Para-Brisa Trincado – Causas, Conserto e Valor da Multa



Saiba aqui as causas, como consertar e o valor da multa para o Para-Brisa do Carro Trincado.

Sabia que nem todo tipo de para-brisa trincado rende uma multa para você, e em que em outros casos o dano é total? Mas é importante entender quando é necessário reparar ou não, o que pode ter causado o problema e acima de tudo, qual é hora certa de fazer um reparo para evitar futuras dores de cabeça. Pensando nisso, criamos um artigo com tudo o que você precisa saber sobre essa situação.

Segundo a Resolução nº 216 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), relacionada aos para-brisas em veículos e as suas condições exigidas de segurança e visibilidade, fraturas ou trincas quando configuradas circularmente são consideradas pela Resolução como danos, e nem sempre poderão ser consertadas.



Quando o para-brisa não pode ser consertado?

Segundo a Resolução nº 2016 do Contran, no texto do artigo 2º, não poderão existir na largura das bordas externas, considerada a área periférica crítica de visão do condutor, em uma faixa de 2,5 cm fraturas ou trincas circulares. E caso existam, o para-brisas em questão não poderá ser recuperado. Esse texto diz respeito a automóveis “normais”. Já no caso de caminhões, micro-ônibus e ônibus, a área considerada crítica para a visão do condutor fica localizada em um retângulo de 50 cm x 40 cm, localizado a esquerda de veículos desses portes. Já para outras categorias de veículo, considera-se como área crítica, a região das palhetas, na metade esquerda do limpador de para-brisa.

Veja também:  Volkswagen Fox volta a ser Produzido

Quando o para-brisa trincado não oferece problemas, de acordo com a Regulamentação?

De acordo com o Contran, com exceção às áreas mencionadas acima, os para-brisas poderão ter, no máximo, dois tipos de danos, desde que eles respeitam os limites de que a fratura não poderá ser maior do que a 4 cm da configuração circular de diâmetro, e a trinca não poderá ser maior do que 10 cm.



Qual é a multa ao andar com o veículo que tem o para-brisa trincado?

Ao infringir a Resolução, o condutor será considerado como infrator e estará sujeito às sanções previstas no inciso XVIII do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), referentes ao artigo 230.

O artigo 230 considera como infração grave, com penalidade de multa e medida administrativa de retenção do veículo até que a regularização seja feita, a infração é indicada e enquadrada na parte do texto que considera “conduzir o veículo em mau estado de conservação, comprometendo dessa forma a segurança…”

Veja também:  Novo Chevrolet Equinox 2020 - Novidades

O valor da multa para o condutor infrator que dirigiu com o dano, de acordo com a Regulamentação no para-brisa, é no valor de R$ 130,16. Vale reforçar que o infrator ainda levará quatros pontos na CNH.

Quais são as causas de um para-brisa trincado?

Existem vários fatores que podem deixar um para-brisa trincado, como por exemplo, o choque com algum objeto. Além disso, o choque térmico também pode ser responsável, já que um para-brisa exposto por muito tempo ao Sol, pode ter o choque ao receber repentinamente um fluxo de ar frio.

Quando é possível consertar o para-brisa do veículo?

Um para-brisa poderá ser reparado, de acordo com o dano. Normalmente, a reparação é feita com a aplicação de resina na área trincada, com o objetivo de preencher a área e tampar as trincas. Depois disso, a resina passa por um processo de secagem com auxílio de uma luz ultravioleta, para que assim então a raspagem e a limpeza da área sejam realizadas.

Veja também:  Aluguel de Carro para Uber - Como Funciona, Valores, Como Alugar

Lembrando que o reparo só poderá ser realizado em danos que não sejam nenhum dos mencionados aqui. Em caso de dúvidas, procure um mecânico da sua confiança e peça uma avaliação do dano para saber se é possível fazer o reparo e evitar problemas futuros.

Por Jacqueline de Lima

Inserir um comentário

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.