Crise no mercado automobilístico do Brasil

  

A crise financeira que o mercado automobilístico está passando já revela prejuízo para muitas montadoras. Como exemplo, a Ford obteve em torno de US$ 975 milhões de prejuízos nas transações comerciais em toda a América do Sul. Inclusive, o Brasil que apresenta fraqueza na economia, pois a alta variação cambial existente permite gerar maior índice de perdas em diversos negócios.

A Ford revela também a queda da importação da Argentina e a baixa produção na Venezuela. Porém, mesmo que a faixa de lucro da Ford tenha caído em torno de 4,4%, ainda é considerado pela “Wall Street” um número considerável de que o negocio não esteja tão ruim para a montadora. 

A Ford não alcançou a meta de lucros almejada aqui, mas ainda mantém um lucro considerável de US$ 835 milhões em aproximadamente cada trimestre. Só que para a empresa automobilística ter uma perda de 31% a cada três meses, afeta a criação de novos investimentos, como é o caso na Europa e também na América do Sul, regiões onde o prejuízo foi constatado.  Como também aumenta as possibilidades de investimento na América do Norte e Ásia, locais onde não deixou a empresa ficar totalmente no prejuízo. 

O mercado brasileiro anseia por novas propostas que possam melhorar o setor automobilístico, pois é o que a Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (ANFAVEA) está aguardando com as novas oportunidades de parceria entre Brasil e Colômbia. Esse acordo está previsto para ser aprovado em novembro de 2014.

No Brasil, a taxa de câmbio está provocando muitos prejuízos, ou seja, está inibindo o crescimento do mercado de venda de veículos, que é considerado de grande importância para o desenvolvimento da economia do país, onde a importação de veículo é mais favorável do que as exportações.




Veja também:  Suzuki Jimny 2018 - Novidades, Versões e Preços

Nesta perspectiva, a venda de veículos diminui, mas não para. As marcas que tiveram mais saídas foram a Fiat, Chevrolet, Volkswagen. A Ford ficou na quarta posição no ranking registrado no mês de setembro de 2014.

Portanto, é preciso torcer que a taxa de câmbio comece a melhorar no Brasil, assim o mercado de importação possa oferecer novas oportunidades de compra de veículos com boas condições de pagamento para todos. Como também aumentar as expectativas de produção no Brasil, que contribui para o crescimento da economia do país.

Por Jaqueline Mendes

Fiat

Foto: Divulgação






Inserir um comentário

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.