Carro Elétrico – Dúvidas, Como Carregar, Vale a Pena?



Saiba aqui como carregar um carro elétrico e se vale mesmo a pena ter um.

Estamos no futuro. Sim, aquele “futuro” de filmes como “De Volta para o Futuro”. Com algumas diferenças, claro. Mas estamos. Como prova disso podemos citar os carros totalmente elétricos, que não precisam de gasolina, nem de diesel ou etanol para funcionar! A década de 2020 (2020 a 2029) verá um avanço enorme dos carros elétricos, pois seus preços chegarão ao mesmo patamar de carros populares nos Estados Unidos, como o Honda Civic ou Toyota Corolla (a versão mais completa do Honda Civic 0 km nos Estados Unidos sai por US$ 27 mil).

Eles vão aumentar em números

Esqueça o cheiro de gasolina dentro do carro, na sua roupa ou nas suas mãos. Os carros elétricos estão ganhando cada vez mais espaço em várias partes do mundo. A realidade brasileira impõe uma espera um pouco maior pela popularização dele por aqui, mas ela virá. No Brasil, a cada 2 mil carros vendidos, 1.999 são a combustão e 1 é elétrico (0,05%). Em 2018 nos Estados Unidos, de cada mil carros vendidos, 1.958 eram a combustão e 42 eram elétricos (2,1%).



Uma das maiores vantagens dos carros elétricos em relação aos carros com motor a explosão de combustível é a questão do carregamento, pois basta que o dono conecte o carro “à tomada” e aguarde um tempo até que fique carregado, como um celular. Mas como funciona exatamente o carregamento? Vamos explicar o básico aqui neste artigo.

Demorado e escasso

Carregar carros elétricos tem suas vantagens comparado ao abastecimento com gasolina, mas nem tudo são flores. O carregamento não é rápido e os locais habilitados ao carregamento ainda são difíceis de encontrar até nos Estados Unidos. No Brasil a situação é ainda pior. Aqui no Brasil há alguns poucos lugares habilitados ao carregamento, como alguns shopping centers, postos de combustíveis e supermercados.

Leia também:  Qual o efeito de 27% de etanol na gasolina nos carros?


Quantos postos têm no Brasil?

No maior país da América Latina ainda há poucos postos, somando mais de 100 postos. Há promessas de algumas fabricantes de aumentar o número ainda em 2019. A Volvo é uma delas.

Posso carregar o carro no conforto do meu lar?

Muitas pessoas têm essa dúvida, e a resposta é: sim! É possível carregar carros elétricos utilizando tomadas de 110/127 V ou de 220 V. As marcas de carros elétricos distribuem carregadores próprios que podem ser utilizados em casa.

Padrão de três pinos

O Brasil conta com uma regulamentação do ano de 2004, chamada NBR5410. Essa norma estabelece as regras para o funcionamento seguro de redes elétricas de baixa tensão. Ela estabelece que em tomadas de 110/127 V a amperagem deve ser de 10 amperes ou de 20 amperes. Em tomadas de 220 V a corrente deve ser de 20 amperes.

Como calcular o valor gasto quando carregamos o carro em casa?

Para calcularmos o quanto cada aparelho elétrico gasta basta sabermos sua potência (medida em Watts). Sabendo a potência, é só multiplicar pela quantidade de horas que o aparelho ficou ligado à tomada. No caso do carro, calcule quantas horas ele ficou carregando. O resultado será o valor em kW/h (quilowatt/hora).

Como exemplos, imaginemos uma tomada de 110 volts e 20 amperes. Multiplicando 110 X 20 teremos uma potência máxima de 2.200 watts disponível. Se você deixar o carro ligado a essa tomada por 5 horas você terá um gasto de 11 kW/h nesse período de tempo.

O preço que as companhias de eletricidade cobram por cada quilowatt/hora varia de região para região. A média de preços no Brasil é de R$ 0,56 por quilowatt/hora. Portanto, o preço desse carregamento de 5 horas ficaria por volta de R$ 6,16.

Leia também:  Análise Novo Renault Sandero CVT 2020

Outro fator que influencia no valor gasto na hora de carregar o carro é a famosa “bandeira”. Dentro da “bandeira verde” o gasto é menor.

Wallbox

Wallbox é uma marca de carregadores de parede que promete carregar o carro até 8 vezes mais rápido do que o carregamento convencional. Nesse tipo de carregador, o carro ganha uma carga de até 80% em 8 horas de carregamento.

Esse tipo de carregamento não pode ser feito em tomadas monofásica ou bifásica (como é a instalação da maioria das casas). Há que se instalar uma tomada de três fases (trifásica). O usuário terá que contratar uma empresa de eletricidade para alterar o tipo de instalação elétrica da sua casa instalar o carregador de parede. O preço de tudo isso pode chegar a R$ 8 mil.

Quanto economiza afinal?

Apesar de os carros elétricos ainda serem mais caros do que os carros à combustão, a economia de dinheiro com o carregamento elétrico vale a pena. O abastecimento com gasolina pode sair até 5 vezes mais caro.

Por Bruno Rafael da Silva

Outros Conteúdos Interessantes

1 Comment

  1. Está errado este cálculo de custo. A potência a ser considerada é a do dispositivo ligado e não a da tomada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.