Câmbio CVT – Como Funciona, O que é



O câmbio CVT oferece maior potência, melhor dirigibilidade e consumo de combustível.

O câmbio CVT é um mecanismo de transmissão que oferece uma maior potência para o veículo, e, se calibrado de forma correta, também proporciona uma melhor dirigibilidade e consumo de combustível.

Apesar de o projeto ter sido desenvolvido por Leonardo da Vinci, no século XV d.c., sua aplicação automotiva só veio a ocorrer depois de cinco séculos, por volta do ano 1950. No Brasil, a princípio, o câmbio CVT foi visto como uma opção cara, sendo relacionado a modelos de alta qualidade, porém, com o decorrer do tempo e com o avanço do conhecimento sobre o dispositivo, ele vem se tornando cada vez mais popular.

Quer saber mais sobre o funcionamento e as vantagens de possuir um câmbio CVT em seu veículo? Acompanhe este post.

Câmbio CVT: como funciona?

O câmbio CVT utiliza duas polias, com medidas variáveis, para proporcionar uma maior interação entre o consumo de combustível, a aceleração e a força. Enquanto as transmissões automáticas convencionais fazem essa função com o uso de um conjunto de marchas pré-definidas, que se trocam para realizar trabalho.



Veja também:  Audi Q3 2018 - Características, Especificações

As polias do CVT possuem formato semelhante a cones, de modo oposto, e possuem uma corrente metálica para as ligar. Uma das polias é ligada no motor e a outra se conecta com a roda para dispor a força que o motor entrega.

Ambas são móveis e se mobilizam a fim de aumentar e/ou reduzir o diâmetro do sistema, de forma parecida com a que ocorre com as marchas comuns. No entanto, esse movimento é realizado sem o uso de marchas fixas ou já existentes, o diâmetro vai se modificando conforme pede a demanda dos carros, executando uma transmissão continuamente variável.

Já a dirigibilidade de um carro que usa o sistema de câmbio CVT é semelhante a de um carro automático, possuindo apenas dois pedais, junto de uma alavanca de câmbio, que dá ao motorista a definição de neutro, ré, além das demais configurações. Entretanto, a experiência difere o carro com câmbio CVT de um carro automático. No momento da troca de marcha, o veículo não se abala, sendo possível sentir a transmissão variando continuamente de acordo com a demanda do motor.

Veja também:  Renault Captur Coupé - Características, Especificações

Câmbio CVT: quais são as vantagens e desvantagens?

Ao relacionar as vantagens e as desvantagens de usar o sistema de câmbio CVT em seu veículo, é necessário considerar a busca pela máxima eficiência, pois isso resume o objetivo do uso do câmbio CVT. Esse sistema oferece ao motorista tudo o que é preciso, de forma rápida, eficiente e automática, além de ser muito mais econômico, quando comparado a uma transmissão automática, podendo ser considerado uma grande vantagem.

Porém, algo que é considerado uma desvantagem do câmbio CVT é a experiência, pois essa tecnologia não é algo que muitos motoristas estão acostumados, de modo que, no início, pode trazer uma sensação de estranhamento. Além do mais, o sistema costuma apresentar muitos barulhos enquanto as polias estão se ajustando, o que também pode incomodar o condutor.

Veja também:  Volvo S90 2018 - Especificações, Características

Também é necessário falar sobre o valor do CVT, que possui uma considerável diferença entre as outras tecnologias. No entanto, é preciso refletir que esse investimento pode fazer com que o usuário economize futuramente com manutenções e resoluções de problemas em relação a essa função. Portanto, antes de utilizar o sistema de câmbio CVT, pondere entre os prós e contras e veja se é isso o que está procurando, no momento.

Gostou do post? Não esqueça de compartilhá-lo com seus amigos para que eles também saibam mais sobre o câmbio CVT.

Por Felicia Lopes

Câmbio CVT




Inserir um comentário

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.