Renault Fluence GT Line – Modificações e novidades do novo modelo


Tentando dar um fôlego ao Fluence para competir no segmento dos sedans médios no Brasil, a Renault passa a oferecer mais uma opção de acabamento ao modelo. Baseado na configuração Dynamique e contando com o mesmo kit visual “esportivo” do Fluence GT entre as principais novidades, a série GT Line chega com preços a partir de R$ 78.990.

Esteticamente, o Fluence GT Line traz na parte frontal de spoiler integrado ao para-choque, situado logo abaixo da entrada de ar inferior e faróis de neblina dotados de molduras cromadas. A lateral dispõe de saias laterais e rodas de cinco raios de 17 polegadas feitas em liga leve, além de retrovisores na cor da carroceria e maçanetas em cromado fosco. A parte traseira, por sua vez, o Fluence GT Line vem com um aerofólio discreto na tampa do porta-malas, para-choque traseiro com spoiler, saídas de escape envolvido pelo extrator de ar na cor preta e inscrição GT Line em alusão à série limitada.

A cabine do sedan conta com acabamento na cor cinza escura com alguns detalhes em cromado e preto brilhante. Entre os itens de série o modelo vem com o já conhecido painel digital, chave-cartão “Hands Free”, direção elétrica, freios ABS com EBD, quatro airbags, volante multifuncional com regulador e limitador de velocidades, sistema de ar condicionado dual zone e sistema de som 3D da Arkamys.

Sob o capô, o Renault Fluence GT Line vem equipado com motor 2.0 16V Hi-Flex, capaz de gerar 140 cv e torque de 19.9 kgfm com gasolina ou 143 cv e torque de 20,3 kgfm, quando abastecido com etanol. Associado ao bloco 2.0 está uma transmissão CVT X-Tronic. De acordo com a Renault, com esse conjunto mecânico o Fluence GT Line acelera de 0 a 100 Km/h em 10,1 segundos, com velocidade máxima de 195 km/h.

Vale lembrar que as versões esportivas da Renault se dividem em três níveis. O GT Line oferece apenas modificações estéticas; o GT vem com alterações estéticas e mecânicas, como é o caso do Fluence GT que vem com o kit estético e o motor turbo de 180 cv. Além disso, a Renault ainda tem o nível RS, que é o ponto máximo de alterações realizadas pela marca, como ocorre no Megane RS, contudo, não há veículos desse nível oferecidos no Brasil.

Por Caio Polo

Renault Fluence GT Line

Foto: Divulgação