Recall Volvo V60, XC40, XC60, SC90 e S90




Problema envolve modelos produzidos entre 2017 e 2019.

A fabricante sueca Volvo anunciou um recall envolvendo 1.344 unidades. Os modelos são: o Sedã S90, a perua V60 e os SUVs XC40, XC60 e XC90 (disponibilizaremos os chassis e as datas de fabricação dos modelos no final da matéria). O motivo do recall é uma atualização no módulo de conectividade. Todos os modelos são de 2017 a 2019.

Os modelos convocados no Recall têm o sistema “Volvo on Call” integrado. De acordo com a empresa nórdica, esse sistema “é um serviço de segurança e conveniência para proprietários de carros Volvo.” "Com o aplicativo, o usuário tem acesso à localização exata do seu carro". O usuário também pode enviar seu destino para o sistema de navegação do carro e acessar o diário de bordo do veículo.


De acordo com a marca, caso haja um acidente, uma falha no software do módulo de conectividade pode fazer com que esse sistema não acione a chamada de emergência e não envie a localização do veículo à central.

Veja também:  Toyota Yaris Hatch 2019 - Preços

Com isso, os passageiros ficariam sem a assistência do serviço automático de socorro, podendo agravar possíveis danos físicos aos ocupantes e terceiros.

O reparo será gratuito e terá duração aproximada de 1 hora, consistindo na atualização imediata do software tendo que ser agendado antecipadamente em uma concessionária Volvo de preferência do proprietário do veículo. O telefone disponível é o 0800-707 7590 e o e-mail é sac.volvocars@volvocars.com.


Veja os chassis e as datas de fabricação dos modelos participantes:

V60

Fabricação: entre 13 de dezembro de 2017 e 30 de outubro de 2018

Chassis: YV1ZW10CDK1000378 a YV1ZW10CDK1018470

XC40

Fabricação: entre 6 de outubro de 2017 e 30 de outubro de 2018

Chassis: YV1XZ16CCJ2002289 a YV1XZACADK2096872

XC60

Fabricação: entre 3 de março de 2017 e 30 de outubro de 2018

Chassis: LYVUZ10CCKB176155 a YV1UZ10CCJ1116518

XC90

Fabricação: entre 4 de maio de 2016 e 30 de outubro de 2018

Chassis: YV1LCBACDH1158743 a YV1LTBACDH1135076

S90

Fabricação: entre 16 de maio de 2016 e 1 de novembro de 2018

Veja também:  Toyota Yaris 2019 - Resultado do Teste de Segurança da Global NCAP

Chassis: LVYPSBACDKP057816 a LVYPSBACDKP062410

Aplicativo Volvo On Call

A Volvo disponibiliza um aplicativo do Volvo on Call para usuários de Android, iOS e Windows. O aplicativo está disponível para download gratuito na Apple Appstore, Google Play ou na Windows Phone Store. É possível testar várias funções do aplicativo sem conectá-lo a um automóvel. Basta fazer o download e executar em modo de demonstração. Para mais informações diretamente da Volvo, clique aqui.

Contratação do Serviço

Esse serviço é ativado no ato assinatura do termo de ativação, que pode ser realizado no ato da compra. Para mais informações, a Volvo disponibiliza um canal de comunicação em seu website. As informações serão dadas mediante o preechimento do formulário disponível na página clicando aqui.

História

Com 91 anos de existência (foi fundada em 1927), a Volvo tem uma história marcada por estar presente nos maiores mercados do mundo. O principal local de produção nos Estados Unidos está em Charleston, no estado de South Carolina.

Veja também:  Honda Civic 2019 - Novidades, Preços e Nova Cor

A fábrica de South Carolina deixa a Volvo com presença nos três maiores mercados globais: Europa, China e os Estados Unidos, dando um empurrão na ambição da empresa de vender 800 mil veículos ao redor do mundo até 2020. A empresa vendeu 571.577 veículos em 2017, tendo 7 por cento de crescimento em relação a 2016. Para mais informações (em inglês) clique aqui.

A China é o maior mercado da Volvo Cars, com 90.930 carros vendidos em 2016; seguida dos Estados Unidos com 82.726; Suécia com 70.268, Grã-Bretanha, com 46 722 e Alemanha com 39 434. Em 2016, a Volvo registrou vendas globais de 534 332 carros. Fonte dessas informações em sueco aqui.

As vendas da Volvo nos Estados Unidos também caíram com a crise financeira de 2008. Suas vendas ainda estão nos patamares de 1994 nos Estados Unidos, mas em nítida recuperação. Veja aqui em inglês.

Por Bruno Rafael da Silva

Relacionados



Inserir um comentário

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.