Carro Autônomo do Uber é flagrado em Testes


Modelo é um Ford Fusion Hybrid e está rodando pela costa leste americana.

Após muitos boatos sobre o carro autônomo do Uber, finalmente apareceu a foto oficial do automóvel andando pelas ruas de Pittsburgh, nos EUA, sendo o automóvel um Ford Fusion Hybrid.

Apesar da autonomia do veículo, há sempre um humano no interior do automóvel para intervir em situações necessárias. Vale lembrar que a Microsoft volta e meia tem tentado ingressar nessa área. Inicialmente o Uber, em uma parceria feita com o Google, deu início a este projeto, só que interesses futuros do Google de também montar uma frota de carros autônomos impediu que a parceria entre as duas empresas prosseguisse.

O Uber atualmente desenvolve este projeto na costa leste americana. O projeto que ainda está em fase de análise e de testes, progressivamente está tendo melhoras e que se comparando com a Google ainda pensa em desenvolver seu próprio sistemas de mapas e se equiparar com a tecnologia da mais provável concorrente americana. 

Além de poder identificar com mais velocidade e precisão os ajustes que devem ser feitos, devido a experiência que a empresa tem no ramo. O enfoque da empresa no momento é a condução segura do automóvel para assim garantir a segurança de pedestres, ciclistas e outros veículos.

De acordo com o criador do Uber, o verdadeiro objetivo da empresa é transportar pessoas e bens do ponto A para o B. A automação dos veículos de transporte causará uma incrível baixa de custos, possibilitando no futuro, de acordo especialistas, a substituição da utilização do transporte público pelos carros autônomos. As inovações deste projeto podem também remodelar o formato da indústria automobilística, afetando na venda de carros novos e seminovos, pois o público tem preferido o transporte seguro e barato do Uber.

O Uber em si teve seu início lá no ano de 2010. A ideia partiu de dois empresários que idealizaram a proposta de montarem uma frota composta por carros de luxo. Entretanto, a partir de 2012 o serviço acabou sendo estendido para carros populares. O app logo se tornou popular e conseguiu obter uma valorização muito rápida. Como consequência os investimentos acabaram aparecendo. Entre os grandes investidores estão as principais empresas do setor de tecnologia.

Por Denisson Soares


Nikola One: Caminhão híbrido-elétrico com autônomia de até 1.920 km


Projeto da marca conta com seis propulsores elétricos e garante uma autônomia de 1920 km

Muitas empresas do setor automotivo estão investindo altamente no desenvolvimento de motores movidos a novas fontes de energia. É neste contexto que assim como a fabricante de veículos automotores Tesla, a Nikola Motors, empresa que também tem o seu nome inspirado em um dos grandes gênios da engenharia eletrotécnica e mecânica, está trabalhando a todo vapor no projeto de novos veículos propulsionados por eletricidade. Dessa vez, a empresa apresentou oficialmente o projeto de um caminhão híbrido, este projeto da empresa acabou impressionando bastante não só público, mas também diversos especialistas do ramo automotivo, pois além de ter sido empregado um alto grau de tecnologia o veículo possui uma excelente autonomia.

Essa grande inovação da Nikola foi batizada com o nome de Nikola One, este caminhão é equipado com nada mais nada menos que seis propulsores elétricos, sendo que cada um deles tem a capacidade de gerar uma potência combinada de 2027 cavalos e um torque de mais de 500 Kgfm. A autonomia deste caminhão é de incríveis 1920 quilômetros, mas o veículo conta com o auxílio de um extensor de autonomia que é movido a gás natural.

Segundo os dados estatísticos da Nikola Motors, este caminhão possui a capacidade de acelerar de 0 a 100 Km/h, totalmente carregado, em apenas 30 segundos, tempo este que é a metade do tempo utilizado por um caminhão convencional propulsionado a diesel.

No projeto deste caminhão, a empresa alocou dois motores elétricos em cada eixo, sendo que ele conta com um sistema de suspensão independente em suas seis rodas, outra grande inovação é a presença de freios do tipo regenerativo, os quais possuem a capacidade de fazer a recarga da bateria durante as frenagens.

No interior da cabine, o painel de instrumentos chama bastante atenção devido ao fato de ter sido feito com a utilização de displays digitais de 10 e 15 polegadas e para quem acha que as novidades tecnológicas pararam por aqui, o veículo possui internet 4G sem fio, televisor com tela de 42 polegadas, teto solar, forno micro-ondas, freezer, geladeira e até mesmo duas camas, itens estes que proporcionam um conforto excepcional para os condutores que trabalham realizando viagens de longas distâncias.

Todo esse conjunto de equipamentos é alimentado por um grupo de baterias que fornecem 320 kWh e permite com que os usuários utilizem todos os aparelhos elétricos por um período de até uma semana.

Com relação ao preço dessa maravilha tecnológica, os valores destes caminhões irão variar de US$ 350 mil podendo chegar a até US$ 450 mil, preços estes que convertidos em moeda nacional ficariam em torno de R$ 1,2 milhão e R$ 1,57 milhão, respectivamente.

Por Adriano Oliveira


BMW anuncia novidades para os próximos anos


Entre os investimentos da empresa está o lançamento de um modelo autônomo

A grande e renomada empresa fabricante de veículos automotores BMW anunciou oficialmente nesta última quinta-feira, dia 12 de maio de 2016, que irá trabalhar a todo vapor na produção de um veículo automotor autônomo, ou seja, que dispensa a presença de um condutor. Segundo as estimativas da empresa este veículo irá chegar ao mercado no ano de 2021. Para se ter uma noção do quanto os planos da fabricante já estão bem avançados este veículo já possui até mesmo nome e se chamará i NEXT e será movido por um propulsor elétrico, daí o “i” como inicial do nome, designação esta que é dada aos veículos da marca com este tipo de propulsão.

Atualmente, a gama de elétricos da BMW conta com dois veículos, sendo estes o híbrido i8 e o compacto i3, modelos estes que têm o motor elétrico trabalhando em conjunto com o motor a combustão, mas os planos da empresa é que esta gama ganhe novos componentes a partir do ano de 2018.

No último mês de março, a fabricante apresentou um novo conceito autônomo, o qual foi batizado com o nome de Vision Next 100, fato este que indica que tendências para o próximo centenário da empresa.

Além da submarca “i”, a BMW irá oferecer novas versões híbridas, as quais serão denominadas “plug-in”, ou seja, modelos em que as baterias podem ser recarregadas até mesmo em tomadas, esse veículo será disponibilizado nas versões dos veículos Série 2, Série 7, Série 3 e X5.

O momento na BMW é de muitas especulações, pois não só o público apaixonado pela marca como também os especialistas do ramo automobilístico já estão prevendo que várias novidades estão para chegar, tanto que já foi confirmado pela empresa lançamento em breve de um novo modelo na categoria de luxo, contudo sem dar maiores detalhes a respeito do modelo.

O CEO da fabricante antecipou ainda que a família dos SUVs ganhará mais um membro que será o X7, mas essa novidade só chegará ao mercado no ano de 2018. Outra novidade é o fato de a Rolls-Royce, marca que pertence ao grupo, também irá lançar um novo modelo, o qual está em fase de projeto e este projeto foi batizado com o nome de Cullinan.

Por Adriano Oliveira


FCA e Google se unem em parceria para desenvolvimento de carros autônomos


No início deste mês a FCA e o Google decidiram anunciar a mais nova parceria com o objetivo principal de desenvolver e testar novas tecnologias de condução autônoma de veículos produzidos pelo grupo Fiat Chrysler Automobiles. De acordo com as informações divulgadas até o momento a previsão é que a produção inicial seja de 100 unidades da minivan híbrida Chrysler Pacifica que, por sua vez, receberá os sistemas do Google.

Tecnicamente o projeto em si já chama a atenção. Afinal é a primeira vez que a gigante da tecnologia se junta com alguma montadora tradicional com o objetivo de dar mais amplitude aos estudos. Antes disso, o projeto que envolvia a criação de um carro autônomo pelo Google vinha sendo levado adiante em testes feitos em protótipos que a própria empresa fabricava ou então com modelos SUVs da Lexus. Ainda assim não havia nenhuma espécie de contrato oficial.

Sergio Marchionne, CEO do FCA destacou que a oportunidade de trabalhar em parceria com o Google significa uma grande chance para que as duas companhias impulsionem o ritmo de inovação no setor automobilístico. Em comunicado ele ainda acrescentou que a parceira será produtiva para os dois lados e que será fundamental para gerar impactos positivos e benefícios para os consumidores nessa área.

Sobre o projeto em si a informação que se tem é que tanto engenheiros da FCA quanto do Google passem a trabalhar juntos com a finalidade de avançar nos estudos nesse sentido.

A parceria também deve provocar uma certa agilidade nos testes. Já para este ano há a previsão de que as unidades adaptadas do Pacífica sejam testadas na Califórnia em um campo fechado. A próxima etapa ( e depois de melhorado) será testar o carro em vias públicas a exemplo do que o Google já fez com outros carros.

O Google, por sua vez, manifestou-se a respeito da parceira dizendo que a oportunidade irá tornar mais rápido todos os esforços para a criação de um carro que seja completamente autônomo.

De acordo com informações da FCA as 100 minivans praticamente irão mais do que dobrar a atual frota que a empresa possui.

Já fazem dois anos que o Google deixou de lado as especulações e passou para a ação na criação de carros autônomos. Dos primórdios até o hoje a companhia já evoluiu muito nesse sentido levando seus protótipos para cidades controladas e vias públicas.

Por Denisson Soares


Google, Volvo, Ford, Uber e Lyft se unem para regulamentar Carro Autônomo


Objetivo das empresas é tentar agilizar a regulamentação deste tipo de veículo.

O desenvolvimento de um carro autônomo está sendo trabalhado por várias empresas de tecnologia interessadas na ideia. Agora cinco empresas de grande porte (Google, Volvo, Ford, Uber e Lyft) se juntaram num esforço para regulamentação dos carros autônomos.

Objetivo da coalizão:

Essas empresas tem tudo o que precisam para trabalhar sozinhas, mas escolheram se juntar para auxiliar na regulamentação desse tipo de automóvel. A intenção é conscientizar tanto órgãos federais quanto o público sobre benefícios que os carros autônomos trarão para a sociedade.

Eventualmente os carros que conseguem dirigir sem um motorista serão parte do dia-a-dia da sociedade e é importante que a regulamentação desses veículos aconteça assim como com qualquer outro. Juntando-se essa parceria ao incentivo de US$ 4 bilhões fornecido pelos EUA ao desenvolvimento desses automóveis, espera-se que o futuro de carros autônomos esteja mais próximo do que se esperava.

Benefícios dos carros autônomos:

Mesmo quem estava com um pé atrás sobre deixar uma máquina dirigir está repensando sua visão conforme os veículos saem do papel. Empresas como a Google já estão com esse tipo de carro prontos para testes.

Alguns acham que carros autônomos podem ser a saída para o trânsito extremamente violento que vários países possuem, como o nosso. São milhares de mortos e feridos que podem ser evitados caso a inteligência por trás dos carros que se dirigem consiga se manter longe de acidentes.

A poluição também pode ser diminuída com o investimento em carros autônomos mais econômicos ou até mesmo elétricos. Para países como os EUA, cujas emissões de carbono são muito altas, isso seria maravilhoso. Sem contar com a economia de tempo e estresse dos próprios motoristas, que poderiam sentar no carro e relaxar durante a viagem ao invés de se preocupar com caminhos e trânsito.

Controvérsias:

Claro que nem todo mundo aceita que os carros autônomos serão completamente seguros. Quem vai saber se carros autônomos não podem cometer erros e causar acidentes graves?

Carros da Google, por exemplo, já se envolveram em alguns acidentes desde que começaram a rodar por aí. Em fevereiro um desses carros foi o causador de um acidente com um ônibus, o carro bateu na lateral do ônibus devido a um erro de cálculo.

Gizele Gavazzi


Carro Autônomo do Google só será lançado quando Dirigir Melhor que Humanos


Google só venderá seus carros inteligentes quando eles dirigirem melhor do que nós, o que deve acontecer em breve.

Uma das maiores empresas de tecnologia do mundo, a Google, está firme na ideia de comercializar seus carros capazes de dirigirem sozinhos e melhor do que os próprios humanos. Apesar de toda a vontade da companhia, o processo ainda pode ter de esperar um pouco, já que os veículos só devem estar disponíveis quando for comprovado que são mais seguros na direção que nós.

Os testes da companhia estão a todo o vapor e surpreendem os engenheiros da companhia a cada milha rodada. Por semana, os veículos dirigem por cerca de 10 mil milhas. Esse valor equivale a mais do que um ser humano dirige em um ano. Em sua mais recente visita aos Estados Unidos, até a presidente Dilma chegou a testar um dos veículos.

Até o momento os testes tem sido extremamente satisfatórios para o Google. Durante todos os testes aconteceram apenas cerca de uma dúzia de acidentes com os carros. Apenas um destes acidentes aconteceu por causa do sistema da companhia e apenas um teve pessoas feridas.

Especula-se que os veículos devam chegar em cidade menores primeiro do que em grandes capitais, uma vez que o sistema funciona melhor em trânsitos com pequenos congestionamentos e em cidades com tempo firme. A expansão global, porém, é um objetivo do Google. "Nós realmente esperamos colocar essa tecnologia pelo mundo em breve", disse Chris Urmson, que comanda a divisão dos carros autônomos da companhia.

O futuro será mais seguro

De acordo com algumas métricas dos testes, os carros autônomos deverão ser muito mais seguros do que a direção humana. Atualmente são cerca de 38 mil mortos em acidentes de trânsito no Estados Unidos a cada ano, enquanto os números da média global podem chegar a cerca de 1 milhão e 200 mil mortes anuais.

Com a baixa incidência de acidentes, os carros autônomos podem ser uma alternativas no futuro para viagens noturnas, por exemplo.

Enquanto esse futuro não chega, a empresa luta para sair na frente e lançar a inovação antes de que algum concorrente consiga fazer. Afinal, sair na frente muitas vezes significa também liderar o mercado que se está criando.

Por Fhilipe Pelájjio


Conheça o Carro Autônomo do Google


Veículo já está em testes na Califórnia e aguarda autorização das agências reguladoras para ser disponibilizado pelo mundo.

Você já ouviu falar sobre o carro do Google? Aquele que anda sem motorista!

Você não leu errado, agora a empresa do mais conhecido buscador da rede mundial de computadores desenvolveu um veículo que se desloca sem a necessidade de um motorista.

O veículo autônomo já está completamente concluído e será testado diretamente nas vias públicas dos Estados Unidos, porém, o governo ainda não liberou para que o mesmo possa ser usado. A empresa acreditava que a licença já pudesse ser liberada no mês de janeiro deste ano, mas após um ano, o Departamento de Veículos Automotores da Califórnia ainda não disponibilizou tal aval.

Sem contar ainda que diversas outras agências teriam que realizar a aprovação do mesmo, para que então o carro pudesse ser disponibilizado para o mundo todo. O Google está situado no estado da Califórnia, o qual no momento é o foco da empresa para autorização, pois no caso de regulação de uma primeira agência, abrirá as portas para que outras venham também a fazer o mesmo.

Atualmente a companhia já conta com um total de 70 carros autônomos no Estado e já rodaram aproximadamente 1,5 milhão de milhas, ou seja, 2,4 milhões de km em testes.

Recentemente, enquanto estava sendo testado em Moutain View, na Califórnia, o carro se envolveu em um acidente, que segundo o Google, foi culpa do outro motorista, que não teria visto o veículo, que acabou parando no sinal verde e assim colidindo em sua traseira. Outra situação, um tanto quanto hilária, foi a abordagem de um policial que pretendia averiguar o veículo que trafegava lentamente e se deparou com a ausência do motorista, porém, havia um passageiro no carro, responsável por responder as questões do guarda.

Alguns problemas foram encontrados e terão de ser solucionados, como por exemplo, o fato do veículo ficar parado por horas em cruzamentos.

Certas empresas estão aparecendo com ideias de carros semi-autônomos, porém, a gigante da Califórnia só levará seu carro às ruas sendo 100% autônomo.

FILIPE RIBEIRO DA SILVA


Ford ajuda a Desenvolver Carro com Sistema de Direção Autônomo


Ford faz parceria com a Universidade de Michigan para o desenvolvimento de um sistema autônomo de direção.

Nos Estados Unidos, mais precisamente na Universidade de Michigan, a MCity, instalação de testes, está trabalhando na produção de um sistema que faz com que a condução do automóvel seja feita de maneira autônoma.

A Ford foi a selecionada para ter alguns carros nos testes nesse sistema autônomo. Os testes foram realizados em uma cidade fictícia que foi reconstruída trazendo diversos detalhes das ruas urbanas.

A planta que foi criada para que os veículos rodassem conta com tudo o que o nosso dia a dia traz, como imperfeições, situações com pedestres, publicidades, entre outros. Tudo que pudesse auxiliar no desenvolvimento mais eficaz e rápido para essa nova tecnologia de condução.

O Fusion Hybrid e outros veículos da Ford rodam com o sistema autônomo. Os carros contam com pessoas como pilotos reais também. Isso se fez para que fosse possível administrar alguns tipos de situações que encontramos nas ruas, como é o caso de acidentes, veículos de emergência pedindo passagem, semáforos e outros.

O Fuson Hybrid contou com o auxílio de câmeras tridimensionais, quatro aparelhos LiDar (mapas em 3D), sensor ultrassônico e radar, os quais atuaram em conjunto com os sensores normais. A montadora e outras instituições de caráter privado e público gastaram aproximadamente R$ 10 milhões para a construção da cidade e a realização dos testes com o sistema autônomo.

Policial para Carro Autônomo do Google:

Um veículo com sistema autônomo da gigante de buscas da internet, o qual tem o nome de Google Car, teve uma situação inusitada. Um policial rodoviário parou o carro com o argumento de que ele estava muito “devagar”. Quando iria acontecer uma multa ao motorista devido ao fato de trafegar em uma velocidade menor do que é a mínima permitida, o policial se deu conta que o carro não tinha ninguém pilotando.

A autoridade conversou com a pessoa que estava no carro e apontou que o Google Car não poderia atrapalhar o trânsito. O modelo estava com 40 km/h, sendo que a velocidade mínima permitida era de 56 km/h.


Hyundai por lançar Carro Autônomo em 2020


Hyundai anuncia que pode lançar o seu primeiro carro autônomo em 2020.

A Hyundai está com planos de se manter no topo tecnológico no concorrido mercado de automóveis e para isso vem investindo pesado em seu projeto de "carro autônomo", que poderá estar concluído já em 2020.

Na verdade, a Hyundai já vinha investindo neste projeto há algum tempo, mas não de forma assumida e tão dedicada como agora.

Muitas outras marcas já estão trabalhando em seus modelos autônomos e a Hyundai entra nesta corrida agora, mas sem estar atrasada, pois já tinha vários projetos em estudo.

A empresa sul-coreana quer continuar entre as empresas mais avançadas tecnologicamente e para isso precisará ter um modelo autônomo no mercado, afinal, esta é a grande tendência para os próximos anos. A General Motors e a Mercedes-Benz, por exemplo, já estão com seus projetos bem avançados.

Apesar de todo investimento que continuará sendo feito por parte da Hyundai, a expectativa da empresa é que seu modelo autônomo chegue ao mercado só em 2020 e mesmo assim, não seria o modelo final.

Atualmente a Hyundai só tem um modelo que apresenta uma única assistência independente do motorista, que é o Genesis, mesmo assim, é só um sistema de frenagem emergencial, nada mais que isso.

Para o seu novo projeto de carro autônomo, a Hyundai sabe que vai precisar muito mais que isso, pois a concorrência está investindo em avanços tecnológicos realmente surpreendentes.

Até o Google está investindo pesado neste mercado e é uma das empresas que tem apresentado mais novidades e avanços no que diz respeito em ter um carro que dispense o motorista ou que faça quase tudo sozinho.

As empresas sabem que nos próximos anos é praticamente impossível lançar um veículo que tenha total autonomia, até mesmo por causa dos obstáculos regulatórios, mas chegar bem perto disso é o desejo de todas elas.

A Hyundai precisa não só trazer inovações como também adiantar mais o seu trabalho. A Audi, por exemplo, já anunciou seu primeiro modelo de carro autônomo para 2017, será uma nova geração do Audi A8 e garante que o modelo poderá se auto-conduzir até em grandes cidades com uma velocidade média de 60 km/h.

Em 2020, o mercado já poderá estar com vários veículos autônomos pelas ruas, o que pode fazer com que a Hyundai refaça o seu cronograma e apresse o seu lançamento.

Por Russel


Nissan firma parceria com Nasa para fabricação de carro autônomo


Na recente CES (Consumer Eletronics Show) temos sido apresentados a vários acessórios técnológicos que facilitam a vida de motoristas e ocupantes dos carros. Entre os quais destacamos os assistentes de estacionamento, os comandos eletrônicos de ar condicionado e detecção de movimentação de carros,entre outros.

Mas todos esses itens não chegaram nem perto da apresentação do Audi A7 que viajou de São Francisco até Las Vegas sem precisar da assistência de um motorista. O futuro é agora e a Nissan já começou a correr atrás do atraso. A empresa e a NASA anunciaram uma parceria de cinco anos a fim de desenvolver e pesquisar sistemas que tornem os veículos autônomos e que sejam comercialmente aplicáveis.

A empresa  sediada no Vale do Silício,Califórnia e a Agência com base em Moffet Field, também na Califórnia, trabalharão em quatro frentes diferentes de estudo usando aplicativos e acessórios de uso rodoviário e espacial. As quatro frentes são: Sistemas autônomos de acionamento, soluções de interface do homem com a máquina, desenvolvimento de aplicativos habilitados para rede e softwares de análise e verificação.

A montadora está mirando alto e quer que os pesquisadores avancem no que diz respeito a produção de frotas de veículos autônomos sem emissão de poluentes e totalmente capazes de carregar pessoas. Segundo a empresa ainda os testes serão semelhantes aos realizados com sondas espaciais não-tripuladas, comandadas a distância por centro de controle. Espera-se que a novidade automobilística esteja pronta até o fim do ano de 2015.

Carlos Ghosn, presidente da Nissan afirmou :“O trabalho da Nissan e da NASA tem focos distintos – um no espaço e outra no planeta Terra -, mas está ligado por desafios semelhantes“ e  ”A parceria vai acelerar o desenvolvimento seguro da tecnologia da unidade autônoma que a Nissan irá introduzir progressivamente aos consumidores até 2020“. A empresa deseja que já  em 2020 os veículos de passeio autônomos sejam oferecidos comercialmente.

Por Nosf


Audi A7 autônomo percorreu 900 km sem motorista


A Consumer Electronics Show (CES) é uma exposição mundialmente famosa que sempre traz ao público uma série de novas invenções tecnológicas visando facilitar a vida humana. A exposição traz destaque para o mundo da informática, telefonia móvel e como não poderia deixar de ser, o automobilismo. A tendência atual é que os veículos se tornem cada dia mais independentes da função humana, assim como visto em filmes de ficção científica como “Eu, Robô”. Vários periféricos eletrônicos da atualidade são capazes de estacionar o carro sozinho, indicar a melhor rota para o motorista, controlar a tração das rodas impedindo derrapagens, entre outros. Para a exposição da CES esse ano a montadora Audi foi além e apresentou um Audi A7 autônomo que percorreu a distância de 900 km de São Francisco até Las Vegas sem assistência humana.

O Audi A7 autônomo e conceitual é um sedan que conta com um motor de 3.0 litros V6 Supercharged, capaz de gerar a composição uma potência de 314 cavalos a 5500 rotações do motor por minuto e um torque de 45 kgfm em rotação do motor de 4500 giros. A máquina conta com câmbio automático (tudo no carro é automático, por que o câmbio não seria?) de oito velocidades. A ideia da empresa foi genial. Como provar a funcionalidade de um carro autônomo? Fazendo ele percorrer a distância até o evento.

Três jornalistas americanos puderam acompanhar de trás do volante a evolução do carro, porém foram meramente espectadores. A viagem foi útil com duas principais finalidades: a primeira coletar dados para pesquisa em uma eventual produção em série e a segunda mostrar a viabilidade de uma viagem autônoma mesmo com o trânsito em cidades e rodovias.

Os estados da Califórnia e de Nevada cederam à empresa autorização para realizar os testes em suas vias públicas. O carro é capaz de segurar sem assistência de motorista até a velocidade de 112 km/h. Para funcionar o carro conta com diversos sensores e radares que atuam em 360º a curto e médio alcance. O carro conta ainda com sistemas de scanners e lasers para fazer uma varredura do perímetro informando ao carro sobre obstáculos e conta com uma câmera de vídeo 3D de alta resolução para facilitar a condução do conceito. O motorista pode reassumir o controle do carro a qualquer momento.

Por Nosf

Audi A7

Audi A7

Audi A7

Fotos: Divulgação


Google, Mercedes-Benz e Audi ganharam licenças para testar carros autônomos na Califórnia (EUA)


Com cada vez mais destaque na mídia em geral os projetos que envolvem os carros autônomos deverão ganhar ainda mais evidência nos próximos anos. Recentemente, nos Estados Unidos, a Califórnia decidiu por legalizar a circulação desse tipo de veículos pelas estradas do estado. De acordo com as informações divulgadas o fato em questão só será permitido a partir do mês de janeiro de 2015.

Para isso a justiça americana do estado teve que liberar algumas licenças a quem realmente tem trabalhado para que os carros autônomos se tornem uma realidade viável. Segundo as informações divulgadas foram concedidas ao todo 29 licenças para os tais carros sem motoristas. Nessa, que podemos chamar de uma primeira etapa, as empresas que acabaram ganhando foi a toda poderosa da tecnologia Google e duas alemãs, a Mercedes-Benz e a Audi.

Vale destacar que não são apenas essas três companhias que estão investindo na fabricação de carros autônomos. A Volvo, por exemplo, também tem feito projetos na área. De qualquer forma há uma fila de empresas do ramo que aguardam a liberação ou aprovação de seus modelos para colocá-los em circulação.

Das licenças  liberadas quem ficou com a maior parte foi o Google. De acordo com informações divulgadas em sites especializados no setor a empresa poderá colocar nas estradas da Califórnia 25 modelos. Todos são do Lexus RX 450h. No caso da Audi e da Mercedes-Benz, cada uma ficou com duas licenças para a realização de testes. Aqui os carros testados deverão ser modelos de luxo.

Pode parecer pouco apenas três companhias estarem habilitadas a fazerem seus testes em vias do estado, mas é bom lembrar que antes disso os testes só podiam ser feitos em vias que eram particulares. Mesmo com a liberação o governo do estado da Califórnia também colocou seu “porém” na questão: para poder andar pelas vias do estado os carros autônomos terão que ter um motorista para os testes. Isso claro, como um modo de prevenção caso alguma coisa possa dar errado.

É interessante observar que com essa exigência do governo californiano, o Google não poderá usar o protótipo que foi apresentado ao público no mês de maio deste ano. Isso devido ao fato de que o modelo não conta com pedais de freio ou acelerador e muito menos um volante. Não é preciso nem falar que isso impediria qualquer ação humana.

A Audi por sua vez fez questão de deixar claro que foi a primeira montadora a obter uma permissão de teste desses modelos e isso em 2012 no estado de Nevada.

Por Denisson Soares

Carro aut?nomo do Google

Carro aut?nomo da Mercedes-Benz

Carro aut?nomo da Audi

Fotos: Divulgação