Quanto custa blindar um carro e quais os tipos de blindagem?


Atualmente, a blindagem veicular passou a ser um item de necessidade para quem possui algum veículo e sua aplicação ficou ainda mais fácil pela possibilidade de parcelar seu valor final junto a algumas empresas.

Os proprietários de veículos automotores no Brasil que se preocupam constantemente com a sua segurança e da sua família, assim como a segurança de seu patrimônio pessoal estão entre aqueles que constantemente lotam os serviços especializados de blindagem veicular.


Se antes, a blindagem de carros de passeio parecia um item de luxo, na atualidade, ela passa a constituir um item de necessidade extrema para quem possui algum veículo e sua aplicação ficou ainda mais fácil pela possibilidade de parcelar seu valor final junto a algumas empresas.


Mas você seria capaz de escolher qual o tipo mais adequado para o seu bem móvel? Você sabe quais os tipos de blindagem que se usam no Brasil e que são permitidas e certificadas pelos órgãos de trânsito?


Antes de tudo, além de você poder contar com este serviço em algumas capitais brasileiras, existe a possibilidade de se comprar diretamente um carro já blindado. Daí a importância de se conhecer quais os tipos existentes e para qual o objetivo você vai adquirir um veículo com esta característica.


Para começar, a blindagem veicular é uma operação bastante complexa. Para isto, quem vai levar seu carro para qualquer uma destas empresas, precisa saber que seu veículo vai ser literalmente todo desmontado. Isto porque, os revestimentos que fazem parte do tipo de blindagem precisam ser aplicados em todas as partes do veículo.

Na parte interna, todo o acabamento interno, fiação, bancos, revestimento e todos os itens precisam ser removidos para que possam receber os materiais adequados.

Por isso, dependendo do tipo de blindagem escolhida, as portas e os pilares precisam ser reforçados com chapas de aço. Neste item, pode-se aplicar náilon balístico e kevlar, o mesmo material usado nos coletes a prova de bala. Eles podem ser utilizados separadamente ou uma combinação entre ambos.

Durante o processo de blindagem, todo a carroceria e o chassi do veículo passam por uma constante avaliação. Por exemplo, caso as portas fiquem pesadas, elas podem receber uma terceira dobradiça como reforço.

Apesar destes recursos, na hora de colocar seu carro para a blindagem ou na compra de um veículo já blindado, o importante é saber que tipo de blindagem foi utilizado e qual o tipo de munição que ela suporta no caso de uma tentativa de assalto.

No Brasil, alguns tipos de blindagem são utilizadas. São elas:

Tipo I – Usada para proteção de munições mais leves como armas de calibre 22 e 38;

Tipo II e a II-A – Usada para armas de calibre 9 mm e do tipo Magnum;

Tipo III – A – É mais procurada, pois a suporta vários tipos de calibre, inclusive as submetralhadoras;

Tipo III – Usada para armas de mais grosso calibre, como fuzis e de uso militar. É de uso restrito;

Tipo IV – Usada somente nos meios militares, sendo proibida para uso civil. Ela suporta vários tipos de metralhadoras.

Se você não conhecia esta classificação e ficou interessado principalmente no tipo III, infelizmente, ela não é permitida para uso em carros particulares, sendo usada somente em veículos de uso militar.

Apesar do uso dos dois primeiros tipos de blindagem, os proprietários de veículos devem atentar para o fato de que depois do processo de blindagem, o seu veículo vai ganhar cerca de 150 a 250 quilos de peso extra, o que equivale ao peso de dois ou três passageiros a mais. Outro detalhe, a proteção de policarbonato e chumbo que os vidros do carro recebem levam a uma alteração do centro de gravidade, o que pode afetar um pouco a dirigibilidade do veículo, principalmente, para quem gosta de pegar a estrada.

Portanto, se você está pensando em blindar o seu automóvel algum dia, seria bom se informar de todos estes detalhes junto a uma empresa especializada. Antes de tudo, seria bom pesquisar bastante e escolher uma com boa reputação e que possa oferecer um serviço de qualidade, afinal, é uma segurança a mais para você e sua família.

Por Daniel Feitosa



Outros Conteúdos Interessantes

1 Comment


  1. Boa tarde, Senhoras(es)!

    Muito elucidativa a matéria, todavia, não consegui visualizar os valores médios de blindagem.

    Desde já agradeço,

    Fabio


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.