Baterias para Carros Elétricos – Desenvolvimento da tecnologia



Com o desenvolvimento dos carros elétricos, grandes empresas globais estão na corrida para o desenvolvimento das melhores tecnologias para as baterias que serão usadas nesses carros.

O ano de 2020 foi bastante imprevisível. Do ponto de vista da indústria automotiva global, a pandemia de COVID-19 virou o mundo de ponta-cabeça, expôs os perigos das cadeias de suprimentos limitadas e viu quedas devastadoras na demanda e no fornecimento de insumos em todo o mundo. Isso tudo repercutiu economicamente e ainda não sabemos como esse impacto afetará de maneira direta o mercado automotivo, seja a curto ou médio prazo.

O fato é que indústrias importantes do setor estabeleceram prazos para encerrar as vendas de novos veículos a gasolina, diesel e mesmo híbridos, passando a comercializar apenas veículos elétricos. A Noruega estabeleceu seu prazo para 2025, Alemanha e Índia para 2030, Inglaterra para 2025 e a China tem uma meta oficial de fazer isso a partir de 2040. Combinados com as pressões das mudanças climáticas, esses prazos estão fornecendo motivação e foco para a indústria automotiva global, dando espaço para a discussão sobre os carros elétricos e, de maneira particular, a capacidade de carga e potência de baterias para esses veículos.



Desenvolvimento de bateria

Os desenvolvimentos em 2020 viram um progresso tangível e significativo em algumas áreas-chave que levarão ao tão falado ponto de inflexão, onde o preço de compra de um veículo elétrico acabará atingindo paridade com os carros de motor de combustão interna. Isso certamente ajudará a popularizar mais essa consciência ambiental, além de demonstrar que as pesquisas sobre densidade de energia de bateria, quantidade de energia de armazenamento e autonomia do veículo estão em franca expansão.

Atualmente, as baterias para carros elétricos são predominantemente de íon-lítio. A Tesla é uma das gigantes que têm trabalhado para trazer uma nova tecnologia de bateria ao mercado: em 2019, suas aquisições incluíram a Maxwell Technologies (especialista em supercapacitores) e a Hibar Systems (especialista em processos de alta velocidade para a produção de baterias). O otimismo foi tão grande por parte da Tesla que seu presidente, Elon Musk, criou o Battery Day, o dia da bateria, com a finalidade específica de apresentar ao mercado o que a empresa de Palo Alto tem conquistado nesse setor.

Leia também:  Compra de Peças Automotivas - Dicas e Cuidados


Assim, a empresa fechou 2020 com o anúncio do modelo com o melhor alcance em testes, o Tesla Model S (de longo alcance), que perfez em 2020 com um alcance relatado de 523 km rodados com uma única recarga. A expectativa era de que a Tesla conseguisse cumprir com a produção de uma bateria de longo alcance para o modelo Roadster, que teria um alcance de pelo menos 965 km. Porém, seu lançamento foi cancelado em virtude da pandemia e, agora, estima-se que seja agendado somente para 2022. O fato é que o Roadster está sendo projetado para ser um incrível hipercarro, desenvolvido para fazer 100 km/h em menos de 2 segundos e entregar pelo menos 1.500 km rodados.

De olho nesse potencial mercado, a gigante coreana Samsung também anunciou um grande avanço no setor de baterias em 2020. Em março, apresentou sua nova bateria de estado sólido, entregando um protótipo que poderia chegar a até 800 km com uma única carga. A tecnologia da Samsung é preliminar e promete, ao longo de novas pesquisas, lançar até o final de 2021 novas versões de baterias com metade do tamanho das atuais unidades de íon-lítio. Isso proporcionaria avanços significativos na densidade de energia para carros elétricos e, ao diminuir o peso dos veículos, seria possível que os carros que a utilizarem cheguem a perfazer pelo menos 2.000 km rodados por recarga – marca extremamente expressiva.

Previsões de mercado

Tendo a possibilidade de valores mais acessíveis de mercado, certamente o grande desafio de 2020, que adentrou o ano de 2021 no setor de carros elétricos consiste nos pontos de carregamento. Ao redor do mundo – mesmo nos países industrializados – a construção de pátios de carregamento dedicados a carros elétricos ainda é pequena. No Brasil, por exemplo, ainda nem se falou nessa opção de progresso por aqui, mas a tendência é que sigamos o protagonismo europeu e norte-americano em até 15 anos.

Leia também:  IPVA SP 2018 - Desconto para Quem não Tiver Multa

Por Beatriz Pinto

Baterias de carros elétricos

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.