Peugeot 408 ganha versão elétrica sem carregamento, com troca de baterias

Modelo de troca de baterias pode facilitar a adoção de carros elétricos?

Produzido em simultâneo com o Peugeot 308, e desenvolvido para ser uma variante eletrificada, o recente modelo Peugeot, o 408, é um “fastback” de design cativante. Esse exemplar consolida o compromisso da marca de eletrificar a sua gama de carros.

O “Peugeot 408” é um produto da linha da empresa francesa há anos, inclusive, substituiu o 307 na América do Sul, Rússia, China e Malásia, até o ano de 2019.

Contudo, ainda há espaço para a versão mais antiga do 408, que retorna para as concessionárias chinesas com a intenção de conquistar um espaço no segmento C.

No comércio chinês, onde o automóvel será disponibilizado, o Peugeot 408 é denominado Dongfeng Fukang ES600. Partirá de 163.800 yuan, cerca de R$ 124 mil, sem contar as trocas de baterias nas estações da Dongfeng.

Dongfeng, apesar do nome, é claramente um Peugeot. Tanto que, mantém o volante o mesmo volante e logotipo. A única diferença das duas versões, ocidental e oriental, é a central multimídia e a manopla de câmbio.

O Dongfeng tem grade frontal selada com detalhes azuis e ponto de carregamento, semelhante ao Renault Kwid E-Tech. Na parte traseira, conta com apenas com novos logos e a retirada do escape. E as rodas utilizadas pelos carros da Peugeot, permaneceram intactas, sem qualquer mudança.

Peugeot 408 antigo chinês não tem carregamento, mas sistema de troca de bateria

A empresa apresenta a ideia de que, ao invés de usar eletropostos ou tomadas para carregar o carro, basta parar em uma estação da Aulton New Energy e trocar as baterias por novas totalmente carregadas. A troca é mais rápida que deixar o carro carregando, mas ainda assim, mais demorada que abastecer um modelo a combustão. Na China, são disponibilizados 336 pontos de troca.

Conjunto mecânico eletrificado Peugeot 408

O Peugeot 408 possui um motor elétrico de 150 cavalos de potência máxima, capaz de alcançar 100 quilômetros por hora em dez segundos, a partir do zero. A velocidade máxima é 140 quilômetros por hora e a autonomia é boa, 430 quilômetros. Se o cliente adquirir a opção que inclui a substituição da bateria, a autonomia cai para 410 quilômetros.

Imagens: EVOGO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *