Recall do Chevrolet Onix, Prisma, Cobalt e Spin – Problema na Caixa de Fusíveis


Modelos foram fabricados entre 2017 e 2018.

Então você compra um carro novo e pensa que por um bom tempo estará livre das oficinas mecânicas que geralmente oferecem um serviço demorado e caro, não é mesmo? Na lógica sim, mas pode acontecer de carros novos terem problemas séros e necessitarem passar por uma manutenção mecânica. Quando isto acontece pode se tratar de um recall. E por falar em recall, acaba de ser anunciado uma nova convocação de veículos por conterem problemas e assim podem oferecer riscos aos seus ocupantes.

Dessa vez o anúncio partiu da fabricante General Motors. Estão sendo convocados para um recall 69 unidades de veículos dos modelos Onix, Chevrolet Cobalt, Spin e Prisma, dos anos de 2017 e 2018.

De acordo com as primeras informações liberadas pela assessoria de imprensa da GM, os proprietários de veículos envolvidos terão que entrar em contato com uma das concessionárias autorizadas e assim agendar um horário para que o reparo possa ser realizado.

O reparo consiste na adição de um isolante nos terminais do relê da sua caixa de fusíveis. A campanha preventiva, ou melhor dizendo o recall, relaciona-se a carros que tiveram a caixa de fusíveis retirada para substituição por peça original, porém, não foi utilizado o isolante referido. Por esse motivo, a fabricante informou que pode ocorrer de a água infiltrar e assim acontecer um curto-circuito e o acionamento contínuo e involuntário do motor.

Em outras palavras, esse problema pode acarretar o risco de acontecer um superaquecimento de seu motor e por consequência acontecer um incêndio. Além disso, pode acontecer uma movimentação repentina e involuntária nas unidades que contenham câmbio manual.

Estão envolvidos no reparo caixas de fusíveis que são originais e que possuem as numerações 52142580, 52126002, 52126000 e 52142582, que foram adquiridas no ano de 2018.

Veja abaixo os chassis convocados: Chevrolet Cobalt Modelo de 2018 Fabricado em 4/08/2017 Chassi número JB142480, Chevrolet Onix Modelos de 2017 a 2018 fabricados entre 27/07/16 e 06/8/18 e Chassis número HB141586 até JG380630, Chevrolet Prisma Modelo de 2017 até 2018 Fabricado entre 13/12/16 e 3/4/18 Chassis de número HG202427 até JG370571, Chevrolet Spin Modelo de 2017 a 2018 Fabricado entre 09/12/16 e 22/5/18 e Chassis de número HB168572 até JB259852.

Assim, quem for proprietário de um dos modelos envolvidos, é preciso fazer o agendamento para que o reparo seja feito. Para agendar um horário ou ainda obter mais informações, a General Motors disponibilizou o número 0800-702-4200 ou por meio do site www.chevrolet.com.br.

Enfim, é claro que ter um carro recém comprado convocado para um recall não é muito agradável, principalmente pelo fato de haver risco de incêndio, o que coloca a vida de todos os ocupantes em risco. Por isso, é extremamente importante que essas 69 unidades envolvidas se apresentem para a realização do reparo. A marca não informou quanto tempo leva para que o problema seja resolvido, mas já que está sendo feito um agendamento com toda certeza vale a pena se programar e tirar um tempinho para levar o automóvel e assim ter o problema resolvido de uma vez e assim poder rodar com traqnuilidade com o veículo, sabendo que não há mais riscos.

A GM não definiu uma data limite para a reacalização do recall. Ao contrário, enquanto todas as unidades envolvidas não forem reparadas, o recall não será encerrado. Mas a expectativa é de que em poucos dias todos os proprietários já tenham entrado em contato e agendado um horário. A GM se responsabilizará pelos gastos do reparo e se desculpa pelo importúnio, mas a responsabilidade de apresentar o veículo é de cada proprietário que deve ter a consciência de se informar em caso de dúvidas e apresentar o veículo, para que assim os riscos sejam eliminados.

Sirlene


Recall do Chevrolet Camaro – Problema na Caixa de Direção


Chamado da Chevrolet atinge modelos fabricados em 2016, linha 2017.

Por conta de um problema no circuito elétrico da caixa de direção, a Chevrolet está convocando os proprietários das unidades do Camaro 2017 que foram produzidas entre agosto e setembro do ano de 2016, para troca dessa peça no carro. Os donos desses veículos devem procurar a Rede de Concessionárias da Chevrolet ou as Oficinas Autorizadas, para a realização da manutenção.

Segundo a Chevrolet, os modelos que devem passar pela manutenção têm os números do Chassis de H0131621 a H0138874, sendo que foram fornecidos pela General Motors Mercosul e tem a exata data de fabricação de 31 de agosto de 2016 a 16 de setembro de 2016. Para mais informação sobre esse e de outros Recalls da Chevrolet, o proprietário pode encontrar no site oficial da empresa, no seguinte link: https://www.chevrolet.com.br/servicos/recalls/ultimo-recall, ou então ligar para o SAC da Chevrolet no telefone 0800-702-4200.

Sobre o Problema

Segundo o comunicado da Chevrolet, o problema é que em alguns desses Camaros pode ocorrer a perda do “EPS”, que é um sistema de assistência de direção elétrica, enquanto o veiculo está em movimento. Isso ocorre devido a uma falta de conformidade no circuito elétrico dentro da caixa de direção do veículo. Se isso ocorrer, dentro de alguns segundos, haverá um aviso sonoro e luminoso dentro do carro para que o motorista receba o alerta e perceba o erro.

Se isso acontecer e de fato ocorrer a perda de assistência do EPS, a direção não será travada e o seu funcionamento manual será mantido, apesar disso, o motorista será obrigado a empregar uma maior força requerendo um aumento do esforço. Isso deve se tornar mais grave em velocidades baixas, o que pode aumentar o risco de um acidente, tendo como possível desfecho lesões físicas ao motorista e demais ocupantes do veículo.

Apesar do problema ser grave, a solução é fácil e rápida, o agendamento já está sendo realizados e o serviço será feito de maneira gratuita, sendo que, segundo informado, o tempo para sua realização é estimado em apenas 3 horas. Para solucionar o problema desses Camaros, a Chevrolet vai fazer a substituição total da caixa de direção elétrica, mesmo daquelas que ainda não apresentaram falhas. No comunicado, também é informado que o reparo só começará a ser feito no dia 29 de abril de 2019, sem data de término, mas é importante que o proprietário já se prepare e faça o agendamento imediato.

Seus direitos em um recall

O recall é um pedido de devolução de um lote de produtos pelo próprio fabricante, normalmente para fazer reparos após a descoberta de problemas relativos à segurança do produto. O recall deve ser gratuito e não pode gerar qualquer tipo de prejuízo ao proprietário do produto, se ele perder um dia de trabalho ou tiver de se deslocar por distâncias maiores por causa da convocação, por exemplo, o proprietário pode entrar na Justiça requerendo uma compensação.

É importante lembrar que o recall, uma vez anunciado, não existe uma data limite para o reparo do veículo ser feito. A montadora pode determinar uma data de início para começar os serviços, mas não pode determinar uma para o fim. Se o proprietário tiver qualquer problema como a lentidão no reparo, mau atendimento ou demora no agendamento, ele pode acionar o Procon local.

Mesmo fazendo um recall, a montadora é responsável pelo defeito, sendo que poderá ser responsabilizada legalmente por ter disponibilizado no mercado um produto com defeito. Se acontecer um acidente por causa da falha ela poderá ser processada, mesmo tendo convocado o recall. Já se a empresa não realizar os devidos reparos, poderá receber uma multa do Governo que pode chegar em até R$ 7 milhões.

Gabriel Bem


Recall Jeep Compass – Problema no Sensor de Pressão do Combustível


Problema atinge quase 89 mil unidades e pode desligar o carro sozinho.

Geralmente quem compra um automóvel novo sabe que por um bom período ficará longe das oficinas mecânicas. Afinal, os carros novos não requerem reparos de possíveis problemas, apenas necessitam de uma manutenção gradual que geralmente é oferecida pelas montadoras. Contudo, pode ocorrer de a história ser um pouco diferente, mesmo se tratando de carros novos. Estamos nos referindo aos conhecidos Recalls que nos últimos tempos têm sido bem comum em diversas marcas de carros novos.

Pois bem, dessa vez a convocação de carros veio da FCA em relação a um SUV que possui recordes de vendas, o Jeep Compass.

Um anúncio ocorrido no dia 15 do último mês de janeiro pegou muitas pessoas de surpresa por anunciar um recall da FCA. O automóvel em questão é o SUV Jeep Compass, que no ano de 2018 foi considerado o SUV mais vendido no Brasil.

De acordo com as informações da montadora, o número de carros a serem reparados passa de 88.800, um número considerado bem alto, o que configura uma situação no mínimo alarmante para proprietários do modelo.

Ainda segundo as informações recentes, o problema que levará essas 88.803 unidades à realização de reparos se encontra no sensor de pressão do combustível, além da realização de uma atualização do software que controla o motor do modelo.

Os carros que terão que passar pelo recall são equipados com motor tipo Flex e possuem como ano de fabricação os anos de 2016 e também 2019. Em relação aos números de chassis, estes não são sequenciais e partem de H00340 até J41119 (últimos dígitos).

A montadora em seu comunicado oficial informou que o recall deve ser realizado uma vez que o motor desses veículos pode funcionar de uma forma irregular, sendo possível ocorrer de o motor desligar de forma inesperada. Desse modo, esse problema pode levar ao comprometimento da dirigibilidade do automóvel, aumentando assim os riscos de acontecer uma colisão, o que coloca em risco a integridade e a vida dos ocupantes do veículo, além dos prejuízos materiais.

Diante destas cirscunstâncias, a Jeep informou aos proprietáros dos veículos envolvidos que a realização do reparo deve durar cerca de duas horas. Desde o dia 18 do mês de fevereiro os reparos já estão sendo realizados em todas as concessionárias.

Os proprietários de veículos cujos chassis estão ligados aos recall não precisam agendar o reparo nas concessionárias, basta levar o veículo e no máximo em duas horas o reparo será concluído.

Aos proprietários de veículos Jeep Compass dos anos 2016 e 2019, a montadora disponibilizou um número de telefone para que dúvidas possam vir a ser tiradas, sendo este 0800 703 7150. Também é possível se informar por meio do site da marca, acessando www.jeep.com.br.

Não existe por parte da FCA uma data limite para a realização do reparo. Dessa forma, a montadora até que a última unidade de Jeep seja reparada irá manter o recall. O que ocorre principalmente pelo fato de que o defeito em questão pode colocar em risco a vida dos ocupantes destes veículos.

Por isso, se você é proprietário de um Jeep Compass, esteja atento a essas informações, acesse o site informado ou ligue no número de telefone disponobilizado, para se certificar se seu veículo deve ou não passar pelo recall. Também, para esclarecer esta dúvida, basta levar o carro em uma concessionária da marca e os profissionais poderão avaliar o veículo.

O recall nem sempre é visto com bons olhos, mas ele é muito válido uma vez que serve para evitar problemas futuros. Nesse sentido, não deixe de se informar e levar o seu veículo para realizar o recall, pois somente assim será possível trafegar em segurança com o seu carro novo.

Sirlene Montes


Recall BMW M3 e M4 – Problema no Eixo Cardã


Chamado atinge modelos fabricados no ano de 2016.

Uma das maiores e mais famosas companhias automobilísticas em todo o mundo, a BMW, fez anunciar um novo recall para o Brasil, sobre os seguintes modelos: o M4 Coupé; o M4 GTS e o M3 Sedan, que constitui um conjunto de todos os automóveis desse segmento, produzidos no ano de 2016.

Todos estes modelos possuem unidades numéricas e todos poderão apresentar problemas em relação ao acoplamento do eixo Cardã, na parte do diferencial traseiro. Recentemente, ou seja, há menos de uma semana, a companhia alemã iniciou uma intensa campanha inteiramente destinada aos modelos de até 25 anos.

Conforme os dados angariados da própria fabricante, são 33 unidades envolvidas, ou listadas, as quais poderão sofrer o desprendimento da peça de Eixo Cardã em relação ao diferencial da parte traseira, devido à pouca resistência que o mesmo material apresentou, quando utilizado em seu dispositivo de acoplamento das peças.

Observação importante: todo proprietário dos modelos e versões indicadas, logo abaixo, que observe esse problema deverá estar ciente de procurar os serviços autorizados da companhia, dado que os veículos poderão perder a capacidade de tração que resulta da não transmissão de força do motor para as suas rodas. Muito importante:

Existem grandes riscos de danos físicos e materiais para os ocupantes do veículo e para terceiros.

Todos os proprietários dos veículos listados deverão agendar serviços de manutenção a partir do dia 31 de janeiro, dirigindo-se às concessionárias BMW. Será necessária a imediata substituição do Eixo Cardã, produzido em fibra de carbono, que tem duração aproximada de 2 horas e consiste em um serviço gratuito.

É muito importante que todos os proprietários procurem por mais informações, as quais estão disponíveis por meio do número de telefone: 0800 019 7097 e o no site oficial: bmw.com.br/recall.

Segue abaixo uma relação, uma tabela, contendo o conjunto dos chassis de todas as unidades que são participantes deste chamado. Todas elas foram produzidas entre o dia 30 de junho de 2016 e o dia 26 de setembro de 2016.

O Recall – BMW:

O Modelo é o M4 Coupé, e o Chassi – WBS3R9103HK863535;

O Modelo é o M4 GTS, e o Chassi – WBS4S9100HK576968;

O Modelo é o M3 Sedan, e o Chassi é o WBS8M9107H5F94459; Chassi WBS8M9109H5F94544; Chassi WBS8M9104H5F94595; Chassi WBS8M9103H5F94653; Chassi WBS8M9108H5F94678; Chassi WBS8M9104H5F94693; Chassi WBS8M910XH5F94696; Chassi WBS8M9104H5F94726; Chassi WBS8M9105H5F94329; Chassi WBS8M9109H5F94334; Chassi WBS8M9109H5F94527; Chassi WBS8M9105H5F94640; Chassi WBS8M9104H5F94788; Chassi WBS8M9104H5F94371; Chassi WBS8M9109H5F94530; Chassi WBS8M9103H5F94572; Chassi WBS8M9100H5F94335; Chassi WBS8M9106H5F94467; Chassi WBS8M9104H5F94466; Chassi WBS8M9101H5F94604; Chassi WBS8M9106H5F94694; Chassi WBS8M9104H5F94368; Chassi WBS8M9106H5F94582; Chassi WBS8M9101H5F94652; Chassi WBS8M9102H5F94451; Chassi WBS8M9104H5F94452; Chassi WBS8M9104H5F94578; Chassi WBS8M9109H5F94608; Chassi WBS8M9105H5F94654; Chassi WBS8M9104H5F94659 e Chassi WBS8M9103H5F94796.

É muito importante que todos os proprietários dos veículos da BMW, nesses modelos e com esses chassis, entrem em contato com a companhia, por meio do telefone e do site oficial da empresa, o quanto antes. Esta é uma notícia de utilidade pública.

No Brasil, e em todos os países, a lei impõe o dever de que toda montadora anuncie o necessário recall em todos os meios de comunicação possíveis. No mesmo comunicado, serão sempre divulgados: o modelo; o ano de fabricação e, sobretudo, o chassis dos veículos que estão envolvidos. Todas as montadoras deverão informar um número de telefone efetivo para o atendimento gratuito, bem como e-mails e sites.

Nos próprios sites das companhias, sempre há algum comunicado urgente, envolvendo situações similares, embora nem todas as empresas os publiquem de forma bastante visível, ou seja, logo na página inicial. Portanto, todas as montadoras também costumam, e de fato devem, comunicar por carta todos os proprietários dos automóveis envolvidos.

Paulo Henrique dos Santos


Recall Volkswagen Gol e Voyage – Problema no Cinto de Segurança


Problema atinge 136 unidades fabricadas em 2018.

A fabricante Volkswagen anunciou no último dia 11 o recall dos automóveis Gol e Voyage, devido à possibilidade de falha no fecho duplo do cinto de segurança traseiro. Os veículos que estão sob esse risco são aqueles de ano-modelo 2018 e 2019 e totalizam 136 unidades. Os carros afetados tem data de fabricação entre 16/05/2018 e 14/06/2018 e a identificação dos chassis dos automóveis vão de JT156496 até KT010470.

Segundo a montadora, o serviço de reparo é gratuito e demora cerca de 50 minutos para ser realizado. O início do atendimento para a solução desse problema será no dia 17 de dezembro. O problema específico identificado se dá no cinto de segurança traseiro, na porca de fixação do fecho duplo.

Esse defeito pode colocar em risco a segurança dos passageiros, já que se ocorrer uma colisão os cintos localizados do lado esquerdo e central poderão se soltar e falhar em evitar lesões físicas nos ocupantes do veículo.

Para saber como proceder e ter mais informações se o seu Volkswagen se enquadra naqueles onde ocorre esse defeito, a fabricante oferece o site www.vw.com.br e a linha de atendimento 0800 019 8866.

Sobre a Volkswagen

A Volkswagen é uma empresa do Grupo Volkswagen, um conglomerado alemão de fabricação de veículos. Foi fundada em 1937 e conta com um mercado global para os seus produtos. Seu nome significa “carro do povo” e o primeiro carro produzido foi o famoso Fusca.

O que é um recall?

Um termo que pode ser traduzido como “chamada de volta”, o recall é a operação onde uma empresa recolhe um produto que fabricou por conta de um erro que compromete a segurança dos consumidores, para que sejam feitos os reparos necessários.

No Brasil, o Código de Defesa do Consumidor estabelece regras a respeito de como as empresas devem agir. Ele define, por exemplo, que a empresa responsável pelo produto defeituoso deve anunciar o recall para todos os consumidores diretamente ou também através da imprensa, informando o erro cometido e dando informações que orientem o cliente na troca ou reparo do produto.

É importante destacar que quando se trata de um recall de veículos, ele também se estende aos seminovos. Assim, aqueles que compraram carros usados também têm o direito pelo serviço, da mesma forma que os que compraram direto da empresa.

Uma dica fundamental é a de nunca se esquecer de guardar o comprovante que demonstre que o recall foi feito, para que futuramente, caso se note que o reparo não foi suficiente, seja possível pedir outro.

Importância do cinto de segurança

O cinto de segurança de três pontos, o mais utilizado atualmente, foi criado em 1959 pelo engenheiro sueco Nils Bohlin. Posteriormente, o Departamento de Patentes da Alemanha considerou a invenção tão fundamental que classificou-a como uma das oito invenções mais importantes até aquele momento.

Os cintos de segurança em geral são um dos equipamentos mais importantes dentro de um carro para proteger contra danos físicos causados por impactos que podem ser fatais. Ele é especialmente importante para grávidas, idosos, crianças e pessoas mais propensas a se ferirem em um automóvel.

Sua ação é muito simples, já que ele impede o choque do corpo do passageiro contra o volante, para-brisas, painel e evita que o ocupante seja arremessado para fora do veículo.

Ao contrário do que geralmente se pensa, os cintos de segurança não servem só para proteger aqueles que o usam, como também os outros ocupantes do veículo. Em um choque frente a frente, aqueles que estão sentados nos bancos traseiros sem cinto de segurança não só podem sofrer o impacto do choque contra a parte de trás dos bancos dianteiros, como também podem impactar e ferir aqueles que estão sentados na frente.

Bruno Esteves Campoi


Recall Honda HR-V – Problema no Freio Traseiro


Chamado envolve modelos do veículo produzidos entre 2016 e 2018.

Uma das maiores marcas automotivas do mundo, a Honda, anunciou no início do mês de novembro de 2018 que vai iniciar um grande processo de “recall” de um de seus maiores sucessos de vendas no Brasil: O HR-V.

A empresa fez o anúncio através dos meios de comunicação ligados ao setor automotivo e divulgou a data de 12 de novembro para que os consumidores brasileiros possam se dirigir a qualquer uma das concessionárias da rede espalhadas pelas diversas capitais brasileiras para a correção do defeito detectado nos veículos deste modelo.

Qual o defeito identificado que necessita de um recall urgentemente?

Segundo a Honda, existe a necessidade imediata da troca de uma peça do sistema de freio traseiro do veículo, que não foi aprovado em alguns testes feitos pela montadora e acusou um falha grave de funcionamento.

A peça, em questão, é um falha de fabricação de um dos pistões de calipers que é responsável por acionar o sistema de freio a disco nas rodas traseiras.

De acordo com o marca, este componente apresentaria um sério vazamento do gás hidrogênio, que é utilizado como responsável pelo acionamento do sistema.

Como resultado do processo defeituoso, o gás poderá atingir o fluído de freio do sistema e levar ao aparecimento de bolhas, com a imediata redução da eficiência do sistema de frenagem.

Qual a preocupação imediata da Honda para com os proprietários dos modelo HR-V?

Segundo o comunicado divulgado pela marca nos meios de comunicação e em todas as concessionárias brasileiras, o defeito detectado nos testes mostrou o sério risco que muitos proprietários deste modelo estão correndo em sofrer uma série de lesões e traumas que podem ser fatais, além de sérios prejuízos materiais.

Mantendo a sua constante preocupação com seus consumidores, a montadora convoca a todos os proprietários da marca a verificarem se o chassi de seu respectivo modelo se encontra dentro da numeração a ser submetida ao processo de recall.

Segundo os dados divulgados pela empresa, no Brasil deverão ser cerca de quase 20.000 veículos afetados pelo defeito, depois que foi feito um levantamento dos lotes fabricados em território brasileiro que utilizaram o sistema com a peça defeituosa.

De antemão, segundo a fabricante, farão parte do grupo os modelos fabricados entre 2016 e 2018. Para se certificar melhor, os donos deste modelo deverão fazer a consulta pelo número do chassi.

Caso você não saiba aonde localizar a numeração do seu modelo, basta consultar o manual do fabricante e ele vai informar qual o local do seu veículo você deve encontrar esta classificação. Se mesmo assim, haja alguma dificuldade, basta levar o seu carro a uma concessionária mais próxima e os técnicos irão identificá-lo facilmente para você.

A Honda definiu a data de 12 de novembro para o início do processo e será preciso que, em alguns casos, o consumidor precise ligar para a sua concessionária para que seja feito o agendamento da troca.

A substituição do componente defeituoso não vai acarretar custo algum para os seus respectivos proprietários, conforme divulgado pela montadora.

Para os modelos fabricados em 2016, deverão realizar o recall aqueles fabricados entre 05 de maio de 2015 e 02 de setembro de 2016, com numeração do chassi iniciado em 8C3RV e 93HRV.

Para o ano de 2017, estão incluídos os carros fabricados entre 06 de setembro de 2016 e 29 de junho de 2017, com chassi iniciando em 8C3RV e 93HRV.

A mesma classificação se aplica para os modelos 2018 fabricados entre 01 de junho de 2017 e 28 de setembro de 2018 e para a mesma numeração inicial dos modelos dos anos anteriores.

Caso você seja proprietário de um HR-V e que se enquadre dentro destes anos de fabricação, é bom ligar ou comparecer a uma concessionária da marca mais próxima de sua residência e se certificar que seu modelo vai precisar passar pelo recall.

Emmanoel Gomes


Recall Fiat Uno, Mobi, Palio, Strada, Grand Siena, Weekend, Cronos e Argo


Montadora anuncia chamado devido à problemas no câmbio.

Se você adquiriu um carro da Fiat recentemente, essa notícia pode ser para você. A partir da última segunda-feira, dia 1 de outubro, os proprietários dos oito modelos da marca (Uno, Mobi, Palio, Strada, Grand Siena, Weekend, Cronos e Argo) deverão realizar o agendamento de uma visita a qualquer uma das concessionárias da marca para realizar um recall.

O motivo da verificação é uma possível falha no funcionamento do sensor de marcha dos modelos que são equipados com uma transmissão automática Dualogic/GSR. Por isso, em caso de necessidade, é feita a substituição do componente.

Tempo estimado e importância do Recall

De acordo com informações da assessoria de imprensa da Fiat, o reparo é feito em um tempo estimado de aproximadamente uma hora. No total, são 11.669 unidades envolvidas no chamamento, sendo dessas 5.097 exemplares do hatch Argo 1.3 GSR.

Entre os possíveis danos que a falha pode causar está a mudança inesperada da marcha para o ponto morto, a posição apontada como “Neutro”. Isso ocorreria com o carro em movimento, ocasionando a perda da potência do veículo, comprometendo a sua dirigibilidade. Em casos mais extremos, é possível que tal falha cause, inclusive, graves acidentes.

Versões, ano/modelo e chassis envolvidos

Se você possui um dos oito modelos e ficou na dúvida em relação ao seu automóvel, nós te damos as versões, ano/modelo e os seis últimos dígitos referentes aos chassis envolvidos no recall.

Sendo assim, começaremos com o modelo mais afetado, o Argo 1.3 GSR do ano de 2018. Os chassis são: H10294 a G64699, totalizando 5.097 exemplares. Na sequência, o Mobi 1.0 modelo 2018 tem chassis 465048 a 547697, com 2.572 unidades.

O Cronos 1.3 e modelo 2018/2019 tem chassis 000012 a 022737, com um total de 2.276 unidades. E o Uno 1.3 e modelo 2018/2018 traz os chassis 796635 a 835113, com 916 unidades.

Ainda, o Grand Siena 1.6 e modelo 2017/2018 envolve os finais 329230 a 341048, totalizando 567 unidades. Já o Palio 1.6 e modelo 2017 traz chassis 192022 a 199837 e 141 unidades.

Em penúltimo lugar, o modelo Weekend 1.6 de ano 2017/2018 engloba os chassis 097241 a 099833, com um total de 66 unidades. E por fim, o Strada 1.8 e modelo 2017 tem envolvidos os chassis 152494 a 168706, totalizando 34 unidades do carro.

Para maiores informações

Para quem busca maiores informações e quer consultar sobre os chassis que estão envolvidos no recall, a Fiat está disponibilizando o seu portal para que os proprietários contatem a empresa. O endereço eletrônico é o www.fiat.com.br.

Além desse, ainda é possível entrar em contato diretamente pelo telefone com a Central de Serviços ao Cliente. O número é o 0800 707 1000.

Recalls da Fiat em 2018

Esse já é o sexto recall anunciado pela montadora no ano de 2018. O primeiro foi feito em janeiro com os proprietários dos carros Grand Siena, Novo Palio e Uno de ano/modelo 2010 a 2012, em que foi detectada uma possível degradação do deflagrador de airbag quando exposto a variações elevadas das temperaturas e da umidade.

Na sequência, em março foram convocados os modelos Novo Palio, Punto, Idea, Palio Fire, Uno, Siena, Grand Siena, Weekend, Fiorino e Strada de ano/modelo 2016 e 2017, devido a falha do alternador. Já em junho, foi a vez da Fiorino e Palio Weekend (2018-2019), Strada (2017-2018), Grand Siena (2018-2019) e Toro, Mobi, Argo e Uno (2018-2019), por falha nos relés.

No mês seguinte, foi a vez do Freemont, ano e modelo 2014 e 2015. Nesse, em caso de piloto automático acionado no veículo, havia a possibilidade de uma eventual falha na central da injeção eletrônica, que não permitiria a sua desabilitação.

E, por fim, o quinto recall da marca foi em agosto de 2018, convocando os proprietários dos modelos Grand Siena, Novo Palio e Uno de ano 2012. Nesses também foi detectada a possibilidade de uma degradação no deflagrador do airbag, bem como visto em janeiro em outros modelos.

Para mais detalhes e ficar ligado em todos os recalls da marca, basta acessar o site no endereço https://www.fiat.com.br/ja-tenho-um-fiat/fiat-recall.html.

Kellen Kunz


Recall Kia Carnival – Problema na Porta Deslizante


Convocação atinge veículos produzidos entre 2016 e 2018.

Acaba de ser anunciado um novo recall no Brasil. Desta vez quem fez o anuncio foi a Kia. De acordo com o que foi anunciado nesta quarta-feira, dia 04 do mês de julho, o modelo a ter que passar por reparos será o Carnival. Você é proprietário de um Carnival da Kia? Continue lendo este texto e saiba se seu carro está entre os convocados.

É isso mesmo, quem for proprietário de uma Carnival deve ficar atento , pois a fabricante acaba de anunciar unidades desse modelo deverão passar por reparos.

De acordo com a montadora, os veículos envolvidos são do ano/modelo que vai de 2016 a 2019.

O motivo desta convocação se deve ao fato de existir a possibilidade de um defeito localizado na sua porta deslizante.

Diante disso, a Kia fez a convocação dos proprietários do modelo em questão para que estes façam o agendamento do serviço de reparo em uma de suas concessionárias ou lojas autorizadas.

Como já era de se esperar, os proprietários destes veículos não terão que pagar nenhum valor pelo reparo, uma vez que o defeito vem de sua fabricação.

Veja abaixo quais são os chassis que estão envolvidos no recall:

Modelo Carnival com finais de 113707 até 437433, que tenham sido produzidos entre as datas de 17/junho/2015 até 05/fevereiro/2018.

A Kia informou ainda que há um problema localizado no software de sua unidade eletrônica referente ao comando das portas automáticas e deslizantes que o carro possui.

Dessa forma, algumas dessas unidades do modelo podem falhar em não obedecer a um sistema de reversão que é automática em casos de obstáculos na rota que pertence ao trilho instalado na porta.

Em alguns casos pode ocorrer a continuação do fechamento desta porta automática, mesmo nos casos em que tenha sido constatada obstáculos existentes, o que possibilitará o risco de lesões físicas às pessoas ao atingir membros como mãos e pés eu possam se encontrar na rota do trilho da porta.

A Kia deixa claro aos proprietários de carros envolvidos nesta convocação de que até o momento não foi registrado nenhum tipo de acidente no Brasil com relação ao defeito mencionado neste artigo, porém, se existe a possibilidade de risco é um dever para com seus consumidores a realização deste recall, que possui caráter preventivo.

Diante disso, o reparo consiste na atualização de software, o que pode levar aproximadamente 1 hora.

Caso você seja dono de um Carnival e se encontra em dúvidas em relação ao recall, a Kia disponibilizou o número de telefone 0800 77 011011 para que todas as dúvidas sejam resolvidas. Além disso, é possível saber de outras informações acessando o site da montadora em www.kia.com.br para mais informações.

A Montadora ainda não informou o número de unidades que devem passar pelo reparo no Brasil, mas a estimativa inicial é de que seja um número bastante considerável.

A montadora deixa claro que não existe uma data limite para a realização do reparo, pois enquanto todas as unidades não passarem pelo reparo, o recall não será finalizado, pois a marca sempre prezou pelo bem estar de seus consumidores, assim como com a segurança, uma vez que são por essas qualidades que ela é um sucesso tanto no mercado nacional quanto no mercado internacional.

Diante dessas informações, não deixe de agendar o serviço em seu veículo em um loja Kia. O serviço é rápido e assim você poderá sair com seu veículo sem nenhum tipo de preocupação com a segurança de sua família.

É lógico que possuir um carro retirado novo de uma concessionária e saber que ele está envolvido em um recall não é muito agradável ,mas mesmo não havendo registro de acidentes, sendo considerado apenas a possibilidade, agende o seu reparo e continue desfrutando de seu Carnival.

Sirlene Montes


Recall Ford Ranger 2005 e 2006 – Problemas nos Airbags


Montadora faz convocação para reparar airbags mortais.

A montadora Ford anunciou dia 21 de junho nesse ano de 2018 um novo recall para as picapes Ranger que foram fabricadas nos anos 2005 e também 2006 e foram produzidas entre as datas de 24 de agosto em 2005 até dia 1º de março em 2006, para realizar uma desativação de seus airbags na sua dianteira nos lados do motorista e no do passageiro. A partir do dia 7 de maio os proprietários poderão ser convocados para fazer a substituição e uma reativação no sistema de segurança.

Esse recall vai ser realizado pela falha dos insulfladores que ficam nas bolsas infláveis, caso aja uma colisão eles irão romper e acabarão lançando uns fragmentos de metal para o interior da cabine, podendo causar um grande e fatal risco, além de ferimentos graves que podem ocorrer aos ocupantes que estiverem no veículo. Para poder agendar o serviço e colher outras informações, a montadora Ford estará disponibilizando o seu site e seu telefone gratuito que é 0800 703 3673.

Caso você possua um desses veículos será muito importante procurar uma concessionária mais próxima a você e agendar esse recall. Lembrando que sua segurança sempre estará em primeiro lugar. E correr um risco tão grave é muito perigoso, podendo até levar a um acidente com vítimas fatais.

A Ford é com certeza uma empresa seríssima e está no mercado automobilístico do Brasil a vários anos, por isso é uma grande responsabilidade levar seu veículo para poder fazer esse reparo, pois a montadora preza muito a segurança de todos seus clientes e sua família.

Até o certo momento não foi registrado acidentes por conta dessa brusca falha de sua fabricação, e a empresa conta que poderá resolver esse problema nos veículos antes que possa acontecer algo de ruim a um de seus clientes. Por isso a Ford recomenda que seu veículo não seja utilizado até que todo o reparo seja realizado.

Entre no site, se preferir ligue agora mesmo e agende sua troca, será muito importante que todo esse procedimento possa ser realizado o mais rápido possível, evitando danos maiores a você e toda sua família.

Essa picape Ranger foi um sucesso nas suas vendas por muitos e muitos anos e ainda é uma preferência de vários brasileiros, por esse motivo se você está planejando comprar uma picape não precisa ter medo. O carro não possui se quer qualquer defeito de fábrica a não ser essa pequena falha que na medida do possível já está sendo corrigida.

Outro ponto muito importante é lembrar que o procedimento só poderá realizar-se através da montadora através dos seus profissionais que são devidamente qualificados, não faça com outros mecânicos particulares. Pois se qualquer erro acontecer no procedimento, não poderá ser responsabilidade da montadora.

Todo esse procedimento não demora muito e também não terá custo para os proprietários desses veículos, por isso corra o mais rápido que puder em uma concessionária que seja mais perto de você para que possa agendar uma vistoria e sua troca dos equipamentos.

Seu veículo deverá será avaliado e caso seja necessário realizará a troca do equipamento de segurança. Sua equipe da Ford já recebeu um treinamento necessário para poder realizar esse procedimento da melhor maneira possível, no menor tempo e com um menor risco.

Afinal, sua segurança é prioridade para você e toda vez que for sair de casa em seu veículo. A montadora com certeza não quer que nenhum dos seus clientes possa se machucar por conta desse pequeno problema de fabricação. Por isso é necessário que seja responsável e possa levar hoje mesmo o seu veículo para poder agendar a troca desse equipamento do seu carro.

E se você deseja comprar uma dessas picapes Ranger, compre sem medo, pois é um carro seguro e seu custo é muito baixo, além de seu consumo ser bem econômico.

Ricardo Ferreira Rodrigues


Recall do Toyota Corolla 2010 e 2012 – Problema no Airbag


Erro de montagem pode fazer com que airbag não infle corretamente em caso de acidente.

Foi anunciado pela montadora Toyota que seu modelo Corolla, sedã dos anos de 2010 e 2012, precisarão passar por um recall, pois foi constatado uma falha no sistema de airbag.

Portanto, se você possui um dessas edições do carro, procure uma concessionária Toyota para saber se não precisará passar pelo recall.

Foi constatado um erro na montagem de série do airbag, seu deflagrador da bolsa direita foi montado de forma inadequada, provocando um vazamento de seu gás. Fazendo com que em um eventual acidente ele não infle de maneira adequada colocando em risco a vida dos passageiros o banco dianteiro.

A montadora orienta todos seus clientes que caso tenham comprado um veículo desse modelo e ano que procure o mais rápido possível uma concessionária mais próxima de você para que seja averiguado se será necessário a manutenção ou até a troca do equipamento.

Essa troca será realizada gratuitamente e seu tempo estimado de duração é de uma hora e trinta minutos. Não deixe de fazer esse recall, pois a segurança sua e de sua família é primordial.

O atendimento dessa campanha iniciará no dia 10 de julho ainda deste ano, e você poderá agendar a inspeção de seu veículo através do site da Toyota: www.toyota.com.br/web-agenda.

Com certeza o Corolla sedã é um ótimo modelo da montadora e esse erro foi um fato isolado de fabricação. Portanto, não precisa ter medo ou ficar receioso de comprar um Corolla ou até mesmo outro modelo da montadora. Pois todos que compraram até hoje tiveram excelentes experiências com a marca.

A Toyota vem crescendo de forma muito positiva nos últimos anos aqui no Brasil, e esse crescimento ainda aumentará pois com o fim da crise econômica que assombrava nosso país, as pessoas com certeza se sentirão mais confortáveis em investir em automóveis novamente, aquecendo ainda mais as vendas de todas as marcas de carro até o ano de 2020.

Portanto, se você procura trocar de carro essa é uma ótima oportunidade, aproveite esse momento que estamos passando em nossa economia e compre o seu tão sonhado carro zero. E se sonha em adquirir um carro importado, passe em uma concessionária Toyota e faça um teste drive nos novos modelos da marca.

O Toyota Corolla é um dos melhores carros da montadora em quesito de luxo, beleza e conforto. Por isso, se procura um desses quesitos ou até mesmo os três em um só, corra e compre hoje mesmo o seu Corolla.

E se você possui um dos modelos ao qual precisará passar pelo recall, não leve em um mecânico particular, pois assim poderá colocar em risco sua família e sua integridade física. A montadora pede que leve especificamente em uma concessionária da marca, para que profissionais que estão acostumados com a manutenção do carro façam o serviço.

Para que assim possa ser garantido que o equipamento funcione cem por cento.

O airbag se tornou um acessório essencial na segurança do veículo, não podemos prever o que acontecerá no futuro, e é totalmente imprevisível um acidente, por isso é primordial conter em seu carro todos equipamentos de segurança, para que em um eventual acidente você possa estar o máximo protegido que puder.

Já que acidentes hoje em dia são muito comuns, e diariamente centenas de acidentes acontecem por todo país, então precisamos nos resguardar da melhor forma possível para que se um dia aconteça conosco, não venha acontecer o pior.

No caso desse pequeno erro na montagem da linha desses carros, em caso de acidente pode ocorrer uma fatalidade, por isso é muito importante que todos que possuem um veículo que corre o risco de estar com defeito vá fazer o recall o mais rápido possível.

Ricardo Ferreira Rodrigues


Recall do Jeep Renegade e Compass – Problema no Motor


Problema deve atingir cerca de 92 mil carros.

Os modelos Jeep Renegade e Compass dos anos 2017 e 2018 passarão por recall.

Foi anunciado que os modelos Renegate e Compass da Jeep terão que passar por um recall, contabilizando ao todo cerca de 92 mil carros atendidos, a razão é um relê no sistema de ignição a na injeção do combustível no motor.

São um pouco mais de 50 mil unidades da versão Compass e cerca de 40 mil da versão Renegade que terão que passar pelo recall segundo a montadora. Esse problema precisa ser reparado o quanto antes, pois ele pode provocar uma interrupção no funcionamento do veículo e até uma possível falha geral de seu motor, desligando de forma instantânea.

A montadora comunica que todos que possuem um desses dois modelos que foram fabricados entre o ano passado e esse ano de 2018 deverá procurar a concessionária mais próxima para saber se seu carro possui esse defeito. Caso seja constatado o defeito, a troca da peça será totalmente gratuita e o tempo estimado para realizar esse procedimento é de 30 minutos.

Você também poderá entrar em contato com o serviço de atendimento da empresa através do telefone 0800 703 7150.

Os modelos anos e chassis dos carros com possíveis problemas são:

  • Jeep Compass 2017/18 – e o número de série do chassi vai de H34693 a H93627
  • Jeep Renegate 2017/18 – e os números dos chassis são de 129173 a 186288

Portanto, se você possui um desses veículos, corra hoje mesmo até uma concessionária Jeep e agende sua troca, ou se possui um modelo que não é nenhum desses citados mais gostaria de conferir se está tudo certo com seu veículo, pode também procurar um representante em sua cidade para fazer a conferencia de seu veículo.

Muito importante lembrar também que como são modelos novos, você não poderá realizar esse procedimento em um mecânico particular, pois se fizer perderá a garantia de fábrica do veículo.

Pois somente os profissionais credenciados tem o preparo e formação necessária para realizar esse procedimento. A montadora não manterá a garantia do veículo caso seja violado essa norma contratual de compra e venda.

Por isso para evitar dores de cabeça futuras procure uma concessionária e faça a troca da peça defeituosa, através de seus profissionais credenciados. Além de evitar problemas, esse procedimento é totalmente gratuito.

A Jeep tem se superado a cada ano, com a evolução de seus modelos. E com certeza muitas novidades virão para os modelos 2019. Por esse motivo não deixe de comprar um Jeep se você ainda não possui. Esse pequeno problema de fabricação não é comum acontecer na montadora. E não precisa ter medo por conta desse ocorrido.

Os carros da Jeep são altamente potentes e sua mecânica é excelente e muito difícil de dar manutenção. Se estiver à procura de um carro que não te dê problemas futuros com certeza essa é uma das melhores opções no mercado atual.

E se você possui um desses modelos citados acima com o possível defeito não deixe de fazer o recall para saber se de fato seu veículo está com o problema. Pois esse problema poderá causar sérios problemas, além de poder causar acidentes pela falha de funcionamento do motor por conta do defeito.

A empresa zela pela a segurança de seus clientes sempre em primeiro lugar, por isso ela quer realizar essa troca em todos os carros que estão em circulação o mais rápido possível, evitando assim que algum acidente possa ser causado por esse problema nos veículos.

Por isso não seja negligente com sua segurança, no caso se possui um desses exemplares, vá até uma concessionária Jeep o mais rápido possível e resolva esse pequeno problema.

A empresa pede desculpas a seus clientes pelo transtorno e espera poder solucionar o problema o mais breve possível.

Ricardo Ferreira Rodrigues


Recall Chevrolet 2018 – Onix, Prisma, Spin e Cobalt


Problema na caixa de fusível pode ocasionar incêndio no carro.

A causa possível é um defeito no relê na caixa de fusível, esse defeito é um tanto quanto sério pois ele ocasiona a entrada de água na caixa de fusíveis, ocasionando curtos, com isso pode até produzir um superaquecimento no motor, ocasionando um possível incêndio no carro.

Como o problema é seríssimo, a montadora está investigando quantos carros e série foram afetadas com esse defeito de fabricação.

Já se estima uma média de mais de 550 mil carros entre os modelos Onix, Spin, Prisma e Cobalt para o recall. Podendo assim corrigir o erro nos carros e garantir a segurança de todos seus clientes.

Com certeza isso acarretará um prejuízo significativo para a empresa, porém, dinheiro nenhum paga a segurança de uma família que adquiriu um desses modelos. Com certeza o que a empresa mais deseja é que o problema seja resolvido sem nenhum acidente. E que nenhum carro venha sofrer grandes danos por conta desse defeito de fabricação.

Em 2017 a Toyota passou por uma situação muito parecida como essa, tendo que convocar seus clientes para um recall em alguns modelos da marca. Envolvendo na ocasião 563 mil carros com defeitos a serem corrigidos.

O procedimento para correção do defeito está estimado em 20 minutos por carro e seu agendamento deverá ser feito através do site da montadora. Portanto, se você adquiriu algum dos modelos citados acima no período de 2017 para cá, não deixe de conferir se seu carro precisará desse reparo. Pois é muito importante para sua segurança e de toda sua família.

A montadora ainda deverá fazer uma busca geral em seu estoque de exemplares que ainda não foram emplacados. Para que esse defeito já seja solucionado mesmo antes do carro sair da montadora.

É muito bom adquirir um carro zero, porém, é importantíssimo preservar a segurança do carro e eventualmente de todos os passageiros. Por isso pesquise sobre o modelo do seu novo carro para saber se ele não possui nenhum defeito de série. Caso ele possua procure a montadora do veículo para poder solucionar o problema o quanto antes para que assim evite eventuais acidentes.

É importante lembrar que o carro sendo zero km não poderá ser levado no seu mecânico particular senão perderá a garantia de fábrica e suas revisões. Por isso é importante entrar no site e agendar com a própria montadora o dia do reparo.

Deixando assim que os profissionais da fábrica solucionem o problema. Preservando o direito de garantia e revisão prevista no ato da compra do veículo.

É muito importante que os quesitos necessários para manter a garantia sejam respeitados. Pois em um eventual acidente, a primeira coisa que será apurado é se a segurança do veículo continua intacta, se deixar um mecânico que talvez não possua a experiência necessária para mexer no modelo do seu carro e ocorrer um problema futuro. Isso pode te trazer problemas, fazendo com que o carro perca a garantia do veículo e também trazendo para si a responsabilidade pelo acidente causado.

Por isso é muito importante enquanto o veículo estiver na garantia sempre levar na montadora quando possuir qualquer tipo de problema ou identificar qualquer defeito no carro.

Hoje as mecânicas dos carros são totalmente diferentes de antigamente, como se diz, um fusquinha se conserta até com um pedaço de arame. Porém, os carros novos são altamente tecnológicos, as peças mesclam mecânica com eletrônica. Por isso é necessário ter um amplo conhecimento nessa mecânica atual. Para que de fato o mecânico consiga identificar o defeito e poder consertar da maneira correta reparando cada defeito.

Não deixe para amanhã para agendar sua visita e fazer seu recall no seu carro.

Ricardo Ferreira Rodrigues


Recall do Honda Accord – Problema no Sensor da Bateria


Cerca de 555 unidades do modelo foram atingidas pelo problema. Proprietários devem entrar em contato para realizar o conserto.

Na última quarta-feira, dia 5 de julho de 2017, a Honda fez a convocação de um recall de 555 unidades do carro Accord. Segundo comunicado divulgado pela empresa, os veículos passarão por uma substituição de seu sensor de bateria. O sensor de bateria desses carros é o responsável por medições de tensão, corrente, temperatura e também resistência da bateria.

A Honda afirmou que uma falha pode fazer com que haja infiltração de líquido condutor dentro do sensor, correndo risco de curto-circuito e, pensando em casos extremos, de um incêndio do carro.

Os usuários poderão agendar a substituição do sensor de bateria por meio do telefone 0800-701-3432. O atendimento terá início no dia 30 de agosto de 2017.

No caso mencionado, estão envolvidas as unidades cuja produção foi feita entre os anos 2013 e 2016, que tenham os seguintes chassis: DA530001 a GA530010.

É fundamental que os donos desses veículos façam a troca junto à Honda o quanto antes, evitando assim possíveis problemas e acidentes, tendo a garantia de troca da empresa a partir do período mencionado.

Sobre a Honda Brasil

No ano de 1997, a HAB (Honda Automóveis do Brasil) fez a inauguração de sua fábrica, no município de Sumaré, uma cidade que fica no interior de São Paulo. Tal passo tão relevante aconteceu somente cinco anos depois do começo das importações para o Brasil, uma experiência que funcionou tão bem que a empresa optou que era o momento de expandir sua presença no Brasil.

Tendo uma produção de somente 20 unidades por dia do modelo Honda Civic e com 400 colaboradores, a empresa começou sua trajetória de sucesso no país. Hoje em dia, a capacidade da planta é de produzir 620 carros por dia, que se dividem entre os modelos Fit, Civic, City e HR-V. No total, a fábrica tem hoje cerca de 3,5 mil funcionários e, além de fazer o atendimento do mercado nacional, faz exportação para os outros países da América do Sul.

A aceitação dos consumidores foi tão grande que empresa começou, no final de 2013, a construir sua segunda fábrica de automóveis, na cidade de Itirapina, também no interior do estado de São Paulo.

Iris Gonçalves


Recall do Ford Ranger – Problema nos Airbags Laterais


Problema atinge a linha 2017 da picape e o reparo será feito gratuitamente.

Comprar um carro zero quilômetro é o sonho de muitos brasileiros. Afinal, espera-se que com a compra de um zero acabam-se as intermináveis visitas às oficinas mecânicas, tão comuns para quem possui carro usado. Nesse sentido, como ocorre com quem compra um automóvel novo, é somente necessário uma supervisão para checar se está tudo ok de tempos em tempos.

Contudo, pode acontecer que mesmo um carro que tenha saído sem nenhuma rodagem da concessionária necessite de um reparo.

Na maioria das vezes quando isso acontece as próprias lojas fazem a convocação dos veículos com eventuais problemas e realizam o reparo de forma gratuita, é o chamado recall.

Nesse sentido, a montadora Ford acaba de um anunciar o seu mais novo recall.

Dessa vez estão convocados as Picapes Ranger do ano de 2017. Segundo a fabricante de automóveis, o motivo da convocação se dá pelo fato de existir um defeito nos airbags instalados nas laterais do veículo, que pertencem ao motorista e seu passageiro.

Segundo a Ford, o problema precisa ser reparado pois há o risco de que em casos de colisão ou acidentes os airbags não inflem, colocando assim em risco a vida dos ocupantes do veículo.

Nesse sentido, a recomendação da fabricante é que os proprietários de Picapes Rangers ano 2017 entrem em contato com as concessionárias da Ford e façam o agendamento de uma data para que o veículo seja vistoriado e caso seja necessário, seja realizada a substituição dos módulos que compõem o airbag instalado para motorista e passageiro.

Segundo os técnicos profissionais da Ford, o reparo em que será realizada a substituição dos módulos dos airbaig deve durar cerca de 60 minutos.

A Ford anunciou que os automóveis Picapes que podem ter sido afetados com esse problema possuem fabricação entre os dias 14 do mês de novembro do ano de 2016 e 31 do mês de janeiro de 2017. Esses veículos possuem os chassis que têm o intervalo entre HJ472852 e HJ489996.

Nesse sentido, se você é proprietário de uma Picape Ranger 2017 e está com dúvidas em relação ao recall, informe-se em uma concessionária da Ford e faça o seu agendamento o mais rápido possível, para que você possa utilizar seu automóvel de forma tranquila e segura.

Sirlene Montes


Recall do Ford Fusion e Fiesta Sedã – Problema na Fechadura das Portas


Chamado envolve modelos fabricados entre 2013 e 2014. Conserto será gratuito e levará cerca de 4 horas.

Quando compramos um carro novo, zero quilômetro, ficamos totalmente satisfeitos com o pensamento de que por um bom tempo estaremos livres dos tão comuns contratempos que os carros mais rodados nos dão, precisando estar sempre nas oficinas mecânicas. Porém, pode ocorrer desses carros retirados em concessionárias oferecem alguns problemas vindos da sua fabricação, necessitando assim do conhecido Recall.

No ano de 2015, a fabricante Ford, no dia 29 do mês de julho, fez a convocação oficial dos modelos sedãs Fusion e New Fiesta, dos anos de 2013 e 2014. Na ocasião, a Ford afirmou que o motivo dessa convocação foi em decorrência de um problema localizado nas portas, mais precisamente no trinco das fechaduras.

Agora a Ford acaba de realizar mais uma convocação para um recall, destes mesmos veículos convocados em 2015.

De acordo com a montadora, um reparo deve ser feito uma vez que há uma possibilidade de quebra de um guia que pertence à mola do trinco das fechaduras instaladas nas portas desses mesmos veículos.

Nesses veículos pode-se perceber que existe uma dificuldade para fechar e travar as portas. Além disso, e o motivo mais importante para a realização do reparo, essas portas podem se abrir de forma involuntária em momentos em que o automóvel esteja trafegando, o que pode resultar em acidentes, colocando em risco a vida de seus ocupantes.

Nesse sentido, diante dos fatos expostos a Ford está orientando que os proprietários desses automóveis procurem uma concessionária da marca para assim agendarem uma data para então levarem seus veículos para a realização do reparo.

O recall que será gratuito consiste na retirada dos trincos defeituosos que serão substituídos por novos trincos, nas quatro portas dos sedãs em questão.

Segundo a Ford, o reparo vai levar o tempo 3 horas para o sedã Fusion e 4 horas e 15 minutos para o New Fiesta.

Nesse sentido, a recomendação é de que os proprietários desses veículos programem-se e agendem um dia nas concessionárias Ford. Quanto antes os reparos forem feitos, melhor será, pois assim os proprietários e ocupantes poderão trafegar em seus veículos em segurança.

Se você está em dúvida se seu veículo se inclui nesse grupo de convocados, acesse o site da Ford e confira o número do chassi.

Sirlene Montes


Recall do Volkswagen Passat, Amarok e Golf Variant


Problemas atingem modelos fabricados entre 2016 e 2017.

Se você possui um automóvel da marca Volkswagen, preste atenção neste artigo pois ele pode ter informações importantes sobre um recall que a Volkswagen está promovendo essa semana.

Na realidade forma anunciados dois recalls para três diferentes modelos de veículos da marca, com problemas também diferentes.

Nesse sentido, a montadora informou que a primeira convocação é motivada por uma falha existente na parte eletrônica, que está relacionada ao controle de iluminação.

Por sua vez, o segundo problema responsável pela convocação de veículos relaciona-se ao item deflagrador do airbag. O terceiro problema está no pré-tensionador existente no cinto de segurança.

Dessa forma, a concessionária está convocando para que o primeiro problema possa ser resolvido, modelos como o Golf Variant 2016 e 2017 (GM514248 a HM511463) e o Passat 2016 (chassis de GE169650 a GE249010).

Segundo informações da montadora, são 398 unidades destes modelos que apresentam falhas no software de iluminação, podendo colocar em risco a segurança dos ocupantes, uma vez que a chamada luz de advertência pode não ser acionada quando necessário, não alertando o motorista sobre eventuais riscos.

Para este problema o recall consiste na atualização do software de iluminação, que deve durar cerca de meia hora e que já está acontecendo desde o último dia 12 de abril. Basta levar o automóvel a uma concessionária.

Já para os outros problemas, a convocação para reparos foi feita pelo motivo de que a forma como eles estão não está de acordo com as especificações de sua fabricação. Nesse sentido, problemas no deflagrador de airbag e no tensionador do cinto podem ocasionar lesões em seus ocupantes em casos de acidentes. Para este reparo serão gastos cerca de 45 minutos, pois estes itens precisam ser substituídos.

A Volkswagen informa que apresentam estes problemas e por isso devem comparecer para a realização dos reparos os modelos: Passat de 2017 (HE30875 a HE042888) e o modelo Amarok dos anos 2016 e 2017 (GA056760 a HA016865). As concessionárias também já estão a disposição pra a realização destes reparos, que devem ser feitos em 47 automóveis.

Dessa forma, se você possui um dos modelos citados neste artigo não deixe de comparecer a uma concessionária, os reparos são rápidos, eficientes e podem significar muito para a sua segurança e de sua família.

Sirlene Montes


Recall do Jeep Compass – Problema no Sistema de Controle Eletrônico


Recall atinge o modelo ano 2016/2017. Reparo será gratuito e poderá ser feito a partir do dia 3 de abril de 2017.

Para quem já passou por um processo de recall obrigatório para seu automóvel, sabe muito bem como é desgastante e dependendo do tipo de serviço a ser executado, pode ser bem demorado também. Nem os modelos considerados luxuosos e caros não escaparam do recall esse ano e a bola da vez foi a montadora americana JEEP, com seu modelo já bastante conhecido por aqui, o famoso Compass.

Todos os proprietários do modelo ano 2016/2017, com motorização 2.0 a diesel e com sistema de abertura do porta-malas através da chave, terão que comparecer a uma concessionária JEEP a partir de segunda-feira, dia 03 de abril.

A campanha está sendo feita de modo preventivo para todos os carros com números de chassis de 988675116HKH00441 até 988675126HKH03941.Trata-se de um serviço relativamente simples, mas de extrema importância para o bom funcionamento do motor, pois é uma reconfiguração de todo o sistema de controle eletrônico do carro.

Ainda de acordo com a JEEP, se o dispositivo não for reconfigurado, pode provocar o desligamento do motor se o veículo estiver em velocidade superior a 8 Km/h, caso o câmbio esteja em qualquer posição diferente de P. O dispositivo está desconfigurado e por isso a necessidade do recall de urgência por parte da montadora. Esse dispositivo foi feito para ser usado em situações de urgência, ou seja, no caso de incêndios em que se torna necessário o desligamento do motor com o carro em movimento.

Esse dispositivo é acionado pressionando o botão de partida do motor por três segundos ou apertando três vezes seguidas. Segundo a JEEP, o reparo é totalmente gratuito conforme a legislação brasileira determina e o serviço dura, aproximadamente, meia hora.

A JEEP disponibiliza um telefone aos donos do Compass para sanar dúvidas e agendar os serviços que podem ser feitos somente na rede de concessionárias da montadora, que é o 0800 703 7150. Mais informações sobre o recall podem ser vistos no site www.jeep.com.br. Lembrando que o serviço pode ser realizado de segunda a sexta-feira, das 8 até às 17 horas.

Se você é dono de um Compass, verifique a numeração do chassi e corra para uma concessionária.

Rodrigo Souza de Jesus


Recall Volvo XC90 no Brasil – Problema no Airbag e Quebra-Sol


Reparo será gratuito e envolve modelos fabricados no ano de 2016.

A compra de um carro zero quilômetros é muitas vezes um sonho realizado e a certeza de que por ser um carro zero muitos eventuais problemas, típicos dos carros usados, tendem a aparecer bem tardiamente. Porém, pode acontecer que alguns automóveis já saiam da fábrica com problemas que as montadoras assim que descobrem anunciam um recall para que esses problemas sejam resolvidos mais prontamente.

Se você adquiriu o automóvel XC90 da montadora Volvo, fique atento pois a marca acaba de anunciar uma convocação de proprietários desse modelo.

A Volvo fez a convocação oficial na última segunda-feira, dia 16 de março, e conforme seu pronunciamento, os automóveis do modelo XC90 que foram fabricados entre os meses de fevereiro e março do ano de 2016 devem ser levados às concessionárias para fazer o recall que será duplo.

De acordo com as informações da concessionária Volvo, o primeiro problema a ser resolvido está relacionado a um dos parafusos que servem para realizar a fixação do airbag do tipo cortina.

A montadora Volvo, em seu comunicado, informou que esse problema se originou no fato de no processo químico usado para tratar a superfície das peças acabaram por deixa-las fragilizadas. Nesse sentido, em casos de colisão em que a bolsa de ar necessite ser acionada, a proteção aos passageiros pode ser comprometida. Dessa forma, para garantir a proteção dos ocupantes do veículo, o reparo a ser feito consiste na retirada desses parafusos e troca por outros. Neste recall a estimativa que o tempo de reparo dure até 3 horas.

Já o segundo recall envolve o espelho chamado quebra-sol que pertence ao passageiro. Nesse sentido a tampa desse espelho deve ser retirada e substituída pois o seu defeito está no fato de ela não trazer instruções que são obrigatórias a respeito do funcionamento do airbag. Para esse recall o tempo estimado do reparo é de até meia hora.

Nesse sentido, se você é proprietário de um Volvo XC90 produzido em janeiro ou fevereiro do ano passado, não deixe de levar o seu veículo para a realização desses reparos, que podem parecer pequenos, mas que são muito importantes para a sua segurança e de quem você leva no seu carro.

Informe-se em 0800-7077590.

Sirlene Montes


Recall do Citroen C4 Lounge no Brasil


Chamado se deve a um problema na mangueira de combustível.

Não é novidade para ninguém que algumas montadoras são campeãs em recall automotivo, que nada mais é do que a obrigatoriedade do dono do veículo de comparecer até a concessionária, que na maioria das vezes vive abarrotada de gente, e esperar por horas para a solução para um problema que nem deveria existir.

A bola da vez foi a tradicional montadora francesa Citroen, que fez um anúncio, nessa quinta-feira (2), para seu sedã C4 Lounge no Brasil.

Todos os carros fabricados entre 26 de abril de 2012 e 21 de maio de 2015, com numeração do chassi DG502398 a FG527591, devem comparecer a qualquer rede de concessionárias do país para a troca da tubulação de alimentação de combustível que abastece o motor. Ainda segundo a montadora, esses exemplares do C4 Lounge que estejam dentro do chassis anteriormente especificados, correm o risco de apresentar pequenas fissuras na mangueira de combustível que abastece o motor, o que pode apresentar vazamentos devido ao desgaste e risco de incêndios em alguns casos, dependendo do uso do carro.

Recomenda-se que os proprietários confiram o chassi do carro no documento do mesmo e se dirijam o mais rápido possível para alguma concessionária para a troca da peça, pois existe o risco de danos materiais ou a terceiros, em caso de chamas ou explosões causados por alguma faísca.

A fabricante informa que o reparo em todos os carros que estão na lista de troca começarão a partir de hoje e serão agendados de segunda a sexta-feira, das 9 até às 17 horas. Todo o serviço leva cerca de duas horas para terminar e ainda vale lembrar que é necessário que o agendamento seja feito em concessionária, pois oficinas multimarcas até fazem o serviço, mas cobram pelo mesmo e pela concessionária é totalmente gratuito.

Para informações adicionais, a Citroen disponibiliza o canal de atendimento ao cliente, que é o 0800 011 8088, onde o mesmo pode sanar todas as dúvidas sobre o serviço.

O site da Citroen do Brasil é www.citroen.com.br e o proprietário pode navegar à vontade para que não haja dúvidas a respeito de nada.

Rodrigo Souza de Jesus


Recall do Renault Sandero e Duster – Problema no Airbag


Chamado inclui veículos fabricados no ano de 2014.

A montadora de veículos com sede na França, Renault, realizou um pronunciamento na última quinta-feira, dia 26 de janeiro de 2017, anunciando um recall de dois modelos da marca. A empresa publicou que os proprietários dos modelos Renault Duster e Renault Sandero, os quais foram produzidos no ano de 2014, devem levar os seus veículos até um local autorizado para conferência de uma possível falha no airbag, o qual está situado do lado do condutor.

De acordo com informações da montadora, os proprietários desses veículos precisam levar seus veículos até as concessionárias o mais rápido possível para que essa verificação no sistema seja realizada, visto que tal problema pode acarretar em diversos problemas para o condutor do veículo, como danos físicos.

Confira abaixo os números dos chassis que estão envolvidos no recall. Lembrando que o número dos chassis não são sequenciais.

RENAULT SANDERO

Inicia no EJ347159 indo até EJ396614, os quais foram produzidos entre o dia 7 de maio de 2014 e o dia 19 de maio de 2014

RENAULT DUSTER

Inicia no FJ355167 indo até GJ989889, os quais foram produzidos também entre o dia 7 de maio de 2014 e o dia 23 de junho de 2014

De acordo com a montadora, o problema se deve em componente montado no momento de fabricação. O respectivo dispositivo pode não ser acionado caso venha a ocorrer uma colisão.

Tal defeito pode acarretar em vários tipos de lesões graves, podendo até mesmo ser fatal, por não possuir proteção extra que seria oferecida pelo airbag.

A empresa informou através do comunicado que, caso seja necessário, ocorrerá à substituição da peça com possível problema. A mão de obra pode levar em torno de uma hora para ser concluída. Também é válido lembrar que o serviço não tem nenhum tipo de custo para o consumidor.

Os que desejam obter mais informações com relação ao recall pode entrar em contato com a montadora por meio do endereço eletrônico: www.renault.com.br/servicos/recall ou então gratuitamente pelo telefone 0800 055 5615.

FILIPE R SILVA


Recall do Fiat Punto e Linea – Problema no Eixo Traseiro


Chamado envolve os veículos dos modelos fabricados entre 2009 e 2012.

Conforme previsto na Lei nº 8.078/90 do Código de Defesa do Consumidor, a informação e a segurança é um dos direitos básicos para qualquer pessoa que comprar um produto ou contratar um serviço. Sendo assim, todo fornecedor de produtos ou serviços deve comunicar as autoridades competentes e aos seus clientes um problema que pode colocar em risco à vida e à segurança do usuário. O "recall" é um chamado ao consumidor para correção de um eventual problema sem custo para o mesmo.

A FIAT anunciou este retorno para os proprietários do Punto e do Linea em todas as unidades dos anos e modelos entre 2009 e 2012 comercializados aqui no Brasil. O tempo estimado do reparo, caso haja a necessidade de troca, é de quatro horas e meia, que se teve por conta de uma trinca no eixo traseiro. Segundo divulgado pela montadora, 113.512 veículos devem retornar para sanar este problema.

Esta chamada preventiva envolve os veículos com o número do chassis de 9BD11056991505203 até 9BD11056CC1542284 do Linea e o número não sequencial do chassis do Punto, que vai de 9BD11812191065435 a 9BD118181C1165352.

A suspeita é que estes veículos podem apresentar uma trinca na borda da travessa do eixo, o que pode causar desalinhamento do volante, ruído excessivo e até dificuldade para atingir uma velocidade desejada. Esta manutenção é necessária para prevenir que o pneu entre em contato com a carroceria, na proteção plástica interna,

Para mais informações, a Fiat disponibilizou o telefone 0800-707-1000 ou o seu próprio site, www.fiat.com.br, que irá orientar os compradores destes veículos citados a cima a uma inspeção e a uma eventual troca do eixo já mencionado a partir de 31 de janeiro deste ano, 2017.

FIAT vem da abreviação de " Fabbrica Italiana Automobili Torino" e é uma das maiores fabricantes de automóveis no mundo. Ela começou a sua história produzindo o seu primeiro carro em 1899, após ser fundada no dia 11 de julho deste mesmo ano por Giovanni Agnelli. Tudo começou quando a empresa, após a segunda guerra mundial, investiu no mercado de jatos, trens, tratores e construção com o apoio do governo. O centro de todas as atividades está na Itália, mas a sua marca é mundialmente conhecida.

Por Fernando Dias


Recall do Ford Fusion – Problema no Cinto de Segurança


Chamado abrange veículos fabricados entre 2013 e 2016.

Se você é proprietário de um automóvel Ford Fusion, cujo modelo foi fabricado entre os anos de 2013 e 2016, fique atento às informações a seguir, pois a Ford acaba de fazer um importante pronunciamento em relação a esses automóveis.

Na realidade, a Ford fez para os proprietários desses veículos uma convocação, pois os mesmos apresentam um problema no cinto de segurança que pode colocar em risco a segurança e a vida de seus ocupantes.

A Ford anunciou a convocação na última sexta-feira dia 20 do mês de janeiro. Segundo esse pronunciamento oficial, os donos do automóvel sedã modelo Fusion, produzidos no período que vai do ano de 2013 até 2016, devem apresentar seus automóveis em unidades Ford, pois de acordo com a montadora do Brasil, esses automóveis se por algum motivo vierem a sofrer uma colisão, os cabos para a fixação dos mecanismos para o pré-tensionamento dos cintos de segurança que estão na parte dianteira do automóvel acabam sendo expostos a temperaturas muito altas, fazendo com que o cabo de tração possa ter sua resistência reduzida.

Dessa forma, em casos de acidente as pessoas que ocupam o veículo e estejam utilizando os cintos da parte dianteira correm o risco de ficarem presas aos bancos de forma inadequada, estando sujeitas ao risco de serem acometidas por alguma lesão.

Ainda de acordo com a Ford, os proprietários não precisam se preocupar, pois os veículos não ficarão retidos para o recall, na realidade para cada veículo, a estimativa é que sejam gastas aproximadamente duas horas para o erro seja corrigido. Além disso, os proprietários terão o reparo feito de forma gratuita.

O reparo é feito de forma simples, onde um revestimento será aplicado, afim de garantir a proteção ao cabo, tornando o cinto resistente como deve ser.

Diante disso, se você é proprietário de um desses veículos, não deixe de levá-lo a uma concessionária Ford e resolva logo esse problema.

Em caso de dúvidas e para maiores informações, os interessados podem ligar no número 0800 703 3673 ou acessar o site oficial da Ford em www.ford.com.br.

Só não deixe de procurar a Ford.

Sirlene Montes


Recall do Ford Focus 1.6 Hatch 2015 e 2016


Montadora anuncia recall por problemas na unidade de controle de aquecimento para partida a frio e na mangueira de combustível.

Na sexta-feira, dia 09 de dezembro, a Ford, fabricante de carros, anunciou o recall de um dos seus carros, o do modelo Focus 1.6 hatch, dos anos de 2015 e 2016, que estão com risco de se incendiarem. No total, são mais de 450 unidades deste modelo que estão no chamado.

Caso o seu carro foi produzido entre os meses de maio ou julho de 2015 e possuem chassi de FJ340814 até a FJ344024 e da seqüência GJ345659 a GJ361170, fique atento, pois seu carro está dentro deste recall.

De acordo com a Ford, o problema está entre a unidade de controle de aquecimento para a partida do carro a frio, também chamada de HCU, e a mangueira de alimentação do combustível, o que pode gerar um desgaste, gerando um vazamento de combustível que pode levar a um incêndio.

A empresa está chamando todos os proprietários de veículo Focus 1.6 hatch, fabricados em 2015 e 2016, com os chassis listados acima, a irem até uma concessionária da marca e levarem os seus veículos. Lá eles passarão por reparos gratuitamente.

A Ford acredita que a solução é colocar um tubo que irá proteger a mangueira de alimentação do combustível e tem como previsão para a realização do serviço de reparo de apenas 15 minutos.

Para obter mais informações sobre este ou outros recalls da marca, você pode entrar em contato com a Ford pelo site: www.ford.com.br ou pelo telefone 0800 70303673.

Essa divulgação do recall está sendo realizada porque a legislação brasileira obriga que as montadoras anunciem pelas mídias e meios de comunicação. Neste aviso deve haver qual é o modelo do veículo, seu ano de fabricação e quais são os chassis envolvidos no chamado. Além disso, deve haver um número de telefone, que seja de ligação gratuita, para o cliente entrar em contato. No site da marca não pode ser diferente. Lá deve conter o mesmo comunicado. De qualquer forma, as empresas também costumam avisar os proprietários de veículos por meio de cartas.

O que achou do nosso artigo? Gostou? Ele foi útil para você? Comente e compartilhe conosco suas experiências e opinião!

Kika Akita


Ford anuncia Recall de Carros por Falha no Cinto de Segurança


Chamado envolve unidades dos modelos Lincoln MKZ e Ford Fusion.

A montadora Ford, conceituada por seus carros de grande performance, anunciou na sexta-feira passada, dia 2 de dezembro de 2016, que irá realizar o recall de pelo menos 680 mil unidades de seus veículos. Os modelos envolvidos no reparo são: os sedãs Lincoln MKZ e o Ford Fusion.

O motivo do recall se dá para consertar problemas identificados no cinto de segurança dos carros em questão. Desses, 602 mil unidades estão localizados no mercado norte americano, nos Estados Unidos, sendo que aproximadamente 650 mil deles se encontram por toda a extensão da América do Norte.

Além dos veículos citados, também estão sendo reparados algumas unidades dos sedãs Ford Mondeo. Porém, nenhum desses foi identificado na América do Norte.

O ano dos veículos envolvidos varia conforme as versões específicas. Porém, pode-se dizer que esses estão na faixa de produção entre os anos de 2013 e de 2016.

Até o momento, dois acidentes com dois feridos foram identificados pela fabricante. A mesma está ciente da situação e, por esse motivo, optou pela troca do cinto de segurança para garantir que tais fatos não se repitam.

Recalls em 2016 pela Ford

Esse não é o primeiro recall realizado pela montadora em 2016. Somente nesse ano, mais três outros problemas foram identificados em um mesmo modelo da marca.

O primeiro, em maio, resultou na troca de pedal de freio de 1467 unidades da Ford Ranger. O modelo, que recém havia chegado às lojas, possuía possibilidade de desconexão entre a haste que aciona o hidrovácuo do freio e a haste do pedal.

Ainda, em julho, foram reparadas 44.998 unidades da mesma pick up, por problemas nos bancos. Isso porque a mola do mecanismo responsável por travar o encosto dos bancos na traseira quebrava facilmente, acarretando em sérios danos para os ocupantes.

E mais recentemente, em agosto, a Ford Ranger ainda foi chamada para recall de outras 4.683 unidades por problemas no software do módulo, responsável pelo controle do motor. Isso ocasionava a redução indesejada para a primeira marcha, sem que o condutor o estivesse requerido.

Após essas três reparações, o recall da falha no cinto de segurança é o quarto chamado da marca. A empresa espera resolver o problema o mais rápido possível e de forma eficiente, sem acarretar em demoras para os seus clientes.

Kellen Kunz


Como Identificar Defeitos no Carro Usando OBD-II


Aprenda a diagnosticar, por conta própria, defeitos no seu carro em tempo real.

Diagnosticar defeitos e problemas em um carro moderno, atualmente requer que se use um sistema de rastreamento no veículo.

Geralmente o dono do utilitário procura uma oficina autorizada pagando sempre um alto preço pelo serviço prestado, que não leva mais que cinco minutos para fazer e inclui só mão de obra. Tem oficina que tenta passar ao cliente a impressão de que o serviço foi mais complexo, imprimindo relatórios e explicando detalhadamente o serviço.

Mas o que o cliente não tem conhecimento é que ele mesmo pode fazer o rastreamento do seu carro, usando apenas um smartphone simples, bastando para isso que o aparelho tenha Bluetooth, algo muito comum em quase todos os aparelhos atuais.

Você pode transformar seu smartphone num computador de bordo, mesmo que o veículo não tenha um display no painel. Somente com um bom aplicativo, um conector e seu smartphone.

O que é OBD?

OBD “On Board Diagnostics” ou diagnóstico de bordo, uma interface modelo feito pela indústria automotiva, nos anos 90. Esse mecanismo permite o acesso e leitura de informações manipuladas pela central eletrônica do carro, por qualquer computador. É o chamado ECU ou “módulo de injeção”, que pode ser diferente de carro para carro.

O ECU processa as informações que o módulo de ignição e injeção envia, se algo não der certo ele cria uma mensagem de erro, alertando através de uma luz que está no painel do carro. Somente o computador de bordo pode ler e decifrar essa mensagem.

Conector OBD-II

Ele é o segundo da geração interface e também o responsável por tudo acontecer, desde 1996 quase todos os carros a utilizam. Se você tiver um Android, basta comprar um conector OBD-Wi-Fi e Bluethooth.

Já é possível comprar conector através do Mercado Livre ou eBay por um precinho camarada, entre 50 e até 300 reais. Os gadgets da Apple só funcionam com conector Wi-Fi e geralmente custam bem mais caro.

Os aplicativos

Os aplicativos são sempre separados por preços, avaliação dada por usuários e funcionamento, vamos listar alguns exemplos:

– IOS

Um dos melhores e mais caros da App Store consegue monitorar velocidade, combustível, RPM, temperatura de água e muitos outros.

– Logworks

Não é tão completo quanto o primeiro, mas sua interface é direta e de fácil uso.

– MD4Mycar

É simples e quase amadora, mas sua função de diagnóstico é excelente, permitindo que apague a luz de serviço.

Por Ruth Galvão


Carros da Volkswagen podem ser vulneráveis a Hackers


Vulnerabilidade ocorre devido a falhas no sistema Keyless.

Com os avanços que estamos tendo no setor, a cada lançamento temos carros cada vez mais equipados com uma diversidade de componentes eletrônicos e novas tecnologias. Se por um lado eles ajudam a deixar tudo mais fácil, mais confortável e mais conectado, por outro deixam os veículos mais fáceis de serem alvos de ataques de hackers.

Um dos fatos que provam isso é um caso que ocorreu recentemente nos EUA com modelos Jeep que foram furtados por uma quadrilha formada basicamente de hackers. No ano passado também tivemos a invasão no sistema Uconnect em modelos pertencentes a FCA (Fiat Chrysler Automobiles).

A novidade divulgada recentemente, e que não é nada agradável, saiu de um grupo de pesquisadores da Universidade de Birmingham, na Inglaterra. De acordo com eles, foi identificada uma vulnerabilidade que pode atingir mais de 100 milhões de veículos da Volks que foram produzidos desde o ano de 1995.

De acordo com informações veiculadas no site Autoblog, os ladrões poderão usar uma espécie de transmissor para poderem interceptar o sinal da chave keyless do veículo. Sendo assim, eles poderiam muito bem retransmitir o sinal destravar as portas e por fim, ligar o carro.

Já o site Wired chama a atenção afirmando que a vulnerabilidade encontrada prejudica os modelos da Volkswagen com uma “idade” de até 20 anos (obviamente que os fabricados no exterior). Os modelos mais novos, como a sétima geração do Golf, também não escapam da lista dos criminosos.

Nesses termos, para que o hacker possa invadir o carro basta que ele conte com o sistema keyless. Ainda assim, a tarefa de conseguir interceptar o sinal não é nada fácil, mesmo considerando o fato de que os ladrões usam um equipamento relativamente simples e bem viável para a aquisição.

De qualquer maneira, para colocar tudo em prática ele precisa estar no máximo a 100m de distância do dono (uma vez que é este que provavelmente está com a chave do carro no bolso). Há um certo exercício de paciência, já que o criminoso precisa esperar até que o dono do carro pressione o botão da chave para poder captar o sinal.

Além dos modelos recentes que se mostram vulneráveis, os pesquisadores ainda encontraram problemas na criptografia de uma chave mais antiga usada em modelos da Nissan, Alfa Romeo e Mitsubishi.

Diversas outras montadoras também mostraram que apresentam problemas em seus sistemas keyless.

Ao que parece nada mesmo é 100% seguro.

Por Denisson Soares


Recall Subaru Outback, Tribeca e Legacy Sedan – Problema no Airbag


Montadora anuncia seu segundo recall no Brasil. Chamado atinge modelos fabricados entre 2004 e 2008.

A montadora Subaru fez, na última quinta-feira, dia 28 de julho, o pronunciamento de uma convocação para seu segundo recall no Brasil, por motivo de airbags mortais, os quais são fabricados pela empresa japonesa Takata. Desta vez foram convocados os modelos Outback, Tribeca e Legacy Sedan, que foram fabricados entre os anos de 2004 e 2008.

Os chassis envolvidos neste recall são os seguintes:

  • Modelo Subaru Outback 2.5 de 2004 a 2006: De 4G015236 a 6G047605.
  • Modelo Subaru Legacy Sedan 3.0 de 2005 a 2009: De 5G010047 a 9G053179.
  • Modelo Subaru Tribeca de 2008 a 2009: De 8S017879 a 9S025642.
  • Modelo Subaru Outback 3.6 de 2004 a 2009: De 4G015247 a 9G121036.

O caso que ficou conhecido como airbags mortais veio a público a 3 anos atrás e foi considerado o maior recall da história, que acabou envolvendo cerca de 50 milhões de veículos ao redor do mundo e está relacionado no mínimo com 14 mortes no exterior.

A falha no dispositivo desenvolvido pela empresa japonesa Takata atira partes metálicas contra os ocupantes do veículo, quando o airbag é acionado, possibilitando assim, graves ferimentos nos passageiros.

A empresa Takata fez o pronunciamento no mês de maio, que mais de 40 milhões de veículos foram convocados para recall no mundo todo, agora tendo como foco no airbag localizado do lado do passageiro e não no lado do motorista, como era anteriormente.

De acordo com informações da fabricante, os 854 proprietários dos veículos citados acima devem entrar em contato com a empresa por intermédio do telefone 0800 7702011 (ligação gratuita), para que seja agendado o reparo gratuito do dispositivo dianteiro do lado do passageiro.

Entretanto, o conjunto novo da bolsa para que seja trocado só será disponibilizado a partir do dia 5 de dezembro de 2016 e então serão iniciados os consertos de forma efetiva.

Até a referida data, o grupo Caoa, que é a representando da Subaru no Brasil, recomenda que ao transportar pessoas não seja utilizado o banco dianteiro do passageiro.

No mês de julho do ano passado, os veículos Sport Wagon e Impreza WRX Sedan, produzidos entre os anos de 2004 e 2007, também sofreram recall pelo mesmo motivo.

FILIPE R SILVA


Renault anuncia Recall do Sandero e Logan


Veículos fabricados entre 4 de novembro e 4 de dezembro de 2015 devem realizar a inspeção em concessionárias autorizadas mais próximas.

Foi anunciado pela Renault do Brasil, no dia 22 de Fevereiro, um recall de cerca de 3.120 unidades dos veículos Sandero e Logan. Os motivos alegados pela empresa são a substituição de um componente que faz a ligação entre a caixa de direção e o cubo de roda.

Segundo o comunicado emitido pela empresa, existe a possibilidade de ocorrer um rompimento da rótula axial enquanto o veículos se encontram em movimento, o que pode vir a causar grande perda da dirigibilidade do carro e em consequência alta probabilidade de acidentes de graves proporções.

Até o momento o referido defeito está vindo a afetar as versões do Logan Autentique, Expression e Dynamique. Já no caso do Sandero as versões Stepway, GT Line e o recente lançamento R.S. 2.0 .

Os chassis do Sandero que estão entre as unidades com problemas vão de GJ129961 a GJ235739 e do Logan os chassis vão de GJ149048 até GJ235231. No novo Sandero R.S. 2.0 os números vão de GJ192635 a GJ227791. As referidas unidades defeituosas foram fabricadas entre 4 de Novembro e 4 de Dezembro de 2015. Até o presente momento este é o único comunicado emitido pela Renault do Brasil, não existindo recalls semelhantes em quaisquer outros modelos da marca.

Os proprietários deverão então verificar seus referidos chassis e em caso de estarem entre os números presentes no recall, devem agendar uma verificação bem como o reparo de forma gratuita na concessionária autorizada mais próxima. A estimativa de tempo para o conserto fica entre 2 horas e 30 minutos e 3 horas.

Em caso de maiores dúvidas sobre o assunto, a Renault recomenda que o consumidor venha a acessar o site Renault Brasil através do link www.renault.com.br e utilizar o chat online ou se comunicar com um dos atendentes pelo número 0800 055 56 15.

JOSÉ REINALDO NAVEGANTES SILVA


Recall do Chevrolet Cobalt e Prisma – Problema no Cinto de Segurança


Problema atinge modelos dos veículos produzidos entre 2014 e 2015. Conserto demora 30 minutos e pode ser agendado por telefone.

Cobalt e Prisma são convocados para recall no cinto de segurança. Os modelos da Chevrolet passaram por ajustes, uma vez que o problema pode acontecer no caso de colisões do tipo frontal. A convocação ocorreu no dia 6 de novembro, de modo que a falha está no cinto traseiro do lado esquerdo do banco. O recall é necessário, pois de acordo com a montadora, em caso de batida as consequências podem ser graves para o motorista e passageiros do veículo. Sendo assim, os ajustes e correções serão feitos para a segurança e comodidade dos donos desses carros.  Pois bem, os proprietários precisam ficar atentos, afinal, a substituição dos cintos de segurança ocorrerá a partir do dia 11 de novembro, uma quinta-feira. 

As unidades chamadas do Cobalt são as seguintes: Unidades produzidas entre 02/07/2014 e 23/10/2015 e com número de chassi de FB116835 a FB242265.

No caso do Prisma, as unidades convocadas foram: Unidades produzidas entre 10/08/2014 e 30/10/2015 e com número de chassi de FG123302 a GG162548.

Aliás, para reparar os danos no cinto de segurança, os proprietários devem agendar por meio do contato:  0800-702-4200. O reparo não demora, pois ficado pronto aproximadamente em trinta minutos. Portanto, o recall é de suma relevância para todos, tanto para os donos desses carros como para a marca. 

Sendo assim, caso o leitor possua um desses automóveis com esse problema, agende seu reparo. Isso é muito importante, sobretudo porque se o problema não for resolvido, um acidente pode ser fatal, principalmente para o passageiro do banco traseiro do lado esquerdo.

Em nota, a Chevrolet afirmou que o cinto de segurança do lado traseiro esquerdo não está com seu travamento adequado. No mais, como curiosidade, o fato é que este é o quinto recall da Chevrolet feito aqui no Brasil. É essencial reparar esses carros.

Oliver


Recall do Porsche Macan no Brasil


Veículo é chamado para recall devido a uma falha no sistema de combustível.

Nessa sexta-feira, dia 30 de outubro, a Porsche convocou várias unidades do seu modelo Macan (modelos S e Turbo) para um recall devido a uma falha no sistema de combustível. A falha consiste no vazamento de combustível de baixa pressão dentro do motor e só afeta motores movidos a gasolina. O problema será resolvido com a substituição de um conduto do sistema. Ao todo são 58.881 veículos do Macan afetados pelo problema em todo o mundo, sendo que no Brasil são 462 unidades que deverão comparecer ao recall.

O Porsche Macan é o segundo SUV da marca no Brasil depois do Cayenne e foi um dos responsáveis pelo aumento do número de unidades vendidas da Porsche no país. Em 2014, antes de seu lançamento, já existia uma fila de espera de três meses para comprar o carro cujo preço vai de R$ 399.000,00 (na versão S) a R$ 499.000 (na versão Turbo). A marca ainda prevê o lançamento de mais um modelo do Macan (o Macan GTS) no Brasil em 2016, o que deve incrementar ainda mais as vendas.

O recall do Macan é o segundo recall da Porsche em 2015, o primeiro foi em maio, quando o 918 Spyder apresentou problemas na direção elétrica e teve as três unidades no Brasil chamadas para recall. Segundo a Revista Auto Esporte, 2015 é o ano com mais recalls da história do país, com mais de 2 milhões de veículos convocados para recall, um aumento de 56% em relação ao ano anterior.

As concessionárias da Porsche devem avisar diretamente os proprietários do Macan para que possam agendar visitas nas autorizadas da marca para o reparo. Segundo a Porsche, o reparo, que é gratuito, demora aproximadamente 1 hora para ser realizado e deve ser feito assim que possível para evitar maiores danos ao veículos e possíveis riscos ao motorista e passageiros. 

Por Gizele Gavazzi


GM anuncia Recall de Veículos por Risco de Incêndio


Chamado atinge cerca de 1,4 milhão de veículos, a maioria vendido nos Estados Unidos.

Foi diagnosticado um problema envolvendo um possível vazamento de óleo do compartimento do motor no cano de descarga em veículos da fabricante automobilística americana General Motors.

Em situações que exijam freadas bruscas, esses veículos podem provocar o vazamento de óleo sobre o cano de descarga, aliado a uma temperatura elevada, pode provocar um incêndio.

O problema pode provocar incêndio e foi constatado que compreende veículos produzidos entre os anos de 1997 e 2004, a maioria nos Estados Unidos. No total, estima-se que o vazamento esteja afetando mais 1 milhão e 400 mil veículos.

Mais de 90% desse total encontra-se nos Estados Unidos, englobando mais de 1 milhão e 283 mil veículos. A grande parte restante encontra-se nos países do México e Canadá, com mais algumas unidades em outros países. Nenhum dos modelos diagnosticados com o problema até o momento foi vendido no Brasil.

Entre sedãs e cupês de tamanho médio, todos com motorização de 3.8, a GM indica os seguintes modelos: Pontiac Grand Prix fabricados entre 1997 e 2004, Chevrolet Lumina dos anos de 1998 e 1999, modelos do Chevrolet Monte Carlo produzidos entre os anos de 1998 e 2004, Buick Regal de 1997 a 2004, Oldsmobile Intrigue dos anos de 1998 e 1999 e o Chevrolet Impala com fabricação compreendida entre os anos de 2000 e 2004.

Felizmente, apesar do problema não ter causado nenhum falecimento até o momento, 19 pessoas já ficaram feridas em virtude do problema mecânico nos últimos 6 anos.

Segundo um porta-voz da General Motors, já houveram 2 tentativas de sanar esse mesmo problema, ambas sem sucesso. A mesma solicitação foi realizada nos anos de 2008 e 2009 e pelo fato dos reparos não terem resolvido o problema, a gigante fabricante americana trabalha em uma outra forma de solução para esse problema envolvendo o risco de incêndio.

Jean Fretta Pereira


Recall do Mini Cooper 5 Portas e One – Problema no Estepe


Mini amplia recall e convoca mais proprietários dos veículos para averiguação de possíveis problemas no estepe do carro.

Para aqueles que adquiriram o modelo One ou Cooper 5 portas de Mini com data fabricação em 2014, saibam que alguns desses modelos estão passando por um recall. Caso não saiba, a montadora britânica anunciou na última quinta-feira, 23 de julho, uma ampliação do recall que havia convocado anteriormente para o modelo Cooper. Segundo a empresa, 50 modelos relacionados ao One e ao Cooper 5 portas, fabricados em 2014, apresentam um problema grave: existe o risco de o estepe desses modelos se desprender, o que poderia ocasionar acidentes.

A própria montadora chegou à conclusão de que uma falha na porca na chapa de fixação pode acabar ocasionando a saída do pneu de seu lugar original. Vale ressaltar que o estepe, no modelo Cooper, fica localizado logo abaixo do porta-malas.

Como já foi citado nesta matéria, ao todo 50 modelos foram convocados para o recall da Mini. Em relação ao Mini One, os chassis que devem ser apresentados são: de 3A07575 a 3A07576 e de T991690 a T994192. Já os chassis do Mini Cooper 5 portas que devem passar por recall são: de T822998 a T823574.

Esse não é a primeira medida de recall apresentada pela Mini em 2015. Na verdade esta é uma continuação da etapa anterior que envolveu de forma direta alguns modelos da linha Mini Cooper. Com isso, a fabricante destaca que aqueles que já passaram pelo primeiro recall não necessitam voltar ao serviço novamente, haja vista os modelos envolvidos serão apenas o One e o Cooper 5 portas.

O serviços de revisão agendada pela Mini pode ser realizado diretamente e de forma imediata na rede de concessionárias da montadora britânica. Além disso, a montadora também destacou que o serviço é bastante rápido: são necessários apenas 25 minutos para a substituição da peça.

Os clientes que ainda possuem alguma dúvida podem esclarecer demais detalhes através do Serviço de Atendimento ao Cliente, por meio do seguinte número: 0800 707 3578. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 19h.

Por Bruno Henrique


Garantia do Carro – Tipos e Como Funciona


Carros novos e usados possuem dois tipos de garantia. Confira como funciona cada uma delas.

Comprar um carro, seja ele novo ou usado, sempre gera ao comprador um certo receio de que este possa ter um problema depois de um certo tempo. E para proteger o consumidor deste problema, é que existe a garantia. De acordo com o Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor), atualmente são oferecidos dois tipos de garantia aos consumidores: a Garantia Legal a Garantia Contratual. Estas garantias possuem grandes diferenças e é bom o consumidor ficar atento a elas, para evitar "dores de cabeça no futuro". Se você não sabe como funciona cada um destes tipos de garantia, confira abaixo mais detalhes sobre elas:

Garantia Legal:

A garantia legal é fornecida por todos os fabricantes de bens duráveis e serviços. Esta garantia é obrigatória por lei e possui um prazo de 90 dias. Durante este período, as empresas deverão garantir o perfeito funcionamento de seus produtos ou serviços (desde que estes sejam utilizados adequadamente), o que dá ao consumidor a garantia de que está adquirindo um produto ou serviço de qualidade. Vale lembrar que durante este período as empresas são obrigadas a concertar o produto independente do problema e da quantidade de peças que será necessário trocar para que o produto volte a funcionar perfeitamente.

Segundo a lei, existem dois tipos de defeitos: o Aparente e o Oculto. Os defeitos aparentes, que são problemas mais superficiais e fáceis de constatar, possuem uma garantia de até 3 meses após a entrega do produto ou serviço. Já os defeitos ocultos, que são os defeitos mais difíceis de perceber, geralmente demoram para ser constatados e justamente por isso o seu prazo só começa após a constatação do problema, mesmo que se leve anos para que o problema seja constatado. Com isso, o consumidor está protegido contra defeitos de fabricação menos óbvios, mas é importante salientar que neste caso às vezes será preciso à apresentação de um laudo técnico atestando que o defeito é realmente de fábrica.

Um detalhe muito importante de se mencionar é que a Garantia Contratual é complementar a Garantia Legal. Ou seja, a Garantia Contratual só poderá começar a valer após o período de 90 dias em que está vigente a Garantia Legal. Isso é garantido pelo artigo 50 do Código de Defesa do Consumidor. É preciso ficar bastante atento a isso, pois muitas montadoras e revendedoras insistem que a garantia contratual engloba a garantia legal. No entanto, se no termo de Garantia está mencionado à validade de um ano, após este período o consumidor pode reclamar da Garantia Legal de 3 meses. 

Garantia Contratual:

A garantia contratual nada mais é do que a garantia fornecida pela fabricante. O prazo de validade desta garantia varia de acordo com a empresa, apesar de geralmente ser de um ano. É importante lembrar que cada montadora ou revendedora segue a sua própria política de garantia, ou seja, ela pode definir o prazo e as peças cobertas pelo seguro. No caso dos carros, geralmente as montadoras dão uma garantia de um ano e cobertura para itens mecânicos, para a suspensão e para os acessórios originais.

Já com relação às peças com desgaste natural como pastilhas de freio, pneus, estofamentos, borrachas, amortecedores e itens da suspensão, geralmente estão excluídos das garantias. Vale lembrar que apesar de não estarem inclusos na Garantia Contratual, estes itens estão cobertos nos 90 dias de Garantia Legal. Outra informação importante de se salientar é que a Garantia Contratual não cobre acessórios que não sejam de fábrica.

Falando um pouco sobre os carros usados, eles também possuem garantia, porém, é preciso ficar atento à política da revendedora. Estes veículos obrigatoriamente estão cobertos pela Garantia Legal de 90 dias. Porém, as revendedoras não são obrigadas a fornecer Garantia Contratual e por isso o consumidor deve ficar bastante atento. Além disso, o consumidor deve olhar a Garantia Contratual fornecida pela montadora, pois muitas vezes o veículo ainda pode estar coberto por esta garantia (que mesmo com a mudança de dono do veículo ela continua valendo).

Outro detalhe importante de se mencionar é que as montadoras obrigam os consumidores a seguirem exatamente o manual do veículo para que este esteja coberto pela Garantia Contratual. Ou seja, é preciso fazer todas as manutenções e concertos dentro de oficinas autorizadas pela marca. Caso o consumidor faça qualquer manutenção fora destas oficinas, ele perderá na hora a Garantia Contratual da peça que foi trocada (mantendo esta garantia para os outros itens).

Por fim, com relação aos carros importados, é a Importadora ou a Filial da Montadora que será responsável pela garantia. Se a montadora possui filial no Brasil, é ela a responsável pela garantia, mesmo que o veículo tenha sido produzido em outro país. Já quando a montadora não possui filial no Brasil, quem fica responsável pela garantia é a importadora que vendeu o carro. 


Recall do Hyundai i30 – Problema na Direção Elétrica


Hyundai anuncia Recall do i30. Modelo produzido entre novembro de 2009 e abril de 2010 pode ter problemas com a Direção Elétrica.

A Hyundai do Brasil anunciou nesta semana que irá fazer um recall do seu modelo i30. Segundo a montadora, o recall atinge cerca de 15 mil veículos produzidos entre 1º de novembro de 2009 e 30 de abril de 2010. O motivo para a realização do procedimento é que foi constatado que o carro possui um problema no software da direção elétrica.

De acordo com as informações divulgadas pela Hyundai, uma falha de comunicação nos sistemas eletrônicos pode desabilitar a assistência da direção, o que deixará a direção mais dura do que o habitual. Com isso, há o risco de acidentes e lesões físicas nos ocupantes do veículo e também em terceiros.

A montadora informou que o problema pode ser detectado pelos motoristas assim que uma luz de advertência com a sigla "EPS" aparecer no painel.

Devem comparecer ao recall os donos dos veículos i30 (modelo 2010) com chassis entre KMHDC81EABU085807 e KMHDC51EBBU267435.

Quem quiser obter mais informações sobre este recall da Hyundai deve acessar o site www.hyundai-motor.com.br. Também é possível obter mais detalhes sobre o problema ligando para a Central de Relacionamento da Montadora, através do telefone 0800 770 3355. É importante lembrar que o atendimento telefônico é feito apenas de segunda a sexta-feira, das 8:00 às 18:00.

Mudando um pouco de assunto, recentemente saiu na mídia especializada que a Hyundai já prepara o lançamento de seu Novo Elantra 2016. O carro deverá ser apresentado durante o Salão do Automóvel de Los Angeles (nos Estados Unidos), que acontecerá no mês de novembro deste ano. O veículo ganhou traços mais agressivos e sua mecânica também foi reformulada para concorrer diretamente com o Chevrolet Cruze, o Honda Civic, o Toyota Corolla e o Ford Focus Sedan. Entre as novidades do carro podemos citar a nova grade frontal (que ganhou um formato trapezoidal) e os novos faróis em LED. Com relação ao motor, o Novo Elantra será equipado com um motor 1.6 turbo de quatro cilindros, o mesmo que já é utilizado no Tucson. O propulsor terá injeção direta de gasolina e irá oferecer 176 cavalos de potência. Já o seu câmbio poderá ser manual de 6 marchas ou automático de sete marchas e dupla embreagem.


Recall Chevrolet S10 – Problema na Mangueira de Combustível


A montadora General Motors anunciou no dia 6 de março, a realização de um recall do modelo Chevrolet S10 Flex, que foram produzidos entre os anos de 2011 e 2014. É essencial que os donos dos carros liguem na Central de Atendimento de alguma das concessionárias a partir de 9 de março para marcar uma visita em uma das oficinas. O intuito deste recall é a instalação de uma presilha na mangueira de combustível. Esta correção tem o intuito de garantir e normalizar a rota do combustível na mangueira e uma possível mudança da tubulação.

A companhia informou na nota que foi divulgada, que existe a probabilidade de fricção da mangueira de combustível com a parte de baixo da carroceria do automóvel, isso pode levar a uma alteração da rota normal da tubulação. A empresa também afirmou que esta fricção pode causar danos na mangueira e resultar em um vazamento de combustível na parte inferior do automóvel.

Se este vazamento de combustível tiver proximidade com algum fogo na parte de fora do carro ou mesmo com o próprio escapamento que estiver em temperatura alta, poderá ocasionar um incêndio com perigo de danos físicos aos passageiros e a outras pessoas que estiverem de fora do veículo.

Os automóveis que necessitam de passar pelo recall são as versões 2012, 2013, 2014 e 2015 e que foram produzidos entre o período de junho de 2011 até o mês de novembro de 2014, tendo os chassis de CC400001 até FC411176.

Para certificar se o automóvel necessita de ser revisado na concessionária e também para tirar as dúvidas pertinentes, basta entrar em contato pelo seguinte telefone: 0800 702 4200. O atendimento será no horário das 8h às 17h, nos dias úteis. Outra maneira de obter maiores informações é através do site www.chevrolet.com.br.

Anteriormente, a General Motors já tinha anunciado o recall do modelo Spin, por causa deste estrago na mangueira de combustível. 

Sobre o Chevrolet S10:

O Chevrolet S10 foi lançado no ano de 1982 e é produzido até os dias de hoje. No Brasil, o carro passou a ser fabricado e vendido no ano de 1995, sendo que desde aquele ano caiu no gosto popular e se tornou um sucesso de vendas. Um detalhe curioso de se mencionar é que o veículo é vendido com outros nomes em outros países, como Chevrolet Colorado, Holden Colorado, Opel Colorado, Opel S-10, GMC Sonoma e GMC Canyon. Entre os concorrentes do veículo podemos citar: Toyota Hilux, Mazda B-Series, Ford Ranger e Dodge Ram 50.

Felipe Couto de Oliveira


Recall do Chevrolet Spin 2015


A marca Chevrolet divulgou recentemente que está realizando um recall do modelo Spin 2015. O atendimento teve início no dia 27 de fevereiro. São cerca de 796 carros que precisarão fazer a revisão em uma das concessionárias para identificar a necessidade de consertar uma falha na mangueira situada no tanque de combustível.

Conforme o anúncio da montadora, existe a probabilidade de abertura na peça, com risco de ocasionar um vazamento de combustível, chegando a resultar em um incêndio no veículo. Em casos mais graves, este defeito poderá resultar em um acidente com capotamento do carro.

Os automóveis que necessitam do recall foram produzidos no período de 9 de dezembro de 2014 a 27 de janeiro de 2015, possuindo a numeração de chassi entre FB181493 e FB199568.

É orientado que os donos dos carros marquem uma visita para realizar a verificação da possível falha no automóvel, em qualquer concessionária da Chevrolet. A vistoria e o concerto têm um prazo estimado de 30 minutos.

A Chevrolet anunciou que ainda não aconteceu incêndio com nenhum veículo referente a este defeito na mangueira do tanque de combustível. As pessoas que desejarem obter maiores informações sobre o recall poderão entrar em contato pelo telefone: 0800-702-4200. O atendimento aos clientes acontece de segunda-feira a sexta-feira, no horário das 8:00 às 17:00.

O recall tem o intuito de resguardar os consumidores de possíveis acidentes causados por falhas na parte mecânica do veículo. Está previsto na lei nº 8.078/90 (Código de Defesa do Consumidor – CDC), que o fabricante não pode comercializar produtos ou serviços que exponham os consumidores em algum perigo à segurança ou à saúde. Quando o fabricante detecta alguma falha em algum de seus serviços ou produtos, é dever dele anunciar o ocorrido para os clientes e as autoridades competentes. Em seguida, deve ser divulgado a realização dos reparos necessários para garantir a segurança e o conforto dos consumidores.

Felipe Couto de Oliveira


Toyota convocou para Recall 1,67 milhão de veículos por problemas nos freios


A montadora japonesa Toyota informou que chamará para revisão 1.670.000 veículos em todo mundo. Esta atitude da empresa deve-se a uma decisão voluntária de corrigir três defeitos diferentes, um dos quais está relacionado com um cilindro que poderia afetar consideravelmente o desempenho dos freios.

A Toyota disse em um e-mail que não tinha, até o momento, nenhum registro de qualquer acidente, envolvendo mortos e feridos em consequência dos defeitos apresentados. A revisão visa retirar os automóveis que não obtiverem a correção dos defeitos para que isso não afete as vendas globais da Toyota.  

A revisão inclui os modelos Crown, Crown Majesta, Voxy, Noah, Corolla Rumion e Auris, além de outros doze modelos do setor de luxo da montadora Lexus.  

Cerca de 1.050.000 automóveis foram afetados somente no Japão. Os outros 615 mil estão no exterior. A maioria dos recalls realizados pela Toyota nos últimos tempos são voluntários. Em abril, a empresa teve a segunda maior iniciativa do gênero na história, onde cerca de 6,39 milhões de automóveis foram chamados para a revisão. Dois meses depois, a japonesa emitiu uma nova declaração para rever cerca de 2,3 milhões de veículos a nível internacional por outro defeito.  

Neste último anúncio a empresa pretende rever modelos fabricados entre junho de 2007 e junho de 2012 para substituir a borracha no cilindro mestre do freio com o objetivo de evitar vazamentos de fluido de freio. Uma segunda chamada envolvendo cerca de 759.000 veículos será feita, incluindo 423 mil unidades dos Estados Unidos para fixar tubos de combustível com defeito que, no pior dos casos, pode causar um incêndio devido a vazamento de combustível.  

A Toyota não é a única a realizar diversos recalls este ano. A montadora americana General Motors também anunciou uma nova revisão no modelo esportivo Trailblazer. Os anos 2013, 2014 e 2015 do automóvel serão revistos por causa de defeitos no cinto de segurança. Este já é o 13º recall da montadora nos EUA.

Por William Nascimento

Toyota

Foto: Divulgação


Andar com o carro na reserva pode acarretar sérios problemas


Se você é um daqueles motoristas que só andam na reserva de combustível seja por distração ou por achar que assim pode beneficiar seu carro com a troca integral de combustível sempre, cuidado! Andar sempre na reserva pode ser um mau negócio.

Manter o tanque de combustível constantemente na reserva pode causar diversos e sérios problemas a literalmente deixar o condutor a pé, não pela falta de combustível, mas pelos problemas acarretados pela prática.

A quantidade de combustível que fica na reserva varia bastante de um carro para outro dependendo do modelo, fabricante e versão. Em geral é pouco, em torno de 1 a 5 litros. E engana-se quem pensa que é um tanque extra, essa quantidade é a mínima de litros considerada pelas montadoras para acender o aviso de pouco combustível e assim "solicitar" que o motorista abasteça.

Se o condutor ficar parado na via sem gasolina, além de acarretar prejuízos pelo estrago que isso pode gerar no veículo, ainda tem a multa de trânsito, que pode chegar a R$ 85,13, e mais quatro pontos na Carteira de Habilitação, independente da distância do posto mais próximo.

Outros danos que nem sempre pensamos quando deixamos isso acontecer estão associados à bomba de combustível que também sofre com a constante falta de combustível, já que o líquido do combustível é um meio de resfriamento. Se o tanque estiver vazio, a bomba não consegue líquido suficiente para resfriar o motor e evitar o superaquecimento.

Além disso, a baixa de combustível constante no tanque pode levar muitas impurezas para a bomba, a sujeira fica depositada no fundo do tanque, no momento de utilizar o combustível, a sujeira vem junto e pode seguir para o motor, e aí, nesse momento, o prejuízo pode ser enorme.

Portanto evite andar na reserva, uma vez ou outra tudo bem, mas constantemente pode ser um mau negócio.

Por Vivian Schetini

Tanque na reserva

Foto: Divulgação


Má utilização da embreagem pode prejudicar precocemente o veículo


Vários motoristas possuem alguns hábitos ruins e um deles é deixar o pé na embreagem.

De acordo com especialistas da área, segurar o carro em uma ladeira, por exemplo, apenas na embreagem pode causar um desgaste precoce na estrutura.

Dirigir com o pé no pedal da embreagem prejudica muito seu veículo, pode parecer uma daquelas bobagens que escutamos por aí, mas não é. Uma falha na embreagem pode causar um desgaste cedo e deixar o motorista na mão, sem conseguir engatar uma marcha, o carro não desenvolve e pode não funcionar. Além disso, é bom lembrar que um problema na caixa de marcha representa um grande problema no bolso também, já que o concerto pode ficar bem caro.

De acordo com Edilsn Caldas, que é supervisor técnico de Automotiva do SENAI do Rio de Janeiro, dirigir um carro sem retirar o pé da embreagem a pressiona desnecessariamente e afasta o platô do disco, em consequência há uma perda do material, devido ao lixamento que acontece na peça. O desgaste dessa forma, ocasiona um superaquecimento do sistema e logo a quebra do mesmo. E isso pode acontecer mais rápido do que o motorista pode imaginar, com cinco ou dez mil quilômetros rodados a peça pode quebrar devido ao mau uso. Segundo o especialista a vida útil dessa peça deve ser em torno de 70 mil a 80 mil quilômetros, e não cinco ou dez se mal utilizado.

A perda pode ser percebida até mesmo com o carro parado, no momento que a primeira marcha não engatar corretamente. Uma boa dica para perceber que algo está errado é o pedal pesado o que cria dificuldade no engate.

Mas o pior ainda nem é o orçamento gerado, o risco de acidente, embora baixo, existe com o carro parado. A única solução é trocar toda a peça. As montadoras recomendam substituir o kit que contém o platô, o disco e o rolamento. O desgaste de uma das peças força o uso das demais e consequentemente o desgaste de todo o sistema.

Por Vivian Schetini

P? na embreagem

Foto: Divulgação


Recall Fiat Idea, Doblo, Punto e Bravo – Problemas com a caixa de câmbio dos modelos


A Fiat anunciou, neste fim de semana, um Recall envolvendo os modelos Idea, Doblò, Punto e Bravo, num total de aproximadamente 87 mil unidades. De acordo com a marca italiana, a convocação para reparo tem como objetivo a substituição do óleo lubrificante da caixa de câmbio, bem como uma possível troca de componentes da transmissão de veículos com quilometragem superior a 40.000 km.

Segundo a Fiat, o motorista poderá ter dificuldade em engatar precisamente a primeira marcha da relação, causando, por conseguinte, dificuldade para arrancar com o carro. Em casos extremos, devido à falha na engrenagem da primeira marcha, poderá ocorrer acidentes com eventuais riscos de danos físicos e matérias ao condutor e a terceiros.  

Em comunicado oficial, a montadora italiana solicita aos proprietários dos modelos Idea Adventure, Sporting e Sporting Dualogic (chassi 2207059 a 2263214) e Punto Essence e Essence Dualogic (chassi 1194449 a 1296320), ambos produzidos entre 1º de fevereiro de 2012 e 22 de fevereiro de 2014, para regularizar a troca do óleo lubrificante da caixa de câmbio de acordo com o previsto pelo Manual de Uso e Manutenção dos carros.

No entanto, os donos dos modelos Idea Adventure, Adventure Dualogic, Essence e Essence Dualogic (chassi 2207056 a 2263233), Doblò Adventure (chassi 1091042 a 1113929), Punto T-Jet (chassi 1194671 a 1295853) e Bravo Essence, Essence Dualogic, Sporting, Sporting Dualogic, Absolute e Absolute Dualogic (chassi 9014646 a 9034364), todos também fabricados entre 1º de fevereiro de 2012 e 22 de fevereiro de 2014, devem efetuar a troca do óleo lubrificante da caixa de câmbio e de componentes da engrenagem da primeira marcha, exclusivamente para carros com quilometragem acima de 40.000 quilômetros.

De acordo com a Fiat, a convocação do Recall e a substituição dos componentes de veículos com mais de 40.000 km de uso é uma medida preventiva que visa evitar o processo antecipado de desgastes das peças em questão e possíveis acidentes.

Com relação ao tempo de reparo, a substituição do óleo lubrificante da caixa de câmbio é efetuada em até uma hora. Contudo, se houver a necessidade da troca dos componentes, o serviço poderá ser realizado em até dez horas, com variação do tempo de acordo com o fluxo de atendimento no momento da solicitação de reparo na concessionária autorizada.

Com início no dia 22 de setembro de 2014, para mais informações e agendamento prévio para os envolvidos no Recall, o proprietário poderá entrar em contato com uma concessionária da marca ou através do telefone 0800 707 1000.

Abaixo, modelos, versões e chassi dos carros envolvidos no Recall:

– Ideia – Adventure, Sporting e Sporting Dualogic – chassi 2207059 a 2263214;

– Ideia – Adventure, Adventure Dualogic, Essence e Essence Dualogic – chassi 2207056 a 2263233;

– Doblò – Adventure – chassi 1091042 a 1113929;

– Punto – Essence e Essence Dualogic – chassi 1194449 a 1296320;

– Punto – T-Jet – chassi 1194671 a 1295853;

– Bravo – Essence, Essence Dualogic, Sporting, Sporting Dualogic, Absolute e Absolute Dualogic – chassi 9014646 a 9034364.

Por Caio Polo

Fiat Punto

Fiat Bravo

Fiat Doblo

Fiat Idea

Fotos: Divulgação


Recall Honda Civic, CR-V e Accord – Problemas nos airbags


A Honda, montadora japonesa, anunciou nesta quarta-feira, 3 de setembro de 2014, recall de três de seus modelos, o Civic, o CR-V e o Accord.

Segundo a marca o motivo são os airbags, que por conta de um defeito de fabricação correm o risco de, quando acionados, explodir o insuflador, fazendo com que metais do seu mecanismo interno sejam projetados dentro do veículo, o que pode causar lesões graves, incêndios e até a morte dos ocupantes.

A montadora anunciou que são 5.573 carros dos três modelos da marca que devem comparecer a uma concessionária para realizar os reparos, a partir do dia 12 de setembro.

Foram convocados os proprietários de automóveis Civic, fabricados entre 2011 e 2014. Os chassis são:

  • Modelo 2012: 200001 a 400051;
  • Modelo 2013: 201449 a 226272;
  • Modelo 2014: 100157 a 186692;
  • Modelo 2015: 200140 a 207030.

Os proprietários do modelo CR-V devem ficar atentos aos chassis 500020 a 505704. Já os de modelo Accord são os fabricados entre 2002 e 2003, de chassis entre 500001 e 500245.

Caso o cliente fique com dúvida se seu veículo está ou não entre os convocados para o recall a Honda recomenda que entre em contato com a empresa através do site (www.honda.com.br) ou do telefone 0800-701-3432, em horário comercial.

Há dois meses a Honda havia realizado um recall, pelo mesmo problema, para os modelos Civic e CR-V.

A Honda está realizando recall também em outros países, por conta do mesmo problema com o airbag. A marca Takata, não se pronunciou sobre o assunto, mas tem apresentado problemas para diversas montadoras, como a Toyota, a BMW e a GM, que também precisaram convocar recall por conta dos airbags.

Apesar do grande número de veículos no mundo todo que apresentaram esse problema, a Honda afirma que não houve nenhum acidente. A montadora percebeu o problema depois que a GM convocou um recall e notou-se que a fabricante do airbag era a mesma.

Por Joana Junqueira borges

Honda

Foto: Divulgação


Principais motivos que podem dar pane no carro


Se tem algo que não precisa destacar em termos automobilísticos é o fato de que os carros na atualidade contam com uma tecnologia cada vez mais aprimorada. Mas mesmo assim, com todo esse aparato tecnológico, em um momento ou outro o condutor terá que passar por alguma situação de pane. E claro que geralmente isso só acontece quando menos se espera.

Tendo em vista essa situação desagradável separamos alguns dos principais motivos que podem levar um automóvel a simplesmente parar de funcionar assim, para você que é condutor, fica uma dica sobre o que prestar atenção.

Mas também vamos tratar de um dos principais e mais simples motivos: a bateria. Confira:

Primeiramente vejamos alguns dos problemas mais recorrentes que fazem o carro “dar uma pausa” além da bateria:

– Combustível adulterado. No Brasil não é raro termos isso;

– Sujeira no carburador;

– Velas já bastante cansadas;

– Sujeira no tanque de combustível e muito mais.

Como é possível perceber são coisas simples. Mas no meio de uma rodovia a coisa se torna uma dor de cabeça.

Agora vamos analisar um dos pontos mais importantes, ou seja, um dos que mais fazem o carro entrar em pane e deixar o motorista “na mão”: a bateria.

Este item lidera isolado. Mas é só ter um pouco de conhecimento básico para lidar com a situação. Por exemplo, às vezes as luzes indicativas acendem o que pode dar a entender que o problema pode ser com a bateria ou então com o alternador.

Quando isso acontece o que a bateria faz é usar sua energia até o fim sem que exista reposição de carga. O que fazer? Leve o carro a um auto-elétrico. O problema pode ser resolvido com uma simples recarga ou até mesmo com a troca da bateria.

Voltando a falar do alternador, se o problema for com ele também pode ser “recuperado” ou em casos mais complicados, assim como com a bateria, poderá ser trocado.

Para qualquer motorista a dica é ter noções básicas para saber o que fazer ou não em momentos de problemas.

Para ajudar ainda mais um pouco no caso de seu automóvel não funcionar porque a bateria “deu pau”  veja um vídeo no Youtube onde é mostrado como usar um carregador doméstico corretamente.

Por Denisson Soares


Recall Chevrolet Cobalt e Spin – Problemas nos modelos 2015


A Chevrolet convocou um recall para mais de 2.300 unidades de veículos dos modelos Cobalt e Spin, ambos do modelo 2015 e com transmissão manual. A General Motors do Brasil Ltda está atendendo aos chamados desde o dia 8 de agosto.

A convocação se deu para uma verificação nos parafusos que fixam o coxim lateral do lado esquerdo do motor e da transmissão manual. Segundo a empresa pode ter ocorrido a utilização de parafusos com comprimento que não se enquadra no que foi especificado nos projetos dos veículos. Sendo assim a sustentação do conjunto de motor e transmissão pode estar comprometida, o que pode levar a um deslocamento da posição indicada.

Os proprietários dos veículos com os chassis de FB105045 a FB 121919, que são os que foram fabricados entre os dias 6 de junho e 1º de julho de 2014 correm risco de o eixo de tração desencaixar, o que acarretaria em uma brusca perda de tração, levando a acidentes e consequentes lesões, tanto nos ocupantes dos veículos, quanto em outros transeuntes.

O recall foi realizado para que os comprimentos dos parafusos em questão sejam verificados e caso haja a necessidade a Chevrolet realizará a troca dos parafusos e inclusive da transmissão manual.

A empresa informa que o processo de inspeção leva, no máximo, 15 minutos, havendo a necessidade de troca dos equipamentos o proprietário precisará deixar o veículo em manutenção por até 6 horas. Não haverá despesas da parte do possuinte.

Para verificar se o carro está sendo convocado neste recall acesse o site www.chevrolet.com.br. Se for o caso de responder a esse chamado ou precise de mais informações acesse o site da Chevrolet ou contate a Central de Relacionamento, através do telefone 0800 702 4200.

Para a verificação e manutenção dos veículos o proprietário deve entrar em contato com a concessionária e realizar um agendamento prévio.

Chevrolet Cobalt e Spin

Foto: Divulgação


Projeto de carros autônomos preocupa o FBI


A ideia não é nova é já faz um bom tempo que as montadoras de veículos têm investido cada vez mais em projetos que envolvam o desenvolvimento de carros autônomos. Ainda não se tem um modelo que seja completamente seguro. Diversos anúncios já foram feitos, até mesmo por empresas que não são do ramo automobilístico, como é o caso do Google. Mas tudo ainda está em uma fase de testes, descobertas e, claro, de adaptação às leis nacionais e padrões internacional sobre como seria a utilização desses veículos.

Esses carros autônomos que em um futuro (próximo ou não) terão a função de dar mais comodidade a quem usa veículos já preocupam muitas autoridades antes mesmos de saírem da linha de produção “de modelo de um carro só”. Como exemplo, temos o FBI, a polícia federal dos Estados Unidos. Esse tipo de tecnologia tem despertado a preocupação de autoridades do órgão.

Recentemente um relatório foi obtido com exclusividade pelo jornal britânico The Guardian. No tal relatório, secreto por sinal, são apontados itens que  mostram que o  órgão de investigação anda preocupado com a tecnologia que envolve os carros autônomos. De acordo com o documento carros que dispensam motoristas para andar poderiam se constituir numa nova modalidade e estratégia de crime. Ou seja, o FBI teme que criminosos possam usar esses veículos para escaparem da polícia.

Na análise levantada pelo FBI uma informação chega a ser interessante. De acordo com o documento com carros desse tipo nas ruas uma nova forma de lei deveria começar a ser trabalhada. O relatório destaca o fato de que a autonomia dos carros deixaria mais eficiente a mobilidade das pessoas. Porém, junto com ela também seriam abertas mais portas para usos impróprios como, por exemplo, usar técnicas para transformar esses veículos em armas mais letais do que de fato os carros de hoje em dia são.

Em certo ponto do relatório o FBI destaca que o criminoso poderia fazer coisas que não poderia fazer em modelo de carro atual. Hoje ele tem que olhar para onde vai, manter as mãos no volante em uma fuga e por aí vai. Em um carro autônomo em uma eventual perseguição ele estaria completamente livre para olhar, mirar e atirar sem se preocupar em provocar uma batida o seguir reto em uma curva.

Esse assunto ainda vai dar muito que falar!

Por Denisson Soares

Carro aut?nomo

Foto: Divulgação


Recall Chevrolet Agile, Montana e Camaro – Problemas identificados nos modelos


A General Motors do Brasil convocou para Recall os modelos Chevrolet Agile e Montana, bem como o Camaro. Enquanto o chamado para reparo do Agile e Montana envolve modelos 2014 e 2015, para o Chevrolet Camaro o Recall envolve carros fabricados de 2010 a 2014.

A convocação de Recall para os modelos Chevrolet Agile e Montana foi motivada pelo risco dos veículos apresentarem defeito no airbag frontal do lado do motorista.

Segundo o comunicado oficial da montadora, uma possível falha de produção identificada em um componente do airbag frontal do motorista compromete a vazão do gás para o interior da bolsa inflável, além de causar o confinamento indevido de gás.

Em decorrência desta falha, é possível que o airbag não deflagre, podendo causar lesões graves. Além disso, pode ocorrer o rompimento do gerador de gás do sistema de airbag, expelindo fragmentos para o interior do veículo, pode acarretar em danos ao motorista e a terceiros.

A convocação do Agile vale para os modelos fabricados entre 14/11/2013 a 17/12/2013, enquanto que para a Montana o Recall vale para veículos produzidos de 1º/11/2013 até 27/06/2013.

Para o Chevrolet Camaro, o Recall envolve 511.528 unidades vendidas no mundo. No Brasil, 4.735 unidades foram afetadas, fabricadas entre 20/07/2010 e 1º/06/2014.

O Recall para o esportivo da Chevrolet é motivado por uma falha na chave de ignição identificada pela própria montadora durante testes internos. Caso o condutor bata o joelho na chave de ignição, o veículo pode desligar e perder potência, acarretando em  graves riscos ao condutor e a terceiros.

De modo preventivo, a Chevrolet irá realizar a troca da chave de ignição sem custo ao proprietário. O reparo completo leva cerca de 30 minutos.

Para mais informações e agendamentos, a empresa coloca à disposição dos proprietários dos veículos o site oficial www.chevrolet.com.br e o telefone 0800 702 4200.

Abaixo, os modelos e chassis envolvidos no Recall:

– Agile: chassis entre ER147038 e ER163227;

– Montana: chassis entre EB204869 e FB119056;

– Camaro: chassis entre B9110300 e E9318718.

Por Caio Polo

Recall Chevrolet Agile e Montana

Foto: Divulgação


Recall Honda Civic e CR-V – Problemas no sistema de airbag


A Honda anunciou, no final de junho, a convocação de um Recall envolvendo os modelos Civic, fabricados entre 2001 e 2003, e o CR-V, produzidos entre 2002 e 2003. Envolvendo mais de 20 mil unidades, a convocação é motivada por uma falha no sistema de airbag da fabricante Takata. A convocação é uma extensão do que foi feito em abril de 2013 e envolve 20.850 veículos da Honda.

Em nota, a fabricante japonesa de veículos afirmou que pode ocorrer uma ruptura da estrutura do insuflador do airbag dianteiro direito caso o mesmo seja acionado em colisão frontal moderada ou severa, possibilitando a projeção de fragmentos na cabine e, em casos remotos, risco de incêndio. Devido ao componente problemático, em situações extremas, podem ocorrer danos materiais e lesões graves, ou até mesmo fatias aos ocupantes ou a terceiros. 

Para corrigir esse problema, a Honda solicita que os proprietários dos veículos envolvidos vão até uma concessionária da marca japonesa, a partir do dia 2 de julho, para que seja realizada a substituição do componente problemático, de forma gratuita.

É possível que outras três montadoras nipônicas convoquem um Recall por utilizar airbags do mesmo fornecedor que a Honda.

Para mais informações, a Honda disponibilizou o site oficial da marca e o telefone 0800 701 3432, com atendimento de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h (horário de Brasília). Além disso, para maior conforto, os proprietários dos carros podem realizar o agendamento no site www.honda.com.br/recall/autos, ou ainda pela central de atendimento supracitada. 

Abaixo, ano/modelo, chassis e data de fabricação dos veículos inclusos no Recall:

– Honda Civic:

Ano /modelo – Chassis não sequenciais 93HES1*** – Produção 

2001 – de 1Z000350 a 1Z015559 – de 14/12/2000 a 21/07/2001 

2002 – de 2Z101278 a 2Z121636 – de 24/08/2001 a 27/09/2002 

2003 – de 3Z100005 a 3Z115798 – de 26/09/2002 a 20/08/2003

– Honda CR-V:

Ano/modelo – Chassis não sequenciais  JHLRD7***  – Produção 

2002 – de 2C202262 a 2C213681 – de 07/01/2002 a 03/08/2002 

2003 – de 3C206022 a 3C206031 – de 04/03/2003 a 04/03/2003

Por Caio Polo

Honda Civic

Foto: Divulgação


Vendas do Chevrolet Cruze estão suspensas nos EUA


A General Motors confirmou na semana passada, que a comercialização do sedan Chevrolet Cruze está suspensa no mercado estadunidense por causa de possíveis problemas relacionados ao sistema de airbag. Em nota aos concessionários nos Estados Unidos, a GM solicita a suspensão imediata das vendas do carro e alerta para um defeito que pode atingir o sistema responsável por inflar a bolsa de ar do condutor.

Segundo Jim Cain, Porta-Voz da General Motors, a fabricante está trabalhando junto à fornecedora para identificar os componentes defeituoso do veículo, para que a GM possa retomar rapidamente as entregas dos carros.

A fabricante ainda não definiu se haverá ou não um Recall, mas já há uma investigação para ver se há a necessidade da convocação para reparo e quantos carros estariam envolvidos nesse possível Recall. Caso fosse confirmada a necessidade de um Recall, a medida valeria para os carros fabricados em 2013 e 2014.

Caso seja constado o problema com este fornecedor de equipamento de segurança inflável, o Recall afetaria outros carros de outras marcas, o que resultaria em um grande número de convocações para reparo.

Chevrolet Camaro 2015:

Enquanto a Chevrolet enfrenta esse problema com o Cruze, a marca estadunidense já trabalha em um projeto que dará origem à sexta geração do Chevrolet Camaro. Mesmo tentando deixar as informações em total sigilo, aos poucos as informações sobre a próxima geração do Muscle Car vão surgindo na imprensa especializada.

Após a confirmação do lançamento do modelo em 2015, provavelmente na realização do Salão de Detroit, os rumores agora são por conta do conjunto mecânico. Segundo a revista americana “Automobile”, o novo Camaro teria entre os destaques um inédito motor quatro cilindros 2.0 Turbo, com potência especulada entre 270 cv e 290 cv. Embora ainda esteja na base de especulações, a expectativa é que o motor com turbocharger ofereça um bom torque e ainda garanta uma relativa economia de combustível.

Os dados já confirmados mostram que a próxima geração contará com novidades importantes na transmissão, trazendo um novo câmbio manual de sete marchas e uma nova transmissão automática com dupla embreagem. Outro ponto no conjunto mecânico do novo Camaro é a sua plataforma, que será a Alpha com tração traseira, utilizada por outros carros da GM, como os Cadillacs ATS e CTS. 

Por Caio Polo

Chevrolet Cruze

Foto: Divulgação


Recall Lifan X60 – Problemas no freio


A Lifan do Brasil emitiu nesta segunda-feira, dia 23 de junho, um comunicado convocado para Recall pouco mais de 600 unidades do modelo X60. O comunicado convoca os proprietários do utilitário esportivo da marca chinesa para que seja feita a verificação e a substituição definitiva do flexível do freio traseiro, para os casos que forem necessários.  

Os modelos que serão inspecionados têm numeração de chassi entre 9UK64ED5XD0015271 e 9UK64ED5XD0018056, e de 9UK64ED50D0015277 até 9UK64ED59D0021272. Os donos dos veículos envolvidos na convocação devem comparecer nas concessionárias autorizadas da marca chinesa a partir de 20 de junho de 2014.

Serão 607 veículos modelo X60 da Lifan que precisarão passar por verificação para constatar se há a necessidade da troca do flexível de freio.

Segundo o comunicado oficial da Lifan do Brasil, a convocação para Recall foi realizada de forma preventiva, haja vista que não foi constatado no Brasil nenhum tipo de acidente ou problema em decorrência de alguma falha com o componente flexível de freio. A precaução da marca com o comunicado para verificação se deu a partir da informação de que alguns crossovers X60 vendidos no mercado chileno poderiam ter problemas com o componente e, por isso, apenas os veículos de anos de fabricação 2013 foram chamados para averiguação.

O problema do componente é uma não conformidade no processo de fabricação do flexível traseiro, o que pode acarretar, em alguns casos, no vazamento e perda do fluído de freio, necessitando maior esforço para que haja a frenagem do veículo, com uma possível perda da capacidade de frenagem do carro, podendo ocasionar riscos aos ocupantes do utilitário e de terceiros.

A rede de concessionárias autorizadas da Lifan Motors no Brasil já está devidamente preparada para atender a todos os clientes que se fizerem necessários. Para mais informações, a Lifan Motors colocou à disposição seu site oficial www.lifanmotors.com.br.

Por Caio Polo

Foto: Divulgação


Recall Jeep Grand Cherokee – Problemas no airbag


No dia 17 de junho, a Chrysler Group do Brasil originou uma grande campanha de recall, sendo avisados clientes que optaram por realizar a aquisição do modelo Grand Cherokee. Essa campanha aglomera 221 unidades, que foram produzidas entre 7 de novembro de 2001 e 23 maio de 2003, o que implica os carros ano/modelo 2002, 2003 e 2004.

De acordo com chamadas de recall comparadas às últimas marcas que também estão passando por tal convocação referente a alguma deficiência em equipamentos que prometem o melhor desempenho do veículo, o grupo proporcionou a abrangência de menos veículos que precisarão passar por revisão e modificação. Os chassis convocados são 1J8G2E8A03Y502945 e 1J8GWE8NX2Y126664

Referente a especificações exibidas pela montadora, foi observado uma possível deficiência ao que se concerne ao módulo de controle no airbag. Todos sabem que o airbag é imprescindível para que ao acontecer uma colisão inesperada, sejam ativados, provocando proteção as pessoas que estão inseridas no interior do veículo, e prevenindo-as de um possível trauma que pode propiciar em sua instabilidade e sofrimento ao decorrer dos anos.

O defeito se aplica inadvertidamente a deflagração das bolsas frontais ou de cortina, que ao se romperem poderão ocasionar o risco de ferir os ocupantes do automóvel e também com a sua inativação provocar um acidente. Esse equipamento não tem o intuito de oferecer aos passageiros riscos, e sim confiança de que ao acontecer inesperadamente um acidente seja efetivo e consiga atuar com melhor desempenho para que nenhum indivíduo seja vítima e tenha a experiência de não ter tido a mesma sorte que os demais integrantes.

Os equipamentos inclusos no automóvel devem realizar a mesma função e propiciar a mesma credibilidade e atuação diante todos que estarão no veículo, não é correto que apenas um funcione, ou dois, sendo que o carro dispõe de 5, 6, 7 airbags, todos excepcionalmente devem atuar de maneira eficaz.

A empresa relata que mais informações a respeito do contexto, podem ser obtidas através do número 0800 703 7150, ou pelo site eletrônico www.jeep.com.br.

Por Lorena de Oliveira

Jeep Grand Cherokee

Foto: Divulgação


Recall Toyota Corolla versões XEi e SEG – Problemas no airbag


Foi divulgado novo recall integrando o modelo Corolla. A Toyota exibiu nova chamada e convocação dos compradores da marca de acordo com o respectivo ano de 2002 e 2003 nas versões XEi e SEG, por deficiência no airbag. De acordo com informações relatadas pela produtora, o convite é destinado aos mesmos números de série dos chassis do chamado divulgado em abril deste ano.

Apesar da falha reconhecida pela montadora, os veículos que foram constituídos por tal deficiência são em quantidade expressivamente menores, ou seja, 28.148, contra 28.964 em relação à produção anterior. Além do número inferior predominante ao recall atual, os compradores que foram avisados e realizaram o recall anterior não têm a necessidade de voltar às oficinas da marca.

Os carros que devem realizar, imprescindivelmente, a correção da falha em questão, são designados as versões XEi e SEG, que obtiveram a sua produção efetuada entre maio de 2002 e agosto de 2003. Esses veículos foram classificados como indispensáveis à verificação de integrar ou não um defeito nas bolsas de airbag as quais estão localizadas ao lado do passageiro.

Referente a especificações exibidas pela Toyota, esse defeito intitulado como risco aos que tiverem ao lado da bolsa deficiente, pode provocar a não atuação integral do airbag, e implicar em maior probabilidade de imponderação ao indivíduo. Podem prover além de danos materiais, lesão física ao passageiro, incêndio, e lesões graves e fatias.

O recall em questão foi comunicado ligeiramente e será efetuado em duas etapas. A primeira teve início dia 17/06/2014, e propiciará que o módulo deflagrador do airbag localizado ao lado do passageiro seja desativado. Desta maneira, será instituída uma etiqueta no painel do veículo para lembrar o consumidor concernente à desativação temporária do airbag.

A segunda etapa está prevista para ocorrer antes do dia 03/11/2014, e prediz a troca da bolsa do airbag que poderá não desempenhar corretamente a sua função protegendo o indivíduo de ser atingido bruscamente em uma colisão, e realizar novamente a ativação completo do sistema.

Pelo defeito viabilizado pela marca Toyota, é feito um pedido aos clientes responsáveis pelo veículo, que não utilizem o banco dianteiro do passageiro para a condução de pessoas, até que o problema seja resolvido, e o desempenho do equipamento seja efetivado com êxito.

Para mais informações a Toyota disponibiliza seu site www.toyota.com.br, e o número 0800-703-0206 para tirar dúvidas e agendar o atendimento. Os chassis envolvidos possuem o código alfanumérico 9BR53**** e número de série 8500004-8530349.

Por Lorena de Oliveira

Recall Toyota Corolla

Foto: Divulgação