Redução no IPI de Carros Elétricos e Híbridos


A partir de Novembro Carros Elétricos e Híbridos devem ficar mais baratos.

Na última sexta-feira (dia 06 de Julho de 2018) finalmente foi publicada as alíquotas e suas respectivas faixas de redução de preço para veículos elétricos e híbridos a serem vendidos no mercado nacional, a principal novidade é que a redução será baseada em dois critérios principais, a eficiência energética e o peso, exemplificamos elas abaixo:

Carros Híbridos com índice de eficiência energética igual ou menor a 1,10 Mj/km

  • Pesando até 1.400 kg: alíquota de 9%
  • Pesando na faixa de 1.401 kg até 1.700 kg: alíquota de 10%
  • Com peso superior a 1.701 kg: alíquota de 11%

Carros Híbridos com índice de eficiência energética entre 1,11 Mj/km e 1,68 Mj/Km

  • Pesando até 1.400 kg: alíquota de 12%
  • Pesando na faixa de 1.401 kg até 1.700 kg: alíquota de 13%
  • Com peso superior a 1.701 kg: alíquota de 15%

Carros Híbridos com índice de eficiência energética acima de 1,68 Mj/Km

  • Pesando até 1.400 kg: alíquota de 17%
  • Pesando na faixa de 1.401 kg até 1.700 kg: alíquota de 19%
  • Com peso superior a 1.701 kg: alíquota de 20%

Carros Híbridos com índice de eficiência energética acima de 1,68 Mj/Km

  • Pesando até 1.400 kg: alíquota de 17%
  • Pesando na faixa de 1.401 kg até 1.700 kg: alíquota de 19%
  • Com peso superior a 1.701 kg: alíquota de 20%

Carros Elétricos com índice de eficiência energética igual ou menor que 0,66 Mj/Km

  • Pesando até 1.400 kg: alíquota de 7%
  • Pesando na faixa de 1.401 kg até 1.700 kg: alíquota de 8%
  • Com peso superior a 1.701 kg: alíquota de 9%

Carros Elétricos com índice de eficiência energética entre 0,67 Mj/km e 1,35 Mj/Km

  • Pesando até 1.400 kg: alíquota de 10%
  • Pesando na faixa de 1.401 kg até 1.700 kg: alíquota de 12%
  • Com peso superior a 1.701 kg: alíquota de 14%

Carros Elétricos com índice de eficiência energética acima de 1,35 Mj/Km

  • Pesando até 1.400 kg: alíquota de 14%
  • Pesando na faixa de 1.401 kg até 1.700 kg: alíquota de 16%
  • Com peso superior a 1.701 kg: alíquota de 18%

(Futuros) Híbridos Flex também podem entrar na conta

O governo também sinalizou descontos de até 2% no IPI para Carros Híbridos com motorização que aceita tanto etanol como gasolina, isto significa uma redução de imposto de 7% a 18%, dependendo sempre do seu índice de eficiência energética e peso. Por enquanto a única montadora com projetos e interesses nesta área é a Toyota, que já anunciou estar fazendo testes com o seu modelo híbrido Prius, gerando uma versão flexível (Prius Flex), porém, não existe informação oficial quando ou se efetivamente o veículo será lançado.

Os preços tendem a ser reduzidos a partir de Novembro, o mercado costuma reagir positivamente a este tipo de incentivo, porém, a quantidade de modelos e suas versões para o mercado ainda é uma incógnita, o governo respondeu a uma necessidade primária de oferecer regras mais claras com políticas de incentivos e reduções de impostos desde que a indústria obedeça determinadas regras, agora cabe ao mercado responder com os seus interesses e produtos.

A título de informação, atualmente o mercado conta com pouquíssimas opções para venda, dentre elas a mais popular é o Toyota Prius, um carro híbrido com preço em torno de R$ 126 mil, que acumula vendas até o mês de Junho de 2018 de 1.472 unidades ou em média 245 carro ao mês, quer dizer um volume muito baixo e com certeza aquém da demanda de consumidores interessados neste tipo de produto.

A BMW também oferece o BMW i3, trazendo sua nova geração por pouco mais de R$ 200 mil, com maior autonomia devendo baixar seu preço final, uma vez se enquadrando nas faixas propostas.

Apesar da aparente escassez a curtíssimo prazo, as montadoras nacionais e importadores prometem movimentar este cenário ainda este ano, a Volkswagen promete trazer o Golf GTE e a Nissan também confirmou seu elétrico, o Nissan Leaf, o carro elétrico mais vendido no mundo.

Tudo isto somado ao novo conjunto de regras positivas anunciadas pela Rota 2030 e que deve finalmente fazer deslanchar todo mercado automotivo.

Autor: Carlos B.


Abeifa não está satisfeita e quer mudanças sobre IPI


A Associação Brasileiras das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores (Abeifa) anda preocupada com os números que vem registrando. Para termos uma ideia mais ampla da questão basta considerarmos que a quantidade de veículos importados que foram vendidos no Brasil durante o mês de abril deste ano pelas 18 marcas que são associadas a Abeifa sofreu uma queda. De acordo com os números apontados a redução foi de 13,9% se comparado com março. O mês acabou fechando com um total de 2.856 unidades emplacadas.

Durante uma coletiva o presidente da Abeifa José Luiz Gandini colocou a culpa do problema ou ao menos parte dele na cobrança que envolve 30 pontos do IPI que são voltados para a importação de veículos que se encontram fora da cota prevista do Inovar-Auto. Para completar a situação ainda há a questão da alta do dólar que dificulta e até mesmo torna inviável a competitividade dos importados.

Em momento anterior Gandini já tinha deixado claro sua posição afirmando que a associação estava de acordo que não é sustentável aguardar até dezembro de 2017, ocasião em que o IPI adicional deixa de ser cobrado. Com isso a Abeifa deve questionar e propor mudanças antes. Mas apesar de todos os aspectos negativos a associação compreende que o momento político pelo qual o Brasil passa não é tão propício para tratar questões assim.

Gandini destaca também que a remoção do IPI adicional não traria nenhum impacto significativo no teor geral da arrecadação de impostos uma vez que haveria um relativo aumento nas vendas.

Outro aspecto ressaltado pelo presidente diz respeito a diferenciação na tarifa no Inovar-Auto. Segundo ele a mesma deveria considerar a questão de eficiência energética do carro. Nas suas próprias palavras se o carro poluir mais deve pagar mais.

Quando pegamos o acumulado de janeiro a abril as marcas associadas junto à Abeifa chegaram a emplacar 12.716 unidades importadas. Com isso a retração registra um índice de 44,6% comparando com o mesmo período do ano passado, época em que os números chegaram a 22.944 carros.

Aquelas empresas que possuem fabricação local como é caso da Suzuki, Mini, Chery e BMW fecharam o mês de abril com 841 veículos licenciados que foram fabricados aqui no Brasil. Comparando novamente no mês de março houve um aumento de 18,5% , mas mesmo assim em relação a Abril de 2015 uma queda de 42,9%.

Por Denisson Soares


Descontos do IPI devem aquecer o mercado de automóveis até o final de 2014


Os descontos do IPI até o fim de 2014 deverão aquecer o mercado nos últimos meses do ano. Lojistas acreditam que a redução do imposto levará os clientes a uma corrida até as lojas para garantirem o melhor preço.

De acordo com Flávio Meneghetti, presidente da  Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, Fenabrave, em janeiro de 2015 o imposto volta a ser aplicado, pois não existe possibilidade de continuação dos cortes, uma das razões é eleição presidencial deste ano, já que em primeiro de janeiro de 2015 o novo presidente tomará posse. “Mesmo em caso de reeleição de Dilma Rousseff o IPI deverá voltar ao percentual histórico”, aposta Flávio.

A redução do IPI vem ocorrendo com certa frequência no país na tentativa de impulsionar e aquecer o mercado automobilístico brasileiro, que passa por uma crise econômica, e que reflete na desmobilização de mão de obra em diversas montadoras do país. Tão grave que, atualmente, é usado um sistema de "lay-off", que é a suspensão temporária dos contratos de trabalho. Nesse mecanismo, o funcionário é afastado e parte dos salários é bancada pelo Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), do Ministério do Trabalho, mas essa contribuição é limitada a cinco meses

A ação de redução para ativar a economia aconteceu em maio de 2012, carros com motor 1.0 teve seu IPI totalmente reduzido, os demais teve o IPI reduzido em média pela metade. Em 2013, um pequeno ajuste devolveu uma taxação de 2% nos carros com motor 1.0 e os demais entre 7% e 8%.

Este ano, o governo pensava em retomar as taxas originais, mas a queda  nas vendas fez o mesmo recuar na decisão, porém não sem reajustá-los. Nos carros motor 1.0 o imposto subiu para 3% e os demais entre 8% e 9%.

Sendo assim, a partir de janeiro de 2015, as taxações originais do IPI para carros de passeio serão:

– Para carros até 1000cc – 7%;

– Para carros de 1001cc a 2000cc gasolina – 13%;

– Para carros de 1001cc a 2000cc flex – 11%;

– Para carros acima de 2001cc gasolina – 25%;

– Para carros acima de 2001 cc flex – 18%.

Por Vivian Schetini

IPI reduzido

Foto: Divulgação


Valor do IPI para o mercado automotivo brasileiro será mantido


O Ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou no último dia de junho, em reunião com Luiz Moan, Presidente da ANFAVEA (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), que manteria o valor do IPI nos mesmos patamares até o fim de 2014. Contudo, parece que mesmo com a medida governamental, em uma coletiva realizada nesta segunda-feira, 7 de julho, a ANFAVEA reviu as projeções do mercado automotivo brasileiro e as notícias não são nada positivas para o setor.

A princípio, o Governo Federal previa que o Imposto sobre os Produtos Industrializados (IPI) voltaria a subir a partir do primeiro dia de julho, no entanto, com as vendas em ritmo lento, o governo decidiu optar em manter as alíquotas para que não atrapalhasse a indústria automotiva e, consequentemente, não refletisse de forma negativa na economia do país.

Sendo assim, a alíquota do IPI para os carros com bloco 1.0 Flex, que retornaria aos 7%, será mantida em 3%, enquanto que para os propulsores 2.0 a alíquota continuará em 9% e não retornará aos 11% previsto.

Porém, mesmo com a decisão do governo brasileiro, os índices do primeiro semestre não são nada positivos, com queda de 7,6% nas vendas e 16,8% na produção. Caso o segundo semestre não apresente uma recuperação significativa, a ANFAVEA já afirma que o ano fechará com queda nas vendas e na fabricação de veículos, com redução de 5,4% no emplacamento e queda de 10% na produção, quando comparado a 2013.

Mesmo com os feriados e o período da Copa do Mundo, o maior motivo da queda da produção, segundo a associação, está ligado à elevada carga tributária do Brasil, e Moan não economizou nas críticas à política de imposto do atual governo. O Presidente da ANFAVEA defendeu uma adoção de uma menor carga tributária, alegando que a redução compensaria no maior índice de vendas. Luiz Moan explicou ainda que, durante o período em que houve a redução do IPI, o governo conseguiu arrecadar uma maior quantidade de impostos devido às vendas de veículos.

Embora haja a expectativa de que o segundo semestre deverá ser positivo, com previsão de aumento de 14,3% nas vendas e 13,2% na produção de carros em relação ao primeiro semestre deste ano, o ano ainda fecharia com queda de 10% na produção e 5,4% nas vendas. Ao todo seriam 3,339 milhões de carros produzidos e 3,564 milhões de veículos vendidos.

Por Caio Polo


IPI – Alíquotas atuais serão mantidas pelo governo no Brasil


Foi anunciado nesta semana pelo governo federal que as alíquotas do IPI (Imposto Sobre Prodrutos Industrializados) que estão vigentes, deverão ser mantidas até o mês de dezembro de 2014.

Quem deu os detalhes foi o ministro da Fazenda, Guido Mantega, nesta segunda, dia 30. Com isso, o governo pretende que o mercado fique aquecido novamente.

As vendas do setor automotivo no Brasil com uma queda de 5,4% nesses primeiros meses do ano. As alíquotas de forma integral estavam previstas para serem retomadas no primeiro dia do mês de julho de 2014.

Desta maneira, os carros com motores 1.0 devem ter as alíquotas mantidas em 3%. Para os modelos com a motorização Flex entre 1.0 e 2.0, o IPI fica em 9%. Os automóveis 1.0 e 2.0 a gasolina, permanece com a alíquota em 10%.

IPI fica com alíquotas mantidas.
IPI fica com alíquotas mantidas.

Montadoras que aumentarem a eficiência do etanol terão descontos no IPI


No último dia 20 uma novidade surgiu para as montadoras que envolve o IPI. Agora, de acordo com a lei de n° 12.996 publicada no Diário Oficial da União, as montadoras que conseguirem obter uma maior eficiência energética em relação ao uso do etanol em seus modelos de carros, desde que atinjam a média de relação de consumo entre o etanol hidratado e a gasolina superior a 75%, terão direito a um desconto de até dois pontos percentuais nas alíquotas estabelecidas no IPI – Imposto Sobre Produtos Industrializados.

De acordo com as informações divulgadas o principal objetivo da medida é fazer com que os carros flex sejam de certa forma, tratados com mais atenção a fim de que consigam obter uma maior quilometragem por litro do combustível.

O ministro do Desenvolvimento, Mário Borges, comentou sobre o assunto como sendo um bom incentivo para que seja desenvolvida uma eficiência energética maior e isso levando em consideração os gastos de engenharia tidos pelas empresas de etanol em comparação com as de gasolina. O mais interessante é o crédito de IPI tem a possibilidade de ser usado para o desenvolvimento de motores flex. Tudo, novamente, de olho na eficiência do etanol.

Outro detalhe interessante de ser observado é que com o etanol sendo melhorado, o governo de quebra, acaba estimulando o uso do combustível naqueles que têm carros com motores flex.

A lei publicada no Diário Oficial da União também regulamenta um item chamado de "sistema de rastreabilidade". O mesmo é necessário para seja possível medir a quantidade do chamado “conteúdo local”. Isso basicamente quer dizer aferir a quantidade de partes e também de peças que são usadas no processo de fabricação dos veículos. As empresas do setor de produção de automóveis poderão obter o desconto de IPI com base no conteúdo nacional declarado.

Borges destaca o fato de que as empresas têm atendido ao cumprimento da lei local e consequentemente abatimento no IPI por meio de processos chamados de auto-declaratórios. Com a lei em vigor ele destaca a criação de um sistema para a aferição de conteúdo local, o qual deverá incluir, dentre outros pontos, informação de notas ficais além de auditoria de uma terceira parte.

Por Denisson Soares

IPI reduzido para montadoras

Foto: Divulgação


Vendas de carros seminovos apresentaram alta depois da volta do IPI


Os modelos usados já estão tendo uma saída de vendas cerca de 80% a mais do os carros 0km. Alguns dos modelos já começam a faltar nas revendedoras de seminovos.

Passaram-se pouco mais de três meses desde que tivemos a volta da cobrança em taxa integral do Imposto para Produtos Industrializados (IPI). Nesse meio tempo algumas concessionárias que ainda têm algumas poucas unidades em seus estoques (que não foram faturadas em 2013) e que ainda podem ser comercializadas com o IPI antigo fazem uso do fato para tentar atrair novos compradores para carros 0km. O problema, ou solução, conforme o ponto de vista, é que quem está se dando bem com isso é o mercado destinado aos modelos seminovos. Desde que a alíquota voltou a subir as vendas no setor deram um salto surpreendente.

De acordo com as informações divulgadas pela Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto), o aumento registrado foi de 18% nas vendas apenas no último mês. Isso em termos mais “numéricos” representa uma venda de cerca de 640 mil automóveis. A título de curiosidade esse número é 80% maior do que o registrado em relação a venda de veículos novos.

Explicando melhor o que ocorre é basicamente o seguinte: com o aumento do IPI para os modelos 0km, o carro usado se tornou mais valorizado na questão da troca. Mas quando consideramos o estoque de carros seminovos do ano passado quando os preços ainda estavam mais baixos a conclusão a que se chega é a de que o usado está muito mais barato que o zero.

Não é preciso muito para achar um carro bom nessas condições. Uma busca na internet, por exemplo, é tranquilo encontrar em classificados carros seminovos com um km baixo e com o status de novo. E o melhor é que os preços apresentados se tornam quase que imbatíveis em comparação aos modelos 0km.

Por Denisson Soares

Vendas de seminovos

Foto: Divulgação


Carros com motor 1.0 terão aumento no IPI para 41% em Julho de 2014


Em dezembro, o governo editou o decreto 8.168 no Diário Oficial da União. Tal medida confirma o aumento das alíquotas do imposto sobre os Produtos Industriais (IPI), incidente nos automóveis a partir deste mês de janeiro de 2014, conforme foi previsto por Guido Mantega, ministro da Fazenda.

De acordo com a tabela do decreto, a alíquota para os veículos com até 1 mil cilindradas (1.0) passa a ficar em 33% no dia 01 de janeiro. Essa alíquota permanece até o dia 30 de junho de 2014.

No dia 01 de julho de 2014, o IPI sobre os automóveis 1.0 fica em 37%, número que volta ao patamar anterior aos incentivos do governo para o segmento. Naquela época, a alíquota do IPI para os carros populares chegou a ser de 7%. O Diário Oficial da União aponta que a alíquota voltará a ser de 7% em janeiro de 2018.

Os carros de 1.0 a 1.5 cilindradas passam a ter alíquota do IPI de 39% no dia 01 de janeiro a 30 de junho de 2014. No dia 01 de julho, a alíquota aumenta para 41% e vale até o dia 31 de dezembro de 2017.

IPI.

Ford F-150 em Detroit

A Ford vai mostrar sua nova caminhonete F-150 2015 em algumas semanas, no Salão do Automóvel de Detroit 2014. A informação foi divulgada pelo site Bloomberg.

Segundo a publicação, algumas fontes próximas da marca afirmam que o modelo chega com um visual do conceito Atlas (foto). O F150 também chegaria com painéis de alumínio na sua carroceria.

Isso faria, provavelmente, que a F-150 ficasse 340 kg mais leve. O propulsor do modelo deverá ser o EcoBoost de 2.7 l, que foi desenvolvido recentemente, o qual será acoplado a uma transmissão automática de 10 velocidades.

Outra novidade também pode ser uma nova tecnologia híbrida disponível no modelo para permitir que a Ford atenda os padrões rigorosos de economia de combustível dos Estados Unidos.

Os boatos dão conta que a montadora já começou a fazer os protótipos e inicia a produção do modelo de ano 2015 no segundo semestre do ano que vem.


IPI de Carros 1.0 aumentará para 41% até 1° de julho de 2014


Em dezembro, o governo editou o decreto 8.168 no Diário Oficial da União. Tal medida confirma o aumento das alíquotas do imposto sobre os Produtos Industriais (IPI), incidente nos automóveis a partir deste mês de janeiro de 2014, conforme foi previsto por Guido Mantega, ministro da Fazenda.

De acordo com a tabela do decreto, a alíquota para os veículos com até 1 mil cilindradas (1.0) passa a ficar em 33% no dia 01 de janeiro. Essa alíquota permanece até o dia 30 de junho de 2014.

No dia 01 de julho de 2014, o IPI sobre os automóveis 1.0 fica em 37%, número que volta ao patamar anterior aos incentivos do governo para o segmento. Naquela época, a alíquota do IPI para os carros populares chegou a ser de 7%. O Diário Oficial da União aponta que a alíquota voltará a ser de 7% em janeiro de 2018.

Os carros de 1.0 a 1.5 cilindradas passam a ter alíquota do IPI de 39% no dia 01 de janeiro a 30 de junho de 2014. No dia 01 de julho, a alíquota aumenta para 41% e vale até o dia 31 de dezembro de 2017. 

IPI.

Ford F-150 em Detroit

A Ford vai mostrar sua nova caminhonete F-150 2015 em algumas semanas, no Salão do Automóvel de Detroit 2014. A informação foi divulgada pelo site Bloomberg.

Segundo a publicação, algumas fontes próximas da marca afirmam que o modelo chega com um visual do conceito Atlas (foto). O F150 também chegaria com painéis de alumínio na sua carroceria.

Isso faria, provavelmente, que a F-150 ficasse 340 kg mais leve. O propulsor do modelo deverá ser o EcoBoost de 2.7 l, que foi desenvolvido recentemente, o qual será acoplado a uma transmissão automática de 10 velocidades.

Outra novidade também pode ser uma nova tecnologia híbrida disponível no modelo para permitir que a Ford atenda os padrões rigorosos de economia de combustível dos Estados Unidos.

Os boatos dão conta que a montadora já começou a fazer os protótipos e inicia a produção do modelo de ano 2015 no segundo semestre do ano que vem. 


Audi – Alguns veículos não pagarão impostos para importação


A partir do mês de março, a Audi, que faz parte do Grupo Volkswagen, está habilitada para trazer ao Brasil 3.896 automóveis, anualmente, sem precisar acertar os 30 pontos percentuais do IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados – no que se refere aos veículos importados. A marca obteve habilitação no Inovar-Auto, regime automotivo. Os dados foram publicados no Diário Oficial.

A cota dos veículos que não precisará pagar IPI para importação refere-se a 969 unidades a cada trimestre. Porém, os preços da montadora ainda não tiveram nenhuma diminuição. A tabela renovada irá ser divulgada brevemente.

A companhia alemã, entretanto, irá poder obter uma cota maior. Isso se deve a um acordo feito com Luca De Meo, que é o vice-presidente mundial da empresa. Além disso, está sendo estudada uma volta da produção de unidades da Audi no mercado brasileiro.

Caso a Audi decida voltar com a fabricação no mercado nacional, irá poder levar ao país metade de toda sua produção nacional estimada para cada veículo fabricado no Brasil. Entre as nacionalizações, os modelos mais cotados são: Q3, A4 e A3. Segundo a empresa, “esta é uma forma de alavancar as vendas da marca em escala global”.

Por Marcelo Araújo


Vendas de caminhões aumentaram em outubro de 2012


Alguns dos segmentos do mercado automotor que mais impulsionaram o número de vendas foram os seguintes: comerciais leves e automóveis. Porém, neste ano, o segmento de caminhões passa por um período ruim de vendas e o governo está estudando medidas para reverter esta situação.

Em uma tentativa bem sucedida de manter as altas vendas, o governo brasileiro utilizou artifícios como a garantia de descontos no IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados). Após duas prorrogações da medida, aparece a terceira, que vai até o final de 2012. Fora isso, houve os feirões, os lançamentos de diversos modelos, entre outros aspectos que fizeram as vendas chegarem ao número de 326.917 apenas em outubro. Em relação ao mês anterior, o aumento nas vendas foi de 17,7%.

Estes números simbolizam o melhor mês de outubro e o melhor índice acumulado para o setor entre janeiro e outubro, período em que foram vendidos 2.993.696 veículos, apresentando um aumento de 7,2% em relação ao do ano passado. Estas informações são da Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores.

Havia uma previsão de que o desconto no IPI terminasse ao final do mês de outubro, o que não aconteceu. Devido ao prolongamento da medida até o final do ano, o mercado automotor brasileiro espera bater mais recordes de vendas.

Por Marcelo Araújo


Redução do IPI – Prazo foi prorrogado até 31 de dezembro de 2012


O anúncio que o empresariado nacional queria ouvir foi dado nesta quarta-feira, dia 24 de outubro pela presidente Dilma Rousseff: foi concedida a prorrogação das alíquotas menores do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). O prazo se estenderá até o dia 31 de dezembro de 2012, depois de já ter sido prorrogado uma outra vez (até o final de outubro).

Durante o anúncio, Dilma conclamou os empresários a defenderem o novo regime automotivo, chamado de “Inovar-Auto”. Segundo a chefe do executivo, a intenção é “gerar tecnologia, porque o nosso país tem um desafio e chama-se o desafio da produção, e produzir vai significar para o nosso país ter uma imensa capacidade de inovar".

Para a presidente, o Brasil tem todas as condições necessárias para “gerar conhecimento científico e tecnológico na indústria automobilística” e o Inovar-Auto não se propõe a encerrar as importações de automóveis, mas sim, não encarar isso como se fosse prioridade nacional, uma vez que o mercado nacional tem plenas condições de gerar os investimentos que o Inovar-Auto necessita.

Para Dilma, nosso mercado tem “uma imensa capacidade de gerar oportunidades para todos” e o Inovar-Auto  terá um grande papel a desempenhar na tarefa de “agregar valor e de produzir inovação na indústria".

Por A. V. S

Fonte: Exame


IPI Reduzido – Benefício prorrogado por Dilma até 31 de dezembro de 2012 – Confira os valores


Dilma no Salão do Automóvel de São Paulo.

Durante a sua passagem pelo Salão do Automóvel em São Paulo, na manhã desta quarta (24), a presidente Dilma Roussef anunciou a prorrogação do IPI (Imposto sobre Produto Industrializado) reduzido até o dia 31 de dezembro.

A medida ficaria vigorada até o último dia de outubro, mas pela segunda vez, o governo tomou a iniciativa de adiar o encerramento da taxação mais baixa para manter o bom volume de vendas de carros novos.

Desta maneira, ficou atendida a reivindicação das fabricantes, que estavam aguardando a extensão do benefício para não terem uma queda brusca nas vendas nos últimos meses de 2012.

Estimativas apontam que o incentivo gerou a redução dos preços dos carros em aproximadamente 10%.

Cledorvino Belini, presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), comentou que a prorrogação deve permitir ao setor fechar o ano com um crescimento de 5% das vendas no mercado interno.

O primeiro anúncio foi feito no mês de maio e foi até o final de julho. No mês de agosto, foi divulgada a primeira prorrogação até o final deste mês de outubro de 2012.

Confira como fica o IPI até o final deste ano –

  • – 1.0 nacional: 0%
  • – 1.0 a 2.0 nacional a álcool ou bicombustível: 5,5%
  • – 1.0 a 2.0 a gasolina: 6,5%
  • – veículos comerciais nacionais: 1%
  • – 1.0 importado: 30%
  • – 1.0 a 2.0 a álcool ou bicombustível: 35,5%
  • – 1.0 a 2.0 a gasolina: 36,5%
  • – veículos comerciais importados: 31%


Redução do IPI para carros novos – Governo poderá prorrogar o prazo


Devido ao “boom” no comércio de veículos, que teve como marco a quebra do recorde de vendas em agosto de 2012, com cerca 405 mil automóveis negociados e depois do sucesso de vendas devido à redução do imposto, o governo decidiu prorrogar o desconto no IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados.

Supostamente, essa prorrogação tem até o dia 31 de outubro para produzir seus efeitos.

No mês de setembro a outubro as vendas definharam e conforme o volume diminui a certeza da prorrogação da redução do imposto aumenta.

Infelizmente o governo deverá anunciar a nova prorrogação em cima da hora, como fez anteriormente, o que pode causar problemas aos brasileiros que deixarem para adquirir seus produtos no último instante, como aconteceu na última prorrogação. Muitas pessoas escolheram seus carros às pressas antes do fim do prazo e sem aviso o governo estendeu a redução.

Os empresários esperam que o Salão do Automóvel de São Paulo, que começa dia 24 de outubro, aqueça as vendas, já que muitas novidades são mostradas e atiçam a vontade dos compradores que aguardam até o último momento para adquirir seu carro novo.

Por A. V. S


Redução do IPI para carros novos – Prazo prorrogado


Era para ser expirado em 31 de agosto de 2012, o prazo para a compra de carro zero, entre outros bens com desconto, mas o Ministro da Fazenda, Guido Mantega, deu a boa notícia no último dia 29 de agosto: prorrogação do prazo de redução do IPI (Imposto Sobre Produtos Industrializados) para carros, móveis, painéis e laminados, utilizados na construção civil, eletrodomésticos da linha branca, entre outros.

O governo deixará de arrecadar R$ 5,5 bilhões, só no intervalo entre setembro de 2012 e dezembro de 2013, mas, segundo o Ministro, esse estímulo é importante nesse momento em que o Brasil passa por uma recuperação na economia e a volta do imposto poderia atrapalhar.

Os carros com motor 1.0, que tinham alíquota de 7%, agora tem 0%. A partir de 1.0 até 2.0 movidos a álcool e flex, que tinham alíquota de 11%, agora tem 5,5%. A partir de 1.0 até 2.0 movidos a gasolina, a alíquota era de 13%, agora é de 6,5%. Veículos utilitários tinham alíquota de 4%, agora têm 1%. E para os importados, que têm alíquotas entre 34% e 43% tiveram redução de até 7%.

Um alívio para quem pretendia comprar antes do fim do ano, para os empresários do setor e para todos os outros setores, pois quando um vai bem, o dinheiro circula mais e todos ganham!

Por Jaqueline Rebouças


IPI Reduzido – Imposto para carros com preços menores prorrogado até outubro de 2012


IPI reduzido para carros continua até outubro.

Foi prorrogada pelo governo a redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para carros, produtos da linha branca (fogão, geladeira, máquina de lavar e tanquinho) e material de construção.

A informação foi divulgada pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, nesta quarta (29). O benefício em questão para a linha branca venceria na sexta (31) e foi estendido até o dia 31 de dezembro.

Seguindo o ministro, a renúncia fiscal para a linha branca é de R$ 361 milhões pelos quatro meses que foi prorrogado a redução do IPI.

Com relação aos carros, a renúncia fiscal é ainda maior, e o desconto foi mantido por mais dois meses, até o dia 31 de outubro.

O IPI de veículos foi reduzido no final do mês de maio pelo governo em até sete pontos percentuais, segundo o modelo e sua cilindrada.

A Anfavea (Associação das Montadoras) apresentou para o ministério dados que apontam que o benefício criou 2.700 mil novos empregos, elevou a arrecadação de impostos em R$ 188,4 milhões e acarretou no aumento da média diária do licenciamento de veículos em 25,7%.

Com isso, a Anfavea buscou a prorrogação da redução do IPI para o setor de automóveis.


JAC Motors – Preços reduzidos dos modelos J3, J3 Turin, J5 e J6


O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou nesta semana a diminuição do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI).

Com isso, algumas montadoras reduziram o preço de alguns de seus modelos. Uma delas foi a chinesa JAC Motors. Todos os seus modelos tiveram os preços baixados.

O hatch J3, automóvel de entrada da marca chinesa, teve o seu preço reduzido de R$ 37.900 para R$ 34.990. Para o modelo J3 Turin, a redução foi de cerca de R$ 3 mil, sendo que o carro agora custa R$ 36.990.

No caso do sedã médio J5, a diminuição do valor foi maior comparando com o J3. O modelo com motor 1.5 de 16 válvulas passou de R$ 53.800 para R$ 49.990.

A JAC também reduziu o preço do SUV J6 para a sua versão de 5 lugares. O custo do utilitário esportivo passou de R$ 55,900 para R$ 51.990.

Já a versão com 7 lugares e rodas aro 17, o preço é de R$ 55.990, sendo que antes era cobrado R$ 59.900.


Redução IPI – Novos preços de carros Fiat, Renault, Nissan, Chevrolet e Ford


Depois da redução do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) incidente a veículos, anunciado pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, as montadoras começaram a divulgar novos preços que serão praticados para seus modelos.

Os preços tiveram uma redução de quase 10%, como é o caso do Fiat Mille Fire Economy 1.0 de duas portas. O custo deste modelo foi de R$ 23.650 para R$ 21.360, economia de R$ 2.290 para o bolso do consumidor.

 Como anunciado, os carros de motor 1.0 produzidos no Brasil tiveram o IPI reduzido de 7% para 0%. Já aqueles com motor entre 1.0 e 2.0, a redução de alíquota foi de 11% para 6%.

Os veículos importados de motor entre 1.0 a 2.0, a redução foi de 45% para 35,5% do IPI. Montadoras como a Renault, JAC Motors, Nissan, Chevrolet, Fiat e Ford já anunciaram os novos preços.

Confira os valores anunciados pelas montadoras – 

Chevrolet

Modelo Preço novo
Celta 1.0 LS 2 portas 24.049 a 27.025
Celta 1.0 LS 4 portas 25.667 a 27.822
Celta 1.0 LT 4 portas 27.053 a 29.068
Classic 1.0 LS 4 portas 25.469 a 29.525
Prisma 1.4 LT 4 portas 29.342 a 33.743
Corsa 1.4 Hatch 4 portas MAXX 29.418 a 32.206
Corsa 1.4 Sedan 4 portas Premium 36.038 a 40.040
Agile 1.4 LT 4 portas 34.500 a 39.159
Agile 1.4 LTZ 4 portas 41.017
Cobalt 1.4 LS 37.834
Cobalt 1.4 LT 41.430
Cobalt 1.4 LTZ 43.985
Meriva 1.4 4 portas Joy 40.310 a 43.029
Meriva 1.4 4 portas MAXX 42.309
Meriva 1.8 4 portas Expression 42.694
Meriva 1.8 4 portas Premium 44.946 a 47.665
Cruze Ecotec 6 LT 4 portas 62.558 a 67.034
Cruze Ecotec 6 LTZ 4 portas 74.653
CruzeSport 6 1.8 5 portas LT 60.216 a 65.170
CruzeSport 6 1.8 5 portas LTZ 72.239 a 74.106
Zafira 2.0 Comfort 55.123 a 55.753
Zafira 2.0 Expression 59.027 a 59.687
Zafira 2.0 Elegance 63.810 a 64.440
Zafira 2.0 Elite 68.528 a 69.158
Nova Montana 1.4 LS 30.608 a 38.981
Nova Montana Sport 1.4 42.097
Nova S10 Cabine Simples 2.4 LS 57.011
Nova S10 Cabine Simples 2.4 LT 59.937
Nova S10 Cabine Simples 2.8 Diesel 4X4 LS 82.705
Nova S10 Cabine Dupla 2.4 4X2 LS 64.256
Nova S10 Cabine Dupla 2.4 4X2 LT 70.203
Nova S10 Cabine Dupla 2.4 4X2 LTZ 81.737
Nova S10 Cabine Dupla 2.8 Diesel 4X2 LT 95.779 a 100.621
Nova S10 Cabine Dupla 2.8 Diesel 4X2 LTZ 113.695
Nova S10 Cabine Dupla 2.8 Diesel 4X4 LT 106.045 a 109.821
Nova S10 Cabine Dupla 2.8 Diesel 4X4 LTZ 130.982
Captiva Sport Ecotec 2.4 89.900
Captiva Sport V6 3.0 96.600 a 101.900
Malibu LTZ 2.4 Ecotec 99.900
Omega 3.0 V6 CD 161.000
Camaro 201.000

Fiat

Modelo Preço Antigo Preço Novo
MILLE FIRE ECONOMY 1.0 FLEX 2P 23.650 21.360
MILLE FIRE ECONOMY 1.0 FLEX 4P 25.530 23.050
MILLE WAY ECONOMY 1.0 FLEX 2P 24.190 21.840
MILLE WAY ECONOMY 1.0 FLEX 4P 26.090 23.560
NOVO UNO VIVACE 1.0 EVO FLEX 2P 26.880 24.110
NOVO UNO VIVACE 1.0 EVO FLEX 4P 28.740 25.780
NOVO UNO WAY 1.0 EVO FLEX 2P 27.990 25.110
NOVO UNO WAY 1.0 EVO FLEX 4P 29.870 26.790
NOVO UNO WAY 1.4 EVO FLEX 2P 30.990 28.820
NOVO UNO WAY 1.4 FLEX 4P 33.090 30.770
NOVO UNO ECONOMY 1.4 EVO FLEX 2P 28.350 26.360
NOVO UNO ECONOMY 1.4 EVO FLEX 4P 30.190 28.080
NOVO UNO SPORTING 1.4 EVO FLEX 2P 32.630 30.340
NOVO UNO SPORTING 1.4 EVO FLEX 4P 34.670 32.240
NOVO UNO ATTRACTIVE 1.4 EVO FLEX 2P 29.390 27.330
NOVO UNO ATTRACTIVE 1.4 FLEX 4P 31.190 29.010
PALIO FIRE ECONOMY 1.0 FLEX 2P 25.790 23.290
PALIO FIRE ECONOMY 1.0 FLEX 4P 27.650 24.970
NOVO PALIO ATTRACTIVE 1.0 EVO FLEX 4P 31.290 28.440
NOVO PALIO ATTRACTIVE 1.4 EVO FLEX 4P 35.590 33.100
NOVO PALIO ESSENCE 1.6 16V FLEX 4P 39.350 36.590
NOVO PALIO ESSENCE DUALOGIC 1.6 16V FLEX 4P 41.880 38.940
NOVO PALIO SPORTING 1.6 16V FLEX 4P 41.310 38.410
NOVO PALIO SPORTING DUALOGIC 1.6 16V FLEX 4P 43.830 40.760
SIENA FIRE 1.0 FLEX 4P 30.680 27.640
SIENA EL 1.0 FLEX 4P 31.180 28.150
SIENA EL 1.4 FLEX 4P 33.300 30.970
SIENA ESSENCE 1.6 16V FLEX 4P 40.720 37.870
SIENA ESSENCE DUALOGIC 1.6 16V FLEX 4P 43.100 40.080
SIENA 1.4 TETRAFUEL 4P 47.870 44.510
PALIO WEEKEND ATTRACTIVE 1.4 FLEX 4P 42.690 39.700
PALIO WEEKEND TREKKING 1.6 16V FLEX 4P 44.560 41.440
PALIO ADVENT. S. ITÁLIA 1.8 16V FLEX 4P 54.580 50.750
PALIO ADVENT. ITÁLIA DUAL 1.8 16V FLEX 4P 56.570 52.600
NOVO IDEA ATTRACTIVE 1.4 FLEX 4P 45.570 42.370
NOVO IDEA ESSENCE 1.6 16V FLEX 4P 48.540 45.140
NOVO IDEA ESSENCE DUALOGIC 1.6 16V FLEX 4P 50.680 47.130
NOVO IDEA SPORTING 1.8 16V FLEX 4P 56.770 52.790
NOVO IDEA SPORTING DUALOGIC 1.8 16V FLEX 4P 58.880 54.750
NOVO IDEA ADVENTURE 1.8 16V FLEX 4P 54.890 51.040
NOVO IDEA ADVENTURE DUALOGIC 1.8 16V FLEX 4P 56.980 52.980
PUNTO ATTRACTIVE 1.4 FLEX 4P 39.760 36.970
PUNTO ESSENCE 1.6 16V FLEX 4P 44.060 40.970
PUNTO ESSENCE 1.6 16V DUALOGIC FLEX 4P 46.820 43.540
PUNTO ESSENCE 1.8 16V FLEX 4P 46.580 43.310
PUNTO ESSENCE 1.8 16V DUALOGIC FLEX 4P 49.150 45.700
PUNTO SPORTING 1.8 16V FLEX 4P 49.250 45.800
PUNTO SPORTING 1.8 16V DUALOGIC FLEX 4P 51.800 48.170
PUNTO T-JET 1.4 16V TURBO GASOLINA 4P 62.680 57.740
BRAVO ESSENCE 1.8 16V FLEX 4P 57.150 53.140
BRAVO ESSENCE DUALOGIC 1.8 16V FLEX 4P 59.790 55.600
BRAVO ABSOLUTE 1.8 16V FLEX 4P 63.820 59.340
BRAVO ABSOLUTE DUALOGIC 1.8 16V FLEX 4P 66.830 62.140
BRAVO T-JET 1.4 16V TURBO GASOLINA 4P 68.950 63.510
FIAT 500 CULT 1.4 8V FLEX 2P 43.840 40.770
FIAT 500 CULT DUALOGIC 1.4 8V FLEX 2P 46.990 43.690
FIAT 500 SPORT AIR 1.4 16V GAS. 2P 51.650 47.580
FIAT 500 SPORT AIR AUTOMÁTICO 1.4 16V GAS. 2P 55.880 51.480
FIAT 500 LOUNGE AIR AUTOMÁTICO 1.4 16V GAS. 2P 58.000 53.430
LINEA ESSENCE 1.8 16V FLEX 4P 56.990 52.990
LINEA ESSENCE 1.8 16V DUALOGIC FLEX 4P 59.990 55.780
LINEA ABSOLUTE 1.8 16V DUALOGIC FLEX 4P 67.900 63.140
LINEA T-JET 1.4 16V TURBO GASOLINA 4P 70.780 65.200
FREEMONT EMOTION 2.4 16V GASOLINA 4P 85.190 85.190
FREEMONT PRECISION 2.4 16V GASOLINA 4P 89.990 89.990
DOBLÒ ATTRACTIVE 1.4 FLEX 4P 53.790 50.020
DOBLÒ ESSENCE 1.8 16V FLEX 4P 61.180 56.890
DOBLÒ ADVENTURE 1.8 16V FLEX 4P 65.260 60.680
DOBLÒ CARGO 1.4 FLEX 2P 42.250 40.460
DOBLÒ CARGO 1.8 16V FLEX 2P 47.300 45.300
UNO FURGÃO 1.3 FIRE FLEX 2P 26.170 25.060
FIORINO FURGÃO 1.3 FIRE FLEX 2P 38.520 36.890
STRADA FIRE 1.4 FLEX 2P 31.990 30.640
STRADA FIRE CE 1.4 FLEX 2P 35.190 33.700
STRADA WORKING 1.4 FLEX 2P 34.090 32.650
STRADA WORKING CE 1.4 FLEX 2P 36.870 35.310
STRADA WORKING CD 1.4 FLEX 2P 40.560 38.840
STRADA TREKKING 1.4 FLEX 2P 37.740 36.140
STRADA TREKKING CE 1.4 FLEX 2P 40.590 38.870
STRADA ADVENTURE CE 1.8 16V FLEX 2P 49.020 46.940
STRADA ADVENTURE CD 1.8 16V FLEX 2P 53.390 51.130
STRADA ADVENTURE CD DUALOGIC 1.8 16V FLEX 2P 55.780 53.420
STRADA SPORTING CE 1.8 16V FLEX 2P 46.370 44.410

 

Ford

Modelo Preço novo
Novo Ka 1.0 Flex 2012/2013 21.240 a 24.400
Novo Ka 1.0 Flex Fly 2012/2013 23.150 a 24.250
Novo Ka 1.0 Flex Pulse 2012/2013 25.850 a 27.100
Novo Ka 1.6 Flex Sport 2012/2013 32.550 a 33.450
FIESTA ROCAM HATCH 1.0 FLEX 2012 24.800
FIESTA ROCAM HATCH 1.0 FLEX FLY 2012/2013 25.490 a 29.090
FIESTA ROCAM HATCH 1.0 FLEX PULSE 2012/2013 30.500 a 32.300
FIESTA ROCAM HATCH 1.6 FLEX PULSE 2012/2013 33.000 a 37.600
FIESTA ROCAM HATCH 1.0 FLEX 2013 24.210 a 24.800
FIESTA ROCAM SEDAN 1.0 FLEX 2012 26.700
FIESTA ROCAM SEDAN 1.0 FLEX FLY 2012/2013 27.450 a 31.050
FIESTA ROCAM SEDAN 1.0L FLEX PULSE 2012/2013 32.350 a 34.200
FIESTA ROCAM SEDAN 1.6 FLEX PULSE 2012/2013 35.030 a 39.650
FIESTA ROCAM SEDAN 1.0 FLEX 2013 26.100 a 26.700
NEW FIESTA SEDAN 1.6 FLEX 2012 46.020 a 53.830
NEW FIESTA HATCH 1.6 FLEX 2012 44.130 a 50.270
NOVO FOCUS GL 5P HATCH 1.6 FLEX 2012 49.110 a 51.900
NOVO FOCUS GLX 5P HATCH 2.0 16V FLEX 2012 55.110 a 62.670
NOVO FOCUS HATCH TITANIUM 2.0 16V FLEX 2012 64.180 a 68.430
NOVO FOCUS GL 4P SEDAN 1.6 FLEX 2012 51.490 a 54.280
NOVO FOCUS GLX 4P SEDAN 2.0 16V FLEX 56.490 a 64.270
NOVO FOCUS SEDAN TITANIUM AT 2.0 16V FLEX 70.030
FUSION 2.5 SEL 2011 83.660 a 87.700
FUSION 3.0 V6 SEL FWD 2011 94.360 a 107.360
FUSION 2.5 HYBRID 2011 133.900
FUSION 2.5 SEL 2012 84.500 a 88.580
FUSION 3.0 V6 SEL FWD 2012 94.360 a 107.360
FUSION 2.5 HYBRID 2012 133.900
ECOSPORT 1.6 XL FLEX FUEL 2012 45.100 a 48.190
ECOSPORT 1.6 FSL FLEX FUEL FREESTYLE 2012 50.620 a 52.220
ECOSPORT 1.6 XLT FLEX FUEL 2012 53.540
ECOSPORT 2.0 XL FLEX 2012 44.900 a 48.520
ECOSPORT 2.0 FSL FREESTYLE FLEX 2012 56.250
ECOSPORT 2.0 XLT FLEX 2012 58.950
ECOSPORT 2.0 XLS Automático FLEX 2012 52.540
ECOSPORT 2.0 XLT Automático FLEX 2012 56.250 a 58.950
ECOSPORT 2.0 4WD FLEX 2012 57.220 a 59.920
EDGE 3.5 SEL 2011 123.940
EDGE 3.5 Limited 2011 135.930 a 144.750
EDGE 3.5 SEL 2012 127.150
EDGE 3.5 Limited 2012 141.050 a 155.890
COURIER 1.6 2012 31.950 a 40.420
COURIER 1.6 XL 2012 42.190
COURIER 1.6 VAN 2012 38.580 a 40.730
RANGER CAB SIMPLES 2.3 GAS 4X2 XL 2011 44.130
RANGER CAB SIMPLES 2.3 GAS 4X2 XLS 2011 49.710
RANGER CAB SIMPLES 2.3 GAS 4X2 XLS SPORT 2011 54.290
RANGER CAB SIMPLES 3.0 DIESEL 4X2 XL 2011 61.860
RANGER CAB SIMPLES 3.0 DIESEL 4X2 XLS 2011 67.340
RANGER CAB SIMPLES 3.0 DIESEL 4X4 XL 2011 66.900 a 70.140
RANGER CAB DUPLA 2.3 GAS 4X2 XL 2011 55.470
RANGER CAB DUPLA 2.3 GAS 4X2 XLS 2011 61.750
RANGER CAB DUPLA 2.3 GAS 4X2 XLT 2011 66.060
RANGER CAB DUPLA 2.3 GAS 4X2 LTD 2011 76.510
RANGER CAB DUPLA 3.0 DIESEL 4X2 XL 2011 72.540
RANGER CAB DUPLA 3.0 DIESEL 4X2 XLS 2011 78.650
RANGER CAB DUPLA 3.0 DIESEL 4X2 XLT 2011 83.090
RANGER CAB DUPLA 3.0 DIESEL 4X4 XL 2011 82.210
RANGER CAB DUPLA 3.0 DIESEL 4X4 XL 2011 86.110
RANGER CAB DUPLA 3.0LDIESEL 4X4 XLS 2011 87.570
RANGER CAB DUPLA 3.0 DIESEL 4X4 XLT 2011 89.990
RANGER CAB DUPLA 3.0L DIESEL 4X4 LIMITED 2011 97.660
RANGER CAB SIMPLES 2.3 GAS 4X2 XL 2012 44.930
RANGER CAB SIMPLES 2.3 GAS 4X2 XLS 2012 50.800
RANGER CAB SIMPLES 2.3 GAS 4X2 XLS SPORT 2012 55.480
RANGER CAB SIMPLES 3.0 DIESEL 4X2 XL 2012 59.600
RANGER CAB SIMPLES 3.0 DIESEL 4X2 XLS 2012 65.230
RANGER CAB SIMPLES 3.0 DIESEL 4X4 XL 2012 64.770
RANGER CAB SIMPLES 3.0 DIESEL 4X4 XL 2012 68.100
RANGER CAB DUPLA 2.3 GAS 4X2 XL 2012 56.470
RANGER CAB DUPLA 2.3 GAS 4X2 XLS 2012 63.110
RANGER CAB DUPLA 2.3 GAS 4X2 XLT 2012 67.250
RANGER CAB DUPLA 2.3 GAS 4X2 LTD 2012 77.890
RANGER CAB DUPLA 3.0 DIESEL 4X2 XL 2012 70.560
RANGER CAB DUPLA 3.0 DIESEL 4X2 XLS 2012 76.820
RANGER CAB DUPLA 3.0 DIESEL 4X2 XLT 2012 81.370
RANGER CAB DUPLA 3.0 DIESEL 4X4 XL 2012 80.470
RANGER CAB DUPLA 3.0 DIESEL 4X4 XL 2012 84.470
RANGER CAB DUPLA 3.0 DIESEL 4X4 XLS 2012 85.960
RANGER CAB DUPLA 3.0 DIESEL 4X4 XLT 2012 88.430
RANGER CAB DUPLA 3.0 DIESEL 4X4 LIMITED 2012 96.300

JAC Motors

Modelo/Versão Preço Sugerido
J3 1.4 16V VVT 108 CV 2012/2012 37.900,00
J3 Turin 1.4 16V VVT 108 CV 2012/2012 39.900,00
J5 1.5 16V VVT 125 CV 2012/2013 53.800,00
J6 2.0 5S 2.0 16V 136 CV 2012/2012 55.900,00
J6 2.0 Diamond 7S 16″ 2.0 16V 136 CV 2012/2012 57.900,00
J6 2.0 Diamond 7S 17″ 2.0 16V 136 CV 2012/2012 59.500,00

Nissan

Versões Preço sugerido anos 2012/2013
March 1.0 Flex MT 24.990 a 28.790
March 1.0 S Flex MT 29.990 a 30.790
March 1.6 S Flex MT 33.390
March 1.6 SV Flex MT 35.390
March 1.6 SR Flex MT 37.190
Versa 1.6 S Flex MT 33.490 a 36.590
Versa 1.6 SV Flex MT 38.490
Versa 1.6 SL Flex MT 41.290
Livina 1.6 Flex MT 42.590
Livina 1.6 S Flex MT 44.390
Livina 1.8 S Flex AT 47.290
Livina 1.8 SL Flex AT 51.190
Gran Livina 1.8 S Flex MT 51.990
Gran Livina 1.8 SL Flex AT 57.690
Livina X-Gear 1.8 SL Flex AT 51.990
Tiida 1.8 S Flex MT 46.390
Tiida 1.8 SL Flex MT 51.390
Tiida 1.8 SL Flex AT 55.190
Tiida Sedan 1.8 Flex MT 42.390
Sentra 2.0 Flex MT 48.790 a 48.890
Sentra 2.0 Flex CVT 53.690 a 53.790
Sentra 2.0 S Flex CVT 55.990 a 56.490
Sentra 2.0 SL Flex CVT 62.990 a 63.490
Frontier XE 4X2 MT 87.390
Frontier XE 4X4 MT 94.990
Frontier SE ATTACK 4X2 MT 94.990
Frontier SE ATTACK 4X4 MT 102.690
Frontier LE MT 4X4 114.290
Frontier LE AT 4X4 121.390
Frontier LE ATTACK 4X4 AT 123.890

Peugeot

Modelo Novo Preço/Desconto
207 hatchback versão XR 1.4 Flex com três portas 2011 a 2013 A partir de 29.990
L207 Hatch cinco portas, SW e Sedan 2011 e 2012 A partir de 29.990
408 A partir de 53.500
307, 308, 3008, RCZ e Partner (passageiro)
Hoggar e Partner (furgão) Desconto de 1,0%

Renault

Modelo De Para
Clio 1.0 16V Hi-Flex – 2 portas 25.910,00 23.760,00
Clio 1.0 16V Hi-Flex – 4 portas 27.330,00 25.060,00
Sandero Authentique 1.0 16V Hi-Flex 29.230,00 26.280,00
Sandero Expression 1.0 16V Hi-Flex 31.950,00 28.720,00
Sandero Expression 1.6 8V Hi-Torque 34.250,00 31.720,00
Sandero Privilège 1.6 8V Hi-Torque 41.150,00 38.100,00
Sandero Privilège 1.6 16V Hi-Flex automático 44.650,00 41.350,00
Sandero Stepway 1.6 16V Hi-Flex 43.490,00 40.270,00
Sandero Stepway Rip Curl série limitada 1.6 16V Hi-Flex 43.990,00 40.730,00
Sandero Stepway 1.6 16V Hi-Flex automático 47.990,00 44.440,00
Logan Authentique 1.0 16V Hi-Flex 28.610,00 25.780,00
Logan Expression 1.0 16V Hi-Flex 30.220,00 27.230,00
Logan Expression 1.6 8V Hi-Torque 32.820,00 30.490,00
Logan Expression 1.6 16V Hi-Flex automático 41.320,00 38.390,00
Logan Avantage série limitada 1.0 16V Hi-Flex 30.410,00 27.400,00
Symbol Expression 1.6 16V Hi-Flex 39.900,00 37.310,00
Symbol Privilège 1.6 16V Hi-Flex 45.200,00 42.260,00
Grand Tour Dynamique 1.6 16V Hi-Flex 51.190,00 47.860,00
Fluence Dynamique 2.0 16V Hi-Flex câmbio manual 60.990,00 57.030,00
Fluence Dynamique 2.0 16V Hi-Flex câmbio CVT X-Tronic 66.990,00 62.640,00
Fluence Privilège 2.0 16V Hi-Flex câmbio CVT X-Tronic 75.990,00 71.050,00
Duster 1.6 16V Hi-Flex 51.800,00 48.170,00
Duster Expression 1.6 16V Hi-Flex 54.100,00 50.310,00
Duster Dynamique 1.6 16V Hi-Flex 58.100,00 54.030,00
Duster Dynamique 2.0 16V Hi-Flex 61.800,00 57.470,00
Duster Dynamique 2.0 16V Hi-Flex câmbio automático 65.800,00 61.190,00
Duster Dynamique 2.0 16V tração 4×4 66.100,00 61.470,00

IPI Reduzido para carros 1.0 – Novos valores das alíquotas


No início desta semana, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou as reduções no Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) referente a veículos.

Os carros com motor 1.0 tiveram redução no imposto de 37% para 30%. Para os veículos desta categoria, contemplados no regime automotivo, a alíquota vai de 7% para 0%. Já para carros com motores 1.0 a 2.0 movidos a álcool ou flex ficarão sujeitos ao IPI de 35,5%, o que antes era de 41%.

Nessa categoria, os contemplados pelo regime automotivo terão o IPI diminuído de 11% para 5,5%. O imposto de automóveis movidos a gasolina foi de 43% para 36,5%. Para os beneficiados pelo regime automotivo, a alíquota cairá de 13% para 5,5%.

Os automóveis utilitários terão a alíquota aplicável caindo de 34% para 31%, sendo que para os que estão no regime automotivo, terão um imposto de 1%, diferente dos 4% anteriormente cobrados.

O ministro ainda apontou que há uma estimativa de renúncia fiscal de R$ 1,2 bilhão até o último dia de agosto, que é o prazo de vigência destas novas alíquotas.

E você, o que achou das novas regulamentações?


IPI Reduzido – Imposto zero para carros 1.0


Nesta segunda-feira (21), o ministro da Fazenda, Guido Mantega, divulgou uma série de medidas com o objetivo de incentivar a indústria automobilística.

O IPI (Imposto Sobre Produtos Industrializados) vai ser reduzido, assim como o IOF (Imposto Sobre Operações Financeiras) para dar crédito a pessoas físicas.

Para o IPI, automóveis com motores 1.0 Litros, a alíquota vai cair de 7% para zero. Com relação a automóveis com motorização entre 1.0 a 2.0 Litros, o imposto cairá de 11% para 6,5%.

Os veículos utilitários, a redução vai ser de 4% para 1%. Tais alíquotas valerão para automóveis bicombustível, com fabricação no Brasil e no Mercosul, que estão incluídos no Regime Automotivo.

A redução para as alíquotas vai valer até o final de agostos. Até esta data, a renúncia fiscal que foi provocada pela redução do IPI deverá passar de R$ 1 bilhão, segundo dados do governo.

Mantega também apontou que a queda do IOF do crédito para pessoa física vai ser de 2,5% para 1,5%. Esta redução não tem prazo para se encerrar. Mantega também comentou que o governo deve deixar de arrecadar R$ 900 milhões nos próximos três meses com esta ação.

As montadoras, segundo o ministro, vão se comprometer a oferecer descontos de 2,5% sobre os preços de tabela dos carros populares com até 1000 cilindradas. Já os automóveis entre 1000 a 2000 cilindradas, o desconto vai ser de 1,5%.

Outro destaque é que as indústrias também assumiram o compromisso de que não vão demitir empregados.


IPI – Cotas de importadoras podem ser reduzidas


Até o final do mês de maio de 2012, o governo brasileiro deverá anunciar uma medida que irá aliviar os efeitos do novo Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) frente às montadoras de automóveis importados que foram prejudicadas pelo reajusta da alíquota do tributo.

Segundo o diretor-presidente da Jaguar Land Rover e também residente da Abeiva (Associação das Empresas Importadores de Veículos Automotores), Flavio Padovan, o Ministro Fernando Pimentel apontou que algo acontecerá até o final deste mês:

 “Tive uma promessa do ministro (Fernando) Pimentel de que até o final do mês alguma coisa seja publicada e anunciada pelo governo”.

Nesta medida deverá estar incluso a criação de um novo sistema de cotas isentas da nova alíquota que se parece com o acordo formalizado com o México em 2012.

Tal ação é vista com bons olhos por Padovan, que acredita que “a melhor solução é a cota, e é o caminho mais fácil para o governo também”.

Mesmo que o reajuste do IPI tenha sido apontado no final de 2011, as marcas que não têm fábricas no Brasil começaram a sentir os efeitos da ação somente em abril deste ano, momento em que os estoques formados antes da elevação do imposto começaram a esgotar.

As empresas afiliadas à Abeiva registraram uma queda de 28,1% no volume no mês passado, fazendo uma comparação com o mesmo período registrado em 2011.


Aumenta produção de automóveis mesmo sem IPI reduzido


O Brasil tem conseguido consolidar algumas tendências iniciadas após a adoção de medidas de curto prazo, tais como a isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) a vários setores, entre eles o de veículos automotores. Após o término do benefício ao final de março passado, com arrefecimento já aguardado, o segmento começou a apresentar, novamente, bons números.

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) relacionou no início desta semana que as montadoras vigentes no país confeccionaram quase 316 mil veículos em julho, alta de 3,2% em comparação a junho e ascensão de 12% em confronto anual. De janeiro de 2010 até o mês base deste artigo, a produção de carros chegou à marca de 2,07 milhões de unidades, salto de 18,3% ante o período igual de 2009.

Na mesma linha de crescimento, de acordo com a agência de notícias Reuters, a comercialização de veículos, comerciais leves, ônibus e caminhões no mês de julho atingiu números superiores a 302 mil unidades, dilatação de 15,1% ante junho e elevação de 5,9% no confronto anual.

A montadora que melhor colaborou para o crescimento nas vendas foi a Fiat, seguida pela Ford e pela Volkswagen, repetindo uma convergência de meses.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Prorrogada redução de IPI para picapes e caminhões


Boa notícia para quem quer comprar picapes, caminhões, tratores, reboques, etc., além de outros bens de capital. A redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), que seria reajustado para patamares anteriores ao final deste mês de junho, está valendo agora até 31 de dezembro de 2010.

Isso significa que, até o fim do ano:

  • caminhões, reboques e tratores estão isentos do IPI;
  • picapes terão IPI de 4%
  • outros bens de capital, incluindo peças de máquinas e equipamentos também estão isentos.

Mais no Correio Braziliense.


Recorde histórico em venda de automóveis


Com o fim do desconto de IPI, as vendas realmente estão surpreendendo e chegando a bater  recordes históricos.

Até o momento foram registrados 337.381 mil unidades de veículos comercializados em todo o país. Superando todas as expectativas o primeiro trimestre deste ano fecha com 750.500 mil unidades de automóveis vendidas e se torna o melhor recorde da historia.

Dados estes divulgados nesta manha de quinta-feira pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

As montadoras não fazem previsões para o mês de abril mas esperam manter o volume de vendas já que muitas prometem manter o preço até acabar os estoques.

Por José Alberi Fortes Junior.


Volta do IPI – Mercado de Carros Usados fica mais atrativo


Com a chegada do mês de Abril veio também à volta da cobrança do IPI (Imposto Sobre Produtos Industrializados), o que promete mudar o panorama do mercado de automóveis novos e usados no país.

O benefício da redução do imposto fez com que a venda de veículos novos aumentasse 11% em 2009, em relação ao ano de 2008, mas agora com volta da cobrança os preços podem subir até 5%, deixando o mercado de carros usados mais atrativo, pelo menos por até que as montadoras achem o equilíbrio entre as novas tabelas de preço e a necessidade de vender os novos estoques.

Mas se o objetivo for adquirir um carro usado, os próximos dias serão o período certo para comprar, pois a oferta ainda é grande o que mantém os valores mais baixos, mas isto por pouco tempo, pois a reboque do aumento dos “zeros”, espera-se uma elevação do preço dos usados e seminovos, assim que a procura aumentar. No entanto, se o seu caso for vender, faça justamente o contrário. Aguarde alguns dias e provavelmente obterá um preço um pouco mais alto.

Por Mauro Câmara


Fim Redução do IPI – Data do Término do IPI Reduzido


Com a promessa da redução do IPI (Imposto Sobre Produtos Industrializados) ser encerrada, concessionárias apostam em promoções e facilidades inovadoras nas formas de pagamento para não perder nem espantar clientes.

O encerramento dessa redução foi marcada pelo governo para iniciar-se dia 31 de março.

Contando com isso as montadoras estão montando planos de estratégia para chamar a atenção dos clientes e atrair mais consumidores para as lojas.

Sendo abril um mês que sempre foi marcante para o mercado automobilístico, as fabricantes prometem que não será diferente.

Agora as promoções e facilidades somente esperando para conferir!

Por José Alberi Fortes Junior


Últimos dias de IPI – Recorde de vendas de automóveis


Os últimos dias de desoneração do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) parecem ter surtido um resultado positivo à indústria brasileira de veículos.

Levantamento recente feito pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) assinala um crescimento de 4,7% em fevereiro ante janeiro e 10,45% em detrimento ao período igual de 2009.

Ao todo, 211.371 unidades de automóveis e comerciais levem foram comercializados que, se somados também a ônibus e caminhões, alcança quase 221 mil veículos automotores. Ainda de acordo com a Fenabrave, se se considerar motocicletas, o número ultrapassa a marca de 341 mil unidades.

No acumulado de janeiro a fevereiro, 396.789 unidades foram emplacadas entre todos os setores automotivos analisados. Resta saber, porém, como o segmento se comportará após 31 de março, último dia em que a redução do IPI será aplicada.

Fonte: G1

Por Luiz Felipe T. Erdei


IPI continua reduzido para carros flex 1.0


O ministro Guido Mantega anunciou ontem para a imprensa que o IPI para carros Flex 1.0 continuará em 3% até o mês de março de 2010. O IPI para carros flex de 1.0 a 2.0 ficará em 7,5% até março e flex acima de 2.0 fica em 18% até o mesmo mês.

Carros 1.0 a gasolina  seguirão a tabela do IPI divulgada anteriormente. Carros a gasolina de 1.0 a 2.0 terão alíquota de 11% em dezembro e de 13% em janeiro. Acima de 2.0 o IPI fica em 25%.

Além disso, o IPI caminhões continuará zerado até junho de 2010.

Isso, segundo o governo, serve como medida ambiental, já que carros 1.0 poluem menos e a frota de caminhões brasileira se encontra em idade avançada.

Mais no Último Segundo, no Estadão e no G1.


Alíquota IPI – tabela de 2009-2010 – outubro, novembro, dezembro e janeiro


Atenção: o governo manteve a alíquota em 3% para carros flex 1.0 até março de 2010, além de prorrogar a isenção do IPI para caminhões até junho do mesmo ano.

Está confirmado, a isenção do IPI está mesmo no fim. O imposto subirá gradativamente até janeiro de 2010, voltando à alíquota praticada antes da crise. Veja a tabela:

  • outubro de 2009: 1,5%
  • novembro de 2009: 3%
  • dezembro de 2009: 5%
  • janeiro de 2010: 7%

Lembre-se de que a aplicação da alíquota se dá na data da emissão da nota fiscal.


IPI vai se manter reduzido até outubro e subirá gradualmente até dezembro


IPI deve se manter no atual patamar até outubro, ou seja, mais uma vez não haverá aumento do Imposto sobre Produtos Industrializados para o mercado automobilístico.

Depois de outubro, o imposto subirá gradualmente até o mês de dezembro, quando provavelmente estará com o valor original de antes da redução.

Em resumo, os brasileiros podem comprar carros com preços mais acessíveis até outubro, e o ano de 2010 começará sem qualquer ajuda do Governo às montadoras.

… isso se o Governo não mudar de idéia mais uma vez! 🙂


Novos preços dos automóveis após redução do IPI


Mais uma vez manteve-se a redução de IPI, porém, alguns carros tiveram aumento de preço em relação às tabelas anteriormente divulgadas pelas montadoras. É o caso por exemplo da Ford Ecosport e do Nissan Tiida 1.8.

Confira abaixo a Tabela de preços sugeridos dos veículos a partir de 27/06/2009:

Marca/Modelo Preço Sugerido
Audi A3 1.6 Sportback R$ 96.088
Audi A4 Sedan 2.0 TFSI R$ 148.764
BMW 120i R$ 118.000
BMW 320i R$ 126.300
Chevrolet Celta Life 1.0 R$ 24.963
Chevrolet Vectra 2.0  R$ 54.098
Citroën C3 1.4 GLX   R$ 37.790
Citroën C4 Pallas 2.0 GLX  R$ 61.420
Fiat Punto 1.4  R$ 38.368
Fiat Strada Adventure Locker  R$ 44.106
Fiat Uno Mille  R$ 21.960
Ford EcoSport XLS 1.6  R$ 51.900
Ford Fiesta Hatch 1.0 4p  R$ 27.895
Ford Ka 1.0  R$ 24.880
Honda Civic LXS 1.8   R$ 62.005
Honda Fit LX 1.4 16V   R$ 49.580
Kia Picanto  R$ 35.900
Kia Sportage 2.0   R$ 70.500
Mitsubishi L200 GL MT   R$ 78.390
Mitsubishi Pajero TR4 MT Flex GLS   R$ 63.370
Nissan Nova Frontier XE 2.5   R$ 79.790
Nissan Tiida 1.8   R$ 51.890
Peugeot 206 Sensation Hatch Flex   R$ 30.990
Peugeot 207 XR Flex 2p   R$ 35.990
Renault Clio Campus 1.0 16V   R$ 25.090
Renault Sandero Stepway 1.6   R$ 41.790
Toyota Corolla XLi 1.8 R$ 59.390
Toyota Hilux STD cabine dupla   R$ 80.900
Volkswagen Fox 1.0  R$ 29.075
Volkswagen Gol G4 1.0  R$ 24.630
Volkswagen Novo Gol 1.0  R$ 27.590
Volkswagen Voyage 1.0  R$ 29.290

Nova prorrogação da redução do IPI (ou fim da redução) sai na segunda-feira


Atualização: pois é, a manutenção da prorrogação saiu antes.

O presidente Lula vai anunciar, na segunda-feira, dia 29 de junho, a decisão do governo sobre se haverá ou não nova prorrogação na redução do IPI para carros. O presidente disse que vai anunciar “coisas boas”, se referindo a notícias que teriam vindo de Guido Mantega, ministro da Fazenda.

Ele não adiantou ainda o que é, disse que só depois de uma conversa com o ministro, teria notícias. Mas fica nossa expectativa, pela fala do presidente, de que haja uma nova prorrogação.

Segundo especialistas do setor de eletrodomésticos, entrevistados pelo G1, a redução de 5% a 7% no IPI da linha branca fez com que as vendas aumentassem em 30%. No setor automobilístico, o resultado não foi tão bom, mas pelo menos as vendas não caíram. Será que isso sinaliza para o governo de que é bom negócio reduzir impostos? Que isso, na verdade, até aumenta a arrecadação?


Deficiente físico pode obter a isenção do IPI na compra de um novo carro


Um deficiente físico, que naturalmente não possa guiar carros comuns, pode adquirir veículos adaptados com câmbio automático e com isenção de IPI.

Sabe como fazer para obter o desconto? Basta apresentar à concessionária os seguintes documentos:

  • Cópia da carteira de identidade e da carteira de habilitação;
  • Atestado de incapacidade física (providenciado pelo Ciretran);
  • Documento da Receita Federal que reconheça o direito à isenção do IPI.

E o melhor de tudo. Após comprar o carro, ainda é possível obter isenção do ICMS e também do IPVA, bastando que seja feito um pedido formal à Secretaria da Fazenda do seu Estado.


Promoção Ford Ecosport: 2 anos de revisão grátis + garantia estendida


Para você que pretende comprar um SUV barato, mas que ainda não tem certeza sobre qual modelo escolher, eis que a Ford criou uma boa opção para que sua escolha fique mais simples.

Foi lançada a promoção em que comprando uma Ecosport, você ganha dois anos de revisões grátis (ou 40 mil km), além de uma garantia estendida por um ano (promoção válida até 02/06/2009). Normalmente as revisões da Ecosport são feitas a cada 6 meses (ou 10 mil km), e incluem peças e mão-de-obra.

Todos sabem que as primeiras revisões de um veículo, especialmente em concessionárias, são bastante “salgadas”. E nada como uma promoção como essa para atiçar a vontade do consumidor.

Dizem os meios de comunicação que Brasil, China e India serão os países menos afetados pela crise da indústria automobilística. Assim sendo, a dica é aproveitar as promoções, e especialmente o IPI (enquanto estiver reduzido).


Prorrogado o desconto no IPI – cai o COFINS para motos


Boas notícias (não, não é brincadeira de 1º de abril, apesar da data): a redução do IPI ainda está valendo pelos próximos 3 meses. Mais 3 meses de carro barato!

Não só isso, o governo também cortou o COFINS para motos. Sim, cortou. Era 3%, agora é zero.

Além disso, o IPI para o setor de construção civil também sofreu redução. Em contrapartida, o governo quer que esses setores não demitam mão de obra.

Via IG


Prorrogação do IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados


Ainda não teve tempo de comprar seu carro novo com preço reduzido por conta do IPI? Sem problemas! O presidente Lula deve prorrogar o prazo da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados por mais três meses, devendo ir até junho ou julho de 2009.

Lula parece estar convencido de que a medida colaborou com relação aos efeitos nocivos da crise, porém, a redução traz um déficit aos cofres públicos na ordem de R$ 1,35 bilhão de reais.

A venda de veículos tem crescido bem nos últimos meses, devido à queda do preço dos veículos novos. Em contrapartida, os veículos usados estão cada vez mais desvalorizados. Alivia de um lado, piora de outro!

Em fevereiro foram vendidos quase 200 mil carros, o que representou uma pequena alta em relação ao mesmo período do ano anterior.


Revendedoras de carros passarão a ter uma linha de crédito de R$ 200 milhões


Para acompanhar o aumento da busca por carros usados, o Governo Federal abriu uma linha de crédito para que as revendedoras de veículos possam ampliar o capital de giro, além de possuir juros reduzidos.

Assim, comerciantes de carros esperam aumentar suas vendas, uma vez que com a redução do IPI, não tem valido muito a pena comprar os usados.

Espera-se que o segmento venha a respirar novamente e que a taxa de juros fique em torno de 1,8% ao mês, o que ainda é bastante elevado.