Volkswagen suspende produção de Polo, Nivus, Saveiro e Virtus


A Volkswagen acaba de anunciar férias coletivas para os trabalhadores da fábrica localizada em São Bernardo do Campo, que deve ir até o dia 28 do mês de maio. Parte da paralisação forçada se dá devido a suspensão da produção de alguns modelos.


De acordo com as notícias que saíram recentemente, a falta de componentes para a produção, assim como alguns semicondutores que faltaram, fizeram com que a empresa tivesse que tomar essa decisão de parar e fechar a fábrica em Anchieta e agora, no interior de São Paulo, em São Bernardo do Campo.


A decisão era de inicialmente parar apenas dois turnos de produção, algo que iria afastar em torno de 2,5 funcionários, que iriam ficar em casa. Mas com os ocorridos, a decisão de parar toda a produção e suspender a fabricação dos modelos, Polo, Saveiro, Nivus e Virtus, acabou estendo os planos para todos os trabalhadores.


Paralisação da Volkswagen


Durante a nota de esclarecimento, a empresa informou que as fábricas iriam parar no brasil, a partir do dia 9 do mês de maio, oferecendo aos funcionários 20 dias de férias coletivas, devido ao fato da falta de matéria prima. Embora não tenha informado a quantidade exata de trabalhadores que se afastariam, de acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, do total de 4,5 mil funcionários, 2,5 mil funcionários terão férias. Já para a fábrica de Anchieta, o total de funcionários em férias coletivas será de 8,5 mil trabalhadores.

Como não existe uma política industrial bem montada para esse tipo de situação, o país vem sofrendo com esse tipo de desestruturação, principalmente o setor de montadoras de carros e toda a cadeia produtiva.

A crise na China também tem afetado a falta de insumos e matéria prima para diversos setores da indústria, principalmente para produções que são realizadas no Brasil e em outros países. De acordo com os representantes da Volkswagen, a falta de insumos afeta diretamente a produção e as montadoras, e a paralisação é o que é possível fazer para manter a empresa de pé.

Falta de semicondutores

A montadora localizada em São Bernardo do Campo vem sofrendo com a falta de semicondutores e desde que realizou uma folga prolongada no feriado de Tiradentes, ainda assim, precisou estender e dar férias coletivas aos trabalhadores, devido a falta de material.

O mesmo aconteceu na fábrica de São José dos Pinhais no Paraná, que deu lay-off há cerca de 580 funcionários, além de diminuir a fabricação do modelo T-Cross, para ser feito em apenas um turno da produção.

Toda a dificuldade em produzir os veículos, acabam afetando as vendas e os preços dos carros. Além da suspensão de alguns modelos, a Volkswagen também precisou reduzir a produção dos modelos Voyage e Gol, carros que despencaram no ranking de vendas.

No mês de abril, a empresa estava em 6º lugar entre as marcas de carros mais vendidas. No acumulado do ano todo, se encontra ainda em 5º lugar, mas esse novo parâmetro pode afetar o seu lugar no ranking, assim como outros prejuízos que podem acarretar dessa paralisação.

Durante os primeiros 4 meses de 2022, a empresa registrou o número de 47,120 de veículos vendidos, um equivalente a 58% a menos do que os números registrados no mesmo período de 2021, com 113,643 unidades. Sendo assim, os números são negativos, representando um total de 66,523 carros não vendidos. Mas o que resta é a contenção de danos e esperar até que tudo retorne ao normal.



Outros Conteúdos Interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.