Vapor de gás para economizar combustível funciona?


Vaporizador de combustível, aproveitando gases presentes no tanque, funciona? Confira em nosso artigo.

Recentemente, alguns artigos foram publicados sobre este tema. Trata-se de um dispositivo estruturado para conduzir o vapor de gasolina contida no tanque de modo que seja consumida nos dutos do motor. O autor deste tipo de recurso, obviamente, lhe tece todos os elogios, garantindo sua segurança e eficiência. Mas, este é um papo para especialistas, e muitos motoristas estão interessados em saber o que é, exatamente, o tal “economizador a vapor da gasolina”; sua verdadeira função e se, de fato, reduz o consumo médio dos veículos; se este tipo de dispositivo não causa danos ao carro.


Os profissionais do site Auto Papo foram a campo pesquisar, e descobriram que este recurso consiste apenas em uma mangueira cuja função é recolher os gases produzidos pelo líquido da gasolina contido no tanque, conduzindo os gases para o coletor de admissão do propulsor, acrescido de uns badulaques extras ao longo do percurso.


De acordo com a análise realizada, é fato, esta invenção não funciona. Não é o motorista que será beneficiado, é o vendedor, melhorando sua própria situação econômica como produtor do dispositivo. Este, certamente, está faturando muito às custas de motoristas inocentes que estão crendo nesse tipo de “magia” ou “ciência alternativa”, compram, instalam e estão certos de que vai funcionar.


Primeiro mito

Este novo “aparelho”, em realidade, opera da seguinte maneira: sua função resulta em aumento do volume de gasolina (ou dos vapores do combustível) na entrada da propulsão, inicia um negativo processo de modificação da relação dita estequiométrica, na medida em que efetue a entrada de ar e combustível (juntos) alterando muito de toda a regulagem da motorização. Este processo pode causar um prejuízo bem evidente para a estrutura do motor, dado que este excesso na mistura indevida de vaporização e líquido, que força a operação normal do aparelho.


Segundo mito

Em vez de facilitar, este processo de vaporização da gasolina não a torna menos combustível, portanto, segue sendo inflamável e até provocar uma explosão súbita, pois, é o que ocorre dentro do pistão. Segurança zero. O motor clássico opera a explosão, em quatro tempos, cujas fases devem ocorrer nos lugares certos, a gasolina desce no duto até o pistão (líquida), o pistão comprime o fluído inflamável, a vela emite uma faísca e a gasolina explode, gerando o gás (fumaça) que é eliminado no escape.

Gerar gases inflamáveis no duto do taque até o pistão são algo altamente arriscado. Vale lembrar, portanto, que este recurso “economizador” vai entrar no rol de mais uma dezena de outras invenções pretensiosas que não têm resultados efetivos, apenas negativos.

Existem alguns vídeos que supostamente comprovam a eficácia desta criação, no Youtube, entretanto, não se fala dos resultados eficazes, são feitos apenas testes muito rápidos, furtivos, que não garantem nem economia, nem segurança ou qualquer outro resultado positivo. Especialistas do portal Quatro Rodas também perpetraram testes em um exemplar desta invenção, concluindo que não há qualquer indício de economia, podendo até consumir mais combustível ainda, por forçar o processo de normal de operação da propulsão, vaporizando, utilizando o vapor e o fluído, ou seja, este dispositivo engendra duplo processo de consumo.

Terceiro mito

Se tal aparelho alternativo proporcionasse real eficácia, qual grande marca automotiva não se interessaria? Qual grupo famoso na área de mecânica de automóveis não desejaria investir nisso? É importante lembrar o mote popular, antes de adquirir algo assim: o barato pode sair caro.

Veja vídeos sobre o assunto:



Outros Conteúdos Interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.