Audi deve lançar SUV Q6 elétrico em 2017




O novo modelo deve chegar ao mercado de carros elétricos para bater de frente com as versões da Mercedes e BMW.

Com a crise global em questões ambientais e recursos energéticos, muitas empresas estão optando por desenvolver seus produtos para que atendam essa necessidade que cada vez mais aumenta. E as grandes montadoras de carros de luxo não estão atrás. Prova disso é a Audi, que desenvolveu um novo veículo elétrico.

O modelo, batizado de Q6, será um SUV (Sport Utilitary Vehicle) que será cem por cento elétrico. O novo carro da Audi vem para competir com os modelos Mercedes Benz GLE Coupé e BMW X6. Uma primeira imagem já foi divulgada pela montadora alemã, durante sua conferência anual para a imprensa.

Veja também:  Ford Ka 2019 melhora Resultado em Teste de Colisão

Pela imagem revelada, é possível perceber que o veículo será bem futurista e terá um estilo um pouco achatado, mas bem agressivo. É possível observar, ainda, que o teto terá uma suave queda na sua linha, e que os para-lamas serão proeminentes.

Apesar das especulações anteriores, o veículo segue a linha Q, e foi montado sobre a mesma plataforma modular do Q7, o novo veículo SUV da marca que é equipado com um conjunto mecânico semelhante ao do modelo R8 e-tron.

Os rumores anteriores diziam que o SUV Q6 não seguiria nenhum outro SUV da marca, o que foi desmentido durante o evento realizado pela Audi. Outra informação também especulada, mas que não deve se confirmar é sobre a sua autonomia, já que anteriormente diziam que o veículo rodaria até 500 km com uma única carga. Mas a informação foi atualizada, e agora a especulação é que a autonomia do Q6 seja de apenas 293 km, bem menos do que a informação anterior.

Veja também:  Jeep Renegade 2019 - Novidades e Principais Mudanças

O chefe de pesquisa e desenvolvimento da marca alemã, Ulrich Hackenberg, confirmou que o Q6 terá influência do conceito Prolongue no design de sua carroceria. Apesar de já ter apresentado o teaser do novo veículo, o Q6 deve demorar para chegar ao mercado, com estimativa de até três anos.

Por Felipe Villares

Relacionados



Inserir um comentário

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.