Nova viatura policial italiana será uma Lamborghini Huracán


No Brasil, a maioria da sociedade brasileira ainda não internalizou o conceito de que você deve amar e dar o de melhor àqueles que te protegem. Em muitos municípios e estados vemos policiais andarem em viaturas sucateadas e com baixa potência.

Em alguns países europeus esse pensamento é outro. Na Itália, a nova arma da polícia Italiana é a Lamborghini Huracán. O carro é um dos lançamentos da marca, desejo de consumo de milhões de pessoas espalhadas por todo o mundo.

Foto: divulgação

Não será uma boa ideia pessoas que andam fora da lei na Itália pisarem fundo a fim de fugirem da Polizia (polícia), como é conhecida no país europeu. Segundo a fabricante, a Lamborghini Huracán pode chegar de 0 a 100 km/h em apenas 3,2 segundos.

Ao contrário do muitos pensam, as viaturas não foram adquiridas por preços absurdos e exorbitantes pela polícia Italiana. As Lamborghini Huracán foram doadas ao Poder Público e as chaves das Lamborghinis Huracán foram entregues pelo CEO da fabricante, Stephan Winkelmann, diretamente às mãos do prefeito de Roma.

Foto: divulgação

As viaturas farão parte da frota da Polizia até o final do ano, que terá como principal missão o combate da criminalidade nas auto-estradas e a prevenção de acidentes.

Apesar de ser uma viatura policial, debaixo da pintura, a Lamborghini Huracán é uma Lamborghini autêntica. A Lamborghini Huracán é equipada com motor V 10 de 5,2 litros que emprega 610 cavalos de potência máxima ao veículo. O conjunto se completa por um jogo de dupla embreagem com sete marchas automatizadas. A máquina atinge velocidade máxima de 325 Km/h.

A viatura ainda consta com sirenes, luzes de LED e um sistema de câmeras nos retrovisores que podem verificar a velocidade dos demais veículos. Além disso, conta com a plotagem convencional da polícia italiana.

O veículo é sensacional e se torna mais uma ferramenta essencial no combate à criminalidade na Itália. Tomara que alguma montadora de peso se voluntarie a doar viaturas potentes às forças públicas de segurança do Brasil.

Por Daniel Alves


Os carros esquecidos pelo público no Salão do Automóvel de SP 2014


Veículos e marcas ainda não tão consolidadas ficaram em segundo plano no Salão do Automóvel desse ano. O público que freqüenta o evento, obviamente, procurou por Porsches, Ferraris, BMWs, Mercedes, Volvo, entre outros.

Em busca da luxúria e inovações em automóveis nobres, o público acabou esquecendo alguns veículos expostos no evento. Segundo o parecer do site especializado Icarros, confira os veículos que passaram despercebidos pelos freqüentadores do Salão:

– Kia Soul

Este novo lançamento da Kia ainda não fez sucesso. Com pouca visibilidade, perdeu espaço para as novas gerações do Sorento e da Carniva;

– Chevrolet Celta e Classic

Sem muita inovação, e próximos da aposentadoria, consequentemente nem foram notados pelo público;

– Fiat Palio Fire

Quanto mais próximo da popularidade, menos sucesso no Salão do Automóvel. O Fiat Palio Fire, mesmo em lançamento, não foi tão notado;

Foto: divulgação

– Linha Bluemotion da Volkswagen

Ecologicamente correto, esta linha da Volkswagen também ficou em segundo plano no Salão;

– Chery

Com o estande quase sempre vazio, dificilmente se via alguém dentro do carro para conhecê-lo;

– Lifan

Fez o possível para chamar a atenção dos visitantes, mas o público se dispersava rapidamente;

– JAC

Ainda angariando espaço e confiabilidade no mercado, a JAC Motors montou um estande não tão chamativo, passando em branco aos visitantes;

A 28ª Edição do Salão do Automóvel aconteceu entre os dias 30 de outubro a 09 de novembro, no Pavilhão de Exposições do Anhembi. O evento reuniu 500 modelos de carros, sendo 150 lançamentos de 84 expositores e 41 marcas.

Foto: divulgação

Na oportunidade, os visitantes puderam participar de tests drive nos arredores do Anhembi. Uma das marcas que disponibilizou o test drive foi a AUDI. Já a Land Rover mostrou aos visitantes como pegar "carona" em seus veículos, em uma estrutura de ferro, na qual simulava uma trilha off-road. 

Esse ano, o Salão do Automóvel também contou com um aplicativo para celular, na qual o visitante poderia receber orientações detalhadas de todo o evento.

Mais informações, consulte no site oficial: http://www.salaodoautomovel.com.br/

Por Daniel Matteelli Galdino


Vendas de automóveis registraram alta em setembro de 2014


O mercado automobilístico passa por um momento ruim, com um estoque elevado apela para promoções e redução de impostos para atrair os consumidores. Parece que a estratégia vem dando certo, pois setembro fechou com um aumento de 9% nas vendas em relação ao mês anterior, agosto deste mesmo ano.

De acordo com relatório divulgado pela Fenabrave (a associação das distribuidoras de veículos), em setembro foram vendidos 282.519 automóveis, o que significa 9% a mais que em agosto, que somou a comercialização de 259.141 unidades. Ainda segundo a Fenabrave, esse resultado é o segundo melhor de 2014, perdendo apenas para janeiro.

Mesmo assim, se compararmos com o mesmo período do ano de 2013, percebemos que houve queda de 3,9%. Ano passado foram vendidos 293.916 veículos. Já no acumulado dos primeiros nove meses do ano, ganharam as ruas 2.404.032 veículos novos, contra 2.638.302 no mesmo período de 2013, registrando queda foi de 8,9%.

A Fiat lidera as vendas, já que foi responsável por 21% dos veículos vendidos em setembro. No mesmo mês, a GM vendeu 17,6% e superou a Volkswagen, que ficou com índice de 16,5%. Entre as dez que mais venderam ainda aparecem na lista a Ford com 8,9% das vendas, seguida pela Renault com 7,4%, a Hyundai com 7,2%, em seguida a Toyota com 6,2% das vendas, a Honda com o índice de 4,3%, a Nissan com 2,4% e por último a Mitsubishi com apenas 2,1% do total das comercializações.

Ainda no mês de setembro, o saldo foi positivo para outros segmentos, como o das motos. Houve alta de 7,7% nas vendas. No último mês 119.842 unidades foram vendidas contra 111.326 unidades em agosto.

Já na mesma comparação com o setembro de 2013, a alta foi de 1,7%, com a concretização da venda de 117.764 motos.

A alta modesta impactou no acumulado do ano, onde foi  registrada  baixa de 13,8%. Já na comparação de setembro deste ano com o mesmo mês de 2013, houve retração de 13,3%.

Por Vivian Schetini

Vendas de carros

Foto: Divulgação


Vendas de picapes pequenas, médias e grandes em agosto de 2014


A Fenabrave revelou os índices de vendas do mês de agosto na categoria das picapes pequenas, médias e grandes. Enquanto os modelos compactos foram responsáveis pela venda de 21.651 unidades, alta de 0,5% e queda 3,17% em relação ao ano de 2013 e ao mês de julho, respectivamente, as caminhonetes médias e grandes emplacaram 13.454 veículos, baixa de 14,96% e 11,18% na variação 2014/2013 e Agosto/Julho, respectivamente.

Entre as picapes compactas, a Fiat Strada novamente foi a campeã no mês de agosto. Com 12.848 unidades emplacadas, alta de 2,09% e 10,19% na variação agosto/julho e 2014/2013, respectivamente, o modelo da marca italiana representou quase 60% das vendas na categoria e registrou uma diferença de quase 5.300 carros em relação ao segundo colocado. Contando com o mês de agosto, esse é o nono mês consecutivo que a Strada consegue ultrapassar a marca de dez mil unidades mensais vendida.  

Muito distante da Strada, mas também com quase 5.300 carros de diferença para a Chevrolet Montana, terceira colocada, a Volkswagen Saveiro manteve a posição da categoria com 7.019 carros emplacados. Registrando ligeira queda de 3,77% na comparação com o mês passado, a caminhonete compacta da Volks cresceu 20,17% em relação ao mesmo período do ano passado.

Entre a categoria das picapes médias e grandes, a disputa pelo primeiro lugar foi mais acirrada. Contudo, a Chevrolet S10 levou novamente a primeira posição, deixando a Toyota Hilux em segundo lugar. Enquanto a caminhonete da Chevrolet emplacou 3.861 unidades, queda de 13,64% e 9,98% em relação ao mês e ano passado, respectivamente, o modelo da Toyota foi responsável por comercializar 3.363 veículos, recuo de 16,49% na variação agosto/julho e baixa de 3,20% na comparação 2014/2013.

Na terceira colocação, a Ford Ranger manteve a colocação do mês passado emplacando 2.153 veículos. Mesmo com as baixas de 7,40% e 11,07% em relação ao mês de julho e ao ano de 2013, respectivamente, o modelo da Ford conseguiu registrar vendas superiores aos dois mil carros pela quarta vez.

Ganhando a quarta posição da Amarok, a Mitsubishi L200 emplacou 1.554 unidades, mas registrando recuo de 9,12% e 11,35% nas variações agosto/julho e 2014/2013.

Fechando a lista das cinco picapes mais vendidas está a Volkswagen Amarok. Responsável por vender 1.444 unidades, o modelo da marca alemã teve alta de 0,84% em comparação ao mês passado, mas um recuo expressivo d 34,36% em relação ao ano passado. 

Por Caio Polo

Fiat Strada 2014

Fiat Strada 2014

Chevrolet S10 2014

Chevrolet S10 2014

Fotos: Divulgação


Ranking de vendas de sedans pequenos em agosto de 2014


A Fenabrave divulgou os números das vendas do mês de agosto na categoria dos sedans pequenos e eles não são nem um pouco animadores. Com 35.872 carros emplacados, uma queda de 17,21% em relação ao mês de julho que registrou 41.001 unidades vendidas, o segmento foi liderado mais uma vez pelo Fiat Siena com uma margem de mais de 1.600 veículos sobre o segundo colocado.

O Fiat Siena liderou com tranquilidade o segmento dos sedans pequenos. Emplacando 8.469 carros, o sedan teve uma variação negativa de 33,24% e 5,36% em comparação com o ano passado e o mês de julho, respectivamente. Vale lembrar que a Fenabrave não diferencia os modelos Siena e Gran Siena.

Se a primeira colocação foi obtida com folga, a disputa pelo segundo lugar foi acirrada, mas o Volkswagen Voyage levou a melhor sobre o Chevrolet Prisma e garantiu a segunda posição. Enquanto o sedan da marca alemã comercializou 6.843 unidades (-1,70% 2014/2013 e -4,71% Agosto/Julho), o modelo da fabricante estadunidense vendeu 6.717 carros (-0,49% 2014/2013 e -20,96% Agosto/Julho).

Na quarta colocação, o Hyundai HB20S diminuiu o ritmo do mês passado, quando obteve seu melhor desempenho em 2014, vendendo 4.593 carros. Com isso, o modelo da marca sul-coreana teve uma queda de 13,89% em comparação ao mês de julho, mas alta de 13,21% nas vendas em relação ao ano de 2013.

Fechando a quinta colocação, em uma disputa ainda mais apertada do que a vista pela segunda colocação, o Chevrolet Classic conseguiu vencer o Renault Logan emplacando 4.085 unidades contra 4.027 carros da marca francesa. Pela alta expressiva na comparação com o ano passado (+87,04), é possível que o Renault Logan cresça ainda mais no segmento e assuma a quinta colocação neste mês de setembro.

Fechando as vendas do segmento na sétima colocação e registrando as maiores quedas de participação na categoria (-32,42% e -64,71% em relação a julho e 2013, respectivamente), o Ford Fiesta Sedan teve 1.138 carros vendidos.

Por Caio Polo

Fiat Siena

Volkswagen Voyage

Chevrolet Prisma

Fotos: Divulgação


Ranking dos carros mais vendidos em agosto de 2014


A Fenabrave revelou os índices de vendas do mês de agosto e pelo terceiro mês consecutivo o Fiat Palio foi o carro mais vendido no mercado brasileiro.

Disputando dia após dia com o Volkswagen Gol pela primeira posição, o Fiat Palio levou a melhor emplacando 14.305 unidades, enquanto que o Gol vendeu 14.198 unidades.

Na terceira colocação, sendo uma surpresa devido à reestilização que chegou no início de setembro e trouxe mudanças importantes, o Fiat Uno aparece com 10.922 unidades comercializadas. Saltando da sexta para a terceira posição, o modelo de entrada da Fiat deixou o Chevrolet Onix na quarta colocação e o Hyundai HB20 na quinta posição, com 10.285 e 9.074 unidades vendidas, respectivamente, fechando a lista dos cinco carros mais vendidos no Brasil em agosto.

Entre a lista dos dez carros mais vendidos, outra surpresa foi a nova geração do Renault Sandero, que emplacou 7.277 unidades e garantiu a nona colocação, ficando à frente do Volkswagen Voyage (6.843), Chevrolet Prisma (6.717), Toyota Corolla (5.944) e VW Up! (5.846).

Por falar em Corolla, o sedan da Toyota ficou bem à frente do seu maior rival no segmento dos sedans médios, o Civic, que emplacou apenas 4.575, ficando quase 1.400 veículos atrás.

Abaixo, a lista dos 25 carros mais vendidos na categoria automóveis e comerciais leves:

Automóveis:

– 1º Fiat Palio – 14.305;
– 2º VW Gol – 14.198;
– 3º Fiat Uno – 10.922;
– 4º Chevrolet Onix – 10.285;
– 5º Hyundai HB20 – 9.074;
– 6º Ford Fiesta – 8.505;
– 7º Fiat Siena – 8.469;
– 8º VW Fox / Crossfox – 8.348;
– 9º Renault Sandero – 7.277;
– 10º VW Voyage – 6.843;
– 11º Chevrolet Prisma – 6.717;
– 12º Toyota Corolla – 5.944;
– 13º VW Up! – 5.846;
– 14º Honda Fit – 4.880;
– 15º Hyundai HB20S – 4.593;
– 16º Honda Civic – 4.575;
– 17º Chevrolet Classic – 4.085;
– 18º Renault Logan – 4.026;
– 19º Chevrolet Cobalt – 3.627;
– 20º Toyota Etios Hatch – 3.234;
– 21º Chevrolet Spin – 2.995;
– 22º Nissan March – 2.292;
– 23º Citroën C3 – 2.272;
– 24º Renault Clio – 2.239;
– 25º Ford Focus – 2.218.

Comerciais leves:

– 1º Fiat Strada – 12.846;
– 2º VW Saveiro – 7.020;
– 3º Ford EcoSport – 4.735;
– 4º Chevrolet S10 – 3.861;
– 5º Renault Duster – 3.470;
– 6º Toyota Hilux – 3.363;
– 7º Ford Ranger – 2.153;
– 8º Fiat Fiorino – 1.972;
– 9º Chevrolet Montana – 1.754;
– 10º Mitsubishi L200 – 1.554;
– 11º VW Amarok – 1.444;
– 12º Hyundai Tucson – 1.424;
– 13º Toyota Hilux SW4 – 1.346;
– 14º Hyundai ix35 – 1.304;
– 15º Mitsubishi Pajero – 1.218;
– 16º Renault Master – 1.193;
– 17º Mitsubishi ASX – 966;
– 18º Kia Sportage – 908;
– 19º Nissan Frontier – 869;
– 20º Fiat Ducato – 856;
– 21º Honda CR-V – 813;
– 22º Chevrolet Tracker – 745;
– 23º Hyundai HR – 744;
– 24º Toyota RAV4 – 611;
– 25º Mitsubishi Outlander – 582.

Por Caio Polo

Fiat Palio

1º lugar automóveis: Fiat Palio

Fiat Strada

1º lugar comerciais leves: Fiat Strada

Fotos: Divulgação


Descontos do IPI devem aquecer o mercado de automóveis até o final de 2014


Os descontos do IPI até o fim de 2014 deverão aquecer o mercado nos últimos meses do ano. Lojistas acreditam que a redução do imposto levará os clientes a uma corrida até as lojas para garantirem o melhor preço.

De acordo com Flávio Meneghetti, presidente da  Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, Fenabrave, em janeiro de 2015 o imposto volta a ser aplicado, pois não existe possibilidade de continuação dos cortes, uma das razões é eleição presidencial deste ano, já que em primeiro de janeiro de 2015 o novo presidente tomará posse. “Mesmo em caso de reeleição de Dilma Rousseff o IPI deverá voltar ao percentual histórico”, aposta Flávio.

A redução do IPI vem ocorrendo com certa frequência no país na tentativa de impulsionar e aquecer o mercado automobilístico brasileiro, que passa por uma crise econômica, e que reflete na desmobilização de mão de obra em diversas montadoras do país. Tão grave que, atualmente, é usado um sistema de "lay-off", que é a suspensão temporária dos contratos de trabalho. Nesse mecanismo, o funcionário é afastado e parte dos salários é bancada pelo Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), do Ministério do Trabalho, mas essa contribuição é limitada a cinco meses

A ação de redução para ativar a economia aconteceu em maio de 2012, carros com motor 1.0 teve seu IPI totalmente reduzido, os demais teve o IPI reduzido em média pela metade. Em 2013, um pequeno ajuste devolveu uma taxação de 2% nos carros com motor 1.0 e os demais entre 7% e 8%.

Este ano, o governo pensava em retomar as taxas originais, mas a queda  nas vendas fez o mesmo recuar na decisão, porém não sem reajustá-los. Nos carros motor 1.0 o imposto subiu para 3% e os demais entre 8% e 9%.

Sendo assim, a partir de janeiro de 2015, as taxações originais do IPI para carros de passeio serão:

– Para carros até 1000cc – 7%;

– Para carros de 1001cc a 2000cc gasolina – 13%;

– Para carros de 1001cc a 2000cc flex – 11%;

– Para carros acima de 2001cc gasolina – 25%;

– Para carros acima de 2001 cc flex – 18%.

Por Vivian Schetini

IPI reduzido

Foto: Divulgação


Ranking dos carros mais vendidos até julho de 2014


A Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) divulgou uma lista dos carros mais vendidos até julho deste ano.

Como era de se esperar, o Gol (popular da Volkswagen) vendeu cerca 107.957 unidades até o momento. O modelo lidera o mercado de vendas nacionais há 27 anos, ultrapassando até mesmo o saudoso Fusca – também da Volkswagen – que liderou o mercado automotivo por 24 anos consecutivos. Ao todo são mais de 50 anos de liderança do mercado nacional. Esse fato se deve ao baixo custo do modelo, que gira em torno de R$ 35 mil. O modelo já que vem acompanhado de airbag duplo, freios ABS, direção hidráulica dentre outras vantagens.

O segundo da lista é o Fiat Palio, que vendeu o equivalente há 98.879 unidades em todo país. O terceiro lugar é do Fiat Strada, que possui um grande número de fãs por ser um modelo que acompanha um motor de 1.4 cavalos de potência e é uma ótima aquisição para moradores da área rural. É importante ressaltar que as vendas dos modelos da Fiat vêm crescendo nos últimos anos, e apresenta um perigo real para a concorrente Volkswagen, já que em junho e julho deste ano os modelos da Fiat tiveram uma leve vantagem em vendas.  O sucesso se deve ao baixo custo de venda de seus modelos e manutenção. Além disso, a Fiat juntamente com o Governo Federal possui um programa onde o produtor rural tem a chance de financiar veículos de transporte de carga por um preço excelente.

A lista segue com o modelo Chevrolet Onix em quarto lugar, com um total de 81.043 unidades vendidas em todo país. Seguido pelo Ford Fiesta com 75.449 unidades emplacadas. Modelos das empresas General Motors, Renault, Hyundai também aparecem com grande frequência. Seguidas por Toyota, Honda, Nissan e Citroën. Outras fabricantes possuem juntas cerca 7% das vendas atuais.

Por Wendel George Peripato

Volkswagen Gol 2014

Foto: Divulgação


Produção de veículos automotivos no Brasil apresentou queda em julho de 2014


A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), divulgou nesta quarta-feira, 6 de agosto, os registros de vendas do mercado automotivo brasileiro no mês de julho.

Embora com o aumento de 17% na produção em relação ao mês de junho, o mês de julho sofreu um duro golpe e teve seu pior desempenho desde o ano de 2006, quando a indústria automotiva brasileira produziu 202,9 mil veículos. Com 252,6 mil carros fabricados, o sétimo mês do calendário de 2014 registrou uma queda expressiva de 20,5%, quando comparado ao mês de julho de 2013, responsável pela produção de 317,9 mil unidades.

Em comparação ao mês de junho, no qual houve a produção de 215,9 mil veículos, julho conseguiu produzir 17% a mais, contudo, além de registrar uma queda acentuada em relação ao ano passado (-20,5%), no acumulado dos sete primeiros meses do ano de 2014 a indústria também recua 17,4%, com 1,82 milhão de veículos produzidos. No mesmo período do ano de 2013, o setor já havia fabricado 2,2 milhões de carros.

Além nas quedas das vendas de veículos, o principal vilão da indústria automotiva brasileira está sendo a Argentina. Devido à crise vivida no país vizinho, responsável por absorver 75% dos veículos exportados pelo Brasil, as exportações de carros feitos por aqui sofreram uma queda acentuada.

Entre janeiro e julho deste ano foram exportados 204 mil veículos, uma queda de 35% em comparação ao mesmo período do ano passado, que registrava a exportação de 316 mil veículos.

Para Luiz Moan, Presidente da Anfavea, houve um clima de pessimismo exagerado no período que antecedeu a Copa do Mundo no Brasil e que, de alguma forma, isso acabou afetando os consumidores. Moan ainda afirmou que, de acordo com os históricos dos anos anteriores, o segundo semestre apresentará números melhores que o primeiro.

Ainda de acordo com o Presidente da Anfavea, há uma expectativa de melhoras para o setor, já que no mês de julho houve elevação 294,8 mil carros registrados, elevação de 11,8% em relação ao mês de junho. Entretanto, quando comparado com o ano passado, o número de carros licenciados caiu 13,9%.

Por fim, com o maior número de dias úteis no segundo semestre e com a queda na inadimplência, o que retomaria a liberação de crédito pelas instituições financeiras deve dar ânimo ao setor automotivo.  

Por Caio Polo

Produ??o de ve?culos

Foto: Divulgação


BMW lança coupé esportivo M235i no Brasil por R$ 229.950


A BMW não pára de ampliar sua linha de produtos no Brasil e, dessa vez, quem desembarca em solo brasileiro é o novo Série 2 em sua versão esportiva “M”, que pretende roubar a cena dos esportivos. Baseado no Série 1 Coupé, o BMW M235i conta com mais itens de série, vocação ainda mais esportiva e um visual esportivo sem exageros.

Com foco em oferecer ao condutor uma excelente dirigibilidade e alta performance, o BMW M235i vem equipado com spoiler traseiro, para-choque traseiro mais elevado para aumentar a downforce, rodas de liga leve Double Spoke de 18 polegadas, suspensão esportiva rebaixada em 10 mm com ajuste especial, direção esportiva variável com Servotronic, faróis bi-xênon e retrovisores externos com capa na cor cinza.

Entre os equipamentos de série, cabe destaque para o sistema iDrive Touch Controller, seis airbags, bancos com revestimento em couro, Park Assist, sensor de chuva, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, câmera de segurança para manobras em marcha ré, bancos esportivos elétrico com memória, ar-condicionado digital dual-zone, sistema de som Harman Kardon e teto solar elétrico.

O modelo esportivo ainda conta com um sistema de navegação profissional, BMW Live, Bluetooth Audio Streaming, BMW Apps, função Start&Stop, regeneração de energia de frenagem, entre outros.

Mecanicamente, o BMW M235i traz sob o capô o motor seis cilindros 3.0 TwinPower Turbo, capaz de entregar 330 cv e torque de 45,8 kgfm. Trabalhando em conjunto com o bloco seis cilindros em linha está uma transmissão automática oito velocidades, com opção de trocas sequenciais mediante Paddle Shifts situados atrás do volante.

Dotado de tração traseira, o que deixa o esportivo ainda mais interessante, o modelo acelera de 0 a 100 km/h em apenas 4,8 segundos, com velocidade máxima limitada em 250 km/h.

A marca alemã oferece o M235i por R$ 229.950, com a opção das cores Branco Mineral, Branco Alpino, Prata Glacier, Cinza Mineral, Vermelho Melbourne, Azul Estoril e Preto Safira.

Por Caio Polo

Foto: divulgação


Avião caça F-35 inspira série especial do Mustang


A famosa frase “é um homem ou um avião?” tornada clássica com o Super Homem pode ser convertida para “é um carro ou um avião?”. Isso, claro, porque o assunto tem mesmo a ver com carros e também com aviões. Estamos falando aqui do Mustang 2015 que foi projetado com a cara de um dos aviões de caça mais avançados e famosos do mundo, o Lockheed Martin F-35 Lightning II.

Criada pela Ford, a série especial foi apresentada ao público durante a realização de um evento, o EAA Air Venture que, diga-se de passagem, é o maior no setor de aviação dos Estados Unidos.

A parte mecânica da série especial continuou igual a que é apresentada pelo modelo base, que é um Mustang GT fastback. Ou seja, lá está o motor V8 de cinco litros, capaz de gerar 435 cavalos de potência. A coisa fica mesmo diferente é no exterior, que foi completamente personalizado com o objetivo de se parecer ao máximo com o caça americano.

Na parte da frente, um splitter feito em carbono o deixou ainda mais agressivo. Imitando a coloração das janelas do caça, as pinças dos freios e também dos vidros, bem como os retrovisores receberam uma cor amarela.

A coisa não fica só nisso. O sistema de escape tem ponteiras feitas em cerâmica. No caso da suspensão, há a presença de molas rebaixadas Eibach. Na parte de dentro do carro, o painel foi completamente redesenhado além do fato de que os tapetes foram bordados com o emblema específico da série especial. Esses são apenas alguns detalhes desse projeto interessante.

De qualquer maneira, a Ford já é uma velha conhecida no evento. Ela patrocina o mesmo há sete anos. Em cada edição lança um modelo que é destinado para leilão. Nesta edição, foi feita a mesma coisa e o dinheiro obtido pelo leilão foi direcionado para o programa Young Eagles que se propõe a incentivar jovens a seguirem em frente em carreiras que envolvam o mundo da aviação.

No ano passado o modelo foi leiloado por mais de US$ 400 mil. Já neste ano foi mantido em sigilo, tanto o valor, quanto quem comprou o carro especial.

Por Denisson Soares

Foto: divulgação


Conheça a Mitsubishi Pajero Full geração 2015


As últimas modificações do modelo atual do Mitsubishi Pajero Full 2015 já foram feitas. A expectativa é de que o modelo possa ser substituído até o fim de 2015 por uma geração que, segundo as informações divulgadas, é totalmente nova.

Recentemente a montadora de origem japonesa apresentou ao público em sua terra natal a linha 2015 do modelo utilitário-esportivo. Na nova linha, entre as novidades mostradas estão algumas mudanças realizadas no interior e no visual.

De acordo com informações de sites especializados do setor, bem como com projeções da própria montadora, a previsão é de que a linha chegue ao Brasil já nos próximos meses.

O Pajero Full 2015 recebeu uma nova grade dianteira. O acabamento é cromado e faz uma união com o para-choque que, por sinal, também é novo. Além disso, temos as luzes diurnas de LED presentes no modelo, elas foram posicionadas ao redor dos faróis de neblina. Também foram acrescentados novos detalhes cromados e novas rodas, dentre diversas outras coisas.

O modelo de quatro portas traz uma nova capa de estepe que tem um objetivo interessante: o de (tentar) simular uma certa continuação do vidro traseiro do veículo.

Entre as novidades do interior do Pajero 2015 teremos um novo console central e alguns pequenos detalhes nas saídas de ar. O acabamento escolhido para o interior foi o preto brilhante para versão VR II. Já nas variações Exceed e Super Exceed vamos encontrar acabamento em madeira. Outro detalhe, segundo informações da montadora, é o fato de que o isolamento acústico foi melhorado.

No que diz respeito aos motores, ainda permanecem os blocos 3.0 V6 movido a gasolina com 250 cv e o de quatro cilindros turbodiesel que tem 200 cv. Nos dois casos há a associação do bloco de motor com uma transmissão automática que conta com cinco velocidades. Além disso, podemos acrescentar na lista a tração nas quatro rodas.

No mercado japonês o Mitsubishi Pajero Full 2015 já está sendo oferecido. O preço inicial é de 2.921,400 ienes o que, sem contar com os impostos, seria algo em torno dos R$ 64 mil.

Por Denisson A. Soares

Foto: divulgação


Novo Ford Ka faz chamada para o SAMU em casos de acidente


Quando falamos sobre carros, consideramos a segurança como um dos pontos a serem tidos como fundamentais pelas montadoras. A Ford parece estar interessada nesse assunto.

Em um evento realizado no último dia 25 de julho de 2014, no qual a companhia apresentou seu novo Ka, um aspecto do modelo em particular acabou chamado a atenção do meios de comunicação especializados na área. Trata-se de uma tecnologia que tem caráter assistencial em caso de emergência. E uma curiosidade: é a primeira vez que algo do tipo aparece em um carro nacional.

O sistema que se encontra presente no novo Ka basicamente segue a mesma linha apresentada nos veículos da Volvo. Mas, neste caso, há um diferencial que pode atrair os consumidores, já que ele está presente, mas não será cobrado nenhum adicional por isso.

Nos carros fabricados pela marca sueca, os proprietários são obrigados a pagar uma anuidade que gira em cerca de R$ 1 mil.

O Sync já é conhecido. Pois bem, esse recurso nada mais é do que uma funcionalidade que integra o sistema. Esse “item” de assistência de emergência é programado para que uma ligação seja feita para o serviço de emergência do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e tudo de forma automática.

A funcionalidade entrará em ação quando ocorrer um eventual acidente com o veículo, desde que ocorra o acionamento do sistema de airbag ou ainda aconteça o corte de combustível, fato este que é comum quando o carro capota ou acontece alguma colisão traseira.

Entretanto, o proprietário do modelo deve tomar algumas providências para que o sistema funcione. A principal delas apontada pela montadora é o fato de que, para o dispositivo funcionar, é preciso que o smartphone esteja integrado ao Sync via conexão Bluetooth.

Feito isso, em caso de ocorrer um acidente, uma mensagem é enviada informando que aconteceu o referido acidente, bem como as coordenadas de localização do carro por GPS. Na sequência, o microfone também é ativado e as pessoas que estão no veículo poderão se comunicar, caso estejam conscientes. 

De qualquer forma, o interessante é que, mesmo que os ocupantes não estejam em condições de responder, as principais informações já estão registradas para que a equipe de socorro possa ser enviada.

Outro detalhe que vale ressaltar é que o sistema não conta com um botão manual para a ativação. Então, quem quiser passar trote, pode esquecer. Já outra vantagem apontada pela montadora é que o sistema funcionará durante toda a vida útil do carro.

Nos modelos nacionais da Ford ele será distribuído gradualmente.

Para quem quiser saber mais sobre o serviço, a Ford disponibiliza um treinamento on-line no site www.emergencyassistance.ford.com/.

Por Denisson A. Soares

Foto: divulgação


Lucro da GM caiu no 2º trimestre de 2014 devido aos diversos recalls realizados


Neste final do mês de julho a General Motors divulgou os números relativos aos lucros da companhia. Como era previsto os resultados apontados não foram nada animadores. Para se ter uma ideia da atual situação da empresa o lucro apresentado no segundo trimestre foi ainda mais baixo. A justificativa para o que tem acontecido foram os diversos recalls de veículos que sobrecarregou a GM e somando-se a isso cerca de US$ 400 milhões de custos a serem gastos como fundo de compensação para as vítimas dos acidentes que foram ocasionados por um problema na chave de ignição. Esse defeito provocou ao menos 13 mortes.

Indo direto para os números em relação ao lucro líquido da companhia no trimestre o levantamento mostra uma queda para US$ 190 milhões. Isso quer dizer que por ação foi de US$ 0,11. Em termos comparativos com um ano antes o lucro foi de US$ 1,2 bilhão, por papel as ações estavam a US$ 0,75.

Os tais itens não recorrentes que fizeram agora parte do balanço do trimestre provocaram um impacto de US$ 0,47 por cada ação. O que inclui o custo voltado para a criação do fundo de indenização para as vítimas. De acordo com a GM esse ponto poderá contribuir para um aumento nas despesas de cerca de US$ 200 milhões, além disso, ainda tem um encargo na faixa de US$ 874 milhões oriundo da mudança da forma de como a empresa deverá contabilizar os gastos com os recalls.

Vale ressaltar que não fazem parte da conta de itens não recorrentes os valores de custos de US$ 1,2 bilhão devido a recalls que foram divulgados em momento anterior pela marca.

Os recalls que a GM obrigatoriamente teve que fazer cobriu uma faixa de automóveis que chegou a 29 milhões de carros. Isso até este mês.

Além disso, a companhia ainda anunciou US$ 200 milhões que serão destinados para custos de reestruturação.

Deixando de fora os itens extraordinários, a General Motors teve um lucro de US$ 0,58 por ação. O que de fato é “colado” no que era esperado por analistas que apontavam US$ 0,59 por ação.

Por Denisson Soares

General Motors

Foto: Divulgação


Conheça a nova geração do Porsche Cayenne


Foi apresentado ao público no último dia 24 de julho pela Porsche o que a marca chama de “nova geração” do já conhecido utilitário Cayenne. O Porsche Cayenne chega com uma reformulação que agrega um design mais atualizado a novas opções de motores.

De acordo com a fabricante, esses novos motores são mais econômicos. O modelo poderá ser apreciado pelo público brasileiro durante a realização do Salão do Automóvel de São Paulo quando será exposto por aqui.

De acordo com informações da própria fabricante, a previsão é de que o modelo já possa ser comercializado ainda no primeiro quadrimestre de 2015. A informação é de que serão disponibilizadas três versões: Turbo, S e S E – Hybrid.

Em uma comparação feita, mesmo que superficialmente, em relação à segunda geração do utilitário lançada, isso no ano de 2010, o novo modelo do Cayenne traz uma nova disposição em relação às luzes na parte da frente.

As mudanças também se estendem às grades, para-choques e, além disso, os faróis auxiliares foram redesenhados. Mas, sem dúvida alguma, as maiores mudanças no carro estão na parte de trás. Nessa parte do automóvel as lanternas receberam novos contornos, estão mais afilados. Novas formas também foram dadas para a tampa do porta-malas, para-choques e saídas de escape.

Na parte interior do carro não foram feitas mudanças significativas. Mas, ainda assim, tem coisa que dá para destacar, como é o caso dos paddle-shifts para a troca das marchas. Agora eles estão localizados na posição usual, ou seja, atrás do volante e não na frente, como era anteriormente.

Voltando a falar da economia que a marca anunciou, vejamos um exemplo. Na versão S foi trocado o motor V8 pelo V6 de 3.6 litros que tem capacidade para 425 cavalos. Isso representa algo em torno de 20 cv a mais do que o que tem a atual S. No desempenho do carro também é possível ver algumas melhoras.

Mas vale ressaltar que nenhuma dessas mudanças é tão significativa a ponto de dar um destaque fora do comum para a nova linha. Até porque são mudanças discretas.

Por Denisson A. Soares

Foto: divulgação


Honda relança Civic Si, agora em formato cupê


O ano era 2006 e o Civic Si chegou ao Brasil conquistando muitos fãs. Apresentava o belo design e bons itens. Entretanto, as vendas não saíram como desejadas. A própria montadora apontou sua semelhança com o Civic normal como um dos principais motivos.

Só que agora a história parece ser outra. A Honda está se preparando para fazer o relançamento do modelo esportivo por aqui. Entretanto, o fracasso da primeira tentativa parece ter surtido algum efeito, já que agora a montadora irá importar o modelo do Canadá. E tem mais, será num novo formato, o cupê.

O Civic Si na América do Norte segue sendo vendido nas versões sedã e cupê. E é exatamente essa última que tem a missão de mudar a imagem que se tem do modelo no Brasil.

O design do carro é exclusivo com suas duas portas e o teto do tipo caído. Além de passar um ar mais esportivo, a versão resolve o problema da confusão com o Civic.

Bom, vamos ver um pouco sobre a parte mecânica do carro. De acordo com as informações técnicas divulgadas, ele se diferencia do Civic também nesse ponto, uma vez que faz uso de um motor i-VTEC 2.4 litros. O bloco tem potencial para desenvolver 205 cavalos e 24 quilos no torque. A transmissão do Civic Si é manual e conta com seis velocidades. Outro detalhe é que agora as rodas são de aro 18 e com pneus 225/40.

O lançamento do modelo deverá ficar um pouco mais para frente. A montadora informou que o mesmo deverá estrear durante a realização do Salão de Automóveis que acontece no mês de outubro deste ano. A Honda quer fazer dele e do sedã City renovado as suas principais atrações.

Por aqui ainda não há informações sobre os preços. De qualquer maneira, já se espera algo não muito barato. No caso dos Estados Unidos, ele é vendido por US$ 26 mil

Por Denisson Soares

Foto: divulgação


Fiat 500 Cabrio fica mais barato no Brasil


O Fiat 500 Cabrio, primeiro modelo cabriolet da marca italiana no Brasil, ficou mais barato no mercado brasileiro e pode ser equipado com motor 1.4 8V Evo Flex. Com versões a partir de R$ 56.900, o Cinquecento, além de ser o carro mais barato no Brasil nessa categoria, pode vir com câmbio manual ou transmissão automatizada Dualogic.

Dotado de uma vasta lista de equipamentos de série, o compacto da Fiat vem equipado de série com airbag duplo, freios ABS com EBD, controle eletrônico de estabilidade (ESP) e tração (ASR), sinalização de frenagem de emergência, assistente de partidas em aclives (Hill Holder), sensor de estacionamento, faróis dianteiros com regulagem elétrica de altura, volante com regulagem de altura, banco do motorista com apoia-braços, regulagem de altura com memória, banco do passageiro com memória, retrovisores externos, vidros e travas com acionamentos elétricos, comando elétrico de abertura do porta-malas e da tampa do combustível, banco traseiro bipartido, porta-objetos sob o banco do passageiro, nas portas, no encosto dos bancos dianteiros e no console central, além das rodas de liga leve de 15 polegadas.

Completa a lista de itens o sistema de ar-condicionado, direção elétrica, computador de bordo, função Sport, chave do tipo canivete com acionamento abertura e travamento das portas por telecomando, sistema Follow Me Home e sistema de som com leitor de CD, MP3, entrada auxiliar e seis alto falantes.

As demais versões trazem os mesmos itens das versões dotadas de câmbio manual, acrescendo apenas a transmissão automatizada Dualogic ou a automática com seis velocidades.

Opcionalmente, a Fiat oferece ainda volante multifuncional com revestimento em couro, piloto automático, sistema Blue&Me com conexão via Bluetooth e USB, além do pacote Áudio Alpine Premium.

A grande novidade para o 500 foi a adoção de uma versão Cabrio dotada do motor 1.4 8V Evo Flex, mesmo propulsor que equipa a versão de entrada do 500 (Cult), sendo capaz de entregar até 88 cv e torque de 12,5 kgfm quando abastecido com etanol. O motor 1.4 16V MultiAirFlex, que gera até 107 cv e torque de 13,8 kgfm com etanol, ainda continua disponível na versão Cabrio topo de linha dotada da transmissão automática de seis velocidades.

Para a versão conversível de entrada (Cabrio 1.4 Evo Flex), a Fiat disponibiliza a capota retrátil em duas opções de cores: vermelha e preta. Controlada eletronicamente, a capota retrátil pode ficar em três posições diferentes, desde uma pequena abertura até a capota totalmente retraída junto à tampa do porta-malas. A abertura ou o recolhimento do teto pode ser realizado com o carro em movimento, desde que o veículo esteja a até 80 km/h.

Abaixo, versões preços do Fiat 500:

– Cult – R$ 47.390

– Cult Dualogic – R$ 49.600

– Cabrio 1.4 Evo Flex – R$ 56.900

– Cabrio 1.4 8V Evo Flex Dualogic – R$ 59.900

– Cabrio 1.4 16V MultiAir Automático – R$ 66.300

Por Caio Polo

Foto: divulgação


Ranking melhores mercados automobilísticos no mundo – Abril de 2014


De acordo com os relatórios apresentados pela Jato Dynamics, empresa de consultoria especializada no segmento automobilístico, o Brasil agora ocupa o 5º lugar no pódio dos países considerados como os melhores mercados automobilísticos no mundo. Os relatórios apresentados pela consultoria tomam como base o mês de abril.   

O Brasil anteriormente ocupava o 4º lugar, e sua queda foi confirmada em virtude de retração de 11,7% nas vendas do país e o 4º lugar passou a ser ocupado pela Alemanha.

A quantidade de carros vendidos pelos europeus somam 1.050.849 e o Brasil apresentou o total de 1.054.133 vendas. Mesmo estando à frente dos europeus no acumulado, o Brasil caminhou às costas dos europeus durante o mês de abril e teve 279.753 carros vendidos em disputa com 291.831 vendidos pela Alemanha.   

Como nos outros anos, a liderança ficou nas mãos dos chineses que teve crescimento de 5,1% quando comparada com o mesmo período no ano passado e com 1,69 milhão de veículos vendidos em abril, e com acumulado de 6,8 milhões  de vendas no ano.   

O 2º lugar é ocupado pelo Tio Sam, os Estados Unidos tiveram crescimento de 7,9% e venda de mais de 1,3 milhão de automóveis.

No país do sol nascente – Japão – a queda foi de 5,3% e o país fica na 3ª posição, com crescimento de 15,5% no quadrimestre.   

A Jato Dynamics apresentou também o ranking de vendas por montadoras, e neste critério, a Volkswagen assumiu o topo do pódio com 510.785 veículos vendidos, o 2º lugar foi ocupado pela Toyota com 504.109 vendas em abril. Considerando o acumulado anual, entretanto, a Toyota ocupa o 1º lugar com resultado de vendas de 2,09 milhões de veículos, a Volkswagen teve 1,97 milhão de vendas no acumulado.   O 3º lugar de vendas das montadoras foi para a Ford, o 4º lugar ficou sob responsabilidade da Chevrolet que veio seguida de Hyundai, Honda, Nissan, Kia e Fiat e o 10º lugar foi da Wuling, montadora chinesa que teve crescimento de 24,65% nas vendas entre abril de 2013 e 2014. 

Por Jaime Pargan

Vendas de carros

Foto: Divulgação


Ferrari 458 Speciale chega ao Brasil por R$ 2,3 milhões


Sem fazer alarde, o Grupo Via Itália, importador oficial da Ferrari para o mercado brasileiro, já dispõe em seu showroom a versão Speciale da Ferrari 458. Se a versão mais básica do superesportivo (se é que podemos chamar uma Ferrari de básica) já impressiona, a configuração Speciale traz a configuração aerodinâmica e de desempenho revisadas pela engenharia da marca italiana, que caracteriza o nome da versão.

Apresentada ao público em 2013, a novidade da fabricante sediada em Maranello chega ao Brasil custando, nada mais nada menos, que R$ 2,3 milhões, o equivalente a 85 unidades do Volskwagen Up! na versão Take duas portas (R$ 26.900 cada um).

Contudo, o valor solicitado pela Ferrari no modelo tem uma explicação. Sob o capò da Ferrari 458 Speciale está o motor 4.5 V8 revisado para entregar 605 cv e torque máximo de 55,06 kgfm. Anteriormente, o mesmo motor rendia 570 cv, sofrendo um aumento de 35 cv de potência. Sendo assim, até o presente momento, este é o bloco V8 mais potente fabricado pela marca italiana.

Esteticamente, quando comparado com as versão 458 Itália e 458 Spider, a edição Speciale traz novo para-choque dianteiro com entrada de ar inferior redesenhada, novo para-choque traseiro, que conta com defletor de saída dupla de escape integrada, além da faixa decorativa que percorre o modelo desde o capô até a parte traseira do bólido.

O interior também é diferenciado, dispondo de um acabamento mais esportivo devido as costuras contrastantes e os bancos com detalhes em vermelho.

Por fim, a marca também trabalhou para que o modelo fosse mais leve. Com isso, a Ferrari optou pela aplicação de fibra de carbono na carroceria e nos dutos de admissão, fazendo com que a Ferrari F458 Speciale ficasse 90 quilogramas mais leve.

Com essa redução de peso e o aumento da potência, o superesportivo acelera de 0 a 100 km/h em 3 segundos, com velocidade máxima de 325 km/h. 

Por Caio Polo

Foto: divulgação


Fábrica da Ford na Venezuela ficará paralisada até junho de 2014


Devido aos efeitos da crise que afeta a Venezuela, a fábrica da Ford em Valencia ficará paralisada até junho. Contudo, ainda há uma pequena possibilidade das operações voltarem ao normal, já que Haiman El Troudi, Ministro dos Transportes da Venezuela, busca junto com os representantes do governo e da marca norte-americana solucionar esse problema.

A decisão da Ford foi tomada devido ao câmbio altamente desfavorável na economia local, tornando economicamente inviável a importação de componentes para a produção de veículos na unidade fabril de Valencia. El Troudi confirmou o fato e disse que o governo venezuelano já está em conversas com a fabricante norte-americana para resolver alguns problemas críticos e restabelecer a produção na fábrica dentro de duas semanas. 

Outro ponto da reunião é a possibilidade do Ministro do Transportes liberar US$ 20 milhões em empréstimo a Ford, tendo em vista que a fabricante norte-americana produziu, devido à crise, apenas 500 veículos nos primeiros quatro meses de 2014.

Além da Ford, outras montadoras também foram atingidas pelos problemas enfrentados na Venezuela. General Motors, Toyota, Mitsubishi e Fiat-Chrysler também sofrem com a escassez de moeda e o câmbio desfavorável. Em fevereiro deste ano, a Toyota suspendeu as atividades fabris na Venezuela pelo mesmo motivo da Ford.

Há cerca de 10 anos, ainda sob o governo de Hugo Chávez, a Venezuela bloqueou a fuga de capital, controlando a moeda estrangeira através de três taxas de câmbio diferentes, dependendo do setor da economia. No entanto, o que mais prejudicou o setor automotivo no país foi o golpe sofrido no fim de 2013, quando o então Presidente Nicolas Maduro, assinou a lei que deu poderes ao governo para controlar os preços dos carros novos e usados. Com essa medida, que fazia parte de uma ofensiva para conter a inflação do país, as vendas sofreram uma queda expressiva de 64% em relação ao ano anterior, com a produção de apenas 3.400 unidades no primeiro quadrimestre de 2014.  

A fábrica da Ford na Venezuela, situada na cidade de Valencia, iniciou suas operações em 1962 e atualmente têm em sua linha de montagem os modelos: Explorer, Explorer Sport, F-Séries, Fiesta e Cargo.

Por Caio Polo

Ford

Foto: Divulgação


Brasil visa ajudar as montadoras em exportações de automóveis


No fim do mês passado o ministro da Fazenda, Guido Mantega, não apenas anunciou como confirmou que o governo atual está trabalhando em formas que resultem em ações que possam ajudar as montadoras a aumentarem ainda mais as exportações de automóveis para a Argentina.

Em uma entrevista concedida a jornalistas em São Paulo, Guido Mantega ressaltou que seu governo está negociando com a Argentina com o objetivo de superar os obstáculos e liberar o caminho para a exportação de automóveis. Além disso, também há a questão de facilitar, ou seja, tornar viável o financiamento, que neste caso deverá ser privado, observando algumas condições exigidas no setor.

Já com relação a possibilidade de que o governo de certa forma venha a impulsionar o setor por meio de estímulos, o ministro da Fazenda também deixou bastante claro que o governo atual tem suas vistas sempre voltadas para os setores que mais contribuem para um aumento do Produto Interno Bruto, o PIB, entre os quais o setor automobilístico. Para isso o governo faz uso de diversas medidas também levando em consideração a formação de emprego.

O chefe da economia do governo de Dilma, ainda disse aos jornalistas que medidas sempre são tomadas na intenção de não permitir que um setor contribua para o aumento das taxas de desemprego.

Ainda sobre o mesmo tema convém destacarmos os dados divulgados por meio de uma análise feita pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). De acordo com as informações levantadas pela associação, apenas no primeiro trimestre deste ano de 2014 foram registradas perdas que atingiram o percentual de 32% em relação aos fabricantes brasileiros com as exportações previstas para o nosso país vizinho. Um dos principais pontos que contribuíram para isso foram os obstáculos causados à importação principalmente pelos impostos da Argentina.

O ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Mauro Borges, também entrou na questão. No mês passado ele fez uma viagem para a Buenos Aires com o objetivo fundamental encontrar uma saída para as restrições do comércio de automóveis, é claro.

Por Denisson Soares


Skoda lança carro-chefe Octavia L & K


A Skoda acaba de apresentar o mercado o hatchback Octavia, com preços de venda que giram a partir de R$ 80.100,00.  O carro, que foi mostrado no Salão do Automóvel de Genebra em março, o Octavia L & K se baseia no nível de especificação Elegance, e será vendido durante seu lançamento com duas opções de motores que serão: o 148bhp 2.0 diesel TDI do fabricante checo e 1.8 a gasolina que gera 178bhp .

Os equipamentos de série adicionais incluem rodas de liga-leve de 18 polegadas, faróis de xenonio, luzes traseiras de LED , janela com aros cromados, luzes de nevoeiro frontais.

A montadora atualizou também o interior do carro, acrescentando estofados na cor marrom. As alterações não são apenas visuais, também serão realizadas inclusões de um sistema de Canton áudio, sensor de estacionamento.

O kit adicional L&K pode ser adquirido pelo valor de R$ 12.300,00 com o acabamento Elegance, vale lembrar que este é o grande diferencial para quem deseja adquirir o automóvel.

Os clientes também podem escolher entre uma caixa manual de seis marchas ou câmbio automática DSG, bem como uma versão de quatro rodas motrizes que vem com transmissão manual e motor diesel por R$ 85.995,00.

O modelo é um atrativo no mundo automobilistico, e os apaixonados por carros aguardam logo mais esta novidade chegarem às concessionarias de todo o país. Quem já viu os modelos apresentados em eventos como Salão do Automovel de Genebra garatem que o carro tem grande potencial de causar frisson no mercado.

Basta agora aguardar até que esta relíquia sob quatro rodas chegue aos olhos dos meros mortais fãs de carros, que anseiam cada vez mais por novidades exorbitantes.

É Skoda buscando conquistar seu público cada vez com mais novidades. E você, o que espera?

Por Jaime Pargan

Foto: divulgação


Fiat revela planos para o Brasil até 2018


No dia 06 de maio o CEO do Grupo Fiat Chrysler Automobiles, Sergio Marchionne, deu entrevista à Revista Auto Esporte falando sobre os planos que a companhia tem até o ano de 2018, entre as informações contidas no planejamento da empresa está primordialmente a reestruturação das marcas que compõem o portfólio da empresa.

A companhia estima triplicar o numero de vendas, a fim de atingir o conceito de maior montadora do mundo, atualmente a Volkswagen e a Toyota já ocupam lugares no ranking das maiores.

As estimativas da companhia é conseguir aumento de 43% do seu número de vendas somente na América Latina. Para conseguir alcançar seus indicadores, a Fiat já tem data programada para o lançamento de oito novos produtos no mercado, que serão apresentados dentro deste período, sendo o Brasil o país mais importante para atingimento das metas.

No plano de mudanças que a empresa passará a seguir, as primeiras modificações serão realizadas no Fiat Uno que já receberá reestilização já no ano de 2014 com intuito de enfrentar a concorrência direta com o Volkswagen up!

Para isso, a equipe de desenvolvimento da Fiat trabalham para apresentarem um modelo mais atrativo para o automóvel, e quem espera ansioso para ver as mudanças terão que aguardar até Outubro quanto o novo Fiat Uno será apresentado no Salão de São Paulo.

Outra novidade no mercado da Fiat é a sua fábrica em Pernambuco que já começa suas atividades no próximo ano. Para estrear as operações nas novas instalações a montadora Italiana já planeja a fabricação de sua nova Pick-up, assim como seu seu novo sub-compacto  que será desenvolvido na fabrica de Betim em Minas Gerais, será este sub-compacto que irá substituir o atual Palio Fire.

Já para 2016, os planos da Fiat são a chegada no novo Punto e do Grand Siena e em 2017 será a vez de novo frescor que chegará para causar frisson nos segmento de hatches compactos.

Por Jaime Pargan

Foto: divulgação


Película automotiva: não fique fora das regras de trânsito


O uso de filmes que escurecem os vidros dos carros já é a um bom tempo uma moda por aqui. A película automotiva chegou já tem uns anos, se popularizou e se fixou no Brasil não parecendo tão cedo sair de linha.

Além de ser um acessório que incrementa o veículo, a película escurecedora também tem um papel de segurança. O filme escurecedor reduz boa parte dos raios ultravioleta que podem atingir o motorista e os passageiros do automóvel pelas janelas, diminui o brilho exagerado da luz que entra no veículo, diminui a temperatura interna do carro, fazendo com que o ar-condicionado tenha mais potência e até mesmo consegue proteger os vidros e os ocupantes do veículo em um momento de quebra ou trinca das janelas.

Contudo, a película vai mais além de apenas ser um item que eleva o nível do carro, como traz maior privacidade ao condutor e passageiros. Quem quiser ver o que tem dentro do automóvel, pode ter dificuldade dependendo do grau de “escuridão” dos vidros.

Com essas vantagens da película automotiva, ainda surgem vários questionamentos da permissão do uso dele. A resolução 254/07 do Conselho Nacional de Trânsito, o Contran, coloca alguns limites para o nível do escurecimento dos vidros.

Para estarem de acordo com a legislação, os vidros precisam ter um mínimo de porcentagem de entrada de luz. O para-brisa precisa ter pelo o menos 75% de entrada de luz para os vidros incolores e 70% para os vidros coloridos.

Os laterais dianteiros precisam ter 70%, os laterais traseiros e vigia (veículos sem o espelho retrovisor do lado direito) o grau é também de no mínimo 70% de luz. Os vidros laterais traseiros e vigia (com espelhos retrovisores) é de 28%. Os traseiros também é 28%.

A película para escurecer os vidros dos carros tem realmente várias vantagens, mas o dono do veículo que não seguir as regras de trânsito irá comprometer a sua visibilidade na condução, o que pode causar acidentes.

E não é só isso. Infringir as normas acarreta algumas infrações. O condutor que for pego fora das regras pode perder cinco pontos na Carteira, receber uma multa de R$ 127,69 e ter o veículo retido para regularização.

Por Carolina Miranda

Foto: divulgação


Conheça o e-Golf, carro elétrico do modelo Golf


A fabricação de carros elétricos não é só atraente economicamente falando, como também coloca uma marca com mais credibilidade por pensar no ecológico. A Volkswagen parece querer aliar o seu tradicional modelo esportivo Golf com essa nova modalidade de carros ecologicamente corretos. O carro já conquista a Alemanha – que teve o seu lançamento em fevereiro – e deve ganhar em pouco tempo outros países da Europa.

O e-Golf, que é o carro elétrico do modelo, ganhou alguns toques diferentes no exterior, como a inserção da cor azul em detalhe da grande dianteira, com o símbolo “e” dando o diferencial do carro e mostrando que é elétrico.

O carro não é o pioneiro do segmento de carros elétricos, não é o que traz mais tecnologia e nem o mais atraente no quesito preço: ele está saindo na Alemanha por 34 mil euros, o que seria em torno de R$ 103.700.

O que está atraindo os consumidores a comprarem o carro é por ser o modelo Golf. A bateria é um íon-lítio de 24,2 kWh capaz de rodar cerca de 190 quilômetros com carga completa, chegando a 115 cavalos de potência.

O carro possui três opções de direção, que dá uma eficiência maior do combustível: a normal, a Eco e Eco +. Quando o motorista escolhe a forma mais econômica do automóvel, a forma Eco +, a velocidade máxima é reduzida de 140 km/h para 90 km/h, assim a bateria do carro dura mais algumas horas.

O veículo vem com seis airbags, um sistema antibloqueio de frenagem de colisão múltipla, detecção de cansaço do motorista, indicador de pressão dos pneus, direção progressiva, faróis e lanternas em leds e controle climático automático. Além de uma tela multimídia de 8 polegadas.

A parte externa do carro não difere de um Golf “normal”. O e-Golf pode atingir 60 km/h em 4,2 segundos, o que é uma boa média. Depois dos 80 km/h, ele demonstra ser que é realmente um carro elétrico. Nessa velocidade ele faz de 0 a 100 km/h em 10,4 segundos, o que prova de depois dos 60 km/h o automóvel perde seu impulso por ser elétrico. 

Por Carolina Miranda

Foto: divulgação


Vendas de carros voltaram a subir em abril de 2014


O Renavam divulgou números mais animadores para o mês de abril. Depois de um mês fraco por causa do leve aumento do IPI e do feriado de Carnaval, as vendas automobilísticas retomaram neste mês. No primeiro trimestre foram vendidos 106.497 carros e comerciais leves, o que giraria em torno de 13,3 mil unidades por dia, bem além da média registrada no mês passado, que ficou nos 12,7 mil carros vendidos por dia no Brasil.

As marcas que aumentaram esses números também surpreendem. A General Motors e a Toyota foram as maiores responsáveis por este aumento e talvez serão as marcas que vão salvar o mês, que estava com uma perspectiva fraca. A GM aumentou as suas vendas de 17,7% para 19%, e a Toyota estava com 5,1% e foi para 6,5%. Com essa fatia no mercado, a japonesa passou a Renault e agora se encontra na sexta posição no ranking. Se a marca continuar neste mesmo ritmo até o final do mês, é provável que ultrapasse também a Hyundai.

O modelo que mais surpreendeu a lista foi o Ônix, o hatch da GM que em pouco tempo de lançamento já ultrapassou as vendas da Strada, Palio e Gol, assumindo uma liderança provisória. Os números de vendas do modelo da GM coloca a marca em uma liderança que não existia há mais de 20 anos.

Só nos seus primeiros dias aqui no Brasil, o Ônix vendeu 6.117 unidades, 255 a mais que o terceiro colocado, o Gol. A Strada, que até a pouco se encontrava na liderança de vendas, está indo para a quarta posição. Ainda não se pode dizer que o modelo da GM vai ser a líder do mês, afinal ainda falta cerca de três semanas para o encerramento do mês de abril e a diferença entre o primeiro e o quarto lugar é pequena: apenas 810 carros. 

Por Carolina Miranda

Vendas de carros

Foto: Divulgação


Novo Fiat 500X será apresentado em 4 de julho


Especulado pela imprensa especializada, e muito aguardado pelos consumidores desse segmento, bem como pelos fãs da marca italiana, o utilitário esportivo compacto 500X, baseado no recém-lançado Jeep Renegade, já tem data marcada para estrear no mercado: dia 4 de julho.

A data não foi escolhida por acaso, já que esse dia coincide com o 57º aniversário do lançamento do primeiro Fiat 500. Embora o local para a apresentação de julho ainda não tenha sido revelado pela fabricante, é certo que o crossover estará presente no Salão de Paris, em setembro.

O batismo 500X, que ainda é dúvida, devido o ocorrido com o Jeep Renegade, que inicialmente estava previsto para se chamar Jeepster ou Laredo, foi supostamente confirmado nesta semana pelo site “Indian Autos Blog”, que divulgou o possível logotipo do crossover que estará presente na carroceria do veículo.

Um dos principais lançamentos nesse ano e a principal investida da Fiat para o segmento dos utilitários compactos no mercado europeu, a marca italiana pretende concorrer por lá com Opel Mokka, Nissan Juke, Renault Captur e Peugeot 2008.

Por lá, o 500X terá opções de motorização que incluirá os blocos MultiAir Turbo a gasolina, o MultiJet a diesel, além de uma versão flex. Entre as opções de transmissão, a Fiat colocará à disposição a transmissão automática desenvolvida pela ZF, com dupla embreagem e nove velocidades.

Fabricado ao lado do Jeep Renegade na unidade fabril de Melfi, na Itália, as variantes de entrada do 500X contarão com tração dianteira, enquanto que as versões topo de linha trarão tração integral.

Para o Brasil, ao contrário do que se especulava anteriormente, ainda não houve a confirmação da chegada do 500X. Agora, a expectativa é que a FCA (Fiat Chrysler Automobiles) aposte suas fichas no lançamento do Jeep Renegade para o mercado brasileiro, posicionando o crossover como um concorrente para o Ford EcoSport, Renault Duster, Chevrolet Tracker e Mitsubishi ASX, deixando o utilitário da Fiat, a princípio, restrito ao mercado europeu.

Por Caio Polo

Foto: divulgação


Produção de veículos apresentou queda no 1º trimestre de 2014


A situação para os fabricantes de veículos não é nada favorável nestes primeiros meses de 2014. Segundo a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), a produção teve uma queda de cerca de 8,4% se comparado ao mesmo período de 2013, e a queda se dá em todos os segmentos de veículos, principalmente no setor de caminhões, onde grandes empresas como a Mercedes-Benz, já anunciaram um corte no quadro de funcionários, cerca de 2.000 mil trabalhadores irão perder o emprego durante os próximos dias.

Além das vendas internas terem caído, as vendas externas também estão em queda, a exportação de caminhões para a Argentina (principal compradora dos veículos montados no Brasil) caiu 15,3% devido à crise econômica que afeta o país vizinho. Outro fator que contribuiu para a queda das vendas, foi a volta do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), que aumentou o custo de produção dos automóveis.

Outro dado alarmante, também revelado pela Anfavea, mostra que o estoque de automóveis é o maior desde 2008, quando a crise financeira internacional secou o crédito dos bancos. Em unidades, os estoques subiram para 387,1 mil veículos, em comparação a 348,9 no mês de fevereiro e o tempo de revenda do automóvel gira em torno de 48 dias, e é a mais alta média desde à crise.

"Já esperávamos que os números não seriam tão bons em março, em parte por causa do feriado de carnaval, e também porque já tivemos o impacto completo do aumento do IPI em janeiro e da inclusão de airbag e ABS em toda a linha", afirma Moan, ao justificar os aumentos de preços.

Segundo o presidente da Anfavea, Luiz Moan, as montadoras devem agora pôr em prática programas de redução de estoque, e diminuição da produção, segundo ele, é possível que em breve haja um novo pedido de redução do IPI para diminuir o impacto do péssimo trimestre vivido pelas montadoras.

Por Marcos V. Milani

Produ??o de carros

Foto: Divulgação


Série Especial Punto Blackmotion 1.8 16 v


Site da Fiat indica que a Série Especial Punto Blackmotion 1.8 16 v custa R$ 53.400. Motor TORQ-1.8 funciona com desempenho de qualidade inclusive aos motoristas com a primeira Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Vidros elétricos e sensor para estacionar, dois itens de fábrica.

Quem repara as cores da lataria percebe que existe o mesmo tom presente no painel do carro. O design moderno se apresenta junto ao revestimento dos materiais de qualidade e à cor preta.

Entre os principais pontos positivos, se destaca o motor 1.8 com 16 válvulas e Flex, que funciona com rotações baixas e torques pequenos. A empresa garante que existe motorização que trabalha para diminuir o consumo de combustível e oferecer melhor desempenho nas pistas. 

O motor funciona de forma silenciosa. Com etanol há torque de 4.500RPM (18,9kgfm) ao ponto que o torque em gasolina se equivale a 4.500RPM (18,4kgfm). Ao levar em conta o preço médio se pode dizer que esse modelo tem motorização superior do que a média de mercado.

Outra novidade consiste no fato de condutores dirigirem tanto com marcha automática como também em lenta. As trocas acontecem de modo veloz e ágil, por causa do trabalho das alavancas borboletas presentes no volante e que estabelecem o equilíbrio mecânico na transmissão.

Condutor se comunica com o carro quando usa a tecnologia do “seletor DNA”. Ao selecionar as opções do sistema no automóvel, quem dirige escolhe se prefere dirigir de forma esportiva ou com maior economia. Quem está em uma estrada sem congestionamento ganha ao selecionar a primeira escolha, enquanto que a segunda opção representa ponto a favor aos motoristas que trafegam no congestionamento.

Ao selecionar a opção DNA de acordo com as condições da pista, os motoristas aumentam a qualidade para trafegar na pista, indica a nota publicada no site da FIAT.

Por Renato Duarte Plantier

Foto: divulgação


Brasileiros constroem réplica de Ferrari


Sem dúvidas, o superesportivo carro da Ferrari está entre os automóveis mais cobiçados do mundo. Todo milionário, seja de berço ou da classe dos novos ricos, entra na fila para comprar o seu pelo estratosférico preço de R$ 700 mil a R$ 1 milhão de reais.

Mas, os brasileiros que não dispõem de todo esse recurso financeiro e desejam ter um carro, ao menos parecido com a Ferrari, já pode começar a fazer seus planos. É que já foi criada a réplica do carro, a qual diga-se de passagem, trata-se de uma cópia tão perfeita, tão bem elaborada, que muitos vão achar que é mesmo uma Ferrari.

Um grupo de brasileiros teve acesso a algumas partes e peças de carro e, após muitos anos de dedicação, chegou a uma perfeita montagem do superesportivo. Essa réplica pode servir de consolo para muitos, afinal, a montadora Ferrari, que é sediada na cidade italiana de Maranello, comunicou que não mais irá fabricar o modelo Ferrari F40.

Mas vamos deixar claro que não é por ser muito parecida que a cópia traz todas as qualidades da Ferrari. Para quem teve acesso ao carro, foi notado que, por baixo, a máquina mais parece uma “bagunça”. A direção do carro é a mesma de um modelo da Volkswagen; o motor é do antigo Ford Mustang, o câmbio de um GTI e os mesmos freios da Toyota Hilux com pneus que são os mesmos da Stock Car.

A questão em torno desse carro é que, mesmo sendo uma réplica, ele não é nada baratinho. Quem quiser ter um não vai desembolsar pouco dinheiro, uma vez que cerca de R$ 300 mil foram gastos para executar o projeto.

De autoria do engenheiro mecânico, brasileiro, Luiz Humberto Câmara Melo, de 42 anos, a cópia da Ferrai foi um sonho que saiu do papel, realizando esse profissional que sonhava em criar um carro singular.

Tudo começou com a ideia de fazer a base do carro – a carenagem – com base da Ferrari original, para a partir daí, estruturar todas as parte do carro e alcançar a atenção da mídia com este automóvel que ao menos consola os corações de quem não pode ter uma Ferrari F40 original.

Por Michelle de Oliveira

Foto: divulgação


Bentley Flying Spur: lançamento e preço no Brasil


Apresentado na edição do ano passado do Salão de Genebra, a nova geração do Bentley Flying Spur chegou oficialmente ao mercado brasileiro. Completamente novo e independente da linha Continental, o carro aposta no luxo extremo e no alto nível de tecnologia adotada para atrair seus seletíssimos consumidores.

Se você têm dinheiro e gostou dessa novidade, saiba que o novo modelo da Bentley chega com preços que partem dos R$ 1,49 milhão, podendo a chegar até R$ 1,9 milhão, variando e acordo com o pacote de opcionais e os itens de personalização adquirido.

O Flying Spur passou por uma boa atualização estética, inspirada em outros modelos da marca britânica como o Continental GT e Mulssane. Portanto, o carro traz como destaques a nova grade dianteira, os novos faróis duplos compostos por LEDs, lanternas traseiras com formato horizontal, além da linha de cintura mais alta devido aos vincos laterais mais acentuados, conferindo um aspecto mais musculoso ao carro.

Oferecendo uma vasta lista de equipamentos de conforto, tecnologia e segurança, a Bentley afirma que realizou mais de 600 modificações no interior do veículo, embora tenha mantido os mesmos materiais de altíssima qualidade e toques artesanais do modelo antigo.

O resultado é um acabamento excepcional, o que não poderia ser diferente, fazendo jus ao preço e proporcionando muito luxo e conforto aos ocupantes do Flying Spur.

Mecanicamente, o Bentley Flying Spur vem equipado com o motor 6.0 W12 Biturbo (TwinTurbo), capaz de entregar 625 cv e torque de 81,58 kgfm. Trabalhando em conjunto com uma transmissão automática de 8 velocidades desenvolvida pela ZF, o modelo de altíssimo padrão acelera de 0 a 100 km/h em 4,6 segundos, com velocidades máxima de 322 km/h, números melhores que muitos superesportivos.

Segundo a Bentley, o bloco W12 Biturbo oferece uma autonomia 13% mais eficiente que a geração anterior do modelo. Além disso, a plataforma do veículo também passou por modificações, sendo 50 quilogramas mais leve e 5% mais rígida.

A Bentley aproveitou o lançamento do Flying Spur para disponibilizar, através de encomendas, o Continental GT Speed, modelo mais rápido da fabricante pertencente ao Grupo Volkswagen. Utilizando o mesmo bloco 6.0 W12 Biturbo, mas com potência e torque melhorados, o modelo dispõe de 635 cv e torque de 83,5 kgfm.

Com velocidade máxima de 331,5 km/h na versão tradicional e 326,7 km/h na conversível, o Continental GT Speed pode ser encomendado por preços a partir de R$ 1,7 milhão.

Por Caio Polo

Foto: divulgação


Ranking dos carros mais vendidos em fevereiro de 2014


Enquanto o mercado automobilístico nacional teve uma queda de 17,95%, o Volkswagen Up! conseguiu emplacar 2.115 unidades apenas no mês de fevereiro.

Em uma comparação feita com relação ao mês de janeiro de 2014, o mês de fevereiro viu uma queda absurda de 17,95% nas vendas. As informações estatísticas foram divulgadas pela Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores). De acordo com os dados da instituição foram vendidas 245.941 unidades contra as 299.751 de janeiro de 2014. Mas para ser ver o lado positivo das coisas em relação ao mesmo período do mês de fevereiro o aumento foi de 10,55%.

Na concorrência entre os modelos o Volkswagen Gol se mantém no topo com um total de 14.046 emplacamentos. Na “corrida maluca” temos na sequência o Fiat Palio com 13.283 unidades. Já a terceira posição que na verdade não pode ser considerada tão ruim fica com o Fiat Uno com 10.410 modelos comercializados. O quarto lugar está com Chevrolet Onix (9.561) que conseguiu desbancar o Fiat Siena com 9.329 que agora ocupa a quinta posição.

O Volkswagen Up! conseguiu acumular apenas no seu primeiro mês de vendas 2.115 emplacamentos. Nada mal!

O Ford Fiesta entra na lista na sexta posição com 8.915 veículos vendidos. Na sequência temos o Hyundai HB20, Volkswagen Fox, Renault Sandero e o Volkswagen Voyage fecha a lista dos 10 com 5.788 unidades vendidas.

Se a coisa seguir por esse caminho os rankings futuros poderão ter variações que nem especialistas em alguns casos vão ser capazes de prever.

Para fechar as informações em terras pernambucanas o VW Gol mantém o mesmo esquema nacional. Ou seja, faz questão de manter sua liderança com suas 623 unidades vendidas. Por lá, na sequência aparece o Fiat Palio e Fiat Siena.

O mercado de automóveis nacional anda mais movimentado do que já estávamos tradicionalmente acostumados.

Por Denisson Soares

Volkswagen Up!

Foto: Divulgação


Venda de carros em março de 2014 pode ser a pior dos últimos 12 meses


O mês de março poderá fechar com maus resultados para as montadoras de carro. A primeira quinzena de março fechou bem abaixo do esperado e, se a segunda parte do mês tiver os mesmos índices de vendas que a primeira, o segmento pode fechar o mês como um dos piores dos últimos doze meses.

Vale dar um desconto que o mês de março teve os feriados de Carnaval (dias 3, 4 e 5), mesmo assim, os números surpreendem negativamente. Nos dias de folia o Detran fechou sem registrar qualquer licenciamento. As vendas da primeira quinzena de março ficaram reduzidas a 88.863 unidades.

Mesmo com o mês mais curto, o movimento de vendas em geral está mais fraco que o normal. As vendas diárias estão bem abaixo do esperado, com uma média de 14,2 mil veículos registrados no ano passado. A média do mês de março deste ano está nos 12,7 mil carros comercializados por dia, ainda melhor que a média de fevereiro, mas pior que a dos últimos dois anos. Se o movimento ficar mantido neste ritmo, o atual mês vai fechar com 230 mil unidades vendidas.

Todavia, tudo pode acontecer. Normalmente, no mês de março, as marcas fazem algumas semanas de feirões com descontos para ajudar a recuperar os índices ruins, o que pode virar o jogo e fazer de março um mês de boas vendas.

E, mesmo com esses resultados, algumas montadoras ainda comemoram. A Fiat, por exemplo, é a marca que confirma liderança com folga: 23,7% das vendas, cinco pontos a mais do que as duas principais rivais: GM com 18% e Volkswagen com 17,5%.

Dentre as marcas mais novas, quem lidera é a Hyundai. A Renault está em segundo lugar, mas distante da primeira. A Peugeot também vem crescendo e já está na lista das dez primeiras marcas. No quesito modelos, a liderança segue com o Gol, logo vem o Strada, separado apenas por 500 unidades vendidas a menos que o líder. O HB20 subiu para a sexta posição e o Voyage entrou na lista dos dez mais vendidos.

Por Carolina Miranda

Carros a venda

Foto: Divulgação


Novo Chevrolet Prisma 2014


A Chevrolet, que é uma das marcas de automóveis mais conhecidas do mundo, não quer ficar para trás nesse ano de 2014 e, por conta desse objetivo, a empresa está investindo cada vez mais em carros luxuosos e de preços altos.

Um exemplo dessa aposta é o Chevrolet Prisma 2014, um carro muito bonito e moderno e que veio para conquistar públicos e pessoas de todos os estilos e gostos. O Prisma traz direção com assistência hidráulica, coluna de direção com ajuste de altura, chave do tipo canivete com abertura do porta-malas por botão, vidros elétricos dianteiros, alarme, protetor de cárter, ABS, entre outras funções que são de suma importância para quem está em busca de um veículo cheio de qualidades de vantagens.

A única desvantagem desse carro, reside, sem sombra de dúvidas, no seu valor, afinal seu preço está muito caro.

Preços das versões do Prisma:

LT 1.0: R$ 34.990
LT 1.4: R$ 39.090
LTZ 1.4: R$ 45.990

Seja bem como for, o conforto desse veículo pode ser um diferencial para alavancar seu número de vendas. O  modelo é idêntico ao Onix na dianteira e no interior. Grande mudança está na traseira. A motorização é a mesma do hatch, com o propulsor flex desenvolvendo 80 cv com etanol e 78 cv com gasolina.

Pois bem, o carro é super potente e é ideal para quem procura segurança e, ao mesmo tempo, comodidade para dirigir numa boa. O Chevrolet Prisma, com suas cinco versões, espera vender bastante e acredita que as pessoas ficarão felizes com as pequenas mudanças que foram feitas.

O carro é bastante moderno, muito confortável, bem econômico, com 10 km/lt na cidade com ar ligado e muito engarrafamento, a suspensão é bem acertada. Para quem quer ter um sedã médio, o Prisma 2014 parece ser uma escolha bem mais que acertada. 

Por Jaime Pargan

Foto: divulgação


Audi A6 2014: itens de série que consquistam qualquer um


A montadora alemã Audi, que já tem indústrias no Brasil, cumpriu com a sua promessa em criar carros velozes, modernos e de designer ímpar. Um deles é o Audi A6, que ganhou uma roupagem nova, belíssima e com itens de série que vão torna-lo ainda melhor e mais seguro para dirigir.

Falando em itens de série, o A6 vem com freios regenerativos (o que possibilita mais precisão na freagem), freio auxiliar em rampas, freio do estacionamento eletrônico; luzes LED nas laterais e traseiras do carro, embreagem manual com dupla sequencia, rede de segurança para carga, bluetooth que inclui telefone e transmissão de música, DVD ou VCD, chave ou cartão inteligente automático – partida sem chave, conexão externa para entretenimento ipod, indicador de pressão baixa no pneu, vidros com anti-embaçante fixo, ar-condicionado com saída traseira e automática.

Além de Transmissão manual com 7 velocidades no volante de direção, manual sequencial e modo automático, faróis bi xênon, piloto automático, memória de ajuste, além de Volante de direção com , ajuste de altura e ajuste na distância multifuncional, Airbag lateral dianteiro e inclui proteção da cabeça, direção elétrica, entre outros itens.

A proposta da Audi é se posicionar no mercado como uma das empresas que mais oferece itens de série aos seus compradores, uma das razões que tem feito do A6 um dos importados mais bem vendidos do Brasil.

Em termos de potência, o A6 tem motorização 3.0, 310 cv de potência, velocidade máxima de 250 Km/h, injeção eletrônica; 44, 9 de torque, câmbio automático, entre outras ferramentas que tornam o A6 uma verdadeira máquina sobre quatro rodas.

O valor médio do A6 2014 é de R$ 286.000 (valor que pode ser alterado quanto mais acréscimos em opcionais foram solicitados). Esse preço está entre os mais elevados de importados comercializados no Brasil, no entanto, trata-se de um preço que compensa toda a beleza, requinte e tecnologia que um Audi tem para oferecer.

Por Michelle de Oliveira

Foto: divulgação


Fiat Palio Fire teve preço reajustado em 2014


A Fiat Chrysler Automobilies – FCA reajustou os valores do Palio Fire, que continua sendo o veículo mais barato produzido no Brasil. A Fiat, que mudou de nome após comprar as ações da Chrysler, fez um negócio que girou em torno de US$ 4,35 bilhões na aquisição da montadora. Agora com um novo nome e novo logotipo, o grupo pretende continuar mantendo o Palio como o veículo mais em conta.

Os valores foram reajustados principalmente pelo fato da montadora não mais produzir o Uno Mille Fire, por conta da nova legislação em que as montadoras devem produzir carros com airbags e freios ABS. Já que a plataforma do Mille não permite que sejam instalados. Vale ressaltar que em outros países não foi necessária a intervenção do governo para que as fabricantes adicionassem os itens de segurança. Modelos como a Kombi da Volkswagen não serão mais produzidos por não poderem receber os itens.

O Palio Fire se tornou o carro mais barato em janeiro e os preços foram reajustados em pouco menos de 0,8%. O valor de tabela do modelo de duas portas passou de R$ 23.990 para R$ 21.190 e o de quatro portas passou de R$ 25.990 para R$ 26.990. O que representa um aumento de R$ 200. Algo não muito relevante se for comprado por financiamento.

Não é porque o modelo é o mais barato que ele é ruim. O Palio Fire possui novos faróis e para-choques pintados na mesma cor que a carroceria. O novo painel está com um quadro de instrumentos redesenhado. Seu motor é 1.0 etanol/gasolina que gera até 75 cavalos de potência, além de rodas de aço de 13 polegadas e pneus 165/170. O comprador ainda pode escolher entre os opcionais que vão desde de tons metálicos, rodas de 14 polegadas com pneus 175 / 65, direção hidráulica, ar condicionado e outros. 

Por Robson Quirino de Moraes

Palio Fire

Foto: Divulgação


Lançamentos Mercedes-Benz 2014


Para competir à altura com as rivais Audi e BMW, a Mercedes-Benz será uma das líderes de lançamentos em 2014. No fim de janeiro a empresa alemã apresentou o CLA, com incumbência de seduzir o público jovem e ser a estrela do ano no Brasil. A versão prevista para chegar ao país é a CLA 250, com motor turbo de 211cv. Na sequência deve vir a CLA 180 e logo a CLA 45 AMG.

Outro que também pretende fazer sucesso no Brasil chegará no segundo semestre. O GLA quer deixar sua marca em 2014 e ainda deverá vir acompanhado da sua versão esportiva AMG. A Mercedes-Benz, assim como outras marcas, está confiante no mercado brasileiro e também terá produção do seu crossover a partir de 2016 e com motor flex. O GLA entra para disputar com protagonistas do segmento como o Audi Q3, BMW X1 e o Land Rover Range Rover Evoque.

Outro modelo que pretende ser nacional daqui alguns aninhos é o novo Classe C, do segmento premium. Mais leve em até 100kg, mais largo e comprido, o carro mais vendido da história da Mercedes chega para conquistar o brasileiro. Totalmente renovado, se aproximando da estética do Classe S, o Classe C também entra na briga para atrair o mais jovem. Além disso, a lista de equipamentos também teve investimentos: alertas de colisão, troca involuntária de faixa e sistema multimídia em tela de 8,4 polegadas. Sua estreia oficial foi no Salão de Detroit, em janeiro, e o lançamento no Brasil está previsto para o segundo semestre. A versão esportiva chega um pouco mais tarde.

Outro modelo da Marcedes-Benz que coloca expectativa dos amantes da marca é o S63. O poderoso automóvel faz de 0 a 100km/h em apenas 4 segundos. Sua velocidade máxima é de 250km/h. É equipado com um motor 5.5 V8 biturbo, de 593cv e 91,8kgfm de torque. O mais interessante é que o sedã é até 100kg mais leve que sua versão anterior, podendo ainda alcançar 9,9km/l de consumo de combustível. E para a alegria de todos (pelo menos daqueles que podem pagar pelo brinquedo) o modelo começa suas vendas no Brasil neste 1º semestre.


Nova Toyota Hilux 2014


Já estava na hora de uma das pick-ups mais amadas do Brasil passar por uma profunda reformulação tanto em design quanto em desempenho. Essa foi a razão da Toyota, montadora de carros asiática, que comemorou em 2013 um ano de êxito em vendas, elaborar um novo projeto para o seu modelo Hilux agora em 2014, com a proposta de continuar fazendo dela uma líder em vendas e uma das mais temidas pela concorrência no quesito preferência do público.

Além de lindo, este carro também traz outras comodidades, virtudes que reunidas, fazem do modelo mais cobiçado e vendida do Toyota, um campeão em aceitação dos apaixonados por carros. Não há tantas mudanças significativas no design do carro, mas, no que se refere à desempenho, aí temos novidades.

A potência da Hilux 2014 está no agrado dos seus proprietários, já que rende até 163 cv de potência com seu motor flex 2.7 VVT-i (25 kgfm de torque) e 171 cv com seu motor turbo-diesel 3.0 (35 kgfm de torque). Todas as versões diesel são 4×4 de série. O câmbio pode ser manual ou automático, de cinco velocidades em ambas as opções.

O seu modelo na versão a diesel chegou ao mercado com a comodidade der rodas de liga leve de 16 polegadas, sistema multimídia com tela touchscreen, TV Digital e DVD (que será de série), TV Digital, GPS, CD SRV TOP 4×4 e um acabamento interno impecável.

De série também são alguns itens como ar condicionado, travas elétricas, direção hidráulica,

Desde novembro de 2013, as revendedoras Toyota já tem desses modelos de Toyota para serem comercializados e, até então, em todas as partes do Brasil, as vendas só tendem a crescer – principalmente entre os que amam um carro estilo caminhonete, seja para trabalho ou vida social.

Os preços da Hilux variam de acordo com os itens exigidos pelo cliente. A versão cabine simples custa R$ 87.040; já a cabine simples 4×4 pode ser adquirida por R$ 92.630; enquanto outras versões transitam entre 102.520,00, podendo chegar até R$ 148.550,00 pelo modelo considerado como Top de linha.


BMW Série 4 Coupé chega às lojas


A boa notícia vai para os apaixonados por modelos coupé e para quem gosta dos carros fabricados pela BMW. A montadora alemã já começou a enviar para as concessionárias da marca o Série 4 Coupé. O público que compareceu a uma feira premium realizada no fim de 2013 já pôde dar uma olhada na novidade da montadora, mas o lançamento oficial ainda não aconteceu. A festa de apresentação deve acontecer nos próximos meses, mas a data, por enquanto, não foi confirmada.

Para quem mora ou trabalha em São Paulo, ou simplesmente está de passagem pela metrópole, o modelo pode ser conferido de perto nas unidades da Agulhas Negras, Eurobike, Osten e AutoStar, sempre na versão com pintura sólida. O preço sugerido é de R$ 299.950,00. Em quase todas as concessionárias há uma previsão de dez dias para a entrega, exceção feita á AutoStar, que promete a entrega somente para fevereiro.

Um pouco mais moderno e com alguns itens de modernidade a mais, o BMW Série 4 Coupé é considerado o sucessor do Série 3 Coupé. O motor é turbo, com seis cilindros em linha e uma potência de nada menos que 306 cavalos, esbanjando 40,8 kgfm de torque, o que permite um arranque e uma retomada de velocidade acima da média. Com transmissão automática de oito marchas, o conjunto (visto como o mesmo utilizado no BMW 335i Coupé da geração anterior) é capaz de ir de 0 a 100 km/h em 5,1 segundos, de acordo com a montadora alemã. A velocidade máxima é de 250 km/h.

A modernidade está em cada equipamento e os itens deixarão os ocupantes do habitáculo em uma grande zona de conforto. A começar pelo head-up display, equipamento que reproduz no para-brisa do veículo informações como velocidade no momento, o limite de velocidade permitido na via que está sendo percorrida, além de coordenadas do sistema de navegação do modelo.

Por Chris Lino

Foto: divulgação


Carros x Enchentes: como agir?


Apesar do verão ser a estação mais bem vinda do ano, as chuvas fortes são umas das principais características e, infelizmente, podem causar muitos danos, inclusive no trânsito. Não é incomum ver o noticiário de tv e acompanhar carros que chegam a ser arrastados por enxurradas, ou simplesmente abandonados, por conta do domínio das águas que muitas vezes atingem até o interior dos veículos. 

Logicamente que a água em abundância não é boa para a parte mecânica dos veículos, porém algumas medidas viáveis podem ser adotadas em casos como este. Uma delas é manter a calma e não tentar vencer as águas, já que não sabemos o quanto do motor foi atingido. É necessário ter paciência e aguardar que o nível fique baixo.

Se for para seguir em frente, a aceleração pode ser o principal fator para um prejuízo maior. O importante é que nãos e ultrapasse os 2.500 rpm de rotação para diminuir a variação do nível da água fazendo com que o respingar junto ao motor fique estável e possa evitar demais contaminações dos componentes eletroeletrônicos dos veículos.

Os carros com transmissão automática devem ser substituídos pela posição manual para que não possam correr o risco de aumentar a velocidade. As opções WINTER ou SNOW devem ser utilizados nestes casos para ajustar a tração. Pouca gente sabe, mas estes recursos são recomendados inclusive em casos de enchentes ou alagamentos pois auxiliam no controle de velocidade e rotação da parte mecânica. Evitar o uso do ar condicionado, se possível não utilizar. Quantos menos equipamentos em funcionamento, melhor, para reduzir certos riscos como o de calço hidráulico.

Caso o veículo já tenha passado por enchentes ou alagamentos de alta intensidade, o check up deve ser feito no mínimo, a cada seis meses. É extremamente recomendado ficar de olho principalmente no sistema de injeção, que pode causar eventuais transtornos inesperadamente. No demais, a paciência sempre será bem vinda em uma situação constrangedora como essa e toda cautela pode prevenir para que os resultados não sejam tão devastadores assim.

Por Luciana Ávila

Foto: divulgação


Carros com motor 1.0 terão aumento no IPI para 41% em Julho de 2014


Em dezembro, o governo editou o decreto 8.168 no Diário Oficial da União. Tal medida confirma o aumento das alíquotas do imposto sobre os Produtos Industriais (IPI), incidente nos automóveis a partir deste mês de janeiro de 2014, conforme foi previsto por Guido Mantega, ministro da Fazenda.

De acordo com a tabela do decreto, a alíquota para os veículos com até 1 mil cilindradas (1.0) passa a ficar em 33% no dia 01 de janeiro. Essa alíquota permanece até o dia 30 de junho de 2014.

No dia 01 de julho de 2014, o IPI sobre os automóveis 1.0 fica em 37%, número que volta ao patamar anterior aos incentivos do governo para o segmento. Naquela época, a alíquota do IPI para os carros populares chegou a ser de 7%. O Diário Oficial da União aponta que a alíquota voltará a ser de 7% em janeiro de 2018.

Os carros de 1.0 a 1.5 cilindradas passam a ter alíquota do IPI de 39% no dia 01 de janeiro a 30 de junho de 2014. No dia 01 de julho, a alíquota aumenta para 41% e vale até o dia 31 de dezembro de 2017.

IPI.

Ford F-150 em Detroit

A Ford vai mostrar sua nova caminhonete F-150 2015 em algumas semanas, no Salão do Automóvel de Detroit 2014. A informação foi divulgada pelo site Bloomberg.

Segundo a publicação, algumas fontes próximas da marca afirmam que o modelo chega com um visual do conceito Atlas (foto). O F150 também chegaria com painéis de alumínio na sua carroceria.

Isso faria, provavelmente, que a F-150 ficasse 340 kg mais leve. O propulsor do modelo deverá ser o EcoBoost de 2.7 l, que foi desenvolvido recentemente, o qual será acoplado a uma transmissão automática de 10 velocidades.

Outra novidade também pode ser uma nova tecnologia híbrida disponível no modelo para permitir que a Ford atenda os padrões rigorosos de economia de combustível dos Estados Unidos.

Os boatos dão conta que a montadora já começou a fazer os protótipos e inicia a produção do modelo de ano 2015 no segundo semestre do ano que vem.


Rally dos Sertões está com as inscrições abertas


O Rally dos Sertões abriu nesta quinta-feira (05/12) as inscrições para a 22ª edição do evento, que vai ser disputada nos dias 21 a 30 de agosto do próximo ano (2014).

A largada será iniciada em Goiânia (GO) e a chegada ainda será anunciada.  

A primeira fase das inscrições está com preço promocional até o dia 31/12. Para os carros e os caminhões, a taxa é de R$ 11.900,00. A nova categoria de carros TR4/Troller tem as inscrições para este mês por R$ 9.800,00. A taxa dos UTV´s é de R$ 8.200,00, os quadriciclos e as motos ficam por R$ 4.800,00 cada.  

Aos que forem disputar o Sertões Series, que são as três primeiras etapas + Prólogo, as taxas são R$ 4.700 para carros e caminhões, R$ 3.600 para UTV´s e R$ 1.900 para as motos e quadriciclos.  

As inscrições para os integrante de equipe de apoio é de R$ 1 mil cada. Em dezembro, os primeiros 25 que comprarem a inscrição de carros e caminhões e os outros 25 primeiros que também comprarem a inscrição de motos, quadriciclos e UTV´s vão ganhar a inscrição de um apoio.  

As inscrições já estão sendo feitas a partir desta quinta-feira (05/12) pelo site oficial do Rally dos Sertões (sertoes.com).

Se você tem dúvidas e quer saber mais informações sobre as inscrições, ligue para (11) 4191-0133 que é o contato do Departamento de Competições da Dunas Race.  

"Teremos um novo formato, com especiais bem variados e que exigirão ao máximo dos pilotos e navegadores. Teremos mais público, pois a largada e a chegada serão em finais de semana", diz o gerente de marketing da Dunas Race, Lucas Moraes.  

Confira a pré-agenda Rally dos Sertões 2014:  

– 21 de Agosto de 2014 (quinta-feira) – Vistorias Administrativa e Técnica (apenas Equipes de Apoio);

– 22 de Agosto de 2014 (sexta-feira) – Vistorias Administrativa e Técnica (apenas Competidores);

– 23 de Agosto de 2014 (sábado) – Prólogo e Largada Promocional;

– 24 a 30 de Agosto de 2014 – Etapas do Rally dos Sertões;

– 30 de Agosto de 2014 (sábado) – Chegada e Cerimônia de Premiação.

Por André Barbosa

Rally dos Sertoes

Foto: Eric Schroeder


Range Rover Vogue e Sport – Novos modelos híbridos a diesel serão lançados em 2014


Novo Range Rover híbridoOs amantes do luxo da marca Range Rover apreciarão novidades em breve. A poderosa britânica anunciou o lançamento de dois modelos híbridos para o início de 2014, criando um novo segmento automotivo: o de veículos híbridos a diesel.

Range Rover Voguee Sport. Estes serão os nomes dos novatos que, para expectativa de muitos, possuem consumo abaixo do esperado: 16km/litro. Para os apaixonados por velocidade, outro diferencial é que mesmo sendo híbrido e pesando 2.394 kg, o primeiro é capaz de atingir 100km/h em 6,9 segundos. O segundo atinge em 6,7 segundos por ter 22 kg a menos. Isso porque o motor elétrico, o inversor e as baterias lítio-ion – que fazem parte de todo o sistema hídrico – pesam apenas 120 kg.

A dupla une o conforto e excelência em desempenho, sem esquecer da responsabilidade ambiental, uma vez que consegue poluir 26% menos do que as versões originais de carros Range Rover. Serão equipadas com propulsor 3.0 SDV6 de 293 e outro elétrico – com 47 cv, ligados ao câmbio automático ZF de 8 marchas. Sua potência soma 340 cv, ideal para encarar diversos tipos de estrada.

Por Jaime Pargan


Car of the Year 2014 – 30 finalistas foram escolhidos


Mais importante premiação do segmento de automóveis no continente europeu, a Car of the Year do ano de 2014 já apresenta 30 finalistas que foram escolhidos para a edição.

No total, são 58 jurados representando 22 nações do velho continente, divididos conforme a relevância do setor de autos desses países e conforme a participação de cada um na indústria de automóveis.           

A edição do ano passado do prêmio teve como ganhador o Golf (Volks), em sua 7ª versão, que irá ser introduzido brevemente no mercado nacional. O hatch chegou a obter 414 pontos, chegando ao dobro do 2º colocado, o modelo GT86 da Toyota, que obteve 202.

Na escolha dos finalistas desta edição, o critério de avaliação é simples: os modelos precisam começar a ser comercializados até o fim do ano em questão ou já estar à venda em ao menos 5 nações da Europa. Outro item a ser avaliado refere-se à previsão de emplacamentos, que tem quer ser de, no mínimo, cinco mil unidades ao ano. No mês de dezembro irá ser publicada uma listagem, na qual serão revelados 5 finalistas do prêmio. 

Por Marcelo Araújo


Range Rover Sport e Vogue – Novos modelos híbridos


A marca Range Rover é tradicionalmente conhecida pela produção de modelos que apresentam conforto e luxo. A empresa mantém a classe dos veículos, mas sempre investe em elementos que deixem os carros com capacidade para enfrentar vários tipos de ambiente. Por isso,  a marca acabou de anunciar seu primeiro veículo em um segmento inédito para a montadora: o de híbridos.

Em um primeiro momento, apenas 2 modelos Irão apresentar a nova tecnologia dos híbridos: o Range Rover Sport e o Vogue.

Os dois serão equipados com motorização do tipo 3.0 SDV6 (diesel) de 293 e a outra elétrica apresentando 47 cavalos de potência, acoplados ao câmbio automatizado ZF (8 marchas). A potência dos propulsores totaliza 340 cv. Os modelos tiveram índice de consumo menor do se esperava, fazendo 16 km/l e com poluição de 26 %  a menos em relação às versões anteriores.

Apesar de ser modelo híbrido, o Range Rover Vogue chega aos 100 km/h em apenas 6,9 segundos, mesmo com o peso de 2.394 quilos. No que se refere ao Range Rover Sport, vai de 0 a 100 km/h em 6,7 segundos, sendo mais veloz que o irmão de maior porte por ter 22 quilos a menos. De acordo com informações da empresa, o sistema do tipo híbrido, com baterias de íon-lítio, motorização elétrica e inversor chega ao peso de 120 quilos.

Com introdução prevista para a Feira de Frankfurt e início das vendas no começo do ano de 2014, as opções Hybrid referentes ao Range Rover Sport e Vogue inauguram um renovado segmento de autos: carros híbridos que funcionam a diesel. De acordo com a marca, a tecnologia irá ser usada em diversos outros modelos da empresa.

Range Rover Sport 2014

Range Rover Sport 2014

Por Marcelo Araújo


Scion linha 2014 – Novidades


Scion xD 2014A linha 2014 da Scion terá novidades, de acordo com apresentação nos Estados Unidos da América. Uma delas é que o modelo xD poderá ser comprado pelos clientes com duas opções de tonalidades: Black Sand Pearl/Magnetic Gray Metallic ou Classic Silver Metallic/Sparkling Sea Metallic.

Já o exíguo Scion iQ terá uma versão especial, com apenas 150 exemplares produzidos, de nome Monogram Series e também terá a opção de duas tonalidades na carroceria (Black Currant Metallic com Classic Silver Metallic), além de tapetes personalizados e modernas rodas de alumínio (exclusivas).

Outra novidade da Scion é o FR-S, considerado uma espécie de irmão gêmeo dos Toyota GT 86 e Subaru BRZ, dispondo de um novo acabamento nas portas e no console. Toda a linha 2014 da Scion virá com uma série de multimídia com tela de 6,1 polegadas sensível ao toque com navegador GPS.

Outros componentes de toda a linha são Bluetooth, USB/iPOD/MP3/CD e ainda como opcionais os interessados podem implementar navegador GPS com acesso à Internet. Sobre os preços, o xD 2014 sai por um valor a partir de US$ 15.920,00; o iQ a partir de US$ 16.520,00 e o FR-S por US$ 24.700,00.

Por Vinicius Cunha


Mini Cooper – Nova linha JCW


Nova linha Mini JCWA fabricante inglesa dos modelos Mini realizou na última semana o relançamento de sua linha de esportivos JCW John Cooper Works.

Os divertidos modelos terão mudanças principalmente na parte mecânica. Os modelos são o Mini Cooper JCW, Mini Cooper Coupé JCW, Mini Cooper Cabrio JCW e Mini Cooper Roadster JCW. Os valores partem de R$ 136.950 e chegam a R$ 156.950 na versão Roadster.

O motor será o 1.6 turbo desenvolvido pela alemã BMW que foi modernizado reduzindo o consumo e a emissão de poluentes e mantendo o mesmo desempenho (211 cv).

Outra novidade significativa é a opção de câmbio automático de seis marchas (antes apenas manual). A esportividade está mantida e é anunciada a aceleração de 0 a 100 em 6,6 segundos e 238 km/h de velocidade máxima. A linha JCW vem equipada com rodas de liga leve aro 17 polegadas, bancos com forração em couro, sistema de som de alta definição, ar condicionado digital e controle eletrônico de tração e estabilidade.

Além destes modelos a fabricante pretende trazer para o Brasil, até fevereiro do próximo ano, os modelos utilitários Mini Cooper Countryman JCW e Mini Cooper Paceman JCW

Por Bruno Hardt


Lifan 530 – Novo sedan será vendido no Brasil


Novo Lifan 530A montadora Lifan prepara seu novo carro chefe, nomeado como 530. O novo sedan tem sua estreia no Brasil marcada em janeiro de 2014.

A montadora chinesa acredita que o 530 é o modelo perfeito que brigará pelo mercado que até então é controlado pelas montadoras Volkswagen e Fiat. Mas pelo que tudo indica a Lifan terá que primeiro desbancar a também chinesa Jac com o seu J3 Turin.

O novo modelo sedan vem de fábrica com um motor de 1,5L que alcança os 103 cavalos de potência com puxada de 13kg. O motor foi desenvolvido para trabalhar perfeitamente com um conjunto de transmissão manual de 5 níveis Os últimos testes realizados pela montadora indicaram que o novo modelo tem ótimo desempenho em regiões metropolitanas.

Mas nem tudo no veículo é perfeito, basta um pequeno test drive para perceber que a montadora chinesa tem muito a melhorar se quiser conquistar o seleto mercado consumidor brasileiro. Atualmente quem entra dentro do veículo consegue perceber facilmente que muitos detalhes de acabamento foram ignorados e é fácil se machucar nas rebarbas existentes nas peças de plástico, além do mais a grande maioria não possui encaixe adequado, o que dá  impressão que o veículo foi feitos às pressas, algo que com certeza não passará batido na hora das vendas.

Como o veículo só entrará no mercado brasileiro em 2014 nos resta esperar que a montadora realize as devidas modificações para que o então 530 realmente ganhe o carisma do brasileiro.

Por Fernando Setoue


Lifan 630 – Novo modelo será lançado no Brasil


Novo Lifan 630A montadora chinesa Lifan prepara o lançamento do seu mais novo modelo para o início de 2014. O modelo denominado 630 chega ao mercado para substituir o 620, veículo vendido no Brasil na época em que a montadora chinesa ainda possuía parceria com o grupo Effa.

O novo modelo aposta na consolidação do seu antecessor e alia mudanças estéticas que alteraram completamente tanto a parte frontal do veículo quanto a parte traseira, que aliados ao interior arrojado dão um ar mais esportivo ao possante.

No quesito motor o modelo conta com o mesmo sistema utilizado no X60 e consegue chegar aos 133 cavalos. Quanto ao câmbio, o que se sabe é que mudanças ainda estão ocorrendo e até então a única praticidade está no fato de o mesmo girar completamente, o que convenhamos não pode ser considerada uma vantagem, já o volante pode incomodar os mais tradicionais uma vez que está localizado mais à esquerda do que o de costume.

A montadora anunciou que o 630 só será vendido no Brasil a partir de agosto de 2014. Como o veículo ainda está em fase de testes e mudanças ainda estão ocorrendo é bem provável que nas próximas semanas a própria montadora faça novos anúncios sobre o novo 630

Por Fernando Setoue


Chevrolet Impala 2014 – Lançamento


A montadora Chevrolet acabou de divulgar todos os detalhes do Impala 2014, seu novo sedã.

O carro contará com três excelentes opções de propulsão, sendo elas o 2.6 V que gera 303 cavalos de potência, o 2.5 que atinge 195 cavalos e o 2.4 que é o menos potente da família, mas que chega a satisfatórios 182 cavalos.

Além disso, o lançamento será equipado com moderno sistema e-Assistent, que possibilita uma maior economia de combustível e melhora significativamente o desempenho.

O Impala surgiu no mercado em 1957 e esta já é a sua 10º geração.

Ao longo do tempo, o modelo foi melhorando a cada dia, sem perder de vista as suas qualidades originais.

Sendo um dos carros mais vendidos no mercado norte-americano, o veículo se transformou em um grande clássico automobilístico.

Hoje, o Impala oferece um acabamento impecável, tanto na parte interna, quanto na parte externa.

O carro também possui itens de série altamente tecnológicos e funcionais, como os sensores de estacionamento, de tráfego e de obstáculos.

Em relação ao visual, o novo Impala apresenta um design arrojado, com linhas imponentes e ao mesmo tempo elegantes, já anunciando o estilo que a marca deve adotar nos próximos lançamentos.

O carro será disponibilizado em três versões, a: LS, a LT e por fim, a LTZ.

Ainda não há data prevista para o lançamento do novo Impala no Brasil.

 

Por Larissa Mendes de Oliveira