Como Limpar os Bancos do Carro – Tirar Umidade, Vômito e Chiclete


Confira aqui algumas dicas para limpar corretamente os bancos do seu carro.

Quem é proprietário de automóvel, não importa se ele seja zero quilômetro ou usado, o cuidado com o passante é o mesmo. A maioria das pessoas gosta de manter seus veículos sempre muito limpos, principalmente os bancos, que devem estar sempre muito conservados.

Contudo, mesmo com todo o cuidado, os bancos sempre estão sujeitos à alguns acidentes, podendo ser sujos com todo o tipo de material, que pode ser biscoito, refrigerante, chicletes, vômito, entre outras coisas.

Mas, se isso acontecer com você, não se desespere, pois nem tudo está perdido, Veja abaixo algumas dicas de como limpar o banco do carro em casos como esses.

– Bancos molhados ou úmidos: Se algo foi derramado no banco como água, refrigerante, suco ou alguém entrou com a roupa molhada de chuva ou de piscina, para não deixar que fique aquele cheiro ruim faça o seguinte:

Quando chegar em casa, deixe o carro ligado pelo tempo de 30 minutos e coloque no máximo o ar-quente, com todos os vidros fechados. Passado esse tempo abra os vidros e espere 10 minutos, em seguida feche os vidros, ligue o ar e deixe por mais 30 minutos. Faça esse processo três vezes. Caso o cheiro não passe totalmente, seque os bancos usando o secador de cabelos no ar quente.

– Vômito nos bancos: Esse é um problema que é comum de acontecer principalmente com quem tem filhos. Nesse caso a dica é a seguinte:

Limpe o vômito se possível no momento em que acontecer. Para isso use uma toalha ou um pano seco. Deixe essa área livre e quando for possível lave o local onde esteve a substância utilizando apenas álcool 92,8° e sabão neutro. Com uma escova esfregue bastante a área. Em seguida seque com o ar quente do secador de cabelos ou com o ar quente do veículo.

Se o cheiro forte permanecer, corte uma maçã e deixe seus pedaços sobre o assoalho por dois dias.

– Chiclete Grudado: Aparentemente um chiclete grudado no banco parece ser de todos os problemas o mais grave. Porém, se você seguir esta dica este problema será facilmente resolvido.

Não deixe o carro exposto ao sol, pois o calor ajuda a goma a ficar mais grudada. Nesse sentido, pegue algumas pedras de gelo e as envolva em um pano. Passe sobre o chiclete, assim ele ficará duro e irá se soltar do estofado. Passe o gelo pelo tempo necessário até que todo o chiclete se desgrude.

Sirlene Montes


Banco de Couro – Como Remover Manchas de Protetor Solar


Saiba aqui como limpar e remover manchar de protetor solar nos bancos de couro.

O protetor solar é extremamente necessário para manter a saúde da pele, principalmente no verão. As crianças devem sempre estar bem protegidas do sol utilizando o protetor solar. O problema é que, apesar de extremamente necessário, o protetor costuma ser oleoso e deixar manchas em tecidos e objetos que são difíceis de tirar. No couro, a situação se mostra mais crítica ainda, visto que se trata de um material que exige cuidados.

E se o protetor solar abrir e vazar dentro da bolsa de couro? Ou uma criança acabar sentando no banco do carro ou no sofá e manchando o couro? Veja aqui como remover mancha de protetor solar do couro com produtos simples, que podem ser encontrados em casa com facilidade.

Para realizar a limpeza, será necessário: pasta de dente, bicarbonato de sódio, papel-toalha e condicionador de couro. O primeiro passo consiste em colocar o papel-toalha no local que foi manchado com o protetor solar, procurando assim absorver a maior parte possível do produto.

Após utilizar o papel-toalha para absorver as camadas mais superficiais do protetor, polvilhe o bicarbonato de sódio no local. O bicarbonato de sódio possui propriedades absorventes, garantindo dessa forma que a maior parte do protetor solar, que as tolhas de papel não foram capazes se absorver, seja absorvido por ele.

Após polvilhar o bicarbonato de sódio no local, deixe agir por cerca de vinte minutos. Dado esse tempo, limpe o couro com um papel-toalha levemente umedecido.

Feitas essas etapas, se a mancha ainda persistir, passe uma camada grossa de pasta de dente na área afetada. Deixe a pasta de dente agindo por cerca de cinco minutos e, após este tempo, esfregue-a na mancha.

Após esfregar, limpe o local com um papel-toalha levemente umedecido. Verifique se a mancha sumiu. Se ela ainda persistir, repita os passos com a pasta de dente, passando uma camada espessa, deixando agir por cinco minutos e esfregando-a. Repita esta etapa quantas vezes for necessário para que a mancha suma.

Quando não for mais possível enxergar a mancha, passe o condicionador de couro no local para restaurar o aspecto mais brilhoso e úmido da superfície do couro.

Isabela Palazzo


Ford desenvolve banco com alerta de ataque cardíaco


Atualmente o trânsito nos grandes centros urbanos está bastante complicado e estressante. Devido aos congestionamentos demoramos cada vez mais para chegar ao trabalho, para achar uma vaga de estacionamento e para voltar para casa. Segundo especialistas, estas situações podem levar a uma série de problemas nas pessoas que enfrentam o tráfego pesado diariamente, e atingem, principalmente, o coração.

E é pensando nisso que a Ford está desenvolvendo, desde 2009, em parceria com uma universidade da Alemanha, um banco que tem a capacidade de monitorar os batimentos cardíacos do motorista, com a intenção de detectar um possível problema cardiovascular ou até mesmo um ataque cardíaco, em pleno trânsito. O sistema funciona através de seis eletrodos, que atuam como eletrocardiógrafos, instalados em locais estratégicos do assento, que servirão para medir a pressão e a frequência dos batimentos, dentre outras funções. Segundo o site Autoblog, o sistema teve um índice de 98% de leituras precisas, nos testes realizados pela Ford até o momento.

Para que o protótipo seja instalado nas futuras gerações dos veículos da montadora norte-americana, falta desenvolver a tecnologia para compartilhar as informações através do sistema multimídia MyFord Touch, o que permitiria enviar os dados diretamente a uma central de emergência.

Por André Gonçalves