Câmera de ré deverá ser item obrigatório de segurança nos EUA até 2018


A Administração de Segurança e Tráfego norte-americana (NHTSA) determinou nesta segunda-feira (31) que até 1º de maio de 2018 todos os veículos zero quilômetro, incluindo ônibus, pequenos caminhões e picapes dos Estados Unidos terão que ter a câmera de ré como item obrigatório de segurança. Segundo a instituição, o componente pode evitar cerca de 70 mortes por ano e economizar cerca de US$ 400 milhões, o que poderia ser quase R$ 1 milhão, em custos de tratamentos e indenizações.

Os carros zero quilômetro dos Estados Unidos já possuem outros itens de segurança, como o controle de estabilidade, aviso de mudança de faixa involuntária e aviso de colisão frontal iminente. Agora o novo componente obrigatório é a câmera de ré. Esta medida também vai aumentar o grau mínimo necessário para que o veículo consiga obter cinco estrelas no Programa de Avaliação de Carros Novos (NCAP) do país.

Os itens que somente agora foram colocados como obrigatórios pela legislação brasileira, que é o caso dos freios ABS e airbag duplo frontal, nem são citados pela organização, já que esses componentes são, há bastante tempo, obrigatórios por sua obviedade nos Estados Unidos.

Ainda há associações que defendem crianças vítimas de atropelamentos criticando que a medida chega atrasada. A obrigatoriedade já era para ter entrado em vigor há alguns anos, mas, por causa do lobby de fabricantes e revendedores, a lei só entra em vigor este ano. As marcas divulgam que o custo será alto para adaptarem os carros até 2018 e que esse custo será repassado para os consumidores. A média, segundo as montadoras, é que o gasto será entre US$ 700 milhões e US$ 1,6 bilhão.

Contudo, a divulgação dos custos não insensibiliza os dados apontados pelas associações. Cálculos do próprio país americano mostram que 210 pessoas morrem e 15 mil ficam feridas anualmente por carros que estão dando ré e não enxergam quem está passando atrás. A maioria são crianças e idosos.

E os custos não serão tão afetantes assim. Mais de 70% dos americanos já adquirem carros novos com a câmera de ré instalada, ou seja, as marcas vão precisar fazer upgrade em menos de 30% dos carros até 2018.

E o preço de uma câmera de ré individualmente também não assusta o consumidor americano. Uma câmera de ré pode custar nos Estados Unidos até US$ 45 para carros que já têm tela no console central. E mesmo podendo ser um pouco mais caras, o equipamento pode reduzir em 1/3 o total de mortes a cada ano, o que não vale o preço da vida.  

Por Carolina Miranda

C?mera de r? ser? obrigat?ria nos EUA

Fonte: Divulgação


Câmera de ré pode virar item obrigatório nos EUA


Enquanto o Brasil começa a adaptar a fabricação e os preços dos automóveis e comerciais leves às novas regras de produção em vigor desde 1º de janeiro de 2014, que obriga a implantação de airbag duplo e freios ABS em todos os carros fabricados em território nacional, os Estados Unidos tentam tornar lei a instalação de um equipamento que chegou há pouco tempo às terras brasileiras, não está presente na maioria dos veículos, mas já conquistou boa aceitação entre os proprietários de veículos: a câmera de ré.

A NHTSA, agência do governo norte-americano que cuida da segurança automotiva, tenta há quase três anos melhorar a implantação do equipamento que auxilia o motorista no momento de uma manobra na rua. É pela câmera de ré, aliada ao sensor de estacionamento, que o condutor tem a exata noção da distância para o carro de trás e se há uma grande aproximação.

A NHTSA busca uma padronização da visão traseira do motorista, o que pode levar os fabricantes a adotarem a câmera de ré em todos os veículos fabricados. Apesar do avanço, os Estados Unidos ainda não conseguiram implantar o equipamento em toda a sua frota.

É bastante possível que a NHTSA consiga emplacar uma lei que obrigue os fabricantes a instalarem a câmera de ré na totalidade dos veículos produzidos, uma medida que não avançou até agora, justamente por pressão das próprias montadoras.

Em 2010, quando a ideia começou a ganhar uma certa força nos Estados Unidos, os fabricantes alegaram que a implantação da câmera de ré acarretaria em um acréscimo entre US$ 58,00 e US$ 203,00 no preço final do veículo, valor que fatalmente seria repassado ao consumidor. Na época, o governo norte-americano ‘aliviou’ e aceitou que outros equipamentos ‘substituíssem’ a câmera de ré. Só que, ao que parece, agora a situação está completamente inversa.

Por Chris Lino

Foto: Divulgação


Estados Unidos – Nova lei obriga câmera de ré em carros


Um importante aliado na diminuição de atropelamentos, a câmera de ré, vai virar item obrigatório em todos os automóveis, picapes e ônibus nos EUA. A medida, aprovada pelo governo norte-americano, vai entrar em vigor a partir de 1º de setembro de 2014, mas já a partir de 2012 as montadoras devem ampliar gradualmente a quantidade veículos equipados com o item.

Quase todas as marcas já oferecem o dispositivo, mas não em todos os modelos. Geralmente só os mais caros. Acidentes durante a manobra de ré têm sido fatais para os norte-americanos. Em 2009, 228 pessoas morreram ao serem atropeladas por veículos em ré, muitas delas crianças e idosos, que ajudavam o motorista sinalizando a direção correta.

As câmeras de ré são bons ajudantes de manobra, principalmente em veículos grandes, pois evitam a presença de pessoas atrás dos carros e oferecem um ótimo ângulo de visão para o motorista.

Por André Gonçalves

Fonte: US News