Qual o melhor carro para uma mulher dirigir?


Este tema é de grande importância, sobretudo em nossos dias: Qual o melhor automóvel para uma mulher dirigir?

Embora, a princípio, pareça um tema “machista”, se trata, em realidade, de uma grande preocupação com as mulheres, por parte da sociedade.


Passou-se o tempo no qual se categorizava rigorosamente o tipo de veículo que seria guiado por mulheres, abrangendo, esse assunto, a discussão de modelos mais altos ou munidos de maior porta-malas, no sentido de poder carregar os pertences de família. Às vezes, o tema versava em indicar, somente, um tipo de automóvel menos rodado. Determinava-se, portanto, quais os modelos que seriam pilotados pelas mulheres no Brasil. Os tempos eram outros, e os esposos cuidavam de suas esposas como se estas fossem seus filhos.


Hoje o mundo é outro (sem entrar no mérito de julgar se o mesmo está melhor ou não), e o fato é que as mulheres simplesmente decidem qual é o melhor tipo de carro para elas, e os que melhor atendem às suas próprias demandas, ao critério de cada mãe, empresária, servidora pública ou privada, de cada dona de casa, enfim, de cada mulher desse país.


Mas, valem as dicas dos carros mais confortáveis, dinâmicos, confortáveis para a mulherada. Entre as linhas existentes, alguns especialistas indicam os SUVs, por conta da altura em relação ao chão e pelo bom espaço interno, proporcionando não apenas mais conforto e dinamismo, mas, até segurança. É importante notar que, atualmente, o número de mulheres adquirindo automóveis aumentou e, nesse segmento, de SUV, a bsuca é ainda maior pelas motoristas.


As mães, por exemplo, que carregam filhos, geralmente dois ou três, em idades distintas, precisam de espaços específicos para o bebê, para as crianças maiores. O conforto e a segurança, sobretudo, dirigido às mãe e filhos, é fundamental no trânsito.

Entretanto, é importante observar o seguinte:

Pela contramão das preferências, por exemplo, um profissional na área de enfermagem fiscal pela Coren (PE) e atuante na área de terapeuta integrativa, Fernanda Cerqueira, decidiu vender seu modelo SUV para adquirir um tipo sedã. A razão para essa mudança, segundo a profissional, foi a seguinte: entre os fatores que moveram a minha decisão está o alto consumo de combustível e o volume do carro. Ao adquirir um modelo de menor porte, ela sentiu que o mesmo se adaptou às suas necessidades deste momento de sua vida,

Vale observar, também, que as necessidades das mulheres variam muito, em cada região do Brasil. O exemplo de Fernanda é um entre milhares de outras mulheres com vidas distintas e prioridades urgentes.

Mas, também é importante abordar o tema com bastante cuidado, pois, a questão da altura do veículo, por exemplo, entra nesse tema de modo tão abrangente que até as automotivas poderão começar a produzir versões atendendo ás demandas do público feminino. A vida moderna, com o galopante avanço da tecnologia, tem chances de proporcionar adaptações e todos os grupos de pessoas.

Com as indústrias de automóveis a realidade não é diferente. Portanto, aproveitando que estamos nos mês das mulheres, as homenageadas merecem todo carinho que é possível lhes dispensar. A variedade de veículos no mercado pode ser bastante atrativo para as mulheres, sobretudo os sedãs mais tecnologicamente avançados, tais como a linha Caoa Chery Arrizo Seis Pro ou as versões da série Nissan Versa, de modo que as vantagens oferecidas pelos mesmos podem ser mais profundamente exploradas, lembrando que os modelos citados estão equipados de câmara 360, cuja estrutura não deixa de ser uma espécie de mimo de segurança.



Outros Conteúdos Interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.