Multa para quem não estiver com a CNH

  

Projeto de lei impede multar quem não estiver portando a CNH.

A CCJ, Comissão de Constituição da Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados realizou a aprovação de um projeto de lei, o qual proíbe a retenção do veículo e que seja aplicada multa caso o condutor não esteja portando a sua CNH ou então documento de licenciamento. Caso, no plenário, não haja recurso requerendo análise, a proposta vai para o Senado.

Porém esta lei só terá vigência, se for aprovada, caso o agente de trânsito tenha como fazer uma consulta dos dados do veículo e do motorista através de uma base de dados assim que abordar o condutor.

Pela lei vigente, o indivíduo que não portar a CNH e o licenciamento pode ter o automóvel retiro e ser multado até que apresente os mesmos. É considerada infração leve e a multa custa R$ 88,38.

Veja também:  Ficha Técnica do Volkswagen SpaceFox 2018

Será necessário documento de identificação

O projeto de número 8022/14 é autoria da deputada Keiko Ota e da ex-deputada Sandra Rosado ambas PSB-SP e pretende alterar o CTB, Código de Trânsito Brasileiro. Foi aprovada também pela Comissão de Viação e Transportes uma emenda para que se apresente qualquer documento de identificação, pelo condutor, para que a medida o beneficie.

De acordo com essa proposta, no momento que não for possível consultar as informações do condutor ou do veículo, será cancelado o auto de infração, se no prazo de um mês o condutor apresentar, ao órgão de transito, o documento. Desta forma, os pontos não serão computados na CNH do motorista.

Veja também:  Recall do Hyundai HB20 e HB20S 2017

Comissão vota para que os extintores voltem




A Câmara tem outra comissão, Viação e Transportes, onde os Deputados, por unanimidade, aprovaram, no final do mês passado, uma proposta par que retorne a obrigatoriedade do uso de extintores de incêndio nos veículos.

É a fase inicial para o PL 3404/15, de autoria do deputado Moses Rodrigues do PPS – CE, que não concordou com o órgão de trânsito e pediu para reverte-lo, no mês de novembro de 2015.

A partir deste momento a proposta irá para a Comissão de Constituição da Justiça e Cidadania antes para seguir o plenário da Câmara.

Por Filipe Silva

CNH






Inserir um comentário

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.