Dicas para comprar seu primeiro carro



A compra do primeiro carro é um sonho em comum entre a maioria dos jovens brasileiros. Até certa fase da vida, a compra do carro vem antes da casa própria. Na ânsia de ter seu primeiro veículo, o jovem consumidor costuma realizar compras por impulso e se esquece de se precaver de problemas.

Confira, então, dicas importantes para que o sonho não vire um pesadelo:



1- Finalidade do veículo

Esse tópico é muito importante e pode significar uma boa economia na compra e na manutenção do seu veículo. Quem deseja ter um carro próprio, para ir e voltar do trabalho na mesma cidade e para passeios no fim de semana, não precisa de um motor muito além do 1.0.



Já, para quem pega a estrada diariamente, um motor mais potente – como o 1.6, 1.8, 2.0 – garantirá melhor desempenho e, consequentemente, economia de tempo e gasto com combustível.

2- Custo e benefício

Carro dá despesa e isso tem que ser levado em conta na hora da escolha do seu veículo, considerando a renda mensal. Quanto mais novo e mais caro o modelo, mais caras serão as despesas como: IPVA, DPVAT, seguro, licenciamento, manutenção, consertos eventuais, consumo de combustível.

O ideal é analisar todos esses gastos para cada modelo que se interessar em comprar. Isso irá garantir que o consumidor possa usufruir do seu carro da melhor maneira possível.

3- Preço do carro

A FIPE – Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas realiza e disponibiliza ao consumidor uma tabela de preços médios de 24 estados brasileiros, tabela essa, que também serve de base para se calcular o IPVA – Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores.

Leia também:  Fotos BMW X1 2010 - Modelo deve chegar ao Brasil em breve

Antes de conferir os preços na loja confira a tabela FIPE. Se o preço pedido estiver além da tabela, vale tentar uma negociação para obter desconto.

4- Test Drive

O test drive é mais utilizado para carros zero km, mas, os usados precisam tanto, ou mais, de teste prático. Quem estiver comprando seu primeiro carro e/ou entende pouco da funcionalidade de um veículo, deve fazer o test drive com alguém entendido no assunto e de confiança do consumidor.

5- Forma de pagamento

– À vista ou com entrada: a melhor forma geralmente é à vista, além de o desconto valer a pena, evita-se prestações por um longo período. Vale frisar que fazer empréstimos para comprar carro à vista pode sair mais caro do que financiamento. Faça as contas sempre.

Quem não tem todo o dinheiro para compra a vista, mas tem entrada, também consegue uma boa negociação;

– Consórcio ou Compra Programada: o consórcio para quem não tem tanta pressa de pegar o veículo, também garante economia, se comparando com financiamentos. Algumas concessionárias brasileiras já estão aderindo a uma nova forma de pagamento, que é a compra programada;

O consumidor paga parcelas de acordo com sua possibilidade e, ao atingir certa porcentagem paga (geralmente 60%), retira o veículo e continua pagando o restante. O preço do carro sai à vista;

– CDC – Crédito Direto ao Consumidor: modalidade bastante utilizada e as taxas são menores do que crédito pessoal, geralmente próximo de 2% ao mês, mais IOF. O carro é financiado pelo banco ou por financiadoras;

– Leasing ou Arrendamento Mercantil: é uma opção em que o consumidor só é dono do carro após a quitação do mesmo, antes disso é como se o consumidor locasse o veículo e no final do período o comprasse;

Leia também:  Como Dirigir em Enchentes - Dicas e Cuidados

6- Retirada do carro da loja

O Procon recomenda, uma última checada antes de tirá-lo da loja, minimizando a margem de problemas posteriores. Se mesmo com tanto cuidado, o carro apresentar algum problema após sair da loja, faça valer seus direitos.

A primeira reclamação deve ser feita direto na loja em que comprou se não resolver, falar com a central da marca (em caso de carro zero km), mas se ainda assim, o problema não for resolvido, o Procon – Órgão de Proteção e Defesa do Consumidor faz valer o seu direito.

A compra correta do carro zero km ou usado pode parecer penosa, mas certamente é o melhor caminho, para melhor usufruir o bem que adquiriu. Para isso siga esse passo a passo.

Por Jaqueline de Oliveira

Foto: divulgação

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.