Piloto Automático e Limitador de Velocidade – O Que é, Diferenças



Saiba aqui o que é e as diferenças entre o Piloto Automático e Limitador de Velocidade.

A tecnologia do sistema de posicionamento global (GPS) rastreia nossa localização, os veículos podem estacionar e com o equipamento certo, você pode olhar para o painel e descobrir exatamente qual é o limite de velocidade. Mas, você tem que concordar que nenhum carro pode dirigir sozinho. Desta forma, mesmo com o sistema de piloto automático, não há como ser tão automático assim.

O início de tudo…



O piloto automático foi, inicialmente, um recurso usado por décadas em aeronaves. No que se refere aos carros, a história do piloto automático começa lá pela década de 1950. Esse mecanismo combina a direção mecânica na direção com o piloto automático.

Mas, você já ouviu falar sobre limitador de velocidade? Sabe qual a diferença dele para o piloto automático? Se quiser saber, é só continuar lendo o artigo!



Qual a diferença entre os dois mecanismos?

O piloto automático tem seu nome um pouco controverso, pois ainda exige máxima atenção e controle conforme necessário durante a direção. Alguns acidentes de alto nível envolveram motoristas, permitindo que o piloto automático conduzisse o carro praticamente sem intervenção. Mas, nenhum sistema de piloto automático oferece capacidade de mãos livres até o momento.

A diferença é que, ao usar um limitador de velocidade, você controla totalmente o carro. Você deve continuar pressionando o acelerador para mantê-lo em movimento, ou o carro diminuirá a velocidade e parará.

Já no modo piloto automático, o próprio carro assume o controle do acelerador para manter uma velocidade constante. Você não precisa pressioná-lo, e o carro continuará na mesma velocidade. Mas é totalmente possível mudar a velocidade manualmente. Ou seja, ambos os sistemas podem ser substituídos rapidamente pressionando os pedais ou desligando-os pressionando um botão.

Leia também:  Parceria entre Chevrolet e Apple irá disponibilizar Carros com Siri

Com efeito, o limitador de velocidade entra como um advertente para controlar e desligar se detectar uma direção estendida com as mãos livres.

Um limitador de velocidade impede que um carro ande acima de uma determinada velocidade definida pelo motorista.

Ele não mantém uma velocidade definida. O motorista ainda usa o acelerador, mas se o carro atingir a velocidade limitada, o limitador impedirá o veículo de andar mais rápido, mesmo pressionando o pedal.

Alguns sistemas mais modernos podem alterar automaticamente a velocidade de um carro em resposta aos sinais de limite de velocidade. Estes são frequentemente referidos como limitadores de velocidade inteligentes.

Todos os limitadores de velocidade podem ser substituídos pressionando com força o acelerador, garantindo que o carro sempre acelere, caso seja necessário.

Qual é a principal função de um limitador de velocidade?

O limitador de velocidade é um dispositivo de segurança e facilita uma longa jornada de viagem. Isso o dispensa da necessidade de continuar verificando sua velocidade, restringindo sua capacidade de exceder o limite de velocidade (ou qualquer outra velocidade que você possa definir). Isso também significa que você tem menos probabilidade de acelerar e arriscar pontos de penalidade.

Como sei se meu carro tem um limitador de velocidade?

A maioria dos limitadores é controlada por botões no volante ou em uma haste indicadora. Ou seja, é super fácil de identificar, pesquise o modelo do seu carro no Google e veja o manual e os recursos disponíveis na versão do seu veículo.

No trânsito, o limitador permanecerá ativo à medida que você desacelera e acelera, mas será necessário ajustá-lo se o limite de velocidade mudar. Você também pode substituir o limitador se precisar acelerar rapidamente, pressionando com força o acelerador.

Leia também:  Carros elétricos: mercado de lítio permanecerá aquecido

Será que essas inovações tecnológicas levarão a rodovias automatizadas cheias de drivers robóticos? Muitos futuristas e especialistas em transporte pensam assim. Mas, por enquanto, nenhum superintendente de máquinas conseguiu ainda criar essa tamanha “mágica”.

Patricia Costa

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.