Meio Ambiente: como os carros elétricos podem contribuir?


Na data de cinco de junho foi oficialmente celebrado o Dia Mundial do Meio Ambiente. Este dia se combina com uma nova vertente da indústria automotiva. Os veículos, atualmente, não são tão poluentes como antigamente.


O termo sustentabilidade está presente na produção de automóveis. A maioria das grandes marcas está incluindo, cada vez mais, em seus portfólios, modelos elétricos ou de motorização híbrida, levando a bandeira sustentável para as linhas de montagem. A progressiva aceitação dos carros elétricos é um sinal da “consciência ecológica” da população mundial.


A companhia Toyota, no que lhe concerne, não só começou a fazer crescer sua frota de modelos híbridos, incluindo Prius, o Corolla e o RAV4, como extensão sustentável de suas produções, intitulada Fundação Toyota, inaugurada no ano de 2009, no sentido de garantir sua contribuição nesse segmento, promovendo eventos e atividades na área de preservação ambiental e formação da consciência sobre o maio ambiente. Atualmente as grandes indústrias automotivas estão mudando suas diretrizes e combinando preservação, saúde e produção em massa, em simultâneo.


A companhia japonesa está perfeitamente engajada com a recuperação e a preservação da Mata Atlântica. Junto da vegetação está incluído todo o conjunto de espécies animais sob a proteção desta Fundação, incluindo o chamado Projeto Arara Azul, cujo princípio está em promover a preservação ambiental em toda a região do Pantanal sul-mato-grossense. Este trabalho não para por aí, pois, em outras regiões onde a indústria possui unidades estão sendo realizado, pela mesma, variados projetos sociais, entre eles: Indaiatuba (São Paulo); em Guaíba (Rio Grande do Sul); em Porto Feliz (São Paulo); em São Bernardo do Campo (São Paulo) e no município de Sorocaba (São Paulo).


A indústria italiana, Fiat, também atua na promoção de projetos sustentáveis, aproveitando 100% de todo tipo de resíduo gerado, encaminhando tudo para rigorosa reciclagem. Este processo abrange a otimização sobre a utilização da energia, resultando na redução de 40% sobre o consumo de energia a partir da instalação de lâmpadas tipo LED, bem como no consumo de água; a destinação de muitos resíduos em projeto de ergonomia em variados setores desta indústria. A companhia, hoje, possui unidades de concessionárias cujas estruturas são ambientalmente adequadas.

Sobre as metas e as ações:

Devido à presença da pandemia, entre 2020 e 2022, houve drástica queda no comércio de automóveis em todo o território brasileiro, por esta razão a Anfavea, ou Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, soltou nota oficial de revisão sobre a meta dos licenciamentos no ano de 2020.

Essa situação gerou muitos debates entre autoridades, movimentos ecológicos e entre a própria população, em cada país. A circulação de automóveis ao longo da pandemia diminuiu, diminuindo, por conseguinte, a circulação de veículos que emitem gases, derramam óleo, gerando poluição que prejudica nossa saúde e o ambiente natural.

Uma das melhores soluções, após intensos debates em fóruns, foi o compartilhamento de automóveis através de caronas e/ou viagens requisitadas a motoristas de aplicativos; outra solução foi o incentivo da utilização das bicicletas, muito comum no continente europeu.

Outras grandes indústrias, como a Porsche, também rendeu-se à modernidade ecológica e passou a fabricar os melhores automóveis elétricos e híbridos em todo o mundo, entre eles: o modelo de motor híbrido Panamera E-Hybrid, tipo esportivo, que entrega desempenho de 462 cv, atingindo seus 100 km hora na escala de 4,6 segundos.

Outras companhias também estão contribuindo para a nova era de preservação ambiental, com modelos como: o Chevrolet Bolt EV; o BMW i3; o Renault Zoe. A internacional JAC Motors está produzindo picapes e caminhões de propulsão inteiramente elétrica. Esse é a penas o começo.



Outros Conteúdos Interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.