Fiat Uno (Mille) – problemas e defeitos comuns – é bom ou ruim?


O Fiat Uno, que depois se tornou Mille, foi lançado em 1984 e foi tirado de linha em 2014, devido à exigência de aibags, praticamente sem mudanças.

O compacto Fiat Uno, lançado no Brasil no início dos anos 1980, esteve, por muitos anos, na lista de carros preferidos dos brasileiros. Na época de lançamento, o carro demonstrava ter um projeto revolucionário, uma vez que, embora de pequeno porte, fazia o melhor uso possível de todo o espaço do veículo.


A partir da década de 1990, o Uno passou por algumas alterações, e inaugurou, no mercado brasileiro, a categoria dos carros populares, modelos de menor tamanho cujo motor tendia a ser o 1.0, não tão potente, tendo ganho o nome de Mille. Com o tempo, o Uno ganhou o motor Fire, adição importante, bem como nova suspensão dianteira, novo design e novo painel. Mesmo com todas essas adições, no final da década, a chegada do Palio ao mercado nacional significou a perda de relevância do Uno, porém, a fidelidade dos brasileiros fez com que o modelo permanecesse a venda.


No início deste século, novas alterações reposicionaram o Uno de maneira competitiva no mercado de carros de entrada, e o estabeleceram como um carro confiável e robusto, companheiro de todas as horas. Já em 2010, a nova geração do Uno, cuja principal inspiração era o Panda, chegou, e trouxe um carro mais seguro e valorizando muito mais o conforto. As vendas do carro cresceram e, com toda certeza, você deve ter visto vários Unos rodando pelas ruas. De qualquer forma, em termos de estrutura, mesmo com uma plataforma atualizada, os problemas são parecidos.


Considerando o sucesso do carro no mercado brasileiro ao longo dos anos, e a alta dos preços dos modelos zero km atualmente, decidimos preparar uma lista com defeitos e problemas comumente apresentados pelo Uno, pensando em te ajudar caso você esteja, nesse momento, pensando em comprar o seu no mercado de carros usados. Para isso, consultamos a opinião de proprietários de Fiat Uno, sobretudo porque quem mais entende do carro é quem o utiliza todos os dias, não é mesmo? Vamos então à lista.


1) Alto consumo de combustível

Falando em preços altos, o combustível, no Brasil, tem sido alvo constante de reclamações por parte dos consumidores. Sendo assim, o primeiro problema que os donos de um Uno apontam é o alto consumo de combustível, para os padrões de hoje.

Segundo relatos comuns de donos de Uno usado com motor Fire Evo 1.0, na cidade e fazendo uso de gasolina, o carro roda, em média, apenas 8 km por litro de combustível, enquanto com etanol, são cerca de 7 km por litro de combustível. Outros relatos indicam um pouco mais, cerca de 11 km por litro de gasolina. Não são números ruins, muitos carros novos e outros concorrentes usados não fazem isso, mas, de qualquer forma, são números abaixo do que se espera.

2) Motor pouco potente

Novamente, a maior parte das reclamações está ligada ao motor Fire Evo 1.0, considerado muito fraco. Donos de Uno dizem que, em baixa rotação, o motor não tem força para se mover adequadamente. Em subidas, por exemplo, proprietários afirmam ser necessário reduzir constantemente a marcha a fim de conseguir um desempenho minimamente satisfatório.

De todo modo, é um motor que não gera muita manutenção e tem baixo custo de peças. Considere o consumo e o baixo desempenho como uma característica do modelo.

3) Ruídos e acabamento frágil

Outro problema do Uno que tem relação com o motor são os barulhos e ruídos. Segundo proprietários, em altas rotações, o motor faz muito barulho, assim como revestimentos internos e peças que parecem soltas, pois batem com frequência. Inclusive um dono de Uno chega a afirmar que o veículo parece estar próximo de ver as peças se soltando umas das outras.

Conforme outros relatos, mesmo substituindo as peças que apresentam mais barulho, elas voltam a causar problema.

O problema que causa os ruídos se deve, justamente, à fragilidade dos materiais usados para fazer o acabamento do carro, conforme outros donos de Uno. Defeitos nas portas também são mencionados, com travas emperrando e dificultando a vida dos ocupantes dos bancos traseiros, em especial. A borracha do porta-malas também solta com facilidade, dificultando o fechamento.

Enfim, é um carro popular, com acabamento simples, para ser barato. De qualquer forma, mesmo carros com acabamento premium, com o tempo, acabam gerando ruídos.

4) Parte elétrica

Por fim, é preciso mencionar a parte elétrica, frequentemente mencionada como um problema pelos proprietários de Uno. Por vezes, o alarme do veículo dispara sem ser acionado, podendo assustar e causar até mesmo confusão e risco para o dono do carro.

Outro problema mencionado diz respeito ao pouco tempo de duração da bateria. Há, inclusive, um dono de Uno que afirma que, com menos de um ano de uso, teve de realizar a troca da bateria. O ar-condicionado também apresenta alguns defeitos, pois teria dificuldade em resfriar o carro.

Aqui, normalmente, o problema não tem relação com o projeto do carro. Com o tempo, tende-se a ter oxidação em conectores e, principalmente, em fusíveis. Além disso, como o carro normalmente não vinha com rádio, este acessório pode estar com curto-circuito ou mau contato que gera problemas em outros itens do carro que dependam da parte elétrica. Enfim, é um problema comum em outros carros antigos, também.

Veredito

O Fiat Uno não vendeu tanto, no Brasil, à toa. Trata-se de um dos melhores carros já vendidos por aqui, com manutenção fácil e barata, suspensão robusta, bom para uso em asfalto e na terra. Não é confortável, mas trata-se de um carro com ótimo espaço interno pelo tamanho.

A partir dos problemas elencados em nossa lista conforme relatos de donos de Uno, qual a sua opinião sobre o carro? O Fiat Uno é uma boa opção ou não?



Outros Conteúdos Interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.