Ferrari perde lugar de marca mais poderosa do mundo


Quando falamos em Ferrari, uma das primeiras informações que vem a nossa cabeça é a luxuosidade e os milhões de cifras que a marca fatura por ano. Mas essa relação está perdendo sentido, já que a Ferrari não figura mais como a marca mais poderosa do mundo.

De acordo com uma pesquisa realizada pela consultoria Brand Finance, quem agora toma o primeiro lugar da lista é a Lego, empresa dinamarquesa de brinquedos. Por incrível que pareça, mesmo com tanta tecnologia, a marca teve altos faturamentos em 2014, e desbancou a poderosa montadora italiana de veículos.

Segundo a consultoria, um dos fatores de sucesso da Lego foi seu primeiro longa-metragem, lançado no ano passado, que foi um estouro de público e de crítica. Outro fator associado é que os pais, de acordo com a Brand Finance, estão buscando cada vez mais remontar as suas raízes, com brinquedos básicos que auxiliam e estimulam a criança a criarem seu próprio mundo, os chamados ‘back-to-basics’.

Quanto à Ferrari, a marca ainda se mantém como poderosa e muito forte, porém despencou, em apenas um ano, da primeira para a décima posição no ranking da Brand Finance. São diversos fatores que levam a essa queda brusca, entre eles está o fato de a marca, com sua escuderia de Fórmula 1, não ganhar um título há muito tempo e também por não ter ganho uma única corrida no ano passado.

Um outro fator também muito importante está relacionado ao mau desempenho da Ferrari na pesquisa: a questão da exclusividade. Uma estratégia que talvez tenha sido mau planejada é a culpada, pois o antigo presidente da montadora italiana, Luca di Montezemolo, tinha decidido reduzir a produção anual de carros para apenas sete mil unidades, para que a marca mantivesse seu sinônimo de exclusividade.

Já o novo presidente da Ferrari, o CEO Sergio Marcchione, está indo na contramão dessa estratégia, e tenta elevar a receita da marca através do aumento na produção dos veículos.

Por Felipe Villares