Durabilidade das baterias de carros elétricos



Com a evolução da indústria automobilística, novas modalidades de cuidados e manutenção surgem.

Há poucas semanas, representantes de muitas companhias que produzem baterias tipo EV fizeram importante comunicado sobre uma novidade, que está muito próxima de ser oficialmente lançada no mercado dos automóveis elétricos, que são as novas baterias "um milhão de milhas", com desempenho de 1,6 milhão de km.



De acordo com o que foi anunciado pelo executivo da organização General Motors, os engenheiros estão nos procedimentos finais do desenvolvimento da nova bateria com durabilidade para um milhão de milhas, ao passo que a multinacional chinesa de baterias, a Contemporary Amperex Technology, por meio de seus representantes, anunciou os preparativos para produção de baterias com 1,24 milhão de milhas, em durabilidade.

Mas, não são apenas essas companhias que participam desse projeto. Alguns especialistas já adiantaram que engenheiros da Tesla estão empenhados na tarefa, participando da concorrência no lançamento de bateria para um milhão de milhas. Cada organização atua por sua própria iniciativa. A última empresa citada, de acordo com dados mais recentes, foi enfática no sentido de possivelmente inserir no Relatório de Impactos, de 2019, informações sobre vantagens ambientais proporcionadas por um "futuro modelo de veículo Tesla, munido de bateria com capacidade de um milhão de milhas".



Assim, nessa linda de perspectivas, especialistas do segmento explicam que as baterias de novo tipo, equipadas de capacidades inéditas, estarão chegando em breve ao mercado de automóveis.

Entretanto, o centro do tema está na capacidade e eficiência contido nesse tipo de recurso, a longo prazo. Estudiosos do assunto observam que as incipientes baterias com autonomia de um milhão de milhas têm chance de apresentar capacidade e durabilidade ainda mais longos que a própria estrutura dos automóveis, nos quais serão instaladas. Essa possibilidade poderá atingir negativamente o mercado de reutilização desse tipo de material e o trabalho de reciclagem do mesmo.

Leia também:  JAC Motors irá construir nova fábrica em Camaçari (BA)

É importante lembrar que grande parte das tradicionais baterias, tipo EV, hoje, são fabricadas para durar entre oito a dez anos, ou, em termos de quilometragem, em torno de 160.000 milhas, que corresponde a 257.495 km. Representantes de diversas montadoras, entretanto, podem garantir que a nova modalidade poderá conservar até 70% de potência original, durante a vida útil do dispositivo. Deste modo, o novo tipo de bateria também perde capacidade de manter a energia, na medida em que o veículo percorre longas distâncias, antes de o mesmo ser recarregado.

Ainda assim, considerando esse desgaste, muito natural em qualquer recurso material, baterias próprias para carros elétricos ultrapassam, em durabilidade, os modelos de veículos para os quais são destinadas.

Conforme avaliação do dono da Circular Energy Storage, grande companhia na área de pesquisa em mercados, cujo escopo se dá na reutilização e na reciclagem de baterias produzidas em íon de lítio, não é comum que um automóvel seja forçosamente retirado da circulação, em nossos dias, por causa de uma bateria inteiramente degradada.

Com relação às baterias com um milhão de milhas, também sujeitas a esse tipo de degradação, a história será diferente. São dispositivos com alto potencial de reutilização. Segundo especialistas, essas baterias poderão ser muito úteis para o armazenamento da energia veicular ou para outros dispositivos diretamente conectados em rede.

Esse é o futuro dos recursos de energia utilizáveis e reutilizáveis, ecologicamente mais saudáveis pela sua configuração e utilidade para sistemas de energia bem menos exigentes.

Um exemplo é suficiente para mostrar o potencial desses dispositivos: nas primeiras 100.000 milhas percorridas a bateria é utilizada em carro esportivo; depois, ela poderá ser utilizada para gerar força numa cabine elétrica para o equivalente a mais 400.000 milhas. Resultados positivos no desempenho estão se desdobrando.

Leia também:  Audi A1 no Brasil em 2011

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.