Conversão para GNV – O que é, Como Fazer


O GNV é o Gás Natural Veicular usado em veículos com o objetivo de economia e praticidade. Confira as vantagens e desvantagens desse método de combustível.

Primeiramente é necessário que se saiba o que é o Gás Natural Veicular que é conhecido pela sigla GNV, talvez para que não tenha que pronunciar esse nome tão grande quando for falar, então o próprio nome já diz, que são aqueles carros que usam como método de combustível o gás, que é mantido em cilindros. Para quem ainda não teve contato com nenhum veículo do tipo, o gás é instalado na parte do porta-malas do carro, ocupando um espaço muito grande dependendo de quantos litros tem o porta-malas.

Vale a pena usar o GNV?

Essa história de valer a pena ou não é bem relativa, por exemplo, alguns acham que usar o GNV é totalmente bom e super redutor de custos, já algumas pessoas que resolveram se aprofundar no assunto sabem que não é bem assim, entenda por que abaixo.

Quem apoia: Alegam que o seu carro se tornará muito mais econômico, o que não deixa de ser fato, pois segundo estudos o gás pode economizar cerca de 60% tanto o combustível quanto o dinheiro de reabastecimento, e alguns ainda dizem sobre o desempenho que pode ser melhor do que com combustíveis como álcool e gasolina.

Quem discorda: Segundo alguns estudos feitos, apesar da economia ainda há alguns itens que não vão tão bem ao ter um carro que usa sistema GNV, por exemplo, usando o gás, a parte elétrica do carro é bem mais usada, ou seja, a durabilidade dessas peças acaba diminuindo relativamente devido a toda essa exigência, tendo assim mais manutenção e, consequentemente, o custo aumenta.

Mais uma coisa que preocupa essas pessoas é o fato do cabeçote ter também uma durabilidade maior, isso é tão preocupante, pois em questão de tamanho ele chega a ser metade do motor, e o problema que atingirá seria a famosa "trinca de cabeçote" que para ser reparada sai com um custo bem alto.

Conclusão: Nenhuma das partes estão erradas, ambas se baseiam em fatos, tanto de economia quanto de gastos feitos no carro, ou seja, basta você observar o que é dito e tirar suas próprias conclusões em aderir ou não o sistema.

Quanto custa e como fazer?

O valor será estimado dependendo da geração que você for comprar, por exemplo, se você deseja comprar a geração 1 do gás natural veicular o valor obviamente saíra bem mais em conta, mas fazendo o orçamento da geração 5 estima-se que o valor sairá em média R$3.990,00. E para saber qual o tempo para a instalação, é em cerca de um ou dois dias, lembrando que isso vai variar da oficina que você escolher para fazer o serviço, sendo assim, procure saber com pessoas que já possuem o sistema, onde colocaram, e se realmente o serviço foi bom, pois como é um sistema que necessita de uma boa especialização, não são todos os lugares que fazem isso com toda a habilidade possível, podendo trazer futuros problemas no veículo.

Informações úteis e interessantes

Como todos sabem a gasolina e o álcool são muito poluentes, quando você encontra um carro movido a gás a poluição é menor, não muito, mas, por exemplo, em relação com a gasolina a poluição chega a ser 20% mais baixa, e com o álcool 15% inferior também, pode parecer pouco, mas qualquer coisa que pudermos fazer em prol da natureza ajuda muito, ainda mais na situação atual em que o planeta está.

Falando sobre garantia, por mexer em várias partes do carro, a empresa responsável por seu veículo não se responsabilizará mais por nada após adicionado o GNV, ou seja, você perde a garantia.

Por Gustavo Martins

GNV


Dicas para Economizar Combustível


Confira as principais dicas de como economizar o combustível do seu carro.

Muitas pessoas que possuem carro se preocupam em como economizar o combustível. Hoje em dia os gastos estão elevados e o consumidor sente esse peso na hora de abastecer. Para evitar que isso aconteça com você, evite ter certas atitudes quando estiver na direção do carro.

Fique atento ao prazo de troca dos filtros do seu carro

Os carros possuem filtros de gasolina e de ar e eles têm prazo de troca especificado pelo fabricante. Porém, muitas pessoas não se atentam a esse detalhe ou não acham que isso é importante para o funcionamento do carro. A dica nesse caso é verificar se os filtros precisam ser trocados e se a resposta for sim é melhor fazer o quanto antes. O funcionamento dos filtros desgastados ajuda a gastar o combustível do carro, é bom ficar atento a isso.

Evite acelerar o carro com muita frequência

Para os usuários que gostam de emoção ao dirigir vai um alerta. Ficar acelerando o carro com muita frequência vai fazer com que o ponteiro da gasolina despenque rapidamente e isso se resume em um gasto maior com o abastecimento do carro. A dica nesse caso é evitar acelerar o carro sem necessidade.

Evite deixar o carro em porto morto em descidas

Alguns motoristas tem o mau costume de deixar o carro em ponto morto em descidas, isso ajuda a queimar o combustível do carro bem rápido, a maioria dos motoristas sem experiência nem sabem disso. Esse tipo de comportamento tem o famoso nome de banguela, que é a forma que o pessoal mais velho costuma chamar. Se você faz isso é prudente parar.

Mantenha as rodas do carro alinhadas

Todo motorista já deve ter percebido que quando as rodas do carro não estão alinhadas, ele fica mais pesado e parece se arrastar. Isso acontece pelo fato das rodas não rodarem perfeitamente, e isso faz com que a aerodinâmica do carro não fique perfeita, fazendo com ele exija maior esforço para andar, dessa forma a gasolina vai acabar bem mais rápido pelo esforço fora do comum do motor.

Evite usar o ar-condicionado sem necessidade

O uso excessivo de ar condicionado faz com que o combustível vá embora rapidamente. O ideal é não usar o ar do carro com tanta frequência. Se não tiver tão calor, prefira abrir os vidros do carro e deixe que o vento refresque a parte interna do automóvel, assim a economia do combustível será certa.

Evite abastecer seu carro com qualquer combustível

Muitas pessoas se rendem às promoções de combustíveis que aparecem em alguns postos de gasolina. E na maioria das vezes esse combustível é de péssima qualidade e pode detonar a injeção eletrônica do carro, e o resultado disso será prejuízo e dor de cabeça. Já o combustível confiável e de qualidade dura muito mais e ajuda na economia dos motoristas.

Tenha cuidado com o excesso de velocidade

Outra prática comum que faz com que o combustível do carro acabe mais rapidamente é andar com o carro em alta velocidade o tempo todo. Existem pessoas que têm esse costume não tão legal, além de ser perigoso para a segurança de todos os ocupantes do carro, essa prática vai fazer o combustível do carro acabar rapidamente.

Cuidado ao adicionar itens ou acessórios no carro

Poucas pessoas sabem, mas muitos itens que são instalados nos carros podem fazer com que o gasto do combustível seja dobrado. Então antes de querer se aventurar em novas mudanças de acessórios, tente pesquisar se alguns deles ajudam a gastar o combustível do carro. Deixar o carro mais moderno ou bonito é menos importante que economizar no combustível.

Coloque essas dicas em prática e veja a economia na hora de abastecer!

Por Cristiane Amaral

Economizar combustível


Waze ajuda a Encontrar Postos com Combutível


Aplicativo libera nova funcionalidade para informar postos que estão com combustível.

Com as paralisações devido a greve dos caminhoneiros, muitos estabelecimentos estão sem combustível para abastecer. Muitas pessoas estão sofrendo a falta de álcool, gasolina e diesel. Fica cada vez mais difícil encontrar postos de gasolina que ainda possuam estoque.

Várias regiões já decretaram situação de emergência devido a falta de combustível. Muitos cidadãos estão ficando sem gasolina para trabalhar, por exemplo. O transporte público está comprometido, pois não há combustível para os ônibus rodarem. Há até mesmo brigas acontecendo nos postos entre pessoas querendo abastecer.

No entanto, o aplicativo Waze lançou uma ótima alternativa para ajudar seus usuários nessa tarefa. Com o auxílio de outros usuários da plataforma, ficou possível encontrar locais para abastecer seu veículo e driblar a escassez nos postos de gasolina.

Confira a seguir como a plataforma Waze tornou isso foi possível para aqueles que buscam por combustível!

Entenda como a greve dos caminhoneiros deixou as cidades sem combustíveis disponível para abastecimento!

Desde o mês de maio, os caminhoneiros estão em greve por todo Brasil. O motivo da paralisação é que eles reivindicam que o preço da gasolina, do diesel e do álcool diminua. A greve começou após os sucessíveis aumento do preço do combustível que vinham acontecendo com frequência.

Como os caminhões estão parados, não há transporte dos produtos. Assim, o combustível não chegam até os postos de abastecimento. Como consequência, há diversos lugares onde não há mais gasolina, diesel e álcool. Muitas regiões já declararam estado de emergência em decorrência disso.

Por isso, as pessoas estão cada vez mais à procura de postos de gasolina que ainda possuem estoque para abastecimento. No entanto, já são milhares de estabelecimentos que sofrem da escassez.

Pensando em uma forma de ajudar pessoas a encontrar postos de combustível que ainda tenham estoque, o Waze lançou uma maneira de compartilhar essa informação com usuários. Confira a alternativa a seguir!’

Waze pede aos usuários para enviar informações sobre locais que ainda possuem combustível para efetuar abastecimento. Confira!

Diante da paralisação dos caminhoneiros, que tem afetado o abastecimento de gasolina, álcool e diesel nos postos há alguns dias, o Waze lançou uma alternativa para contornar a situação, contando com a ajuda de usuários.

O aplicativo é um guia de rotas colaborativo, no qual todos os usuários compartilham informações sobre o trânsito, como acidentes e congestionamento. Agora o Waze começou a solicitar que os usuários mandem informações sobre postos que ainda possuem combustível para o abastecimento.

Waze mostra onde há postos de gasolina que ainda possuem combustível disponível, com informações enviadas pelos usuários!

Conforme os usuários do aplicativo enviam as informações, o Waze mostra em sua rota quais são os locais onde ainda é possível abastecer. Na plataforma também estão notificados os estabelecimentos que estão praticando preços abusivos devido a falta.

Dessa maneira, 9 milhões de brasileiros receberam as novas informações acerca dos postos com combustível. Conforme novas pessoas vão encontrando locais com gasolina e outros em disponibilidade, registram no aplicativo e outros usuários recebem a atualização no celular.

Isso auxilia que cada vez mais pessoas encontrem combustível nos locais onde ainda há como encher o tanque do veículo. Basta abrir o aplicativo e procurar por postos com gasolina.

Aprenda como fazer para baixar o aplicativo Waze!

Caso você ainda não possua o aplicativo Waze para procurar os postos com gasolina disponível, vamos lhe ensinar agora mesmo!

Para celulares com sistema Android basta ir até o link https://play.google.com/store/apps/developer?id=Waze&hl=pt_BR, fazer o dowload Waze em seu celular.

Caso o telefone possua sistema IOS (Iphone), é possível encontrar o Waze disponível na Apple Store. Basta procurar pelo aplicativo e baixá-lo.

David Ferreira


Misturar Gasolina e Etanol Rende Mais?


Saiba aqui se a mistura de combustíveis pode fazer com que o carro renda mais.

O Brasil é pioneiro na produção de etanol como fonte energética para abastecer veículos, no mesmo nível que a gasolina e o óleo diesel. Antigamente, o etanol foi a melhor alternativa para que o país superasse a crise do petróleo. O etanol foi ganhando fama como combustível para todos os tipos de veículos, até ser o que é hoje.

Com a evolução da tecnologia, veio se tornando possível que os automóveis usassem dois tipos de combustível juntos, em um mesmo tanque, chamado de carro flex. Dessa forma, foi possível usar combustível oriundo de petróleo ou de cana-de-açúcar em um mesmo carro, ao mesmo tempo. Com o aumento dos preços da gasolina, muitas pessoas vêm se perguntando se misturar gasolina com etanol não é uma forma de economia.

Quer saber mais sobre isso? Nós te explicamos, acompanhe a seguir!

Como funciona o motor flex?

Antigamente, os motores que funcionavam a álcool e a gasolina eram diferentes. Os motores faziam com que cada um dos combustíveis exigissem mais peças e/ou componentes especiais. Além disso, a maioria dos carros era movidos a álcool. Porém, com a escassez de material que compunha este combustível, as fabricantes se viram com a necessidade de criar e implantar ferramentas que convertessem o motor para ser movido a gasolina.

No entanto, este tipo de ferramenta era muito caro. Assim, com a necessidade do mercado de ter algo novo e mais adequado às condições econômicas e de matéria-prima disponível, foi criada a tecnologia flex. Um motor com essa tecnologia possui maior resistência, pois o etanol tem fator corrosivo maior que o que a gasolina possui, e capacidade para suportar a gasolina.

Além disso, ele possui a sonda lambda, que permite que o motor saiba qual combustível está sendo usado e manda esta informação para o sistema de injeção do veículo.

Em seguida, a ECU interpreta estas informações, ajustando automaticamente o motor para o combustível que está sendo usado. Todo este cálculo e conversão é realizado de maneira extremamente rápida, a fim de que não haja nenhuma alteração perceptível no funcionamento do propulsor, nem seja necessária alguma mudança na condução de veículo.

Dessa forma, o motor foi projetado para funcionar perfeitamente com ambos os combustíveis, mas também pode funcionar perfeitamente com 100% de etanol ou com 100% de gasolina, sendo possível encher completamente o tanque com um deles, mesmo após ter consumido todo o outro combustível.

As únicas falhas que podem ocorrer são oriundas da qualidade do combustível. Por essa razão, é muito indicado o abastecimento em locais que possuem bons históricos e avaliações. Além de abastecer, em caso de dois combustíveis, no mesmo lugar, a fim de evitar que a qualidade de um seja superior/inferior a do outro.

Mas misturar gasolina com etanol economiza?

A gasolina e o etanol apresentam diferenças em várias características. A começar pela eficiência, pois o etanol não apresenta um bom consumo. Enquanto o etanol aumenta a potência e o torque do veículo, além de custar um valor bem menor que o da gasolina.

Além disso, é obrigatório por lei que a gasolina que é vendida no Brasil apresente 27% de etanol em sua composição. Dessa forma, mesmo abastecendo com gasolina, sempre haverá a mistura de combustível fóssil com o vegetal.

Por isso, a fusão da gasolina com o etanol economiza em termos financeiros, mas não em termos de consumo, pois como o etanol não apresenta uma boa eficiência, é necessário reabastecer com mais frequência quando comparado com o uso de somente gasolina. Além disso, só haverá um benefício financeiro quando o etanol estiver custando menos que 70% do valor da gasolina.

Portanto, segundo as estimativas, o melhor a se fazer para manter a eficiência do motor e economizar com combustível é usar entre 10% e 20% de etanol, e completar o restante do tanque com gasolina.

Felicia Lopes


Calcular Álcool ou Gasolina – Como Saber Qual Vale a Pena


Saiba aqui qual o cálculo deve ser feito para descobrir qual tipo de combustível está valendo mais a pena.

Uma dúvida sempre presente entre aqueles que têm carro é saber se compensa mais por gasolina ou álcool na hora de abastecer, no caso do veículo ser bicombustível. Esta dúvida tem uma justificativa, pois o fato do etanol ser mais barato não significa que será mais econômico utilizá-lo, pois ele faz o carro render mais.

E esta questão de saber qual combustível escolher na hora de abastecer o carro ficou mais em evidência nestes últimos dias por causa da greve dos caminhoneiros, pois o abastecimento de várias regiões do país já está ficando comprometido. Os caminhões-tanque não estão sendo autorizados a passar pelas barreiras feitas em várias BRs e com isso, tem muitos postos e distribuidoras já ficando sem ter como atender os clientes. O protesto dos caminhoneiros é pelo aumento constante do diesel, que acaba fazendo com que os custos para a categoria fiquem mais elevados.

A maioria dos postos consegue armazenar até três dias, por isso, hoje estão comercializando os últimos litros de combustíveis e muitos até já subiram o preço, pois não sabem quando os caminhões-tanque estarão chegando para o abastecimento.

Quando o motorista chegar a um posto e se deparar com o preço da gasolina nas alturas, não deve já ir logo optando pelo álcool, pois é preciso fazer todos os cálculos para saber se de fato está economizando. Em cada região do Brasil, a gasolina e o etanol têm preço diferente, mas a fórmula para descobrir qual compensa mais, é uma só.

Tudo que o motorista deve fazer é multiplicar o valor da gasolina por 0,70 e o resultado deverá ser comparado com o preço do álcool. Se for mais caro, então é melhor colocar etanol, se for mais barato, então o indicado é ficar mesmo com a gasolina.

Para facilitar, confira este exemplo:

Se o litro da gasolina custar R$ 4,00 o consumidor deve multiplicar este valor por 0,70. Então, o resultado será este: R$ 4,00 x 0,70 = R$ 2,80. Se o álcool custar até R$ 2,80 então compensa optar por ele.

Outro exemplo, suponhamos que o litro da gasolina seja de R$ 5,00, então ficaria assim: R$ 5,00 x 0,07 = R$ 3,50. Se o litro do álcool custar menos, vale a pena optar pelo etanol, se custar mais, então é melhor abastecer com gasolina mesmo.

Esta é apenas uma regra básica, porém, não é 100% eficaz, pois há outros detalhes que precisam ser levados em consideração para se chegar a um resultado mais próximo da realidade, por exemplo, cada carro tem um desempenho diferente quando é abastecido com álcool ou gasolina. O certo é cada um fazer o teste, abastecendo uma semana com etanol e na outra semana com gasolina e durante todo este período anotar quantos litros foram utilizados e quantos quilômetros foram feitos com um e outro combustível.

Há casos em que, mesmo o álcool ficando abaixo do valor do preço da gasolina vezes 0,70 ainda assim não compensa para o proprietário. Dependendo do veículo, esta conta precisará ser o valor da gasolina vezes 0,60 ou 0,50.

É preciso conhecer seu carro, saber quantos quilômetros ele faz com álcool e quantos faz com gasolina, assim terá condições de optar pelo combustível que de fato lhe trará maior economia.

Outra questão importante que precisa ser observada é que para economizar combustível não basta fazer esta conta na hora de abastecer, o motorista precisa mudar alguns ábitos no dia a dia, por exemplo, não ficar acelerando o carro à toa, seja quando está esperando alguém, ou parado no sinal de trânsito.

Lembrando ainda que é de fundamental importância que a manutenção do veículo esteja em dia, os pneus estejam calibrados, assim é possível garantir uma economia ainda maior de combustível.

Por Russel


Percentual de Etanol na Gasolina pode Subir


Decreto pode elevar percentual de etanol na gasolina.

No início desta semana uma publicação realizada por um renomado Jornal do país, abriu uma discussão sobre um assunto que promete gerar bastante polêmica no país. De acordo com a notícia divulgada, a quantidade de álcool na mistura da gasolina comercializada no Brasil deve aumentar em até 40%. Contudo, este aumento vai de encontro a outras questões que estão tornando este assunto muito polêmico.

A gasolina comercializada no Brasil possui em sua composição um percentual de 27% de álcool de anidro. Porém, a notícia que surgiu no início da semana aponta que nos próximos dias o presidente da república Michel Temer irá realizar um decreto e nele tornará público esse aumento que deve acontecer de forma gradativa até o ano de 2030, quando o percentual de álcool na gasolina deverá estar em 40%.

Na realidade essa medida vem de encontro a uma determinação já existente e atual que se relaciona a questões ambientais, muito discutidas no mundo todo, que neste caso está relacionada a emissão de gases poluentes. Essa medida vem de encontro a uma regulamentação de um programa de biocombustíveis que segundo ele deve ocorrer uma diminuição de poluentes que se derivam do petróleo, como é o caso da gasolina. Mais álcool e menos gasolina é um começo dessa redução e poluentes na atmosfera.

Porém, a discussão não está em torno de questões ambientalistas. Ao contrário, como já é de costume, os debates na maioria das vezes se dão em razão a problemas financeiros. Mas afinal, quais os problemas de ordem financeira esse aumento de álcool na mistura da gasolina poderá ocasionar?

Para começar, especialistas afirmam que aumentar a quantidade de etanol na gasolina deve custar algo em torno de R$0,06 por litro do combustível. São menos de R$0,10, contudo, o brasileiro já está cansado de pagar mais por combustíveis, afinal, desde que uma crise atingiu a economia do país, frequentemente reajustes são realizados nos preços não só dos combustíveis, como também de outras coisas.

O país como um todo deve perder, pois a estimativa é que R$4 bilhões de reais deixem de ser arrecadados por ano em tributos relacionados a PIS, Cofins e Cide, cobranças que devem ser reduzidas.

O brasileiro pagará mais caro para abastecer seu carro, o país lucrará menos e os problemas não param por aí. Além disso, esse aumento de álcool na gasolina pode levar a falta de álcool nos postos de abastecimento, uma vez que haverá uma demanda maior pelo produto para a produção da gasolina. E o pior é que essa falta pode levar ao aumento de sue preço.

A produção de cana-de- açúcar também será afetada se o decreto acontecer, pois se na atualidade 55% da produção açucareira do país é voltada para a produção de combustíveis, com esse aumento essa produção deve subir para mais de 60%, sobrando menos de 40% para outras áreas em que o açúcar é necessário, o que irá também pesar no bolso do consumidor.

É claro que essas mudanças não ocorrerão da noite para o dia. A estimativa é de que elas se deem ao longo de 12 anos, de forma gradativa.

Alguns representantes do setor de cana de açúcar afirmam que essa questão não está incluída no decreto a ser realizado pelo presidente, uma vez que esse projeto não foi aprovado pelo Congresso Nacional, quando foi apresentado, sendo excluído dos assuntos em pauta. Além disso, no mês de dezembro, quando os assuntos que seriam abordados no decreto presidencial foram levantados essa questão, também não estava presente.

De toda forma, resta a todos aguardar pelo decreto de Michel Temer, que está previsto para os próximos dias e ver o que é ou não verdade em relação a este polêmico tema.

Sirlene Montes


Nova Shell V-Power – Diferenças na Nova Gasolina Aditivada da Shell


Novo combustível pode deixar bicos 80% mais limpos com apenas um tanque.

Todas as pessoas amantes de carros ou cuja profissão dependa da utilização de seus veículos, poderão entusiasmar-se com a notícia de que a Shell divulgou, recentemente, uma novidade no Brasil, a nova e refinada fórmula de um tipo de gasolina aditivada, que foi batizada de Shell V-Power. O lançamento desse combustível incrementado está impactando várias partes do mundo, já que aterrissou quase ao mesmo tempo em 26 nações. Esta tecnologia é totalmente ímpar, chamada Dynaflex. Entre os objetivos dessa nova fórmula estão a preocupação com o desempenho e o bom rendimento do veículo, além de garantir uma higienização de até 80% das impurezas acumuladas nas peças internas do motor.

Esta nova combinação da fórmula é reconhecida como a melhor solução de combustível da Shell V-Power em toda era dos combustíveis, já que se constitui no resultado de um imenso trabalho produzido por um grupo de mais de 170 técnicos e de cientistas em todo o mundo, durante um período de mais de cinco anos debruçados sobre o projeto. De acordo com uma declaração do diretor de Marketing da Raízen, este novo tipo de combustível representa um dos momentos mais importantes, um verdadeiro marco para o desenvolvimento de tecnologias no setor de produtos consumíveis, de fluídos aditivados, nos últimos 20 anos. Este projeto oferece ao público a melhor qualidade de gasolina da marca Shell V-Power conhecida em todos os tempos.

Conforme as informações fornecidas pela Shell, os meios que asseguram um melhor funcionamento e resultado satisfatório estão na perfeita combinação de elementos no cerne da nova tecnologia Dynaflex, a qual ajuda a diminuir a fricção entre as peças que compõem o motor, tais como as válvulas, os anéis dos pistões, as bombas e, principalmente, os bicos de injeção de combustível, proporcionando muito mais higienização, lubrificação e proteção para o motor dos veículos.

Portanto, os motoristas ganham vantagens de todos os tipos, até em economia financeira, já que a nova versão do combustível está com 40% a mais de moléculas que geram limpeza, em relação ao que a geração precedente de gasolinas aditivadas da Shell oferecia. Assim, este fluído auxilia na contribuição do bom funcionamento, ajudando a eliminar todo tipo de depósito de impurezas nas superfícies das peças de maior importância, nos motores dos carros, no sentido de evitar as diminuições sensíveis de bom desempenho. Desse modo, com a utilização frequente da nova solução em fluído combustível da Shell V-Power, o motor poderá ser mantido por muito mais tempo em suas características originais, de boa performance de funcionamento, mantendo, também, o rendimento e as baixas emissões, algo sustentável e saudável, tal como declarou o engenheiro dos combustíveis da Raízen.

Ao longo de uma importante entrevista coletiva dada à imprensa, promovida em São Paulo, a companhia Shell pode mostrar, por meio de seus representantes, os grandes benefícios concretos, rigorosa e cientificamente verificados nos diversos testes em laboratório independentes. Conforme foi comprovado pela fabricante, assim que o motorista realizar o primeiro abastecimento com o novo combustível intitulado Shell V-Power, os bicos da injeção começam se tornar até 80% mais limpos do que antes.

Entretanto, com relação às vantagens de maior eficiência e consumo moderado que esta nova versão de combustível, Shell V-Power, pode oferecer, os executivos responsáveis pelo empreendimento abstiveram-se de apresentar os dados precisos, levando em conta a justificativa de que, devido à grande inconstância das condições e dos métodos de condução do projeto, os mesmos se isentaram de fornecer um número preciso ou estatístico. Mesmo assim, apresentaram de maneira clara que a utilização dessa nova gasolina aditivada Shell V-Power Racing e do recente lubrificante Shell Helix Ultra resultam em uma sublimação na eficiência do motor de até 23,3% nos veículos da Fórmula Um, de marca Ferrari, garantindo lucro de 0,5 segundo em cada volta realizada nos testes efetuados nas pistas da Europa, pelos pilotos profissionais. De acordo com a Shell, esse método foi utilizado para o desenvolvimento da nova gasolina Shell V-Power, destinada, também aos carros comuns de rua.

Paulo Henrique dos Santos


Carros que Mais Consomem Combustível – Lista do Inmetro 2017


Confira aqui a lista com os carros que mais consomem combustível segundo o Inmetro.

Você comprou um carro e está desconfiado de que ele anda consumindo muito? Ou está pensando em trocar de automóvel, mas o gasto com combustível é um fator decisivo para essa escolha?

Pois o Inmetro acaba de divulgar um ranking dos veículos que possuem o maior consumo no ano de 2017. Em sua 9ª edição para o levantamento desses, foram pesquisados 983 modelos que são fabricados por um total de 35 montadoras.

Após feita a análise da eficiência energética de cada modelo, o Programa Brasileiro para Etiquetagem Veicular, o PBEV, classificou cada carro em seis grupos distintos, de A até E. A etiquetagem é feita da mesma forma como ocorre com produtos eletrônicos e com eletrodomésticos, utilizando faixas de diversas cores.

Sendo assim, a faixa A é caracterizada por produtos mais eficientes e, por outro lado, a E sinaliza aqueles que têm o maior consumo em combustível. É importante ressaltar que a participação das montadoras para as pesquisas é voluntária.

Para o Inmetro, na faixa E, a cada 8,3 quilômetros percorridos em uma cidade, um carro pode consumir um litro de gasolina. Já na faixa A, um veículo de mesma categoria pode consumir um litro de combustível a cada 15,8 quilômetros que forem rodados.

Em outras palavras, se você dirigir 40 quilômetros a cada dia por um ano, os automóveis de etiqueta E poderão acrescentar um gasto em gasolina de até R$ 2.642 na comparação com veículos de etiqueta A. Esse cálculo teve uma base no preço médio de combustível na capital de São Paulo, conforme dados divulgados pela ANP, a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustível.

Ficou curioso para saber qual é o carro que mais gasta combustível? Primeiramente, é preciso saber que cada modelo foi listado de acordo com as seguintes categorias: esportivo, picape, minivan, fora de estrada, utilitário esportivo grande, utilitário esportivo compacto, extragrande, grande, médio e compacto.

Na categoria esportivo, o carro com maior gasto foi o Lamborghini Huracan 5.0- 40 V, que teve um consumo de 5,4 km/l na cidade e 7,1 km/l na estrada. Quanto à picape, a mais “gastadeira” foi a Chevrolet S10 2.8 de 16 V, modelo High Country com Cabine Dupla 4×4. Essa faz, na cidade, 8 km/l e na estrada 9,2 km/l.

Em minivans, entrou a Kia, com o Carnival 3.3 de 24 V EX. Na cidade, o modelo faz 6,5 km/l e na estrada 8,7 km/l. Na categoria “Fora de Estrada”, entrou o Troller T4 3.2 de 20 V XLT, fazendo 7,7 km/l na cidade e 7,5 km/l na estrada.

Dando sequência, o utilitário esportivo grande que ficou em primeiro lugar foi a BMW X5 3.0 de 24 V xDrive30D (9,1 km/l na cidade e 10,6 km/l na estrada); o utilitário esportivo compacto foi o Jeep Renegade 2.0 de 16 V Sport (9,4 km/l na cidade e 11,5 km/l na estrada); o extragrande foi o Ford Edge 3.5 de 24V Titanium (6,7 km/l na cidade e 9,5 km/l na estrada); e considerado grande, o Audi RSQ3 2.5 de 20 V (7,6 km/l na cidade e 9,6 km/l na estrada).

O médio que mais consumiu combustível foi o Citroën DS 4 Turbo com motor de 1.6 e 16 V So Chic. Na cidade, esse fez 9,9 km/l e na estrada 12,4 km/l. Por fim, o compacto com maior gasto em gasolina foi da marca Fiat, o Novo Palio 1.6 de 16V e Sporting Dualogic. Em gasolina esse rodou na cidade 9,9 km/l e na estrada 11,6 km/l.

Para quem quiser visualizar as outras posições, pode acessar o site http://pbeveicular.petrobras.com.br/TabelaConsumo.aspx. Lá está disponível a tabela completa feita pelo Inmetro com todos os veículos participantes.

Kellen Kunz


Combustível Adulterado – Cuidados e Como Identificar


Aprenda a identificar sinais de que o combustível pode ter sido adulterado.

Mesmo com um longo projeto de fiscalização nos postos que oferecem combustíveis, há grandes irregularidades que podem acabar pesando para o bolso do consumidor, que acredita estar adquirindo um produto de qualidade. Por este motivo, é de grande importância saber como identificar as alterações nos combustíveis e garantir seus direitos. Confira aqui as alterações mais comuns feitas e como se proteger de fraudes.

Diesel:

Este óleo deve possuir uma aparência limpa e livre de qualquer tipo de impurezas ou resíduos. Também há a quantidade de enxofre que irá variar de acordo com o diesel. O S-10 possui 10 parcelas por milhão de enxofre, enquanto o S-500 possui 500 partes.

Gasolina:

Este combustível permite a adição de até 27% de etanol anidro, ao passo que a gasolina premium permite 25%. No entanto, é muito comum que o componente seja adicionado em quantidades maiores que o permitido, a fim de baratear o produto para quem fornece e comercializar com um preço maior. Além disso, alguns locais acabam adicionando solventes.

Etanol:

Uma das alterações mais comuns feitas neste produto é a adição do etanol anidro, utilizado na gasolina, com o etanol hidratado, sendo que o que deve ser comercializado é apenas o etanol hidratado. Em casos piores, é comum ser feita uma mistura de água com o etanol anidro, deixando o etanol hidratado completamente de fora.

Mas como se prevenir?

O primeiro passo a ser tomado é ter uma noção do preço desses combustíveis. Sendo possível a consulta em sites, mantenha-se atualizado sobre esses valores e desconfie de locais que estão comercializando os produtos com um preço abaixo da média.

Outra medida muito importante que pode acabar passando despercebida pelos motoristas, é confirmar se o preço exibido na bomba se iguala ao preço exibido no painel do posto. É exigido que esses painéis sejam exibidos sempre.

Outra informação que é possível observar na bomba é a procedência do combustível, ou seja, quem o forneceu. Além disto, há também a informação se o combustível é aditivado ou comum. Atente-se também, na bomba, para o selo do Inmetro.

Caso você acredite que pode estar sendo enganado, exija que seja feito um teste na bomba da sua frente, lembrando que o maior valor de diferença permitido é de 100 ml, seja para mais ou para menos.

O consumidor também pode verificar a qualidade do produto, pois um posto não pode se recusar a fazer este teste. Não se esqueça de pedir a nota fiscal, que será a prova de que você abasteceu naquele posto.

Isabela Palazzo


Carros Mais Econômicos do Brasil em 2016


Confira aqui a lista com os carros mais econômicos do Brasil em 2016.

Quem ficou ligado nas notícias do ano de 2016 sobre o ramo automobilístico deve ter notado que a competição pela fatia de mercado entre as marcas foi extremamente acirrada. E quando levamos em conta o consumo, a emissão de poluentes, além de outros fatores importantes para a sustentabilidade do nosso planeta e para o bolso, a disputa é ainda maior.

Pensando nisso, nós trouxemos para vocês uma lista muito interessante relacionada aos carros que conquistaram nota máxima A nas suas categorias e em geral quando levados em conta os fatores de consumo total de gasolina na estrada e na cidade. Com certeza você vai se surpreender.

É importante ressaltar que a avaliação dos veículos foi feita pelo Programa Nacional da Racionalização do uso dos Derivados de Petróleo e do Gás Natural, o Conpet. Esse é de responsabilidade do Governo Federal e tem como intuito promover ações e uma cultura contra o desperdício na utilização de recursos naturais que não são renováveis no Brasil, como é o caso dos derivados de petróleo.

A lista dos 10 mais econômicos

Em ordem de mais econômico para menos econômico, os veículos foram avaliados na seguinte colocação:

1. Toyota Prius híbrido: Consumo total de gasolina na estrada de 17 km/l e de 18,9 km/l na cidade;

2. Peugeot 208 1.2 manual: Consumo total de gasolina na estrada de 16,9 km/l e de 15,1 km/l na cidade;

3. Ford Fusion híbrido: Consumo total de gasolina na estrada de 15,1 km/l e de 16,6 km/l na cidade;

4. Citroën C3 1.2 manual: Consumo total de gasolina na estrada de 16,6 km/l e de 14,8 km/l na cidade;

5. Lexus CT200 híbrido: Consumo total de gasolina na estrada de 14,2 km/l e de 15,7 km/l na cidade;

6. Volkswagen Up! TSI manual: Consumo total de gasolina na estrada de 16,1 km/l e de 13,8 km/l na cidade;

7. Volkswagen Up! manual: Consumo total de gasolina na estrada de 15,3 km/l e de 14,2 km/l na cidade;

8. Ford Ka 1.0 manual: Consumo total de gasolina na estrada de 15,7 km/l e de 13,5 km/l na cidade;

9. Ford Ka+ 1.0 manual: Consumo total de gasolina na estrada de 15,3 km/l e de 13,2 km/l na cidade;

10. Chevrolet Prisma 1.0 manual: Consumo total de gasolina na estrada de 15,8 km/l e de 13,1 km/l na cidade.

Então, o que você achou da lista citada? Você concorda, discorda ou possui alguma experiência positiva ou negativa com algum dos modelos? Conte-nos a sua experiência e compartilhe as suas ideias com os demais nos comentários.

Kellen Kunz


Características e Diferenças das Gasolinas


Há vários tipos de gasolinas disponíveis no mercado. Confira as principais características de cada uma.

Todo amante de carros sabe que utilizar um bom combustível no veículo é fundamental para mantê-lo funcionando corretamente, além de permitir que cada carro atinja seu desempenho em termos de potência. Além do álcool e da gasolina comum, existe hoje no mercado diversos tipos de combustíveis Premium, que podem trazer grandes diferenciais para determinados carros. Conheça alguns deles e saiba o que eles têm de especial.

Aditivada:

Entre as gasolinas diferenciadas que existem no mercado brasileiro está a gasolina aditivada. Diferente da gasolina comum, a aditivada possui detergentes e dispersantes em sua fórmula, que limpam o sistema de alimentação do veículo, mantendo bicos injetores e válvulas de admissão mais limpos e evitando acúmulo de sujeira no motor e no sistema de combustão de cada veículo.

Premium:

Já as gasolinas Premium são aquelas que aumentam o rendimento e o desempenho do motor do veículo. Elas possuem os mesmos detergentes e dispersantes da gasolina aditivada e têm, em sua fórmula, compostos que permitem que o motor desenvolva seu potencial com maior facilidade.

Gasolinas Premium Shell:

V-Power Nitro+:

Em parceria com a Scuderia Ferrari, a Shell desenvolveu a gasolina aditivada Nitro+, que melhora a performance do motor, diminui o desgaste do bloco e tem alto poder de limpeza de bicos e sistemas. Pode ser usada em veículos a gasolina ou veículos flex, sendo indicada, principalmente, para carros antigos, barcos e motos.

V-Power Racing:

A gasolina Shell V-Power Racing promete entregar desempenho e potência máxima a cada veículo, indicada para consumidores exigentes, que buscam gasolinas de alta octanagem. Este combustível melhora a resposta de aceleração do motor e pode ser usada em carros e motos.

Gasolinas Premium Petrobras:

Grid:

A gasolina Grid promete entregar maior desempenho e máxima eficiência do motor. O combustível possui aditivo redutor de atrito, que reduz o desgaste das peças, além de aditivos detergentes e dispersantes, encontrados em gasolinas premium. Outro diferencial deste combustível é ter coloração esverdeada, que diferencia o tipo de gasolina (grid) das demais disponíveis no mercado.

Podium:

A gasolina Podium é um dos combustíveis premium da Petrobras. Oferece alta performance, e pode ser utilizada em veículos a gasolina ou flex. De acordo com a Petrobras, este combustível possui fórmula exclusiva e tecnologia semelhante à da gasolina utilizada nos carros da Fórmula 1.

Por André Barbirato

Gasolina


Dirigir com Vidro Aberto ou Ar Ligado – O Que é Mais Econômico?


Saiba aqui o que é mais econômico, dirigir com o vidro aberto ou com o ar ligado.

Economizar nos dias de hoje é fundamental e não é diferente no caso do combustível. Além da diferença de preços de um posto para o outro, tem aquela desconfiança quanto a qualidade do produto. A diferença de estar rodando em estrada ou dentro da cidade faz o consumo de combustível variar e com um combustível adulterado, a variação é ainda maior.

Para cada carro existente, uma nova aerodinâmica é criada. Os carros mais baixos, onde o coeficiente de atrito (Cx) é menor, consomem mais combustível com os vidros abertos. No caso dos carros mais altos, o consumo excessivo por estar com os vidros abertos é um pouco menor.

Em uma rápida comparação entre um sedã (baixo Cx) e um SUV (alto Cx), levando em consideração dos dois veículos estarem a 100 km/h e com os vidros abertos, o consumo será de 8% a mais no caso do SUV e cerca de 20% do sedã.

É recomendado que acima dos 70 km/h os vidros sejam fechados, caso contrário o desenvolvimento na aerodinâmica não servirá de nada. Isso acontece porque com os vidros abertos, o vento entra pela lateral, onde o atrito aumenta e o consumo também. Ficando com os vidros fechados e o ar ligado, a aerodinâmica faz o trabalho dela e o conforto interno é garantido com a temperatura desejada.

Alguns mitos foram criados quanto ao uso do ar-condicionado e o consumo de combustível pela metade é um deles, mas estudos apontam que de 10% a 20% é o aumento real deste consumo. O gás ou o óleo do aparelho não gasta ou fica velho com o uso, somente em caso de manutenção estes dois itens são completados ou trocados.

A verdade é que uma vez por semana, o ar-condicionado deve ser ligado por aproximadamente 10 minutos, onde este procedimento lubrifica o sistema e evita o ressecamento. É recomendado para quem não usa muito o aparelho.

Outra verdade é que, quando o carro fica parado e todo fechado de baixo do sol forte, a temperatura interna fica escaldante. Se recomenda abrir os vidros, trocando o ar aquecido por um da temperatura ambiente. Logo depois fechar os vidros e, ai sim, ligar o ar-condicionado. O tempo de troca da temperatura é menor quando utilizamos este procedimento.

Mais um ótima dica, que elimina a umidade da tubulação e a proliferação de fungos, é desligar o ar-condicionado e deixar somente a ventilação ligada por alguns minutos.

Por: Fernando Dias


Carros Compactos Mais Econômicos do Brasil em 2016 – Lista do INMETRO


INMETRO divulga lista dos carros compactos mais econômicos do Brasil em 2016.

Na sequência de matérias que trazem os carros mais econômicos do Brasil, segundo dados do Inmetro no Programa de Etiquetagem Veicular de 2016, vamos apresentar a categoria dos compactos.

Nela foram verificados veículos como o Citroën C3, Citroën DS3, Ford New Fiesta 1.6, Volkswagen Novo Gol 1.0, Volkswagen Fox 1.0, Peugeot 208, Renault Sandero 1.0, Toyota Etios, Ford Ka, entre outros.

Quem fez a sua estreia para esse ranking do Inmetro que dá o selo Conpet de eficiência energética foi a Chevrolet. Porém, a marca não começou muito bem. O modelo Onix, que o carro mais vendido no mercado nacional atualmente, contou com o selo Conpet somente para suas versões 1.4 com a transmissão manual. O consumo combinado, que faz uma  média de estrada e cidade, foi de 8,6 km/l com etanol e em 12,3 km/l com a gasolina.

Para os modelos com propulsor 1.0 o registro foi de uma média ligeiramente menor quando abastecido a etanol em 8,4 km/l. Esse foi o fator que apontou para que os modelos ficassem com nota B nos dois tipos da comparação.

O melhor nos testes feitos pelo o Inmetro em termos de eficiência energética é o Peugeot 208. Quando o veículo é equipado com propulsor 1.2 litros de três cilindros a média ficou em 11,2 km/l quando movido a etanol e em 15,9 km/l quando movido a gasolina. Essa média foi bem parecida a dos carros híbridos.

O Programa de Etiquetagem Veicular

É concedido o selo Conpet de eficiência energética para os veículos que são avaliados de acordo com o regulamento do Inmetro e que também constem na relação dos automóveis que fazem parte do programa. Com isso, os carros ficam autorizados a utilizar a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia. As notas de classificação são de A, para aqueles mais eficientes, e em E para os menos eficientes.

Podem contar com o selo Conpet os modelos que são eficientes, sendo que não é somente comparado com modelos semelhantes da sua categoria, mas com aqueles outros veículos que são participantes do Programa de Etiquetagem Veicular.

Os atuais critérios utilizados apontam o Selo Conpet para os modelos que contam com, no mínimo, uma classificação A na sua comparação relativa, ou então, na comparação absoluta, sendo que a outra classificação não pode ser nota B.


Carros Subcompactos Mais Econômicos no Brasil em 2016 – Ranking do Inmetro


Lista do Inmetro mostra os carros subcompactos mais econômicos vendidos atualmente no Brasil.

O Inmetro fez a divulgação dos carros mais econômicos dividindo em uma lista com várias categorias no seu Programa de Etiquetagem 2016. Você confere agora a categoria dos subcompactos. Nesta, são englobados os veículos Fiat Uno Evolution, Fiat Palio Fire (sem direção assistida e ar-condicionado), Fiat Uno Vivace (também sem os itens citados), Volkswagen Up e Volkswagen Up TSI.

Recebeu o selo Conpet de eficiência energética a montadora Fiat, que apresentou a nota máxima A para as versões mais simples. Um exemplo é o Palio 1.0 Fire Evo, além do Fiat Novo Uno Evolution. Este último é o único da linha que vem de fábrica com o sistema start-stop, que faz o desligamento do motor no momento das paradas no trânsito para a economia do combustível.

No caso do Palio Fire Evo, o consumo médio combinado, que faz a inclusão da cidade e estrada, que foi registrado nos testes do Inmetro é de 9,4 km/l movido a etanol e em 13,4 km/l quando movido a gasolina.

Para o Volkswagen Up, o modelo subcompacto da fabricante alemã contou com a nota máxima A para todas as suas versões. Em termos do consumo médio combinado, o Up Cross I-Motion apresentou 9,3 km/l com etanol e 13,7 km/l na gasolina. Já nos modelos dos veículos que são equipados com motor 1.0 TSI turbo com três cilindros, o consumo ficou entre 10,2 km/l para o etanol e em 14,8 km/l para gasolina.

O programa

A divulgação da lista feita pelo Inmetro no Programa de Etiquetagem aconteceu no final do mês de maio deste ano de 2016. Os testes englobaram a totalidade das fabricantes de automóveis, o que conferiu 90% dos veículos que estão sendo comercializados em nosso mercado. A Chevrolet se apresentou pela primeira vez nestes testes.

O Peugeot 208 foi o veículo que teve um dos maiores destaques no programa, uma vez que para sua versão de motor 1.2 litros contou com uma nota A no segmento que atua e nota A para geral. Quem também pontuou bem foi o Toyota Etios, sendo que a sua nota foi em A para o segmento em questão e em B para a categoria geral.

O Inmetro disponibiliza a lista total dos carros que efetuaram os testes em seu site.


Lista dos Carros Mais Econômicos de 2016 – INMETRO


Confira aqui a lista com os Carros Mais Econômicos no Brasil neste ano de 2016.

Foi divulgada pelo Inmetro uma lista que aponta o ranking para o consumo de carros nesse ano de 2016 no Programa de Etiquetagem Veicular. Nessa edição estiveram presentes todas as fabricantes de automóveis, o que totaliza 90% dos carros que são comercializados no Brasil. A iniciante foi a Chevrolet nos testes.

A previsão é que até o ano de 2017 a etiquetagem aconteça para 100% da frota do Brasil, seguindo uma exigência feita no programa Inovar-Auto.

Segundo o Inmetro, somente veículos que são fabricados a partir deste ano de 2016 contam com informações detalhadas sobre emissão de gases poluentes como o óxido de nitrogênio, hidrocarbonetos e monóxido de carbono. Isso é um passo importante, uma vez que anteriormente somente a emissão do gás carbônico tinha o seu monitoramento.

Consumo

O Fiat Mobi, que foi recém-lançado no mercado nacional, apresentou a nota A para a categoria dos microcompactos e nota B para geral. A sua média ficou em 11,9 km/l na cidade e em 10,8 km/l na estrada (movido a etanol).

Outro destaque foi o Peugeot 2008 com propulsor 1.2, que teve uma nota A no geral e também em seu segmento.

Para a Toyota, o Etios, que também chegou há pouco tempo nas concessionárias, apresentou nota A para seu segmento e B na categoria geral.

A iniciante para os testes de etiquetagem do Inmetro, a Chevrolet teve notas distintas para veículos com câmbio manual e transmissão automática. O modelo Onix com propulsor 1.0 teve a sua nota C com rodas de aro 13 polegadas e B para as rodas com aro 14 polegadas. Com o modelo de motor 1.4, o mesmo apresentou nota A para o seu segmento e nota B para Geral com a transmissão manual. Quando se troca para o câmbio automático as notas ficam em D para o segmento e em C em Geral.

O Chevrolet Prisma com transmissão automática e motor 1.4 apresentou a nota apenas em E para o seu segmento e C para geral. Nos modelos com propulsores 1.4 e 1.0 com câmbio manual, as notas foram melhores. O modelo 1.0 apresentou nota B e o 1.4 nota A para o segmento no mercado. A pior avaliação aconteceu para o Spin que contou com nota E no seu segmento e C para geral, isso em todas as suas versões.

Acesse o site do Inmetro e confira a lista completa.


Riscos de se Dirigir o Carro com Pouca Gasolina


Veja aqui quais são os principais perigos de se dirigir o carro com pouca gasolina.

Quando você está rodando pelas ruas e observa que o seu tanque está com sinal de combustível baixo, menos de 1/4 , por exemplo, o que você faz?

Segundo uma pesquisa feita pela empresa inglesa de seguros LV (Liverpool Victoria), são mais de 820 mil pessoas todos os anos que simplesmente ignoram a luz que avisa que o combustível está na reserva e isso pode acarretar na quebra do automóvel pela falta da gasolina.

Deste estudo, um quarto de todos os motoristas apontaram que acreditam que conseguem rodar ao menos mais 65 quilômetros quando a luz da reserva ascende ou pisca. Do total dos entrevistados, dois milhões admitem que dirigem com a luz de reserva acessa com o pensamento de guardar alguma grana antes de encher o tanque.

Mas os motoristas devem ficar atentos com os problemas que a falta de gasolina pode acarretar no automóvel. Quando o carro está com somente um quarto do tanque completo, a direção hidráulica e os freios poderão ser prejudicados sem o funcionamento perfeito. E não precisa nem citar que esses itens são essenciais.

As pessoas necessitam entender que o medidor de combustível não é para ser tido como um instrumento altamente preciso. Em carros mais modernos em termos de tecnologia, a medição é feita através de um flutuador, como aquelas encontradas na caixa d’água. Com isso, quando um motorista está, por exemplo, subindo uma ladeira, o nível de combustível poderá ser distinto do que rodar em uma pista plana.

Outro ponto importante é que a distância que você pode percorrer quando a luz da reserva acende é distinta em cada modelo. A melhor dica é chegar até o posto mais perto e abastecer o carro. Quando força o tanque com pouco combustível, esse fator poderá prejudicar muito o motor, o que sairá bem mais caro posteriormente em uma oficina mecânica.

Quando acaba gasolina e você abastece com um pouco de combustível, o suficiente apenas para chegar em um posto, o motorista ainda poderá ficar na rua, uma vez que pode ter entrado ar no sistema e a gasolina não vai conseguir passar do tanque e chegar até o motor. Se isso ocorrer, algum mecânico terá que fazer o processo chamado de “sangrar” o sistema.

Dicas:

  • Quando estiver com pouca gasolina, a velocidade deve ser mantida entre os 60 km/h até 80 km/h.
  • Evite aceleradas ou freadas mais bruscas.
  • Opte por manter uma marcha em que o propulsor rode por volta dos 2.000 até 3.000 rpm.
  • Não deixe o veículo em ponto morto, uma vez que a economia não será grande.
  • Só desligue o carro para economizar combustível se o mesmo ficar parado por mais de um minuto.

Como Economizar Combustível – Dicas e Cuidados


Confira aqui algumas dicas do que fazer para economizar combustível em seu carro.

Não há uma matemática exata para que você consiga economizar combustível em seu veículo. São vários fatores que vão auxiliar para que isso aconteça e o seu bolso fique agradecido. Confira abaixo algumas dicas:

– Não ande com pneus murchos: Sempre deixe os pneus calibrados, pois andar com os mesmos murchos podem alterar o consumo de combustível. Faça a calibragem dos seus pneus a cada 15 dias.

– Cuidado na troca de marchas: Observe no manual do seu carro qual é a velocidade correta para a mudança na marcha. Deve-se levar em conta qual é o torque do veículo. Faça o uso do câmbio do carro suavemente e não “estique” até o final.

– Carro pesado é sinal de maior consumo: Verifique também no manual o peso que é recomendado. De acordo com pesquisas no segmento, 40 quilos em excesso no peso podem aumentar o consumo de combustível em 2%.

– Gasolina aditivada: A sua função primordial é a limpeza e a preservação do motor. Porém, com um propulsor mais limpo, isso acarreta em melhor desempenho e também mais economia em um médio prazo.

– Manutenção das velas: Esse é um dos itens que influenciam muito no consumo. As velas precisam ser trocadas de acordo com a quilometragem que é recomendada pela fabricante do veículo. Quando uma destas peças danificar, o conjunto deve ser trocado com velas de mesmas especificações.

– Acessórios no carro: Antes de você fazer a instalação de algum acessório no veículo, faça a consulta de um especialista. Um aerofólio, por exemplo, influencia na aerodinâmica e aumenta o consumo.

– Andar com os vidros abertos: Esse tipo de hábito vai interferir na aerodinâmica. O consumo vai aumentar em especial quando o carro estiver em mais de 80 km/h.

– Utilize combustíveis com qualidade: Saia de perto de produtos batizados. Sempre abasteça em postos que apresentarem selo da ANP.

– Semáforos: Quando chegar perto de um semáforo vermelho, se possível, diminua a velocidade aos poucos para que não seja necessário parar por total. Com isso, você retoma a velocidade mais suavemente.

– Uso do ar-condicionado: Use somente quando é realmente necessário, pois esse item pode aumentar em até 20% o consumo de combustível.

– Troque os filtros de ar e combustível: Esses itens necessitam trocas nas datas que são apontadas pelas fabricantes.

– Alinhamento de rodas: Isso auxilia na aerodinâmica do carro. Sem essa manutenção, o veículo fica fora de geometria e as rodas se arrastam, aumentando o consumo de combustível.

– Evite andar em altas velocidades: Os limites de velocidade devem ser respeitados. Quando um veículo está a mais de 100 km/h, o seu consumo fica em 20% a mais do normal.


GNV – Alternativa de combustível para veículos


A instalação do Gás Natural Veicular compensa a partir do 4º mês de uso do sistema para quem utiliza bastante o veículo. Já quem utiliza pouco, o prazo para retorno é de 30 meses.

Qualquer piloto de plantão sabe e já não é mais novidade que o GNV, Gás Natural Veicular, é um combustível bem mais em conta que o etanol e a gasolina, mas será que essa economia ao encher o tanque compensa o valor gasto com a conversão e preparação do motor do seu carro? De acordo com alguns especialistas da área, esse valor é compensado a partir do quarto mês de uso deste sistema.

Quatro meses é o tempo médio para retornar do investimento realizado para instalar gás natural, isso para veículos que rodam mais de oito mil quilômetros ao mês. Isso é para pessoas que utilizam muito o veículo, como empresas, agora para os rodam cerca de mil quilômetros ao mês, como uma pessoa comum, o prazo para retorno é de aproximadamente 30 meses, ou seja, dois anos e meio.

Essa pesquisa, realizada pela Companhia de Gás de São Paulo, Comgás, deixa claro que a conversão para GNV é muito mais vantajosa para quem utiliza o carro por altas quilometragens. Quanto mais se anda, mais rápido será o retorno do investimento realizado.

O uso deste combustível e sistema, também pode ser bom para as pessoas que trafegam bastante para ir até o trabalho diariamente, como aqueles que trabalham em uma cidade diferente da que residem. Tal equipamento pode ser útil também para aqueles que trocam de carro frequentemente, pois o mesmo pode ser transferido de um carro para outro, sendo assim, os instrumentos não irão ser vendidos juntamente com o veículo.

Outro ponto muito interessante do GNV é o fato do combustível ser menos poluente que outros, contribuindo assim com o meio ambiente. O gás veicular tem uma emissão de gases poluentes 20% a menos que a gasolina e 15% a menos que o etanol.

Isso acontece devido ao Gás Natural Veicular ter uma queima muito mais completa que seus concorrentes, etanol e gasolina, onde sua combustão ocorre com excesso de ar, dessa forma, libera mais água do que gás carbônico.

O gás também é mais seguro, já que possui uma faixa de inflamabilidade bem menor, além de ser mais leve que o ar, diminuindo assim o risco de incêndios e explosões.

Como instalar o gás natural?

Para fazer uso do gás natural veicular em seu carro é necessário que você instale um kit GNV, porém a oficina deve ser homologada pelo INMETRO. O Certificado de Homologação de Montagem do kit é fornecido apenas pelas empresas credenciadas. Através deste certificado é atestado que todas as normas técnicas estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) foram cumpridas, permitindo desta forma, que o veículo seja legalizado junto ao departamento de trânsito.

É necessário também, realizar uma inspeção na parte mecânica do veículo antes de instalar o gás natural, averiguando problemas, que deverão ser solucionados, caso preciso.

Agora basta você analisar seu perfil de uso do seu veículo e ver se de fato é vantajoso para você o uso do GNV.

Por Filipe da Silva

GNV

Foto: Divulgação


Carro na Reserva de Combustível – Riscos e Cuidados


Confira aqui os principais riscos de se dirigir com o tanque do carro na reserva.

Você já se perguntou se deve andar com o seu carro na reserva de combustível? Bom, vamos listar alguns pontos na matéria que dão conta que isso não é um bom negócio na maioria das vezes.

Um estudo feito na Inglaterra e publicado no Daily Mail aponta que em todos os anos mais de 820 mil pessoas não dão a atenção devida para a luz que avisa que o seu carro está na reserva e o mesmo quebra pela falta de combustível. A pesquisa foi realizada pela empresa de seguros Liverpool Victoria.

Foi um quarto dos motoristas que responderam à pesquisa que pensam que podam rodar, pelo menos, mais 65 km quando observa que está ligada a luz de reserva. O seu carro pode acabar tendo um problema mais sério do que apenas acabar com o combustível no meio do caminho.

Quando o veículo está com somente um quarto do tanque com combustível, o carro poderá ter problemas nos freios e também na direção. Eles podem não funcionar corretamente. São itens importantes que salvam muitas vidas em problemas de trânsito.

Os motoristas devem estar cientes que o medidor de combustível de seus veículos não são tão precisos assim. Na maioria dos carros, inclusive naqueles mais modernos, a medição é realizada por um flutuador, da mesma forma como acontece com as caixas d’água. Um exemplo é: quando o veículo está subindo em uma ladeira o nível pode ser distinto quando se está em um plano de pista.

Outro ponto importante é que a distância que pode ser percorrida com a gasolina na reserva varia de modelo em modelo. A melhor dica para evitar os problemas é abastecer o quanto antes. Para esse problema, vale a frase que o barato sai caro. Se você ficar por muito tempo sem o combustível necessário, pode entrar ar no sistema e mesmo abastecendo um pouco, o carro poderá ficar parado. Com isso, você deverá chamar um mecânico e “sangrar” o sistema.

Está com pouca gasolina?

Primeiro de tudo, não se deve dirigir com menos de um quarto de tanque. Quando se está com pouca gasolina, o melhor é manter a velocidade do veículo entre 60 a 80 km/h. O motorista não pode fazer movimentos bruscos com freadas ou acelerações.  Ele deverá tentar deixar que o motor fique com 2 mil a 3 mil rpm


Aumento no Preço do Etanol após Alta da Gasolina


Preço do Etanol sobe 7% nas Usinas de São Paulo.

Na noite da última terça-feira (dia 29) foi anunciada a alta de 6% no preço da gasolina nas refinarias do país. O repasse já foi feito aos consumidores e já pressionaram, nas usinas de São Paulo, o valor do etanol hidratado. Ao final do dia, as usinas fecharam com uma alta de 7,05%. Os dados foram divulgados pelo Cepea/USP (Centro de estudos Avançados em Economia Aplicada).

O combustível renovável foi negociado na última quarta-feira (dia 30) em uma média de R$ 1,3895 por litro. A alta da semana já chega a 12,7% ou 0,157 o litro no acumulado somente desta semana. Os dados são do indicador diário.

O Cepea afirma que como o preço do etanol é 70% mais baixo do que o da gasolina nas bombas pelo país, o aumento do combustível derivado do petróleo acabou levando um aumento do álcool, mesmo sendo este derivado da cana-de -açúcar.

Outro fator que alavancou o aumento no preço do etanol foi o período de chuvas no Centro-Sul do país, que acabaram interrompendo a colheita da cana e prejudicaram a fabricação do álcool nas regiões mais tradicionais, o que limitou sua oferta no mercado, levando ao aumento no preço.

Na última terça feira (dia 29), houve o anúncio feito pela Petrobrás, que anunciou o reajuste nos preços de venda de combustíveis como o diesel e a gasolina em suas refinarias. O aumento da gasolina ficou definido em 6% e o do diesel em 4%. Os valores já passaram a valer no dia seguinte ao anúncio, na quarta-feira (dia 30).

Em novembro do ano passado, a Petrobrás já tinha aumentado o preço de venda nas refinarias desses mesmos combustíveis, na época, o aumento foi de 3% para a gasolina e 5% para o diesel. Em janeiro deste ano, a tributação sobre esses combustíveis também aumentou,  respeitando o decreto presidencial de número 8.395, que foi publicado no Diário Oficial da União.

Rodrigo Silva


Audi cria Novo Combustível Ecológico usando Água e Ar


Novo Combustível Ecológico possui eficiência energética superior ao Diesel Comum e a Gasolina.

Nesta semana, a montadora Audi informou que pode ter criado o "combustível do futuro", isso porque ele é produzido a partir de água, dióxido de carbono e fontes renováveis de energia. O combustível está sendo chamado de "e-diesel" e ao contrário de seu irmão diesel, ele não contém enxofre ou outros poluentes. Não bastasse isso, é importante citar que o novo combustível possui uma eficiência energética de 70%.

Este novo combustível foi criado através de uma parceria entre a Audi e a empresa alemã Sunfire, que busca criar novas tecnologias limpas para serem utilizadas nos carros da montadora.

O novo combustível é criado através do aquecimento de uma quantidade de água à cerca de 800 ºC, que gera um processo de eletrólise onde o oxigênio é separado do hidrogênio. Para aqueles que não sabem, eletrólise é um processo químico que transforma energia elétrica em química.

A partir deste processo, o hidrogênio criado reage com o CO2 em reatores criados especificamente para a síntese de produtos químicos. Vale lembrar que esta reação acontece novamente em alta pressão e temperatura.

O produto desta reação entre CO2 e Hidrogênio é um líquido composto por hidrocarbonetos de longas cadeias conhecido como "azul cru".

Após a criação deste combustível sintético, ele pode ser misturado ao diesel ou ser usado de forma independente como combustível.

Segundo a Sunfire, o preço de mercado deste diesel sintético deve variar entre 1 e 1,5 euro por litro (cerca de R$ 4,7). Este valor é apenas um pouco mais caro do que o diesel comum vendido na Europa. Apesar de ser mais caro, o produto possui uma eficiência energética muito maior que o diesel comum (que possui uma eficiência energética de 45%) e que a gasolina (que possui uma eficiência de 20%).

Um detalhe importante de se citar é que todo o processo para a produção do combustível é ecologicamente correto. Isso porque a eletricidade usada para aquecer a água é gerada através de turbinas eólicas. Já o CO2 utilizado na reação é capturado diretamente do ambiente, retirando do ambiente parte deste gás causador do efeito estufa.

Confira no vídeo abaixo todo o processo de produção deste novo combustível:


Etanol Aditivado – Diferenças e Será que Vale a Pena?


Conheça um pouco mais sobre o Etanol Aditivado. O Que é, quais são as diferenças para o Etanol Comum e quais são suas vantagens e desvantagens.

O combustível utilizado em um veículo é o item que pesa mais no bolso do consumidor, em alguns casos, o motorista chega a pagar cerca de R$ 160 pare encher um tanque vazio. O consumidor possui várias opções de combustíveis, entre ele está o Etanol Aditivado. Mas será que vale a pena utilizar o etanol comum ou o aditivado?

O etanol aditivado pode ser uma opção para abastar os modelos que possuem motor flex. A empresa Shell é bastante conhecida por disponibilizar esse tipo de combustível. Já a Petrobras não se pronunciou a respeito.

Vale a pena pagar mais pelo etanol aditivado? Segundo a Shell, o etanol possui dispersantes e detergentes, que garantem a limpeza do motor, assim como ocorre com a gasolina. Dessa forma, há a criação de uma camada protetora entre o propulsor e o combustível, o que reduz o desgaste natural do motor.

A proposta da empresa é segura, já que é preciso enviar um relatório para a ANP, detalhando quais os benefícios do combustível aditivado para o motor. Durante testes da empresa, foi comprovada uma maior economia de combustível em relação ao etanol comum.

Nem todos consumidores terão benefícios econômicos com a troca de etanol comum para o aditivado. É preciso levar em consideração o estado do veículo e os hábitos do motorista.

Antes de utilizar qualquer combustível aditivado é preciso verificar se existe entupimento no filtro do motor, para que não haja problemas ao utilizar o novo método. A petrolífera recomenda que a migração para o etanol aditivado seja gradativa se o veículo possuir mais de 5000 km, caso contrário não será preciso.

O desempenho do veículo com etanol aditivado é maior do que abastecido com o comum, já que o motor limpo ajuda a manter a potência do veículo. Dessa forma, o etanol aditivado aumenta a duração do motor e o desempenho nas pistas, garantindo maior economia ao motorista.

Existem quatro tipos de etanol combustível no mercado: o Etanol Hidratado, o Etanol Anidro, o Etanol Aditivado e o Etanol Adulterado.

O Etanol Hidratado nada mais é do que o etanol comum, que também é utilizado na produção de bebidas, alimentos, cosméticos, aromatizantes, produtos de limpeza, remédios, vacinas, entre outros produtos. Vale lembrar que nestes outros produtos muda-se o processo de pós-fabricação. Ele é produzido através de Cana-de-Açúcar, Milho, Beterraba, entre outros vegetais.

Já o Etanol Anidro nada mais é do que etanol que é misturado na gasolina. A principal diferença deste etanol é que ele possui uma graduação alcoólica próxima de 100%. Para chegar a este valor o etanol passa por um processo de desidratação para a retirada da água em sua composição.

Com relação ao Etanol Adulterado, ele é ilegal e em sua composição existem substância proibidas ou em quantidades ilícitas. Geralmente a inclusão destas substâncias é feita para baratear ainda mais o custo do combustível, dando mais lucro aos comerciantes.

Foto: Manoel Marques/VEJA/VEJA

Por Wendel George Peripato


Nova mistura de Etanol na Gasolina deve valer em Abril


Além de anunciar o aumento no preço dos combustíveis, o governo afirmou que irá aumentar o percentual de etanol presente na gasolina, que atualmente é de 25%. Segundo as novas perspectivas, o novo percentual chegará a 27%, contudo, a medida começará a valer somente a partir de Abril. Há quem afirme que esta proposta não é benéfica ao consumidor, que verá seu automóvel perder seu desempenho, aliado ao aumento no valor do combustível.

A medida ainda não foi oficializada pela presidente da República, Dilma Rousseff, contudo, deve ocorrer até abril. Segundo a publicação, a presidente pode ter optado por aguardar os últimos testes de durabilidade feitos pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), levando em consideração as fontes do setor sucroenergético.

Se as previsões forem corretas, a nova mistura só passará a vigorar no meio de março ou após o dia 8 de abril, quando irá ser realizada uma nova reunião da Anfavea e representantes do setor sucroalcooleiro junto ao Ministério da Casa Civil. Já houve um encontro entre as partes e o ministro Aloizio Mercadante, no dia 2 de fevereiro, quando o governo requereu que a mistura de 27% começasse a ser aplicada em até 15 dias. Este tempo foi definido como o mais apropriado para que as distribuidoras realizassem a compra do novo produto.

Segundo um estudo de viabilidade técnica e do consenso da associação dos fabricantes de veículos, a Anfavea mostrou que a mistura não irá comprometer o desempenho do veículo e que os condutores podem se despreocupar. Vale lembrar que as gasolinas Premium, com octanagem mais alta, não receberão a mistura de álcool. Atualmente esse tipo de combustível é uma opção nos postos Ipiranga (Premium) e pela Petrobras (com Pódium).

Um estudo antigo mostrou que o combustível adulterado é um mal que pode causar muitos transtornos aos motoristas. Se ele não atender as especificações do fabricante pode gerar vários problemas, entre eles o rendimento insatisfatório do veículo, aliado a perda de potência do motor.

Ana Rosa Martins Rocha


Teor de Etanol na Gasolina deve Subir


O teor de etanol na gasolina deve subir dos atuais 25% para 27%, com início previsto para 16 de fevereiro. A proposta do aumento foi apresentada pela Anfavea (Associação Nacional das Fabricantes de Veículos) em reunião com o ministro chefe da Casa Civil (Aluizio Mercadante) e representantes do setor sucroalcooleiro, realizada no dia 02 deste mês de fevereiro. A proposta será encaminhada agora para a aprovação da presidente Dilma.

Segundo a Anfavea, a finalidade da proposta é diminuir a quantidade de importações de combustível, tendo assim reflexo também no preço final para os consumidores. No entanto, a medida trará diversas implicações, tais como o aumento do consumo, pois o etanol tem uma combustão mais rápida que a gasolina. A previsão para aumento do consumo para carros movidos somente a gasolina é de 3%.

Os motores dos carros bicombustíveis não sentirão muita diferença na combustão da nova mistura, já os motores dos carros só a gasolina poderão sentir danos com o tempo. Para resolver essa questão a Anfavea sugeriu que a gasolina premium continue com o percentual de etanol inalterado. Detalhe é que o litro da gasolina premium é mais de cinquenta centavos mais cara que a gasolina comum.

A Anfavea afirmou que a decisão de deixar o percentual de etanol na gasolina premium inalterada se deu pelo fato de os testes da nova mistura em motores a gasolina não terem sido concluídos. Não sendo assim confirmado que a nova mistura cause desgastes nesses motores. Segundo a Anfavia, a gasolina aditivada também será alterada para o percentual de 27%, sendo que a premium (que é uma gasolina de alta octanagem) será a única a permanecer com o percentual atual.

Como a maioria das marcas de veículos vendidos no Brasil trabalha com carros bicombustível, ficarão em dificuldade apenas os proprietários de carros mais antigos e de carros importados que usam apenas a gasolina. Esses proprietários terão a opção de pagar mais carro na gasolina premium ou utilizar a nova mistura e correr os riscos de aumento de consumo do veículo e desgaste excessivo do motor.

Dalmo Rocha


Dicas para economizar combustível


Um transporte público ineficiente para atender a toda população. Esta é sem dúvida uma das causas que mais contribuem para que milhões de brasileiros sejam obrigados a colocar todos os dias seus carros nas ruas e avenidas de todo o país para se deslocarem até o trabalho, levar e buscar seus filhos na escola e realizar outras atividades diárias.

Mas com o alto valor dos combustíveis nas bombas, está ficando cada vez mais difícil para os brasileiros conseguirem encher o tanque de combustível de seus carros. E para você e muitas outras pessoas que não têm outra opção senão utilizar seu carro no dia a dia, aqui vão 10 dicas simples que podem te ajudar a entrar menos nos postos de combustíveis para abastecer.

1.       Calibragem dos pneus: Andar por aí com os pneus do carro murchos ou com a calibragem errada, faz com que haja um atrito maior do pneu com o solo, ocasionando um consumo maior de combustível e também um desgaste maior dos pneus. A calibragem deve ser feita regularmente a cada 15 dias e de acordo com o especificado pelo fabricante do veículo.

2.       Manter alinhamento em dia: Um carro desalinhado acaba consumindo mais, pois nestas condições há um aumento da resistência dos pneus contra o solo, o que ainda acaba dificultando a dirigibilidade. O ideal é realizar um alinhamento a cada 10.000 km rodados.

3.       Uso do ar-condicionado: Este pode ser considerado um dos grandes vilões da atualidade para o alto consumo de combustível dos carros. Caso o clima da cidade onde você esteja se encontre mais ameno e o trajeto ao qual você for fazer não seja muito longo, experimente desligar o ar e abrir as janelas. Você vai notar uma diferença no consumo de combustível do seu carro. Já se você estiver transitando por estradas ou em vias expressas onde a velocidade é maior, a dica é inversa, feche as janelas. Nesta situação, os vidros fechados contribuem para diminuir a resistência do ar com o veículo.

4.       Excesso de peso: Esta equação é simples, pois quanto mais peso o carro estiver carregando, maior será o esforço do motor para fazer com que o carro se movimente e com isto, seu consumo vai às alturas.  Verifique no porta-malas e no interior do seu carro o que você anda carregando todos dos dias desnecessariamente e pare de queimar combustível atoa.

5.       Controle o acelerador: Procure não acelerar de forma brusca e desnecessária. Uma aceleração tranquila e gradativa ajuda a diminuir o consumo de combustível, além de contribuir para a vida útil do motor do seu carro. Ah, e quem nunca deu aquela última acelerada antes de desligar o carro? Pois é, sabe para que ela serve? Para nada, apenas para gastar mais combustível. Portanto, este é mais um hábito a ser deixado de lado para o bem do seu bolso.

6.        Esquentar o motor do carro: Hoje isto não é mais necessário. Os motores dos carros com injeção eletrônica são aquecidos automaticamente por este sistema. Há apenas uma recomendação para os carros novos com menos de 1.000 quilômetros rodados, que é apenas ligar o carro, esperar alguns poucos minutos e aí sim começar a andar. Nos carros novos que já atingiram esta quilometragem, basta ligá-los e seguir viagem.

7.       Troca de marchas: Você já teve a impressão que o motor do seu carro está literalmente gritando ou mais popularmente dizendo, “esgoelando”? Pois é, ele está tentando te alertar que está consumindo mais combustível que o necessário e que está na hora de você fazer a troca de marcha. Procure não esticar demais as trocas de marchas e também mantenha a rotação do motor sempre mais baixa. E lembre-se, marchas fortes são para subidas íngremes e também podem ser usadas como freio motor nas descidas. Agindo assim você consegue frear o carro e ainda economiza combustível, pois a injeção eletrônica identifica que não é preciso acelerar durante a descida e interrompe o envio de combustível para o motor. A famosa banguela deve ser evitada, pois além de uma ação perigosa, ela não contribui em nada para a economia de combustível, já que mesmo em ponto morto, o motor continua trabalhando.

8.       Evite o excesso de acessórios: Não vá fazer do seu carro uma árvore de natal, um trio elétrico ou um carro alegórico com vários acessórios. Qualquer alteração que você faça nas características originais do veículo pode provocar uma resistência maior ao ar e juntamente com esta resistência, vem o aumento do consumo de combustível.

9.       Reduza a velocidade: Você não é um piloto de Fórmula 1 ou da Indy, então não há necessidade de sair por aí em alta velocidade, ziguezagueando entre os carros,  colocando a sua vida e a de outros motoristas em risco. Além de perigoso e arriscado, você só vai aumentar seu consumo de combustível e diminuir a vida útil do seu carro. Se você gosta de velocidade e quer correr, vá para um kartódromo. Lá você vai poder fazer isso em uma pista própria, com orientação e segurança.

10.   Visite seu mecânico: Não se esqueça de visitar regularmente o seu mecânico para fazer uma revisão no seu carro. O desgaste natural de algumas peças, um motor desregulado, filtros de ar e velas sujas, podem contribuir para um aumento no consumo de combustível do seu carro. Portanto, siga as instruções do manual do veículo e não deixe seu carro sem as revisões necessárias.

Por André F.C.

Economizar combust?vel


Tributação sobre combustíveis sofre aumento pelo Governo


O ano de 2015 será bastante difícil para a economia brasileira, haja vista o grande esforço que deverá ser feito para ajustar as contas do país. O atual Ministro da Fazenda, Joaquim Levy, já anunciou um pacote de aumento de tributos. O pacote atingiu vários setores da economia como é o caso de tributos sobre combustíveis. Além disso, o a tributação referente a produtos importados e operações de crédito também sofreu mudanças. Com tais medidas, a equipe econômica de Levy espera arrecadar R$ 20,6 bilhões.

Vale ressaltar que tais medidas vão tornar o crédito ao consumidor bem mais caro, dessa forma, se a Petrobras não reduzir o preço que cobra das distribuidoras, a gasolina o diesel tendem a subir bastante. As medidas aqui citadas, principalmente as relacionadas a combustíveis, devem afetar diretamente os motoristas de todo o país.

A equipe econômica de Joaquim Levy já deixou claro que serão elevados: PIS, a Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins), bem como a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) ambos sobre os combustíveis. Além disso, o ministro também deixa claro que o impacto inicial será de R$ 0,22 (litro) para a gasolina e R$ 0,15 (litro) para o diesel.

Em relação aos aumentos de tributos nos combustíveis, saiba que irão sofrer alta imediata o PIS e a Cofins, sendo o aumento da Cide realizado apenas daqui a 90 dias. Apenas com as medidas relacionadas a combustíveis é esperado que se arrecade nada menos que R$ 12,18 bilhões em 2015.

O Ministro revelou as intenções da equipe econômica quanto à redução das tributações anunciadas: “Daqui a três meses [quando o aumento para a Cide será concretizado], temos intenção de reduzir o PIS e a Cofins". Já em relação ao impacto no preço dos produtos para o consumidor, Joaquim Levy deixou claro que também depende da Petrobras: ”Isso vai depender da evolução do mercado e da política de preços da Petrobras”.

Por Bruno Henrique


Carro Elétrico no Brasil – Vantagens e Desvantagens


É de conhecimento geral que os países do mundo inteiro vêm buscando alternativas sustentáveis, menos poluentes e de menor custo para serem utilizadas como propulsores de veículos automotores. No Brasil, onde não é diferente, há anos surgiu o etanol (popularmente conhecido álcool combustível), alternativa sustentável para substituir a famosa gasolina (que é derivada do petróleo), contudo, diante das inúmeras pesquisas relacionadas ao assunto, outras fontes de energia estão surgindo pelo mundo e as montadoras de veículos vêm fazendo as suas apostas em qual dessas opções irá revolucionar o mercado automotivo.

No Brasil, a última novidade nesse sentido foi a inserção de veículos movidos a eletricidade. Ter um carro movido à eletricidade é um ótimo negócio, haja vista que o carro elétrico não polui, é mais silencioso que os veículos movidos por outras fontes de energia, mais econômico, tem baixo custo de manutenção mecânica, além de ter impostos reduzidos em alguns estados do país.

Segundo dados da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), no mundo atualmente há cerca de 7 milhões veículos elétricos leves e pesados em circulação, enquanto no Brasil atualmente a frota desse tipo de veículo não passa de 3 mil carros, ou seja, apenas 0,04% do total da frota existente.

O grande atrativo para o consumidor adquirir um veículo elétrico no Brasil é o fator de que para se rodar com um veículo movido à etanol o consumidor gasta em média R$ 0,19 por quilômetro, já com um veículo movido à eletricidade o consumidor gasta apenas a quantia de R$ 0,05 por quilômetro.

No entanto, os obstáculos para os consumidores adquirirem esse tipo de veículo 100% elétrico no país ainda são enormes, porque esses carros tem um preço muito alto, sendo que as opções são bem escassas. Uma opção recém-lançada no mercado brasileiro foi o BMW i3, que custa cerca de R$ 226 mil. O outro obstáculo para aquisição desse tipo de carro é o fator de que no Brasil ainda não há infraestrutura e muito menos logística para que estes veículos sejam recarregados nos grandes centros urbanos.

Por Adriano Oliveira


Novos Combustíveis Veiculares Usados no Brasil


No Brasil, várias alternativas de combustíveis já foram utilizadas nos veículos automotores, a fim de diminuir os gastos dos consumidores, bem como reduzir a quantidade de poluentes que são emitidos na atmosfera. Algumas alternativas já surgiram no mercado, tais como o gás natural veicular, que ficou pouco tempo no auge no mercado. Uma alternativa que vem suprindo essa necessidade é o álcool combustível (etanol), uma vez que foram criados os carros Flex para incentivar um maior consumo deste combustível, tendo em vista que o álcool combustível é um recurso renovável, diferentemente do petróleo, que é a matéria prima da gasolina.

Diante desse contexto, outras alternativas de combustíveis estão sendo lançadas no mercado brasileiro. A primeira dessas alternativas são os carros movidos a energia elétrica, essa é uma opção politicamente correta, devido ao fato de não poluir e deixar os veículos automotores mais silenciosos. No Brasil, o número de veículos elétricos vem crescendo, pois segundo dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), no ano de 2012 havia no Brasil menos de 100 veículos elétricos, porém, até o mês de agosto do  ano de 2014 foram licenciados 558 veículos automotores elétricos no Brasil.

Outra alternativa bastante interessante de combustível foi o Biometano, que chegou recentemente ao mercado brasileiro através das empresas Scania e Itaipu, com o lançamento do primeiro ônibus movido a Biometano do mundo.

Para quem não conhece o Biometano, esse combustível é um gás oriundo dos dejetos de aves poedeiras, segundo os estudiosos esse tipo de combustível emite 70% menos poluentes do que os tradicionais ônibus movidos a diesel. Essa é mais uma novidade que chegou do exterior ao mercado automobilístico brasileiro, contudo a Agência Nacional de Petróleo (ANP) está realizando uma consulta pública, a fim de regulamentar o uso do Biometano como combustível veicular, já que no Brasil há somente este protótipo trazido por essas empresas para testes.

Então, novas tecnologias de combustíveis automotores estão chegando ao país para  tentar substituir o velho e conhecido petróleo e seus derivados como combustível veicular, mas essa mudança irá demorar anos devido à falta de investimento nessas propostas.

Por Adriano Oliveira


Benefícios da gasolina aditivada


Os brasileiros usam muito a gasolina comum para o abastecimento de carros, muito motivos levam a essa atitude habitual como: o preço que é mais baixo, como também a maioria dos carros  que aceitam somente este tipo de combustível.

Porém, essa tradicional gasolina comum pode prejudicar o funcionamento do motor e até fazê-lo parar de funcionar. Quando o produto percorre pelo sistema de funcionamento do veículo, deixa muitos tipos de sujeira que pode danificar as funções de uso do pistão e das válvulas. Esses resíduos que ficam armazenados também dificultam a mistura da gasolina com o ar, aumentando a queima do combustível e o consumo maior de energia do motor.

Atualmente, muitos motoristas já fazem uso da gasolina aditivada, já que o preço está em R$ 3,00 e a gasolina comum no valor de R$ 2,50. E muitas pessoas ainda não usam este tipo de combustível porque não conhecem realmente a sua contribuição para o motor.

A gasolina aditivada pode agir beneficamente no motor através da sua ação de limpeza, retirando todos esses dejetos que ficam acumulados na parte interna do carro.

Quando o carro recebe a gasolina aditivada, o produto age na remoção de todos os resíduos, dissolvendo-os por completo de todo sistema de funcionamento do veículo. Motoristas acham que aumenta até a potência do carro, mas não é bem essa a finalidade. É apenas um efeito de detergente.

E importante ressaltar que existe uma diferença entre aditivo complementar e a gasolina aditivada.  As pesquisas realizadas em laboratórios comprovaram que os aditivos que vêm na gasolina têm a função de agir na limpeza do carro. E os locais que industrializam o produto ficam anos estudando a ação química dos produtos misturados, por isso que se pode ter a certeza que a quantidade do aditivo está na mesma proporção que a gasolina precisa.

Quantos aos aditivos que são usados como complementos e que são vendidos separadamente, já não apresentam uma boa recomendação de uso, pois são jogados no tanque sem saber a quantidade certa de gasolina. Este ato não é benéfico para o motor do carro, pois pode ocorrer os lançamentos de dejetos no bico injetor e nas válvulas junto com o produto.

Portanto, os especialistas recomendam o uso da gasolina aditivada sempre que possível, evitando o consumo dos aditivos complementares que podem provocar incompatibilidade no funcionamento do motor. E para os motoristas que usam a gasolina comum, recomenda-se colocar a gasolina aditivada gradativamente. Inicialmente com poucas medidas, e ao avaliar como o motor reage, pode usar de preferência somente a gasolina aditivada.

Por Jaqueline Mendes

Gasolina aditivada

Foto: Divulgação


Dicas para economizar combustível


Com os preços dos derivados do petróleo cada dia mais altos e, também do etanol, faz-se necessário que sejam criados meios de economia ou pelo menos siga algumas dicas antes de sair por aí dirigindo de qualquer maneira.

Para isso, seguem 8 dicas para auxiliar os motoristas na economia de combustível e, consequentemente, de dinheiro:

1 – Alinhamento:

A suspensão e a direção devem estar alinhadas. O desalinhamento aumenta a resistência da rodagem. Em consequência, o carro utilizará mais força do motor o que faz gastar mais. O alinhamento deve ser feito a cada 10.000 Km ou quando você acerta aquele buracão em cheio.

2 – Ar condicionado:

Se o tempo está ameno, para que o uso do ar? Abra as janelas e sinta a brisa. O uso do ar condicionado aumenta em 2% o consumo médio do veículo.

3 – Peso morto:

Evite ficar carregando materiais desnecessários no porta-malas. Ele é necessário para carregar materiais úteis e não toda a sua mudança.

4 – Acelere uniformemente:

Evite acelerações muito altas. Deixe as marchas mais fortes para serem usadas em aclives fortes. Procure acelerar de maneira uniforme.

5 – Não esquente:

Os carros de antigamente precisavam que o motor aquecesse antes de você sair dirigindo. Atualmente, a maioria dos veículos possui injeção eletrônica e não mais precisam disso. Procure ligar o seu veículo apenas quando for sair com ele.

6 – Mantenha as revisões atualizadas:

Quando bem revisado, consequentemente o carro tende a manter todos os seus acessórios em bom funcionamento. Isso irá ajudar na economia de combustível.

7 – Calibragem:

Quando bem calibrados, os pneus tendem a melhorar a rodagem. Consequentemente, o carro empregará menos força para se movimentar. Sendo assim, a economia de combustível será auxiliada.

8 – Trocas de marchas:

Existem pessoas que se sentem em um veículo de corrida em plena cidade. Troque marchas apenas quando necessário. Além disso, procure manter rotações baixas. Não espere o veículo “esgoelar” para empregar a marcha subsequente.

Utilizando essas dicas, o motorista conseguirá economizar combustível e gastará menos ao final do mês.

Por Daniel Alves

Combust?vel

Foto: Divulgação


Dicas de manutenção do tanque de combustível


Existem muitas dúvidas sobre a maneira correta de fazer a manutenção dos veículos, o que limpar, quando limpar. Uma delas é em relação ao tanque de combustível. Você já se perguntou se devemos ter algum cuidado especial com esse item? Pois saibam que devemos limpá-lo somente em casos muito extremos.

Muitas vezes se quer observamos o tanque, no momento da manutenção nem é uma prática obrigatória atualmente. Sim, antigamente era.

Há cerca de uns quinze anos, a vistoria era indicada por algumas montadoras, e frequentemente pelos mecânicos, até mesmo pelo alto índice de combustível adulterado.

Antes era recomendado que o tanque fosse lavado periodicamente com o intuito de evitar sujeira acumulada o que poderia danificar peças como a bomba de combustível e o filtro de gasolina, mas atualmente este procedimento não mais pertence a lista de prioridades da lista das dicas de manutenção, até mesmo por que a maioria dos veículo são fez o que ajuda em parte caso o combustível seja “batizado".

Hoje em dia, usando um combustível de boa não há necessidade de fazer a limpeza do tanque. Ainda hoje, em alguns modelos antigos, recomendasse, já que  algumas partes do tanque são de metal e por isso podem se desprender dentro do recipiente por causa da oxidação, o que pode causar  entupimento do filtro de combustível. Nos novos modelos, as peças usadas são mais adequadas, os novos materiais usados na produção do recipiente garantem menos falhas.

Agora, se você utilizar gasolina de má qualidade, de procedência duvidosa, e melhor ficar atento. Se perceber que a marcha lenta está muito irregular, por exemplo,  ou engasgos do motor na hora de uma aceleração, significa que a bomba ou o filtro de combustível foram afetados, com a sujeira presente nesse combustível. Aí sim, se isso acontecer é preciso lavar o taque.

Mas lembre-se, procure ajuda profissional para tal, já que a peça deve ser removida, tarefa nada fácil.

Por Vivian Schetini

Tanque de combust?vel

Foto: Divulgação


Andar com o carro na reserva pode acarretar sérios problemas


Se você é um daqueles motoristas que só andam na reserva de combustível seja por distração ou por achar que assim pode beneficiar seu carro com a troca integral de combustível sempre, cuidado! Andar sempre na reserva pode ser um mau negócio.

Manter o tanque de combustível constantemente na reserva pode causar diversos e sérios problemas a literalmente deixar o condutor a pé, não pela falta de combustível, mas pelos problemas acarretados pela prática.

A quantidade de combustível que fica na reserva varia bastante de um carro para outro dependendo do modelo, fabricante e versão. Em geral é pouco, em torno de 1 a 5 litros. E engana-se quem pensa que é um tanque extra, essa quantidade é a mínima de litros considerada pelas montadoras para acender o aviso de pouco combustível e assim "solicitar" que o motorista abasteça.

Se o condutor ficar parado na via sem gasolina, além de acarretar prejuízos pelo estrago que isso pode gerar no veículo, ainda tem a multa de trânsito, que pode chegar a R$ 85,13, e mais quatro pontos na Carteira de Habilitação, independente da distância do posto mais próximo.

Outros danos que nem sempre pensamos quando deixamos isso acontecer estão associados à bomba de combustível que também sofre com a constante falta de combustível, já que o líquido do combustível é um meio de resfriamento. Se o tanque estiver vazio, a bomba não consegue líquido suficiente para resfriar o motor e evitar o superaquecimento.

Além disso, a baixa de combustível constante no tanque pode levar muitas impurezas para a bomba, a sujeira fica depositada no fundo do tanque, no momento de utilizar o combustível, a sujeira vem junto e pode seguir para o motor, e aí, nesse momento, o prejuízo pode ser enorme.

Portanto evite andar na reserva, uma vez ou outra tudo bem, mas constantemente pode ser um mau negócio.

Por Vivian Schetini

Tanque na reserva

Foto: Divulgação


Teto solar interfere no consumo de combustível dos veículos


Teto solaré uma opção que agrada bastante os amantes de carros e natureza, dirigir sentindo o vento, a brisa, ou sob a luz do luar parece romântico, mas esconde alguns gastos a mais. Claro que o charme pode valorizar o veículo, afinal é um charme conquistado por poucos, nem todos têm o opcional, e nem todos os modelos oferecem o teto solar como adicional.

E não estamos falando apenas no valor no ato da compra do veículo que pagamos pelo item fora de série, estamos falando de combustível. Isso mesmo o teto solar pode acarretar no aumento do consumo de combustível. Não existem cálculos exatos que comprovem o fato, que indiquem o peso exato no bolso, mas ninguém tem dúvidas que o conforto terá seu preço.

Mas podemos explicar o fato através da estabilidade do veículo. O teto solar diminui a performance do carro. Mesmo o veículo sem teto solar quando trafega de vidros abertos tende a ter um menor rendimento, o teto solar seria uma quinta janela com acesso do vendo e bloqueio de velocidade do veículo.

Com o teto aberto a massa que se acumula por cima da carroceria será sempre maior e, por isso acontece a diminuição da aerodinâmica do carro, assim o gasto com combustível aumenta proporcionalmente ao uso do teto solar.

De acordo com algumas pesquisas de consumo, a partir de 80 quilômetros por hora o carro tende a gastar menos combustível se estiver com a aerodinâmica em perfeito estado, para conseguir isso basta fechar todos os vidros, inclusive o teto solar, mesmo com o ar condicionado ligado o custo benefício pela aerodinâmica do carro vale a pena e economiza.

Mas às vezes vale a pena gastar um pouco mais e curtir os benefícios e sensações de um teto solar. Apenas não podemos esquecer de contabilizar isso quando analisarmos os preços de um carro com teto solar ou não.

Por Vivian Schetini

Teto solar

Foto: Divulgação


Montadoras que aumentarem a eficiência do etanol terão descontos no IPI


No último dia 20 uma novidade surgiu para as montadoras que envolve o IPI. Agora, de acordo com a lei de n° 12.996 publicada no Diário Oficial da União, as montadoras que conseguirem obter uma maior eficiência energética em relação ao uso do etanol em seus modelos de carros, desde que atinjam a média de relação de consumo entre o etanol hidratado e a gasolina superior a 75%, terão direito a um desconto de até dois pontos percentuais nas alíquotas estabelecidas no IPI – Imposto Sobre Produtos Industrializados.

De acordo com as informações divulgadas o principal objetivo da medida é fazer com que os carros flex sejam de certa forma, tratados com mais atenção a fim de que consigam obter uma maior quilometragem por litro do combustível.

O ministro do Desenvolvimento, Mário Borges, comentou sobre o assunto como sendo um bom incentivo para que seja desenvolvida uma eficiência energética maior e isso levando em consideração os gastos de engenharia tidos pelas empresas de etanol em comparação com as de gasolina. O mais interessante é o crédito de IPI tem a possibilidade de ser usado para o desenvolvimento de motores flex. Tudo, novamente, de olho na eficiência do etanol.

Outro detalhe interessante de ser observado é que com o etanol sendo melhorado, o governo de quebra, acaba estimulando o uso do combustível naqueles que têm carros com motores flex.

A lei publicada no Diário Oficial da União também regulamenta um item chamado de "sistema de rastreabilidade". O mesmo é necessário para seja possível medir a quantidade do chamado “conteúdo local”. Isso basicamente quer dizer aferir a quantidade de partes e também de peças que são usadas no processo de fabricação dos veículos. As empresas do setor de produção de automóveis poderão obter o desconto de IPI com base no conteúdo nacional declarado.

Borges destaca o fato de que as empresas têm atendido ao cumprimento da lei local e consequentemente abatimento no IPI por meio de processos chamados de auto-declaratórios. Com a lei em vigor ele destaca a criação de um sistema para a aferição de conteúdo local, o qual deverá incluir, dentre outros pontos, informação de notas ficais além de auditoria de uma terceira parte.

Por Denisson Soares

IPI reduzido para montadoras

Foto: Divulgação


Etanol x Gasolina – Pesquisa afirma que o Etanol pode ser mais vantajoso


De acordo com as informações da Ecofrotras, o álcool rende cerca de 80% do valor da gasolina e não apenas os 70% apontados pelo Inmetro.

Abastecer seu carro com etanol pode ser mais vantajoso do que se tem pensado. Nos últimos tempos, temos visto diversas variações de preços. O etanol e a gasolina competem em uma guerra pesada pelo abastecimento de carros flex no  Brasil. As variações e mudanças mais dos que constantes nos valores desses dois combustíveis fazem com que motoristas analisem com uma certa regularidade qual dos dois é mais compensador na hora de completar o tanque do automóvel.

Entretanto, os cálculos que temos seguido podem estar errados. Isso de acordo com uma pesquisa que foi divulgada recentemente pela empresa Ecofrotas, que é especialista na gestão de veículos.

De acordo com os dados levantados até o momento, os cálculos realizados ainda têm desvalorizado o etanol. A pesquisa feita pela empresa constatou que o combustível vegetal pode chegar a 80% de compensação se comparado com o preço da gasolina. Um detalhe curioso é que essa porcentagem é superior a que foi anunciada recentemente pelo Instituto de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). Segundo os dados do órgão, o cálculo foi baseado em um percentual de 70%.

Isso quer dizer que o consumidor que decidiu fazer uso apenas da gasolina na época em que os dois combustíveis estão com rendimento igual poderá haver um desperdício de dinheiro.

A pergunta que fica é como saber qual será mais vantajoso na hora de realizar o abastecimento. Isso é bem simples de se resolver: basta apenas que o consumidor faça a divisão entre o preço do etanol pelo da gasolina. De acordo com o informado pelo Inmetro, se o resultado obtido for inferior a 0,70 é bem mais compensador se usar o álcool. Baseando-se nisso, na hora de abastecer se essa conta der 80% ou 70% a menos, é bem recomendável que a gasolina seja deixada de lado.

Mas apesar de tudo, ainda há a questão sobre o veículo. De acordo com alguns especialistas  na área, a recomendação feita é de que o próprio condutor faça uma análise de seu próprio veículo para assim poder verificar qual combustível será mais vantajoso. Isso inclui fazer testes com ambos ou  com os diferentes veículos. De qualquer forma, na hora de abastecer, além de dinheiro no bolso, o condutor precisará mesmo é de uma calculadora.

Por Denisson Soares


Dicas de como economizar combustível


Além de ser péssimo para o meio ambiente o alto consumo dos combustíveis pode pegar muitos motoristas desprevenidos. O que muitos não sabem é que algumas técnicas podem ser aplicadas no dia a dia garantindo maior economia para os motoristas.

Em paradas acima de dois minutos, por exemplo, o aconselhável é que se desligue o motor ou invés de deixá-lo em marcha lenta. Com a tecnologia dos motores atuais, esta opção pode afetá-los e causar danos com o passar do tempo na parte mecânica do veículo além de outras avarias. A pressão do pneu também está relacionada ao desperdício do combustível, pois altera as características de dirigibilidade e ainda diminui a tração em casos de pista molhada. A pressão do pneu deve estar sempre ajustada adequadamente e também deve ser sempre inspecionada. Evitar acelerar ou frear constantemente também é uma boa tática e uma boa maneira de começar a praticar menos estas ações é manter a distância dos outros veículos em pistas com movimento. A aceleração do motor deve ser feita de forma moderada assim como uma mudança adequada de marcha, respeitando cada momento exato e indicado para a ação. 

Usar a buzina junto com o acelerador também é outro fator que colabora para um desgaste maior de combustível, assim como esticar as marchas e "repicar" o acelerador no momento de troca das marchas. É importante não utilizar o ponto morto em declives ou estar com a ignição desligada também garantem uma melhor economia de combustível que vai também contribuir com o meio ambiente.

Para os que trabalham como motoristas em geral podem ganhar destaque das empresas ao se preocuparem com esses detalhes relevantes quanto à economia de combustível.  

Estas ações também são importes para preservar a vida humana e a vida útil de cada veículo, desde que sejam adotados outros cuidados como manutenções periódicas e preventivas.

Por Luciana Ávila

Economizar combustível

Foto: Divulgação


Ranking dos carros mais econômicos de 2014


Foi divulgada uma lista pelo Inmetro que informa quais os carros mais econômicos e os mais beberrões de 2014. Na pesquisa foi avaliado o consumo de combustível de cada veículo. Ao todo foram avaliados 495 modelos com avaliações de 36 montadoras. Ressalte-se que, esse ranking é atualizado anualmente.  

Desta forma, os principais veículos que receberam as melhores notas no quesito economicidade quanto às avaliações feitas pelo Inmetro, alcançando, assim, o Selo de Eficiência Energética foram:

C3 (Origine, Tendance e Exclusive) e DS3 (THP Sport Chic), da Citroën;

Novo Uno (Vivace e Economy Evo), Palio (Fire Economy), Siena (EL) e Novo Uno (Way), da Fiat;

New Fiesta hatch (SE e Titanium) e Focus hatch (S e SE), da Ford;

Fit (CX e LX) e Civic (LXS), da Honda; HB20 (Comfort, Plus e Style), da Hyundai;

Cerato (EX3 MTNB, LX3 MTNB e SX3 MTNB), da Kia;

CT200h, da Lexus; March (10 e 10S), Versa (16, 16S, 16SV, 16SR e 16SL), Novo Sentra (20S, 20SV e 20SR) e Altima (25SV, 25SL, 25SE e Unique), da Nissan;

208 (Active, Active Pack e Allure), da Peugeot;

Clio (Authentique e Expression), Sandero (Authentique e Expression), Novo Logan (Authentique e Expression) e Fluence (Dynamique), da Renault;

Fortwo (71cv mhd coupé, 84cv turbo coupé e 84cv turbo cabrio), da Smart;

Forester (L e S), da Subaru;

Etios (X, XS, XLS e Cross), Prius, Etios Sedan (X, XS, XLS) e Corolla (Gli e XLi), da Toyota;

Fox (Bluemotion), UP! (take, move, high, black, White e red), Gol (Bluemotion Technology, 2 e 4 portas, City e Seleção), Polo (Bluemotion), Voyage  (Bluemotion Technology, 1,0, City e Seleção), Novo Golf (Highline e Highline DSG) e Saveiro (Cabine Simples, Estendida e Estendida Trooper), todos da Volkswagen.

Cabe lembrar que o teste submete os carros a testes realizados em laboratórios que vão das categorias A a E, e mais uma vez a Chevrolet ficou de fora, por opção, uma vez que a participação das montadoras é voluntária.

Por Luciana Viturino

Carros econômicos

Foto: Divulgação


Preços dos combustíveis – Previsão de alta até o final do ano


Andar de carro no Brasil está ficando cada vez mais caro. Somente nos primeiros seis meses desse ano o combustível já subiu 2,15% e ainda não parou. Segundo previsões do Banco Central o reajuste acumulado desse ano deve chegar a 5% até o final de dezembro, conforme o Relatório Trimestral da Inflação. Segundo Carlos Hamilton Araújo, diretor de Política Econômica do BC a gasolina é o produto que sofreu menor alta durante todo o ano de 2013.

Ainda segundo o diretor, a inflação é responsável pelo estreitamento entre os produtos com preços administrados, como é o caso da gasolina e de preços livres. Se analisarmos o panorama de uma maneira mais ampla, o preço do combustível subiu 45,7% entre 2001 e 2010 e passou de R$ 1,69 para R$ 2,46, segundo dados da ANP. Atualmente o valor médio do combustível é de R$ 2,83 num total de 67,4% desde 2001.

Se parece que a situação está ruim, é porquê está. Na verdade, o preço poderia estar ainda mais caro, mas o governo brasileiro teme que um aumento brusco do preço do combustível possa vir a desencadear um efeito dominó sobre a inflação. Para contornar esse problema, a gasolina no Brasil é subsidiada. A Petrobras importa parte do combustível ao preço de R$ 1,73 o litro e vende para as distribuidoras por R$ 1,34, por determinação do governo. Dessa forma o governo consegue um preço menor no combustível e controla a inflação, mas quem arca com o prejuízo é a Petrobras que fica sem ter como investir em novas plataformas e refinadoras.

Por Ebenézer Carvalho


Dicas para diminuir o consumo de combustível do carro


Economia de combustívelHábitos simples ajudam a diminuir o consumo de combustível do seu carro. Conheça-as e pratique:

1) Troque as marchas no tempo certo, mantendo o giro do motor sempre o mais baixo possível. No trânsito comum do dia a dia, o hábito de esticar as marchas não colabora nem um pouco para melhorar o consumo de combustível.

2) Mantenha a manutenção do carro em dia e cheque periodicamente os filtros de ar, óleo, combustível e velas. Componentes desgastados não deixam o motor operar com eficiência máxima.

3) Modere o uso do ar condicionado, que é operado pelo motor do carro.

4) Não aqueça o motor com o carro parado. Esse hábito antigo apenas gasta combustível e aumenta o desgaste das peças.

5) Diminua a carga no porta-malas. Muito peso no porta-malas faz com que o consumo aumente, principalmente se o hábito for diário.

6) Confira se os pneus estão calibrados. Pneus vazios fazem o motor se esforçar muito mais.

7) Mantenha o alinhamento e o balanceamento em dia. O desempenho do carro aumenta quando não há trepidações.

8) Não acelere com o carro parado. Além de ser desrespeitoso e não adiantar nada, o carro passa a beber mais combustível.

9) Evite acelerar bruscamente. Saia de forma moderada com o carro e troque marchas de forma sutil.

10) Mantenha uma velocidade constante, sempre que possível, claro. Acelerar, frear e parar exigem mais do motor do carro, o que aumenta o consumo de combustível.

Por Jorge Souza


Dicas de Como Economizar Combustível


Todos sabem que os preços do álcool e da gasolina estão nas alturas. Andar de carro ou motocicletas pesa no orçamento ao final do mês.

Para economizar, muitos motoristas vêm utilizando várias técnicas. Uns tentam misturar o combustível no tanque, andar em certos limites de velocidade, trocar o tipo de combustível do veículo. Todos estão procurando uma maneira de poupar dinheiro com o carro.

Existem alguns macetes que podem ajudar na poupança com o gasto de combustível. São maneiras de conduzir e lidar com o veículo que podem render uma boa economia.

Primeiro lembre-se de sempre trocar as marchas em uma rotação ideal, não force demais o motor do carro, tentando sempre evitar arrancadas bruscas. Conduza sempre o carro em uma velocidade limite e não se esqueça de calibrar bem os pneus.

Outras boas dicas são em relação à manutenção do carro. Sempre revise e verifique os filtros de ar e dê sempre preferência ao uso de gasolina aditivada.

Fazendo desta maneira, com certeza sobrará um pouco mais de dinheiro ao final do mês.

Por Rodolpho Medeiros


ANP divulga preços de combustíveis pelo celular


A aquisição de um carro flex propicia ao cidadão basicamente três possibilidades: abastecer o automóvel somente com etanol, apenas com gasolina ou com ambos os combustíveis. Portanto, esses consumidores sempre têm de estar atentos aos preços praticados nos postos. Para saber qual dos dois tipos é o mais rentável, basta dividir o valor do álcool pelo da gasolina. Se a margem (na calculadora, mesmo) for inferior a 0,70, o etanol é o mais vantajoso.

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) apresenta toda semana a média de preços por todo o país e informa à população em quais estados o etanol é mais rentável. Atualmente, são poucas as unidades federativas com essa disposição, algo que deve arrefecer ainda mais até o mês que vem, quando, em março, haverá início da safra da cana-de-açúcar, matéria-prima base do álcool combustível.

Desde 14 deste mês, a ANP dispõe aos brasileiros informações, via celular, sobre os preços do etanol, gasolina, gás natural veicular (GNV), gás de botijão (GLP) e óleo diesel. A agência não é responsável pelos preços. O que ela realiza, na verdade, são as pesquisas para posicionar os motoristas.

Para acessar os dados em seu aparelho móvel, basta digitar www.anp.gov.br/npreco no navegador.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: ANP


IPCA – Aumento no preço dos combustíveis em novembro


Dados divulgados sobre os preços de combustíveis no mês de novembro, mostram que o álcool subiu 2,97% em média, em todo o país, enquanto que a alta da gasolina foi de 0,81%. As notícias vem diretamente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, que também se responsabiliza pelas informações contidas no Índice de Preços ao Consumidor Amplo, o IPCA.

O índice do álcool é baixo, se comparado ao do mês de outubro, quando a alta foi de 7,41%. Mas em Salvador, a história é diferente. Na capital baiana, o aumento registrado no preço do álcool foi de 9,91% e no preço da gasolina foi de 5,86%, também muito acima da média nacional.

No acumulado do ano, a alta do álcool é de 0,64%, e a da gasolina é de 1,42%, índices abaixo da inflação acumulada de 5,25%. Os preços do gás natural e do diesel se mantiveram praticamente estáveis, com índices de aumento de 0,05% e 0,21%, respectivamente.

Por André Gonçalves

Fonte: Auto Esporte


Abastecer com Etanol é mais barato em oito estados


Nos estados do Ceará, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Pernambuco, São Paulo e Tocantins, a desvantagem do etanol proporcionar uma autonomia 30% menor do que a gasolina é compensada por um custo mais que 30% menor do que o custo da gasolina. A um preço médio de R$ 2,461 por litro, a gasolina, nos oito estados mencionados, não é competitiva com o etanol até que este apresente um custo de R$ 1,7227 por litro.

Sendo o poder calorífico do etanol nos motores movidos com esse combustível 70% do poder calorífico da gasolina, é necessário que o preço do etanol seja no mínimo 30% menor do que o preço da gasolina para que o etanol seja competitivo com a gasolina. Em São Paulo, o custo do etanol é em média de R$ 1,597 por litro, 35,1% mais barato do que a gasolina. Vantagem para quem tem carro movido a álcool ou com motor flex.

Por  Gerson de Morais