Nova Mobylette é relançada pela Caloi com motor elétrico


A marca Caloi anunciou o relançamento de um clássico: nova versão da antiga Mobylette está chegando nas lojas ainda este ano.

Trata-se de uma das mais famosas bicicletas motorizadas vendidas no Brasil, a grande febre entre as décadas de 70 e 80. Agora a companhia novamente coloca este veículo diminuto, equipado de motor elétrico e com autonomia de 25 a 30 km por hora. A clássica Mobylette estará disponível por um valor na escala de 9 mil reais.


A empresa iniciou o comércio desta nova geração da clássica bicicleta motorizada, em versão elétrica, no mês de março e já parece estar dando bons frutos no comércio. Está equipada de motorização com potência de 350 W, o qual está acoplado à parte inferior do assento da motocicleta, que deve ser acionado tanto por meio das pedaladas quanto acionamento do acelerador.


A nova edição da Mobylette tem suporte para até cem quilos. É um tipo de veículo próprio para pessoas de estatura 1,65 m. Veículo exclusivamente urbano (a maior recomendação é utiliza-la pelas ruas e ciclovias, de menor densidade).


História: esta linha teve sua produção interrompida em 2002, mas, após duas décadas, está voltando ao mercado, pela facilidade de se instalar a motorização elétrica. O comércio da moto iniciou somente em lojas virtuais, incluindo o Mercado Livre, que oferta entrega para todo o nosso território nacional. Desde o final do mês de março ou início de abril o veículo começou nas lojas e concessionárias especializadas de todo o Brasil, com unidades da Mobylette que chegam aos consumidores no valor máximo de 9.199 reais.


Outros detalhes da Mobylette

Está munida de bateria posicionada, como foi dito, na parte inferiro do banco, garantindo boa autonomia em percurso de até 30 km; está equipada de acessórios clássicos e alguns acréscimos. Estas novas alterações têm por meta preencher o veículo de maior eficiência, sem alterar seu formato padrão e elegante, tão famoso e tão bem-sucedido comercialmente. Na atualidade, com a chegada da sustentabilidade e da motorização elétrica, o mundo mais povoado, as ruas mais movimentadas, maior quantidade de ciclovias e outros pontos urbanos, a mobylette precisou ser atualizada nos padrões de hoje.

O já citado motor de cubo, com força de 350 W pode ser acionado, além da pedalada, pela função de acelerador situada de forma virtual no display. Esta função é um acréscimo em relação à clássica que só pega pelas pedaladas e, muitas vezes, sem sucesso do piloto, por conta das limitações que haviam naquele tempo.

A dupla de pneus utilizada nessa nova versão é de quatro polegadas. De acordo com nota da empresa Caloi, este modelo de pneu proporciona muita mais segurança e estabilidade, funcionando de modo a absorver todo tipo de impactos imprevisíveis, mantendo bom conforto e economia no funcionamento.

Ao decidir ligar a Mobylette por meio do controle de acelerador, o condutor deverá observar todas as regras próprias de um veículo ciclomotor. Portanto, no caso desta nova geração de motocicleta, os condutores deverão seguir rigorosamente as normas da legislação vigente, a qual recomenda (não obriga) o emplacamento da moto de menor porte; retirar a CNH simples ou AAC, a Autorização para a Condução de Ciclomotores menores.

Apesar de ser um tipo de veículo muito próximo de uma simples bicicleta (no caso, motorizada), é importante que os proprietários da Mobylette sigam as normas de trânsito, pois, hoje até os ciclistas transitam com suas bicicletas munidas de todos os acessórios que a aproximem de um veículo motorizado.



Outros Conteúdos Interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.