A Lifan Motors está lançando no mercado brasileiro seu mais novo sedan compacto, o Lifan 530. Importado da China, o modelo tem a difícil missão de brigar no segmento entre os sedans na faixa acima dos R$ 40 mil, como o Chevrolet Cobalt, Toyota Etios Sedan, Nissan Versa, entre outros. Oferecido em duas configurações e com uma boa lista de equipamentos, o Lifan 530 chega ao Brasil com preços a partir dos R$ 38.990.

Deixando de oferecer por aqui o hatchback 320, que tinha um visual muito inspirado no MINI Cooper, e o sedan médio 620, que não agradou tanto o gosto dos brasileiros, o novo Lifan 530 tem um belo visual sem ser exagerado. A dianteira do sedan chinês chama atenção pelo belo desenho dos faróis, ampla grade dianteira, generosa entrada de ar inferior e faróis de neblina em formato de “L”. A lateral tem vincos marcantes, repetidores de seta em LED integrado nos retrovisores externos e rodas de liga leve de 15 polegadas, enquanto que a traseira tem um visual harmônico com todo o resto do carro.

Disponível em duas versões, a configuração de entrada (R$ 38.990) vem equipada, entre outros equipamentos, com freios a disco nas quatro rodas com sistema ABS e EBD, sendo um diferencial para o segmento, duplo airbag, direção com assistência elétrica, ar-condicionado, travas, vidros e retrovisores com acionamento elétrico, regulagem de altura do volante, banco do motorista com ajuste de altura, sensor de estacionamento, computador de bordo, sistema de partida Safe On e sistema de som com leitor de CD, entrada auxiliar e USB e rádio AM/FM.

A versão Talent do Lifan 530 (R$ 40.990) traz todos os itens citados no modelo de entrada, acrescido de câmera de segurança para manobras em marcha ré e sistema multimídia NavTech com tela touchscreen de 7 polegadas, que abrange diversas funções, como o sistema de navegação via satélite (GPS) e conexão Bluetooth. Além disso, por um acréscimo de R$ 1.500 no preço final, é possível adquirir o pacote Hyper Pack, que adiciona ao carro luzes diurnas de posição em LED e revestimento dos bancos em couro.

Para completar, a Lifan afirma que o 530 possui carroceria composta por aproximadamente 42% com chapa de aço de alta resistência, assoalho traseiro totalmente plano, ampliando o espaço para os ocupantes traseiros, bancos traseiros reclináveis e bipartidos, além do porta-malas com 475 litros de capacidade.

Mecanicamente, o novo Lifan 530 vem equipado com motor quatro cilindros 1.5 16V VVT (comando variável de válvulas) a gasolina, capaz de entregar 103 cv e torque de 13,6 kgfm. Trabalhando em conjunto com o bloco está um câmbio manual de cinco marchas. De acordo com a marcha chinesa, além de o sedan ter uma boa relação peso/potência de 11,03 kg/cv, a vibração do motor foi minimizada devido à utilização de um coxim hidráulico, refletindo em um maior conforto para os ocupantes do carro.

Com expectativa de vender 4.000 unidades no ano de 2015 e 300 unidades mensais até o fim deste ano, o Lifan 530 já está disponível, em cinco cores, nas 49 concessionárias da fabricante chinesa já instalada no Brasil. Vale lembrar que a marca tem o objetivo de atingir 80 lojas no país, sem uma data específica para alcançar essa meta, sendo que 13 já estão em construção. 

Por Caio Polo

Lifan 530

Lifan 530

Lifan 530

Fotos: Divulgação

aaa

Se tem uma coisa, boa por sinal, e que não dá para passar despercebido são os atuais modelos de compactos que estão surgindo no mercado. Nesse grupo também estão inclusos as versões nacionais dos veículos. Nos últimos tempos esse setor teve certa agitação, sendo que chegou a entrar na categoria de modelos mais vendidos do país. Esse fato acabou fazendo com que fosse evoluindo a maneira de como as montadoras estavam lidando com suas versões de compactos.

A ótima recepção por parte do mercado consumidor provocou mudanças significativas e muito interessantes. Atualmente é possível, sem problema algum, encontrar algum compacto que traga uma tecnologia de ponta, ESP, câmbio de dupla embreagem e etc. A expectativa do setor é de que logo já esteja sendo colocada à venda modelos com o sistema Start-Stop. Vale lembrar que recursos desse tipo geralmente só se faziam presentes em carros de luxo.

Entretanto tudo tem um “porém” para colocar limite nas coisas. A questão é simples: essas novidades que estão aparecendo querendo ou não ainda continuam muito restritas àquelas versões que são as mais caras desses modelos. E tem mais, geralmente aparecem no pacote como itens opcionais. Consequentemente, isso acaba fazendo desses carros modelos que se aproximam de uma categoria mediana sendo bem melhor construídos e equipados.

Mesmo assim deve se considerar como boa notícia. O fato de isso estar acontecendo mostra que a concorrência entre as marcas, que está cada vez mais acirrada, está começando a se refletir em veículos mais modernos, seguros e eficientes. E claro, com o passar do tempo também mais baratos.

Anteriormente falamos sobre o sistema Start-Stop. Pois bem, para quem não conhece muito a respeito do mesmo ele funciona da seguinte maneira: o cidadão para o carro por tempo demais e ele desliga o motor como, por exemplo, em um congestionamento. Quando o motorista retira o pé do freio do carro o motor liga novamente. De quebra  o carro economiza combustível.

De acordo com o que anda circulando em sites especializados tem gente falando que o primeiro modelo a oferecer este recurso será o novo Uno 2015.

Por Denisson Soares

Carros compactos nacionais

Foto: Divulgação

aaa

A exposição de megacarros, como é conhecida o Salão de Genebra, se rendeu aos carros menores. Isso porque a Europa ainda se recupera da crise financeira da década passada. 13 carros pequenos roubaram a cena no evento suíço.

Um dos que chamaram mais atenção foi o C4 Cactus, da Citroen. Com apenas 3,46 metros de comprimento, 1,62 m de largura e 1,45 m de altura, o C1 pesa 840 quilos e terá versões duas e quatro portas.

O Fiat 500 também estava exposto no evento. É pequeno, mas ligeiro. O Abarth 695 Biposto é a versão mais potente da história da linha Cinquecento. São 190 cv arrancados do conhecido motor 1.4 turbo e apenas 997 kg.

O Hyundai i10 é outra opção de economia e de carro menor. Ele não era estreante em Genebra, mas teve posição de destaque da montadora coreana. São 3,67 metros de comprimento, 1,66 m de largura, 1,50 m de altura e porta-malas de 252 litros. O automóvel custa 8.990 euros na Europa.

Com inspiração do Fiat 500, o Lancia Ypsilon também teve seu destaque. O modelo tradicional custa a partir de 13.100 euros. Já o carro Opel Adam foi lançado no Salão de Paris em 2012, mas ganhou uma nova versão para Genebra. São 3,69 m de comprimento e 2,31 m de entre-eixos. Na parte mecânica, o carro conta com um novo motor 1.0 turbo de três cilindros, 90 cavalos (ou 115 cv) e 17 kgfm de torque.

Compartilhando a mesma plataforma do novo Citroen C1, o Peugeot 108 também teve seu espaço como carro pequeno. O veículo tem 3,47 metros de comprimento e pesa cerca de 840 quilos. Suas vendas começam após o salão, por aproximadamente 10.300 euros.

No estande da Renault, destaque para a nova geração do Twingo. São exatos 3,50 metros de comprimento e duas opções de motor: 1.0 com três cilindros, 71 cv e 9,3 kgfm de torque; e 0.9 turbo, também de três cilindros, 91 cv e 13,8 kgfm de torque.

A Suzuki também apresentou um “pequenino”. O subcompacto tailandês, chamado Celerio, será importado da Tailândia à Europa e tem 3,50 metros de comprimento. De acordo com a marca, as vendas começam até o final do ano. Ainda tem a marca indiana Tata Motors, a mesma dona do Jaguar Land Rover, que exibiu em Genebra o Bolt, que possui 3,82 metros de comprimento.

Em Genebra, a Toyota também exibiu seu modelo compacto. O Aygo, de 3,45 metros de comprimento. Suas vendas estão planejadas para começarem logo após o final do evento suíço.

Por Carolina Miranda

Foto: divulgação

aaa

A Volkswagen do Brasil está iniciando uma nova era e o representante deste novo período da empresa é o Up!. O modelo, que faz parte da linha 2015 da marca, já pode ser considerado um dos mais inovadores do seu segmento, levando em consideração apenas o mercado brasileiro. O Up! vem em seis versões diferentes: Take Up!, Move Up!, High Up!, Black Up!, Red Up! e White Up!.

O design do carro tem a assinatura de um brasileiro e pode ser descrito como jovial. O motor, fator preponderante para muitos compradores, é 1.0l de 3 cilindros e total flex. Chega à potência de 75 cv a 6.250 rpm se for abastecido com gasolina e a 82 cv quando enchemos o tanque com etanol. O motor 1.0l é equipado com o sistema “e-flex”, que dispensa o tanque auxiliar na hora da partida. É o primeiro motor do Brasil que, nesta faixa de cilindrada, possui esse sistema.

Outro benefício do Up! é a economia. A combinação do motor com a transmissão MQ200 permite que o motor trabalhe em rotações mais baixas, consumindo menos combustível e emitindo menos gases poluentes. O sistema de direção é eletromecânica “easy drive”, inovação que só usa a energia quando é necessário, como em manobras e curvas. Mais um item que garante a economia. O carro também é considerado muito seguro e é bastante leve (910 kg) e compacto (3,60m de comprimento).

A tecnologia nos itens de série está presente em todas as versões. Os freios ABS e o air bag duplo, que agora são obrigatórios, já vem de fábrica. Há ainda lavador e desembaraçador traseiro, regulagem de altura no banco do motorista, cintos laterais retráteis para os passageiros do banco de trás e a palhetas mais silenciosas e duráveis.

Os modelos do Up! comercializados no Brasil têm três anos de garantia e o tanque de combustível foi ampliado para 50 litros, 15 a mais que o modelo europeu. O porta-malas tem 285 litros de capacidade e é um dos maiores da categoria.

Por Nathália Sartorato

Volks UP!

Foto: Divulgação

aaa



CONTINUE NAVEGANDO: