Principais Problemas do Renault Kwid


Confira aqui quais são os principais problemas e reclamações do Renault Kwid.

Desde a sua chegada ao mercado, o Renault Kwid sempre fez um tremendo sucesso entre os consumidores. O motivo para isso é principalmente pelo seu preço, uma vez que o modelo é considerado o carro mais barato do Brasil.


O carro foi criado a partir de um projeto indiano e tem como proposta ser um veículo de baixo custo, que oferece baixo custo de manutenção e consumo eficiente.


Apesar de suas qualidades, o Renault Kwid sempre foi considerado um carro controverso, uma vez que muitas pessoas também consideraram o carro muito frágil e pequeno.


Opiniões a parte, não podemos negar que o carro é um sucesso de vendas e deve permanecer como um dos mais vendidos no mercado por muito mais tempo.


Mas como tudo não são flores, o carro também tem alguns problemas. E é exatamente isso que iremos abordar nessa matéria, já que aqui você irá descobrir quais são os principais problemas que ocorrem no carro.

O principal problema relatado pelos motoristas do veículo é com relação ao seu sistema de frenagem. O sistema foi modificado em 2020, onde a montadora trocou os discos de freio sólidos e passou a adotar freios dianteiros a disco ventilados. Embora tenha feito esta mudança, muitos motoristas ainda reclamam da frenagem do carro.

Outras reclamações que puderam ser observadas é quanto a construção do veículo, problemas na caixa de direção, no câmbio, além de seu acabamento interno frágil.

Embora muitas unidades do veículo sofram com esses problemas, a boa notícia é que a Renault está sempre atenta as reclamações e vive atualizando o seu carro para que não repita os problemas. Tanto é que o modelo mais recente do carro (2023) ganhou controle de tração e estabilidade, além de ter perdido a sua versão Life, modelo mais simples do carro e que não possuía direção assistida e muito menos ar condicionado.

Atualmente o Renault Kwid continua com o posto de carro mais barato do mercado. A sua versão Zen sai pelo preço inicial de R$ 61 mil. Já a versão topo de linha do carro custa R$ 68.690. Vale lembrar que estes preços são sugeridos para todo o Brasil, menos na cidade de São Paulo.

O Renault Kwid possui um motor 1.0 SCe Flex 12V Flex de três cilindros. O propulsor segue as normas do Proconve L7 e é capaz de atingir até 68/71 cv de potência e 10,5/10,7 kgfm de torque. Com este motor, o carro conta com acelerações mais espertas e teve uma melhora no consumo de combustível, principalmente porque a montadora incluiu no carrro sistema start-stop.

Nas últimas semanas o Renault Kwid também ganhou uma nova versão elétrica. Ela foi chamada de E-Tech e chegará ao país importada da China. De acordo com as especulações de sites especializados, o preço da versão elétrica do Kwid deverá ser de R$ 142.990. Com este valor, o modelo também poderá ser considerado o carro elétrico mais barato vendido em nosso país.

Confira agora a lista com os principais problemas apresentados no Renault Kwid:

  • Câmbio: O câmbio do Kwid costuma dar problema aos proprietários com cerca de 20 mil km rodados. A principal queixa dos motoristas é com relação aos barulhos exagerados ao engatar a ré no carro. Além disso, também já reclamações sobre vazamento do fluído de transmissão e trepidação excessiva e até quebra da caixa.
  • Freios: O principal problema relatado nos modelos mais antigos do carro é quanto ao baixo poder de frenagem do carro, além do pedal esponjoso. A maioria dos relatos sobre a perda do freio ocorreu por voltados 20 mil km. Vale lembrar que o modelo já chegou a ter um recall devido a isso e mudou os discos e outros componentes a partir da linha 2020.
  • Direção: A principal queixa dos motoristas neste quesito está nas folgas da direção. Há ainda relatos de quebras da caixa de direção.
  • Acabamento: O acabamento do carro também é bastante criticado por ser bem frágil. Entre as reclamações estão as maçanetas e alavancas internas das portas que se quebram com certa facilidade.
  • Correia do Alternador: A correia do alternador geralmente deu problema e teve de ser trocada a cada 10 mil km. Há ainda relatos de rompimento da peça, o que pode deixar o motorista a pé.
  • Recalls: O carro já passou por recalls para substituição do Sistema de Freios (modelos produzidos entre 01/03/2016 e 02/11/2017), substituição do Tubo de Combustível (modelos produzidos entre 01/03/2016 e 27/09/2017) e substituição do Berço do Motor (modelos produzidos entre 09/09/2017 e 16/09/2017).



Outros Conteúdos Interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.