai marcar seu lugar na memória dos fãs de carros.

– Jaguar XE:

O XE será o carro-chefe da marca durante o próximo ano. Ele virá com o objetivo de quebrar o domínio da classe dos executivos compactos das marcas alemãs, com uma série de novas tecnologias para atrair o púbico do Audi A4, BMW Série 3 e Mercedes C – Class.

Este será o primeiro carro da marca a usar uma nova plataforma de alumínio que servirá como base para o próximo C-X17 SUV que será oferecido com uma variedade de novos motores de quatro cilindros. Alguns vão emitir menos de 100g/km de CO2.

– Volvo XC90:

O novo Volvo XC90 não foi oficialmente revelado ainda, mas na internet já circulam imagens de como o carro poderá vir a ser. Sabe-se, entretanto, que seu projeto será baseado no Volvo XC Coupé apresentado no Salão Automóvel de Detroit, no início de 2014. O carro também será a primeira produção da marca a ser baseado na arquitetura SPA, que considera uma mistura leve com aços de alta resistência. 

Preços de venda ainda não foram revelados pelas montadoras, a expectativa destas informações chegarem ao mercado no decorrer do ano.

Por Jaime Pargan

Volvo XC90

Foto: Divulgação


Hyundai lançou versão especial do ix35 e i30 para a Copa do Mundo 2014


A japonesa Hyundai lançou versões para a edição especial do ix35 e i30. Como parceira oficial da Copa do Mundo de 2014, os modelos desenvolvidos apresentarão um estilo exclusivo, bem como kit especial que foi adicionado para marcar o maior evento esportivo do mundo.

O ix35 Go recebe características especiais com rodas de liga leve com 18 polegadas, teto panorâmico e vidros fumê e tudo isso com acréscimo de mais R$ 4.500,00 do preço inicial de venda do carro. Já o Go SE possui especificações dos modelos Premium e acrescenta itens como volante aquecido, sensores de estacionamento, aviso de baixa pressão dos pneus.

Cada um dos SUV’s desta edição especial apresenta retrovisores espelhados na cor preta. A produção do ix35 Go será limitada a apenas 550 modelos e o ix35 Go SE a apenas 150 modelos; os preços vão de R$ 62.250,00 a R$ 69.000,00, respectivamente. Ambos terão motor diesel de 1.7 de transmissão manual com seis velocidades, embora tenham sido desenvolvidos com tração dianteira apenas.

Também serão disponíveis duas edições especiais do i30. O i30 Go SE e Go serão baseados no hatchback de cinco portas, terão como opcionais os motores a gasolina de 1.4 litros e 1.6 litros a diesel para o Go SE, ou com de 1.6 a gasolina para o Go.

Aos modelos foram adicionados kits com rodas de liga leve dobráveis na cor preta, porta externa com vidros elétricos com indicadores de LED integrado, vidros escuros e luzes traseiras também de LED. O  Go SE também possui teto panorâmico e rodas de liga leve maiores de 17 polegadas. Os preços de venda  são a partir de R$ 48.000,00 e R$ 51.900,00, respectivamente.

Por Jaime Pargan

Hyundai ix35 Go

Foto: Divulgação


Novo Chery Tiggo reestilizado apresenta design moderno


O Chery Tiggo recebe reestilização pela sua montadora e promete arrancar suspiros eufóricos de quem ver o novo modelo desfilando pelas ruas. O carro foi apenas reestilizado, mas já traz uma aparência ainda mais moderna que garante o entretenimento do público até que sua nova versão que receberá o nome na China de Tiggo 5 chegue às concessionárias.

O valor estimado do carro reestilizado é de R$ 51.990, o que corresponde a R$ 4.000,00 mais caro que o atual modelo vendido. O aumento no preço é justificado pelo motor 2.0 a gasolina e câmbio de cinco marchas. O carro também está mais potente, agora com 138 cv – o modelo atual possui 135 cv – o torque do automóvel permanece o mesmo, ou seja, 18,2 kgmf a 4.300 rpm, o desempenho do carro continua também apresentando as mesmas estatísticas:

– 0 a 100 km/h em 15 segundos;

– 170 km/h de velocidade máxima.

A dianteira do carro recebeu cara nova e agora vem com novos faróis e também nova grade, ambos bem mais afilados que antes. O capô do carro agora recebeu novos vincos e o emblema da Chery recebe destaque sendo inserido na caixa de step do carro e emoldurado em V, o que deu sofisticação à “cara” do carro.

As luzes diurnas de LED também são ponto de destaque, além do sensor de ré que indica distância, bem como o display inserido no retrovisor interno que possui bússola, barômetro e altímetro. O carro ainda investiu na segurança com a inclusão de airbags dianteiros, freios ABS, ar condicionado, sistema de som superpotente, rodas de liga-leve com aro de 16 polegadas e direção hidráulica.

Quem já viu as fotos que circulam pela internet aprovou o carro, quanto ao desempenho nada ainda foi divulgado, mas os fascinados por carros querem mesmo é curtir mais esta novidade automobilística. 

Por Jaime Pargan

Chery Tiggo 5

Foto: Divulgação


Volkswagen CC – Nova versão de entrada com motor 2.0


O Volkswagen CC, oferecido no mercado brasileiro apenas em uma configuração, passará a contar com uma nova versão de entrada dotada de um motor 2.0 e com preço mais em conta que a atual configuração equipada com motor 3.6 V6, que é vendida por R$ 186.850.

Disponível por R$ 146.990, ou seja, R$ 39.860 a menos que a versão mais potente, o CC mais básico chega para competir em uma categoria onde os seus compatriotas alemães já se fazem presentes.

É claro que a diferença de quase R$ 40 mil não é apenas pela motorização menos potente. A configuração mais básica do Volkswagen CC também perdeu alguns itens de série, de conforto e tecnologia, bem como na parte mecânica. Para ter uma ideia, o CC de entrada dispõe de tração dianteira, ante a tração integral da versão mais potente, e passa a oferecer de modo opcional as luzes diurnas de posição compostas por LEDs. Enquanto a configuração 3.6 V6 dispõe de duas saídas duplas de escape, a versão 2.0 terá apenas uma saída dupla posicionada no lado esquerdo do veículo.

Contudo, mesmo perdendo alguns itens de série, o CC equipado com motor 2.0 ainda dispõe de uma vasta lista de equipamentos que tornam o carro atraente ao consumidor. O modelo continua sendo equipado com direção com assistência elétrica, seis airbags, ar condicionado dual zone, banco do motorista com ajustes eletrônicos, bancos com revestimento em couro e sistema de aquecimento, volante multifuncional com revestimento em couro, sistema de entretenimento com tela touchscreen e conectividade Bluetooth, controle de velocidade de cruzeiro, controle eletrônico de estabilidade, assistência de partida em aclives, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, rodas de liga leve de 18 polegadas, entre outros itens. O coupé ainda pode trazer, opcionalmente, o sistema de navegação, câmera de segurança para manobras em marcha ré e sistema de abertura das portas e do porta-malas que dispensam o uso de chave.

Sob o capô, a versão de entrada do Volkswagen CC vem equipada com motor quatro cilindros 2.0 TSI com injeção direta de combustível, que entrega 211 cv e 28,5 kgfm de torque, uma diferença de 89 cv em relação ao propulsor 3.6 V6 de 300 cv. Trabalhando em conjunto com o bloco Turbo está uma transmissão DSG de dupla embreagem e seis velocidades, que traz a opção de trocas sequenciais de marchas através da manopla do câmbio ou pelo Paddle Shifts posicionado atrás do volante.

Por Caio Polo

Volkswagen CC

Foto: Divulgação


Dodge Charger e Challenger serão apresentados no Salão do Automóvel de São Paulo


A Dodge está celebrando o seu centenário neste ano e aproveitou para atualizar novamente seus modelos mais icônicos: o Charger e o Challenger. A dupla foi apresentada durante o Salão de Nova York e já são carros confirmados para o estande da marca norte-americana no Salão do Automóvel de São Paulo, que será realizado em outubro.

O Charger passou por tantas alterações estéticas que são muito semelhantes ao sedan menor da marca, o Dart. A dianteira foi o que mais mudou, já que agora o modelo traz uma grade mais larga e estreita que se integra aos novos faróis, que também passaram por modificações e ganharam molduras de LEDs. De fato o carro ficou mais agressivo, principalmente pela utilização dos LEDs, que marcam presença nos faróis de neblina e na nova lanterna traseira que mantém o mesmo padrão da geração anterior e que está presente no Dart.

De modo geral, o conjunto óptico ficou mais estreito, alongado e o visual ficou mais harmônico com os traços do veículo, contudo, os apreciadores dos tradicionais Muscle Cars podem ficar com um pé atrás com as alterações.

Mecanicamente, o novo Dodge Charger pode vir equipado com o motor Pentastar 3.6 V6 capaz de entregar 296 cv e torque de 36 kgfm, ou ainda com o bloco V8 5.7 de 375 cv e 54,6 kgfm de torque. Trabalhando em conjunto com ambos os motores está uma transmissão automática de oito velocidades. De acordo com a Dodge, o propulsor V6 e o novo câmbio TorqueFlite fizeram do Charger um carro mais eficiente e econômico.

Diferente do Charger, o Dodge Challenger ainda mantém as linhas originais, com leves retoques pontuais para deixar o coupé moderno. Neste caso, o Muscle Car passa a contar com luzes diurnas de posição compostas por LEDs, nova grade dianteira e para-choques remodelados. As lanternas traseiras também passam a trazer luzes compostas por LEDs, que dão uma aparência retrô e muito interessante ao Challenger.

Porém, as maiores novidades estão sob o capô do modelo, já que o departamento de engenharia da Dodge realizou melhorias no motor V8 6.4 Hemi, que entrega 492 cv e 65,7 kgfm de torque. Acoplado ao bloco V8 está a mesma transmissão automática de oito marchas que equipa o Charger, no entanto, a marca manteve o câmbio manual de seis marchas para a versão de entrada do Challenger.

Tanto o Dodge Charger quanto o Challenger estrearão no Brasil durante o Salão do Automóvel de São Paulo, com início das vendas previstas para o mês de outubro. Os preços ainda não foram confirmados, mas espera que os modelos da Dodge cheguem na casa dos R$ 210 mil, mesma faixa de preços do Mustang e do Camaro.

Por Caio Polo

Dodge Charger e Challenger

Foto: Divulgação


Novo Mercedes-Benz Classe C será lançado no Brasil


A Mercedes-Benz lançou no início deste ano, durante o Salão de Detroit, a nova geração do Classe C. Agora, a marca alemã confirmou que planeja, para o mês de agosto, lançar o novo sedan no mercado brasileiro e que também fabricará na nova unidade fabril que está sendo em Iracemápolis – SP. Os primeiros carros nacionais estão previstos para chegar às concessionárias da Mercedes em 2016.

Antes da chegada do modelo nacional, a nova geração do Classe C estreará por aqui como importado. Inicialmente o novo Mercedes Classe C será oferecido nas versões C180, equipado com motor 1.6 Turbo de 156 e torque de 25,5 kgfm, e na configuração C200, dotada do motor 2.0 Turbo com 184 cv e torque de 30,6 kgfm, sendo que ambos contarão com uma transmissão automática com dupla embreagem e sete velocidades.

Desenvolvendo em parceria com a Bosch do Brasil, a Mercedes-Benz já trabalha na versão flex do motor 1.6 Turbo, contudo, o bloco bicombustível deve ser lançado apenas no novo Classe C fabricado no Brasil. Além do Classe C, o propulsor Turbo flexível passará a equipar outros modelos da marca alemã, como o Classe A, Classe B, CLA e o SUV GLA.

Por falar em CLA, para evitar um conflito interno com o compacto, as dimensões do Classe C foram modificadas. Agora o sedan conta com 4,68 metros de comprimento (antes era 4,59 metros) e distância entre-eixos de 2,84 metros, ante os 2,76 metros oferecidos anteriormente. Com isso, o novo sedan garante um maior conforto e espaço interno aos ocupantes do veículo.

As linhas do novo Classe C segue as linhas da atual geração do Classe E e do Classe S, sendo que as mudanças mais significativas estão na parte dianteira e traseira.

Apresentado no Brasil em janeiro, durante o Mercedes-Benz Top Night, o SUV GLA será uma das principais atrações no estande da Mercedes no Salão do Automóvel de São Paulo.  O crossover compacto, que também será fabricado futuramente no Brasil, chegará inicialmente em versão única, a GLA 200, equipada com motor 1.6 Turbo de 156 cv, acoplado à transmissão automática de dupla embreagem e sete velocidades.  Assim como o novo Classe C, o preço do GLA deverá ficar entre R$ 150 mil e R$ 160 mil.

Por Caio Polo

Mercedes-Benz Classe C

Foto: Divulgação


Volkswagen Up! – Novas versões com 2 portas e com câmbio automático estão à venda no Brasil


A Volkswagen apresentou oficialmente, no dia 24 de abril, a versão duas portas do Up!, bem como as versões equipadas com a transmissão automatizada I-Motion. Completando a linha de opções da gama do hatchback compacto, a versão mais barata do Up! passa a ser oferecida por R$ 26.900, enquanto que o modelo que traz o câmbio I-Motion tem preços a partir de R$ 30.990.

Após se passar três meses do seu lançamento, que ocorreu no início de fevereiro, a Volkswagen pretende alavancar de vez as vendas do compacto, que ainda estão aquém do esperado pela fabricante alemã, embora o Up! ocupe a 11ª posição, com 3.393 unidades comercializadas na primeira quinzena de abril. Contudo, a versão de entrada com carroceria duas portas e os modelos que trazem o câmbio automatizado devem dar uma força extra para que o compacto da Volks apresente um índice ainda maior de vendas.

Visualmente, quando comparado ao modelo vendido no mercado europeu, o Up! brasileiro com carroceria duas portas é um pouco diferente, principalmente a coluna C, que é mais verticalizada por aqui e tem um recorte do vidro traseiro mais reto que o europeu na parte inferior perto do lanterna traseira. As portas também são maiores, para facilitar o acesso dos passageiros ao banco traseiro.

Com relação ao câmbio I-Motion, a transmissão é basicamente a mesma que é utilizada em outros veículos da Volkswagen, como o Gol. Porém, a equipe de engenharia da marca realizou algumas modificações para deixar a transmissão cerca de 10 quilogramas mais leve que a do Gol, além de ficar mais barata também.

A Volks ressalta ainda que houve melhorias no sistema para deixar as trocas de marchas mais suaves e rápidas. Além do modo Drive (D), que efetua as trocas de marchas automaticamente, a transmissão I-Motion ainda tem a opção de trocas sequenciais na própria alavanca, no modo Manual (M). O Up!, diferentemente da linha Gol, não conta com Paddle Shifts atrás do volante para as trocas sequenciais.

A transmissão I-Motion também será oferecida para a configuração duas portas Up!, desbancando o Gol 1.6 I-Motion, que tem preço sugerido de R$ 39.020, tornando-se o carro nacional mais barato que dispõe desse tipo de câmbio.

Abaixo veja os preços das novas versões do Volkswagen Up!:

– Take Up! (2P) – R$ 26.900;

– Move Up! (2P) – R$ 28.300;

– Move Up! (2P) I-Motion – R$ 30.990;

– Move Up! (4P) I-Motion – R$ 32.990;

– High Up! (4P) I-Motion – R$ 37.760

– Black Up!, Red Up! , White Up! (4P) I-Motion – R$ 42.160.

Por Caio Polo

Novo Volkswagen Up

Foto: Divulgação


Como recorrer de multas de trânsito


Condutores que recebem multas, mas não concordam com a autuação por parte dos agentes de trânsito ou radares eletrônicos, podem recorrer para não pagar ou sofrer pontos no prontuário da CNH (Carteira Nacional de Habilitação).

De acordo com o CTB (Código de Trânsito Brasileiro), existem três tipos de defesas a serem feitas para recorrer contra infrações: “Defesa prévia”, recurso em “primeira instância” e na “segunda instância”. Caso sejam indeferidos nas três modalidades, então motoristas devem quitar a multa e receber pontos na CNH.

Uma vez que condutores optem por pagar a multa com desconto e em receber o valor integral, depois do deferimento no recurso, pode acontecer aumento das chances de serem medidos como culpados por julgadores, ao levar em conta que o ato de quitar a infração é como assumir a “culpa no cartório”.

Por outro lado, quem não paga e deixa de conquistar recurso deferido vai ter que quitar o valor integral da infração de trânsito, ou seja, vinte por cento adicional ao levar em conta a quantia com desconto.

Não se pode ignorar que a defesa prévia (primeiro recurso) deve ser feita logo que chega na casa dos condutores uma notificação de autuação, documento que serve para avisar sobre a multa e que dispõe espaço para apontar quem foi o condutor do ato ilícito no trânsito. No envelope da carta há endereço no qual deve ser enviada a defesa escrita junto com cópias de documentos pessoais e do veículo.

Por vezes, motoristas ganham deferimento na defesa prévia. Porém, quando não conseguem aprovação de forma inicial, há chance de recorrer na primeira instância (segundo recurso). Condutores infratores devem fazer recurso até o vencimento da multa, do contrário apenas conseguem se defender na segunda instância (terceiro recurso).

Se acontecer deferimento dos recursos o poder público devolve a quantia paga, caso condutores tenham quitado a multa.

Multas de tr?nsito

Começando a recorrer da multa através do JARI

Você foi multado e pretende recorrer da decisão? Então, é necessário aguardar o recebimento do boleto de pagamento, juntar todos os documentos que possam auxiliar a provar a cobrança indevida, formular o pedido e depois impetrar recurso junto a Junta Administrativa de Recursos e Infrações (JARI).

O pedido deve ser muito bem motivado. Neste sentido, o seu carro pode ter sido autuado ou flagrado por um equipamento eletrônico ou algum profissional, e como o termo flagrado é distinto de autuado, a pessoa tem um amplo direito de defesa para fazer a sua contestação.

Em um prazo máximo de 60 dias, chega a residência uma notificação formal do ocorrido e depois a pessoa tem o prazo de 30 dias se defender. É fundamental comparecer ao Detran ou Agência Municipal, para retirar um formulário de recurso contra a multa, para que a defesa possa ser redigida.

Além do formulário impresso, é necessário entregar cópia da sua identidade, comprovante de residência, cópia da carteira de habilitação, cópia dos documentos do carro, cópia da notificação da multa, as duas vias do recurso e cópias que possam comprovar a contestação da infração como, por exemplo, declarações, recibos, atestados, entre outros.

Geralmente a defesa é analisada pela JARI, que pode eliminar ou efetivar a multa. O julgamento do recurso é dado, normalmente, em até 30 dias. Caso o recurso não seja deferido, a pessoa é notificada para fazer o pagamento, que será obrigatório caso tenha interesse em continuar interpondo o recurso administrativo para um Órgão de instância superior, no caso o Conselho Estadual de Trânsito, órgãos municipais e estaduais ou o Conselho Nacional de Trânsito, para multas que foram emitidas por Órgãos Federais ou que tenham infrações gravíssimas.

Outra opção é não efetuar o pagamento da multa e interpor um recurso judicial no lugar de um administrativo, que será analisado por meio dos tribunais a justiça comum e com um auxílio de um advogado.

Mas, antes de interpor um recurso contra uma multa, verifique se não é golpe. Além disso, se a notificação for por uma infração leve ou média e se você não recebeu nenhuma multa pelo mesmo motivo nos últimos 12 meses, compareça ao Detran e solicite o formulário para converter a sua infração em advertência. Geralmente, em 30 dias, você recebe a advertência na sua residência. Apesar de perder pontos na carteira, você não precisa pagar a multa.

Veja aqui, especificamente, como recorrer de multas por excesso de velocidade.


Multas e infrações de trânsito


No Brasil, o CTB (Código de Trânsito Brasileiro) consiste no documento legal que trabalha no sentido de definir quais as principais multas, assim como classificar em diferentes tipos de níveis as irregularidades que podem acontecer no fluxo de vias.

– Multas leves retiram três pontos da CNH e custam R$ 53,20;

– Multas médias tiram quatro pontos da CNH e possuem custo de R$ 85,13;

– Multas graves subtraem cinco pontos de CNH e acarretam preço em R$ 127,69;

– Multas gravíssimas absorvem sete pontos da CNH e trazem precificação de R$ 191,56.

Não se pode ignorar o fato de que para casos nos quais acontecem infrações do tipo gravíssima o valor da multa pode se multiplicar em três, cinco ou dez vezes, o que gera preço de R$ 574,62; R$ 957,20 e R$ 1.915,40, respectivamente.

De acordo com informações do CTB, quando as multas acarretam multiplicação de valores, é sinal de que condutores infratores trouxeram problemas que colocaram a vida de pessoas em risco, o que contraria o Artigo 1 do Código, que indica ser necessário trafegar sem oferecer risco a quem compartilha a pista.

O poder público indica que condutores têm a total responsabilidade por atos cometidos ao trafegar com veículos. Interessante notar que quando agentes de trânsito não conseguem identificar a identidade de quem cometeu a infração é o proprietário quem recebe a notificação de autuação – documento que avisa sobre a presença da multa a ser enviada no prazo de trinta dias, referente à penalidade.

Quando proprietários não apresentam o condutor no prazo de quinze dias acabam por serem responsáveis por ato irregular cometido no trânsito. Para identificar outro motorista se faz necessário colocar o número do CNH na notificação de autuação e enviar o requerimento ao DETRAN (Departamento de Transportes Públicos), conforme indica o CTB.

Envie os documentos ao endereço presente no envelope da multa.

Por Renato Duarte Plantier

Multas de transito

Foto: Divulgação


Responsabilidade no trânsito – Leis e crimes


Quem participa de aulas em CFC (Centro de Formação de Condutores) aprende que os condutores têm total responsabilidade por ações que comentem no trânsito. Nesse sentido, conforme o tipo de infração, quem comete ato ilícito deve pagar de acordo com o nível de crime.

Lei 9.099/1995, Código de Processo Penal, Código Penal e Capítulo 19 do CTB (Código de Trânsito Brasileiro) são conjuntos de textos oficiais que trazem os tipos de crime e as penas para infratores. De acordo com o CTB são atos ilícitos de trânsito: praticar lesões corporais culposas ou homicídio culposo, ambos casos não intencionais.

Motoristas que ferem pessoas em acidentes podem inclusive ir à prisão, mesmo quando não há nenhum tipo de intenção. De forma prática, a justiça julga os danos que foram proporcionados com o ato que aconteceu no trânsito e não em analisar a perícia de quem dirige, visto que a presença da CNH (Carteira Nacional de Trânsito) implica na prova de que os motoristas conhecem a Lei.

Não prestar socorro de maneira imediata, ou abandonar o local no qual aconteceu o acidente no sentido de fugir de responsabilidade civil, consiste em irresponsabilidade grave que resulta em reclusão no sistema prisional. Em casos de fuga também é crime se a vítima tem atendimento prestado por pessoas terceiras que não se relacionam com os nomes envolvidos nos acidentes.

Regras legais indicam que trafegar com veículos sob a influência de drogas ou substâncias psicoativas representa crime punível com prisão e apreensão da CNH. Rachas também são modalidades não permitidas de acordo com a lei, assim como competições que não foram autorizadas por parte do poder público e acontecem nas vias “livremente”.

Por fim, consiste em crime de trânsito trafegar com veículo em velocidade incompatível com as condições locais e de segurança que se encontram presentes nas placas de sinalização.

Por Renato Duarte Plantier


Nova versão do Ford Ranger Sport pretende conquistar o mercado de picapes pequenas


A Ford, montadora de carros americana lançou uma nova versão do já conhecido Ranger Sport. O carro, que tem um design bem diferente do interior, chega ao mercado com o objetivo de ganhar o mercado dos consumidores de picapes pequenas. Com esse intuito, o carro traz um espaço interno consideravelmente grande, junto com seu bagageiro. O único “problema” disso é o valor do automóvel que está saindo a partir deR$ 67.990 (o que não deixa o carro, de certa forma, competitivo com o mercado das pequenas picapes, já que o modelo da rival, Chevrolet S10, sai a partir de R$ 65.890).

Contudo, a picape vem com tudo no mercado, buscando esse público de consumidores que precisam ou querem mais espaço, mas não pretendem comprar uma picape grande.

O veículo vem com um potente motor de 2.5 Duratec Flex, com 173 cavalos de potência (sendo mais potente que a concorrente da GM, superando-a com 32 cavalos de potência a mais). O torque é de 24,8 mkgf a 4.250 rpm; movido a gasolina.  O carro tem a capacidade de carregar até 1.455 mil quilos de carga na caçamba, tirando o motorista e o passageiro (por isso toda a potência do carro).

Como itens de série, o carro vem equipado com ar condicionado, direção hidráulica, computar de bordo, volante multifuncional com comandos de som, piloto automático, rodas de liga leve aro 17, faróis de neblina, retrovisores elétricos, entre outros. Exteriormente, além do design que está modificado desde a sua versão anterior, a picape vem com uma “novidade” que é o aplique plástico no para-choque frontal. Adesivos laterais e santantonio tubular na parte traseira do carro completam o visual externo do “novo” modelo da Ford.

O carro só estará disponível com câmbio manual de cinco marchas e na versão de carroceria de cabine simples. 

Por Mariana Caetano

Ford Ranger Sport 2014

Foto: Divulgação


Land Rover Discovery Vision Concept – Novo SUV compacto versátil


A Land Rover revelou o carro-conceito que antecipa as principais características do sucessor para o atual Discovery 4. Batizado de Discovery Vision Concept, o protótipo do SUV grandalhão da marca britânica foi revelado em um evento em parceria com a Virgin Galactic, empresa responsável pela SpaceShipTwo, primeira nave espacial comercial do mundo. Durante o evento, pouco foi dito sobre o utilitário esportivo da Land Rover, embora a nova geração deva chegar ao mercado europeu no final deste ano.

Esteticamente o Discovery Vision Concept antecipa o design da linha Discovery, o qual ficará próximo ao da linha Range Rover e que foi nitidamente inspirada no Evoque, modelo mais vendido da marca no Brasil e que mantém excelentes índices de vendas em diversos mercados onde a marca se faz presente.  Portanto, a nova geração do Discovery passará a dispor de um visual mais esportivo e com os balanços dianteiro e traseiro reduzidos.

Outro ponto que mudou foi o acesso ao porta-malas. Ao invés de contar com duas portas, como na geração ainda vendida, o bagageiro passará a ter apenas uma. Por fim, outro ponto que passou por modificação foi a eliminação da coluna B, possibilitando a presença de portas do tipo “suicidas” que dão acesso aos passageiros para a nova configuração de bancos moduláveis do tipo 2+3+2.

A grande aposta da marca, além do visual que segue as características do Evoque, é a tecnologia que o modelo oferecerá. Embora pareça futurístico, de acordo com a fabricante inglesa, o Discovery Vision Concept terá, por exemplo, a possibilidade de contar com direção controlada remotamente, ou seja, em terrenos extremos o motorista poderá guiar o carro por meio de um sistema sem fio, mesmo que não esteja dentro do carro. Outro sistema que deverá ser adotado no crossover esportivo é o “capô transparente”, cujo sistema consiste em informações gravadas por câmeras posicionadas sob a grade frontal e que são projetadas no para-brisa do veículo, dando a impressão da transparência. O SUV britânico terá também faróis inteligentes a laser, sete assentos moduláveis e controles que responde através de gestos.

Substituindo o nome Freelander e ampliando, assim, a família Discovery, de acordo com a Land Rover, o modelo chegará ao mercado em 2015, batizado como Discovery Sport, sendo o SUV compacto mais versátil do segmento.

Por Caio Polo

Land Rover Discovery Vision Concept

Foto: Divulgação


Honda HR-V – Novo crossover compacto será lançado no Brasil


A Honda apresenta, entre as atrações de seu estande no Salão de Nova York, o Vezel, mas rebatizado como HR-V. O crossover compacto derivado da nova geração do Fit deve manter esse mesmo nome para o mercado brasileiro, já que Vezel não tem uma sonoridade muito boa. O utilitário compacto da marca japonesa será produzido no Brasil na nova unidade fabril da Honda em Itirapina – SP a partir do início do ano que vem.

Uma das estrelas de seu estande no Salão de Nova York, o Honda HR-V deve demorar um pouco para chegar às concessionárias norte-americanas. Talvez por conta disso, a Honda ainda não divulgou as especificações do crossover compacto para o mercado estadunidense, deixando para revelar os detalhes técnicos apenas na iminência de seu lançamento por lá.

Quando comparado ao modelo japonês, o HR-V traz algumas diferenças estéticas, como a adoção de faróis mais simples e com refletor laranja nas extremidades, atendendo a legislação dos Estados Unidos, além dos espelhos externos com desenho diferenciado e novas rodas de liga leve.

Especula-se que, assim como no mercado japonês, o utilitário esportivo seja equipado com motor 1.5 i-VTEC com 130 cv. A Honda garante apenas que o jipinho será um veículo versátil e espaçoso. Revelado em novembro do ano passado, durante o Salão de Tóquio, o Honda Vezel, que será chamado de HR-V em outros mercados, é uma aposta da marca nipônica para o concorridíssimo segmento dos crossovers compactos.

No Brasil, o jipinho será fabricado sobre a base do Fit a partir do ano, mas a Honda já mostrará o modelo no Salão do Automóvel de São Paulo, em outubro. Por aqui, o Honda HR-V virá para concorrer com o Chevrolet Tracker, Mitsubishi ASX, Renault Duster e Ford EcoSport.

Por aqui, o HR-V deverá contar com o mesmo motor 1.5 Flex One que estreou na nova geração do Fit e que já é utilizado pelo City. Uma versão com motor 1.8 Flex também é cogitada.

Por Caio Polo

Honda HR-V

Foto: Divulgação


Ultrapassagem de maneira segura no trânsito


Condutores devem seguir regras específicas se desejam ultrapassar de forma segura, conforme indica o CTB (Código de Trânsito Brasileiro). Antes de fazer a ultrapassagem se faz necessário realizar análise com cuidado para saber se existem motoristas se aproximando do veículo.

Apenas depois de saber que a manobra pode ser feita com segurança a ultrapassagem deve acontecer, indica o Artigo 29, Inciso X e IX. De modo prático, motoristas que querem ultrapassar veículos sem prejudicar o trânsito necessitam fazer na parte esquerda da via, nos locais em que exista permissão e com boas condições de luz para enxergar a pista.

Em termos práticos, as ultrapassagens se encontram autorizadas no lado direito, apenas quando veículos da frente indicam que devem manobrar à parte esquerda da via. Interessante notar que nas ruas com mão dupla não se pode ultrapassar em viadutos, pontes, aclives e curvas.

As leis nacionais de trânsito indicam que condutores não podem ultrapassar nos cruzamentos que existem vias, locais nos quais pedestres se encontram em passagem e nas linhas férreas.

Antes de fazer a ultrapassagem aos ônibus que desembarcam e embarcam passageiros é necessário dobrar a atenção no que acontece ao redor, reduzir a velocidade, ou mesmo parar caso seja preciso, sem prejudicar o fluxo no trânsito.

Não se pode ignorar que também há regras oficiais para condutores que estão sendo ultrapassados. A primeira consiste em facilitar as ultrapassagens ao se deslocar para o lado direito sem precisar acelerar, mas deixando espaço para que outro veículo intercale o caminho na parte da esquerda.

Em casos nos quais há conjuntos de faixas que seguem sentido idêntico, quem recebe a ultrapassagem deve deslocar o veículo à parte direita para facilitar o fluxo no trânsito. Automotivos que se encontram em ritmo de velocidade semelhante precisam seguir o mesmo fluxo, com distância segura entre si.

Por Renato Duarte Plantier


Crimes de trânsito – Situações que agravam as penalizações


De acordo com o tipo e a intensidade do crime que aconteceu no trânsito podem existir circunstâncias que agravam as penas e penalidades, que variam de acordo com o ocorrido, julgamento da lei e decisão judicial. As seguintes situações de forma provável podem agravar a penitência para quem comete o crime no trânsito:

A: Quando condutores têm ou não CNH (Carteira Nacional de Habilitação) para poder dirigir de forma legal e correta. Documento regular, vencido ou caçado, também interfere no agravamento da pena por conta do crime de trânsito;

B: Crimes de forma isolada acrescentam penalidades que não se relacionam com os atos cometidos nas vias. Omissão de socorro das vítimas consiste em elemento que agrava o resultado da pena aos infratores.

C: Outra variação da pena se encontra em saber se aconteceu ocorrência de dois ou mais crimes. As condições da penalidade variam inclusive quando atos ilegais ocorrem na calçada ou faixa de pedestres, locais nos quais aumenta a chance de pessoas terceiras sofrerem danos à integridade física.

D: As penas aumentam e diminuem a intensidade de acordo com o número de pessoas que participaram do ato ilegal. A não presença de placas, adulteração ou falsificação do registro no emplacamento com equipamentos que afetam a segurança são aspectos que agravam o delito.

Vale ressaltar que condutores condenados em instâncias inferiores quase sempre recebem indeferimento quando recorrem no STF (Superior Tribunal Federal). A justiça mantém decisões condenatórias para demonstrar que se encontra instituída de forma rigorosa, com trabalho cordial em conjunto entre as instituições públicas.

Com o tempo aumenta a dificuldade no sentido de encontrar desculpas para atos como dirigir em alta velocidade, embriagado, participar de rachas, entre outros tipos de delitos gravíssimos que acontecem nas vias. Especialistas indicam que país não pode se desenvolver sem oferecer civilidade e humanização no trânsito.

Por Renato Duarte Plantier

Crimes de tr?nsito

Foto: Divulgação


Audi TT Offroad Concept – SUV foi apresentado no Salão de Pequim


Batizado de TT Offroad Concept o modelo é versão de quatro portas do Allroad Shooting Brake. Já o motor é um 2.0 que gera 414 cv de potência graças a ajuda de dois propulsores elétricos

Entre tantas outras marcas que mostraram seus projetos no Salão de Pequim está a Audi que aproveitou a oportunidade mais do que boa para não apenas mostrar, mas também ampliar a sua oferta de modelos SUVs. O “cara” da vez é o TT Offroad Concept. De qualquer forma o modelo basicamente é uma versão de quatro portas do Allroad Shooting Brake que foi apresentado ao público durante a realização do Salão de Detroit em Janeiro deste ano.

Resumidamente entre os pontos visuais que diferem os dois modelos estão as rodas (no caso do TT Offroad Concept elas contam com 21 polegadas). O para-choques, a tampa do porta-malas e lanternas sofreram alterações bem leves além dos faróis mais afilados. A inspiração ou “copiação” como alguns preferem também chega ao interior do modelo que foi baseada na cabine do novo TT. A bem da verdade o toque é um pouquinho mais refinado no TT Offroad Concept.

De qualquer maneira as semelhanças não param por aí. Ambos os conceitos ainda dividem o mesmo sistema de propulsão: um 2.0 turbo movido a gasolina que trabalha junto com dois propulsores elétricos. Estes últimos são um de 85 kw que equivale a 116 cv e um de 40 kw que gera 54 cv no eixo traseiro. Fazendo as contas quando trabalham todos juntos são capazes de gerar 414 cv.

De acordo com informações divulgadas pela Audi, o TT Offroad Concept tem a capacidade de fazer de 0 a 100 km/h em 5,2 segundos. Já a velocidade máxima está limitada a 250 km/h. Ainda de acordo com a montadora o consumo de combustível também não deixa de ser impressionante sendo 52,63 km/l.

A Audi pelo que parece quer fazer segredo já que não deu nenhuma informação sobre quando e se os protótipos entrarão em linha de produção.

Por Denisson Soares

Audi TT Offroad Concept

Foto: Divulgação


Citroën C3 2015 – Novas versões e preços


O mercado automobilístico mundial é, sem sombra de dúvidas, bastante concorrido, haja vista o grande número de multinacionais que atuam nas diversas regiões do planeta. Dessa forma, é possível adquirir um automóvel alemão ou japonês, por exemplo, aqui no Brasil. No território nacional podemos encontrar um grande número de empresas no mercado, com suas várias linhas e modelos de excelente qualidade.

No Brasil, são várias as empresas que atuam no mercado, dessa forma, o grande vencedor dessa história é justamente o próprio consumidor brasileiro, que terá várias opções de modelos e preços à sua disposição. A Citroën, por exemplo, é uma marca francesa bastante conceituada em todo o mundo e que dispõe de concessionárias além de vários modelos e linhas comercializados no Brasil.

Para você que é fã desta marca francesa saiba que ela anunciou recentemente o lançamento do novo Citroën C3 2015. O lançamento dispõe da nova versão Attraction que vem acompanhada de motor 1.5 e câmbio manual. Além disso, ainda podemos destacar outra grande novidade que é justamente a versão Exclusive que irá agora passar a ser disponibilizada com motor 1.5 e câmbio manual. Ao todo serão seis versões: Origine 1.5 (manual); Attraction 1.5 (manual); Tendance 1.5 (manual); Exclusive 1.5 (manual); Tendance 1.6 (automático); e Exclusive 1.6.

Um dos grandes destaques dos modelos de automóveis da Citroën é o seu design, tanto o externo quanto o interno são sempre de grande qualidade e muito detalhados além de grande tecnologia. Nesse quesito o C3 2015 não deixa a desejar, o mesmo dispõe de um design bastante arrojado e muito moderno, acompanhado de muita tecnologia e um toque mais delicado em seu design interior.

Abaixo você pode conferir os preços sugeridos de cada versão lançamento pelo C3 2015:

– C3 1.5 Origine (Manual): R$ 40.990;

– C3 1.5 Attraction (Manual): R$ 43.990;

– C3 1.5 Tendance (Manual): R$ 45.990;

– C3 1.5 Exclusive (Manual): R$ 48.990;

– C3 1.6 Tendace (Automático): R$ 49.990;

– C3 1.6 Exclusive (Automático): R$ 55.490.

Por Bruno Henrique

Citroen C3 2015

Foto: Divulgação


Toyota Corolla lidera as vendas de sedans médios em abril de 2014


Muitos especialistas e avaliadores concordam quase que unanimemente que o novo Toyota Corolla está com um preço acima da média para o seu segmento, em especial a versão mais top do modelo, a Altis. Mesmo com essas opiniões, os fãs do Corolla não tomaram conhecimento dessas avaliações e colocaram o novo modelo ao topo de vendas para a linha de sedans médios, colocando o principal rival, o Honda Civic, em segundo lugar em pouco mais de um mês do início da comercialização do Corolla nas lojas.

Os números vêm de um relatório diário de vendas da Fenabre/Renavam, que divulgou que até a última terça-feira (15), o Corolla emplacou 2.726 unidades em abril, enquanto o Civic fez o mesmo em 2.722 unidades. É uma vantagem de apenas quatro carros, mas em comparação ao mês anterior, percebe-se que a mudança foi mais evidente.

Vale apresentar que no mês de março, a nova geração do Corolla ainda estava em processo de estruturação para as concessionárias e a liderança permanecia com o Civic, chegando aos números de 4.392 unidades vendidas, enquanto o Corolla não passou de 2.945 carros. Em terceiro lugar, quem se consolidou foi o Chevrolet Cruze Sedan, com 1.423 automóveis comercializados no mês de março. Na primeira quinzena deste mês ele ficou com 723 veículos emplacados. Pela comparação com o mês de março e abril, é nítido que houve uma virada surpreendente do Corolla sobre o Civic.

O mais interessante é que o Corolla continua sendo constantemente procurado nas lojas e na maioria delas não se encontra o modelo. O cliente precisa entrar em uma fila de espera que pode durar cerca de 30 dias para acontecer a entrega. Felizmente a marca não deixa acontecer casos de preços ainda mais elevados por causa dessa grande procura.

O carro mais procurado até o momento é o Corolla XEi, de R$ 79.990, que é a versão intermediária do modelo, que vem com um motor 2.0 e câmbio CVT de série. A menor procura é a versão top, a Altis, que está custando R$ 92.990. O Corolla GLi, que custa R$ 66.570 e único que pode ter a opção de câmbio manual, tem de pronta entrega.

Por Carolina Miranda

Corolla Altis

Foto: Divulgação


Vendas de carros voltaram a subir em abril de 2014


O Renavam divulgou números mais animadores para o mês de abril. Depois de um mês fraco por causa do leve aumento do IPI e do feriado de Carnaval, as vendas automobilísticas retomaram neste mês. No primeiro trimestre foram vendidos 106.497 carros e comerciais leves, o que giraria em torno de 13,3 mil unidades por dia, bem além da média registrada no mês passado, que ficou nos 12,7 mil carros vendidos por dia no Brasil.

As marcas que aumentaram esses números também surpreendem. A General Motors e a Toyota foram as maiores responsáveis por este aumento e talvez serão as marcas que vão salvar o mês, que estava com uma perspectiva fraca. A GM aumentou as suas vendas de 17,7% para 19%, e a Toyota estava com 5,1% e foi para 6,5%. Com essa fatia no mercado, a japonesa passou a Renault e agora se encontra na sexta posição no ranking. Se a marca continuar neste mesmo ritmo até o final do mês, é provável que ultrapasse também a Hyundai.

O modelo que mais surpreendeu a lista foi o Ônix, o hatch da GM que em pouco tempo de lançamento já ultrapassou as vendas da Strada, Palio e Gol, assumindo uma liderança provisória. Os números de vendas do modelo da GM coloca a marca em uma liderança que não existia há mais de 20 anos.

Só nos seus primeiros dias aqui no Brasil, o Ônix vendeu 6.117 unidades, 255 a mais que o terceiro colocado, o Gol. A Strada, que até a pouco se encontrava na liderança de vendas, está indo para a quarta posição. Ainda não se pode dizer que o modelo da GM vai ser a líder do mês, afinal ainda falta cerca de três semanas para o encerramento do mês de abril e a diferença entre o primeiro e o quarto lugar é pequena: apenas 810 carros. 

Por Carolina Miranda

Vendas de carros

Foto: Divulgação


CRV e CRLV – Diferenças e características dos certificados


De acordo com o Artigo 121 do CTB (Código de Trânsito Brasileiro) existem dois tipos de certificados em terras nacionais. CRV e CRLV consistem em documentos importantes para motoristas terem os dados nas mãos quando solicitados por órgão de autuação, como os policiais em batidas no trânsito, por exemplo.

O CRV (Certificado de Registro do Veículo) é um documento cujo porte não precisa ser obrigatório. Porém, proprietários devem guardar em local seguro, visto que o mesmo deve ser usado para a transferência da propriedade no caso de venda do automotivo. Também serve no sentido de mudar o endereço ou qualquer alteração que acontece no carro.

Não se pode ignorar o fato de que tal documento traz as características que existem no veículo, caso da cor ou do tipo, por exemplo. Há informações como o RENAVAM (Registro Nacional de Licenciamento do Veículo), composto de nove dígitos e que serve como código para levantar prontuário e saber se existem multas, pagamento do IPVA, DPVAT, CONTROLAR, entre outros tipos de impostos ou obrigações fiscais. Número de chassi, placa e cor do carro também são informações presentes no CRV.

Qualquer tipo de mudança no veículo requer autorização prévia do DETRAN, que caso aprove modifica as características registradas no documento do CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo).  Nele há informações semelhantes ao registro CRV, com a diferença de que é de porte obrigatório.

Guarde com o máximo de segurança o CRV no sentido de não ter problemas quando for vender ou adulterar características do carro, como no caso de mudar a cor na lataria, por exemplo. Deixe no porta-luvas ou dentro da carteira o CRLV, tenha em mãos para consultar o RENAVAM ou entregar às autoridades quando solicitado no trânsito. A não presença do documento pode gerar infração de trânsito e pontos adicionais na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Por Renato Duarte Plantier

CRV e CRLV

Foto: Divulgação