Fiat Palio G1 e G2 – problemas e defeitos comuns


Fiat Palio chegou a figurar como o carro mais vendido do Brasil, posto que alcançou graças à qualidade do projeto. No entanto, como todo carro, dá problema, embora menos que a média. Confira os mais comuns.

Já corriam boatos de um novo lançamento da Fiat em meados dos anos 1990, mas somente em 1996 que ocorreu o lançamento oficial do Fiat Palio, sendo responsável pelo ressurgimento da marca italiana no mercado. Diferentemente do Punto, lançado na Europa, o Fiat Palio foi projetado para ser vendido em países emergentes e uma pequena parte da Europa. Em uma pesquisa realizada em 1992, a preferência do público por um carro de design robusto, que transmitisse uma sensação de segurança e conforto para os entrevistados foi facilmente notada.


Inicialmente, foi apresentado como “projeto 178”, visando a concorrência direta com o Gol da Vokswagen e o Corsa, da Chevrolet. Seu estilo moderno e agradável, que contava com segurança e um extenso porta-malas caiu rapidamente no gosto do povo brasileiro, garantindo a venda de três milhões de unidades apenas no Brasil. Seu sucesso foi acompanhado de uma longa história e diversas reestilizações ao longo da mesma, com mudanças no design, carroceria e motor.


Ganhou versões sedan (Siena), perua (Palio Weekend) e picape (Strada). Palio Weekend e Strada chegaram a ganhar as versões Adventure com diferencial Locker. Qualquer versão de Palio, inclusive, tende a ter um bom desempenho tanto em estradas de asfalto quanto de terra, fruto da preocupação da Fiat em adequar o carro à realidade brasileira.


Ou seja. Trata-se de um projeto robusto, um carro bem construído, durável, de manutenção barata e que dá pouco problema.


Primeira geração

A primeira geração do compacto da Fiat foi marcada por um período de grandes mudanças ao longo dos anos. Diversas reestilizações foram realizadas durante sua trajetória, contando com mudanças no motor, melhorias de segurança e surgimento de novos modelos ocorriam de forma recorrente.

Em meados dos anos 2000, seu visual foi reformulado, trazendo um visual mais arrojado. A mudança foi tão bem aceita que foi reaproveitada em linhas derivadas do mesmo. Em 2007, o hatch manteve sua versão 1.8, lançada quatro anos antes, porém passou a contar duas portas em sua carroceria no seu modelo adventure. Suas versões anteriores passaram a serem vendidas com o sobrenome de Economy, para reforçar a ideia de um carro que era econômico quando o assunto era combustível.

Segunda geração

No ano de 2012, como esperado, foi apresentada a nova geração de veículos da linha Palio. Seu design havia sido renovado e sua separação do Palio/Siena confirmada, pois o mesmo também foi reformulado e ganhou até uma identidade própria, passando a se chamar Grand Siena. Estava muito próximo ao Punto em questões visuais e de conteúdo. Contou com seis variações de modelo, sendo elas o Attractive 1.0, Attractive 1.4, Essence 1.6 16V, Sporting 1.6 16V, Essence Dualogic 1.6 16V e Sporting Dualogic 1.6 16V, os dois últimos contando com a presença de um câmbio automatizado.

A segunda geração foi uma das mais importantes para o veículo, levando o queridinho da marca a atingir sua meta em 2014, conseguindo assumir o ranking de primeiro colocado em vendas no Brasil, dando seu último adeus no ano de 2018 com sua substituição pelo Fiat Argo.

Os problemas, tanto da geração 1 quanto da 2

O Palio é, sem dúvida, um dos melhores carros do Brasil em termos de custo-benefício. Mas, como todo carro, dá problema, ainda que seu número seja reduzido, no caso do Fiat. O queridinho dos brasileiros conta com alguns problemas mais comuns.

Em geral, vemos reclamações acerca de problemas e defeitos que são comuns em ambas as suas versões, relacionados principalmente a maior tempo de uso e maior quilometragem.

Há alguns relatos de vazamentos presentes em seu ar-condicionado, principalmente no condensador, após um certo tempo de uso.

Na parte elétrica, bom verificar quando há baterias descarregando com facilidade e problema com queima de lâmpadas de faróis e lanternas. É muito comum a instalação de acessórios que não vieram com o carro, como alarmes ou aparelhos de CD/DVD, que acabam estragando com o tempo e “roubando” corrente, ou dando curto-circuito. Enfim, não é um problema do Palio em si, mas acaba sendo comum porque muitos proprietários instalaram tais acessórios.

O automóvel apresenta diversos ruídos internos em seus vidros, porta-malas e limpadores de para-brisas. Também costuma apresentar ressecamento na pintura e em suas borrachas e batentes de porta, levando a infiltrações e problemas com poeira, muitas vezes ocorrendo com baixa quilometragem. Consequência de seu acabamento é mais barato, mais “rústico”.

Em vários modelos, foi constatado o vazamento de água do radiador, devido a rachaduras em mangueiras ou no próprio radiador. É um problema que aparece, principalmente, entre os Palio mais antigos, anteriores a 2010, e está mais relacionado ao desgaste do próprio sistema. Para quem tiver Palio mais antigo, importante ficar atento ao medidor de temperatura, sempre.

Nos Palio mais antigos, de primeira geração, um problema comum é a dificuldade em ligar o carro quando o mesmo é enchido com etanol. Donos relatam sua dificuldade em ligar o carro pela manhã, tendo que mantê-lo ligado por, pelo menos, cinco minutos antes de poder utilizá-lo, quando está frio. A dica é misturar mais gasolina ou abastecê-lo somente com este combustível.

São bastante raros os relatos de problemas em eixo e suspensão, nos Palio. Alguns, mais antigos, podem apresentar trincas em componentes de suspensão, principalmente em buchas e bieletas que decorrem do desgaste natural do carro. Mesmo assim, estes são problemas baratos e fáceis de se resolver.

Veredito

Enfim, o Fiat Palio foi, sem dúvidas, um grande marco na história dos carros, especialmente no Brasil. São poucos os problemas mecânicos ou elétricos que costumam acometer o carro, que apresenta mais problemas de acabamento mesmo, o que já é de conhecimento geral do mercado. Quem precisa de um carro para o dia a dia que seja confiável, durável, econômico e não precise de muitas visitas ao mecânico, com certeza deve considerar um Palio.



Outros Conteúdos Interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.