Garantia do Carro – Tipos e Como Funciona


Carros novos e usados possuem dois tipos de garantia. Confira como funciona cada uma delas.

Comprar um carro, seja ele novo ou usado, sempre gera ao comprador um certo receio de que este possa ter um problema depois de um certo tempo. E para proteger o consumidor deste problema, é que existe a garantia. De acordo com o Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor), atualmente são oferecidos dois tipos de garantia aos consumidores: a Garantia Legal a Garantia Contratual. Estas garantias possuem grandes diferenças e é bom o consumidor ficar atento a elas, para evitar "dores de cabeça no futuro". Se você não sabe como funciona cada um destes tipos de garantia, confira abaixo mais detalhes sobre elas:

Garantia Legal:

A garantia legal é fornecida por todos os fabricantes de bens duráveis e serviços. Esta garantia é obrigatória por lei e possui um prazo de 90 dias. Durante este período, as empresas deverão garantir o perfeito funcionamento de seus produtos ou serviços (desde que estes sejam utilizados adequadamente), o que dá ao consumidor a garantia de que está adquirindo um produto ou serviço de qualidade. Vale lembrar que durante este período as empresas são obrigadas a concertar o produto independente do problema e da quantidade de peças que será necessário trocar para que o produto volte a funcionar perfeitamente.

Segundo a lei, existem dois tipos de defeitos: o Aparente e o Oculto. Os defeitos aparentes, que são problemas mais superficiais e fáceis de constatar, possuem uma garantia de até 3 meses após a entrega do produto ou serviço. Já os defeitos ocultos, que são os defeitos mais difíceis de perceber, geralmente demoram para ser constatados e justamente por isso o seu prazo só começa após a constatação do problema, mesmo que se leve anos para que o problema seja constatado. Com isso, o consumidor está protegido contra defeitos de fabricação menos óbvios, mas é importante salientar que neste caso às vezes será preciso à apresentação de um laudo técnico atestando que o defeito é realmente de fábrica.

Um detalhe muito importante de se mencionar é que a Garantia Contratual é complementar a Garantia Legal. Ou seja, a Garantia Contratual só poderá começar a valer após o período de 90 dias em que está vigente a Garantia Legal. Isso é garantido pelo artigo 50 do Código de Defesa do Consumidor. É preciso ficar bastante atento a isso, pois muitas montadoras e revendedoras insistem que a garantia contratual engloba a garantia legal. No entanto, se no termo de Garantia está mencionado à validade de um ano, após este período o consumidor pode reclamar da Garantia Legal de 3 meses. 

Garantia Contratual:

A garantia contratual nada mais é do que a garantia fornecida pela fabricante. O prazo de validade desta garantia varia de acordo com a empresa, apesar de geralmente ser de um ano. É importante lembrar que cada montadora ou revendedora segue a sua própria política de garantia, ou seja, ela pode definir o prazo e as peças cobertas pelo seguro. No caso dos carros, geralmente as montadoras dão uma garantia de um ano e cobertura para itens mecânicos, para a suspensão e para os acessórios originais.

Já com relação às peças com desgaste natural como pastilhas de freio, pneus, estofamentos, borrachas, amortecedores e itens da suspensão, geralmente estão excluídos das garantias. Vale lembrar que apesar de não estarem inclusos na Garantia Contratual, estes itens estão cobertos nos 90 dias de Garantia Legal. Outra informação importante de se salientar é que a Garantia Contratual não cobre acessórios que não sejam de fábrica.

Falando um pouco sobre os carros usados, eles também possuem garantia, porém, é preciso ficar atento à política da revendedora. Estes veículos obrigatoriamente estão cobertos pela Garantia Legal de 90 dias. Porém, as revendedoras não são obrigadas a fornecer Garantia Contratual e por isso o consumidor deve ficar bastante atento. Além disso, o consumidor deve olhar a Garantia Contratual fornecida pela montadora, pois muitas vezes o veículo ainda pode estar coberto por esta garantia (que mesmo com a mudança de dono do veículo ela continua valendo).

Outro detalhe importante de se mencionar é que as montadoras obrigam os consumidores a seguirem exatamente o manual do veículo para que este esteja coberto pela Garantia Contratual. Ou seja, é preciso fazer todas as manutenções e concertos dentro de oficinas autorizadas pela marca. Caso o consumidor faça qualquer manutenção fora destas oficinas, ele perderá na hora a Garantia Contratual da peça que foi trocada (mantendo esta garantia para os outros itens).

Por fim, com relação aos carros importados, é a Importadora ou a Filial da Montadora que será responsável pela garantia. Se a montadora possui filial no Brasil, é ela a responsável pela garantia, mesmo que o veículo tenha sido produzido em outro país. Já quando a montadora não possui filial no Brasil, quem fica responsável pela garantia é a importadora que vendeu o carro. 


Volkswagen Gol, Fox e Voyage passam a ter três anos de garantia


Foi anunciado nesta última sexta, dia 03 de janeiro, que a Volkswagen aumentou para três anos o prazo da garantia dos modelos Gol, Fox (o que inclui o CrossFox e o SpaceFox) e do Voyage.

Todos estes contavam antes com apenas um ano de garantia. Tal medida vale para os automóveis vendidos pelas concessionária da marca desde o dia 02 de janeiro.

Alguns outros modelos da marca ofereciam o benefício da garantia de três anos, que são o Amarok, CC, Jetta, Passat, o novo Golf e o Tiguan.

Gol.

Fiat mostra Mille 

O site de imprensa da Fiat mostrou a imagem do último modelo fabricado do Mille. O modelo, que foi lançado no Brasil, no ano de 1984, deixou de ter a sua produção no final do ano passado.

Isso aconteceu, pois não foi possível adequá-lo às novas regras, que obrigam a utilização de airbag duplo e freios ABS em todos os veículos produzidos no Brasil, a partir do mês de janeiro de 2014.

A Fiat ainda chegou a lançar uma série limitada, com dois mil exemplares, do Grazie Mille do hatch, para celebrar a história do compacto, que contou com 3,7 milhões de unidades vendidas nos seus quase 30 anos no mercado brasileiro.

Fiat foi a líder de vendas em 2013

A Fiat ficou como líder do mercado de vendas do setor automotivo no Brasil em 2013. Os dados foram divulgados na sexta, dia 03, pela Federação da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

Neste ano que passou, a Fiat contou com 762.950 veículos vendidos, com o correspondente a 21,34% do mercado. A Volkswagen aparece na segunda colocação com 666.707 exemplares e um percentual de 18,64%.

No ranking dos carros, o VW Gol continuou com sua hegemonia e teve 255.057 unidades vendidas, o Uno (184.362 exemplares), e o Palio (177.014 exemplares), ambos da Fiat,  completam os três primeiros lugares.

Top 10 das marcas em 2013:

1º Fiat – 762.950 unidades (21,34%)
2º Volkswagen – 666.707 (18,64%)
3º GM – 649.726 (18,17%)
4º Ford – 335.015 (9,37%)
5º Renault – 236.337 (6,61%)
6º Hyundai – 212.900 (5,95%)
7º Toyota – 176.074 (4,92%)
8º Honda – 139.268 (3,89%)
9º Nissan – 77.830 (2,18%)
10º Citroën – 66.109 (1,85%)

Top 10 dos carros em 2013:

1º Volkswagen Gol – 255.057
2º Fiat Uno – 184.362
3º Fiat Palio – 177.014
4º Ford Fiesta – 136.712
5º Volkswagen Fox/CrossFox – 129.927
6º Fiat Siena – 129.825
7º Fiat Strada – 122.904
8º Chevrolet Onix – 122.333
9º Hyundai HB20 – 122.320
10º Renault Sandero – 102.514


Ford Ecosport é reprovado em teste de Longa Duração nas ruas


Na primeira edição deste ano do teste de Longa Duração da revista Quatro Rodas, encontramos um dos desmontes dos mais controversos já vistos na história do mesmo. Com 60 mil quilômetros rodados, o Ford Ecosport foi desmontado e reprovado, uma coisa que não ocorria desde o ano de 2009.

A matéria que foi assinada na revista Quatro Rodas pelo editor Péricles Malheiros, aponta vários motivos que prejudicaram o desempenho do SUV neste teste. O T6, utilitário da JAC, também foi testado e ele deve chegar no mercado no segmento das SUVs no final deste ano.

No caso do Mercedes Benz A 45 AMG, o veículo com 360 cavalos de potência tem um motor com quatro cilindros, sendo o mais potente do mundo. O teste também contou com o novo Audi A3 Sedan, que deve ser fabricado no Brasil até 2015.

Clique aqui e confira os testes. 

Automóveis.

Som alto dará multa em São Paulo

Em São Paulo, os veículos estacionados em ruas, calçadas particulares e postos de gasolina, e os quais estiverem emitindo sons altos, serão multados na cidade paulista.

A nova regulamentação foi publicada no Diário Oficial do Município nesta terça, dia 31 de dezembro de 2013. Toda a fiscalização será feita por agentes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), das subprefeituras paulistanas e do Programa de Silêncio Urbano (Psiu).

O limite para os carros será de 50 decibéis no período das 07 às 22 horas e 45 decibéis no período restante. Entre as fontes de som que foram citadas, estão os aparelhos de rádio, televisão, MP3, CD/DVD, celulares, instrumentos musicais, entre outros.

O valor para a atuação é de R$ 1 mil e poderá ser duplicado em caso de reincidência, até o máximo de R$ 4 mil. Se o proprietário do veículo se recusar a abaixar o volume, o carro poderá ser guinchado.

BMW X4 no Salão de Nova Iorque

Na próxima edição do Salão de Nova Iorque, que acontece em abril de 2014, uma grande novidade automotiva está confirmada para o evento.

Trata-se do lançamento global do BMW X4. A informação foi divulgada pelo site Autocar. A publicação também aponta que o X6 deve receber o facelift, com previsão de apresentação ao público durante o Salão de Moscou, no mês de agosto.

As versões do modelo M do X5 e do X6 devem chegar no próximo ano, as duas com um motor 4.4 V8 biturbo com 555 cavalos de potência.