Motor Turbo – Como Cuidar e Dicas de Manutenção


Saiba aqui como cuidar do motor turbo do seu carro.

Nos últimos, os motores a turbo ganharam espaço no mercado, estando presente principalmente nos automóveis mais modernos e sofisticados. Contudo, a tendência é que se torne uma característica padrão até mesmo nos carros mais populares. O que todo mundo sabe é que esse tipo de motor aumenta a potência do veículo, porém, nem todos os proprietários sabem como cuidar corretamente deste item.

Geralmente, o rotor de um turbocompressor gira até 200.000 rpm, podendo atingir uma temperatura de 1000ºC em automóveis que apresentam alto desempenho. Apesar de parecerem informações chocantes, os turbos e suas respectivas peças são projetados, preparados e testados para resistir a isso.

Mas, para aproveitar todos os benefícios de um motor turbo e garantir o seu bom funcionamento é necessário fazer uma manutenção periódica e tomar alguns cuidados para não danificá-lo. Quer saber mais? Confira, a seguir, algumas das melhores dicas para cuidar de carros com motor turbo!

Preste atenção no óleo

A primeira coisa a se fazer é acompanhar o nível de óleo do motor. Os fabricantes costumam dizer que é normal quando o motor consome até 1 litro de óleo por 1000 km rodados. Ainda que isso pareça exagerado, podemos perceber que o nível de óleo baixa mais rápido em motores turbo comparado aos que são aspirados.

É necessário ficar atento para saber quando é a hora certa de trocar o óleo. Afinal, como o turbo recebe óleo do motor, o líquido velho pode acabar obstruindo os dutos, deixando de esfriar o turbo, o que gera desgastes precocemente.

Aguarde o motor esquentar

Não coloque o motor para funcionar em um alto regime de rotação se ainda estiver alcançado a temperatura ideal. O mais recomendado é não passar de 2.500 rpm até que esquente.

O interessante é que os motores mais recentes contam com um gerenciamento térmico extremamente eficiente, em que ele mesmo acelera o aquecimento do bloco para obter a temperatura ideal.

É importante dizer que um turbocompressor que esteja excessivamente quente também pode prejudicar o desempenho do motor. A vantagem do turbo é elevar a admissão de ar frio da peça, de modo a potencializar o seu rendimento. Mas, se o turbo estiver quente demais, o desempenho do motor será inferior ao esperado.

Deixe o motor ligado para esfriar

Você passou horas viajando com o seu veículo turbo? Então mantenha o motor ligado por alguns minutos, já parado, para que o líquido de arrefecimento continue circulando, o que impede que o óleo que roda no turbo fique demasiadamente quente.

Todavia, essa dica não é tão válida para os motores mais modernos, haja vista que possuem sistemas de arrefecimento que continuam trabalho mesmo depois que o motor é desligado, como o modelo THP.

O gerenciamento eletrônico dos equipamentos turbocompressores também é muito útil neste quesito, pois não deixa o turbo trabalhar em altos regimes quando não há necessidade.

Não deixe o motor em baixas rotações

Essa dica é mais valiosa para quem tem carro manual ou usar a versão automática no modo manual. Os motores turbo que têm injeção direta levam todo o torque rapidamente, o que pode fazer com que o motorista faça as trocas de óleo antecipadamente, além de deixa-los com rotações baixas, de maneira a vibrar como se estivesse andando na marcha errada.

Assim, o motor pode ter força para trabalhar, mas acaba consumindo uma quantidade menor de combustível, reduzindo a durabilidade dos seus componentes.

E aí, gostou das nossas dicas? Com essas recomendações você pode preservar o bom funcionamento de um carro com motor turbo, evitando desgastes que poderiam causar sérios problemas no veículo. Portanto, você pode dirigir por aí com mais tranquilidade!

Simone de Paula Leal


Aditivos para Radiador e Tanque de Combustível – Benefícios e Importância


Descubra aqui se realmente é necessário utilizar aditivos no Radiador e Tanque de Combustível do seu carro.

O aditivo é um produto famosos por ser usado no carburador do carro. Ele tem algumas funções importantes que são: Proteger os componentes metálicos da corrosão, não permitir que a água congele ou ferva dentro do carburador e não ter um aquecimento acima do normal. Essa preocupação normalmente faz parte da vida da maioria dos usuários de carros, já que essa peça do mesmo é extremamente importante para seu uso. Algumas pessoas acabam acreditando em informações que não são reais e por isso tomam atitudes erradas em relação ao cuidado do carburador. O intuito desse texto é acabar com todos esses mitos e ajudar a todos que não tem experiência com peças do carro, principalmente o carregador. Fique atento as informações que serão colocadas abaixo.

Qual é a melhor forma de saber se o radiador do carro está funcionando bem?

Descobrir sobre o bom funcionamento do radiador é muito simples. Basta apenas ficar ligado em alguns sinais. Um dos primeiros sinais que aparece quando o radiador não está legal é o vazamento. Se for apenas uma vez fique tranquilo, agora se acontecer com frequência, saiba que já é hora de procurar um serviço de manutenção em um local seguro. O sobreaquecimento também pode surgir de forma inesperada no carro, é necessário dar atenção a esse episódio, caso aconteça.

Meu carro parou do nada e não liga por nada. Pode ser algo no carburador?

Sim. Se o carro parar de funcionar de uma hora para outra e o condutor não conseguir ligar por algumas tentativas, tudo indica que o carburador pode ter congelado. E muitas pessoas não conseguem nem identificar esse problema. Somente depois de colocar um pouco de água que esse carro pode voltar a ligar novamente. Isso acontece quando o carburador ferve também.

É realmente necessário usar aditivo no carburador do carro?

Essa é uma pergunta que sempre paira na mente de usuários de carro. Pois existe um pensamento que muitos produtos para essa área do carro, não fazem o que realmente prometem. É importante frisar que o aditivo é de uso exclusivo para o carburador, ele serve para cuidar da vida útil dessa peça. E sim, esse produto se torna necessário, mas é preciso avaliar o momento ideal de adicioná-lo ao carburador.

Esse produto precisar ser o mais caro e de marca famosa?

Não existe uma regra que afirme que um produto para carburador caro e de marca famosa é realmente o mais indicado para solucionar o problema nessa peça do carro. Mas, já sabemos que muitos produtos com preços baixos e desconhecidos podem causar um estrago maior. O ideal é ter bom senso e escolher um produto com um bom preço e que tenha uma boa reputação. Dessa forma não tem como errar.

Aditivos que aumentam a potência do carro são verdadeiros?

Não. Esse tipo de produto não funciona. Eles apenas promovem uma ilusão. Como foi dito anteriormente, o aditivo serve apenas para manter o bom funcionamento do carburador e nada mais que isso. Então não caia em falsas promessas. Além de perder dinheiro, esse produto pode causar danos ao seu carburador.

Quem usa gasolina aditivada precisa comprar aditivo?

Essa é uma dúvida que também ronda a mente de muitos usuários de carro. A resposta é bem simples. Se o dono do carro já tem o costume de usar a gasolina aditivada, ela já faz esse trabalho no carburador. Então provavelmente não será preciso se preocupar com isso. Mas se for usada gasolina comum, aí é necessário fazer sim a manutenção do carburador, e verificar a necessidade de está adicionando o aditivo nessa área de forma correta.

A ideia desse texto é justamente mostrar que muitas pessoas tem uma referência errada sobre o uso do aditivo. E nesse artigo eu expliquei de forma simples sobre esse produto!

Escrito por Cristiane Amaral


Transformar Motor a Gasolina em Flex com uso de Chip – Verdade ou Mentira?


Saiba aqui se é possível transformar um motor a gasolina em flex utilizando chip.

O clássico motor a gasolina é ainda o mais eficiente e utilizado em todo o mundo. Na história dos automóveis a propulsão, a gasolina se estabeleceu de forma imperiosa. A indústria produz automóveis que quase sempre, em sua maioria, são abastecidos com o mesmo tipo de combustível. Porém, a modernidade está invadindo todos os setores de produção e a indústria automobilística não é uma exceção.

Recentemente uma nova ideia foi inserida no segmento automobilístico, e esta ideia está expressa em forma de uma pergunta:

O motor movido à gasolina pode ou poderá ser transformado em um tipo Flex por meio da utilização de um chip?

Este assunto está começando a ocupar a mente de muitos engenheiros mecânicos por aí. Em alguns setores, em oficinas mecânicas, este recurso de instalação de dispositivo Chip está sendo ofertado aos clientes. O serviço consiste no seguinte:

O chip tem meios de proporcionar uma qualitativa transformação no motor importado do veículo do cliente (o qual opera somente a partir de gasolina), em modo Flex. Porém, o questionamento é rigoroso: Será que esse método é verdade? E se for, funciona mesmo?

O esquema é o seguinte:

Toda pessoa que seja proprietária de um automóvel importado, o qual só roda e só pode ser abastecido à base de gasolina, poderá sentir o peso do valor desse combustível e certamente pensará que seria possível, e melhor, fazer esse motor funcionar a partir de uma alternativa, como etanol, por exemplo.

Qual é o método de efetuar essa transformação para um motor tipo Flex?

A crença popular, por assim dizer, vê essa situação como uma mecanização que sai da indústria como Flex, sem chance de ser outra coisa. Mas, os consumidores estão enganados. Neste momento é essencial prestar muita atenção para uma meia verdade, seguida da famosa picaretagem que é aplicada em muitas oficinas mecânicas.

Muito “profissionais” mecânicos convencem seus clientes de que a mudança de Chip se dá na central eletrônica do veículo e, a partir desta alternação do Chip, o mesmo poderá funcionar à base de etanol, como combustível. A partir de então o cliente começa a abastecer seu automóvel com gasolina ou mesmo com álcool, sem que o mesmo apresente algum sinal de estranhamento, ou funcione mal, ou nem pegue.

Verdade ou mentira? Meia bomba.

Trata-se de uma meia verdade, dado que esse tipo de chip opera apenas de modo a fazer disfarçar, para a própria motorização, a situação em que o tanque do carro estará sendo cheio com etanol. Este dispositivo faz aumentar a tolerância de quantidade de combustível tipo injetado, levando em conta que o álcool, como substância volátil e útil para a mecânica de carros, necessita de uma maior quantidade de injeção sobre o motor, com relação a relação gasolina.

Tudo isso parece muito profissional, lógico e até bonito, para quem é leigo. Mas, como foi acima explicado, meias verdades não ajudam.

Embora haja uma pequena vantagem, o barato pode sair caro, levando em conta que, a partir daí o motor perderá muito de sua potência e eficiência, e quando os especialistas dizem muito é muito mesmo!

Com relação às emissões ele também terá menor vantagem, e isso não é bom. Tudo isso sem mencionar que o consumo poderá dobrar, seja o carro abastecido com gasolina seja abastecido a etanol. Um velho ditado de sabedoria diz que é melhor conservar as coisas do jeito que estão. A picaretagem no Brasil pode não ter limites.

Cuide de seu carro e esteja mais satisfeito com sua configuração e consumo.

Paulo Henrique dos Santos


Nissan Kicks pode Ganhar Novo Motor Híbrido e-Power


Motorização deve fazer o modelo atingir a marca de 30 km/l.

A Nissan Motor Company, popularmente conhecida como Nissan, apenas, consiste em uma grande cooperativa multinacional, produtora de automóveis de origem japonesa. Recentemente esta mesma empresa voltou a surpreender seus clientes.

O modelo Nissan Note tornou-se o veículo mais comercializado no Japão, no ano de 2018, porém, esta estatística não é muito interessante para os brasileiros, ainda sendo que o que realmente interessa ao consumidor sul americano está nos seus atributos e especificações, que incluem um inédito e eficiente sistema de motorização, intitulado e-Power. O essencial de um veículo é a sua potência e força.

A companhia Nissan, por meio de seus líderes, fez anunciar oficialmente que este novo conjunto motriz, que constitui o Note e-Power, está sendo instalado num protótipo para a futura versão híbrida do modelo Kicks, o qual será comercializado no mercado brasileiro a partir do ano de 2021.

Os representantes da companhia estão prestes a apresentar, em território nacional, o protótipo japonês do automóvel em questão, que consiste em um modelo próprio para testes e está sendo utilizado há quatro meses, no sentido de se avaliar seu desempenho total, como no caso do trem de força em nosso território, por exemplo.

A revista Quatro Rodas participou de alguns testes. Neste momento, porém, o foco não está no modelo Note, como um todo, já que se trata de compreender um pouco mais do essencial de sua inédita motorização.

Para começar, citemos algumas especificações deste sistema mecânico:

Está constituído de um tipo de motor Tricilindro, movido a gasolina, com desempenho de 1,2 litro, utilizando o combustível contido no tanque para fortalecer a sua bateria de 1,5 kW. Esta, a partir daí, opera automaticamente de modo a canalizar energia para um motor elétrico instalado sobre o seu eixo dianteiro.

A fonte essencial e única que fornece energia é a gerada por meio do motor movido a combustão. Portanto, este sistema opera de modo a não necessitar de recarga externa. Isto é bem interessante no sentido econômico.

Esta mesma bateria, de pequeno porte, está munido de 5% de capacidade para o armazenamento de um Leaf. Assim, o dispositivo funciona de modo a alimentar autonomamente o próprio motor, embora este processo se dê num tempo que não excede mais que alguns minutos, dentro de uma velocidade baixa.

Entretanto, assim que o condutor mete o sapato com intensidade no acelerador, o mesmo gerador é acionado e entra em ação. Quase uma inteligência artificial interagindo com o motorista.

A partir do computador de bordo, de pequeno porte, deste protótipo, em que o volante está instalado ao lado direito, será possível ao condutor poder verificar todo o processamento de fluxo de entrega da energia produzida pelo gerador, destinada à bateria e desta direcionada para o propulsor elétrico do carro. Uma sequência quase ambientalmente correta.

Pois, sendo todo este desempenho de grande interesse, é importante listar alguns de seus atributos:

Está munido de 112 CV na parte do motor elétrico, que está instalada abaixo dos poucos 114 CV pertencentes ao Kicks 1.6, além de os 25,9 KGFM em torque, que é muito superior aos 15,5 KGFM, que são gerados pelo utilitário SUV, e que fazem do modelo Note e-Power um veículo muito eficiente.

Este Kicks está tendendo a superar outro em termos de desempenho e de eficiência, estando equipado deste sistema, dado que o Monovolume apresenta um consumo acima de 35 km/l, além de fazer expandir sua autonomia à marca de 1.200 km.

Para o Brasil, haverá grande possibilidade de este motor movido a combustão ser do tipo Flex e rodar com etanol.

Paulo Henrique dos Santos


Land Rover Evoque e Discovery Sport ganham Novo Motor 2.0 Flex


Novo motor deve manter a potência da versão antiga.

Todo lançamento de um novo automóvel constitui uma grande evento, sobretudo na atualidade, onde as tecnologias estão cada vez mais invadindo, de modo positivo, a produção de carros em todo o mundo, já que, dada a grande competitividade no ramo, nenhuma empresa quer ficar para trás.

Recentemente, a grande companhia Land Rover fez anunciar, na última quarta-feira, dia 28 de novembro, o lançamento do seu primeiro motor tipo Flex em território brasileiro. Inicialmente, serão dois modelos agraciados com essa aparelhagem, o Evoque e o Discovery Sport, os quais receberão o motor tipo 2.0 turbo, já adaptado no sentido de ser abastecido com dois tipos de combustível, a gasolina ou o etanol, dentro de qualquer proporção que o veiculo apresente.

Sobre os valores no mercado, segue a seguinte relação:

O modelo Evoque SE flex, no valor de 212.900; o modelo Evoque HSE Dynamic flex, no valor de 247.900; o modelo Discovery Sport SE, no valor de 214.900; o modelo Discovery Sport HSE, no valor de 240.900.

Estes constituem preços cuja validade se estenderá até o dia 31 de dezembro de 2018. Depois dessa data, todos os valores serão reajustados, conforme segue abaixo:

O modelo Evoque SE flex ficará disponível pelo valor de 234.500; o modelo Evoque HSE Dynamic flex ficará disponível pelo valor de 271.200; o modelo Discovery Sport SE ficará disponível pelo valor de 230.200 e o modelo Discovery Sport HSE ficará disponível pelo valor de 254.500.

Sobre o motor Flex 2.0 seguem as informações:

Este motor intitulado Flex, produzido pela da marca britânica, consiste em um equipamento mecânico munido de 2.0, oriundo da família Ingenium, sendo o mais moderno produzido na companhia. Entretanto, com a alteração significativa que nele foi produzida, ainda assim este motor não teve a sua potência de 240 cavalos e o impulso de torque de 34,6 KGFM alterados. O motor se mantém, embora seja, ao mesmo tempo, modernizado.

De acordo com as informações angariadas da própria companhia, este mesmo motor foi inteiramente desenvolvido por meio dos colaboradores pertencentes ao departamento de engenharia desta indústria, localizada na região da cidade de Itatiaia, no Estado do Rio de Janeiro, que conta com o grande auxílio oriundo de sua matriz.

Trata-se de uma novidade que chega para incrementar, por assim dizer, na forma de potência mecânica, os melhores modelos produzidos pela empresa Land Rover. Os consumidores mais atentos e mais abastados já poderão desfrutar dessa vantagem que, basicamente, quase significa o lançamento de um novo modelo.

A companhia Land Rover consiste na quarta maior fabricante premium a lançar o motor flex. Junto dela está a marca BMW; a marca Audi e a marca Mercedes-Benz, que já possuem este tipo de tecnologia sendo utilizada em suas produções no país.

O modelo Evoque sofreu significativas alternações em seu exterior. Seguem as informações:

De modo curioso se pode constatar que a estreia do modelo Evoque Flex se deu alguns dias após o mesmo ganhar o seu atual visual, inteiramente renovado para o mercado da Europa. Esta mesma empresa já fez confirmar que o novo modelo Evoque já está próximo de chegar ao Brasil, muito provavelmente a partir do segundo semestre do próximo ano, 2019, inicialmente ao modo de importação.

A empresa JLR ou Jaguar Land Rover, consiste em uma subsidiária da companhia indiana intitulada Tata Motors. Em território brasileiro existe um número de 35 concessionárias autorizadas pela marca, desde o ano de 1992, em que a companhia retornou ao Brasil, tornando-se a Land Rio do Estado do Rio de Janeiro, a mais antiga delas.

Paulo Henrique dos Santos


Troca de Óleo do Carro – Cuidados e Dicas


Confira aqui algumas dicas para a hora de trocar o óleo do motor de seu carro.

Ter um carro é essencial nos dias de hoje. Ele ajuda muito na hora de realizar tarefas do dia a dia e não é mais considerado como supérfluo. Mas para um carro funcionar perfeitamente, ele precisa passar por algumas revisões e evitar possíveis problemas em sua funcionalidade. Uma das principais revisões feitas em um carro é a troca do óleo do motor do carro. É necessário seguir algumas dicas para não cometer erros nesse processo. É importante lembrar que não trocar o óleo do motor, pode trazer danos graves a essa área do carro.

Veja abaixo o que não fazer na hora de trocar o óleo do motor do seu carro.

1-Não use aditivos no motor do seu carro

Muitas pessoas que possuem carro acabam cometendo esse erro, que é de usar aditivos em seu motor. Essa prática só vai estragar o seu motor em pouco tempo, e ocasionar um gasto muito alto para reparar essa peça.

2-Não complete o nível de óleo do seu carro

Outro erro comum de muitos usuários de carro é a prática de completar o nível de óleo do carro. Muitas pessoas pensam que vão economizar dessa forma, isso é um grande engano. O ideal é fazer a troca total do óleo do motor, isso vai manter o bom funcionamento e desempenho do motor, mesmo que ele seja de um carro novo.

3-Não limpe a vareta com estopa

Essa é uma das dicas mais importantes para quem quer manter o motor em perfeito estado. Em hipótese alguma limpe a vareta com estopa. Essa prática só vai deixar fiapos de tecidos que só servem para contaminar o novo óleo e vai deixar resíduos de óleo antigo, estragando todo óleo novo.

4-Não ande com o carro se o nível de lubrificante estiver abaixo ou acima do nível indicado

Muitas vezes a pressa do dia a dia, faz com que o dono do carro cometa esse erro. Pois mesmo sabendo que o nível de lubrificante está errado, algumas pessoas ignoram e continuam usando o carro assim mesmo. Essa prática ajuda a desgastar os componentes do motor e faz com o ele diminua drasticamente sua potência. Além de aumentar as chances de fundir o motor. O que deve ficar claro nessa explicação é que o barato vai sair caro mais cedo ou mais tarde.

5-Não trocar o filtro do óleo

A maioria dos motoristas não ficam atentos a troca do filtro do óleo, e muitos só se lembram disso, quando o carro já está apresentando algum problema no motor ou quando algum mecânico sinaliza essa troca. Realizar a troca desse filtro é essencial, pois ele conserva em seu interior uma quantidade de óleo oxidado, e ele é o responsável por contaminar o lubrificante novo, com isso ele acelera o processo de envelhecimento. O ideal é sempre realizar as revisões do carro e aproveitar para trocar o filtro do óleo.

6-Trocar o óleo em postos de gasolina

Essa é uma prática muito comum e totalmente errada, já que esse serviço é feito pelos frentistas, que não aptos e nem preparados para esse tipo de serviço, e na maioria das vezes, o carro acaba apresentando problemas logo depois dessa troca. O ideal é levar em um local próprio para isso.

7-Uso do botijão fechado indevidamente

Outra prática indevida é o fechamento do botijão de forma errada. Fazer isso pode trazer algumas consequências como vazamentos. A forma correta de fechar esse botijão é levar em um profissional especializado.

8-Pingar óleo no motor

Outra prática bem comum entre os motoristas, é a de pingar óleo no motor. Isso só vai trazer problemas como risco alto de danificar o motor e diminuição da lubrificação.

9-Não respeitar o prazo de troca do óleo do motor

Todo carro vem com seu manual do proprietário. Nele é possível ver a orientação para a troca do óleo, que normalmente é indicado a cada 5000 km ou 10000km. Não respeitar essa orientação pode trazer o desgaste rápido do motor.

10-Misturar lubrificantes

O proprietário de um carro pode até misturar lubrificantes em alguma ocasião de emergência, mas é necessário que eles contenham a mesma base. Dessa forma o motor do carro não sofrerá problemas.

Essas são as 10 dicas para não fazer na hora da troca do óleo do motor!

Escrito por Cristiane Amaral


Land Rover Discovery 2019 – Novo Motor 3.0 Turbodiesel


Novo motor deverá equipar veículos muito em breve.

A companhia Land Rover consiste em uma subsidiária da empresa indiana de título Tata Motors. Em território brasileiro existe mais ou menos um número de 35 concessionárias autorizadas, desde o ano de 1992, tempo em que a marca retornou ao país, estabelecendo aqui maiores raízes, tornando-se, deste modo, a famosa Land Rio do Estado do Rio de Janeiro a sede mais antiga.

Assim, o novo modelo sofreu significativas alterações em seu design e, sobretudo, em termos de novas tecnologias de assistência direta ao motorista.

A empresa Land Rover está anunciando, portanto, nesta mesma semana, para o exterior, a chegada ao mercado de uma nova alternativa no que tange à motorização de tipo TurboDiesel para toda a família do modelo Discovery. Depois de ser elaborado, o veículo recebeu o título de SDV6, com capacidade de 3.0 litros em termos de descolamento; ele porta um estilo de propulsor com desempenho de até 306 CV de potência e mais 71,4 em KGFM de torque em seu máximo. Entre outros atributos e especificações que compõem este modelo, podem encabeçar a lista o fato de o mesmo estar munido de um eficiente sistema de admissão modificado e de um injetor de oito furos, capaz de proporcionar um máximo de bom desempenho e eficiência.

Se analisado na prática, esta capacidade de velocidade pode levar este SUV, que possui mais de duas toneladas, de 0 a 100 km por hora em uma fração de 7,5 segundos. Entretanto, além deste novo motor, o modelo Discovery incorpora um poderoso e inédito sistema que opera de forma a garantir maior segurança a todos, ou seja, o Sistema de Detecção de Saída Segura, o qual aciona um alerta para o condutor e os passageiros em situações de aproximação de veículos de ciclistas e demais possíveis perigos, que podem ocorrer na parte de trás, em relação ao ato de desembarcar do veículo. Na medida em que é identificada a presença de algum obstáculo qualquer, uma luz de aviso é acionada na porta, a qual acende e solta a advertência aos ocupantes do carro.

De acordo com o que especialistas informam, as mais recentes atualizações reforçam o patamar que o modelo Discovery ocupa como um tipo de SUV familiar, muito mais versátil e mais potente dentro do mercado. Com relação ao nosso novo motor, de tipo movido a diesel, o mesmo disponibiliza níveis mais elevados em termos de desempenho e de eficiência, ao passo que, no cerne das novas tecnologias de segurança, nele incluídas, as mesmas funcionam na proteção tanto dos ocupantes do veículo como dos pedestres. O próprio executivo do grupo Jaguar Land Rover divulgou esta novidade.

Portanto, existe uma imensa expectativa de que a estreia deste novo motor, com todas as suas especificações e atributos, possa acontecer muito em breve, também em território brasileiro. Entretanto, aqui mesmo, no Brasil, o modelo Discovery, atualmente, está aparelhado com dois tipos de motores, ou seja, o 3.0 TD6 com desempenho de 258 CV e o 3.0 V6 Si6 movido à gasolina e desempenho de 340 cv.

A companhia Land Rover está entre as mais importantes e competitivas no mercado internacional e os modelos por ela produzidos são intensamente comercializados. Apesar da existência de um grande mercado automobilístico muito competitivo em todo o mundo, ainda assim, a variedade do gosto e exigência humana é infinita, sem mencionar a questão da segurança, o que pode constituir uma grande vantagem para todas as montadoras existentes, dado que, nesse sentido, é possível agradar “gregos” e “troianos” ao redor do globo. Porém, uma empresa que lança um veículo como o Discovery sempre tem chance de dar um passo adiante nessa vanguarda tecnológica, pela alta categoria apresentada pelo carro em questão.

Vale a pena conferir.

Paulo Henrique dos Santos


Fiat lança Novos Motores Firefly Turbo 1.0 e 1.3


Novos motores só deverão chegar ao Brasil em 2020.

A Fiat continua na luta para ser uma das marcas de automóveis mais admiradas dos brasileiros e com isto ter os seus carros entre os mais vendidos do país, mas a missão não é nada fácil e a empresa pretende crescer lá fora também, pois tem perdido uma boa fatia do bolo. A concorrência é grande e tem lançado modelos que vão de encontro ao gosto do consumidor, mas algumas novidades poderão fazer com que a Fiat consiga reagir. Os motores turbo 1.0 de 120 cv e também os motores 1.3 de 180 cv prometem chamar a atenção de quem pretende comprar um carro econômico, mas potente.

Os motores Firefly terão versões turbinadas, é o GSE – Global Small Engine e já foram apresentados no Simpósio Internacional de motores de Viena. A intenção da Fiat-Chrysler é fazer com que estes dois motores turbos possam estar presentes em vários modelos da marca, mas ainda será feito um estudo para ver o que seria vantajoso e principalmente, qual seria a aceitação do mercado.

Esse motor turbo 1.0 que foi mostrado em Viena, conta com 120 cv e 19,3 kgfm de torque. Já o motor 1.3 oferece 180 cv e 27,5 kgfm e este resultado é obtido usando o turbo de fluxo único, mas a Fiat tem um projeto em desenvolvimento onde é analisado o uso de uma nova versão que usaria fluxo duplo, porém, a empresa preferiu não dar detalhes do que já obteve até o momento e quais seriam as vantagens oferecidas por esta nova versão.

Um detalhe importante é que ambos os motores oferecem a opção de serem eletrificados, no caso do uso ser em modelos híbridos. Já tinha vazado a informação de que estava sendo testado um Cronos com o motor 1.3 turbo, só que os engenheiros aqui do Brasil acharam melhor deixar a potência entre 150 e 160 cv, levando em consideração a resistência do motor e também do câmbio automático.

E há muitas alterações que ainda poderão ser feitas. Esse modelo aspirado conta com 2 válvulas por cilindro, entretanto, há versões que tem cabeça com 4 válvulas por cilindro. Em outra linha, foi implantada injeção direta com pressão de 200 bar, tendo controle de válvulas variável e o cabeçote foi integrado ao coletor de escape. Estas modificações são importantíssimas, porque irão ajudar na redução do aquecimento e também garantindo maior economia de combustível. O cabeçote e o bloco são todos em alumínio e o peso total do motor não passa de 91 kg na versão 1.0 de 3 cilindros e fica em 110 kg na versão 1.3 de 4 cilindros.

A princípio, a intenção da Fiat era desenvolver apenas uma versão, Firefly turbo 1.3. A versão 1.0 ficou na gaveta por um longo período, com a empresa em dúvida se esse projeto seria ou não desenvolvido. Quando os trabalhos começaram é que a versão 1.0 foi aprovada, pois os engenheiros descobriram as muitas vantagens termodinâmicas e ficaram empolgados com as novas possibilidades.

Agora a Fiat acredita que esses motores Firefly serão utilizados por um longo período, inclusive já há projetos para eles serem usados nos lançamentos que acontecerão até depois de 2025, mas claro que até lá os estudos continuaram sendo feitos, muitos projetos serão testados e pode ser que a tecnologia encontre um caminho melhor para ser trilhado, mas por enquanto, é isto que a empresa tem em mente.

Para os brasileiros, a expectativa não é nada boa, pois estas versões turbinadas deverão chegar por aqui só em 2020, que é quando a Fiat pretende colocar no mercado uma reestilização do Argo e também do Cronos, então será usado o motor 1.3 turbo de 160 cv, substituindo o atual que é de 1.8 E.torQ.

Por Russel


Dicas para Evitar o Superaquecimento do Motor do Carro


Confira os principais motivos que fazem o motor do carro ferver e o que fazer para evitar esse problema.

Quem tem carro já deve ter passado pelo problema do motor ferver, se não passou é bom aprender as dicas do que fazer para resolver esse assunto sem pânico. Por isso, é muito importante verificar alguns detalhes do seu carro, como uma rotina de cuidado de tempos em tempos, dessa forma seu carro evita alguns danos como o superaquecimento do motor. Se por acaso seu carro estiver sofrendo com esse tipo de problema com frequência, siga as dicas abaixo:

Verifique o nível de refrigerante líquido

Muitas pessoas que possuem carro acham que devem apenas se preocupar com a quantidade de água para não aquecer o motor. Se o carro estiver passando por esse problema com muita frequência, o ideal é avaliar o nível do líquido de refrigeração. Esse líquido é o responsável por não deixar o motor congelar no inverno e evita que ele esquente muito no verão, por isso o carro não pode ficar com o líquido abaixo do nível.

Verifique a tampa do radiador

Outro detalhe simples e que às vezes passa despercebido pelos donos de carro é o defeito na tampa do radiador. Se a tampa não estiver enroscando perfeitamente, o vapor e a água vão sair facilmente e o motor vai superaquecer, e se o motorista insistir em andar com o carro assim, o radiador vai fazer uma fumaça muito forte e assim forçar um apagão no carro. Se perceber que a tampa do radiador está ruim, não deixe para depois, passe em uma loja de peças de carro e compre outra, ela não custa caro e você ainda evita problemas futuros com o carburador.

Problemas na ventilação do carro

Outra razão para superaquecer o carburador de um carro, é o problema com a ventilação. Quando a ventoinha da ventilação está com problema, isso pode virar um problema de grade proporção, e os gastos também não ficam baratos. A ventilação do carro é extremamente importante, pois é responsável por manter o motor na temperatura ideal, evitando assim o superaquecimento. Caso seu carro tenha problema com a ventilação parada, não force ele a andar, o ideal é levar para um reparo o mais rápido possível e troque de peça o quanto antes.

Problemas no painel de instrumentos do carro

Outra razão para causar aquecimento no motor do carro é algum tipo de problema no painel do carro. Um dos principais problemas que levam o usuário a não perceber que está aquecendo além do normal é o defeito no termômetro. Se ele pifar não mostrar o real problema, o dono do carro pode nem perceber a tempo. Com o painel de instrumento do carro com defeito, muitas informações importantes podem não ficar evidentes como: falta de óleo, falta de água entre outras informações.

Problemas com a bomba de água do carro

A bomba de água é responsável por fazer a água circular e assim evitar que o motor ferva, causando sérios problemas ao carro. Se o motor do seu carro anda superaquecendo, o ideal é dar uma verificada na bomba de água, ela pode estar com defeito já um certo tempo e isso passou despercebido. O ideal é levar para um profissional avaliar se esse problema danificou o motor ou outra parte do carro.

Dicas extras para não sofrer com esse problema no seu carro

Não é novidade que um carro precisa de manutenção de tempos em tempos, essa rotina de cuidado é apenas uma prevenção para evitar grandes problemas futuros. Na maioria das vezes que levamos o carro para uma revisão de rotina normalmente aparece um probleminha, que se reparado no início pode evitar grandes estragos no seu carro lá na frente. Não deixe de agir com cautela e terá um carro sem problemas!

Por Cristine Amaral

Motor aquecido


Carro com Motor Fervendo – O Que Fazer?


Saiba aqui o que fazer caso o seu carro tenha o motor fervendo.

O QUE FAZER EM QUANDO O MOTOR DO CARRO FERVER?

Uma das piores experiências que um motorista pode ter é a de estar viajando tranquilamente e de repente perceber que a frente do carro está saindo aquela fumaceira. Além de apavorante, também pode ser muito constrangedor, visto que todos a sua volta ficam com olhar atento, julgando sem palavras, o possível desleixo do dono do carro.

Independente de acontecer no trajeto para um passeio com a família no final de semana ou no caminho para o trabalho, é sempre uma experiência traumática. Até porque, na maioria dos casos, não se sabe ao certo qual o real problema.

EXPERIÊNCIA VIVIDA NA PELE

Permita-me contar-lhes uma experiência pessoal. Certa vez, estava voltando para casa, após um dia longo de trabalho, cansado e com a esposa dentro do carro. Vínhamos tranquilamente na estrada, já havíamos percorrido mais de 90% do caminho, estávamos a menos de um quilometro de casa, quando o carro começou a apresentar problemas, a luz do painel acendeu e começou, quase que simultaneamente, a sair muita fumaça da dianteira do veículo.

Rapidamente joguei o carro no acostamento e deixe ir no embalo até um posto de gasolina que estava a 20 metros de distância. Confesso que naquele momento só passou o pior em minha cabeça, mas tentei me controlar, para não desesperar minha esposa. Parei o carro já no pátio do posto e abri o capô, constatando o superaquecimento do motor.

POR QUE O CARRO ESQUENTA O MOTOR?

Explicando de forma bem simples, todos sabem que o motor de um carro funciona a partir da combustão gerada no momento da partida, fazendo com que os pistões se movimentem rapidamente, fazendo o carro andar. Contudo, esse processo produz um calor enorme, para controlar a temperatura é que existe o sistema de arrefecimento, responsável por mantê-la próxima dos 100º C.

Quando ocorre algum problema neste mecanismo de arrefecimento, o motor esquenta demais e acaba fervendo. Em alguns casos o calor é tão intenso que acaba fundindo algumas peças, prejudicando o motor. Lembra do meu caso? Graças a Deus não houve nada de mais sério, pois assim que percebi os sinais de aquecimento parei o carro prontamente.

QUANDO OCORRE ESTE PROBLEMA

O carro pode ferver por diversos fatores, o mais comum é quando o motorista esquece de verificar o nível de água do sistema de arrefecimento e deixa faltar. Quando isso ocorre o sistema não funciona e o motor acaba aquecendo.

Outra ocasião onde pode ocorrer tal tragédia é quando alguns dos componentes do mecanismo deixam de funcionar ou são danificados de alguma forma. No meu caso, a mangueira havia arrebentado, deixando vazar toda a água do sistema de arrefecimento, o que ocasionou o problema. Contudo, isto ainda pode ocorrer quando a bomba de água deixa de funcionar ou para de receber corrente do motor.

O QUE FAZER EM QUANDO O MOTOR DO CARRO FERVER?

Se você estiver dirigindo tranquilamente e for alertado pelo painel (uma luz vermelha de emergência se acenderá), pare o carro imediatamente e desligue o motor. A primeira coisa é não se desesperar, pois isto ocorre com maior frequência do que se imagina. Após parar, siga os seguintes procedimentos:

1. Cuidado ao levantar o Capô

Antes de abrir o capô, verifique se não existe sinal de vazamento de água ou chamas na frente do carro. Caso não esteja com um destes problemas, abra-o lentamente, observando se existe alguma alteração que possa lhe causar algum dano físico.

2. Não abra o reservatório de água

Lembre-se, o carro já está fervendo, isso significa que o motor está há uma temperatura extrema, caso ainda tenha algum líquido dentro do sistema de arrefecimento, ao abrir o mesmo será ejetado e poderá causar queimaduras gravíssimas.

3. Chame ajuda profissional

Como em qualquer situação de sinistro no automóvel, a melhor opção sempre será chamar o socorro. Caso tenha seguro, normalmente existe agregado ao plano o serviço de assistência técnica. Ligue e solicite um profissional no local ou um reboque para remover o carro até uma agência autorizada.

Para aqueles que não possuem algum tipo de seguro, ligue para um mecânico de sua confiança e solicite seus serviços. Apenas um profissional poderá dizer ao certo qual o problema do carro.

Em casos mais extremos, onde não há a possibilidade de contatar ajuda, espere o motor do carro esfria, verifique se existe algum vazamento na parte de baixo, abra o reservatório de água e encha novamente até a altura indicada. Este procedimento deve ser realizado com o carro ligado. Observe se ao enchê-lo o nível de água permaneceu o mesmo ou baixou. Caso tenha baixado, complete novamente até completá-lo.

4. Prevenção é o melhor “remédio”

É claro que não é preciso deixar o carro chegar a este extremo. Fazer a prevenção sai sempre mais barato do que precisar resolver o problema após o susto. Dessa forma, conferir periodicamente o nível de água antes de sair de casa é indispensável. Outra medida preventiva é levar o carro regularmente para a manutenção.

Cuidar bem do carro é o segredo para viagens tranquilas e a certeza de que irá chegar bem ao seu destino.

JUANITO TEIXEIRA CARVALHO


Qual a diferença entre um motor a diesel e um flex?


Entenda a diferença entre um motor a gasolina ou etanol, e um movida a diesel

Hoje em dia temos duas alternativas de motores principais no Brasil: o bicombustível, o também conhecido como flex e o diesel. Muitas especulações há também sobre qual deles é o melhor, quando se trata de torque, custo e potência final. Todas as picapes fabricadas em território brasileiro hoje possuem versões de ambos os motores. Porém, esta análise é relativamente complexa e envolve diversos fatores, entretanto aqui iremos explanar somente como tais motores funcionam.

Ambos funcionam em quatro tempos

Primeiramente, ambos os motores possuem quatro estágios, são eles:

  1. Admissão: momento que ocorre a entrada de ar/combustível;
  2. Compressão: acontece a compressão da mistura admitida no estágio anterior;
  3. Explosão: aqui ocorre a explosão, devido a faísca elétrica da vela;
  4. Escape: este estágio permite que os gases formados sejam liberados.

Note que desconsideramos os motores de dois tempos, como aqueles presentes em motocicletas, neste artigo.

O motor que utiliza bicombustível, isto é, o flex, também conhecido como motor de combustão ou explosão funciona com ignição através da centelha, assim fazendo uso de uma vela de ignição, e utilizando como combustível tanto o etanol quanto a gasolina. É uma alternativa criada no Brasil, onde foi feito uma adaptação em seus motores originais a gasolina para que dessa forma tivessem uma maior flexibilidade.

O motor que tem o diesel como combustível, chamado também de motor de ignição por compressão, foi criado no ano de 1893 pelo engenheiro alemão Rudolph Diesel. Ele tinha como princípio para funcionar a combustão, que é provocada pela elevação da temperatura interna do ar na câmara de combustão de modo que a mesma atinja o ponto de auto-inflamação do combustível, assim que for comprimido o ar. Desta forma, não necessita de vela de ignição.

O combustível óleo diesel não é injetado na câmara de combustão da mesma forma que no bicombustível, ou seja, sob a forma de mistura com ar, mas sim introduzido sob uma pressão alta por meio de um injetor. No interior da câmara de combustão, o diesel se inflama ao entrar em contato com o ar quente, devido a forte compressão. É função da bomba realizar o fornecimento do óleo para cada injetor em alta pressão.

Logo, as principais diferenças são

  • motores a diesel têm uma taxa de compressão maior que os movidos a gasolina e etanol;
  • carros flex têm maior número de giros por minuto (RPM). Esta é a principal razão pela qual motores a diesel têm maior durabilidade;
  • motores a diesel, principalmente por precisar de menos giros, tendem a ser mais econômicos;
  • veículos a diesel tendem a vibrar mais que aqueles a gasolina ou etanol;
  • pelo maior giro, motores flex tendem a gerar maior velocidade final que motores a diesel de mesmo tamanho;
  • o torque tende a ser maior em motores a diesel.

Curiosidades

  • a manutenção dos motores a diesel tende a ser mais complexa (e, portanto, mais cara) que aquela para veículos movidos a gasolina ou etanol, embora sua durabilidade seja maior;
  • no Brasil, somente utilitários e caminhões podem ser movidos a diesel. Veículos de passeio são proibidos, desde 1976, a adotar o combustível;
  • na Europa, carros a diesel são os mais populares. É possível encontrar Smart, Renault Clio e outros pequenos com propulsores desse tipo;
  • em contrapartida, nos Estados Unidos, veículos movidos a diesel são raros. Mesmo caminhões pequenos costumam ser movidos a gasolina. A exceção fica por conta das carretas (18 wheelers), normalmente movidas a diesel;
  • há veículos Flex com diesel e etanol. A Iveco, por exemplo, lançou há alguns anos uma linha de caminhões que roda com até 85%, a Iveco Trakker Bi-Fuel Ethanol-Diesel, um pesado para 45 toneladas. Seu funcionamento, contudo, é similar ao de um motor a diesel, com ignição por compressão, sem velas. Daí a necessidade de haver um mínimo de diesel, um combustível de queima mais fácil, para que a centelha inicial se acenda. O caminhão não se encontra mais no site da fabricante.

Motor com 8 cilindros em linha


Fim do Motor a Combustão em Carros pode estar Próximo


Venda de Carros equipados com este tipo de motor pode acabar até 2035.

Um recente estudo produzido pelo instituto de pesquisa que monitora condições climáticas do mundo, a Climate Action Tracker, sugere que a venda de carros com motor movido a combustão deve acabar até 2035. Isso se dá ao fato de que, de todos os gases tóxicos que são responsáveis pelo crescimento do efeito estufa e, por consequência, o aquecimento global. Ao menos 14% dos gases tóxicos expelidos na atmosfera vêm da queima de combustíveis fôsseis, principalmente o da gasolina e do diesel.

Já a algum tempo o planeta tem sofrido com o efeito estufa, que é um fenômeno natural provindo do aquecimento térmico da Terra. No entanto, nas últimas décadas, a concentração natural dos principais gases isolantes como dióxido de carbono, óxido nitroso, metano e cloro-fluor-carboneto tem aumentado graças a interferência humana, com desmatamentos e queima diária e interrupta de combustível fósseis que aumentam exageradamente a poluição do ar, resultando na elevação de temperatura.

Segundo uma pesquisa realizada pela cientista Carolyn Snyder, da Universidade de Stanford na Califórnia, EUA, e revelado pela revista “Nature”, o efeito estufa pode contribuir para um aumento bastante significativo na temperatura global no futuro, estima-se que podemos ter de enfrentar um calor entre 3 e 7 graus centígrados mais altos.

Justamente por esse motivo é que o desenvolvimento de carros ditos “verdes” ou “ecologicamente corretos”, em especial os elétricos, são uma necessidade para salvar nosso planeta. A ideia do instituto Climate Action Tracker é que os carros movidos a combustão deixem de existir por completo até 2050, mas descontinuar totalmente a produção desses veículos e encerrar as vendas em menos de 20 anos exigirá transformações radicais em toda indústria automobilística.

No entanto, o assunto é extremamente sério e deve ser levado a diante, não é à toa que em dezembro de 2015, líderes de diversas potências se encontraram em Paris para uma conferência a respeito do clima terrestre, na chamada COP21. O objetivo principal dessa reunião é manter o aumento da temperatura global abaixo de 2 ºC.

Atualmente os maiores emissores de poluição por automóveis e caminhões com motores a combustão são: Estados Unidos, China, União Europeia, Índia, México e Brasil.

Pensando nisso, o Brasil assumiu o compromisso voluntário de reduzir em 37% suas emissões projetadas até 2025, aumentando sua contribuição em 43% até 2030 e, para manter o acordo, essas metas deverão ser incluídas na Lei 12.187/2009, como estabelece o PLS 750/2015, do senador Jorge Viana (PT-AC), que tramita na Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA).

Basta agora aguardar se o Brasil e os demais países, assim como a indústria automobilística, cumprirão com a meta e até 2050 passaremos a “encher” o tanque de nossos veículos com eletricidade ao invés de gasolina ou diesel.

Elis Nunes


Motor THP – Razões do Sucesso e Carros Equipados com o Motor


Saiba aqui as razões para o sucesso e os principais carros equipados com o motor THP.

O motor THP, projetado pela PSA Peugeot Citroën em parceria com a montadora BMW, é um dos grandes destaques do setor automotivo dos últimos tempos. Criado para unir tecnologia e manutenção econômica, o THP se tornou um sucesso em veículos das mais diferentes categorias e promete alcançar resultados ainda melhores em 2017, quando se tornará a única opção de motorização para todas as versões dos modelos Citroën C4 Lounge e Peugeot 308. Saiba mais sobre o motor THP e entenda o motivo de tanto sucesso.

Turbinado e eficiente, o motor THP – sigla para Turbo High Pressure, oferece tecnologia e baixo custo de manutenção para o usuário. Ele é capaz de sobressair em veículos de diferentes tipos e comportamentos, como é o caso do Peugeot 308 CC, Peugeot 508 e do Citroën DS3. Todos estes carros possuem o motor 1.6 turbo THP, que oferece boa potência e torque em todos os casos, além de agregar valor ao conjunto de cada modelo.

O motivo de tanto sucesso do THP vem do conjunto do bloco, que é composto por 16 válvulas com comando de admissão variável. Ele foi construído com o objetivo de reduzir o atrito no motor, resultando em economia de combustível e emissão de poluentes extremamente reduzida. A Peugeot Citroën e a BMW optaram por construir o bloco com tecnologia de acionamento pilotado para diversos componentes, como a bomba de óleo, a turbina do motor, alternador, bomba d’água e outros, fazendo com que todos estes componentes sejam controlados de acordo com um padrão eletronicamente definido, através do modo de injeção eletrônica. Esta tecnologia faz com que o funcionamento do motor seja mais preciso, diminuindo o gasto desnecessário de energia.

O primeiro veículo da Peugeot a receber o THP de fábrica foi o Peugeot 3008, um crossover que trazia baixa cilindrada e alta potência. Com os bons resultados obtidos com oTHP, a montadora resolveu equipar os modelos Peugeot 308CC, 508, 408, Peugeot RCZ e o 308 Feline com o motor. A Citroën decidiu também adotar o THP em alguns de seus modelos, como os carros Citroën DS3, DS4 e Citroën DS5, todos eles comercializados no Brasil.

Em 2017, o motor THP será a única opção disponível para todas as versões do Citroën C4 Lounge e Peugeot 308, além de ser opção também nos modelos já citados de ambas as marcas. É uma boa notícia para os consumidores que pretendem adquirir um dos modelos da Peugeot ou Citroën que oferecem o motor Turbo High Pressure, que poderão contar mais desempenho e a tecnologia em seus próximos veículos.

Por Luana Neves


Mercedes- Benz C 180 conta com um motor 1.6 turboflex


Os consumidores que aguardavam a disponibilidade de um motor de três volumes com capacidade de ser abastecido tanto com gasolina quanto com etanol já podem adquirir o Classe C 180 com essa incrível configuração com preço inicial de R$ 148.900.

Desde o mês de junho do ano de 2015, a renomada empresa fabricante de veículos automotores Mercedes- Benz já havia feito o lançamento do seu propulsor 1.6 turboflex, o qual na ocasião foi destinado exclusivamente para os veículos da família Classe A, com o passar do tempo fontes ligadas à empresa já ousavam em afirmar que o modelo Classe C também iria ser contemplado com esse propulsor inovador, porém com uma versão bicombustível, sendo que no momento de colocar em prática essa decisão a empresa preferiu aguardar para que essa nova configuração desse motor fosse lançada juntamente logo após produção da empresa ser nacionalizada.

Esse novo propulsor bicombustível que antes não passava apenas de meras especulações passou a ser uma realidade na Mercedes-Benz a partir do mês de julho deste ano de 2016, sendo que ele começou a ser ofertado aos consumidores na versão mais básica do veículo C 180, o qual é o exclusivo da marca a ser propulsionado por um motor de 1.6 litro turbocomprimido, sendo que agora os consumidores que aguardavam a disponibilidade de um motor de três volumes com capacidade de ser abastecido tanto com gasolina quanto com etanol já podem adquirir o Classe C 180 com essa incrível configuração com preço inicial de R$ 148.900.

O principal motivo que fez com que a fabricante optasse por lançar essa grande inovação no modelo C 180 foi o fato dele ser o veículo mais comercializado da gama. Por se tratar de mais uma aposta da fabricante aqui no mercado nacional, esse lançamento foi tratado de uma maneira bastante discreta pela empresa, sendo que ela preferiu por fazer apenas uma cerimônia de caráter mais simples e sem muitos holofotes. Para se ter uma exata noção de como a Mercedes-Benz está tratando este lançamento com muita discrição, ela não quis sequer fazer menção por meio de algum símbolo, insígnia ou logomarca que pudesse indicar o lançamento dessa tecnologia na carroceria do veículo, principalmente devido ao fato de que estas versões que serão comercializadas com esta configuração, em breve, ao que tudo indica irá extinguir em um curto espaço de tempo o C 180 movido exclusivamente a gasolina.

Essa nova aposta da Mercedes-Benz tem como finalidade principal trazer mais uma opção de escolha aos consumidores, bem como adequar os veículos às necessidades do mercado nacional para que ela chegue com bastante força para assumir a liderança no segmento dos sedans de luxo de médio porte.

Por Adriano Oliveira

Mercedes-Benz C 180


Hyundai HB20 ganha Novo Motor Turbo


Novo propulsor 1.0 Turbo estará presente em todas as versões do veículo e deixará o carro ainda mais potente.

Algo esperado há bastante tempo era sem sombra de dúvidas o famoso motor 1.0 turbo na linha HB20, da Hyundai. A montadora sul-coreana finalmente atualizou a linha e anunciou a chegada do referido motor para esta geração. Com preço partindo de R$ 47.445, o motor turbo deixa o modelo ainda mais apimentado é a grande aposta da montadora.

Um detalhe muito importante é que a Hyundai não associou o motor a apenas uma versão. Ou seja, todas as versões serão acompanhadas do 1.0 turbo. Além disso, saiba que a montadora também destacou que seu principal objetivo é tornar o HB20 um automóvel mais eficiente, quando consideramos o seu rendimento e seu desempenho. Portanto, o novo motor não chegou apenas para deixar o carro com toque mais esportivo.

E se você é um grande fã de motorização, saiba que esse lançamento irá lhe agradar bastante. O turbocompressor foi incorporado ao motor 1.0 Kappa, que dispõe de três cilindros. Essa junção resulta em nada menos que 105 cv a 6.000 rpm e 15 kgfm de torque a 4.500 rpm, levando em consideração seu desempenho via etanol. Com isso, são nada menos que 25 cv a mais que aqueles 80 cv oferecidos pela versão aspirada.

Além disso, segundo a fabricante, com a tecnologia do novo motor será possível acelerar de 0 a 100 km/h em 11,2 segundos. Trata-se de uma evolução considerável em relação à versão aspirada, haja vista a mesma ter o mesmo desempenho em 14,6 segundos. Dessa forma, o novo motor traz 23% a mais de rapidez. Outro destaque é quanto à velocidade máxima atingida: a nova versão (com motor turbo) pode chegar até 182 km/h. O aspirado, no entanto, possui velocidade máxima de 161 km/h.

Como destacado, o novo motor também promete eficiência. Por isso, o mesmo consegue fazer 8,2 km/l na cidade e 10,1 km/l na estrada, quando o mesmo é abastecido com etanol. Quando o mesmo roda a gasolina, saiba que os números passam a ser de 11,6 km/l na cidade e 14,3 km/l na estrada.

Com essa grande novidade, a Hyundai esperar aumentar ainda mais o seu número de vendas em relação ao HB20, haja vista essa atualização ter sido bastante esperada entre o público consumidor.

Por Bruno Henrique


Retífica do Motor – O Que é? Quando Fazer?


Confira aqui o que é a Retífica de Motor e quando é o momento certo para faze-la em seu carro.

O bom funcionamento de um carro depende dos cuidados que seus proprietários dispensam com eles, como uma boa manutenção. Ao ligar o carro, ele já começa a passar por fases e processos que ao longo de seu funcionamento, começa a gerar desgaste (eventualmente problemas) nas peças internas e como consequência uma menor eficiência do veículo. Por isso, alguns procedimento se tornam necessários conforme a idade do carro, como a retífica do motor.

O que é Retífica do Motor:

Com a idade do automóvel e sua alta quilometragem, é normal que o carro comece a ter uma redução no seu rendimento, além de gastar mais combustível e também óleo lubrificante. Uma grande maioria de proprietários de automóveis, quando isso acontece, opta pela troca do veículo. Alguns porque podem achar que o carro com um motor retificado pode não ficar bom como era, outros por desconhecerem o que é realmente uma retífica de motor, podem achar que se mexer no motor serão colocadas peças de segunda mão. Acontece que os serviços de retífica evoluíram bastante e atualmente contam com tecnologias capazes de deixar o motor do veículo tão bom quanto o novo.

A retífica vai trabalhar nas peças desgastadas do motor do carro, consertando-as. Pode ser feita parcial ou total, dependendo das condições nas quais o motor se encontra – isso será determinado pelo especialista, que realizará testes e avaliações . O importante é que o proprietário possa contar com bons profissionais, que sejam capazes de transformar as peças velhas em novas.

Quando fazer a Retífica do Motor:

Há como identificar possíveis sintomas de que o motor não está funcionando como deveria e que pode ter peças bastante desgastadas, sendo necessária uma retificação do motor. Alguns desses sintomas são: o alto consumo de combustível e óleo lubrificante; excesso de fumaça pelo escapamento; motor trabalhando com superaquecimento; baixa potência do carro e fortes barulhos vindos do motor.

Há outros casos em que também é preciso que se retifique o motor, nesses casos antes do tempo, daí a necessidade de cuidados e manutenção periódica, para evitar isso. Veja alguns deles: quebra da correia dentada, falta de óleo (ou mesmo óleo usado sempre no nível baixo) e também um hábito que muitos proprietários de veículos têm, que é o de manter o óleo velho por bastante tempo e ir apenas "completando o óleo" – é importante frisar que as trocas de óleo periódicas são muito importantes.

Por Lia Morale


Toyota afirma que Motores a Combustão serão Extintos até 2050


Montadora quer substituir modelos antigos por carros movidos a hidrogênio.

Para os carros que possuem motores a combustão, a novidade é que este tipo de motor já está com os dias contados. Segundo a montadora Toyota, os veículos que foram vendidos com sistema de propulsão alternativo a diesel e gasolina deverão sair de linha até 2050.

A pretensão é substituir os modelos antigos por carros que serão movidos a hidrogênio, esse projeto permite que os carros sejam fabricados com motor a base de hidrogênio e que estes modelos futuristas parece que ganharão mais sofisticação. Um dos exemplos é a ausência de cabine para colocar um head-up display.

Porém, o objetivo principal é usar a fonte de energia que atualmente é movida através de um combustível por um sofisticado modelo de uma pilha, que ficará alojada em um tanque de hidrogênio na parte traseira do carro.

O Motor de Combustão ainda é muito usado para equipar os automóveis, o modelo é dividido em duas modalidades: motor de explosão e o de combustão de quatro tempos. Mas a proposta é de acabar com esses modelos antigos e espera-se que possa substituir por carros elétricos e com motores a hidrogênio.

Saibam que muitas montadoras estão investindo nesta ideia e agora a montadora japonesa também já está anunciando os carros da linha com motor de hidrogênio. Porém, a Toyota não é a primeira fabricante a lançar o projeto, pois há carros da Hyundai e da Honda circulando em alguns países.

A ideia de eliminar todos os carros com motor combustível diminui a possibilidade de poluição do meio ambiente, como também o investimento no motor a base de Hidrogênio, que será uma ação mais saudável para o planeta. As montadoras prometem também que a potência dos carros também serão mais eficientes, sofisticadas e bem ágeis.

Portanto, os avanços na indústria automobilística sempre proporcionam grandes mudanças que promovem mais conforto e praticidade para as pessoas. Essa novidade do motor de combustível ser substituído pelo motor à base de hidrogênio promete contribuir tanto com o meio ambiente como também oferece uma melhor qualidade de vida para as pessoas. Então é só aguardar as novidades e quem souber primeiro, não se esqueça de deixar o post por aqui.

Por Jaqueline Mendes Rodrigues dos Santos


EcoSport 2016 ganha Novo Motor 1.6 Flex


Ford EcoSport 2016 ganha novo motor para tentar recuperar espaço no mercado.

A Ford lança o EcoSport 2016 com inovações no motor e no câmbio para recuperar as vendas perdidas para os modelos da Honda, Peugeot e Jeep no mercado de SUVs compactos.

O motor agora é o 1.6 litro Sigma TiVCT Flex, que também está no Fiesta e no Focus, mas se diferencia destes por ter um comando de válvulas na admissão e no escape variável. O TiVCT pode operar tanto com álcool como com gasolina e dispensa o tanque auxiliar de gasolina para partidas a frio. Possui 131 cavalos de potência com etanol e 126 cavalos de potência com gasolina. O motor, com injeção direta de combustível na câmara de combustão, agrupa outras medidas que melhoram a eficiência, tais como compressor do ar-condicionado e o controle eletrônico da bomba de óleo e alternador. Como só operam diante das necessidades, estes agregados reduzem as emissões e aumentam a economia.

O câmbio automatizado PowerShift possui dupla embreagem e seis velocidades, o que estava disponível até o momento somente para as versões do Ford EcoSport 2.0.

Estas novidades fazem com que o EcoSport consiga acelerar de 0 a 100 km/h em 11,8 segundos, além de ficar mais agradável para dirigir. Em relação ao consumo de combustível, o novo modelo faz cerca de 10,2 km/l na cidade e 12,1 km/l na estrada com gasolina e cerca de 7,2 km/l na cidade e 8,3 km/l na estrada com etanol.

Fabricado no Brasil, Índia, China, Rússia e Tailândia, o EcoSport é exportado para 50 mercados do mundo. Os preços variam de R$ 68.690 a R$ 85.900, de acordo com o modelo, sendo a versão mais barata o EcoSport 1.6 SE Direct PowerShift e a com o valor mais alto o EcoSport 1.6 FreeStyle Plus PowerShift.

Os jornalistas percorreram 150 km no Rio Grande do Sul para avaliar o EcoSport 2016 e passaram por estradas com várias curvas no interior gaúcho. A característica principal do carro é a eficiência e a economia de energia.

Bruna Rocha Rodrigues


Troca de Óleo do Motor do Carro – Tipos, Quando Trocar e Cuidados


Óleo do Motor é fundamental para o bom funcionamento do veículo. Confira aqui quando trocar e os cuidados que você deve ter.

Todos sabem da importância do óleo no motor do veículo. Porém, o que pouca gente sabe, é quando é o momento certo para fazer a troca e também o que pode acontecer com o seu carro se você não tomar certos cuidados quanto ao óleo no motor.

Primeiramente, saiba que o óleo do motor tem extrema importância para o carro, pois ele é responsável por lubrificar todos os componentes móveis do motor, reduzindo assim o atrito e o calor gerado pelas peças, aumentando assim a vida útil do propulsor.

É importante que o motorista fique atento ao nível de óleo no motor. Isso é necessário pois se o motor do carro estiver com pouco óleo, corre o risco até mesmo de fundir, já que o veículo irá trabalhar sob temperaturas acima das recomendadas.

Apesar do pouco óleo ser prejudicial para o veículo, saiba que o excesso dele também faz mal, já que isso aumenta a pressão interna, o que pode danificar diversas partes do motor, como as bitelas.

Para evitar que o nível de óleo esteja muito abaixo ou acima do recomentado, o ideal é que o motorista siga as recomendações descritas no manual e fique atento ao período de validade do óleo (que sempre é indicado pelo fabricante). Não bastasse isso, outra recomendação é verificar periodimente o nível do óleo presente no reservatório do carro.

Um detalhe importante de se mencionar é que o carro precisa estar com o motor frio na hora de verificar o nível do óleo. Caso isso não aconteça, o nível registrado pode ser incorreto. Caso o motor do carro esteja quente, o recomendado é que se espere pelo menos 10 minutos antes de verificar o nível, este tempo fará com que todo o óleo presente no reservatório baixe e assim você consiga medir com precisão o nível.

Outra informação importante de se lembrar é que existem no mercado dois tipos de óleo: o Sintético e o Mineral.

O óleo sintético é bem mais elaborado que o Mineirale promete manter a viscosidade do produto independente da temperatura do motor, isso faz com que o propulsor não se carbonize. Apesar disso, o principal ponto fraco deste tipo de óleo é com relação ao seu preço, que é muito mais alto.

Já o óleo mineral é o mais comum de ser encontrado. Ele atende perfeitamente todas as exigências do motor, porém, tem como principal ponto fraco o pouco tempo de validade. Este tipo de óleo precisa ser trocado mais vezes e caso isso não seja feito pode desencadear num processo de carbonização do propulsor, o que lhe trará problemas no futuro.

Em óleos minerais, o recomendado é que o motorista faça a troca a cada 5 mil km. Já o óleo sintético deve ser trocado a cada 15 mil ou 20 mil km. É importante que o motorista também fique atento ao vencimento do óleo, que é de seis meses para ambos os tipos.


BMW apresenta Novo Sistema de Injeção de Água no Motor


Nova tecnologia da BMW injeta água no motor. Novo sistema resfria e aumenta a eficiência do motor.

Buscando cada vez mais eficiência em seus carros, a BMW anunciou a criação de uma nova tecnologia chamada de injeção de água. Esta tecnologia nada mais é do que uma nova forma encontrada pela empresa para resfriar o motor de seus carros enquanto eles estão em funcionamento. Além de contribuir para a redução da temperatura na câmara de combustão, a nova tecnologia criada pela BMW permite que a queima de combustível dentro do motor seja mais eficiente.

Para que novo sistema funcione de forma perfeita, ele possui um tanque de cinco litros de água (que fica no porta-malas) que precisa ser reabastecido a cada cinco paradas para encher o tanque de combustível. Essa água é injetada na caixa de ar por meio de três bicos com formato de spray, que injeta uma quantidade de água suficiente para resfriar o ar durante a exaustão. Com este ar resfriado, a temperatura da câmara de combustão se reduz e gera uma queima mais eficiente de combustível.

Vale lembrar que além de resfriar o motor e tornar a queima de combustível mais eficiente, este novo sistema ainda reduz o volume de poluentes, como o óxido de nitrogênio (NOx).

Segundo a montadora, esta nova tecnologia será testada inicialmente no Safety Car da Moto GP, que é um BMW M4. Futuramente a empresa espera adotar este mesmo sistema em um modelo de produção da série M, muito provavelmente este modelo seja o BMW M4 GTS, veículo que deve começar a ser fabricado no ano quem vem (2016).

Um detalhe importante de se mencionar é que essa tecnologia da BMW não é assim tão nova, já que um sistema parecido já é utilizado em modelos de dragster de arrancadas e também em aviões militares.

Novo BMW Série 7:

Por falar em novas tecnologias, a BMW apresentou esta semana um carro capaz de estacionar sozinho através do controle remoto. O veículo em questão é o novo BMW Série 7, que virá com várias funcionalidades inteligentes que prometem revolucionar o mundo dos carros. Além da tecnologia que oferece a possibilidade de estacionar apenas acionando um botão no controle remoto, o carro também traz um pequeno chaveiro com visor que mostrará algumas informações sobre o carro. Outra funcionalidade bacana é que ao receber uma ligação, o motorista poderá decidir se quer atende-la ou não apenas fazendo gestos enquanto dirige. A montadora ainda não informou o valor deste novo carro, mas sabe-se que a sua versão anterior chegou às concessionárias custando cerca de US$ 130 mil.


Kia Kappa – Detalhes do Novo Motor 1.0 Turbo


A fabricante e montadora de veículo coreana Kia Motors realizou a apresentação da sua mais nova novidade, o motor 1.0 turbo que contém três cilindros com turbo e injeção direta. A empresa batizou a sua mais nova criação com o nome de Kappa.

O Kappa foi desenvolvido na Coreia do Sul, no centro de R&D, a estrutura desse motor foi feita mediante a utilização de injetores perfurados a laser, o que dá a ele a capacidade de tornar a combustão muito mais eficiente do que nos motores convencionais. Segundo a montadora, o principal aspecto de relevância do Kappa são que ele foi projetado com a finalidade de produzir quantidades menores de gás carbônico na atmosfera. Quando comparado com o GDI 1.6, motor também utilizado pela montadora, o Kappa tem a impressionante eficiência de combustível de 10% a 15% a mais que o modelo citado anteriormente.

Apesar de ter o tamanho bem reduzido, esse novo motor da Kia possui sistema de refrigeração tanto para as cabeças de cilindro quanto para o bloco do motor. Esse motor será colocado nos veículos somente após o quarto trimestre deste ano de 2015 e a primeira linha a recebê-lo será a Cee’d GT, que será lançado na Europa, porém, esse novo motor será também levado para outros modelos fabricados pela montadora em breve.

Com relação às especificações técnicas, o Kappa é capaz de produzir uma potência de 120cv e 17,5 kgfm de torque entre 1.500 e 4.100 rpm. Ele tem a sua propulsão feita pela gasolina, vale ressaltar que o desempenho desse novo motor é muito parecido com o Ford 1.0 Ecoboost, que será o motor utilizado pela montadora Ford nos modelos Focus, Mondeo e EcoSport na Europa, porém, já o motor da Ford é um pouco mais forte, pois é capaz de produzir uma potência de 125cv e 17kgfm entre 1.400 e 4.500 giros.

Por Adriano Oliveira


Diferenças entre Motor a Diesel e a Gasolina


Hoje em dia é primordial saber diferenciar os desempenhos de motores e dos combustíveis que os movem, não somente porque é importante e fundamental sempre ter um conhecimento amplo das coisas que estão ao nosso redor, mas também na hora de comprar um veículo, para que não haja arrependimentos futuros em relação ao que busca o usuário em relação a sua aplicação, por essas razões, essa matéria visa esclarecer as principais diferenças entre motores movidos a óleo diesel e motores movidos a gasolina.

A diferenciação básica entre esses dois motores está na capacidade de gerar rotações dentro dos cilindros, ou seja, fazendo a comparação, o motor a gasolina é capaz de gerar até 6000 mil rotações em contrapartida o motor a óleo diesel é capaz de gerar até cinco mil, uma diferença de mil rotações.

Essa diferença de rotação se dá porque que o motor a óleo diesel possui uma taxa muita alta de compressão (em suma ele explode a mistura ar + combustível mais rápido), sendo que o motor a gasolina tem uma taxa de compressão menor, o que faz com que ele seja mais “fraco” em relação à força ao desempenhar a função da combustão, por isso, o motor movido a óleo diesel é utilizado em veículos e máquinas mais pesadas, como caminhões, barcos, trens, navios, compressores e bombas.

Por sua vez, o motor movido a gasolina consegue uma performance de velocidade melhor que o motor movido a diesel, isso o faz ser mais utilizado em veículos de pequeno porte, como carros de passeio e motocicletas, que requerem menos força e mais velocidade.

Outra importante diferença que deve ser gravada pelo leitor, é que o motor movido a diesel é mais econômico em relação ao motor movido a gasolina, pois a composição de hidrocarbonetos que constituem a gasolina são mais “leves” que aqueles que compõem o óleo diesel.

Por Rodrigo da Silva Monteiro


Nissan irá produzir novo motor 3 cilindros na fábrica de Resende (RJ)


Seguindo os passos de outras montadoras, a Nissan anunciou, no dia 6 de janeiro, o início da produção do novo motor três cilindros na unidade fabril situada na cidade de Resende – RJ. Para poder produzir o novo bloco, a marca nipônica teve que investir R$ 100 milhões. 

O novo propulsor 1.0 com três cilindros irá dividir a fábrica de motores com o já conhecido motor 1.6 litro que equipa diversos carros da Nissan. Com 77 cv de potência e torque de 10 kgfm, independente de ser abastecido com gasolina ou com etanol, o bloco terá a missão de equipar o New March e o sedan New Versa, que começará a ser produzido este mês. Feito com alumínio, o motor três cilindros traz quatro válvulas por cilindros, em um total de 12 válvulas, e diversos recursos tecnológicos embarcados, tudo para fazer do novo bloco da Nissan um dos motores mais eficientes de sua categoria no Brasil.

Mesmo sendo um pouco menos potentes que os outros motores três cilindros que estão disponíveis no mercado brasileiro, como o propulsor da Hyundai de 80 cv e torque de 10,2 kgfm, o motor da Volkswagen que dispõe de 82 cv e torque de 10,4 kgfm, bem como o bloco da Ford que entrega 85 cv e torque de 10,7 kgfm, o novo propulsor da Nissan chegará para fazer frente e ser mais uma opção aos consumidores que se interessam por um motor mais compacto, econômico e com boa potência. 

A fábrica de motores da Nissan situada na cidade de Resende – RJ faz parte do Complexo Industrial da fabricante japonesa, com capacidade para produzir até 200.000 motores anualmente. Somando R$ 2.6 bilhões de investimento total, o complexo dispõe de todos os serviços necessários para a produção em alto nível, contando deste de montagem, fabricação de motores e inspeção de qualidade, até as pistas de testes. 

Por Caio Polo

Novo motor da Nissan

Foto: Divulgação


Mercedes-Benz apresentou o novo motor V8 destinado às versões esportivas da AMG


A Mercedes-Benz apresentou recentemente seu novo motor destinado às versões esportivas da AMG. O bloco em questão trata-se de um V8 de 4 litros e dois turbos, redução de peso e cárter seco. O equipamento estará integrado no SLS AMG que será chamado mundialmente de AMG GT. A previsão, de acordo com alguns  sites especializados no setor é de que o esportivo seja lançado no final do ano.

Detalhes técnicos:

O novo motor terá a capacidade de gerar ao todo 510 cavalos de potência os quais estarão completamente disponíveis a 6.250 rpm. Além disso, o motor também dá mostras de ter um bom torque, são 66,3 kgfm e isso considerando ainda uma faixa de rotação mais ampla que começa a partir de 1750 e pode chegar até 4.750. De acordo com as informações divulgadas pela própria fabricante há de certa maneira uma ligação direta entre este novo V8 e o motor 2.0 que conta com quatro cilindros e gera 360 cv (este último integra o A e CLA AMG.) Em comum nos dois propulsores os pistões têm o mesmo curso e diâmetro.

Lá atrás falamos que o novo motor V8 conta com uma lubrificação por cárter seco. Isso, em outras palavras quer dizer que aquela tradicional bandeja de óleo que ficava instalada na parte inferior do motor teve que dar adeus. Consequentemente, isso permite que o bloco possa ser montado em uma posição que pode chegar até ser de 5,5 cm mais baixa. O que de fato contribui para a redução do centro de gravidade do veículo e ajuda na otimização do desempenho.

E por falar em desempenho outra ferramenta que ajuda nesse ponto foi a instalação de dois turbocompressores bem dentro das bancadas dos cilindros. Vale ressaltar que comumente se fazia isso fora delas. Com essa “alteração” o motor acaba por ficar mais compacto permitindo assim uma melhor distribuição do peso do carro.

Por Denisson Soares

Novo motor V8 da Mercedes-Benz

Foto: Divulgação


Edições especiais do New Fiesta utilizarão motor 1.0 EcooBoost


Atualmente foi desenvolvido um motor 1.0 que tem a capacidade de integrar mais cavalos por litros do que um Bugatti Veyron. Ele foi descrito, e divulgado ao público no dia 18 de junho, através de informações indicadas pela Ford na Europa. Até o momento, o propulsor denominado EcooBoost que designa respectivamente 140 cavalos, constituirá as edições especiais que serão realizadas para os modelos New Fiesta Red Edition e Black Edition.

De acordo com informações exibidas pela marca, é o propulsor desta cilindrada que indica maior potência, e foi produzido com a intenção de executar suas funções e agilidade fora das pistas.  Os modelos que foram excepcionalmente desenvolvidos para compor esta edição especial, apenas não ultrapassam o desempenho da versão que provoca maior perspicácia, nomeada versão ST, que apresenta exatamente 200 cv. A priori, a criação não será instituída ao mercado brasileiro. Já na Europa, chegará ao mercado em meados de setembro, como especificado pela marca.

Concernente a afirmações explicitadas pela Ford, o 1.0 EcoBoost ganhou uma calibração que também implica em definição especial, com novas atualizações e aspectos de configuração que contribuem  para o domínio do turbo, das válvulas, do intercooler que se encontra incluso ao acelerador, com o intuito de impor 12%  de maior eficácia comparada a versão trivial.

Os equipamentos integrados ao automóvel que terão o objetivo de provocar modificações expressivas e importantes no produto estarão vinculados a uma transmissão manual de cinco marchas. Com esta modificação, ele pode alcançar 100 km/h em apenas 9 segundos, atribuindo a velocidade máxima de 201 km/h. O consumo permanece acima da média: 22,2 km/l, esse indicador se tornou disponível concernente ao que foi mencionado pela montadora.

Além do propulsor que se tornou altamente renovado, os New Fiesta Red Edition e Black Edition apresentarão, ainda, suspensão mais dura, novas afinidades de marcha e direção transformada. O hatch que foi produzido com a implicação de duas portas incidiu também alterações estéticas como particularidades contrastantes na grade dianteira, nos para-choques, no aerofólio e por fim, nos retrovisores. As rodas são pretas e direcionadas a 16 polegadas. Como opcional, a marca proporciona rodas de liga leve de 17 polegadas.

Por Lorena de Oliveira

New Fiesta Black Edition e Red Edition

Foto: Divulgação


Aston Martin fabricará novos motores


Após utilizar o velho motor 12 cilindros na linha Aston Martin, a montadora prepara nova usina de força em parceria com a AMG, bem como um novo motor oito cilindros em “v”. A divisão esportiva da Mercedes-Benz, para substituir o antigo seis litros, V12 desenvolvido pela Cosworth em 1999, e que passou durante esses quinze anos por inúmeras atualizações, entre as quais 435 cavalos de potência para 573 cavalos.

Diante das novidades, a Aston Martin afirma que continuará por um bom tempo oferecendo o V12 aos clientes. De antemão, diz que o motor é de seis cilindros e continuará disponível, porém, será atualizado constantemente, pois ele é o coração de vários carros da empresa, em um futuro distante.

Entre as novidades, podemos destacar o motor de oito cilindros que está presente não só no Vantage, como em outros veículos. Porém, no caso da plataforma VH, ela deverá sair de linha assim que ficar pronta.

A empresa de veículos Aston Martin é uma fabricante britânica de esportivos de luxo. O nome se dá devido ao nome de um dos fundadores da empresa e da velocidade de subida da montanha de Aston Hill próximo a Aston Clinton. Desde o ano de 1994 a empresa tem se tornado uma das maiores montadoras automobilísticas. Sua concorrente, Ford, chegou a oferecer mais de 925 milhões de dólares para que ela tornasse sua subsidiária.

Os veículos da marca são super velozes e proporcionam ao condutor conforto e praticidade no decorrer do dia. Os carros são excelentes tanto para quem gosta de dirigir na cidade quanto nas estradas. Aos que optam por carros mais luxuosos e confortáveis essa é a chance de garantir um carro que proporcione todos os gostos do cliente, além de poder levá-lo aos lugares mais fascinantes do mundo com altíssima durabilidade. O interior do carro é bem robusto, possui bancos de couro e ar condicionado.

Por Luciana Viturino

Aston Martin

Foto: Divulgação


Volvo lançou nova linha 60 T5 e novos motores e câmbio de 8 velocidades


Para aqueles que são clientes da marca Volvo, empresa sueca fabricante de automóveis, saibam que a mesma anunciou recentemente o lançamento da linha 60 T5 recheada de novidades. Vale ressaltar que a marca apresentou a nova linha de motores e um novo câmbio de oito velocidades para os modelos S60, V60 e XC60. Para mais detalhes a respeito do lançamento, basta continuar lendo esta matéria.

A grande novidade no motor promete agradar aqueles que gostam de velocidade e economia ao mesmo tempo. Saiba que o novo motor 2.0 turbo é 23 kg mais leve e compacto que o seu antecessor, além disso, o mesmo ainda possui mais potência e torque já que dispõe de 245 cv a 5.500 rpm e 35,7 mkgf de torque. Além disso, a economia está totalmente garantida, pois o modelo é 27% mais econômico, podendo fazer 11.1 km/l na estrada e até 8 km/l na cidade.

É importante destacar a função Eco+, que por sua vez pode melhorar em até 5% a economia de combustível. Tudo isso é possível, pois essa função aperfeiçoa os momentos de troca de marcha bem como as respostas do acelerador. Ainda convém destacar a economia de energia cinética, já que a transmissão é desacoplada em velocidades acima dos 65 km/h em condições aonde o motorista não venha a utilizar o acelerador.

Além de muita economia os modelos da linha 60 T5 dispõem de um design impecável, assim como os demais modelos da Volvo. Além disso, alta tecnologia também faz parte do automóvel. Abaixo você pode conferir os preços sugeridos de cada versão disponível:

– S60 T5 Drive-E R-Design: R$ 157.950;

– S60 T6 R-Design: R$ 205.950;

– V60 T5 Drive-E R-Design: R$ 162.950;

– V60 T6 R-Design: R$ 209.950;

– XC60 T5 Drive-E Dynamic: R$ 162.950;

– XC60 T5 Drive-E R-Design: R$ 193.950;

– XC60 T6 Top: R$ 224.950;

– XC60 T6 R-Design: R$ 249.950.

Por Bruno Henrique

Volvo linha 60 T5

Foto: Divulgação


Porsche apresentou o novo motor quatro cilindros do Macan


A Porsche apresentou o motor quatro cilindros que será usado no utilitário esportivo Macan. O carro com 2 litros e 237 cv tem um motor que passará a equipar a versão de entrada do mini-Cayenne até o meio do ano. Isso significa que a marca utilizou a configuração de propulsor pela última vez, em um modelo comercial no ano de 1995, no 968.

No automobilismo, o protótipo da marca no Mundial da Endurance é equipado com quatro cilindros. Essa nova versão trouxe um motor novo que passará a ser o de entrada do utilitário. O propulsor turbo possui 35,7 mkgf de torque. Conforme informações da própria Porsche, o condutor consegue acelerar de 0 a 100 km/h em 6,9 segundos. Isso se diferencia dos demais Macan pelo fato de possuir duas saídas de escape, enquanto as outras versões trazem quatro. Há também rodas de liga leve de 18 polegadas, ar condicionado com duas zonas de temperatura, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro e suspensão adaptativa.

Entretanto, a empresa não deverá vender essa versão nos Estados Unidos e seu lançamento na Europa está previsto para o meio do ano. No Brasil, não chegará antes do segundo semestre, uma vez que a venda das versões V6 terá início em junho. Os preços são bem salgados, porém compensa toda a potência que o carro possui. O valor inicial é de R$ 399 mil.

Na parte interna do veículo os bancos são de couro e o carro é bem aconchegante. Há teto solar e opções variadas para todos os gostos e estilos de consumidores. É um veículo altamente veloz e possui capacidade para cinco pessoas. O condutor pode dirigir por longas horas, pois o ar condicionado desta vez vem com duas zonas de temperatura e assim, é possível dirigir a temperaturas ambientes. A Porsche é uma das marcas favoritas dos amantes por carros devido à praticidade e à velocidade que possui. 

Por Luciana Viturino

PorscheMacan

Foto: Divulgação


Fábrica da Ford em Taubaté (SP) atingiu a marca de 1 milhão de motores Sigma produzidos


A unidade fabril da Ford em Taubaté – SP está comemorando o registro da marca de 1 milhão de motores Sigma produzidos.

Os blocos 1.5 e 1.6 são fabricados em versões flex e gasolina, sendo utilizados para equipar os modelos EcoSport, New Fiesta e Focus na América do Sul, além de serem exportados para o México, onde é instalado no New Fiesta e usados para equipar versões do Focus no mercado alemão e russo.

Inaugurada em dezembro de 2009, a fábrica de motores da Ford em Taubaté é fruto de um investimento de R$ 600 milhões, atingindo a produção de 500 mil unidades em cerca de três anos de operação. Após acelerar os processos na fabricação de motores, o volume de produção de 1 milhão de unidades fabricadas foi atingido na metade deste tempo.

No Brasil, a linha de motores Sigma é fabricada nas versões 1.5 DOHC e 1.6, sendo que está última pode contar ou não com a tecnologia TIVCT de duplo comando de válvulas variável, que funciona tanto na admissão como na exaustão, sendo todas as versões dos blocos contam com 16 válvulas. Com uma enorme evolução e inovações, o motor Sigma é o primeiro propulsor com tecnologia Flex produzido com bloco, cárter, pistões e cabeçote em alumínio, o que deixa o motor mais leve. Outro ponto de destaque do motor é o acelerador eletrônico e correia elástica no lugar de corrente no comando de válvulas.

De acordo com Sérgio Naresi, Gerente da Fábrica de Motores Sigma, a linha sigma apresenta a constante evolução e a tradição da marca norte-americana na produção de motores, com padrão mundial de qualidade e manufatura.

Em termos de consumo de combustível, dos 20 carros avaliados pelo INMETRO/CONPET equipados com a linha de motor Sigma, 6 veículos possuem padrão B e 14 apresentam padrão A no quesito eficiência energética.

Além do Brasil, os propulsores Sigma também são fabricados em Chennai, na Índia, em Changan e Chongqing, na China, e na Bridgend, no País de Gales.

Por Caio Polo

1 milh?o de motores Sigma feitos no Brasil

Foto: Divulgação


Ford iniciou a produção do novo motor 3 cilindros 1.0 em Camaçari (BA)


A Ford inaugurou nesta quarta-feira, dia 9 de abril, a nova linha de motores na unidade de Camaçari – BA. Na fábrica situada na Bahia a marca norte-americana irá fabricar o inédito motor três cilindros 1.0 que será utilizado pela nova geração do Ka. Capaz de entregar até 85 cv de potência, o novo bloco promete ser mais econômico e ter um desempenho superior ao motor três cilindros do Volkswagen Up!.

Aderindo à moda dos motores três cilindros 1.0, a Ford do Brasil passa a fabricar o novo 1.0 3C Duplo Comando Flex. Com até 80 cv e torque de 10,2 kgfm quando abastecido com gasolina e 85 cv e torque de 10,7 kgfm com etanol, o novo Ford Ka, que chega às concessionárias da marca em julho, terá o bloco 1.0 mais potente do mercado brasileiro.

Moderno, o novo propulsor é derivado do motor 1.0 EcoBoost, tendo bloco em ferro fundido, sistema de arrefecimento de duplo estágio, cabeçote em alumínio, correia dentada imersa em óleo, tendo lubrificação permanente, além de passar por modificações para diminuir as vibrações.

Tecnologicamente, o bloco 1.0 3C Duplo Comando Flex adota o sistema TiVCT, que varia o comando de admissão e de escapamento de modo independente. Outro sistema adotado pelo motor é o Easy Start, que dispensa o uso de tanquinho para partidas a frio.

Além da versão hatchback do Ford Ka, o propulsor três cilindros também será oferecido na inédita configuração sedan do Ka, que deverá ser lançado durante o Salão do Automóvel de São Paulo, em outubro.

A nova fábrica de motores está situada no complexo da Ford em Camaçari –BA. Com investimento de R$ 400 milhões, a unidade fabril tem capacidade para fabricar 210 mil motores anualmente. A princípio, o novo bloco três cilindros 1.0 será utilizado tanto na versão hatch quanto na inédita versão sedan do Ka. É possível que a marca utilize o motor três cilindros em outros modelos na configuração entrada, mas ainda não. 

Por Caio Polo

Novo Ford Ka

Novo Ford Ka usará o motor 3 cilindros 1.0

Foto: Divulgação


Novo motor 1.6 16 V será utilizado em alguns modelos da Volkswagen


Motor desenvolvido tem propulsor que conta com 120 cv e deverá ser o sucessor do já conhecido e antigo 1.6 v8, que possui apenas 104 cv.

A Volkswagen não divulgou os preços relativos à linha de 2015, mas isso acaba ficando em segundo plano quando se pode afirmar sem sombra de dúvida que torque e potência não serão problemas e nem farão a companhia passar vergonha. Recentemente a empresa fabricante de automóveis apresentou seu novo motor 1.6 16 V. Além de novo o motor fará sua estreia nas versões especiais dos modelos Cross da Saveiro e Rallye do Gol. Nada mal para começar.

Com os seus 120 cv de potência e um consumo relativamente mais baixo, o novo motor deverá ser integrado a outros modelos e versões  do hatch e da picape. Com isso resta apenas aposentar o 1.6 8V atual que já teve seus tempos de glória. A título de curiosidade contra os 120 cv o atual motor conta apenas com 104 cv. Ressaltando que isso é bem menos do que uma boa parte dos equipamentos comercializados pela concorrência costuma apresentar.

Para se ter uma imagem mais específica sobre esse motor que foi batizado pela Volkswagen de MSI e que faz parte da mesma linha da família  do três cilindros usado no Up! ele consegue atingir um desempenho bastante semelhante ao do 2.0 que integra o Jetta de entrada e que só para lembrar é um dos descendentes dos motores que eram usados no antigo Santana.

Da mesma maneira como o 1.0, esse novo 1.6 foi desenvolvido levando-se em consideração alguns conceitos bem modernos de engenharia. Um exemplo disso é o bloco que foi construído em alumínio enquanto que os motores antigos faziam uso do ferro fundido tornando-os 14kg mais pesados. Outra coisa interessante é que o MSI traz integrado a si certas características que não faziam muito bem parte da tradição da linha tal como o comando variável de válvulas.

Em resumo, como o MSI é possível que o condutor consiga um melhor desempenho de seu motor em uma faixa de rotação ampla do mesmo. Traduzindo, isso quer dizer economia.

Por Denisson Soares

Gol Rallye

Gol Rallye

Foto: Divulgação


Volkswagen Jetta terá novo motor 1.8 TSI


A Volkswagen finalmente anunciou o fim do Jetta norte-americano equipado com motor cinco cilindros 2.5, bloco que também já foi oferecido no Brasil na geração anterior do sedan. Quem substitui o propulsor 2.5 é o novo quatro cilindros 1.8 TSI de 170 cv e 21,2 kgfm de torque. Essa mudança é uma tentativa da marca alemã dar novo fôlego ao sedan antes da chegada da próxima geração do Jetta, prevista para fim do ano no mercado estadunidense, que usará a nova plataforma modular MQB do Grupo Volkswagen.

Segundo informações da revista “Motor Trend”, enquanto os consumidores elogiam o novo motor 1.8 TSI, que trouxe um bom desempenho aliado ao baixo consumo de combustível, tanto em perímetro urbano quanto na rodovia, as maiores reclamações da geração atual por lá recai sobre o tamanho exagerado, estética pouco atraente e sem graça, além do acabamento e aparência interna de “carro barato”.

O propulsor 1.8 TSI, que também passará a equipar o novo Golf e o Passat norte-americano, diferente do alemão, ainda utiliza bloco de ferro, mas dispõe de cabeçotes feitos em alumínio, duplo comando variável na admissão, 16 válvulas e turbo com injeção direta de gasolina. Embora a potência não seja algo impressionante, a Volkswagen colocou em primeiro plano o equilíbrio, priorizando não só o desempenho, mas também a economia de combustível. A fabricante ainda disponibiliza, para o novo motor, uma transmissão automática de seis velocidades ou um câmbio manual de cinco marchas.

Sendo a última novidade para essa geração, o novo propulsor turbo teve desempenho aprovado pela revista “Motor Trend”, aumentando as expectativas para a nova geração do Jetta. “Com esse 1.8 TSI, performance não será um problema. E se o sedan seguir as linhas e o acabamento interno do Golf VII, pode vir aí um novo campeão”, finaliza a reportagem.

Como o Jetta vendido no mercado brasileiro chega importado do México, a nova geração que será apresentada em breve nos Estados Unidos não deve demorar muito para desembarcar por aqui. 

Por Caio Polo

Jetta ganha motor 1.8 TSI

Foto: Divulgação


Motores de carros da Toyota serão produzidos em fábrica que será construída em Porto Feliz (SP)


No dia 14 de fevereiro a montadora japonesa Toyota fez o lançamento da pedra fundamental para  a construção da fábrica de motores na cidade de Porto Feliz, em São Paulo. A informação é de que as obras já estão se iniciando e de que a construção da unidade tem a previsão de gerar cerca de 700 empregos direitos. Já a inauguração deverá acontecer somente em 2016.

A estimativa é que de início a fábrica de Porto Feliz produza 70 mil motores por ano que deverão equipar os modelos Etios que são produzidos na unidade da montadora em Sorocaba, também em São Paulo. Entretanto, a ideia é de que a capacidade máxima de produção possa chegar a 200 mil motores por ano. Com isso os motores também poderão integrar os modelos da linha Corolla que são fabricados na cidade de Indaiatuba (SP).

De acordo com as informações divulgadas pela montadora, a empresa ainda não tem uma data certa para que seja iniciada a produção dos motores para o sedan.

Para a unidade de Porto Feliz a companhia fez um investimento de cerca de R$ 1 bilhão para a construção da planta.

No momento atual da empresa os motores são importados do Japão. O vice-presidente executivo da Toyota no Brasil, Luiz Carlos de Andrade Júnior, disse o seguinte a respeito desse projeto: “É uma grande oportunidade de desenvolvimento de tecnologia no Brasil, inspirada no padrão japonês de conhecimento”.

Outro detalhe importante é que mesmos com os motores sendo produzidos no Brasil, o preço final dos automóveis não serão afetados.

A fábrica de Porto Feliz  irá contar com alguns conceitos ecológicos que já foram adotados anteriormente na unidade da montadora em Sorocaba. O objetivo das adaptações é possibilitar a redução de resíduos orgânicos bem como de CO2, o principal componente responsável pelo efeito estufa. Também há a ideia de se aproveitar ao máximo alguns recursos naturais com a água da chuva e manter preservada a mata nativa situada ao redor da planta.

Por Denisson Soares

Nova f?brica da Toyota

Nova fábrica da Toyota será em Porto Feliz (SP)

Foto: Divulgação


Novo Motor da Volkswagen pode estar em Desenvolvimento


O famoso motor VR6 da Volkswagen, com seis cilindros em V e abertura de 15 graus, deve ganhar uma atualização em breve. Os automóveis da empresa com propulsores transversais necessitavam de uma alternativa mais potente para desenvolverem toda a sua capacidade e é nisso que a gigante alemã irá investir. Atualmente, os veículos no Brasil que utilizam essa configuração são o Touareg V6 e CC. Com isso, a montadora irá desenvolver uma nova gama de veículos com dois turbocompressores com injeção direta. O objetivo principal é produzir 340 cv ou 450 cv de potência. De início, esse novo modelo de motor deverá servir aos modelos com plataforma MQB.

A Volkswagen é conhecida por inovar constantemente o seu conjunto de motores para as novas gerações. Recentemente, além do motor turbo de 450 CV, foi divulgado também que o novo motor 1.6 de 16 V será utilizado sob o capô da Nova Saveiro. A previsão é de que a picape sortuda chegue às concessionárias em fevereiro. Com isso, a Saveiro vai ganhar mais forças para enfrentar a sua principal concorrente, a Fiat Strada, que possui 132 cv de potência em um motor 1.8. Após a Saveiro, o novo motor irá para toda a linha Gol, Voyage e Fox.

Agora só resta esperar para saber mais detalhes sobre quais serão os primeiros modelos a serem presenteados com as novas e mais potentes gerações de motores da empresa. Uma coisa é certa, o consumidor não irá se decepcionar com as inovações criadas pela empresa nessa área.

POR EBENÉZER CARVALHO


Ford – 2 milhões motores EcoBoost produzidos no mundo


Motor EcoBoostA Ford está celebrando a marca de dois milhões propulsores do tipo EcoBoost fabricados no mundo todo. A empresa chegou a esse recorde após ser produzido um bloco de 2.0L feito na unidade fabril de Lousville, cidade dos Estados Unidos.

No que se refere à tecnologia, o motor do tipo EcoBoost faz uma combinação de propulsor com tamanho menor com injeção direta, comando das válvulas variante no objetivo de alcançar uma economia melhor do desempenho e do combustível, resultando em motorizações em 15 pontos percentuais mais econômicas do que veículos maiores a gasolina, além de manter a potência no mesmo nível.

De acordo com informações da Ford, cerca de 100.000 propulsores EcoBoost irão ser produzidos ao mês por causa do crescimento  global da demanda desde o ano de 2009. No país, o bloco EcoBoost chega ao segmento com a presença de um Novo Fusion Titanium. Com lançamento na opção 2.0, alcança potência em 240 cavalos, sendo um dos veículos de maior economia de consumo de combustível.

De acordo com a Ford, "até o fim do ano de 2013, o modelo será vendido em cerca de 80% das gamas globais dos carros da Ford”.

Por Marcelo Araújo


Volkswagen usará propulsores tricilíndricos em novos modelos


VW Golf A VW confirmou que tem planos de expansão do motor 1.0 de 3 cilindros para uma linha de veículos maiores a partir de 2014. A colocação dos propulsores tricilíndricos, de acordo com especialistas do segmento automotor, é uma tendência que cresce cada vez mais entre as montadoras e, agora, está indo além dos compactos. Ciente deste panorama, a VW irá colocar um motor desse tipo primeiramente no modelo Golf, que levará um bloco com versão do tipo turbo-alimentada.

Com potência na faixa dos 110 cavalos, o motor novo simboliza uma resposta em tons de urgência em relação a outros concorrentes do segmento como o Ford Focus com motorização 1.0 do tipo EcoBoost. Fora o VW Golf, o propulsor com a opção turbinada irá equipar o Polo e pode também aparecer no Taigun.

No mercado automotivo brasileiro, o veículo Fox BlueMotion foi pioneiro em estrear este tipo de propulsor que é uma tendência mundial do segmento, mas este carro, que também é da Volks, não apresenta alimentação pelo turbo. De acordo com a marca, essa inovação amplia as opções do segmento e faz a empresa entrar com força na concorrência com outros autos do mesmo tipo.

Por Marcelo Araújo


Citroën C4 e Peugeot 308 – Novos modelos terão motor 1.2 THP de 130 cv


No começo de 2014 os modelos Citroën C4 e Peugeot 308 terão a potência do novomotor 1.2 THP de 130 cv. Essa é mais uma inovação referente as 2 marcas que pertencem ao grupo PSA e só estará disponível para o mercado automotivo do continente europeu.

O curioso será que essa nova motorização irá ser a substituta da 1.6 THP com 125 cavalos de potência. De acordo com dados publicados pela empresa, o motor 1.2 THP irá ter 130 cavalos de potência, além do torque (máximo) em 23,4 kgfm (a 1.750 rpm).

Fora a potência com maior poder, outro elementos de destaque irá ser a diminuição de 25% referente ao consumo quando comparado ao modelo atual de motorização 1.6 VTI com 120 cavalos de potência que o novo modelo irá substituir. O motor novo ainda conta com turbo e conjunto Stop & Start. A Citroën revelou que seu modelo terá média de consumo na faixa de 18,1 km/l, fora as emissões de 110 g/km (de CO2).

Futuramente, a empresa irá introduzir uma variante do motor 1.2 THP de 110 cavalos de potência como opção mais acessível. A motorização 1.6 VTI é a mesma usada pela empresa PSA no mercado automotivo brasileiro, só que na opção bi-combustível.

Novo Citroen C4

Citroën C4

Peugeot 308

Peugeot 308

Por Marcelo Araújo


Volvo lança Novo Motor Drive-E


A marca Volvo introduziu uma nova gama de propulsores chamada Drive-E. Essa nova família de motores substituirá os 8 usados na atualidade pela empresa de origem sueca. De acordo com a companhia, os blocos irão ter variantes a gasolina e a diesel, ambas apresentando compressor e também turbo. O segundo passo da empresa é acoplar a tecnologia do tipo híbrida plug-in na motorização.

O propulsor a diesel apresenta sistema i-Art, permitindo que a pressão dos bicos injetores possa ser alterada conforme os comandos do acelerador. Essa tecnologia foi criada no intuito de reforçar o desempenho e o consumo dos veículos da marca. O motor irá entregar algo na faixa de 120 a 230 cv, conforme cada configuração. As variações híbridas e turbinadas irão ultrapassar os 300 cv.

No caso das versões que funcionam com gasolina, poderão se equipar com turbo ou compressor com o objetivo de proporcionar potência maior, independente do regime no qual o propulsor esteja atuando, diminuindo o consumo de combustível.

As unidades tem propulsor de arranque acoplado e tiveram desenvolvimento para receber a tecnologia do tipo híbrida. No que se refere aos motores elétricos, eles poderão ser colocados na parte da frente ou de trás dos novos propulsores.

Por Marcelo Araújo


Motor 1.0 EcoBoost da Ford ganhou premiação


Mais uma vez, a premiação foi vencida pela Ford com a sua motorização do tipo 1.0 EcoBoost. Pela segunda vez consecutiva, o motor ganhou o título de “International Engine of the Year”. A premiação, que ocorre todo ano, escolhe os melhores propulsores com prêmios para 11 segmentos.

Além do prêmio mais alto da competição, o morto EcoBoost da Ford também faturou na categoria “Até 1.0 L”. Apresentando turbo e 3 cilindros, o bloco consegue produzir 125 cavalos de potência, além de um torque de 17,4 kgfm (máximo).

Outros ganhadores foram os seguintes: 1.4 TSI da VW, que venceu na categoria “De 1.0 a 1.4 litro”, e o 1.6 THP, referente a PSA e a BMW, que ganhou no setor de “1.4 a 1.8 litro”. O motor 2.0 do tipo turbo e a gasolina da marca BMW foi vencedor na categoria “1.8 a 2.0 L” e, por último, a motorização da Audi, 2.5 turbo com 5 cilindros ganhou, novamente, o prêmio no segmento “2.0 a 2.5 L”.

Para o ano de 2013, a novidade foi a introdução do motor 0.9 2 cilindros da marca Fiat, ganhador do prêmio “Motor Verde do Ano”.

Por Marcelo Araújo


Volkswagen Jetta Highline – Atualização do motor 2.0 L turbo


Novo Jetta Highline com 211 cvSem um anúncio oficial, a Volks informou através do configurador dos automóveis do seu portal a novidade que muitos veículos do setor alardearam ultimamente: uma atualização na motorização de 2.0 L turbo presente na versão do Jetta (top de linha), chamada Highline.

Por meio de aprimoramentos  e desenvolvimentos nas partes mecânica e eletrônica, o motor começa a produzir 211 cv de potência, em detrimento do anterior, que era de 200 cv.

Categorizada pela VW pelo código EA888, esta 3ª geração da motorização do tipo 2.0 TSI fez sua estreia no mercado dos EUA no mês de maio pelos modelos Jetta e Fusca. No mercado brasileiro de autos, a renovação da marca também irá equipar o Tiguan (utilitário esportivo) e o "besouro".

Fora a potência do motor extra de 11 cavalos, a nova motorização chega a ser aproximadamente 13 kg mais leve e apresenta consumo do tipo combinado, de acordo com a marca, cerca de 4% a menos que o anterior. Em relação à América do Norte, a Volks afirmou que o Jetta continuará com uma aceleração que vai de zero a cem quilômetros por hora em 6,7 segundos.

No Brasil, o modelo Jetta Highline 2.0 TSI terá valor inicial em R$ 88.290.

Por Marcelo Araújo


Motor de 6 cilindros em linha reta – Informações


O motor de seis cilindros em linha reta, ou em linha e seis (frequentemente abreviado I6 ou L6) é um motor de combustão interna com os cilindros montados em uma linha reta ao longo do cárter com todos os pistões de condução comum.

O banco de cilindros pode ser orientado em qualquer ângulo, e já que o banco está inclinado em relação à vertical, o motor é por vezes chamado de inclinação e seis.

O layout em linha reta e seis é o motor mais simples que possui uma mecânica tanto primária quanto secundária de equilíbrio do motor, resultando em uma vibração muito menor do que os motores com menos cilindros.
Em automóveis, o design simples e seis são utilizados para motores de deslocamentos que vão de aproximadamente 2 a 5 litros. Também é por vezes usado para os motores menores, mas estes, apesar de funcionamento muito suave, tendem a ser bastante caros para fabricação em termos de custo-potência.

Uma vez que o comprimento de um motor é mais ou menos proporcional ao número de cilindros em um banco, o motor de seis cilindros é necessariamente maior que esquemas alternativos, tais como L4, V6, ou V8.

Por Salete Dias


GM – Produção de cabeçotes e motores em Joinville (SC)


A 1ª fábrica de cabeçotes e motores da GM (General Motors) teve sua inauguração na cidade de Joinville, Região Norte do Estado de Santa Catarina, na quarta-feira, dia 27 de fevereiro.

A companhia pretende fazer a produção de motores 1.4 e 1.0 e cabeçotes em alumínio que vão servir para o abastecimento das fábricas da Chevrolet localizadas em Gravataí, Rio Grande do Sul, e das fábricas de Rosário, que fica na Argentina. Esta unidade fabril de Joinville já opera desde o mês de outubro de 2012, mas apenas com a fabricação de cabeçotes.

No dia 26, a Chevrolet apresentou, em Joinville, o novo sedã Prisma, que deriva do Onix e terá motorização de 1.4 e 1.0.

Com 500 mil m² de área total, 30 mil deles em área já construída, a fábrica ganhou R$ 350 milhões em investidos. Anualmente, o faturamento deve chegar a R$ 250 milhões.

De acordo com Jaime Ardila, presidente da empresa, “o objetivo maior da produção de componentes e motores no Estado de Santa Catarina é aumentar o crescimento da General Motors em toda a Região Sul”.

Por Marcelo Araújo


Dicas para o motor do carro


Sempre preste muita atenção nos níveis da água do radiador e também no óleo do motor.  Verifique o nível da água sempre que possível e se estiver muito baixa pode fundir o motor trazendo prejuízos. Mantenha sempre no nível normal e é aconselhável o uso de aditivos para evitar que a água ferva nos dias mais quentes.

Importante: Nunca abra o reservatório do radiador com o motor quente.

O óleo do motor deve ser trocado a cada 3 mil km rodados e para verificar o nível da água é simples, apenas puxe uma haste que esta dentro do motor que geralmente é feita na cor amarela, sendo muito mais fácil de achar. Olhe na outra extremidade onde encontrará uma marca e se a marca de óleo estiver abaixo dessa marca deve ser trocado antes de utilizar o carro novamente.

Nunca se esqueça de pelo menos uma vez por ano levar o seu carro em um mecânico de sua confiança para verificar os freios e outros componentes importantes para que o veículo seja seguro. Assim você terá um carro sempre em ordem por muitos anos.

Por Mariana da Silva


Novo Ford Fusion – Novidades do motor do modelo


O novo Ford Fusion conta com motor EcoBoost 2.0 turbo, feito em superliga com a mesma tecnologia utilizada nos motores dos ônibus espaciais. O novo material suporta temperaturas extremas e contribui para o desempenho e durabilidade do automóvel.

Pensando em evitar a fadiga térmica do turbo, os Engenheiros de motores da Ford foram atrás da maior escala de materiais disponíveis no mercado. Ao contrário do turbo do motor EcoBoost 2.0, presente no Edge e no Explorer, o modelo utilizado no novo Ford Fusion é capaz de chegar a 1.050º C com uma liga de tungstênio e cobalto especial.

A marca norte-americana afirma que todo esse desempenho durará por toda a vida útil do automóvel, sem nenhuma perda na integridade mecânica. O novo turbocompressor, chamado k03, combina óleo com resfriamento a água. Quando o motor está trabalhando, a refrigeração é feita a óleo, já quando está desligado o turbo é resfriado pelo sistema a água.

O novo turbo foi desenvolvido para rodar com velocidade de até 190.000 rotações por minuto. Além disso, o sistema de exaustão é fundido junto com o tubo e o cabeçote, formando uma única peça.

Por Felipe Santos Bonfim


BMW – donos de motocicleta S 1000 RR são convocados para substituição de parafusos


Nesta última quarta feira (9), as pessoas que adquiriram a motocicleta BMW do modelo S 1000 RR, entre o mês de novembro de 2011 e abril de 2012, foram convocadas pelo BMW Group para entrarem em contato com concessionárias autorizadas, no intuito de agendar uma substituição dos parafusos de fixação da biela do motor.

De acordo com informações da BMW, há uma possibilidade de falha no torqueamento do parafuso da biela, que poderia ocasionar seu desparafusamento e consequente bloqueio do motor da bicicleta, em situações de alta rotação do motor.

O maior agravante seria que esta falha poderia causar danos físicos aos ocupantes das motocicletas.

Ainda, segundo informações da marca, os números dos chassis afetados por este problema são de Z029188 a Z033278 e o número de motocicletas envolvidas é 296.

A partir do dia 4 de junho de 2012, os serviços começam a ser efetuados em qualquer concessionária autorizada BMW Motorrad.

A BMW informa que o serviço tem duração aproximada de um dia, 24 horas, sem nenhum custo para os clientes.

Mais informações podem ser consultadas pelo telefone 0800-707-3578, de 2ª a 6ª feira, das 07h às 19h.

O site www.bmw-motorrad.com.br apresenta outras informações sobre o recall.

Fonte: G1

Por Marcelo Araújo


Ford EcoSport 2012 – Mudanças no design e motor


O Ford EcoSport – que no Brasil foi desde 2003 (ano em que foi lançado) um campeão de vendas – surge neste ano de 2012 com grandes alterações no que diz respeito ao seu design.

Estas alterações devem-se principalmente ao fato de a concorrência estar investindo forte no lançamento de modelos mais arrojados que vão certamente fazer frente ao EcoSport.

Além das modificações no visual, o EcoSport sofrerá também mudanças relacionadas ao motor, sendo previsível que venha equipado com o motor Sigma, de fabricação brasileira.

Receberá ainda uma suspensão mais resistente, mas a Ford compromete-se a manter o conforto dos passageiros.

O EcoSport também será lançado nos Estados Unidos (que será fabricado no México), mas ele será ligeiramente diferente do modelo que será vendido na América do Sul (a ser fabricado em Camaçari, na Bahia). Por exemplo, um dos detalhes exclusivos do mercado sul-americano será o seu estepe da parte traseira, já que no mercado norte-americano e europeu o estepe ficará localizado sob o assoalho.

Quanto ao preço, resta-nos esperar para ver.


Cadillac ATS – Beleza e Tecnologia


O Cadillac ATS e o BMW Série 3 são automóveis muito similares. Contudo, os engenheiros da Cadillac desejam que os assentos sejam mais finos, em constante competição com o modelo da BMW.

O Cadillac parece ter uma postura agressiva em seu interior, tem padrões exclusivos sobre o alumínio, interruptores sensíveis ao toque e salpicos de cromo.

O ATS terá 3 motorizações, sendo que o ATS V-6 revela grande potência. Estará disponível com transmissões manuais e automáticas. Aos compradores o ATS apenas será oferecido na versão DIY de seis velocidades tranny no 2.OT. O ATS automático é só uma de seis opções de velocidades.

Possuem como ítem de série rodas aro 17, contudo, terá opcional de rodas de 19 polegadas. Utiliza um novo e bem conceituado sistema de direção ZF eletrônico de potência em toda a gama.

O Cadillac ATS está disponível com a nova interface Cadillac CUE, a qual oferece funcionalidades e gráficos exibidos na tela e no painel de instrumentos. A tela Cadillac é passível do recurso à geração do iPhone.

Assim, apesar das semelhanças, pode-se dizer que o Cadillac ATS consegue ser um pouco superior ao BMW Série 3.


Ford deve lançar Novo Motor EcoBoost 1.0


Pensando em produzir motores menores, mais econômicos, menos agressivos ao meio ambiente e que ao mesmo tempo mantenham um bom desempenho, a Ford vem trabalhando na fabricação de novos propulsores há algum tempo, e anuncia para o final de 2011 a chegada de novos motores 1.0 da linha EcoBoost.

O novo bloco, de 3 cilindros, turbinado, vai contar com injeção direta de combustível, duplo comando de válvulas variável e sobrealimentação, para tentar manter uma potência semelhante àquela oferecida no atual motor Sigma, que equipa o New Fiesta e o Focus.

A montadora norte-americana ainda não divulgou os dados do novo propulsor, mas se a ideia é se aproximar do desempenho do Sigma, possivelmente a sua potência ficará em torno de 115 cv a 120 cv, pois o Sigma desenvolve 116 cv e torque de 16,3 kgfm.

A Ford quer equipar com o novo EcoBoost 1.0 uma gama variada de seus modelos comercializados em todo o mundo, começando por aqueles vendidos nos Estados Unidos.

Além do novo propulsor, a montadora também trabalha no desenvolvimento de novos câmbios, sendo um automático de 8 marchas, que ajudaria na otimização do consumo e do desempenho e uma nova transmissão CVT, para os modelos híbridos.

Por André Gonçalves


Kia Sorento Linha 2012 – Novo motor GDI


O Crossover Kia Sorento é um SUV de porte com visual elegante e ao mesmo tempo agressivo, agregando ao seu design uma esportividade bem distribuída em seu conjunto e apesar de estar sendo comercializado no mercado norte-americano há pouco tempo, já vem com mudanças na linha 2012, principalmente na motorização do crossover que ficará mais potente.

O novo propulsor será um motor GDI com injeção direta e quatro cilindros, motorização que estará compondo o Kia Sportage na linha 2012. Será um 2.4 l que poderá produzir 200 CV de potência. Um acréscimo de 25 CV em relação à linha 2011. E que para o mercado dos Estados Unidos conta muito e será importante na luta pela conquista de espaço neste mercado concorrido e disputado.

Além da mudança do propulsor, o Kia Sorento 2012 terá como opcional sistema de entretenimento e sutis mudanças estéticas, como troca das rodas que, no entanto, não deverão mudar muito o visual bonito e atraente do modelo.

Não há na imprensa especializada indicações da montadora coreana de quando esta geração 2012 do Sorento poderá chegar ao Brasil, o que deverá demorar um pouco para ocorrer. Com a recente subida do IPI para carros importados, é praticamente certo que o modelo não custará menos de R$ 100.000,00, na versão básica.

Nota do editor: voltando aos EUA, o modelo já pode ser encontrado em concessionárias de todo aquele país. E com várias promoções, como a desta revendedora de Chesapeake, Virginia, que oferece o carro por US$ 17,988 (pouco mais de R$ 30 mil), sem entrada:


Por Manoel Câmara


Cadillac SRX 2012 com motor 3.6 V6 – Novidades


A General Motors está lançando uma nova versão do seu crossover Cadillac SRX 2012, que chega ao mercado americano ainda no segundo semestre deste ano. O modelo do luxuoso utilitário ganha mais imponência com a nova grade dianteira, que é mais larga, e aparece mais rápido e ágil, com motor 3.6 V6 – sobrepujando a versão anterior, que ficava no motor 3.0.

O novo SRX chega a 300 cavalos de potência e 36 kgfm de torque, além de sistema biocombustível.

O novo Cadillac crossover ainda possui conexão bluetooth e rodas de 20 polegadas. Ele ainda apresenta o opcional Touring package, sistema de navegação e multimídia, anti-deslizamento, volante de luxo aquecido e opção de tração integral ou tração traseira. Os valores do veículo ainda não foram divulgados.

Por Livia Hay