Sensor de álcool para detecção de embriaguez ao volante



Há pelo menos dois anos, uma Startup brasileira chamada Senscar trouxe uma inovação ao mercado. Os brasileiros criaram uma forma ao qual o carro desliga sozinho se o motorista estiver embriagado. A novidade não é nova, mas é inovadora.

Segundo a equipe que trabalhou neste projeto, o sensor instalado no veículo consegue, de alguma forma, identificar a embriaguez do motorista através da respiração, descobrindo se além do condutor, os passageiros também se utilizaram de alguma bebida alcóolica.



Segundo a firma, a ideia é oferecer o aparelho para motoristas de táxi ou de ônibus, mas pode ser usado também por motoristas de aplicativo, caso eles possuam este interesse.

Ao instalado, o dispositivo reconhece, através da respiração, se o nível de embriaguez é suficiente para que o veículo seja estacionado em local seguro. O tempo entre a identificação e a desativação do carro é de 180 segundos, o que apresenta a possibilidade de, neste tempo, se busque uma alternativa. É possível informar para uma central responsável a suposta localização, para que se encontre um motorista seguro e que conduza o veículo com segurança.



Ideia similar no Exterior

Há alguns anos, a novidade foi demonstrada em Los Angeles, em um salão que trouxe diversas novidades sobre carros conectados. Nesta apresentação, uma outra Startup detalhou também como funcionaria este auxílio.

Segundo eles, o dispositivo seria instalado próximo ao volante, ficando ao acesso de quem está na direção. Este sensor captura os gases emitidos, ou, detalhando melhor, a respiração, sendo possível fazer a identificação dos níveis de álcool ingeridos.

Caso apresente perigo, o GPS inserido neste dispositivo enviaria a localização para uma central que seria responsável em comunicar a uma pessoa não alcoolizada para esta conduzir o carro até um lugar seguro, podendo também ser avisado a polícia, se assim fosse necessário. O monitoramento acontece durante todo o trajeto, podendo funcionar cinco minutos após a ingestão de alguma bebida que possua álcool.

Leia também:  Melhores Carros até R$ 40 Mil 2018

Polícia do Distrito Federal

A Polícia do DF adquiriu ainda no ano passado, algo bastante semelhante, auxiliando a Polícia a identificar possíveis motoristas embriagados sem a necessidade do bafômetro. Este sistema pertencente a polícia é um pouco diferente do apresentado pela Startup, mas merece destaque.

Conforme descrito pelos policiais, o aparelho não deve substituir o bafômetro, mas sim auxiliar na detecção. O sensor consegue identificar células etílicas, isto é, a penetração do álcool ingerido nas células do corpo. Assim como o dispositivo colocado no volante, este também foi considerado algo inovador.

2009 no Japão

Em 2009, montadoras do Japão testaram um protótipo chamado de Car Tech, uma tecnologia que traz outro sensor similar ao apresentado pelos brasileiros. Diferentemente de ser vendido livremente, estes veículos já vinham com este dispositivo por padrão, ao qual conseguia identificar motoristas bêbados, impedindo assim que os mesmos liguem e consiga andar pelas estradas.

Na oportunidade, uma espécie de bafômetro era instalado, identificando também o nível alcoólico pelo hálito, prevenindo assim novos acidentes. A ideia era justamente facilitar as fiscalizações policiais, já que se o motorista estiver embriagado, ele seria forçado a buscar outro meio de se locomover, evitando assim usar o carro com este item instalado. Caso outra pessoa tente burlar, ele não permite, já que consegue através de uma pequena câmera, identificar qual é a pessoa correta, assim evitando fraudes.

Outra ideia é identificar, através do odor do motorista, se o mesmo possui níveis de álcool no sangue que possam causar algum tipo de acidente. Neste, outras situações também fazem parte do sensor, como a identificação de um possível cansaço de quem conduz o veículo, além de alertar, caso o carro não apresente uma direção constante, como por exemplo não andar em linha reta.

Leia também:  Chevrolet S10 2017 chega com Nova Dianteira e está Mais Econômico

Estas duas ideias são bastante antigas, mas ainda não se viu chegarem ao Brasil, nem se tem notícia do andamento deste projeto.

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.