Carro Elétrico – Vantagens e Desvantagens


Descubra aqui as vantagens e desvantagens do Carro Elétrico.

Seria ótimo se houvesse uma oportunidade de ter uma alternativa mais limpa, eficiente e econômica aos combustíveis de automóveis, não é mesmo? É isso que prometem os carros elétricos: economia por meio de recarga em vez de reabastecimento, capacidade superior e respeito ao meio ambiente e à qualidade do ar.

Será, no entanto, que há apenas pontos positivos no que se trata de usar os carros elétricos no trânsito do dia a dia? No texto de hoje, vamos listar quais são os principais prós e contras dessa nova possibilidade. Continue acompanhando para saber quais são e, a partir disso, formar as suas próprias conclusões!

Carros elétricos não poluem

É indiscutível que, por não usarem motores a combustão, carros elétricos não andam por aí soltando fumaças (que atingem o meio ambiente e, muitas vezes, pedestres que estão próximos). Isso faz com que a mudança para esse tipo de veículo pareça uma ideia favorável.

É preciso pensar, no entanto, sobre a questão da produção de energia elétrica. Para que os carros elétricos possam se posicionar, de fato, como uma alternativa mais limpa em comparação com a tradicional, isso deve começar pela força motriz que o move. Com o tempo, as pesquisar em relação a isso tendem a evoluir, mas o cenário já é bem promissor.

É uma opção economicamente melhor

O preço da eletricidade nas grandes cidades é relativamente baixo do que os combustíveis, o que leva a um custo por quilômetro menor quando comparamos os carros elétricos com os que possuem motor à combustão.

Essa diferença chega a ser três vezes mais favorável para os carros elétricos, o que ocasiona uma diferença considerável no custo por quilômetro rodado. Esse é um dos principais argumentos que favorece a nova tecnologia do mercado de automóveis.

A manutenção é muito mais simples

O motor elétrico possui um número bem menor de peças do que o que vemos nos veículos comuns dos tempos recentes. Há apenas uma peça móvel, que não gera preocupações com correias, troca de óleo ou água.

Além disso, o motor que é visto nos carros elétricos também afasta outro “fantasma” muito conhecido dos motoristas: o superaquecimento. O motor elétrico não ferve, o que serve favoravelmente ao argumento de que o carro elétrico proporciona mais tranquilidade.

Tempo de recarga

Para abastecer um carro nos tempos atuais, o processo não leva mais do que alguns minutos. Basta ir até um posto de combustível, dizer qual é o tipo dele e a quantidade solicitada para um profissional do estabelecimento, pagar o valor necessário e pronto! Não é bem assim com os carros elétricos…

As baterias dos carros elétricos levam horas para que aconteça a recarga total, o que demanda um planejamento com mais antecedência e dificulta o cenário em caso de eventualidades ou emergências. Ainda não há uma conclusão precisa sobre qual seria o melhor tipo de material para diminuir esse tempo, mas existe um interesse da indústria sobre o grafeno, pois ele contribui para armazenar mais energia e recarregar mais rapidamente.

Comprar um carro elétrico não está ao alcance de todos

Embora o custo para fazer o automóvel funcionar seja mais baixo em relação à realidade dos motores a combustão, há um problema que desfavorece o argumento da economia: comprar o veículo. Baterias usadas nos carros elétricos ainda possuem custos muito elevados, o que eleva os custos que o cliente final terá.

Essa realidade torna necessário o oferecimento de condições que sejam mais atrativas para que as pessoas pensem em comprar carros elétricos, como bônus e isenções específicas para essa categoria de veículo automotivo.

O nível de autonomia dos carros elétricos ainda é baixo

Esse é um problema que está melhorando aos poucos, a cada novo modelo de carro elétrico lançado. A autonomia prometida está na faixa de 300km em condições ideais, o que não corresponde precisamente ao que é visto nos centros urbanos e nas rodovias.

A situação é ainda mais complicada para os carros elétricos quando pensamos em longas viagens, como as interestaduais. Se a autonomia não for maior, é preciso ter a certeza de que haverá um ponto de recarga no caminho, senão o risco de ficar parado no caminho é grande.

Depois de ver os pontos positivos e negativos dos carros elétricos, o que você acha? Eles são, de fato, o futuro da mobilidade urbana? Deixe o seu comentário abaixo e compartilhe conosco as suas percepções após a leitura das informações acima!

Ricardo de Almeida Ramos


Montadora alemã lança carro elétrico ideal para estacionar


Na sociedade em que vivemos estamos fadados a realizar várias atividades ao mesmo tempo, e para aqueles que dependem do transporte público isso se torna uma verdadeira batalha.

Para muitos, a solução mais aceitável é justamente conseguir adquirir um veículo e, com isso, não ter que depender de problemas como transporte lotado, aquecimento, desconforto e atrasos. Pelo contrário, quando compramos um veículo podemos desfrutar de bancos confortáveis, ar condicionado, rádio e demais acessórios que transformam a nossa viagem para qualquer lugar de uma forma um pouco mais prazerosa, sem acrescentar os problemas do trânsito congestionado, principalmente nas grandes cidades.

Agora que foi resolvido o seu problema, no sentido de adquirir um carro, ocorre outra questão: onde estacionar com essa quantidade de carros?

Existe um carro fabricado pela Innovative Mobility Automobile GmbH que consegue resolver esse problema do espaço para estacionar e, com isso, acabar as suas preocupações nesse sentido. 

O Colibri é o nome dessa solução e está disponível por enquanto na Alemanha para test-drives e pré-vendas ainda no ano de 2015, mas a sua produção em série somente vai surgir com força total exatamente no ano de 2016, tanto que 1.200 pessoas já fizeram a sua encomenda para adquirir esse veículo.

Foto: divulgação

Um ponto interessante dessa situação é que especula-se que mais 5 mil carros serão vendidos através das mais de 150 revendedoras que querem o comercializar ao redor do mundo.

O que faz esse carro com o nome de pássaro se tornar tão interessante?

Esse pequeno notável, com apenas 440 quilos distribuídos por 2,7 metros de comprimento, 1,2 metros de largura e 1,3 metros de largura veio para ficar, pois, além dessas características, estamos de frente para um carro que ainda consegue ser ágil e veloz.

Para esses fatos, podemos destacar que o seu motor elétrico de 50 kw conseguem produzir 67 cv, fora que a tração traseira possui um aceleração de 0 a 100 km/h em apenas 9,9 segundos, além de um sistema de transmissão de velocidade única e ainda consegue atingir uma velocidade máxima de 120 km por hora.

Foto: divulgação

Você deve pensar, mas quanto vai custar esse veículo?

Esse veículo tem um preço de 10.990 euros e um aluguel de R$ 125,00 por mês com relação à bateria.

Por Fernanda de Godoi


Brasil quer incentivar produção de elétricos e híbridos


Os veículos apelidados de “verdes” no mercado atual pagam mais impostos que os carros convencionais. Entretanto, com o fim do período de carnaval já são esperadas taxas com descontos. Confira os detalhes:

Com o objetivo de ficarem mais baratos e populares, os carros que apresentam uma baixa ou uma emissão nula deverão ganhar incentivos. A redução dos preços em questão será voltada para os modelos que sejam híbridos ou elétricos.

A novidade já estava prevista, mas deverá começar com uma certa força no período pós carnaval. Ao menos essa foi a ideia expressa pelo presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

O assunto parece estar caminhando com passos firmes até porque foi um dos assuntos mais discutidos na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, sessão que foi requerida pela senadora Ana Amélia, que é partidária do PP – RS e foi realizada na terça dia 25.

Entre os diversos detalhes positivos que envolvem o tema Moan antecipou que eles vão do incentivo para a produção de carros verdes em terras nacionais quanto para a importação desses veículos. Outro detalhe importante, é que para beneficiar e de certa forma chamar a atenção para a ação será criada uma espécie de complementação ao programa Inovar-Auto uma vez que a categoria em questão será a responsável por gerar menos poluição.

Segundo o presidente da Anfavea, o plano proposto pela Associação ao governo tem seus fundamentos em três etapas: a primeira delas tratará de propor a redução do Imposto sobre os Produtos Industrializados – o famoso IPI – que no momento atual do mercado tem um percentual de 25% para modelos de veículos híbridos e elétricos. A título de curiosidade isso é quase que o dobro da tributação cobrada em relação aos veículos movidos com motor a combustão no mercado brasileiro.

A ideia toda é boa, mas vai ser demorada. Para se ter uma noção disso o segundo passo do projeto deverá levar algo em torno de três anos período em que está prevista a nacionalização dos componentes para os veículos verdes.

Por fim, a última etapa que terá uma fase de dois anos prevê a fabricação de carros alternativos no Brasil.

O projeto em si já está adiantado e depende basicamente do apoio a ser dispensado pelo governo.No mais a previsão é de que o primeiro carro verde que tem boas chances de estrear por aqui já nacionalizado será o Toyota Prius. Sem os “detalhes” do IPI o preço do híbrido poderia em tese baixar dos R$ 120 mil atuais para menos de R$ 100 mil. É esperar para ver.

Por Denisson Soares

Foto: divulgação


Nissan BladeGlider – Novo Carro Elétrico inspirado em Veículos de Corrida


A Nissan, fabricante multinacional japonesa de automóveis, esteve revelando a partir desta última sexta-feira (8) as primeiras imagens do carro-conceito BladeGlider. O veículo será apresentado no Salão de Tóquio, a partir do dia 23 de novembro.

De acordo com o comunicado da fabricante em 2010, o veículo tanto é uma proposta de desenvolvimento para futuros projetos de novos automóveis elétricos, como também um protótipo de produção.

O modelo BladeGlider tem a forma de triângulo, com frente estreita, com as rodas bem mais unidas, traseira mais larga e formato adaptado para diminuir o arrasto e melhorar a estabilidade. O veículo ainda possui portas que se abrem totalmente para cima e a carroceria é feita de fibra de carbono.

Este modelo comporta até 3 pessoas, neste caso, o motorista fica sozinho na frente, em posicionamento central, se sentindo como uma peça única do carro. Para uma melhor facilidade na entrada dos passageiros, o banco do condutor desliza-se para fora quando a porta é aberta. O objetivo deste design foi revolucionar a arquitetura do automóvel para proporcionar novas emoções, além de agregar valor e se tornar claro para os consumidores sustentáveis, pois seu sistema é o único de emissão zero (de poluentes), podendo redefinir seus conceitos básicos de um carro.

A Nissan ainda ressalta que o conceito ainda partilha diversos outros recursos de sustentabilidade com os modelos Leaf e ZEOD RC, carro de emissão de poluentes zero para corrida, no qual será apresentado ainda nas 24 Horas de Le Mans, no ano que vem. Os motores estão nas rodas e são controlados de forma independente. Com este design totalmente arrojado e emprestando os principais elementos de veículos de corrida, a montadora diz que ainda pretende levar aos carros modelos de produção outras sensações novas que só se têm na pista.

O consumidor poderá acompanhar todos estes e outros detalhes a cerca do carro no site www.nissan.com.br.

Por Daniela Almeida da Silva


Carros verdes – Diminuição da poluição no meio ambiente


A previsão inicial é que os carros verdes consigam reduzir 80% da poluição nos Estados Unidos nos próximos 40 anos.

O custo de um carro ecológico ainda é alto, mas ao longo dos anos o investimento compensa. Os automóveis ecologicamente corretos e que usam combustíveis alternativos pode ser a grande solução para a poluição. A redução de 80% se refere ao uso diário dos carros verdes.

Nos Estados Unidos, os pequenos caminhões e os carros particulares são os responsáveis por 17% das emissões de gases poluentes que agravam o efeito estufa, com os carros verdes essa contaminação pode reduzir cerca de 10%.

A pesquisa foi realizada pelo Conselho Nacional de Pesquisa dos Estados Unidos e provou que o benefício dos carros ecologicamente corretos é substancial.

Atualmente, o que desestimula os consumidores a escolherem um carro sustentável é o preço, mas deve-se levar em consideração que um carro desses economiza combustível e ainda contribui para o meio ambiente.

Não existe uma única solução para reduzir a poluição dos carros, mas sabe-se que os combustíveis mais corretos são o biodiesel e o etanol.

Por Jéssica Posenato


Carros Ecológicos – Informações


Adquirir um automóvel facilita a vida de todos, porém os carros convencionais, movidos à gasolina, etanol e diesel prejudica a saúde do ser humano, como também prejudica o meio ambiente e. pensando nisso, a indústria automobilística está se aprofundando nas pesquisas para desenvolver carros ecológicos.

A indústria automobilística está se empenhando para produzir o automóvel híbrido, cujo carro é movido tanto pela eletricidade, quanto pelo petróleo. Mas no Japão, desenvolveram os automóveis movidos somente pela eletricidade e já estão se tornando bem populares entre os japoneses.

Um carro solar, conhecido mundialmente como Nuna II, foi construído por estudantes de uma universidade holandesa e venceu um evento chamado Desafio Solar Mundial (World solar Challenge), na Austrália. o carro percorreu 3.000 km pela Austrália em uma velocidade de 97 km/h.

Uma montadora na China desenvolveu um carro chamado YeZ, que em mandarim significa “folha”, pois é baseada na fotossíntese dos vegetais. Esse carro absorve CO2 da atmosfera liberando o oxigênio. Ele é movido de energia vinda pela luz do sol no teto e de energia eólica, realimentada nas rodas através de algumas pás, mas ainda está em fase de teste.

Conheça um pouco mais sobre carros elétricos:

http://exame.abril.com.br/topicos/carros-eletricos

http://www.abve.org.br/

Vídeo do Nuna II:

http://www.youtube.com/watch?v=YLfBuqzfGqK

Vídeo do automóvel YEZ:

http://www.youtube.com/watch?v=pObxCXhf9-E

Por Mariana da Silva


Opel Corsa ecológico – Novo modelo com motor CDTI ecoFLEX será lançado em 2013


O mercado de veículos ecológicos e que se preocupam com a proteção ao meio ambiente estão cada vez em alta no setor automotivo. Pensando nesta demanda cada vez maior, a Opel lançou um novo Corsa com componentes bem mais amigáveis ao meio ambiente.

Este novo carro conta na sua parte mecânica com um motor do tipo CDTI ecoFLEX com 1.3 litros que consegue alcançar uma velocidade de até 95 cavalos de potência, uma emissão de gás carbônico no ambiente de 88 gramas por quilômetro e com consumo médio de 30 quilômetros rodados para cada litro de combustível – que pode ser gasolina ou óleo diesel – utilizado.

Além da maior economia, o Corsa ecológico consegue atingir um torque de 19,3 kgfm e faz uma velocidade de até 177 km/h em um câmbio manual com até cinco marchas. Além disso, esse modelo vem com conforto no seu espaço interno e itens interessantes como novo painel de instrumentos, sistema de entretenimento e porta-objetos distribuídos no veículo.

Por isso, se você deseja obter um veículo com preços mais acessíveis que consegue ao mesmo tempo oferecer economia de combustível e proteção ao meio ambiente, no início de 2013 o novo Opel Corsa será mais uma boa opção de compra.

Por Ana Camila Neves Morais


Jaguar XJ – Novo Modelo, Lançamento


Em breve será lançada oficialmente no mercado de autos, a nova aposta da Jaguar, o XJ. O novo modelo foi recentemente apresentado no Low Carbon Vehicle Event, exposição focada nos automóveis com pouca emissão de carbono no ambiente.

O veículo em questão tem como características primordiais a economia e a sustentabilidade. Para tanto, foi criado sobre a mesma plataforma do sedã híbrido que a montadora inglesa já comercializa.

Em relação às especificações mecânicas, o novo Jaguar XJ possui um sistema composto por um propulsor elétrico com bateria de lítio e  um motor turbo comprimido 2.0 movido a gasolina.

O conjunto de motorização entrega 334 cavalos de potência, atinge a velocidade limite de 250 km/h e consome 31,3 km/l. Vale destacar que a autonomia da bateria do carro é de aproximadamente 1000 km.

Na parte interna, o lançamento da Jaguar valoriza a elegância, conforto e sofisticação, atributos bastante típica da marca, que também é conhecida por fabricar carros de luxo.

Dentre os principais atrativos do modelo estão: bancos com revestimento em couro, completo sistema multimídia, tela sensível ao toque, computador de bordo, ar condicionado e muito mais. A data exata de estreia nas lojas e o preço de venda não foram divulgados.

Por Larissa Mendes de Oliveira


Volkswagen Voyage e Gol – Carros Sustentáveis


Cada vez mais o mercado de autos dialoga com a sustentabilidade, se configurando como uma das estratégias mais recorrentes entre as montadoras. A Volkswagen não se abstém desse contexto e surpreendentemente decidiu investir na utilização de garrafas plásticas nos painéis e revestimento dos bancos do Voyage e Gol reestilizados.

As garrafas PET recicladas serão aproveitadas ainda na confecção de tapetes, carpetes e revestimento do porta-malas e assoalho dos veículos. De acordo com a fabricante, a nova tecnologia permitirá que aproximadamente 52 garrafas de 1,5 litro sejam aproveitadas em cada modelo.

Trata-se de uma grande inovação ecológica e tecnológica para a marca, que contou em nota oficial, como todo o processo é realizado.

Segundo a Volkswagen, a produção dos tecidos se inicia com a separação dos plásticos por cor, uma vez que isso interfere diretamente no final do material. Feito isso, todas as partes são higienizadas e trituradas em grãos, que em seguida serão transformados em fios.

A partir desta etapa, a linha de produção segue um processo igual ao utilizado na fabricação de tecidos comuns. A Novidade possui a mesma eficiência e durabilidade dos tecidos convencionais, porém sua  composição é de cerca de 60% de fio reciclado.

Por Larissa Mendes de Oliveira


Purdue Celeritas: carro movido a energia solar


A indústria automobilística está, cada vez mais, investindo na produção de carros ecológicos. O problema é que eles são ainda muito caros, e alguns apresentam um índice de economia de combustível e de emissão de poluentes não satisfatórios.

Paralelamente a isso, estudantes de engenharia têm desenvolvido protótipos de veículos movidos a energias alternativas, que estão apresentando bons resultados, como é o caso do Celeritas, um carro criado na Universidade Purdue, nos Estados Unidos, que é movido a energia solar. O interessante sobre o modelo é que ele tem um consumo de energia equivalente a 1.000 quilômetros por litro de combustível.

Uma economia e tanto, não é mesmo? E o melhor, pelo menos para os norte-americanos, é que o conceito está perto de ser emplacado e ganhar as ruas, segundo informa o site Autoevolution. Isso será possível devido aos diversos equipamentos que ele possui, iguais aos de qualquer carro convencional, como piscas de alerta, lanternas, faróis, porta-malas, e banco para o motorista, dentre outros. No lugar dos retrovisores externos há câmeras de alta definição.

O carro conceito, que vai ganhar até ar condicionado, para melhorar o conforto interno, custou cerca de US$ 90.000 (R$ 142.470), bancados por vários patrocinadores.

Por André Gonçalves