Novo Mitsubishi Pajero Sport 2019 – Análise e Preço


Confira aqui os prós e contras do novo Mitsubishi Pajero Sport 2019.

O Pajero Sport, novo SUV da Mitsubishi, está chegando diretamente da Tailândia com o valor de R$ 265.990. Se você está curioso para saber tudo sobre desempenho, design, segurança e tudo o mais, leia este texto até o final.

Resposta do veículo e desempenho

Seja nas vias urbanas, seja nas rurais, o Pajero Sport demonstra uma ótima resposta, especialmente em relação às retomadas. Até em estradas de terra o veículo tem uma ótima resposta. Na verdade, até mesmo em trechos alagados é possível passar tranquilamente, se houver até 70 centímetros de lâmina d’água.

Com motor igual ao Mitsubishi L200 Triton, o Pajero Sport possui motor MIVEC 2.4 com 16 válvulas, injeção direta e turbocompressor. A transmissão é feita de modo automático e há oito velocidades. A alteração de marchas é feita nas aletas do volante.

É possível alterar facilmente os modos de condução: fora da estrada, por exemplo, o próprio SUV segura a passada de marchas por um tempo maior. O sistema de bloqueio do diferencial do eixo traseiro oferece proteção em condições extremas de suspensão de rodas como por exemplo as temidas valetas. Segundo a fabricante, é possível movimentar o carro com apenas uma roda.

Uma evolução em relação ao seu antecessor é que a direção do veículo é ainda mais leve, a ponto de que a impressão que o motorista tem é que o carro que ele conduz não é nem um pouco pesado. A estabilidade do SUV aumenta a sensação de segurança.

Design

O que o Pajero Sport tem de bom no desempenho, deixa a desejar em relação ao design: Apesar de ter uma dianteira bem-feita, os traços da parte traseira estão em total desarmonia com o resto do carro.

Os aerofólios, que já viraram característicos da Mitsubishi, são esquisitos, mas não tanto quanto outros veículos como o Eclipse Cross. Como já é de praxe, os bancos e o acabamento de volante são feitos em couro.

Há seis opções de cores para você escolher.

Conforto

Para esta versão, a Mitsubishi recalibrou os amortecedores e, graças a isso, mesmo nos trechos mais sinuosos, os passageiros do veículo ficarão confortáveis. Além disso, a ausência de uma estrutura de aço possibilitou uma viagem tranquila, mesmo que ela tenha durado horas.

Se você não gosta do barulho externo, vai ficar feliz com a notícia de que o Pajero Sport possui isolamento acústico. O veículo ainda conta com ar-condicionado e exaustor de teto.

Interior e espaço disponível

Com sete lugares disponíveis, o Pajero possui uma última fileira razoavelmente confortável e espaçosa, o que a faz ser melhor do que os concorrentes. Os últimos bancos são destinados às crianças e, por conta disso, podem ser dobrados e guardados embaixo do assoalho.

Com todos os bancos ocupados, o porta-malas comporta 571 litros. Esse espaço aumenta para 1.731 litros se os bancos da segunda fileira estiverem rebaixados. Um ponto negativo em relação ao porta-malas é que a abertura não é muito boa.

O Pajero Sport conta com duas tomadas e entradas USB, onde você poderá carregar o seu smartphone. Quanto à central multimídia, ela possui Wi-Fi, Android Auto e Apple Car Play.

Segurança

O Pajero Sport conta com um amplo sistema de segurança, como por exemplo os 11 airbags (lateral, de cortina, dianteiro, para o joelho do motorista, etc.) e para o assistente em declives, que ajuda o motorista na frenagem. Além disso, outro ponto positivo é o sistema que previne acelerações involuntárias.

No entanto, sentimos falta dos sistemas que detectam pedestres, faixas e que alertam o motorista que está fadigado.

O novo Pajero Sport foi uma evolução de sua geração anterior, em que a Mitsubishi claramente analisou os pontos fracos para melhorar ainda mais nesse lançamento. Apesar de uma ou outra falta (não consideramos como falha, apenas falta), o veículo se mostra uma boa opção para quem gosta de SUVs.

Por: Jéssica Lima Cochete


Análise do Novo Toyota Corolla 2020


Confira aqui os prós e contras do novo Toyota Corolla 2020.

O Corolla, da Toyota, é um dos veículos mais conhecidos ao se falar de automóveis. Em 1966 foi apresentada sua primeira geração e, desde a época, o automóvel evoluiu bastante. Dentre os familiares compactos, ele nunca teve a pretensão de ser o mais sofisticado, muito menos o mais arrojado, porém, apostou sempre no quesito confiabilidade.

Agora em sua 12ª geração, o veículo sedã sofreu mudanças se comparada com às versões perua Touring Sports e hatch. A montadora informou que estas foram desenvolvidas visando o cliente da Europa, o qual busca um design mais esportivo, já o sedã possui um estilo executivo, tendo, globalmente um apelo maior. Lanternas em LED e Faróis, capô e até para-choques, nos três volumes, são diferentes.

O modelo Corolla Sedan testado na Espanha, em Mallorca, é muito diferente de seu antecessor, partindo da sua altura, que foi diminuído em 2 cm e na distância de seu capô em relação ao chão, tendo diminuído em 3,5 cm. Em 0,5 cm foi encurtado o balanço dianteiro, mas o traseiro teve um aumento de 1,5 cm, resultando em proporções modernas, tendo um comprimento total aumentado em 1 cm. Foi abaixado em 1 cm também o seu centro de gravidade, isso por causa do posicionamento novo do conjunto motriz e também da sua bateria, que fica embaixo do banco traseiro.

Todos esses valores foram possíveis devido a utilização da nova plataforma GA-C, a qual derivada da modular TNGA, utilizada também no Prius e no C-HR. A estrutura é mais resistente a torções, em 60% no mesmo tempo que está mais leve e assim permitiu reduzir a espessura de seus painéis do teto e das portas, ajudando a reduzir o peso do veículo.

Sua suspensão é McPherson na parte frontal e multilink na traseira. O Toyota Corolla melhorou bastante nessa área, fazendo uso de novos amortecedores com diferentes posições em sua barra estabilizadora na parte frontal e também com uma geometria diferenciada oferecendo mais estabilidade ao trafegar em altas velocidades. Foi aperfeiçoada a sua direção também.

De série, os sistemas de segurança conta com controlador de velocidade de cruzeiro, frenagem de emergência, alerta de saída de faixa, acendimento automático de luzes e reconhecimento de placas de trânsito.

O pioneiro Corolla com motor híbrido

A grande novidade do Corolla 2020 fica por conta da versão híbrida. O seu sistema é o mesmo presente no Prius, que tem uma bateria de 1,5 kWh e um motor elétrico com 53 kW. O propulsor movido a gasolina possui 4 cilindros e 1800 cc, com um torque de 14,6 kgfm, que funciona no ciclo Atkinson. Sua potência combinada atinge 122 cv. O consumo informado pela montadora é de 29,4 km/l.

Estreia ainda na linha Corolla uma geração nova do sistema híbrido, que possui um propulsor de 2000 cc e uma potência de 180 cavalos. O Corolla nacional deve ser equipado com este conjunto. Na Europa o propulsor novo será encontrado na perua e no hatch.

A impressão logo de cara, no momento em que se adentra o carro, é de que os materiais utilizados em seu interior tiveram uma melhora na qualidade, tendo plásticos macios sobre o quadro de instrumentos, nos painéis das portas e na zona do console.

Foi aprimorada também a posição de dirigir. Os bancos novos são agradáveis, contando com regulagens corretas e bom apoio lateral. O condutor fica confortável ao colocar as mãos sobre o volante. A visibilidade frontal e lateral também foi aperfeiçoada, isso porque o painel está mais baixo, os retrovisores foram colocados nas portas e também suas colunas estreitaram.

Na parte de cima do console central passou a ter uma tela nova com 8 polegadas, de fácil utilização, porém, os gráficos não são dos melhores. O ponto positivo é deixar de fora os botões de comandos de climatização e também as demais que possuem utilização frequente.

FILIPE R SILVA


Novo Mercedes-Benz Classe A250 Vision 2019 – Análise


Confira aqui os prós e contras do novo Mercedes-Benz Classe A250 Vision 2019.

No último Salão do Automóvel, realizado em São Paulo, foi apresentado a todos os brasileiros a quarta geração do Mercedes Benz Classe A.

O novo modelo hatch entrará no mercado em uma única versão, com o valor de R$ 194.900,00, esse é o segundo modelo da linha com uma nova identidade visual, vindo a substituir o Classe S.

O modelo de lançamento foi feito de acordo com um novo programa, com o intuito de possibilitar novas tecnologias ao carro, de acordo com o perfil do automóvel.

O carro possui uma central multimídia MBUX, que chama muita atenção, pois exerce variadas funções com um simples comando de voz, bastando o usuário mencionar a palavra “Mercedes” para conseguir algum auxílio do sistema, seja com o gasto do combustível, com a temperatura do ar-condicionado, com a abertura ou o fechamento do teto solar e dos vidros do automóvel.

A central multimídia possui uma tela de 10 polegadas com sensibilidade ao toque e com ligação para uma tela de painel de instrumentos, de também 10 polegadas.

O controle desses sistemas da central multimídia, são todos ativados através de um touchpad no console central ou por botões localizados no volante do carro.

O modelo da Classe A A250 Vision oferece de série algumas características como:

• Sete airbags;

• Frenagem automática emergencial até 50km (quando o motorista passa dessa velocidade, o sistema somente ajuda na ação);

• Bancos de couro com ajustes elétricos e memória nos bancos dianteiros;

• Controle de cruzeiro;

• Teto solar panorâmico;

• Faróis de LED com ascendimento automático;

• Ar condicionado digital e compatível com smartphones Apple e Android.

O modelo conta ainda com itens de exclusividade, bem como rodas de liga leve de 18 polegadas, espelhos e frisos de cor preta brilhante, para-choque Progressive Line, com design esportivo AMG e acabamento interno com apliques de fibra de carbono.

A parte mecânica do A250 Vision conta com:

• Quatro cilindros 2.0 turbo a gasolina, rendendo 224 cv de potência e 35,7 kgfm de torque;

• Câmbio automático de dupla embreagem e sete marchas, garantindo um desempenho muito mais convincente e satisfatório ao modelo;

Em um teste-drive realizado, durante um caminho em uma rodovia, houve a possibilidade de se fazer diversas ultrapassagens com uma margem elevada de segurança, mesmo tendo no carro quatro adultos, mais bagagem no porta malas (que conta com 370 litros).

Muita força nesse motor, é o que os usuários podem esperar desse carro, junto com as baixas rotações, acaba se tornando um automóvel de muita agilidade, fazendo de 0 a 100km em 6,2 segundos, podendo chegar a 250km/h.

Cabe ressaltar, que a Mercedes-Benz informa a necessidade de o condutor do veículo ter atenção redobrada nesse automóvel, tendo em vista a potência do motor e também, um ótimo isolamento acústico, fazendo com que o motorista tenha a impressão de estar em menor velocidade que os outros automóveis ao redor.

Esse é um daqueles carros que consegue casar muito bem o modelo esportivo de um hatch, como todo conforto e classe esperado de um automóvel da Mercedes-Benz.

Apesar de o A250 ter o rodar um pouco mais consistente, tendo em vista as rodas de 18 polegadas calçadas em pneus de perfil baixo e das suspensões um pouco mais duras, ele consegue ser um automóvel até mesmo mais macio e gostoso de se dirigir quando comparado ao modelo anterior, para o dia a dia.

Apesar de deixar a desejar em um único aspecto, pelo fato de não ter saída de ar condicionado para os passageiros que estão no banco de trás, o novo modelo ficou ainda maior e mais espaçoso que o modelo antigo, suportando muito bem no interior quatro adultos e, conta ainda, com o aumento de 29 litros de bagagem no porta-malas.

Texto escrito por Carol Wurlitzer


Análise Volkswagen Polo 1.6 Automático 2019


Confira aqui as novidades do Novo Volkswagen Polo 1.6 Automático 2019.

A montadora alemã Volkswagen geralmente faz um “enxugamento” do número de versões nos modelos de seus carros. Porém, para 2019 a montadora vai fazer diferente: uma nova versão para o Polo! Esta versão vai contar com motor de 1,6 L de volume, 117 cavalos de potência (87 quilowatts) e câmbio automático de 6 velocidades. O preço do carro no Brasil será de R$ 62.690 se comprado à vista. Esse valor equivale a 16.465 dólares americanos. Isso faz com que essa versão do Polo no Brasil custe quase o preço de um Jetta 2019 nos Estados Unidos, que pode ser encontrado a 17.500 dólares americanos (já incluindo o imposto médio de 6,5% sobre o preço original).

Até 2018, se você quisesse um Polo com motor de 1,6 L teria que optar pela versão manual, custando R$ 57.190. Mas se você preza pelo conforto de um câmbio automático [até 2018] você teria que ficar com a versão de motor de 1,0 L Turbo, que começa por R$ 68.120 se comprado à vista.

Mas se você não tivesse dinheiro o suficiente para comprar a versão Turbo à vista? A solução seria parcelar! Mas se você não conseguisse pagar o valor alto da parcela devido aos juros brasileiros? A solução seria descer para o clássico Gol. O Gol viria com o mesmo conjunto mecânico, mas com motor entregando 120 cavalos (89 quilowatts) de potência. O preço-base ficaria em R$ 57.260.

Mas se você está pensando em pegar um Volswagen nessa faixa de preço em 2019, não terá esse “problema”. Pois agora existe o Volkswagen Polo 1.6 Automático 2019.

Comparação do Polo com o Gol

Quando comparamos os dois modelos, saindo do Polo e entrando no Gol, parece que viajamos no tempo. Um exemplo dessa diferença é a batida mais suave de porta no Polo quando comparado com o queridinho de 39 anos da Volkswagen.

A transmissão automática do Polo é produzida pela empresa japonesa Aisin. Trata-se de uma transmissão que não deixa a desejar, fazendo trocas rápidas e sem ruídos.

Porém, nem tudo são flores quando falamos no conjunto motor-câmbio do Polo. Quem fez o teste do modelo ficou com a impressão de que o comportamento do câmbio é “preguiçoso”, demorando para trocar as marchas quando o motor pede, parecendo supor que o motor será capaz de cobrir o diferencial.

Uma vantagem no Gol referente às trocas de marchas manualmente, é que o clássico da VW tem opções de mudança de marchas em borboletas atrás do volante, que o Polo não tem, obrigando o motorista que optar pelas trocas manuais a fazê-lo utilizando a própria alavanca.

Modelo mais esportivo

Se você gosta de alguma esportividade, há a opção “Sport”, que garante rotações mais altas na hora das mudanças de marcha.

Bancos

O Polo entrega um conforto a mais nos bancos, dando a possibilidade de o motorista encontrar rapidamente uma posição agradável.

Consumo

O Polo é um modelo maior do que o Gol. Sendo também mais pesado. E o que é que geralmente supomos quando vemos um carro maior e mais pesado em relação ao consumo de combustível? Que ele tem um maior consumo, certo? Não no caso do Polo!

Comparando-se a modelos concorrentes, o modelo tem um ótimo desempenho no quesito consumo. Vejamos alguns exemplos:

O Polo 1.6 automático tem um consumo de 11 km/L na cidade e 13,8 km/L na rodovia quando abastecido com gasolina. Com o combinado ficando em 12,4 km/L.

O Gol 1.6 automático faz 11,1 km/L na cidade e 13,6 km/L na rodovia. Combinado ficando em 12,35 km/L.

O Chevrolet Onix 1.4 Automático faz 11,6 km/L na cidade e 14 km/L na rodovia, tendo uma média combinada de 12,8 km/L.

Para mais informações sobre o novo Polo da Volkswagen, clique aqui e veja diretamente no site da montadora.

Por Bruno Rafael da Silva


Suzuki S-Cross 2019 – Análise e Preço


Modelo tem ótimo desempenho, mas decepciona no preço.

Uma das maiores companhias automotivas japonesas, a Suzuki, grande empresa cujo sucesso se deve aos seus modelos, classificados entre os mais diversos no mercado, está com novidade em avaliação.

Segundo os especialistas, o seu Motor de tipo 1.4 turbo, com desempenho de 146 CV, consiste em uma das melhores especificações qualitativas do novo SUV, que chega ao mercado no valor de R$ 130.990.

A todo consumidor interessado, e com cascalho para tal, será interessante dar atenção ao que estão publicando alguns especialistas sobre o Suzuki S-Cross. Este novo modelo da companhia japonesa está munido de qualidades que vão atrair mais pessoas para o segmento.

Entre as especificações estão: a maior precisão na dirigibilidade; munido de tração integral em sua versão Top de Linha; possui uma suspensão equipada com uma calibragem ideal, ou seja, firme, porém nada desconfortável, apropriada para rodar nos chamados pisos lunares ou estradas brasileiras.

O potente motor tipo 1.4 turbo, com desempenho de 146 CV, consiste no mesmo tipo que equipa o modelo Vitara, e também no modelo S-Cross, que equipa a sua versão intitulada 4Style S Allgrip.

Este SUV está repleto de precisão e agilidade, sobretudo com a sua Sport estivada. Nestas condições, o automóvel em questão se torna muito mais agressivo, porém, respondendo de modo mais eficiente aos comandos. Entretanto, os mesmos especialistas estão muito corretos em perceber que a questão do desempenho não ocupa o centro das prioridades dos consumidores interessados em adquirir um modelo utilitário esportivo. O que mais atrai, neste caso, é a segurança.

Em questão de consumo, o Suzuki S-Cross vai surpreender, dada a sua capacidade de rodar muito e gastar pouco. Alguns testes deixam bem clara a situação, sendo que num percurso de quase 300 km o veículo obteve boas médias, chegando a aproximadamente 13 km/l rodando pela cidade e a quase 16 km/l rodando pelas estradas, abastecido com gasolina, pois o modelo S-Cross não é um veículo flex.

Entretanto, o seu design não chega a ser muito surpreendente. Seguindo a linha da maior parte dos modelos da Suzuki, o novo S-Cross está vazado em um visual mais discreto e clássico.

A parte dianteira está um tanto mais atraente devido à presença de uma nova grade com filetes cromados. Na parte traseira os detalhes permanecem os mesmos.

A simplicidade, eficiência e discrição se repetem nos detalhes interiores, munido de um acabamento que, segundo os mesmos especialistas, peca pela intensa estilização materializada em plásticos duros, por toda a cabine.

Alguns dos seus botões de comandos têm um visual frágil, apresentando, no resto, a mesma qualidade anterior, como no caso da tela monocromática do chamado computador de bordo, instalada no centro do painel de instrumentos.

Com relação à central multimídia, a mesma possui um design estilo tablet, como também no Modus Operandi de sua navegabilidade, razoavelmente compexa, devido ao excesso de menus na superfície da tela, que funciona por meio do aplicativo Waze.

O S-Cross está muito bem equipado com sete airbags; possui os controles de estabilidade e de tração; o assistente de partida para rampas; o controle de velocidade de tipo cruzeiro; o sistema start-stop; os ganchos para a fixação das cadeirinhas Isofix; os sensores para estacionamento tanto dianteiro quanto traseiro e mais a função de partida de motor sem chave.

Portanto, diante de tantos atributos e qualidades, este novo SUV da Suzuki também não está disponível por valores tão agradáveis: a sua versão 4Style S está em torno de 130.990 mil. A versão 4Style 4×2 está no valor de 111.990 mil e a 4Style Allgrip, munida de tração integral, tem preço a partir de 117.990 mil.

Paulo Henrique dos Santos


Análise do Ford Ka Sedan Titanium 2019


Confira aqui os principais prós e contras do Ford Ka Sedan Titanium 2019.

O Ford Ka Sedan Titanium 2019 é um bom sedã compacto e chega a empolgar com seu desempenho, o problema é na hora de pagar, pois o modelo custa R$ 70.990 e neste valor é possível encontrar no mercado ótimas opções, inclusive várias melhor que este. Mas é um carro com espaço e vai conquistando o mercado à medida que o Fiesta vai perdendo clientes. E tem um importante detalhe, que é o fato de que o modelo este ano passou por uma boa reestilizada, contando agora com um visual mais refinado.

No caso da versão Titanium, o consumidor encontrará itens que antes nem se imaginava ver em um Ka. Agora são 6 airbags, tem controle de cruzeiro, alarme, as rodas são de liga leve, os bancos revestidos em couro, a segurança aumentou com os controles de estabilidade e tração e ainda tem os sensores de estacionamento traseiros para facilitar o dia a dia. O banco do motorista vem com regulagem de altura e esse modelo ainda oferece assistente de partida em rampa, computador de bordo, as quatro portas com vidros elétricos e partida sem chave, é uma versão realmente completa.

Só que será preciso pagar R$ 70.990 e esse valor pode subir ainda mais, caso o cliente descida ter um carro desse com pintura metálica, aí o valor vai para R$ 72.340. Esse é um valor bem acima dos concorrentes, por exemplo, o Fiat Cronos Precision sai por R$ 69.990, o Virtus da Volkswagen 1.6 MSI sai por R$ 66.525 e ainda tem o Toyota Yaris Sedan SL de R$ 68.740, sendo que todos estes veem com transmissão automática e são maiores que esta versão da Ford. De fato, o Ford Ka Sedan Titanium 2019 é completo e um modelo tentador quando analisado separadamente, mas se for comparado com os concorrentes, aí fica em segundo ou terceiro plano.

Mas quem quiser mesmo ficar com o Ford Ka Sedan Titanium 2019 terá um bom carro na garagem, com motor 1.5 tricilíndrico que oferece 136/128 cv e 16.1/15/6 kgfm. Com essa potência, os 1.135 kg do Ka Sedan não irão atrapalhar. É um modelo muito bom de dirigir, ainda mais pelo fato da direção elétrica contar com excelente calibragem, deixando as manobras mais leves e também mais precisas, os comandos são respondidos prontamente.

Quando abastecido com etanol, segundo testes realizados pelo Inmetro, faz 7,6 km/l na cidade e 10,1 km/l na estrada. Abastecido com gasolina chega a 10,9 km/l na cidade e 14 km/l na estrada. Não é o modelo mais econômico do mercado, mas pelo conjunto da obra consegue oferecer uma boa economia.

A suspensão é bem firme, como todo modelo da Ford, mas isso não é problema nas curvas, porém, quem está acostumado com modelos de outras marcas poderá estranhar um pouco no início. Então é bom tomar muito cuidado quando se deparar com algum buraco, do contrário os passageiros irão reclamar. A transmissão automática é de 6 marchas e apenas pela alavanca é possível usar as trocas de sequenciais, pois não há aletas no volante. Outro problema na hora de comandar o câmbio são os botões na lateral da manopla, algo bastante desajeitado e que chega a incomodar no dia a dia. Na hora de fazer um teste drive, é bom ficar atento a este detalhe.

Além das linhas modernas na parte externa, o Ford Ka Sedan Titanium 2019 também se destaca em relação ao interior, oferecendo ótimo espaço, mesmo com 4 adultos no banco de trás. O porta-malas de 445 litros fica atrás do Cobalt, que oferece 563 litros, o Cronos com 525 litros e até do Virtus, que tem 521 litros. A vantagem é que o modelo oferece dobradiças pantográficas, que não 'roubam' espaço e nem estraga a bagagem, o que já é um bom diferencial.

Para quem busca um sedã compacto, esta é uma boa opção, pois tem desempenho satisfatório e vem com itens variados, é só ficar atento aos concorrentes e fazer uma boa comparação para decidir qual atende melhor seu perfil.

Por Russel


Análise do Toyota Yaris 2018


Confira aqui todos os detalhes sobre o Toyota Yaris 2018.

A Toyota surpreende trazendo sua linha Yaris para o Brasil com muitas novidades. Na linha Hatch ou Sedã, ele possui quatro versões de acabamento.

Ele chega para ser comercializado ainda no final de junho e suas versões mais em conta são com motor 1.3 com câmbio de seis velocidades. Porém, nas suas versões mais caras o motor será 1.5 e câmbio CVT. Já o sedã só terá versões 1.5 e quase todas elas serão com câmbio CVT.

Os preços variam bastante entre suas versões, sendo que a versão hatch varia entre 59 mil reais e 77 mil reais. O sedã varia de 64 mil reais a 80 mil reais.

Os carros são nacionais, produzidos em Sorocaba. A mesma fábrica do Etios, possuindo assim então a mesma plataforma, com os mesmos motores e mesmo câmbio, porém, possuindo uma nova transmissão CVT.

Esse novo modelo da Toyota é uma linha que ficará entre o Etios e o Corola, abrindo um pouco mais o leque de opções para seus clientes.

Sua versão mais cara é ainda 10 mil reais mais barata que a versão mais barata do Corola, portando, com certeza é uma boa opção para quem busca um carro com a qualidade Corola, porém, em um valor um pouco mais acessível.

A Toyoto lançou esse novo modelo para bater de frente com o Argo, em questão de medidas, para quem procura um carro do mesmo tamanho com certeza ele é a melhor opção. Porém, em conforto e qualidade ele chega para brigar de igual para igual com a linha do Honda City, Chevrolet Cobalt e o Virtus da VW. Por isso, vale muito a pena fazer um teste drive nessa novidade da Toyota, com certeza você não irá se arrepender de adquirir o seu exemplar.

Seu design é totalmente inovador e muito glamoroso. Possuindo uma grade fininha e muito discreta, possuindo um tipo de boca com black piano, misturando beleza com uma pitada de agressividade.

Já em sua versão Sedã, essa boca é um pouco mais discreta, pois sua pintura é fosca com detalhes seguidos retos, dando um ar mais de carro luxuoso.

Seus faróis possuem um formato totalmente chamativo e único, com detalhes cromados e formas que se encaixam perfeitamente no design frontal do carro.

Possui um vão livre na frente de 15 cm, dando conforto e segurança para dirigir, sem se preocupar onde o carro vai raspar.

Ele possui 2,55 m entre eixos, porém, é muito espaçoso por dentro, oferecendo muito conforto para os passageiros do banco traseiro.

Seu retrovisor possui luz alocada e suas versões mais caras possui rebatimento, trazendo segurança quando for estacionar em locais estreitos.

Sua versão top possui teto solar retrátil, como uma grande novidade do segmento, trazendo uma sensação de total liberdade para seus compradores, principalmente para aqueles que irão utilizar o carro para viagens.

Sua lanterna traseira invade bem a lateral do carro, dando um charme único para o modelo e totalmente singular, ela é bipartida e na sua versão top ele possui uma iluminação única de LED.

Ele possui também um aerofólio bem discreto que dá mais uma pitada de charme para a categoria.

Ele possui um friso maravilhoso entre as lanternas traseiras e seu para choque é bem robusto, dando um ar de poder para o veículo.

Seu tanque de combustível comporta 45 litros e possui alavanca interna para abrir sua tampa.

Nas duas versões o porta malas do carro ultrapassa os 4 metros, sendo assim um tanto quanto espaçoso, cabendo tudo que você precisa para fazer aquela viagem familiar.

Sua chave é única e exclusiva do modelo, trazendo uma inovação para os carros da Toyota, além de possuir um terceiro botão para abrir o porta malas.

Ou seja, com certeza é uma ótima opção para quem está buscando trocar de veículo ainda esse ano de 2018.

Corra até uma concessionária e conheça um pouco mais desse maravilhoso modelo que a Toyota traz para você.

Ricardo Ferreira Rodrigues


Novo HB20 Copa do Mundio Fifa 2018 – Análise


Carro chega às concessionárias custando até R$ 61 mil.

A Hyundai já está em ritmo de Copa do Mundo. A montadora lançou uma versão exclusiva do seu hatch HB20 em homenagem ao campeonato mundial mais famoso do mundo e este modelo traz alguns detalhes interessantes.

Para adiantar um pouco nosso texto, um dos detalhes é uma televisão à bordo para você assistir aos jogos da Copa do Mundo da Rússia 2018. Ficou curioso e quer saber o que têm de diferente nesta versão exclusiva do HB20? Continue lendo este texto e veja uma pequena avaliação sobre este carro.

Um hatch que está em campo desde a Copa de 2012

O HB20 é um carro já conhecido pelos brasileiros e desde 2012 está em campo, ou seja, nas ruas das cidades do Brasil. E por algum tempo, vem fazendo frente a muitos outros modelos da sua categoria, inclusive derrotando o Gol em vendas, ele só não superou ainda o Onix da Chevrolet (GM).

Mas afinal, nada mais oportunista que ano de Copa do Mundo para tentar virar o jogo. Aproveitando o momento pré-Copa lançou a versão Copa do Mundo Fifa com alguns diferenciais que vamos mostrar para você nas próximas linhas.

Será que o HB20 consegue bater o líder?

A Hyundai está perseguindo de perto com o HB20, o Onix da GM, que lidera o campeonato dos mais vendidos há alguns anos. Será que em ano de Copa do mundo ela conseguirá virar o jogo e liderar o ranking dos mais vendidos?

Vamos conferir alguns detalhes dessa nova versão exclusiva.

Esta versão tem todas as configurações da versão Hatch e Sedan tradicional e possui motorização 1.0 e 1.6. A versão mais completa pode ser vendida a partir de R$ 61.990.

Esta é uma série limitada e conta com apenas 4.200 unidades para ser comercializada nas concessionárias e revendedoras. Uma das diferenças das suas versões são as rodas em preto e cinza e os emblemas da Copa do Mundo da Rússia 2018.

Interior personalizado

O HB20 Copa da Rússia por dentro tem um estofado diferente dos mais comuns com uma faixa lateral de couro e o painel tem uma cor especial para diferenciar das outras versões. Além disso, os tapetes são personalizados com o texto: “HB20 Copa do Mundo Fifa”.

O farol na versão que foi avaliada é automático e os vidros todos elétricos. Completando a parte interna, os retrovisores também tem controles elétricos. O volante possui ajuste de altura e profundidade para se adequar ao melhor posicionamento de quem dirige, trazendo mais conforto e dirigibilidade.

Segurança

Apesar de trazer apenas os dois airbags exigidos por lei, o HB20 recebeu 4 estrelas no quesito segurança. Nos assentos traseiros tem bancos isofix para cadeirinhas para crianças e encosto para cabeça nas laterais, fica devendo apenas o encosto de cabeça central.

No painel apresenta o alarme de abertura de porta e também no caso de esquecimento de ajuste do cinto de segurança.

Motorização e Transmissão

A versão Copa do Mundo Fifa do HB20 tem motorização bem forte. O motor 1.6 flex tem 128 cavalos de potência com etanol. O câmbio é automático de 6 marchas e permite trocas rápidas e retomadas bem eficientes, possui um torque de 16,5 kgfm com etanol

Velhas Falhas

O HB20 ainda possui algumas falhas que já vem de versões anteriores com o revestimento do acabamento com muito plástico. Pelo preço de quase 62 mil tem uma grade bem comum para uma versão exclusiva.

Os faróis não usam led, apenas lanternas. Outro quesito falho é o seu porta malas que é um dos menores da sua categoria com apenas 300 litros para comportar as bagagens.

A suspensão é um pouco instável e apresenta alguns ruídos durante a dirigibilidade. Esse é um dos detalhes que com o passar do tempo podem atrapalhar e impactar também na segurança dos ocupantes.

Outro ponto são os cintos traseiros, que possuem apenas dois cintos com 3 pontos e para quem fica no banco central é menos favorecido com o fator segurança.

TV Digital com tela de 7 polegadas

O diferencial deste modelo é a integração no sistema multímidia da TV Digital com rádio bluetooth, compatibilidade mp3, mp4, fotos para transferência de dados. Tem sensor de ré, no entanto, não tem câmera.

Por segurança, a TV só é habilitada quando o veículo encontra-se estacionado, ou seja, parado. Quando é iniciado o movimento ele bloqueia as imagens e apenas o aúdio é liberado, justamente porque é contra lei assistir vídeos com veículo em movimento e a Hyundai não quis ultrapassar as barreiras jurídicas nesse sentido.

Essas são as novidades do novo HB20 Versão Copa do Mundo Fifa. Se você gostou e acredita que outras pessoas possam se interessar, compartilhe este texto com seus amigos nas redes sociais.

Marcio Ferraz


Fiat Argo Drive 1.3 2018 – Análise, Preço e Novidades


Confira aqui todos os detalhes sobre o Fiat Argo Drive 1.3

A Fiat lançou no mês de julho seu mais novo hatch, o Argo. A marca investiu pesado no modelo para ser um dos carros mais vendidos do país, com o intuito de deixar pra trás até mesmo outras versões da marca, como o Uno, Palio e Mobi.

A Fiat pretende investir mais em tecnologia e conforto, e deixar um pouco o “populismo” de lado. O modelo básico não será como a maioria dos seus carros e o Argo de entrada será a Drive. Todo investimento para concorrer com os dois modelos mais vendidos do país: o HB20 da Hyundai e o Onix da Chevrolet.

Argo 1.3

Para quem escolher adquirir o Fiat Argo com motor 1.3, terá duas opções: o Argo 1.3 manual no valor de R$ 53.900 e o 1.3 automatizado no valor de R$ 58.900.

Para competir fortemente com os seus principais concorrentes, esses dois modelos já virão equipados com um volante multifuncional para configurações da central de multimídia, que virá com tamanho de 7 polegadas.

Além disso, os modelos de motor 1.3 terão direção elétrica, ar-condicionado digital, computador de bordo com visor colorido, travas e vidros elétricos, além da tecnologia start-stop. Para a opção de câmbio automatizado, o motorista ganha auxílio de partida em subidas, vidros traseiros elétricos e controles de estabilidade e tração.

Para quem quiser mais funcionalidades para o veículo, a Fiat abre opções para que o cliente possa incluir câmera de ré e sensor de estacionamento, que sai no valor de R$ 1.200 e as rodas de liga leve, no valor de R$ 1.900.

Investimento

Não é necessário procurar muitas fontes seguras para perceber que a Fiat está investindo para transformar o Argo como seu maior trunfo. Conhecida por ser uma marca popular, a Fiat sempre produziu carros com materiais mais simples e com pouco acabamento.

Pela propaganda comercial que a marca colocou no ar, percebe-se que é o melhor carro que a Fiat já produziu. Até mesmo alguns acessórios ganham em quesito qualidade do que os modelos mais caros da marca, como o Renegade, Toro e Compass.

O Argo conta com alguns botões de comando protegidos com um material emborrachado e para acionar as setas do veículo percebemos o quão mais leve e suave estão. Parece simples, mas esses cuidados não eram vistos nos outros modelos da Fiat.

Agora o mais surpreendente é a central de multimídia de 7 polegadas. A Fiat não fabricava carros com esse tipo de tecnologia e estava bem atrasada na questão de conectividade. Os acessórios de tecnologia da marca sempre foram muito simples e pouco modernos.

Outro ponto positivo é o design interno e o tamanho do Argo. Os materiais utilizados são bem melhores e o modelo virá forte para competir com seus dois principais concorrentes. O espaço interno também teve uma grande melhoria. A Fiat é conhecida por seus carros menores para compensar o preço, agora o Argo vem maior que o Palio e o Punto.

Concorrência

Na parte de motor, suspensão, dirigibilidade e potência, também são os mais novos investimentos da Fiat. Com o motor 1.3 e 109 cavalos, o Argo consegue ser mais potente que o modelo 1.4 Onix, da Chevrolet. A suspensão está mais ajustada e confortável para dirigir e o volante com direção elétrica é extremamente leve.

A Fiat, claro, ainda está em constante melhorias e sabe que precisa de mais e mais investimentos para ganhar de vez a concorrência. Com o Argo a Fiat fica próxima do pódio, mas ainda precisa rever seu câmbio automatizado.

A primeira vez que a Fiat usou uma transmissão GSR foi no Novo Uno em 2016 e depois no Mobi com melhorias. Mesmo assim, está um pouco longe para competir com câmbio automático de alguns modelos concorrentes.

A Fiat pretende concorrer com a versão 1.4 do Onix, o carro mais vendido do Brasil desde 2015. A versão menos equipada da Chevrolet sai por R$ 51.650, a mais completa sai por R$ 56.650, mesmo assim a Fiat consegue entregar mais itens especiais.

Com o HB20, o Argo compete com a versão turbo da Hyundai, com os equipamentos oferecidos o carro sai mais barato que o novo lançamento da Fiat, mas também fica devendo em muitos acessórios que o Argo oferece.

A concorrência vai ser muito saudável e boa para os consumidores. A Fiat pretende emplacar 5 mil carros por mês até 2017, contudo, a crença do mercado é que esse número seja ainda maior.

Por Carolina Costa


Análise Suzuki Jimny 4×4 – Vale a Pena?


Confira aqui o preço e as qualidades do Suzuki Jimny e descubra se ele realmente vale a pena.

O jipinho, que é vendido por R$ 65.990, ainda continua como uma alternativa bem acessível para os amantes das trilhas.

É um número assustador, mas aproximadamente 80% das estradas do nosso país não são pavimentadas. Sem contar que diversas cidades do Brasil são complexas, topograficamente, com muitas subidas, cheias de morros, descidas, independentemente de serem asfaltadas ou não.

Portanto, faria muito sentido a venda destes tipos de veículos com tração nas quatro rodas com um preço acessível para os indivíduos que costumam frequentar este tipo de terreno, correto?

Ainda existem poucos

A montadora francesa Renault, dentre as empresas que podem ser consideradas grandes, está entre as únicas que ainda possui uma opção que chega perto desta realidade, a qual comercializa aos seus clientes o modelo Renault Duster, que possui tração integral, com motor de 2 mil cilindradas e transmissão manual, infelizmente por um preço salgado de R$ 86.620.

Logo abaixo deste modelo, bem distante das casas do R$ 90 mil, existe apenas uma opção de carro zero quilômetro com tal sistema de tração (4×4), que é o pequeno Jimny da Suzuki, com produção nacional, que é comercializado pelo valor que vai de R$ 65.990 a R$ 71.990.

Se pensar que o projeto de produção do veículo possui mais de 40 anos e o acabamento não é lá um dos melhores, pode-se considerar um carro não tão barato assim, entretanto, é o único modelo que conta com essas características. Vem com um propulsor de 1300 cc (1.3) e com 16V, transmissão manual de cinco marchas, além de uma opção de marcha reduzida.

Ao parar para analisar, de longe, o pequeno Suzuki Jimny é o veículo comercializado em série que possui tração nas quatro rodas mais em conta do mercado brasileiro na atualidade.

Embora seja um veículo de porte pequeno, não sendo também muito robusto, o mesmo aguenta o tranco e suporta a pressão.

Então se você tem costume de rodar em localidades com uma topografia muito acidentada ou até mesmo realiza suas trilhas no final de semana, o Jimny da montadora asiática pode ser uma boa escolha.

FILIPE R SILVA


Chery QQ é Bom? – Análise do Carro


Confira aqui uma análise e descubra se o Chery QQ é um carro bom.

A Chery apresenta o compacto QQ, considerado o carro mais barato do Brasil, um adjetivo ótimo para o tempos de crise. O lançamento da linha 2018 esta composta por três versões, com o preço inicial de R$25.990,00, que é claro, abre mão de alguns benefícios como ar-condicionado, direção hidráulica, limpador e desembaçador traseiro.

A linha apresenta vantagem na versão QQ Act, que o valor chega a R$31.490,00. O carro 0 km vem com alguns complementos que fazem toda diferença na hora da compra, como ar-condicionado, trio elétrico, rádio CD Player, computador de bordo, abertura interna do porta malas, rodas de liga leve aro “14”, sensor de estacionamento e luzes diurnas (DRL).

Segundo teste realizado pela iCarros, a respeito do desempenho, o motor é 1.0 de três cilindros, bicombustível, rendendo de 74 cv com gasolina e 75 com etanol. Com transmissão manual das cinco marchas, segundo o teste, as marchas não têm muita precisão a respeito do engate, porém, não chega ser um incomodo. Já o freio é mais baixo, o que exige adaptação. A respeito da suspensão, não se sente batidas e apresenta leveza em pisos irregulares. É um ótimo carro para o dia a dia, basta um tempo com o volante para se acostumar.

A respeito do acabamento, é considerado simples. Na parte superior do painel o modelo apresenta uma forma de bandeja, o porta luvas é compacto. O sistema de som possui entrada USB, o rádio é simples, sem muitos recursos, uma falha no sistema de som é a ausência do viva-voz Bluetooth.

A respeito do tamanho, as dimensões do QQ são reduzidas, possuindo 3,56 metros de comprimento por 1,62m de largura, o que torna favorável a respeito de estacionamento, pois se encaixa em qualquer lugar, oferecendo facilidade para manobrar o veículo. O porta malas possui 160 litros de capacidade, onde para uma família grande já se torna desconfortável. A respeito dos custos, o seguro do QQ Act sai em média R$ 3.237,0, já as revisões até 60 mil km saem por R$2.572,00 e a cesta de peças está em torno de R$3.988.

A Chery QQ não apresenta luxo e nem uma tecnologia avançada, é um carro para o dia a dia, para quem quer um carro 0km com preço acessível e em torno dos R$30.000,00. Um dos principais elogios da marca é o seu desenho externo.

Gisele Alves de Brito


Celta Spirit 2011 1.0 VHCE – Vídeo Teste Drive e Avaliação do usado


Para quem procura um carro para uso majoritariamente urbano e não pretende gastar mais que R$ 20.000,00, fizemos um teste para você: Celta Spirit 2011 1.0. Andando no carro e conversando com o proprietário, confirmamos o que já esperávamos: o carro é uma das melhores opções em seminovos nessa faixa de preço.

O carro alia bom preço com baixa e barata manutenção, além da economia de combustível dos 1.0. A ampla rede de concessionárias da Chevrolet e o valor baixo de suas peças o tornam um dos carros mais baratos para manter no segmento. Em relação ao consumo de combustível, mesmo numa cidade com muitas paradas em semáforos como Curitiba, o carro faz facilmente 9km/l, podendo-se esperar mais em cidades menos congestionadas. Na estrada, 12 a 13km/l, mesmo pisando forte, também não é difícil de conseguir.

Por falar em pisar forte, há de se notar a versatilidade do motor 1.0 VHCE de 78cv a álcool e 77cv a gasolina, o mesmo que equipa os Celta 2014 (à venda por pouco mais de R$ 33 mil). O torque de 9,7 kgfm a álcool e 9,5 kgfm a gasolina é razoável, mas como o motor de 8 válvulas o entrega em ampla faixa em baixa rotação, o carro tem um comportamento bastante ágil no trânsito, com boas arrancadas e bom desempenho em subida. Em nosso teste, com o carro cheio de gente e equipamento, o Celta se comportou muito bem. Subiu ladeira íngreme a 70km/h partindo do 0 tranquilamente, acelerou a 110km/h na estrada sem demonstrar qualquer esforço e demonstrou muita agilidade nas arrancadas mais rápidas. O conjunto motor e câmbio merece nota 10 pelo acerto. E o Celta é bastante agradável de dirigir.

Em um Celta desse ano, pode-se esperar um conjunto razoável de equipamentos. Este modelo vinha com vidros elétricos nas portas dianteiras, ar quente, desembaçador traseiro e direção hidráulica. O acabamento, embora simples, é caprichado. O painel tem um toque em textura de couro que dá um certo requinte, e é notável o capricho com que tapetes e forros são bem alinhados. O modelo testado estava pouco rodado (13 mil km), ainda com acabamento impecável, mas quem comprar um modelo com maior quilometragem pode esperar um interior em excelente estado.

Com relação ao espaço interno, o Celta acomoda bem cinco ocupantes adultos sem aperto. O carro é apertado para motoristas com mais de 1,90m, mas alguém com essa estatura vai bem acomodado no banco do passageiro. O porta-malas de 268 litros é adequado para uso na cidade, mas leva a bagagem de um casal em viagem tranquilamente.

E mercado é o que não falta para o Celta. Contando com justificada boa fama, o carro é fácil de vender e tem uma desvalorização baixa em relação ao segmento. Não estranhe a diferença de preço entre este 2011 e um zero km, já que este vem com airbag e freios ABS, além de um pacote bastante completo de série, o que encarece o modelo.

Carros.